SlideShare uma empresa Scribd logo
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Geografia -  População Brasileira
Ao final dessa aula, você será capaz de:
 Entender como ocorreu o processo de expansão populacional do
Brasil;
 Conhecer os principais fatores de povoamento do país;
 Reconhecer a importância dos imigrantes no país;
 Entender os processos migratórios internos;
 Entender como funciona a estrutura populacional do país.
 Formação cultural brasileira;
 Cultura regional brasileira;
 Imigração;
 Migração.
 População relativa: relação entre o número de habitantes e a
área do território onde se distribuem.
 População absoluta: é o número total de habitantes de um lugar
(país, cidade etc.).
 Crescimento vegetativo ou natural: é a diferença entre a taxa de
natalidade e a taxa de mortalidade de um determinado local ou
país geralmente expressa em porcentagem.
 Demografia: é o estudo da dinâmica da população humana.
 Densidade populacional : corresponde ao número de indivíduos
por unidade de área.
 Expectativa de vida: o número médio de anos que um grupo de
indivíduos espera viver.
Populaçã
o
Brasileira
Esquema Organizacional Global 1
Crescimento
populacional
Fatores
PositivoCrescimento
Vegetativo
Diferença entre taxa de
natalidade e de mortalidade.
Migração
Tipos
Definição
Desaceleração demográfica
1ª Transição Demográfica
Imigração
Fatores
históricos
Diminuição da taxa de mortalidade
2ª Transição Demográfica
Negativo
Nulo
Natalidade maior que
mortalidade.
Mortalidade maior que
natalidade.
Mortalidade equivalente
natalidade.
Teorias
populacionais
Malthusiana
Neomalthusiana
Reformista
Ecomalthusiana
Crescimento de alimentos ocorreria em progressão aritmética.
Sem guerra e epidemia, a população crescerá em progressão geométrica.
Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per
capita.
População jovem e numerosa necessita de investimentos sociais.
Maior o número de habitantes de um país, menor
a renda per capita.
Crescimento populacional exagerado pressionava
os recursos naturais.
População
Brasileira
Políticas
demográficas
São populacionistas
Atuais
Definição
Esquema Organizacional Global 2
Aumento dos idosos
Redução dos jovens.
Estrutura etária
Divisão
Pirâmide etária
atual
Adultos
Jovens
Idosos
Até 59 anos.
Até 19 anos.
60 em diante.
População
economicamente
ativa
Secundário
Primário
Terciário
Indústria
Agricultura, pecuária,
silvicultura e pesca.
Comércio, serviço e
profissões liberais.
Setores das
atividades humanas
Expansão
territorial e
migrações
Apropriação do territórioMobilidades espacial
Pequena migração
Imigração no
Brasil
1º Período
2º Período
3º Período
Intensa migração
Diminuição do fluxo
População
Brasileira
Esquema Organizacional Global 3
Fluxos
migratórios
Ordem econômica Busca emprego e uma melhor condição de vida.
Movimentos
migratórios
Definição Pessoas se deslocam dentro de um mesmo território.
Tipos
Urbano-urbano
Sazonal
Pendular
Êxodo Rural Transferência de populações
rurais para o espaço urbano.
Transferência de populações de
uma cidade para outra.
Migração temporária, em
determinado período do ano.
Trabalhadores saem (de uma
cidade) em direção ao seu
trabalho (em outro município).
Muito povoadoMigração Intrarregional Na mesma região
Distribuição geográfica Pouco povoadoIrregular
 Taxa de natalidade
É a relação entre o número de nascimentos ocorridos em um
ano e o número de habitantes. Obtemos essa taxa tomando os
nascimentos ocorridos durante um ano, multiplicando-se por
1000 e dividindo o resultado pela população absoluta, ou seja:
 Taxa de Mortalidade
É a relação entre o número de óbitos ocorridos em um ano e o
número de habitantes. Obtemos essa taxa tomando os óbitos
ocorridos durante um ano, multiplicando-os por 1000 e
dividindo o resultado pela população absoluta, ou seja:
Populaçã
o
Brasileira
1ª Transição DemográficaImigração
Esquema Organizacional Parcial
Fatores
históricos
No último século a população brasileira multiplicou por dez:
em 1900 residiam no Brasil cerca de 17 milhões de pessoas, no
ano 2000 quase 170 milhões. Desde o primeiro recenseamento
(1872) ocorreram várias mudanças no padrão da
evolução demográfica brasileira. Até o início da década de 1930 o
crescimento da população do Brasil contou com forte
contribuição da imigração.
A partir de 1934, com a adoção da "Lei de Cotas" que
estabelecia limites à entrada de imigrantes, o aumento da
população dependeu, principalmente, do crescimento vegetativo
(cv), isto é, a diferença entre as taxas de natalidade e a de
mortalidade expressa em porcentagem.
Populaçã
o
Brasileira
1ª Transição Demográfica
Imigração
Esquema Organizacional Parcial
Fatores
históricos
Diminuição da taxa de mortalidade
No entanto, foi depois da Segunda Guerra Mundial (1939-
45) que o crescimento tornou-se acelerado, devido à diminuição
das taxas de mortalidade. Isso é explicado por fatores como a
expansão da rede de esgoto, acesso à água encanada,
campanhas de vacinação em massa, acesso a medicamentos
básicos, etc. Entre 1940 a 1960 foi registrada a maior evolução
das taxas de crescimento populacional, atingindo em 1960 a
taxa de 2,9% a.a. (ao ano - ou 29%0 a.a.). Este período marcou
a primeira fase de transição demográfica brasileira.
Populaçã
o
Brasileira
Desaceleração demográfica
1ª Transição Demográfica
Imigração
Esquema Organizacional Parcial
Fatores
históricos
Diminuição da taxa de mortalidade
2ª Transição Demográfica
A partir da década de 1960, começou a ocorrer uma
desaceleração demográfica contínua: a diminuição das taxas de
natalidade passou a ser maior que a das taxas de mortalidade,
registrando em 2000 um crescimento demográfico de 1,6% a.a.,
com tendência à queda. Essa mudança no padrão do crescimento
populacional brasileiro mostra uma situação típica da segunda fase
de transição demográfica.
Atualmente, de acordo com o Censo Demográfico Brasileiro
podemos perceber que a população brasileira cresceu em 138 anos,
quase 20 vezes. Os censos demográficos são realizados no Brasil a
cada dez anos Desde 1872, o maior índice de crescimento da
população brasileira foi registrado na década de 50, quando o Brasil
crescia 2,99% ao ano. Isso, de acordo com Fernando Albuquerque,
gerente da Coordenação de População e Indicadores Sociais, porque
o Brasil registrou o declínio de mortalidade após a Segunda Guerra
Mundial, em 1945 e manteve altos os níveis de fecundidade.
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Geografia -  População Brasileira
Populaçã
o
Brasileira
Esquema Organizacional Parcial
Crescimento
populacional
fatores
Crescimento
Vegetativo
Migração
Desaceleração demográfica
1ª Transição Demográfica
Imigração
Fatores
históricos
Diminuição da taxa de mortalidade
2ª Transição Demográfica
Populaçã
o
Brasileira
Esquema Organizacional Parcial
Crescimento
populacional
fatores
Crescimento
Vegetativo
Migração
Desaceleração demográfica
1ª Transição Demográfica
Imigração
Fatores
históricos
Diminuição da taxa de mortalidade
2ª Transição Demográfica
Diferença entre taxa de
natalidade e de mortalidade.
Definição
Tipos
O crescimento populacional de um determinado território
ocorre através de dois fatores: a migração e o crescimento
vegetativo, esse último é a diferença entre a taxa de
natalidade e a taxa de mortalidade.
CV = NATALIDADE - MORTALIDADE
Populaçã
o
Brasileira
Esquema Organizacional Parcial
Crescimento
populacional
fatores
Positivo
Crescimento
Vegetativo
Diferença entre taxa de
natalidade e de mortalidade.
Migração
Tipos
Definição
Desaceleração demográfica
1ª Transição Demográfica
Imigração
Fatores
históricos
Diminuição da taxa de mortalidade
2ª Transição Demográfica
Natalidade maior que
mortalidade.
Populaçã
o
Brasileira
Esquema Organizacional Parcial
Crescimento
populacional
fatores
Positivo
Crescimento
Vegetativo
Diferença entre taxa de
natalidade e de mortalidade.
Migração
Tipos
Definição
Desaceleração demográfica
1ª Transição Demográfica
Imigração
Fatores
históricos
Diminuição da taxa de mortalidade
2ª Transição Demográfica
Negativo
Natalidade maior que
mortalidade.
Mortalidade maior que
natalidade.
Populaçã
o
Brasileira
Esquema Organizacional Parcial
Crescimento
populacional
fatores
PositivoCrescimento
Vegetativo
Diferença entre taxa de
natalidade e de mortalidade.
Migração
Tipos
Definição
Desaceleração demográfica
1ª Transição Demográfica
Imigração
Fatores
históricos
Diminuição da taxa de mortalidade
2ª Transição Demográfica
Negativo
Nulo
Natalidade maior que
mortalidade.
Mortalidade maior que
natalidade.
Mortalidade equivalente
natalidade.
Quando a taxa de natalidade é maior que a de
mortalidade, tem-se um crescimento vegetativo positivo; caso
contrário, o crescimento é negativo; e quando as duas taxas são
equivalentes, o crescimento vegetativo é nulo.
No Brasil, o crescimento vegetativo é o principal
responsável pelo aumento populacional, já que os fluxos
migratórios ocorreram de forma mais intensa entre 1800 e 1950.
Nesse período, a população brasileira totalizava 51.944,397
habitantes, bem longe dos atuais 190.755.799. 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Geografia -  População Brasileira
Entre os anos de 1872 e 2000 houve um crescimento
considerável da população no Brasil, especialmente na década
de 50 quando a mortalidade estava em decadência e a
natalidade apresentava índices elevados.
Por volta da década de 70 esse crescimento ficou mais
lento em razão de algumas mudanças, como por exemplo, o
grande aumento dos custos para sobreviver e o fácil acesso aos
métodos anticoncepcionais.
Os censos de 1991 e 2000 também apontam uma queda
na taxa de crescimento populacional.
Populaçã
o
Brasileira
Esquema Organizacional Parcial
Crescimento
populacional
Fatores
PositivoCrescimento
Vegetativo
Diferença entre taxa de
natalidade e de mortalidade.
Migração
Tipos
Definição
Desaceleração demográfica
1ª Transição Demográfica
Imigração
Fatores
históricos
Diminuição da taxa de mortalidade
2ª Transição Demográfica
Negativo
Nulo
Natalidade maior que
mortalidade.
Mortalidade maior que
natalidade.
Mortalidade equivalente
natalidade.
Teorias
populacionais
Malthusiana
Neomalthusiana
Reformista
Ecomalthusiana
Inúmeras teorias foram elaboradas para tentar explicar o
crescimento populacional. Dentre elas, é comum se destacarem
três, que estão profundamente inter-relacionadas: a malthusiana,
a neomalthusiana e a reformista, além da ecomalthusiana, criado
no século 18 por Malthus.
Populaçã
o
Brasileira
Esquema Organizacional Parcial
Crescimento
populacional
Fatores
PositivoCrescimento
Vegetativo
Diferença entre taxa de
natalidade e de mortalidade.
Migração
Tipos
Definição
Desaceleração demográfica
1ª Transição Demográfica
Imigração
Fatores
históricos
Diminuição da taxa de mortalidade
2ª Transição Demográfica
Negativo
Nulo
Natalidade maior que
mortalidade.
Mortalidade maior que
natalidade.
Mortalidade equivalente
natalidade.
Teorias
populacionais
Malthusiana
Neomalthusiana
Reformista
Ecomalthusiana
Sem guerra e epidemia, a população crescerá em progressão geométrica.
Populaçã
o
Brasileira
Esquema Organizacional Parcial
Crescimento
populacional
Fatores
PositivoCrescimento
Vegetativo
Diferença entre taxa de
natalidade e de mortalidade.
Migração
Tipos
Definição
Desaceleração demográfica
1ª Transição Demográfica
Imigração
Fatores
históricos
Diminuição da taxa de mortalidade
2ª Transição Demográfica
Negativo
Nulo
Natalidade maior que
mortalidade.
Mortalidade maior que
natalidade.
Mortalidade equivalente
natalidade.
Teorias
populacionais
Malthusiana
Neomalthusiana
Reformista
Ecomalthusiana
Crescimento de alimentos ocorreria em progressão aritmética.
Sem guerra e epidemia, a população crescerá em progressão geométrica.
Malthusiana: Em 1798, Malthus publicou uma teoria demográfica
que apresenta basicamente dois postulados:
a) Se não ocorrerem guerras, epidemias, desastres naturais, etc., a
população tenderia a duplicar a cada 25 anos. Ela cresceria,
portanto, em progressão geométrica (2, 4, 8, 16, 32...) ,ou seja,
cresceria sem parar.
b) O crescimento da produção de alimentos ocorreria apenas em
progressão aritmética (2, 4, 6, 8,10...) e possuiria um limite de
produção, por depender de um fator fixo: o próprio limite territorial
dos continentes.
Populaçã
o
Brasileira
Esquema Organizacional Parcial
Crescimento
populacional
Fatores
PositivoCrescimento
Vegetativo
Diferença entre taxa de
natalidade e de mortalidade.
Migração
Tipos
Definição
Desaceleração demográfica
1ª Transição Demográfica
Imigração
Fatores
históricos
Diminuição da taxa de mortalidade
2ª Transição Demográfica
Negativo
Nulo
Natalidade maior que
mortalidade.
Mortalidade maior que
natalidade.
Mortalidade equivalente
natalidade.
Teorias
populacionais
Malthusiana
Neomalthusiana
Reformista
Ecomalthusiana
Crescimento de alimentos ocorreria em progressão aritmética.
Sem guerra e epidemia, a população crescerá em progressão geométrica.
População jovem e numerosa necessita de investimentos sociais.
Teoria Neomalthusiana: Segunda essa teoria, uma população
jovem e numerosa necessita de grandes investimentos sociais em
educação e saúde. Com isso, diminuem os investimentos
produtivos nos setores agrícola e industrial, o que impede o pleno
desenvolvimento das atividades econômicas e, portanto, da
melhoria das condições de vida da população.
Populaçã
o
Brasileira
Esquema Organizacional Parcial
Crescimento
populacional
Fatores
PositivoCrescimento
Vegetativo
Diferença entre taxa de
natalidade e de mortalidade.
Migração
Tipos
Definição
Desaceleração demográfica
1ª Transição Demográfica
Imigração
Fatores
históricos
Diminuição da taxa de mortalidade
2ª Transição Demográfica
Negativo
Nulo
Natalidade maior que
mortalidade.
Mortalidade maior que
natalidade.
Mortalidade equivalente
natalidade.
Teorias
populacionais
Malthusiana
Neomalthusiana
Reformista
Ecomalthusiana
Crescimento de alimentos ocorreria em progressão aritmética.
Sem guerra e epidemia, a população crescerá em progressão geométrica.
Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per
capita.
População jovem e numerosa necessita de investimentos sociais.
Ainda segundo os neomalthusianos, quanto maior o
número de habitantes de um país, menor a renda per capita e a
disponibilidade de capital a ser distribuído pelos agentes
econômicos. Sua proposta são programas de controle da
natalidade nos países subdesenvolvidos e a disseminação da
utilização de métodos anticoncepcionais.
Populaçã
o
Brasileira
Esquema Organizacional Parcial
Crescimento
populacional
Fatores
PositivoCrescimento
Vegetativo
Diferença entre taxa de
natalidade e de mortalidade.
Migração
Tipos
Definição
Desaceleração demográfica
1ª Transição Demográfica
Imigração
Fatores
históricos
Diminuição da taxa de mortalidade
2ª Transição Demográfica
Negativo
Nulo
Natalidade maior que
mortalidade.
Mortalidade maior que
natalidade.
Mortalidade equivalente
natalidade.
Teorias
populacionais
Malthusiana
Neomalthusiana
Reformista
Ecomalthusiana
Crescimento de alimentos ocorreria em progressão aritmética.
Sem guerra e epidemia, a população crescerá em progressão geométrica.
Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per
capita.
População jovem e numerosa necessita de investimentos sociais.
Maior o número de habitantes de um país, menor
a renda per capita.
Teoria Reformista: Uma população jovem numerosa, em virtude
de elevadas taxas de natalidade, não é a causa, mas consequência
do subdesenvolvimento. Uma população jovem numerosa só se
tornou empecilho ao desenvolvimento das atividades econômicas
nos países subdesenvolvidos porque não foram realizados
investimentos sociais, principalmente em educação e saúde.
Essa situação gerou um enorme contingente de mão-de-
obra desqualificada ingressando anualmente no mercado de
trabalho. Essa realidade tende a rebaixar o nível médio de
produtividade por trabalhador e a continuar a empobrecer
enormes parcelas da população desses países. É necessário o
enfrentamento, em primeiro lugar, das questões sociais e
econômicas para que a dinâmica demográfica entre em equilíbrio.
Populaçã
o
Brasileira
Esquema Organizacional Parcial
Crescimento
populacional
Fatores
PositivoCrescimento
Vegetativo
Diferença entre taxa de
natalidade e de mortalidade.
Migração
Tipos
Definição
Desaceleração demográfica
1ª Transição Demográfica
Imigração
Fatores
históricos
Diminuição da taxa de mortalidade
2ª Transição Demográfica
Negativo
Nulo
Natalidade maior que
mortalidade.
Mortalidade maior que
natalidade.
Mortalidade equivalente
natalidade.
Teorias
populacionais
Malthusiana
Neomalthusiana
Reformista
Ecomalthusiana
Crescimento de alimentos ocorreria em progressão aritmética.
Sem guerra e epidemia, a população crescerá em progressão geométrica.
Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per
capita.
População jovem e numerosa necessita de investimentos sociais.
Maior o número de habitantes de um país, menor
a renda per capita.
Crescimento populacional exagerado pressionava
os recursos naturais.
Os ecomalthusianos surgiram no final do século 20 com a
teoria de que o crescimento populacional exagerado pressionava
os recursos naturais, podendo representar riscos para um futuro
próximo em razão dos impactos ambientais. Essa teoria, defende
o desenvolvimento sustentável com o menor impacto ambiental
possível.
Esse pensamento tenta conscientizar que os recursos
naturais são esgotáveis, ou seja, vão acabar um dia, e que a
população não faz o suficiente para preservá-los. Também é
incluído nessa teoria o problema do consumo exagerado dos
países e a relação desse consumo nos locais desenvolvidos, além
do exagerado processo de desmatamento que vem ocorrendo em
áreas de extensas florestas nos países em desenvolvimento.
Populaçã
o
Brasileira
Esquema Organizacional Parcial 1
Crescimento
populacional
Fatores
PositivoCrescimento
Vegetativo
Diferença entre taxa de
natalidade e de mortalidade.
Migração
Tipos
Definição
Desaceleração demográfica
1ª Transição Demográfica
Imigração
Fatores
históricos
Diminuição da taxa de mortalidade
2ª Transição Demográfica
Negativo
Nulo
Natalidade maior que
mortalidade.
Mortalidade maior que
natalidade.
Mortalidade equivalente
natalidade.
Teorias
populacionais
Malthusiana
Neomalthusiana
Reformista
Ecomalthusiana
Crescimento de alimentos ocorreria em progressão aritmética.
Sem guerra e epidemia, a população crescerá em progressão geométrica.
Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per
capita.
População jovem e numerosa necessita de investimentos sociais.
Maior o número de habitantes de um país, menor
a renda per capita.
Crescimento populacional exagerado pressionava
os recursos naturais.
População
Brasileira
Políticas
demográficas
São populacionistas
Atuais
Definição
Esquema Organizacional Parcial 2
Desde a década de 30 até a década de 60, o governo
brasileiro desenvolveu uma política demográfica nitidamente
populacionista. A Constituição de 1934 foi a primeira a explicitar
essa política populacionista. Ela atribuía ao Estado a incumbência
de socorrer as famílias de prole numerosa. A Constituição de
1937 avançou ainda mais, ao afirmar que "às famílias numerosas
serão atribuídas compensações na proporção de seus encargos".
Em 1941, no governo Getúlio Vargas, foi criado um decreto-
lei que obrigava as pessoas solteiras ou viúvas, maiores de 25 anos,
a pagar um adicional de 1% sobre o imposto de renda devido.
Na Constituição de 1946, o artigo 164 assegurava o amparo
às famílias de prole numerosa. Os pais que tivessem mais de 6 filhos
tinham direito a um abono especial.
População
Brasileira
Políticas
demográficas
São populacionistas
Atuais
Definição
Esquema Organizacional Parcial 2
Auxílio-natalidade
População
Brasileira
Políticas
demográficas
São populacionistas
Atuais
Definição
Esquema Organizacional Parcial 2
Salário-família
Auxílio-natalidade
A crescente necessidade de mão-de-obra (numerosa e
barata), para sustentar o desenvolvimento industrial, e a
preocupação do governo em povoar os vazios demográficos do
interior do país (Centro-Oeste e Amazônia) serviram de estímulo
permanente à política natalista ou populacionista. Nos anos 60,
foram criados o auxílio-natalidade (1960) e o salário-família
(1963).
Auxílio-natalidade: pagamento de um salário mínimo, aos pais,
quando do nascimento de um filho.
Salário-família: pagamento mensal de 5% do salário mínimo
local, para cada filho, até os 14 anos de idade.
1.(PUC 2009) Identifique e explique
uma teoria demográfica, amplamente
divulgada por agentes políticos e
econômicos das áreas centrais do
planeta a partir da segunda metade
do século XX, que relaciona a pressão
demográfica com a escassez de
recursos naturais podendo agravar a
fome no mundo.
1.(PUC 2009) Identifique e explique
uma teoria demográfica, amplamente
divulgada por agentes políticos e
econômicos das áreas centrais do
planeta a partir da segunda metade
do século XX, que relaciona a pressão
demográfica com a escassez de
recursos naturais podendo agravar a
fome no mundo.
Uma das teorias demográficas surgidas a partir da segunda
metade do século XX é a Teoria Ecomalthusiana. Inspirados nos
princípios da Teoria Malthusiana, os teóricos relacionam o
crescimento populacional, em especial nos países subdesenvolvidos,
com o meio ambiente, mais especificamente com a exploração e
escassez de recursos naturais. Também poderá mencionar, também, a
Teoria Neomalthusiana, surgida após o final da Segunda Guerra
Mundial. De acordo com essa teoria, o aumento excessivo da
população gera, além da pressão sobre os recursos naturais, uma
enorme demanda de investimentos sociais em saúde e educação,
aumentando o déficit público e deixando menos recursos para serem
investidos em setores produtivos da economia.
Populaçã
o
Brasileira
Esquema Organizacional Parcial 1
Crescimento
populacional
Fatores
PositivoCrescimento
Vegetativo
Diferença entre taxa de
natalidade e de mortalidade.
Migração
Tipos
Definição
Desaceleração demográfica
1ª Transição Demográfica
Imigração
Fatores
históricos
Diminuição da taxa de mortalidade
2ª Transição Demográfica
Negativo
Nulo
Natalidade maior que
mortalidade.
Mortalidade maior que
natalidade.
Mortalidade equivalente
natalidade.
Teorias
populacionais
Malthusiana
Neomalthusiana
Reformista
Ecomalthusiana
Crescimento de alimentos ocorreria em progressão aritmética.
Sem guerra e epidemia, a população crescerá em progressão geométrica.
Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per
capita.
População jovem e numerosa necessita de investimentos sociais.
Maior o número de habitantes de um país, menor
a renda per capita.
Crescimento populacional exagerado pressionava
os recursos naturais.
População
Brasileira
Políticas
demográficas
São populacionistas
Atuais
Definição
Esquema Organizacional Parcial 2
Estrutura etária
Divisão
Jovens Até 19 anos.
Pirâmide etária
atual
População
Brasileira
Políticas
demográficas
São populacionistas
Atuais
Definição
Esquema Organizacional Parcial 2
Estrutura etária
Divisão Adultos
Jovens
Até 59 anos.
Até 19 anos.
Pirâmide etária
atual
População
Brasileira
Políticas
demográficas
São populacionistas
Atuais
Definição
Esquema Organizacional Parcial 2
Estrutura etária
Divisão Adultos
Jovens
Idosos
Até 59 anos.
Até 19 anos.
60 em diante.
Pirâmide etária
atual
A estrutura etária de uma população costuma ser dividida
em três faixas: os jovens, que são do nascimento até 19 anos; os
adultos, dos 20 anos até 59 anos e os idosos, que vai dos 60 anos
em diante. Embora o Brasil sempre tenha sido considerado um
país jovem, no censo de 1991 foi constatado uma importante
mudança no perfil etário da população brasileira.
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Geografia -  População Brasileira
Nos últimos anos foi observada uma considerável redução
na taxa de natalidade e isso reflete na construção da pirâmide
etária brasileira. A mudança ocorrida na pirâmide etária do Brasil
é consequência da revolução urbano-industrial do país, pois
nestas condições é natural que os índices de natalidade sejam
baixos.
A partir da década de 80, o uso de métodos contraceptivos
tornou-se muito intenso, e foi uma contribuição considerável
para a redução da taxa de natalidade.
População
Brasileira
Políticas
demográficas
São populacionistas
Atuais
Definição
Esquema Organizacional Parcial 2
Redução dos jovens.
Estrutura etária
Divisão
Pirâmide etária
atual
Adultos
Jovens
Idosos
Até 59 anos.
Até 19 anos.
60 em diante.
População
Brasileira
Políticas
demográficas
São populacionistas
Atuais
Definição
Esquema Organizacional Parcial 2
Aumento dos idosos
Redução dos jovens.
Estrutura etária
Divisão
Pirâmide etária
atual
Adultos
Jovens
Idosos
Até 59 anos.
Até 19 anos.
60 em diante.
Nos anos 90, a base da pirâmide reduziu-se com intensidade,
devido a redução percentual do contingente de jovens na
população total. Assim, em 1996 a pirâmide etária brasileira foi
marcada pela transição demográfica de um país jovem para um
país maduro. A expectativa de vida do brasileiro, hoje, já
ultrapassou os 70 anos de idade (IBGE, dezembro de 2003), o que
corresponde à média mundial.
Pirâmides etárias - são
representações gráficas
(histograma) da população
classificada por sexo e idade.
No eixo vertical (y) estão
indicadas as diversas faixas
etárias, enquanto que no eixo
horizontal (x) está indicada a
quantidade de população: as
barras da esquerda
representam a população
masculina e as barras da direita
representam a população
feminina.
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Geografia -  População Brasileira
Populaçã
o
Brasileira
Esquema Organizacional Parcial 1
Crescimento
populacional
Fatores
PositivoCrescimento
Vegetativo
Diferença entre taxa de
natalidade e de mortalidade.
Migração
Tipos
Definição
Desaceleração demográfica
1ª Transição Demográfica
Imigração
Fatores
históricos
Diminuição da taxa de mortalidade
2ª Transição Demográfica
Negativo
Nulo
Natalidade maior que
mortalidade.
Mortalidade maior que
natalidade.
Mortalidade equivalente
natalidade.
Teorias
populacionais
Malthusiana
Neomalthusiana
Reformista
Ecomalthusiana
Crescimento de alimentos ocorreria em progressão aritmética.
Sem guerra e epidemia, a população crescerá em progressão geométrica.
Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per
capita.
População jovem e numerosa necessita de investimentos sociais.
Maior o número de habitantes de um país, menor
a renda per capita.
Crescimento populacional exagerado pressionava
os recursos naturais.
População
Brasileira
Políticas
demográficas
São populacionistas
Atuais
Definição
Esquema Organizacional Parcial 2
Aumento dos idosos
Redução dos jovens.
Estrutura etária
Divisão
Pirâmide etária
atual
Adultos
Jovens
Idosos
Até 59 anos.
Até 19 anos.
60 em diante.
População
economicamente
ativa
Secundário
Primário
Terciário
Agricultura, pecuária,
silvicultura e pesca.
Setores das
atividades humanas
População
Brasileira
Políticas
demográficas
São populacionistas
Atuais
Definição
Esquema Organizacional Parcial 2
Aumento dos idosos
Redução dos jovens.
Estrutura etária
Divisão
Pirâmide etária
atual
Adultos
Jovens
Idosos
Até 59 anos.
Até 19 anos.
60 em diante.
População
economicamente
ativa
Secundário
Primário
Terciário
Indústria
Agricultura, pecuária,
silvicultura e pesca.
Setores das
atividades humanas
População
Brasileira
Políticas
demográficas
São populacionistas
Atuais
Definição
Esquema Organizacional Parcial 2
Aumento dos idosos
Redução dos jovens.
Estrutura etária
Divisão
Pirâmide etária
atual
Adultos
Jovens
Idosos
Até 59 anos.
Até 19 anos.
60 em diante.
População
economicamente
ativa
Secundário
Primário
Terciário
Indústria
Agricultura, pecuária,
silvicultura e pesca.
Comércio, serviço e
profissões liberais.
Setores das
atividades humanas
A estrutura de uma população é caracterizada
principalmente pelas atividades exercidas pela população, pois
estas interferem diretamente no desenvolvimento do país.
Atualmente, admite-se um critério que reúne as atividades
humanas em três classes principais, são elas:
 Setor primário: agricultura, pecuária, silvicultura e pesca.
 Setor secundário: indústria de transformação.
 Setor terciário: comércio, serviço e profissões liberais.
. 
Emprego por setor (em %) – PEA
Hoje, cerca de 50% das pessoas compõe o PEA (População
economicamente ativa), o PEA representa as pessoas que
trabalham ou estão à procura de trabalho, e 32% forma a
população inativa, pessoas que não estudam, não trabalham e
não estão a procura, ou não possuem idade compatível. A
população está dividida segundo seus rendimentos ou renda,
nesse contexto, verifica-se um alto grau de desigualdade,
provocada pela concentração da renda, própria de países
capitalistas, que é caracterizada pela concentração de riqueza nas
mãos de poucos, enquanto a maioria vive em condições
extremamente excludentes.
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Geografia -  População Brasileira
(Pucpr) Leia o texto a seguir:
“...Por causa da retração observada entre as famílias da classe
média e alta, a cidade São Paulo está próxima de ver o que há
pouco tempo se imaginava impensável: reduzir sua população. É
uma tendência que já se percebe em algumas metrópoles
brasileiras. Como chegam menos imigrantes e nascem menos
crianças, o crescimento populacional paulistano está abaixo de
1,9%, fronteira da chamada taxa de reposição – morre mais gente
do que nascem crianças ou chegam imigrantes. Os mais
abastados, com as famílias encolhidas, sentem-se ilhadas diante
da pobreza crescente, com as famílias ampliadas. ...”
(DIMENSTEIN, Gilberto. A geração dos filhos únicos. Folha de São Paulo, 09/11/2003.)
A respeito do tema tratado e com base no conteúdo do texto, é
correto afirmar:
I. Embora não ocorra na mesma proporção nas famílias de diferentes
classes sociais, tem-se constatado nos últimos recenseamentos uma
redução no número de filhos por casal.
II. Já se percebe uma mudança de tendência no crescimento
populacional de algumas metrópoles brasileiras, inclusive em São
Paulo, a maior entre todas, onde há uma acentuada desaceleração no
ritmo do crescimento vegetativo da cidade.
III. Em consequência do aumento de postos de trabalho,
decorrente da tendência neoliberal da economia brasileira, na
última década do século XX e no início do século XXI registra-se
um significativo aumento de novos imigrantes em São Paulo,
provenientes principalmente do interior do Nordeste do país.
IV. A diminuição do tamanho das famílias, sobretudo as das classes
média e alta, se relaciona, entre outras causas, com o fato de a
população brasileira ser cada vez mais urbana, bem como com o
crescente enquadramento da mulher no mercado de trabalho.
Estão corretas:
a) apenas I e III b) apenas I, II e III
c) apenas I, II e IV d) apenas I e II
(Pucpr) Leia o texto a seguir:
“...Por causa da retração observada entre as famílias da classe
média e alta, a cidade São Paulo está próxima de ver o que há pouco
tempo se imaginava impensável: reduzir sua população. É uma
tendência que já se percebe em algumas metrópoles brasileiras.
Como chegam menos imigrantes e nascem menos crianças, o
crescimento populacional paulistano está abaixo de 1,9%, fronteira
da chamada taxa de reposição – morre mais gente do que nascem
crianças ou chegam imigrantes. Os mais abastados, com as famílias
encolhidas, sentem-se ilhadas diante da pobreza crescente, com as
famílias ampliadas. ...”
(DIMENSTEIN, Gilberto. A geração dos filhos únicos. Folha de São Paulo, 09/11/2003.)
A respeito do tema tratado e com base no conteúdo do
texto, é correto afirmar:
I. Embora não ocorra na mesma proporção nas famílias de
diferentes classes sociais, tem-se constatado nos últimos
recenseamentos uma redução no número de filhos por casal.
II. Já se percebe uma mudança de tendência no crescimento
populacional de algumas metrópoles brasileiras, inclusive em
São Paulo, a maior entre todas, onde há uma acentuada
desaceleração no ritmo do crescimento vegetativo da cidade.
III. Em consequência do aumento de postos de trabalho, decorrente da
tendência neoliberal da economia brasileira, na última década do século
XX e no início do século XXI registra-se um significativo aumento de novos
imigrantes em São Paulo, provenientes principalmente do interior do
Nordeste do país.
IV. A diminuição do tamanho das famílias, sobretudo as das classes média e
alta, se relaciona, entre outras causas, com o fato de a população brasileira
ser cada vez mais urbana, bem como com o crescente enquadramento da
mulher no mercado de trabalho.
Estão corretas:
a) apenas I e III b) apenas I, II e III
c) apenas I, II e IV d) apenas I e II
A respeito do tema tratado e com base no conteúdo do texto, é
correto afirmar:
I. Embora não ocorra na mesma proporção nas famílias de diferentes
classes sociais, tem-se constatado nos últimos recenseamentos uma
redução no número de filhos por casal.
III. Em consequência do aumento de postos de trabalho, decorrente da
tendência neoliberal da economia brasileira, na última década do século
XX e no início do século XXI registra-se um significativo aumento de novos
imigrantes em São Paulo, provenientes principalmente do interior do
Nordeste do país.
a) apenas I e III.
Falso – a I está correta, porém a III coloca um aumento de
imigrantes o que não ocorreu.
A respeito do tema tratado e com base no conteúdo do texto, é correto
afirmar:
I. Embora não ocorra na mesma proporção nas famílias de diferentes classes
sociais, tem-se constatado nos últimos recenseamentos uma redução no número
de filhos por casal.
II. Já se percebe uma mudança de tendência no crescimento populacional de
algumas metrópoles brasileiras, inclusive em São Paulo, a maior entre todas, onde
há uma acentuada desaceleração no ritmo do crescimento vegetativo da cidade.
III. Em consequência do aumento de postos de trabalho, decorrente da tendência
neoliberal da economia brasileira, na última década do século XX e no início do
século XXI registra-se um significativo aumento de novos imigrantes em
São Paulo, provenientes principalmente do interior do Nordeste do país.
b) apenas I, II e III.
Falso – I e II estão corretas, porém a III coloca um aumento de imigrantes o
que não ocorreu.
 Pucpr) Leia o texto a seguir:
“...Por causa da retração observada entre as famílias da classe média e alta, a cidade São Paulo está próxima de ver o que há pouco
tempo se imaginava impensável: reduzir sua população. É uma tendência que já se percebe em algumas metrópoles brasileiras.
Como chegam menos imigrantes e nascem menos crianças, o crescimento populacional paulistano está abaixo de 1,9%, fronteira
da chamada taxa de reposição – morre mais gente do que nascem crianças ou chegam imigrantes. Os mais abastados, com as
famílias encolhidas, sentem-se ilhadas diante da pobreza crescente, com as famílias ampliadas. ...”
(DIMENSTEIN, Gilberto. A geração dos filhos únicos. Folha de São Paulo, 09/11/2003.)
A respeito do tema tratado e com base no conteúdo do texto, é correto afirmar:
I. Embora não ocorra na mesma proporção nas famílias de diferentes classes sociais, tem-se constatado nos últimos
recenseamentos uma redução no número de filhos por casal.
II. Já se percebe uma mudança de tendência no crescimento populacional de algumas metrópoles brasileiras, inclusive em
São Paulo, a maior entre todas, onde há uma acentuada desaceleração no ritmo do crescimento vegetativo da cidade.
III. Em conseqüência do aumento de postos de trabalho, decorrente da tendência neoliberal da economia brasileira, na última
década do século XX  e no início do século XXI registra-se um significativo aumento de novos imigrantes em
São Paulo, provenientes principalmente do interior do Nordeste do país.
IV. A diminuição do tamanho das famílias, sobretudo as das classes média e alta, se relaciona, entre outras causas, com o fato
de a população brasileira ser cada vez mais urbana, bem como com o crescente enquadramento da mulher no
mercado de trabalho.
Estão corretas:
 c) apenas I, II e IV.- verdadeira
 Pucpr) Leia o texto a seguir:
“...Por causa da retração observada entre as famílias da classe média e alta, a cidade São Paulo está próxima de ver o que há pouco
tempo se imaginava impensável: reduzir sua população. É uma tendência que já se percebe em algumas metrópoles brasileiras.
Como chegam menos imigrantes e nascem menos crianças, o crescimento populacional paulistano está abaixo de 1,9%, fronteira
da chamada taxa de reposição – morre mais gente do que nascem crianças ou chegam imigrantes. Os mais abastados, com as
famílias encolhidas, sentem-se ilhadas diante da pobreza crescente, com as famílias ampliadas. ...”
(DIMENSTEIN, Gilberto. A geração dos filhos únicos. Folha de São Paulo, 09/11/2003.)
A respeito do tema tratado e com base no conteúdo do texto, é correto afirmar:
I. Embora não ocorra na mesma proporção nas famílias de diferentes classes sociais, tem-se constatado nos últimos
recenseamentos uma redução no número de filhos por casal.
II. Já se percebe uma mudança de tendência no crescimento populacional de algumas metrópoles brasileiras, inclusive em
São Paulo, a maior entre todas, onde há uma acentuada desaceleração no ritmo do crescimento vegetativo da cidade.
III. Em conseqüência do aumento de postos de trabalho, decorrente da tendência neoliberal da economia brasileira, na última
década do século XX  e no início do século XXI registra-se um significativo aumento de novos imigrantes em
São Paulo, provenientes principalmente do interior do Nordeste do país.
IV. A diminuição do tamanho das famílias, sobretudo as das classes média e alta, se relaciona, entre outras causas, com o fato
de a população brasileira ser cada vez mais urbana, bem como com o crescente enquadramento da mulher no
mercado de trabalho.
Estão corretas:
d) apenas I e II –falso- existe mais uma alternativa correta
Populaçã
o
Brasileira
Esquema Organizacional Parcial 1
Crescimento
populacional
Fatores
PositivoCrescimento
Vegetativo
Diferença entre taxa de
natalidade e de mortalidade.
Migração
Tipos
Definição
Desaceleração demográfica
1ª Transição Demográfica
Imigração
Fatores
históricos
Diminuição da taxa de mortalidade
2ª Transição Demográfica
Negativo
Nulo
Natalidade maior que
mortalidade.
Mortalidade maior que
natalidade.
Mortalidade equivalente
natalidade.
Teorias
populacionais
Malthusiana
Neomalthusiana
Reformista
Ecomalthusiana
Crescimento de alimentos ocorreria em progressão aritmética.
Sem guerra e epidemia, a população crescerá em progressão geométrica.
Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per
capita.
População jovem e numerosa necessita de investimentos sociais.
Maior o número de habitantes de um país, menor
a renda per capita.
Crescimento populacional exagerado pressionava
os recursos naturais.
População
Brasileira
Políticas
demográficas
São populacionistas
Atuais
Definição
Esquema Organizacional Parcial 2
Aumento dos idosos
Redução dos jovens.
Estrutura etária
Divisão
Pirâmide etária
atual
Adultos
Jovens
Idosos
Até 59 anos.
Até 19 anos.
60 em diante.
População
economicamente
ativa
Secundário
Primário
Terciário
Indústria
Agricultura, pecuária,
silvicultura e pesca.
Comércio, serviço e
profissões liberais.
Setores das
atividades humanas
Expansão
territorial e
migrações
Apropriação do territórioMobilidades espacial
Até o século XVII, a colonização portuguesa se concentrou no
litoral da América do Sul. No nordeste do território colonial, localizavam –
se as importantes cidades como, Recife e Salvador.
A expansão das fronteiras só foi possível devido aos fluxos
migratórios e a mobilidade espacial da população pelo território. A
descoberta de ouro foi a responsável por fluxos para MG, GO e MT
durante o século XVIII.
Já o café, foi o responsável pelos fluxos em meados do século XIX e
início do século XX. Ao longo do tempo os interesses da produção
incentivaram a migração, que se tornou um fluxo de mão-de-obra que
atendia as exigências do mercado. As migrações nesse sentido,deixam
de ser uma livre escolha e passam a demonstrar a falta de opções, para
se conseguir uma melhor qualidade de vida. Esse intenso
deslocamento, resultou na apropriação do território brasileiro.
Populaçã
o
Brasileira
Esquema Organizacional Parcial 1
Crescimento
populacional
Fatores
PositivoCrescimento
Vegetativo
Diferença entre taxa de
natalidade e de mortalidade.
Migração
Tipos
Definição
Desaceleração demográfica
1ª Transição Demográfica
Imigração
Fatores
históricos
Diminuição da taxa de mortalidade
2ª Transição Demográfica
Negativo
Nulo
Natalidade maior que
mortalidade.
Mortalidade maior que
natalidade.
Mortalidade equivalente
natalidade.
Teorias
populacionais
Malthusiana
Neomalthusiana
Reformista
Ecomalthusiana
Crescimento de alimentos ocorreria em progressão aritmética.
Sem guerra e epidemia, a população crescerá em progressão geométrica.
Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per
capita.
População jovem e numerosa necessita de investimentos sociais.
Maior o número de habitantes de um país, menor
a renda per capita.
Crescimento populacional exagerado pressionava
os recursos naturais.
População
Brasileira
Políticas
demográficas
São populacionistas
Atuais
Definição
Esquema Organizacional Parcial 2
Aumento dos idosos
Redução dos jovens.
Estrutura etária
Divisão
Pirâmide etária
atual
Adultos
Jovens
Idosos
Até 59 anos.
Até 19 anos.
60 em diante.
População
economicamente
ativa
Secundário
Primário
Terciário
Indústria
Agricultura, pecuária,
silvicultura e pesca.
Comércio, serviço e
profissões liberais.
Setores das
atividades humanas
Expansão
territorial e
migrações
Apropriação do territórioMobilidades espacial
Pequena migração
Imigração no
Brasil
1º Período
2º Período
3º Período
O Brasil é teve uma intensidade de movimentos
migratórios, sejam eles internos ou externos. Veremos os três
períodos da imigração no Brasil:
Primeiro período: (1808 – 1850). Pequena imigração, devido
ao desinteresse das pessoas em migrar para um país com regime
escravagista.
População
Brasileira
Políticas
demográficas
São populacionistas
Atuais
Definição
Esquema Organizacional Parcial 2
Aumento dos idosos
Redução dos jovens.
Estrutura etária
Divisão
Pirâmide etária
atual
Adultos
Jovens
Idosos
Até 59 anos.
Até 19 anos.
60 em diante.
População
economicamente
ativa
Secundário
Primário
Terciário
Indústria
Agricultura, pecuária,
silvicultura e pesca.
Comércio, serviço e
profissões liberais.
Setores das
atividades humanas
Expansão
territorial e
migrações
Apropriação do territórioMobilidades espacial
Pequena migração
Imigração no
Brasil
1º Período
2º Período
3º Período
Intensa migração
Segundo período: (1850 – 1934). Intenso e importante, devido
à expansão da cafeicultura e da necessidade de mão-de-obra, com
o fim da escravatura. Nesse período o país recebeu 80% do seu
total de imigrantes, a maior parte formada por italianos, que
vieram trabalhar aqui devido à crise em seu país.
População
Brasileira
Políticas
demográficas
São populacionistas
Atuais
Definição
Esquema Organizacional Parcial 2
Aumento dos idosos
Redução dos jovens.
Estrutura etária
Divisão
Pirâmide etária
atual
Adultos
Jovens
Idosos
Até 59 anos.
Até 19 anos.
60 em diante.
População
economicamente
ativa
Secundário
Primário
Terciário
Indústria
Agricultura, pecuária,
silvicultura e pesca.
Comércio, serviço e
profissões liberais.
Setores das
atividades humanas
Expansão
territorial e
migrações
Apropriação do territórioMobilidades espacial
Pequena migração
Imigração no
Brasil
1º Período
2º Período
3º Período
Intensa migração
Diminuição do fluxo
Terceiro período: (após 1934). Ocorreu a diminuição da
imigração, devido a crise do café e da criação de leis que
restringiam a entrada de imigrantes.
Fonte:http://www.ibge.gov.br/brasil500/tabelas/imigracao_nacionalidade_84a33.htm
Os imigrantes e a ocupação do Brasil meridional :
O Sul do nosso país era uma região vulnerável e alvos
da cobiça dos vizinhos platinos, devido a isso o governo imperial
passou a incentivar a implantação de núcleos de colonos
imigrantes nas províncias do Rio Grande do Sul e de Santa
Catarina. Assim, imigrantes italianos,alemães e eslavos vieram
para o Brasil e fundaram dezenas de núcleos urbanos..
Esse processo começou em 1824 para o RS, com a chegada
de 20 mil colonos alemães. Joinville e Blumenau, importantes
centros urbano-industriais de Santa Catarina, foram fundados
por imigrantes alemães. As terras dos planaltos do RS foram
destinadas aos imigrantes italianos, e a maior parte deles se
dedicou à cultura da vinha. Os eslavos, em geral, poloneses e
ucranianos se ficaram no Paraná e formaram colônias nos vales
dos rios Negro e Ivaí.
(FUVEST) A imigração de italianos (desde o final do século XIX) e a de
japoneses (desde o início do século XX), no Brasil, estão associadas a:
a) uma política nacional de atração de mão-de-obra para a lavoura e às
transformações sociais provocadas pelo capitalismo na Itália e no
Japão.
b) interesses geopolíticos do governo brasileiro e às crises industrial e
política pelas quais passavam a Itália e o Japão.
c) uma demanda de mão-de-obra para a indústria e às pressões políticas
dos fazendeiros do sudeste do país.
d) uma política nacional de fomento demográfico e a um acordo com a
Itália e o Japão para exportação de matérias-primas.
(FUVEST) A imigração de italianos (desde o final do século XIX) e a de
japoneses (desde o início do século XX), no Brasil, estão associadas a:
a) uma política nacional de atração de mão-de-obra para a lavoura e às
transformações sociais provocadas pelo capitalismo na Itália e no
Japão.
b) interesses geopolíticos do governo brasileiro e às crises industrial e
política pelas quais passavam a Itália e o Japão.
c) uma demanda de mão-de-obra para a indústria e às pressões
políticas dos fazendeiros do sudeste do país.
d) uma política nacional de fomento demográfico e a um acordo com a
Itália e o Japão para exportação de matérias-primas.
(FUVEST) A imigração de italianos (desde o final do século XIX) e a
de japoneses (desde o início do século XX), no Brasil, estão
associadas a:
a) uma política nacional de atração de mão-de-obra para a lavoura e
às transformações sociais provocadas pelo capitalismo na Itália e
no Japão.
Verdadeira, o Brasil se tornou muito atrativo devido a crise na
Itália e no Japão.
(FUVEST) A imigração de italianos (desde o final do século XIX) e a
de japoneses (desde o início do século XX), no Brasil, estão
associadas a:
b) interesses geopolíticos do governo brasileiro e às crises industrial
e política pelas quais passavam a Itália e o Japão.
Falso- o Brasil não tinha interesse geopolítico, o interesse era na
mão-de-obra para as lavouras.
(FUVEST) A imigração de italianos (desde o final do século XIX) e a
de japoneses (desde o início do século XX), no Brasil, estão
associadas a:
c) uma demanda de mão-de-obra para a indústria e às pressões
políticas dos fazendeiros do sudeste do país.
Falso – a mão-de-obra era necessária para as lavouras.
(FUVEST) A imigração de italianos (desde o final do século XIX) e a
de japoneses (desde o início do século XX), no Brasil, estão
associadas a:
d) uma política nacional de fomento demográfico e a um acordo
com a Itália e o Japão para exportação de matérias-primas.
Falso , não existia acordo de exportação com ambos os países.
Populaçã
o
Brasileira
Esquema Organizacional Parcial 1
Crescimento
populacional
Fatores
PositivoCrescimento
Vegetativo
Diferença entre taxa de
natalidade e de mortalidade.
Migração
Tipos
Definição
Desaceleração demográfica
1ª Transição Demográfica
Imigração
Fatores
históricos
Diminuição da taxa de mortalidade
2ª Transição Demográfica
Negativo
Nulo
Natalidade maior que
mortalidade.
Mortalidade maior que
natalidade.
Mortalidade equivalente
natalidade.
Teorias
populacionais
Malthusiana
Neomalthusiana
Reformista
Ecomalthusiana
Crescimento de alimentos ocorreria em progressão aritmética.
Sem guerra e epidemia, a população crescerá em progressão geométrica.
Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per
capita.
População jovem e numerosa necessita de investimentos sociais.
Maior o número de habitantes de um país, menor
a renda per capita.
Crescimento populacional exagerado pressionava
os recursos naturais.
População
Brasileira
Políticas
demográficas
São populacionistas
Atuais
Definição
Esquema Organizacional Parcial 2
Aumento dos idosos
Redução dos jovens.
Estrutura etária
Divisão
Pirâmide etária
atual
Adultos
Jovens
Idosos
Até 59 anos.
Até 19 anos.
60 em diante.
População
economicamente
ativa
Secundário
Primário
Terciário
Indústria
Agricultura, pecuária,
silvicultura e pesca.
Comércio, serviço e
profissões liberais.
Setores das
atividades humanas
Expansão
territorial e
migrações
Apropriação do territórioMobilidades espacial
Pequena migração
Imigração no
Brasil
1º Período
2º Período
3º Período
Intensa migração
Diminuição do fluxo
População
Brasileira
Esquema Organizacional Parcial 3
Fluxos
migratórios
Ordem econômica Busca emprego e uma melhor condição de vida.
No Brasil um dos fatores que exercem maior influência nos
fluxos migratórios é o de ordem econômica, onde o modelo de
produção capitalista cria espaços privilegiados para instalação de
indústrias, forçando indivíduos a se deslocarem de um lugar para
outro em busca de melhores condições de vida e à procura de
emprego para suprir suas necessidades básicas de sobrevivência.
Com o fim do clico da cana no Nordeste e o inicio do ciclo do
ouro em Minas, aconteceu um intenso deslocamento e uma
grande urbanização no novo centro econômico do país. O eixo
Rio- São Paulo se tornou um grande polo de atração de migrantes
devido ao processo de industrialização e ao ciclo do café. Há
ainda um crescimento dos fluxos urbano-urbano e
intrametropolitano , ou seja, aumenta o número de pessoas que
migram de uma cidade para outra no mesmo estado ou região.
Os movimentos populacionais estão mais intensos dentro do
próprio estado ou da região de origem. Contribuem para isso: a
falta de oportunidades de emprego no Sudeste, o que causa o
retorno de parte dos migrantes às regiões de onde vieram, e o
surgimento de novos polos de desenvolvimento, o que atrai mão-
de-obra de outras regiões. Os números da Pnad (Pesquisa Nacional
por Amostras de Domicílios) de 2006, realizada pelo IBGE (Instituto
Brasileiro de Geografia e Estatística), mostram que 40% da
população brasileira não vive no município onde nasceu. Além
disso, 16% da população não é natural do estado em que reside.
A região com mais migrantes é o Centro-Oeste, onde 35,8%
da população é proveniente de outros estados. A região Nordeste é
a que apresenta menor número de migrantes, com 7,6% da
população originária de outras unidades da federação. De acordo
com os dados do IBGE, os deslocamentos populacionais no Brasil, no
período 1995/2000, totalizaram 5.196.093 pessoas, cifra que é 3,7%
superior aos 5.012.251 observados entre 1986/1991. Cerca de 65%
desse total é composto por deslocamentos ocorridos entre as
regiões brasileiras (migração inter-regional) e 35% no interior
destas regiões (migração intrarregional).
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Geografia -  População Brasileira
Populaçã
o
Brasileira
Esquema Organizacional Parcial 1
Crescimento
populacional
Fatores
PositivoCrescimento
Vegetativo
Diferença entre taxa de
natalidade e de mortalidade.
Migração
Tipos
Definição
Desaceleração demográfica
1ª Transição Demográfica
Imigração
Fatores
históricos
Diminuição da taxa de mortalidade
2ª Transição Demográfica
Negativo
Nulo
Natalidade maior que
mortalidade.
Mortalidade maior que
natalidade.
Mortalidade equivalente
natalidade.
Teorias
populacionais
Malthusiana
Neomalthusiana
Reformista
Ecomalthusiana
Crescimento de alimentos ocorreria em progressão aritmética.
Sem guerra e epidemia, a população crescerá em progressão geométrica.
Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per
capita.
População jovem e numerosa necessita de investimentos sociais.
Maior o número de habitantes de um país, menor
a renda per capita.
Crescimento populacional exagerado pressionava
os recursos naturais.
População
Brasileira
Políticas
demográficas
São populacionistas
Atuais
Definição
Esquema Organizacional Parcial 2
Aumento dos idosos
Redução dos jovens.
Estrutura etária
Divisão
Pirâmide etária
atual
Adultos
Jovens
Idosos
Até 59 anos.
Até 19 anos.
60 em diante.
População
economicamente
ativa
Secundário
Primário
Terciário
Indústria
Agricultura, pecuária,
silvicultura e pesca.
Comércio, serviço e
profissões liberais.
Setores das
atividades humanas
Expansão
territorial e
migrações
Apropriação do territórioMobilidades espacial
Pequena migração
Imigração no
Brasil
1º Período
2º Período
3º Período
Intensa migração
Diminuição do fluxo
População
Brasileira
Esquema Organizacional Parcial 3
Fluxos
migratórios
Ordem econômica Busca emprego e uma melhor condição de vida.
Movimentos
migratórios
Definição Pessoas se deslocam dentro de um mesmo território.
Tipos
Esses movimentos podem ocorrer dentro de um mesmo
país, estado ou município. São as chamadas migrações internas,
que são aquelas em que as pessoas se deslocam dentro de um
mesmo território. Vejamos os diferentes tipos de movimentos:
População
Brasileira
Esquema Organizacional Parcial 3
Fluxos
migratórios
Ordem econômica Busca emprego e uma melhor condição de vida.
Movimentos
migratórios
Definição Pessoas se deslocam dentro de um mesmo território.
Tipos
Urbano-urbano
Sazonal
Pendular
Êxodo Rural Transferência de populações
rurais para o espaço urbano.
 Êxodo rural: tipo de migração que se dá com a transferência de
populações rurais para o espaço urbano. As principais causas são:
a industrialização, a expansão do setor terciário e a mecanização
da agricultura.
População
Brasileira
Esquema Organizacional Parcial 3
Fluxos
migratórios
Ordem econômica Busca emprego e uma melhor condição de vida.
Movimentos
migratórios
Definição Pessoas se deslocam dentro de um mesmo território.
Tipos
Urbano-urbano
Sazonal
Pendular
Êxodo Rural Transferência de populações
rurais para o espaço urbano.
Transferência de populações de
uma cidade para outra.
 Migração urbano-urbano: tipo de migração que se dá com a
transferência de populações de uma cidade para outra. Tipo de
migração muito comum nos dias atuais.
População
Brasileira
Esquema Organizacional Parcial 3
Fluxos
migratórios
Ordem econômica Busca emprego e uma melhor condição de vida.
Movimentos
migratórios
Definição Pessoas se deslocam dentro de um mesmo território.
Tipos
Urbano-urbano
Sazonal
Pendular
Êxodo Rural Transferência de populações
rurais para o espaço urbano.
Transferência de populações de
uma cidade para outra.
Migração temporária, em
determinado período do ano.
 Migração sazonal: é uma migração temporária, em determinado
período do ano. É o que acontece, por exemplo, com os
sertanejos do Nordeste brasileiro.
População
Brasileira
Esquema Organizacional Parcial 3
Fluxos
migratórios
Ordem econômica Busca emprego e uma melhor condição de vida.
Movimentos
migratórios
Definição Pessoas se deslocam dentro de um mesmo território.
Tipos
Urbano-urbano
Sazonal
Pendular
Êxodo Rural Transferência de populações
rurais para o espaço urbano.
Transferência de populações de
uma cidade para outra.
Migração temporária, em
determinado período do ano.
Trabalhadores saem (de uma
cidade) em direção ao seu
trabalho (em outro município).
 Migração pendular: tipo de migração característico de grandes
cidades e regiões metropolitanas, no qual centenas ou milhares
de trabalhadores saem todas as manhãs de sua casa (em
determinada cidade) em direção ao seu trabalho (que fica em
outro município), retornando no final do dia.
(PUCPR) Leia atentamente o texto abaixo:
Todos os dias, milhares de jovens e adultos levantam-se antes do nascer do Sol, pegam
o ônibus, mais outro ônibus e, cerca de uma hora depois, estão no município vizinho,
uma metrópole. Lá está o seu lugar de trabalho ou de estudo, ou até de ambos, enfim,
o lugar do seu longo dia. Pela noite, é hora de voltar. Um ônibus num terminal, outro
ônibus e outro terminal e bem tarde, está em sua casa, em sua cidade, que é
tipicamente uma cidade-dormitório. No outro dia, o programa será o mesmo.
Esse é o cotidiano de milhares de pessoas que vivem nas regiões metropolitanas do
Brasil: cada dia um vai-e-vem.
Essa forma de migração é denominada:
a) Movimento pendular.
b) Êxodo rural.
c) Êxodo urbano.
d) Migração sazonal.
(PUCPR) Leia atentamente o texto abaixo:
Todos os dias, milhares de jovens e adultos levantam-se antes do nascer do Sol, pegam
o ônibus, mais outro ônibus e, cerca de uma hora depois, estão no município vizinho,
uma metrópole. Lá está o seu lugar de trabalho ou de estudo, ou até de ambos, enfim,
o lugar do seu longo dia. Pela noite, é hora de voltar. Um ônibus num terminal, outro
ônibus e outro terminal e bem tarde, está em sua casa, em sua cidade, que é
tipicamente uma cidade-dormitório. No outro dia, o programa será o mesmo.
Esse é o cotidiano de milhares de pessoas que vivem nas regiões metropolitanas do
Brasil: cada dia um vai-e-vem.
Essa forma de migração é denominada:
a) Movimento pendular.
b) Êxodo rural.
c) Êxodo urbano.
d) Migração sazonal.
(PUCPR) Leia atentamente o texto abaixo:
Todos os dias, milhares de jovens e adultos levantam-se antes do nascer
do Sol, pegam o ônibus, mais outro ônibus e, cerca de uma hora depois, estão no
município vizinho, uma metrópole. Lá está o seu lugar de trabalho ou de estudo,
ou até de ambos, enfim, o lugar do seu longo dia. Pela noite, é hora de voltar. Um
ônibus num terminal, outro ônibus e outro terminal e bem tarde, está em sua
casa, em sua cidade, que é tipicamente uma cidade-dormitório. No outro dia, o
programa será o mesmo.
Esse é o cotidiano de milhares de pessoas que vivem nas regiões
metropolitanas do Brasil: cada dia um vai-e-vem.
Essa forma de migração é denominada:
a) Movimento pendular. Verdadeiro – é característico das regiões
Metropolitanas e ocorre diariamente, com milhares de trabalhadores.
(PUCPR) Leia atentamente o texto abaixo:
Todos os dias, milhares de jovens e adultos levantam-se antes do nascer
do Sol, pegam o ônibus, mais outro ônibus e, cerca de uma hora depois, estão no
município vizinho, uma metrópole. Lá está o seu lugar de trabalho ou de estudo,
ou até de ambos, enfim, o lugar do seu longo dia. Pela noite, é hora de voltar. Um
ônibus num terminal, outro ônibus e outro terminal e bem tarde, está em sua
casa, em sua cidade, que é tipicamente uma cidade-dormitório. No outro dia, o
programa será o mesmo.
Esse é o cotidiano de milhares de pessoas que vivem nas regiões
metropolitanas do Brasil: cada dia um vai-e-vem.
Essa forma de migração é denominada:
b) Êxodo rural. Falso- é saída da população do campo em direção
a cidade.
(PUCPR) Leia atentamente o texto abaixo:
Todos os dias, milhares de jovens e adultos levantam-se antes do nascer
do Sol, pegam o ônibus, mais outro ônibus e, cerca de uma hora depois, estão no
município vizinho, uma metrópole. Lá está o seu lugar de trabalho ou de estudo,
ou até de ambos, enfim, o lugar do seu longo dia. Pela noite, é hora de voltar. Um
ônibus num terminal, outro ônibus e outro terminal e bem tarde, está em sua
casa, em sua cidade, que é tipicamente uma cidade-dormitório. No outro dia, o
programa será o mesmo.
Esse é o cotidiano de milhares de pessoas que vivem nas regiões
metropolitanas do Brasil: cada dia um vai-e-vem.
Essa forma de migração é denominada:
c) Êxodo urbano. Falso – é a saída da cidade para o campo
(PUCPR) Leia atentamente o texto abaixo:
Todos os dias, milhares de jovens e adultos levantam-se antes do nascer
do Sol, pegam o ônibus, mais outro ônibus e, cerca de uma hora depois, estão no
município vizinho, uma metrópole. Lá está o seu lugar de trabalho ou de estudo,
ou até de ambos, enfim, o lugar do seu longo dia. Pela noite, é hora de voltar. Um
ônibus num terminal, outro ônibus e outro terminal e bem tarde, está em sua
casa, em sua cidade, que é tipicamente uma cidade-dormitório. No outro dia, o
programa será o mesmo.
Esse é o cotidiano de milhares de pessoas que vivem nas regiões
metropolitanas do Brasil: cada dia um vai-e-vem.
Essa forma de migração é denominada:
d) Migração sazonal. Falso – é a migração temporária, em um
determinado período do ano
(UFG) Os dados dos últimos censos demográficos do Brasil indicam
aumento da migração urbano-urbano e da pendular. Com base
nesta afirmação:
a) apresente dois fatores que explicam a relevância atual da
migração urbano-urbano;
b) explique uma causa para o aumento atual da migração
pendular.
(UFG) Os dados dos últimos censos demográficos do Brasil indicam
aumento da migração urbano-urbano e da pendular. Com base
nesta afirmação:
a) apresente dois fatores que explicam a relevância atual da
migração urbano-urbano;
b) explique uma causa para o aumento atual da migração
pendular.
(UFG) Os dados dos últimos censos demográficos do Brasil indicam
aumento da migração urbano-urbano e da pendular. Com base
nesta afirmação,
a) apresente dois fatores que explicam a relevância atual da
migração urbano-urbano;
Pouco dinamismo das cidades pequenas que geram fluxos dessas
para as cidades médias,fuga dos problemas urbanos nas
metrópoles,
deslocamento das indústrias para as cidades médias atraindo
trabalhadores e o deslocamento de parte da população jovem das
pequenas cidades para as médias ou grandes em
busca de oportunidades de estudos.
(UFG) Os dados dos últimos censos demográficos do Brasil
indicam aumento da migração urbano-urbano e da pendular. Com
base nesta afirmação,
b) explique uma causa para o aumento atual da migração pendular.
Crescimento das metrópoles e/ou das regiões metropolitanas,
desenvolvimento de atividades terciárias e quaternárias nos espaços
urbanos, distância espacial entre os locais de moradia, estudo e
trabalho, aumento no tempo de deslocamento entre os pontos de
circulação e o deslocamento diário de trabalhadores do espaço
urbano para o rural.
Populaçã
o
Brasileira
Esquema Organizacional Parcial 1
Crescimento
populacional
Fatores
PositivoCrescimento
Vegetativo
Diferença entre taxa de
natalidade e de mortalidade.
Migração
Tipos
Definição
Desaceleração demográfica
1ª Transição Demográfica
Imigração
Fatores
históricos
Diminuição da taxa de mortalidade
2ª Transição Demográfica
Negativo
Nulo
Natalidade maior que
mortalidade.
Mortalidade maior que
natalidade.
Mortalidade equivalente
natalidade.
Teorias
populacionais
Malthusiana
Neomalthusiana
Reformista
Ecomalthusiana
Crescimento de alimentos ocorreria em progressão aritmética.
Sem guerra e epidemia, a população crescerá em progressão geométrica.
Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per
capita.
População jovem e numerosa necessita de investimentos sociais.
Maior o número de habitantes de um país, menor
a renda per capita.
Crescimento populacional exagerado pressionava
os recursos naturais.
População
Brasileira
Políticas
demográficas
São populacionistas
Atuais
Definição
Esquema Organizacional Parcial 2
Aumento dos idosos
Redução dos jovens.
Estrutura etária
Divisão
Pirâmide etária
atual
Adultos
Jovens
Idosos
Até 59 anos.
Até 19 anos.
60 em diante.
População
economicamente
ativa
Secundário
Primário
Terciário
Indústria
Agricultura, pecuária,
silvicultura e pesca.
Comércio, serviço e
profissões liberais.
Setores das
atividades humanas
Expansão
territorial e
migrações
Apropriação do territórioMobilidades espacial
Pequena migração
Imigração no
Brasil
1º Período
2º Período
3º Período
Intensa migração
Diminuição do fluxo
População
Brasileira
Esquema Organizacional Parcial 3
Fluxos
migratórios
Ordem econômica Busca emprego e uma melhor condição de vida.
Movimentos
migratórios
Definição Pessoas se deslocam dentro de um mesmo território.
Tipos
Urbano-urbano
Sazonal
Pendular
Êxodo Rural Transferência de populações
rurais para o espaço urbano.
Transferência de populações de
uma cidade para outra.
Migração temporária, em
determinado período do ano.
Trabalhadores saem (de uma
cidade) em direção ao seu
trabalho (em outro município).
Muito povoadoMigração Intrarregional Na mesma região
Trata-se da migração de pessoas dentro de uma mesma
região. Essa tendência tem sido mais forte nas regiões Norte, Sul
e Centro-Oeste. Os movimentos migratórios intrarregionais
totalizaram 1.832.547 pessoas no período 1995/2000, o que
representa um crescimento de 2,6% em relação ao período
1986/1991.
Observou-se um forte dinamismo migratório no interior da
região Norte, que é respaldado pelo crescimento de quase 39%
de trocas intrarregionais, o maior dentre todas as regiões do país.
O Sul foi outra região que apresentou um aumento dos fluxos
intrarregionais. O Estado de Santa Catarina mostrou intenso
dinamismo migratório ao registrar um crescimento nos volumes
de imigrantes e emigrantes.
O crescimento de 21,8% nos deslocamentos intrarregionais da
região Centro-Oeste deveu-se sobretudo ao grande dinamismo
migratório observado nos estados de Goiás e Distrito Federal. No
caso de Goiás, houve um crescimento de 50,8% dos fluxos de
imigrantes. A região Sudeste, por outro lado, registrou queda de
1,5% no volume de migrantes intrarregionais. O Nordeste, por sua
vez, registrou redução de 11,1% nos fluxos migratórios
intrarregionais, movimento contrário ao observado nas trocas
com as demais regiões do país, onde se observou um aumento de
35,5% no volume de imigrantes.
Populaçã
o
Brasileira
Esquema Organizacional Parcial 1
Crescimento
populacional
Fatores
PositivoCrescimento
Vegetativo
Diferença entre taxa de
natalidade e de mortalidade.
Migração
Tipos
Definição
Desaceleração demográfica
1ª Transição Demográfica
Imigração
Fatores
históricos
Diminuição da taxa de mortalidade
2ª Transição Demográfica
Negativo
Nulo
Natalidade maior que
mortalidade.
Mortalidade maior que
natalidade.
Mortalidade equivalente
natalidade.
Teorias
populacionais
Malthusiana
Neomalthusiana
Reformista
Ecomalthusiana
Crescimento de alimentos ocorreria em progressão aritmética.
Sem guerra e epidemia, a população crescerá em progressão geométrica.
Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per
capita.
População jovem e numerosa necessita de investimentos sociais.
Maior o número de habitantes de um país, menor
a renda per capita.
Crescimento populacional exagerado pressionava
os recursos naturais.
População
Brasileira
Políticas
demográficas
São populacionistas
Atuais
Definição
Esquema Organizacional Parcial 2
Aumento dos idosos
Redução dos jovens.
Estrutura etária
Divisão
Pirâmide etária
atual
Adultos
Jovens
Idosos
Até 59 anos.
Até 19 anos.
60 em diante.
População
economicamente
ativa
Secundário
Primário
Terciário
Indústria
Agricultura, pecuária,
silvicultura e pesca.
Comércio, serviço e
profissões liberais.
Setores das
atividades humanas
Expansão
territorial e
migrações
Apropriação do territórioMobilidades espacial
Pequena migração
Imigração no
Brasil
1º Período
2º Período
3º Período
Intensa migração
Diminuição do fluxo
População
Brasileira
Esquema Organizacional Parcial 3
Fluxos
migratórios
Ordem econômica Busca emprego e uma melhor condição de vida.
Movimentos
migratórios
Definição Pessoas se deslocam dentro de um mesmo território.
Tipos
Urbano-urbano
Sazonal
Pendular
Êxodo Rural Transferência de populações
rurais para o espaço urbano.
Transferência de populações de
uma cidade para outra.
Migração temporária, em
determinado período do ano.
Trabalhadores saem (de uma
cidade) em direção ao seu
trabalho (em outro município).
Muito povoadoMigração Intrarregional Na mesma região
Distribuição geográfica Pouco povoadoIrregular
Desde a colonização o povoamento se concentra no litoral
do país. A densidade demográfica ou população relativa é a
média de habitantes por quilômetro quadrado, e é obtida
dividindo-se a população absoluta pela área. No início do sec. XXI,
a população ainda se distribuía irregularmente pelo território .
Contamos com áreas muito povoadas e outras pouco povoadas.
A concentração das maiores cidades ( São Paulo, Rio de
Janeiro, Salvador, Recife etc.) e das principais atividade
econômicas ( agricultura e indústria) na porção leste do país são
responsáveis por essa distribuição irregular. No Brasil o estado
mais populoso( grande pop. Absoluta) é São Paulo, e o menos
populoso ( pequena pop. Absoluta é Roraima.
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Geografia -  População Brasileira
Populaçã
o
Brasileira
Esquema Organizacional Global 1
Crescimento
populacional
Fatores
PositivoCrescimento
Vegetativo
Diferença entre taxa de
natalidade e de mortalidade.
Migração
Tipos
Definição
Desaceleração demográfica
1ª Transição Demográfica
Imigração
Fatores
históricos
Diminuição da taxa de mortalidade
2ª Transição Demográfica
Negativo
Nulo
Natalidade maior que
mortalidade.
Mortalidade maior que
natalidade.
Mortalidade equivalente
natalidade.
Teorias
populacionais
Malthusiana
Neomalthusiana
Reformista
Ecomalthusiana
Crescimento de alimentos ocorreria em progressão aritmética.
Sem guerra e epidemia, a população crescerá em progressão geométrica.
Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per
capita.
População jovem e numerosa necessita de investimentos sociais.
Maior o número de habitantes de um país, menor
a renda per capita.
Crescimento populacional exagerado pressionava
os recursos naturais.
População
Brasileira
Políticas
demográficas
São populacionistas
Atuais
Definição
Esquema Organizacional Global 2
Aumento dos idosos
Redução dos jovens.
Estrutura etária
Divisão
Pirâmide etária
atual
Adultos
Jovens
Idosos
Até 59 anos.
Até 19 anos.
60 em diante.
População
economicamente
ativa
Secundário
Primário
Terciário
Indústria
Agricultura, pecuária,
silvicultura e pesca.
Comércio, serviço e
profissões liberais.
Setores das
atividades humanas
Expansão
territorial e
migrações
Apropriação do territórioMobilidades espacial
Pequena migração
Imigração no
Brasil
1º Período
2º Período
3º Período
Intensa migração
Diminuição do fluxo
População
Brasileira
Esquema Organizacional Global 3
Fluxos
migratórios
Ordem econômica Busca emprego e uma melhor condição de vida.
Movimentos
migratórios
Definição Pessoas se deslocam dentro de um mesmo território.
Tipos
Urbano-urbano
Sazonal
Pendular
Êxodo Rural Transferência de populações
rurais para o espaço urbano.
Transferência de populações de
uma cidade para outra.
Migração temporária, em
determinado período do ano.
Trabalhadores saem (de uma
cidade) em direção ao seu
trabalho (em outro município).
Muito povoadoMigração Intrarregional Na mesma região
Distribuição geográfica Pouco povoadoIrregular
(PUCPR) Quanto à distribuição espacial da população no Brasil é
CORRETO afirmar:
a) Os estados brasileiros mais populosos estão localizados na região Sul,
concentrando cerca de 40,0% da população.
b) O estado de maior população absoluta é São Paulo; o de menor densidade é o
Rio de Janeiro.
c) A distribuição populacional no território brasileiro é bastante homogênea,
havendo apenas alguma concentração da população em determinadas
regiões, como no litoral e no Nordeste.
d) A população brasileira atingiu em 2008, segundo o IBGE, cerca de 191,5
milhões de habitantes, os quais se apresentam distribuídos nas 27 Unidades
Federativas (26 estados e 1 Distrito Federal) e nos 5.565 municípios.
 
(PUCPR) Quanto à distribuição espacial da população no Brasil é
CORRETO afirmar:
a) Os estados brasileiros mais populosos estão localizados na região Sul,
concentrando cerca de 40,0% da população.
b) O estado de maior população absoluta é São Paulo; o de menor densidade é o
Rio de Janeiro.
c) A distribuição populacional no território brasileiro é bastante homogênea,
havendo apenas alguma concentração da população em determinadas
regiões, como no litoral e no Nordeste.
d) A população brasileira atingiu em 2008, segundo o IBGE, cerca de 191,5
milhões de habitantes, os quais se apresentam distribuídos nas 27 Unidades
Federativas (26 estados e 1 Distrito Federal) e nos 5.565 municípios.
(PUCPR) Quanto à distribuição espacial da população no Brasil é
CORRETO afirmar:
a) Os estados brasileiros mais populosos estão localizados na região
Sul, concentrando cerca de 40,0% da população.
Falso – os estados mais populosos estão no sudeste .
PUCPR) Quanto à distribuição espacial da população no Brasil é
CORRETO afirmar:
b) O estado de maior população absoluta é São Paulo; o de menor
densidade é o Rio de Janeiro.
Falso – o Rio de Janeiro é o estado com a segunda maior
densidade.
(PUCPR) Quanto à distribuição espacial da população no Brasil é
CORRETO afirmar:
c) A distribuição populacional no território brasileiro é bastante
homogênea, havendo apenas alguma concentração da população
em determinadas regiões, como no litoral e no Nordeste.
Falso – o país possui concentração populacional em todas as
regiões.
(PUCPR) Quanto à distribuição espacial da população no Brasil é
CORRETO afirmar:
d) A população brasileira atingiu em 2008, segundo o IBGE, cerca de
191,5 milhões de habitantes, os quais se apresentam distribuídos
nas 27 Unidades Federativas (26 estados e 1 Distrito Federal) e
nos 5.565 municípios.
Verdadeiro .
Geografia geral e do Brasil/Coelho,Marcos de Amorim,Terra
Lygia,Moderna,2003,único, SP
Brasil: espaço geográfico e globalização/Moreira, João Carlos, Sene,
Eustáquio,Scipione,2007,único,SP

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Geografia da População
Geografia da PopulaçãoGeografia da População
Geografia da População
Eduardo Mendes
 
População brasileira dinâmica e desenvolvimento humano
População brasileira dinâmica e desenvolvimento humanoPopulação brasileira dinâmica e desenvolvimento humano
População brasileira dinâmica e desenvolvimento humano
Polyana Gonçalves Oliveira Assis
 
População brasileira
População brasileiraPopulação brasileira
População brasileira
Prof. Francesco Torres
 
O crescimento da população brasileira
O crescimento da população brasileiraO crescimento da população brasileira
O crescimento da população brasileira
dantasrdl
 
Geografia - População, Demografia, Migração.
Geografia - População, Demografia, Migração.Geografia - População, Demografia, Migração.
Geografia - População, Demografia, Migração.
Carson Souza
 
POPULAÇÃO BRASILEIRA, DISTRIBUIÇÃO, MIGRAÇÕES E IMIGRAÇÕES
POPULAÇÃO BRASILEIRA, DISTRIBUIÇÃO, MIGRAÇÕES E IMIGRAÇÕESPOPULAÇÃO BRASILEIRA, DISTRIBUIÇÃO, MIGRAÇÕES E IMIGRAÇÕES
POPULAÇÃO BRASILEIRA, DISTRIBUIÇÃO, MIGRAÇÕES E IMIGRAÇÕES
Alice Barros
 
Qualidade de vida em numeros
Qualidade de vida em numerosQualidade de vida em numeros
Qualidade de vida em numeros
Prof.Paulo/geografia
 
Território e população brasileira
Território e população brasileiraTerritório e população brasileira
Território e população brasileira
CBM
 
Crescimento populacional
Crescimento populacionalCrescimento populacional
Crescimento populacional
jamerson alencar
 
Populaçao brasileira
Populaçao brasileiraPopulaçao brasileira
Populaçao brasileira
Prof.Paulo/geografia
 
População brasileira
População brasileiraPopulação brasileira
População brasileira
Fernanda Lopes
 
Crescimento populacional
Crescimento populacionalCrescimento populacional
Crescimento populacional
Débora Sales
 
2ano populaçao brasil
2ano populaçao brasil2ano populaçao brasil
2ano populaçao brasil
Carla Matos
 
População brasileira
População brasileiraPopulação brasileira
População brasileira
Isabelegeografia
 
demografia do brasil
demografia do brasildemografia do brasil
demografia do brasil
GustavoSilvadeSouza2
 
Demografia
DemografiaDemografia
Demografia
profleofonseca
 
Trabalho sobre população
Trabalho sobre populaçãoTrabalho sobre população
Trabalho sobre população
Taniabastos15
 
População do Brasil
População do BrasilPopulação do Brasil
População do Brasil
PIBID Geografia UNEAL CAMPUS I
 
População Brasileira
População BrasileiraPopulação Brasileira
População Brasileira
Jane Mary Lima Castro
 
População brasileira e mundial Professor Edu Gonzaga 2015
População brasileira e mundial Professor Edu Gonzaga 2015População brasileira e mundial Professor Edu Gonzaga 2015
População brasileira e mundial Professor Edu Gonzaga 2015
Edu Gonzaga
 

Mais procurados (20)

Geografia da População
Geografia da PopulaçãoGeografia da População
Geografia da População
 
População brasileira dinâmica e desenvolvimento humano
População brasileira dinâmica e desenvolvimento humanoPopulação brasileira dinâmica e desenvolvimento humano
População brasileira dinâmica e desenvolvimento humano
 
População brasileira
População brasileiraPopulação brasileira
População brasileira
 
O crescimento da população brasileira
O crescimento da população brasileiraO crescimento da população brasileira
O crescimento da população brasileira
 
Geografia - População, Demografia, Migração.
Geografia - População, Demografia, Migração.Geografia - População, Demografia, Migração.
Geografia - População, Demografia, Migração.
 
POPULAÇÃO BRASILEIRA, DISTRIBUIÇÃO, MIGRAÇÕES E IMIGRAÇÕES
POPULAÇÃO BRASILEIRA, DISTRIBUIÇÃO, MIGRAÇÕES E IMIGRAÇÕESPOPULAÇÃO BRASILEIRA, DISTRIBUIÇÃO, MIGRAÇÕES E IMIGRAÇÕES
POPULAÇÃO BRASILEIRA, DISTRIBUIÇÃO, MIGRAÇÕES E IMIGRAÇÕES
 
Qualidade de vida em numeros
Qualidade de vida em numerosQualidade de vida em numeros
Qualidade de vida em numeros
 
Território e população brasileira
Território e população brasileiraTerritório e população brasileira
Território e população brasileira
 
Crescimento populacional
Crescimento populacionalCrescimento populacional
Crescimento populacional
 
Populaçao brasileira
Populaçao brasileiraPopulaçao brasileira
Populaçao brasileira
 
População brasileira
População brasileiraPopulação brasileira
População brasileira
 
Crescimento populacional
Crescimento populacionalCrescimento populacional
Crescimento populacional
 
2ano populaçao brasil
2ano populaçao brasil2ano populaçao brasil
2ano populaçao brasil
 
População brasileira
População brasileiraPopulação brasileira
População brasileira
 
demografia do brasil
demografia do brasildemografia do brasil
demografia do brasil
 
Demografia
DemografiaDemografia
Demografia
 
Trabalho sobre população
Trabalho sobre populaçãoTrabalho sobre população
Trabalho sobre população
 
População do Brasil
População do BrasilPopulação do Brasil
População do Brasil
 
População Brasileira
População BrasileiraPopulação Brasileira
População Brasileira
 
População brasileira e mundial Professor Edu Gonzaga 2015
População brasileira e mundial Professor Edu Gonzaga 2015População brasileira e mundial Professor Edu Gonzaga 2015
População brasileira e mundial Professor Edu Gonzaga 2015
 

Destaque

Populacao Brasileira
Populacao BrasileiraPopulacao Brasileira
Populacao Brasileira
martallbo
 
Slides população (1)
Slides população (1)Slides população (1)
Slides população (1)
terceirob
 
Power Point Da PopulaçãO Do Mundo
Power Point Da PopulaçãO Do MundoPower Point Da PopulaçãO Do Mundo
Power Point Da PopulaçãO Do Mundo
guest86db11b
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Poríferos e Cnidários
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia -  Poríferos e Cnidárioswww.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia -  Poríferos e Cnidários
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Poríferos e Cnidários
Annalu Jannuzzi
 
Japão e oceania
Japão e oceaniaJapão e oceania
Japão e oceania
recoba27
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Química - Balanceamento Por Oxirreducão
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Química -  Balanceamento Por Oxirreducão  www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Química -  Balanceamento Por Oxirreducão
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Química - Balanceamento Por Oxirreducão
Annalu Jannuzzi
 
Seminário em slides sobre américa anglo saxônica
Seminário em slides sobre américa anglo saxônicaSeminário em slides sobre américa anglo saxônica
Seminário em slides sobre américa anglo saxônica
GabrielQuick
 
Japão
JapãoJapão
Japão
valquirinha
 
6 ano mapas e tectonismos e vulcanismo
6 ano mapas e tectonismos e vulcanismo6 ano mapas e tectonismos e vulcanismo
6 ano mapas e tectonismos e vulcanismo
faf29
 
Urbanização e população
Urbanização e populaçãoUrbanização e população
Urbanização e população
Paulo Victor
 
Finalização dos Conteúdos
Finalização dos ConteúdosFinalização dos Conteúdos
Finalização dos Conteúdos
Ana Paula Silva
 
Japão
JapãoJapão
Modulo 10 - Aspectos Naturais da América Anglo-Saxônica
Modulo 10 - Aspectos Naturais da América Anglo-SaxônicaModulo 10 - Aspectos Naturais da América Anglo-Saxônica
Modulo 10 - Aspectos Naturais da América Anglo-Saxônica
Claudio Henrique Ramos Sales
 
Austrália Aspectos Gerais
Austrália  Aspectos GeraisAustrália  Aspectos Gerais
Austrália Aspectos Gerais
Eduardo Santos
 
O estudo da estrutura e formação das palavras
O estudo da estrutura e formação das palavrasO estudo da estrutura e formação das palavras
O estudo da estrutura e formação das palavras
Itacarambi
 
Questoes sobre estrutura e formacao de palavras aocp
Questoes sobre estrutura e formacao de palavras aocpQuestoes sobre estrutura e formacao de palavras aocp
Questoes sobre estrutura e formacao de palavras aocp
ma.no.el.ne.ves
 
Cartografia
CartografiaCartografia
Cartografia
Jorio Sena
 
América anglo saxônica
América anglo saxônicaAmérica anglo saxônica
América anglo saxônica
Vania Leão
 
Massa de ar
Massa de arMassa de ar
Massa de ar
João Vitor
 
Japão
JapãoJapão
Japão
jurastelli
 

Destaque (20)

Populacao Brasileira
Populacao BrasileiraPopulacao Brasileira
Populacao Brasileira
 
Slides população (1)
Slides população (1)Slides população (1)
Slides população (1)
 
Power Point Da PopulaçãO Do Mundo
Power Point Da PopulaçãO Do MundoPower Point Da PopulaçãO Do Mundo
Power Point Da PopulaçãO Do Mundo
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Poríferos e Cnidários
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia -  Poríferos e Cnidárioswww.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia -  Poríferos e Cnidários
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Poríferos e Cnidários
 
Japão e oceania
Japão e oceaniaJapão e oceania
Japão e oceania
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Química - Balanceamento Por Oxirreducão
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Química -  Balanceamento Por Oxirreducão  www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Química -  Balanceamento Por Oxirreducão
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Química - Balanceamento Por Oxirreducão
 
Seminário em slides sobre américa anglo saxônica
Seminário em slides sobre américa anglo saxônicaSeminário em slides sobre américa anglo saxônica
Seminário em slides sobre américa anglo saxônica
 
Japão
JapãoJapão
Japão
 
6 ano mapas e tectonismos e vulcanismo
6 ano mapas e tectonismos e vulcanismo6 ano mapas e tectonismos e vulcanismo
6 ano mapas e tectonismos e vulcanismo
 
Urbanização e população
Urbanização e populaçãoUrbanização e população
Urbanização e população
 
Finalização dos Conteúdos
Finalização dos ConteúdosFinalização dos Conteúdos
Finalização dos Conteúdos
 
Japão
JapãoJapão
Japão
 
Modulo 10 - Aspectos Naturais da América Anglo-Saxônica
Modulo 10 - Aspectos Naturais da América Anglo-SaxônicaModulo 10 - Aspectos Naturais da América Anglo-Saxônica
Modulo 10 - Aspectos Naturais da América Anglo-Saxônica
 
Austrália Aspectos Gerais
Austrália  Aspectos GeraisAustrália  Aspectos Gerais
Austrália Aspectos Gerais
 
O estudo da estrutura e formação das palavras
O estudo da estrutura e formação das palavrasO estudo da estrutura e formação das palavras
O estudo da estrutura e formação das palavras
 
Questoes sobre estrutura e formacao de palavras aocp
Questoes sobre estrutura e formacao de palavras aocpQuestoes sobre estrutura e formacao de palavras aocp
Questoes sobre estrutura e formacao de palavras aocp
 
Cartografia
CartografiaCartografia
Cartografia
 
América anglo saxônica
América anglo saxônicaAmérica anglo saxônica
América anglo saxônica
 
Massa de ar
Massa de arMassa de ar
Massa de ar
 
Japão
JapãoJapão
Japão
 

Semelhante a www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Geografia - População Brasileira

Quem vive no brasil
Quem vive no brasilQuem vive no brasil
Quem vive no brasil
Nilberte Correia
 
Crescimento Populacional No Brasil e Mundo
Crescimento Populacional No Brasil e MundoCrescimento Populacional No Brasil e Mundo
Crescimento Populacional No Brasil e Mundo
Débora Sales
 
Ransição demográfica e envelhecimento da população brasileira
Ransição demográfica e envelhecimento da população brasileiraRansição demográfica e envelhecimento da população brasileira
Ransição demográfica e envelhecimento da população brasileira
Atividades Diversas Cláudia
 
Aula1.8a
Aula1.8aAula1.8a
Cap2 Oferta Forca Trabalho
Cap2 Oferta Forca TrabalhoCap2 Oferta Forca Trabalho
Cap2 Oferta Forca Trabalho
Davi Carvalho
 
Geografia cn2
Geografia cn2Geografia cn2
Geografia cn2
2marrow
 
Conceitos demográficos
Conceitos demográficosConceitos demográficos
Conceitos demográficos
Professor
 
Geografia
GeografiaGeografia
1º Mc Grupo 03
1º Mc   Grupo 031º Mc   Grupo 03
1º Mc Grupo 03
ProfMario De Mori
 
Demografia aplicada ao vestibular
Demografia aplicada ao vestibularDemografia aplicada ao vestibular
Demografia aplicada ao vestibular
Artur Lara
 
Dinâmica populacional brasileira
Dinâmica populacional brasileiraDinâmica populacional brasileira
Dinâmica populacional brasileira
Pedro Neves
 
6º anos - Revisão de prova (Geografia)
6º anos - Revisão de prova (Geografia)6º anos - Revisão de prova (Geografia)
6º anos - Revisão de prova (Geografia)
Claudio Henrique Ramos Sales
 
Demografia
DemografiaDemografia
Demografia
profleofonseca
 
2 o crescimento da população humana
2 o crescimento da população humana2 o crescimento da população humana
2 o crescimento da população humana
Pelo Siro
 
5 formacao da-populacao_brasileira
5 formacao da-populacao_brasileira5 formacao da-populacao_brasileira
5 formacao da-populacao_brasileira
Lucas Cechinel
 
População brasileira.ppt
População brasileira.pptPopulação brasileira.ppt
População brasileira.ppt
daniel936004
 
Apresentação de Slides Corporativo Preto e Branco_20231026_193008_0000 (2).pdf
Apresentação de Slides Corporativo Preto e Branco_20231026_193008_0000 (2).pdfApresentação de Slides Corporativo Preto e Branco_20231026_193008_0000 (2).pdf
Apresentação de Slides Corporativo Preto e Branco_20231026_193008_0000 (2).pdf
HitaloSantos7
 
Gb.16.indicadores.demograficos.fluxos.migratorios
Gb.16.indicadores.demograficos.fluxos.migratoriosGb.16.indicadores.demograficos.fluxos.migratorios
Gb.16.indicadores.demograficos.fluxos.migratorios
Fernando Machniewicz Knapik
 
Resumo geografia
Resumo geografiaResumo geografia
Resumo geografia
Rita Silva
 
Crescimento populacional
Crescimento populacionalCrescimento populacional
Crescimento populacional
Débora Sales
 

Semelhante a www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Geografia - População Brasileira (20)

Quem vive no brasil
Quem vive no brasilQuem vive no brasil
Quem vive no brasil
 
Crescimento Populacional No Brasil e Mundo
Crescimento Populacional No Brasil e MundoCrescimento Populacional No Brasil e Mundo
Crescimento Populacional No Brasil e Mundo
 
Ransição demográfica e envelhecimento da população brasileira
Ransição demográfica e envelhecimento da população brasileiraRansição demográfica e envelhecimento da população brasileira
Ransição demográfica e envelhecimento da população brasileira
 
Aula1.8a
Aula1.8aAula1.8a
Aula1.8a
 
Cap2 Oferta Forca Trabalho
Cap2 Oferta Forca TrabalhoCap2 Oferta Forca Trabalho
Cap2 Oferta Forca Trabalho
 
Geografia cn2
Geografia cn2Geografia cn2
Geografia cn2
 
Conceitos demográficos
Conceitos demográficosConceitos demográficos
Conceitos demográficos
 
Geografia
GeografiaGeografia
Geografia
 
1º Mc Grupo 03
1º Mc   Grupo 031º Mc   Grupo 03
1º Mc Grupo 03
 
Demografia aplicada ao vestibular
Demografia aplicada ao vestibularDemografia aplicada ao vestibular
Demografia aplicada ao vestibular
 
Dinâmica populacional brasileira
Dinâmica populacional brasileiraDinâmica populacional brasileira
Dinâmica populacional brasileira
 
6º anos - Revisão de prova (Geografia)
6º anos - Revisão de prova (Geografia)6º anos - Revisão de prova (Geografia)
6º anos - Revisão de prova (Geografia)
 
Demografia
DemografiaDemografia
Demografia
 
2 o crescimento da população humana
2 o crescimento da população humana2 o crescimento da população humana
2 o crescimento da população humana
 
5 formacao da-populacao_brasileira
5 formacao da-populacao_brasileira5 formacao da-populacao_brasileira
5 formacao da-populacao_brasileira
 
População brasileira.ppt
População brasileira.pptPopulação brasileira.ppt
População brasileira.ppt
 
Apresentação de Slides Corporativo Preto e Branco_20231026_193008_0000 (2).pdf
Apresentação de Slides Corporativo Preto e Branco_20231026_193008_0000 (2).pdfApresentação de Slides Corporativo Preto e Branco_20231026_193008_0000 (2).pdf
Apresentação de Slides Corporativo Preto e Branco_20231026_193008_0000 (2).pdf
 
Gb.16.indicadores.demograficos.fluxos.migratorios
Gb.16.indicadores.demograficos.fluxos.migratoriosGb.16.indicadores.demograficos.fluxos.migratorios
Gb.16.indicadores.demograficos.fluxos.migratorios
 
Resumo geografia
Resumo geografiaResumo geografia
Resumo geografia
 
Crescimento populacional
Crescimento populacionalCrescimento populacional
Crescimento populacional
 

Mais de Annalu Jannuzzi

www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Química - Dispersões e Soluções
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Química - Dispersões e Soluçõeswww.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Química - Dispersões e Soluções
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Química - Dispersões e Soluções
Annalu Jannuzzi
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Vanguarda
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Vanguardawww.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Vanguarda
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Vanguarda
Annalu Jannuzzi
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Primeira fase do Modernismo
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Primeira fase do Modernismowww.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Primeira fase do Modernismo
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Primeira fase do Modernismo
Annalu Jannuzzi
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Barroco
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Barrocowww.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Barroco
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Barroco
Annalu Jannuzzi
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História - Período Colonial
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História - Período Colonialwww.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História - Período Colonial
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História - Período Colonial
Annalu Jannuzzi
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História - Mercantilismo.
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História - Mercantilismo.www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História - Mercantilismo.
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História - Mercantilismo.
Annalu Jannuzzi
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História - Era Vargas
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História -  Era Vargaswww.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História -  Era Vargas
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História - Era Vargas
Annalu Jannuzzi
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História - Baixa Idade Média
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História -  Baixa Idade Médiawww.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História -  Baixa Idade Média
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História - Baixa Idade Média
Annalu Jannuzzi
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História - Alta Idade Média
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História -  Alta Idade Médiawww.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História -  Alta Idade Média
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História - Alta Idade Média
Annalu Jannuzzi
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Geografia - Bases Físicas do Brasil
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Geografia -  Bases Físicas do Brasilwww.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Geografia -  Bases Físicas do Brasil
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Geografia - Bases Físicas do Brasil
Annalu Jannuzzi
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Reino Plantae - Briófitas e Pter...
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Reino Plantae - Briófitas e Pter...www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Reino Plantae - Briófitas e Pter...
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Reino Plantae - Briófitas e Pter...
Annalu Jannuzzi
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Platelmintos
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia -  Platelmintoswww.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia -  Platelmintos
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Platelmintos
Annalu Jannuzzi
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Ecologia - Os Biomas Brasileiro...
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia -  Ecologia - Os Biomas Brasileiro...www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia -  Ecologia - Os Biomas Brasileiro...
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Ecologia - Os Biomas Brasileiro...
Annalu Jannuzzi
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Ecologia - Biosfera - Parte 3.
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia -  Ecologia - Biosfera - Parte 3.www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia -  Ecologia - Biosfera - Parte 3.
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Ecologia - Biosfera - Parte 3.
Annalu Jannuzzi
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Classificação dos seres vivos.
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia -  Classificação dos seres vivos.www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia -  Classificação dos seres vivos.
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Classificação dos seres vivos.
Annalu Jannuzzi
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Características Gerais dos Animais
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia -  Características Gerais dos Animaiswww.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia -  Características Gerais dos Animais
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Características Gerais dos Animais
Annalu Jannuzzi
 

Mais de Annalu Jannuzzi (16)

www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Química - Dispersões e Soluções
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Química - Dispersões e Soluçõeswww.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Química - Dispersões e Soluções
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Química - Dispersões e Soluções
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Vanguarda
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Vanguardawww.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Vanguarda
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Vanguarda
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Primeira fase do Modernismo
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Primeira fase do Modernismowww.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Primeira fase do Modernismo
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Primeira fase do Modernismo
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Barroco
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Barrocowww.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Barroco
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Barroco
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História - Período Colonial
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História - Período Colonialwww.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História - Período Colonial
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História - Período Colonial
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História - Mercantilismo.
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História - Mercantilismo.www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História - Mercantilismo.
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História - Mercantilismo.
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História - Era Vargas
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História -  Era Vargaswww.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História -  Era Vargas
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História - Era Vargas
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História - Baixa Idade Média
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História -  Baixa Idade Médiawww.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História -  Baixa Idade Média
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História - Baixa Idade Média
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História - Alta Idade Média
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História -  Alta Idade Médiawww.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História -  Alta Idade Média
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História - Alta Idade Média
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Geografia - Bases Físicas do Brasil
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Geografia -  Bases Físicas do Brasilwww.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Geografia -  Bases Físicas do Brasil
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Geografia - Bases Físicas do Brasil
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Reino Plantae - Briófitas e Pter...
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Reino Plantae - Briófitas e Pter...www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Reino Plantae - Briófitas e Pter...
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Reino Plantae - Briófitas e Pter...
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Platelmintos
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia -  Platelmintoswww.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia -  Platelmintos
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Platelmintos
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Ecologia - Os Biomas Brasileiro...
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia -  Ecologia - Os Biomas Brasileiro...www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia -  Ecologia - Os Biomas Brasileiro...
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Ecologia - Os Biomas Brasileiro...
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Ecologia - Biosfera - Parte 3.
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia -  Ecologia - Biosfera - Parte 3.www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia -  Ecologia - Biosfera - Parte 3.
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Ecologia - Biosfera - Parte 3.
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Classificação dos seres vivos.
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia -  Classificação dos seres vivos.www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia -  Classificação dos seres vivos.
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Classificação dos seres vivos.
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Características Gerais dos Animais
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia -  Características Gerais dos Animaiswww.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia -  Características Gerais dos Animais
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Características Gerais dos Animais
 

Último

Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Luzia Gabriele
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CristviaFerreira
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 

Último (20)

Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 

www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Geografia - População Brasileira

  • 2. Ao final dessa aula, você será capaz de:  Entender como ocorreu o processo de expansão populacional do Brasil;  Conhecer os principais fatores de povoamento do país;  Reconhecer a importância dos imigrantes no país;  Entender os processos migratórios internos;  Entender como funciona a estrutura populacional do país.
  • 3.  Formação cultural brasileira;  Cultura regional brasileira;  Imigração;  Migração.
  • 4.  População relativa: relação entre o número de habitantes e a área do território onde se distribuem.  População absoluta: é o número total de habitantes de um lugar (país, cidade etc.).  Crescimento vegetativo ou natural: é a diferença entre a taxa de natalidade e a taxa de mortalidade de um determinado local ou país geralmente expressa em porcentagem.
  • 5.  Demografia: é o estudo da dinâmica da população humana.  Densidade populacional : corresponde ao número de indivíduos por unidade de área.  Expectativa de vida: o número médio de anos que um grupo de indivíduos espera viver.
  • 6. Populaçã o Brasileira Esquema Organizacional Global 1 Crescimento populacional Fatores PositivoCrescimento Vegetativo Diferença entre taxa de natalidade e de mortalidade. Migração Tipos Definição Desaceleração demográfica 1ª Transição Demográfica Imigração Fatores históricos Diminuição da taxa de mortalidade 2ª Transição Demográfica Negativo Nulo Natalidade maior que mortalidade. Mortalidade maior que natalidade. Mortalidade equivalente natalidade. Teorias populacionais Malthusiana Neomalthusiana Reformista Ecomalthusiana Crescimento de alimentos ocorreria em progressão aritmética. Sem guerra e epidemia, a população crescerá em progressão geométrica. Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per capita. População jovem e numerosa necessita de investimentos sociais. Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per capita. Crescimento populacional exagerado pressionava os recursos naturais.
  • 7. População Brasileira Políticas demográficas São populacionistas Atuais Definição Esquema Organizacional Global 2 Aumento dos idosos Redução dos jovens. Estrutura etária Divisão Pirâmide etária atual Adultos Jovens Idosos Até 59 anos. Até 19 anos. 60 em diante. População economicamente ativa Secundário Primário Terciário Indústria Agricultura, pecuária, silvicultura e pesca. Comércio, serviço e profissões liberais. Setores das atividades humanas Expansão territorial e migrações Apropriação do territórioMobilidades espacial Pequena migração Imigração no Brasil 1º Período 2º Período 3º Período Intensa migração Diminuição do fluxo
  • 8. População Brasileira Esquema Organizacional Global 3 Fluxos migratórios Ordem econômica Busca emprego e uma melhor condição de vida. Movimentos migratórios Definição Pessoas se deslocam dentro de um mesmo território. Tipos Urbano-urbano Sazonal Pendular Êxodo Rural Transferência de populações rurais para o espaço urbano. Transferência de populações de uma cidade para outra. Migração temporária, em determinado período do ano. Trabalhadores saem (de uma cidade) em direção ao seu trabalho (em outro município). Muito povoadoMigração Intrarregional Na mesma região Distribuição geográfica Pouco povoadoIrregular
  • 9.  Taxa de natalidade É a relação entre o número de nascimentos ocorridos em um ano e o número de habitantes. Obtemos essa taxa tomando os nascimentos ocorridos durante um ano, multiplicando-se por 1000 e dividindo o resultado pela população absoluta, ou seja:
  • 10.  Taxa de Mortalidade É a relação entre o número de óbitos ocorridos em um ano e o número de habitantes. Obtemos essa taxa tomando os óbitos ocorridos durante um ano, multiplicando-os por 1000 e dividindo o resultado pela população absoluta, ou seja:
  • 12. No último século a população brasileira multiplicou por dez: em 1900 residiam no Brasil cerca de 17 milhões de pessoas, no ano 2000 quase 170 milhões. Desde o primeiro recenseamento (1872) ocorreram várias mudanças no padrão da evolução demográfica brasileira. Até o início da década de 1930 o crescimento da população do Brasil contou com forte contribuição da imigração.
  • 13. A partir de 1934, com a adoção da "Lei de Cotas" que estabelecia limites à entrada de imigrantes, o aumento da população dependeu, principalmente, do crescimento vegetativo (cv), isto é, a diferença entre as taxas de natalidade e a de mortalidade expressa em porcentagem.
  • 14. Populaçã o Brasileira 1ª Transição Demográfica Imigração Esquema Organizacional Parcial Fatores históricos Diminuição da taxa de mortalidade
  • 15. No entanto, foi depois da Segunda Guerra Mundial (1939- 45) que o crescimento tornou-se acelerado, devido à diminuição das taxas de mortalidade. Isso é explicado por fatores como a expansão da rede de esgoto, acesso à água encanada, campanhas de vacinação em massa, acesso a medicamentos básicos, etc. Entre 1940 a 1960 foi registrada a maior evolução das taxas de crescimento populacional, atingindo em 1960 a taxa de 2,9% a.a. (ao ano - ou 29%0 a.a.). Este período marcou a primeira fase de transição demográfica brasileira.
  • 16. Populaçã o Brasileira Desaceleração demográfica 1ª Transição Demográfica Imigração Esquema Organizacional Parcial Fatores históricos Diminuição da taxa de mortalidade 2ª Transição Demográfica
  • 17. A partir da década de 1960, começou a ocorrer uma desaceleração demográfica contínua: a diminuição das taxas de natalidade passou a ser maior que a das taxas de mortalidade, registrando em 2000 um crescimento demográfico de 1,6% a.a., com tendência à queda. Essa mudança no padrão do crescimento populacional brasileiro mostra uma situação típica da segunda fase de transição demográfica.
  • 18. Atualmente, de acordo com o Censo Demográfico Brasileiro podemos perceber que a população brasileira cresceu em 138 anos, quase 20 vezes. Os censos demográficos são realizados no Brasil a cada dez anos Desde 1872, o maior índice de crescimento da população brasileira foi registrado na década de 50, quando o Brasil crescia 2,99% ao ano. Isso, de acordo com Fernando Albuquerque, gerente da Coordenação de População e Indicadores Sociais, porque o Brasil registrou o declínio de mortalidade após a Segunda Guerra Mundial, em 1945 e manteve altos os níveis de fecundidade.
  • 20. Populaçã o Brasileira Esquema Organizacional Parcial Crescimento populacional fatores Crescimento Vegetativo Migração Desaceleração demográfica 1ª Transição Demográfica Imigração Fatores históricos Diminuição da taxa de mortalidade 2ª Transição Demográfica
  • 21. Populaçã o Brasileira Esquema Organizacional Parcial Crescimento populacional fatores Crescimento Vegetativo Migração Desaceleração demográfica 1ª Transição Demográfica Imigração Fatores históricos Diminuição da taxa de mortalidade 2ª Transição Demográfica Diferença entre taxa de natalidade e de mortalidade. Definição Tipos
  • 22. O crescimento populacional de um determinado território ocorre através de dois fatores: a migração e o crescimento vegetativo, esse último é a diferença entre a taxa de natalidade e a taxa de mortalidade. CV = NATALIDADE - MORTALIDADE
  • 23. Populaçã o Brasileira Esquema Organizacional Parcial Crescimento populacional fatores Positivo Crescimento Vegetativo Diferença entre taxa de natalidade e de mortalidade. Migração Tipos Definição Desaceleração demográfica 1ª Transição Demográfica Imigração Fatores históricos Diminuição da taxa de mortalidade 2ª Transição Demográfica Natalidade maior que mortalidade.
  • 24. Populaçã o Brasileira Esquema Organizacional Parcial Crescimento populacional fatores Positivo Crescimento Vegetativo Diferença entre taxa de natalidade e de mortalidade. Migração Tipos Definição Desaceleração demográfica 1ª Transição Demográfica Imigração Fatores históricos Diminuição da taxa de mortalidade 2ª Transição Demográfica Negativo Natalidade maior que mortalidade. Mortalidade maior que natalidade.
  • 25. Populaçã o Brasileira Esquema Organizacional Parcial Crescimento populacional fatores PositivoCrescimento Vegetativo Diferença entre taxa de natalidade e de mortalidade. Migração Tipos Definição Desaceleração demográfica 1ª Transição Demográfica Imigração Fatores históricos Diminuição da taxa de mortalidade 2ª Transição Demográfica Negativo Nulo Natalidade maior que mortalidade. Mortalidade maior que natalidade. Mortalidade equivalente natalidade.
  • 26. Quando a taxa de natalidade é maior que a de mortalidade, tem-se um crescimento vegetativo positivo; caso contrário, o crescimento é negativo; e quando as duas taxas são equivalentes, o crescimento vegetativo é nulo.
  • 27. No Brasil, o crescimento vegetativo é o principal responsável pelo aumento populacional, já que os fluxos migratórios ocorreram de forma mais intensa entre 1800 e 1950. Nesse período, a população brasileira totalizava 51.944,397 habitantes, bem longe dos atuais 190.755.799. 
  • 29. Entre os anos de 1872 e 2000 houve um crescimento considerável da população no Brasil, especialmente na década de 50 quando a mortalidade estava em decadência e a natalidade apresentava índices elevados. Por volta da década de 70 esse crescimento ficou mais lento em razão de algumas mudanças, como por exemplo, o grande aumento dos custos para sobreviver e o fácil acesso aos métodos anticoncepcionais. Os censos de 1991 e 2000 também apontam uma queda na taxa de crescimento populacional.
  • 30. Populaçã o Brasileira Esquema Organizacional Parcial Crescimento populacional Fatores PositivoCrescimento Vegetativo Diferença entre taxa de natalidade e de mortalidade. Migração Tipos Definição Desaceleração demográfica 1ª Transição Demográfica Imigração Fatores históricos Diminuição da taxa de mortalidade 2ª Transição Demográfica Negativo Nulo Natalidade maior que mortalidade. Mortalidade maior que natalidade. Mortalidade equivalente natalidade. Teorias populacionais Malthusiana Neomalthusiana Reformista Ecomalthusiana
  • 31. Inúmeras teorias foram elaboradas para tentar explicar o crescimento populacional. Dentre elas, é comum se destacarem três, que estão profundamente inter-relacionadas: a malthusiana, a neomalthusiana e a reformista, além da ecomalthusiana, criado no século 18 por Malthus.
  • 32. Populaçã o Brasileira Esquema Organizacional Parcial Crescimento populacional Fatores PositivoCrescimento Vegetativo Diferença entre taxa de natalidade e de mortalidade. Migração Tipos Definição Desaceleração demográfica 1ª Transição Demográfica Imigração Fatores históricos Diminuição da taxa de mortalidade 2ª Transição Demográfica Negativo Nulo Natalidade maior que mortalidade. Mortalidade maior que natalidade. Mortalidade equivalente natalidade. Teorias populacionais Malthusiana Neomalthusiana Reformista Ecomalthusiana Sem guerra e epidemia, a população crescerá em progressão geométrica.
  • 33. Populaçã o Brasileira Esquema Organizacional Parcial Crescimento populacional Fatores PositivoCrescimento Vegetativo Diferença entre taxa de natalidade e de mortalidade. Migração Tipos Definição Desaceleração demográfica 1ª Transição Demográfica Imigração Fatores históricos Diminuição da taxa de mortalidade 2ª Transição Demográfica Negativo Nulo Natalidade maior que mortalidade. Mortalidade maior que natalidade. Mortalidade equivalente natalidade. Teorias populacionais Malthusiana Neomalthusiana Reformista Ecomalthusiana Crescimento de alimentos ocorreria em progressão aritmética. Sem guerra e epidemia, a população crescerá em progressão geométrica.
  • 34. Malthusiana: Em 1798, Malthus publicou uma teoria demográfica que apresenta basicamente dois postulados: a) Se não ocorrerem guerras, epidemias, desastres naturais, etc., a população tenderia a duplicar a cada 25 anos. Ela cresceria, portanto, em progressão geométrica (2, 4, 8, 16, 32...) ,ou seja, cresceria sem parar. b) O crescimento da produção de alimentos ocorreria apenas em progressão aritmética (2, 4, 6, 8,10...) e possuiria um limite de produção, por depender de um fator fixo: o próprio limite territorial dos continentes.
  • 35. Populaçã o Brasileira Esquema Organizacional Parcial Crescimento populacional Fatores PositivoCrescimento Vegetativo Diferença entre taxa de natalidade e de mortalidade. Migração Tipos Definição Desaceleração demográfica 1ª Transição Demográfica Imigração Fatores históricos Diminuição da taxa de mortalidade 2ª Transição Demográfica Negativo Nulo Natalidade maior que mortalidade. Mortalidade maior que natalidade. Mortalidade equivalente natalidade. Teorias populacionais Malthusiana Neomalthusiana Reformista Ecomalthusiana Crescimento de alimentos ocorreria em progressão aritmética. Sem guerra e epidemia, a população crescerá em progressão geométrica. População jovem e numerosa necessita de investimentos sociais.
  • 36. Teoria Neomalthusiana: Segunda essa teoria, uma população jovem e numerosa necessita de grandes investimentos sociais em educação e saúde. Com isso, diminuem os investimentos produtivos nos setores agrícola e industrial, o que impede o pleno desenvolvimento das atividades econômicas e, portanto, da melhoria das condições de vida da população.
  • 37. Populaçã o Brasileira Esquema Organizacional Parcial Crescimento populacional Fatores PositivoCrescimento Vegetativo Diferença entre taxa de natalidade e de mortalidade. Migração Tipos Definição Desaceleração demográfica 1ª Transição Demográfica Imigração Fatores históricos Diminuição da taxa de mortalidade 2ª Transição Demográfica Negativo Nulo Natalidade maior que mortalidade. Mortalidade maior que natalidade. Mortalidade equivalente natalidade. Teorias populacionais Malthusiana Neomalthusiana Reformista Ecomalthusiana Crescimento de alimentos ocorreria em progressão aritmética. Sem guerra e epidemia, a população crescerá em progressão geométrica. Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per capita. População jovem e numerosa necessita de investimentos sociais.
  • 38. Ainda segundo os neomalthusianos, quanto maior o número de habitantes de um país, menor a renda per capita e a disponibilidade de capital a ser distribuído pelos agentes econômicos. Sua proposta são programas de controle da natalidade nos países subdesenvolvidos e a disseminação da utilização de métodos anticoncepcionais.
  • 39. Populaçã o Brasileira Esquema Organizacional Parcial Crescimento populacional Fatores PositivoCrescimento Vegetativo Diferença entre taxa de natalidade e de mortalidade. Migração Tipos Definição Desaceleração demográfica 1ª Transição Demográfica Imigração Fatores históricos Diminuição da taxa de mortalidade 2ª Transição Demográfica Negativo Nulo Natalidade maior que mortalidade. Mortalidade maior que natalidade. Mortalidade equivalente natalidade. Teorias populacionais Malthusiana Neomalthusiana Reformista Ecomalthusiana Crescimento de alimentos ocorreria em progressão aritmética. Sem guerra e epidemia, a população crescerá em progressão geométrica. Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per capita. População jovem e numerosa necessita de investimentos sociais. Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per capita.
  • 40. Teoria Reformista: Uma população jovem numerosa, em virtude de elevadas taxas de natalidade, não é a causa, mas consequência do subdesenvolvimento. Uma população jovem numerosa só se tornou empecilho ao desenvolvimento das atividades econômicas nos países subdesenvolvidos porque não foram realizados investimentos sociais, principalmente em educação e saúde.
  • 41. Essa situação gerou um enorme contingente de mão-de- obra desqualificada ingressando anualmente no mercado de trabalho. Essa realidade tende a rebaixar o nível médio de produtividade por trabalhador e a continuar a empobrecer enormes parcelas da população desses países. É necessário o enfrentamento, em primeiro lugar, das questões sociais e econômicas para que a dinâmica demográfica entre em equilíbrio.
  • 42. Populaçã o Brasileira Esquema Organizacional Parcial Crescimento populacional Fatores PositivoCrescimento Vegetativo Diferença entre taxa de natalidade e de mortalidade. Migração Tipos Definição Desaceleração demográfica 1ª Transição Demográfica Imigração Fatores históricos Diminuição da taxa de mortalidade 2ª Transição Demográfica Negativo Nulo Natalidade maior que mortalidade. Mortalidade maior que natalidade. Mortalidade equivalente natalidade. Teorias populacionais Malthusiana Neomalthusiana Reformista Ecomalthusiana Crescimento de alimentos ocorreria em progressão aritmética. Sem guerra e epidemia, a população crescerá em progressão geométrica. Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per capita. População jovem e numerosa necessita de investimentos sociais. Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per capita. Crescimento populacional exagerado pressionava os recursos naturais.
  • 43. Os ecomalthusianos surgiram no final do século 20 com a teoria de que o crescimento populacional exagerado pressionava os recursos naturais, podendo representar riscos para um futuro próximo em razão dos impactos ambientais. Essa teoria, defende o desenvolvimento sustentável com o menor impacto ambiental possível.
  • 44. Esse pensamento tenta conscientizar que os recursos naturais são esgotáveis, ou seja, vão acabar um dia, e que a população não faz o suficiente para preservá-los. Também é incluído nessa teoria o problema do consumo exagerado dos países e a relação desse consumo nos locais desenvolvidos, além do exagerado processo de desmatamento que vem ocorrendo em áreas de extensas florestas nos países em desenvolvimento.
  • 45. Populaçã o Brasileira Esquema Organizacional Parcial 1 Crescimento populacional Fatores PositivoCrescimento Vegetativo Diferença entre taxa de natalidade e de mortalidade. Migração Tipos Definição Desaceleração demográfica 1ª Transição Demográfica Imigração Fatores históricos Diminuição da taxa de mortalidade 2ª Transição Demográfica Negativo Nulo Natalidade maior que mortalidade. Mortalidade maior que natalidade. Mortalidade equivalente natalidade. Teorias populacionais Malthusiana Neomalthusiana Reformista Ecomalthusiana Crescimento de alimentos ocorreria em progressão aritmética. Sem guerra e epidemia, a população crescerá em progressão geométrica. Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per capita. População jovem e numerosa necessita de investimentos sociais. Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per capita. Crescimento populacional exagerado pressionava os recursos naturais.
  • 47. Desde a década de 30 até a década de 60, o governo brasileiro desenvolveu uma política demográfica nitidamente populacionista. A Constituição de 1934 foi a primeira a explicitar essa política populacionista. Ela atribuía ao Estado a incumbência de socorrer as famílias de prole numerosa. A Constituição de 1937 avançou ainda mais, ao afirmar que "às famílias numerosas serão atribuídas compensações na proporção de seus encargos".
  • 48. Em 1941, no governo Getúlio Vargas, foi criado um decreto- lei que obrigava as pessoas solteiras ou viúvas, maiores de 25 anos, a pagar um adicional de 1% sobre o imposto de renda devido. Na Constituição de 1946, o artigo 164 assegurava o amparo às famílias de prole numerosa. Os pais que tivessem mais de 6 filhos tinham direito a um abono especial.
  • 51. A crescente necessidade de mão-de-obra (numerosa e barata), para sustentar o desenvolvimento industrial, e a preocupação do governo em povoar os vazios demográficos do interior do país (Centro-Oeste e Amazônia) serviram de estímulo permanente à política natalista ou populacionista. Nos anos 60, foram criados o auxílio-natalidade (1960) e o salário-família (1963).
  • 52. Auxílio-natalidade: pagamento de um salário mínimo, aos pais, quando do nascimento de um filho. Salário-família: pagamento mensal de 5% do salário mínimo local, para cada filho, até os 14 anos de idade.
  • 53. 1.(PUC 2009) Identifique e explique uma teoria demográfica, amplamente divulgada por agentes políticos e econômicos das áreas centrais do planeta a partir da segunda metade do século XX, que relaciona a pressão demográfica com a escassez de recursos naturais podendo agravar a fome no mundo.
  • 54. 1.(PUC 2009) Identifique e explique uma teoria demográfica, amplamente divulgada por agentes políticos e econômicos das áreas centrais do planeta a partir da segunda metade do século XX, que relaciona a pressão demográfica com a escassez de recursos naturais podendo agravar a fome no mundo.
  • 55. Uma das teorias demográficas surgidas a partir da segunda metade do século XX é a Teoria Ecomalthusiana. Inspirados nos princípios da Teoria Malthusiana, os teóricos relacionam o crescimento populacional, em especial nos países subdesenvolvidos, com o meio ambiente, mais especificamente com a exploração e escassez de recursos naturais. Também poderá mencionar, também, a Teoria Neomalthusiana, surgida após o final da Segunda Guerra Mundial. De acordo com essa teoria, o aumento excessivo da população gera, além da pressão sobre os recursos naturais, uma enorme demanda de investimentos sociais em saúde e educação, aumentando o déficit público e deixando menos recursos para serem investidos em setores produtivos da economia.
  • 56. Populaçã o Brasileira Esquema Organizacional Parcial 1 Crescimento populacional Fatores PositivoCrescimento Vegetativo Diferença entre taxa de natalidade e de mortalidade. Migração Tipos Definição Desaceleração demográfica 1ª Transição Demográfica Imigração Fatores históricos Diminuição da taxa de mortalidade 2ª Transição Demográfica Negativo Nulo Natalidade maior que mortalidade. Mortalidade maior que natalidade. Mortalidade equivalente natalidade. Teorias populacionais Malthusiana Neomalthusiana Reformista Ecomalthusiana Crescimento de alimentos ocorreria em progressão aritmética. Sem guerra e epidemia, a população crescerá em progressão geométrica. Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per capita. População jovem e numerosa necessita de investimentos sociais. Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per capita. Crescimento populacional exagerado pressionava os recursos naturais.
  • 57. População Brasileira Políticas demográficas São populacionistas Atuais Definição Esquema Organizacional Parcial 2 Estrutura etária Divisão Jovens Até 19 anos. Pirâmide etária atual
  • 58. População Brasileira Políticas demográficas São populacionistas Atuais Definição Esquema Organizacional Parcial 2 Estrutura etária Divisão Adultos Jovens Até 59 anos. Até 19 anos. Pirâmide etária atual
  • 59. População Brasileira Políticas demográficas São populacionistas Atuais Definição Esquema Organizacional Parcial 2 Estrutura etária Divisão Adultos Jovens Idosos Até 59 anos. Até 19 anos. 60 em diante. Pirâmide etária atual
  • 60. A estrutura etária de uma população costuma ser dividida em três faixas: os jovens, que são do nascimento até 19 anos; os adultos, dos 20 anos até 59 anos e os idosos, que vai dos 60 anos em diante. Embora o Brasil sempre tenha sido considerado um país jovem, no censo de 1991 foi constatado uma importante mudança no perfil etário da população brasileira.
  • 62. Nos últimos anos foi observada uma considerável redução na taxa de natalidade e isso reflete na construção da pirâmide etária brasileira. A mudança ocorrida na pirâmide etária do Brasil é consequência da revolução urbano-industrial do país, pois nestas condições é natural que os índices de natalidade sejam baixos. A partir da década de 80, o uso de métodos contraceptivos tornou-se muito intenso, e foi uma contribuição considerável para a redução da taxa de natalidade.
  • 63. População Brasileira Políticas demográficas São populacionistas Atuais Definição Esquema Organizacional Parcial 2 Redução dos jovens. Estrutura etária Divisão Pirâmide etária atual Adultos Jovens Idosos Até 59 anos. Até 19 anos. 60 em diante.
  • 64. População Brasileira Políticas demográficas São populacionistas Atuais Definição Esquema Organizacional Parcial 2 Aumento dos idosos Redução dos jovens. Estrutura etária Divisão Pirâmide etária atual Adultos Jovens Idosos Até 59 anos. Até 19 anos. 60 em diante.
  • 65. Nos anos 90, a base da pirâmide reduziu-se com intensidade, devido a redução percentual do contingente de jovens na população total. Assim, em 1996 a pirâmide etária brasileira foi marcada pela transição demográfica de um país jovem para um país maduro. A expectativa de vida do brasileiro, hoje, já ultrapassou os 70 anos de idade (IBGE, dezembro de 2003), o que corresponde à média mundial.
  • 66. Pirâmides etárias - são representações gráficas (histograma) da população classificada por sexo e idade. No eixo vertical (y) estão indicadas as diversas faixas etárias, enquanto que no eixo horizontal (x) está indicada a quantidade de população: as barras da esquerda representam a população masculina e as barras da direita representam a população feminina.
  • 68. Populaçã o Brasileira Esquema Organizacional Parcial 1 Crescimento populacional Fatores PositivoCrescimento Vegetativo Diferença entre taxa de natalidade e de mortalidade. Migração Tipos Definição Desaceleração demográfica 1ª Transição Demográfica Imigração Fatores históricos Diminuição da taxa de mortalidade 2ª Transição Demográfica Negativo Nulo Natalidade maior que mortalidade. Mortalidade maior que natalidade. Mortalidade equivalente natalidade. Teorias populacionais Malthusiana Neomalthusiana Reformista Ecomalthusiana Crescimento de alimentos ocorreria em progressão aritmética. Sem guerra e epidemia, a população crescerá em progressão geométrica. Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per capita. População jovem e numerosa necessita de investimentos sociais. Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per capita. Crescimento populacional exagerado pressionava os recursos naturais.
  • 69. População Brasileira Políticas demográficas São populacionistas Atuais Definição Esquema Organizacional Parcial 2 Aumento dos idosos Redução dos jovens. Estrutura etária Divisão Pirâmide etária atual Adultos Jovens Idosos Até 59 anos. Até 19 anos. 60 em diante. População economicamente ativa Secundário Primário Terciário Agricultura, pecuária, silvicultura e pesca. Setores das atividades humanas
  • 70. População Brasileira Políticas demográficas São populacionistas Atuais Definição Esquema Organizacional Parcial 2 Aumento dos idosos Redução dos jovens. Estrutura etária Divisão Pirâmide etária atual Adultos Jovens Idosos Até 59 anos. Até 19 anos. 60 em diante. População economicamente ativa Secundário Primário Terciário Indústria Agricultura, pecuária, silvicultura e pesca. Setores das atividades humanas
  • 71. População Brasileira Políticas demográficas São populacionistas Atuais Definição Esquema Organizacional Parcial 2 Aumento dos idosos Redução dos jovens. Estrutura etária Divisão Pirâmide etária atual Adultos Jovens Idosos Até 59 anos. Até 19 anos. 60 em diante. População economicamente ativa Secundário Primário Terciário Indústria Agricultura, pecuária, silvicultura e pesca. Comércio, serviço e profissões liberais. Setores das atividades humanas
  • 72. A estrutura de uma população é caracterizada principalmente pelas atividades exercidas pela população, pois estas interferem diretamente no desenvolvimento do país. Atualmente, admite-se um critério que reúne as atividades humanas em três classes principais, são elas:  Setor primário: agricultura, pecuária, silvicultura e pesca.  Setor secundário: indústria de transformação.  Setor terciário: comércio, serviço e profissões liberais. . 
  • 73. Emprego por setor (em %) – PEA
  • 74. Hoje, cerca de 50% das pessoas compõe o PEA (População economicamente ativa), o PEA representa as pessoas que trabalham ou estão à procura de trabalho, e 32% forma a população inativa, pessoas que não estudam, não trabalham e não estão a procura, ou não possuem idade compatível. A população está dividida segundo seus rendimentos ou renda, nesse contexto, verifica-se um alto grau de desigualdade, provocada pela concentração da renda, própria de países capitalistas, que é caracterizada pela concentração de riqueza nas mãos de poucos, enquanto a maioria vive em condições extremamente excludentes.
  • 76. (Pucpr) Leia o texto a seguir: “...Por causa da retração observada entre as famílias da classe média e alta, a cidade São Paulo está próxima de ver o que há pouco tempo se imaginava impensável: reduzir sua população. É uma tendência que já se percebe em algumas metrópoles brasileiras. Como chegam menos imigrantes e nascem menos crianças, o crescimento populacional paulistano está abaixo de 1,9%, fronteira da chamada taxa de reposição – morre mais gente do que nascem crianças ou chegam imigrantes. Os mais abastados, com as famílias encolhidas, sentem-se ilhadas diante da pobreza crescente, com as famílias ampliadas. ...” (DIMENSTEIN, Gilberto. A geração dos filhos únicos. Folha de São Paulo, 09/11/2003.)
  • 77. A respeito do tema tratado e com base no conteúdo do texto, é correto afirmar: I. Embora não ocorra na mesma proporção nas famílias de diferentes classes sociais, tem-se constatado nos últimos recenseamentos uma redução no número de filhos por casal. II. Já se percebe uma mudança de tendência no crescimento populacional de algumas metrópoles brasileiras, inclusive em São Paulo, a maior entre todas, onde há uma acentuada desaceleração no ritmo do crescimento vegetativo da cidade.
  • 78. III. Em consequência do aumento de postos de trabalho, decorrente da tendência neoliberal da economia brasileira, na última década do século XX e no início do século XXI registra-se um significativo aumento de novos imigrantes em São Paulo, provenientes principalmente do interior do Nordeste do país. IV. A diminuição do tamanho das famílias, sobretudo as das classes média e alta, se relaciona, entre outras causas, com o fato de a população brasileira ser cada vez mais urbana, bem como com o crescente enquadramento da mulher no mercado de trabalho. Estão corretas: a) apenas I e III b) apenas I, II e III c) apenas I, II e IV d) apenas I e II
  • 79. (Pucpr) Leia o texto a seguir: “...Por causa da retração observada entre as famílias da classe média e alta, a cidade São Paulo está próxima de ver o que há pouco tempo se imaginava impensável: reduzir sua população. É uma tendência que já se percebe em algumas metrópoles brasileiras. Como chegam menos imigrantes e nascem menos crianças, o crescimento populacional paulistano está abaixo de 1,9%, fronteira da chamada taxa de reposição – morre mais gente do que nascem crianças ou chegam imigrantes. Os mais abastados, com as famílias encolhidas, sentem-se ilhadas diante da pobreza crescente, com as famílias ampliadas. ...” (DIMENSTEIN, Gilberto. A geração dos filhos únicos. Folha de São Paulo, 09/11/2003.)
  • 80. A respeito do tema tratado e com base no conteúdo do texto, é correto afirmar: I. Embora não ocorra na mesma proporção nas famílias de diferentes classes sociais, tem-se constatado nos últimos recenseamentos uma redução no número de filhos por casal. II. Já se percebe uma mudança de tendência no crescimento populacional de algumas metrópoles brasileiras, inclusive em São Paulo, a maior entre todas, onde há uma acentuada desaceleração no ritmo do crescimento vegetativo da cidade.
  • 81. III. Em consequência do aumento de postos de trabalho, decorrente da tendência neoliberal da economia brasileira, na última década do século XX e no início do século XXI registra-se um significativo aumento de novos imigrantes em São Paulo, provenientes principalmente do interior do Nordeste do país. IV. A diminuição do tamanho das famílias, sobretudo as das classes média e alta, se relaciona, entre outras causas, com o fato de a população brasileira ser cada vez mais urbana, bem como com o crescente enquadramento da mulher no mercado de trabalho. Estão corretas: a) apenas I e III b) apenas I, II e III c) apenas I, II e IV d) apenas I e II
  • 82. A respeito do tema tratado e com base no conteúdo do texto, é correto afirmar: I. Embora não ocorra na mesma proporção nas famílias de diferentes classes sociais, tem-se constatado nos últimos recenseamentos uma redução no número de filhos por casal. III. Em consequência do aumento de postos de trabalho, decorrente da tendência neoliberal da economia brasileira, na última década do século XX e no início do século XXI registra-se um significativo aumento de novos imigrantes em São Paulo, provenientes principalmente do interior do Nordeste do país. a) apenas I e III. Falso – a I está correta, porém a III coloca um aumento de imigrantes o que não ocorreu.
  • 83. A respeito do tema tratado e com base no conteúdo do texto, é correto afirmar: I. Embora não ocorra na mesma proporção nas famílias de diferentes classes sociais, tem-se constatado nos últimos recenseamentos uma redução no número de filhos por casal. II. Já se percebe uma mudança de tendência no crescimento populacional de algumas metrópoles brasileiras, inclusive em São Paulo, a maior entre todas, onde há uma acentuada desaceleração no ritmo do crescimento vegetativo da cidade. III. Em consequência do aumento de postos de trabalho, decorrente da tendência neoliberal da economia brasileira, na última década do século XX e no início do século XXI registra-se um significativo aumento de novos imigrantes em São Paulo, provenientes principalmente do interior do Nordeste do país. b) apenas I, II e III. Falso – I e II estão corretas, porém a III coloca um aumento de imigrantes o que não ocorreu.
  • 84.  Pucpr) Leia o texto a seguir: “...Por causa da retração observada entre as famílias da classe média e alta, a cidade São Paulo está próxima de ver o que há pouco tempo se imaginava impensável: reduzir sua população. É uma tendência que já se percebe em algumas metrópoles brasileiras. Como chegam menos imigrantes e nascem menos crianças, o crescimento populacional paulistano está abaixo de 1,9%, fronteira da chamada taxa de reposição – morre mais gente do que nascem crianças ou chegam imigrantes. Os mais abastados, com as famílias encolhidas, sentem-se ilhadas diante da pobreza crescente, com as famílias ampliadas. ...” (DIMENSTEIN, Gilberto. A geração dos filhos únicos. Folha de São Paulo, 09/11/2003.) A respeito do tema tratado e com base no conteúdo do texto, é correto afirmar: I. Embora não ocorra na mesma proporção nas famílias de diferentes classes sociais, tem-se constatado nos últimos recenseamentos uma redução no número de filhos por casal. II. Já se percebe uma mudança de tendência no crescimento populacional de algumas metrópoles brasileiras, inclusive em São Paulo, a maior entre todas, onde há uma acentuada desaceleração no ritmo do crescimento vegetativo da cidade. III. Em conseqüência do aumento de postos de trabalho, decorrente da tendência neoliberal da economia brasileira, na última década do século XX  e no início do século XXI registra-se um significativo aumento de novos imigrantes em São Paulo, provenientes principalmente do interior do Nordeste do país. IV. A diminuição do tamanho das famílias, sobretudo as das classes média e alta, se relaciona, entre outras causas, com o fato de a população brasileira ser cada vez mais urbana, bem como com o crescente enquadramento da mulher no mercado de trabalho. Estão corretas:  c) apenas I, II e IV.- verdadeira
  • 85.  Pucpr) Leia o texto a seguir: “...Por causa da retração observada entre as famílias da classe média e alta, a cidade São Paulo está próxima de ver o que há pouco tempo se imaginava impensável: reduzir sua população. É uma tendência que já se percebe em algumas metrópoles brasileiras. Como chegam menos imigrantes e nascem menos crianças, o crescimento populacional paulistano está abaixo de 1,9%, fronteira da chamada taxa de reposição – morre mais gente do que nascem crianças ou chegam imigrantes. Os mais abastados, com as famílias encolhidas, sentem-se ilhadas diante da pobreza crescente, com as famílias ampliadas. ...” (DIMENSTEIN, Gilberto. A geração dos filhos únicos. Folha de São Paulo, 09/11/2003.) A respeito do tema tratado e com base no conteúdo do texto, é correto afirmar: I. Embora não ocorra na mesma proporção nas famílias de diferentes classes sociais, tem-se constatado nos últimos recenseamentos uma redução no número de filhos por casal. II. Já se percebe uma mudança de tendência no crescimento populacional de algumas metrópoles brasileiras, inclusive em São Paulo, a maior entre todas, onde há uma acentuada desaceleração no ritmo do crescimento vegetativo da cidade. III. Em conseqüência do aumento de postos de trabalho, decorrente da tendência neoliberal da economia brasileira, na última década do século XX  e no início do século XXI registra-se um significativo aumento de novos imigrantes em São Paulo, provenientes principalmente do interior do Nordeste do país. IV. A diminuição do tamanho das famílias, sobretudo as das classes média e alta, se relaciona, entre outras causas, com o fato de a população brasileira ser cada vez mais urbana, bem como com o crescente enquadramento da mulher no mercado de trabalho. Estão corretas: d) apenas I e II –falso- existe mais uma alternativa correta
  • 86. Populaçã o Brasileira Esquema Organizacional Parcial 1 Crescimento populacional Fatores PositivoCrescimento Vegetativo Diferença entre taxa de natalidade e de mortalidade. Migração Tipos Definição Desaceleração demográfica 1ª Transição Demográfica Imigração Fatores históricos Diminuição da taxa de mortalidade 2ª Transição Demográfica Negativo Nulo Natalidade maior que mortalidade. Mortalidade maior que natalidade. Mortalidade equivalente natalidade. Teorias populacionais Malthusiana Neomalthusiana Reformista Ecomalthusiana Crescimento de alimentos ocorreria em progressão aritmética. Sem guerra e epidemia, a população crescerá em progressão geométrica. Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per capita. População jovem e numerosa necessita de investimentos sociais. Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per capita. Crescimento populacional exagerado pressionava os recursos naturais.
  • 87. População Brasileira Políticas demográficas São populacionistas Atuais Definição Esquema Organizacional Parcial 2 Aumento dos idosos Redução dos jovens. Estrutura etária Divisão Pirâmide etária atual Adultos Jovens Idosos Até 59 anos. Até 19 anos. 60 em diante. População economicamente ativa Secundário Primário Terciário Indústria Agricultura, pecuária, silvicultura e pesca. Comércio, serviço e profissões liberais. Setores das atividades humanas Expansão territorial e migrações Apropriação do territórioMobilidades espacial
  • 88. Até o século XVII, a colonização portuguesa se concentrou no litoral da América do Sul. No nordeste do território colonial, localizavam – se as importantes cidades como, Recife e Salvador. A expansão das fronteiras só foi possível devido aos fluxos migratórios e a mobilidade espacial da população pelo território. A descoberta de ouro foi a responsável por fluxos para MG, GO e MT durante o século XVIII.
  • 89. Já o café, foi o responsável pelos fluxos em meados do século XIX e início do século XX. Ao longo do tempo os interesses da produção incentivaram a migração, que se tornou um fluxo de mão-de-obra que atendia as exigências do mercado. As migrações nesse sentido,deixam de ser uma livre escolha e passam a demonstrar a falta de opções, para se conseguir uma melhor qualidade de vida. Esse intenso deslocamento, resultou na apropriação do território brasileiro.
  • 90. Populaçã o Brasileira Esquema Organizacional Parcial 1 Crescimento populacional Fatores PositivoCrescimento Vegetativo Diferença entre taxa de natalidade e de mortalidade. Migração Tipos Definição Desaceleração demográfica 1ª Transição Demográfica Imigração Fatores históricos Diminuição da taxa de mortalidade 2ª Transição Demográfica Negativo Nulo Natalidade maior que mortalidade. Mortalidade maior que natalidade. Mortalidade equivalente natalidade. Teorias populacionais Malthusiana Neomalthusiana Reformista Ecomalthusiana Crescimento de alimentos ocorreria em progressão aritmética. Sem guerra e epidemia, a população crescerá em progressão geométrica. Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per capita. População jovem e numerosa necessita de investimentos sociais. Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per capita. Crescimento populacional exagerado pressionava os recursos naturais.
  • 91. População Brasileira Políticas demográficas São populacionistas Atuais Definição Esquema Organizacional Parcial 2 Aumento dos idosos Redução dos jovens. Estrutura etária Divisão Pirâmide etária atual Adultos Jovens Idosos Até 59 anos. Até 19 anos. 60 em diante. População economicamente ativa Secundário Primário Terciário Indústria Agricultura, pecuária, silvicultura e pesca. Comércio, serviço e profissões liberais. Setores das atividades humanas Expansão territorial e migrações Apropriação do territórioMobilidades espacial Pequena migração Imigração no Brasil 1º Período 2º Período 3º Período
  • 92. O Brasil é teve uma intensidade de movimentos migratórios, sejam eles internos ou externos. Veremos os três períodos da imigração no Brasil: Primeiro período: (1808 – 1850). Pequena imigração, devido ao desinteresse das pessoas em migrar para um país com regime escravagista.
  • 93. População Brasileira Políticas demográficas São populacionistas Atuais Definição Esquema Organizacional Parcial 2 Aumento dos idosos Redução dos jovens. Estrutura etária Divisão Pirâmide etária atual Adultos Jovens Idosos Até 59 anos. Até 19 anos. 60 em diante. População economicamente ativa Secundário Primário Terciário Indústria Agricultura, pecuária, silvicultura e pesca. Comércio, serviço e profissões liberais. Setores das atividades humanas Expansão territorial e migrações Apropriação do territórioMobilidades espacial Pequena migração Imigração no Brasil 1º Período 2º Período 3º Período Intensa migração
  • 94. Segundo período: (1850 – 1934). Intenso e importante, devido à expansão da cafeicultura e da necessidade de mão-de-obra, com o fim da escravatura. Nesse período o país recebeu 80% do seu total de imigrantes, a maior parte formada por italianos, que vieram trabalhar aqui devido à crise em seu país.
  • 95. População Brasileira Políticas demográficas São populacionistas Atuais Definição Esquema Organizacional Parcial 2 Aumento dos idosos Redução dos jovens. Estrutura etária Divisão Pirâmide etária atual Adultos Jovens Idosos Até 59 anos. Até 19 anos. 60 em diante. População economicamente ativa Secundário Primário Terciário Indústria Agricultura, pecuária, silvicultura e pesca. Comércio, serviço e profissões liberais. Setores das atividades humanas Expansão territorial e migrações Apropriação do territórioMobilidades espacial Pequena migração Imigração no Brasil 1º Período 2º Período 3º Período Intensa migração Diminuição do fluxo
  • 96. Terceiro período: (após 1934). Ocorreu a diminuição da imigração, devido a crise do café e da criação de leis que restringiam a entrada de imigrantes. Fonte:http://www.ibge.gov.br/brasil500/tabelas/imigracao_nacionalidade_84a33.htm
  • 97. Os imigrantes e a ocupação do Brasil meridional : O Sul do nosso país era uma região vulnerável e alvos da cobiça dos vizinhos platinos, devido a isso o governo imperial passou a incentivar a implantação de núcleos de colonos imigrantes nas províncias do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. Assim, imigrantes italianos,alemães e eslavos vieram para o Brasil e fundaram dezenas de núcleos urbanos..
  • 98. Esse processo começou em 1824 para o RS, com a chegada de 20 mil colonos alemães. Joinville e Blumenau, importantes centros urbano-industriais de Santa Catarina, foram fundados por imigrantes alemães. As terras dos planaltos do RS foram destinadas aos imigrantes italianos, e a maior parte deles se dedicou à cultura da vinha. Os eslavos, em geral, poloneses e ucranianos se ficaram no Paraná e formaram colônias nos vales dos rios Negro e Ivaí.
  • 99. (FUVEST) A imigração de italianos (desde o final do século XIX) e a de japoneses (desde o início do século XX), no Brasil, estão associadas a: a) uma política nacional de atração de mão-de-obra para a lavoura e às transformações sociais provocadas pelo capitalismo na Itália e no Japão. b) interesses geopolíticos do governo brasileiro e às crises industrial e política pelas quais passavam a Itália e o Japão. c) uma demanda de mão-de-obra para a indústria e às pressões políticas dos fazendeiros do sudeste do país. d) uma política nacional de fomento demográfico e a um acordo com a Itália e o Japão para exportação de matérias-primas.
  • 100. (FUVEST) A imigração de italianos (desde o final do século XIX) e a de japoneses (desde o início do século XX), no Brasil, estão associadas a: a) uma política nacional de atração de mão-de-obra para a lavoura e às transformações sociais provocadas pelo capitalismo na Itália e no Japão. b) interesses geopolíticos do governo brasileiro e às crises industrial e política pelas quais passavam a Itália e o Japão. c) uma demanda de mão-de-obra para a indústria e às pressões políticas dos fazendeiros do sudeste do país. d) uma política nacional de fomento demográfico e a um acordo com a Itália e o Japão para exportação de matérias-primas.
  • 101. (FUVEST) A imigração de italianos (desde o final do século XIX) e a de japoneses (desde o início do século XX), no Brasil, estão associadas a: a) uma política nacional de atração de mão-de-obra para a lavoura e às transformações sociais provocadas pelo capitalismo na Itália e no Japão. Verdadeira, o Brasil se tornou muito atrativo devido a crise na Itália e no Japão.
  • 102. (FUVEST) A imigração de italianos (desde o final do século XIX) e a de japoneses (desde o início do século XX), no Brasil, estão associadas a: b) interesses geopolíticos do governo brasileiro e às crises industrial e política pelas quais passavam a Itália e o Japão. Falso- o Brasil não tinha interesse geopolítico, o interesse era na mão-de-obra para as lavouras.
  • 103. (FUVEST) A imigração de italianos (desde o final do século XIX) e a de japoneses (desde o início do século XX), no Brasil, estão associadas a: c) uma demanda de mão-de-obra para a indústria e às pressões políticas dos fazendeiros do sudeste do país. Falso – a mão-de-obra era necessária para as lavouras.
  • 104. (FUVEST) A imigração de italianos (desde o final do século XIX) e a de japoneses (desde o início do século XX), no Brasil, estão associadas a: d) uma política nacional de fomento demográfico e a um acordo com a Itália e o Japão para exportação de matérias-primas. Falso , não existia acordo de exportação com ambos os países.
  • 105. Populaçã o Brasileira Esquema Organizacional Parcial 1 Crescimento populacional Fatores PositivoCrescimento Vegetativo Diferença entre taxa de natalidade e de mortalidade. Migração Tipos Definição Desaceleração demográfica 1ª Transição Demográfica Imigração Fatores históricos Diminuição da taxa de mortalidade 2ª Transição Demográfica Negativo Nulo Natalidade maior que mortalidade. Mortalidade maior que natalidade. Mortalidade equivalente natalidade. Teorias populacionais Malthusiana Neomalthusiana Reformista Ecomalthusiana Crescimento de alimentos ocorreria em progressão aritmética. Sem guerra e epidemia, a população crescerá em progressão geométrica. Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per capita. População jovem e numerosa necessita de investimentos sociais. Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per capita. Crescimento populacional exagerado pressionava os recursos naturais.
  • 106. População Brasileira Políticas demográficas São populacionistas Atuais Definição Esquema Organizacional Parcial 2 Aumento dos idosos Redução dos jovens. Estrutura etária Divisão Pirâmide etária atual Adultos Jovens Idosos Até 59 anos. Até 19 anos. 60 em diante. População economicamente ativa Secundário Primário Terciário Indústria Agricultura, pecuária, silvicultura e pesca. Comércio, serviço e profissões liberais. Setores das atividades humanas Expansão territorial e migrações Apropriação do territórioMobilidades espacial Pequena migração Imigração no Brasil 1º Período 2º Período 3º Período Intensa migração Diminuição do fluxo
  • 107. População Brasileira Esquema Organizacional Parcial 3 Fluxos migratórios Ordem econômica Busca emprego e uma melhor condição de vida.
  • 108. No Brasil um dos fatores que exercem maior influência nos fluxos migratórios é o de ordem econômica, onde o modelo de produção capitalista cria espaços privilegiados para instalação de indústrias, forçando indivíduos a se deslocarem de um lugar para outro em busca de melhores condições de vida e à procura de emprego para suprir suas necessidades básicas de sobrevivência.
  • 109. Com o fim do clico da cana no Nordeste e o inicio do ciclo do ouro em Minas, aconteceu um intenso deslocamento e uma grande urbanização no novo centro econômico do país. O eixo Rio- São Paulo se tornou um grande polo de atração de migrantes devido ao processo de industrialização e ao ciclo do café. Há ainda um crescimento dos fluxos urbano-urbano e intrametropolitano , ou seja, aumenta o número de pessoas que migram de uma cidade para outra no mesmo estado ou região.
  • 110. Os movimentos populacionais estão mais intensos dentro do próprio estado ou da região de origem. Contribuem para isso: a falta de oportunidades de emprego no Sudeste, o que causa o retorno de parte dos migrantes às regiões de onde vieram, e o surgimento de novos polos de desenvolvimento, o que atrai mão- de-obra de outras regiões. Os números da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílios) de 2006, realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), mostram que 40% da população brasileira não vive no município onde nasceu. Além disso, 16% da população não é natural do estado em que reside.
  • 111. A região com mais migrantes é o Centro-Oeste, onde 35,8% da população é proveniente de outros estados. A região Nordeste é a que apresenta menor número de migrantes, com 7,6% da população originária de outras unidades da federação. De acordo com os dados do IBGE, os deslocamentos populacionais no Brasil, no período 1995/2000, totalizaram 5.196.093 pessoas, cifra que é 3,7% superior aos 5.012.251 observados entre 1986/1991. Cerca de 65% desse total é composto por deslocamentos ocorridos entre as regiões brasileiras (migração inter-regional) e 35% no interior destas regiões (migração intrarregional).
  • 113. Populaçã o Brasileira Esquema Organizacional Parcial 1 Crescimento populacional Fatores PositivoCrescimento Vegetativo Diferença entre taxa de natalidade e de mortalidade. Migração Tipos Definição Desaceleração demográfica 1ª Transição Demográfica Imigração Fatores históricos Diminuição da taxa de mortalidade 2ª Transição Demográfica Negativo Nulo Natalidade maior que mortalidade. Mortalidade maior que natalidade. Mortalidade equivalente natalidade. Teorias populacionais Malthusiana Neomalthusiana Reformista Ecomalthusiana Crescimento de alimentos ocorreria em progressão aritmética. Sem guerra e epidemia, a população crescerá em progressão geométrica. Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per capita. População jovem e numerosa necessita de investimentos sociais. Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per capita. Crescimento populacional exagerado pressionava os recursos naturais.
  • 114. População Brasileira Políticas demográficas São populacionistas Atuais Definição Esquema Organizacional Parcial 2 Aumento dos idosos Redução dos jovens. Estrutura etária Divisão Pirâmide etária atual Adultos Jovens Idosos Até 59 anos. Até 19 anos. 60 em diante. População economicamente ativa Secundário Primário Terciário Indústria Agricultura, pecuária, silvicultura e pesca. Comércio, serviço e profissões liberais. Setores das atividades humanas Expansão territorial e migrações Apropriação do territórioMobilidades espacial Pequena migração Imigração no Brasil 1º Período 2º Período 3º Período Intensa migração Diminuição do fluxo
  • 115. População Brasileira Esquema Organizacional Parcial 3 Fluxos migratórios Ordem econômica Busca emprego e uma melhor condição de vida. Movimentos migratórios Definição Pessoas se deslocam dentro de um mesmo território. Tipos
  • 116. Esses movimentos podem ocorrer dentro de um mesmo país, estado ou município. São as chamadas migrações internas, que são aquelas em que as pessoas se deslocam dentro de um mesmo território. Vejamos os diferentes tipos de movimentos:
  • 117. População Brasileira Esquema Organizacional Parcial 3 Fluxos migratórios Ordem econômica Busca emprego e uma melhor condição de vida. Movimentos migratórios Definição Pessoas se deslocam dentro de um mesmo território. Tipos Urbano-urbano Sazonal Pendular Êxodo Rural Transferência de populações rurais para o espaço urbano.
  • 118.  Êxodo rural: tipo de migração que se dá com a transferência de populações rurais para o espaço urbano. As principais causas são: a industrialização, a expansão do setor terciário e a mecanização da agricultura.
  • 119. População Brasileira Esquema Organizacional Parcial 3 Fluxos migratórios Ordem econômica Busca emprego e uma melhor condição de vida. Movimentos migratórios Definição Pessoas se deslocam dentro de um mesmo território. Tipos Urbano-urbano Sazonal Pendular Êxodo Rural Transferência de populações rurais para o espaço urbano. Transferência de populações de uma cidade para outra.
  • 120.  Migração urbano-urbano: tipo de migração que se dá com a transferência de populações de uma cidade para outra. Tipo de migração muito comum nos dias atuais.
  • 121. População Brasileira Esquema Organizacional Parcial 3 Fluxos migratórios Ordem econômica Busca emprego e uma melhor condição de vida. Movimentos migratórios Definição Pessoas se deslocam dentro de um mesmo território. Tipos Urbano-urbano Sazonal Pendular Êxodo Rural Transferência de populações rurais para o espaço urbano. Transferência de populações de uma cidade para outra. Migração temporária, em determinado período do ano.
  • 122.  Migração sazonal: é uma migração temporária, em determinado período do ano. É o que acontece, por exemplo, com os sertanejos do Nordeste brasileiro.
  • 123. População Brasileira Esquema Organizacional Parcial 3 Fluxos migratórios Ordem econômica Busca emprego e uma melhor condição de vida. Movimentos migratórios Definição Pessoas se deslocam dentro de um mesmo território. Tipos Urbano-urbano Sazonal Pendular Êxodo Rural Transferência de populações rurais para o espaço urbano. Transferência de populações de uma cidade para outra. Migração temporária, em determinado período do ano. Trabalhadores saem (de uma cidade) em direção ao seu trabalho (em outro município).
  • 124.  Migração pendular: tipo de migração característico de grandes cidades e regiões metropolitanas, no qual centenas ou milhares de trabalhadores saem todas as manhãs de sua casa (em determinada cidade) em direção ao seu trabalho (que fica em outro município), retornando no final do dia.
  • 125. (PUCPR) Leia atentamente o texto abaixo: Todos os dias, milhares de jovens e adultos levantam-se antes do nascer do Sol, pegam o ônibus, mais outro ônibus e, cerca de uma hora depois, estão no município vizinho, uma metrópole. Lá está o seu lugar de trabalho ou de estudo, ou até de ambos, enfim, o lugar do seu longo dia. Pela noite, é hora de voltar. Um ônibus num terminal, outro ônibus e outro terminal e bem tarde, está em sua casa, em sua cidade, que é tipicamente uma cidade-dormitório. No outro dia, o programa será o mesmo. Esse é o cotidiano de milhares de pessoas que vivem nas regiões metropolitanas do Brasil: cada dia um vai-e-vem. Essa forma de migração é denominada: a) Movimento pendular. b) Êxodo rural. c) Êxodo urbano. d) Migração sazonal.
  • 126. (PUCPR) Leia atentamente o texto abaixo: Todos os dias, milhares de jovens e adultos levantam-se antes do nascer do Sol, pegam o ônibus, mais outro ônibus e, cerca de uma hora depois, estão no município vizinho, uma metrópole. Lá está o seu lugar de trabalho ou de estudo, ou até de ambos, enfim, o lugar do seu longo dia. Pela noite, é hora de voltar. Um ônibus num terminal, outro ônibus e outro terminal e bem tarde, está em sua casa, em sua cidade, que é tipicamente uma cidade-dormitório. No outro dia, o programa será o mesmo. Esse é o cotidiano de milhares de pessoas que vivem nas regiões metropolitanas do Brasil: cada dia um vai-e-vem. Essa forma de migração é denominada: a) Movimento pendular. b) Êxodo rural. c) Êxodo urbano. d) Migração sazonal.
  • 127. (PUCPR) Leia atentamente o texto abaixo: Todos os dias, milhares de jovens e adultos levantam-se antes do nascer do Sol, pegam o ônibus, mais outro ônibus e, cerca de uma hora depois, estão no município vizinho, uma metrópole. Lá está o seu lugar de trabalho ou de estudo, ou até de ambos, enfim, o lugar do seu longo dia. Pela noite, é hora de voltar. Um ônibus num terminal, outro ônibus e outro terminal e bem tarde, está em sua casa, em sua cidade, que é tipicamente uma cidade-dormitório. No outro dia, o programa será o mesmo. Esse é o cotidiano de milhares de pessoas que vivem nas regiões metropolitanas do Brasil: cada dia um vai-e-vem. Essa forma de migração é denominada: a) Movimento pendular. Verdadeiro – é característico das regiões Metropolitanas e ocorre diariamente, com milhares de trabalhadores.
  • 128. (PUCPR) Leia atentamente o texto abaixo: Todos os dias, milhares de jovens e adultos levantam-se antes do nascer do Sol, pegam o ônibus, mais outro ônibus e, cerca de uma hora depois, estão no município vizinho, uma metrópole. Lá está o seu lugar de trabalho ou de estudo, ou até de ambos, enfim, o lugar do seu longo dia. Pela noite, é hora de voltar. Um ônibus num terminal, outro ônibus e outro terminal e bem tarde, está em sua casa, em sua cidade, que é tipicamente uma cidade-dormitório. No outro dia, o programa será o mesmo. Esse é o cotidiano de milhares de pessoas que vivem nas regiões metropolitanas do Brasil: cada dia um vai-e-vem. Essa forma de migração é denominada: b) Êxodo rural. Falso- é saída da população do campo em direção a cidade.
  • 129. (PUCPR) Leia atentamente o texto abaixo: Todos os dias, milhares de jovens e adultos levantam-se antes do nascer do Sol, pegam o ônibus, mais outro ônibus e, cerca de uma hora depois, estão no município vizinho, uma metrópole. Lá está o seu lugar de trabalho ou de estudo, ou até de ambos, enfim, o lugar do seu longo dia. Pela noite, é hora de voltar. Um ônibus num terminal, outro ônibus e outro terminal e bem tarde, está em sua casa, em sua cidade, que é tipicamente uma cidade-dormitório. No outro dia, o programa será o mesmo. Esse é o cotidiano de milhares de pessoas que vivem nas regiões metropolitanas do Brasil: cada dia um vai-e-vem. Essa forma de migração é denominada: c) Êxodo urbano. Falso – é a saída da cidade para o campo
  • 130. (PUCPR) Leia atentamente o texto abaixo: Todos os dias, milhares de jovens e adultos levantam-se antes do nascer do Sol, pegam o ônibus, mais outro ônibus e, cerca de uma hora depois, estão no município vizinho, uma metrópole. Lá está o seu lugar de trabalho ou de estudo, ou até de ambos, enfim, o lugar do seu longo dia. Pela noite, é hora de voltar. Um ônibus num terminal, outro ônibus e outro terminal e bem tarde, está em sua casa, em sua cidade, que é tipicamente uma cidade-dormitório. No outro dia, o programa será o mesmo. Esse é o cotidiano de milhares de pessoas que vivem nas regiões metropolitanas do Brasil: cada dia um vai-e-vem. Essa forma de migração é denominada: d) Migração sazonal. Falso – é a migração temporária, em um determinado período do ano
  • 131. (UFG) Os dados dos últimos censos demográficos do Brasil indicam aumento da migração urbano-urbano e da pendular. Com base nesta afirmação: a) apresente dois fatores que explicam a relevância atual da migração urbano-urbano; b) explique uma causa para o aumento atual da migração pendular.
  • 132. (UFG) Os dados dos últimos censos demográficos do Brasil indicam aumento da migração urbano-urbano e da pendular. Com base nesta afirmação: a) apresente dois fatores que explicam a relevância atual da migração urbano-urbano; b) explique uma causa para o aumento atual da migração pendular.
  • 133. (UFG) Os dados dos últimos censos demográficos do Brasil indicam aumento da migração urbano-urbano e da pendular. Com base nesta afirmação, a) apresente dois fatores que explicam a relevância atual da migração urbano-urbano; Pouco dinamismo das cidades pequenas que geram fluxos dessas para as cidades médias,fuga dos problemas urbanos nas metrópoles, deslocamento das indústrias para as cidades médias atraindo trabalhadores e o deslocamento de parte da população jovem das pequenas cidades para as médias ou grandes em busca de oportunidades de estudos.
  • 134. (UFG) Os dados dos últimos censos demográficos do Brasil indicam aumento da migração urbano-urbano e da pendular. Com base nesta afirmação, b) explique uma causa para o aumento atual da migração pendular. Crescimento das metrópoles e/ou das regiões metropolitanas, desenvolvimento de atividades terciárias e quaternárias nos espaços urbanos, distância espacial entre os locais de moradia, estudo e trabalho, aumento no tempo de deslocamento entre os pontos de circulação e o deslocamento diário de trabalhadores do espaço urbano para o rural.
  • 135. Populaçã o Brasileira Esquema Organizacional Parcial 1 Crescimento populacional Fatores PositivoCrescimento Vegetativo Diferença entre taxa de natalidade e de mortalidade. Migração Tipos Definição Desaceleração demográfica 1ª Transição Demográfica Imigração Fatores históricos Diminuição da taxa de mortalidade 2ª Transição Demográfica Negativo Nulo Natalidade maior que mortalidade. Mortalidade maior que natalidade. Mortalidade equivalente natalidade. Teorias populacionais Malthusiana Neomalthusiana Reformista Ecomalthusiana Crescimento de alimentos ocorreria em progressão aritmética. Sem guerra e epidemia, a população crescerá em progressão geométrica. Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per capita. População jovem e numerosa necessita de investimentos sociais. Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per capita. Crescimento populacional exagerado pressionava os recursos naturais.
  • 136. População Brasileira Políticas demográficas São populacionistas Atuais Definição Esquema Organizacional Parcial 2 Aumento dos idosos Redução dos jovens. Estrutura etária Divisão Pirâmide etária atual Adultos Jovens Idosos Até 59 anos. Até 19 anos. 60 em diante. População economicamente ativa Secundário Primário Terciário Indústria Agricultura, pecuária, silvicultura e pesca. Comércio, serviço e profissões liberais. Setores das atividades humanas Expansão territorial e migrações Apropriação do territórioMobilidades espacial Pequena migração Imigração no Brasil 1º Período 2º Período 3º Período Intensa migração Diminuição do fluxo
  • 137. População Brasileira Esquema Organizacional Parcial 3 Fluxos migratórios Ordem econômica Busca emprego e uma melhor condição de vida. Movimentos migratórios Definição Pessoas se deslocam dentro de um mesmo território. Tipos Urbano-urbano Sazonal Pendular Êxodo Rural Transferência de populações rurais para o espaço urbano. Transferência de populações de uma cidade para outra. Migração temporária, em determinado período do ano. Trabalhadores saem (de uma cidade) em direção ao seu trabalho (em outro município). Muito povoadoMigração Intrarregional Na mesma região
  • 138. Trata-se da migração de pessoas dentro de uma mesma região. Essa tendência tem sido mais forte nas regiões Norte, Sul e Centro-Oeste. Os movimentos migratórios intrarregionais totalizaram 1.832.547 pessoas no período 1995/2000, o que representa um crescimento de 2,6% em relação ao período 1986/1991.
  • 139. Observou-se um forte dinamismo migratório no interior da região Norte, que é respaldado pelo crescimento de quase 39% de trocas intrarregionais, o maior dentre todas as regiões do país. O Sul foi outra região que apresentou um aumento dos fluxos intrarregionais. O Estado de Santa Catarina mostrou intenso dinamismo migratório ao registrar um crescimento nos volumes de imigrantes e emigrantes.
  • 140. O crescimento de 21,8% nos deslocamentos intrarregionais da região Centro-Oeste deveu-se sobretudo ao grande dinamismo migratório observado nos estados de Goiás e Distrito Federal. No caso de Goiás, houve um crescimento de 50,8% dos fluxos de imigrantes. A região Sudeste, por outro lado, registrou queda de 1,5% no volume de migrantes intrarregionais. O Nordeste, por sua vez, registrou redução de 11,1% nos fluxos migratórios intrarregionais, movimento contrário ao observado nas trocas com as demais regiões do país, onde se observou um aumento de 35,5% no volume de imigrantes.
  • 141. Populaçã o Brasileira Esquema Organizacional Parcial 1 Crescimento populacional Fatores PositivoCrescimento Vegetativo Diferença entre taxa de natalidade e de mortalidade. Migração Tipos Definição Desaceleração demográfica 1ª Transição Demográfica Imigração Fatores históricos Diminuição da taxa de mortalidade 2ª Transição Demográfica Negativo Nulo Natalidade maior que mortalidade. Mortalidade maior que natalidade. Mortalidade equivalente natalidade. Teorias populacionais Malthusiana Neomalthusiana Reformista Ecomalthusiana Crescimento de alimentos ocorreria em progressão aritmética. Sem guerra e epidemia, a população crescerá em progressão geométrica. Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per capita. População jovem e numerosa necessita de investimentos sociais. Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per capita. Crescimento populacional exagerado pressionava os recursos naturais.
  • 142. População Brasileira Políticas demográficas São populacionistas Atuais Definição Esquema Organizacional Parcial 2 Aumento dos idosos Redução dos jovens. Estrutura etária Divisão Pirâmide etária atual Adultos Jovens Idosos Até 59 anos. Até 19 anos. 60 em diante. População economicamente ativa Secundário Primário Terciário Indústria Agricultura, pecuária, silvicultura e pesca. Comércio, serviço e profissões liberais. Setores das atividades humanas Expansão territorial e migrações Apropriação do territórioMobilidades espacial Pequena migração Imigração no Brasil 1º Período 2º Período 3º Período Intensa migração Diminuição do fluxo
  • 143. População Brasileira Esquema Organizacional Parcial 3 Fluxos migratórios Ordem econômica Busca emprego e uma melhor condição de vida. Movimentos migratórios Definição Pessoas se deslocam dentro de um mesmo território. Tipos Urbano-urbano Sazonal Pendular Êxodo Rural Transferência de populações rurais para o espaço urbano. Transferência de populações de uma cidade para outra. Migração temporária, em determinado período do ano. Trabalhadores saem (de uma cidade) em direção ao seu trabalho (em outro município). Muito povoadoMigração Intrarregional Na mesma região Distribuição geográfica Pouco povoadoIrregular
  • 144. Desde a colonização o povoamento se concentra no litoral do país. A densidade demográfica ou população relativa é a média de habitantes por quilômetro quadrado, e é obtida dividindo-se a população absoluta pela área. No início do sec. XXI, a população ainda se distribuía irregularmente pelo território . Contamos com áreas muito povoadas e outras pouco povoadas.
  • 145. A concentração das maiores cidades ( São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Recife etc.) e das principais atividade econômicas ( agricultura e indústria) na porção leste do país são responsáveis por essa distribuição irregular. No Brasil o estado mais populoso( grande pop. Absoluta) é São Paulo, e o menos populoso ( pequena pop. Absoluta é Roraima.
  • 147. Populaçã o Brasileira Esquema Organizacional Global 1 Crescimento populacional Fatores PositivoCrescimento Vegetativo Diferença entre taxa de natalidade e de mortalidade. Migração Tipos Definição Desaceleração demográfica 1ª Transição Demográfica Imigração Fatores históricos Diminuição da taxa de mortalidade 2ª Transição Demográfica Negativo Nulo Natalidade maior que mortalidade. Mortalidade maior que natalidade. Mortalidade equivalente natalidade. Teorias populacionais Malthusiana Neomalthusiana Reformista Ecomalthusiana Crescimento de alimentos ocorreria em progressão aritmética. Sem guerra e epidemia, a população crescerá em progressão geométrica. Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per capita. População jovem e numerosa necessita de investimentos sociais. Maior o número de habitantes de um país, menor a renda per capita. Crescimento populacional exagerado pressionava os recursos naturais.
  • 148. População Brasileira Políticas demográficas São populacionistas Atuais Definição Esquema Organizacional Global 2 Aumento dos idosos Redução dos jovens. Estrutura etária Divisão Pirâmide etária atual Adultos Jovens Idosos Até 59 anos. Até 19 anos. 60 em diante. População economicamente ativa Secundário Primário Terciário Indústria Agricultura, pecuária, silvicultura e pesca. Comércio, serviço e profissões liberais. Setores das atividades humanas Expansão territorial e migrações Apropriação do territórioMobilidades espacial Pequena migração Imigração no Brasil 1º Período 2º Período 3º Período Intensa migração Diminuição do fluxo
  • 149. População Brasileira Esquema Organizacional Global 3 Fluxos migratórios Ordem econômica Busca emprego e uma melhor condição de vida. Movimentos migratórios Definição Pessoas se deslocam dentro de um mesmo território. Tipos Urbano-urbano Sazonal Pendular Êxodo Rural Transferência de populações rurais para o espaço urbano. Transferência de populações de uma cidade para outra. Migração temporária, em determinado período do ano. Trabalhadores saem (de uma cidade) em direção ao seu trabalho (em outro município). Muito povoadoMigração Intrarregional Na mesma região Distribuição geográfica Pouco povoadoIrregular
  • 150. (PUCPR) Quanto à distribuição espacial da população no Brasil é CORRETO afirmar: a) Os estados brasileiros mais populosos estão localizados na região Sul, concentrando cerca de 40,0% da população. b) O estado de maior população absoluta é São Paulo; o de menor densidade é o Rio de Janeiro. c) A distribuição populacional no território brasileiro é bastante homogênea, havendo apenas alguma concentração da população em determinadas regiões, como no litoral e no Nordeste. d) A população brasileira atingiu em 2008, segundo o IBGE, cerca de 191,5 milhões de habitantes, os quais se apresentam distribuídos nas 27 Unidades Federativas (26 estados e 1 Distrito Federal) e nos 5.565 municípios.  
  • 151. (PUCPR) Quanto à distribuição espacial da população no Brasil é CORRETO afirmar: a) Os estados brasileiros mais populosos estão localizados na região Sul, concentrando cerca de 40,0% da população. b) O estado de maior população absoluta é São Paulo; o de menor densidade é o Rio de Janeiro. c) A distribuição populacional no território brasileiro é bastante homogênea, havendo apenas alguma concentração da população em determinadas regiões, como no litoral e no Nordeste. d) A população brasileira atingiu em 2008, segundo o IBGE, cerca de 191,5 milhões de habitantes, os quais se apresentam distribuídos nas 27 Unidades Federativas (26 estados e 1 Distrito Federal) e nos 5.565 municípios.
  • 152. (PUCPR) Quanto à distribuição espacial da população no Brasil é CORRETO afirmar: a) Os estados brasileiros mais populosos estão localizados na região Sul, concentrando cerca de 40,0% da população. Falso – os estados mais populosos estão no sudeste .
  • 153. PUCPR) Quanto à distribuição espacial da população no Brasil é CORRETO afirmar: b) O estado de maior população absoluta é São Paulo; o de menor densidade é o Rio de Janeiro. Falso – o Rio de Janeiro é o estado com a segunda maior densidade.
  • 154. (PUCPR) Quanto à distribuição espacial da população no Brasil é CORRETO afirmar: c) A distribuição populacional no território brasileiro é bastante homogênea, havendo apenas alguma concentração da população em determinadas regiões, como no litoral e no Nordeste. Falso – o país possui concentração populacional em todas as regiões.
  • 155. (PUCPR) Quanto à distribuição espacial da população no Brasil é CORRETO afirmar: d) A população brasileira atingiu em 2008, segundo o IBGE, cerca de 191,5 milhões de habitantes, os quais se apresentam distribuídos nas 27 Unidades Federativas (26 estados e 1 Distrito Federal) e nos 5.565 municípios. Verdadeiro .
  • 156. Geografia geral e do Brasil/Coelho,Marcos de Amorim,Terra Lygia,Moderna,2003,único, SP Brasil: espaço geográfico e globalização/Moreira, João Carlos, Sene, Eustáquio,Scipione,2007,único,SP

Notas do Editor

  1. Capa com imagem e título
  2. objetivos
  3. Pré conceitos
  4. Vocabulario e conceitos
  5. Vocabulario e conceitos
  6. Esquema global
  7. Esquema global
  8. Esquema global
  9. Esquema global
  10. Esquema global
  11. Esquema global
  12. Esquema global
  13. Esquema global
  14. Esquema global
  15. Esquema global
  16. Esquema global
  17. Esquema global
  18. Esquema global
  19. Esquema global
  20. Esquema global
  21. Esquema global
  22. Esquema global
  23. Esquema global
  24. Esquema global
  25. Esquema global
  26. Esquema global
  27. Esquema global
  28. Esquema global
  29. Esquema global
  30. Esquema global
  31. Esquema global
  32. Esquema global
  33. Esquema global
  34. Esquema global
  35. Esquema global
  36. Esquema global
  37. Esquema global
  38. Esquema global
  39. Esquema global
  40. Esquema global
  41. Esquema global
  42. Esquema global
  43. Esquema global
  44. Esquema global
  45. Esquema global
  46. Esquema global
  47. Esquema global
  48. Esquema global
  49. Esquema global
  50. Esquema global
  51. Esquema global
  52. Esquema global
  53. Esquema global
  54. Esquema global
  55. Esquema global
  56. Esquema global
  57. Esquema global
  58. Esquema global
  59. Esquema global
  60. Esquema global
  61. Esquema global
  62. Esquema global