SlideShare uma empresa Scribd logo
Nas zonas de vertente o            Neste trabalho iremos
movimento       de    materiais   apresentar       os     factores
normalmente dá-se de forma        responsáveis pelo movimento
lenta    e    gradual    sendo    em massa, iremos explicar os
praticamente     imperceptível    perigos de construir em zonas
para o Homem, porém em            de vertente, iremos apresentar
alguns casos este movimento       medidas de prevenção e
de materiais do solo ou do        iremos fazer uma breve
substrato rochoso pode ser        referência    às    cheias   da
brusco, inesperado e em           Madeira que aconteceram em
grande     volume.    A    este   2010 é às cheias que ocorreram
fenómeno              chama-se    no Rio de Janeiro no início de
movimento em massas.                           2011.
O movimento em massa é condicionado por
vários factores, sendo eles:

    • Factores Naturais


    • Factores antrópicos
• Gravidade e inclinação
• Precipitação
• Variação da temperatura
• Materiais geológicos
• Grau de alteração e facturação
• Quanto maior for a inclinação menor é a componente
normal, e maior é a componente tangencial que é a
responsável pelo movimento de materiais.
• É possível calcular o factor de segurança (que nos dá a
probabilidade de haver ou não movimento em massa)
através da seguinte fórmula:
                        FS= FR/GT
• Quando o factor de segurança é menor que 1 ocorrem
movimentos em massa, quando é maior que 1 não ocorrem
movimentos de materiais.
• A água que se infiltra no solo, devido á sua forte
capacidade de estabelecer ligações moleculares, cria
uma fina camada em redor das partículas do solo. Uma
fina película permite manter o grau de coesão entre as
partículas, porém se a película for mais espessa a
tensão é tal que leva ao afastamento das partículas
tornando o solo mais instável.
• A variação de temperatura favorece a
desagregação de materiais, podendo ocorrer
crioclastia ou termoclastia.
• A resistência e coesão dos materiais geológicos
constituintes de uma zona de vertente têm um
papel fundamental na ocorrência ou não ocorrência
de movimentos em massa. Sendo que se o substrato
rochoso for formado por rochas frágeis e com
fendas o movimento em massa é eminente.
• Remoção da vegetação

• Remoção de terrenos para construção

• Ocupação de áreas de risco

• Falta de fiscalização
• O perigo principal é o movimento em massa.

• Desastres a nível vegetal e animal.

• O ser humano é fortemente prejudicado.
• Movimento em massa consiste no
deslocamento
de materiais
sólidos ao
longo de uma
vertente.



         Imagem do deslizamento de terras em Angra dos Reis, Brasil.
Eis algumas medidas de prevenção:

• Estudo das características geológicas do local.

• Elaboração de cartas de ordenamento do território, com definição de áreas
apropriadas para as diferentes actividades.

• Colocação de redes ou muros de suporte com sistema de drenagem de modo
a não armazenar muita água no solo (taludes).

• Colocação de pregagens; plantação de cobertura vegetal de crescimento
rápido.

• Remoção dos materiais geológicos que possam constituir perigo.

• Elaboração de cartas de risco geológico.
Medida de prevenção tomada na serra da Arrábida, Setúbal.
Exemplo de uma carta de ordenamento do território, da C.M. de Póvoa de Varzim.
Exemplo de uma carta de risco geológico, Porto Velho - Madeira
Os movimentos em             vez de ocupar locais
massa provocam milhares      inseguros                para
de vítimas todos os anos,    construção, como as zonas
muitas das vezes por falta   de     vertente,    onde    a
de fiscalização e de         população habitante está
divulgação dos perigos       em constante perigo. Cabe
das zonas de vertente. Por   agora à população reflectir
outro lado, a população      e decidir se esse risco
continua a aumentar e a      compensa, ou se a melhor
necessidade de espaço        solução          é,        de
também, por isso, terão      facto, procurar locais mais
de ser encontradas novas     seguros para habitar; e às
soluções. Uma solução        pessoas responsáveis pelas
possível seria construir     zonas em risco proibirem a
edifícios mais altos em      construção de edifícios.
Trabalho realizado por:
• Alexandre Marques nº 1
• Ana Kaiseler nº 2
• Gonçalo Pereira nº 11
• Nuno Gonçalves nº 21

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

1 ocupação antrópica - zonas costeiras
1   ocupação antrópica - zonas costeiras1   ocupação antrópica - zonas costeiras
1 ocupação antrópica - zonas costeiras
margaridabt
 
Rochas sedimentares - minerais e formação
Rochas sedimentares  - minerais e formaçãoRochas sedimentares  - minerais e formação
Rochas sedimentares - minerais e formação
Isabel Lopes
 
Determinismo e Liberdade na Ação Humana
Determinismo e Liberdade na Ação HumanaDeterminismo e Liberdade na Ação Humana
Determinismo e Liberdade na Ação Humana
Leonidia Afm
 
Zonas costeiras
Zonas costeirasZonas costeiras
Zonas costeiras
Rita Oliveira
 
Síntese Sermão de Santo António aos Peixes
Síntese Sermão de Santo António aos PeixesSíntese Sermão de Santo António aos Peixes
Síntese Sermão de Santo António aos Peixes
Catarina Castro
 
Resumos Biologia & Geologia (GEOLOGIA) 11º Ano
Resumos Biologia & Geologia (GEOLOGIA) 11º AnoResumos Biologia & Geologia (GEOLOGIA) 11º Ano
Resumos Biologia & Geologia (GEOLOGIA) 11º Ano
Vitor Perfeito
 
Princípios básicos do raciocínio geológico
Princípios básicos do raciocínio geológicoPrincípios básicos do raciocínio geológico
Princípios básicos do raciocínio geológico
margaridabt
 
8 sismologia
8   sismologia8   sismologia
8 sismologia
margaridabt
 
Processos Cognitivos - Resumo
Processos Cognitivos - ResumoProcessos Cognitivos - Resumo
Processos Cognitivos - Resumo
Jorge Barbosa
 
Metodos Estudo Interior Geosfera (Meu)
Metodos Estudo Interior Geosfera (Meu)Metodos Estudo Interior Geosfera (Meu)
Metodos Estudo Interior Geosfera (Meu)
guest47596c16b
 
Dinâmica de Uma Bacia Hidrográfica
Dinâmica de Uma Bacia HidrográficaDinâmica de Uma Bacia Hidrográfica
Dinâmica de Uma Bacia Hidrográfica
Rosária Zamith
 
Geologia 11 ocupação antrópica e problemas de ordenamento - bacias hidrográ...
Geologia 11   ocupação antrópica e problemas de ordenamento - bacias hidrográ...Geologia 11   ocupação antrópica e problemas de ordenamento - bacias hidrográ...
Geologia 11 ocupação antrópica e problemas de ordenamento - bacias hidrográ...
Nuno Correia
 
Mobilismo Geológico
Mobilismo Geológico Mobilismo Geológico
Mobilismo Geológico
Bárbara Castanheira
 
Movimentos de Vertente
Movimentos de VertenteMovimentos de Vertente
Movimentos de Vertente
EBSPMA
 
Resumos de Português: Sermão de Santo António aos Peixes
Resumos de Português: Sermão de Santo António aos PeixesResumos de Português: Sermão de Santo António aos Peixes
Resumos de Português: Sermão de Santo António aos Peixes
Raffaella Ergün
 
Recursos minerais - Metálicos e não metálicos
Recursos minerais - Metálicos e não metálicosRecursos minerais - Metálicos e não metálicos
Recursos minerais - Metálicos e não metálicos
Marisa Ferreira
 
Magma, teor em sílica, temperatura e erupções
Magma, teor em sílica, temperatura e erupçõesMagma, teor em sílica, temperatura e erupções
Magma, teor em sílica, temperatura e erupções
MINEDU
 
6 dobras e falhas
6   dobras e falhas6   dobras e falhas
6 dobras e falhas
margaridabt
 
Terra um planeta em mudança
Terra um planeta em mudançaTerra um planeta em mudança
Terra um planeta em mudança
Isabel Lopes
 
Descontinuidades Internas
Descontinuidades InternasDescontinuidades Internas
Descontinuidades Internas
Tânia Reis
 

Mais procurados (20)

1 ocupação antrópica - zonas costeiras
1   ocupação antrópica - zonas costeiras1   ocupação antrópica - zonas costeiras
1 ocupação antrópica - zonas costeiras
 
Rochas sedimentares - minerais e formação
Rochas sedimentares  - minerais e formaçãoRochas sedimentares  - minerais e formação
Rochas sedimentares - minerais e formação
 
Determinismo e Liberdade na Ação Humana
Determinismo e Liberdade na Ação HumanaDeterminismo e Liberdade na Ação Humana
Determinismo e Liberdade na Ação Humana
 
Zonas costeiras
Zonas costeirasZonas costeiras
Zonas costeiras
 
Síntese Sermão de Santo António aos Peixes
Síntese Sermão de Santo António aos PeixesSíntese Sermão de Santo António aos Peixes
Síntese Sermão de Santo António aos Peixes
 
Resumos Biologia & Geologia (GEOLOGIA) 11º Ano
Resumos Biologia & Geologia (GEOLOGIA) 11º AnoResumos Biologia & Geologia (GEOLOGIA) 11º Ano
Resumos Biologia & Geologia (GEOLOGIA) 11º Ano
 
Princípios básicos do raciocínio geológico
Princípios básicos do raciocínio geológicoPrincípios básicos do raciocínio geológico
Princípios básicos do raciocínio geológico
 
8 sismologia
8   sismologia8   sismologia
8 sismologia
 
Processos Cognitivos - Resumo
Processos Cognitivos - ResumoProcessos Cognitivos - Resumo
Processos Cognitivos - Resumo
 
Metodos Estudo Interior Geosfera (Meu)
Metodos Estudo Interior Geosfera (Meu)Metodos Estudo Interior Geosfera (Meu)
Metodos Estudo Interior Geosfera (Meu)
 
Dinâmica de Uma Bacia Hidrográfica
Dinâmica de Uma Bacia HidrográficaDinâmica de Uma Bacia Hidrográfica
Dinâmica de Uma Bacia Hidrográfica
 
Geologia 11 ocupação antrópica e problemas de ordenamento - bacias hidrográ...
Geologia 11   ocupação antrópica e problemas de ordenamento - bacias hidrográ...Geologia 11   ocupação antrópica e problemas de ordenamento - bacias hidrográ...
Geologia 11 ocupação antrópica e problemas de ordenamento - bacias hidrográ...
 
Mobilismo Geológico
Mobilismo Geológico Mobilismo Geológico
Mobilismo Geológico
 
Movimentos de Vertente
Movimentos de VertenteMovimentos de Vertente
Movimentos de Vertente
 
Resumos de Português: Sermão de Santo António aos Peixes
Resumos de Português: Sermão de Santo António aos PeixesResumos de Português: Sermão de Santo António aos Peixes
Resumos de Português: Sermão de Santo António aos Peixes
 
Recursos minerais - Metálicos e não metálicos
Recursos minerais - Metálicos e não metálicosRecursos minerais - Metálicos e não metálicos
Recursos minerais - Metálicos e não metálicos
 
Magma, teor em sílica, temperatura e erupções
Magma, teor em sílica, temperatura e erupçõesMagma, teor em sílica, temperatura e erupções
Magma, teor em sílica, temperatura e erupções
 
6 dobras e falhas
6   dobras e falhas6   dobras e falhas
6 dobras e falhas
 
Terra um planeta em mudança
Terra um planeta em mudançaTerra um planeta em mudança
Terra um planeta em mudança
 
Descontinuidades Internas
Descontinuidades InternasDescontinuidades Internas
Descontinuidades Internas
 

Destaque

Deslizamentos de terras e avalanches trabalho final
Deslizamentos de terras e avalanches   trabalho finalDeslizamentos de terras e avalanches   trabalho final
Deslizamentos de terras e avalanches trabalho final
8_c_clube
 
Zonas De Vertente Acabado 22[1]
Zonas De Vertente   Acabado 22[1]Zonas De Vertente   Acabado 22[1]
Zonas De Vertente Acabado 22[1]
sandrarodrigues
 
Ocupação Antrópica
Ocupação AntrópicaOcupação Antrópica
Ocupação Antrópica
Catir
 
Geologia 11 ocupação antrópica e problemas de ordenamento - zonas costeiras
Geologia 11   ocupação antrópica e problemas de ordenamento - zonas costeirasGeologia 11   ocupação antrópica e problemas de ordenamento - zonas costeiras
Geologia 11 ocupação antrópica e problemas de ordenamento - zonas costeiras
Nuno Correia
 
Ocupação Antrópica
Ocupação AntrópicaOcupação Antrópica
Ocupação Antrópica
guest50f9e
 
Catástrofes naturais avalanches
Catástrofes naturais   avalanchesCatástrofes naturais   avalanches
Catástrofes naturais avalanches
Mariana Monteiro
 
Avalanches
AvalanchesAvalanches
Avalanches
ap8dgrp7
 
BioGeo11-zonas de vertente
BioGeo11-zonas de vertenteBioGeo11-zonas de vertente
BioGeo11-zonas de vertente
Rita Rainho
 
Vertentes
VertentesVertentes
Movimento de massa
Movimento de massaMovimento de massa
Movimento de massa
Marco Antônio Aguiar Lopes
 
Rochas sedimentares
Rochas sedimentaresRochas sedimentares
Rochas sedimentares
Catir
 
FT7 - OCUPAÇÃO ANTRÓPICA
FT7 - OCUPAÇÃO ANTRÓPICAFT7 - OCUPAÇÃO ANTRÓPICA
FT7 - OCUPAÇÃO ANTRÓPICA
sandranascimento
 
Fichatrabalho5 bg11
Fichatrabalho5 bg11Fichatrabalho5 bg11
Fichatrabalho5 bg11
Magda Charrua
 
Riscos e catástrofes naturais 2
Riscos e catástrofes naturais 2Riscos e catástrofes naturais 2
Riscos e catástrofes naturais 2
Maria João Carlos
 
Geologia: Zonas costeiras e de vertente
Geologia: Zonas costeiras e de vertenteGeologia: Zonas costeiras e de vertente
Geologia: Zonas costeiras e de vertente
CientistasMalucas
 
Avalanches
AvalanchesAvalanches
Avalanches
Mayjö .
 
Geologia 11 rochas sedimentares - detríticas
Geologia 11   rochas sedimentares  - detríticasGeologia 11   rochas sedimentares  - detríticas
Geologia 11 rochas sedimentares - detríticas
Nuno Correia
 
Zonas Costeiras
Zonas CosteirasZonas Costeiras
Zonas Costeiras
Nuno Correia
 
zonas costeiras
zonas costeiraszonas costeiras
zonas costeiras
Flavio Soares
 
Zonas costeiras – ocupação antrópica da faixa litoral
Zonas costeiras – ocupação antrópica da faixa litoralZonas costeiras – ocupação antrópica da faixa litoral
Zonas costeiras – ocupação antrópica da faixa litoral
João Palmeiro
 

Destaque (20)

Deslizamentos de terras e avalanches trabalho final
Deslizamentos de terras e avalanches   trabalho finalDeslizamentos de terras e avalanches   trabalho final
Deslizamentos de terras e avalanches trabalho final
 
Zonas De Vertente Acabado 22[1]
Zonas De Vertente   Acabado 22[1]Zonas De Vertente   Acabado 22[1]
Zonas De Vertente Acabado 22[1]
 
Ocupação Antrópica
Ocupação AntrópicaOcupação Antrópica
Ocupação Antrópica
 
Geologia 11 ocupação antrópica e problemas de ordenamento - zonas costeiras
Geologia 11   ocupação antrópica e problemas de ordenamento - zonas costeirasGeologia 11   ocupação antrópica e problemas de ordenamento - zonas costeiras
Geologia 11 ocupação antrópica e problemas de ordenamento - zonas costeiras
 
Ocupação Antrópica
Ocupação AntrópicaOcupação Antrópica
Ocupação Antrópica
 
Catástrofes naturais avalanches
Catástrofes naturais   avalanchesCatástrofes naturais   avalanches
Catástrofes naturais avalanches
 
Avalanches
AvalanchesAvalanches
Avalanches
 
BioGeo11-zonas de vertente
BioGeo11-zonas de vertenteBioGeo11-zonas de vertente
BioGeo11-zonas de vertente
 
Vertentes
VertentesVertentes
Vertentes
 
Movimento de massa
Movimento de massaMovimento de massa
Movimento de massa
 
Rochas sedimentares
Rochas sedimentaresRochas sedimentares
Rochas sedimentares
 
FT7 - OCUPAÇÃO ANTRÓPICA
FT7 - OCUPAÇÃO ANTRÓPICAFT7 - OCUPAÇÃO ANTRÓPICA
FT7 - OCUPAÇÃO ANTRÓPICA
 
Fichatrabalho5 bg11
Fichatrabalho5 bg11Fichatrabalho5 bg11
Fichatrabalho5 bg11
 
Riscos e catástrofes naturais 2
Riscos e catástrofes naturais 2Riscos e catástrofes naturais 2
Riscos e catástrofes naturais 2
 
Geologia: Zonas costeiras e de vertente
Geologia: Zonas costeiras e de vertenteGeologia: Zonas costeiras e de vertente
Geologia: Zonas costeiras e de vertente
 
Avalanches
AvalanchesAvalanches
Avalanches
 
Geologia 11 rochas sedimentares - detríticas
Geologia 11   rochas sedimentares  - detríticasGeologia 11   rochas sedimentares  - detríticas
Geologia 11 rochas sedimentares - detríticas
 
Zonas Costeiras
Zonas CosteirasZonas Costeiras
Zonas Costeiras
 
zonas costeiras
zonas costeiraszonas costeiras
zonas costeiras
 
Zonas costeiras – ocupação antrópica da faixa litoral
Zonas costeiras – ocupação antrópica da faixa litoralZonas costeiras – ocupação antrópica da faixa litoral
Zonas costeiras – ocupação antrópica da faixa litoral
 

Semelhante a Zonas de Vertente

riscos naturais
riscos naturaisriscos naturais
riscos naturais
carlossono
 
Madeira final
Madeira finalMadeira final
Madeira final
Teresa Catarina
 
Zonas de vertentes
Zonas de vertentesZonas de vertentes
Zonas de vertentes
Anabela Mota
 
Cedec mg - mapeamento
  Cedec mg - mapeamento  Cedec mg - mapeamento
Cedec mg - mapeamento
DefesaCivilBarbacena
 
Ad1 geomofologia continental
Ad1   geomofologia continentalAd1   geomofologia continental
Ad1 geomofologia continental
PaperPão
 
Alagamentos, inundações, deslizamentos de encostas, ... a mãe natureza volta ...
Alagamentos, inundações, deslizamentos de encostas, ... a mãe natureza volta ...Alagamentos, inundações, deslizamentos de encostas, ... a mãe natureza volta ...
Alagamentos, inundações, deslizamentos de encostas, ... a mãe natureza volta ...
Universidade Federal Fluminense
 
Alagamentos, inundações, deslizamentos de encostas, ... a mãe natureza volta ...
Alagamentos, inundações, deslizamentos de encostas, ... a mãe natureza volta ...Alagamentos, inundações, deslizamentos de encostas, ... a mãe natureza volta ...
Alagamentos, inundações, deslizamentos de encostas, ... a mãe natureza volta ...
Universidade Federal Fluminense
 
Alagamentos, inundações, deslizamentos de encostas, ... a mãe natureza volta ...
Alagamentos, inundações, deslizamentos de encostas, ... a mãe natureza volta ...Alagamentos, inundações, deslizamentos de encostas, ... a mãe natureza volta ...
Alagamentos, inundações, deslizamentos de encostas, ... a mãe natureza volta ...
Universidade Federal Fluminense
 
PerturbaçõEs No EquíLibrio Dos Ecossistemas – As CatáStrofes
PerturbaçõEs No EquíLibrio Dos Ecossistemas – As CatáStrofesPerturbaçõEs No EquíLibrio Dos Ecossistemas – As CatáStrofes
PerturbaçõEs No EquíLibrio Dos Ecossistemas – As CatáStrofes
Paulo Ponte
 
Apontamentos Riscos e Catástrofes
Apontamentos Riscos e CatástrofesApontamentos Riscos e Catástrofes
Apontamentos Riscos e Catástrofes
asgeoprofessoras
 
Estudo de implantação de um programa de monitoramento de encostas na br 116
Estudo de implantação de um programa de monitoramento de encostas na br 116Estudo de implantação de um programa de monitoramento de encostas na br 116
Estudo de implantação de um programa de monitoramento de encostas na br 116
ERI - "Engineering and Research Institute" Pesquisas Ltda
 
Alagamentos, inundações, deslizamentos de encostas, ... a mãe natureza volta ...
Alagamentos, inundações, deslizamentos de encostas, ... a mãe natureza volta ...Alagamentos, inundações, deslizamentos de encostas, ... a mãe natureza volta ...
Alagamentos, inundações, deslizamentos de encostas, ... a mãe natureza volta ...
Universidade Federal Fluminense
 
Geologia
GeologiaGeologia
Geologia
HLM
 
zonas de vertente
zonas de vertentezonas de vertente
zonas de vertente
sandrarodrigues
 
Trab. Geo2 (2)..
Trab. Geo2 (2)..Trab. Geo2 (2)..
Trab. Geo2 (2)..
Victória de Matos
 
G proteção ambiental e desenvolvimento sustentável-geologia
G proteção ambiental e desenvolvimento sustentável-geologiaG proteção ambiental e desenvolvimento sustentável-geologia
G proteção ambiental e desenvolvimento sustentável-geologia
becresforte
 
Zonas De Vertente Acabado 22[1]
Zonas De Vertente   Acabado 22[1]Zonas De Vertente   Acabado 22[1]
Zonas De Vertente Acabado 22[1]
sandrarodrigues
 
Zonas De Vertente Acabado 22[1]
Zonas De Vertente   Acabado 22[1]Zonas De Vertente   Acabado 22[1]
Zonas De Vertente Acabado 22[1]
sandrarodrigues
 
Catástrofes causas e conseq
Catástrofes   causas e conseqCatástrofes   causas e conseq
Catástrofes causas e conseq
Carla Ribeiro
 
Desastres naturais
Desastres naturaisDesastres naturais
Desastres naturais
Ingrid Bispo
 

Semelhante a Zonas de Vertente (20)

riscos naturais
riscos naturaisriscos naturais
riscos naturais
 
Madeira final
Madeira finalMadeira final
Madeira final
 
Zonas de vertentes
Zonas de vertentesZonas de vertentes
Zonas de vertentes
 
Cedec mg - mapeamento
  Cedec mg - mapeamento  Cedec mg - mapeamento
Cedec mg - mapeamento
 
Ad1 geomofologia continental
Ad1   geomofologia continentalAd1   geomofologia continental
Ad1 geomofologia continental
 
Alagamentos, inundações, deslizamentos de encostas, ... a mãe natureza volta ...
Alagamentos, inundações, deslizamentos de encostas, ... a mãe natureza volta ...Alagamentos, inundações, deslizamentos de encostas, ... a mãe natureza volta ...
Alagamentos, inundações, deslizamentos de encostas, ... a mãe natureza volta ...
 
Alagamentos, inundações, deslizamentos de encostas, ... a mãe natureza volta ...
Alagamentos, inundações, deslizamentos de encostas, ... a mãe natureza volta ...Alagamentos, inundações, deslizamentos de encostas, ... a mãe natureza volta ...
Alagamentos, inundações, deslizamentos de encostas, ... a mãe natureza volta ...
 
Alagamentos, inundações, deslizamentos de encostas, ... a mãe natureza volta ...
Alagamentos, inundações, deslizamentos de encostas, ... a mãe natureza volta ...Alagamentos, inundações, deslizamentos de encostas, ... a mãe natureza volta ...
Alagamentos, inundações, deslizamentos de encostas, ... a mãe natureza volta ...
 
PerturbaçõEs No EquíLibrio Dos Ecossistemas – As CatáStrofes
PerturbaçõEs No EquíLibrio Dos Ecossistemas – As CatáStrofesPerturbaçõEs No EquíLibrio Dos Ecossistemas – As CatáStrofes
PerturbaçõEs No EquíLibrio Dos Ecossistemas – As CatáStrofes
 
Apontamentos Riscos e Catástrofes
Apontamentos Riscos e CatástrofesApontamentos Riscos e Catástrofes
Apontamentos Riscos e Catástrofes
 
Estudo de implantação de um programa de monitoramento de encostas na br 116
Estudo de implantação de um programa de monitoramento de encostas na br 116Estudo de implantação de um programa de monitoramento de encostas na br 116
Estudo de implantação de um programa de monitoramento de encostas na br 116
 
Alagamentos, inundações, deslizamentos de encostas, ... a mãe natureza volta ...
Alagamentos, inundações, deslizamentos de encostas, ... a mãe natureza volta ...Alagamentos, inundações, deslizamentos de encostas, ... a mãe natureza volta ...
Alagamentos, inundações, deslizamentos de encostas, ... a mãe natureza volta ...
 
Geologia
GeologiaGeologia
Geologia
 
zonas de vertente
zonas de vertentezonas de vertente
zonas de vertente
 
Trab. Geo2 (2)..
Trab. Geo2 (2)..Trab. Geo2 (2)..
Trab. Geo2 (2)..
 
G proteção ambiental e desenvolvimento sustentável-geologia
G proteção ambiental e desenvolvimento sustentável-geologiaG proteção ambiental e desenvolvimento sustentável-geologia
G proteção ambiental e desenvolvimento sustentável-geologia
 
Zonas De Vertente Acabado 22[1]
Zonas De Vertente   Acabado 22[1]Zonas De Vertente   Acabado 22[1]
Zonas De Vertente Acabado 22[1]
 
Zonas De Vertente Acabado 22[1]
Zonas De Vertente   Acabado 22[1]Zonas De Vertente   Acabado 22[1]
Zonas De Vertente Acabado 22[1]
 
Catástrofes causas e conseq
Catástrofes   causas e conseqCatástrofes   causas e conseq
Catástrofes causas e conseq
 
Desastres naturais
Desastres naturaisDesastres naturais
Desastres naturais
 

Zonas de Vertente

  • 1.
  • 2. Nas zonas de vertente o Neste trabalho iremos movimento de materiais apresentar os factores normalmente dá-se de forma responsáveis pelo movimento lenta e gradual sendo em massa, iremos explicar os praticamente imperceptível perigos de construir em zonas para o Homem, porém em de vertente, iremos apresentar alguns casos este movimento medidas de prevenção e de materiais do solo ou do iremos fazer uma breve substrato rochoso pode ser referência às cheias da brusco, inesperado e em Madeira que aconteceram em grande volume. A este 2010 é às cheias que ocorreram fenómeno chama-se no Rio de Janeiro no início de movimento em massas. 2011.
  • 3. O movimento em massa é condicionado por vários factores, sendo eles: • Factores Naturais • Factores antrópicos
  • 4. • Gravidade e inclinação • Precipitação • Variação da temperatura • Materiais geológicos • Grau de alteração e facturação
  • 5. • Quanto maior for a inclinação menor é a componente normal, e maior é a componente tangencial que é a responsável pelo movimento de materiais. • É possível calcular o factor de segurança (que nos dá a probabilidade de haver ou não movimento em massa) através da seguinte fórmula: FS= FR/GT • Quando o factor de segurança é menor que 1 ocorrem movimentos em massa, quando é maior que 1 não ocorrem movimentos de materiais.
  • 6.
  • 7. • A água que se infiltra no solo, devido á sua forte capacidade de estabelecer ligações moleculares, cria uma fina camada em redor das partículas do solo. Uma fina película permite manter o grau de coesão entre as partículas, porém se a película for mais espessa a tensão é tal que leva ao afastamento das partículas tornando o solo mais instável.
  • 8.
  • 9. • A variação de temperatura favorece a desagregação de materiais, podendo ocorrer crioclastia ou termoclastia.
  • 10. • A resistência e coesão dos materiais geológicos constituintes de uma zona de vertente têm um papel fundamental na ocorrência ou não ocorrência de movimentos em massa. Sendo que se o substrato rochoso for formado por rochas frágeis e com fendas o movimento em massa é eminente.
  • 11. • Remoção da vegetação • Remoção de terrenos para construção • Ocupação de áreas de risco • Falta de fiscalização
  • 12. • O perigo principal é o movimento em massa. • Desastres a nível vegetal e animal. • O ser humano é fortemente prejudicado.
  • 13. • Movimento em massa consiste no deslocamento de materiais sólidos ao longo de uma vertente. Imagem do deslizamento de terras em Angra dos Reis, Brasil.
  • 14. Eis algumas medidas de prevenção: • Estudo das características geológicas do local. • Elaboração de cartas de ordenamento do território, com definição de áreas apropriadas para as diferentes actividades. • Colocação de redes ou muros de suporte com sistema de drenagem de modo a não armazenar muita água no solo (taludes). • Colocação de pregagens; plantação de cobertura vegetal de crescimento rápido. • Remoção dos materiais geológicos que possam constituir perigo. • Elaboração de cartas de risco geológico.
  • 15. Medida de prevenção tomada na serra da Arrábida, Setúbal.
  • 16. Exemplo de uma carta de ordenamento do território, da C.M. de Póvoa de Varzim.
  • 17.
  • 18. Exemplo de uma carta de risco geológico, Porto Velho - Madeira
  • 19.
  • 20.
  • 21. Os movimentos em vez de ocupar locais massa provocam milhares inseguros para de vítimas todos os anos, construção, como as zonas muitas das vezes por falta de vertente, onde a de fiscalização e de população habitante está divulgação dos perigos em constante perigo. Cabe das zonas de vertente. Por agora à população reflectir outro lado, a população e decidir se esse risco continua a aumentar e a compensa, ou se a melhor necessidade de espaço solução é, de também, por isso, terão facto, procurar locais mais de ser encontradas novas seguros para habitar; e às soluções. Uma solução pessoas responsáveis pelas possível seria construir zonas em risco proibirem a edifícios mais altos em construção de edifícios.
  • 22. Trabalho realizado por: • Alexandre Marques nº 1 • Ana Kaiseler nº 2 • Gonçalo Pereira nº 11 • Nuno Gonçalves nº 21