SlideShare uma empresa Scribd logo
COMBATENDO A VIOLÊNCIA
SEXUAL INFANTO-JUVENIL:
CONSCIENTIZAÇÃO,
PREVENÇÃO E INTERVENÇÃO.
A IMPORTANCIA DA
CAMPANHA NACIONAL DE
COMBATE AO ABUSO E
EXPLORAÇÃO SEXUAL DE
CRIANÇAS E ADOLESCENTES
O Dia Nacional de Combate ao Abuso e à
Exploração Sexual Infantil é realizado
anualmente no dia 18 de maio. Com o objetivo
de mobilizar a sociedade brasileira e convocá-la
para o engajamento contra a violação dos
direitos sexuais de crianças e adolescentes.
Essa data é fundamental para destacar a
importância da conscientização, prevenção e
proteção das crianças contra essa forma de
violência. A campanha destaca a urgência de
enfrentar o problema, capacitando as pessoas
para identificar sinais, quebrando tabus e
garantindo apoio às vítimas. Além disso, ela
pressiona por políticas públicas eficazes e uma
resposta rápida das autoridades.
O QUE É VIOLÊNCIA
SEXUAL
INFANTOJUVENIL
A violência sexual infantojuvenil é
qualquer forma de abuso sexual
perpetrada contra crianças e
adolescentes. Isso pode incluir uma
variedade de comportamentos, como
toques inapropriados, exposição
indecente, coerção sexual, exploração
sexual, estupro e outros atos sexuais
não consentidos.
• ABUSO SEXUAL -Prática sexual contra
crianças e adolescentes; Na maioria das vezes,
o abusador possui algum vínculo com a vítima
(pai, mãe, padrasto, vizinho, babá, tios, irmãos
mais velhos, amigos da família, professores)
• EXPLORAÇÃO SEXUAL - O agente visa o lucro;
Há intermediação ou aliciamento; produção
de material pornográfico infantil (filmes,
vídeos, fotos, sites)
QUAL A DIFERENÇA ENTRE
ABUSO SEXUAL E
EXPLORAÇÃO SEXUAL DE
CRIANÇAS E ADOLESCENTES
Existem diferentes tipos de
abuso sexual que podem ser
perpetrados contra crianças e
adolescentes. Estes incluem:
TIPOS DE ABUSO
SEXUAL QUE PODEM
OCORRER
• Abuso físico
• Abuso emocional
• Abuso verbal
• Exploração sexual online
• Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), estima-se que 1
em cada 4 meninas e 1 em cada 6 meninos em todo o mundo
são vítimas de abuso sexual antes dos 18 anos.
• Um estudo recente conduzido pelo Centro Nacional de
Estatísticas de Saúde (NCHS) dos Estados Unidos revelou que
cerca de 1 em cada 9 meninas e 1 em cada 53 meninos
experimentam abuso sexual ou tentativa de abuso sexual por um
adulto durante a infância ou adolescência.
• No Brasil, dados do Disque 100, serviço de denúncias de violações
de direitos humanos, indicam que a cada hora, cerca de 5 casos
de violência sexual contra crianças e adolescentes são registrados.
Estatísticas e Prevalência
ALTERAÇÕES NA POLITICA NACIONAL DE COMBATE
AO ABUSO E EXPLORAÇÃO SEXUAL
A nova lei (Lei 14.811, de 2024) inclui na lista de crimes
hediondos:
• Agenciar, facilitar, recrutar, coagir ou intermediar a participação de
criança ou adolescente em imagens pornográficas;
• Adquirir, possuir ou armazenar imagem pornográfica com criança ou
adolescente;
• Sequestrar ou manter em cárcere privado crianças e adolescentes;
• Traficar pessoas menores de 18 anos.
PERFIL E COMPORTAMENTO DO ABUSADOR
SEXUAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES
O perfil e comportamento
do abusador sexual de
crianças e adolescentes
podem variar
significativamente, mas
existem algumas
características comuns
observadas em muitos casos.
Aqui estão algumas delas:
• Confiabilidade Aparente
• Manipulação e Sedução
• Isolamento
• Ameaças e Coação
• Exploração de
Vulnerabilidades
• Preparação e
Planejamento
• Recorrência do
Comportamento
DESTAQUE PARA A GRAVIDADE
DO PROBLEMA GLOBAL E
LOCALMENTE
A violência sexual infantojuvenil não é apenas um
problema distante e abstrato; é uma realidade que
afeta comunidades em todo o mundo, incluindo a
nossa. Embora as estatísticas globais forneçam
uma visão ampla do problema, é igualmente
importante examinar a situação localmente e
reconhecer que essa violência está ocorrendo em
nossas próprias comunidades.
FATORES DE RISCO E VULNERABILIDADE
Vários fatores podem aumentar o risco de
uma criança ou adolescente se tornar vítima
de violência sexual. É importante reconhecer
e entender esses fatores para implementar
estratégias eficazes de prevenção. Alguns
dos fatores de risco comuns incluem:
• Vulnerabilidade socioeconômica
• Histórico de abuso ou negligência
• Fatores familiares disfuncionais
• Falta de educação sexual e conscientização sobre
abuso
• Isolamento social
IMPORTÂNCIA DE RECONHECER
ESSES FATORES PARA
PREVENIR A VIOLÊNCIA
Ao reconhecer os fatores de risco e vulnerabilidade
associados à violência sexual infantojuvenil, podemos
desenvolver estratégias de prevenção mais eficazes e
direcionadas.
Isso inclui investir em programas de educação sexual
abrangente, fortalecer redes de apoio social e familiar,
fornecer recursos e suporte para famílias em situações
de risco e capacitar crianças e adolescentes com
conhecimento sobre seus corpos, direitos e como
reconhecer e relatar abuso.
IMPACTO NA VÍTIMA
A violência sexual infantojuvenil
não apenas causa danos físicos
imediatos, mas também deixa
cicatrizes profundas e
duradouras nas vítimas.
• Efeitos físicos
• Efeitos emocionais e psicológicos
• Efeitos sociais
SINAIS DE ABUSO
Os sinais de abuso sexual em crianças e adolescentes podem variar amplamente e nem todas as vítimas
exibirão os mesmos sinais. No entanto, aqui estão alguns sinais que podem indicar a ocorrência de abuso
sexual:
SINAIS RELACIONAIS E SOCIAIS:
• Dificuldade em estabelecer ou
manter relacionamentos
saudáveis.
• Aversão a atividades ou interações
que antes eram prazerosas.
• Comportamento autodestrutivo,
como abuso de substâncias.
• Tentativas de fugir de casa.
• Comportamento excessivamente
protetor ou preocupação com
irmãos mais novos.
SINAIS FÍSICOS:
• Lesões genitais, anais ou bucais
inexplicáveis.
• Sangramento vaginal ou anal sem
motivo aparente.
• Infecções recorrentes na área genital
ou urinária.
• Ferimentos ou contusões em outras
partes do corpo.
• Dor ou dificuldade ao andar ou
sentar.
• Gravidez em idade precoce.
• SINAIS EMOCIONAIS E COMPORTAMENTAIS:
• Mudanças repentinas no comportamento, como
isolamento, agressividade ou regressão a
comportamentos infantis.
• Pesadelos frequentes ou medo de dormir
sozinho.
• Evitação de situações ou pessoas específicas,
como um cuidador ou um lugar onde ocorreu o
abuso.
• Comportamento sexualmente explícito ou
inapropriado para a idade.
• Repulsa a toques físicos ou contato íntimo.
• Depressão, ansiedade, baixa autoestima ou
autolesão.
• Dificuldade de concentração ou queda no
desempenho escolar.
• Mudanças repentinas no apetite ou no sono.
IMPORTÂNCIA DE ESTAR ATENTO
E SABER COMO RESPONDER A
ESSES SINAIS
É crucial que adultos estejam atentos
aos sinais de abuso sexual infantil e
saibam como responder de maneira
apropriada e eficaz.
• Acreditar e apoiar a criança
• Denunciar suspeitas de abuso
• Buscar ajuda profissional
• Promover ambientes seguros e
de apoio
ESTRATÉGIA DE PREVENÇÃO
A prevenção é fundamental para proteger
as crianças e adolescentes contra a
violência sexual.
• Educação sexual abrangente
• Conscientização sobre consentimento
• Promoção de relacionamentos saudáveis
• Desenvolvimento de habilidades de
autoestima e assertividade
• Promoção de ambientes seguros e de
apoio
PAPEL DA COMUNIDADE
O papel da comunidade é fundamental
na prevenção e combate à violência
sexual.
• Educação e Conscientização
• Fornecer Apoio e Recursos
• Denunciar Casos de Abuso
• Advogar por Mudanças
Chamado à ação
• Educadores
• Pais e Familiares
• Profissionais de Saúde
• Líderes Comunitários
• Centros de Referência em
Assistência Social (CRAS)
• Centros de Referência
Especializados de Assistência
Social (CREAS)
• Centros de Acolhimento
• Incentivo para buscar apoio e
ajuda quando necessário
Centros de Atendimento a
Vítimas:
• Disque 100 (Brasil)
• Polícia Civil ou Militar
É crucial conhecer os
recursos disponíveis
para vítimas de
violência sexual e suas
famílias.
Recursos Disponíveis
Agradecimentos
Finais
• Sessão de Perguntas e Respostas
Obrigado!
REFERÊNCIAS
• https://bvsms.saude.gov.br/18-5-dia-nacional-de-combate-ao-abuso-e-exploracao-sexual-de-criancas-e-
adolescentes/#:~:text=Com%20a%20repercuss%C3%A3o%20do%20caso,Sexual%20de%20Crian%C3%A7as%20e%20Adolescentes.
• https://bvsms.saude.gov.br/18-5-dia-nacional-de-combate-ao-abuso-e-exploracao-sexual-de-criancas-e-adolescentes/#:~:text=IN%C3%8DCIO-
,18%2F5%20%E2%80%93%20Dia%20Nacional%20de%20Combate%20ao%20Abuso%20e%20Explora%C3%A7%C3%A3o,Sexual%20de%20Crian%C3%
A7as%20e%20Adolescentes
• https://www.mpsc.mp.br/combate-a-violencia-e-a-exploracao-sexual-infanto-juvenil/como-agir-ou-prevenir-os-casos-de-violencia-sexual-
infantojuvenil#:~:text=converse%20de%20um%20jeito%20simples,de%20uma%20situa%C3%A7%C3%A3o%20dif%C3%ADcil%3B%20e
• https://www.unicef.org/brazil/cinco-dicas-para-proteger-criancas-e-adolescentes-da-violencia-em-tempos-de-coronavirus
• https://www.gov.br/mdh/pt-br/assuntos/noticias/2021/maio/CartilhaMaioLaranja2021.pdf
• https://revistadaquebrada.com.br/como-prevenir-a-violencia-sexual/
• htps://www.mpdft.mp.br/portal/pdf/unidades/promotorias/pdij/Publicacoes/Guia-de-Referencia.pdf
• https://www.scielo.br/j/cebape/a/4bkf3bhqHYNQx7cjQcJsTRb/
• https://prefeitura.pbh.gov.br/smasac/eventos/maio-laranja
• https://www2.mppa.mp.br/areas/institucional/cao/infancia/dia-nacional-de-combate-ao-abuso-e-a-exploracao-sexual-de-criancas-e-
adolescentes.htm
• http://blog.mds.gov.br/redesuas/18-de-maio-combate-ao-abuso-e-a-exploracao-sexual-contra-criancas-e-adolescentes/

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Violencia-sexual-infanto-juvenil-Apresentacao-3_5ef8c1ba8f8c4b8092347b181d5ad379.pptx

Cartilha violencia contra_criancas_adolescentes_web
Cartilha violencia contra_criancas_adolescentes_webCartilha violencia contra_criancas_adolescentes_web
Cartilha violencia contra_criancas_adolescentes_web
Rosemary Batista
 
Prostituição ou Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes
Prostituição ou Exploração Sexual de Crianças e AdolescentesProstituição ou Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes
Prostituição ou Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes
SousaLeitee
 
Abuso
AbusoAbuso
Adriananunancom abuso sexual
Adriananunancom abuso sexualAdriananunancom abuso sexual
Adriananunancom abuso sexual
ana311982
 
-Apresentação_Abuso-Infantil.pptx
-Apresentação_Abuso-Infantil.pptx-Apresentação_Abuso-Infantil.pptx
-Apresentação_Abuso-Infantil.pptx
WilnaMargelaOliveira1
 
Aula sobre violência contra crianças
Aula sobre violência contra criançasAula sobre violência contra crianças
Aula sobre violência contra crianças
Diego Alvarez
 
Cartilha-abuso.pdf
Cartilha-abuso.pdfCartilha-abuso.pdf
Cartilha-abuso.pdf
GabrieleMachado16
 
Revista quebrando silencio 2019
Revista quebrando silencio 2019 Revista quebrando silencio 2019
Revista quebrando silencio 2019
Rogerio Sena
 
Violência infantil
Violência infantilViolência infantil
Violência infantil
Beatriz Miranda
 
Abuso sexual - seminários (1).pdf
Abuso sexual - seminários (1).pdfAbuso sexual - seminários (1).pdf
Abuso sexual - seminários (1).pdf
LauraCarolina56
 
Infancia violentada (aprovado)
Infancia violentada (aprovado)Infancia violentada (aprovado)
Infancia violentada (aprovado)
PrLinaldo Junior
 
Abuso sexual - PROFESSORA ALISANDRA SANTOS
Abuso sexual - PROFESSORA ALISANDRA SANTOSAbuso sexual - PROFESSORA ALISANDRA SANTOS
Abuso sexual - PROFESSORA ALISANDRA SANTOS
AlisandraOliveira2
 
Artigo2
Artigo2Artigo2
Viol€ ¢ãªncia envolvendo crian€ ¢ã§as e adole
Viol€ ¢ãªncia envolvendo crian€ ¢ã§as e adoleViol€ ¢ãªncia envolvendo crian€ ¢ã§as e adole
Viol€ ¢ãªncia envolvendo crian€ ¢ã§as e adole
jorge luiz dos santos de souza
 
Cartilha 2
Cartilha 2Cartilha 2
Cartilha 2
LLidiana
 
Cartilha de combate ao abuso infantil
Cartilha de combate ao abuso infantilCartilha de combate ao abuso infantil
Cartilha de combate ao abuso infantil
Atlantic Energias Renováveis
 
abuso sexual -kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
abuso sexual -kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkabuso sexual -kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
abuso sexual -kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
crasPREFNOVARESENDE
 
abuso sexxual
abuso sexxualabuso sexxual
abuso sexxual
Lucas Carvalho Silva
 
Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)
Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)
Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)
Maria Antonia
 
Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)
Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)
Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)
Maria Antonia
 

Semelhante a Violencia-sexual-infanto-juvenil-Apresentacao-3_5ef8c1ba8f8c4b8092347b181d5ad379.pptx (20)

Cartilha violencia contra_criancas_adolescentes_web
Cartilha violencia contra_criancas_adolescentes_webCartilha violencia contra_criancas_adolescentes_web
Cartilha violencia contra_criancas_adolescentes_web
 
Prostituição ou Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes
Prostituição ou Exploração Sexual de Crianças e AdolescentesProstituição ou Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes
Prostituição ou Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes
 
Abuso
AbusoAbuso
Abuso
 
Adriananunancom abuso sexual
Adriananunancom abuso sexualAdriananunancom abuso sexual
Adriananunancom abuso sexual
 
-Apresentação_Abuso-Infantil.pptx
-Apresentação_Abuso-Infantil.pptx-Apresentação_Abuso-Infantil.pptx
-Apresentação_Abuso-Infantil.pptx
 
Aula sobre violência contra crianças
Aula sobre violência contra criançasAula sobre violência contra crianças
Aula sobre violência contra crianças
 
Cartilha-abuso.pdf
Cartilha-abuso.pdfCartilha-abuso.pdf
Cartilha-abuso.pdf
 
Revista quebrando silencio 2019
Revista quebrando silencio 2019 Revista quebrando silencio 2019
Revista quebrando silencio 2019
 
Violência infantil
Violência infantilViolência infantil
Violência infantil
 
Abuso sexual - seminários (1).pdf
Abuso sexual - seminários (1).pdfAbuso sexual - seminários (1).pdf
Abuso sexual - seminários (1).pdf
 
Infancia violentada (aprovado)
Infancia violentada (aprovado)Infancia violentada (aprovado)
Infancia violentada (aprovado)
 
Abuso sexual - PROFESSORA ALISANDRA SANTOS
Abuso sexual - PROFESSORA ALISANDRA SANTOSAbuso sexual - PROFESSORA ALISANDRA SANTOS
Abuso sexual - PROFESSORA ALISANDRA SANTOS
 
Artigo2
Artigo2Artigo2
Artigo2
 
Viol€ ¢ãªncia envolvendo crian€ ¢ã§as e adole
Viol€ ¢ãªncia envolvendo crian€ ¢ã§as e adoleViol€ ¢ãªncia envolvendo crian€ ¢ã§as e adole
Viol€ ¢ãªncia envolvendo crian€ ¢ã§as e adole
 
Cartilha 2
Cartilha 2Cartilha 2
Cartilha 2
 
Cartilha de combate ao abuso infantil
Cartilha de combate ao abuso infantilCartilha de combate ao abuso infantil
Cartilha de combate ao abuso infantil
 
abuso sexual -kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
abuso sexual -kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkabuso sexual -kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
abuso sexual -kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
 
abuso sexxual
abuso sexxualabuso sexxual
abuso sexxual
 
Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)
Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)
Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)
 
Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)
Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)
Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)
 

Último

Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p..._jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
marcos oliveira
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
antonio carlos
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p..._jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 

Violencia-sexual-infanto-juvenil-Apresentacao-3_5ef8c1ba8f8c4b8092347b181d5ad379.pptx

  • 1. COMBATENDO A VIOLÊNCIA SEXUAL INFANTO-JUVENIL: CONSCIENTIZAÇÃO, PREVENÇÃO E INTERVENÇÃO.
  • 2. A IMPORTANCIA DA CAMPANHA NACIONAL DE COMBATE AO ABUSO E EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES O Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual Infantil é realizado anualmente no dia 18 de maio. Com o objetivo de mobilizar a sociedade brasileira e convocá-la para o engajamento contra a violação dos direitos sexuais de crianças e adolescentes. Essa data é fundamental para destacar a importância da conscientização, prevenção e proteção das crianças contra essa forma de violência. A campanha destaca a urgência de enfrentar o problema, capacitando as pessoas para identificar sinais, quebrando tabus e garantindo apoio às vítimas. Além disso, ela pressiona por políticas públicas eficazes e uma resposta rápida das autoridades.
  • 3. O QUE É VIOLÊNCIA SEXUAL INFANTOJUVENIL A violência sexual infantojuvenil é qualquer forma de abuso sexual perpetrada contra crianças e adolescentes. Isso pode incluir uma variedade de comportamentos, como toques inapropriados, exposição indecente, coerção sexual, exploração sexual, estupro e outros atos sexuais não consentidos.
  • 4. • ABUSO SEXUAL -Prática sexual contra crianças e adolescentes; Na maioria das vezes, o abusador possui algum vínculo com a vítima (pai, mãe, padrasto, vizinho, babá, tios, irmãos mais velhos, amigos da família, professores) • EXPLORAÇÃO SEXUAL - O agente visa o lucro; Há intermediação ou aliciamento; produção de material pornográfico infantil (filmes, vídeos, fotos, sites) QUAL A DIFERENÇA ENTRE ABUSO SEXUAL E EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES
  • 5. Existem diferentes tipos de abuso sexual que podem ser perpetrados contra crianças e adolescentes. Estes incluem: TIPOS DE ABUSO SEXUAL QUE PODEM OCORRER • Abuso físico • Abuso emocional • Abuso verbal • Exploração sexual online
  • 6. • Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), estima-se que 1 em cada 4 meninas e 1 em cada 6 meninos em todo o mundo são vítimas de abuso sexual antes dos 18 anos. • Um estudo recente conduzido pelo Centro Nacional de Estatísticas de Saúde (NCHS) dos Estados Unidos revelou que cerca de 1 em cada 9 meninas e 1 em cada 53 meninos experimentam abuso sexual ou tentativa de abuso sexual por um adulto durante a infância ou adolescência. • No Brasil, dados do Disque 100, serviço de denúncias de violações de direitos humanos, indicam que a cada hora, cerca de 5 casos de violência sexual contra crianças e adolescentes são registrados. Estatísticas e Prevalência
  • 7. ALTERAÇÕES NA POLITICA NACIONAL DE COMBATE AO ABUSO E EXPLORAÇÃO SEXUAL A nova lei (Lei 14.811, de 2024) inclui na lista de crimes hediondos: • Agenciar, facilitar, recrutar, coagir ou intermediar a participação de criança ou adolescente em imagens pornográficas; • Adquirir, possuir ou armazenar imagem pornográfica com criança ou adolescente; • Sequestrar ou manter em cárcere privado crianças e adolescentes; • Traficar pessoas menores de 18 anos.
  • 8. PERFIL E COMPORTAMENTO DO ABUSADOR SEXUAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES O perfil e comportamento do abusador sexual de crianças e adolescentes podem variar significativamente, mas existem algumas características comuns observadas em muitos casos. Aqui estão algumas delas: • Confiabilidade Aparente • Manipulação e Sedução • Isolamento • Ameaças e Coação • Exploração de Vulnerabilidades • Preparação e Planejamento • Recorrência do Comportamento
  • 9. DESTAQUE PARA A GRAVIDADE DO PROBLEMA GLOBAL E LOCALMENTE A violência sexual infantojuvenil não é apenas um problema distante e abstrato; é uma realidade que afeta comunidades em todo o mundo, incluindo a nossa. Embora as estatísticas globais forneçam uma visão ampla do problema, é igualmente importante examinar a situação localmente e reconhecer que essa violência está ocorrendo em nossas próprias comunidades.
  • 10. FATORES DE RISCO E VULNERABILIDADE Vários fatores podem aumentar o risco de uma criança ou adolescente se tornar vítima de violência sexual. É importante reconhecer e entender esses fatores para implementar estratégias eficazes de prevenção. Alguns dos fatores de risco comuns incluem: • Vulnerabilidade socioeconômica • Histórico de abuso ou negligência • Fatores familiares disfuncionais • Falta de educação sexual e conscientização sobre abuso • Isolamento social
  • 11. IMPORTÂNCIA DE RECONHECER ESSES FATORES PARA PREVENIR A VIOLÊNCIA Ao reconhecer os fatores de risco e vulnerabilidade associados à violência sexual infantojuvenil, podemos desenvolver estratégias de prevenção mais eficazes e direcionadas. Isso inclui investir em programas de educação sexual abrangente, fortalecer redes de apoio social e familiar, fornecer recursos e suporte para famílias em situações de risco e capacitar crianças e adolescentes com conhecimento sobre seus corpos, direitos e como reconhecer e relatar abuso.
  • 12. IMPACTO NA VÍTIMA A violência sexual infantojuvenil não apenas causa danos físicos imediatos, mas também deixa cicatrizes profundas e duradouras nas vítimas. • Efeitos físicos • Efeitos emocionais e psicológicos • Efeitos sociais
  • 13. SINAIS DE ABUSO Os sinais de abuso sexual em crianças e adolescentes podem variar amplamente e nem todas as vítimas exibirão os mesmos sinais. No entanto, aqui estão alguns sinais que podem indicar a ocorrência de abuso sexual: SINAIS RELACIONAIS E SOCIAIS: • Dificuldade em estabelecer ou manter relacionamentos saudáveis. • Aversão a atividades ou interações que antes eram prazerosas. • Comportamento autodestrutivo, como abuso de substâncias. • Tentativas de fugir de casa. • Comportamento excessivamente protetor ou preocupação com irmãos mais novos. SINAIS FÍSICOS: • Lesões genitais, anais ou bucais inexplicáveis. • Sangramento vaginal ou anal sem motivo aparente. • Infecções recorrentes na área genital ou urinária. • Ferimentos ou contusões em outras partes do corpo. • Dor ou dificuldade ao andar ou sentar. • Gravidez em idade precoce. • SINAIS EMOCIONAIS E COMPORTAMENTAIS: • Mudanças repentinas no comportamento, como isolamento, agressividade ou regressão a comportamentos infantis. • Pesadelos frequentes ou medo de dormir sozinho. • Evitação de situações ou pessoas específicas, como um cuidador ou um lugar onde ocorreu o abuso. • Comportamento sexualmente explícito ou inapropriado para a idade. • Repulsa a toques físicos ou contato íntimo. • Depressão, ansiedade, baixa autoestima ou autolesão. • Dificuldade de concentração ou queda no desempenho escolar. • Mudanças repentinas no apetite ou no sono.
  • 14. IMPORTÂNCIA DE ESTAR ATENTO E SABER COMO RESPONDER A ESSES SINAIS É crucial que adultos estejam atentos aos sinais de abuso sexual infantil e saibam como responder de maneira apropriada e eficaz. • Acreditar e apoiar a criança • Denunciar suspeitas de abuso • Buscar ajuda profissional • Promover ambientes seguros e de apoio
  • 15. ESTRATÉGIA DE PREVENÇÃO A prevenção é fundamental para proteger as crianças e adolescentes contra a violência sexual. • Educação sexual abrangente • Conscientização sobre consentimento • Promoção de relacionamentos saudáveis • Desenvolvimento de habilidades de autoestima e assertividade • Promoção de ambientes seguros e de apoio
  • 16. PAPEL DA COMUNIDADE O papel da comunidade é fundamental na prevenção e combate à violência sexual. • Educação e Conscientização • Fornecer Apoio e Recursos • Denunciar Casos de Abuso • Advogar por Mudanças Chamado à ação • Educadores • Pais e Familiares • Profissionais de Saúde • Líderes Comunitários
  • 17. • Centros de Referência em Assistência Social (CRAS) • Centros de Referência Especializados de Assistência Social (CREAS) • Centros de Acolhimento • Incentivo para buscar apoio e ajuda quando necessário Centros de Atendimento a Vítimas: • Disque 100 (Brasil) • Polícia Civil ou Militar É crucial conhecer os recursos disponíveis para vítimas de violência sexual e suas famílias. Recursos Disponíveis
  • 18. Agradecimentos Finais • Sessão de Perguntas e Respostas
  • 20. REFERÊNCIAS • https://bvsms.saude.gov.br/18-5-dia-nacional-de-combate-ao-abuso-e-exploracao-sexual-de-criancas-e- adolescentes/#:~:text=Com%20a%20repercuss%C3%A3o%20do%20caso,Sexual%20de%20Crian%C3%A7as%20e%20Adolescentes. • https://bvsms.saude.gov.br/18-5-dia-nacional-de-combate-ao-abuso-e-exploracao-sexual-de-criancas-e-adolescentes/#:~:text=IN%C3%8DCIO- ,18%2F5%20%E2%80%93%20Dia%20Nacional%20de%20Combate%20ao%20Abuso%20e%20Explora%C3%A7%C3%A3o,Sexual%20de%20Crian%C3% A7as%20e%20Adolescentes • https://www.mpsc.mp.br/combate-a-violencia-e-a-exploracao-sexual-infanto-juvenil/como-agir-ou-prevenir-os-casos-de-violencia-sexual- infantojuvenil#:~:text=converse%20de%20um%20jeito%20simples,de%20uma%20situa%C3%A7%C3%A3o%20dif%C3%ADcil%3B%20e • https://www.unicef.org/brazil/cinco-dicas-para-proteger-criancas-e-adolescentes-da-violencia-em-tempos-de-coronavirus • https://www.gov.br/mdh/pt-br/assuntos/noticias/2021/maio/CartilhaMaioLaranja2021.pdf • https://revistadaquebrada.com.br/como-prevenir-a-violencia-sexual/ • htps://www.mpdft.mp.br/portal/pdf/unidades/promotorias/pdij/Publicacoes/Guia-de-Referencia.pdf • https://www.scielo.br/j/cebape/a/4bkf3bhqHYNQx7cjQcJsTRb/ • https://prefeitura.pbh.gov.br/smasac/eventos/maio-laranja • https://www2.mppa.mp.br/areas/institucional/cao/infancia/dia-nacional-de-combate-ao-abuso-e-a-exploracao-sexual-de-criancas-e- adolescentes.htm • http://blog.mds.gov.br/redesuas/18-de-maio-combate-ao-abuso-e-a-exploracao-sexual-contra-criancas-e-adolescentes/