Segmentação de Público no Monitoramento de Mídias Sociais

9.955 visualizações

Publicada em

Segmentação de Público no Monitoramento de Mídias Sociais. Whitepaper publicado pela Social Figures para fomentar o debate sobre o tema.

Publicada em: Negócios, Tecnologia

Segmentação de Público no Monitoramento de Mídias Sociais

  1. 1. SEGMENTAÇÃO DE PÚBLICO NO MONITORAMENTO DE MÍDIAS SOCIAIS Demografia, Psicografia e inovações para entender o público nas Mídias Sociais
  2. 2. SUMÁRIO SEGMENTAÇÃO E PÚBLICO-ALVO: APRENDENDO E DIRECIONANDO COM AS REDES ..................................... 3 SEGMENTAÇÃO DEMOGRÁFICA: ATRIBUTOS E CARACTERÍSTICAS ........................................................................ 4 SEGMENTAÇÃO PSICOGRÁFICA: INTERESSES E COMPORTAMENTOS ................................................................... 6 DEMOGRAFIA, PSICOGRAFIA E OUTROS TIPOS DE SEGMENTAÇÃO NAS MÍDIAS SOCIAIS ............................... 8 APLICANDO A SEGMENTAÇÃO NAS MÍDIAS SOCIAIS ............................................................................................... 11 SEGMENTAÇÃO DE PÚBLICO NO MONITORAMENTO DE MÍDIAS SOCIAIS | ©|2014 SOCIAL FIGURES | 2
  3. 3. SEGMENTAÇÃO E PÚBLICO-ALVO: APRENDENDO E DIRECIONANDO COM AS REDES A segmentação é um dos mais poderosos conceitos do marketing para alcançar seus objetivos: da criação de propaganda ao relacionamento com cliente, segmentar significa usar as melhores táticas e ferramentas para cada grupo específico de pessoas. No mundo ideal, o relacionamento um-a-um significa uma super segmentação: a pessoa é vista em toda sua individualidade, histórico, perfil, gostos e preferências. Algumas marcas hoje possuem, literalmente, milhões de fãs, seguidores ou leitores nas mídias sociais. Periodicamente se publicam rankings e listas das maiores fan pages em números de membros e outros indicadores quantitativos simples. Praticamente todas as grandes marcas do Brasil criaram volumosas presenças nas mídias sociais e agências posicionam-empresas deixa de lado, entretanto, é o potencial destas enormes redes enquanto reais laboratórios de compreensão do público consumidor. Abaixo apenas alguns dados públicos que estão explicitamente disponíveis:  Faixa etária dos fãs nas mídias sociais;  Gênero dos fãs nas mídias sociais;  Localização dos fãs e emissores de menções;  Perfis e páginas citadas pelo público engajado;  Lista de amigos;  E muitos outros dados referentes às características, atributos e comportamentos. Ligar todas estas informações aos conceitos de segmentos de público pode ser estratégico para empresas e agências. A ideia de segmentação envolve dividir o mercado em diferentes partes que podem ser atendidas por diferentes ofertas de produtos, serviços e comunicação. Declan Bannon1 nos lista alguns dos benefícios da segmentação de mercado:  encoraja o desenvolvimento de produtos e serviços que combinem com os critérios de sucesso de um segmento;  permite o direcionamento de comunicação e canais de distribuição aos consumidores;  ajuda os analistas de marketing a identificarem oportunidades e ameaças;  permite alocação de recursos nos segmentos de melhor resultado;  encoraja a análise de concorrentes e outros. Mesmo no contexto específico da comunicação, as técnicas de segmentação de mercado potencializam a eficácia das estratégias e táticas. Conhecer melhor o público significa saber falar melhor com ele, oferecendo comunicação, anúncios e relacionamento com temas, linguagens e abordagens adequadas. Quando se fala de comunicação corporativa, existem alguns tipos de segmentação mais comuns: demográfica, psicográfica e segmentação de consumo, que somam-se ainda a segmentações específicas das mídias sociais. Vamos conferir? SEGMENTAÇÃO DE PÚBLICO NO MONITORAMENTO DE MÍDIAS SOCIAIS | ©|2014 SOCIAL FIGURES | 3
  4. 4. SEGMENTAÇÃO DEMOGRÁFICA: ATRIBUTOS E CARACTERÍSTICAS As características demográficas são as mais evidentes, mas nem por isso são pouco úteis. Gênero, país, região, etnia e classe sócio-econômica são as principais e mais gerais categorias que podem servir de parâmetro na compreensão de um grande número de pessoas. Historicamente, a demografia tem sido usada por governos e grandes organizações que, ao compreender a dinâmica populacional de um país, podem colocar em ação esforços, medidas e políticas para atingir seus objetivos de forma mais precisa. Apesar de ser um conceito, como muitos outros, posto em cheque na pós-modernidade, a divisão de gênero é a mais básica na demografia. As sociedades ocidentais definem papéis, expectativas, oportunidades e problemas específicos para os homens e as mulheres. Em um contexto cultural específico, alguns tipos de produtos são quase exclusivamente usados por um gênero. A comunicação, é claro, direciona-referências comportamentais (consumo de bebidas por exemplo.) Mas cuidado! A igualdade de gênero é cada vez mais buscada, e isto significa ter cuidado tanto em aspectos de marketing quanto aspectos da comunicação em si e as pessoas estão alertas para qualquer deslize que seja ou possa ser visto como discriminatório. As divisões de país, estado e cidade estão amplamente relacionadas a questões culturais, econômicas e comportamentais. Falar que alguém é brasileiro, italiano ou japonês já traz à baila uma persona mental abstrata. Outros atributos podem ser inferidos a partir da nacionalidade, mas em se tratando do Brasil, as diferenças estaduais são bastante relevantes. A localização de um usuário nos diz coisas, com variantes de precisão, sobre suas condições econômicas, padrões de atividades BrandCare, ferramenta de monitoramento de mídias culturais, vestuário, padrões alimentares e tipos de sociais da Social Figures, possui avançados recursos de produtos consumidos. Em alguns casos, a localização é um geolocalização no Twitter. fator exclusivo no marketing: um produto ou serviço pode ser conhecido nacionalmente, mas só é distribuído em determinadas praças. Ao tratarmos de monitoramento, que é baseado em buscas textuais, significa um cuidado triplicado com as línguas, expressões idiomáticas, gírias e costumes linguísticos. A quantidade de gírias e nomes específicos para produtos, alimentos e ações diferentes é enorme. Até interjeições são usadas de modo particular: o que pode parecer um insulto em um estado brasileiro, na verdade é uma palavra de incentivo em outro. Associado à idade, temos as atividades específicas gerais ligadas a cada faixa etária. Brincadeiras e jogos, alimentação, consumo cultural, vida romântica mudam e são definidos de modo geral por cada fase da ades ocidentais. Além dos produtos mais obviamente ligados à faixa etária como achocolatados, bebidas alcóolicas, creme contra rugas e afins, as grandes marcas de produtos de giro rápido possuem cartelas de sub-marcas pra diferentes públicos etários. SEGMENTAÇÃO DE PÚBLICO NO MONITORAMENTO DE MÍDIAS SOCIAIS | ©|2014 SOCIAL FIGURES | 4
  5. 5. As diversas metodologias para se atribuir classes socioeconômicas são criadas, evoluídas e discutidas ao longo dos anos. No Brasil, os critérios são definidos pela Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa2, que atualizou o seu critério e hoje as classes socioeconômicas são classificadas em números de 1 a 7, sendo 1 referente a classe com mais condições e 7 referente a pessoas em situação de pobreza ou extrema pobreza. O cruzamento destas categorias demográficas já oferece uma amplitude exaustiva de modos de definição de segmentos. Apenas como exercício, se você multiplicar 27 estados brasileiros x 2 gêneros x 5 gerações x 7 faixas socioeconômicas já temos 1890 combinações possíveis! E todos sabemos que cada um destes níveis é muito mais nuançado do que parece, não é? SEGMENTAÇÃO DE PÚBLICO NO MONITORAMENTO DE MÍDIAS SOCIAIS | ©|2014 SOCIAL FIGURES | 5
  6. 6. SEGMENTAÇÃO PSICOGRÁFICA: INTERESSES E COMPORTAMENTOS Com o fortalecimento do capitalismo, aumento e diversificação do consumo, globalização e emergência das culturas de nicho na segunda metade do século XX, a segmentação demográfica passou a não ser suficiente para algumas necessidades. Religião, região, nacionalidade e gênero deixaram de ser categorias estanques: o indivíduo não precisa mais carregá-las por toda a vida. Somando-se a segmentações a partir de dados demográficos e geográficos, uma perspectiva mais individualizada e comportamental baseada nos Estilos de Vida congrega dados de Atividades, Interesses e Opiniões (sigla AIO no inglês). Em grande parte, este tipo de classificação é resultante das transformações no comportamento do consumidor ao longo da segunda metade do século XX. Instituições/segmentos tradicionais como Estado, Igreja e Família (e Geração) deixaram de ser tão definidores do comportamento individual. Outros tipos de afiliação a grupos como cultura popular (nichos musicais e estilísticos), causas sociais (feminismo, GLBT, minorias étnicas) e mesmo consumo (os fãs ardorosos de Android ou iOS que o digam!) acabam sendo mais importantes em alguns casos. Desse modo, analisar Atividades, Interesses e Opiniões é ter uma abordagem psicográfica, o que significa olhar também para comportamentos baseados no que a pessoa acha sobre um tema, seus padrões de consumo, o que envolve e a interessa. Entram nesta lista coisas como atitudes sobre saúde, alimentação, outros grupos sociais, interesses musicais, literários e esportivos, opiniões sobre tendências políticas e assim por diante. A classificação de Joseph Plummer3, já com 40 anos de lançamento, continua a ser válida para os tempos contemporâneos. Atividades Interesses Opiniões Trabalho Família Self Hobbies Lar Questões Sociais Eventos Sociais Emprego Política Férias Comunidade Negócios Entretenimento Recreação Economia Afiliação a Clubes Moda Educação Comunidade Comida Produtos Compras Mídia Futuro Esportes Realizações Cultura As Atividades de uma pessoa dizem muitas coisas sobre seu comportamento frente a ações de consumo. Se a pessoa reserva 2 horas de seu dia para atividades esportivas, além de ser um público-alvo de produtos relacionados a esporte, ginástica e malhação, geralmente significa que é uma pessoa ativa fisicamente. Realizar esforços faz parte de sua vida e noções de auto-realização podem ser valorizadas. Os Interesses quanto à sua Família, por exemplo, significam que um usuário terá um leque ampliado de atenção. Quem está no papel social de mãe ou pai recente, dá mais atenção seletiva a mensagens ligadas a crianças. Uma das categorias de público bastante relevante há anos nos Estados Unidos são as chamadas blogger moms mães blogueiras, que utilizam blogs e mídias sociais para compartilhar e trocar mensagens, fotos e ideias sobre crianças, pediatria, alimentação infantil e o ser mãe. SEGMENTAÇÃO DE PÚBLICO NO MONITORAMENTO DE MÍDIAS SOCIAIS | ©|2014 SOCIAL FIGURES | 6
  7. 7. Outro exemplo bem recorrente gira em torno dos interesses de formatos mídia. Descobrir qual o tipo de mídia (jornais, revistas, portais, redes sociais) é mais utilizado por uma fatia do público significa a possibilidade de desenvolver planos de mídia e placement adequados. As Opiniões, por sua vez, refletem predisposições nas conversações e modos de ver várias camadas da sociedade. Por exemplo, a opinião sobre direitos autorais e o quão ético é baixar um álbum ou jogo Opiniões quanto ao Futuro podem indicar um perfil mais cauteloso ou confiante. Se um grupo acredita que o futuro reserva boas oportunidades e fartura financeira, provavelmente também é um grupo disposto a realizar grandes compras ou usar cartões de crédito, por exemplo. Compreender bem os diferentes perfis de atividade, interesses e opiniões do público significa desenvolver produtos, comunicação e aspectos do marketing que atendam suas necessidades explícitas e implícitas, assim como evitar posicionamentos que o desagradem. SEGMENTAÇÃO DE PÚBLICO NO MONITORAMENTO DE MÍDIAS SOCIAIS | ©|2014 SOCIAL FIGURES | 7
  8. 8. DEMOGRAFIA, PSICOGRAFIA E OUTROS TIPOS DE SEGMENTAÇÃO NAS MÍDIAS SOCIAIS A possibilidade de segmentar grupos de pessoas e consumidores é diretamente proporcional à quantidade de dados que podemos obter destes. Com a web 2.0, as mídias sociais e todas as evoluções tecnológicas, comportamentais, sociais e econômicas subjacentes à estes fenômenos, ocorreu um boom de dados sociais. Segmentações são a base dos maiores negócios de internet atualmente. A Google fatura bilhões principalmente por conseguir oferecer publicidade segmentada principalmente por interesses em tempo real: o anunciante pode mostrar um anúncio para alguém que está buscando uma informação, em tempo real. Já o Facebook utiliza principalmente as segmentações demográficas como gênero, idade e local, associadas a interesses de tipos de páginas que representam por sua vez outros tipos interesses -, para também oferecer publicidade direcionada. Muito importante para uma organização neste sentido é saber qual o seu atual público específico, se ele corresponde a seu público-alvo e quais são as características das pessoas falando sobre suas marcas e produtos. A segmentação demográfica nas mídias sociais varia bastante de acordo com cada plataforma e com os tipos de mídia. De modo geral, as principais informações demográficas como localização, gênero e idade ressar e se identificar através de seus perfis, mostrando o que são: nome, localização, idade, profissão, local de trabalho etc. Em parte dos casos, são metadados: dados que acompanham as menções coletadas pelo monitoramento de mídias sociais, permitindo aos analistas de monitoramento filtrarem suas análises de acordo com localização, por exemplo. As mídias sociais permitem que as pessoas se conectem com outras pessoas de qualquer lugar do mundo. Mas o uso generalizado delas levou a um fenômeno bem interessante: os usuários tendem a se conectar e conversar mais com pessoas que conhecem de modo presencial. Isto significa que, ao conversar ou interagir com alguém de um determinado perfil demográfico, você tende também a impactar pessoas do mesmo perfil demográfico da rede do usuário. A segmentação psicográfica nas mídias sociais pode ser desenvolvida através da percepção coletada direta ou indiretamente sobre o que os usuários tem interesse ou sobre seus comportamentos. Em relação a seus interesses, a lista de páginas curtidas, em se tratando de Facebook, ou de perfis corporativos seguidos no Twitter, por exemplo, é uma importante fonte. Se a pessoa está bastante interessada em perfis de esportes radicais e se apresenta como esportista, por exemplo, tende a ter características comportamentais associadas a este universo. Informações psicográficas baseadas nos interesses, de modo geral, são as mais simples e diretas de serem coletadas nas mídias sociais. O ato de seguir perfis, páginas e blogs e, especialmente, compartilhar e indicar posts, notícias e links sobre determinados temas representam os interesses dos usuários. Estes Interesses são especialmente relevantes pois indicam como o usuário deseja se apresentar a seu público imaginado: amigos, colegas e afins. SEGMENTAÇÃO DE PÚBLICO NO MONITORAMENTO DE MÍDIAS SOCIAIS | ©|2014 SOCIAL FIGURES | 8
  9. 9. As mídias sociais focadas em dispositivos móveis, tais como Twitter e Instagram trazem ainda a força da instantaneidade para a análise dos segmentos. Um dos primeiros motes do Twitter era justamente dizer r com outros suas atividades. Aplicativos como o Instagram ainda permitem identificar para o quê os usuários apontam seus olhares e câmeras, reunindo atividades e interesses. As mídias sociais ainda oferecem informações muito relevantes e próprias do ambiente digital. Algumas destas segmentações podem ajudar a entender o perfil digital do público para que as marcas ofereçam suas mensagens do melhor modo possível. O nível de atividade na internet é um dos modos de segmentação do perfil comportamental do usuário nas mídias sociais. Dos usuários menos ativos aos mais ativos, Peter Brandtzaeg e Jan Heim4 propõem a seguinte categorização:  Esporádicos: são aqueles usuários que utilizam a mídia esporadicamente, geralmente por não possuírem um hábito de acesso tão frequente ou são novatos;  Lurkers: é o tipo mais frequente de usuários de mídias sociais. São aqueles usuários que lêem, consomem e assistem conteúdo de suas redes, mas não comentam ou produzem conteúdo próprio.  Socializadores: são os usuários focados nos aspectos sociais. Não necessariamente produzem muito conteúdo original, mas compartilham e conversam com seus contatos.  Debatedores: é o perfil mais próximo dos blogueiros, ativistas e de quem está interessado em discutir e apresentar suas próprias ideias e pontos de vista.  Ativos: são os usuários mais ativos, que contribuem com bastante conteúdo, heavy users das mídias sociais. Compreender as características dos seus públicos de acordo com este nível de atividade é essencial por vários motivos. Especialmente quando se pensa o nível de atividade em relação às marcas. O perfil do consumidor de determinados tipos de produtos pode variar bastante. Por exemplo, os fãs fiéis de algumas marcas de smartphones tendem a ser Ativos, enquanto consumidores de seguros de vida, além de serem de faixa etária mais avançada (ainda um indicador de menor atividade nas mídias sociais) poucos motivos tem para interagir espontaneamente com páginas e perfis de seguros. Com o monitoramento de mídias sociais permitindo coletar e classificar as opiniões dos indivíduos, a inclinação de cada consumidor em relação à marca, através do sentimento e engajamento de suas publicações, também pode ser operacionalizada em segmentos de público. Um exemplo de classificação que pode ser aplicada:  Brandlovers: consumidores que amam a marca e não tem medo de expressar, estão sempre indicando para seus amigos e rede.  Advogado de Marca: consumidores que defendem a marca sempre que podem ou em situações de consumo.  Interagentes: parte do público que, mesmo não sendo necessariamente consumidor, interage e comenta nas mensagens da marca.  Indiferente: grande parte do público que tem acesso ás mensagens da marca, mas não está interessado ou tocado ao ponto de interagir.  Insatisfeitos: consumidores que interagem quando ocorre algum problema e utilizam as mídias sociais, de forma pública, para resolvê-lo.  Detratores de marca: devido a uma insatisfação não resolvida ou problema prolongado com a marca ou produto, os detratores são os consumidores que se sentem ofendidos e partem para retaliação. SEGMENTAÇÃO DE PÚBLICO NO MONITORAMENTO DE MÍDIAS SOCIAIS | ©|2014 SOCIAL FIGURES | 9
  10. 10.  Trolls: público que, mesmo sem um motivo específico, deseja gerar danos à marca, muitas vezes sem fundamento. Mídias sociais também explicitam as ligações entre as pessoas. Todo um mercado de relacionamento com influenciadores foi criado a partir disto. Redes de blogueiros ou plataformas de anúncios voltadas a mídias sociais exploram este aspecto. Então, a ideia de Influência é um dos valores centrais nas mídias sociais e também pode ser vista como um modo de segmentar o público em estratos. Índices de influência baseados em algoritmos, apesar de não serem tão precisos quanto uma análise aprofundada humana, são rápidos e úteis! O Brand Care, por exemplo, permite classificar os usuários de acordo com sua nota Klout: quando maior o número, maior poder de disseminação de uma mensagem o usuário pode ter. Às O recurso Top Profiles permite descobrir quais tuiteiros são mais influentes em cada País, Estado ou Cidade através das métricas Klout vezes, olhar primeiro o que os influenciadores estão falando pode potencializar a repercussão positiva ou evitar a disseminação de crises. SEGMENTAÇÃO DE PÚBLICO NO MONITORAMENTO DE MÍDIAS SOCIAIS | ©|2014 SOCIAL FIGURES | 10
  11. 11. APLICANDO A SEGMENTAÇÃO NAS MÍDIAS SOCIAIS Uma vez que dados e informações sobre os segmentos passam a ser coletados, como aplica-los? Como tornar estas informações rentáveis para sua agência, organização ou cliente? Seguem alguns exemplos de relatórios ou análises que podem ser úteis para melhorar os resultados de comunicação digital:  Relatório de Perfis de Público nas Mídias Sociais Uma primeira aplicação da segmentação de público nas mídias sociais é descobrir/desenhar segmentos do público de acordo com o seu negócio. Recomenda-se desenvolver estes relatórios com uma grande quantidade de dados, provenientes de ferramentas de monitoramento, relacionamento e marketing da empresa. A cada 6 meses ou 1 ano, o relatório pode ser atualizado para identificar como o público da marca mudou. Por exemplo: o A sua rede de hotéis possui diferentes perfis de viajantes. O viajante de negócios autônomo, o viajante de negócios empresarial, o viajante em casal, o viajante em família. Quais são as preocupações deles? Como procuram e publicam informações nas mídias sociais? o É uma empresa com lojas físicas e eletrônicas? Será que os clientes de um tipo são diferentes do outro? Use as mídias sociais, cruzando dados do seu CRM com o monitoramento de mídias sociais para descobrir diferenças. o Quem compõe os 40 mil seguidores de sua marca de espumantes? São só consumidoras? Qual a distribuição de gênero? Quantas são blogueiras de cosméticos? Quantos são distribuidores de bebidas atentos às novidades do mercado? Como falar com cada um deles?  Eleitor x Não-Eleitor em Campanhas Políticas Em campanhas políticas brasileiras, estamos falando principalmente de marcas pessoais. A confiança do eleitor brasileiro no político específico é o fator mais decisivo para a decisão de voto, que é o grande objetivo de marketing eleitoral. Em um Brasil efervescente de discussões políticas, os cidadãos, militantes e comunicadores emitem opiniões sobre políticos e candidatos de todo o país, especialmente se estiverem envolvidos em questões de interesse popular. Mas, em se tratando de eleições para Governos de Estado, Prefeitura, Assembléias Legislativas e Câmara de Vereadores, o segmento geográfico é decisivo. o Do que falam os usuários que comentam nos blogs políticos da cidade do seu candidato? Quais os interesses implícitos que apontam as inquietações do eleitorado influente sobre os rumos o Dos militantes espontâneos, quantos são da praça eleitoral do seu candidato? Quais suas características comparados aos militantes de outros estados? o Qual a diferença de cobertura jornalística online entre jornais locais e jornais nacionais sobre o seu candidato? o E os detratores de marca? Quais são da praça e quais são de outras cidades ou estados? SEGMENTAÇÃO DE PÚBLICO NO MONITORAMENTO DE MÍDIAS SOCIAIS | ©|2014 SOCIAL FIGURES | 11
  12. 12.  Público nas Mídias Sociais x Público-Alvo da Marca Nem todas as pessoas estão nas mídias sociais e nem todas as pessoas que estão nas mídias sociais são público-alvo da marca. Mas as pessoas que estão se conectando e conversando com a marca são aquelas do público-alvo ou são diferentes? É possível fazer esta comparação para gerar vários tipos de insights. o Prove que sua campanha de mídia deu resultado ao trazer pessoas do público-alvo da marca para conversar com a empresa; o Realize uma análise de perfil de público focada O Brand Care permite conferir quais foram os usuários que mais mencionaram os termos buscados e/ou mais interagiram nas propriedades da marca apenas na fatia do público das mídias sociais que faz parte do público-alvo dos produtos. Desenvolva um planejamento de conteúdo e ações de engajamento que favoreça esta fatia do público.  Advogados x Detratores de Marca Lembre-se daqueles clientes que reclamam dez vezes mais quando o produto de sua empresa atrasa. Será que alguma característica demográfica ou psicográfica explica isto? Olhar mais de perto as semelhanças e diferenças em cada uma destas categorias pode jogar luz nas táticas de conversação, para promover as menções positivas e diminuir as menções negativas. o Qual o perfil de atividades e interesses do seu cliente? Conhece e é habituado a novas tecnologias? Uma solução tecnológica como um aplicativo para smartphone pode melhorar o processo de venda? o O que os usuários que reclamam de forma mais enfática sobre a sua rede de hotéis no Reclame , significa um público mais sensível a problemas de hospedagem que envolvam sua imagem perante seus parentes?  Medindo Opiniões e Atitudes em Comentários Muito frequentemente, postagens em páginas do Facebook, blogs tornam-se um espaço para debates entre os usuários sobre suas preferências quanto ao produto, modos de uso, posições políticas e outros comportamentos. Observar estas interações e descobrir as o O público das diferentes marcas de bebidas do conglomerado interage de forma lúdica em mensagens sobre as relações homem x mulher. Quais as diferentes posições culturais deste público consumidor quanto a relacionamentos e sexo? o Qual a opinião dos diferentes segmentos do público quanto à depilação masculina? Pesquisar comunidades online como grupos do Facebook e fóruns sobre beleza pode ajudar no lançamento de uma campanha ligada a este comportamento, ainda polêmico em algumas sociedades. Estas são só algumas das aplicações possíveis! O mundo da segmentação de mercado ou público é gigantesco e o mercado promete demandas mais e mais inteligência que veja o consumidor de modo mais particionado nas mídias sociais. E o monitoramento dos dados e conversações é nosso grande aliado para enfrentar este desafio. SEGMENTAÇÃO DE PÚBLICO NO MONITORAMENTO DE MÍDIAS SOCIAIS | ©|2014 SOCIAL FIGURES | 12
  13. 13. CONHEÇA O BRANDCARE O BrandCare é uma ferramenta on-line de monitoramento de mídias sociais que usa palavras-chave para coletar as mensagens relevantes das redes e então analisá-las. Atendemos a agências, empresas, políticos e consultorias que desejam explorar a força das mídias sociais para: relacionamento com os consumidores e eleitores; evitar e gerenciar crises; compreender a fundo o público através de estudos, benchmarkins e pesquisas.  Monitoramento de Mídias Sociais e fontes de dados: Blogs, Facebook (Menções), Facebook Pages, Fóruns, Google+, Instagr.am, Notícias, Orkut, Twitter, Vídeos e Yahoo;  Ferramentas para análise de sentimento e categorização das menções coletadas;  Relacionamento e interações com os usuários no Facebook e Twitter;  Alertas de palavras-chaves para prevenção de crises e aproveitamento de oportunidades;  Recursos avançados e interativos de geolocalização em países, estados e cidades;  Organização inteligente das buscas e resultados em buscas, keywords e tópicos de assuntos;  Diferencial no custo-benefício para monitorar feeds, perfis Twitter, fanpages e blogs para pesquisas, estudos avançados;  Recurso Top Profiles que permite, com uma crescente database de milhões de perfis, pesquisar os tuiteiros mais influentes de cada Estado ou Cidade brasileira;  Geração automática de relatórios em diversos formatos (PDF, Word, Excel) com os dados e análise realizadas. www Saiba mais sobre o Brand Care no nosso website q Para entrar em contato direto conosco, só ligar para +55 11 4966-3694 R Confira mais conteúdo e nossas mídias sociais através do blog Social Figures 1 BANNON, Declan P. Marketing Segmentation and Political Marketing. Political Studies Association, 2004. 2 Novo Critério de Classificação Econômica Brasil http://www.abep.org/novo/Content.aspx?ContentID=882 3 The Concept and Application of Life Style Segmentation – Joseph T. Plummer http://www.jstor.org/discover/10.2307/1250164?uid=2&uid=4&sid=21103372248033 4 A Typology of Social Networking Sites Users http://www.academia.edu/906922/A_Typology_of_Social_Networking_Sites_Users SEGMENTAÇÃO DE PÚBLICO NO MONITORAMENTO DE MÍDIAS SOCIAIS | ©|2014 SOCIAL FIGURES | 13

×