Franquia & Negocios

844 visualizações

Publicada em

JOSÉ CARLOS SEMENZATO.
A segunda fase do construtor de sonhos

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
844
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
29
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Franquia & Negocios

  1. 1. PULO DO EMPREENDEDOR “Nem Sabia qUe era imPoSSível, FUi lá e Fiz” – cita em DaDo momeNto Da eNtreviSta o PreSiDeNte-FUNDaDor JoSé carloS SemeNzato, ParaFraSeaNDo, ao SeU moDo a citaÇÃo Do artiSta FraNcêS JeaN cocteaU. ele Se reFeria ao momeNto De criaÇÃo Da microliNS com DiNheiro De reSciSÃo Do emPrego Do qUal acabara De Se DeSligar. a Partir De SeUS 21 aNoS PaSSoU a Dar eSPaÇo a Uma eScalaDa De SUceSSo e atravéS Da ForÇa De voNtaDe e Da iNSPiraÇÃo, PlaNeJa o FUtUro De SUa Nova FaSe. JOSÉ CARLOS SEMENZATO A segunda fase do construtor de sonhos Por thiago crivellaro - FotoS DivUlgaÇÃo 82 Franquia & Negócios | AbF JUN/JUL 2010 franqabf#31_montagem(81-120).indd 82 4/6/2010 14:34:42
  2. 2. A tualmente, Semenzato possui a visão de que todos os jovens do Brasil à margem dos es- tudos do ensino superior – e mesmo os inseridos nele – precisam de capacitação profissional. Aprender uma profissão, na prática, é a força motriz da Microlins, a “grande sacada” pela qual o empresário obteve seu sucesso e sua felicidade. Um grande ideal que começou há quase vinte anos: as pessoas deveriam aprender informática, ser incluso digitalmente. Para isso, foi necessário experiência e, acima de tudo, determina- ção – sua palavra favorita. Quando, em 1991, o jovem Analista de Sistemas dei- xou de ser empregado em prol do grande sonho de Por isso, mesmo amortizando dí- ser empresário, montou, em pouquíssimo tempo, 21 vidas durante cinco anos, conseguiu escolas por meio de financiamentos bancários. Algu- aumentar a rede para 97 franquias. E mas unidades foram inauguradas com 500 alunos ou assim adquiriu uma forma de não pen- mais. E o êxito meteórico o deixava crente de que era sar nos problemas, mas somente em o “supra-sumo”. Afinal, o guri sonhava grandiosamen- resolvê-los. te, havia saído da periferia de Lins, tendo pai pedreiro “Quando trazem a mim uma solu- e mãe dona de casa, e passou a ser vendedor de sal- ção que para todos é insolúvel, eu te- gadinhos com 13 anos, profissional técnico com 15 e nho algo imediato para aquilo, fácil e empreendedor com 21. rápido” – explica. Contudo, o excesso de ousadia e agressividade o ar- rebatou. O Plano Real freou seu projeto causando-lhe O início uma amarga decepção. Em seis meses faltavam receitas que pagassem os custeios dos computadores devido à da reinvenção deflação de parcelas escolares e aumento dos contratos Seus momentos inspirados também de leasing. mostraram novas medidas empresariais. “A minha pouca idade e inexperiência empresarial Começando pela única empresa que não permitiu que fizesse um planejamento. Se tivesse fei- tinha, Semenzato comandou a gran- to como mandam os manuais, não teria dado certo” – de guinada da Microlins, em 1997: de explica Semenzato, que enfrentou uma maratona para escola de informática virou centro de devolver micros e refinanciar os licenciamentos. formação profissional com vários cur- Porém, logo encontrou investidores que toparam en- sos técnicos, como contabilidade e se- trar no negócio. Para o empresário, restaram os royalties. cretariado. Isso ampliou o número de Ele declara: “O franchising não era um planejamento, e unidades em quatro anos e possibilitou sim uma necessidade. Ou faria isso ou fecharia todas as o momento de investir na televisão. unidades e, talvez, a Microlins não existisse hoje.” O programa Domingo da Gente, apresentado por Netinho na Rede Re- cord, contribuiu para a “fase fantástica” da Microlins. “Havíamos entrado com merchandising e doações em conjunto. Aquilo mexeu com a população, sensibilizou-a e todos compravam o curso e queriam comprar franquias” – exalta o empresário. Houve em um único ano, 196 unidades vendidas. Um resultado dos mais otimistas considerando que o plano quase afundou devido a um entrave entre Se- menzato e seu sócio minoritário que optou por não assinar a alta fatura da emissora. JUN/JUL 2010 Franquia & Negócios | AbF 83 franqabf#31_montagem(81-120).indd 83 4/6/2010 14:34:42
  3. 3. PULO DO EMPREENDEDOR “Quem quer mover a vida deve se transformar. E acreditar” Outra missão nobre em sua trajetória é o propósito de espalhar a força de vontade aos muitos jovens com dificuldade de progredir. “Eles tem que entender que se quiserem mo- ver a vida devem se transformar. Basta acre- ditar. Um pouco dessa minha inspiração serve para isso.” – prega. “Isso leva esperança, sara doença, cura depressão ou todo tipo de mal que possa existir numa pessoa lá da periferia. E ali não tem muita expectativa, já se nasce fadado ao fra- A segunda fase casso.” A empresa foi concebida para a maioria das pessoas in- Desde que montou o Instituto Embelle- tegrantes das classes B, C e D. Para Semenzato, por serem ze em 2004, com parceira de Itamar Serpa carentes, não podem sentar nos bancos de uma faculdade (presidente da Embelleze), Semenzato per- e esperar quatro ou cinco anos para se formar e só depois cebeu uma oportunidade de se diversificar conseguir emprego. Assim, com a ascensão da renda das por outras áreas de serviços, como o Insti- classes D e E, surgiu a Ideal Cursos Interativos, para aten- tuto da Costura (profissionalização para a der uma demanda que a Microlins não atinge. Nesta nova indústria têxtil), a Ideal Cursos Interativos, franquia não há dependência para formar turmas. Cada e, no setor industrial, a Casa de Sorvetes um faz seu horário, no seu tempo. Aqui ainda existe uma Jundiá e a Orvale (água natural produzida maciça participação da terceira idade. Os mais veteranos pela tecnologia verde H2O Pure). aprendem e se divertem com a nova tecnologia. “Esse é meu grande desafio: empreender E para repercutir nos brios de novas gerações, o em- em áreas onde ainda não estou. O concei- presário finaliza um livro com letras grandes, fotos ve- to de ser sócio de uma indústria, como a rídicas e poucas páginas, a ser distribuído nas periferias Jundiá, não difere do mesmo know-how do Brasil quase que de maneira subsidiada. da franchising, de distribuir serviços e pro- “Esses jovens verão que fui igual a eles com o mesmo dutos. Vou entrar na indústria? Vou sim, tipo de casa, as mesmas dificuldades e poderei dizer: ‘é montarei várias” – anuncia. possível cara’. Quem não acreditar vai lá checar.” O ano de 2010 inicia uma nova fase para Além disso, ele não dissemina o discurso apenas à José Carlos Semenzato, tanto na vida pes- Microlins, mas a toda uma gama de projetos em que soal quanto na profissional. Se por um lado acredita firmemente, seja na prospecção de negócios lu- monta um planejamento em que participa crativos ou no futuro promissor aos alunos. mais ativamente do ambiente familiar, no 84 Franquia & Negócios | AbF JUN/JUL 2010 franqabf#31_montagem(81-120).indd 84 4/6/2010 14:34:46
  4. 4. PULO DO EMPREENDEDOR “Não há limites: vou até onde tiver energia” Já a profissionalização da empresa, que lhe deu tudo o que podia conquistar, segue em sua capacitação de ensino. Implantou o modelo de educação à distância - as aulas da Microlins tendem a ser cada vez mais “tele pre- senciais”. Nas salas, apenas monitores, alunos e orienta- outro se prepara para deixar a presidência dores. Professores, somente no software de vídeo. da Microlins para beneficiar os demais se- Semenzato revela ainda a disposição em começar tores em que investe. o curso de empreendedorismo que contará com mais “Acho que nunca conseguimos fazer onze empresários, para levar uma coletânea de conhe- tudo plenamente. Durante todos esses cimentos aos alunos. anos, parece que me entreguei muito mais “O curso de 18 horas será o melhor de empreendedo- à minha carreira profissional diminuindo rismo já lançado no mercado brasileiro e é o mais nobre a atenção à família. E, no final das contas, produto da Microlins para esse ano de 2010. Espero que como presidente de uma companhia não é milhares de jovens brasileiros venham recebê-lo por nos- justo ou ético dedicar parte do meu tempo sas tele salas e aprendam a se tornar um líder, a motivar para cuidar de outros projetos. Não fui ego- pessoas, a focar, a sonhar e executar seus projetos, a bus- ísta de querer gerir sozinho.” – considera. car energia nos momentos difíceis” – prediz. Participante ativa do árduo caminho per- Com faturamento de R$ 400 milhões anuais e flerte corrido, sua esposa Samara cuida das finan- com investidores para expansão internacional, não bas- ças familiares. A “empresa pessoal” passa taria ao empresário ser um eterno apaixonado somente por sua gestão mais profundamente quan- pela educação. do ela saiu da diretoria da Microlins depois “Tem tanta coisa bacana para empreender nesse que o Banco Pátria adquiriu 30% do centro País. Agora quero também fazer minha segunda fase, educacional. O casal ainda incentiva a veia tornar-me fundador de outras brilhantes fábulas na his- esportiva do filho Bruno, de 17 anos. Há toria do empreendedorismo brasileiro. Não há limites: três anos e meio, o rapaz treina com Larri vou até onde tiver energia.” Passos e já é um tenista profissional. Com Atualmente, não vê mais obstáculos para si ou tem relação à filha Beatriz, o pai vê nela uma receio de cometer erros, principalmente pela experiência seguidora do empreendedorismo. adquirida em tanto tempo. Porém, valoriza cada dia para “Tem que ser feliz. Apóio e não tenho aprender algo novo. A impressão que lhe dá está em to- preocupações quanto a nenhum dos dos os cenários colhidos durante seu progresso. dois” – afirma. De acordo com Semenzato, eram coisas que desenhava enquanto menino e se materializavam conforme o tempo passava. Por isso, pede às pessoas para usar o sonho como combustível para a realização própria. E se chegasse ao Portal do Paraíso, apenas gostaria de ouvir de Deus: “Pa- rabéns por ter melhorado a vida de tanta gente.” O empresário está motivado com uma oportunidade de ser um dos avaliadores no programa “No Tanque dos Tubarões” (versão brasileira do sucesso americano “Shark Tank”) que deve estreiar em julho, na Rede TV! Nele, os participantes apresentarão suas idéias e invenções para angariar um financiamento e um sócio. “É um momento bacana de gente como nós levar prestígio e dar oportunidade. Quem trouxer um projeto legal, vou comprar e me associar a pessoa exercendo o empreendedorismo” – afirma Semenzato. 86 Franquia & Negócios | AbF JUN/JUL 2010 franqabf#31_montagem(81-120).indd 86 4/6/2010 14:34:46

×