SlideShare uma empresa Scribd logo
Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação
XIX Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sudeste – Vila Velha - ES – 22 a 24/05/2014
1
Webjornalismo: A sobrevivência dos jornais digitais frente a aplicativos como
Flipboard
Rafael Martins Rodrigues
Renata Prado
Faculdade Estácio de Sá de Juiz de Fora
Resumo: Este artigo visa analisar a funcionalidade e desempenho dos jornais digitais e
seus aplicativos, comparando com o objetivo do aplicativo Flipboard, que noticia o
conteúdo de vários veículos de comunicação e compartilha com as mídias sociais. O
objetivo se estende a verificar como os jornais online estão se mantendo, com a
expansão das "revistas sociais", sob a ótica da Cultura do Remix e da interatividade.
Palavras chave: webjornalismo; Flipboard; jornalismo digital; remix; revista social
Introdução: Os jornais impressos estão cada vez mais buscando o mundo digital, no
intuito de promover a interatividade com seu leitor. A internet, diferente do impresso,
possibilita anexar a complementação da notícia por meio de sons, vídeos e o feedback
do usuário. Atualmente vem inovando, proporcionando outra forma de ter acesso ao seu
conteúdo através dos aplicativos oferecidos para diversos sistemas, com a intenção de
atrair a atenção do usuário. Entretanto, com a chegada das "revistas sociais", aplicativos
agregadores de conteúdo de diversos canais de comunicação, talvez diminuam a
popularidade de tais apps, devido a sua utilidade.
Foi feita a comparação de estratégias de engajamento dos usuários de jornais
digitais e seus resultados. Tais táticas englobam a lucratividade, o poder de
compartilhamento e a lógica do remix de cada um dos objetos de estudo. Constatou-se
que o jornalismo a todo tempo precisa estar renovado, atualizado, ora pelo conteúdo, ora
pelas formas de atrair o leitor/espectador/ouvinte, ora pela plataforma de publicação.
_____________________
1
Trabalho apresentado no DT 5 – Multimídia do XIX Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sudeste,
realizado de 22 a 24 de maio de 2014.
2
Estudante de Graduação 5º. semestre do Curso de Jornalismo da FESJF, email: rafajficm@hotmail.com
3
Orientador do trabalho. Professor do Curso de Jornalismo da FESJF, email: renata.prado@estacio.br
Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação
XIX Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sudeste – Vila Velha - ES – 22 a 24/05/2014
2
Para que ele sobreviva, é necessário não ser uma "revista social" e, sim o
essencial, referência para o usuário, apresentando publicações de interesse em um
público específico ou sendo referência para a massa. Para o jornalismo online
tradicional, é necessário estar atento à universalização da informação, do segmento
colaborativo e apresentar conteúdo nos mais variados formatos e convergindo em
diversas plataformas, se renovando diariamente.
Revistas sociais e jornalismo multiplataforma
Denominado como agregador de conteúdo, o aplicativo Flipboard faz parte de
um segmento chamado "revista social", que tem como objetivo reunir diversas
publicações de vários canais de comunicação em apenas uma só plataforma,
proporcionando a convergência entre mídias digitais como Facebook, Twitter e
Google+. A produção de conteúdo e suas técnicas de checagem e apuração ainda não
sofrem alterações, entretanto a difusão de notícias entra na perspectiva do jornalismo
colaborativo.
Entende-se que a funcionalidade do aplicativo faz parte da descentralização da
informação, contribuindo para o fim do sistema monomídia, em que todas as notícias
são veiculadas apenas por jornais. O leitor participa da publicação de conteúdo e reporta
as matérias de seu interesse em outras plataformas midiáticas.
Definindo a contribuição do público com as empresas de mídias em
interatividade ou participação, Jenkins (JENKINS, P. 189 e 190) explica que as pessoas
atualmente não querem apenas receber informação, mas fazer parte do processo e
contribuir para a finalização da notícia publicada. Do ponto de vista do autor, o
Flipboard possui mais a participação do que a interação entre tecnologia e usuário.
As restrições da interatividade são tecnológicas. Em quase todos os casos, o
que se pode fazer num ambiente interativo é determinado previamente pelo
designer. (...) A participação é mais ilimitada, menos controlada pelos
produtores de mídia e mais controlada pelos consumidores de mídia
(JENKINS, 2008, p. 189 e 190).
Magaly Prado publicou em seu livro, "Webjornalismo", uma parte do artigo
publicado no blog The Root of the Matter, especializado em Jornalsimo, sobre uma
palestra dada pela diretora de conteúdo digital do jornal The Guardian, Emily Bell, em
Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação
XIX Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sudeste – Vila Velha - ES – 22 a 24/05/2014
3
que ela faz uma previsão sobre como será o jornalismo daqui a uma década. Um dos
pontos discutido, o compartilhamento de notícias.
"Jornalistas terão que estar prontos para compartilhar informações sempre
que as tiverem e da melhor forma para comunicá-las à audiência - Isso
significa que eles terão que ter habilidades técnicas múltiplas para atuar em
várias ferramentas e plataformas diferentes" (PRADO, 2011, p.39).
Interatividade e análise dos aplicativos
No Flipboard, a interatividade está mais ligada à opinião do leitor sobre aquela
matéria publicada e no feedback positivo ou negativo que a reportagem irá ter. Ela
também se estende à sugestão de pauta, além da discussão entre coberturas de
determinados acontecimentos já agendados.
"A interactividade não será, certamente, a única diferença entre o jornalismo
tradicional e o jornalismo online. No entanto, é vista como uma ferramenta
fundamental na criação de novos públicos, nomeadamente entre as camadas
mais jovens, onde os leitores já não são apenas espectadores, mas também
participantes no processo de formação de notícias, o que poderá reforçar a
capacidade de intervenção de alguns cidadãos" (BARBOSA, 2001, p.6).
A ideia de um jornalismo híbrido, do qual a nova identidade tanto estética
quanto ao trabalho de produção de conteúdo seja descentralizada, a Agência Nacional
de Jornalistas (ANJ) entrevistou o fundador e diretor do Centro Knight para Jornalismo
nas Américas, Rosental Calmon Alves, durante o 7º Congresso Brasileiro de Jornais.
Durante a entrevista, publicada em agosto de 2008 também no Observatório da
Imprensa, foi questionado se os jornais estão conseguindo saciar as necessidades dos
leitores.
Ainda há muito que fazer tanto na área da abertura ao conteúdo gerado pelos
usuários quanto na questão da multimídia, pois estamos apenas no começo de
um processo de mudanças longo e profundo que implicam na adoção de uma
nova identidade do jornal, que passa de um produto estático, fechado,
monomidia e periódico a um híbrido de átomos e bits, um serviço dinâmico,
aberto, multimídia, constantemente atualizado e sempre disponível (ANJ,
2013, p24).
As lojas virtuais Play Store e Apple Store publicaram as avaliações dos usuários
sobre o Flipboard e aplicativo da Folha de São Paulo. Na loja do sistema Android, o app
paulistano recebeu quatro estrelas, contra 4,5 de análise do agregador de conteúdo. Na
Apple Store, a situação continuava favorável à "revista social", que foi avaliada com
mais de quatro estrelas, seguido do Flipboard, que recebeu três estrelas.
Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação
XIX Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sudeste – Vila Velha - ES – 22 a 24/05/2014
4
Cibercultura e Remix
O Flipboard está ligado ao conceito da cultura do Remix, no sentido da edição e
redistribuição do consumo de notícias. A reportagem ficava anexada em um jornal
digital e poderia ser vista apenas naquele jornal. A visualização agora se estende para
essa plataforma, ora tendo a sua produção intacta e sua distribuição a cargo do app, ora
sendo modificada a sua estrutura e compartilhada nas mídias digitais. Entretanto, jornais
online vêm tentando restringir o poder da Cultura do Remix, contido no Flipboard com
restrições de compartilhamento de dados. Por exemplo, no caso do jornal Folha de São
Paulo, temos uma ação contra re-mixagem de conteúdo, em que a cópia de trechos ou
até mesmo de todo o texto da notícia não pode ser alterado, apenas compartilhando o
link ou a partir do cadastro como assinante. O Flipboard, que mostra o conteúdo, porém,
com compartilhamento sem necessidade de permissão.
Por um lado os jornais demonstram uma forma de proteger os direitos autorais
do jornal, estabelecendo o copyright para que o texto não seja usado para embasar um
conteúdo do qual não estava sendo abordado pelo produtor naquela matéria. Autores e
artistas se preocupam com a sua autoria, perante as publicações de suas obras nas
mídias sociais.
Aderindo ao sistema de proteção autoral, eles tentam evitar que reportagens e
criações passem a serem copiados pela massa. Entretanto, o escritor e fundador da
Creative Commons Lawrence Lessig, afirma que a disseminação de informações
contidas nas publicações, especificamente abordando os jornalistas, não destrói o
copyright, mas contribui para a criação cultural (PRADO, ANO, p. 161).
O projeto complementa o copyright em vez de competir com ele. Seu
objetivo não é derrotar os direitos do autor, e sim facilitar para autores e
criadores o exercício de seus direitos, de forma mais flexível e barata.
(Lessig, ANO, PÁGINA, 278).
Atualmente, o poder de possuir informação e informar tange tanto para o
jornalista, quanto o leitor, graças às mídias sociais de participação como o Flipboard.
Atitudes de restrição de compartilhamento de notícias apenas isolam o usuário do
compartilhamento de informações, o qual ele poderá em qualquer outro veículo de
comunicação. O usuário pode tanto informar quanto ser informado.
A temática do Remix, contida na Cibercultura embasa essa edição e troca de
conteúdo. Lemos (2006, P.1) afirma que agora o lema da Cibercultura, regida por regras
Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação
XIX Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sudeste – Vila Velha - ES – 22 a 24/05/2014
5
como liberação do pólo da emissão, princípio de conexão em rede e a reconfiguração de
formatos midiáticos e práticas sociais, é que a informação quer ser livre.
A nova dinâmica técnico-social da cibercultura instaura assim, não uma
novidade, mas uma radicalidade: uma estrutura midiática ímpar na história da
humanidade onde, pela primeira vez, qualquer indivíduo pode, a priori, emitir
e receber informação em tempo real, sob diversos formatos e modulações,
para qualquer lugar do planeta e alterar, adicionar e colaborar com pedaços
de informação criados por outros. (2006 P.1)
Meios de sobrevivência dos jornais digitais
Todo conteúdo publicado em todos os sites de notícias existente é "puxado" pelo
Flipboard, que atualiza seus usuários conforme sua preferência editorial. Logo, tanto o
jornal digital quanto o aplicativo fornecem o mesmo conteúdo, tendo como vantagem o
Flipboard, que oferece notícias referentes com o mesmo foco nos mais variados
veículos de informação.
Uma das formas que faria a diferença na publicação de matérias no jornal digital
seria a exclusividade. Com justificativa para ser vista e paga pelos usuários, às notícias
exclusivas e restritas aos assinantes torna o jornal atraente e desperta a curiosidade das
pessoas em consumir aquela informação.
Durante a edição 2011 da Campus Party Brasil, Bem Hammesley, editor da
versão britânica da revista Wired, deu uma palestra sobre motivação de construções de
novas startups e foi questionado sobre a inexistência de uma edição brasileira da Wired.
Ele respondeu que deveríamos criar a nossa própria Wired, alinhada com as
necessidades do país e que, depois poderia se tornar global. YouTube ( 2011,Janeiro 28)
Campus Party Brasil 2011 – Bem Hammersley – Superinteressante Muito além de ser
uma ferramenta mais eficaz de lucro para os conglomerados midiáticos, o jornalismo
especializado é uma resposta a essa demanda por informações direcionadas que
caracteriza a formação das audiências específicas (Abiahy, 2000, p.5).
O jornal norte - americano The New York Times possui um laboratório de
Pesquisa e desenvolvimento para criar tecnologias para atrair anunciantes e leitores para
o consumo de notícias. Eles lançaram o "New York Times E-Single", que são diversas
séries de reportagens clássicas à venda por $ 2,99, disponíveis para aparelhos de leitura
de livros digitais como o Kindle e Kobo.
Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação
XIX Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sudeste – Vila Velha - ES – 22 a 24/05/2014
6
Coberturas em tempo real
Ao contrário das "revistas sociais", os sites de notícias podem transmitir ao vivo
grandes fatos que são relevantes para uma região ou para o país. O jornal mineiro O
Tempo fez a cobertura em tempo real das manifestações causadas pelo aumento da
passagem de ônibus em Belo Horizonte, Contagem e Betim. A cobertura, ocorrida em
20 de junho de 2013 durou aproximadamente dois dias e duas horas.
Cobertura em tempo real do jornal O Tempo sobre as manifestações em
cidades mineiras
Como o Flipboard ainda não tem suporte para fazer tais coberturas, até porque
ele depende da publicação do jornal para postar as notícias em sua plataforma, ou de
algum usuário postar nele, as notícias já foram publicadas nos jornais e os jornalistas já
estão apurando outro fato para aumentar a cobertura. Assim como as emissoras de TV,
que possuem também jornal online e, assim que é exibido na televisão, é postado no
site.
Conclusão
O aplicativo Flipboard não representa uma ameaça para o jornalismo digital, e
configura-se como uma das vertentes de publicação do mesmo, que espalha o conteúdo
Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação
XIX Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sudeste – Vila Velha - ES – 22 a 24/05/2014
7
para diversas mídias sociais e em várias plataformas de dispositivos móveis. O número
de visualizações de páginas do jornal online pode sofrer diminuição, fazendo também
com que os usuários não cliquem em banners de publicidade oferecidos pelo anunciante
do jornal, porém isso pode ser revertido se os jornais apresentarem novos meio de atrair
o leitor para a sua plataforma.
Para que os jornais digitais sobrevivam, é necessário não ser uma "revista
social", mas sim uma referência para o usuário, apresentando publicações de interesse
em um público específico ou para a massa.
REFERÊNCIAS
PRADO, Magaly,Webjornalismo, 2011.
JENKINS, Henry, Cultura das Convergências, 2008.
PRIMO, Alex, Transformações no Jornalismo em rede: sobre pessoas comuns, jornalistas,
blogs, Twitter, Facebook e Flipboard, 2011.
KUCINSKY, Bernardo, Jornalismo na era virtual: ensaios sobre o colapso da razão ética,
2005.
CASTILHO, Carlos, A Crise na Identidade profissional do jornalista, Observatório da
Imprensa, 2011.
ANJ, A Nova Identidade do Jornal, Observatório da Imprensa, 2008.
BARBOSA, Elisabete, Interatividade: A grande promessa do jornalismo online, 2001.
LESSIG, Lawrence, Remix, 2008.
LEMOS, André, Ciber-Cultura-Remix, 2006.
ABIAHY, Ana Carolina de Araújo, O Jornalismo Especializado na Sociedade da
Informação,2000.
DORIA, Tiago, Primeiro produto comercial do laboratório de P&D do NYTimes, 2012.
ANJ, Jornal, Seminário discute sistema mídia impressa + digital, 2013.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentação trabalho sincult 2015 salvador
Apresentação trabalho sincult 2015 salvadorApresentação trabalho sincult 2015 salvador
Apresentação trabalho sincult 2015 salvador
Vera Lúcia Vieira (Vera Vernareccia)
 
Clicar, arrastar, girar
Clicar, arrastar, girarClicar, arrastar, girar
Clicar, arrastar, girar
Andressa Amaral
 
Jornalismo colaborativo em bases de dados
Jornalismo colaborativo em bases de dadosJornalismo colaborativo em bases de dados
Jornalismo colaborativo em bases de dados
Yuri Almeida
 
O AVANÇO DOS MEIOS DIGITAIS E A PRODUÇÃO DE INFORMAÇÃO: Como as redes sociais...
O AVANÇO DOS MEIOS DIGITAIS E A PRODUÇÃO DE INFORMAÇÃO: Como as redes sociais...O AVANÇO DOS MEIOS DIGITAIS E A PRODUÇÃO DE INFORMAÇÃO: Como as redes sociais...
O AVANÇO DOS MEIOS DIGITAIS E A PRODUÇÃO DE INFORMAÇÃO: Como as redes sociais...
Karina Perussi
 
Blogs e jornalismo no Brasil: um estudo da relação entre instituições e profi...
Blogs e jornalismo no Brasil: um estudo da relação entre instituições e profi...Blogs e jornalismo no Brasil: um estudo da relação entre instituições e profi...
Blogs e jornalismo no Brasil: um estudo da relação entre instituições e profi...
Universidade Federal do Paraná
 
As mídias sociais colocando em xeque o monopólio da fala dos grandes veículos
As mídias sociais colocando em xeque o monopólio da fala dos grandes veículosAs mídias sociais colocando em xeque o monopólio da fala dos grandes veículos
As mídias sociais colocando em xeque o monopólio da fala dos grandes veículos
Flávia Lopes
 
Monografia | Web Marketing
Monografia | Web MarketingMonografia | Web Marketing
Monografia | Web Marketing
Patricia Melo
 
Revistas na web - uma análise dos casos Bravo!, Carta Capital, Época, e Piauí
Revistas na web - uma análise dos casos Bravo!, Carta Capital, Época, e PiauíRevistas na web - uma análise dos casos Bravo!, Carta Capital, Época, e Piauí
Revistas na web - uma análise dos casos Bravo!, Carta Capital, Época, e Piauí
Tarcízio Silva
 
Convergência de mídias e narrativa transmídia
Convergência de mídias e narrativa transmídiaConvergência de mídias e narrativa transmídia
Convergência de mídias e narrativa transmídia
Alysson Lisboa
 
1 web nova midia
1 web nova midia1 web nova midia
1 web nova midia
hipermidiafacomufjf
 
Jornalismo: Muito Além do Tempo Real
Jornalismo: Muito Além do Tempo RealJornalismo: Muito Além do Tempo Real
Jornalismo: Muito Além do Tempo Real
Bruno Cardoso
 
Grupo Transmídia inovadoresESPM - #eratransmidia v.1
Grupo Transmídia inovadoresESPM - #eratransmidia v.1Grupo Transmídia inovadoresESPM - #eratransmidia v.1
Grupo Transmídia inovadoresESPM - #eratransmidia v.1
Rodrigo Arnaut
 
A Democratização da Informação na Internet
A Democratização da Informação na InternetA Democratização da Informação na Internet
A Democratização da Informação na Internet
Fernando Bombassaro
 
Transmidia - InovadoresESPM
Transmidia - InovadoresESPMTransmidia - InovadoresESPM
Transmidia - InovadoresESPM
Gil Giardelli
 
Thay
ThayThay
Thay
thayzi
 
Mídias Sociais e Jornalismo Colaborativo
Mídias Sociais e Jornalismo ColaborativoMídias Sociais e Jornalismo Colaborativo
Mídias Sociais e Jornalismo Colaborativo
Yuri Almeida
 
Colaborativo10
Colaborativo10Colaborativo10
Colaborativo10
Marlise Brenol
 
Jornalismo cidadão na internet
Jornalismo cidadão na internetJornalismo cidadão na internet
Jornalismo cidadão na internet
michelemitsue
 
A narrativa multimídia no meio online liana vidigal rocha
A narrativa multimídia no meio online   liana vidigal rochaA narrativa multimídia no meio online   liana vidigal rocha
A narrativa multimídia no meio online liana vidigal rocha
Fundação Universidade Federal do Tocantins
 

Mais procurados (19)

Apresentação trabalho sincult 2015 salvador
Apresentação trabalho sincult 2015 salvadorApresentação trabalho sincult 2015 salvador
Apresentação trabalho sincult 2015 salvador
 
Clicar, arrastar, girar
Clicar, arrastar, girarClicar, arrastar, girar
Clicar, arrastar, girar
 
Jornalismo colaborativo em bases de dados
Jornalismo colaborativo em bases de dadosJornalismo colaborativo em bases de dados
Jornalismo colaborativo em bases de dados
 
O AVANÇO DOS MEIOS DIGITAIS E A PRODUÇÃO DE INFORMAÇÃO: Como as redes sociais...
O AVANÇO DOS MEIOS DIGITAIS E A PRODUÇÃO DE INFORMAÇÃO: Como as redes sociais...O AVANÇO DOS MEIOS DIGITAIS E A PRODUÇÃO DE INFORMAÇÃO: Como as redes sociais...
O AVANÇO DOS MEIOS DIGITAIS E A PRODUÇÃO DE INFORMAÇÃO: Como as redes sociais...
 
Blogs e jornalismo no Brasil: um estudo da relação entre instituições e profi...
Blogs e jornalismo no Brasil: um estudo da relação entre instituições e profi...Blogs e jornalismo no Brasil: um estudo da relação entre instituições e profi...
Blogs e jornalismo no Brasil: um estudo da relação entre instituições e profi...
 
As mídias sociais colocando em xeque o monopólio da fala dos grandes veículos
As mídias sociais colocando em xeque o monopólio da fala dos grandes veículosAs mídias sociais colocando em xeque o monopólio da fala dos grandes veículos
As mídias sociais colocando em xeque o monopólio da fala dos grandes veículos
 
Monografia | Web Marketing
Monografia | Web MarketingMonografia | Web Marketing
Monografia | Web Marketing
 
Revistas na web - uma análise dos casos Bravo!, Carta Capital, Época, e Piauí
Revistas na web - uma análise dos casos Bravo!, Carta Capital, Época, e PiauíRevistas na web - uma análise dos casos Bravo!, Carta Capital, Época, e Piauí
Revistas na web - uma análise dos casos Bravo!, Carta Capital, Época, e Piauí
 
Convergência de mídias e narrativa transmídia
Convergência de mídias e narrativa transmídiaConvergência de mídias e narrativa transmídia
Convergência de mídias e narrativa transmídia
 
1 web nova midia
1 web nova midia1 web nova midia
1 web nova midia
 
Jornalismo: Muito Além do Tempo Real
Jornalismo: Muito Além do Tempo RealJornalismo: Muito Além do Tempo Real
Jornalismo: Muito Além do Tempo Real
 
Grupo Transmídia inovadoresESPM - #eratransmidia v.1
Grupo Transmídia inovadoresESPM - #eratransmidia v.1Grupo Transmídia inovadoresESPM - #eratransmidia v.1
Grupo Transmídia inovadoresESPM - #eratransmidia v.1
 
A Democratização da Informação na Internet
A Democratização da Informação na InternetA Democratização da Informação na Internet
A Democratização da Informação na Internet
 
Transmidia - InovadoresESPM
Transmidia - InovadoresESPMTransmidia - InovadoresESPM
Transmidia - InovadoresESPM
 
Thay
ThayThay
Thay
 
Mídias Sociais e Jornalismo Colaborativo
Mídias Sociais e Jornalismo ColaborativoMídias Sociais e Jornalismo Colaborativo
Mídias Sociais e Jornalismo Colaborativo
 
Colaborativo10
Colaborativo10Colaborativo10
Colaborativo10
 
Jornalismo cidadão na internet
Jornalismo cidadão na internetJornalismo cidadão na internet
Jornalismo cidadão na internet
 
A narrativa multimídia no meio online liana vidigal rocha
A narrativa multimídia no meio online   liana vidigal rochaA narrativa multimídia no meio online   liana vidigal rocha
A narrativa multimídia no meio online liana vidigal rocha
 

Destaque

Condicions que han de reunir les estructures
Condicions que han de reunir les estructuresCondicions que han de reunir les estructures
Condicions que han de reunir les estructures
pepporca
 
Musica, videos y algo mas
Musica, videos y algo masMusica, videos y algo mas
Musica, videos y algo mas
Paola Gordon
 
10 dicas de_preparacao_para_concursos_publicos
10 dicas de_preparacao_para_concursos_publicos10 dicas de_preparacao_para_concursos_publicos
10 dicas de_preparacao_para_concursos_publicos
Isabelly Sarmento
 
Quinceañera
QuinceañeraQuinceañera
Personagens casa sustentavel
Personagens casa sustentavelPersonagens casa sustentavel
Personagens casa sustentavel
Ampla Comunicação
 
Prancha bike code
Prancha   bike codePrancha   bike code
Prancha bike code
Ampla Comunicação
 
Definición de algoritmo
Definición de algoritmoDefinición de algoritmo
Definición de algoritmo
Alex Rivera
 
Entre o céu e a terra
Entre o céu e a terraEntre o céu e a terra
Entre o céu e a terra
Antonio SSantos
 
Dios el espíritu santo, su regenración
Dios el espíritu santo, su regenraciónDios el espíritu santo, su regenración
Dios el espíritu santo, su regenración
evangeliocompleto
 
Plano de contas
Plano de contasPlano de contas
Plano de contas
Wanessa Macedo
 
“Diga me com quem andas…”
“Diga me com quem andas…”“Diga me com quem andas…”
“Diga me com quem andas…”
Instituto Teológico Gamaliel
 
Medidas de controle veotorial e de animais sinant´ropicos
Medidas de controle veotorial e de animais sinant´ropicosMedidas de controle veotorial e de animais sinant´ropicos
Medidas de controle veotorial e de animais sinant´ropicos
Danylla de Medeiros Medeiros
 
Hoje tem Rock - Pitú
Hoje tem Rock - PitúHoje tem Rock - Pitú
Hoje tem Rock - Pitú
Ampla Comunicação
 
Estatutos
EstatutosEstatutos
Estatutos
Naron Bestial
 
“Gômer, israel e a igreja”
“Gômer, israel e a igreja”“Gômer, israel e a igreja”
“Gômer, israel e a igreja”
Instituto Teológico Gamaliel
 
Practica 3
Practica 3Practica 3
Practica 3
Jonathan Alba
 
Angelicales bebes
Angelicales bebesAngelicales bebes
Angelicales bebes
guz35
 
La informática en la sala de urgencias
La informática en la sala de urgenciasLa informática en la sala de urgencias
La informática en la sala de urgencias
cuidadosintensivos
 
Que es excel
Que es excelQue es excel
Que es excel
panred
 
Prova internet-pssii-2005
Prova internet-pssii-2005Prova internet-pssii-2005
Prova internet-pssii-2005
Lucas Ferreira
 

Destaque (20)

Condicions que han de reunir les estructures
Condicions que han de reunir les estructuresCondicions que han de reunir les estructures
Condicions que han de reunir les estructures
 
Musica, videos y algo mas
Musica, videos y algo masMusica, videos y algo mas
Musica, videos y algo mas
 
10 dicas de_preparacao_para_concursos_publicos
10 dicas de_preparacao_para_concursos_publicos10 dicas de_preparacao_para_concursos_publicos
10 dicas de_preparacao_para_concursos_publicos
 
Quinceañera
QuinceañeraQuinceañera
Quinceañera
 
Personagens casa sustentavel
Personagens casa sustentavelPersonagens casa sustentavel
Personagens casa sustentavel
 
Prancha bike code
Prancha   bike codePrancha   bike code
Prancha bike code
 
Definición de algoritmo
Definición de algoritmoDefinición de algoritmo
Definición de algoritmo
 
Entre o céu e a terra
Entre o céu e a terraEntre o céu e a terra
Entre o céu e a terra
 
Dios el espíritu santo, su regenración
Dios el espíritu santo, su regenraciónDios el espíritu santo, su regenración
Dios el espíritu santo, su regenración
 
Plano de contas
Plano de contasPlano de contas
Plano de contas
 
“Diga me com quem andas…”
“Diga me com quem andas…”“Diga me com quem andas…”
“Diga me com quem andas…”
 
Medidas de controle veotorial e de animais sinant´ropicos
Medidas de controle veotorial e de animais sinant´ropicosMedidas de controle veotorial e de animais sinant´ropicos
Medidas de controle veotorial e de animais sinant´ropicos
 
Hoje tem Rock - Pitú
Hoje tem Rock - PitúHoje tem Rock - Pitú
Hoje tem Rock - Pitú
 
Estatutos
EstatutosEstatutos
Estatutos
 
“Gômer, israel e a igreja”
“Gômer, israel e a igreja”“Gômer, israel e a igreja”
“Gômer, israel e a igreja”
 
Practica 3
Practica 3Practica 3
Practica 3
 
Angelicales bebes
Angelicales bebesAngelicales bebes
Angelicales bebes
 
La informática en la sala de urgencias
La informática en la sala de urgenciasLa informática en la sala de urgencias
La informática en la sala de urgencias
 
Que es excel
Que es excelQue es excel
Que es excel
 
Prova internet-pssii-2005
Prova internet-pssii-2005Prova internet-pssii-2005
Prova internet-pssii-2005
 

Semelhante a Webjornalismo a sobrevivãªncia dos jornais digitais frente ã  aplicativos como flipboard

Relatório de Mídias Globais
Relatório de Mídias GlobaisRelatório de Mídias Globais
Relatório de Mídias Globais
Clarice Ribeiro
 
Slides
SlidesSlides
Slides
paulo gomes
 
Slides
SlidesSlides
Slides
paulo gomes
 
Comunicação e Novas Mídias - Aula 3
Comunicação e Novas Mídias - Aula 3Comunicação e Novas Mídias - Aula 3
Comunicação e Novas Mídias - Aula 3
pauloranieri
 
Jornal i
Jornal iJornal i
Jornal i
Pedro Santos
 
Jornalismo em internet e Mídias Sociais
Jornalismo em internet e Mídias Sociais Jornalismo em internet e Mídias Sociais
Jornalismo em internet e Mídias Sociais
+ Mosaico Negócios & Comunicação
 
E-Book Jornalismo Cidadão: Você Faz a Notícia
E-Book Jornalismo Cidadão: Você Faz a NotíciaE-Book Jornalismo Cidadão: Você Faz a Notícia
E-Book Jornalismo Cidadão: Você Faz a Notícia
Instituto Desenvolve T.I
 
Artigo - Os microblogs como ferramenta de comunicação organizacional
Artigo - Os microblogs como ferramenta de comunicação organizacionalArtigo - Os microblogs como ferramenta de comunicação organizacional
Artigo - Os microblogs como ferramenta de comunicação organizacional
Laís Bueno
 
Revistas Online - cartografia de um território em transformação permanente
Revistas Online - cartografia de um território em transformação permanenteRevistas Online - cartografia de um território em transformação permanente
Revistas Online - cartografia de um território em transformação permanente
Tarcízio Silva
 
O jornalismo nas redes sociais da internet ivone rocha
O jornalismo nas redes sociais da internet ivone rochaO jornalismo nas redes sociais da internet ivone rocha
O jornalismo nas redes sociais da internet ivone rocha
Ivone Rocha
 
R12 0290-1-090702195442-phpapp02
R12 0290-1-090702195442-phpapp02R12 0290-1-090702195442-phpapp02
R12 0290-1-090702195442-phpapp02
Rose de Figueiredo
 
Revistas na web: uma análise dos casos Bravo!, Carta Capital, Época, e Piauí
Revistas na web: uma análise dos casos Bravo!, Carta Capital, Época, e PiauíRevistas na web: uma análise dos casos Bravo!, Carta Capital, Época, e Piauí
Revistas na web: uma análise dos casos Bravo!, Carta Capital, Época, e Piauí
Marcel Ayres
 
Desvendando as Redes Sociais
Desvendando as Redes SociaisDesvendando as Redes Sociais
Desvendando as Redes Sociais
Ibrahim Cesar
 
Prova cibercultura 1 anab
Prova cibercultura 1 anabProva cibercultura 1 anab
Prova cibercultura 1 anab
eduecibercultura
 
Espaços self media de jornalismo em redes sociais
Espaços self media de jornalismo em redes sociaisEspaços self media de jornalismo em redes sociais
Espaços self media de jornalismo em redes sociais
Márcio Coutinho
 
Jornalismo Cidadão: novas estratégias para a construção de um espaço discursi...
Jornalismo Cidadão: novas estratégias para a construção de um espaço discursi...Jornalismo Cidadão: novas estratégias para a construção de um espaço discursi...
Jornalismo Cidadão: novas estratégias para a construção de um espaço discursi...
Comunicação Integrada - Cursos e Soluções (Isabela Pimentel)
 
Catrata livre estado do conhecimento na Intercom
Catrata livre   estado do conhecimento na IntercomCatrata livre   estado do conhecimento na Intercom
Catrata livre estado do conhecimento na Intercom
Douglas Gonçalves
 
Retrato da Eficácia da Publicidade nos Blogs em Aracaju
Retrato da Eficácia da Publicidade nos Blogs em AracajuRetrato da Eficácia da Publicidade nos Blogs em Aracaju
Retrato da Eficácia da Publicidade nos Blogs em Aracaju
Ingrid Ribeiro
 
PPJ programa jornalismo digital - 11.04.2013
PPJ   programa jornalismo digital - 11.04.2013PPJ   programa jornalismo digital - 11.04.2013
PPJ programa jornalismo digital - 11.04.2013
claudiocpaiva
 
2015.1 jornalismo online
2015.1   jornalismo online2015.1   jornalismo online

Semelhante a Webjornalismo a sobrevivãªncia dos jornais digitais frente ã  aplicativos como flipboard (20)

Relatório de Mídias Globais
Relatório de Mídias GlobaisRelatório de Mídias Globais
Relatório de Mídias Globais
 
Slides
SlidesSlides
Slides
 
Slides
SlidesSlides
Slides
 
Comunicação e Novas Mídias - Aula 3
Comunicação e Novas Mídias - Aula 3Comunicação e Novas Mídias - Aula 3
Comunicação e Novas Mídias - Aula 3
 
Jornal i
Jornal iJornal i
Jornal i
 
Jornalismo em internet e Mídias Sociais
Jornalismo em internet e Mídias Sociais Jornalismo em internet e Mídias Sociais
Jornalismo em internet e Mídias Sociais
 
E-Book Jornalismo Cidadão: Você Faz a Notícia
E-Book Jornalismo Cidadão: Você Faz a NotíciaE-Book Jornalismo Cidadão: Você Faz a Notícia
E-Book Jornalismo Cidadão: Você Faz a Notícia
 
Artigo - Os microblogs como ferramenta de comunicação organizacional
Artigo - Os microblogs como ferramenta de comunicação organizacionalArtigo - Os microblogs como ferramenta de comunicação organizacional
Artigo - Os microblogs como ferramenta de comunicação organizacional
 
Revistas Online - cartografia de um território em transformação permanente
Revistas Online - cartografia de um território em transformação permanenteRevistas Online - cartografia de um território em transformação permanente
Revistas Online - cartografia de um território em transformação permanente
 
O jornalismo nas redes sociais da internet ivone rocha
O jornalismo nas redes sociais da internet ivone rochaO jornalismo nas redes sociais da internet ivone rocha
O jornalismo nas redes sociais da internet ivone rocha
 
R12 0290-1-090702195442-phpapp02
R12 0290-1-090702195442-phpapp02R12 0290-1-090702195442-phpapp02
R12 0290-1-090702195442-phpapp02
 
Revistas na web: uma análise dos casos Bravo!, Carta Capital, Época, e Piauí
Revistas na web: uma análise dos casos Bravo!, Carta Capital, Época, e PiauíRevistas na web: uma análise dos casos Bravo!, Carta Capital, Época, e Piauí
Revistas na web: uma análise dos casos Bravo!, Carta Capital, Época, e Piauí
 
Desvendando as Redes Sociais
Desvendando as Redes SociaisDesvendando as Redes Sociais
Desvendando as Redes Sociais
 
Prova cibercultura 1 anab
Prova cibercultura 1 anabProva cibercultura 1 anab
Prova cibercultura 1 anab
 
Espaços self media de jornalismo em redes sociais
Espaços self media de jornalismo em redes sociaisEspaços self media de jornalismo em redes sociais
Espaços self media de jornalismo em redes sociais
 
Jornalismo Cidadão: novas estratégias para a construção de um espaço discursi...
Jornalismo Cidadão: novas estratégias para a construção de um espaço discursi...Jornalismo Cidadão: novas estratégias para a construção de um espaço discursi...
Jornalismo Cidadão: novas estratégias para a construção de um espaço discursi...
 
Catrata livre estado do conhecimento na Intercom
Catrata livre   estado do conhecimento na IntercomCatrata livre   estado do conhecimento na Intercom
Catrata livre estado do conhecimento na Intercom
 
Retrato da Eficácia da Publicidade nos Blogs em Aracaju
Retrato da Eficácia da Publicidade nos Blogs em AracajuRetrato da Eficácia da Publicidade nos Blogs em Aracaju
Retrato da Eficácia da Publicidade nos Blogs em Aracaju
 
PPJ programa jornalismo digital - 11.04.2013
PPJ   programa jornalismo digital - 11.04.2013PPJ   programa jornalismo digital - 11.04.2013
PPJ programa jornalismo digital - 11.04.2013
 
2015.1 jornalismo online
2015.1   jornalismo online2015.1   jornalismo online
2015.1 jornalismo online
 

Webjornalismo a sobrevivãªncia dos jornais digitais frente ã  aplicativos como flipboard

  • 1. Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação XIX Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sudeste – Vila Velha - ES – 22 a 24/05/2014 1 Webjornalismo: A sobrevivência dos jornais digitais frente a aplicativos como Flipboard Rafael Martins Rodrigues Renata Prado Faculdade Estácio de Sá de Juiz de Fora Resumo: Este artigo visa analisar a funcionalidade e desempenho dos jornais digitais e seus aplicativos, comparando com o objetivo do aplicativo Flipboard, que noticia o conteúdo de vários veículos de comunicação e compartilha com as mídias sociais. O objetivo se estende a verificar como os jornais online estão se mantendo, com a expansão das "revistas sociais", sob a ótica da Cultura do Remix e da interatividade. Palavras chave: webjornalismo; Flipboard; jornalismo digital; remix; revista social Introdução: Os jornais impressos estão cada vez mais buscando o mundo digital, no intuito de promover a interatividade com seu leitor. A internet, diferente do impresso, possibilita anexar a complementação da notícia por meio de sons, vídeos e o feedback do usuário. Atualmente vem inovando, proporcionando outra forma de ter acesso ao seu conteúdo através dos aplicativos oferecidos para diversos sistemas, com a intenção de atrair a atenção do usuário. Entretanto, com a chegada das "revistas sociais", aplicativos agregadores de conteúdo de diversos canais de comunicação, talvez diminuam a popularidade de tais apps, devido a sua utilidade. Foi feita a comparação de estratégias de engajamento dos usuários de jornais digitais e seus resultados. Tais táticas englobam a lucratividade, o poder de compartilhamento e a lógica do remix de cada um dos objetos de estudo. Constatou-se que o jornalismo a todo tempo precisa estar renovado, atualizado, ora pelo conteúdo, ora pelas formas de atrair o leitor/espectador/ouvinte, ora pela plataforma de publicação. _____________________ 1 Trabalho apresentado no DT 5 – Multimídia do XIX Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sudeste, realizado de 22 a 24 de maio de 2014. 2 Estudante de Graduação 5º. semestre do Curso de Jornalismo da FESJF, email: rafajficm@hotmail.com 3 Orientador do trabalho. Professor do Curso de Jornalismo da FESJF, email: renata.prado@estacio.br
  • 2. Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação XIX Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sudeste – Vila Velha - ES – 22 a 24/05/2014 2 Para que ele sobreviva, é necessário não ser uma "revista social" e, sim o essencial, referência para o usuário, apresentando publicações de interesse em um público específico ou sendo referência para a massa. Para o jornalismo online tradicional, é necessário estar atento à universalização da informação, do segmento colaborativo e apresentar conteúdo nos mais variados formatos e convergindo em diversas plataformas, se renovando diariamente. Revistas sociais e jornalismo multiplataforma Denominado como agregador de conteúdo, o aplicativo Flipboard faz parte de um segmento chamado "revista social", que tem como objetivo reunir diversas publicações de vários canais de comunicação em apenas uma só plataforma, proporcionando a convergência entre mídias digitais como Facebook, Twitter e Google+. A produção de conteúdo e suas técnicas de checagem e apuração ainda não sofrem alterações, entretanto a difusão de notícias entra na perspectiva do jornalismo colaborativo. Entende-se que a funcionalidade do aplicativo faz parte da descentralização da informação, contribuindo para o fim do sistema monomídia, em que todas as notícias são veiculadas apenas por jornais. O leitor participa da publicação de conteúdo e reporta as matérias de seu interesse em outras plataformas midiáticas. Definindo a contribuição do público com as empresas de mídias em interatividade ou participação, Jenkins (JENKINS, P. 189 e 190) explica que as pessoas atualmente não querem apenas receber informação, mas fazer parte do processo e contribuir para a finalização da notícia publicada. Do ponto de vista do autor, o Flipboard possui mais a participação do que a interação entre tecnologia e usuário. As restrições da interatividade são tecnológicas. Em quase todos os casos, o que se pode fazer num ambiente interativo é determinado previamente pelo designer. (...) A participação é mais ilimitada, menos controlada pelos produtores de mídia e mais controlada pelos consumidores de mídia (JENKINS, 2008, p. 189 e 190). Magaly Prado publicou em seu livro, "Webjornalismo", uma parte do artigo publicado no blog The Root of the Matter, especializado em Jornalsimo, sobre uma palestra dada pela diretora de conteúdo digital do jornal The Guardian, Emily Bell, em
  • 3. Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação XIX Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sudeste – Vila Velha - ES – 22 a 24/05/2014 3 que ela faz uma previsão sobre como será o jornalismo daqui a uma década. Um dos pontos discutido, o compartilhamento de notícias. "Jornalistas terão que estar prontos para compartilhar informações sempre que as tiverem e da melhor forma para comunicá-las à audiência - Isso significa que eles terão que ter habilidades técnicas múltiplas para atuar em várias ferramentas e plataformas diferentes" (PRADO, 2011, p.39). Interatividade e análise dos aplicativos No Flipboard, a interatividade está mais ligada à opinião do leitor sobre aquela matéria publicada e no feedback positivo ou negativo que a reportagem irá ter. Ela também se estende à sugestão de pauta, além da discussão entre coberturas de determinados acontecimentos já agendados. "A interactividade não será, certamente, a única diferença entre o jornalismo tradicional e o jornalismo online. No entanto, é vista como uma ferramenta fundamental na criação de novos públicos, nomeadamente entre as camadas mais jovens, onde os leitores já não são apenas espectadores, mas também participantes no processo de formação de notícias, o que poderá reforçar a capacidade de intervenção de alguns cidadãos" (BARBOSA, 2001, p.6). A ideia de um jornalismo híbrido, do qual a nova identidade tanto estética quanto ao trabalho de produção de conteúdo seja descentralizada, a Agência Nacional de Jornalistas (ANJ) entrevistou o fundador e diretor do Centro Knight para Jornalismo nas Américas, Rosental Calmon Alves, durante o 7º Congresso Brasileiro de Jornais. Durante a entrevista, publicada em agosto de 2008 também no Observatório da Imprensa, foi questionado se os jornais estão conseguindo saciar as necessidades dos leitores. Ainda há muito que fazer tanto na área da abertura ao conteúdo gerado pelos usuários quanto na questão da multimídia, pois estamos apenas no começo de um processo de mudanças longo e profundo que implicam na adoção de uma nova identidade do jornal, que passa de um produto estático, fechado, monomidia e periódico a um híbrido de átomos e bits, um serviço dinâmico, aberto, multimídia, constantemente atualizado e sempre disponível (ANJ, 2013, p24). As lojas virtuais Play Store e Apple Store publicaram as avaliações dos usuários sobre o Flipboard e aplicativo da Folha de São Paulo. Na loja do sistema Android, o app paulistano recebeu quatro estrelas, contra 4,5 de análise do agregador de conteúdo. Na Apple Store, a situação continuava favorável à "revista social", que foi avaliada com mais de quatro estrelas, seguido do Flipboard, que recebeu três estrelas.
  • 4. Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação XIX Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sudeste – Vila Velha - ES – 22 a 24/05/2014 4 Cibercultura e Remix O Flipboard está ligado ao conceito da cultura do Remix, no sentido da edição e redistribuição do consumo de notícias. A reportagem ficava anexada em um jornal digital e poderia ser vista apenas naquele jornal. A visualização agora se estende para essa plataforma, ora tendo a sua produção intacta e sua distribuição a cargo do app, ora sendo modificada a sua estrutura e compartilhada nas mídias digitais. Entretanto, jornais online vêm tentando restringir o poder da Cultura do Remix, contido no Flipboard com restrições de compartilhamento de dados. Por exemplo, no caso do jornal Folha de São Paulo, temos uma ação contra re-mixagem de conteúdo, em que a cópia de trechos ou até mesmo de todo o texto da notícia não pode ser alterado, apenas compartilhando o link ou a partir do cadastro como assinante. O Flipboard, que mostra o conteúdo, porém, com compartilhamento sem necessidade de permissão. Por um lado os jornais demonstram uma forma de proteger os direitos autorais do jornal, estabelecendo o copyright para que o texto não seja usado para embasar um conteúdo do qual não estava sendo abordado pelo produtor naquela matéria. Autores e artistas se preocupam com a sua autoria, perante as publicações de suas obras nas mídias sociais. Aderindo ao sistema de proteção autoral, eles tentam evitar que reportagens e criações passem a serem copiados pela massa. Entretanto, o escritor e fundador da Creative Commons Lawrence Lessig, afirma que a disseminação de informações contidas nas publicações, especificamente abordando os jornalistas, não destrói o copyright, mas contribui para a criação cultural (PRADO, ANO, p. 161). O projeto complementa o copyright em vez de competir com ele. Seu objetivo não é derrotar os direitos do autor, e sim facilitar para autores e criadores o exercício de seus direitos, de forma mais flexível e barata. (Lessig, ANO, PÁGINA, 278). Atualmente, o poder de possuir informação e informar tange tanto para o jornalista, quanto o leitor, graças às mídias sociais de participação como o Flipboard. Atitudes de restrição de compartilhamento de notícias apenas isolam o usuário do compartilhamento de informações, o qual ele poderá em qualquer outro veículo de comunicação. O usuário pode tanto informar quanto ser informado. A temática do Remix, contida na Cibercultura embasa essa edição e troca de conteúdo. Lemos (2006, P.1) afirma que agora o lema da Cibercultura, regida por regras
  • 5. Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação XIX Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sudeste – Vila Velha - ES – 22 a 24/05/2014 5 como liberação do pólo da emissão, princípio de conexão em rede e a reconfiguração de formatos midiáticos e práticas sociais, é que a informação quer ser livre. A nova dinâmica técnico-social da cibercultura instaura assim, não uma novidade, mas uma radicalidade: uma estrutura midiática ímpar na história da humanidade onde, pela primeira vez, qualquer indivíduo pode, a priori, emitir e receber informação em tempo real, sob diversos formatos e modulações, para qualquer lugar do planeta e alterar, adicionar e colaborar com pedaços de informação criados por outros. (2006 P.1) Meios de sobrevivência dos jornais digitais Todo conteúdo publicado em todos os sites de notícias existente é "puxado" pelo Flipboard, que atualiza seus usuários conforme sua preferência editorial. Logo, tanto o jornal digital quanto o aplicativo fornecem o mesmo conteúdo, tendo como vantagem o Flipboard, que oferece notícias referentes com o mesmo foco nos mais variados veículos de informação. Uma das formas que faria a diferença na publicação de matérias no jornal digital seria a exclusividade. Com justificativa para ser vista e paga pelos usuários, às notícias exclusivas e restritas aos assinantes torna o jornal atraente e desperta a curiosidade das pessoas em consumir aquela informação. Durante a edição 2011 da Campus Party Brasil, Bem Hammesley, editor da versão britânica da revista Wired, deu uma palestra sobre motivação de construções de novas startups e foi questionado sobre a inexistência de uma edição brasileira da Wired. Ele respondeu que deveríamos criar a nossa própria Wired, alinhada com as necessidades do país e que, depois poderia se tornar global. YouTube ( 2011,Janeiro 28) Campus Party Brasil 2011 – Bem Hammersley – Superinteressante Muito além de ser uma ferramenta mais eficaz de lucro para os conglomerados midiáticos, o jornalismo especializado é uma resposta a essa demanda por informações direcionadas que caracteriza a formação das audiências específicas (Abiahy, 2000, p.5). O jornal norte - americano The New York Times possui um laboratório de Pesquisa e desenvolvimento para criar tecnologias para atrair anunciantes e leitores para o consumo de notícias. Eles lançaram o "New York Times E-Single", que são diversas séries de reportagens clássicas à venda por $ 2,99, disponíveis para aparelhos de leitura de livros digitais como o Kindle e Kobo.
  • 6. Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação XIX Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sudeste – Vila Velha - ES – 22 a 24/05/2014 6 Coberturas em tempo real Ao contrário das "revistas sociais", os sites de notícias podem transmitir ao vivo grandes fatos que são relevantes para uma região ou para o país. O jornal mineiro O Tempo fez a cobertura em tempo real das manifestações causadas pelo aumento da passagem de ônibus em Belo Horizonte, Contagem e Betim. A cobertura, ocorrida em 20 de junho de 2013 durou aproximadamente dois dias e duas horas. Cobertura em tempo real do jornal O Tempo sobre as manifestações em cidades mineiras Como o Flipboard ainda não tem suporte para fazer tais coberturas, até porque ele depende da publicação do jornal para postar as notícias em sua plataforma, ou de algum usuário postar nele, as notícias já foram publicadas nos jornais e os jornalistas já estão apurando outro fato para aumentar a cobertura. Assim como as emissoras de TV, que possuem também jornal online e, assim que é exibido na televisão, é postado no site. Conclusão O aplicativo Flipboard não representa uma ameaça para o jornalismo digital, e configura-se como uma das vertentes de publicação do mesmo, que espalha o conteúdo
  • 7. Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação XIX Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sudeste – Vila Velha - ES – 22 a 24/05/2014 7 para diversas mídias sociais e em várias plataformas de dispositivos móveis. O número de visualizações de páginas do jornal online pode sofrer diminuição, fazendo também com que os usuários não cliquem em banners de publicidade oferecidos pelo anunciante do jornal, porém isso pode ser revertido se os jornais apresentarem novos meio de atrair o leitor para a sua plataforma. Para que os jornais digitais sobrevivam, é necessário não ser uma "revista social", mas sim uma referência para o usuário, apresentando publicações de interesse em um público específico ou para a massa. REFERÊNCIAS PRADO, Magaly,Webjornalismo, 2011. JENKINS, Henry, Cultura das Convergências, 2008. PRIMO, Alex, Transformações no Jornalismo em rede: sobre pessoas comuns, jornalistas, blogs, Twitter, Facebook e Flipboard, 2011. KUCINSKY, Bernardo, Jornalismo na era virtual: ensaios sobre o colapso da razão ética, 2005. CASTILHO, Carlos, A Crise na Identidade profissional do jornalista, Observatório da Imprensa, 2011. ANJ, A Nova Identidade do Jornal, Observatório da Imprensa, 2008. BARBOSA, Elisabete, Interatividade: A grande promessa do jornalismo online, 2001. LESSIG, Lawrence, Remix, 2008. LEMOS, André, Ciber-Cultura-Remix, 2006. ABIAHY, Ana Carolina de Araújo, O Jornalismo Especializado na Sociedade da Informação,2000. DORIA, Tiago, Primeiro produto comercial do laboratório de P&D do NYTimes, 2012. ANJ, Jornal, Seminário discute sistema mídia impressa + digital, 2013.