SlideShare uma empresa Scribd logo
Visão seara -  Igreja Seara Porto Alegre
VISÃO SEARA
IGREJA SEARA PORTO ALEGRE
Índice
1 - Quem somos
2 – No que cremos
3 – Nós temos:
A-Uma visão
B-Uma missão
C-Nossos Valores
4 – A nossa forma de ser Igreja
Introdução:
A-Baseada na grande comissão
B-Em células
C-Governo
D-Organização
5 – Visão Seara – O jeito Seara de ser Igreja
VISÃO SEARA
IGREJA SEARA PORTO ALEGRE
1 – Quem somos
- Somos uma igreja que nasceu no contexto da reforma
protestante. Herdou valores como a exclusividade da
salvação em Cristo Jesus (Rm 1:16, 17), a centralidade das
Escrituras como Palavra de Deus (2Tm 3:16), a Fé como
meio da Salvação (Ef 2:8,9) e a Graça como manifestação
plena do amor de Deus pelo ser humano (Rm 3:22-24).
- Somos uma igreja-família, que faz parte da família da fé,
uma parte da igreja invisível que está ao redor mundo.
- Somos um povo governado pelo Espirito Santo, que crê
no seu agir e na eficácia de seus dons e, dessa forma,
usado por Ele para testemunhar a respeito de Cristo.
- Somos uma igreja que tem uma missão a realizar, uma
visão a alcançar e valores a propagar.
2 – No que cremos
a. Cremos em um só Deus, eternamente subsistente em
três pessoas: Pai, Filho e Espírito Santo, constituindo a
Trindade;
b. Cremos na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, tendo-
a como única regra infalível de fé normativa para a
vida e o caráter cristão;
c. Cremos na pecaminosidade do homem, que o destituiu
da glória de Deus, e que somente o arrependimento e
a fé na obra expiatória e redentora do Senhor Jesus
Cristo é que podem restaurá-lo;
d. Cremos no nascimento virginal do Senhor Jesus Cristo,
em Sua morte vicária e expiatória, em Sua
ressurreição corporal dentre os mortos e Sua ascensão
vitoriosa aos céus;
e. Cremos na necessidade absoluta do novo nascimento
pela fé no Senhor Jesus Cristo e pelo poder atuante do
VISÃO SEARA
IGREJA SEARA PORTO ALEGRE
Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o
homem digno do Reino dos Céus;
f. Cremos no perdão dos pecados, na salvação presente
e na perfeita e eterna justificação, recebidos
gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício do Senhor
Jesus Cristo em favor da humanidade;
g. Cremos no batismo bíblico cristão, em nome do Pai,
do Filho e do Espírito Santo;
h. Cremos na necessidade e na possibilidade de vivermos
vida santa, mediante a obra expiatória e redentora do
Senhor Jesus Cristo no Calvário, através do poder
regenerador, inspirador e santificador do Espírito
Santo;
i. Cremos no Batismo no Espírito Santo, que nos é dado
por Deus, mediante a intercessão do Senhor Jesus
Cristo, de acordo com a Sua vontade;
j. Cremos na atualidade dos dons espirituais distribuídos
pelo Espírito Santo à Igreja, para sua edificação,
consolação e exortação de acordo com a Sua soberana
vontade;
k. Cremos na forma de ser igreja que consta no novo
testamento, a igreja primitiva; que se reuniam nas
casas, as células, bem como no templo, nos cultos de
celebração e treinamentos.
l. Cremos na grande comissão do Senhor Jesus de
fazermos discípulos de todas as nações.
3 – Nós temos
A – Uma visão
Ser uma igreja que cresce em qualidade e quantidade,
através da plantação e multiplicação de igrejas, sendo uma
igreja em vários locais.
VISÃO SEARA
IGREJA SEARA PORTO ALEGRE
B - Missão
Ganhar vidas para Jesus e cuidar bem delas através das
células, discipulado, comunhão, ensino e a busca da
presença de Deus
C – Valores
SALVAÇÃO
Transformação de vidas, através do conhecimento e do
Senhorio de Jesus Cristo.
UNIDADE
A igreja vivendo em comunhão, praticando o amor e
misericórdia.
ACOLHIMENTO
Rápida e fácil assimilação de novos convertidos ao corpo de
Cristo.
CONSOLIDAÇÃO
Fundamentação da fé em Cristo, através do ensino e da
edificação na Palavra.
DISCIPULADO
Acompanhamento dedicado e individual de cada crente.
INTIMIDADE
Desenvolvimento pessoal de cada discípulo na vida de
oração.
ADORAÇÃO
Pessoas louvam e glorificam a Deus em “espírito e em
verdade”.
SERVIÇO
Cristãos comprometidos servindo ao Senhor de acordo com
os dons dados pelo Espírito Santo.
CÉLULAS
A igreja se reunindo nas casas.
MOVIMENTO
Uma igreja que vive a grande comissão: de ir, a começar
por aqui.
VISÃO SEARA
IGREJA SEARA PORTO ALEGRE
4 – A nossa forma de ser Igreja
A - Uma Igreja baseada na grande comissão
Somos uma igreja que procura viver de acordo com os
ensinos e mandamentos de Jesus, o Senhor da Igreja.
Desta forma a Igreja Seara, tem por base a grande
comissão: o fazer discípulos de Jesus.
Na Seara o discipulado é o encargo principal, porque
cremos que a igreja é formada por discípulos de Jesus.
Então, a nossa forma de ser igreja é baseada e centralizada
no discipulado cristão, que funciona de forma individual,
onde todos têm a oportunidade de serem cuidados e
ensinados individualmente. Bem como a oportunidade de
multiplicar esse processo: aqueles que estão sendo
cuidados e discipulados têm a oportunidade de discipular e
cuidar de outros.
Cremos que essa multiplicação de discípulos gerada pelo
Espírito Santo é o que traz o crescimento na vida da igreja.
Em suma, a nossa prioridade é fazer discípulos que fazem
discípulos, pelo poder do Espirito Santo.
B – Em células
Somos uma igreja em células, isso quer dizer que nos
reunimos nas casas e no templo.
A reunião nas casas chamamos de células, onde a vida da
igreja acontece e é compartilhada.
Vejamos algumas razões por que somos uma igreja em
células:
VISÃO SEARA
IGREJA SEARA PORTO ALEGRE
I. Porque a igreja deve crescer e se multiplicar.
Assim como as células biológicas se juntam para formar o
corpo humano, as células da igreja se juntam para formar o
Corpo de Cristo. Do mesmo modo como o corpo humano
cresce e se desenvolve através do processo de
multiplicação celular (cada uma delas, ao atingir a
maturidade, se multiplica em outras duas), a Igreja
também cresce através da multiplicação de células sadias.
II. Porque queremos ser uma igreja transformadora.
Queremos ser um povo que conhece e vive plenamente a
Verdade. Queremos ser uma comunidade que tem
relacionamentos curados, que cresce na vida interior e
transborda para o exterior, com o propósito de ganhar o
nosso bairro, nossa cidade, nosso estado, nosso país e a
nossa geração. Esta é a vocação da Igreja: ser uma família,
ser um lugar onde há vida, libertação, cura e cuidado. As
células são a nossa estratégia de conquista.
III. Porque, para um crente crescer saudável, ele precisa de
ouvir e de falar.
Em Romanos 10:17 vemos que a fé vem pelo ouvir a
Palavra. Quando participamos da escola de líderes e da
reunião de celebração, o alvo é recebermos fé pelo ouvir.
Por outro lado, se queremos crescer, precisamos também
compartilhar o que ouvimos. É pelo falar que somos cheios
do Espírito; é pelo falar que geramos, liberamos e
ministramos vida! Nas reuniões de celebração ouvimos para
recebermos fé e, nas reuniões da célula, falamos para
crescermos em fé! Todos nós necessitamos de uma dieta
espiritual equilibrada, que envolve ouvir e falar.
IV. Porque a Igreja deve ser uma família.
A Igreja, indiscutivelmente, não é o prédio onde nos
reunimos. Ela é um edifício espiritual feito de pedras vivas
que são as pessoas. A palavra de Deus nos diz que a Igreja
é o corpo de Cristo na terra, membros ligados e unidos uns
aos outros cumprindo o propósito de Deus de unidade.
VISÃO SEARA
IGREJA SEARA PORTO ALEGRE
Entendemos que a igreja é formada por pais e filhos
espirituais, discipuladores e discípulos. Não existe
discipulado sem relacionamentos e todo relacionamento
firmado nos princípios de Deus, traz cura e crescimento.
De um modo geral, as pessoas estão carentes de amor e
aceitação. Por isso, precisamos ser a resposta de Deus para
os seus anseios. A igreja precisa ser uma grande família. A
sociedade está cheia de pessoas feridas e desajustadas
emocionalmente, as quais somente serão alcançadas
através de um ambiente de amor e aceitação familiar. É
justamente esta a visão que temos para as células de nossa
igreja: que cada uma célula seja um grupo familiar, da
família da fé, onde as pessoas são aceitas e amadas.
Na mente de todo homem, o lar é o ponto de convergência
- o lugar de aceitação e de expressão incondicionais, o
lugar de amor e cuidado. A Igreja, dentre tantas
ilustrações bíblicas, é um lar, que deve ter todas estas
expressões de vida e amor. É por isso que somos uma
igreja em células, porque desejamos ser um lugar de
acolhimento em amor.
Esse é o segredo da edificação da igreja e do seu
crescimento. Mas, evidentemente esse padrão somente
pode ser atingido nas reuniões da célula. É preciso enfatizar
que a reunião da célula é tão importante quanto as
reuniões gerais de celebração. Um crente que deixa de
participar da célula está comprometendo o seu próprio
crescimento espiritual, do mesmo modo que, aquele que
deixa de participar da reunião geral de celebração, está se
privando do alimento da fé. Nós precisamos desses dois
tipos de reuniões para crescermos apropriadamente.
VISÃO SEARA
IGREJA SEARA PORTO ALEGRE
C – Governo
A Igreja Seara Porto Alegre tem a forma de governo
episcopal, que é: o Pastor-Presidente tem todo poder de
decisão em todos os níveis e áreas de atuação da igreja,
quer seja pastoral, ministerial, social ou administrativa.
Conforme a lei de nossa de nação solicita, a igreja possui
uma diretoria, a qual tem por função auxiliar o Pastor-
Presidente nas questões administrativas.
A equipe pastoral, composta por pastores, locais ou
auxiliares, também tem a função de auxiliar o Pastor-
Presidente nas questões pastorais, ministeriais e sociais.
D – Organização
A Igreja Seara tem por sua forma de organização, o que
chamamos de Visão Seara, a qual estaremos vendo na
próxima parte desse livreto.
5 - Visão Seara
O jeito Seara de ser Igreja.
A Visão Seara é a forma que nós nos organizamos como
igreja, baseado no que cremos e temos por visão, missão e
valores.
VISÃO SEARA
IGREJA SEARA PORTO ALEGRE
Os quatro pilares da visão Seara
Discipulado – Células – Culto de Celebração – Tadel
1 – Discipulado
- Acompanhamento dedicado e individual a cada crente.
Aonde o discipulador tem a responsabilidade de cuidar e
ensinar cada pessoa aos seus cuidados a serem mais
parecidas com Jesus.
Esse discipulado acontece, de preferência, dentro da
mesma célula ou supervisão. Onde sugerimos um número
saudável de quatro discípulos por discipulador.
2 – Células
- São pequenos grupos onde aprendemos a desenvolver
comunhão com Deus e com os irmãos. Nelas criamos
vínculos fortes de amizade e encorajamento. Ali somos
cuidados e pastoreados, além de descobrir nossos dons e
talentos para servir a Deus e a Igreja.
3- Culto de Celebração
- São reuniões de celebração onde a igreja local se reúne
com o propósito de adorar a Deus, com cânticos,
testemunhos, receber alimento e direção através da
pregação da Palavra de Deus e, também, praticar a palavra
de Deus através da Ceia do Senhor, ofertando e dizimando.
4 – Tadel
- Uma reunião da igreja e para toda igreja, aonde acontece
o treinamento dos discípulos de Jesus, para viverem a
grande comissão.
VISÃO SEARA
IGREJA SEARA PORTO ALEGRE
A nossa igreja é organizada por redes.
Redes Missionais (células) e Redes Funcionais
I- Redes de Células
As redes de células têm por objetivo organizar os
discipulados e células, bem como a supervisão dos tais.
Sendo que a igreja só existe por causa dos discípulos de
Jesus, para nós, essas redes são essenciais, porque nos
ajudam no acompanhamento dos discípulos.
A estrutura da rede de células.
Para nos organizarmos melhor no quesito de discipulado e
células, definimos uma estrutura de rede de célula.
Célula: Um grupo pequeno de 5 á 15 pessoas.
Anfitrião: Aquele que tem o privilégio de receber
semanalmente a célula em sua casa.
Líder em treinamento: Discípulo que está sendo treinado
para liderar e tem a função de auxiliar o líder de célula.
Líder: Discípulo que tem a função e responsabilidade de
liderar a célula, isto é, fazer que a vida de Deus flua na
célula e através da célula. Cuidar e pastorear os membros
da célula, bem como supervisionar os discipulados que
acontecem dentro dela.
VISÃO SEARA
IGREJA SEARA PORTO ALEGRE
Supervisor de Células: Líder que tem a função de
supervisionar e auxiliar os líderes de célula da sua
supervisão. Estabelecemos um número ideal de quatro
células para cada supervisão.
Supervisor de Setor: Supervisor que tem a função de
supervisionar e auxiliar os Supervisores de Células da sua
supervisão. Estabelecemos um número ideal de quatro
Supervisões de Células para cada Supervisão de Setor.
Supervisor de Rede: Supervisor que tem a função de
supervisionar e auxiliar os Supervisores de Setor da sua
supervisão. Estabelecemos um número ideal de quatro
Supervisões de Setor para cada Supervisão de Rede.
II – Redes Funcionais
As redes funcionais, são redes que tem funções especificas.
Rede de Crianças: Responsável pela organização dos
cultos infantis e eventos para crianças.
Rede de Casais: Responsável por promover eventos e
meios para promover o bem-estar dos casais da igreja.
Rede de Ensino: Responsável por promover e gerir os
cursos da EMS (Escola Ministerial Seara)
Rede de Jovens: Responsável pela organização das
reuniões de Jovens e eventos.
VISÃO SEARA
IGREJA SEARA PORTO ALEGRE
Rede de Adolescentes: Responsável pela organização das
reuniões de Adolescentes e eventos.
Rede de Homens: Responsável pela organização das
reuniões de homens e eventos.
Rede de mulheres: Responsável pela organização das
reuniões de mulheres e eventos.
Rede de Louvor e Adoração: Responsável pela
organização dos ministérios de artes da igreja e eventos.
www.igrejasearapoa.com
igrejasearaportoalegre@gmail.com
Fone: (51) 8122-0231
Anderson Menger
Pastor-Presidente

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Texto 5 vocação e identidade - bispo joão alves de oliveira filho
Texto 5   vocação e identidade - bispo joão alves de oliveira filhoTexto 5   vocação e identidade - bispo joão alves de oliveira filho
Texto 5 vocação e identidade - bispo joão alves de oliveira filho
Paulo Dias Nogueira
 
Visão
VisãoVisão
Dna a visão da igreja obpc
Dna a visão da igreja obpcDna a visão da igreja obpc
Texto 4 os deveres pastorais - bispo osvaldo dias da silva
Texto 4   os deveres pastorais - bispo osvaldo dias da silvaTexto 4   os deveres pastorais - bispo osvaldo dias da silva
Texto 4 os deveres pastorais - bispo osvaldo dias da silva
Paulo Dias Nogueira
 
As Duas Asas Da Igreja
As Duas Asas Da IgrejaAs Duas Asas Da Igreja
As Duas Asas Da Igreja
fgondim
 
Um visão bíblica da Igreja
Um visão bíblica da IgrejaUm visão bíblica da Igreja
Um visão bíblica da Igreja
Viva a Igreja
 
Apostila mdulo4
Apostila mdulo4Apostila mdulo4
Apostila mdulo4
vallcalazans
 
Texto 3 carisma pastoral - bispo paulo lockmann
Texto 3   carisma pastoral - bispo paulo lockmannTexto 3   carisma pastoral - bispo paulo lockmann
Texto 3 carisma pastoral - bispo paulo lockmann
Paulo Dias Nogueira
 
Texto 1 carisma do ministério pastoral - bispo josué adam lazier
Texto 1   carisma do ministério pastoral - bispo josué adam lazierTexto 1   carisma do ministério pastoral - bispo josué adam lazier
Texto 1 carisma do ministério pastoral - bispo josué adam lazier
Paulo Dias Nogueira
 
Regimento Interno
Regimento InternoRegimento Interno
Regimento Interno
Viva a Igreja
 
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da IgrejaLBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
boasnovassena
 
Direcionamento a servos e coordenadores
Direcionamento a servos e coordenadoresDirecionamento a servos e coordenadores
Direcionamento a servos e coordenadores
Marcos Dias
 
Eclesiologia
EclesiologiaEclesiologia
Eclesiologia
efalves
 
Benefícios do Discipulado 2
Benefícios do Discipulado 2Benefícios do Discipulado 2
Benefícios do Discipulado 2
Roberto Trindade
 
Células
CélulasCélulas
Células
Eliezer Almeida
 
Igreja saudavel
Igreja saudavelIgreja saudavel
Pastorado, profissão ou vocação
Pastorado, profissão ou vocaçãoPastorado, profissão ou vocação
Pastorado, profissão ou vocação
ETENAC - Escola Teológica Nova Aliança em Cristo
 
Treinamento de Líderes de Células e Discipulado Um a Um
Treinamento de Líderes de Células e Discipulado Um a UmTreinamento de Líderes de Células e Discipulado Um a Um
Treinamento de Líderes de Células e Discipulado Um a Um
Christian Lepelletier
 
Curso Fazendo Discípulos Estrategicamente - Adaptado de Aubrey Malphurs
Curso Fazendo Discípulos Estrategicamente - Adaptado de Aubrey MalphursCurso Fazendo Discípulos Estrategicamente - Adaptado de Aubrey Malphurs
Curso Fazendo Discípulos Estrategicamente - Adaptado de Aubrey Malphurs
Robson Santana
 
Igreja em células
Igreja em células Igreja em células
Igreja em células
Júlio Budin
 

Mais procurados (20)

Texto 5 vocação e identidade - bispo joão alves de oliveira filho
Texto 5   vocação e identidade - bispo joão alves de oliveira filhoTexto 5   vocação e identidade - bispo joão alves de oliveira filho
Texto 5 vocação e identidade - bispo joão alves de oliveira filho
 
Visão
VisãoVisão
Visão
 
Dna a visão da igreja obpc
Dna a visão da igreja obpcDna a visão da igreja obpc
Dna a visão da igreja obpc
 
Texto 4 os deveres pastorais - bispo osvaldo dias da silva
Texto 4   os deveres pastorais - bispo osvaldo dias da silvaTexto 4   os deveres pastorais - bispo osvaldo dias da silva
Texto 4 os deveres pastorais - bispo osvaldo dias da silva
 
As Duas Asas Da Igreja
As Duas Asas Da IgrejaAs Duas Asas Da Igreja
As Duas Asas Da Igreja
 
Um visão bíblica da Igreja
Um visão bíblica da IgrejaUm visão bíblica da Igreja
Um visão bíblica da Igreja
 
Apostila mdulo4
Apostila mdulo4Apostila mdulo4
Apostila mdulo4
 
Texto 3 carisma pastoral - bispo paulo lockmann
Texto 3   carisma pastoral - bispo paulo lockmannTexto 3   carisma pastoral - bispo paulo lockmann
Texto 3 carisma pastoral - bispo paulo lockmann
 
Texto 1 carisma do ministério pastoral - bispo josué adam lazier
Texto 1   carisma do ministério pastoral - bispo josué adam lazierTexto 1   carisma do ministério pastoral - bispo josué adam lazier
Texto 1 carisma do ministério pastoral - bispo josué adam lazier
 
Regimento Interno
Regimento InternoRegimento Interno
Regimento Interno
 
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da IgrejaLBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
 
Direcionamento a servos e coordenadores
Direcionamento a servos e coordenadoresDirecionamento a servos e coordenadores
Direcionamento a servos e coordenadores
 
Eclesiologia
EclesiologiaEclesiologia
Eclesiologia
 
Benefícios do Discipulado 2
Benefícios do Discipulado 2Benefícios do Discipulado 2
Benefícios do Discipulado 2
 
Células
CélulasCélulas
Células
 
Igreja saudavel
Igreja saudavelIgreja saudavel
Igreja saudavel
 
Pastorado, profissão ou vocação
Pastorado, profissão ou vocaçãoPastorado, profissão ou vocação
Pastorado, profissão ou vocação
 
Treinamento de Líderes de Células e Discipulado Um a Um
Treinamento de Líderes de Células e Discipulado Um a UmTreinamento de Líderes de Células e Discipulado Um a Um
Treinamento de Líderes de Células e Discipulado Um a Um
 
Curso Fazendo Discípulos Estrategicamente - Adaptado de Aubrey Malphurs
Curso Fazendo Discípulos Estrategicamente - Adaptado de Aubrey MalphursCurso Fazendo Discípulos Estrategicamente - Adaptado de Aubrey Malphurs
Curso Fazendo Discípulos Estrategicamente - Adaptado de Aubrey Malphurs
 
Igreja em células
Igreja em células Igreja em células
Igreja em células
 

Destaque

Ge Grupo de evangelismo - Pr. Mário silveira e Pr. Anderson menger
Ge   Grupo de evangelismo - Pr. Mário silveira e Pr. Anderson mengerGe   Grupo de evangelismo - Pr. Mário silveira e Pr. Anderson menger
Ge Grupo de evangelismo - Pr. Mário silveira e Pr. Anderson menger
Igreja Seara Porto Alegre
 
BALU RESUME
BALU RESUMEBALU RESUME
BALU RESUME
mamidi Babji
 
Teorìas organizativas
Teorìas organizativasTeorìas organizativas
Teorìas organizativas
Nataly Casas
 
Tectónicas de placas
Tectónicas de placasTectónicas de placas
Tectónicas de placas
M21J6
 
OECD Workshop: Measuring Business Impacts on People’s Well-being, Philippe Pe...
OECD Workshop: Measuring Business Impacts on People’s Well-being, Philippe Pe...OECD Workshop: Measuring Business Impacts on People’s Well-being, Philippe Pe...
OECD Workshop: Measuring Business Impacts on People’s Well-being, Philippe Pe...
StatsCommunications
 
Refranes marzo
Refranes marzoRefranes marzo
Refranes marzo
Geni
 
Updated (1) Executive Chef
Updated (1) Executive ChefUpdated (1) Executive Chef
Updated (1) Executive Chef
AMIO SARKAR
 
Developing an Objectives-Based Content Model
Developing an Objectives-Based Content ModelDeveloping an Objectives-Based Content Model
Developing an Objectives-Based Content Model
Paula Ladenburg Land
 
Greenometry harvard 2_7_2017
Greenometry harvard 2_7_2017Greenometry harvard 2_7_2017
Greenometry harvard 2_7_2017
Ory Zik, Ph.D.
 
3 Powerful CEOs in the Philanthropic World
3 Powerful CEOs in the Philanthropic World3 Powerful CEOs in the Philanthropic World
3 Powerful CEOs in the Philanthropic World
John Partilla
 
Residência Artística 2016 - 1
Residência Artística 2016 - 1Residência Artística 2016 - 1
Residência Artística 2016 - 1
Artematriz Soluções Culturais Ltda
 
Manual 13-practicas-para-perderle-el-miedo-a-photoshop
Manual 13-practicas-para-perderle-el-miedo-a-photoshopManual 13-practicas-para-perderle-el-miedo-a-photoshop
Manual 13-practicas-para-perderle-el-miedo-a-photoshop
Jorge Martinez
 
AdobeCampaign_HardwareSizingGuide
AdobeCampaign_HardwareSizingGuideAdobeCampaign_HardwareSizingGuide
AdobeCampaign_HardwareSizingGuide
Tom Childers
 
Deterioro del puente General rafael urdaneta
Deterioro del puente General rafael urdanetaDeterioro del puente General rafael urdaneta
Deterioro del puente General rafael urdaneta
naomi hara
 
O falcão quiriquiri na falcoaria moderna traduzido por kátia boroni
O falcão quiriquiri na falcoaria moderna traduzido por kátia boroniO falcão quiriquiri na falcoaria moderna traduzido por kátia boroni
O falcão quiriquiri na falcoaria moderna traduzido por kátia boroni
Kátia Boroni
 
Director research
Director researchDirector research
Director research
rabiahusain12345
 
Escuela verde v3
Escuela verde v3Escuela verde v3
Escuela verde v3
Ignacio Barsottelli
 
พอทของนัท
พอทของนัทพอทของนัท
พอทของนัท
daungkamon77
 

Destaque (19)

Ge Grupo de evangelismo - Pr. Mário silveira e Pr. Anderson menger
Ge   Grupo de evangelismo - Pr. Mário silveira e Pr. Anderson mengerGe   Grupo de evangelismo - Pr. Mário silveira e Pr. Anderson menger
Ge Grupo de evangelismo - Pr. Mário silveira e Pr. Anderson menger
 
BALU RESUME
BALU RESUMEBALU RESUME
BALU RESUME
 
Teorìas organizativas
Teorìas organizativasTeorìas organizativas
Teorìas organizativas
 
Tectónicas de placas
Tectónicas de placasTectónicas de placas
Tectónicas de placas
 
OECD Workshop: Measuring Business Impacts on People’s Well-being, Philippe Pe...
OECD Workshop: Measuring Business Impacts on People’s Well-being, Philippe Pe...OECD Workshop: Measuring Business Impacts on People’s Well-being, Philippe Pe...
OECD Workshop: Measuring Business Impacts on People’s Well-being, Philippe Pe...
 
Refranes marzo
Refranes marzoRefranes marzo
Refranes marzo
 
Updated (1) Executive Chef
Updated (1) Executive ChefUpdated (1) Executive Chef
Updated (1) Executive Chef
 
Developing an Objectives-Based Content Model
Developing an Objectives-Based Content ModelDeveloping an Objectives-Based Content Model
Developing an Objectives-Based Content Model
 
Greenometry harvard 2_7_2017
Greenometry harvard 2_7_2017Greenometry harvard 2_7_2017
Greenometry harvard 2_7_2017
 
3 Powerful CEOs in the Philanthropic World
3 Powerful CEOs in the Philanthropic World3 Powerful CEOs in the Philanthropic World
3 Powerful CEOs in the Philanthropic World
 
Residência Artística 2016 - 1
Residência Artística 2016 - 1Residência Artística 2016 - 1
Residência Artística 2016 - 1
 
Manual 13-practicas-para-perderle-el-miedo-a-photoshop
Manual 13-practicas-para-perderle-el-miedo-a-photoshopManual 13-practicas-para-perderle-el-miedo-a-photoshop
Manual 13-practicas-para-perderle-el-miedo-a-photoshop
 
AdobeCampaign_HardwareSizingGuide
AdobeCampaign_HardwareSizingGuideAdobeCampaign_HardwareSizingGuide
AdobeCampaign_HardwareSizingGuide
 
Deterioro del puente General rafael urdaneta
Deterioro del puente General rafael urdanetaDeterioro del puente General rafael urdaneta
Deterioro del puente General rafael urdaneta
 
O falcão quiriquiri na falcoaria moderna traduzido por kátia boroni
O falcão quiriquiri na falcoaria moderna traduzido por kátia boroniO falcão quiriquiri na falcoaria moderna traduzido por kátia boroni
O falcão quiriquiri na falcoaria moderna traduzido por kátia boroni
 
TLE - Horticulture Cattle Raising
TLE - Horticulture Cattle RaisingTLE - Horticulture Cattle Raising
TLE - Horticulture Cattle Raising
 
Director research
Director researchDirector research
Director research
 
Escuela verde v3
Escuela verde v3Escuela verde v3
Escuela verde v3
 
พอทของนัท
พอทของนัทพอทของนัท
พอทของนัท
 

Semelhante a Visão seara - Igreja Seara Porto Alegre

Manual do lider
Manual do liderManual do lider
Manual do lider
pibfsa
 
Porque ser membro de uma igreja?
Porque ser membro de uma igreja?Porque ser membro de uma igreja?
Porque ser membro de uma igreja?
Noimix
 
relatorio de estudo. pdf para estudo biblico em ousadia
relatorio de estudo. pdf para estudo biblico em ousadiarelatorio de estudo. pdf para estudo biblico em ousadia
relatorio de estudo. pdf para estudo biblico em ousadia
carlos junior carlos
 
Discipulado lição 4 conhecendo a igreja
Discipulado lição 4 conhecendo a igrejaDiscipulado lição 4 conhecendo a igreja
Discipulado lição 4 conhecendo a igreja
Josue Lima
 
Grupo Adoração e Vida
Grupo Adoração e VidaGrupo Adoração e Vida
Grupo Adoração e Vida
Grupo Adv Jovem
 
A igreja que queremos ser!
A igreja que queremos ser!A igreja que queremos ser!
A igreja que queremos ser!
mario nunes
 
Manual do pastor
Manual do pastorManual do pastor
Manual do pastor
SERGIODEMELLOQUEIROZ
 
Crescer em cristo juniores
Crescer em cristo   junioresCrescer em cristo   juniores
Crescer em cristo juniores
Sandra Fuso
 
Lição 2 - Imagens Bíblicas da Igreja(COM ANIMAÇÃO).pptx
Lição 2 - Imagens Bíblicas da Igreja(COM ANIMAÇÃO).pptxLição 2 - Imagens Bíblicas da Igreja(COM ANIMAÇÃO).pptx
Lição 2 - Imagens Bíblicas da Igreja(COM ANIMAÇÃO).pptx
JairForquim1
 
Pastoral doutrina-espírito-santo
Pastoral doutrina-espírito-santoPastoral doutrina-espírito-santo
Pastoral doutrina-espírito-santo
Paulo Dias Nogueira
 
Planejamento Estratégico PIB
Planejamento Estratégico PIBPlanejamento Estratégico PIB
Planejamento Estratégico PIB
Primeira Igreja Batista de Joinville
 
INICIAÇÃO CRISTÃ Nº01
INICIAÇÃO CRISTÃ Nº01INICIAÇÃO CRISTÃ Nº01
INICIAÇÃO CRISTÃ Nº01
Helio Diniz
 
Identidade Nazarena - M4
Identidade Nazarena - M4Identidade Nazarena - M4
Identidade Nazarena - M4
semnazarenovirtual
 
Carta pastoral ano da fé
Carta pastoral ano da féCarta pastoral ano da fé
Carta pastoral ano da fé
nuvemluminosa
 
Carta - Ano da Fé - Outubro 2012
Carta - Ano da Fé - Outubro 2012Carta - Ano da Fé - Outubro 2012
Carta - Ano da Fé - Outubro 2012
Lay Kamila
 
Infonwes abril 2013 para impressao
Infonwes abril 2013 para impressaoInfonwes abril 2013 para impressao
Infonwes abril 2013 para impressao
Talmedin Tedi
 
O que e Igreja
O que e IgrejaO que e Igreja
O que e Igreja
Pastor Wanderley
 
Ibadep administracao e lideranca
Ibadep   administracao e liderancaIbadep   administracao e lideranca
Ibadep administracao e lideranca
claudiosilva375
 
Pastoral doutrina-espírito-santo
Pastoral doutrina-espírito-santoPastoral doutrina-espírito-santo
Pastoral doutrina-espírito-santo
José do Carmo da Silva
 
Pastoral doutrina-espírito-santo
Pastoral doutrina-espírito-santoPastoral doutrina-espírito-santo
Pastoral doutrina-espírito-santo
José do Carmo da Silva
 

Semelhante a Visão seara - Igreja Seara Porto Alegre (20)

Manual do lider
Manual do liderManual do lider
Manual do lider
 
Porque ser membro de uma igreja?
Porque ser membro de uma igreja?Porque ser membro de uma igreja?
Porque ser membro de uma igreja?
 
relatorio de estudo. pdf para estudo biblico em ousadia
relatorio de estudo. pdf para estudo biblico em ousadiarelatorio de estudo. pdf para estudo biblico em ousadia
relatorio de estudo. pdf para estudo biblico em ousadia
 
Discipulado lição 4 conhecendo a igreja
Discipulado lição 4 conhecendo a igrejaDiscipulado lição 4 conhecendo a igreja
Discipulado lição 4 conhecendo a igreja
 
Grupo Adoração e Vida
Grupo Adoração e VidaGrupo Adoração e Vida
Grupo Adoração e Vida
 
A igreja que queremos ser!
A igreja que queremos ser!A igreja que queremos ser!
A igreja que queremos ser!
 
Manual do pastor
Manual do pastorManual do pastor
Manual do pastor
 
Crescer em cristo juniores
Crescer em cristo   junioresCrescer em cristo   juniores
Crescer em cristo juniores
 
Lição 2 - Imagens Bíblicas da Igreja(COM ANIMAÇÃO).pptx
Lição 2 - Imagens Bíblicas da Igreja(COM ANIMAÇÃO).pptxLição 2 - Imagens Bíblicas da Igreja(COM ANIMAÇÃO).pptx
Lição 2 - Imagens Bíblicas da Igreja(COM ANIMAÇÃO).pptx
 
Pastoral doutrina-espírito-santo
Pastoral doutrina-espírito-santoPastoral doutrina-espírito-santo
Pastoral doutrina-espírito-santo
 
Planejamento Estratégico PIB
Planejamento Estratégico PIBPlanejamento Estratégico PIB
Planejamento Estratégico PIB
 
INICIAÇÃO CRISTÃ Nº01
INICIAÇÃO CRISTÃ Nº01INICIAÇÃO CRISTÃ Nº01
INICIAÇÃO CRISTÃ Nº01
 
Identidade Nazarena - M4
Identidade Nazarena - M4Identidade Nazarena - M4
Identidade Nazarena - M4
 
Carta pastoral ano da fé
Carta pastoral ano da féCarta pastoral ano da fé
Carta pastoral ano da fé
 
Carta - Ano da Fé - Outubro 2012
Carta - Ano da Fé - Outubro 2012Carta - Ano da Fé - Outubro 2012
Carta - Ano da Fé - Outubro 2012
 
Infonwes abril 2013 para impressao
Infonwes abril 2013 para impressaoInfonwes abril 2013 para impressao
Infonwes abril 2013 para impressao
 
O que e Igreja
O que e IgrejaO que e Igreja
O que e Igreja
 
Ibadep administracao e lideranca
Ibadep   administracao e liderancaIbadep   administracao e lideranca
Ibadep administracao e lideranca
 
Pastoral doutrina-espírito-santo
Pastoral doutrina-espírito-santoPastoral doutrina-espírito-santo
Pastoral doutrina-espírito-santo
 
Pastoral doutrina-espírito-santo
Pastoral doutrina-espírito-santoPastoral doutrina-espírito-santo
Pastoral doutrina-espírito-santo
 

Último

Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
marcusviniciussabino1
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
CleideTeles3
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
NEDIONOSSOMUNDO
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 

Último (14)

Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 

Visão seara - Igreja Seara Porto Alegre

  • 2. VISÃO SEARA IGREJA SEARA PORTO ALEGRE Índice 1 - Quem somos 2 – No que cremos 3 – Nós temos: A-Uma visão B-Uma missão C-Nossos Valores 4 – A nossa forma de ser Igreja Introdução: A-Baseada na grande comissão B-Em células C-Governo D-Organização 5 – Visão Seara – O jeito Seara de ser Igreja
  • 3. VISÃO SEARA IGREJA SEARA PORTO ALEGRE 1 – Quem somos - Somos uma igreja que nasceu no contexto da reforma protestante. Herdou valores como a exclusividade da salvação em Cristo Jesus (Rm 1:16, 17), a centralidade das Escrituras como Palavra de Deus (2Tm 3:16), a Fé como meio da Salvação (Ef 2:8,9) e a Graça como manifestação plena do amor de Deus pelo ser humano (Rm 3:22-24). - Somos uma igreja-família, que faz parte da família da fé, uma parte da igreja invisível que está ao redor mundo. - Somos um povo governado pelo Espirito Santo, que crê no seu agir e na eficácia de seus dons e, dessa forma, usado por Ele para testemunhar a respeito de Cristo. - Somos uma igreja que tem uma missão a realizar, uma visão a alcançar e valores a propagar. 2 – No que cremos a. Cremos em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: Pai, Filho e Espírito Santo, constituindo a Trindade; b. Cremos na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, tendo- a como única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão; c. Cremos na pecaminosidade do homem, que o destituiu da glória de Deus, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora do Senhor Jesus Cristo é que podem restaurá-lo; d. Cremos no nascimento virginal do Senhor Jesus Cristo, em Sua morte vicária e expiatória, em Sua ressurreição corporal dentre os mortos e Sua ascensão vitoriosa aos céus; e. Cremos na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé no Senhor Jesus Cristo e pelo poder atuante do
  • 4. VISÃO SEARA IGREJA SEARA PORTO ALEGRE Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus; f. Cremos no perdão dos pecados, na salvação presente e na perfeita e eterna justificação, recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício do Senhor Jesus Cristo em favor da humanidade; g. Cremos no batismo bíblico cristão, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo; h. Cremos na necessidade e na possibilidade de vivermos vida santa, mediante a obra expiatória e redentora do Senhor Jesus Cristo no Calvário, através do poder regenerador, inspirador e santificador do Espírito Santo; i. Cremos no Batismo no Espírito Santo, que nos é dado por Deus, mediante a intercessão do Senhor Jesus Cristo, de acordo com a Sua vontade; j. Cremos na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja, para sua edificação, consolação e exortação de acordo com a Sua soberana vontade; k. Cremos na forma de ser igreja que consta no novo testamento, a igreja primitiva; que se reuniam nas casas, as células, bem como no templo, nos cultos de celebração e treinamentos. l. Cremos na grande comissão do Senhor Jesus de fazermos discípulos de todas as nações. 3 – Nós temos A – Uma visão Ser uma igreja que cresce em qualidade e quantidade, através da plantação e multiplicação de igrejas, sendo uma igreja em vários locais.
  • 5. VISÃO SEARA IGREJA SEARA PORTO ALEGRE B - Missão Ganhar vidas para Jesus e cuidar bem delas através das células, discipulado, comunhão, ensino e a busca da presença de Deus C – Valores SALVAÇÃO Transformação de vidas, através do conhecimento e do Senhorio de Jesus Cristo. UNIDADE A igreja vivendo em comunhão, praticando o amor e misericórdia. ACOLHIMENTO Rápida e fácil assimilação de novos convertidos ao corpo de Cristo. CONSOLIDAÇÃO Fundamentação da fé em Cristo, através do ensino e da edificação na Palavra. DISCIPULADO Acompanhamento dedicado e individual de cada crente. INTIMIDADE Desenvolvimento pessoal de cada discípulo na vida de oração. ADORAÇÃO Pessoas louvam e glorificam a Deus em “espírito e em verdade”. SERVIÇO Cristãos comprometidos servindo ao Senhor de acordo com os dons dados pelo Espírito Santo. CÉLULAS A igreja se reunindo nas casas. MOVIMENTO Uma igreja que vive a grande comissão: de ir, a começar por aqui.
  • 6. VISÃO SEARA IGREJA SEARA PORTO ALEGRE 4 – A nossa forma de ser Igreja A - Uma Igreja baseada na grande comissão Somos uma igreja que procura viver de acordo com os ensinos e mandamentos de Jesus, o Senhor da Igreja. Desta forma a Igreja Seara, tem por base a grande comissão: o fazer discípulos de Jesus. Na Seara o discipulado é o encargo principal, porque cremos que a igreja é formada por discípulos de Jesus. Então, a nossa forma de ser igreja é baseada e centralizada no discipulado cristão, que funciona de forma individual, onde todos têm a oportunidade de serem cuidados e ensinados individualmente. Bem como a oportunidade de multiplicar esse processo: aqueles que estão sendo cuidados e discipulados têm a oportunidade de discipular e cuidar de outros. Cremos que essa multiplicação de discípulos gerada pelo Espírito Santo é o que traz o crescimento na vida da igreja. Em suma, a nossa prioridade é fazer discípulos que fazem discípulos, pelo poder do Espirito Santo. B – Em células Somos uma igreja em células, isso quer dizer que nos reunimos nas casas e no templo. A reunião nas casas chamamos de células, onde a vida da igreja acontece e é compartilhada. Vejamos algumas razões por que somos uma igreja em células:
  • 7. VISÃO SEARA IGREJA SEARA PORTO ALEGRE I. Porque a igreja deve crescer e se multiplicar. Assim como as células biológicas se juntam para formar o corpo humano, as células da igreja se juntam para formar o Corpo de Cristo. Do mesmo modo como o corpo humano cresce e se desenvolve através do processo de multiplicação celular (cada uma delas, ao atingir a maturidade, se multiplica em outras duas), a Igreja também cresce através da multiplicação de células sadias. II. Porque queremos ser uma igreja transformadora. Queremos ser um povo que conhece e vive plenamente a Verdade. Queremos ser uma comunidade que tem relacionamentos curados, que cresce na vida interior e transborda para o exterior, com o propósito de ganhar o nosso bairro, nossa cidade, nosso estado, nosso país e a nossa geração. Esta é a vocação da Igreja: ser uma família, ser um lugar onde há vida, libertação, cura e cuidado. As células são a nossa estratégia de conquista. III. Porque, para um crente crescer saudável, ele precisa de ouvir e de falar. Em Romanos 10:17 vemos que a fé vem pelo ouvir a Palavra. Quando participamos da escola de líderes e da reunião de celebração, o alvo é recebermos fé pelo ouvir. Por outro lado, se queremos crescer, precisamos também compartilhar o que ouvimos. É pelo falar que somos cheios do Espírito; é pelo falar que geramos, liberamos e ministramos vida! Nas reuniões de celebração ouvimos para recebermos fé e, nas reuniões da célula, falamos para crescermos em fé! Todos nós necessitamos de uma dieta espiritual equilibrada, que envolve ouvir e falar. IV. Porque a Igreja deve ser uma família. A Igreja, indiscutivelmente, não é o prédio onde nos reunimos. Ela é um edifício espiritual feito de pedras vivas que são as pessoas. A palavra de Deus nos diz que a Igreja é o corpo de Cristo na terra, membros ligados e unidos uns aos outros cumprindo o propósito de Deus de unidade.
  • 8. VISÃO SEARA IGREJA SEARA PORTO ALEGRE Entendemos que a igreja é formada por pais e filhos espirituais, discipuladores e discípulos. Não existe discipulado sem relacionamentos e todo relacionamento firmado nos princípios de Deus, traz cura e crescimento. De um modo geral, as pessoas estão carentes de amor e aceitação. Por isso, precisamos ser a resposta de Deus para os seus anseios. A igreja precisa ser uma grande família. A sociedade está cheia de pessoas feridas e desajustadas emocionalmente, as quais somente serão alcançadas através de um ambiente de amor e aceitação familiar. É justamente esta a visão que temos para as células de nossa igreja: que cada uma célula seja um grupo familiar, da família da fé, onde as pessoas são aceitas e amadas. Na mente de todo homem, o lar é o ponto de convergência - o lugar de aceitação e de expressão incondicionais, o lugar de amor e cuidado. A Igreja, dentre tantas ilustrações bíblicas, é um lar, que deve ter todas estas expressões de vida e amor. É por isso que somos uma igreja em células, porque desejamos ser um lugar de acolhimento em amor. Esse é o segredo da edificação da igreja e do seu crescimento. Mas, evidentemente esse padrão somente pode ser atingido nas reuniões da célula. É preciso enfatizar que a reunião da célula é tão importante quanto as reuniões gerais de celebração. Um crente que deixa de participar da célula está comprometendo o seu próprio crescimento espiritual, do mesmo modo que, aquele que deixa de participar da reunião geral de celebração, está se privando do alimento da fé. Nós precisamos desses dois tipos de reuniões para crescermos apropriadamente.
  • 9. VISÃO SEARA IGREJA SEARA PORTO ALEGRE C – Governo A Igreja Seara Porto Alegre tem a forma de governo episcopal, que é: o Pastor-Presidente tem todo poder de decisão em todos os níveis e áreas de atuação da igreja, quer seja pastoral, ministerial, social ou administrativa. Conforme a lei de nossa de nação solicita, a igreja possui uma diretoria, a qual tem por função auxiliar o Pastor- Presidente nas questões administrativas. A equipe pastoral, composta por pastores, locais ou auxiliares, também tem a função de auxiliar o Pastor- Presidente nas questões pastorais, ministeriais e sociais. D – Organização A Igreja Seara tem por sua forma de organização, o que chamamos de Visão Seara, a qual estaremos vendo na próxima parte desse livreto. 5 - Visão Seara O jeito Seara de ser Igreja. A Visão Seara é a forma que nós nos organizamos como igreja, baseado no que cremos e temos por visão, missão e valores.
  • 10. VISÃO SEARA IGREJA SEARA PORTO ALEGRE Os quatro pilares da visão Seara Discipulado – Células – Culto de Celebração – Tadel 1 – Discipulado - Acompanhamento dedicado e individual a cada crente. Aonde o discipulador tem a responsabilidade de cuidar e ensinar cada pessoa aos seus cuidados a serem mais parecidas com Jesus. Esse discipulado acontece, de preferência, dentro da mesma célula ou supervisão. Onde sugerimos um número saudável de quatro discípulos por discipulador. 2 – Células - São pequenos grupos onde aprendemos a desenvolver comunhão com Deus e com os irmãos. Nelas criamos vínculos fortes de amizade e encorajamento. Ali somos cuidados e pastoreados, além de descobrir nossos dons e talentos para servir a Deus e a Igreja. 3- Culto de Celebração - São reuniões de celebração onde a igreja local se reúne com o propósito de adorar a Deus, com cânticos, testemunhos, receber alimento e direção através da pregação da Palavra de Deus e, também, praticar a palavra de Deus através da Ceia do Senhor, ofertando e dizimando. 4 – Tadel - Uma reunião da igreja e para toda igreja, aonde acontece o treinamento dos discípulos de Jesus, para viverem a grande comissão.
  • 11. VISÃO SEARA IGREJA SEARA PORTO ALEGRE A nossa igreja é organizada por redes. Redes Missionais (células) e Redes Funcionais I- Redes de Células As redes de células têm por objetivo organizar os discipulados e células, bem como a supervisão dos tais. Sendo que a igreja só existe por causa dos discípulos de Jesus, para nós, essas redes são essenciais, porque nos ajudam no acompanhamento dos discípulos. A estrutura da rede de células. Para nos organizarmos melhor no quesito de discipulado e células, definimos uma estrutura de rede de célula. Célula: Um grupo pequeno de 5 á 15 pessoas. Anfitrião: Aquele que tem o privilégio de receber semanalmente a célula em sua casa. Líder em treinamento: Discípulo que está sendo treinado para liderar e tem a função de auxiliar o líder de célula. Líder: Discípulo que tem a função e responsabilidade de liderar a célula, isto é, fazer que a vida de Deus flua na célula e através da célula. Cuidar e pastorear os membros da célula, bem como supervisionar os discipulados que acontecem dentro dela.
  • 12. VISÃO SEARA IGREJA SEARA PORTO ALEGRE Supervisor de Células: Líder que tem a função de supervisionar e auxiliar os líderes de célula da sua supervisão. Estabelecemos um número ideal de quatro células para cada supervisão. Supervisor de Setor: Supervisor que tem a função de supervisionar e auxiliar os Supervisores de Células da sua supervisão. Estabelecemos um número ideal de quatro Supervisões de Células para cada Supervisão de Setor. Supervisor de Rede: Supervisor que tem a função de supervisionar e auxiliar os Supervisores de Setor da sua supervisão. Estabelecemos um número ideal de quatro Supervisões de Setor para cada Supervisão de Rede. II – Redes Funcionais As redes funcionais, são redes que tem funções especificas. Rede de Crianças: Responsável pela organização dos cultos infantis e eventos para crianças. Rede de Casais: Responsável por promover eventos e meios para promover o bem-estar dos casais da igreja. Rede de Ensino: Responsável por promover e gerir os cursos da EMS (Escola Ministerial Seara) Rede de Jovens: Responsável pela organização das reuniões de Jovens e eventos.
  • 13. VISÃO SEARA IGREJA SEARA PORTO ALEGRE Rede de Adolescentes: Responsável pela organização das reuniões de Adolescentes e eventos. Rede de Homens: Responsável pela organização das reuniões de homens e eventos. Rede de mulheres: Responsável pela organização das reuniões de mulheres e eventos. Rede de Louvor e Adoração: Responsável pela organização dos ministérios de artes da igreja e eventos. www.igrejasearapoa.com igrejasearaportoalegre@gmail.com Fone: (51) 8122-0231 Anderson Menger Pastor-Presidente