SlideShare uma empresa Scribd logo
J o r n a l U ni v e r s i t á r i o — Z o o t e c ni a S i n o p
                                                                                      ANO 1       EDIÇÃO 5
                                                                                           20/06/2010




                               O mito da carne de frango com hormônios

Nesta edição:           Quem nunca ouviu al-        pesquisa, se chegasse ao      por vários países por va-
                        guém dizer que tem medo     balanceamento de nutri-       rias questões sanitárias
                        de comer carne de frango    entes e energia nas dietas    .Hoje se preconiza a utiliza-
1a                2
  Reunião Téc-          de granja por que andam     e em um ambiente ade-         ção dos pré e pró bióticos.
 nica de Suino-         dizendo que esses ani-      quado para a criação das      Prebióticos são definidos
                        mais recebem hormônios      aves, com controles de        como ingredientes nutricio-
                        na sua dieta. Muitos di-    temperatura, umidade do       nais não digeríveis que afe-
     ENIPEC       3
                        zem: “não há a mínima       ar e ventilação das insta-    tam beneficamente hospe-
                        dúvida que aquelas aves     lações. O monitoramento       deiro, estimulando seletiva-
                        crescem rápido por cau-     de doenças e o manejo         mente o crescimento ativida-
curso do SENAR    4     sa do uso de hormônios      apropriado também mere-       de de uma ou mais bacté-
                        na alimentação deles.       cem destaque no cenário       rias benéficas intestinal me-
                        Imagina. Não tem outra      atual da avicultura.Outro     lhorando a saúde do seu
                        explicação.”                fator relevante para acele-   hospedeiro (Gibson & Ro
                  8
     Raças                                          rar o crescimento e engor-    berfroid, 1995; Miltenburg,
                        Tem sim: manejo, sele- da dos frangos foi o me-           2000).
                        ção genética e nutrição. lhoramento genético a
                  12    Resumindo Zootecnia.        partir da seleção de aves     E os Próbioticos controlam o
 13 de maio                                         por ganho de peso e de-       poder das bactérias patogê-
    2010                                            sempenho.                     nicas no trato digestório,
                        O uso de hormônio em
                        frangos ainda é crença de                                 bem como suas atividades
                        grande parte dos consumi-          As aves conseguem      maléficas, eles funcionam
                        dores. No sistema produ-    expressar todo seu poten-     como modulador, formando
  “Desde o início da    tivo, essas aves vivem cial genético, porque elas         uma flora intestinal equilibra-
                        cerca de 45 dias, entre não sentem frio, não sen-         da e sadia, paralelo o probi-
 avicultura de corte,   sair do ovo e atingir o pe- tem calor, tem ração à        ótico auxilia a conversão
 a eficiência na pro-   so ideal para o abate, e o vontade o dia todo e a         alimentar, fazendo com que
                        pouco tempo dessa traje- água é fresca também o           as aves absorvam mais os
  dução de frango é     tória reforça a idéia de dia todo.O tempo de vida         nutrientes e proteínas, fa-
 questionada, inclu-    aplicação de substâncias do animal até o abate invi-      zendo com que os filhotes
 sive, por médicos e    anabolizantes ou com a- abiliza qualquer tentativa        dessa maneira, cresçam e
                        ção hormonal na avicultu- de utilização de hormô-         ganhem peso, e com que as
 nutricionistas, mas    ra. Especialistas, no en- nios nesta espécie, assim       aves doentes ou senis recu-
 o rápido crescimen-    tanto, derrubam o mito. como o tempo suficiente           perem-se mas rapidamente,
 to de frangos não é    "Essa história surgiu por para a sua atuação no           evitando dessa forma se-
                        volta das décadas de 30 e organismo”,                     cundarismo com mortes ba-
       milagre"         40, quando foram constru-                                 nais.
                        ídas as atuais estruturas Na realidade o que são
                        de aviários, com mais de utilizados       aditivos não    Na universidade tem livros
                        15 mil aves que crescem nutrientes que são os pro-        de nutrição de não Rumini-
                        cada vez mais e em me- motores de crescimen-              tanes (Monogástricos) com
                        nos tempo. E foi justamen- to.Inicialmente era utili-     esse tema quem tiver inte-
                        te o avanço técnico do zado antibióticos mas              resse um dos livros é do
                        segmento que contribuiu esse método vem sendo             autor: Antônio Gilberto Berte-
                        para que, em anos de banido gradativa mente               chini.
Página 2




           Ia Reunião Técnica de Suinocultura
                No dia 24 de Abril de 2010 realizou-se a Ia Reunião Técnica de Suino-
           cultura com o intuito de uma maior interação entre os acadêmicos da UFM-
           T/Campus-Sinop, Produtores Rurais e Técnicos do Setor, sobre algumas
           temáticas de relevância na suinocultura.
                Esta Reunião Técnica foi organizada pelo Prof. da área de Produção e
           Nutrição de Suínos Anderson Corassa, Rodrigo R. Ferrari e Keli Ballerini
           ambos alunos de Zootecnia e Bolsista de extensão e pesquisa.

            As temáticas discutidas foram às seguintes:

             *Limpeza, Desinfecção e Vazio Sanitário das instalações: o óbvio fa-
           zendo a diferença, esta foi ministrada pelos acadêmicos de Zootecnia Keli
           Ballerini e Rodrigo R. Ferrari;

             *Vacinas Comercias ministrada pelo acadêmico de Medicina Veterinária
           Rayf Tirloni;

             *Técnica de diagnóstico de gestação em fêmeas suínas ministrada pela
           acadêmica de Medicina Veterinária Stella Leon de Andrade;

              *Calendário de eventos da suinocultura brasileira, ministrada pelas
           acadêmicas de Zootecnia Geisilaine A. Ferreira e Magaly S. Muniz;

             *Suinocultura nos Estados Unidos um relato de caso, ministrada pela
           acadêmica de Medicina Veterinária Kassia Ducati.

              Atualmente como o setor Suinícola se apresenta em franca expansão nesta
           região, muitos acadêmicos estão buscando conhecimentos nesta área. Desta
           forma a Ia Reunião Técnica veio para fazer uma interação ente Universidade
           e produtores rurais, visando manter acadêmicos e produtores atualizados as
           temáticas de relevância na suinocultura mato-grossense.
                            A organização agradece a participação de todos.

                                         Escrito por : Keli Ballerini aluna do 8º semestre de zootecnia



                                     Este artigo pode conter de
                                     75 a 125 palavras.
                                     A escolha de imagens ou
                                     elementos gráficos é uma
                                     etapa importante na elabora-
                                     ção do boletim informativo.
                                     Pense no artigo e verifique
                                     se a imagem escolhida irá
                                     retratar ou aperfeiçoar a
                                     mensagem que está tentan-
                                     do transmitir. Evite escolher
                                     imagens fora do contexto. da imagem
                                                          Legenda
                                                          ou do elemento gráfi-
                                     O Microsoft Publisher possui
                                                          co.
                                     milhares de imagens de clip-
Página 3




                          ENIPEC- Um dos maiores eventos ligados a agropecuária é
                                        realizado em Mato Grosso

                         Entre os dias 3 e 5 de maio deste ano,          rique Amorim, jornalista e apresentador do

                         realizou-se no Centro de Eventos do Panta-      programa Domingo Espetacular (Record);
                         nal, em Cuiabá, a sexta edição do Encontro      Rui Carlos Ottoni Prado, médico veterinário,

                         Internacional dos Negócios da Pecuária          presidente da FAMATO; Sandra A. Santos,
                         (ENIPEC). Este evento é promovido a cada        doutora em Zootecnia, pesquisadora da

                         dois anos pela Federação da Agricultura e       Embrapa Pantanal premiada em 2009 co-
                         Pecuária de Mato Grosso (FAMATO) e trata        mo melhor curadora da Rede Animal da
                         de inúmeros temas de interesse para a           Embrapa devido ao trabalho com cavalos

                         pecuária mato-grossense.                        pantaneiros; Alysson Paolinelli, engenheiro
                                                                         agrônomo, agricultor, autoridade pública e
                         Neste ano o ENIPEC contou com a presen-
                                                                         consultor de agronegócios que supervisio-
                         ça de mais de 3.000 pessoas, dentre elas
                                                                         nou a criação e implementação da Embra-
                         estudantes, produtores rurais, expositores,
                                                                         pa. Estas e tantas figuras ilustres contribuí-
                         palestrantes e diversos outros visitantes
                                                                         ram para o sucesso do ENIPEC deste ano,
                         que puderam obter ou mesmo debater e
                                                                         agregando informações, gerando conheci-
                         trocar informações referentes a assuntos
                                                                         mento e mudando conceitos.
                         como politica agrícola, acesso a mercados,
                         administração de propriedades, organiza-        De modo geral, esta edição do ENIPEC que

                         ção e perspectivas das cadeias produtivas,      teve como tema central "Os desafios de
                         sanidade, pesquisas e novas tecnologias,        quem produz", mostrou que a demanda por
                         aquecimento global, sustentabilidade e          alimentos tende a crescer, visto que há um

 De modo geral, esta     legislação ambiental, entre outros.             crescente aumento da população mundial.
edição do ENIPEC                                                         Ao mesmo tempo o mercado se torna mais
                         As palestras foram ministradas por especi-
que teve como tema                                                       exigente, principalmente quanto as ques-
                         alistas de renome nacional e internacional
central "Os desafios                                                     tões de se produzir preservando o meio
de quem produz",         que apresentaram varias propostas estra-
                                                                         ambiente, tendo sido o produtor rural mui-
mostrou que a de-        tégicas úteis a bovinocultura de corte e de
                                                                         tas vezes apontado por ONGs estrangeiras
manda por alimentos      leite, aqüicultura, ovinocaprinocultura, api-
                                                                         como principal responsável pela degrada-
tende a crescer, visto   cultura, equideocultura, avicultura e suino-
                                                                         ção ambiental. Portanto, pecuaristas, agri-
que há um crescente      cultura. Destaca-se a participação de Ricar-
aumento da popula-                                                       cultores e profissionais desta área devem
                         do Amorim, pós-graduado em Administra-
ção mundial                                                              manter-se atentos a      necessidade de se
                         ção e Finanças Internacionais e apresenta-
                                                                         produzir em quantidade e qualidade de
                         dor do programa Manhattan Connection
                                                                         forma sustentável socialmente, economica-
                         (GNT); Paulo Afonso Schwab, presidente da
                                                                         mente e ambientalmente para assim, serem
                         Associação Brasileira de Criadores de Ovi-
                                                                         bem sucedidos em meio a tantas exigências
                         nos (Arco); Aldo Rebelo, jornalista, deputa-
                                                                         e acusações, adotando práticas e tecnologi-
                         do federal e presidente da Comissão Espe-
                                                                         as conservacionistas. Produzindo com quali-
                         cial do Código Florestal Brasileiro; Gustavo
                                                                         dade, adequando-se as exigências do mer-
                         Macedo de Mello Baptista, doutor em Geo-
                                                                         cado nacional e internacional.
                         logia e professor adjunto da Universidade
                         de Brasília, Instituto de Geociências Cam-      Escrito por: Denise C. Parisotto aluna do 3º

                         pus Universitário Darcy Ribeiro; Paulo Hen-     semestre de zootecnia
Página 4




                                   Receita do Zoornal
             Olá pessoal!!! Dês da primeira    sando que o seu bolinho vai
           edição do zoornal buscamos          ficar melhor que o da sua       Açúcar e canelas.
           trazer dicas de receitas de fácil   avó!!!. Mas com toda certeza      Para preparar é muito fácil,
           preparo, para auxiliar aquela       da para matar um pouco da       basta seguir passo a passo que
           criatura que não sabe nem frita     saudade e também com as         não tem erro, misture todos os
           um ovo. Por aqui já passou a        lombrigas, que teriam que       ingredientes até que forma
           macarronada universitária, bolo     esperar um semestre inteiro     uma massa consistente (não
           de cenoura,cachorro-quente          ou um tempo maior para          muito mole e nem ta du-
           universitário e a panqueca de       apreciar essa maravilha da      ra).Enquanto isso deixe uma
           carne-moída. Todas receitas de      culinária popular hehe.         panela com bastante óleo para
           fácil preparo.                      Então vamos a receita:          que na hora de fritá-los os boli-
             Nessa edição buscamos uma         Os ingredientes para a recei-   nhos bóiem, quando o óleo
           receita dos tempos da vovó.         ta:                             estiver bem quente comece a
             O famoso bolinho de chuva!!!                                      colocar colheradas da massa
                                               2 ovos.                         pronta no mesmo e baixe o
             Com toda certeza algumas                                          fogo, para que seu bolinho frite
           pessoas quando ouvem esse
                                               2 colheres de açúcar.           corretamente e não fique cru.
           nome faltam chorar de sauda-
           des da casa da vovó hehehe!!                                          Depois de fritos coloque os
                                                                               bolinhos sobre o tolhas de pa-
            Aparentemente parece ser           1 xícara de chá de leite.
                                                                               pel absorvente se for do seu
           uma receita complica, mas não                                       agrado para dar um sabor a
           é!!!                                Trigo para dar o ponto.         mais, passe os bolinhos de
             A maior dificuldade é só a                                        chuva na açúcar e canela.
           aparte da fritura.                  1 colher de sopa de fermen-
           Mas atenção!!!! não vai pen-        to.


             Acadêmicos de zootecnia participam de curso do SENAR
                            sobre bovinos de corte
             Entre os dias 17 e 21 de          região, onde foi     acompa-       o curral de embarque e
           maio 6 acadêmicos do curso          nhado: a confecção de sila-        desembarque onde foi mos-
           de zootecnia da UFMT-Sinop          gem , mochação e castração         trado todo sistema de iden-
           participaram do curso do            de alguns animais.                 tificação e manejo       dos
           Senar, sobre bovinos de cor-         No ultimo dia do curso foi        animais que ali chegam.
           te.                                 feita uma visita técnica ao        O curso foi de bom proveito
             O curso foi ministrado pelo       um dos confinamentos da            e servil de experiência para
           Zootecnista Aguinaldo Man-          região (frialto). Conheceram       todos participantes.
           nhezo,Técnico do sindicato          dês de recepção dos con-
           rural de Sinop.Os acadêmicos        centrados até os cochos dos
           tiveram aulas teóricas e tam-       animais e também onde é
           bém saíram á campo em               armazenada a silagem.Foi
           algumas propriedades da             visitado na mesma ocasião
Página 5




                                                Título do artigo interno




                                                Título do artigo interno
“Para chamar a atenção do leitor, insira uma
citação ou frase interessante do texto aqui.”

                                                Este artigo pode conter de    para clientes.                uma coluna de dicas, críti-
                                                100 a 150 palavras.           Se fizer uma distribuição     ca literária, uma carta do
                                                Os temas dos boletins         interna, poderá analisar      presidente ou um editori-
                                                informativos são bem          novos procedimentos ou        al. Você também poderá
                                                variados. Você pode incluir   melhorias no gerencia-        fornecer o perfil de um
                                                artigos sobre novos avan-     mento. Inclua totais de       funcionário ou de clientes
                                                ços e descobertas tecnoló-    vendas ou lucros para         importantes.
                                                gicas em sua área.            mostrar o crescimento da
                                                Se preferir, poderá fazer     empresa.
                                                observações sobre as          Alguns boletins informati-
                                                tendências comerciais ou      vos contêm uma coluna
                                                econômicas ou previsões       atualizada a cada edição:



                                                Título do artigo interno

                                                Este artigo pode conter de    O Microsoft Publisher pos-
                                                75 a 125 palavras.            sui milhares de imagens
                                                A escolha de imagens ou       de clip-art que você pode-
                                                elementos gráficos é uma      rá escolher e importar
                                                etapa importante na ela-      para o boletim informati-
                                                boração do boletim infor-     vo. Há também várias
                                                mativo.                       ferramentas para dese-
                                                                              nhar formas e símbolos.
                                                Pense no artigo e verifique
                                                se a imagem escolhida irá     Após escolher uma ima-
                                                retratar ou aperfeiçoar a     gem, coloque-a próxima
                                                mensagem que está ten-        ao artigo. Certifique-se de
                                                tando transmitir. Evite       inserir uma legenda abai-
                                                escolher imagens fora do      xo da imagem.
                                                contexto.
Página 6




                                                             Título do artigo interno




                                                             Título do artigo interno
   “Para chamar a atenção do leitor, insira uma citação ou
              frase interessante do texto aqui.”

                                                             Este artigo pode conter de     Se fizer uma distribuição         um funcionário ou de clien-
                                                             100 a 150 palavras.            interna, poderá analisar          tes importantes.
                                                             Os temas dos boletins infor-   novos procedimentos ou
                                                             mativos são bem variados.      melhorias no gerenciamento.
                                                             Você pode incluir artigos      Inclua totais de vendas ou
                                                             sobre novos avanços e des-     lucros para mostrar o cresci-
                                                             cobertas tecnológicas em       mento da empresa.
                                                             sua área.                      Alguns boletins informativos
                                                             Se preferir, poderá fazer      contêm uma coluna atualiza-
                                                             observações sobre as ten-      da a cada edição: uma colu-
                                                             dências comerciais ou eco-     na de dicas, crítica literária,
                                                             nômicas ou previsões para      uma carta do presidente ou
                                                             clientes.                      um editorial. Você também
                                                                                            poderá fornecer o perfil de

                                                             Título do artigo interno
Página 7
Página 8




                                                Título do artigo interno
“Para chamar a atenção do leitor, insira uma
citação ou frase interessante do texto aqui.”

                                                Este artigo pode conter de    para clientes.                     uma coluna de dicas, críti-
                                                100 a 150 palavras.           Se fizer uma distribuição          ca literária, uma carta do
                                                Os temas dos boletins         interna, poderá analisar           presidente ou um editori-
                                                informativos são bem          novos procedimentos ou             al. Você também poderá
                                                variados. Você pode incluir   melhorias no gerencia-             fornecer o perfil de um
                                                artigos sobre novos avan-     mento. Inclua totais de            funcionário ou de clientes
                                                ços e descobertas tecnoló-    vendas ou lucros para              importantes.
                                                gicas em sua área.            mostrar o crescimento da
                                                Se preferir, poderá fazer     empresa.
                                                observações sobre as          Alguns boletins informati-
                                                tendências comerciais ou      vos contêm uma coluna
                                                econômicas ou previsões       atualizada a cada edição:



                                                Título do artigo interno

                                                Este artigo pode conter de    O Microsoft Publisher pos-
                                                75 a 125 palavras.            sui milhares de imagens
                                                A escolha de imagens ou       de clip-art que você pode-
                                                elementos gráficos é uma      rá escolher e importar
                                                etapa importante na ela-      para o boletim informati-
                                                boração do boletim infor-     vo. Há também várias
                                                mativo.                       ferramentas para dese-
                                                                              nhar formas e símbolos.Legenda da
                                                Pense no artigo e verifique
                                                                              Após escolher uma ima- imagem ou do
                                                se a imagem escolhida irá
                                                                              gem, coloque-a próxima elemento grá-
                                                retratar ou aperfeiçoar a                            fico.
                                                mensagem que está ten-        ao artigo. Certifique-se de
                                                tando transmitir. Evite       inserir uma legenda abai-
                                                escolher imagens fora do      xo da imagem.
                                                contexto.
Página 9
 O
     O
         O
             O                                          Raças

                                                 RAÇA LIMOUSIN
                 Origem: é nativa da pro-        século XIX.
                 víncia de Lemosin, ou           A pelagem é de colora-            Principais característi-
                 Limousin, no sudoeste           ção amarelo-claro, com            cas: são animais efici-
                 da França. É derivada           áreas mais claras em              entes, de crescimento
                 de um progressivo me-           torno dos olhos e do              rápido, grande massa
                 lhoramento da antiga            focinho, ventre, períneo          muscular, com alto po-
                 raça Garoneza, que              e extremidades dos                der fecundante e de
                 ocupava também as               membros. O corpo é                rendimento de carcaça.
                 regiões de Garona, Tar,         ligeiramente maior que            As fêmeas pesam entre
                 Lot e Gironda, no sécu-         o dos demais bovinos              550-750 kg; os touros
                 lo XVII. Eram utilizados        franceses, pois foi sele-         entre 950 e 1.200 kg.
                 para tração animal, até         cionado para dupla ap-            No Brasil, o recorde é
                 que passaram a ser              tidão (carne e traba-             de "Ecu" com 1.517 kg,
                 melhorados no final do          lho).                             aos 48 meses.
                                                                                   A raça Limousin é mui-
                                                                                   to utilizada para o me-
                                                                                   lhoramento de demais
                                                                                   raças francesas. A faci-
                                                                                   lidade de parto é outra
                                                                                   característica marcante
                                                                                   da raça.


                                                                                     Mais informações :

                                                                                    www.limousin.com.br




                                                  RAÇA GUZERÁ
                 Origem: Foi a primeira raça     zais fluminenses. Surgia como     entre outras). Também é
                 zebuína a chegar ao Brasil. A   solução para arrastar os pesa-    muito criada no Rio de
                 raça foi trazida da Índia, na   dos carroções e até vagões        Janeiro - onde constituiu
                 década de 1870, pelo Barão      para transporte de café, nas      o primeiro núcleo de Zebu
                 de Duas Barras, logo domi-      íngremes montanhas, e tam-        no país, em Minas Gerais,
                 nando a pecuária nos cafe-      bém para produzir leite e car-    São Paulo e Goiás, e vem
                                                 ne. Com a abolição da escravi-    se expandindo para todas
                                                 dão, em 1888, os cafezais         as regiões       do   pa-
                                                 fluminenses entraram em de-       ís.Principais caracte-
                                                 cadência, levando os fazen-
                                                                                   rísticas:     O Guzerá é
                                                 deiros a buscar maior proveito
                                                                                   de dupla aptidão, com
                                                 do gado, por meio da seleção
                                                                                   algumas linhagens defini-
                                                 das características produtivas.
                                                                                   das para leite e a maioria
                                                 No Brasil, o Guzerá está espa-
                                                                                   do gado selecionado para
                                                 lhado por várias regiões, mas
                                                                                   carne. Mesmo as linhagens
                                                 é notória sua presença na re-
                                                                                   de leite são de grande
                                                 gião nordestina, onde foi a
                                                                                   porte. Na idade adulta, as
                                                 única raça que sobreviveu,
                                                                                   fêmeas pesam entre 450-
                                                 produtivamente, durante os
                                                                                   650 kg. Os touros pesam
                                                 cinco anos consecutivos de
                                                                                   entre 750-950kg.
                                                 seca (1978-1983), além de ter
                                                 enfrentado também outras          Mais informações :
                                                 secas históricas (1945, 1952,     www.guzera.org.br
Página 10
 O
     O
         O

                                                Raças

                                          TOGGENBURG
                É uma raça ca-            presença ou não          Rústica, boa repro-
             prina especializa-           de barba, chifres        dutora,    costuma
             da na produção               e brincos. No            ter gêmeos, exce-
             de leite e originá-          Brasil,  existem         lente leiteira pro-
             ria da Suíça, com            linhagens ingle-         duzindo em média
             animais um pou-              sas e, mais re-          2,5 Kg de leite por
             co menores que               centemente,cana          dia.
             os da raça alpina            denses, com pro-
             e saanem e relati-           duções leiteiras
             vamente menos                bastante expres-         Os animais suíços
             produtivos, com              sivas.
                                                                   possuem      pêlos
                                                                   longos e os ingle-
                                                                   ses e os canaden-
                                                                   ses, pêlos curtos,
                                                                   sendo estes últi-
                                                                   mos mais aprecia-
                                                                   dos pelos criado-
                                                                   res brasileiros e
                                                                   certamente    mais
                                                                   adequados ao nos-
                                                                   so clima.




                                          CORRIEDALE
             O Corriedale foi desen-      grande e uma boa quali-      crescimento, o Corrie-
             volvido na Nova Zelân-       dade de carcaça. Embora      dale puro tem apre-
             dia e na Austrália, atra-    seja uma raça muito utili-   sentado uma boa per-
             vés do cruzamento de         zada em cruzamentos          formance. A dupla
             carneiros Lincoln ou         com raças produtoras de      aptidão é que torna o
             Leicester com fêmeas         carne, para produzir cor-    Corriedale uma raça
             Merino A raça é larga-       deiros com altas taxas de    popular.
             mente distribuída nos
             diferentes países do
             mundo. Na América do
             Sul, a raça Corriedale é a
             mais numerosa e se ex-
             pande por toda a Ásia,
             América do Norte e Áfri-
             ca do Sul. Depois da ra-
             ça Merino, é a Corriedale
             que apresenta maior po-
             pularidade no mundo.
             O Corriedale é um ovino
             de duplo propósito (lã e
             carne). Tem um porte
Página 11
 O
     O
         O
             O                                Raças

                                            WESSEX
                                        cas, a prolificidade,      membros anterio-
                 Foi uma raça pre-      rusticidade e habi-        res.
                 ferida pelas gran-     lidade materna. Em
                 jas que utilizavam     1998 não emitiu ne-        Resultados       de
                 o sistema de pro-      nhum registro ge-          Teste de Granja
                 dução extensivo        nealógico e a ten-         (TG) no Estado de
                 ou criação ao ar       dência é de que se-        SP. Os animais
                 livre. Como este       ja extinta ou subs-        são testados do
                 sistema é pouco        tituída por outra          nascimento      aos
                 utilizado no Brasil,   raça mais moder-           154 dias de idade.
                 os registros vem       na. Origem na In-          Fêmea - Ganho de
                 diminuindo. Apre-      glaterra, com pela-        Peso Diário (g) de
                 senta como princi-     gem preta e faixas         424 sendo só um
                 pais característi-     brancas no dorso e         animal testado.




                                  EQUS ASININUS - PÊGA
                 A criação do Jumen-     ras,prestando-se tan- to, macio, por ve-
                 to Pêga, parece e-      to para sela como zes ondulado.
                 xistir há dois sécu-    para tração.
                 los. Supõe-se que       CARACTERÍSTICAS
                 descendam de ju-
                 mentos de origem         Estatura média de
                 portuguesa e egíp-      135 cms, com peso
                 cia. Graças a sua       médio de 350 Kgs e
                 criação secular , em    pelagem de preferên-
                 quase isolamento ,      cia e mais comum a
                 esta raça é muito       “pelo de rato”. É fre-
                 uniforme no tipo e      quente a ruã ou rosa-
                 produção . O Pêga       da, são raras a tordi-
                 produz muares for-      lha, sendo indesejá-
                 tes, vivos, sadios,     veis a ruça e a bran-
                 altos, de cores cla-    ca. O pelo é fino, cur-
Página 12




                               13 de maio 2010
 Realizou-se no dia 13 de maio de 2010 no centro de eventos Tatersal da Associação de Criadores

do Norte do Mato Grosso – ACRINORTE, em Sinop-MT, o evento denominado DESENVOLVIMENTO

SUSTENTÁVEL E A FORMAÇÃO DO ZOOTECNISTA EM MATO GROSSO, com objetivo de comemoração

ao dia Nacional do Zootecnista, bem como divulgação e consolidação do curso de Zootecnia da

UFMT/SINOP.

                                                                 O evento inicio-se por volta das

                                                                 20:00 horas, sendo o cerimonial

                                                                 realizado pelo vereador da câmara

                                                                 municipal de Sinop Hedvaldo Costa,

                                                                 que por ocasião convocou a forma-

                                                                 ção da mesa de abertura do evento

                                                                 composta pelos membros:

                                                                1-Sr. Marco Antonio Araújo Pinto -
                                                                Pro reitor do Campus Universitário
                                                                de Sinop/UFMT/SINOP,2-Sr. Frederi-
                                                                co Terra de Almeida - diretor do Insti-
                                                                tuto de Ciências Agrárias e Ambien-
                                                                tais da UFMT – Sinop,3-Sr. Eduardo
                                                                Henrique Bevitori Kling de Moraes -
Coordenador do curso de Zootecnia,4-Sra. Célia Regina Orlandelli Carrer da Universidade de São
Paulo e membro da Associação Brasileira de Zootecnia,
5-Sr. Paulo Borges, representado o Sr. Fernando Porcel, da Associação de Criadores do Norte de
Mato Grosso,
6-Sr. Paulo de Tarso dos Santos Martins, Coordenador da cadeia produtiva de Ovinocaprinocultura
do MT Regional, 7-Sr. Ricardo José de Almeida, presidente do Centro Acadêmico do Curso de Zoo-
tecnia e 8-Sr. Cláudio Vieira de Araújo, professor do curso de Zootecnia e presidente da comissão
organizadora do evento.
Após formação da mesa de abertura do evento, o prof. Marco Antônio realizou a cerimônia de aber-
tura, substituindo a Governador Sinval Barbosa .
  Posteriormente à intervenção do Pró-Reitor, o coordenador do Curso de Zootecnia, Professor Edu-
ardo Henrique Bevitori Kling de Moraes , proferiu a palestra “ A zootecnia no estado do Mato Gros-
so” a qual fez referências a dados da produção animal no estado, bem como a demanda do profis-
sional de zootecnia no mesmo .
Em seguida deu-se início a palestra magna do evento. Proferida pela Dra. Profa. Célia Regina, da
USP-Pirassununga, com tema “Desenvolvimento Sustentável e os Desafios na Atuação do Zootec-
nista” (Figura 4).
   Além de descrever, com brilhantismo, as áreas de atuação e competência da formação do profis-
sional de zootecnia, enfatizando essa forma-
ção cm relação ao meio ambiente, desenvolvi-
mento local e sustentabilidade de sistemas
produtivos, A profa. Célia fez uma rápida des-
crição dos projetos de lei e suas tramitações
na Câmara do Senado, que visa criação do
Conselho Federal de Zootecnia e do projeto de
lei 2824/2008.

Após o enceramento das palestras houve en-
trega de placa comemorativa do dia do Zootec-
nia para A profa. Célia Regina pelo acadêmico
e presidente do Centro Acadêmico de Zootec-
nia, Ricardo José sendo o mesmo gesto repeti-
do em homenagem ao Pró-Reitor Marco Antô-
nio, pelo então presidente da comissão organi-
zadora, prof. Cláudio Vieira .
Página 13
Página 14
Página 15




                      Centenas de ratos gigantes invadem casa
                                                                             dores do tamanho de
                                                                             um gato de cinco me-
                                                                             ses.

                                                                             Debbie Martin, de 55
                                                                             anos, foi multada pe-
                                                                             la prefeitura por acu-
                                                                             mular lixo na residên-
                                                                             cia, transformando o
                                                                             local em ambiente
                                                                             propício para os ani-
                                                                             mais.

            Uma casa na cidade             Segundo o "Las Cru-               Dentro da casa, que
            de Las Cruzes, no es-          zes Sin News", o                  foi abandonada pela
            tado do Novo México            Centro de Controle                mulher, foram encon-
            (EUA), virou abrigo de         Animal do Novo Mé-                trados ainda esquele-
            centenas de ratos              xico   contabilizou               tos de dois cachorros.
            gigantes.                      cerca de 240 roe-


                Americanoémultadopormantersuíno comoanimaldeestimação
            Este artigo pode conter de     Se fizer uma distribuição          um funcionário ou de clien-
            100 a 150 palavras.            interna, poderá analisar           tes importantes.
            Os temas dos boletins infor-   novos procedimentos ou
            mativos são bem variados.      melhorias no gerenciamento.
            Você pode incluir artigos      Inclua totais de vendas ou
            sobre novos avanços e des-     lucros para mostrar o cresci-
            cobertas tecnológicas em       mento da empresa.
            sua área.                      Alguns boletins informativos
            Se preferir, poderá fazer      contêm uma coluna atualiza-
            observações sobre as ten-      da a cada edição: uma colu-
            dências comerciais ou eco-     na de dicas, crítica literária,
            nômicas ou previsões para      uma carta do presidente ou
            clientes.                      um editorial. Você também
                                           poderá fornecer o perfil de

            Título do artigo interno



            O norte-americano Wilferd      ta e a audiência está mar-
            Kallhoff, de 78 anos, foi      cada para o dia 29 de
            multado em Mountain            junho. De acordo com a
            Home, no estado do Ar-         legislação local, é proibi-
            kansas (EUA), por manter       do manter porcos, cabras
            um porco como animal de        e ovelhas nos limites da
            estimação dentro dos           cidade. A lei prevê uma
            limites da cidade. O suíno     multa entre US$ 10 e US$
            chamado "Joker" vive com       500 por dia para os infra-
            Kallhoff há 18 anos.           tores.
            Ele recorreu contra a mul-
Página 16




            Peixeremo de3,65 m éencontrado na Suéciaapós130 anos
            Um peixe remo, também          águas profundas e rara-     de 130 anos, desde
            conhecido como regaleco,       mente vem à superfície.     1879, que um peixe remo
            de 3,65 metros foi encon-      Segundo o especialista      é achado em águas sue-
            trado em Lysekil, na Sué-      Roger Jansson, essa é       cas. A espécie pode atin-
            cia. Essa espécie vive em      primeira vez em mais        gir 11 metros.




                      Cãolutacomcoioteparaprotegerosdonoselevaprêmio




            Título do artigo interno




            O O fox terrier "Ronnie" foi   Segundo a Sociedade          No momento do inciden-
            escolhido o cão herói de       para a Prevenção da Cru-     te, o casal estava no quin-
            2009 por uma organiza-         eldade contra os Animais     tal, e "Ronnie" se colocou
            ção de proteção de ani-        de Los Angeles, o cachor-    na frente de seus donos e
            mais de Los Angeles, nos       ro enfrentou o coiote no     conseguiu expulsar o coi-
            EUA, porque lutou com          dia 1º de agosto do ano      ote. A reação do cão sur-
            um coiote para proteger        passado, quando o ani-       preendeu os donos. Se-
            seus proprietários, segun-     mal selvagem invadiu o       gundo Janis, "Ronnie"
            do reportagem da emisso-       quintal da casa de Eric e    sempre foi muito tímido.
            ra de TV "KTLA".               Janis Christensen.
Página 17




                         Acervo zootécnico acessem!!!

Este artigo pode conter de      do a World Wide Web. Você
150 a 200 palavras.             poderá escrever sobre uma
Uma das vantagens de usar       variedade de assuntos ou
o boletim informativo como      optar por artigos resumidos.
ferramenta promocional é a      Grande parte do conteúdo
possibilidade de aproveitar     do boletim informativo pode
outros materiais de marke-      ser aproveitada para seu site
ting, como informações à        da Web. O Microsoft Publi-
imprensa, estudos de merca-     sher oferece uma maneira
do e relatórios.                simples de converter seu
O segredo de um trabalho        boletim informativo em uma
bem-sucedido é apresentar       publicação da Web. Quando
um conteúdo útil ao leitor.     terminar de escrever o bole-
                                tim informativo, converta-o
Uma forma de apresentar         para um site da Web e publi-
um conteúdo eficiente é
                                que-o.
desenvolver e escrever seus
próprios artigos ou incluir a
programação de eventos
futuros ou uma oferta espe-
cial promovendo um novo
produto.
Pesquise outros artigos ou
                                Legenda da imagem ou do elemento
inclua artigos
                                gráfico.
”complementares“ acessan-


Título do artigo interno

Este artigo pode conter de      Se fizer uma distribuição         um funcionário ou de clien-
100 a 150 palavras.             interna, poderá analisar          tes importantes.
Os temas dos boletins infor-    novos procedimentos ou
mativos são bem variados.       melhorias no gerenciamento.
Você pode incluir artigos       Inclua totais de vendas ou
sobre novos avanços e des-      lucros para mostrar o cresci-
cobertas tecnológicas em        mento da empresa.
sua área.                       Alguns boletins informativos
Se preferir, poderá fazer       contêm uma coluna atualiza-
observações sobre as ten-       da a cada edição: uma colu-
dências comerciais ou eco-      na de dicas, crítica literária,
nômicas ou previsões para       uma carta do presidente ou
clientes.                       um editorial. Você também
                                poderá fornecer o perfil de

Título do artigo interno




         http://acervozoo.blogspot.com/
Contato:cazootecnia@ufmt.br




    Responsável: Thiago Santana Cotrim
        Secretário De Comunicação
              CAZOO SINOP

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Powerpoint 6 ExploraçãO Das Potencialidades Da Biosfera Ii (Animais)
Powerpoint 6   ExploraçãO Das Potencialidades Da Biosfera Ii (Animais)Powerpoint 6   ExploraçãO Das Potencialidades Da Biosfera Ii (Animais)
Powerpoint 6 ExploraçãO Das Potencialidades Da Biosfera Ii (Animais)
Nuno Correia
 
Aula rec.gen.melhoramento de plantas1
Aula rec.gen.melhoramento de plantas1Aula rec.gen.melhoramento de plantas1
Aula rec.gen.melhoramento de plantas1
Renato Ferraz de Arruda Veiga
 
Transgênicos
Transgênicos   Transgênicos
Transgênicos
Rodolfo Sellani
 
Qual Seria A Fonte De Fungos Miceliais
Qual Seria A Fonte De Fungos MiceliaisQual Seria A Fonte De Fungos Miceliais
Qual Seria A Fonte De Fungos Miceliais
Biblioteca Virtual
 
Cartilha transgenicos
Cartilha transgenicosCartilha transgenicos
Cartilha transgenicos
fabio silva
 
Apresentação sobre Transgênicos (UFBA)
Apresentação sobre Transgênicos (UFBA)Apresentação sobre Transgênicos (UFBA)
Apresentação sobre Transgênicos (UFBA)
Cassio Leal
 
Aleitamento materno
Aleitamento maternoAleitamento materno
Aleitamento materno
tatinurse
 
Transgênicos ppt
Transgênicos pptTransgênicos ppt
Transgênicos ppt
danielcpacheco2
 
Ética e Alimentos Transgenicos
Ética e Alimentos TransgenicosÉtica e Alimentos Transgenicos
Ética e Alimentos Transgenicos
Kelton Silva Sena
 
Transgenicos
TransgenicosTransgenicos
Ficha informativa-engenharia-genetica não usei
Ficha informativa-engenharia-genetica não useiFicha informativa-engenharia-genetica não usei
Ficha informativa-engenharia-genetica não usei
Alda Lima
 
Aula Manejo de Recursos Fitogenéticos - PARTE 1
Aula Manejo de Recursos Fitogenéticos - PARTE 1Aula Manejo de Recursos Fitogenéticos - PARTE 1
Aula Manejo de Recursos Fitogenéticos - PARTE 1
Renato Ferraz de Arruda Veiga
 
Biotecnologia no melhoramento animal
Biotecnologia no melhoramento animalBiotecnologia no melhoramento animal
Biotecnologia no melhoramento animal
marcus92
 
Células troncos e trangênicas
Células troncos e trangênicasCélulas troncos e trangênicas
Células troncos e trangênicas
Franzinha Silva
 
Artigo abmba v7_n1_2019_01
Artigo abmba v7_n1_2019_01Artigo abmba v7_n1_2019_01
Artigo abmba v7_n1_2019_01
Flávio Henrique Ferreira Barbosa
 
Biofertilizante
BiofertilizanteBiofertilizante
Biofertilizante
Alexandre Panerai
 
Trabalho TransgêNicos
Trabalho TransgêNicosTrabalho TransgêNicos
Trabalho TransgêNicos
silasco
 
O futuro da biotecnologia na indústria farmacêutica - Merck Serono
O futuro da biotecnologia na indústria farmacêutica - Merck SeronoO futuro da biotecnologia na indústria farmacêutica - Merck Serono
O futuro da biotecnologia na indústria farmacêutica - Merck Serono
Empreender Saúde
 
Alimentos transgenicos
Alimentos transgenicosAlimentos transgenicos
Alimentos transgenicos
lucero yovera
 
Organismos transgênicos
Organismos transgênicosOrganismos transgênicos
Organismos transgênicos
maproejab
 

Mais procurados (20)

Powerpoint 6 ExploraçãO Das Potencialidades Da Biosfera Ii (Animais)
Powerpoint 6   ExploraçãO Das Potencialidades Da Biosfera Ii (Animais)Powerpoint 6   ExploraçãO Das Potencialidades Da Biosfera Ii (Animais)
Powerpoint 6 ExploraçãO Das Potencialidades Da Biosfera Ii (Animais)
 
Aula rec.gen.melhoramento de plantas1
Aula rec.gen.melhoramento de plantas1Aula rec.gen.melhoramento de plantas1
Aula rec.gen.melhoramento de plantas1
 
Transgênicos
Transgênicos   Transgênicos
Transgênicos
 
Qual Seria A Fonte De Fungos Miceliais
Qual Seria A Fonte De Fungos MiceliaisQual Seria A Fonte De Fungos Miceliais
Qual Seria A Fonte De Fungos Miceliais
 
Cartilha transgenicos
Cartilha transgenicosCartilha transgenicos
Cartilha transgenicos
 
Apresentação sobre Transgênicos (UFBA)
Apresentação sobre Transgênicos (UFBA)Apresentação sobre Transgênicos (UFBA)
Apresentação sobre Transgênicos (UFBA)
 
Aleitamento materno
Aleitamento maternoAleitamento materno
Aleitamento materno
 
Transgênicos ppt
Transgênicos pptTransgênicos ppt
Transgênicos ppt
 
Ética e Alimentos Transgenicos
Ética e Alimentos TransgenicosÉtica e Alimentos Transgenicos
Ética e Alimentos Transgenicos
 
Transgenicos
TransgenicosTransgenicos
Transgenicos
 
Ficha informativa-engenharia-genetica não usei
Ficha informativa-engenharia-genetica não useiFicha informativa-engenharia-genetica não usei
Ficha informativa-engenharia-genetica não usei
 
Aula Manejo de Recursos Fitogenéticos - PARTE 1
Aula Manejo de Recursos Fitogenéticos - PARTE 1Aula Manejo de Recursos Fitogenéticos - PARTE 1
Aula Manejo de Recursos Fitogenéticos - PARTE 1
 
Biotecnologia no melhoramento animal
Biotecnologia no melhoramento animalBiotecnologia no melhoramento animal
Biotecnologia no melhoramento animal
 
Células troncos e trangênicas
Células troncos e trangênicasCélulas troncos e trangênicas
Células troncos e trangênicas
 
Artigo abmba v7_n1_2019_01
Artigo abmba v7_n1_2019_01Artigo abmba v7_n1_2019_01
Artigo abmba v7_n1_2019_01
 
Biofertilizante
BiofertilizanteBiofertilizante
Biofertilizante
 
Trabalho TransgêNicos
Trabalho TransgêNicosTrabalho TransgêNicos
Trabalho TransgêNicos
 
O futuro da biotecnologia na indústria farmacêutica - Merck Serono
O futuro da biotecnologia na indústria farmacêutica - Merck SeronoO futuro da biotecnologia na indústria farmacêutica - Merck Serono
O futuro da biotecnologia na indústria farmacêutica - Merck Serono
 
Alimentos transgenicos
Alimentos transgenicosAlimentos transgenicos
Alimentos transgenicos
 
Organismos transgênicos
Organismos transgênicosOrganismos transgênicos
Organismos transgênicos
 

Semelhante a Zoornal5

AULA Introdução Zootecnia Bruno
AULA Introdução Zootecnia Bruno AULA Introdução Zootecnia Bruno
AULA Introdução Zootecnia Bruno
JulioGarcia972475
 
Artigo abmba v6_n2_2018_01
Artigo abmba v6_n2_2018_01Artigo abmba v6_n2_2018_01
Artigo abmba v6_n2_2018_01
Flávio Henrique Ferreira Barbosa
 
Antimicrobianos dbo março
Antimicrobianos dbo marçoAntimicrobianos dbo março
Antimicrobianos dbo março
Renato Villela
 
Artigo abmba v8_n1_2020_01
Artigo abmba v8_n1_2020_01Artigo abmba v8_n1_2020_01
Artigo abmba v8_n1_2020_01
Flávio Henrique Ferreira Barbosa
 
Doc145 vacasleiteiras 1 (1)
Doc145 vacasleiteiras 1 (1)Doc145 vacasleiteiras 1 (1)
Doc145 vacasleiteiras 1 (1)
Tecsui Nutricao Animal
 
Artigo abmba v2_n1_2014_01
Artigo abmba v2_n1_2014_01Artigo abmba v2_n1_2014_01
Artigo abmba v2_n1_2014_01
Flávio Henrique Ferreira Barbosa
 
Zootecnistas
ZootecnistasZootecnistas
Zootecnistas
BeefPoint
 
Artigo abmba v3_n1_2015_01
Artigo abmba v3_n1_2015_01Artigo abmba v3_n1_2015_01
Artigo abmba v3_n1_2015_01
Flávio Henrique Ferreira Barbosa
 
Artigo abmba v7_n2_2019_01
Artigo abmba v7_n2_2019_01Artigo abmba v7_n2_2019_01
Artigo abmba v7_n2_2019_01
Flávio Henrique Ferreira Barbosa
 
Desempenho e aspectos sanitários de bezerras leiteiras que receberam dieta co...
Desempenho e aspectos sanitários de bezerras leiteiras que receberam dieta co...Desempenho e aspectos sanitários de bezerras leiteiras que receberam dieta co...
Desempenho e aspectos sanitários de bezerras leiteiras que receberam dieta co...
Rural Pecuária
 
Gestão da qualidade e segurança alimentar
Gestão da qualidade e segurança alimentar Gestão da qualidade e segurança alimentar
Gestão da qualidade e segurança alimentar
José Luís Franco
 
Projeto minha profissão zootecnia
Projeto minha profissão   zootecniaProjeto minha profissão   zootecnia
Projeto minha profissão zootecnia
Ste Escola Bernardino
 
Projeto minha profissão zootecnia
Projeto minha profissão   zootecniaProjeto minha profissão   zootecnia
Projeto minha profissão zootecnia
Ste Escola Bernardino
 
NUTRIÇÃO ANIMAL INTRODUÇÃO
NUTRIÇÃO ANIMAL INTRODUÇÃONUTRIÇÃO ANIMAL INTRODUÇÃO
NUTRIÇÃO ANIMAL INTRODUÇÃO
HenriqueKanada
 
Jornapis 3
Jornapis 3Jornapis 3
Jornapis 3
Talicia000
 
Relatorio de estagio supervisionado 1 - controle biologio
Relatorio de estagio supervisionado 1 - controle biologioRelatorio de estagio supervisionado 1 - controle biologio
Relatorio de estagio supervisionado 1 - controle biologio
luancamargodesouza
 
Controle biológico com joaninhas: uma tecnologia de sucesso
Controle biológico com joaninhas: uma tecnologia de sucessoControle biológico com joaninhas: uma tecnologia de sucesso
Controle biológico com joaninhas: uma tecnologia de sucesso
Rural Pecuária
 
Criacao organica de_aves
Criacao organica de_avesCriacao organica de_aves
Criacao organica de_aves
Joyce Muzy
 
Artigo abmba v2_n2_2014_01
Artigo abmba v2_n2_2014_01Artigo abmba v2_n2_2014_01
Artigo abmba v2_n2_2014_01
Flávio Henrique Ferreira Barbosa
 
Bem estar
Bem estarBem estar
Bem estar
Alice Andrioli
 

Semelhante a Zoornal5 (20)

AULA Introdução Zootecnia Bruno
AULA Introdução Zootecnia Bruno AULA Introdução Zootecnia Bruno
AULA Introdução Zootecnia Bruno
 
Artigo abmba v6_n2_2018_01
Artigo abmba v6_n2_2018_01Artigo abmba v6_n2_2018_01
Artigo abmba v6_n2_2018_01
 
Antimicrobianos dbo março
Antimicrobianos dbo marçoAntimicrobianos dbo março
Antimicrobianos dbo março
 
Artigo abmba v8_n1_2020_01
Artigo abmba v8_n1_2020_01Artigo abmba v8_n1_2020_01
Artigo abmba v8_n1_2020_01
 
Doc145 vacasleiteiras 1 (1)
Doc145 vacasleiteiras 1 (1)Doc145 vacasleiteiras 1 (1)
Doc145 vacasleiteiras 1 (1)
 
Artigo abmba v2_n1_2014_01
Artigo abmba v2_n1_2014_01Artigo abmba v2_n1_2014_01
Artigo abmba v2_n1_2014_01
 
Zootecnistas
ZootecnistasZootecnistas
Zootecnistas
 
Artigo abmba v3_n1_2015_01
Artigo abmba v3_n1_2015_01Artigo abmba v3_n1_2015_01
Artigo abmba v3_n1_2015_01
 
Artigo abmba v7_n2_2019_01
Artigo abmba v7_n2_2019_01Artigo abmba v7_n2_2019_01
Artigo abmba v7_n2_2019_01
 
Desempenho e aspectos sanitários de bezerras leiteiras que receberam dieta co...
Desempenho e aspectos sanitários de bezerras leiteiras que receberam dieta co...Desempenho e aspectos sanitários de bezerras leiteiras que receberam dieta co...
Desempenho e aspectos sanitários de bezerras leiteiras que receberam dieta co...
 
Gestão da qualidade e segurança alimentar
Gestão da qualidade e segurança alimentar Gestão da qualidade e segurança alimentar
Gestão da qualidade e segurança alimentar
 
Projeto minha profissão zootecnia
Projeto minha profissão   zootecniaProjeto minha profissão   zootecnia
Projeto minha profissão zootecnia
 
Projeto minha profissão zootecnia
Projeto minha profissão   zootecniaProjeto minha profissão   zootecnia
Projeto minha profissão zootecnia
 
NUTRIÇÃO ANIMAL INTRODUÇÃO
NUTRIÇÃO ANIMAL INTRODUÇÃONUTRIÇÃO ANIMAL INTRODUÇÃO
NUTRIÇÃO ANIMAL INTRODUÇÃO
 
Jornapis 3
Jornapis 3Jornapis 3
Jornapis 3
 
Relatorio de estagio supervisionado 1 - controle biologio
Relatorio de estagio supervisionado 1 - controle biologioRelatorio de estagio supervisionado 1 - controle biologio
Relatorio de estagio supervisionado 1 - controle biologio
 
Controle biológico com joaninhas: uma tecnologia de sucesso
Controle biológico com joaninhas: uma tecnologia de sucessoControle biológico com joaninhas: uma tecnologia de sucesso
Controle biológico com joaninhas: uma tecnologia de sucesso
 
Criacao organica de_aves
Criacao organica de_avesCriacao organica de_aves
Criacao organica de_aves
 
Artigo abmba v2_n2_2014_01
Artigo abmba v2_n2_2014_01Artigo abmba v2_n2_2014_01
Artigo abmba v2_n2_2014_01
 
Bem estar
Bem estarBem estar
Bem estar
 

Zoornal5

  • 1. J o r n a l U ni v e r s i t á r i o — Z o o t e c ni a S i n o p ANO 1 EDIÇÃO 5 20/06/2010 O mito da carne de frango com hormônios Nesta edição: Quem nunca ouviu al- pesquisa, se chegasse ao por vários países por va- guém dizer que tem medo balanceamento de nutri- rias questões sanitárias de comer carne de frango entes e energia nas dietas .Hoje se preconiza a utiliza- 1a 2 Reunião Téc- de granja por que andam e em um ambiente ade- ção dos pré e pró bióticos. nica de Suino- dizendo que esses ani- quado para a criação das Prebióticos são definidos mais recebem hormônios aves, com controles de como ingredientes nutricio- na sua dieta. Muitos di- temperatura, umidade do nais não digeríveis que afe- ENIPEC 3 zem: “não há a mínima ar e ventilação das insta- tam beneficamente hospe- dúvida que aquelas aves lações. O monitoramento deiro, estimulando seletiva- crescem rápido por cau- de doenças e o manejo mente o crescimento ativida- curso do SENAR 4 sa do uso de hormônios apropriado também mere- de de uma ou mais bacté- na alimentação deles. cem destaque no cenário rias benéficas intestinal me- Imagina. Não tem outra atual da avicultura.Outro lhorando a saúde do seu explicação.” fator relevante para acele- hospedeiro (Gibson & Ro 8 Raças rar o crescimento e engor- berfroid, 1995; Miltenburg, Tem sim: manejo, sele- da dos frangos foi o me- 2000). ção genética e nutrição. lhoramento genético a 12 Resumindo Zootecnia. partir da seleção de aves E os Próbioticos controlam o 13 de maio por ganho de peso e de- poder das bactérias patogê- 2010 sempenho. nicas no trato digestório, O uso de hormônio em frangos ainda é crença de bem como suas atividades grande parte dos consumi- As aves conseguem maléficas, eles funcionam dores. No sistema produ- expressar todo seu poten- como modulador, formando “Desde o início da tivo, essas aves vivem cial genético, porque elas uma flora intestinal equilibra- cerca de 45 dias, entre não sentem frio, não sen- da e sadia, paralelo o probi- avicultura de corte, sair do ovo e atingir o pe- tem calor, tem ração à ótico auxilia a conversão a eficiência na pro- so ideal para o abate, e o vontade o dia todo e a alimentar, fazendo com que pouco tempo dessa traje- água é fresca também o as aves absorvam mais os dução de frango é tória reforça a idéia de dia todo.O tempo de vida nutrientes e proteínas, fa- questionada, inclu- aplicação de substâncias do animal até o abate invi- zendo com que os filhotes sive, por médicos e anabolizantes ou com a- abiliza qualquer tentativa dessa maneira, cresçam e ção hormonal na avicultu- de utilização de hormô- ganhem peso, e com que as nutricionistas, mas ra. Especialistas, no en- nios nesta espécie, assim aves doentes ou senis recu- o rápido crescimen- tanto, derrubam o mito. como o tempo suficiente perem-se mas rapidamente, to de frangos não é "Essa história surgiu por para a sua atuação no evitando dessa forma se- volta das décadas de 30 e organismo”, cundarismo com mortes ba- milagre" 40, quando foram constru- nais. ídas as atuais estruturas Na realidade o que são de aviários, com mais de utilizados aditivos não Na universidade tem livros 15 mil aves que crescem nutrientes que são os pro- de nutrição de não Rumini- cada vez mais e em me- motores de crescimen- tanes (Monogástricos) com nos tempo. E foi justamen- to.Inicialmente era utili- esse tema quem tiver inte- te o avanço técnico do zado antibióticos mas resse um dos livros é do segmento que contribuiu esse método vem sendo autor: Antônio Gilberto Berte- para que, em anos de banido gradativa mente chini.
  • 2. Página 2 Ia Reunião Técnica de Suinocultura No dia 24 de Abril de 2010 realizou-se a Ia Reunião Técnica de Suino- cultura com o intuito de uma maior interação entre os acadêmicos da UFM- T/Campus-Sinop, Produtores Rurais e Técnicos do Setor, sobre algumas temáticas de relevância na suinocultura. Esta Reunião Técnica foi organizada pelo Prof. da área de Produção e Nutrição de Suínos Anderson Corassa, Rodrigo R. Ferrari e Keli Ballerini ambos alunos de Zootecnia e Bolsista de extensão e pesquisa. As temáticas discutidas foram às seguintes: *Limpeza, Desinfecção e Vazio Sanitário das instalações: o óbvio fa- zendo a diferença, esta foi ministrada pelos acadêmicos de Zootecnia Keli Ballerini e Rodrigo R. Ferrari; *Vacinas Comercias ministrada pelo acadêmico de Medicina Veterinária Rayf Tirloni; *Técnica de diagnóstico de gestação em fêmeas suínas ministrada pela acadêmica de Medicina Veterinária Stella Leon de Andrade; *Calendário de eventos da suinocultura brasileira, ministrada pelas acadêmicas de Zootecnia Geisilaine A. Ferreira e Magaly S. Muniz; *Suinocultura nos Estados Unidos um relato de caso, ministrada pela acadêmica de Medicina Veterinária Kassia Ducati. Atualmente como o setor Suinícola se apresenta em franca expansão nesta região, muitos acadêmicos estão buscando conhecimentos nesta área. Desta forma a Ia Reunião Técnica veio para fazer uma interação ente Universidade e produtores rurais, visando manter acadêmicos e produtores atualizados as temáticas de relevância na suinocultura mato-grossense. A organização agradece a participação de todos. Escrito por : Keli Ballerini aluna do 8º semestre de zootecnia Este artigo pode conter de 75 a 125 palavras. A escolha de imagens ou elementos gráficos é uma etapa importante na elabora- ção do boletim informativo. Pense no artigo e verifique se a imagem escolhida irá retratar ou aperfeiçoar a mensagem que está tentan- do transmitir. Evite escolher imagens fora do contexto. da imagem Legenda ou do elemento gráfi- O Microsoft Publisher possui co. milhares de imagens de clip-
  • 3. Página 3 ENIPEC- Um dos maiores eventos ligados a agropecuária é realizado em Mato Grosso Entre os dias 3 e 5 de maio deste ano, rique Amorim, jornalista e apresentador do realizou-se no Centro de Eventos do Panta- programa Domingo Espetacular (Record); nal, em Cuiabá, a sexta edição do Encontro Rui Carlos Ottoni Prado, médico veterinário, Internacional dos Negócios da Pecuária presidente da FAMATO; Sandra A. Santos, (ENIPEC). Este evento é promovido a cada doutora em Zootecnia, pesquisadora da dois anos pela Federação da Agricultura e Embrapa Pantanal premiada em 2009 co- Pecuária de Mato Grosso (FAMATO) e trata mo melhor curadora da Rede Animal da de inúmeros temas de interesse para a Embrapa devido ao trabalho com cavalos pecuária mato-grossense. pantaneiros; Alysson Paolinelli, engenheiro agrônomo, agricultor, autoridade pública e Neste ano o ENIPEC contou com a presen- consultor de agronegócios que supervisio- ça de mais de 3.000 pessoas, dentre elas nou a criação e implementação da Embra- estudantes, produtores rurais, expositores, pa. Estas e tantas figuras ilustres contribuí- palestrantes e diversos outros visitantes ram para o sucesso do ENIPEC deste ano, que puderam obter ou mesmo debater e agregando informações, gerando conheci- trocar informações referentes a assuntos mento e mudando conceitos. como politica agrícola, acesso a mercados, administração de propriedades, organiza- De modo geral, esta edição do ENIPEC que ção e perspectivas das cadeias produtivas, teve como tema central "Os desafios de sanidade, pesquisas e novas tecnologias, quem produz", mostrou que a demanda por aquecimento global, sustentabilidade e alimentos tende a crescer, visto que há um De modo geral, esta legislação ambiental, entre outros. crescente aumento da população mundial. edição do ENIPEC Ao mesmo tempo o mercado se torna mais As palestras foram ministradas por especi- que teve como tema exigente, principalmente quanto as ques- alistas de renome nacional e internacional central "Os desafios tões de se produzir preservando o meio de quem produz", que apresentaram varias propostas estra- ambiente, tendo sido o produtor rural mui- mostrou que a de- tégicas úteis a bovinocultura de corte e de tas vezes apontado por ONGs estrangeiras manda por alimentos leite, aqüicultura, ovinocaprinocultura, api- como principal responsável pela degrada- tende a crescer, visto cultura, equideocultura, avicultura e suino- ção ambiental. Portanto, pecuaristas, agri- que há um crescente cultura. Destaca-se a participação de Ricar- aumento da popula- cultores e profissionais desta área devem do Amorim, pós-graduado em Administra- ção mundial manter-se atentos a necessidade de se ção e Finanças Internacionais e apresenta- produzir em quantidade e qualidade de dor do programa Manhattan Connection forma sustentável socialmente, economica- (GNT); Paulo Afonso Schwab, presidente da mente e ambientalmente para assim, serem Associação Brasileira de Criadores de Ovi- bem sucedidos em meio a tantas exigências nos (Arco); Aldo Rebelo, jornalista, deputa- e acusações, adotando práticas e tecnologi- do federal e presidente da Comissão Espe- as conservacionistas. Produzindo com quali- cial do Código Florestal Brasileiro; Gustavo dade, adequando-se as exigências do mer- Macedo de Mello Baptista, doutor em Geo- cado nacional e internacional. logia e professor adjunto da Universidade de Brasília, Instituto de Geociências Cam- Escrito por: Denise C. Parisotto aluna do 3º pus Universitário Darcy Ribeiro; Paulo Hen- semestre de zootecnia
  • 4. Página 4 Receita do Zoornal Olá pessoal!!! Dês da primeira sando que o seu bolinho vai edição do zoornal buscamos ficar melhor que o da sua Açúcar e canelas. trazer dicas de receitas de fácil avó!!!. Mas com toda certeza Para preparar é muito fácil, preparo, para auxiliar aquela da para matar um pouco da basta seguir passo a passo que criatura que não sabe nem frita saudade e também com as não tem erro, misture todos os um ovo. Por aqui já passou a lombrigas, que teriam que ingredientes até que forma macarronada universitária, bolo esperar um semestre inteiro uma massa consistente (não de cenoura,cachorro-quente ou um tempo maior para muito mole e nem ta du- universitário e a panqueca de apreciar essa maravilha da ra).Enquanto isso deixe uma carne-moída. Todas receitas de culinária popular hehe. panela com bastante óleo para fácil preparo. Então vamos a receita: que na hora de fritá-los os boli- Nessa edição buscamos uma Os ingredientes para a recei- nhos bóiem, quando o óleo receita dos tempos da vovó. ta: estiver bem quente comece a O famoso bolinho de chuva!!! colocar colheradas da massa 2 ovos. pronta no mesmo e baixe o Com toda certeza algumas fogo, para que seu bolinho frite pessoas quando ouvem esse 2 colheres de açúcar. corretamente e não fique cru. nome faltam chorar de sauda- des da casa da vovó hehehe!! Depois de fritos coloque os bolinhos sobre o tolhas de pa- Aparentemente parece ser 1 xícara de chá de leite. pel absorvente se for do seu uma receita complica, mas não agrado para dar um sabor a é!!! Trigo para dar o ponto. mais, passe os bolinhos de A maior dificuldade é só a chuva na açúcar e canela. aparte da fritura. 1 colher de sopa de fermen- Mas atenção!!!! não vai pen- to. Acadêmicos de zootecnia participam de curso do SENAR sobre bovinos de corte Entre os dias 17 e 21 de região, onde foi acompa- o curral de embarque e maio 6 acadêmicos do curso nhado: a confecção de sila- desembarque onde foi mos- de zootecnia da UFMT-Sinop gem , mochação e castração trado todo sistema de iden- participaram do curso do de alguns animais. tificação e manejo dos Senar, sobre bovinos de cor- No ultimo dia do curso foi animais que ali chegam. te. feita uma visita técnica ao O curso foi de bom proveito O curso foi ministrado pelo um dos confinamentos da e servil de experiência para Zootecnista Aguinaldo Man- região (frialto). Conheceram todos participantes. nhezo,Técnico do sindicato dês de recepção dos con- rural de Sinop.Os acadêmicos centrados até os cochos dos tiveram aulas teóricas e tam- animais e também onde é bém saíram á campo em armazenada a silagem.Foi algumas propriedades da visitado na mesma ocasião
  • 5. Página 5 Título do artigo interno Título do artigo interno “Para chamar a atenção do leitor, insira uma citação ou frase interessante do texto aqui.” Este artigo pode conter de para clientes. uma coluna de dicas, críti- 100 a 150 palavras. Se fizer uma distribuição ca literária, uma carta do Os temas dos boletins interna, poderá analisar presidente ou um editori- informativos são bem novos procedimentos ou al. Você também poderá variados. Você pode incluir melhorias no gerencia- fornecer o perfil de um artigos sobre novos avan- mento. Inclua totais de funcionário ou de clientes ços e descobertas tecnoló- vendas ou lucros para importantes. gicas em sua área. mostrar o crescimento da Se preferir, poderá fazer empresa. observações sobre as Alguns boletins informati- tendências comerciais ou vos contêm uma coluna econômicas ou previsões atualizada a cada edição: Título do artigo interno Este artigo pode conter de O Microsoft Publisher pos- 75 a 125 palavras. sui milhares de imagens A escolha de imagens ou de clip-art que você pode- elementos gráficos é uma rá escolher e importar etapa importante na ela- para o boletim informati- boração do boletim infor- vo. Há também várias mativo. ferramentas para dese- nhar formas e símbolos. Pense no artigo e verifique se a imagem escolhida irá Após escolher uma ima- retratar ou aperfeiçoar a gem, coloque-a próxima mensagem que está ten- ao artigo. Certifique-se de tando transmitir. Evite inserir uma legenda abai- escolher imagens fora do xo da imagem. contexto.
  • 6. Página 6 Título do artigo interno Título do artigo interno “Para chamar a atenção do leitor, insira uma citação ou frase interessante do texto aqui.” Este artigo pode conter de Se fizer uma distribuição um funcionário ou de clien- 100 a 150 palavras. interna, poderá analisar tes importantes. Os temas dos boletins infor- novos procedimentos ou mativos são bem variados. melhorias no gerenciamento. Você pode incluir artigos Inclua totais de vendas ou sobre novos avanços e des- lucros para mostrar o cresci- cobertas tecnológicas em mento da empresa. sua área. Alguns boletins informativos Se preferir, poderá fazer contêm uma coluna atualiza- observações sobre as ten- da a cada edição: uma colu- dências comerciais ou eco- na de dicas, crítica literária, nômicas ou previsões para uma carta do presidente ou clientes. um editorial. Você também poderá fornecer o perfil de Título do artigo interno
  • 8. Página 8 Título do artigo interno “Para chamar a atenção do leitor, insira uma citação ou frase interessante do texto aqui.” Este artigo pode conter de para clientes. uma coluna de dicas, críti- 100 a 150 palavras. Se fizer uma distribuição ca literária, uma carta do Os temas dos boletins interna, poderá analisar presidente ou um editori- informativos são bem novos procedimentos ou al. Você também poderá variados. Você pode incluir melhorias no gerencia- fornecer o perfil de um artigos sobre novos avan- mento. Inclua totais de funcionário ou de clientes ços e descobertas tecnoló- vendas ou lucros para importantes. gicas em sua área. mostrar o crescimento da Se preferir, poderá fazer empresa. observações sobre as Alguns boletins informati- tendências comerciais ou vos contêm uma coluna econômicas ou previsões atualizada a cada edição: Título do artigo interno Este artigo pode conter de O Microsoft Publisher pos- 75 a 125 palavras. sui milhares de imagens A escolha de imagens ou de clip-art que você pode- elementos gráficos é uma rá escolher e importar etapa importante na ela- para o boletim informati- boração do boletim infor- vo. Há também várias mativo. ferramentas para dese- nhar formas e símbolos.Legenda da Pense no artigo e verifique Após escolher uma ima- imagem ou do se a imagem escolhida irá gem, coloque-a próxima elemento grá- retratar ou aperfeiçoar a fico. mensagem que está ten- ao artigo. Certifique-se de tando transmitir. Evite inserir uma legenda abai- escolher imagens fora do xo da imagem. contexto.
  • 9. Página 9 O O O O Raças RAÇA LIMOUSIN Origem: é nativa da pro- século XIX. víncia de Lemosin, ou A pelagem é de colora- Principais característi- Limousin, no sudoeste ção amarelo-claro, com cas: são animais efici- da França. É derivada áreas mais claras em entes, de crescimento de um progressivo me- torno dos olhos e do rápido, grande massa lhoramento da antiga focinho, ventre, períneo muscular, com alto po- raça Garoneza, que e extremidades dos der fecundante e de ocupava também as membros. O corpo é rendimento de carcaça. regiões de Garona, Tar, ligeiramente maior que As fêmeas pesam entre Lot e Gironda, no sécu- o dos demais bovinos 550-750 kg; os touros lo XVII. Eram utilizados franceses, pois foi sele- entre 950 e 1.200 kg. para tração animal, até cionado para dupla ap- No Brasil, o recorde é que passaram a ser tidão (carne e traba- de "Ecu" com 1.517 kg, melhorados no final do lho). aos 48 meses. A raça Limousin é mui- to utilizada para o me- lhoramento de demais raças francesas. A faci- lidade de parto é outra característica marcante da raça. Mais informações : www.limousin.com.br RAÇA GUZERÁ Origem: Foi a primeira raça zais fluminenses. Surgia como entre outras). Também é zebuína a chegar ao Brasil. A solução para arrastar os pesa- muito criada no Rio de raça foi trazida da Índia, na dos carroções e até vagões Janeiro - onde constituiu década de 1870, pelo Barão para transporte de café, nas o primeiro núcleo de Zebu de Duas Barras, logo domi- íngremes montanhas, e tam- no país, em Minas Gerais, nando a pecuária nos cafe- bém para produzir leite e car- São Paulo e Goiás, e vem ne. Com a abolição da escravi- se expandindo para todas dão, em 1888, os cafezais as regiões do pa- fluminenses entraram em de- ís.Principais caracte- cadência, levando os fazen- rísticas: O Guzerá é deiros a buscar maior proveito de dupla aptidão, com do gado, por meio da seleção algumas linhagens defini- das características produtivas. das para leite e a maioria No Brasil, o Guzerá está espa- do gado selecionado para lhado por várias regiões, mas carne. Mesmo as linhagens é notória sua presença na re- de leite são de grande gião nordestina, onde foi a porte. Na idade adulta, as única raça que sobreviveu, fêmeas pesam entre 450- produtivamente, durante os 650 kg. Os touros pesam cinco anos consecutivos de entre 750-950kg. seca (1978-1983), além de ter enfrentado também outras Mais informações : secas históricas (1945, 1952, www.guzera.org.br
  • 10. Página 10 O O O Raças TOGGENBURG É uma raça ca- presença ou não Rústica, boa repro- prina especializa- de barba, chifres dutora, costuma da na produção e brincos. No ter gêmeos, exce- de leite e originá- Brasil, existem lente leiteira pro- ria da Suíça, com linhagens ingle- duzindo em média animais um pou- sas e, mais re- 2,5 Kg de leite por co menores que centemente,cana dia. os da raça alpina denses, com pro- e saanem e relati- duções leiteiras vamente menos bastante expres- Os animais suíços produtivos, com sivas. possuem pêlos longos e os ingle- ses e os canaden- ses, pêlos curtos, sendo estes últi- mos mais aprecia- dos pelos criado- res brasileiros e certamente mais adequados ao nos- so clima. CORRIEDALE O Corriedale foi desen- grande e uma boa quali- crescimento, o Corrie- volvido na Nova Zelân- dade de carcaça. Embora dale puro tem apre- dia e na Austrália, atra- seja uma raça muito utili- sentado uma boa per- vés do cruzamento de zada em cruzamentos formance. A dupla carneiros Lincoln ou com raças produtoras de aptidão é que torna o Leicester com fêmeas carne, para produzir cor- Corriedale uma raça Merino A raça é larga- deiros com altas taxas de popular. mente distribuída nos diferentes países do mundo. Na América do Sul, a raça Corriedale é a mais numerosa e se ex- pande por toda a Ásia, América do Norte e Áfri- ca do Sul. Depois da ra- ça Merino, é a Corriedale que apresenta maior po- pularidade no mundo. O Corriedale é um ovino de duplo propósito (lã e carne). Tem um porte
  • 11. Página 11 O O O O Raças WESSEX cas, a prolificidade, membros anterio- Foi uma raça pre- rusticidade e habi- res. ferida pelas gran- lidade materna. Em jas que utilizavam 1998 não emitiu ne- Resultados de o sistema de pro- nhum registro ge- Teste de Granja dução extensivo nealógico e a ten- (TG) no Estado de ou criação ao ar dência é de que se- SP. Os animais livre. Como este ja extinta ou subs- são testados do sistema é pouco tituída por outra nascimento aos utilizado no Brasil, raça mais moder- 154 dias de idade. os registros vem na. Origem na In- Fêmea - Ganho de diminuindo. Apre- glaterra, com pela- Peso Diário (g) de senta como princi- gem preta e faixas 424 sendo só um pais característi- brancas no dorso e animal testado. EQUS ASININUS - PÊGA A criação do Jumen- ras,prestando-se tan- to, macio, por ve- to Pêga, parece e- to para sela como zes ondulado. xistir há dois sécu- para tração. los. Supõe-se que CARACTERÍSTICAS descendam de ju- mentos de origem Estatura média de portuguesa e egíp- 135 cms, com peso cia. Graças a sua médio de 350 Kgs e criação secular , em pelagem de preferên- quase isolamento , cia e mais comum a esta raça é muito “pelo de rato”. É fre- uniforme no tipo e quente a ruã ou rosa- produção . O Pêga da, são raras a tordi- produz muares for- lha, sendo indesejá- tes, vivos, sadios, veis a ruça e a bran- altos, de cores cla- ca. O pelo é fino, cur-
  • 12. Página 12 13 de maio 2010 Realizou-se no dia 13 de maio de 2010 no centro de eventos Tatersal da Associação de Criadores do Norte do Mato Grosso – ACRINORTE, em Sinop-MT, o evento denominado DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E A FORMAÇÃO DO ZOOTECNISTA EM MATO GROSSO, com objetivo de comemoração ao dia Nacional do Zootecnista, bem como divulgação e consolidação do curso de Zootecnia da UFMT/SINOP. O evento inicio-se por volta das 20:00 horas, sendo o cerimonial realizado pelo vereador da câmara municipal de Sinop Hedvaldo Costa, que por ocasião convocou a forma- ção da mesa de abertura do evento composta pelos membros: 1-Sr. Marco Antonio Araújo Pinto - Pro reitor do Campus Universitário de Sinop/UFMT/SINOP,2-Sr. Frederi- co Terra de Almeida - diretor do Insti- tuto de Ciências Agrárias e Ambien- tais da UFMT – Sinop,3-Sr. Eduardo Henrique Bevitori Kling de Moraes - Coordenador do curso de Zootecnia,4-Sra. Célia Regina Orlandelli Carrer da Universidade de São Paulo e membro da Associação Brasileira de Zootecnia, 5-Sr. Paulo Borges, representado o Sr. Fernando Porcel, da Associação de Criadores do Norte de Mato Grosso, 6-Sr. Paulo de Tarso dos Santos Martins, Coordenador da cadeia produtiva de Ovinocaprinocultura do MT Regional, 7-Sr. Ricardo José de Almeida, presidente do Centro Acadêmico do Curso de Zoo- tecnia e 8-Sr. Cláudio Vieira de Araújo, professor do curso de Zootecnia e presidente da comissão organizadora do evento. Após formação da mesa de abertura do evento, o prof. Marco Antônio realizou a cerimônia de aber- tura, substituindo a Governador Sinval Barbosa . Posteriormente à intervenção do Pró-Reitor, o coordenador do Curso de Zootecnia, Professor Edu- ardo Henrique Bevitori Kling de Moraes , proferiu a palestra “ A zootecnia no estado do Mato Gros- so” a qual fez referências a dados da produção animal no estado, bem como a demanda do profis- sional de zootecnia no mesmo . Em seguida deu-se início a palestra magna do evento. Proferida pela Dra. Profa. Célia Regina, da USP-Pirassununga, com tema “Desenvolvimento Sustentável e os Desafios na Atuação do Zootec- nista” (Figura 4). Além de descrever, com brilhantismo, as áreas de atuação e competência da formação do profis- sional de zootecnia, enfatizando essa forma- ção cm relação ao meio ambiente, desenvolvi- mento local e sustentabilidade de sistemas produtivos, A profa. Célia fez uma rápida des- crição dos projetos de lei e suas tramitações na Câmara do Senado, que visa criação do Conselho Federal de Zootecnia e do projeto de lei 2824/2008. Após o enceramento das palestras houve en- trega de placa comemorativa do dia do Zootec- nia para A profa. Célia Regina pelo acadêmico e presidente do Centro Acadêmico de Zootec- nia, Ricardo José sendo o mesmo gesto repeti- do em homenagem ao Pró-Reitor Marco Antô- nio, pelo então presidente da comissão organi- zadora, prof. Cláudio Vieira .
  • 15. Página 15 Centenas de ratos gigantes invadem casa dores do tamanho de um gato de cinco me- ses. Debbie Martin, de 55 anos, foi multada pe- la prefeitura por acu- mular lixo na residên- cia, transformando o local em ambiente propício para os ani- mais. Uma casa na cidade Segundo o "Las Cru- Dentro da casa, que de Las Cruzes, no es- zes Sin News", o foi abandonada pela tado do Novo México Centro de Controle mulher, foram encon- (EUA), virou abrigo de Animal do Novo Mé- trados ainda esquele- centenas de ratos xico contabilizou tos de dois cachorros. gigantes. cerca de 240 roe- Americanoémultadopormantersuíno comoanimaldeestimação Este artigo pode conter de Se fizer uma distribuição um funcionário ou de clien- 100 a 150 palavras. interna, poderá analisar tes importantes. Os temas dos boletins infor- novos procedimentos ou mativos são bem variados. melhorias no gerenciamento. Você pode incluir artigos Inclua totais de vendas ou sobre novos avanços e des- lucros para mostrar o cresci- cobertas tecnológicas em mento da empresa. sua área. Alguns boletins informativos Se preferir, poderá fazer contêm uma coluna atualiza- observações sobre as ten- da a cada edição: uma colu- dências comerciais ou eco- na de dicas, crítica literária, nômicas ou previsões para uma carta do presidente ou clientes. um editorial. Você também poderá fornecer o perfil de Título do artigo interno O norte-americano Wilferd ta e a audiência está mar- Kallhoff, de 78 anos, foi cada para o dia 29 de multado em Mountain junho. De acordo com a Home, no estado do Ar- legislação local, é proibi- kansas (EUA), por manter do manter porcos, cabras um porco como animal de e ovelhas nos limites da estimação dentro dos cidade. A lei prevê uma limites da cidade. O suíno multa entre US$ 10 e US$ chamado "Joker" vive com 500 por dia para os infra- Kallhoff há 18 anos. tores. Ele recorreu contra a mul-
  • 16. Página 16 Peixeremo de3,65 m éencontrado na Suéciaapós130 anos Um peixe remo, também águas profundas e rara- de 130 anos, desde conhecido como regaleco, mente vem à superfície. 1879, que um peixe remo de 3,65 metros foi encon- Segundo o especialista é achado em águas sue- trado em Lysekil, na Sué- Roger Jansson, essa é cas. A espécie pode atin- cia. Essa espécie vive em primeira vez em mais gir 11 metros. Cãolutacomcoioteparaprotegerosdonoselevaprêmio Título do artigo interno O O fox terrier "Ronnie" foi Segundo a Sociedade No momento do inciden- escolhido o cão herói de para a Prevenção da Cru- te, o casal estava no quin- 2009 por uma organiza- eldade contra os Animais tal, e "Ronnie" se colocou ção de proteção de ani- de Los Angeles, o cachor- na frente de seus donos e mais de Los Angeles, nos ro enfrentou o coiote no conseguiu expulsar o coi- EUA, porque lutou com dia 1º de agosto do ano ote. A reação do cão sur- um coiote para proteger passado, quando o ani- preendeu os donos. Se- seus proprietários, segun- mal selvagem invadiu o gundo Janis, "Ronnie" do reportagem da emisso- quintal da casa de Eric e sempre foi muito tímido. ra de TV "KTLA". Janis Christensen.
  • 17. Página 17 Acervo zootécnico acessem!!! Este artigo pode conter de do a World Wide Web. Você 150 a 200 palavras. poderá escrever sobre uma Uma das vantagens de usar variedade de assuntos ou o boletim informativo como optar por artigos resumidos. ferramenta promocional é a Grande parte do conteúdo possibilidade de aproveitar do boletim informativo pode outros materiais de marke- ser aproveitada para seu site ting, como informações à da Web. O Microsoft Publi- imprensa, estudos de merca- sher oferece uma maneira do e relatórios. simples de converter seu O segredo de um trabalho boletim informativo em uma bem-sucedido é apresentar publicação da Web. Quando um conteúdo útil ao leitor. terminar de escrever o bole- tim informativo, converta-o Uma forma de apresentar para um site da Web e publi- um conteúdo eficiente é que-o. desenvolver e escrever seus próprios artigos ou incluir a programação de eventos futuros ou uma oferta espe- cial promovendo um novo produto. Pesquise outros artigos ou Legenda da imagem ou do elemento inclua artigos gráfico. ”complementares“ acessan- Título do artigo interno Este artigo pode conter de Se fizer uma distribuição um funcionário ou de clien- 100 a 150 palavras. interna, poderá analisar tes importantes. Os temas dos boletins infor- novos procedimentos ou mativos são bem variados. melhorias no gerenciamento. Você pode incluir artigos Inclua totais de vendas ou sobre novos avanços e des- lucros para mostrar o cresci- cobertas tecnológicas em mento da empresa. sua área. Alguns boletins informativos Se preferir, poderá fazer contêm uma coluna atualiza- observações sobre as ten- da a cada edição: uma colu- dências comerciais ou eco- na de dicas, crítica literária, nômicas ou previsões para uma carta do presidente ou clientes. um editorial. Você também poderá fornecer o perfil de Título do artigo interno http://acervozoo.blogspot.com/
  • 18. Contato:cazootecnia@ufmt.br Responsável: Thiago Santana Cotrim Secretário De Comunicação CAZOO SINOP