Universidade federal da paraíba

75 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
75
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Universidade federal da paraíba

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CCTA-DEM LICENCIATURA EM MÚSICA METODOLOGIA DO ENSINO DO INSTRUMENTO I PROFESSOR: FÁBIO H. G. RIBEIRO ALUNO: DHIEGO HERÁCLITO DE M. COSTA
  2. 2. METODOLOGIAS DO ENSINO DO PIANO PIANO MÚSICA DE CÂMARA PIANO COMPLEMENTAR
  3. 3. MONTANDON AFIRMA QUE UMA PROBLEMÁTICA RECORRENTE NESTAS DISCIPLINAS É A “ NÃO DISTINÇÃO ENTRE OO ENSINO DE PIANO ENQUANTO INSTRUMENTO PRINCIPAL OU COMO INSTRUMENTO AUXILIAR NA FORMAÇÃO DO MÚSICO” (MONTANDON, 2001, P.105)
  4. 4. O ENSINO DE PIANO NOS CONSERVATÓRIOS REGIME TUTORIAL: (INDIVIDUAL) O ENSINO DO PIANO NA EDUCAÇÃO BÁSICA TENDÊNCIA OPOSTA AO REGIME TUTORIAL: (ENSINO DE PIANO EM GRUPO).
  5. 5. AULA DE PIANO INDIVIDUAL (ACOMPANHAMENTO INDIVIDUALIZADO COM RITMO DE AULA DIRECIONADO PARA UM ALUNO) x AULA DE PIANO EM GRUPO (PRIVILEGIA UM AMBIENTE MUSICAL E SOCIAL MAIS ADEQUADO E MAIS MOTIVADO PARA O ALUNO)
  6. 6. PERSPECTIVAS DO ENSINO DO PIANO PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA: ALGUNS IDEAIS DA EDUCAÇÃO MUSICAL NO ENSINO COLETIVO DE INSTRUMENTOS PODEM SER OBSERVADAS : O PODER DA MÚSICA COMO AGENTE TRANSFORMADOR A APRENDIZAGEM COLABORATIVA TRABALHO COLETIVO E NÃO AO PENSAMENTO SOLISTA MAIOR APROVEITAMENTO DA CARGA HORÁRIA BEM MAIS ECONÔMICO
  7. 7. GORDON AFIRMA QUE:“A LITERATURA DE PEDAGOGIA DO PIANO É BASTANTE RICA, MAS QUE OS MÉTODOS DE INSTRUMENTOS DE TECLADO REFLETEM IDEOLOGIAS DE SUA ÉPOCA”.
  8. 8. O ENSINO COLETIVO DE PIANO COMO MODELO DE ENSINO PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA: “ FICA CLARO QUE O ENSINO COLETIVO É CAPAZ DE MULTIPLICAR O ACESSO SOCIAL À APRENDIZAGEM DA PERFORMANCE MUSICAL DE FORMA DEMOCRÁTICA, ECONÔMICA, MOTIVADORA E HUMANA. HISTORICAMENTE ESTE É O AMBIENTE DE APRENDIZAGEM MUSICAL MAIS ADEQUADO PARA TRABALHAR COM INICIANTES “ (FISHER, 2010, P.19-20)
  9. 9. DESAFIOS DO ENSINO EM GRUPO NA EDUCAÇÃO BÁSICA: PARA CONSEGUIR DESENVOLVER VERDADEIRAMENTE AULAS DE INSTRUMENTO EM GRUPO, É IMPERIOSO QUE O PROFESSOR ESTEJA CONSCIENTE DO PERIGO DE TRANSFORMAR O ENSINO DE INSTRUMENTO EM GRUPO NUMA SÉRIE DE AULAS INDIVIDUAIS “EMPACOTADAS” NO TEMPO DE AULA DESTINADO AO GRUPO ( HARRIS & DAVIES, 2009, P.127). A MAIOR DIFICULDADE DO ENSINO EM GRUPO É MANTER A AULA DIRIGIDA PARA O GRUPO COMO UM TODO E NÃO PERMITIR QUE DEGENERE NUMA AULA DE CINCO MINUTOS, NA QUAL UM ALUNO DE CADA VEZ TEM TODA ATENÇÃO DO PROFESSOR ENQUANTO AS RESTANTES DO GRUPO OUTRA COISA QUALQUER (ENOCH, 1978, P.2). O ENSINO DE GRUPO DE QUALIDADE, PELA SUA NATUREZA, ENVOLVE TODOS OS ALUNOS DURANTE TODO O TEMPO (LEY, 2004, P.14).
  10. 10. REFLEXÃO SOBRE O ENSINO COLETIVO DO PIANO NA EDUCAÇÃO BÁSICA COMO GERIR O DESENVOLVIMENTO TÉCNICO E MUSICAL INDIVIDUAL COM AULAS EXCLUSIVAMENTE EM GRUPO SEM ATRASAR OS MAIS DOTADOS OU ABANDONAR OS MENOS DOTADOS ? MITOS E VALORES INSTALADOS NA SOCIEDADE EM GERAL E NAS ESCOLAS EM PARTICULAR, FOCA FREQUENTEMENTE O ENSINO DO INSTRUMENTO E O DESENVOLVIMENTO MUSICAL DO ALUNO COMO UM RESULTADO DA TRANSFERÊNCIA DE CONHECIMENTOS TÉCNICOS E ARTÍSTICOS DO MESTRE, NUMA LÓGICA DE PERPETUAÇÃO DE UMA TRADIÇÃO TÉCNICA E ARTÍSTICA CENTRADA NO LEGADO E PRESTÍGIO DO PROFESSOR, EM VEZ DE SE CENTRAR NA MÚSICA E NO ALUNO (VASCONCELOS, 2002, P.64)
  11. 11. O ENSINO DE PIANO EM GRUPO JACOBSON (2006, P.274) IDENTIFICA QUATRO FORMATOS DIFERENTES DE TIPOLOGIAS DE AULA: 1) A MASTERCLASS- ONDE O PROFESSOR COMPARTILHA RECOMENDAÇÕES, IDÉIAS INTERPRETATIVAS E TÉCNICAS REFERENTES A EXECUÇÃO DE UM ALUNO. 2) AULAS EM GRUPO COMO COMPLEMENTO DAS AULAS INDIVIDUAIS ONDE O PROFESSOR INCLUI ATIVIDADES QUE SÃO FREQUENTEMENTE NEGLIGENCIADAS NESTAS COMO TEORIA, DESENVOLVIMENTO AUDITIVO E LEITURA A PRIMEIRA VISTA. 3) COMBINÇÃO DE AULA INDIVIDUAIS E EM GRUPO DIFERENTES TIPOLOGIAS. 4) AULAS EXCLUSIVAMENTE EM GRUPO. QUE POR SUA VEZ PODEM ASSUMIR
  12. 12. MÉTODOS A CLARIFICAÇÃO DE OBJETIVOS E SISTEMATIZAÇÃO DE PROCEDIMENTOS PARA OS ALCANÇAR É, NA SUA ESSÊNCIA O QUE DEFINE O MÉTODO. OS MÉTODOS TEM A FUNÇÃO DE PROVIDENCIAR UMA PROGRESSÃO LÓGICA PARA A APRENDIZAGEM DE CONCEITOS E COMPETÊNCIAS, BEM COMO MÚSICA PARA A PRÁTICA DESTES ELEMENTOS (JACOBSON & LANCASTER, 2006, P.41). A INTEGRAÇÃO DA APRENDIZAGEM DE PIANO NUMA FORMA DE APRENDIZAGEM MUSICAL MAIS ABRAGENTE, É CADA VEZ MAIS UMA PREOCUPAÇÃO QUE SE VERIFICA NOS ATUAIS MÉTODOS DE ENSINO DE PIANO. OS MÉTODOS DE ENSINO UTILIZADOS ATUALMENTE REFLETEM A EVOLUÇÃO GERAL OCORRIDA EM TODAS AS FASES DA EDUCAÇÃO. ENSINAR DEVE SER RELEVANTE E DEVE CENTRAR-SE NAS NECESSIDADES E OBJETIVOS DOS ESTUDANTES DE HOJE (BASTIEN, 1988, P.40).
  13. 13. MODELOS DE ABORDAGEM QUE GUIAM OS MÉTODOS DE PIANO DÓ CENTRAL – CONSISTE NO ESTUDO DE PEÇAS A PARTIR DA REGIÃO MÉDIA DO PIANO, TENDO COMO REFERÊNCIA O DÓ CENTRAL. MULTITECLAS- BASEIA-SE O ESTUDO COM BASE NA EXECUÇÃO DE ESTRUTURA FIXAS COM MAIS TECLAS COMO ACORDES. INTERVALAR- CONCENTRA-SE NA LEITURA RELATIVA, OFERECENDO CONTATO COM TODA A EXTENSÃO DO TECLADO LOGO NOS PRIMEIROS MOMENTOS DE APRENDIZAGEM, PERMITINDO AINDA DIRECIONAR A ATENÇÃO AO USO DO DEDILHADO.

×