SlideShare uma empresa Scribd logo
Zoologia do Vertebrados
Introdução á
Zoologia:
evolução,
taxonomia e
cladística
Há cerca de três mil e quinhentos anos,
Aristoteles (384 a.C.) foi o primeiro a
registrar e classificar diferentes tipos de
seres vivos, e após seus trabalhos, é
possível verificar diversas outras ciências
de classificação ao longo da história,
culminando na mais célebre de todas,
desenvolvida por Carl Von Linné (1700) no
século XVIII, chamada taxonomia.
O sistema de Linnaeus para nomear
espécies é chamado de nomenclatura
binomial. Cada espécie apresenta um
nome latinizado, composto de duas
palavras (daí binomial) grafado em itálico
(ou sublinhado, se for escrito à mão).

Recomendado para você

Cnidários ( Power Point ) 1
Cnidários ( Power Point ) 1Cnidários ( Power Point ) 1
Cnidários ( Power Point ) 1

Os cnidários são invertebrados acelomados e diblásticos com simetria radial. Possuem células urticantes e podem se apresentar em forma de pólipo fixo ou medusa natante. A digestão é inicialmente extracelular por enzimas e depois intracelular, e a respiração e excreção ocorrem por difusão. A reprodução envolve processos assexuados e sexuados, incluindo metagênese em alguns casos.

 
por Bio
Reino Animal
Reino AnimalReino Animal
Reino Animal

Os principais pontos abordados no documento são: 1) Apresenta as características gerais do reino Animal; 2) Descreve os poríferos, incluindo as esponjas, sua estrutura e alimentação; 3) Discorre sobre os cnidários, exemplificando com água-vivas, corais e anêmonas.

reino animal
Reino animal
Reino animalReino animal
Reino animal

O documento descreve as principais características dos filos que compõem o reino animal, incluindo que a Zoologia estuda os animais, que são eucariontes, pluricelulares e heterotróficos, e possuem tecidos nervosos e musculares. Os filos descritos incluem poríferos, celenterados, platelmintos, nemantelmintos, anelídeos, moluscos, artrópodes e equinodermos.

A primeira palavra é o nome do Gênero,
coma primeira letra maiúscula; a segunda
palavra representa o epíteto específico,
que é particular para a espécie dentro do
gênero, e é grafado com todas as letras
minúsculas.
Em 1982, Ernst Mayr (1963) definiu o
conceito biológico de espécie da
seguinte maneira: “Uma espécie é uma
comunidade reprodutiva de populações
(isoladas reprodutivamente de outras) que
ocupa um nicho específico na natureza”.
Para classificar as espécies, aceita-se a
teoria da mutação animal de acordo com o
mais apto, proposta por Charles Robert
Darwin (1882)
Em seu mais célebre trabalho, A Origem das
espécies, Darwin propôs que toda espécie
advém de espécies ascendentes,
caracterizando ancestrais comuns, que
transmitem boa parte de suas características
à novas espécies ao longo do tempo
geológico

Recomendado para você

Seleção natural e adaptação
Seleção natural e adaptaçãoSeleção natural e adaptação
Seleção natural e adaptação

O documento discute a seleção natural de Darwin, onde indivíduos com características vantajosas para sobrevivência e reprodução tem maior chance de sobreviver e passar seus genes para a próxima geração. Isso é ilustrado pelo exemplo das mariposas de Manchester, cujas variáveis escuras se tornaram dominantes com a poluição da Revolução Industrial.

biologiaecologiaseleção natural e adaptação
Filo dos cordados
Filo dos cordadosFilo dos cordados
Filo dos cordados

O documento descreve as principais características dos cordados, divididos em três subfilos: cefalocordados, urocordados e vertebrados. Os cefalocordados incluem o anfioxo, enquanto os urocordados incluem as ascídias. Os vertebrados são divididos em sete classes, incluindo os peixes sem mandíbula, tubarões, peixes ósseos e anfíbios.

Bilateria / Animais Bilaterais
Bilateria / Animais BilateraisBilateria / Animais Bilaterais
Bilateria / Animais Bilaterais

Nessa aula os animais Bilaterais são caracterizados e diferenciados com foco na evolução da simetria Bilateral no reino Animal. A evolução desse grupo é contextualizada na evolução dos metazoários e os principais representantes, estruturas e processos embrionários são expostos.

simetríabilateriabilaterais
No caminho evolutivo, é necessário
destacar quais são os caracteres
ancestrais e quais são derivados. O
método utilizado para examinar a
polaridade de um caráter variado é
chamado cladística.
Hoje em dia, a filogenia nos dá as pistas que
precisamos sobre o caminho percorrido pelas
espécies ao longo do tempo, sendo a atual base
para a cladística, não mais simplesmente a
anatomia e comportamento animal, como ocorria
antigamente
Sem o estudo da filogenética dos animais,
seria muito difícil propôs os conceitos de
Homologia, que é a similaridade de
caracteres que resulta de descendência em
comum, e a Homoplasia, que é a
similaridade de caracteres que
erroneamente representa descendência em
comum
Apesar de não terem membros, as cecílias
e serpentes são tetrápodes, pois fazem
parte desse sistema de descendência em
comum; outros caracteres moleculares e
morfológicos agrupam-nos,
respectivamente, com anfíbios e lagartos

Recomendado para você

Anfíbios - Biologia
Anfíbios - BiologiaAnfíbios - Biologia
Anfíbios - Biologia

Os anfíbios são ectotérmicos que dependem da água para se reproduzir e sobreviver. Eles passam por uma drástica metamorfose na qual mudam de habitat e nicho ecológico. Os anfíbios se reproduzem através da fecundação externa e têm desenvolvimento indireto, com a fase larvar de girino na água e a fase adulta na terra.

anfíbiosbiologiaajuda.
IV.4 aves
IV.4 avesIV.4 aves
IV.4 aves

O documento descreve as características, classificação e fisiologia das aves. Ele discute como as aves descendem dos dinossauros, possuem penas e esqueleto leve, e se classificam em ratitas e carinatas. Também explica os sistemas digestivo, respiratório e reprodutivo das aves.

vertebradoscarenatascordados
Artrópodes
ArtrópodesArtrópodes
Artrópodes

Os artrópodes apresentam três características principais: exoesqueleto, apêndices articulados e simetria bilateral. O documento descreve suas classes principais: Insecta, Crustacea, Arachnida, Chilopoda e Diplopoda, definindo suas características morfológicas e de locomoção.

ajuda.artrópodesbilogia
Organismos ou espécies que compartilham
estados de caráter derivados formam
subgrupos dentro do grupo de estudo
denominados clados
Zoologia dos Vertebrados
Apomorfia (do grego, απο, "longe de" e μορφη,
"forma") características atuais que são derivadas
de características primitivas de uma espécie
ancestral. sinapomorfia (Gr. synapsis,
agrupado, + morphe, forma) o prefixo "sin"
indica que uma determinada apomorfia é
compartilhada por um determinado grupo. Ex.:
as mamas nos mamíferos.
Autapomorfia nada mais é do que uma
apomorfia, ou seja, um caracter atual
presente em apenas um táxon dentro de
um grande agrupamento. Ex.: Asas nos
morcegos. A existência de asa é
compartilhada entre os morcegos
(autapomorfia) mas, não entre os morcegos
e os mamíferos, apesar dele ser um
mamífero.

Recomendado para você

Aula de Biologia - Vertebrados (Peixes e Anfíbios) - 2° Ano Ensino Médio
Aula de Biologia - Vertebrados (Peixes e Anfíbios) - 2° Ano Ensino MédioAula de Biologia - Vertebrados (Peixes e Anfíbios) - 2° Ano Ensino Médio
Aula de Biologia - Vertebrados (Peixes e Anfíbios) - 2° Ano Ensino Médio

O documento discute as características dos peixes e anfíbios. Ele explica que os peixes surgiram há 500 milhões de anos e possuem adaptações como escamas, brânquias e nadadeiras que os ajudam a viver na água. Os anfíbios possuem brânquias na fase larval e pulmões quando adultos, permitindo que vivam tanto na água quanto na terra. O documento também classifica e descreve as principais características dos peixes cartilaginosos, peixes ósseos e

osteictespererecacordados
Algas aula
Algas aulaAlgas aula
Algas aula

Este documento descreve as principais características de diferentes grupos de algas, incluindo suas pigmentações, estruturas celulares, locais de ocorrência e usos econômicos. Detalha os grupos de algas verdes, pardas, vermelhas e outras, abordando gêneros exemplares de cada um. Também explica como substâncias como carragenana, alginato, ágar e diatomito são extraídas de algas e usadas industrialmente.

Moluscos caracteristicas gerais
Moluscos   caracteristicas geraisMoluscos   caracteristicas gerais
Moluscos caracteristicas gerais

O documento descreve as principais classes de moluscos, incluindo suas características e habitats. Ele também discute a anatomia, fisiologia, reprodução e importância econômica dos moluscos.

Plesiomorfia (do grego, πλησιος, "próximo
a" e μορφη, "forma") são características
primitivas. Ex.: a ausência de coluna
vertebral nos vertebrados é uma
característica plesiomórfica, enquanto que
a presença é uma
característica apomórfica.
Zoologia dos Vertebrados
Zoologia dos Vertebrados
Filo Chordata

Recomendado para você

Reino animalia
Reino animaliaReino animalia
Reino animalia

O documento descreve as principais características de cinco filos do reino animal: Poríferos, Celenterados, Platelmintos, Asquelmintos e Anelídeos. Os Poríferos são esponjas primitivas sem sistemas orgânicos. Os Celenterados incluem corais, hidras e águas-vivas com células de defesa. Os Platelmintos incluem planárias e parasitas como tênias. Os Asquelmintos são vermes cilíndricos como ascaris. Os Anelídeos incluem minhoc

Osteichthyes Actinopterygii Sarcopterygii
Osteichthyes Actinopterygii SarcopterygiiOsteichthyes Actinopterygii Sarcopterygii
Osteichthyes Actinopterygii Sarcopterygii

O documento descreve as principais características dos peixes ósseos (Osteichthyes), incluindo a presença de ossos endocondrais, opérculos que cobrem as brânquias e duas subclasses principais: Sarcopterygia e Actinopterygia. Também resume as subclasses, ordens e adaptações evolutivas dos Actinopterygii, o maior grupo de peixes ósseos.

Animais invertebrados parte 2
Animais invertebrados   parte 2Animais invertebrados   parte 2
Animais invertebrados parte 2

O documento descreve os principais grupos de animais invertebrados, incluindo poríferos, cnidários, platelmintos, nematódeos, anelídeos, moluscos, equinodermos e artrópodes. Fornece detalhes sobre a classificação, características e exemplos de cada grupo.

anelídeos e artrópodesequinodermosmoluscos
Características principais
• Notocorda;
• Cordão nervoso dorsal;
• Fendas faríngeas;
• Cauda pós anal.
Outras características
• Possuem simetria bilateral;
• São triblásticos celomados e deuterostômios;
• Possuem sistema circulatório fechado;
• Respiração branquial ou pulmonar;
• São dioico (maioria) com dimorfismo sexual;
Compartilham com organismos invertebrados:
• Simetria bilateral;
• Eixo ântero-posterior;
• Celoma;
• Metamerismo;
• Cefalização.
Zoologia dos Vertebrados

Recomendado para você

Revisão ENEM II- Origem da vida e evolução
Revisão ENEM II- Origem da vida e evoluçãoRevisão ENEM II- Origem da vida e evolução
Revisão ENEM II- Origem da vida e evolução

[1] O documento discute a origem e evolução da vida, incluindo a era pré-biótica, as eras bióticas, e a história da vida na Terra desde a era Arqueana até os dias atuais. [2] Apresenta as teorias evolutivas de Lamarck e Darwin, comparando seus pontos de vista sobre herança de características adquiridas e seleção natural. [3] Discutem conceitos do neodarwinismo como mutações, variabilidade genética e adaptação às pressões seletivas.

Evolução biológica
Evolução biológicaEvolução biológica
Evolução biológica

O documento apresenta os principais conceitos e evidências da Teoria da Evolução das Espécies de Charles Darwin, incluindo: (1) A seleção natural causa a sobrevivência dos indivíduos mais aptos ao ambiente, levando à diversificação das espécies ao longo do tempo; (2) Evidências como anatomia comparada e fósseis apoiam a teoria da evolução; (3) A síntese evolutiva moderna integra mutações e recombinação genética ao processo de seleção natural proposto por Darwin.

Trabalho de biologia características gerais dos seres vivos
Trabalho de biologia características gerais dos seres vivosTrabalho de biologia características gerais dos seres vivos
Trabalho de biologia características gerais dos seres vivos

O documento descreve os principais grupos de animais invertebrados, incluindo anelídeos, artrópodes, moluscos e poríferos. Ele discute as características gerais, habitats, classificação e modos de reprodução destes filos.

Filo: Chordata
Subfilo:Urochordata
Classe: Ascidiacea
Urochordatas
• As características diagnósticas dos cordados aparecem nas larvas /
adultos são altamente especializados.
Ascídias
Cephalochordata
• Apresentam as 4 características diagnósticas dos cordados:
notocorda; cordão nervoso dorsal; fendas faríngeas; cauda pós anal.
Anfioxo
Filo: Chordata
Subfilo: Vertebrata
Intrafilo: Agnata
Classe Myxini (feiticeiras)
&
Classe Cephalaspidomorphi

Recomendado para você

Aula 04 - os animais
Aula 04 - os animaisAula 04 - os animais
Aula 04 - os animais

O documento descreve a classificação dos animais nos reinos e filos. Os animais são classificados de acordo com características como a presença de tecidos, segmentação do corpo e tipo de desenvolvimento embrionário. Exemplos de filos incluem poríferos, celenterados, moluscos e artrópodes.

animaisreino animalianetdidata
Características gerais dos seres vivos
Características gerais dos seres vivosCaracterísticas gerais dos seres vivos
Características gerais dos seres vivos

O documento descreve os principais grupos de animais invertebrados, incluindo anelídeos, artrópodes, moluscos e poríferos. Ele discute as características gerais, habitats, classificação e modos de reprodução destes filos.

Poríferos e cnidários
Poríferos e cnidários Poríferos e cnidários
Poríferos e cnidários

O documento discute poríferos e cnidários, incluindo suas classes, elementos esqueléticos, reprodução e importância. Os poríferos são considerados os primeiros animais da Terra. Os cnidários são os primeiros a desenvolver uma cavidade digestiva e apresentam simetria radial. Ambos desempenham papéis importantes no equilíbrio ambiental e na alimentação humana.

educacaoporíferosagua viva
Agnatha
• Não possuem maxilas e nem ossificação interna,
• Não possuem escamas e nem nadadeiras pares.
• Seu sistema digestivo não apresenta estômago
• Aberturas branquiais (forma de poros) e corpo em forma de enguia.
Feiticeiras Lampreias
Filo: Chordata
Subfilo: Vertebrata
Classe: Chondrichthyes
Chondrichthyes
• Apresentam esqueleto cartilaginoso e nadadeiras peitorais e pélvicas
pareadas
• Nos machos as nadadeiras pélvicas são modificadas em clásperes.
• Apresentam fecundação interna
• Aparecimento de mandíbula
• O intestino apresenta uma válvula espiral (retarda a passagem do
alimento e aumenta a área de absorção)
• Não apresentam bexiga natatória ou pulmões

Recomendado para você

Metazoários, poríferos, cnidários...
Metazoários, poríferos, cnidários...Metazoários, poríferos, cnidários...
Metazoários, poríferos, cnidários...

O documento descreve a classificação e características de diferentes filos de animais, incluindo poríferos, cnidários, platelmintos e anelídeos. Aborda critérios de classificação, evolução filogenética e estrutura dos principais filos.

Trabalho de biologia
Trabalho de biologiaTrabalho de biologia
Trabalho de biologia

O documento descreve características de quatro filos do reino animal: Deuterostômio, Cordados, Equinodermos e Nematóides. O filo dos Cordados inclui vertebrados e possui características como notocorda, fendas branquiais e sistema nervoso dorsal. O filo dos Equinodermos inclui animais como estrelas-do-mar e ouriços-do-mar que possuem um sistema ambulacrário para locomoção. O filo dos Nematóides inclui vermes cilíndricos com cutícula e pseud

Zoologia 01
Zoologia 01Zoologia 01
Zoologia 01

1) O documento apresenta conceitos básicos de zoologia, incluindo simetria, eixos, planos, classificação de animais e regras de nomenclatura zoológica. 2) São descritos os reinos biológicos, incluindo os principais grupos de animais. 3) A nomenclatura binomial e as categorias taxonômicas como gênero e espécie são explicadas.

EX: Os Tubarões
• Apresentam corpo fusiforme, boca ventral;
• A coluna termina no lobo superior da cauda (heterocerca) – ajuda na flutuabilidade;
• Escamas placóides;
• Linha lateral;
• Coração bicavitário.
• Audição e olfato desevolvidos.
Filo: Chordata
Subfilo: Vertebrata
Classe: Osteichthyes
Características :
• Ossos operculares e peitorais;
• Osso endocondral;
• Pulmões e bexiga natatória
• Esqueleto ósseo.
• Escamas do tipo cicloide ou ctenoide.
• Opérculo ósseo – abertura cria pressão negativa e impulsiona água através das brânquias / protege;
• Bomba bucal – empurra água para as brânquias;
• Bexiga natatória – trocas gasosas em água com pouco O2 e flutuação neutra
Diferentes caudas

Recomendado para você

2016 Frente 2 módulo 1 o tegumento dos animais
2016 Frente 2 módulo 1 o tegumento dos animais2016 Frente 2 módulo 1 o tegumento dos animais
2016 Frente 2 módulo 1 o tegumento dos animais

Este documento resume os principais grupos de animais, incluindo seus características e exemplos. Discutem-se poríferos, celenterados, platelmintos, asquelmintos, anelídeos, moluscos, equinodermas e cordados. Também aborda o desenvolvimento embrionário e a organogênese dos animais.

Classe dos animais por
Classe dos animais por Classe dos animais por
Classe dos animais por

Os répteis são animais vertebrados que apareceram há cerca de 300 milhões de anos e foram alguns dos primeiros a habitarem a terra. Possuem esqueleto ossificado, pulmões bem desenvolvidos e temperatura variável. Dividem-se em grupos e alguns deram origem às aves.

classes de animais
Trabalho de ciências de Marcos Fraga e Iago Souza
Trabalho de ciências de Marcos Fraga e Iago SouzaTrabalho de ciências de Marcos Fraga e Iago Souza
Trabalho de ciências de Marcos Fraga e Iago Souza

Este documento descreve os principais aspectos dos poríferos, animais conhecidos como esponjas. As esponjas são organismos simples, sem tecidos verdadeiros, que vivem principalmente no mar e se alimentam por filtragem da água. Existem mais de 15.000 espécies de esponjas conhecidas.

Tipos de escamas
Zoologia dos Vertebrados
Comparação
fisiológica
entre as duas
classes
O que são
anfíbios, afinal?
Filo: Chordata
Subfilo: Vertebrata
Classe: Amphibia

Recomendado para você

Plano 9
Plano 9Plano 9
Plano 9

1) O documento apresenta um plano de aula sobre o reino Animalia, com foco nos poríferos. 2) As principais características dos animais e dos poríferos são descritas, incluindo sua classificação, habitat, reprodução e sistema de trocas gasosas. 3) A aula teria atividades como explicação dialogada e confecção de um álbum seriado, porém nem todas as atividades puderam ser concluídas dentro do tempo disponível.

Poríferos e cnidários
Poríferos e cnidáriosPoríferos e cnidários
Poríferos e cnidários

O documento descreve as principais características dos filos de animais invertebrados, incluindo Poríferos, Cnidários, Platelmintos, Nematelmintos, Anelídeos, Moluscos e Artrópodes. Ele discute a estrutura, funções vitais e modos de reprodução destes filos.

biology
Frente 2 módulo 1 O Tegumento dos Animais
Frente 2 módulo 1 O Tegumento dos AnimaisFrente 2 módulo 1 O Tegumento dos Animais
Frente 2 módulo 1 O Tegumento dos Animais

Curso Pré Vestibular Objetivo - Colégio Batista de Mantena. Aula resumo sobre Zoologia e Embriologia.

Trêsordens
Ápodes
Anuros
Urodelos
Cecílias ou cobra-cega
Trêsordens
Ápodes
Anuros
Urodelos
Sapo, perereca e rã
Trêsordens
Ápodes
Anuros
Urodelos
Salamandras
Filo: Chordata
Subfilo: Vertebrata
Classe:Reptilia

Recomendado para você

Revisao biologia 2ano_ensinomedio2
Revisao biologia 2ano_ensinomedio2Revisao biologia 2ano_ensinomedio2
Revisao biologia 2ano_ensinomedio2

1. A classificação biológica segue uma hierarquia de categorias que vai do mais amplo (reino) ao mais específico (espécie). 2. A nomenclatura da espécie é binominal, com o primeiro nome indicando o gênero e o segundo a espécie. 3. Os seres humanos pertencem ao reino Animalia, filo Chordata, classe Mammalia, ordem Primata e espécie Homo sapiens.

Coleguiumclassificacao2012
Coleguiumclassificacao2012Coleguiumclassificacao2012
Coleguiumclassificacao2012

O documento discute a classificação biológica e sistemática dos seres vivos. Aborda os principais conceitos como taxonomia, sistemas de classificação ao longo da história, reinos biológicos, categorias taxonômicas e conceitos fundamentais como monofilia, parafilia e polifilia.

Zoo 2 de anelídeos a equinodermos
Zoo 2   de anelídeos a equinodermosZoo 2   de anelídeos a equinodermos
Zoo 2 de anelídeos a equinodermos

1) Os anelídeos apresentam corpo segmentado e vivem em solo úmido, água doce e salgada. Minhocas e sanguessugas respiram pela pele e os poliquetos possuem brânquias. 2) Os moluscos possuem corpo mole protegido por concha e são divididos em gastrópodes, bivalves e cefalópodes. A maioria apresenta sistema circulatório aberto. 3) Os artrópodes são crustáceos, miriápodes, aracnídeos e insetos

• Foram descritas mais de 10 mil espécies de viventes de répteis, que
incluem serpentes, tartarugas e jacarés, além de muitos grupos extintos
como os dinossauros.
• Originados há mais de 350 milhões de anos.
Classificação
• Quelônios: São as tartarugas,
os jabutis e os cágados.
• Crocodilianos: São
os crocodilos e os jacarés.
• Escamados: São os lagartos e
as serpentes.
• São os primeiros vertebrados totalmente adaptados à vida terrestre.
• O surgimento de novas adaptações tornou os repteis mais
independentes da água do que os anfíbios.
• A principal modificação ocorreu no modo de reprodução.
• Nos répteis, os embriões se desenvolvem no interior de um ovo
dotado de casca impermeável.
• O corpo dos répteis é coberto por uma pele seca, resistente e
impermeável.
• São formadas por duas camadas: a derme e a epiderme.
Cobertura Corporal

Recomendado para você

Artropodes slide
Artropodes slideArtropodes slide
Artropodes slide

Os artrópodes são caracterizados principalmente por suas patas articuladas e exoesqueleto externo. Eles são o filo mais diversificado do planeta e incluem insetos, crustáceos e aracnídeos. Os artrópodes respiram através de brânquias, traquéias ou pulmões e realizam a troca de exoesqueleto durante o crescimento.

Artrópodes
ArtrópodesArtrópodes
Artrópodes

O documento descreve o filo dos artrópodes, que contém a maioria dos animais conhecidos, com mais de 1 milhão de espécies. Os artrópodes são caracterizados por terem exoesqueleto de quitina, que requer periódicas mudas de crescimento. As principais classes de artrópodes incluem insetos, aracnídeos, crustáceos e outros.

O Reino dos Animais
O Reino dos AnimaisO Reino dos Animais
O Reino dos Animais

O documento descreve as principais características dos filos dos animais. Começa com características gerais dos animais e depois detalha os filos dos poríferos e cnidários, os animais mais simples. Os poríferos são animais aquáticos sésseis que se alimentam por filtragem da água. Os cnidários podem ter forma de pólipo ou medusa, e usam cnidoblastos para defesa e alimentação.

Derme
• Camada interna, espessa e bem desenvolvida.
• Células pigmentares presentes nas dermes, são responsáveis pelo padrão
colorido de lagartos e serpentes.
Epiderme
• Camada externa que originou escamas (serpentes), placas (jacarés,
crocodilos) ou carapaças (tartarugas) formadas principalmente por
queratina.
• Alguns répteis, como as serpentes e lagartos realizam trocas de pele na qual
escamas antigas são abandonadas quando uma nova camada é formada.
• Jacarés e crocodilos não realizam trocas de pele, mas suas placas crescem à
medida que vão se desgastando.
• Nas tartarugas, novas camadas queratinizadas são acrescentadas sob as mais
antigas formando carapaças.
Escamas
Placas

Recomendado para você

Intro_discip Embrio.pdf
Intro_discip Embrio.pdfIntro_discip Embrio.pdf
Intro_discip Embrio.pdf

1) O documento apresenta os principais conceitos de embriologia animal, incluindo fecundação, desenvolvimento embrionário e características dos principais filos de invertebrados. 2) São descritos os estágios do desenvolvimento embrionário desde o zigoto até a organogênese. 3) São apresentadas as características gerais e aspectos reprodutivos dos filos Platyhelminthes, Nematoda, Mollusca, Annelida.

Sistema circulatório: Fisiologia Animal Comparada
Sistema circulatório: Fisiologia Animal ComparadaSistema circulatório: Fisiologia Animal Comparada
Sistema circulatório: Fisiologia Animal Comparada

O documento discute o sistema circulatório canino, abordando sua fisiologia, morfologia do coração, circulação fetal, interação com órgãos, artérias, veias e capilares. Também apresenta comparação entre vasos sanguíneos humanos e caninos, processo de circulação, eletrocardiograma em cães normais e com fibrilação atrial, tipagem sanguínea e hemograma.

#fisiologiaanimal #canideos #sistemacirculatorio
O Universo
O UniversoO Universo
O Universo

Aula referte ao universo, à teoria do Big Bang, a formação do sistema solar, e sobre cada planeta, as fases da lua, e os movimentos da terra. Aula para todos os públicos, mas pode ser aplicada para os alunos do 6º ano.

#astronomia #universo #estrela #galáxia #lua
Carapaças
Respiração
• A respiração é pulmonar, com pulmões mais desenvolvidos que os dos
anfíbios.
• Apresenta dobras internas que aumentam a capacidade respiratória.
• Os pulmões fornecem uma quantidade suficiente de oxigênio, o que
torna "dispensável" a respiração por meio da pele.
• O coração dos répteis apresentam
três cavidades: dois átrios (um
direito e um esquerdo) e um
ventrículo.
Circulação
• O coração dos répteis crocodilianos
apresentam quatro cavidades: dois
átrios e dois ventrículos.
• Mesmo nos crocodilianos observa-
se mistura dos tipos de sangue
(venoso e arterial) que passam pelo
coração.
• Circulação dupla e incompleta, os
animais desse grupo
são pecilotérmicos, adaptam a
temperatura do corpo a temperatura
do ambiente.

Recomendado para você

Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso

O documento descreve as partes principais do sistema nervoso, incluindo o sistema nervoso central composto pelo encéfalo e medula espinhal, e o sistema nervoso periférico composto por nervos e gânglios. Ele também discute as células do sistema nervoso, incluindo os neurônios e suas partes, e os principais tipos de neurônios.

#sistemanervoso #neurônio #periférico #central
Os Nutrientes
Os NutrientesOs Nutrientes
Os Nutrientes

Nutrientes são essenciais para a vida e são divididos em macronutrientes e micronutrientes. Carboidratos fornecem energia, enquanto lipídeos armazenam energia e transportam vitaminas. Proteínas mantêm e aceleram o organismo. Vitaminas e fibras encontradas em frutas, legumes e grãos promovem a saúde e o funcionamento intestinal.

#piramide #nutrientes #proteína #lipídeo #açúc
A Hidrosfera
A HidrosferaA Hidrosfera
A Hidrosfera

A hidrosfera é a parte da Terra que contém água. A água pode estar em diferentes estados físicos e se distribui de forma desigual pelo planeta. O ciclo da água é o processo contínuo pelo qual a água circula entre a atmosfera, a hidrosfera e a litosfera por meio da evaporação, condensação e precipitação.

#hidrosfera #agua #pressao #densidade #
Alimentação e digestão
• Possuem um sistema digestório completo.
Os répteis também têm como anexos o
fígado e o pâncreas.
• O alimento passa da boca para a faringe,
segue para o esôfago, o estômago, depois
para o intestino delgado, e por fim a cloaca.
• A cloaca desses animais é a saída dos
sistemas digestivo, excretor e reprodutor.
• Digestão lenta, o tempo do processo é
resultado de uma menor capacidade
metabólica e da incapacidade de mastigar
os alimentos.
Reprodução
• A maioria das espécies tem um órgão
copulatório e fecundação interna.
• Fecundação interna foi muito
importante para a evolução dos
vertebrados, impedindo a morte dos
gametas e embriões por desidratação.
• Além disso produzem ovos amnióticos.
• Esse tipo de ovo é dotado de casca e três membranas que formam bolsas:
o âmnio, o alantoide e o cório.
• O embrião se desenvolve no interior do âmnio.
• O alantoide é uma bolsa membranosa que recebe os resíduos
nitrogenados.
• Alantoide e o cório ricamente vascularizados, permitindo as trocas
gasosas.
Filo: Chordata
Subfilo: Vertebrata
Classe: Aves

Recomendado para você

Exossomos
ExossomosExossomos
Exossomos

O trabalho é referente ao que são exossomos, sua função, seu histórico, suas aplicações e técnicas de extração, onde se localizam, e sua importância na ciência.

#exossomos #microrna #vesículas #câncer
Os transgênicos
Os transgênicos Os transgênicos
Os transgênicos

O documento discute os transgênicos, que envolvem cruzamentos entre espécies que não ocorreriam naturalmente, como arroz e bactérias. Explica que os alimentos transgênicos não são apenas uma questão comercial, mas também política e de concentração de poder no mercado agrícola brasileiro com a entrada desses produtos. Defende a necessidade de vigilância sanitária e políticas de biotecnologia adequadas para o Brasil.

Vírus
VírusVírus
Vírus

O documento discute as propriedades e características dos vírus, incluindo seu tamanho entre 20nm e 300nm, sua estrutura simples composta por ácidos nucléicos, proteínas e lipídios, e sua capacidade de se replicar apenas dentro de células hospedeiras utilizando seus processos metabólicos.

• Vivem e reproduzem-se em praticamente todos
os habitats terrestres e em todos os continentes.
• As aves são animais endotérmicos e mantêm uma
temperatura de aproximadamente 41 °C.
• As penas e, em algumas espécies, a gordura subcutânea,
oferecem isolamento térmico.
• Membros anteriores → asas
• Membros posteriores → andar, nadar, empoleirar-se.
• As aves possuem diversas adaptações evolutivas destinadas
ao voo, entre as quais ossos pneumáticos e leves e dois
grandes músculos peitorais destinados ao voo.
As aves têm um dos mais complexos e eficientes
sistemas respiratórios de todos os animais.
A ventilação é
assegurada em grande
parte por sacos aéreos
ligados aos pulmões.
Embora as paredes dos
sacos aéreos não façam
trocas gasosas, têm a
função de fazer circular
o ar pelo sistema
respiratório.
Sistema digestório das aves
O esôfago desses animais possui uma região
dilatada chamada de papo. É no papo que o
alimento ingerido pelo animal será
armazenado e amolecido. .
O estômago das aves é dividido em
proventrículo e moela. Após serem
amolecidos no papo, os alimentos vão para
o proventrículo, também chamado de
estômago químico. No proventrículo, o
alimento é misturado a enzimas digestivas e
encaminhado para o estômago mecânico,
muito conhecido como moela.

Recomendado para você

Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.

A Escola Municipal Santa Maria, foi fundada em 05 de abril de 1987 com o objetivo de acolher as crianças em idade escolar, que se encontravam excluídas por falta de vagas nas escolas do Bairro Nova Imperatriz, preocupação de sua fundadora e professora Maria Vieira, que na época exercia a função de tesoureira da Associação São José, do Bairro Nova Imperatriz. O nome da escola foi escolhido pela associação do bairro.

escola santa mariafundação escola santa mariaminha escola tem história
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantililSEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil

violência sexual infantil

securitykids
edital-n-0042024â__seaddgppvigilante-penitenciario-temporario_processo-seleti...
edital-n-0042024â__seaddgppvigilante-penitenciario-temporario_processo-seleti...edital-n-0042024â__seaddgppvigilante-penitenciario-temporario_processo-seleti...
edital-n-0042024â__seaddgppvigilante-penitenciario-temporario_processo-seleti...

seapz edit

• Bico córneo → perda dos dentes
Circulação nas Aves
Por possuir circulação dupla e completa, a ave apresenta uma maior
disponibilidade de oxigênio e, consequentemente, uma maior
disponibilidade de energia para conseguir manter a temperatura do
corpo constante.
Troca de calor contracorrente
A artéria que percorre a perna carrega sangue
aquecido do corpo.
O sangue quente descendente troca seu calor
com o sangue frio ascendente, por condução.
Isso significa que menos calor será perdido no
pé devido à redução na diferença de
temperatura entre o sangue mais frio e os
seus arredores e que o sangue que retorna à
área central do corpo esteja relativamente
aquecido, prevenindo o centro do corpo de
esfriar
A glândula uropigiana secreta uma
substância oleosa utilizada como
impermeabilizante para as penas,
lubrificante para o bico, de modo
que não fique quebradiço, e auxilia
também na termorregulação .
O espalhamento do óleo pelo corpo é feito
pela própria ave, que o faz com o bico, por
isso vemos aves passando o bico em si
mesmas, principalmente patos em lagoas.

Recomendado para você

Especialidade de Cultura Física - Aula.ppt
Especialidade de Cultura Física - Aula.pptEspecialidade de Cultura Física - Aula.ppt
Especialidade de Cultura Física - Aula.ppt

A cultura física é fundamental para a formação dos jovens desbravadores, contribuindo para seu crescimento saudável e equilibrado. Ao incorporar práticas físicas regulares, promovemos não apenas a saúde física, mas também o bem-estar emocional e social. Através das atividades de cultura física, os desbravadores aprendem valores importantes, como disciplina, trabalho em equipe e resiliência, que os acompanharão por toda a vida. A importância da cultura física se reflete em seus inúmeros benefícios. Fisicamente, melhora o condicionamento, fortalece a musculatura, aumenta a flexibilidade e a resistência cardiovascular. Além disso, ajuda no controle do peso corporal e na prevenção de doenças crônicas como diabetes, hipertensão e doenças cardíacas. No campo mental, a prática regular de exercícios reduz o estresse, melhora a qualidade do sono e eleva a autoestima. Os componentes da cultura física são diversos e abrangem atividades esportivas, exercícios físicos e recreação. Esportes coletivos como futebol, basquete e vôlei, assim como esportes individuais como atletismo e natação, são fundamentais para o desenvolvimento das habilidades motoras e sociais dos jovens. Exercícios cardiovasculares, musculação e atividades de flexibilidade como yoga e pilates também são essenciais para um bom condicionamento físico. A recreação, através de jogos, brincadeiras e atividades ao ar livre, complementa esse desenvolvimento de forma lúdica e prazerosa. Para os desbravadores, a cultura física é um pilar de suas atividades. Através de acampamentos, competições esportivas e projetos de serviço, os jovens têm a oportunidade de praticar atividades físicas em um ambiente que valoriza o trabalho em equipe e a superação de desafios. Essas experiências não só melhoram a saúde física, mas também fortalecem os laços de amizade e promovem a solidariedade e a cooperação. O planejamento adequado das atividades físicas é crucial para garantir segurança e eficácia. Uma estruturação bem feita envolve a avaliação inicial do condicionamento dos participantes, a definição de objetivos claros, a inclusão de uma variedade de atividades e o monitoramento contínuo do progresso. Além disso, práticas de segurança como aquecimento, alongamento, uso de equipamentos adequados e a manutenção de uma boa hidratação e nutrição são essenciais para prevenir lesões e garantir o bem-estar dos participantes. Em suma, a cultura física é um elemento vital na formação dos desbravadores. Ao investir em atividades físicas regulares e bem planejadas, estamos promovendo a saúde integral dos jovens e preparando-os para enfrentar os desafios da vida com vigor e resiliência. Através da cultura física, cultivamos não apenas corpos saudáveis, mas também mentes fortes e espíritos colaborativos, capazes de contribuir positivamente para a sociedade

desbravadorescultura física
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx

Slideshare Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24, Comentários Extras do Pr Henrique, EBD NA TV, Comentarista CPAD, Obra de SILAS QUEIROZ, 3º Trimestre 2024, Lições Bíblicas, adultos da CPAD, Tema, O Deus Que Governa o Mundo, e Cuida da Família. Os Ensinamentos Divinos nos livros de Rute e Ester, para a Nossa Geração, estudantes, professores, Ervália, MG, Imperatriz, MA, Cajamar, SP, estudos bíblicos, gospel, DEUS, ESPÍRITO SANTO, JESUS CRISTO, Meu tel-WhatsApp, 99-99152-0454, Canal YouTube, Henriquelhas, @PrHenrique, https://ebdnatv.blogspot.com/

slideshare lição 2cpado
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf

Apresentação sobre a base de dados Dimensions, apresentada à disciplina de Informação em Ciência, Tecnologia e inovação do curso de Biblioteconomia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

dimensionsoficinabase de dados
Filo: Chordata
Subfilo: Vertebrata
Classe: Mammalia
Algumas características exclusivas dos mamíferos:
• glândulas mamárias;
• corpo total ou parcialmente coberto por pelos;
• dentes diferenciados com incisivos, caninos, pré-molares e
molares;
• diafragma, uma membrana muscular que separa o tórax do
abdome e que auxilia na ventilação dos pulmões.
• Alguns mamíferos apresentam garras, unhas, chifres e
cascos.
• As glândulas sudoríparas presentes em alguns mamíferos
produzem suor e, com isso, ajudam a baixar a temperatura
corporal.
O coração dos mamíferos apresenta quatro câmaras, sendo a
circulação dupla e completa.

Recomendado para você

01 - SLIDE ESPECIALIDADE CULTURA FÍSICA.pdf
01 - SLIDE ESPECIALIDADE CULTURA FÍSICA.pdf01 - SLIDE ESPECIALIDADE CULTURA FÍSICA.pdf
01 - SLIDE ESPECIALIDADE CULTURA FÍSICA.pdf

A cultura física é fundamental para a formação dos jovens desbravadores, contribuindo para seu crescimento saudável e equilibrado. Ao incorporar práticas físicas regulares, promovemos não apenas a saúde física, mas também o bem-estar emocional e social. Através das atividades de cultura física, os desbravadores aprendem valores importantes, como disciplina, trabalho em equipe e resiliência, que os acompanharão por toda a vida. A importância da cultura física se reflete em seus inúmeros benefícios. Fisicamente, melhora o condicionamento, fortalece a musculatura, aumenta a flexibilidade e a resistência cardiovascular. Além disso, ajuda no controle do peso corporal e na prevenção de doenças crônicas como diabetes, hipertensão e doenças cardíacas. No campo mental, a prática regular de exercícios reduz o estresse, melhora a qualidade do sono e eleva a autoestima. Os componentes da cultura física são diversos e abrangem atividades esportivas, exercícios físicos e recreação. Esportes coletivos como futebol, basquete e vôlei, assim como esportes individuais como atletismo e natação, são fundamentais para o desenvolvimento das habilidades motoras e sociais dos jovens. Exercícios cardiovasculares, musculação e atividades de flexibilidade como yoga e pilates também são essenciais para um bom condicionamento físico. A recreação, através de jogos, brincadeiras e atividades ao ar livre, complementa esse desenvolvimento de forma lúdica e prazerosa. Para os desbravadores, a cultura física é um pilar de suas atividades. Através de acampamentos, competições esportivas e projetos de serviço, os jovens têm a oportunidade de praticar atividades físicas em um ambiente que valoriza o trabalho em equipe e a superação de desafios. Essas experiências não só melhoram a saúde física, mas também fortalecem os laços de amizade e promovem a solidariedade e a cooperação. O planejamento adequado das atividades físicas é crucial para garantir segurança e eficácia. Uma estruturação bem feita envolve a avaliação inicial do condicionamento dos participantes, a definição de objetivos claros, a inclusão de uma variedade de atividades e o monitoramento contínuo do progresso. Além disso, práticas de segurança como aquecimento, alongamento, uso de equipamentos adequados e a manutenção de uma boa hidratação e nutrição são essenciais para prevenir lesões e garantir o bem-estar dos participantes. Em suma, a cultura física é um elemento vital na formação dos desbravadores. Ao investir em atividades físicas regulares e bem planejadas, estamos promovendo a saúde integral dos jovens e preparando-os para enfrentar os desafios da vida com vigor e resiliência. Através da cultura física, cultivamos não apenas corpos saudáveis, mas também mentes fortes e espíritos colaborativos, capazes de contribuir positivamente para a sociedade

desbravadoresespecialidadecultura física
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS

Inscreva-se em nosso canal e tenha em suas mãos grãndes estudos bíblicos, temáticos e doutrinários da Palavra de Deus . Pr Davi Passos Estudos Bíblicos🇦🇺 https://www.youtube.com/user/Davidjp21 https://pt.slideshare.net/davipassos77 https://www.facebook.com/davi.passos.77 https://www.facebook.com/davi .passos .... https://gettr.com/user/prdavipassos

teologia
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!

Também chamado de intimidação sistemática, é considerado bullying “todo ato de violência física ou psicológica, intencional e repetitivo que ocorre sem motivação evidente, praticado por indivíduo ou grupo, contra uma ou mais pessoas, com o objetivo de intimidá-la ou agredi-la, causando dor e angústia à vítima.

acróstico bullyingbullying na escolabullying não é brincadeira
Monotremados: Ordem de mamíferos que põem ovos.
Marsupiais: Caracterizam-se pela presença de uma bolsa central,
situada na região abdominal (marsúpio).
Placentários: todo o desenvolvimento das crias acontece no
interior do útero, onde o feto é alimentado a partir da
placenta.
Referências bibliográficas
Hickman, C.P.; Roberts, L.S. & Larson, A. 2004 Princípios Integrados
de Zoologia. Editora Guanabara Koogan S.A., Rio de Janeiro. 846 p.
Lourenço, S.O. 2013.
HILDEBRAND, Milton; GOSLOW JR., G. E. Análise da estrutura
dos vertebrados. 2.ed. São Paulo: Atheneu, 2006. 637 p. ISBN
8574540889. POUGH, F. Harvey; JANIS, Chrisitine M.
HEISER, John B. A vida dos vertebrados. 4.ed. São Paulo:
Atheneu, 2008. 684 p. ISBN 9788574540955.

Recomendado para você

Marcelo Valle Silveira Mello -- Universidade Católica de Brasília
Marcelo Valle Silveira Mello -- Universidade Católica de BrasíliaMarcelo Valle Silveira Mello -- Universidade Católica de Brasília
Marcelo Valle Silveira Mello -- Universidade Católica de Brasília

Marcelo Valle Silveira Mello -- Universidade Católica de Brasília

marcelo valle silveira mello
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.

No Brasil o Dia dos Pais é celebrado sempre no segundo domingo de agosto. Em muitas partes do mundo, a celebração ocorre em datas diferentes, variando de acordo com a cultura e as tradições locais. Nesta data, os filhos homenageiam e agradecem aos papais toda a companhia, suporte e carinho recebido ao longo de suas vidas. A música 'Meu Pai, Razão da Minha História', interpretada pelo Colégio Adventista de Cachoeirinha, é uma homenagem tocante à figura paterna, destacando a importância do pai na vida e na formação dos filhos. A letra começa com uma cena cotidiana e íntima: a chegada do pai em casa, que é recebida com alegria e carinho pelo filho. Esse momento simples, mas significativo, simboliza a segurança e o amor que a presença paterna proporciona.

dia dos paismeu pairazão da minha história
atividade julho para educação especialFABIANA.pdf
atividade julho para educação especialFABIANA.pdfatividade julho para educação especialFABIANA.pdf
atividade julho para educação especialFABIANA.pdf

educação espacial

educação especial-
Criadores do conteúdo:
• Alline Souza
• Amanda Rodrigues
• Dayane Santana
• Gabriel Nardy
• Paolla Zuliani
• Alunos da Universidade Cruzeiro do Sul
• Curso: Ciências Biológicas Turma de 2017

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Moluscos
MoluscosMoluscos
Moluscos
Lidia Medeiros
 
Os Vertebrados
Os VertebradosOs Vertebrados
Os Vertebrados
empaul_harris
 
III.2 Platelmintos e Nematelmintos
III.2 Platelmintos e NematelmintosIII.2 Platelmintos e Nematelmintos
III.2 Platelmintos e Nematelmintos
Rebeca Vale
 
Cnidários ( Power Point ) 1
Cnidários ( Power Point ) 1Cnidários ( Power Point ) 1
Cnidários ( Power Point ) 1
Bio
 
Reino Animal
Reino AnimalReino Animal
Reino animal
Reino animalReino animal
Seleção natural e adaptação
Seleção natural e adaptaçãoSeleção natural e adaptação
Seleção natural e adaptação
Kamila Joyce
 
Filo dos cordados
Filo dos cordadosFilo dos cordados
Filo dos cordados
Iuri Fretta Wiggers
 
Bilateria / Animais Bilaterais
Bilateria / Animais BilateraisBilateria / Animais Bilaterais
Bilateria / Animais Bilaterais
Rafael Nunes
 
Anfíbios - Biologia
Anfíbios - BiologiaAnfíbios - Biologia
Anfíbios - Biologia
Killer Max
 
IV.4 aves
IV.4 avesIV.4 aves
IV.4 aves
Rebeca Vale
 
Artrópodes
ArtrópodesArtrópodes
Artrópodes
Killer Max
 
Aula de Biologia - Vertebrados (Peixes e Anfíbios) - 2° Ano Ensino Médio
Aula de Biologia - Vertebrados (Peixes e Anfíbios) - 2° Ano Ensino MédioAula de Biologia - Vertebrados (Peixes e Anfíbios) - 2° Ano Ensino Médio
Aula de Biologia - Vertebrados (Peixes e Anfíbios) - 2° Ano Ensino Médio
Ronaldo Santana
 
Algas aula
Algas aulaAlgas aula
Algas aula
Marcos Santos
 
Moluscos caracteristicas gerais
Moluscos   caracteristicas geraisMoluscos   caracteristicas gerais
Moluscos caracteristicas gerais
Ronalld Sabino
 
Reino animalia
Reino animaliaReino animalia
Reino animalia
Patricia Guimaraes
 
Osteichthyes Actinopterygii Sarcopterygii
Osteichthyes Actinopterygii SarcopterygiiOsteichthyes Actinopterygii Sarcopterygii
Osteichthyes Actinopterygii Sarcopterygii
Filipe Augusto Gonçalves de Melo
 
Animais invertebrados parte 2
Animais invertebrados   parte 2Animais invertebrados   parte 2
Animais invertebrados parte 2
Grazi Grazi
 
Revisão ENEM II- Origem da vida e evolução
Revisão ENEM II- Origem da vida e evoluçãoRevisão ENEM II- Origem da vida e evolução
Revisão ENEM II- Origem da vida e evolução
emanuel
 
Evolução biológica
Evolução biológicaEvolução biológica
Evolução biológica
César Milani
 

Mais procurados (20)

Moluscos
MoluscosMoluscos
Moluscos
 
Os Vertebrados
Os VertebradosOs Vertebrados
Os Vertebrados
 
III.2 Platelmintos e Nematelmintos
III.2 Platelmintos e NematelmintosIII.2 Platelmintos e Nematelmintos
III.2 Platelmintos e Nematelmintos
 
Cnidários ( Power Point ) 1
Cnidários ( Power Point ) 1Cnidários ( Power Point ) 1
Cnidários ( Power Point ) 1
 
Reino Animal
Reino AnimalReino Animal
Reino Animal
 
Reino animal
Reino animalReino animal
Reino animal
 
Seleção natural e adaptação
Seleção natural e adaptaçãoSeleção natural e adaptação
Seleção natural e adaptação
 
Filo dos cordados
Filo dos cordadosFilo dos cordados
Filo dos cordados
 
Bilateria / Animais Bilaterais
Bilateria / Animais BilateraisBilateria / Animais Bilaterais
Bilateria / Animais Bilaterais
 
Anfíbios - Biologia
Anfíbios - BiologiaAnfíbios - Biologia
Anfíbios - Biologia
 
IV.4 aves
IV.4 avesIV.4 aves
IV.4 aves
 
Artrópodes
ArtrópodesArtrópodes
Artrópodes
 
Aula de Biologia - Vertebrados (Peixes e Anfíbios) - 2° Ano Ensino Médio
Aula de Biologia - Vertebrados (Peixes e Anfíbios) - 2° Ano Ensino MédioAula de Biologia - Vertebrados (Peixes e Anfíbios) - 2° Ano Ensino Médio
Aula de Biologia - Vertebrados (Peixes e Anfíbios) - 2° Ano Ensino Médio
 
Algas aula
Algas aulaAlgas aula
Algas aula
 
Moluscos caracteristicas gerais
Moluscos   caracteristicas geraisMoluscos   caracteristicas gerais
Moluscos caracteristicas gerais
 
Reino animalia
Reino animaliaReino animalia
Reino animalia
 
Osteichthyes Actinopterygii Sarcopterygii
Osteichthyes Actinopterygii SarcopterygiiOsteichthyes Actinopterygii Sarcopterygii
Osteichthyes Actinopterygii Sarcopterygii
 
Animais invertebrados parte 2
Animais invertebrados   parte 2Animais invertebrados   parte 2
Animais invertebrados parte 2
 
Revisão ENEM II- Origem da vida e evolução
Revisão ENEM II- Origem da vida e evoluçãoRevisão ENEM II- Origem da vida e evolução
Revisão ENEM II- Origem da vida e evolução
 
Evolução biológica
Evolução biológicaEvolução biológica
Evolução biológica
 

Semelhante a Zoologia dos Vertebrados

Trabalho de biologia características gerais dos seres vivos
Trabalho de biologia características gerais dos seres vivosTrabalho de biologia características gerais dos seres vivos
Trabalho de biologia características gerais dos seres vivos
Alessandra Miranda
 
Aula 04 - os animais
Aula 04 - os animaisAula 04 - os animais
Aula 04 - os animais
Jonatas Carlos
 
Características gerais dos seres vivos
Características gerais dos seres vivosCaracterísticas gerais dos seres vivos
Características gerais dos seres vivos
Alessandra Miranda
 
Poríferos e cnidários
Poríferos e cnidários Poríferos e cnidários
Poríferos e cnidários
Natalia Mikaele Vasconcellos
 
Metazoários, poríferos, cnidários...
Metazoários, poríferos, cnidários...Metazoários, poríferos, cnidários...
Metazoários, poríferos, cnidários...
Roberto Bagatini
 
Trabalho de biologia
Trabalho de biologiaTrabalho de biologia
Trabalho de biologia
Roberto Bagatini
 
Zoologia 01
Zoologia 01Zoologia 01
2016 Frente 2 módulo 1 o tegumento dos animais
2016 Frente 2 módulo 1 o tegumento dos animais2016 Frente 2 módulo 1 o tegumento dos animais
2016 Frente 2 módulo 1 o tegumento dos animais
Colégio Batista de Mantena
 
Classe dos animais por
Classe dos animais por Classe dos animais por
Classe dos animais por
profgaspar
 
Trabalho de ciências de Marcos Fraga e Iago Souza
Trabalho de ciências de Marcos Fraga e Iago SouzaTrabalho de ciências de Marcos Fraga e Iago Souza
Trabalho de ciências de Marcos Fraga e Iago Souza
Janaina Luciane Fraga
 
Plano 9
Plano 9Plano 9
Poríferos e cnidários
Poríferos e cnidáriosPoríferos e cnidários
Poríferos e cnidários
Nayara Saldanha
 
Frente 2 módulo 1 O Tegumento dos Animais
Frente 2 módulo 1 O Tegumento dos AnimaisFrente 2 módulo 1 O Tegumento dos Animais
Frente 2 módulo 1 O Tegumento dos Animais
Colégio Batista de Mantena
 
Revisao biologia 2ano_ensinomedio2
Revisao biologia 2ano_ensinomedio2Revisao biologia 2ano_ensinomedio2
Revisao biologia 2ano_ensinomedio2
lwanaduarte
 
Coleguiumclassificacao2012
Coleguiumclassificacao2012Coleguiumclassificacao2012
Coleguiumclassificacao2012
rnogueira
 
Zoo 2 de anelídeos a equinodermos
Zoo 2   de anelídeos a equinodermosZoo 2   de anelídeos a equinodermos
Zoo 2 de anelídeos a equinodermos
aulasdotubao
 
Artropodes slide
Artropodes slideArtropodes slide
Artropodes slide
AMANDA VALVERDE
 
Artrópodes
ArtrópodesArtrópodes
Artrópodes
Iuri Fretta Wiggers
 
O Reino dos Animais
O Reino dos AnimaisO Reino dos Animais
O Reino dos Animais
Renata1993Freire
 
Intro_discip Embrio.pdf
Intro_discip Embrio.pdfIntro_discip Embrio.pdf
Intro_discip Embrio.pdf
IgorAlves153
 

Semelhante a Zoologia dos Vertebrados (20)

Trabalho de biologia características gerais dos seres vivos
Trabalho de biologia características gerais dos seres vivosTrabalho de biologia características gerais dos seres vivos
Trabalho de biologia características gerais dos seres vivos
 
Aula 04 - os animais
Aula 04 - os animaisAula 04 - os animais
Aula 04 - os animais
 
Características gerais dos seres vivos
Características gerais dos seres vivosCaracterísticas gerais dos seres vivos
Características gerais dos seres vivos
 
Poríferos e cnidários
Poríferos e cnidários Poríferos e cnidários
Poríferos e cnidários
 
Metazoários, poríferos, cnidários...
Metazoários, poríferos, cnidários...Metazoários, poríferos, cnidários...
Metazoários, poríferos, cnidários...
 
Trabalho de biologia
Trabalho de biologiaTrabalho de biologia
Trabalho de biologia
 
Zoologia 01
Zoologia 01Zoologia 01
Zoologia 01
 
2016 Frente 2 módulo 1 o tegumento dos animais
2016 Frente 2 módulo 1 o tegumento dos animais2016 Frente 2 módulo 1 o tegumento dos animais
2016 Frente 2 módulo 1 o tegumento dos animais
 
Classe dos animais por
Classe dos animais por Classe dos animais por
Classe dos animais por
 
Trabalho de ciências de Marcos Fraga e Iago Souza
Trabalho de ciências de Marcos Fraga e Iago SouzaTrabalho de ciências de Marcos Fraga e Iago Souza
Trabalho de ciências de Marcos Fraga e Iago Souza
 
Plano 9
Plano 9Plano 9
Plano 9
 
Poríferos e cnidários
Poríferos e cnidáriosPoríferos e cnidários
Poríferos e cnidários
 
Frente 2 módulo 1 O Tegumento dos Animais
Frente 2 módulo 1 O Tegumento dos AnimaisFrente 2 módulo 1 O Tegumento dos Animais
Frente 2 módulo 1 O Tegumento dos Animais
 
Revisao biologia 2ano_ensinomedio2
Revisao biologia 2ano_ensinomedio2Revisao biologia 2ano_ensinomedio2
Revisao biologia 2ano_ensinomedio2
 
Coleguiumclassificacao2012
Coleguiumclassificacao2012Coleguiumclassificacao2012
Coleguiumclassificacao2012
 
Zoo 2 de anelídeos a equinodermos
Zoo 2   de anelídeos a equinodermosZoo 2   de anelídeos a equinodermos
Zoo 2 de anelídeos a equinodermos
 
Artropodes slide
Artropodes slideArtropodes slide
Artropodes slide
 
Artrópodes
ArtrópodesArtrópodes
Artrópodes
 
O Reino dos Animais
O Reino dos AnimaisO Reino dos Animais
O Reino dos Animais
 
Intro_discip Embrio.pdf
Intro_discip Embrio.pdfIntro_discip Embrio.pdf
Intro_discip Embrio.pdf
 

Mais de Alline Sa

Sistema circulatório: Fisiologia Animal Comparada
Sistema circulatório: Fisiologia Animal ComparadaSistema circulatório: Fisiologia Animal Comparada
Sistema circulatório: Fisiologia Animal Comparada
Alline Sa
 
O Universo
O UniversoO Universo
O Universo
Alline Sa
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
Alline Sa
 
Os Nutrientes
Os NutrientesOs Nutrientes
Os Nutrientes
Alline Sa
 
A Hidrosfera
A HidrosferaA Hidrosfera
A Hidrosfera
Alline Sa
 
Exossomos
ExossomosExossomos
Exossomos
Alline Sa
 
Os transgênicos
Os transgênicos Os transgênicos
Os transgênicos
Alline Sa
 
Vírus
VírusVírus
Vírus
Alline Sa
 

Mais de Alline Sa (8)

Sistema circulatório: Fisiologia Animal Comparada
Sistema circulatório: Fisiologia Animal ComparadaSistema circulatório: Fisiologia Animal Comparada
Sistema circulatório: Fisiologia Animal Comparada
 
O Universo
O UniversoO Universo
O Universo
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 
Os Nutrientes
Os NutrientesOs Nutrientes
Os Nutrientes
 
A Hidrosfera
A HidrosferaA Hidrosfera
A Hidrosfera
 
Exossomos
ExossomosExossomos
Exossomos
 
Os transgênicos
Os transgênicos Os transgênicos
Os transgênicos
 
Vírus
VírusVírus
Vírus
 

Último

Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantililSEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
menesabi
 
edital-n-0042024â__seaddgppvigilante-penitenciario-temporario_processo-seleti...
edital-n-0042024â__seaddgppvigilante-penitenciario-temporario_processo-seleti...edital-n-0042024â__seaddgppvigilante-penitenciario-temporario_processo-seleti...
edital-n-0042024â__seaddgppvigilante-penitenciario-temporario_processo-seleti...
ElderElias1
 
Especialidade de Cultura Física - Aula.ppt
Especialidade de Cultura Física - Aula.pptEspecialidade de Cultura Física - Aula.ppt
Especialidade de Cultura Física - Aula.ppt
CalebeSeJoga
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 
01 - SLIDE ESPECIALIDADE CULTURA FÍSICA.pdf
01 - SLIDE ESPECIALIDADE CULTURA FÍSICA.pdf01 - SLIDE ESPECIALIDADE CULTURA FÍSICA.pdf
01 - SLIDE ESPECIALIDADE CULTURA FÍSICA.pdf
CalebeSeJoga
 
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
Marcelo Valle Silveira Mello -- Universidade Católica de Brasília
Marcelo Valle Silveira Mello -- Universidade Católica de BrasíliaMarcelo Valle Silveira Mello -- Universidade Católica de Brasília
Marcelo Valle Silveira Mello -- Universidade Católica de Brasília
xopoke8750
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
atividade julho para educação especialFABIANA.pdf
atividade julho para educação especialFABIANA.pdfatividade julho para educação especialFABIANA.pdf
atividade julho para educação especialFABIANA.pdf
IedaGoethe
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 
Slides Lição 1, Betel, A relevância da Palavra de DEUS, para edificação doutr...
Slides Lição 1, Betel, A relevância da Palavra de DEUS, para edificação doutr...Slides Lição 1, Betel, A relevância da Palavra de DEUS, para edificação doutr...
Slides Lição 1, Betel, A relevância da Palavra de DEUS, para edificação doutr...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Memória e identidade registro fotoetnográfico do Território Quilombola Nova J...
Memória e identidade registro fotoetnográfico do Território Quilombola Nova J...Memória e identidade registro fotoetnográfico do Território Quilombola Nova J...
Memória e identidade registro fotoetnográfico do Território Quilombola Nova J...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantililSEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
 
edital-n-0042024â__seaddgppvigilante-penitenciario-temporario_processo-seleti...
edital-n-0042024â__seaddgppvigilante-penitenciario-temporario_processo-seleti...edital-n-0042024â__seaddgppvigilante-penitenciario-temporario_processo-seleti...
edital-n-0042024â__seaddgppvigilante-penitenciario-temporario_processo-seleti...
 
Especialidade de Cultura Física - Aula.ppt
Especialidade de Cultura Física - Aula.pptEspecialidade de Cultura Física - Aula.ppt
Especialidade de Cultura Física - Aula.ppt
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 
01 - SLIDE ESPECIALIDADE CULTURA FÍSICA.pdf
01 - SLIDE ESPECIALIDADE CULTURA FÍSICA.pdf01 - SLIDE ESPECIALIDADE CULTURA FÍSICA.pdf
01 - SLIDE ESPECIALIDADE CULTURA FÍSICA.pdf
 
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
Marcelo Valle Silveira Mello -- Universidade Católica de Brasília
Marcelo Valle Silveira Mello -- Universidade Católica de BrasíliaMarcelo Valle Silveira Mello -- Universidade Católica de Brasília
Marcelo Valle Silveira Mello -- Universidade Católica de Brasília
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
atividade julho para educação especialFABIANA.pdf
atividade julho para educação especialFABIANA.pdfatividade julho para educação especialFABIANA.pdf
atividade julho para educação especialFABIANA.pdf
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 
Slides Lição 1, Betel, A relevância da Palavra de DEUS, para edificação doutr...
Slides Lição 1, Betel, A relevância da Palavra de DEUS, para edificação doutr...Slides Lição 1, Betel, A relevância da Palavra de DEUS, para edificação doutr...
Slides Lição 1, Betel, A relevância da Palavra de DEUS, para edificação doutr...
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
Memória e identidade registro fotoetnográfico do Território Quilombola Nova J...
Memória e identidade registro fotoetnográfico do Território Quilombola Nova J...Memória e identidade registro fotoetnográfico do Território Quilombola Nova J...
Memória e identidade registro fotoetnográfico do Território Quilombola Nova J...
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 

Zoologia dos Vertebrados

  • 3. Há cerca de três mil e quinhentos anos, Aristoteles (384 a.C.) foi o primeiro a registrar e classificar diferentes tipos de seres vivos, e após seus trabalhos, é possível verificar diversas outras ciências de classificação ao longo da história, culminando na mais célebre de todas, desenvolvida por Carl Von Linné (1700) no século XVIII, chamada taxonomia.
  • 4. O sistema de Linnaeus para nomear espécies é chamado de nomenclatura binomial. Cada espécie apresenta um nome latinizado, composto de duas palavras (daí binomial) grafado em itálico (ou sublinhado, se for escrito à mão).
  • 5. A primeira palavra é o nome do Gênero, coma primeira letra maiúscula; a segunda palavra representa o epíteto específico, que é particular para a espécie dentro do gênero, e é grafado com todas as letras minúsculas.
  • 6. Em 1982, Ernst Mayr (1963) definiu o conceito biológico de espécie da seguinte maneira: “Uma espécie é uma comunidade reprodutiva de populações (isoladas reprodutivamente de outras) que ocupa um nicho específico na natureza”.
  • 7. Para classificar as espécies, aceita-se a teoria da mutação animal de acordo com o mais apto, proposta por Charles Robert Darwin (1882)
  • 8. Em seu mais célebre trabalho, A Origem das espécies, Darwin propôs que toda espécie advém de espécies ascendentes, caracterizando ancestrais comuns, que transmitem boa parte de suas características à novas espécies ao longo do tempo geológico
  • 9. No caminho evolutivo, é necessário destacar quais são os caracteres ancestrais e quais são derivados. O método utilizado para examinar a polaridade de um caráter variado é chamado cladística.
  • 10. Hoje em dia, a filogenia nos dá as pistas que precisamos sobre o caminho percorrido pelas espécies ao longo do tempo, sendo a atual base para a cladística, não mais simplesmente a anatomia e comportamento animal, como ocorria antigamente
  • 11. Sem o estudo da filogenética dos animais, seria muito difícil propôs os conceitos de Homologia, que é a similaridade de caracteres que resulta de descendência em comum, e a Homoplasia, que é a similaridade de caracteres que erroneamente representa descendência em comum
  • 12. Apesar de não terem membros, as cecílias e serpentes são tetrápodes, pois fazem parte desse sistema de descendência em comum; outros caracteres moleculares e morfológicos agrupam-nos, respectivamente, com anfíbios e lagartos
  • 13. Organismos ou espécies que compartilham estados de caráter derivados formam subgrupos dentro do grupo de estudo denominados clados
  • 15. Apomorfia (do grego, απο, "longe de" e μορφη, "forma") características atuais que são derivadas de características primitivas de uma espécie ancestral. sinapomorfia (Gr. synapsis, agrupado, + morphe, forma) o prefixo "sin" indica que uma determinada apomorfia é compartilhada por um determinado grupo. Ex.: as mamas nos mamíferos.
  • 16. Autapomorfia nada mais é do que uma apomorfia, ou seja, um caracter atual presente em apenas um táxon dentro de um grande agrupamento. Ex.: Asas nos morcegos. A existência de asa é compartilhada entre os morcegos (autapomorfia) mas, não entre os morcegos e os mamíferos, apesar dele ser um mamífero.
  • 17. Plesiomorfia (do grego, πλησιος, "próximo a" e μορφη, "forma") são características primitivas. Ex.: a ausência de coluna vertebral nos vertebrados é uma característica plesiomórfica, enquanto que a presença é uma característica apomórfica.
  • 21. Características principais • Notocorda; • Cordão nervoso dorsal; • Fendas faríngeas; • Cauda pós anal.
  • 22. Outras características • Possuem simetria bilateral; • São triblásticos celomados e deuterostômios; • Possuem sistema circulatório fechado; • Respiração branquial ou pulmonar; • São dioico (maioria) com dimorfismo sexual;
  • 23. Compartilham com organismos invertebrados: • Simetria bilateral; • Eixo ântero-posterior; • Celoma; • Metamerismo; • Cefalização.
  • 26. Urochordatas • As características diagnósticas dos cordados aparecem nas larvas / adultos são altamente especializados. Ascídias
  • 27. Cephalochordata • Apresentam as 4 características diagnósticas dos cordados: notocorda; cordão nervoso dorsal; fendas faríngeas; cauda pós anal. Anfioxo
  • 28. Filo: Chordata Subfilo: Vertebrata Intrafilo: Agnata Classe Myxini (feiticeiras) & Classe Cephalaspidomorphi
  • 29. Agnatha • Não possuem maxilas e nem ossificação interna, • Não possuem escamas e nem nadadeiras pares. • Seu sistema digestivo não apresenta estômago • Aberturas branquiais (forma de poros) e corpo em forma de enguia.
  • 32. Chondrichthyes • Apresentam esqueleto cartilaginoso e nadadeiras peitorais e pélvicas pareadas • Nos machos as nadadeiras pélvicas são modificadas em clásperes. • Apresentam fecundação interna • Aparecimento de mandíbula • O intestino apresenta uma válvula espiral (retarda a passagem do alimento e aumenta a área de absorção) • Não apresentam bexiga natatória ou pulmões
  • 33. EX: Os Tubarões • Apresentam corpo fusiforme, boca ventral; • A coluna termina no lobo superior da cauda (heterocerca) – ajuda na flutuabilidade; • Escamas placóides; • Linha lateral; • Coração bicavitário. • Audição e olfato desevolvidos.
  • 35. Características : • Ossos operculares e peitorais; • Osso endocondral; • Pulmões e bexiga natatória • Esqueleto ósseo. • Escamas do tipo cicloide ou ctenoide. • Opérculo ósseo – abertura cria pressão negativa e impulsiona água através das brânquias / protege; • Bomba bucal – empurra água para as brânquias; • Bexiga natatória – trocas gasosas em água com pouco O2 e flutuação neutra
  • 40. O que são anfíbios, afinal? Filo: Chordata Subfilo: Vertebrata Classe: Amphibia
  • 45. • Foram descritas mais de 10 mil espécies de viventes de répteis, que incluem serpentes, tartarugas e jacarés, além de muitos grupos extintos como os dinossauros. • Originados há mais de 350 milhões de anos.
  • 46. Classificação • Quelônios: São as tartarugas, os jabutis e os cágados. • Crocodilianos: São os crocodilos e os jacarés. • Escamados: São os lagartos e as serpentes.
  • 47. • São os primeiros vertebrados totalmente adaptados à vida terrestre. • O surgimento de novas adaptações tornou os repteis mais independentes da água do que os anfíbios. • A principal modificação ocorreu no modo de reprodução. • Nos répteis, os embriões se desenvolvem no interior de um ovo dotado de casca impermeável.
  • 48. • O corpo dos répteis é coberto por uma pele seca, resistente e impermeável. • São formadas por duas camadas: a derme e a epiderme. Cobertura Corporal
  • 49. Derme • Camada interna, espessa e bem desenvolvida. • Células pigmentares presentes nas dermes, são responsáveis pelo padrão colorido de lagartos e serpentes.
  • 50. Epiderme • Camada externa que originou escamas (serpentes), placas (jacarés, crocodilos) ou carapaças (tartarugas) formadas principalmente por queratina. • Alguns répteis, como as serpentes e lagartos realizam trocas de pele na qual escamas antigas são abandonadas quando uma nova camada é formada. • Jacarés e crocodilos não realizam trocas de pele, mas suas placas crescem à medida que vão se desgastando. • Nas tartarugas, novas camadas queratinizadas são acrescentadas sob as mais antigas formando carapaças.
  • 54. Respiração • A respiração é pulmonar, com pulmões mais desenvolvidos que os dos anfíbios. • Apresenta dobras internas que aumentam a capacidade respiratória. • Os pulmões fornecem uma quantidade suficiente de oxigênio, o que torna "dispensável" a respiração por meio da pele.
  • 55. • O coração dos répteis apresentam três cavidades: dois átrios (um direito e um esquerdo) e um ventrículo. Circulação
  • 56. • O coração dos répteis crocodilianos apresentam quatro cavidades: dois átrios e dois ventrículos. • Mesmo nos crocodilianos observa- se mistura dos tipos de sangue (venoso e arterial) que passam pelo coração. • Circulação dupla e incompleta, os animais desse grupo são pecilotérmicos, adaptam a temperatura do corpo a temperatura do ambiente.
  • 57. Alimentação e digestão • Possuem um sistema digestório completo. Os répteis também têm como anexos o fígado e o pâncreas. • O alimento passa da boca para a faringe, segue para o esôfago, o estômago, depois para o intestino delgado, e por fim a cloaca. • A cloaca desses animais é a saída dos sistemas digestivo, excretor e reprodutor. • Digestão lenta, o tempo do processo é resultado de uma menor capacidade metabólica e da incapacidade de mastigar os alimentos.
  • 58. Reprodução • A maioria das espécies tem um órgão copulatório e fecundação interna. • Fecundação interna foi muito importante para a evolução dos vertebrados, impedindo a morte dos gametas e embriões por desidratação. • Além disso produzem ovos amnióticos.
  • 59. • Esse tipo de ovo é dotado de casca e três membranas que formam bolsas: o âmnio, o alantoide e o cório. • O embrião se desenvolve no interior do âmnio. • O alantoide é uma bolsa membranosa que recebe os resíduos nitrogenados. • Alantoide e o cório ricamente vascularizados, permitindo as trocas gasosas.
  • 61. • Vivem e reproduzem-se em praticamente todos os habitats terrestres e em todos os continentes. • As aves são animais endotérmicos e mantêm uma temperatura de aproximadamente 41 °C. • As penas e, em algumas espécies, a gordura subcutânea, oferecem isolamento térmico. • Membros anteriores → asas • Membros posteriores → andar, nadar, empoleirar-se.
  • 62. • As aves possuem diversas adaptações evolutivas destinadas ao voo, entre as quais ossos pneumáticos e leves e dois grandes músculos peitorais destinados ao voo.
  • 63. As aves têm um dos mais complexos e eficientes sistemas respiratórios de todos os animais. A ventilação é assegurada em grande parte por sacos aéreos ligados aos pulmões. Embora as paredes dos sacos aéreos não façam trocas gasosas, têm a função de fazer circular o ar pelo sistema respiratório.
  • 64. Sistema digestório das aves O esôfago desses animais possui uma região dilatada chamada de papo. É no papo que o alimento ingerido pelo animal será armazenado e amolecido. . O estômago das aves é dividido em proventrículo e moela. Após serem amolecidos no papo, os alimentos vão para o proventrículo, também chamado de estômago químico. No proventrículo, o alimento é misturado a enzimas digestivas e encaminhado para o estômago mecânico, muito conhecido como moela.
  • 65. • Bico córneo → perda dos dentes
  • 66. Circulação nas Aves Por possuir circulação dupla e completa, a ave apresenta uma maior disponibilidade de oxigênio e, consequentemente, uma maior disponibilidade de energia para conseguir manter a temperatura do corpo constante.
  • 67. Troca de calor contracorrente A artéria que percorre a perna carrega sangue aquecido do corpo. O sangue quente descendente troca seu calor com o sangue frio ascendente, por condução. Isso significa que menos calor será perdido no pé devido à redução na diferença de temperatura entre o sangue mais frio e os seus arredores e que o sangue que retorna à área central do corpo esteja relativamente aquecido, prevenindo o centro do corpo de esfriar
  • 68. A glândula uropigiana secreta uma substância oleosa utilizada como impermeabilizante para as penas, lubrificante para o bico, de modo que não fique quebradiço, e auxilia também na termorregulação . O espalhamento do óleo pelo corpo é feito pela própria ave, que o faz com o bico, por isso vemos aves passando o bico em si mesmas, principalmente patos em lagoas.
  • 70. Algumas características exclusivas dos mamíferos: • glândulas mamárias; • corpo total ou parcialmente coberto por pelos; • dentes diferenciados com incisivos, caninos, pré-molares e molares; • diafragma, uma membrana muscular que separa o tórax do abdome e que auxilia na ventilação dos pulmões.
  • 71. • Alguns mamíferos apresentam garras, unhas, chifres e cascos. • As glândulas sudoríparas presentes em alguns mamíferos produzem suor e, com isso, ajudam a baixar a temperatura corporal.
  • 72. O coração dos mamíferos apresenta quatro câmaras, sendo a circulação dupla e completa.
  • 73. Monotremados: Ordem de mamíferos que põem ovos.
  • 74. Marsupiais: Caracterizam-se pela presença de uma bolsa central, situada na região abdominal (marsúpio).
  • 75. Placentários: todo o desenvolvimento das crias acontece no interior do útero, onde o feto é alimentado a partir da placenta.
  • 76. Referências bibliográficas Hickman, C.P.; Roberts, L.S. & Larson, A. 2004 Princípios Integrados de Zoologia. Editora Guanabara Koogan S.A., Rio de Janeiro. 846 p. Lourenço, S.O. 2013. HILDEBRAND, Milton; GOSLOW JR., G. E. Análise da estrutura dos vertebrados. 2.ed. São Paulo: Atheneu, 2006. 637 p. ISBN 8574540889. POUGH, F. Harvey; JANIS, Chrisitine M. HEISER, John B. A vida dos vertebrados. 4.ed. São Paulo: Atheneu, 2008. 684 p. ISBN 9788574540955.
  • 77. Criadores do conteúdo: • Alline Souza • Amanda Rodrigues • Dayane Santana • Gabriel Nardy • Paolla Zuliani • Alunos da Universidade Cruzeiro do Sul • Curso: Ciências Biológicas Turma de 2017