PREFÁCIO     O   CONTEÚDO DESTA OBRA É FRUTO DA VOCAÇÃO INTERDISCIPLINAR DO      DESIGN,   QUE AFLORA DO SEMEAR DE IDÉIAS ...
SEM   DÚVIDA, UMA GRANDE RESPONSABILIDADE, MAS, ABRAÇADA COM VIGOR E ENTUSIASMO PELAS MUITAS MÃOS DOS PROFISSIONAIS DALIVE...
APRESENTAÇÃO     O PRAZER PROPORCIONADO PELA COMIDA É UM DOS FATORES MAIS IMPORTANTES DA VIDA DEPOIS DA ALIMENTAÇÃO DE SOB...
A VERSÃO CORRENTE É DE QUE OS RESTAURANTES SURGIRAM NA FRANÇA DO SÉCULO XVIII, PORQUE ALGUNS COZINHEIROS RESOLVERAMMONTAR ...
EM PARIS, OS RESTAURANTES TAMBÉM PASSARAM A OFERECER UM SERVIÇO DIFERENCIADO. A CLIENTELA DESFRUTAVA DE UM ATENDIMENTOPERS...
COMO CONSEQÜÊNCIA, O HOMEM NECESSITA CONTROLAR O SEU TEMPO E APROVEITÁ-LO EFICIENTEMENTE, PARA O ALCANCE DE SUAS METAS.DES...
-1-    PROJETO – BAR NOVE    Abordagem Inicial    Enunciado do Projeto    Empreendedores    Produtos e Serviços7
ENUNCIADO DO PROJETO      O PROJETO TEM COMO OBJETIVO APRESENTAR OS ESTUDOS E ANÁLISE DE VIABILIDADE ECONÔMICA DA CRIAÇÃO ...
HÁ TAMBÉM O VALOR CULTURAL E HISTÓRICO DE SE ABRIR UM ESTABELECIMENTO NA REGIÃO.     NUM MOMENTO EM QUE MUITO SE VALORIZA ...
ALMEJA INCENTIVAR A PROLIFERAÇÃO DE ATIVIDADES LIGADAS À CULTURA, AO LAZER E AO TURISMO, OS SÓCIOS ENTENDEM QUE O BAR NOVE...
-2-     CIDADE DE SÃO PAULO      Centro de São Paulo      Revitalização do Centro11
CENTRO DE SÃO PAULO     O   CENTRO DE   SÃO PAULO   SE TRADUZ NUMA REGIÃO COM DIVERSOS CONTRASTES, MARCADOS PELO PROCESSO ...
REVITALIZAÇÃO DO CENTRO                                                  O PLANO      DE   REVITALIZAÇÃO    DO   CENTRO   ...
MEDIANTE FINANCIAMENTO DA REABILITAÇÃO DE EDIFÍCIOS E RESIDÊNCIAS DE FAMÍLIAS, MORADIAS TEMPORÁRIAS PARA FAMÍLIAS QUE VIVE...
PARA   REFORÇAR A ILUMINAÇÃO DOS PASSEIOS COMO FORMA DE INIBIR A AÇÃO DE MARGINAIS E AUMENTAR A SEGURANÇA NA REGIÃO, FORAM...
-3- CENTRO DE SÃO PAULO     Potencial Econômico     Cidade de São Paulo – Potencial     Econômico     Mapa do Turismo no C...
CIDADE DE SÃO PAULO – POTENCIAL ECONÔMICO E SOCIAL                                      FUNDADA   EM   1.554   POR PADRES ...
ATUALMENTE SÃO PAULO      SE APRESENTA COMO O MAIOR MERCADO CONSUMIDOR NACIONAL, FATO QUE ATRAI AS MAIORES FEIRASBRASILEIR...
A   PREVISÃO É QUE NO PRÓXIMO ANO, A CAPACIDADE HOTELEIRA PAULISTANA ALCANCE   50   MIL UNIDADES, DIVIDIDAS ENTRE DIFERENT...
MAPA TURÍSTICO                 20
BIBLIOTECAS (AZUL)                                          06                                                            ...
12                                                          18DEPTO. DE DOCUMENTAÇÃO E INFORMAÇÃO                         ...
23                                                                 28BIBLIOTECA PINACOTECA DO ESTADO                      ...
33                                                           04BIBLIOTECA TRIBUNAL DE ALÇADA CRIMINAL DE SÃO PAULO        ...
09                                                          15ESPAÇO CULTURAL DO METRÔ SÃO BENTO                          ...
21                                                        27MAB – MUSEU DA ARTE BRASILEIRA                            MUSE...
32                                                             38MUSEU DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA                             ...
04                                                 10TEATRO SESC CONSOLAÇÃO                             TEATRO SÉRGIO CARD...
16                                                                  04TEATRO HILTON                                       ...
FEIRAS (CIANO)01FEIRA DA LIBERDADE METRÔ LIBERDADEWWW.FEIRADALIBERDADE.COM.BR02FEIRA DE ARTES E ANTIGÜIDADEPÇA. JÚLIO PRES...
MAPA DE RESTAURANTESE BARES                       31
DADOS ESTATÍSTICOS – INDICADORES SÔCIO-ECONÔMICOS DO CENTRO                                                 32
1 – DADOS DEMOGRÁGICOS                         POPULAÇÃO TOTAL                                                            ...
2.1 – ESTABELECIMENTOS E EMPREGOS POR TIPO DE ATIVIDADE                                                  QUANTIDADE DE    ...
3.1 – HABITAÇÃO                          3.1.1 – INDICADORES HABITACIONAIS E DE SANEAMENTO                                ...
4.1 – INDICADORES SOCIAIS                             4.1.1 – INDICADORES SÔCIO-ECONÔMICOS                                ...
-4-     BAR NOVE     Conceitualização     Conceito     Cronologia e Acontecimentos da época     Inspiração Histórica     C...
CONCEITO    “O VERDE QUE RENASCE NO CORAÇÃO DA CIDADE ABRAÇA SEUS ÓRGÃOS.    OS OLHOS NÃO ENCONTRAM MAIS BARREIRAS ONDE SE...
ACONTECIA NA DÉCADA DE 20                                                            UMA DÉCADA DE PROSPERIDADE E LIBERDAD...
O   DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO DESTE PERÍODO ESTEVE MAIS CORRELACIONADOCOM AS   CIÊNCIAS BIOLÓGICAS,   COMO A INVENÇÃO DA...
CRONOLOGIA DOS ACONTECIMENTOS PELO MUNDO:DÉCADA DE 20 – INFORMAÇÕES GERAIS      - 1920                                    ...
- 1921      EM 19 DE FEVEREIRO É PUBLICADO O PRIMEIRO NÚMERO DA "FOLHA DANOITE", PRIMEIRO JORNAL DO GRUPO FOLHA.      EM 1...
- 1922     ESSE ANO MARCA A HISTÓRIA DA LITERATURA MUNDIAL POR SUAS CRIATIVAS E INOVADORAS PRODUÇÕES LITERÁRIAS. ENTRE ELA...
-1923     "CONTOS DA ERA DO JAZZ" , UMA COLETÂNEA DE CONTOS DO ESCRITOR SCOTT FITZGERALD, É O GRANDESUCESSO LITERÁRIO DO M...
-1924             GERSHWIN ESTRÉIA SUA "RHAPSODY IN BLUE" , EM 12 DE FEVEREIRO, ENCANTANDO O PÚBLICO        PRESENTE NO AE...
- 1925                                                                    CHAPLIN   TRANSFORMA SAPATO EM COMIDA NO FILME  ...
-1926     EM 27     DE JANEIRO, O INVENTOR ESCOCÊS       JOHN L. BAIRDAPRESENTA UMA NOVA MÁQUINA CAPAZ DE TRANSMITIR IMAGE...
- 1927     A   MULHER MODERNA PEDE LIBERDADE DE MOVIMENTOS E A MODA PARISIENSE JÁ MOSTRA AS NOVASROUPAS QUE REDUZEM OS BUS...
-1928             EM 28   DE MAIO, A   DODGE BROTHERS INC.   E A   CHRYSLER CORPORATION    ANUNCIAM SUA        FUSÃO, A MA...
-1929     NESSA ÉPOCA, A FRANCESA GABRIELLE COCO CHANEL É A SÍNTESE DANOVA MULHER DOS ANOS    20. ELA ALCANÇA O AUGE DO SU...
CENTRO DE SÃO PAULO – DÉCADA DE 20                                                                 NA   DÉCADA DE   20,   ...
REMANESCÊNCIA DA ARQUITETURA DA DÉCADA DE 20 NO CENTRO DE SÃO PAULO         NO COMEÇO DO SÉCULO A CAPITAL DE SÃO PAULO PRO...
METAL OU MADEIRA SE HARMONIZAVAM COM CONSTRUÇÕES ALTAS PARA A ÉPOCA E EXTREMAMENTE RICAS EM DETALHES.         A   FACHADA ...
INSPIRAÇÃO ARTÍSTICA:BELLE ÉPOQUE – BREVE HISTÓRICO     A BELLE ÉPOQUE FOI UM PERÍODO NA HISTÓRIA DA FRANÇA QUECOMEÇOU NO ...
ART DÉCO – BREVE HISTÓRICO     O TERMO ART DECO, DE ORIGEM FRANCESA (ABREVIAÇÃO DE ARTS DÉCORATIFS), REFERE-SE A UM ESTILO...
ART NOUVEAU – BREVE HISTÓRICO                                           NOME DADO AO MOVIMENTO INTERNACIONAL QUE SE ESPALH...
MODERNISMO – BREVE HISTÓRICO       EM PRINCÍPIO, O MOVIMENTO PODE SER DESCRITO GENERICAMENTE COMO UMA REJEIÇÃO DA TRADIÇÃO...
SEMANA DA ARTE MODERNA       EM SÃO PAULO – BREVE HISTÓRICO     A SEMANA DE ARTE MODERNA FOI UM EVENTO OCORRIDO EM SÃO PAU...
PARTICIPARAM   DA   SEMANA   NOMES CONSAGRADOS DO   MODERNISMO BRASILEIRO,   COMO   MÁRIO   E   OSWALD   DE               ...
OSCAR NIEMEYER – BREVE BIOGRAFIA     A   LINHA RETA, INFLEXÍVEL NUNCA SEDUZIU COMPLETAMENTE          OSCAR NIEMEYER,ARQUIT...
MUSICALIDADE – DE JAZZ A MPB NO BRASIL     A DÉCADA DE 20 TEVE ALGO REALMENTE NOVO NO QUE SE DIZ RESPEITO A MÚSICA, O INÍC...
POPULARIZARAM-SE EM SÃO PAULO O GRAMOFONE, AS VITROLAS E AS ORQUESTRAS DE CINEMAMUDO.   AS   GAFIEIRAS TOCAVAM SAMBAS, MAX...
DEFINIÇÃO DA TIPOLOGIA DO RESTAURANTE BAR NOVE     ATÉ O INÍCIO DOS ANOS   80   ERAM RARAS OPÇÕES PARA QUEM PRECISAVA ALMO...
ATUALMENTE OS SELF-SERVICE SÃO OS QUE APRESENTAM MAIOR CRESCIMENTO NO MERCADO ALIMENTÍCIO, POIS REPRESENTAM UMA NOVATENDÊN...
OS DEMAIS RESTAURANTES DO SEGMENTO “A LA CARTE” APRESENTAM TAMBÉM UM CERTO GRAU DE FACILIDADE NO PROCESSO DE GESTÃO,POIS T...
O SERVIÇO DO TIPO “CASUAL DINING” DEMONSTRA EM SEU MENU, UMA CONSCIÊNCIA COM O BEM-ESTAR E A SAÚDE E PROCURA ENFATIZARINGR...
INTERPRETAÇÃO CONCEITUAL                                 A   SUGESTÃO ARQUITETÔNICA TRADUZ O CONCEITO DO    PROJETO       ...
SALÃO     LEVOU-SE EM CONSIDERAÇÃO O TRÂNSITO E O FLUXO DEPESSOAS AO SE DEFINIR A POSIÇÃO DOS MÓVEIS. PROCUROU-SEMANTER CO...
CONTEMPLAM-SE 13 (TREZE)       MESAS    COM   4     (QUATRO)   CADEIRAS CADA E   10 (DEZ)   BANQUETAS NO     BAR; A CAPACI...
COZINHA       A    COZINHA      INDUSTRIAL      TEM    SUAESTRUTURA       FUNDAMENTADA      BASICAMENTE    EMSUAS   PAREDE...
BAR                INSPIRADO    PELAS    LINHAS   DE     OSCAR           NIEMEYER, COM APLICAÇÃO DO PISO CERÂMICO EM      ...
MEZANINO     A    ÁREA SUPERIOR, OU MEZANINO, FOI DESENHADOCOM O INTUITO DE INTEGRAR-SE COM O JARDIM EXTERNO EMSUA TOTALID...
PRAÇA E DECK                            A   PRAÇA HOJE EXISTENTE NO LOCAL SERÁ TOTALMENTE                    RESTAURADA, P...
79
ATRAÇÃO     BASEANDO-SE   NAS EXPERIÊNCIAS ARTÍSTICAS MUSICAIS DA DÉCADA DE   20,   ESCOLHEMOS COMO BASE MUSICAL PARA APRE...
-5-     BAR NOVE     Abordagem Estrutural e     Econômica     Investimentos          Máquinas e Equipamentos          Refo...
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Bar 9   Planejamento de Produto e Plano Investidores
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Bar 9 Planejamento de Produto e Plano Investidores

3.272 visualizações

Publicada em

Análise de viabilidade econômica, plano de investimento e coordenação pesquisa de contextualização de um bar e restaurante, dentro do processo de revitalização do centro de São Paulo/SP.

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.272
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
32
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
60
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Bar 9 Planejamento de Produto e Plano Investidores

  1. 1. PREFÁCIO O CONTEÚDO DESTA OBRA É FRUTO DA VOCAÇÃO INTERDISCIPLINAR DO DESIGN, QUE AFLORA DO SEMEAR DE IDÉIAS E DO PENSAR, SOBRECOSTUMES “VEROS” DO INÍCIO DE UM SÉCULO. O PROJETO – DESENVOLVIMENTO DE UM BAR E RESTAURANTE NO CENTRO DA CIDADE DE SÃO PAULO - NOS REMETE A UMA INCURSÃO PELAHISTÓRIA ARTÍSTICA E URBANA E PELA INICIAÇÃO DA GASTRONOMIA METROPOLITANA, ENFATIZADO PELAS PALAVRAS DE RITA MARIA DE SOUZACOUTO (FORMAS DO DESIGN-1999): “O PAPEL DO DESIGN É CONSEQUÊNCIA DE UMA RELAÇÃO GLOBAL, QUE INCLUI O MEIO, O LUGAR ONDE O OBJETOCONFIGURADO SE INSERE, O COLETIVO E A SUBJETIVIDADE, DECORRENTES DA CULTURA, QUE ESTÁ PRESENTE NA RELAÇÃO DO SUJEITO COM O OBJETO”. TEMOS NESSE TRABALHO UMA REFERÊNCIA CLARA DE QUE A MOLDURA APRESENTADA AO CONSUMIDOR FINAL ENVOLVE A NECESSÁRIAPLURALIDADE DE ENFOQUES HISTÓRICOS, CULTURAIS, POLÍTICOS E SÓCIO-ECONÔMICOS, DENTRO DE UM ESPECTRO AMPLO E FLEXÍVEL QUE O DESIGNNOS OFERECE. A LIVE INFORMATION DESIGN, NOMEADA PELOS EMPREENDEDORES DESTE PROJETO PARA DESENVOLVER SUA FORMA E CONTEÚDO, PROCUROUSELECIONAR OS MELHORES ÂNGULOS PARA CAPTAR A ESSÊNCIA, A ALMA DE SÃO PAULO. AFINAL, ESTAMOS FALANDO DA MAIOR CIDADE DAAMÉRICA LATINA. ESTAMOS FALANDO DO PALCO DE GENTE ILUMINADA, PESSOAS ILUSTRES E FIGURAS QUE SE PERPETUARAM NA HISTÓRIANACIONAL E MUNDIAL. ESTAMOS FALANDO DO “MARCO ZERO”, DO REAL COLLEGIO DE SÃO PAULO E DO SEU PÁTEO, DE ONDE PARTIU OCRESCIMENTO DE SÃO PAULO. 1
  2. 2. SEM DÚVIDA, UMA GRANDE RESPONSABILIDADE, MAS, ABRAÇADA COM VIGOR E ENTUSIASMO PELAS MUITAS MÃOS DOS PROFISSIONAIS DALIVE INFORMATION DESIGN QUE SE DEDICARAM PARA DESENVOLVER E PROPORCIONAR AO CENTRO DE SÃO PAULO UM NOVO PRODUTO: O BARNOVE.SÉRGIO NUNESDIRETOR DE PLANEJAMENTO 2
  3. 3. APRESENTAÇÃO O PRAZER PROPORCIONADO PELA COMIDA É UM DOS FATORES MAIS IMPORTANTES DA VIDA DEPOIS DA ALIMENTAÇÃO DE SOBREVIVÊNCIA. AGASTRONOMIA NASCEU DESSE PRAZER E CONSTITUIU-SE COMO A ARTE DE COZINHAR E ASSOCIAR OS ALIMENTOS PARA DELES RETIRAR O MÁXIMOBENEFÍCIO. A ALIMENTAÇÃO PASSOU POR VÁRIAS ETAPAS AO LONGO DO DESENVOLVIMENTO HUMANO E A INDÚSTRIA DE RESTAURANTES TEM UMHISTÓRICO BASTANTE PECULIAR. SEGUNDO OS MAIS CÉLEBRES DICIONÁRIOS FRANCESES DO SÉC. XVIII – O FURETIÈRE E O DICTIONNAIRE DE L’ACADEMIE FRANÇAISE,“RESTAURANT” ERA UMA SOPA, UM CALDO DE CARNE REVIGORANTE, FEITO PARA PESSOAS DEBILITADAS OU FRACAS DO PEITO. CHEGOU-SE AOEXAGERO DE PREPARÁ-LO COM PEDRAS PRECIOSAS. O RESTAURATEUR, NOME PELO QUAL HOJE É CONHECIDO QUALQUER DONO DE RESTAURANTE,DESIGNAVA O COZINHEIRO ENCARREGADO DE FAZER O CALDO. ESSE ERA QUASE UM COMÉRCIO ILEGAL. AS LIGAS OU GUILDAS DE ARTESÃOSIMPEDIAM QUE SEUS MEMBROS TIVESSEM OUTROS TIPOS DE COMÉRCIO QUE NÃO FOSSEM OFICIAIS E REGULAMENTADOS. OS TRAITEURS, POREXEMPLO, SÓ PODIAM FAZER ASSADOS, OS BOULANGERS, PÃES, PÂTISSIERS, DOCES. NADA DISSO ERA DESFRUTADO NO LOCAL DE VENDA, MASCONSUMIDO EM CASA OU EM HOTÉIS. E NÃO HAVIA SALAS PARA AS REFEIÇÕES NESSES ESTABELECIMENTOS. A INGLESA REBECCA SPANG (A INVENÇÃO DO RESTAURANTE-2002), LEMBRA QUE DURANTE O ANTIGO REGIME MONÁRQUICO, ASPOSSIBILIDADES DE COMER FORA DO AMBIENTE DOMÉSTICO ERAM LIMITADAS. ALÉM DAS TABERNAS, ENTRE OS ESTABELECIMENTOS QUEPRECEDERAM OS RESTAURANTES HAVIA OS HOTÉIS E AS PENSÕES. NOS HOTÉIS PARTICULARES, OS VISITANTES TINHAM DE DESEMBOLSAR MUITOMAIS PARA SE SENTAR À "TABLE D’HÔTE", EXPRESSÃO QUE PODE SER TRADUZIDA COMO “MESA DO ANFITRIÃO”. NESSES LOCAIS, INFELIZMENTE OHÓSPEDE OU COMENSAL NÃO TINHA DIREITO À ESCOLHA DE CARDÁPIO E DEVERIA SE ADAPTAR ÀS NORMAS DA CASA. TAMBÉM ERAM RÍGIDOS OSHORÁRIOS DAS REFEIÇÕES E TODOS COMIAM JUNTOS. 3
  4. 4. A VERSÃO CORRENTE É DE QUE OS RESTAURANTES SURGIRAM NA FRANÇA DO SÉCULO XVIII, PORQUE ALGUNS COZINHEIROS RESOLVERAMMONTAR UM NEGÓCIO CULINÁRIO DEPOIS QUE SEUS PATRÕES, REPRESENTANTES DA NOBREZA, PERDERAM A CABEÇA NA GUILHOTINA. SPANG NO ENTANTO, APONTA MARTHURIN ROZE DE CHANTOISEAU COMO O INVENTOR DO PRIMEIRO RESTAURANTE, EM 1.765. INDEPENDENTEMENTE DE QUEM FOI O PRECURSOR, OS RESTAURANTES COMEÇARAM A SE MULTIPLICAR. AINDA QUE SOB PROTESTOS DOSTRAITEURS, OS RESTAURANTES AMPLIARAM SUAS VENDAS. OS DONOS DE RESTAURANTES TINHAM UMA VANTAGEM SOBRE AS GUILDAS: NÃOINTEGRAVAM NENHUMA FEDERAÇÃO, O ÚNICO CASO ENTRE OS PROFISSIONAIS LIGADOS À ALIMENTAÇÃO. OS MENUS SE AMPLIAM. PASSARAM A INCLUIR MINGAU DE AVEIA BRETÃO, CREME DE ARROZ AROMATIZADO COM FLOR DE LARANJEIRA,QUEIJOS CREMOSOS. NA PASSAGEM DO SÉCULO XVIII PARA O XIX, CRESCE SIGNIFICATIVAMENTE O NÚMERO DE RESTAURANTE E SE AMPLIA AINDAMAIS A OFERTA DE PRATOS. PRESENTES NO MENU, AS SOPAS SE TORNARAM APENAS UM DETALHE NA INFINIDADE DE ITENS OFERECIDOS. COM O FINAL DO REGIME ABSOLUTISTA, MULTIPLICOU-SE O NÚMERO DE COZINHEIROS DISPONÍVEIS. CHEFS DE COZINHA QUE TRABALHAVAMPARA NOBRES BUSCARAM SE ESTABELECER EM PARIS. ANTOINE BEAUVILLIERS, UM DOS MAIS FAMOSOS RESTAURATEURS DO INÍCIO SÉCULO XIX,VEIO DA COZINHA DA NOBREZA, MAIS PRECISAMENTE DA CASA DO IRMÃO DO FUTURO REI LUÍS XVIII. O SURGIMENTO DOS RESTAURANTES MOTIVOU O APARECIMENTO DO PRIMEIRO GUIA GASTRONÔMICO, O "ALMANACH DES GOURMANDS", DEALEXANDRE BALTHASAR LAURENT GRIMOD DE LA REYNIÈRE, PUBLICADO ENTRE 1.803 E 1.810. EM SUAS PÁGINAS, DECRETAVA O JANTAR COMOUMA ATIVIDADE MÁGICA, DIFERENTE DE QUALQUER OUTRA REFEIÇÃO. APAIXONADO PELA GASTRONOMIA, GRIMOD DE LA REYNIÈRE PROPALAVAQUE A DIFUNDIDA REPUTAÇÃO DE PARIS COMO CAPITAL DA EUROPA NAQUELA ÉPOCA SE DEVIA MAIS À ALTA QUALIDADE DA COMIDA DE SEUSRESTAURANTES DO QUE AO ESPLENDOR DE SEUS MONUMENTOS OU À SOFISTICAÇÃO DE SEUS HABITANTES. PARA SE TER UMA IDÉIA DO DOMÍNIOPARISIENSE, EM 1.815 EXISTIAM RARÍSSIMOS RESTAURANTES FORA DA CAPITAL FRANCESA. UM LIVRO OFICIAL DE NEGÓCIOS REGISTRA APENASQUATRO DELES EM BORDEAUX. 4
  5. 5. EM PARIS, OS RESTAURANTES TAMBÉM PASSARAM A OFERECER UM SERVIÇO DIFERENCIADO. A CLIENTELA DESFRUTAVA DE UM ATENDIMENTOPERSONALIZADO, QUE NUNCA HOUVE ANTES. AS REFEIÇÕES ERAM COMPLETAMENTE DIFERENTES DAS DOS HOTÉIS, ESTALAGENS E TABERNAS. APRINCÍPIO NOS RESTAURANTES OS MENUS TINHAM PREÇO FIXO. MAS ESSE CONCEITO MUDOU COM OS CARDÁPIOS, QUE PASSARAM A INDICAR OPREÇO DOS PRATOS. ASSIM, O COMENSAL PODERIA DELIMITAR CLARAMENTE SUAS DESPESAS E ESCOLHER APENAS AQUILO QUE REALMENTE TIVESSEVONTADE DE COMER. A REFEIÇÃO PASSOU A SER SABOREADA A QUALQUER HORA DO DIA. E O PALADAR PÔDE FINALMENTE SER VALORIZADO PORDIFERENTES CLASSES SOCIAIS. NO BRASIL, O DESENVOLVIMENTO DA INDÚSTRIA DE RESTAURANTES ESTÁ ASSOCIADO À INDÚSTRIA DE HOTÉIS. SUA GRANDE EXPANSÃO SEDEU NO PERÍODO DE 1930 A 1951, COM A ABERTURA DOS HOTÉIS CASSINOS. NESTE PERÍODO, POUCA NOTÍCIA SE TEVE DE ESTABELECIMENTOSEXCLUSIVOS PARA COMER. DEPOIS DA PROIBIÇÃO DOS CASSINOS PELO GOVERNO, ESTA INDÚSTRIA SE ESTAGNOU E SOMENTE A PARTIR DE 1964INICIOU UMA NOVA E CONTÍNUA EXPANSÃO ATÉ OS DIAS ATUAIS. HOJE, A REFEIÇÃO FORA DE CASA DEIXOU DE SER APENAS UMA OPÇÃO DE LAZER E PASSOU A SER UMA QUESTÃO DE NECESSIDADE. É UMATENDÊNCIA DENTRO DO QUE SE PODE CHAMAR DE TERCEIRIZAÇÃO DO SERVIÇO FAMILIAR, ACOMPANHADA PELO SURGIMENTO DE OUTROS SERVIÇOSCOMO VENDA DE COMIDA CONGELADA, ENTREGA DE PIZZAS A DOMICÍLIO E LAVANDERIAS RÁPIDAS. SÃO SERVIÇOS QUE SURGIRAM RECENTEMENTE EQUE, TRADICIONALMENTE, DENTRO DO LAR, ERAM EXECUTADOS PELAS MULHERES, AS QUAIS, EM FUNÇÃO DO NOVO PAPEL ASSUMIDO NO CONTEXTOATUAL DA SOCIEDADE, BUSCAM A INDEPENDÊNCIA ECONÔMICA E A REALIZAÇÃO PROFISSIONAL POR MEIO DE UM TRABALHO REMUNERADO, BEMCOMO PELA FORTE NECESSIDADE DE AUXÍLIO FINANCEIRO FAMILIAR. PODEM-SE SUBSCREVER COMO OUTROS FATORES SÓCIO-ECONÔMICOS QUE IMPACTAM FORTEMENTE NA GERAÇÃO DE DEMANDA PELOSSERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO: AS PESSOAS, DE UM MODO GERAL, EXIGEM MAIS TEMPO DE LAZER NO DIA-A-DIA; CONSTATA-SE UM MOVIMENTOCONTÍNUO E CRESCENTE DE URBANIZAÇÃO E O AUMENTO DA RENDA PER CAPITA QUE É UM POTENCIALIZADOR DOS GASTOS INDIVIDUAIS. 5
  6. 6. COMO CONSEQÜÊNCIA, O HOMEM NECESSITA CONTROLAR O SEU TEMPO E APROVEITÁ-LO EFICIENTEMENTE, PARA O ALCANCE DE SUAS METAS.DESSA FORMA, A TENDÊNCIA DAS PESSOAS ECONOMICAMENTE ATIVAS QUE VIVEM NOS CENTROS URBANOS, É DAR MENOR ATENÇÃO À REFEIÇÃO EMAIOR ATENÇÃO AO TRABALHO. NOS FINAIS DE SEMANA E FERIADOS, ENTRETANTO, A REFEIÇÃO FORA DE CASA É TIDA COMO UMA OPÇÃO DE LAZER. REPRESENTA, EM ALGUNSRESTAURANTES, UM MOVIMENTO MAIOR NECESSITANDO DE UM CARDÁPIO MAIS REQUINTADO, COM PREÇOS TAMBÉM DIFERENCIADOS. E, NESSE CONTEXTO ATUAL, ONDE AS PESSOAS PASSAM MENOS TEMPO EM CASA DEVIDO AO TRABALHO E À COMPETITIVIDADE DESTEMERCADO, BEM COMO PELA BUSCA DE CONDIÇÕES MELHORES DE VIDA, É NOTÓRIO QUE O HOMEM MODERNO ESTÁ MUITO MENOS PREOCUPADO EMOBTER COMIDA PARA VIVER. NAS CIDADES, OS ALIMENTOS PRONTOS ESTÃO AMPLAMENTE DISPONÍVEIS NOS SUPERMERCADOS, LANCHONETES ERESTAURANTES. OBTER COMIDA PASSOU A SER UMA COISA CORRIQUEIRA. ASSIM, OS RESTAURANTES FAZEM PARTE DA VIDA DAS PESSOAS. 6
  7. 7. -1- PROJETO – BAR NOVE Abordagem Inicial Enunciado do Projeto Empreendedores Produtos e Serviços7
  8. 8. ENUNCIADO DO PROJETO O PROJETO TEM COMO OBJETIVO APRESENTAR OS ESTUDOS E ANÁLISE DE VIABILIDADE ECONÔMICA DA CRIAÇÃO DE UM BAR E RESTAURANTE,O BAR NOVE, DENTRO DE UM AMBIENTE QUE ENFATIZE A REVITALIZAÇÃO URBANA E PROPORCIONE AOS CLIENTES UM INTERIOR ELEGANTE EAPRAZÍVEL BASEADO EM CONCEITOS QUE REMETAM À GLAMUROSA “DÉCADA DE 20” PAULISTANA. PROPÕEM-SE UM SERVIÇO IMPECÁVEL, COM CHEFS QUE PERTENÇAM ÀS MELHORES ESCOLAS CULINÁRIAS, E UM MENU QUE DEMONSTRE UMACONSCIÊNCIA COM O BEM-ESTAR E A SAÚDE AO PRIORIZAR INGREDIENTES DE ELEVADA QUALIDADE E EVIDENCIAR A MANEIRA COM QUE O ALIMENTOÉ PREPARADO. O BAR NOVE TEVE SEU LOCAL SELECIONADO A FIM DE REALIZAROBJETIVOS ECONÔMICOS, SOCIAIS E CULTURAIS. ESTÁ LOCALIZADO EMFRENTE A PRAÇA DAS BANDEIRAS E AO LADO DA CÂMARA DOSDEPUTADOS. DOIS MARCOS DE GRANDE IMPORTÂNCIA POLÍTICA,HISTÓRICA E CULTURAL PARA A CIDADE. A REGIÃO POSSUI ALTO POTENCIAL ECONÔMICO, SENDO RODEADAPOR EMPRESAS DE TODOS OS SETORES QUE EMPREGAM CERCA DE 500MIL PESSOAS E CONTA COM POPULAÇÃO RESIDENTE ATIVA DE 270 MILPESSOAS. TODO ESSE FLUXO HUMANO COMPRA, SE ALIMENTA E SEDIVERTE, MOVIMENTANDO UMA ECONOMIA QUE ESTÁ EM CONSTANTECRESCIMENTO. 8
  9. 9. HÁ TAMBÉM O VALOR CULTURAL E HISTÓRICO DE SE ABRIR UM ESTABELECIMENTO NA REGIÃO. NUM MOMENTO EM QUE MUITO SE VALORIZA A PRESERVAÇÃO DE PATRIMÔNIOS HISTÓRICOS, A REVITALIZAÇÃO DA PRAÇA DAS BANDEIRASVEM PARA O BEM COMUM, OFERECENDO À POPULAÇÃO A RESTAURAÇÃO E CONSERVAÇÃO DE UM PATRIMÔNIO QUE, SEM A PREOCUPAÇÃO E OSCUIDADOS DA INICIATIVA PRIVADA, SERIA PERDIDO COM A ATUAL DEGRADAÇÃO URBANA DE SÃO PAULO. A LOCALIZAÇÃO TAMBÉM REMETE À HISTÓRIA DA CIDADE: A REGIÃO CENTRAL DE SÃO PAULO FOI O NINHO DE IDÉIAS DE UMA GERAÇÃO QUEACOMPANHOU SEU CRESCIMENTO E URBANIZAÇÃO. GRANDES PENSADORES SE ENCONTRAVAM NO CENTRO PARA DISCUTIR SOBRE MÚSICA, POLÍTICA,ECONOMIA, FILOSOFIA, ETC...EMPREENDEDORES O BAR NOVE TEM COMO PRINCIPAIS EMPREENDEDORES OS PROPRIETÁRIOS DO CLUBE 9, EMPRESA DO SETOR DE ENTRETENIMENTO QUEDETÉM O DIREITO DE LOCAÇÃO DO IMÓVEL. A ÁREA UTILIZADA ATUALMENTE PELO CLUBE 9, JÁ EM FUNCIONAMENTO, DESTINA-SE A LOCAÇÃO PARA REALIZAÇÃO DE EVENTOSNOTURNOS. EM ÁREA CONTÍGÜA E TOTALMENTE INDEPENDENTE, O ESPAÇO DESTINADO AO BAR NOVE ENCONTRA-SE DESOCUPADO, NO AGUARDODE REPAROS E OBRAS CIVIS QUE VIABILIZEM O LOCAL PARA UTILIZAÇÃO. DENTRO DAS PERSPECTIVAS E PROJEÇÕES DO PROJETO, TODA A ÁREA ADJACENTE E FACHADA DO PRÉDIO DEVERIAM SOFRER UMAREPAGINAÇÃO E RESTAURAÇÃO ARQUITETÔNICA QUE ESTIVESSE DIRETAMENTE LIGADA AOS PROPÓSITOS DE REVITALIZAÇÃO DO LOCAL, EMCONSONÂNCIA COM OS PLANOS DA PREFEITURA DE SÃO PAULO PARA A REGIÃO CENTRAL. SOB A LUZ DESTE PLANO DO EXECUTIVO, QUE TAMBÉM 9
  10. 10. ALMEJA INCENTIVAR A PROLIFERAÇÃO DE ATIVIDADES LIGADAS À CULTURA, AO LAZER E AO TURISMO, OS SÓCIOS ENTENDEM QUE O BAR NOVE SEADEQUA PERFEITAMENTE AO PROJETO. A CASA DE EVENTOS – CLUBE 9 – ALIADA AO BAR NOVE, PROPORCIONARIA ENTÃO UM ESPAÇO “MULTIFUNCIONAL”, COM SERVIÇOSAGREGADOS E DIVERSIFICAÇÃO DE FREQUENTADORES, OFERECENDO ENTÃO EM UM MESMO LUGAR MUITAS OPÇÕES DE LAZER AO ADAPTAR SEUSESPAÇOS, ALÉM DE GERAR UMA RECEITA MAIOR. O PROPÓSITO DOS SÓCIOS DO CLUBE 9 AO ELABORAR ESTE DOCUMENTO, É ATRAIR INVESTIDORES QUE POSSAM VIABILIZAR OEMPREENDIMENTO, TANTO NA FORMA DE PARTICIPAÇÃO SOCIETÁRIA (LIMITADA SOMENTE AO BAR NOVE) QUANTO NA FORMA DE PARCERIAS COMO SETOR PRIVADO ATRAVÉS DA DISPONIBILIZAÇÃO DE COTAS DE PATROCÍNIO.PRODUTOS E SERVIÇOS O BAR NOVE PRETENTE ATUAR COMO RESTAURANTE E CASA DE BEBIDAS. DURANTE O PERÍODO DIURNO ESTARÁ DESTINADO AO RESTAURANTE, APRESENTANDO UM CARDÁPIO MAIS REPRESENTATIVO EM TERMOSGASTRONÔMICOS, UTILIZANDO ELEMENTOS DE DIVERSAS CULTURAS PORÉM, COM PREPARAÇÕES LEVES E RÁPIDAS. À NOITE, DESTINADO A HAPPY HOUR, UMA CHOPERIA OFERECENDO PETISCOS QUE ACOMPANHAM BEM AS BEBIDAS – NOTADAMENTE O CHOPP. 10
  11. 11. -2- CIDADE DE SÃO PAULO Centro de São Paulo Revitalização do Centro11
  12. 12. CENTRO DE SÃO PAULO O CENTRO DE SÃO PAULO SE TRADUZ NUMA REGIÃO COM DIVERSOS CONTRASTES, MARCADOS PELO PROCESSO DE OCUPAÇÃO E USO DOESPAÇO AO LONGO DE SUA HISTÓRIA. NO INÍCIO DO SÉCULO XX FOI UM ESPAÇO DAS ELITES CARACTERIZADO PELO CRESCIMENTO E COM A CRIAÇÃO DE ÁREAS VALORIZADAS, AOPASSO QUE AS ANTERIORES FORAM SENDO GRADATIVAMENTE ABANDONADAS E ENTREGUES À DETERIORAÇÃO. A PARTIR DE ENTÃO, O CENTROTRADICIONAL PASSOU A TER UMA GRANDE PORCENTAGEM DE IMIGRANTES NORDESTINOS. COM A CRESCENTE PRESENÇA DAS CLASSES POPULARES NO CENTRO, ALGUNS ESTUDOS MAIS RECENTES PASSARAM A ANALISAR TAL PROCESSOCOM ÊNFASE NA ORGANIZAÇÃO DE UMA DIVERSIDADE DE GRUPOS POPULARES, VISÍVEIS DE VÁRIAS FORMAS NESSE ESPAÇO. EMBORA TENHA SOFRIDO UM PROCESSO DE DEGRADAÇÃO E DESVALORIZAÇÃO, O CENTRO DE SÃO PAULO TEM RECEBIDO NOS ÚLTIMOS ANOSINVESTIMENTOS TANTO DO SETOR PÚBLICO QUANTO DO SETOR PRIVADO, A FIM DE REVITALIZAR O QUE ANTES FORA CENÁRIO DE LAZER ENTRE OSPAULISTANOS. ALGUMAS ASSOCIAÇÕES COMO A VIVA O CENTRO E A PRÓ CENTRO, DOS SETORES PRIVADO E PÚBLICO RESPECTIVAMENTE, FORAM CRIADASCOM ESSE INTUITO. AMBAS POSSUEM PROJETOS QUE VISAM RESOLVER OS GRAVES PROBLEMAS DA REGIÃO COMO EXCESSO DE CAMELÔS, POLUIÇÃOSONORA E VISUAL, LIXO, PICHAÇÕES E OUTROS, INCENTIVANDO PARALELAMENTE ATIVIDADES QUE VENHAM A TRAZER UMA NOVA VITALIDADE AOCENTRO, PRINCIPALMENTE ATIVIDADES LIGADAS À CULTURA, AO LAZER E AO TURISMO. 12
  13. 13. REVITALIZAÇÃO DO CENTRO O PLANO DE REVITALIZAÇÃO DO CENTRO DE SÃO PAULO TEVE INÍCIO NA GESTÃO MARTA SUPLICY. A PREFEITURA NA ÉPOCA DECLAROU O INVESTIMENTO DE R$ 92 MILHÕES NA REGIÃO DE 2001 A 2003. ENTRE AS PRIMEIRAS AÇÕES ESTAVAM AS RESTAURAÇÕES DE PRÉDIOS SÍMBOLOS DO CENTRO COMO O MERCADO MUNICIPAL E PRAÇAS COMO A PATRIARCA. A PREFEITA TAMBÉM DEU INÍCIO A PROGRAMAS COMO O MORAR NO CENTRO E O AÇÃO CENTRO, QUE IMPLANTOU O PROJETO OFICINA BORACEA, DESTINADO A MORADORES DE RUA, E A OPERAÇÃO TRABALHO, DESTINADO A TRABALHADORES AMBULANTES. DO INVESTIMENTO NO PROGRAMA AÇÃO CENTRO, A PREFEITURA FALAVA NO DESTINO DE 1/3 DO TOTAL PARA A INCLUSÃO SOCIAL DA POPULAÇÃO POBRE. A GESTÃO MARTA PREVIA UMINVESTIMENTO TOTAL DE R$ 380 MILHÕES. DESTES, R$ 230 MILHÕES SERIAM FINANCIADOS PELO BANCO INTERAMERICANO DEDESENVOLVIMENTO, O BID. O PROJETO PARA O FINANCIAMENTO JUNTO AO BID FOI ENVIADO AO SENADO PELA PRÓPRIA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. O PROJETO DOGOVERNO LULA PEDIA QUE FOSSE AUTORIZADA A "CONTRATAÇÃO DE OPERAÇÃO DE CRÉDITO EXTERNO, COM GARANTIA DA REPÚBLICAFEDERATIVA DO BRASIL". ESSE EMPRÉSTIMO DO BID NO ENTANTO ERA ESPERADO DESDE 2000, AINDA NA GESTÃO PITTA. SOMENTE EM 2 DE JUNHODE 2004 PORÉM É QUE O DINHEIRO FOI LIBERADO - ANO EM QUE MARTA DEIXOU A PREFEITURA. NA ÉPOCA O BID PUBLICOU NOTA À IMPRENSAINFORMANDO QUE O PROJETO CUJO EMPRÉSTIMO SE DESTINARIA, "APOIARÁ O PLANEJAMENTO E INVESTIMENTOS PARA RENOVAR A ZONA CENTRAL 13
  14. 14. MEDIANTE FINANCIAMENTO DA REABILITAÇÃO DE EDIFÍCIOS E RESIDÊNCIAS DE FAMÍLIAS, MORADIAS TEMPORÁRIAS PARA FAMÍLIAS QUE VIVEM NAS RUAS,ESTABELECIMENTO DE INDÚSTRIAS DE SERVIÇOS DE ALTA TECNOLOGIA E REGULARIZAÇÃO DOS NEGÓCIOS INFORMAIS". A PARTIR DE ENTÃO A SUBPREFEITURA DA SÉ, SOB A GESTÃO DE ANDREA MATARAZZO, CRIOU E DEU ANDAMENTO A VÁRIOS PROJETOS COM O OBJETIVO DE REVITALIZAR A REGIÃO CENTRAL. EM 2.006, A POPULAÇÃO COMEÇOU A PERCEBER RUAS MAIS LIMPAS, PRAÇAS RECUPERADAS, MAIS ILUMINAÇÃO E AÇÕES PARA MELHORAR A SEGURANÇA. PARA A SUBPREFEITURA DA SÉ E A COORDENAÇÃO DAS SUBPREFEITURAS DA CIDADE DE SÃO PAULO A PRESERVAÇÃO DO LOCAL É FUNDAMENTAL VISTO QUE A GRANDE CIRCULAÇÃO DE PESSOAS E A IMPORTÂNCIA HISTÓRICA DO CENTRO FAZEM COM QUE A REGIÃO SEJA UM REFLEXO DA CIDADE. MELHORAR O CENTRO SIGNIFICA MELHORAR A AUTO-ESTIMA DO PAULISTANO. NO QUESITO SEGURANÇA, AS RUAS DO CENTRO ESTÃO SE TORNANDO MAIS SEGURAS, COM MONITORAMENTO REALIZADO POR CÂMERAS DE SEGURANÇA QUE FUNCIONARÃO 24H POR DIA. E DUAS DAS PRINCIPAIS PRAÇAS DA CAPITAL, A SÉ E A REPÚBLICA, PASSAM POR OBRAS DE REVITALIZAÇÃO PARASE TORNAREM ESPAÇOS MAIS AGRADÁVEIS E FUNCIONAIS. OUTRO FOCO DE DESTAQUE É A NOVA LUZ, QUE PASSOU A SER ALVO DE UMA AÇÃO DETERMINADA POR PARTE DA PREFEITURA E JÁ ESTÁ EMCURSO UM PROJETO URBANÍSTICO DE REVITALIZAÇÃO DA REGIÃO. DESDE O INÍCIO DE 2005, A SUBPREFEITURA DA SÉ REALIZOU SEIS MEGA-OPERAÇÕES NA ÁREA, ANTES CONHECIDA POR CRACOLÂNDIA, EM FORÇAS-TAREFA QUE CHEGARAM A CONTAR COM 400 AGENTES DO PODER PÚBLICO. 14
  15. 15. PARA REFORÇAR A ILUMINAÇÃO DOS PASSEIOS COMO FORMA DE INIBIR A AÇÃO DE MARGINAIS E AUMENTAR A SEGURANÇA NA REGIÃO, FORAMINSTALADOS, NO INÍCIO DO ANO, 10 PROJETORES DE 400 WATTS, VOLTADOS PARA AS CALÇADAS, NOS PRINCIPAIS PONTOS ESCUROS NAS RUAS MAUÁ,GENERAL COUTO DE MAGALHÃES, DOS PROTESTANTES E ENTORNO. NA ÁREA DA EDUCAÇÃO, FOI CRIADO EM 2.005 O PROJETO O CENTRO PODE SER UMA SALA DE AULA, QUE VIROU REFERÊNCIA E SE TORNOUUMA DAS POLÍTICAS PÚBLICAS DA PREFEITURA DE SÃO PAULO. INICIATIVA DA SUBPREFEITURA DA SÉ E DA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO,O PROJETO AMPLIA A CARGA HORÁRIA ESCOLAR COM ATIVIDADES QUE INCLUEM ÓPERA, CONCERTO DE MÚSICA, VISITAS A BIBLIOTECAS, PARQUES,MUSEUS, EXPOSIÇÕES, CINEMA E ROTEIROS HISTÓRICOS. AS ÁREAS VERDES TAMBÉM MERECERAM ATENÇÃO ESPECIAL. ANTES ABANDONADAS, AGORA ELAS CONTAM COM UMA EQUIPE DEPAISAGISTAS, QUE PREPAROU 98 PROJETOS A SEREM IMPLANTADOS NAS ÁREAS VERDES DO CENTRO, E ACOMPANHA CADA PROCESSO. OUTRO IMPORTANTE PROGRAMA CRIADO FOI O “ZELADORIA URBANA”, UM PROJETO NO QUAL ESTUDANTES DE ARQUITETURA VÃO A CAMPOPARA VERIFICAR A SITUAÇÃO DO CENTRO DE SÃO PAULO. AS REGIÕES SÃO PERCORRIDAS PELOS ESTUDANTES, QUE REGISTRAM TODOS OSPROBLEMAS E FAZEM RELATÓRIOS DIÁRIOS, ENCAMINHANDO AS PROVIDÊNCIAS A SEREM TOMADAS AOS SETORES RESPONSÁVEIS. DA MESMA FORMA, A SUBPREFEITURA DA SÉ VEM REALIZANDO OPERAÇÕES PARA CONTROLAR O NÚMERO DE AMBULANTES, PROMOVENDOAÇÕES CONTUNDENTES NO COMBATE À PIRATARIA DE PRODUTOS, MAIS QUE TRIPLICOU O NÚMERO DE FUNCIONÁRIOS DE VARRIÇÃO NO CENTRO ECOLOCOU EM CURSO UMA REMODELAÇÃO TOTAL NA RUA AVANHANDAVA, QUE SE TRANSFORMOU EM BOULEVARD. 15
  16. 16. -3- CENTRO DE SÃO PAULO Potencial Econômico Cidade de São Paulo – Potencial Econômico Mapa do Turismo no Centro Dados Estatísticos – Indicadores Sócio Econômicos16
  17. 17. CIDADE DE SÃO PAULO – POTENCIAL ECONÔMICO E SOCIAL FUNDADA EM 1.554 POR PADRES JESUÍTAS, SÃO PAULO NASCEU DESTINADA A SER O CORAÇÃO ECONÔMICO E CULTURAL DO PAÍS. A PARTIR DA CHEGADA DOS PRIMEIROS IMIGRANTES QUE AQUI APORTAVAM PARA O TRABALHO NO SETOR CAFEEIRO, NO FINAL DO SÉCULO 19, A CIDADE CONHECEU O CAMINHO DE CRESCIMENTO CONTÍNUO. QUARTA MAIOR CIDADE DO MUNDO E A MAIOR DA AMÉRICA DO SUL, SÃO PAULO É O PRINCIPAL PORTÃO DE ENTRADA DE VISITANTES ESTRANGEIROS, POR VIA AÉREA, DO BRASIL. O TURISMO DE NEGÓCIOS E EVENTOS COLOCOU A CIDADE COMO PONTO ESTRATÉGICO NO MERCOSUL, EM LINHA DIRETA COM AS PRINCIPAIS CAPITAIS DO MUNDO. PORTANTO, NÃO É À TOA QUE HOJE, NO BRASIL, AS COISAS ACONTEÇAM PRIMEIRO EM SÃO PAULO, CIDADE QUE ABRIGA 6% DA POPULAÇÃO BRASILEIRA, REPRESENTA CERCA DE 9% DO PIB NACIONAL, SENDO O MAIOR POLO DE NEGÓCIOS DA AMÉRICA LATINA, CONCENTRANDO 30% DE TODOS OS INVESTIMENTOS PRIVADOS REALIZADOS EM TERRITÓRIO NACIONAL. A CADA ANO A CIDADE ABRIGA UM MAIOR NÚMERO DE EVENTOS, TOTALIZANDO CERCA DE 70.000, COM NÚMERO DE PARTICIPANTES E VISITANTES SUPERIOR A 15 MILHÕES DE PESSOAS. 17
  18. 18. ATUALMENTE SÃO PAULO SE APRESENTA COMO O MAIOR MERCADO CONSUMIDOR NACIONAL, FATO QUE ATRAI AS MAIORES FEIRASBRASILEIRAS. DAS 170 PRINCIPAIS FEIRAS QUE ACONTECEM NO PAÍS, 150 DELAS SÃO REALIZADAS EM SÃO PAULO.MAPA DO TURISMO NO CENTRO DIVERSÃO E ARTE TÊM A CARA DE SÃO PAULO, CIDADE QUE RESPIRA CULTURA POR TODOS OS CANTOS. TANTO É ASSIM QUE A CAPITAL DOESTADO POSSUI 272 SALAS DE CINEMA, 102 TEATROS, 11 CENTROS CULTURAIS E 70 MUSEUS, ENTRE DEZENAS DE EDIFICAÇÕES HISTÓRICAS. ALÉM DA CULTURA, DIVERSÃO TAMBÉM É UM ÍCONE PAULISTANO, SEJA POR MEIO DOS SEUS CINCO PARQUES TEMÁTICOS E INÚMERAS ÁREASDE LAZER. HÁ AINDA EM SÃO PAULO SETE GRANDES ESTÁDIOS E O AUTÓDROMO DE INTERLAGOS, SEDE DO GRANDE PRÊMIO DE FÓRMULA 1, ÚNICOESPAÇO DO CIRCUITO EM TODA A AMÉRICA LATINA. COMER BEM EM SÃO PAULO ESTÁ ENTRE UMA DAS ATRAÇÕES TURÍSTICAS DA CIDADE. ISSO PORQUE A GASTRONOMIA PAULISTANA É FAMOSAEM TODO O MUNDO E OFERECE AOS AMANTES DA BOA MESA APROXIMADAMENTE 12.500 RESTAURANTES, REPRESENTANDO 42 ETNIAS. HÁ CINCO ANOS A CIDADE É RECONHECIDA INTERNACIONALMENTE COMO A MAIOR E MAIS DIVERSIFICADA CAPITAL GASTRONÔMICA MUNDIAL,TÍTULO CONQUISTADO COM TODO DIREITO. ALÉM DOS RESTAURANTES, ESTÃO ESPALHADOS POR VÁRIOS BAIRROS 15 MIL BARES PARA AQUELESINTERESSADOS EM UM PIANO-BAR OU UMA HAPPY HOUR. HOSPEDAR-SE OU SIMPLESMENTE ADORMECER EM SÃO PAULO NÃO É PROBLEMA. A CIDADE POSSUI UMA REDE HOTELEIRA EM CONSTANTECRESCIMENTO E COMPARÁVEL ÀS MELHORES DO MUNDO. SÓ NA ÚLTIMA DÉCADA, MAIS DE US$ 500 MILHÕES FORAM INVESTIDOS NO SETOR QUENÃO PÁRA DE GANHAR NOVAS UNIDADES. 18
  19. 19. A PREVISÃO É QUE NO PRÓXIMO ANO, A CAPACIDADE HOTELEIRA PAULISTANA ALCANCE 50 MIL UNIDADES, DIVIDIDAS ENTRE DIFERENTESCATEGORIAS, DESDE AS OPÇÕES MAIS LUXUOSAS DAS GRANDES CADEIAS, ATÉ AS MAIS ECONÔMICAS. 19
  20. 20. MAPA TURÍSTICO 20
  21. 21. BIBLIOTECAS (AZUL) 06 ACADEMIA PAULISTA DE LETRAS LGO. DO AROUCHE, 312/32401 3331-7222BIBLIOTECA MÁRIO DE ANDRADERUA DA CONSOLAÇÃO, 94, CONSOLAÇÃO. 07FONE.: 3256-5270. ARQUIVO HISTÓRICO MUNICIPAL PÇA. CEL. FERNANDO PRESTES, 15202 3326-1010 - R.3738BIBLIOTECA INFANTO-JUVENIL MONTEIRO LOBATO R. GENERALJARDIM, 485 3256-4122 083256-4238 SALAS DE LEITURA, PESQUISA E MULTIMEIOS; MUSEU BIBLIOTECA ASSOCIAÇÃO VIVA O CENTROMONTEIRO LOBATO; AUDITÓRIO; PARQUE; OFICINAS CULTURAIS RUA LIBERO BADARÓ, 425 - 4O. ANDAR 3106-820503BIBLIOTECA RAUL BOPP (ANTIGA OPHÉLIA FRANÇA) 09RUA MUNIZ DE SOUSA, 1.155, ACLIMAÇÃO. BIBLIOTECA BANESPAFONE.: 3208-1895. (EDIFÍCIO MATARAZZO) R. DR. FALCÃO FILHO, 56 - 10º ANDAR04 3248-1033 / 3248-1330 / 3248-1660AFPESP-ASSOCIAÇÃO DOS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS DO ESTADO DESÃO PAULO 10RUA FORMOSA, 367 16º AND. ANHANGABAÚ BIBLIOTECA EMILIO RANGEL PESTANA - BOVESPA3338-0404 / 3338-0338 / 3337-2241 R. XV DE NOVEMBRO, 275 - SUBSOLO 3233-2130 / 3233-246905BIBLIOTECA JUIZ RENATO DE SALLES ABREU 11PÇA. DR. JOÃO MENDES, S/N-19O. ANDAR BIBLIOTECA FEBRABAN3241-4543 RUA LÍBERO BADARÓ, 425 - 22º ANDAR - CENTRO - SÃO PAULO 3244-9849 / 3244-9869 21
  22. 22. 12 18DEPTO. DE DOCUMENTAÇÃO E INFORMAÇÃO BIBLIOTECA INSTITUTO HANS STADEN DE CIÊNCIAS, LETRAS ECÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO INTERCÂMBIO CULTURAL BRASILEIRO-ALEMÃOVIAD. JACAREÍ, 100 - 2º ANDAR R. 7 DE ABRIL, 59 – 2O., 3O. E 8O. ANDARES6824-4550 3151-630013 19CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E MEMÓRIA DA UNESP (CEDEM) INSTITUTO HISTÓRICO E GEOGRÁFICO DE SÃO PAULOPÇA. DA SÉ, 108 – SOBRELOJA 252-0510 R. BENJAMIN CONSTANT, 158 - 3º ANDAR 3242-806414BIBLIOTECA EMURB 20R. SÃO BENTO, 405 – 10º ANDAR MEMORIAL32 - CENTRO DE ESTUDOS JOSÉ BOURROUL3242-2622 - RAMAIS: 164 OU 166 R. BENJAMIM CONSTANT, 158 - 4º ANDAR 3104.505015 WWW.MEMORIAL32.ORG.BRBIBLIOTECA FACULDADE DE DIREITO DA USPLGO. SÃO FRANCISCO, 95 213107-2902 / 3111-4053 BIBLIOTECA - MINISTÉRIO DA FAZENDA - DELEGACIA DO MINISTÉRIO NO ESTADO16 AV. PRESTES MAIA, 733 - 22º ANDARBIBLIOTECA IAB (INSTITUTO DOS ARQUITETOS DO BRASIL) 3315-2916R. BENTO FREITAS, 3063259-6866 22WWW.IABSP.ORG.BR BIBLIOTECA MUSEU HISTÓRICO DA IMIGRAÇÃO JAPONESA R. SÃO JOAQUIM, 381 – 3O. ANDAR17 3209-5465BIBLIOTECA INST. DE ECONOMIA GASTÃO VIDIGAL – ASSOC.COMERCIAL DE SÃO PAULOR. BOA VISTA, 51 - 7º ANDAR 3244-3433 22
  23. 23. 23 28BIBLIOTECA PINACOTECA DO ESTADO SERVIÇO DE DOC. E BIBLIOTECAPÇA. DA LUZ, 2 SEC. DA SEGURANÇA PÚBLICA – DIVISÃO DE SERVIÇOS AUXILIARES229-9844 229-9272 DENARC R. BRIG. TOBIAS, 527 - 8º ANDAR24 3311-3280UNIDADE DE DOCUMENTAÇÃO - DIVISÃO PATRIMÔNIO EPRESERVAÇÃO FERROVIÁRIA 29REDE FERROVIÁRIA FEDERAL S. A. (REFESA) BIBLIOTECA – SEÇÃO DE DOCUMENTAÇÃO TÉCNICAPÇA. DA LUZ, 01 (ESTAÇÃO DA LUZ) SECRETARIA DA FAZENDA DO ESTADO DE SÃO PAULO – CENTRO DE3226-4070 INFORMAÇÕES TÉCNICAS AV. RANGEL PESTANA, 300 - 17º ANDAR – SL. 201025 3243-3806 3243-3400BIBLIOTECA M. A. TEIXEIRA DE FREITASSEADE – FUNDAÇÃO SISTEMA ESTADUAL DE ANÁLISE DE DADOS 30CENTRAL DE DADOS E REFERÊNCIA BIBLIOTECA - SECRETARIA MUNICIPAL DE NEGÓCIOS JURÍDICOSAV. CASPER LÍBERO, 464 - TÉRREO PÁTIO DO COLÉGIO, 5 - 6º ANDAR3313-5777 3107-515126 31BIBLIOTECA SEC. DA HAB. E DESENVOLVIMENTO URBANO DO MUN. BIBLIOTECA SESC DO CARMODE SÃO PAULO – ASS. DE LEGISLAÇÃO TÉCNICA R. DO CARMO, 147R. SÃO BENTO, 405 – 22º ANDAR 3105-9121232-1733 3107-030627 32BIBLIOTECA BIBLIOTECA DAVID SANTOSSEC. DA INDÚSTRIA, COMÉRCIO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO EST. DE SINDICATO DOS CONTABILISTAS DE SÃO PAULOSÃO PAULO PÇA. RAMOS DE AZEVEDO, 202 3224-5115AV. RIO BRANCO, 1269 3331-0033 23
  24. 24. 33 04BIBLIOTECA TRIBUNAL DE ALÇADA CRIMINAL DE SÃO PAULO CENTRO CULTURAL BANCO DO BRASIL R. ÁLVARES PENTEADO, 112PÇA. DR. JOÃO MENDES, S/N - 14º ANDAR – SL. 1410 3113-3651 EXPOSIÇÕES; CINEMA; TEATRO; CAFÉ; RESTAURANTE;239-0073 LIVRARIA WWW.BB.COM.BR/CULTURA34BIBLIOTECA TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO 05PÇA. DA SÉ, 270 - 4º ANDAR CAIXA CULTURAL - SÉ PÇA. DA SÉ, 111 – 1º, 2º, 6º E 8º ANDARES3242-9366 3107-0498 MUSEU DA CAIXA; 06 CASAS DE CULTURA E CENTROS CULTURAIS (VERMELHO) ED. SEDE DO GRUPO SANTANDER BANESPA RUA JOÃO BRICOLA, 2401 3249-9922CENTRO CULTURAL MARIA ANTONIARUA MARIA ANTONIA, 294 07FONE: (11) 3237-1815 ESPAÇO COIMBRA R. SÃO LUÍS, 218 3258-910502ESTAÇÃO DAS ARTES DO COMPLEXO JÚLIO PRESTES 08PRAÇA JÚLIO PRESTES SEM N.º ESPAÇO CULTURAL BM&FFONE: 3361-2379 PÇA- ANTONIO PRADO, 48 3119-200003 3119-2782MUSEU CASA DA BÓIA BMFCULTURAL@BMF.COM.BRHTTP://WWW.CASADABOIA.COM.BR/DESDE 1889R. FLORÊNCIO DE ABREU, 119 E 1233227-0999 24
  25. 25. 09 15ESPAÇO CULTURAL DO METRÔ SÃO BENTO ESPAÇO CULTURAL SALA PRETÉRITO PERFEITOLARGO SÃO BENTO, S/Nº LARGO DO AROUCHE, 99 - LOCAL 20 3223-282110ESPAÇO CULTURAL SOTO ZENSHU – TEMPLO BUSSHINJI 16R. SÃO JOAQUIM, 285 3208-4515 ESPAÇO NOSSA CAIXA3208-4345 RUA ALVARES PENTEADO, Nº 70 - 2º MEZANINOHTTP://WWW.SOTOZEN.ORG.BR 3111-6946 ESPACO@NOSSACAIXA.COM.BR11 17ESPAÇO DO BANCO BANDEIRANTES PALÁCIO DOS CAMPOS ELÍSEOS (1915)R. BOA VISTA, 162 3243-7980 AV. RIO BRANCO, 1.269, CAMPOS ELÍSEOS, 3331-003312GALERIA PRESTES MAIA 18PÇA. DO PATRIARCA, S/N (BAIXOS DO VIADUTO DO CHÁ) ARQUIVO HISTÓRICO MUNICIPAL3101-7666 MASP CENTRO; ED. RAMOS DE AZEVEDO. PÇA CORONEL FERNANDO PRESTES, 152 BOM RETIRO .13 FONE.: (11) 3326-1010.SESC DO CARMO R. DO CARMO, 1473105-9121 193107-0306 BIBLIOTECA; ATELIER; RESTAURANTE; ESPORTES MUSEU DO TEATRO MUNICIPAL BAIXOS DO VIADUTO DO CHÁ, S/N.º, CENTRO.14 FONE.: (11) 3241-3815.ESPAÇO DO PORTO SEGURO DE FOTOGRAFIAAL. BARÃO DE PIRACICABA, 740 203366-8262 WWW.PORTOSEGURO.COM.BR/FOTOGRAFIA MAB – MUSEU DA ARTE BRASILEIRA RUA ALAGOAS, 903 HIGIENÓPOLIS FONE: (11) 3662-7198 25
  26. 26. 21 27MAB – MUSEU DA ARTE BRASILEIRA MUSEU DA CAIXA ECONÔMICA FEDERALPRAÇA DO PATRIARCA, 78 – CENTRO PÇA. DA SÉ, 111 – 3O. E 4O. ANDARFONE: (11) 3101-1776 FONE: (11)3107-049822 28MUSEU ANCHIETA MUSEU DA CIDADE DE SÃO PAULO - SOLAR DA MARQUESA DEPRAÇA DO COLÉGIO, 2 SANTOSFONE: (11) 3105-6899 R. ROBERTO SIMONSEN, 136 FONE: (11)3106-221823PINACOTECA DO ESTADO 29PRAÇA DA LUZ, 2 - LUZ MUSEU DE ENERGIA DE SÃO PAULO AL. CLEVELAND, 601 - CAMPOSFONE: (11) 3229-9844 ELISEOS FONE: (11)3333-5600 RAMAL 21124 WWW.MUSEUDAENERGIA.ORG.BREDIFÍCIO DOS CORREIOS E TELÉGRAFOSAV. SÃO JOÃO (ESQ. VALE DO ANHANGABAÚ) 30 MUSEU DE ARTE SACRA25 AV. TIRADENTES, 676LICEU DE ARTES E OFÍCIOS DE SÃO PAULO FONE: (11)3326-5393R. DA CANTAREIRA, 1351FONE: (11)3313-1877 31 ESTAÇÃO PINACOTECA26 R. MAUÁ, 247MUSEU BANESPA FONE: (11)3337-0185 EDIFÍCIO DO ANTIGO DOPS RECÉMR. JOÃO BRICOLA, 24 – 2º E 3º ANDARES REFORMADOFONE: (11)3249-7466WWW.SP360.COM.BR/PASSEIOS/PASS_MUSEUS_BANESPA.HTML 26
  27. 27. 32 38MUSEU DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA MUSEU DE LÍNGUA PORTUGUESAPÇA DA SÉ S/N – 2O. ANDAR - SL.280 ESTAÇÃO DA LUZFONE: (11)3105-7533 3933 MUSEU DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIAMUSEU HISTÓRICO DA IMIGRAÇÃO JAPONESA RUA CESÁRIO MOTA JUNIOR, 112 - VILA BUARQUE -R. SÃO JOAQUIM, 381 – 7O., 8O. E 9O. ANDARES HTTP://WWW.SANTACASASP.ORG.BRFONE: (11)3209-5465 2176-702534 TEATROS (LARANJA)MUSEU JOSÉ BONIFÁCIO – INSTITUTO HISTÓRICO E GEOGRÁFICOR. BENJAMIN CONSTANT, 158 - 4O. ANDAR 013104-5050 TEATRO MUNICIPAL DE SÃO PAULO PRAÇA RAMOS DE AZEVEDO, S/N.º, CENTRO.35 FONE.: (11) 3223-3022MUSEU MONTEIRO LOBATOR. GENERAL JARDIM, 485 256-4122 02256-4972 TEATRO FOLHA SHOPPING PÁTIO HIGIENÓPOLIS36 AVENIDA HIGIENÓPOLIS, 618 HIGIENÓPOLISMUSEU POLÍCIA MILITAR FONE: (11) 3823-2737R. DR. JORGE MIRANDA, 308 227-3793 0337 TEATRO FAAPPINACOTECA DO ESTADO RUA ALAGOAS, 903 HIGIENÓPOLISAV. TIRADENTES, 141 3229-9844 FONE: (11) 3662-7233/7234 27
  28. 28. 04 10TEATRO SESC CONSOLAÇÃO TEATRO SÉRGIO CARDOSORUA DR. VILA NOVA, 245 VILA BUARQUE RUA RUI BARBOSA, 153 BELA VISTAFONE: (11) 3234-3000 FONE: (11) 3288-013605 11TEATRO X TEATRO ABRILPRAÇA ROOSEVELT, 124 AVENIDA BRIGADEIRO LUIS ANTONIO, 411- BELA VISTAFONE: (11) 3231-0178 FONE: (11) 6846-600006 12TEATRO AUGUSTA TEATRO AGORARUA AUGUSTA, 943 – CERQUEIRA CÉSAR RUA RUI BARBOSA, 72 – BELA VISTAFONE: (11) 3151-4141 FONE: (11) 3284-029007 13TEATRO BIBI FERREIRA C. C. BANCO DO BRASILAV. BRIGADEIRO LUÍS ANTÔNIO, 931 BELA VISTA RUA ÁLVARES PENTEADO, 122 - CENTROFONE: (11) 3105-3129 FONE: (11) 3113-365108 14TEATRO MARIA DELLA COSTA TEATRO ITÁLIARUA PAIM, 72 BELA VISTA AVENIDA IPIRANGA,344 – CENTROFONE: (11) 3256-9115 FONE: (11) 3257-909209 15TEATRO IMPRENSA TEATRO CULTURA ARTÍSTICARUA JACEGUAI, 400 BELA VISTA RUA NESTOR PESTANA, 196 - CONSOLAÇÃOFONE: (11) 3241-4203 FONE: (11) 3258-3616 28
  29. 29. 16 04TEATRO HILTON MARABÁAVENIDA IPIRANGA, 165 - CENTRO AV. IPIRANGA, 757 3223-7001FONE(11) 3156-4300 0517 MARROCOSCOMPLEXO CULTURAL JÚLIO PRESTES - SALA SÃO PAULO R. CONSELHEIRO CRISPINIANO, 344PÇA. JÚLIO PRESTES, S/NO. – LUZ 3337-5414 0618 METRÓPOLEOFICINA CULTURAL OSWALD DE ANDRADE AV. SÃO LUIZ, 187RUA TRES RIOS, 363 3221-5558 EXPOSIÇÕES, TEATROS E PALESTRASTEMPORÁRIAS 07WWW.ASSAOC.ORG.BR OLIDO AV. SÃO JOÃO, 473 08 CINEMAS (ROXO) PAISSANDÚ LGO. DO PAISSANDU, 62 3229-564101 09RECRIART PÇA. FRANKLIN ROOSEVELT, 172 3257-2264 PARIS AV. IPIRANGA, 808 3223-9805 - UNIBANCO ARTEPLEX SP FREI CANECA SHOPPING. RUA FREI CANECA, 569 - 3º PISO 3472-236502 WWW.UNIBANCOARTEPLEX.COM.BRCENTRO CULTURAL BANCO DO BRASILR. ÁLVARES PENTEADO, 112 3113-3600 10 CINE ALVORADA03 (ANTIGO CINE ART PALÁCIO) AV. SÃO JOÃO, 419IPIRANGAAV. IPIRANGA, 786 29
  30. 30. FEIRAS (CIANO)01FEIRA DA LIBERDADE METRÔ LIBERDADEWWW.FEIRADALIBERDADE.COM.BR02FEIRA DE ARTES E ANTIGÜIDADEPÇA. JÚLIO PRESTES DOM: 8H ÀS 18H03FEIRA DE ARTESANATO PÇA. DA REPÚBLICAWWW.FEIRADAREPUBLICA.COM.BR04FEIRA DE ARTESANATO E CULTURA JOSÉ BONIFÁCIOLGO. SÃO FRANCISCO QUINTAS05MERCADO DAS FLORESLGO. DO AROUCHE 24 HORAS06SUTACO – SUPERINTENDÊNCIA DO TRABALHO ARTESANAL DASCOMUNIDADESWWW.SUTACO.COM.BR 30
  31. 31. MAPA DE RESTAURANTESE BARES 31
  32. 32. DADOS ESTATÍSTICOS – INDICADORES SÔCIO-ECONÔMICOS DO CENTRO 32
  33. 33. 1 – DADOS DEMOGRÁGICOS POPULAÇÃO TOTAL 373.914 DENSIDADE DEMOGRÁFICA 14.271,5 TAXA DE CRESCIMENTO 1991-2000 (%) -2,24 TAXA DE URBANIZAÇÃO (%) 100 POPULAÇÃO EM IDADE ATIVA 273.041 FONTE: INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE) – CENSO DEMOGRÁFICO 1.991 E 2.000; LEI MUNICIPAL 10.932 DE 15 DE JANEIRO DE 1.991. 33
  34. 34. 2.1 – ESTABELECIMENTOS E EMPREGOS POR TIPO DE ATIVIDADE QUANTIDADE DE ATIVIDADE % QUANTIDADE DE EMPREGOS % ESTABELECIMENTOS SERVIÇOS 17.027 56,83 366.329 74,98 COMÉRCIO 9.281 30,98 64.681 13,24 INDÚSTRIA 2.965 9,90 45.981 9,422 – ATIVIDADE ECONÔMICA CONSTRUÇÃO CIVIL 563 1,88 11.136 2,28 AGROPECUÁRIA, ESTRAÇÃO 116 0,39 364 0,07 VEGETAL, CAÇA E PESCA OUTROS / IGNORADO 7 0,02 48 0,01 TOTAL 29.959 100 488.539 100 2.2 – ESTABELECIMENTOS E EMPREGOS POR NÚMERO DE EMPREGADOS NÚMERO DE EMPREGADOS QUANTIDADE DE % QUANTIDADE DE EMPREGOS % ESTABELECIMENTOS ATÉ 4 18.296 61,07 32.600 6,67 DE 5 A 19 8.879 29,64 78.569 16,08 DE 20 A 99 2.307 7,70 89.832 18,39 DE 100 A 499 372 1,24 74.829 15,32 500 OU MAIS 105 0,35 212.709 43,54 TOTAL 29.959 100 488.539 100 FONTE: MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO, RAIS 2.000. ELABORAÇÃO: SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO URBANO / PMSP 34
  35. 35. 3.1 – HABITAÇÃO 3.1.1 – INDICADORES HABITACIONAIS E DE SANEAMENTO TIPO DE INDICADOR SÉ MSP NÚMERO DE DOMICÍLIOS 147.975 3.039.104 NÚMERO DE MORADORES POR DOMICÍLIO 2,53 3,43 PERCENTUAL DE DOMICÍLIOS COM REDE DE ÁGUA 99,94 98,623 – INFORMAÇÕES URBANAS PERCENTUAL DE DOMICÍLIOS COM REDE DE ESGOTO 99,63 87,23 PERCENTUAL DE DOMICÍLIOS COM LIXO COLETADO 99,93 99,20 FONTE: INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE) – CENSO 2.000 3.1.2 – FAVELAS TIPO DE INDICADOR SÉ MSP NÚMERO DE FAVELAS 2 2.018 POPULAÇÃO FAVELADA 2.724 1.160.590 PERCENTUAL DE POPULAÇÃO EM FAVELAS 0,73 11,12 TAXA DE CRESCIMENTO ANUAL DA POPULAÇÃO EM FAVELAS 7,81 2,97 FONTE: SECRETARIA DE HABITAÇÃO E DESENVOLVIMENTO URBANO / PMSP E COMPANHIA DE PROCESSAMENTO DE DADOS DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO (PRODAM). BASE CARTOGRÁFICA DIGITAL DE FAVELAS DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO, 2.000. 3.1.3 – ÁREAS DE RISCO TIPO DE INDICADOR SÉ MSP ÁREA DE RISCO 0 192 NÚMERO DE SETORES DE RISCO 0 523 DOMICÍLIOS EM ÁREA DE RISCO 0 36.106 FONTE: SECRETARIA DO GOVERNO MUNICIPAL/PMSP, SECRETARIA MUNICIPAL DAS SUBPREFEITURAS/PMSP, UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA (UNESP) E INSTITUTO DE PESQUISA TECNOLÓGICA/USP (IPT), 2.003 . 3.2 - TRANSPORTES TIPO DE INDICADOR SÉ MSP TERMINAIS MUNICIPAIS DE ÔNIBUS 4 19 CORREDORES DE ÔNIBUS 2 8 ESTAÇÕES DE METRÔ 13 52 FONTE: SECRETARIA MUNICIPAL DE TRANSPORTES / PMSP. 2.003. 3.3 – INFRAESTRUTURA TIPO DE INDICADOR SÉ MSP REDE INSTALADA DE ILUMINAÇÃO (UNIDADES) 14.270 445.980 EXTENSÃO DE VIAS COBERTAS PELA REDE DE ILUMINAÇÃO (KM) 455 16.338 NÚMERO DE RESERVATÓRIOS (PISCINÕES) 1 14 FONTE: SECRETARIA DE INFRAESTRUTURA URBANA / PMSP. 2.003. 35
  36. 36. 4.1 – INDICADORES SOCIAIS 4.1.1 – INDICADORES SÔCIO-ECONÔMICOS RENDIMENTO CHEFES DE FAMÍLIA % SÉ % MSP SEM RENDIMENTO 5,94 10,434 – DESENVOLVIMENTO SOCIAL ATÉ 05 SALÁRIOS MÍNIMOS 27,45 47,55 MAIS DE 05 A 20 SALÁRIOS MÍNIMOS 47,78 32,58 MAIS QUE 20 SALÁRIOS MÍNIMOS 18,83 9,44 RENDIMENTO MÉDIO DOS CHEFES DE FAMÍLIA 2.222,06 1.325,43 FONTE: INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE) – CENSO 2.000 4.1.2 – ÍNDICES DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL BELA BOM SANTA ÍNDICE CAMBUCI CONSOLAÇÃO LIBERDADE REPÚBLICA VISTA RETIRO CECÍLIA IDH 0,692 0,561 0,534 0,799 0,665 0,531 0,654 IEX 0,058 -0,143 -0,018 0,315 -0,140 -0,250 -0,035 IV 0,810 0,605 0,775 0,862 0,876 0,530 0,914 ICJ 0,57 0,48 0,51 0,69 0,53 0,55 0,58 FONTE: ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO (IDH) – SECRETARIA DO DESENVOLVIMENTO, TRABALHO E SOLIDARIEDADE – PMSP 2.000 – ÍNDICE DE EXCLUSÃO SOCIAL (IEX) – SPOSATI, ALDAÍZA. MAPA DA EXCLUSÃO SOCIAL DA CIDADE DE SÃO PAULO 2.000 – SÃO PAULO: PUC-SP-2.001. ÍNDICE VIOLÊNCIA (IV): POCHMAN, MARCIO & AMORIM, RICARDO (ORGS.) ATLAS DA EXCLUSÃO SOCIAL NO BRASIL, 1ª ED. – SÃO PAULO: EDITORA CORTEZ, 2.003 - INDICADOR COMPOSTO JUVENIL (ICJ) – COORDENADORIA ESPECIAL DA JUVENTUDE E CENTRO DE ESTUDOS DE CULTURA CONTEMPORÂNEA (CEDEC), MAPA DA JUVENTUDE DE SÃO PAULO, 2.003. 36
  37. 37. -4- BAR NOVE Conceitualização Conceito Cronologia e Acontecimentos da época Inspiração Histórica Centro de São Paulo Década de 20 Remanescência da Arquitetura Inspiração Artística Definição da Tipologia do Restaurante Sugestão Arquitetônica42
  38. 38. CONCEITO “O VERDE QUE RENASCE NO CORAÇÃO DA CIDADE ABRAÇA SEUS ÓRGÃOS. OS OLHOS NÃO ENCONTRAM MAIS BARREIRAS ONDE SE PODE DESFRUTAR DO CHARME DE UM TEMPO EM QUE PESSOAS DISCUTIAM SOBRE EXPRESSÃO, FORMAS, IDÉIAS, PENSAMENTOS E SUAS VERDADES.” 43
  39. 39. ACONTECIA NA DÉCADA DE 20 UMA DÉCADA DE PROSPERIDADE E LIBERDADE, ANIMADA PELO SOM DAS JAZZ- BANDS E PELO CHARME DAS MELINDROSAS - MULHERES MODERNAS DA ÉPOCA, QUE FREQÜENTAVAM OS SALÕES E TRADUZIAM EM SEU COMPORTAMENTO, O MODO DE VESTIR E O ESPÍRITO DA ERA. A DÉCADA DE 20 FOI O PERÍODO DE TEMPO CONHECIDO COMO O PERÍODO ENTRE-GUERRAS, SENDO UMA ÉPOCA DE EXCEPCIONAL PROSPERIDADE ECONÔMICA, NA QUAL OS ESTADOS UNIDOS SE CONSOLIDARAM DEFINITIVAMENTE COMO POTÊNCIA MUNDIAL - PROSPERIDADE ESSA QUE TEVE UMA FORTE QUEDA EM 1929 COM A QUEBRA DA BOLSA DE VALORES DE NOVA IORQUE. A EUROPA, CONTUDO, SOFRIA AS CONSEQÜÊNCIAS DA I GUERRA, O QUE PERMITIRIA A ASCENSÃO DO NAZISMO, APÓS A CRISE DE 29, E OSURGIMENTO DO FACISMO ITALIANO. NAS DEMAIS ÁREAS DO MUNDO, CRESCIAM OS MOVIMENTOS RADICAIS. NO ORIENTE MÉDIO, CHEGAVA AO FIM O IMPÉRIO OTOMANO E ÉDESTITUÍDO O ÚLTIMO CALIFA. NO LESTE EUROPEU CRESCE O COMUNISMO E É FORMADA A UNIÃO SOVIÉTICA. 44
  40. 40. O DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO DESTE PERÍODO ESTEVE MAIS CORRELACIONADOCOM AS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS, COMO A INVENÇÃO DA INSULINA E DA PENICILINA. NESTAÉPOCA TAMBÉM É CRIADA A TELEVISÃO. 45
  41. 41. CRONOLOGIA DOS ACONTECIMENTOS PELO MUNDO:DÉCADA DE 20 – INFORMAÇÕES GERAIS - 1920 OS ESTADOS UNIDOS, EM 16 DE JANEIRO, ESTENDEM A "LEI SECA", QUE PROÍBE A VENDA DE BEBIDAS ALCOÓLICAS, A TODO O PAÍS. ACONTECE EM BERLIM, NA ALEMANHA, EM 1º DE JUNHO, A PRIMEIRA EXPOSIÇÃO DA ARTE DADAÍSTA, A ARTE QUE NEGA A ARTE. DEPOIS DE 81 ANOS DE LUTA, AS MULHERES DOS ESTADOS UNIDOS CONQUISTAM O DIREITO AO VOTO, EM 26 DE AGOSTO. REALIZAM-SE AS PRIMEIRAS TRANSMISSÕES PÚBLICAS E REGULARES DE RÁDIO NOS ESTADOS UNIDOS E NA GRÃ-BRETANHA. 46
  42. 42. - 1921 EM 19 DE FEVEREIRO É PUBLICADO O PRIMEIRO NÚMERO DA "FOLHA DANOITE", PRIMEIRO JORNAL DO GRUPO FOLHA. EM 15 DE ABRIL, UM MILHÃO DE MINEIROS ADEREM À GREVE,PARALISANDO A INDÚSTRIA DA GRÃ-BRETANHA. RUDOLPH VALENTINO, PRIMEIRO SÍMBOLO SEXUAL DO CINEMA EPROTÓTIPO DO "AMANTE LATINO" FABRICADO POR HOLLYWOOD, VOLTA AOCINEMA, EM OUTUBRO, COM O FILME "O SHEIK". O ATOR É O GRANDE GALÃ DOMOMENTO. A JOVEM MULHER MODERNA TROCA O CORPETE POR UM VISUAL MAISAUDACIOSO :O TAMANHO DAS ROUPAS ÍNTIMAS DIMINUI, MAS SUA IMPORTÂNCIAAUMENTA. AS MULHERES QUE TRABALHAM FORA JÁ GASTAM METADE DOSALÁRIO EM LINGERIES. NESSA ÉPOCA, OS ESTADOS UNIDOS JÁ POSSUEM OITO MILHÕES DEMULHERES TRABALHANDO FORA DE CASA. É LANÇADO O PERFUME "CHANEL Nº 5" , AINDA HOJE UM DOS MAIS VENDIDOS NO MUNDO E O PRIMEIRO QUE SE AFIRMA CLARAMENTE COMOUMA FRAGRÂNCIA ARTIFICIAL. 47
  43. 43. - 1922 ESSE ANO MARCA A HISTÓRIA DA LITERATURA MUNDIAL POR SUAS CRIATIVAS E INOVADORAS PRODUÇÕES LITERÁRIAS. ENTRE ELAS ESTÃO,"ULISSES", DE JAMES JOYCE; "TERRA ARRASADA", DE T.S. ELIOT E "SIDARTA", DE HERMAN HESSE. TERMINA, EM 17 DE FEVEREIRO, NO TEATRO MUNICIPAL DE SÃO PAULO, SOB PERPLEXIDADE GERAL, A SEMANA DE ARTE MODERNA. OEVENTO TEVE A PARTICIPAÇÃO DE VÁRIAS PERSONALIDADES, COMO OSWALD DE ANDRADE E MÁRIO DE ANDRADE. EM 30 DE OUTUBRO, MUSSOLINI CHEGA AO PODER NA ITÁLIA. EM 26 DE NOVEMBRO, OS ARQUEÓLOGOS LORDE CARNAVON E HOWARD CARTER ENCONTRAM A TUMBA DO FARAÓ TUTANKHAMON. 48
  44. 44. -1923 "CONTOS DA ERA DO JAZZ" , UMA COLETÂNEA DE CONTOS DO ESCRITOR SCOTT FITZGERALD, É O GRANDESUCESSO LITERÁRIO DO MOMENTO. MORRE EM PARIS, EM 23 DE MARÇO, A GRANDE ATRIZ DE TEATRO SARAH BERNHARDT, AOS 78 ANOS. EM FEVEREIRO, BESSIE SMITH, CANTORA NEGRA DE BLUES , GRAVA SEU PRIMEIRO DISCO. EM ABRIL, NOS ESTADOS UNIDOS, A FEBRE DA DANÇA SE ALASTRA POR TODO O PAÍS. É A ÉPOCA DOSCAMPEONATOS E MARATONAS DANÇANTES. EM 15 DE AGOSTO, ARTISTAS DA BAUHAUS EXPÕEM EM WEIMAR. ENTRE ELES ESTÃO WALTER GROPIOUS,FUNDADOR DA BAUHAUS, EM 1919, PAUL KLEE, LYONEL FEININGER , VASSILI KANDINSKI E JOHANNES ITTEN. 49
  45. 45. -1924 GERSHWIN ESTRÉIA SUA "RHAPSODY IN BLUE" , EM 12 DE FEVEREIRO, ENCANTANDO O PÚBLICO PRESENTE NO AEOLIAN HALL, EM NOVA YORK. EM 17 DE ABRIL, ACONTECE UMA DAS MAIORES FUSÕES DA INDÚSTRIA DO CINEMA NORTE- AMERICANO, QUE RESULTA NA METRO-GOLDWIN MAYER CORPORATION A DANÇARINA RUSSA, ANNA PAVLOVA, FAZ UMA TURNÊ DE DESPEDIDA DOS PALCOS, EM 14 DE OUTUBRO EM 14 DE NOVEMBRO, MIRIAM "MA" FERGUSON É ELEITA PARA O CARGO DE GOVERNADORA DO TEXAS, NOS ESTADOS UNIDOS. É A PRIMEIRA VEZ QUE UMA MULHER OCUPA O CARGO NO PAÍS 50
  46. 46. - 1925 CHAPLIN TRANSFORMA SAPATO EM COMIDA NO FILME "EM BUSCA DO OURO", CONSIDERADO SEU FILME MAIS ELABORADO. NESSA ÉPOCA, A DANÇA CHARLESTON, CRIADA NA CAROLINA DO SUL, NOS EUA, É A GRANDE SENSAÇÃO NOS BAILES. EM 27 DE FEVEREIRO, HITLER REORGANIZA O PARTIDO NAZISTA. EM 31 DE MAIO, A EXPOSIÇÃO "ARTES DECORATIVAS" É O EVENTO ARTÍSTICO MAIS IMPORTANTE DO PERÍODO PÓS-GUERRA. A EXPRESSÃO "ART DÉCO" JÁ COMEÇA A SER AMPLAMENTE UTILIZADA. O DESIGNER DE MOBILIÁRIO ÉMILE-JACQUES RUHLAM, O ESTILISTA DE MODA PAUL POIRET E O ARQUITETO E DESIGNER DE MOBILIÁRIO CHARLES ÉDOUARD JEANNERET (LE CORBUSIER) SÃO OS SEUS MAIS DESTACADOS REPRESENTANTES. EM 18 DE JULHO, HITLER LANÇA O LIVRO "MINHA LUTA" E REFORÇA SEURACISMO. EM 7 DE OUTUBRO, O TEATRO DE REVISTA NEGRO, COM A CANTORA E DANÇARINA JOSEPHINE BAKER, PROVOCA ALVOROÇO EM SUAAPRESENTAÇÃO NO TEATRO CHAMPS-ELYSÉES, EM PARIS. EM 14 DE NOVEMBRO, SURREALISTAS MOSTRAM SEUS TRABALHOS EM PARIS, NA PRIMEIRA GRANDE EXPOSIÇÃO DO GÊNERO. ENTRE OSARTISTAS ESTÃO MARX ERNST, MAN RAY, JOAN MIRÓ, PABLO PICASSO E GIORGIO DE CHIRICO. 51
  47. 47. -1926 EM 27 DE JANEIRO, O INVENTOR ESCOCÊS JOHN L. BAIRDAPRESENTA UMA NOVA MÁQUINA CAPAZ DE TRANSMITIR IMAGENS EMMOVIMENTO SEM UTILIZAR FIOS. É O PASSO INICIAL DO QUE VIRÁ A SER ATELEVISÃO. EM 6 DE AGOSTO, GERTRUDE EDERLE TORNA-SE A PRIMEIRAMULHER A ATRAVESSAR A NADO O CANAL DA MANCHA. OS NORTE-AMERICANOS FICAM ENCANTADOS COM A ATRIZ DO FILME"TENTAÇÃO" , GRETA GARBO. NO MESMO ANO NASCE O CONHECIDO "PRETINHO BÁSICO" ,QUANDO A REVISTA NORTE-AMERICANA "VOGUE" PUBLICA A ILUSTRAÇÃODE UM MODELO DESENHADO PELA FRANCESA COCO CHANEL - O PRIMEIROENTRE VÁRIOS QUE A ESTILISTA IRIA PRODUZIR AO LONGO DE SUACARREIRA. 52
  48. 48. - 1927 A MULHER MODERNA PEDE LIBERDADE DE MOVIMENTOS E A MODA PARISIENSE JÁ MOSTRA AS NOVASROUPAS QUE REDUZEM OS BUSTIÊS E ESTREITAM OS QUADRIS. A SILHUETA ESBELTA FAZ COM QUE AS MULHERESFIQUEM CADA VEZ MAIS PARECIDAS COM RAPAZES, O QUE É ACENTUADO COM O NOVO CORTE DE CABELO "LAGARÇONNE", AINDA MAIS CURTO QUE OS JÁ USADOS. A SIMPLICIDADE É A MARCA DO ESTILO. EM 6 DE OUTUBRO, ESTRÉIA, EM NOVA YORK, O PRIMEIRO FILME FALADO DA HISTÓRIACINEMATOGRÁFICA. TRATA-SE DE "O CANTOR DE JAZZ", COM AL JOLSON NO PAPEL PRINCIPAL 53
  49. 49. -1928 EM 28 DE MAIO, A DODGE BROTHERS INC. E A CHRYSLER CORPORATION ANUNCIAM SUA FUSÃO, A MAIOR JÁ REALIZADA NA INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA. O GOVERNO DOS ESTADOS UNIDOS ENFRENTA UM GRAVE PROBLEMA DE DESEMPREGO. AVALIA- SE QUE, EM JUNHO, CERCA DE 4 MILHÕES DE PESSOAS ESTÃO SEM EMPREGO NO PAÍS. EM 30 DE DE OUTUBRO, O DIRIGÍVEL ALEMÃO GRAF ZEPPELIN É A PRIMEIRA AERONAVE COMERCIAL A FAZER A VIAGEM DE IDA E DE VOLTA ENTRE EUROPA E ESTADOS UNIDOS. 54
  50. 50. -1929 NESSA ÉPOCA, A FRANCESA GABRIELLE COCO CHANEL É A SÍNTESE DANOVA MULHER DOS ANOS 20. ELA ALCANÇA O AUGE DO SUCESSO NO MUNDODA MODA. A QUEDA NA BOLSA DE VALORES DE NOVA YORK, EM 24 DE OUTUBRO,PROVOCA A PERDA DE BILHÕES DE DÓLARES. EM 10 DE DEZEMBRO, O CÉLEBRE ESCRITOR ALEMÃO THOMAS MANNGANHA O PRÊMIO NOBEL DE LITERATURA. MANN É RECONHECIDO PELOSLIVROS "OS BUDDENBROOKS", DE 1901; "MORTE EM VENEZA", DE 1912 E "AMONTANHA MÁGICA", DE 1924 A DÉCADA DE 20 SERÁ LEMBRADA COMO A ÉPOCA EM QUE O BAIRRO DOHARLEM, EM NOVA YORK, TORNA-SE A CAPITAL DA CULTURA NEGRA. BESSIESMITH, DUKE ELLINGTON E BILL "BOJANGLES" ROBINSON SÃO ALGUNS DOSARTISTAS NEGROS QUE SE APRESENTAM NO COTTON CLUB , NO BARONS E NOLEROYS. 55
  51. 51. CENTRO DE SÃO PAULO – DÉCADA DE 20 NA DÉCADA DE 20, A INDUSTRIALIZAÇÃO GANHA NOVO IMPULSO, A CIDADE CRESCE (EM 1920, SÃO PAULO TINHA 580 MIL HABITANTES) E O CAFÉ SOFRE MAIS UMA GRANDE CRISE. NO ENTANTO, A ELITE PAULISTANA, NUM CLIMA DE INCERTEZAS MAS DE MUITO OTIMISMO, FREQÜENTA OS SALÕES DE DANÇA, ASSISTE ÀS CORRIDAS DE AUTOMÓVEL, ÀS PARTIDAS DE “FOOT-BALL”, ÀS DEMONSTRAÇÕES MALABARÍSTICAS DE AEROPLANOS, VAI AOS BAILES DE MÁSCARAS E PARTICIPA DE ALEGRES CORSOS NAS AVENIDAS PRINCIPAIS DA CIDADE. NESSE AMBIENTE, SURGE O IRREQUIETO MOVIMENTO MODERNISTA. EM 1922, MÁRIO DE ANDRADE, OSWALD DE ANDRADE, LUÍS ARANHA, ENTREOUTROS INTELECTUAIS E ARTISTAS, INICIAM UM MOVIMENTO CULTURAL QUE ASSIMILAVA AS TÉCNICAS ARTÍSTICAS MODERNAS INTERNACIONAL,APRESENTADO NA CÉLEBRE SEMANA DE ARTE MODERNA, NO TEATRO MUNICIPAL. 56
  52. 52. REMANESCÊNCIA DA ARQUITETURA DA DÉCADA DE 20 NO CENTRO DE SÃO PAULO NO COMEÇO DO SÉCULO A CAPITAL DE SÃO PAULO PROSPERAVA COMO NUNCA. AS CONSTRUÇÕES SE PROLIFERAVAM NUMA CIDADE QUE NÃOPARAVA NUNCA DE CRESCER. SÃO PAULO ERA UMA CIDADE MUITO RICA, E TRANSMITIA ESSA RIQUEZA COMO FORMA DE CULTURA. A CRIAÇÃO DE DIVERSOS TEATROS,MUSEUS E GALERIAS DE ARTE TRANSMITIAM PRINCIPALMENTE A CULTURA EUROPÉIA E AMERICANA, QUE ERAM CONSIDERADAS GRANDES ÍCONES EMRELAÇÃO AO FUTURO. AS INSPIRAÇÕES DA ARQUITETURA FRANCESA MOSTRARAM-SE MUITO PRESENTESPRINCIPALMENTE NA DÉCADA DE 20, NUMA ÉPOCA ONDE A NATA INTELECTUAL MUITASVEZES ERA TAMBÉM A DETENTORA DO CAPITAL QUE GIRAVA NA CIDADE, NÃO É DIFÍCILCONCLUIR QUE SERIA TRAZIDO PARA A CIDADE, EM SEUS EDIFÍCIOS E ESTABELECIMENTOS,O LUXO E RIQUEZA DE DETALHES QUE FORAM OBSERVADOS EM OUTRORA, DURANTEESTUDOS OU VIAGENS AO EXTERIOR. IR A PARIS AO MENOS UMA VEZ POR ANO ERA QUASEUMA OBRIGAÇÃO ENTRE AS ELITES, POIS GARANTIA SEU VÍNCULO COM A ATUALIDADE DOMUNDO. AS BELEZAS DAS CONSTRUÇÕES GRANDIOSAS, BASEADAS NA BELLE ÉPOQUEFRANCESA ENCANTARAM A TODOS E LOGO SE TORNOU UM PADRÃO NA CONSTRUÇÃOCIVIL. OS EDIFÍCIOS VALORIZAVAM OS ORNAMENTOS, CURVAS SINUOSAS BASEADAS NASFORMAS ELEGANTES DAS PLANTAS E DOS ANIMAIS. GRADES, PORTÕES, JANELAS E ESCADARIAS DECORADAS COM ADORNOS PRINCIPALMENTE EM 57
  53. 53. METAL OU MADEIRA SE HARMONIZAVAM COM CONSTRUÇÕES ALTAS PARA A ÉPOCA E EXTREMAMENTE RICAS EM DETALHES. A FACHADA DOSEDIFÍCIOS ERA MUITO VALORIZADA E ORNAMENTADA EM CONCRETO, DEIXANDO APARENTE TORRES, ESCULTURAS E FRISOS, DE DIFERENTESPROFUNDIDADES E ALTURAS. É MUITO COMUM NAS CONSTRUÇÕES DESSA ÉPOCA O USO DE GRANDES VARANDAS NA PARTE SUPERIOR. O TEMPO PASSOU E AS FORTES CONSTRUÇÕES PERSISTIRAM. TAMBÉM FICOU A PAIXÃO PELO ESTILO ARQUITETÔNICO DA ÉPOCA E AOS POUCOS AS OBRAS FORAM RESTAURADAS E ALGUMAS TOMBADAS COMO PATRIMÔNIO HISTÓRICO. O CENTRO DE SÃO PAULO PRESERVA ISSO. A TRADIÇÃO DE UMA ÉPOCA MARCOU O VISUAL E CRIOU A IDENTIDADE DO LOCAL. HOJE CONSTRUÇÕES MODERNAS CONTRASTAM AO LADO DE EDIFÍCIOS ANTIGOS, ALGUNS PRESERVADOS, OUTROS NÃO, E RELEMBRAM A DIVERSIDADE CULTURAL TÃO PRESENTE NA MÁGICA, NOVA E TRADICIONAL TERRA DA GAROA. 58
  54. 54. INSPIRAÇÃO ARTÍSTICA:BELLE ÉPOQUE – BREVE HISTÓRICO A BELLE ÉPOQUE FOI UM PERÍODO NA HISTÓRIA DA FRANÇA QUECOMEÇOU NO FIM DO SÉCULO XIX E DUROU ATÉ A PRIMEIRA GUERRAMUNDIAL. A BELLE ÉPOQUE FOI CONSIDERADA UMA ERA DE OURO DABELEZA, INOVAÇÃO E PAZ ENTRE A FRANÇA E SEUS VIZINHOSEUROPEUS. NOVAS INVENÇÕES TORNAVAM A VIDA MAIS FÁCIL EMTODOS OS NÍVEIS SOCIAIS, E A CENA CULTURAL ESTAVA EMEFERVESCÊNCIA: CABARÉS, O CANCAN, E O CINEMA HAVIAM NASCIDO,E A ARTE TOMAVA NOVAS FORMAS COM O IMPRESSIONISMO E A ARTNOUVEAU . VALORIZAVA OS ORNAMENTOS E AS CURVAS SINUOSASBASEADAS NAS FORMAS ELEGANTES DAS PLANTAS E DOS ANIMAIS. ASPRINCIPAIS OBRAS DESSE ESTILO SÃO PRÉDIOS, OBJETOS DE DECORAÇÃO(MÓVEIS, PORTÕES, VASOS) E JÓIAS. 59
  55. 55. ART DÉCO – BREVE HISTÓRICO O TERMO ART DECO, DE ORIGEM FRANCESA (ABREVIAÇÃO DE ARTS DÉCORATIFS), REFERE-SE A UM ESTILODECORATIVO QUE SE AFIRMA NAS ARTES PLÁSTICAS, ARTES APLICADAS (DESIGN, MOBILIÁRIO, DECORAÇÃO ETC.)E ARQUITETURA NO ENTREGUERRAS EUROPEU. O MARCO EM QUE O "ESTILO ANOS 20" PASSA A SER PENSADO ENOMEADO É A EXPOSIÇÃO INTERNACIONAL DE ARTES DECORATIVAS E INDUSTRIAIS MODERNAS, REALIZADA EMPARIS EM 1925. O ART DÉCO LIGA-SE NA ORIGEM AO ART NOUVEAU. DERIVADO DA TRADIÇÃO DE ARTE APLICADA QUEREMETE À INGLATERRA E AO ARTS AND CRAFTS MOVEMENT, O ART NOUVEAU EXPLORA AS LINHAS SINUOSAS EASSIMÉTRICAS TENDO COMO MOTIVOS FUNDAMENTAIS ÀS FORMAS VEGETAIS E OS ORNAMENTOS FLORAIS. OPADRÃO DECORATIVO ART DÉCO SEGUE OUTRA DIREÇÃO: PREDOMINAM AS LINHAS RETAS OU CIRCULARESESTILIZADAS, AS FORMAS GEOMÉTRICAS E O DESIGN ABSTRATO. ENTRE OS MOTIVOS MAIS EXPLORADOS ESTÃO OSANIMAIS E AS FORMAS FEMININAS. NESSE SENTIDO, É POSSÍVEL AFIRMAR QUE O ESTILO "CLEAN E PURO" ARTDÉCO DIRIGE-SE AO MODERNO E ÀS VANGUARDAS DO COMEÇO DO SÉCULO XX, BENEFICIANDO-SE DE SUAS CONTRIBUIÇÕES. O CUBISMO , AABSTRAÇÃO GEOMÉTRICA , O CONSTRUTIVISMO E O FUTURISMO DEIXAM SUAS MARCAS NA VARIADA PRODUÇÃO INSCRITA SOB O "ESTILO 1925". OVOCABULÁRIO MODERNO E MODERNISTA COMBINA-SE NOS OBJETOS E CONSTRUÇÕES ART DÉCO COM CONTRIBUIÇÕES DAS ARTES HINDU, ASTECA,EGÍPCIA E ORIENTAL, COM INSPIRAÇÃO NO BALÉ RUSSO DE DIAGUILEV, NO ESPRIT NOUVEAU DE LE COURBUSIER (1887 - 1965) E COM AREAFIRMAÇÃO DO "BOM GOSTO" ESTABELECIDO PELA COMPANHIA DE ARTE FRANCESA (1918). O ART DÉCO APRESENTA-SE DE INÍCIO COMO UMESTILO LUXUOSO, DESTINADO À BURGUESIA ENRIQUECIDA DO PÓS-GUERRA, EMPREGANDO MATERIAIS CAROS COMO JADE, LACA E MARFIM. 60
  56. 56. ART NOUVEAU – BREVE HISTÓRICO NOME DADO AO MOVIMENTO INTERNACIONAL QUE SE ESPALHOU PELA EUROPA E OS ESTADOS UNIDOS DESDE O FINAL DA DÉCADA DE 1880 ATÉ PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL. APÓS OS EXCESSOS E A PREOCUPAÇÃO VITORIANA COM ESTILOS HISTÓRICOS, FOI UMA OBSTINADA E BEM SUCEDIDA TENTATIVA DE CRIAR UMA ARTE VERDADEIRAMENTE MODERNA, CARACTERIZADA PELA ÊNFASE NA LINHA – FOSSE ELA ONDULANTE, FIGURATIVA, ABSTRATA OU GEOMÉTRICA – TRATADA COM OUSADIA E SIMPLICIDADE. TAMBÉM CONHECIDO COMO ESTILO 1900 OU O ESTILO LIBERTY, O ART NOUVEAU SE APRESENTA COMO TENDÊNCIA ARQUITETÔNICA INOVADORA DO FIM DO SÉCULO XIX; UM ESTILO FLOREADO(DO ITALIANO, “FLOREALE”) ONDE SE DESTACAM A LINHA CURVA E AS FORMAS ORGÂNICAS INSPIRADAS EM FOLHAGENS, FLORES, CISNES, LABAREDAS E OUTROS ELEMENTOS. PRETENDENDO-SE COMO NOVA ARTE, O ESTILO PROCURA AINDA REJEITAR AS FORMAS MERAMENTE FUNCIONAIS ENVOLVIDAS EM TODOS OS OBJETOS DECORATIVOS PROVENIENTES DA PRODUÇÃO EM MASSA E ADERE ÀS FORMAS SINUOSAS, CURVILÍNEAS. O ART NOUVEAU PODE SER INTERPRETADO COMO UM MOVIMENTO BURGUÊS DE CUNHOREVOLUCIONÁRIO, NA MEDIDA QUE AFRONTA A MÁQUINA (REVOLUÇÃO INDUSTRIAL) E SUGERE A RENOVAÇÃO DO CONTATO COM A NATUREZA,PREGANDO O USO DA FERRAMENTA DE TRABALHO COMO PROLONGAMENTO DO CORPO DO ARTISTA (A ARTE CONTRA A TÉCNICA). 61
  57. 57. MODERNISMO – BREVE HISTÓRICO EM PRINCÍPIO, O MOVIMENTO PODE SER DESCRITO GENERICAMENTE COMO UMA REJEIÇÃO DA TRADIÇÃO EUMA TENDÊNCIA A ENCARAR PROBLEMAS SOB UMA NOVA PERSPECTIVA BASEADA EM IDÉIAS E TÉCNICASATUAIS. O MOVIMENTO MODERNO BASEOU-SE NA IDÉIA DE QUE AS FORMAS "TRADICIONAIS" DAS ARTESPLÁSTICAS, LITERATURA, DESIGN, ORGANIZAÇÃO SOCIAL E DA VIDA COTIDIANA TORNARAM-SEULTRAPASSADOS, E QUE FAZIA-SE FUNDAMENTAL DEIXÁ-LOS DE LADO E CRIAR NO LUGAR UMA NOVA CULTURA.ESTA CONSTATAÇÃO APOIOU A IDÉIA DE REEXAMINAR CADA ASPECTO DA EXISTÊNCIA, DO COMÉRCIO ÀFILOSOFIA, COM O OBJETIVO DE ACHAR O QUE SERIAM AS "MARCAS ANTIGAS" E SUBSTITUÍ-LAS POR NOVASFORMAS, E POSSIVELMENTE MELHORES, DE SE CHEGAR AO "PROGRESSO" . EM ESSÊNCIA, O MOVIMENTOMODERNO ARGUMENTAVA QUE AS NOVAS REALIDADES DO SÉCULO XX ERAM PERMANENTES E IMANENTES, EQUE AS PESSOAS DEVERIAM SE ADAPTAR AS SUAS VISÕES DE MUNDO A FIM DE ACEITAR QUE O QUE ERA NOVOERA TAMBÉM BOM E BELO. 62
  58. 58. SEMANA DA ARTE MODERNA EM SÃO PAULO – BREVE HISTÓRICO A SEMANA DE ARTE MODERNA FOI UM EVENTO OCORRIDO EM SÃO PAULO NO ANO DE 1922 NO PERÍODO ENTRE 11 E 18 DE FEVEREIRO NOTEATRO MUNICIPAL DA CIDADE. DURANTE OS SETE DIAS OCORREU UMA EXPOSIÇÃO MODERNISTA NO TEATRO E NAS NOITES DOS DIAS 13, 15 E 17DE FEVEREIRO OCORRERAM APRESENTAÇÕES DE POESIA, MÚSICA E PALESTRAS SOBRE A MODERNIDADE. REPRESENTOU UMA VERDADEIRA RENOVAÇÃO DA LINGUAGEM, NA BUSCA DE EXPERIMENTAÇÃO, NALIBERDADE CRIADORA E NA RUPTURA COM O PASSADO. O EVENTO MARCOU ÉPOCA AO APRESENTAR NOVASIDÉIAS E CONCEITOS ARTÍSTICOS. A NOVA POESIA ATRAVÉS DA DECLAMAÇÃO. A NOVA MÚSICA POR MEIODE CONCERTOS. A NOVA ARTE PLÁSTICA EXIBIDA EM TELAS, ESCULTURAS E MAQUETES DE ARQUITETURA. OADJETIVO "NOVO", MARCANDO TODAS ESTAS MANIFESTAÇÕES, PROPUNHA ALGO A SER RECEBIDO COMCURIOSIDADE OU INTERESSE. 63
  59. 59. PARTICIPARAM DA SEMANA NOMES CONSAGRADOS DO MODERNISMO BRASILEIRO, COMO MÁRIO E OSWALD DE ANDRADE, VÍCTOR BRECHERET, ANITA MALFATTI, MENOTTI DEL PICHIA. VALE RESSALTAR QUE A SEMANA EM SI NÃO TEVE GRANDE IMPORTÂNCIA EM SUA ÉPOCA, FOI COM O TEMPO QUE GANHOU VALOR HISTÓRICO AO PROJETAR-SE IDEOLOGICAMENTE AO LONGO DO SÉCULO. DEVIDO À FALTA DE UM IDEÁRIO COMUM A TODOS OS SEUS PARTICIPANTES, ELA DESDOBROU-SE EM DIVERSOS MOVIMENTOS DIFERENTES, TODOS ELES DECLARANDO LEVAR ADIANTE A SUA HERANÇA. ENTRE OS MOVIMENTOS QUE SURGIRAM NA DÉCADA DE 1920, DESTACAM-SE:  MOVIMENTO PAU-BRASIL  GRUPO DA ANTA  VERDE - AMARELISMO  MOVIMENTO ANTROPOFÁGICOA PRINCIPAL FORMA DE DIVULGAÇÃO DESTAS NOVAS IDÉIAS SE DAVA ATRAVÉS DAS REVISTAS. ENTRE AS QUE SE DESTACAM, ENCONTRAM-SE:  REVISTA KLAXON  REVISTA DE ANTROPOFAGIA 64
  60. 60. OSCAR NIEMEYER – BREVE BIOGRAFIA A LINHA RETA, INFLEXÍVEL NUNCA SEDUZIU COMPLETAMENTE OSCAR NIEMEYER,ARQUITETO CARIOCA QUE PREFERIU DESAFIAR A MATÉRIA BRUTA, DANDO-LHES FORMAS LIVRES,LEVES E SENSUAIS. SEUS PROJETOS – MAIS DE QUATROCENTOS – SÃO PROVA PALPÁVEL DE UMAACERTADA COMUNHÃO ENTRE TÉCNICA E ARTE, MAIORES RESPONSÁVEIS PELA CONSAGRAÇÃOMUNDIAL DA ARQUITETURA BRASILEIRA. “DE UM TRAÇO NASCE A ARQUITETURA. E QUANDO ELEÉ BONITO E CRIA SURPRESA, ELA PODE ATINGIR, SENDO BEM CONDUZIDA, O NÍVEL SUPERIOR DEUMA OBRA”. ASSIM, O PRÓPRIO NIEMEYER DEFINE O QUE LHE PARECE SER O ALICERCE PRINCIPALDA ARQUITETURA: A SURPRESA. ESSA TEM SIDO SUA BUSCA PERMANENTE. 65
  61. 61. MUSICALIDADE – DE JAZZ A MPB NO BRASIL A DÉCADA DE 20 TEVE ALGO REALMENTE NOVO NO QUE SE DIZ RESPEITO A MÚSICA, O INÍCIO DA POPULARIZAÇÃO DO RÁDIO. EM 1923 SURGIU A PRIMEIRA RÁDIO PAULISTA, A RÁDIO EDUCADORA PAULISTA, LOGOSEGUIDA DO RÁDIO CLUBE DE SÃO PAULO. AS RÁDIOS CONTAVAM NA SUA PROGRAMAÇÃOCOM JORNAIS FALADOS, AULAS E MÚSICA. COMO O RÁDIO ERA UM EQUIPAMENTO ALTAMENTE ELITIZADO, SEU REPERTÓRIOMUSICAL ERA BASICAMENTE FORMADO DE GRANDES CONCERTOS E ÓPERAS. O RÁDIO TEVE UM DESENVOLVIMENTO MUITO RÁPIDO, LOGO SURGIRAM RÁDIOS COM OINTUITO DE PROPAGAR A MUSICALIDADE BRASILEIRA POPULAR, TRANSMITINDO O SAMBA,CHORO, MARCHINHAS, BOLERO E OUTROS RITMOS NACIONALIZADOS. TAMBÉM FOI A ÉPOCA DA POPULARIZAÇÃO DOS PROGRAMAS DE AUDITÓRIO, ONDEMUITOS TALENTOS FORAM DESCOBERTOS CRIANDO GRANDES ÍCONES MUSICAIS. PIXINGUINHA FOI UM DOS MÚSICOS MAIS IMPORTANTES AO ESTABELECER AS BASES DAMÚSICA POPULAR E DO CHORO, UM RECÉM-CRIADO ESTILO DE MÚSICA BRASILEIRAINSTRUMENTAL COM CARACTERÍSTICAS DE IMPROVISAÇÃO SEMELHANTE AO DO JAZZ. 66
  62. 62. POPULARIZARAM-SE EM SÃO PAULO O GRAMOFONE, AS VITROLAS E AS ORQUESTRAS DE CINEMAMUDO. AS GAFIEIRAS TOCAVAM SAMBAS, MAXIXES, MARCHAS, VALSAS, JAZZ E AGRADAVAM AOPÚBLICO. LOGO SURGIRAM AS JAZZ-BANDS BRASILEIRAS COMO A ORQUESTRA PAN-AMERICANA,AMERICAN JAZZ-BAND, DE SILVIO DE SOUSA, JAZZ-BAND SUL-AMERICANA, DE ROMEU SILVA EOUTRAS MAIS. TUDO ISSO IMPULSIONA EM MUITO A DIVULGAÇÃO DA MÚSICA BRASILEIRA. NA MÚSICA ERUDITA TAMBÉM TEMOS GRANDES ÍCONES COMO HEITOR VILLA-LOBOS QUE SEAPRESENTOU NA SEMANA DE ARTE MODERNA DE 22. 67
  63. 63. DEFINIÇÃO DA TIPOLOGIA DO RESTAURANTE BAR NOVE ATÉ O INÍCIO DOS ANOS 80 ERAM RARAS OPÇÕES PARA QUEM PRECISAVA ALMOÇAR FORA DE CASA. AS ALTERNATIVAS RESTRINGIAM-SE ARESTAURANTES COM SERVIÇO À LA CARTE, LANCHONETES OU PEQUENOS ESTABELECIMENTOS COMERCIAIS QUE OFERECIAM OS PRATOS FEITOS,CONHECIDOS POPULARMENTE POR “PF”. TODAS ALTERNATIVAS DEIXAVAM A DESEJAR, PRINCIPALMENTE PELO PREÇO, CARDÁPIO INADEQUADO,HIGIENE OU DEMORA NO ATENDIMENTO. DEVIDO AO AUMENTO POPULACIONAL BRASILEIRO E PELA POSSIBILIDADE DE ABERTURA DE NOVOS MERCADOS O CENÁRIO COMEÇOU A MUDARCOM A INSTALAÇÃO DE REDES DE FAST-FOOD AS QUAIS COMEÇARAM A SE INSTALAR AQUI NO INÍCIO DOS ANOS 80, PREFERENCIALMENTE EMSHOPPING CENTERS OU EM REGIÕES DE ALTA DENSIDADE POPULACIONAL. E É SOB A IDEALIZAÇÃO DO MACDONALD’S QUE OS RESTAURANTES SELF-SERVICE INSERIRAM-SE NO MERCADO, OBJETIVANDO OFERECER AOSSEUS CLIENTES UMA OPÇÃO DE SERVIÇO RÁPIDO, LIMPEZA E QUALIDADE. MESMO QUE NO INÍCIO NÃO LEVASSEM MUITO EM CONSIDERAÇÃO AEFICIÊNCIA DO ATENDIMENTO EM RELAÇÃO À QUALIDADE DA REFEIÇÃO, POIS SURGIRAM PARA COMPETIR COM AS LANCHONETES E COM OSRESTAURANTES À LA CARTE DE BAIXO PREÇO, ESSAS OPÇÕES PERMITIRAM AO CONSUMIDOR ESCOLHER ENTRE VÁRIOS PRATOS DE SALADAS, CARNESE MASSAS, PAGANDO APENAS PELO CONSUMO. LOGO, ESPALHARAM-SE POR TODO O PAÍS. HOJE, ENTRETANTO, ESTE PANORAMA FOI ALTERADO, E OS RESTAURANTES SELF-SERVICE, POR QUILO OU NÃO, OS QUAIS PELA GRANDEACEITAÇÃO DOS CONSUMIDORES, BEM COMO PELA CRESCENTE COMPETITIVIDADE, PROCURAM ATENDER A TODOS OS REQUISITOS DE QUALIDADE EEFICIÊNCIA EM SUAS ATIVIDADES PERTINENTES AO PROCESSAMENTO DE REFEIÇÕES VARIADAS DIÁRIAS E AO SERVIÇO DE ATENDIMENTO EDISTRIBUIÇÃO DAS MESMAS. 68
  64. 64. ATUALMENTE OS SELF-SERVICE SÃO OS QUE APRESENTAM MAIOR CRESCIMENTO NO MERCADO ALIMENTÍCIO, POIS REPRESENTAM UMA NOVATENDÊNCIA NO RAMO E ABSORVEM PRINCIPALMENTE OS CLIENTES ROTINEIROS, OS QUAIS NECESSITAM ALIMENTAR-SE FORA DE CASA PELA NÃOCOMPENSAÇÃO ENTRE CUSTO, HORÁRIO PARA REFEIÇÃO E VOLTA AO TRABALHO. ESTES RESTAURANTES TAMBÉM APRESENTAM UMA COMPLEXIDADEMAIOR DE GESTÃO E PREPARAÇÃO DOS ALIMENTOS, VISTO QUE PRECISAM PRODUZIR OS MESMOS EM QUANTIDADES DE DIFÍCIL PREVISÃO ECONTROLE, NECESSITANDO DE IMPORTANTES PLANEJAMENTOS PARA ATENDER POSSÍVEIS FALTAS DURANTE O HORÁRIO DE ATENDIMENTO, BEMCOMO NO REAPROVEITAMENTO DE SOBRAS SIGNIFICATIVAS. HÁ DE SE CONSIDERAR NO ENTANTO, QUE O TIPO DE COZINHA SELF-SERVICE É BASTANTE DISPUTADO, COM 800 MIL ESTABELECIMENTOS NOPAÍS – EXATAMENTE O DOBRO DE CINCO ANOS ATRÁS, E OS RESTAURANTES NÃO DEPENDEM MAIS SÓ DA BOA COMIDA PARA ALCANÇAR O SUCESSO.DEVEM ESTAR ATENTOS AOS DESEJOS DOS CLIENTES. PARA SE TER UMA IDÉIA, HÁ PELO MENOS 2,5 MIL RESTAURANTES POR QUILO SOMENTE NA CAPITAL PAULISTA. E O MERCADO NÃO É TÃOSIMPLES COMO PARECE. DE ACORDO COM A ASSOCIAÇÃO DE BARES E RESTAURANTES DIFERENCIADOS (ABREDI), APENAS 25% DOSESTABELECIMENTOS FUNCIONAM MAIS DE CINCO ANOS. DENTRO DO ENFOQUE DE GERENCIAMENTO, VISUALIZA-SE QUE AS LANCHONETES E CHOPERIAS POSSUEM MAIOR FACILIDADE NO PROCESSO DEGESTÃO E PREPARAÇÃO, POIS TRABALHAM COM SOLICITAÇÕES DE PEDIDOS E PRODUTOS PRÉ-PREPARADOS, SENDO NECESSÁRIO, NA HORA DOATENDIMENTO, SOMENTE O PROCESSO DE COCÇÃO, O QUAL VARIA CONFORME O PRODUTO SOLICITADO. E, GERALMENTE, PREFEREM TRABALHARCOM PRODUTOS TERCEIRIZADOS, DISPENSANDO O PROCESSO PRODUTIVO DOS ALIMENTOS, DEVIDO A MUITAS VEZES NÃO COMPENSAR O CUSTO XBENEFÍCIO DESTA ATIVIDADE, POIS AGREGA DESPESAS COM FUNCIONÁRIOS, PROCESSO EXAUSTIVO DE COMPRAS, RECEBIMENTO E ESTOCAGEM DEMATERIAIS. 69
  65. 65. OS DEMAIS RESTAURANTES DO SEGMENTO “A LA CARTE” APRESENTAM TAMBÉM UM CERTO GRAU DE FACILIDADE NO PROCESSO DE GESTÃO,POIS TRABALHAM COM O MESMO SISTEMA DE SOLICITAÇÃO DE PEDIDOS, HAVENDO MENORES DESPERDÍCIOS E MAIOR APROVEITAMENTO DOSINSUMOS. PORÉM, EM RELAÇÃO AO PROCESSO DE PREPARAÇÃO OCORRE DIFICULDADE NA MENSURAÇÃO DOS CUSTOS, POIS NECESSITA DE UMPROCESSO PRODUTIVO E DE TRANSFORMAÇÃO DOS ALIMENTOS, GERANDO MUITOS DIRECIONADORES DE CUSTOS, OS QUAIS NEM SEMPRE CHEGAM ASER PERCEBIDO PELO EMPRESÁRIO. PORTANTO, OBSERVADAS AS CONDIÇÕES DE MERCADO, CONSIDEROU-SE A IMPORTÂNCIA EM NÃO CAIR NUMA REDE CONCORRENTESIGNIFICATIVA, COMO O SEGMENTO SELF-SERVICE, E TAMPOUCO ENFRENTAR AS GRANDES REDES DE FAST-FOOD OU TAKE-OUT, EMBORA AAGILIDADE NO ATENDIMENTO SEJA CONDIÇÃO PRIMORDIAL PARA ATENDER AS NECESSIDADES ATUAIS DOS CLIENTES QUE DESPENDEM CADA VEZMENOS TEMPO PARA ALIMENTAR-SE. SENDO ASSIM, O SERVIÇO DE COZINHA INDICADO, AGRACIA UMA MESCLA DE CARACTERÍSTICAS DE OUTROS SERVIÇOS APRECIADOS: FUSIONFOOD AO DESAFIAR A CULINÁRIA USUAL E PROVOCAR MISTURAS DE VÁRIAS CULTURAS; GRILL AO APRESENTAR-SE NUM AMBIENTE ELEGANTE,OFERECENDO CORTES NOBRES DE CARNES, ALÉM DE FRUTOS DO MAR, LEGUMES E GUARNIÇÕES BEM TRABALHADAS; E COFFE-SHOP POR OFERECERCARDÁPIOS DE FÁCIL PREPARAÇÃO E UMA COMIDA RÁPIDA. ESSA MESCLA É DENOMINADA “CASUAL DINING”, QUE VEM A SER UM NEOLOGISMO PARA O “RESTAURANTE PADRÃO” ORIGINAL ACRESCIDODE ITENS QUE ENFATIZAM UMA RENOVAÇÃO. É UM CONCEITO CRESCENTE QUE VEM PREENCHER O ESPAÇO ENTRE O FAST-FOOD E O SERVIÇOTRADICIONAL. SÃO ESTABELECIMENTOS COM INTERIOR ELEGANTE, COM O SERVIÇO DE PREPARAÇÃO DO ALIMENTO, INVARIAVELMENTE, VISÍVEL ATRAVÉS DEUMA COZINHA INTEIRAMENTE A VISTA, ALÉM DE SER PROJETADO FREQÜENTEMENTE DE ACORDO COM O CONCEITO DO RESTAURANTE. O SERVIÇO ÉIMPECÁVEL, COM CHEFS QUE PERTENCEM ÀS MELHORES ESCOLAS CULINÁRIAS. 70
  66. 66. O SERVIÇO DO TIPO “CASUAL DINING” DEMONSTRA EM SEU MENU, UMA CONSCIÊNCIA COM O BEM-ESTAR E A SAÚDE E PROCURA ENFATIZARINGREDIENTES DE ELEVADA QUALIDADE, EVIDENCIANDO A MANEIRA COM QUE O ALIMENTO É PREPARADO. PELO PERFIL DE CLIENTE PRETENDIDO, COMPREENDEMOS SER ESTA A MELHOR OPÇÃO PARA O EMPREENDIMENTO. 71
  67. 67. INTERPRETAÇÃO CONCEITUAL A SUGESTÃO ARQUITETÔNICA TRADUZ O CONCEITO DO PROJETO BAR NOVE: RESTAURAÇÃO E CONSERVAÇÃO DO CENTRO DA CIDADE, REVITALIZAÇÃO DA PRAÇA, RESGATE CULTURAL DA DÉCADA DE 20, REFORÇANDO A COERÊNCIA E A COMPATIBILIDADE DOS EMPREENDEDORES COM A COMUNIDADE ATRAVÉS DA APLICAÇÃO DOS PRINCÍPIOS DE RESPONSABILIDADE SOCIAL. ISSO SEM FALAR QUE O CENTRO DE SÃO PAULO GANHA UMA NOVA OPÇÃO GASTRONÔMICA DE QUALIDADE ÍMPAR NA REGIÃO.PLANTA BAIXA 72
  68. 68. SALÃO LEVOU-SE EM CONSIDERAÇÃO O TRÂNSITO E O FLUXO DEPESSOAS AO SE DEFINIR A POSIÇÃO DOS MÓVEIS. PROCUROU-SEMANTER CORREDORES DE NO MÍNIMO 1M DE LARGURA A FIM DEPRESERVAR O ESPAÇO SOCIAL DOS CLIENTES. A ILUMINAÇÃO É DIRETA, DEVIDO AO FATO DE CONTER,ALÉM DO MOBILIÁRIO, O BAR E A COZINHA. 73
  69. 69. CONTEMPLAM-SE 13 (TREZE) MESAS COM 4 (QUATRO) CADEIRAS CADA E 10 (DEZ) BANQUETAS NO BAR; A CAPACIDADE DESSE AMBIENTE É DE 62 (SESSENTA E DUAS) PESSOAS SENTADAS E ACOMODADAS.74
  70. 70. COZINHA A COZINHA INDUSTRIAL TEM SUAESTRUTURA FUNDAMENTADA BASICAMENTE EMSUAS PAREDES DE VIDRO TRANSPARENTE,,PROPORCIONANDO A TODOS OS CLIENTES UMAVISÃO COMPLETA DE TUDO O QUE ACONTECEDURANTE A PREPARAÇÃO DE SEUS PRATOS,TRANSMITINDO A SEUS CLIENTES TOTALTRANSPARÊNCIA NO ATENDIMENTO E PREPARO. 75
  71. 71. BAR INSPIRADO PELAS LINHAS DE OSCAR NIEMEYER, COM APLICAÇÃO DO PISO CERÂMICO EM SUA LATERAL E MADEIRA EM SEU PISO LEVEMENTE ELEVADO. ALINHADO AO CENTRO DO BAR, FORAM PROJETADAS PRATELEIRAS DE VIDRO PARA A EXPOSIÇÃO DE PRODUTOS EXISTENTES E COMERCIALIZADOS NO BAR. ALIADO AO PROJETO DO BALCÃO BAR ESTÃO 10 (DEZ) BANQUETAS, ACOLHENDO 10 (DEZ) CLIENTES PARA UM SIMPLES DRINK OU ÀQUELE QUE AGUARDA POR UMA MESA. 76
  72. 72. MEZANINO A ÁREA SUPERIOR, OU MEZANINO, FOI DESENHADOCOM O INTUITO DE INTEGRAR-SE COM O JARDIM EXTERNO EMSUA TOTALIDADE, DE FORMA QUE AS PESSOAS VIVENCIEM OCOMPLEXO COMO UM TODO. A MADEIRA INTERNA CONTEXTUALIZA COM O DECKEXTERNO, GUARDA CORPOS EM FERRO E ILUMINAÇÃO DIRETANAS MESAS A FIM DE CRIAR UM AMBIENTE MAIS INTIMISTA. . ESTE AMBIENTE POSSUI, ASSIM COMO O SALÃO, 13(TREZE) MESAS COM 4 (QUATRO) CADEIRAS CADA,CAPACITANDO O AMBIENTE PARA ATÉ 52 (CINQUENTA EDUAS) PESSOAS SENTADAS E ACOMODADAS. 77
  73. 73. PRAÇA E DECK A PRAÇA HOJE EXISTENTE NO LOCAL SERÁ TOTALMENTE RESTAURADA, PARTINDO-SE DO FATO DE QUE SE PLANEJA FAZER COM QUE O BAR E A PRAÇA SEJAM UM PROJETO ÚNICO E INTEGRADO PELO DECK, CONFECCIONADO TOTALMENTE E MADEIRA E INTERAGE COM OS DOIS AMBIENTES DO BAR. DISPÕE DE 11(ONZE) MESAS COM 4(QUATRO) CADEIRAS CADA MAIS 1(UMA) MESA DESTINADA A CONFRATERNIZAÇÕES, COM ATÉ 8(OITO) CADEIRAS, CAPACITANDO ASSIM, O AMBIENTE PARA ATÉ 52(CINQUENTA E DUAS) PESSOAS SENTADAS E ACOMODADAS 78
  74. 74. 79
  75. 75. ATRAÇÃO BASEANDO-SE NAS EXPERIÊNCIAS ARTÍSTICAS MUSICAIS DA DÉCADA DE 20, ESCOLHEMOS COMO BASE MUSICAL PARA APRESENTAÇÕES AOVIVO NO BAR NOVE ESTILOS QUE VÃO DA MPB, QUE PODE SER FEITA TANTO COM UMA BANDA QUANTO COM UM ARTISTA E SEU VIOLÃO, PASSANDOPELO BLUES E JAZZ. AS APRESENTAÇÕES NÃO SERIAM O PONTO PRINCIPAL DA CASA, MAS SIM UMA AMBIENTAÇÃO PARA O PÚBLICO.ESTACIONAMENTO O RESTAURANTE DISPONIBILIZARÁ AOS CLIENTES UM SERVIÇO DE VALET PARKING, COM CAPACIDADE DE ATÉ 500 VEÍCULOS. 80
  76. 76. -5- BAR NOVE Abordagem Estrutural e Econômica Investimentos Máquinas e Equipamentos Reformas e Revitalização da Praça Móveis e Decoração Recursos Humanos Lista de Fornecedores Taxa de Ocupação e Coeficiente de Utilização81

×