SlideShare uma empresa Scribd logo
ENCARTE DO LIVRO – ESTUDO APLICADO

     www.katcavernum.com.br
 www.twitter.com/katcavernum
02 – allencar rodriguez


 1 – MANIFESTO

 Texto argumentativo:
 ◊argumentação, expressão de opiniões

 Intencionalidade comunicativa:
 ◊persuasiva cujo objetivo é impactar a opinião pública

 Componentes lingüísticos:
 ◊verbos no presente do indicativo (vamos – temos – queremos – lutamos) ou no
 imperativo (veja – lute – conquiste).



   Define-se Manifesto como um texto de natureza dissertativa e persuasiva. Seu
 objetivo é impactar a opinião pública, então a linguagem persuasiva é fundamental.
 Junto a isso, deve ter argumentos convincentes e expositivos que deverá enfatizar
 os aspectos positivos do assunto ou deverá fazer um apelo emocional sobre uma
 situação. Porém não há uma estrutura fixa a ser seguida, neste texto dissertativo a
 linguagem deve estar de acordo com o público alvo, no entanto não utilize gírias,
 tampouco palavras de baixo calão.

   Quando se trata de emoção, o manifesto levanta argumentos sobre algo que já é
 polêmico, a fim de despertar indignação, revolta e protestos.

   Deixe bem claro o problema discutido, a análise pessoal a respeito do problema e
 os argumentos que justificam a escrita do manifesto. Por ser um texto dissertativo
 siga a estrutura dada nesse livro. Geralmente os verbos estão ou no presente do
 indicativo (vamos, temos, queremos, lutamos) ou no imperativo (veja, lute,
 conquiste).

   Estrutura do Manifesto:

   Título – Local – Data – Assinatura no final (sem identificar seu nome –   se você
 identificar seu nome a sua redação poderá ser anulada).
 PROPOSTA

 Leia o excerto abaixo tirado do livro “Contornos Projetivos das Dificuldades de
 Aprendizagem Uma Abordagem Psicopedagógica Psicanalítica Winnicottiana”.
 Imagine que você é mãe/pai de um aluno e ao conhecer o índice Saresp das
 escolas de seu bairro, resolveu fazer um manifesto e decidiu divulgá-lo na sua
 comunidade. Esse manifesto deverá, necessariamente:
estudo aplicado redação                                           03


• evidenciar sua insatisfação pelos gestores da unidade escolar e justificando o
motivo do baixo índice do Saresp;
e
• convocará os leitores a aderir à causa pela otimização de três projetos
pedagógicos no contexto da socialização, adolescência e saúde.


  Todo     ano    a    incompetência   da    unidade    escolar   no    processo
ensino/aprendizagem/gestão é representada, em parte, pelo Índice do
Desenvolvimento Escolar (Idesp). Digo em parte, pois dentro do parâmetro de sua
avaliação, além das provas objetivas que incluem Português, Matemática e
Ciências, é considerado também o Fluxo Escolar¹. Nesse caso podemos dizer que os
números da evasão são reais da mesma forma que os números dos repetentes. Já,
o número estatísticos dos promovidos é norteado pela necessidade do gestor
(diretor(a) da escola) em manter seus índices de aprovação o qual incide
diretamente na quantidade de bônus que todos da escola receberão, portanto,
esses números são falsos, maquiados, envergonhados.

  Nesse contexto a tão sonhada Progressão Continuada² idealizada por Paulo
Freire³ dá lugar à Promoção Continuada4. Dezenas de alunos são promovidos sem
atingir os objetivos reais da Progressão Continuada entre elas benefícios quanto a
diminuição efetiva da evasão escolar, inovações didáticos/pedagógicas, mudança no
comportamento do aluno, real diminuição dos índices de repetência decorrente do
cumprimento explícito em seu próprio nome “Progressão Continuada” o que
significa promover ao aluno um ensino de qualidade, inclusão e igualdade de
oportunidades e produção de conhecimentos. Se para esses alunos o futuro
acadêmico, econômico e social é, certamente, nebuloso podemos então construir
uma hipótese real àqueles que dentro de um contexto tão fraco no âmbito da
formação de elementos que possam representar perante a sociedade sua cidadania
com questionamentos críticos, compreensão e reflexão de mundo e promover
mudanças apresentarem já no início de suas vidas acadêmicas dificuldades de
aprendizagem no âmbito da leitura, escrita e cálculo e são promovidos junto aos
que não adquirem um mínimo de conhecimento cognitivo e vêem a escola como
referencial de desenvolvimento e progresso.
1
  Fluxo escolar: análise do comportamento da progressão dos alunos em relação à sua
condição de promovido, repetente ou evadido.
2
    Progressão Continuada: regime educacional que leva em consideração o progresso do aluno
3
  Educador brasileiro que se destacou por seu trabalho na área da educação popular, voltada
tanto para a escolarização como para a formação da consciência.
4
    Uma idéia distorcida da Progressão Continuada

      Contornos projetivos das dificuldades de aprendizagem. Allencar Rodriguez – 1ª edição – São Paulo:
                                                                                      Ecel Editora,2009.
04        allencar Rodriguez


 Veja exemplo de um manifesto:
                     A DE(GESTÃO) DA UNIDADE ESCOLAR

   A incompetência no setor da educação, muito claro explicitado no excerto
 apresentado, é grotesca em todos os seus setores no que diz respeito à educação
 pública básica até o ensino médio. Dentro desse contexto podemos inserir também
 o atual exame do ENEM. Isso reforça o propósito desse manifesto: se nem uma
 prova confiável o governo federal tem a capacidade de elaborar imaginemos então
 como fica a gestão da unidade escolar.

   Há tempos um indivíduo faz uma graduação numa “faculdadezinha” de final de
 semana, depois compra uma apostila de concursos numa banca de jornal, presta
 um concurso para professor e depois de um tempo já como “professor” compra
 outra apostila ou faz um curso qualquer presta um novo concurso e se torna gestor.
 Isto é, um incompetente gestor, digno de sua formação, de uma relevante
 instituição social: a de ensino.

   Daí é fácil verificar, pelos índices, os semi-analfabetos que terminam o ensino
 médio e são aprovados ao longo do processo escolar. Muitos aprovados por um
 incompetente conselho de classe sob a pressão dos gestores. Esses indivíduos saem
 a rua sem nenhuma competência para o cotidiano social institucional e são
 reprovados por essas instituições.

   Então, conclamo todos os pais e mães de nossa comunidade a reagirem de forma
 inteligente e coordenada contra a gestão de diretores e vice-diretores que nada,
 absolutamente nada fazem pela melhoria do processo ensino/aprendizagem em
 suas escolas. De nada adianta o governo gastar milhões de reais em materiais
 didáticos/pedagógicos, infra-estrutura e capacitação de professores se      seus
 gestores agem como um câncer que destrói a iniciativa do governo estadual.

   Devemos lutar juntos, uma vez que o direito de nossos filhos de uma educação
 de qualidade além de moral é fundamentado pela constituição. Queremos que isso
 seja promovida por esses maus gestores. Vamos propor as escolas de nosso bairro
 três projetos pedagógicos, um no âmbito da projeção das artes coletivas como
 teatro, pintura, música e esporte, outro desvelando o momento adolescente quanto
 à sexualidade, a convivência e as drogas e por último um enfoque sobre a
 importância da saúde estética e bucal. Vamos lutar e conquistar esse espaço de
 cooperação e cobrança junto às escolas, pois apenas dessa forma nossos filhos
 poderão ter um futuro melhor. Por outro lado, se os diretores e vice-diretores não
 aceitarem a aplicação desse manifesto, vamos pedir suas exonerações junto ao
 governo do estado.
estudo aplicado redação                             05

                   2 - ESTUDO DE GÊNEROS NARRATIVOS

  2.1 – CONTOS

Texto narrativo:
◊ação através da criação da intriga no domínio do verossímil.

Intencionalidade comunicativa:
◊cultura literária ficcional.

Componentes lingüísticos:
◊tempo verbal, articuladores temporais e espaciais, modo subjuntivo da narrativa,
verbos regulares.

  Basicamente a estrutura do conto se caracteriza pela própria estrutura da
narrativa. Isto é, no conto existe um    único enredo onde é desenvolvido um drama,
inserido nesse drama há um conflito que passa o (s) personagem (s) num tempo

curto (manhã, tarde, noite, madrugada, um dia) e num espaço (cenário) bem
definido. Na narrativa são desenvolvidos os elementos narrativos (criação de uma

atmosfera – desenvolvimento de uma seqüência de acontecimentos em torno do conflito
que se intensifica até o clímax – finalizar a narrativa com um desfecho que é a solução
do conflito do personagem ou personagens).

  Outra característica do conto é que o desfecho, em alguns casos, pode ficar em
aberto, cabendo ao leitor colocar suas próprias impressões sobre o fato e criar o
seu fim de fato.

  2.2 – ROMANCE

Texto narrativo:
◊um condensado de ficção e realidade.

Intencionalidade comunicativa:
◊cultura literária ficcional.

Componentes lingüísticos:
◊tempo verbal, articuladores temporais e espaciais, modo subjuntivo da narrativa,
verbos regulares.
06         allencar Rodriguez


 - Natasha. Temos que conversar. Por favor. Eu preciso de você.
 - disse Newton deixando lágrimas emotivas escorrer de seus olhos. – Diga-me
 qualquer coisa. Eu aceito tudo.
 - Perdoe-me Newton. Eu... Sou homem...

   Noite fria de inverno. Uma leve neblina movia por entre as luminárias de mercúrio
 maculando a extensa avenida numa cor rósea num instante em que os ponteiros do relógio
 da matriz se encontravam pela última vez naquele dia. Em concomitância com esse
 cenário o diálogo intrigante quebrou o silêncio do início da madrugada.
 Veja:

    O início de um romance determina o estímulo da continuidade da leitura. Se esse
 movimento for positivo é sinal de que o interlocutor enunciador (você) foi feliz na
 composição de seu projeto de texto e o interlocutor receptor (leitor) teve sua
 curiosidade impulsionada em direção a querer saber qual o desfecho de sua
 história. Desta forma, no início de seu romance crie uma situação repentina e
 precisa no tempo e no espaço inserindo nesse cenário um ou mais personagens
 cuja situação de interlocução entre ambos sejam motivadores ou intrigantes e que
 provoque uma sensação de espanto ou surpresa ou até mesmo perplexidade no
 leitor.

 Depois:

   Na seqüência prenda a atenção do leitor nos aspectos físico e psicológicos que
 provocaram o início da narrativa. Envolva o leitor numa forma a colocá-lo na cena e
 no cenário do conflito.

   Descreva os acontecimentos fundamentalmente por meio das percepções
 sensoriais já experienciadas por esse leitor. Faça-o ver, ouvir e sentir as aflições
 dos personagens com a tonalidade da voz, a descrição física e psíquica, o amor ou
 a dor.

     Por meses Newton, um rapaz jovem, sonhador e conservador,
 tentou aclarar seus sentimentos de paixão e amor e dor por Natasha. Mulher
 belíssima, voz sedosa, escultural morena, cabelos longos, lisos e quentes. Belos e
 suculentos quadris. Altura de fada e olhar furtivo de fuinha. Seu discreto ar de mistério
 e solitária pulverizou os sentimentos de Newton.
estudo aplicado redação                           07


Por último:

  O final de um romance não precisa seguir um caminho que satisfaça a projeção
do leitor. Tanto importa se o enredo termina bem ou mal. Porém, seguindo o
mesmo padrão dos contos, a narrativa precisa ter um desfecho que apresente no
mínimo um estado de surpresa ao leitor. Algo inesperado, envolvente, seja no
sentido da felicidade ou do sofrimento.

  Finalmente, depois de meses de assédio, depois de um jantar Newton estava numa
encruzilhada de sentimentos numa fria avenida.
- Não brinque com isso Natasha.
- Não é brincadeira. Estou apaixonada por você, mas, eu sou homem.
  Assustado, Newton tornou seus olhos para longe no horizonte esfumaçado virando-
se. Pensou... Pensou... E pensou. Virando-se para Natasha, olhou profundamente em
seus olhos, aproximou-se e disse:
-   Natasha! Você quer viver comigo?


                     3 - ESTUDO DE GÊNEROS INFORMATIVOS

        3.1 – NOTÍCIA

Texto informativo:
◊representa o discurso de relatar ou comunicar experiências vivenciadas situadas
no tempo e no espaço.

Intencionalidade comunicativa:
◊revelar fatos e acontecimentos factuais que provoquem a atenção e a curiosidade
do público.

Componentes lingüísticos:
◊figuras de linguagem, preposição, uso dos porquês.

 A função da notícia (composta de duas partes) é manter o cidadão atualizado,
por isso, o texto além de ser atrativo deve trazer contexto no âmbito da
informação, conhecimento e a notificação. Desta forma, a notícia deve comunicar
um fato sem expressar argumentos sobre esse fato. Como também deve ser
respeitada a importância do enunciado, a coesão e coerência do relato.
08           allencar Rodriguez

   Para compor uma notícia a partir do texto fonte siga os seguintes procedimentos
 para a construção de seu projeto de texto:

 a) Para se ter notícia tem que ter um acontecimento. Identifique qual é o
 acontecimento de deve ser construído seguindo o propósito do texto.
 b) Descreva (ou deixe claro) o local da ocorrência do acontecimento (cidade,
 bairro, estado, país) dentro do propósito da redação.
 c) Especifique o tempo da ocorrência: manhã, tarde ou noite, dia, mês. Tudo de
 acordo com o propósito da redação.
 d) Informe o motivo da ocorrência do acontecimento e os elementos envolvidos na
 ocorrência.
 e) Descreva as possíveis conseqüências do episódio.

    Depois disso crie a manchete (resume a notícia e tem o objetivo de atrair o
 leitor) da notícia (parte 1) e construa um texto (é a narrativa dos acontecimentos)
 com os elementos do projeto de texto (parte 2).

 Leia exemplo abaixo:

                 Avião monomotor cai no interior de São Paulo

   Piloto é surpreendido por tempestade e não consegue evitar acidente.

   A tempestade chuvosa da tarde de ontem (22/10) provocou um grave acidente.
 Um monomotor sobrevoava a cidade de Bauru por volta das 15hs quando ventos
 fortes seguidos de uma intensa tempestade fez o piloto perder o controle da
 aeronave. O avião caiu chocando-se contra uma construção.

   A bordo estavam dois empresários e o piloto. Apenas um dos passageiros resistiu
 ao impacto e relatou momentos de desespero. “O avião balançava muito e o piloto
 entrou em pânico”. Depois de uma breve entrevista o empresário Antonio Carlos
 (35), foi levado ao hospital, onde foi confirmado que ele teve fratura na perna
 esquerda.

   O monomotor foi encontrado em uma construção que estava abandonada.
 Entretanto os fios elétricos e o transformador do bairro onde o avião caiu foram
 danificados pelo choque. Isso gerou falta de energia elétrica no bairro trazendo
 desconforto aos moradores. Segundo a Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL)
 pela gravidade dos estragos a situação deverá permanecer assim por dois ou três
 dias, pois o transformador e toda a fiação da rua onde aconteceu o acidente deverá
 ser trocado.                                                      Thuane facion
estudo aplicado redação                                09


       3.2 – INFORME

Texto informativo:
◊fundamentado na descrição de um fato, um acontecimento.

Intencionalidade comunicativa:
◊fornecer informações no contexto da veracidade.

Componentes lingüísticos:
◊verbos no presente simples, descrição objetiva, linguagem denotativa.

  Um texto informativo como o próprio nome já diz, a principal função dele é
informar, ou seja, passar uma informação. O melhor exemplo de texto informativo
é o jornal. As características deste texto é linguagem culta, direta, deve conter
informações, citando fonte e exemplos. Jamais deve conter opiniões pessoais,
nesse tipo de texto você não defende idéias.

Veja o texto abaixo:

                            Os pulmões e a respiração

                                                                  Jeanne M. Stellman

  O sistema respiratório é uma das mais importantes vias de entrada para as
substâncias tóxicas ou poluentes. Muitas doenças profissionais resultam da
acumulação de substâncias químicas tóxicas no próprio sistema respiratório, e
outras doenças são causadas pela passagem de substâncias nocivas dos pulmões
para o resto do corpo.
  A finalidade do sistema respiratório é absorver oxigênio do ar e transferi-lo para o
sangue. Ele também remove gás carbônico - que é o gás residual produzido pelos
processos do corpo - do sangue e o transfere para o ar expirado. Este processo é
realizado pelos pulmões.

  Os pulmões contêm milhões de minúsculos sacos aéreos (alvéolos).

  O sangue flui em torno deles e fica separado do ar por uma membrana de apenas
um milionésimo de polegada de espessura. Esta membrana é tão delgada que os
gases podem atravessá-la: oxigênio do ar para o sangue e gás carbônico do sangue
para o ar. A cada inalação, ar novo penetra em todo o trato respiratório até os
alvéolos pulmonares. O sangue absorve então o oxigênio do ar através da delgada
parede do alvéolo, enquanto descarrega gás carbônico no ar.
  Estas trocas se efetuam de modo bastante rápido e, no espaço de uns poucos
segundos, o ar dos alvéolos é expirado. Este é o processo da respiração


  O texto acima é um texto informativo científico. A intenção do autor é fornecer
informações consideradas como verdadeira pela ciência.
10          allencar Rodriguez

         3.3 – FOLDER DE CAMPANHAS SOCIAIS

 Texto informativo:
 ◊de utilidade educativa.

 Intencionalidade comunicativa:
 ◊promover orientações de saúde, segurança, prevenção, etc.

 Componentes lingüísticos:
 ◊verbos modalizadores, locução verbal.

   O folder como gênero textual é caracterizado nesse sentido a partir de sua função
 social. Sua linguagem simples, concisa, curta e direta potencializa o indivíduo
 necessidades, por exemplo, de fumar menos ou parar de fumar, beber menos, etc.
 Pela melhoria de sua qualidade de vida. Isso o valoriza o gênero muito além de ser
 simples instrumento de publicidade idealizado por profissionais de propaganda e
 marketing presentes na divulgação turística, comercial, bancária entre outros.
 Porém, folder de serviços e orientações de saúde tem imensa utilidade educativa
 num país pobre de leitura como o Brasil.

 Veja um exemplo:


     Bater em um animal se chama crueldade.
     Bater em um adulto se chama agressão.
   Bater em uma criança se chama educação!
   4 de Junho: Dia Mundial de Combate à Agressão Contra Crianças.
   Tapinhas, beliscões, chineladas, gritos... Esses são alguns meios encontrados pelos
 adultos para “educar” as crianças, mas não passam de violência sob a forma de exercício
 da autoridade. Os castigos variam de nome e intensidade, mas estão presentes em
 milhares de lares, escolas e instituições.
   Tais abusos não só atentam contra direitos fundamentais das crianças e dos
 adolescentes, como provocam seqüelas emocionais por uma vida inteira. Uma criança ou
 adolescente que sofre maus-tratos tem seu desenvolvimento comprometido e uma visão
 distorcida da sociedade.
estudo aplicado redação                                  11


  Não permita que isso aconteça.
Saiba que: ... A cada minuto 12 crianças são vitimadas no Brasil, 80% das crianças
que sofrem exploração sexual foram vítimas de incesto por parte de pais ou parentes, o
Brasil está em segundo lugar em exploração sexual comercial perdendo apenas para a
Tailândia, a cada hora morre uma criança torturada, queimada ou espancada pelos
próprios pais.
Fonte: Unicef

  O que fazer? Denuncie. Não faça parte deste crime.


Atenção: Para elaborar um folder numa prova de redação atente-se aos seguintes
procedimentos:

a) Siga o propósito da redação de acordo com o tema.
b) Determine claramente a finalidade de sua produção.
c) Divulgue apenas o que é pedido.
d) Componha uma linguagem persuasiva.
e) Relate casos reais, estatísticos, informações que serão cobradas na grade holística e
as orientações inerentes ao assunto.

      3.4 – FOLHETOS

Texto informativo:
◊de utilidade instrutiva.

Intencionalidade comunicativa:
◊servir par instruir as pessoas sobre o modo de agir em relação à determinada
questão.

Componentes lingüísticos:
◊verbos modalizadores, locução verbal.
12         allencar Rodriguez


   A estrutura de um folheto é muito simples: os textos são curtos, servem para
 instruir, as informações são organizadas em tópicos. Em geral os textos trazem
 ilustrações para que as informações sejam decodificadas mais rapidamente sobre o
 assunto em questão.


 Veja exemplo:
 Você é responsável pela saúde do seu cão e gato.
 Vacine seu animal anualmente.
 Lembre-se
     Cães e gatos devem ser vacinados a partir dos 3 meses de idade inclusive as fêmeas
 que estiverem amamentando, prenhas ou no cio;
     O animal vacinado pela primeira vez deve ser revacinado após 30 dias, o
 proprietário deve solicitar informações sobre onde revacinar no posto volante;
     A rotina de banhos e alimentação deve ser normal para a data da vacinação;
     Os animais devem ser transportados com segurança evitando acidentes;
     Cães bravos devem usar mordaça;
     Os gatos devem ser transportados em caixa de transportes adequados ou similares;
     As seringas e agulhas são descartáveis e a vacinação é gratuita.

                       4 - ESTUDO DE GÊNEROS EXPOSITIVOS

        4.1 – REPORTAGEM

 Texto expositivo:
 ◊de natureza investigativa.

 Intencionalidade comunicativa:
 ◊expor resultados de pesquisa sob um eixo temático geral ou específico relativos
 ao diagnóstico de um problema, fenômeno, ou objeto.

 Componentes lingüísticos:
 ◊verbos ativos
estudo aplicado redação                             13

  A característica da reportagem é levar os fatos de maneira abrangente
demonstrando capacidade intelectual, criatividade e sensibilidade num contexto de
subjetividade. A narrativa deve ser dinâmica e coesa.

   Para construir seu projeto de texto faça a apropriação do propósito do texto que
deve ser construído. Considere os interlocutores envolvidos e partir disso pense em
um quadro, uma figura ou uma pintura que retrata os elementos que estarão
presentes na reportagem. Depois disso, faça um relato de ação desse quadro que
você imagina estar pintando, descreva os personagens, o lugar ou lugares e as
situações. Nessa narrativa revele suas próprias emoções no qual você tomou parte
ou não. Se você tomou parte descreva os sentimentos experimentados. Se for
necessário (ou se for o propósito do texto a ser criado) narre uma conversa usando
o discurso direto. Lembre-se, o assunto deve despertar a atenção do leitor
(interlocutor) e a linguagem precisa ser clara. Crie uma manchete interessante.

                Veja a diferença entre notícia e reportagem:

 A notícia informa fatos de maneira OBJETIVA apontando as
RAZÕES e os EFEITOS.


 A   reportagem   é   investigativa  –    apresenta  comentários
SUBJETIVOS – levanta questões – discute e argumenta.


  A reportagem escrita é dividida em três partes:

Manchete: resume a notícia e tem o objetivo de atrair o leitor
Lead: pequeno resumo que aparece depois do título, a fim de chamar mais atenção do
leitor.
Corpo: Desenvolvimento do assunto abordado com linguagem direcionada ao público-
alvo.
           Notícia                                        Reportagem
           Manchete                                        Manchete
             Corpo
                                                         Sub-manchete
             Textual                                        Corpo
                                                             Textual
14        allencar Rodriguez

        4.2 – RESUMO



   Resumo é um texto reduzido aos seus tópicos principais. Nesse tipo de gênero
 textual não se incluem detalhes, não existe comentários, argumentos, julgamentos.
 Um resumo não é uma crítica, assim como é a resenha. O objetivo principal do
 resumo é informar sobre o que é de mais importante contextualizado num texto.
 Antes de você começar a escrever, você deve construir um projeto de texto fazendo
 uma lista dos importantes fatos apresentados no texto fonte.

  Certifique-se de que na sua lista esteja incluso questões fundamentais como:
 Quem? Quando? Qual? Onde? Por quê? O que? Como?

   Anule de seu projeto de texto itens que são meramente detalhes. Escreva os
 fatos da lista em forma de sentenças completas. Tende combinar algumas idéias
 com as conjunções (e, mas, ou, porém, porque) e assim por diante. Certifique-se
 de que sua lista esteja numa seqüência lógica.

 NOTA: se o texto for do tipo narrativo ou descritivo, preste atenção aos elementos
 pertinentes a estrutura narrativa e se for descritivo preste atenção aos elementos
 pertinentes a nossa percepção sensorial. Veja capítulo VII, página 51.



  Leia o artigo abaixo e escreva em um parágrafo o resumo do artigo:



                     Por que alguns animais deixam de existir?

   Nos últimos duzentos anos as pessoas têm levado muitas espécies de animais à
 sua extinção. As pessoas continuam construindo casas e indústrias nos campos e
 em bosques. Assim que eles se espalham sobre a terra, eles destroem o habitat dos
 animais. Se os animais não podem encontrar um lugar para viver, eles morrem até
 se tornarem extintos. Dezesseis tipos de pássaros Havaianos se tornaram extintos
 por essa razão. Outros animais, como cervos da Florida, podem se tornar extintos
 muito brevemente, porque eles estão perdendo seus lugares de moradia,
 reprodução e alimentação. Caçadores também estão contribuindo para esse
 desastre. No século XIX, os caçadores mataram todas as pombas migrantes da
 América do Norte e a maioria dos búfalos.

   Hoje eles são mortos rapidamente por falcões e lobos. A poluição também está
 dizimando muitas espécies. Assim que os rios se tornam poluídos, os peixes são
 envenenados. Muito deles morrem. Os pássaros que se alimenta dos peixes
 envenenados podem também morrer ou produzem ovos não saudáveis e novos
 pássaros não nascem. Nenhum animal extinguiu-se pelo problema da poluição,
 mas alguns, como as águias carecas e os pelicanos marrons, tem se tornado raro e
 a possibilidade de se tornarem extintos são grandes.
estudo aplicado redação                             15

PROJETO DE TEXTO:



Quem? Quando? Qual? Onde? Por quê? O que? Como?

Qual?: Qual é o assunto do texto? A extinção dos animais.

Onde?: Onde está acontecendo o evento? No Havaí e na Flórida.

Quem?: Quem é o responsável?    A população que invade o habitat dos animais e os
caçadores.

O que?:   O que está acontecendo com os animais? Os animais morrendo ou sendo
mortos até a sua extinção.

Qual?:    Qual é a responsabilidade? Com a extinção de espécies animais haverá
desequilíbrio ecológico.

Por quê?: Por que isso está acontecendo? Pela ignorância, a falta de conscientização
e políticas públicas de esclarecimento que o evento pode provocar no futuro.

             No artigo “Por que alguns animais deixam de existir?”

 O escritor discute os motivos da extinção de alguns animais. O primeiro motivo é
porque as pessoas invadem a região de habitat dos animais o que resulta na
destruição desse habitat como aconteceu com os pássaros havaianos. Outro motivo
são os caçadores que matam os animais até sua extinção. Somado a isso a poluição
também pode causar a extinção de algumas espécies de animais.



                       5 - ESTUDO DO GÊNERO CRÔNICA

             CRÔNICA


  A característica mais relevante de uma crônica é o objetivo com que ela é
escrita. Seu eixo temático é sempre em torno de uma realidade social,
política ou cultural. Sua linguagem tem quase um tom de protesto ou de
argumentação com uma dose de lirismo, leveza, uso do humor, brevidade e
sensibilidade. Desta forma os escritores desse gênero textual usam esses
recursos lingüísticos na construção do humor, da ironia, do lirismo ou da
crítica para contextualizar um acontecimento do dia a dia, expressar idéias,
sentimentos, emocionar, rir, provocar reflexões e conversar com o leitor por
meio de sua escrita.
16         allencar Rodriguez


   Elementos que não funcionam na crônica: grandiloqüência, sectarismo,
 enrolação, arrogância, prolixidade. Elementos que funcionam: humor,
 intimidade, lirismo, surpresa, estilo, elegância, solidariedade. (Ivan Ângelo).

   Podemos identificar duas maneiras de se produzir uma crônica: a primeira
 é a narrativa (que pode ser em forma de conto), que conta um fato do
 cotidiano, utilizando-se de personagens, enredo, espaço, tempo, etc. A outra
 maneira é a crônica dos textos jornalísticos, é uma forma mais moderna do
 gênero, e ao contrário da outra não narra e sim disserta, defende ou mostra
 um ponto de vista diferente do que a maioria enxerga. AlÉm disso, por ser
 um gênero textual muito flexível pode se expressar ainda como uma poesia
 ou um ensaio, sem se confundir com nenhum deles, como diz Ivan Ângelo
 na crônica intitulada “sobre a crônica” que diz:

 “Uma leitora se refere aos textos aqui publicados como “reportagens”. Um
 leitor os chama de “artigos”. Um estudante fala deles como “contos”. Há os
 que dizem: “seus comentários”. Outros os chamam de “críticas”. Para
 alguns, é “sua coluna”.

   Estão errados? Tecnicamente, sim – são crônicas -, mas... Fernando
 Sabino, vacilando diante do campo aberto, escreveu que “crônica é tudo que
 o autor chama de crônica.” (...) Mas Rubem Braga ... Respondeu assim a um
 jornalista que lhe havia perguntado o que é crônica: - Se não é aguda, é
 crônica.”

       (Extraído de www.quemtemsedevenha.com.br/cronica e contos.htm – acesso em 27/02/2010)

   Por isso, a crônica é uma escrita tão suave que mais parece uma conversa
 entre os interlocutores cronista e leitor onde o escritor busca emocionar e
 envolver seu leitor num contexto de reflexão sobre um assunto de realidade
 social e factual. Para isso ele faz uso dos tons de protesto ou de
 argumentação, mas sempre com uma dose, ora poético, ora filosófico, ora
 humorístico, satírico ou irônico.

   Desta forma, se o propósito da redação para a produção escrita de
 uma crônica for pedido para usar o tom da poesia, o vestibulando deve
 produzir uma prosa poética como Paulo Mendes Campos em “o amor
 acaba” (o qual o autor tem como tema, assunto e cenário: a
 fugacidade/eternidade do amor – em muitos lugares da cidade. Situação do
 cotidiano retratado: o amor acaba para recomeçar sempre, em todos os
 lugares. Tom do texto e foco narrativo: Prosa poética, em tom
 existencial – auto-observador).
estudo aplicado redação                          17


   VEJA AGORA EXEMPLOS DE PROSA POÉTICA DE ACORDO COM A
       ESTRUTURA DA REDAÇÃO DO VESTIBULAR DA UNICAMP

      (aproximadamente 25 linhas) – tema desigualdade social

Prosa poética

                        Libertas que será tamen



   É notório ver pessoas pedindo esmola nas artérias das grandes cidades, o
olhar penoso de quem nunca desfrutou de uma boa refeição cuja veia quase
não tem força de sustentar seu coração. O desenvolvimento sem o
progresso. Inúmeros arranha-céus onde pessoas vivem suas vidas de
inferno debaixo das marquises iluminadas com neon, inúmeras favelas
iluminadas à luz de velas. Brasil desenvolvido economicamente, mas
desigual socialmente. Ciclo vicioso cujo fim está longe de acontecer que
perdura todo dia do amanhecer ao anoitecer. Tudo gira em torno de
interesses políticos, ricos políticos que se sustentam na fome daquele que
não tem estudo, trabalho e oportunidades.

  Buscando sua liberdade a pobreza está em todos os lugares, a cegueira
social está em todos os lugares, os porcos políticos estão em todos os
lugares, porém escondida está a educação de qualidade, acessível somente
para uma parcela da população. O Brasil começará a mudar não como o
poeta Patativa de Assaré dissera num de seus poemas, na inversão do Brasil
de cima pelo Brasil de baixo, mas quando houver igualdade, liberdade e
fraternidade por todo o território nacional.

  A falta de princípios morais agrava a situação de desigualdade. O descaso
governamental é uma conseqüência disso. Claro! A ignorância rende votos.
É cômodo dar esmolas mesmo que seja em bolsa transformada em sacolas
nos programas governamentais e não dar educação para o pobre viver sem
ração.

  Muito tempo já se passou desde a República Oligárquica, porém os
políticos de hoje são verdadeiros coronéis. Uma verdade que poderia ser
mentira. Prisão que encarcera o povo na ignorância, na mentira e na
miséria.

                                                              Bruna Ricci
18        allencar Rodriguez


                                Vidas secas

    As vidas secas desse Brasil, as quais muitas são as Severinas, que vieram
 ou vivem nas terras ossudas nordestinas do João Cabral. Aquelas que se
 encontram sob o manto da repressão, as vidas que são secas de poder,
 secas de amor, de conhecimento, cultura e alimento. Aquele mesmo seco
 que molha a carne do carniceiro dono de extensas terras serve de comida do
 corvo e é enganado pelo poder público do presidente molusco. Mãos na
 lama, mãos na terra, mãos na morte, nos tijolos, na calçada, no sangue,
 mãos longe do dinheiro, da educação e da oportunidade. Dinheiro do sujo,
 que vai pro sujo, que está com o sujo, que veio do sujo, e que nunca vai pro
 limpo, que por ironia está no limbo escondidos nas cuecas e nas maletas da
 corrupção de políticos porcos que chafurdam no dinheiro sujo. Para as vidas
 secas desse meu Brasil, que não se limitam só pelo clima seco, ao contrário
 é belo e varonil, muitas vezes na sarjeta, dormem sob o clima frio da
 madrugada e também dormem para o congelamento da alma, alma que é
 dura como diamante, alma que de tanto batida, tornou-se impura aos olhos
 da desigualdade social. Enquanto alguns vivem no lago, essa é a vida da
 seca, amarga e cruel. Bem vindo à desigualdade social de um Brasil gigante
 pela própria natureza, desigual sem nenhuma beleza, regido pelo governo
 com destreza no sentido da incerteza se um sonho intenso de amor e de
 esperança a terra descerá. E que o formoso céu, risonho e límpido a imagem
 do cruzeiro, as vidas secas, um dia resplandecerá.

                                           Isadora Carolina Betim Pavan.

   Se for pedido uma forma como o ensaio siga o padrão de Ivan Ângelo
 em “sobre a crônica” (o qual o autor tem como tema, assunto e
 cenário: reflexões filosóficas a respeito do que os leitores acham o que é
 crônica. Situação do cotidiano retratado: a interpretação que o leitor faz
 do que é um texto escrito. Tom do texto e foco narrativo: Ensaio (autor-
 argumentador), onde por meio de articulações argumentativas o autor
 defende sua idéia).

   Se for pedido na forma narrativa siga o padrão de Fernando Sabino em
 “a última crônica” (o qual o autor tem como tema, assunto e cenário:
 Amor (cidade – bar). Situação do cotidiano retratado: Pai e mãe
 comemoram aniversário da filha no bar. Tom do texto e foco narrativo:
 Lírico (autor-personagem).
estudo aplicado redação                                19


     VEJA AGORA EXEMPLOS DE TOM LÍRICO DE ACORDO COM A
      ESTRUTURA DA REDAÇÃO DO VESTIBULAR DA UNICAMP

       (aproximadamente 25 linhas) – tema desigualdade social



Tom lírico

                            Desigualdade da fome

  A noite começa a cair. Começa a esfriar e ao sair do trabalho resolvo ir jantar. Ao
chegar ao restaurante, logo peço ao garçom uma mesa para um. Ele pede para eu
segui-lo. Acomodo-me em numa mesa próxima á uma janela. Está um clima
aconchegante dentro do restaurante. O clima frio ficou do lado de fora. Com os
olhos de uma criança que observa a vitrine de uma loja de doces e com a fome de
alguém que poderia comer uma vaca inteira, dinheiro para isso não falta, olho o
cardápio e não demoro a escolher o que procurava. Ergo a minha mão e
imediatamente chega o garçom que anota o meu pedido.

   Enquanto espero observo pela janela o ambiente fora do restaurante. Minha visão
se perde no peso de meus pensamentos. Penso muito no carro que vou trocar no
final do ano. Na reforma do meu apartamento na praia. Na compra de um terreno
nas montanhas e em outros frutos do consumismo. De repente um vulto chama
minha atenção. Coberto por trapos e fuçando alguns sacos um espectro se
confunde com o ambiente. Então percebo que é um garoto que mais parece um
cachorro fuçando lixo em busca de comida. De surpresa seus olhos cruzam com os
meus. Olhos murchos, miúdos e cansados de fome. Existe um instante de
excitação. Então o pequeno vulto some na escuridão da noite.

  Volto ao mundo real ao som do garçom distribuindo meu pedido sobre a mesa.
Num canto um suculento filé mignon ao molho madeira, num outro uma salada
mista coberta de tomates secos com caldo de manga. O vinho do porto derramado
no copo pelo garçom parecia o sangue da vida que nos move em direção ao nosso
destino.

   Por alguns instantes fixo meus olhos na abundância daquela refeição. Meus olhos
pareciam os mesmos daquela criança que escondeu sua fome na escuridão da
noite. Nesse momento minha fome sumiu junto com o pequeno vulto esfarrapado
que caminha por um mundo desigual o qual dele ninguém sabe ninguém viu.

                                                                      André Lucas
20        allencar Rodriguez


                         No engarrafamento da vida



   Era meio dia em São Paulo. A cidade suava em busca de sua riqueza diária. O
 asfalto cozinha o trânsito pesado das avenidas e das marginais. Como combinado
 com minha mulher eu buscaria meus filhos na escola naquele dia e os levaria para
 o curso de Inglês. Depois de algum almoço rápido em algum “fast food”.

   No tráfego intenso e arrastado, o ar condicionado de meu veículo aliviava meu
 sofrimento de calor num dia de novembro. Porém, a comodidade do ar consumia
 parte do meu orçamento. Pensando em meu destino e nos meus custos de repente
 o transitou travou.

   Por alguns minutos o congestionamento se eternizou. No conforto do ar fresco e
 das músicas do som importado de meu carro me faziam sonhar com o fim de
 semana na minha casa da praia. De repente, como se estive num estágio de
 inconsciência, me vi num contexto de observação dos ambulantes que margeavam
 a longa avenida tentando honestamente ganhar um pouco de sustento e dignidade
 para os membros de suas famílias. Famílias separadas da minha num sentido de
 desigualdade social.

   Naquele universo de pessoas maltratadas, carentes de sorrisos e deprivadas de
 sonhos, um garoto me chamou a atenção. Ela tinha aproximadamente uns 10 anos,
 estava descalço e carregava uma caixa de isopor sobre a cabeça. Parecia pesada
 pela dificuldade que o garoto tinha em sustentá-la. O garoto caminhava em minha
 direção. Seu movimento titubeante pulverizou meus sentimentos de custo, de
 almoço e viagem no final de semana.

   Eu gostaria de ignorar aquele momento. Não consegui. O menino tinha a mesma
 idade de meu filho mais velho que estava na escola preocupado com sua tarde de
 estudos. Além dos jogos on-line, filmes e músicas que preencheriam sua tarde
 enquanto aquele enfrentava naquele movimento sua infância perdida.

   O garoto estava vendendo garrafas de água. Abri a janela do carro e comprei
 quatro unidades. Uma para mim e outras três para quem não projetaria naqueles
 frascos o luxo que os cercava.

   O menino, simplesmente, agradeceu e foi embora. Desliguei o rádio, o ar
 condicionado, deixei a janela aberta e com peso na alma desviei do trânsito pesado
 no primeiro viaduto e segui meu destino. Um pouco triste, um pouco cansado,
 muito chateado.

                                                             Augusto Bortoluci
estudo aplicado redação                          21


 Ou ainda se for pedido a construção de uma crônica em tom de humor
siga o padrão de Moacyr Scliar em “cobrança” (o qual o autor tem como
tema, assunto e cenário: dívidas e como são cobradas (cidade – casa com
janela para a rua). Situação do cotidiano retratado: Um cobrador (o
marido) cobra publicamente a devedora (a esposa). Tom do texto e foco
narrativo: Humorístico (autor-observador).

  Se for pedido a construção de uma crônica em tom de ironia siga o
padrão de Machado de Assis em “um caso de burro” (o qual o autor tem
como tema, assunto e cenário: Reflexões sobre a submissão humana
(cidade – rua). Situação do cotidiano retratado: Um burro deitado na
calçada, agonizante. Tom do texto e foco narrativo: Irônico (autor-
personagem).

 Para produzir uma crônica siga as orientações abaixo:

 Lembre-se, os temas geralmente são ligados a questões éticas, de
relacionamento humano, de relações entre grupos econômicos, sociais e
políticos. Como também o texto é curto que narra episódios corriqueiros e às
vezes banais.

a) Dentro do propósito da redação identifique a idéia central do enredo que
deve ser seguido no contexto da sensibilidade. Isto é, se o enredo deve ter
um teor de entusiasmo, horror, desânimo, indignação, felicidade,
compaixão, etc. isso pode ajudá-lo a escrever a crônica com maior facilidade
buscando corretamente o tom (se não for pedido) da crônica (humorística,
irônica, lírica, crítica).

b) Formule algumas opiniões sobre o fato no tom da crônica que sera
elaborada.
c) Use figura de linguagem como recursos para realçar uma idéia como:
metáfora, comparação, catacrese, prosopopéia, etc.

d) Lembre-se você tem dois instrumentos básicos para elaborar sua crônica:
o olhar e a linguagem. Com o olhar você reconhece o acontecimento, isto é,
o momento que merece ser preservado e com a linguagem, você retrata a
situação, e as figuras de linguagem o ajudam a enfatizar as suas idéias.
22         allencar Rodriguez


                           6 - ESTUDO DO GÊNERO CARTA

        CARTA

   A carta e um dos instrumentos mais úteis em situações diversas. É um dos mais
 antigos meios de comunicação. As cartas são variadas em suas formas de
 realização, em seus objetivos, intenções e propósitos.

   Sua construção segue o padrão abaixo:

                 INTERLOCUÇÃO              IMAGENS




                                 IMAGENS

                           DE QUEM ESCREVE A CARTA



                  A QUEM SE DESTINA A CARTA (interlocutor)




        6.1 – CARTA ARGUMENTATIVA


 A estrutura de uma carta argumentativa

   Início: identifica-se o interlocutor. A forma de tratá-lo vai depender do grau de
 intimidade existente. É necessário mostrar respeito pelo interlocutor. Na falta de
 um pronome adequado dirigi-se a ele como “senhor” ou “senhora”.


 Guaratinguetá, 09 de dezembro 1982

 Prezado Sr. Ricardo Fontanari

 Corpo Textual

 Agradecimentos,

                                                                  Iniciais do Nome
estudo aplicado redação                           23


  A proposta de carta argumentativa pressupõe um interlocutor específico para
quem a argumentação deverá estar orientada. A carta argumentativa tem a
intenção de persuadir um interlocutor específico (convencê-lo do ponto de vista
defendido por quem escreve a carta ou demovê-lo do ponto de vista por ele
defendido e que o autor da carta considera equivocado).

                   INTERLOCUÇÃO            IMAGENS




                                ARGUMENTAÇÃO

           (construa seu OPAR a partir do propósito da proposta)

                                    IMAGENS
                          DE QUEM ESCREVE A CARTA



                A QUEM SE DESTINA A CARTA (interlocutor)




       6.2 – CARTA PESSOAL

   É a carta que escrevemos para amigos, parentes, namorado (a). Não obedece um
modelo próprio e são escritas de uma maneira simples, não possuem regras e
estrutura para serem seguidas. A carta quando muito pequena é considerada
bilhete. Algumas de suas características são: o tipo de linguagem acompanha o
grau de intimidade entre os interlocutores. Nesse caso é permitido termos
coloquiais e gírias.

Veja a seqüência de uma carta pessoal:



Guaratinguetá, 27 de fevereiro de 1980
Querida Valkiria, ou : (vírgula ou dois-pontos)
Corpo textual
Beijos, ou Saudades, ou Até breve, etc.
                                                  Iniciais do Nome (à direita)
Atenção: na prova de vestibular use apenas as iniciais do nome.
24         allencar Rodriguez

        6.3 – CARTA DO LEITOR

   As cartas do leitor diferenciam-se um pouco das cartas tradicionais por
 abordarem diretamente o assunto a ser discutido, por serem curtas e não
 identificam o interlocutor e nem a relação de despedida. A carta do leitor tem como
 característica uma forma de tornar pública a opinião do autor da carta. Desta
 forma, o contexto da carta mostra opiniões, sugestões, argumentos, críticas,
 questionamentos, reflexões, elogios, indignação entre outros. Esse tipo de texto
 também não possui regras a serem seguidas na sua construção. Para criar uma boa
 carta desse gênero siga os seguintes passos:

    De acordo com o propósito da prova, especifique o assunto com brevidade,
 explicite sua opinião de forma clara e concisa numa linguagem de norma culta da
 língua portuguesa. No contexto de suas argumentações verifique se são
 apropriados ao propósito pedido e fundamente opiniões e argumentações em fatos
 verossímeis.

   As cartas dos leitores definem-se como gêneros na medida elas compartilham um
 determinado propósito comunicativo e estabelecem uma interlocução do leitor com o
 meio de informação.

 Título da carta (assunto)

 Corpo textual

                                                                           P. P. N.

                                                           Águas de Lindóia/SP
 Atenção: na prova de vestibular use apenas as iniciais do nome.




        6.4 – CARTA DE RECLAMAÇÃO



   Esse modelo de gênero textual deve respeitar algumas regras como: deve
 constar a identificação do remetente e do destinatário – deve constar a data e o
 local do envio da carta – um discurso expressivo da reclamação no contexto da
 argumentação comprovando que o remetente é quem tem razão, o qual pode
 ainda, apontar as possíveis soluções para que haja entendimento entre as partes –
 exposição clara do que pretende e referência a eventuais documentos em anexo e
 assinatura. Lembre-se de expor claramente os antecedentes, pois neles estão os
 motivos pelos quais a reclamação está sendo feita.
estudo aplicado redação                                  25


Veja exemplo:
Atenção: na prova de vestibular use apenas as iniciais do nome.

  Amaris Delamares (A.D.)

  Rua Lamartine Delamare, 22, Centro

  Guaratinguetá/SP



                                             Informática Fui Enganado Ltda.

                                                           Rua do Equívoco, 7



  Assunto: computador portátil avariado



  Exmo(s). Senhor (es),



  No último dia 05 de Fevereiro, foi vendido para mim neste estabelecimento,
  como endereçado, um computador portátil. Após escolher o modelo que me
  interessou, solicitei que a mercadoria fosse entregue na minha casa. Para
  tanto, assinei a nota de encomenda e paguei a taxa para que fosse realizado o
  serviço. No dia 10 do mesmo mês, foi-me entregue o computador
  encomendado, no entanto, após abrir a embalagem verifique que o aparelho
  tinha a parte do monitor rachada.Diante deste fato, recusei o computador e
  solicitei que me fosse enviado outro exemplar em excelente estado, o que
  faria jus ao valor já pago. Entretanto, até a presente data continuo à espera.
  O atraso na resolução do problema vem ocasionado vários transtornos ao meu
  cotidiano. Por este motivo, demando que outro computador de mesma marca
  e modelo seja entregue, sem falta, dentro de 3 dias úteis. Caso contrário,
  anularei a compra e exijo o dinheiro do pagamento de volta.



  Sem mais,

                                                                           A.D.

  Anexos: fotocópias da nota fiscal de compra e do recibo da taxa de entrega.



     Atenção: na prova de vestibular use apenas as iniciais do nome.
26         allencar Rodriguez


        6.5 – CARTA DE SOLICITAÇÃO



   A carta de solicitação, entre as modalidades textuais de cunho social, tem uma
 função cotidiana muito freqüente. Pela carta é possível o indivíduo fazer uma
 solicitação de emprego, solicitação de documentos, solicitação de reparos, etc. Das
 mais comuns se encontram as cartas enviadas à prefeitura no âmbito da solicitação
 de serviços. Nesse contexto é comum cartas de solicitação enviadas às secretarias
 do meio ambiente para podas de árvores, à secretaria do D.A.E.
 (departamento de água e esgoto) para solicitação de serviços hidráulicos
 como problemas na rede de esgoto ou água e cartas à secretaria de obras
 para serviços de ruas e avenidas como o tapa buracos.

   Nesse tipo de texto o autor é livre quando ao aspecto tipológico usado que pode
 ser uma narrativa, uma exposição, um relato ou argumentação ou ainda uma
 articulação desses aspectos no sentido de adequar a situação comunicacional para
 cumprir o objetivo da solicitação.

 Veja exemplo:
 À Prefeitura Municipal de Guaratinguetá

 Secretaria do Meio Ambiente



   Pedregunda Pafúncia - Substitua o nome pelo pronome (eu) ou
 coloque um nome de acordo com o propósito da redação, casada, do
 lar, residente e domiciliada à rua da areia, 157 nesta cidade, vem
 respeitosamente requerer que seja providenciado com urgência, o
 corte de uma árvore existente defronte o referido imóvel, pois a
 mesma apresenta problemas, que poderão provocar danos materiais
 e/ou outros.

   Sendo só o que se apresenta para o momento, subscrevo-me,


   Atenciosamente,

                                                                              P.P.

       Atenção: na prova de vestibular use apenas as iniciais do nome.
estudo aplicado redação                                 27


             7 - ESTUDO DO GÊNERO ANÚNCIO PUBLICITÁRIO



  Esse gênero textual tem a finalidade de atrair um consumidor para um produto,
marca ou para uma empresa. Sua linguagem é principalmente a           conotativa   no
sentido de persuadir o leitor a consumir o produto ou aderir a idéia, a imagem do
produto. Sua estrutura é simples e fundamenta-se no título, no corpo textual e na
conclusão do anúncio.

Título ou Introdução:   explicita criativamente o assunto ou tema da narrativa do
texto. São freqüentes os usos de figuras de linguagem na elaboração do título.

Corpo Textual ou Narrativa:     Não possui uma estrutura única. Em geral seu

contexto é elaborado de acordo com o perfil do interlocutor que é direcionado. O
assunto desenvolvido apresentado na introdução é elaborado com frases curtas,
claras e objetivas de acordo com as características do produto anunciado com o
objetivo de provocar reações emocionais do receptor. Somado a isso, seu contexto
deve ser informativo e persuasivo, agora, mais do informar é preciso persuadir,
como também, atestar provas que a narrativa apresenta.


Conclusão: Induz e motiva o interlocutor a executar à ação e registra a marca do
anunciante que pode ser pelo slogan junto à marca anunciada.


Veja exemplo:
              Acabou de nascer e já tem um apetite de gente grande

  A rede BOM DIA de Jornais nasceu em novembro de 2005. É a caçula do Grupo
Traffic, uma empresa séria e experiente, dona da maior agência de marketing
esportivo do país, e de cinco emissoras afiliadas à Rede Globo no interior paulista.
São cinco jornais diários, em Sorocaba, Jundiaí, São José do Rio Preto e Bauru.
Juntas, essas regiões somam mais de 100 cidades pelas quais o BOM DIA circula. A
proposta moderna da rede alia um foco estritamente regional a profissionais
renomados em grandes veículos. O BOM DIA é o primeiro jornal que conseguiu
pensar globalmente e agir localmente. É por isso que quem lê encontra informações
do Brasil, do mundo e principalmente de sua cidade.

  Com tanta vantagem, só podia mesmo ser o veículo de comunicação que mais
cresce no interior. Porque é novo, sim. Mas já nasceu cheio de experiência.

Desperte a sua verba de mídia para o BOM DIA.

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Exemplo de uma Reclamação
Exemplo de uma ReclamaçãoExemplo de uma Reclamação
Exemplo de uma Reclamação
I.Braz Slideshares
 
Carta de reclamação
Carta de reclamaçãoCarta de reclamação
Carta de reclamação
Juliano Ortiz
 
Manifesto
ManifestoManifesto
Manifesto
JuLio Lussari
 
Relato experiencia de luciana simas
Relato experiencia de luciana simasRelato experiencia de luciana simas
Relato experiencia de luciana simas
Marisa Seara
 
Carta de reclamação sobre serviços prestados
Carta de reclamação sobre serviços prestadosCarta de reclamação sobre serviços prestados
Carta de reclamação sobre serviços prestados
sindiconet
 
A escola dos meus sonhos
A escola dos meus sonhosA escola dos meus sonhos
A escola dos meus sonhos
Letícia Contilde
 
A escola dos meus sonhos
A escola dos meus sonhosA escola dos meus sonhos
A escola dos meus sonhos
Francismar Lopes
 
Ouvintes de Rádio
Ouvintes de RádioOuvintes de Rádio
Ouvintes de Rádio
Saulo Sales
 
Carta Aberta Prefeito de Curitiba Gustavo Fruet
Carta Aberta Prefeito de Curitiba Gustavo FruetCarta Aberta Prefeito de Curitiba Gustavo Fruet
Carta Aberta Prefeito de Curitiba Gustavo Fruet
Jessica Pertile
 
Como aparecer na primeira pagina do google
Como aparecer na primeira pagina do googleComo aparecer na primeira pagina do google
Como aparecer na primeira pagina do google
Verbete Comunicação Digital
 
Material pedagógico de redação dos professores do colégio são josé em 2013
Material pedagógico de redação dos professores do colégio são josé em 2013Material pedagógico de redação dos professores do colégio são josé em 2013
Material pedagógico de redação dos professores do colégio são josé em 2013
citacoesdosprojetosdeotavioluizmachado
 
A carta do índio chefe seattle
A carta do índio chefe seattleA carta do índio chefe seattle
A carta do índio chefe seattle
Brazilian Army
 
Carta do cacique seattle
Carta do cacique seattleCarta do cacique seattle
Carta do cacique seattle
Ercio Novaes
 
02 mod i diversidade parte1 texto semana 1 diversidade
02 mod i diversidade parte1 texto semana 1 diversidade02 mod i diversidade parte1 texto semana 1 diversidade
02 mod i diversidade parte1 texto semana 1 diversidade
cintia santos
 
O manifesto
O manifestoO manifesto
O manifesto
ma.no.el.ne.ves
 
Receita de panfleto virtual
Receita de panfleto virtualReceita de panfleto virtual
Receita de panfleto virtual
JAIRO ALVES
 
Requerimento nº 006 12-solicitando o corte da arvore situada na rua miguel si...
Requerimento nº 006 12-solicitando o corte da arvore situada na rua miguel si...Requerimento nº 006 12-solicitando o corte da arvore situada na rua miguel si...
Requerimento nº 006 12-solicitando o corte da arvore situada na rua miguel si...
cairo
 
Panfleto
PanfletoPanfleto
Manifesto 2.0
Manifesto 2.0Manifesto 2.0
Manifesto 2.0
SEA Tecnologia
 
Interpretação de texto
Interpretação de textoInterpretação de texto
Interpretação de texto
lidi12fsa
 

Destaque (20)

Exemplo de uma Reclamação
Exemplo de uma ReclamaçãoExemplo de uma Reclamação
Exemplo de uma Reclamação
 
Carta de reclamação
Carta de reclamaçãoCarta de reclamação
Carta de reclamação
 
Manifesto
ManifestoManifesto
Manifesto
 
Relato experiencia de luciana simas
Relato experiencia de luciana simasRelato experiencia de luciana simas
Relato experiencia de luciana simas
 
Carta de reclamação sobre serviços prestados
Carta de reclamação sobre serviços prestadosCarta de reclamação sobre serviços prestados
Carta de reclamação sobre serviços prestados
 
A escola dos meus sonhos
A escola dos meus sonhosA escola dos meus sonhos
A escola dos meus sonhos
 
A escola dos meus sonhos
A escola dos meus sonhosA escola dos meus sonhos
A escola dos meus sonhos
 
Ouvintes de Rádio
Ouvintes de RádioOuvintes de Rádio
Ouvintes de Rádio
 
Carta Aberta Prefeito de Curitiba Gustavo Fruet
Carta Aberta Prefeito de Curitiba Gustavo FruetCarta Aberta Prefeito de Curitiba Gustavo Fruet
Carta Aberta Prefeito de Curitiba Gustavo Fruet
 
Como aparecer na primeira pagina do google
Como aparecer na primeira pagina do googleComo aparecer na primeira pagina do google
Como aparecer na primeira pagina do google
 
Material pedagógico de redação dos professores do colégio são josé em 2013
Material pedagógico de redação dos professores do colégio são josé em 2013Material pedagógico de redação dos professores do colégio são josé em 2013
Material pedagógico de redação dos professores do colégio são josé em 2013
 
A carta do índio chefe seattle
A carta do índio chefe seattleA carta do índio chefe seattle
A carta do índio chefe seattle
 
Carta do cacique seattle
Carta do cacique seattleCarta do cacique seattle
Carta do cacique seattle
 
02 mod i diversidade parte1 texto semana 1 diversidade
02 mod i diversidade parte1 texto semana 1 diversidade02 mod i diversidade parte1 texto semana 1 diversidade
02 mod i diversidade parte1 texto semana 1 diversidade
 
O manifesto
O manifestoO manifesto
O manifesto
 
Receita de panfleto virtual
Receita de panfleto virtualReceita de panfleto virtual
Receita de panfleto virtual
 
Requerimento nº 006 12-solicitando o corte da arvore situada na rua miguel si...
Requerimento nº 006 12-solicitando o corte da arvore situada na rua miguel si...Requerimento nº 006 12-solicitando o corte da arvore situada na rua miguel si...
Requerimento nº 006 12-solicitando o corte da arvore situada na rua miguel si...
 
Panfleto
PanfletoPanfleto
Panfleto
 
Manifesto 2.0
Manifesto 2.0Manifesto 2.0
Manifesto 2.0
 
Interpretação de texto
Interpretação de textoInterpretação de texto
Interpretação de texto
 

Semelhante a Vest 2012 unicamp 5 os finalmentes vários gêneros textuais

Mantoan mariaterezaegler
Mantoan mariaterezaeglerMantoan mariaterezaegler
Mantoan mariaterezaegler
Maria Rosa Lopes
 
Slides qualidade no ensino infantil
Slides   qualidade no ensino infantilSlides   qualidade no ensino infantil
Slides qualidade no ensino infantil
Fernanda Ferreira
 
Relat seb praticas_cotidianas coedi mec
Relat seb praticas_cotidianas coedi mecRelat seb praticas_cotidianas coedi mec
Relat seb praticas_cotidianas coedi mec
proinfancia
 
Apostila peb-ii-site
Apostila peb-ii-siteApostila peb-ii-site
Apostila peb-ii-site
Cleber Araujo Araujo
 
Apostila peb-ii-site
Apostila peb-ii-siteApostila peb-ii-site
Apostila peb-ii-site
Danielle Hipolito Pe Adiego
 
Proposta de Educação de Parauapebas
Proposta de Educação de Parauapebas Proposta de Educação de Parauapebas
Proposta de Educação de Parauapebas
Adilson P Motta Motta
 
CORTELLA, Mario Sergio. A escola e o conhecimento: fundamentos epistemológico...
CORTELLA, Mario Sergio. A escola e o conhecimento: fundamentos epistemológico...CORTELLA, Mario Sergio. A escola e o conhecimento: fundamentos epistemológico...
CORTELLA, Mario Sergio. A escola e o conhecimento: fundamentos epistemológico...
LUANASILVAARAUJOMART
 
Proposta de Educação de Parauapebas
Proposta de Educação de ParauapebasProposta de Educação de Parauapebas
Proposta de Educação de Parauapebas
Adilson P Motta Motta
 
Docência nas Escolas do Campo: A Arte de Educar
Docência nas Escolas do Campo: A Arte de EducarDocência nas Escolas do Campo: A Arte de Educar
Docência nas Escolas do Campo: A Arte de Educar
Josedalva Farias Dos Santos
 
Roteiro de estudo 1 (2013 2014) peas
Roteiro de estudo 1 (2013   2014) peasRoteiro de estudo 1 (2013   2014) peas
Roteiro de estudo 1 (2013 2014) peas
Escolaeas
 
Atps fundamentos sociológicos da educação pronta 1
Atps fundamentos sociológicos da educação pronta 1Atps fundamentos sociológicos da educação pronta 1
Atps fundamentos sociológicos da educação pronta 1
keulene1989
 
Projeto
ProjetoProjeto
Download Atividades 1 P.M
Download Atividades 1 P.MDownload Atividades 1 P.M
Download Atividades 1 P.M
Dena Pedagogia
 
DownloadAtividades 1 P.M
DownloadAtividades 1 P.MDownloadAtividades 1 P.M
DownloadAtividades 1 P.M
Dena Pedagogia
 
O Orientador Educacional e as Queixas Escolares: relato de experiência
O Orientador Educacional e as Queixas Escolares: relato de experiênciaO Orientador Educacional e as Queixas Escolares: relato de experiência
O Orientador Educacional e as Queixas Escolares: relato de experiência
LOCIMAR MASSALAI
 
05p 9-motivação-em-busca-do-conhecimento-geenes
05p   9-motivação-em-busca-do-conhecimento-geenes05p   9-motivação-em-busca-do-conhecimento-geenes
05p 9-motivação-em-busca-do-conhecimento-geenes
Valentina Silva
 
Contornos projetivos das dificuldades de aprendizagem
Contornos projetivos das dificuldades de aprendizagemContornos projetivos das dificuldades de aprendizagem
Contornos projetivos das dificuldades de aprendizagem
Katcavenum
 
Trabalho vocacional
Trabalho vocacionalTrabalho vocacional
Trabalho vocacional
Priscila Pettine
 
Guia do-jornal-escolar-versaoweb
Guia do-jornal-escolar-versaowebGuia do-jornal-escolar-versaoweb
Guia do-jornal-escolar-versaoweb
Bruno Deanini
 
Caderno 4 -_3a_etapa_do_questionario_informativo (1) respondido
Caderno 4 -_3a_etapa_do_questionario_informativo (1)  respondidoCaderno 4 -_3a_etapa_do_questionario_informativo (1)  respondido
Caderno 4 -_3a_etapa_do_questionario_informativo (1) respondido
Roberta_bonani
 

Semelhante a Vest 2012 unicamp 5 os finalmentes vários gêneros textuais (20)

Mantoan mariaterezaegler
Mantoan mariaterezaeglerMantoan mariaterezaegler
Mantoan mariaterezaegler
 
Slides qualidade no ensino infantil
Slides   qualidade no ensino infantilSlides   qualidade no ensino infantil
Slides qualidade no ensino infantil
 
Relat seb praticas_cotidianas coedi mec
Relat seb praticas_cotidianas coedi mecRelat seb praticas_cotidianas coedi mec
Relat seb praticas_cotidianas coedi mec
 
Apostila peb-ii-site
Apostila peb-ii-siteApostila peb-ii-site
Apostila peb-ii-site
 
Apostila peb-ii-site
Apostila peb-ii-siteApostila peb-ii-site
Apostila peb-ii-site
 
Proposta de Educação de Parauapebas
Proposta de Educação de Parauapebas Proposta de Educação de Parauapebas
Proposta de Educação de Parauapebas
 
CORTELLA, Mario Sergio. A escola e o conhecimento: fundamentos epistemológico...
CORTELLA, Mario Sergio. A escola e o conhecimento: fundamentos epistemológico...CORTELLA, Mario Sergio. A escola e o conhecimento: fundamentos epistemológico...
CORTELLA, Mario Sergio. A escola e o conhecimento: fundamentos epistemológico...
 
Proposta de Educação de Parauapebas
Proposta de Educação de ParauapebasProposta de Educação de Parauapebas
Proposta de Educação de Parauapebas
 
Docência nas Escolas do Campo: A Arte de Educar
Docência nas Escolas do Campo: A Arte de EducarDocência nas Escolas do Campo: A Arte de Educar
Docência nas Escolas do Campo: A Arte de Educar
 
Roteiro de estudo 1 (2013 2014) peas
Roteiro de estudo 1 (2013   2014) peasRoteiro de estudo 1 (2013   2014) peas
Roteiro de estudo 1 (2013 2014) peas
 
Atps fundamentos sociológicos da educação pronta 1
Atps fundamentos sociológicos da educação pronta 1Atps fundamentos sociológicos da educação pronta 1
Atps fundamentos sociológicos da educação pronta 1
 
Projeto
ProjetoProjeto
Projeto
 
Download Atividades 1 P.M
Download Atividades 1 P.MDownload Atividades 1 P.M
Download Atividades 1 P.M
 
DownloadAtividades 1 P.M
DownloadAtividades 1 P.MDownloadAtividades 1 P.M
DownloadAtividades 1 P.M
 
O Orientador Educacional e as Queixas Escolares: relato de experiência
O Orientador Educacional e as Queixas Escolares: relato de experiênciaO Orientador Educacional e as Queixas Escolares: relato de experiência
O Orientador Educacional e as Queixas Escolares: relato de experiência
 
05p 9-motivação-em-busca-do-conhecimento-geenes
05p   9-motivação-em-busca-do-conhecimento-geenes05p   9-motivação-em-busca-do-conhecimento-geenes
05p 9-motivação-em-busca-do-conhecimento-geenes
 
Contornos projetivos das dificuldades de aprendizagem
Contornos projetivos das dificuldades de aprendizagemContornos projetivos das dificuldades de aprendizagem
Contornos projetivos das dificuldades de aprendizagem
 
Trabalho vocacional
Trabalho vocacionalTrabalho vocacional
Trabalho vocacional
 
Guia do-jornal-escolar-versaoweb
Guia do-jornal-escolar-versaowebGuia do-jornal-escolar-versaoweb
Guia do-jornal-escolar-versaoweb
 
Caderno 4 -_3a_etapa_do_questionario_informativo (1) respondido
Caderno 4 -_3a_etapa_do_questionario_informativo (1)  respondidoCaderno 4 -_3a_etapa_do_questionario_informativo (1)  respondido
Caderno 4 -_3a_etapa_do_questionario_informativo (1) respondido
 

Mais de Katcavenum

01 apostila passo a passo refugiados
01   apostila passo a passo refugiados01   apostila passo a passo refugiados
01 apostila passo a passo refugiados
Katcavenum
 
Apostila 07 redação completa tema publicidade
Apostila 07 redação completa tema publicidadeApostila 07 redação completa tema publicidade
Apostila 07 redação completa tema publicidade
Katcavenum
 
Cartilha da hipocrisia ii
Cartilha da hipocrisia iiCartilha da hipocrisia ii
Cartilha da hipocrisia ii
Katcavenum
 
A essência da literatura na vida cultural e acadêmica
A essência da literatura na vida cultural e acadêmicaA essência da literatura na vida cultural e acadêmica
A essência da literatura na vida cultural e acadêmica
Katcavenum
 
Compilação redação enem temas 2013
Compilação redação enem temas 2013Compilação redação enem temas 2013
Compilação redação enem temas 2013
Katcavenum
 
Apostila editorial slideshare
Apostila  editorial slideshareApostila  editorial slideshare
Apostila editorial slideshare
Katcavenum
 
Nightfall wishes natasha
Nightfall wishes natashaNightfall wishes natasha
Nightfall wishes natasha
Katcavenum
 
Vest 2012 unicamp 4 estudo aplicado redação final imagens esquemas
Vest 2012 unicamp 4 estudo aplicado redação final imagens esquemasVest 2012 unicamp 4 estudo aplicado redação final imagens esquemas
Vest 2012 unicamp 4 estudo aplicado redação final imagens esquemas
Katcavenum
 
Unicamp 3 vestibular 2012 gênero editorial - prática de redação - tema pré-sal
Unicamp 3 vestibular 2012   gênero editorial - prática de redação - tema pré-salUnicamp 3 vestibular 2012   gênero editorial - prática de redação - tema pré-sal
Unicamp 3 vestibular 2012 gênero editorial - prática de redação - tema pré-sal
Katcavenum
 
Vestibular 2012 a redação do enem
Vestibular 2012   a redação do enemVestibular 2012   a redação do enem
Vestibular 2012 a redação do enem
Katcavenum
 
Unicamp probabilidade
Unicamp probabilidadeUnicamp probabilidade
Unicamp probabilidade
Katcavenum
 
Unicamp 3 vestibular 2012 redação unicamp follow the pig
Unicamp 3 vestibular 2012 redação unicamp follow the pigUnicamp 3 vestibular 2012 redação unicamp follow the pig
Unicamp 3 vestibular 2012 redação unicamp follow the pig
Katcavenum
 
Unicamp 2 vestibular 2012 - prática de redação - gênero artigo de opinião -...
Unicamp 2   vestibular 2012 - prática de redação - gênero artigo de opinião -...Unicamp 2   vestibular 2012 - prática de redação - gênero artigo de opinião -...
Unicamp 2 vestibular 2012 - prática de redação - gênero artigo de opinião -...
Katcavenum
 
Unicamp 1 vestibular 2012 gênero artigo de opinião
Unicamp 1 vestibular 2012 gênero   artigo de opiniãoUnicamp 1 vestibular 2012 gênero   artigo de opinião
Unicamp 1 vestibular 2012 gênero artigo de opinião
Katcavenum
 
Freud além da alma
Freud além da almaFreud além da alma
Freud além da alma
Katcavenum
 
Cria cuervos
Cria cuervosCria cuervos
Cria cuervos
Katcavenum
 
Vest 2012 redação padrão fuvest resumida
Vest 2012 redação padrão fuvest resumidaVest 2012 redação padrão fuvest resumida
Vest 2012 redação padrão fuvest resumida
Katcavenum
 
Vest 2012 redação padrão fuvest
Vest 2012   redação padrão fuvestVest 2012   redação padrão fuvest
Vest 2012 redação padrão fuvest
Katcavenum
 
VEST 2012 Redação padrão fuvest + DICAS DE PORTUGUÊS
VEST 2012 Redação padrão fuvest + DICAS DE PORTUGUÊSVEST 2012 Redação padrão fuvest + DICAS DE PORTUGUÊS
VEST 2012 Redação padrão fuvest + DICAS DE PORTUGUÊS
Katcavenum
 
Vestibular 2012 redação seqüência projeto de texto fuvest 2011
Vestibular 2012 redação seqüência projeto de texto fuvest 2011Vestibular 2012 redação seqüência projeto de texto fuvest 2011
Vestibular 2012 redação seqüência projeto de texto fuvest 2011
Katcavenum
 

Mais de Katcavenum (20)

01 apostila passo a passo refugiados
01   apostila passo a passo refugiados01   apostila passo a passo refugiados
01 apostila passo a passo refugiados
 
Apostila 07 redação completa tema publicidade
Apostila 07 redação completa tema publicidadeApostila 07 redação completa tema publicidade
Apostila 07 redação completa tema publicidade
 
Cartilha da hipocrisia ii
Cartilha da hipocrisia iiCartilha da hipocrisia ii
Cartilha da hipocrisia ii
 
A essência da literatura na vida cultural e acadêmica
A essência da literatura na vida cultural e acadêmicaA essência da literatura na vida cultural e acadêmica
A essência da literatura na vida cultural e acadêmica
 
Compilação redação enem temas 2013
Compilação redação enem temas 2013Compilação redação enem temas 2013
Compilação redação enem temas 2013
 
Apostila editorial slideshare
Apostila  editorial slideshareApostila  editorial slideshare
Apostila editorial slideshare
 
Nightfall wishes natasha
Nightfall wishes natashaNightfall wishes natasha
Nightfall wishes natasha
 
Vest 2012 unicamp 4 estudo aplicado redação final imagens esquemas
Vest 2012 unicamp 4 estudo aplicado redação final imagens esquemasVest 2012 unicamp 4 estudo aplicado redação final imagens esquemas
Vest 2012 unicamp 4 estudo aplicado redação final imagens esquemas
 
Unicamp 3 vestibular 2012 gênero editorial - prática de redação - tema pré-sal
Unicamp 3 vestibular 2012   gênero editorial - prática de redação - tema pré-salUnicamp 3 vestibular 2012   gênero editorial - prática de redação - tema pré-sal
Unicamp 3 vestibular 2012 gênero editorial - prática de redação - tema pré-sal
 
Vestibular 2012 a redação do enem
Vestibular 2012   a redação do enemVestibular 2012   a redação do enem
Vestibular 2012 a redação do enem
 
Unicamp probabilidade
Unicamp probabilidadeUnicamp probabilidade
Unicamp probabilidade
 
Unicamp 3 vestibular 2012 redação unicamp follow the pig
Unicamp 3 vestibular 2012 redação unicamp follow the pigUnicamp 3 vestibular 2012 redação unicamp follow the pig
Unicamp 3 vestibular 2012 redação unicamp follow the pig
 
Unicamp 2 vestibular 2012 - prática de redação - gênero artigo de opinião -...
Unicamp 2   vestibular 2012 - prática de redação - gênero artigo de opinião -...Unicamp 2   vestibular 2012 - prática de redação - gênero artigo de opinião -...
Unicamp 2 vestibular 2012 - prática de redação - gênero artigo de opinião -...
 
Unicamp 1 vestibular 2012 gênero artigo de opinião
Unicamp 1 vestibular 2012 gênero   artigo de opiniãoUnicamp 1 vestibular 2012 gênero   artigo de opinião
Unicamp 1 vestibular 2012 gênero artigo de opinião
 
Freud além da alma
Freud além da almaFreud além da alma
Freud além da alma
 
Cria cuervos
Cria cuervosCria cuervos
Cria cuervos
 
Vest 2012 redação padrão fuvest resumida
Vest 2012 redação padrão fuvest resumidaVest 2012 redação padrão fuvest resumida
Vest 2012 redação padrão fuvest resumida
 
Vest 2012 redação padrão fuvest
Vest 2012   redação padrão fuvestVest 2012   redação padrão fuvest
Vest 2012 redação padrão fuvest
 
VEST 2012 Redação padrão fuvest + DICAS DE PORTUGUÊS
VEST 2012 Redação padrão fuvest + DICAS DE PORTUGUÊSVEST 2012 Redação padrão fuvest + DICAS DE PORTUGUÊS
VEST 2012 Redação padrão fuvest + DICAS DE PORTUGUÊS
 
Vestibular 2012 redação seqüência projeto de texto fuvest 2011
Vestibular 2012 redação seqüência projeto de texto fuvest 2011Vestibular 2012 redação seqüência projeto de texto fuvest 2011
Vestibular 2012 redação seqüência projeto de texto fuvest 2011
 

Último

Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 

Último (20)

Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 

Vest 2012 unicamp 5 os finalmentes vários gêneros textuais

  • 1. ENCARTE DO LIVRO – ESTUDO APLICADO www.katcavernum.com.br www.twitter.com/katcavernum
  • 2. 02 – allencar rodriguez 1 – MANIFESTO Texto argumentativo: ◊argumentação, expressão de opiniões Intencionalidade comunicativa: ◊persuasiva cujo objetivo é impactar a opinião pública Componentes lingüísticos: ◊verbos no presente do indicativo (vamos – temos – queremos – lutamos) ou no imperativo (veja – lute – conquiste). Define-se Manifesto como um texto de natureza dissertativa e persuasiva. Seu objetivo é impactar a opinião pública, então a linguagem persuasiva é fundamental. Junto a isso, deve ter argumentos convincentes e expositivos que deverá enfatizar os aspectos positivos do assunto ou deverá fazer um apelo emocional sobre uma situação. Porém não há uma estrutura fixa a ser seguida, neste texto dissertativo a linguagem deve estar de acordo com o público alvo, no entanto não utilize gírias, tampouco palavras de baixo calão. Quando se trata de emoção, o manifesto levanta argumentos sobre algo que já é polêmico, a fim de despertar indignação, revolta e protestos. Deixe bem claro o problema discutido, a análise pessoal a respeito do problema e os argumentos que justificam a escrita do manifesto. Por ser um texto dissertativo siga a estrutura dada nesse livro. Geralmente os verbos estão ou no presente do indicativo (vamos, temos, queremos, lutamos) ou no imperativo (veja, lute, conquiste). Estrutura do Manifesto: Título – Local – Data – Assinatura no final (sem identificar seu nome – se você identificar seu nome a sua redação poderá ser anulada). PROPOSTA Leia o excerto abaixo tirado do livro “Contornos Projetivos das Dificuldades de Aprendizagem Uma Abordagem Psicopedagógica Psicanalítica Winnicottiana”. Imagine que você é mãe/pai de um aluno e ao conhecer o índice Saresp das escolas de seu bairro, resolveu fazer um manifesto e decidiu divulgá-lo na sua comunidade. Esse manifesto deverá, necessariamente:
  • 3. estudo aplicado redação 03 • evidenciar sua insatisfação pelos gestores da unidade escolar e justificando o motivo do baixo índice do Saresp; e • convocará os leitores a aderir à causa pela otimização de três projetos pedagógicos no contexto da socialização, adolescência e saúde. Todo ano a incompetência da unidade escolar no processo ensino/aprendizagem/gestão é representada, em parte, pelo Índice do Desenvolvimento Escolar (Idesp). Digo em parte, pois dentro do parâmetro de sua avaliação, além das provas objetivas que incluem Português, Matemática e Ciências, é considerado também o Fluxo Escolar¹. Nesse caso podemos dizer que os números da evasão são reais da mesma forma que os números dos repetentes. Já, o número estatísticos dos promovidos é norteado pela necessidade do gestor (diretor(a) da escola) em manter seus índices de aprovação o qual incide diretamente na quantidade de bônus que todos da escola receberão, portanto, esses números são falsos, maquiados, envergonhados. Nesse contexto a tão sonhada Progressão Continuada² idealizada por Paulo Freire³ dá lugar à Promoção Continuada4. Dezenas de alunos são promovidos sem atingir os objetivos reais da Progressão Continuada entre elas benefícios quanto a diminuição efetiva da evasão escolar, inovações didáticos/pedagógicas, mudança no comportamento do aluno, real diminuição dos índices de repetência decorrente do cumprimento explícito em seu próprio nome “Progressão Continuada” o que significa promover ao aluno um ensino de qualidade, inclusão e igualdade de oportunidades e produção de conhecimentos. Se para esses alunos o futuro acadêmico, econômico e social é, certamente, nebuloso podemos então construir uma hipótese real àqueles que dentro de um contexto tão fraco no âmbito da formação de elementos que possam representar perante a sociedade sua cidadania com questionamentos críticos, compreensão e reflexão de mundo e promover mudanças apresentarem já no início de suas vidas acadêmicas dificuldades de aprendizagem no âmbito da leitura, escrita e cálculo e são promovidos junto aos que não adquirem um mínimo de conhecimento cognitivo e vêem a escola como referencial de desenvolvimento e progresso. 1 Fluxo escolar: análise do comportamento da progressão dos alunos em relação à sua condição de promovido, repetente ou evadido. 2 Progressão Continuada: regime educacional que leva em consideração o progresso do aluno 3 Educador brasileiro que se destacou por seu trabalho na área da educação popular, voltada tanto para a escolarização como para a formação da consciência. 4 Uma idéia distorcida da Progressão Continuada Contornos projetivos das dificuldades de aprendizagem. Allencar Rodriguez – 1ª edição – São Paulo: Ecel Editora,2009.
  • 4. 04 allencar Rodriguez Veja exemplo de um manifesto: A DE(GESTÃO) DA UNIDADE ESCOLAR A incompetência no setor da educação, muito claro explicitado no excerto apresentado, é grotesca em todos os seus setores no que diz respeito à educação pública básica até o ensino médio. Dentro desse contexto podemos inserir também o atual exame do ENEM. Isso reforça o propósito desse manifesto: se nem uma prova confiável o governo federal tem a capacidade de elaborar imaginemos então como fica a gestão da unidade escolar. Há tempos um indivíduo faz uma graduação numa “faculdadezinha” de final de semana, depois compra uma apostila de concursos numa banca de jornal, presta um concurso para professor e depois de um tempo já como “professor” compra outra apostila ou faz um curso qualquer presta um novo concurso e se torna gestor. Isto é, um incompetente gestor, digno de sua formação, de uma relevante instituição social: a de ensino. Daí é fácil verificar, pelos índices, os semi-analfabetos que terminam o ensino médio e são aprovados ao longo do processo escolar. Muitos aprovados por um incompetente conselho de classe sob a pressão dos gestores. Esses indivíduos saem a rua sem nenhuma competência para o cotidiano social institucional e são reprovados por essas instituições. Então, conclamo todos os pais e mães de nossa comunidade a reagirem de forma inteligente e coordenada contra a gestão de diretores e vice-diretores que nada, absolutamente nada fazem pela melhoria do processo ensino/aprendizagem em suas escolas. De nada adianta o governo gastar milhões de reais em materiais didáticos/pedagógicos, infra-estrutura e capacitação de professores se seus gestores agem como um câncer que destrói a iniciativa do governo estadual. Devemos lutar juntos, uma vez que o direito de nossos filhos de uma educação de qualidade além de moral é fundamentado pela constituição. Queremos que isso seja promovida por esses maus gestores. Vamos propor as escolas de nosso bairro três projetos pedagógicos, um no âmbito da projeção das artes coletivas como teatro, pintura, música e esporte, outro desvelando o momento adolescente quanto à sexualidade, a convivência e as drogas e por último um enfoque sobre a importância da saúde estética e bucal. Vamos lutar e conquistar esse espaço de cooperação e cobrança junto às escolas, pois apenas dessa forma nossos filhos poderão ter um futuro melhor. Por outro lado, se os diretores e vice-diretores não aceitarem a aplicação desse manifesto, vamos pedir suas exonerações junto ao governo do estado.
  • 5. estudo aplicado redação 05 2 - ESTUDO DE GÊNEROS NARRATIVOS 2.1 – CONTOS Texto narrativo: ◊ação através da criação da intriga no domínio do verossímil. Intencionalidade comunicativa: ◊cultura literária ficcional. Componentes lingüísticos: ◊tempo verbal, articuladores temporais e espaciais, modo subjuntivo da narrativa, verbos regulares. Basicamente a estrutura do conto se caracteriza pela própria estrutura da narrativa. Isto é, no conto existe um único enredo onde é desenvolvido um drama, inserido nesse drama há um conflito que passa o (s) personagem (s) num tempo curto (manhã, tarde, noite, madrugada, um dia) e num espaço (cenário) bem definido. Na narrativa são desenvolvidos os elementos narrativos (criação de uma atmosfera – desenvolvimento de uma seqüência de acontecimentos em torno do conflito que se intensifica até o clímax – finalizar a narrativa com um desfecho que é a solução do conflito do personagem ou personagens). Outra característica do conto é que o desfecho, em alguns casos, pode ficar em aberto, cabendo ao leitor colocar suas próprias impressões sobre o fato e criar o seu fim de fato. 2.2 – ROMANCE Texto narrativo: ◊um condensado de ficção e realidade. Intencionalidade comunicativa: ◊cultura literária ficcional. Componentes lingüísticos: ◊tempo verbal, articuladores temporais e espaciais, modo subjuntivo da narrativa, verbos regulares.
  • 6. 06 allencar Rodriguez - Natasha. Temos que conversar. Por favor. Eu preciso de você. - disse Newton deixando lágrimas emotivas escorrer de seus olhos. – Diga-me qualquer coisa. Eu aceito tudo. - Perdoe-me Newton. Eu... Sou homem... Noite fria de inverno. Uma leve neblina movia por entre as luminárias de mercúrio maculando a extensa avenida numa cor rósea num instante em que os ponteiros do relógio da matriz se encontravam pela última vez naquele dia. Em concomitância com esse cenário o diálogo intrigante quebrou o silêncio do início da madrugada. Veja: O início de um romance determina o estímulo da continuidade da leitura. Se esse movimento for positivo é sinal de que o interlocutor enunciador (você) foi feliz na composição de seu projeto de texto e o interlocutor receptor (leitor) teve sua curiosidade impulsionada em direção a querer saber qual o desfecho de sua história. Desta forma, no início de seu romance crie uma situação repentina e precisa no tempo e no espaço inserindo nesse cenário um ou mais personagens cuja situação de interlocução entre ambos sejam motivadores ou intrigantes e que provoque uma sensação de espanto ou surpresa ou até mesmo perplexidade no leitor. Depois: Na seqüência prenda a atenção do leitor nos aspectos físico e psicológicos que provocaram o início da narrativa. Envolva o leitor numa forma a colocá-lo na cena e no cenário do conflito. Descreva os acontecimentos fundamentalmente por meio das percepções sensoriais já experienciadas por esse leitor. Faça-o ver, ouvir e sentir as aflições dos personagens com a tonalidade da voz, a descrição física e psíquica, o amor ou a dor. Por meses Newton, um rapaz jovem, sonhador e conservador, tentou aclarar seus sentimentos de paixão e amor e dor por Natasha. Mulher belíssima, voz sedosa, escultural morena, cabelos longos, lisos e quentes. Belos e suculentos quadris. Altura de fada e olhar furtivo de fuinha. Seu discreto ar de mistério e solitária pulverizou os sentimentos de Newton.
  • 7. estudo aplicado redação 07 Por último: O final de um romance não precisa seguir um caminho que satisfaça a projeção do leitor. Tanto importa se o enredo termina bem ou mal. Porém, seguindo o mesmo padrão dos contos, a narrativa precisa ter um desfecho que apresente no mínimo um estado de surpresa ao leitor. Algo inesperado, envolvente, seja no sentido da felicidade ou do sofrimento. Finalmente, depois de meses de assédio, depois de um jantar Newton estava numa encruzilhada de sentimentos numa fria avenida. - Não brinque com isso Natasha. - Não é brincadeira. Estou apaixonada por você, mas, eu sou homem. Assustado, Newton tornou seus olhos para longe no horizonte esfumaçado virando- se. Pensou... Pensou... E pensou. Virando-se para Natasha, olhou profundamente em seus olhos, aproximou-se e disse: - Natasha! Você quer viver comigo? 3 - ESTUDO DE GÊNEROS INFORMATIVOS 3.1 – NOTÍCIA Texto informativo: ◊representa o discurso de relatar ou comunicar experiências vivenciadas situadas no tempo e no espaço. Intencionalidade comunicativa: ◊revelar fatos e acontecimentos factuais que provoquem a atenção e a curiosidade do público. Componentes lingüísticos: ◊figuras de linguagem, preposição, uso dos porquês. A função da notícia (composta de duas partes) é manter o cidadão atualizado, por isso, o texto além de ser atrativo deve trazer contexto no âmbito da informação, conhecimento e a notificação. Desta forma, a notícia deve comunicar um fato sem expressar argumentos sobre esse fato. Como também deve ser respeitada a importância do enunciado, a coesão e coerência do relato.
  • 8. 08 allencar Rodriguez Para compor uma notícia a partir do texto fonte siga os seguintes procedimentos para a construção de seu projeto de texto: a) Para se ter notícia tem que ter um acontecimento. Identifique qual é o acontecimento de deve ser construído seguindo o propósito do texto. b) Descreva (ou deixe claro) o local da ocorrência do acontecimento (cidade, bairro, estado, país) dentro do propósito da redação. c) Especifique o tempo da ocorrência: manhã, tarde ou noite, dia, mês. Tudo de acordo com o propósito da redação. d) Informe o motivo da ocorrência do acontecimento e os elementos envolvidos na ocorrência. e) Descreva as possíveis conseqüências do episódio. Depois disso crie a manchete (resume a notícia e tem o objetivo de atrair o leitor) da notícia (parte 1) e construa um texto (é a narrativa dos acontecimentos) com os elementos do projeto de texto (parte 2). Leia exemplo abaixo: Avião monomotor cai no interior de São Paulo Piloto é surpreendido por tempestade e não consegue evitar acidente. A tempestade chuvosa da tarde de ontem (22/10) provocou um grave acidente. Um monomotor sobrevoava a cidade de Bauru por volta das 15hs quando ventos fortes seguidos de uma intensa tempestade fez o piloto perder o controle da aeronave. O avião caiu chocando-se contra uma construção. A bordo estavam dois empresários e o piloto. Apenas um dos passageiros resistiu ao impacto e relatou momentos de desespero. “O avião balançava muito e o piloto entrou em pânico”. Depois de uma breve entrevista o empresário Antonio Carlos (35), foi levado ao hospital, onde foi confirmado que ele teve fratura na perna esquerda. O monomotor foi encontrado em uma construção que estava abandonada. Entretanto os fios elétricos e o transformador do bairro onde o avião caiu foram danificados pelo choque. Isso gerou falta de energia elétrica no bairro trazendo desconforto aos moradores. Segundo a Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL) pela gravidade dos estragos a situação deverá permanecer assim por dois ou três dias, pois o transformador e toda a fiação da rua onde aconteceu o acidente deverá ser trocado. Thuane facion
  • 9. estudo aplicado redação 09 3.2 – INFORME Texto informativo: ◊fundamentado na descrição de um fato, um acontecimento. Intencionalidade comunicativa: ◊fornecer informações no contexto da veracidade. Componentes lingüísticos: ◊verbos no presente simples, descrição objetiva, linguagem denotativa. Um texto informativo como o próprio nome já diz, a principal função dele é informar, ou seja, passar uma informação. O melhor exemplo de texto informativo é o jornal. As características deste texto é linguagem culta, direta, deve conter informações, citando fonte e exemplos. Jamais deve conter opiniões pessoais, nesse tipo de texto você não defende idéias. Veja o texto abaixo: Os pulmões e a respiração Jeanne M. Stellman O sistema respiratório é uma das mais importantes vias de entrada para as substâncias tóxicas ou poluentes. Muitas doenças profissionais resultam da acumulação de substâncias químicas tóxicas no próprio sistema respiratório, e outras doenças são causadas pela passagem de substâncias nocivas dos pulmões para o resto do corpo. A finalidade do sistema respiratório é absorver oxigênio do ar e transferi-lo para o sangue. Ele também remove gás carbônico - que é o gás residual produzido pelos processos do corpo - do sangue e o transfere para o ar expirado. Este processo é realizado pelos pulmões. Os pulmões contêm milhões de minúsculos sacos aéreos (alvéolos). O sangue flui em torno deles e fica separado do ar por uma membrana de apenas um milionésimo de polegada de espessura. Esta membrana é tão delgada que os gases podem atravessá-la: oxigênio do ar para o sangue e gás carbônico do sangue para o ar. A cada inalação, ar novo penetra em todo o trato respiratório até os alvéolos pulmonares. O sangue absorve então o oxigênio do ar através da delgada parede do alvéolo, enquanto descarrega gás carbônico no ar. Estas trocas se efetuam de modo bastante rápido e, no espaço de uns poucos segundos, o ar dos alvéolos é expirado. Este é o processo da respiração O texto acima é um texto informativo científico. A intenção do autor é fornecer informações consideradas como verdadeira pela ciência.
  • 10. 10 allencar Rodriguez 3.3 – FOLDER DE CAMPANHAS SOCIAIS Texto informativo: ◊de utilidade educativa. Intencionalidade comunicativa: ◊promover orientações de saúde, segurança, prevenção, etc. Componentes lingüísticos: ◊verbos modalizadores, locução verbal. O folder como gênero textual é caracterizado nesse sentido a partir de sua função social. Sua linguagem simples, concisa, curta e direta potencializa o indivíduo necessidades, por exemplo, de fumar menos ou parar de fumar, beber menos, etc. Pela melhoria de sua qualidade de vida. Isso o valoriza o gênero muito além de ser simples instrumento de publicidade idealizado por profissionais de propaganda e marketing presentes na divulgação turística, comercial, bancária entre outros. Porém, folder de serviços e orientações de saúde tem imensa utilidade educativa num país pobre de leitura como o Brasil. Veja um exemplo: Bater em um animal se chama crueldade. Bater em um adulto se chama agressão. Bater em uma criança se chama educação! 4 de Junho: Dia Mundial de Combate à Agressão Contra Crianças. Tapinhas, beliscões, chineladas, gritos... Esses são alguns meios encontrados pelos adultos para “educar” as crianças, mas não passam de violência sob a forma de exercício da autoridade. Os castigos variam de nome e intensidade, mas estão presentes em milhares de lares, escolas e instituições. Tais abusos não só atentam contra direitos fundamentais das crianças e dos adolescentes, como provocam seqüelas emocionais por uma vida inteira. Uma criança ou adolescente que sofre maus-tratos tem seu desenvolvimento comprometido e uma visão distorcida da sociedade.
  • 11. estudo aplicado redação 11 Não permita que isso aconteça. Saiba que: ... A cada minuto 12 crianças são vitimadas no Brasil, 80% das crianças que sofrem exploração sexual foram vítimas de incesto por parte de pais ou parentes, o Brasil está em segundo lugar em exploração sexual comercial perdendo apenas para a Tailândia, a cada hora morre uma criança torturada, queimada ou espancada pelos próprios pais. Fonte: Unicef O que fazer? Denuncie. Não faça parte deste crime. Atenção: Para elaborar um folder numa prova de redação atente-se aos seguintes procedimentos: a) Siga o propósito da redação de acordo com o tema. b) Determine claramente a finalidade de sua produção. c) Divulgue apenas o que é pedido. d) Componha uma linguagem persuasiva. e) Relate casos reais, estatísticos, informações que serão cobradas na grade holística e as orientações inerentes ao assunto. 3.4 – FOLHETOS Texto informativo: ◊de utilidade instrutiva. Intencionalidade comunicativa: ◊servir par instruir as pessoas sobre o modo de agir em relação à determinada questão. Componentes lingüísticos: ◊verbos modalizadores, locução verbal.
  • 12. 12 allencar Rodriguez A estrutura de um folheto é muito simples: os textos são curtos, servem para instruir, as informações são organizadas em tópicos. Em geral os textos trazem ilustrações para que as informações sejam decodificadas mais rapidamente sobre o assunto em questão. Veja exemplo: Você é responsável pela saúde do seu cão e gato. Vacine seu animal anualmente. Lembre-se Cães e gatos devem ser vacinados a partir dos 3 meses de idade inclusive as fêmeas que estiverem amamentando, prenhas ou no cio; O animal vacinado pela primeira vez deve ser revacinado após 30 dias, o proprietário deve solicitar informações sobre onde revacinar no posto volante; A rotina de banhos e alimentação deve ser normal para a data da vacinação; Os animais devem ser transportados com segurança evitando acidentes; Cães bravos devem usar mordaça; Os gatos devem ser transportados em caixa de transportes adequados ou similares; As seringas e agulhas são descartáveis e a vacinação é gratuita. 4 - ESTUDO DE GÊNEROS EXPOSITIVOS 4.1 – REPORTAGEM Texto expositivo: ◊de natureza investigativa. Intencionalidade comunicativa: ◊expor resultados de pesquisa sob um eixo temático geral ou específico relativos ao diagnóstico de um problema, fenômeno, ou objeto. Componentes lingüísticos: ◊verbos ativos
  • 13. estudo aplicado redação 13 A característica da reportagem é levar os fatos de maneira abrangente demonstrando capacidade intelectual, criatividade e sensibilidade num contexto de subjetividade. A narrativa deve ser dinâmica e coesa. Para construir seu projeto de texto faça a apropriação do propósito do texto que deve ser construído. Considere os interlocutores envolvidos e partir disso pense em um quadro, uma figura ou uma pintura que retrata os elementos que estarão presentes na reportagem. Depois disso, faça um relato de ação desse quadro que você imagina estar pintando, descreva os personagens, o lugar ou lugares e as situações. Nessa narrativa revele suas próprias emoções no qual você tomou parte ou não. Se você tomou parte descreva os sentimentos experimentados. Se for necessário (ou se for o propósito do texto a ser criado) narre uma conversa usando o discurso direto. Lembre-se, o assunto deve despertar a atenção do leitor (interlocutor) e a linguagem precisa ser clara. Crie uma manchete interessante. Veja a diferença entre notícia e reportagem: A notícia informa fatos de maneira OBJETIVA apontando as RAZÕES e os EFEITOS. A reportagem é investigativa – apresenta comentários SUBJETIVOS – levanta questões – discute e argumenta. A reportagem escrita é dividida em três partes: Manchete: resume a notícia e tem o objetivo de atrair o leitor Lead: pequeno resumo que aparece depois do título, a fim de chamar mais atenção do leitor. Corpo: Desenvolvimento do assunto abordado com linguagem direcionada ao público- alvo. Notícia Reportagem Manchete Manchete Corpo Sub-manchete Textual Corpo Textual
  • 14. 14 allencar Rodriguez 4.2 – RESUMO Resumo é um texto reduzido aos seus tópicos principais. Nesse tipo de gênero textual não se incluem detalhes, não existe comentários, argumentos, julgamentos. Um resumo não é uma crítica, assim como é a resenha. O objetivo principal do resumo é informar sobre o que é de mais importante contextualizado num texto. Antes de você começar a escrever, você deve construir um projeto de texto fazendo uma lista dos importantes fatos apresentados no texto fonte. Certifique-se de que na sua lista esteja incluso questões fundamentais como: Quem? Quando? Qual? Onde? Por quê? O que? Como? Anule de seu projeto de texto itens que são meramente detalhes. Escreva os fatos da lista em forma de sentenças completas. Tende combinar algumas idéias com as conjunções (e, mas, ou, porém, porque) e assim por diante. Certifique-se de que sua lista esteja numa seqüência lógica. NOTA: se o texto for do tipo narrativo ou descritivo, preste atenção aos elementos pertinentes a estrutura narrativa e se for descritivo preste atenção aos elementos pertinentes a nossa percepção sensorial. Veja capítulo VII, página 51. Leia o artigo abaixo e escreva em um parágrafo o resumo do artigo: Por que alguns animais deixam de existir? Nos últimos duzentos anos as pessoas têm levado muitas espécies de animais à sua extinção. As pessoas continuam construindo casas e indústrias nos campos e em bosques. Assim que eles se espalham sobre a terra, eles destroem o habitat dos animais. Se os animais não podem encontrar um lugar para viver, eles morrem até se tornarem extintos. Dezesseis tipos de pássaros Havaianos se tornaram extintos por essa razão. Outros animais, como cervos da Florida, podem se tornar extintos muito brevemente, porque eles estão perdendo seus lugares de moradia, reprodução e alimentação. Caçadores também estão contribuindo para esse desastre. No século XIX, os caçadores mataram todas as pombas migrantes da América do Norte e a maioria dos búfalos. Hoje eles são mortos rapidamente por falcões e lobos. A poluição também está dizimando muitas espécies. Assim que os rios se tornam poluídos, os peixes são envenenados. Muito deles morrem. Os pássaros que se alimenta dos peixes envenenados podem também morrer ou produzem ovos não saudáveis e novos pássaros não nascem. Nenhum animal extinguiu-se pelo problema da poluição, mas alguns, como as águias carecas e os pelicanos marrons, tem se tornado raro e a possibilidade de se tornarem extintos são grandes.
  • 15. estudo aplicado redação 15 PROJETO DE TEXTO: Quem? Quando? Qual? Onde? Por quê? O que? Como? Qual?: Qual é o assunto do texto? A extinção dos animais. Onde?: Onde está acontecendo o evento? No Havaí e na Flórida. Quem?: Quem é o responsável? A população que invade o habitat dos animais e os caçadores. O que?: O que está acontecendo com os animais? Os animais morrendo ou sendo mortos até a sua extinção. Qual?: Qual é a responsabilidade? Com a extinção de espécies animais haverá desequilíbrio ecológico. Por quê?: Por que isso está acontecendo? Pela ignorância, a falta de conscientização e políticas públicas de esclarecimento que o evento pode provocar no futuro. No artigo “Por que alguns animais deixam de existir?” O escritor discute os motivos da extinção de alguns animais. O primeiro motivo é porque as pessoas invadem a região de habitat dos animais o que resulta na destruição desse habitat como aconteceu com os pássaros havaianos. Outro motivo são os caçadores que matam os animais até sua extinção. Somado a isso a poluição também pode causar a extinção de algumas espécies de animais. 5 - ESTUDO DO GÊNERO CRÔNICA CRÔNICA A característica mais relevante de uma crônica é o objetivo com que ela é escrita. Seu eixo temático é sempre em torno de uma realidade social, política ou cultural. Sua linguagem tem quase um tom de protesto ou de argumentação com uma dose de lirismo, leveza, uso do humor, brevidade e sensibilidade. Desta forma os escritores desse gênero textual usam esses recursos lingüísticos na construção do humor, da ironia, do lirismo ou da crítica para contextualizar um acontecimento do dia a dia, expressar idéias, sentimentos, emocionar, rir, provocar reflexões e conversar com o leitor por meio de sua escrita.
  • 16. 16 allencar Rodriguez Elementos que não funcionam na crônica: grandiloqüência, sectarismo, enrolação, arrogância, prolixidade. Elementos que funcionam: humor, intimidade, lirismo, surpresa, estilo, elegância, solidariedade. (Ivan Ângelo). Podemos identificar duas maneiras de se produzir uma crônica: a primeira é a narrativa (que pode ser em forma de conto), que conta um fato do cotidiano, utilizando-se de personagens, enredo, espaço, tempo, etc. A outra maneira é a crônica dos textos jornalísticos, é uma forma mais moderna do gênero, e ao contrário da outra não narra e sim disserta, defende ou mostra um ponto de vista diferente do que a maioria enxerga. AlÉm disso, por ser um gênero textual muito flexível pode se expressar ainda como uma poesia ou um ensaio, sem se confundir com nenhum deles, como diz Ivan Ângelo na crônica intitulada “sobre a crônica” que diz: “Uma leitora se refere aos textos aqui publicados como “reportagens”. Um leitor os chama de “artigos”. Um estudante fala deles como “contos”. Há os que dizem: “seus comentários”. Outros os chamam de “críticas”. Para alguns, é “sua coluna”. Estão errados? Tecnicamente, sim – são crônicas -, mas... Fernando Sabino, vacilando diante do campo aberto, escreveu que “crônica é tudo que o autor chama de crônica.” (...) Mas Rubem Braga ... Respondeu assim a um jornalista que lhe havia perguntado o que é crônica: - Se não é aguda, é crônica.” (Extraído de www.quemtemsedevenha.com.br/cronica e contos.htm – acesso em 27/02/2010) Por isso, a crônica é uma escrita tão suave que mais parece uma conversa entre os interlocutores cronista e leitor onde o escritor busca emocionar e envolver seu leitor num contexto de reflexão sobre um assunto de realidade social e factual. Para isso ele faz uso dos tons de protesto ou de argumentação, mas sempre com uma dose, ora poético, ora filosófico, ora humorístico, satírico ou irônico. Desta forma, se o propósito da redação para a produção escrita de uma crônica for pedido para usar o tom da poesia, o vestibulando deve produzir uma prosa poética como Paulo Mendes Campos em “o amor acaba” (o qual o autor tem como tema, assunto e cenário: a fugacidade/eternidade do amor – em muitos lugares da cidade. Situação do cotidiano retratado: o amor acaba para recomeçar sempre, em todos os lugares. Tom do texto e foco narrativo: Prosa poética, em tom existencial – auto-observador).
  • 17. estudo aplicado redação 17 VEJA AGORA EXEMPLOS DE PROSA POÉTICA DE ACORDO COM A ESTRUTURA DA REDAÇÃO DO VESTIBULAR DA UNICAMP (aproximadamente 25 linhas) – tema desigualdade social Prosa poética Libertas que será tamen É notório ver pessoas pedindo esmola nas artérias das grandes cidades, o olhar penoso de quem nunca desfrutou de uma boa refeição cuja veia quase não tem força de sustentar seu coração. O desenvolvimento sem o progresso. Inúmeros arranha-céus onde pessoas vivem suas vidas de inferno debaixo das marquises iluminadas com neon, inúmeras favelas iluminadas à luz de velas. Brasil desenvolvido economicamente, mas desigual socialmente. Ciclo vicioso cujo fim está longe de acontecer que perdura todo dia do amanhecer ao anoitecer. Tudo gira em torno de interesses políticos, ricos políticos que se sustentam na fome daquele que não tem estudo, trabalho e oportunidades. Buscando sua liberdade a pobreza está em todos os lugares, a cegueira social está em todos os lugares, os porcos políticos estão em todos os lugares, porém escondida está a educação de qualidade, acessível somente para uma parcela da população. O Brasil começará a mudar não como o poeta Patativa de Assaré dissera num de seus poemas, na inversão do Brasil de cima pelo Brasil de baixo, mas quando houver igualdade, liberdade e fraternidade por todo o território nacional. A falta de princípios morais agrava a situação de desigualdade. O descaso governamental é uma conseqüência disso. Claro! A ignorância rende votos. É cômodo dar esmolas mesmo que seja em bolsa transformada em sacolas nos programas governamentais e não dar educação para o pobre viver sem ração. Muito tempo já se passou desde a República Oligárquica, porém os políticos de hoje são verdadeiros coronéis. Uma verdade que poderia ser mentira. Prisão que encarcera o povo na ignorância, na mentira e na miséria. Bruna Ricci
  • 18. 18 allencar Rodriguez Vidas secas As vidas secas desse Brasil, as quais muitas são as Severinas, que vieram ou vivem nas terras ossudas nordestinas do João Cabral. Aquelas que se encontram sob o manto da repressão, as vidas que são secas de poder, secas de amor, de conhecimento, cultura e alimento. Aquele mesmo seco que molha a carne do carniceiro dono de extensas terras serve de comida do corvo e é enganado pelo poder público do presidente molusco. Mãos na lama, mãos na terra, mãos na morte, nos tijolos, na calçada, no sangue, mãos longe do dinheiro, da educação e da oportunidade. Dinheiro do sujo, que vai pro sujo, que está com o sujo, que veio do sujo, e que nunca vai pro limpo, que por ironia está no limbo escondidos nas cuecas e nas maletas da corrupção de políticos porcos que chafurdam no dinheiro sujo. Para as vidas secas desse meu Brasil, que não se limitam só pelo clima seco, ao contrário é belo e varonil, muitas vezes na sarjeta, dormem sob o clima frio da madrugada e também dormem para o congelamento da alma, alma que é dura como diamante, alma que de tanto batida, tornou-se impura aos olhos da desigualdade social. Enquanto alguns vivem no lago, essa é a vida da seca, amarga e cruel. Bem vindo à desigualdade social de um Brasil gigante pela própria natureza, desigual sem nenhuma beleza, regido pelo governo com destreza no sentido da incerteza se um sonho intenso de amor e de esperança a terra descerá. E que o formoso céu, risonho e límpido a imagem do cruzeiro, as vidas secas, um dia resplandecerá. Isadora Carolina Betim Pavan. Se for pedido uma forma como o ensaio siga o padrão de Ivan Ângelo em “sobre a crônica” (o qual o autor tem como tema, assunto e cenário: reflexões filosóficas a respeito do que os leitores acham o que é crônica. Situação do cotidiano retratado: a interpretação que o leitor faz do que é um texto escrito. Tom do texto e foco narrativo: Ensaio (autor- argumentador), onde por meio de articulações argumentativas o autor defende sua idéia). Se for pedido na forma narrativa siga o padrão de Fernando Sabino em “a última crônica” (o qual o autor tem como tema, assunto e cenário: Amor (cidade – bar). Situação do cotidiano retratado: Pai e mãe comemoram aniversário da filha no bar. Tom do texto e foco narrativo: Lírico (autor-personagem).
  • 19. estudo aplicado redação 19 VEJA AGORA EXEMPLOS DE TOM LÍRICO DE ACORDO COM A ESTRUTURA DA REDAÇÃO DO VESTIBULAR DA UNICAMP (aproximadamente 25 linhas) – tema desigualdade social Tom lírico Desigualdade da fome A noite começa a cair. Começa a esfriar e ao sair do trabalho resolvo ir jantar. Ao chegar ao restaurante, logo peço ao garçom uma mesa para um. Ele pede para eu segui-lo. Acomodo-me em numa mesa próxima á uma janela. Está um clima aconchegante dentro do restaurante. O clima frio ficou do lado de fora. Com os olhos de uma criança que observa a vitrine de uma loja de doces e com a fome de alguém que poderia comer uma vaca inteira, dinheiro para isso não falta, olho o cardápio e não demoro a escolher o que procurava. Ergo a minha mão e imediatamente chega o garçom que anota o meu pedido. Enquanto espero observo pela janela o ambiente fora do restaurante. Minha visão se perde no peso de meus pensamentos. Penso muito no carro que vou trocar no final do ano. Na reforma do meu apartamento na praia. Na compra de um terreno nas montanhas e em outros frutos do consumismo. De repente um vulto chama minha atenção. Coberto por trapos e fuçando alguns sacos um espectro se confunde com o ambiente. Então percebo que é um garoto que mais parece um cachorro fuçando lixo em busca de comida. De surpresa seus olhos cruzam com os meus. Olhos murchos, miúdos e cansados de fome. Existe um instante de excitação. Então o pequeno vulto some na escuridão da noite. Volto ao mundo real ao som do garçom distribuindo meu pedido sobre a mesa. Num canto um suculento filé mignon ao molho madeira, num outro uma salada mista coberta de tomates secos com caldo de manga. O vinho do porto derramado no copo pelo garçom parecia o sangue da vida que nos move em direção ao nosso destino. Por alguns instantes fixo meus olhos na abundância daquela refeição. Meus olhos pareciam os mesmos daquela criança que escondeu sua fome na escuridão da noite. Nesse momento minha fome sumiu junto com o pequeno vulto esfarrapado que caminha por um mundo desigual o qual dele ninguém sabe ninguém viu. André Lucas
  • 20. 20 allencar Rodriguez No engarrafamento da vida Era meio dia em São Paulo. A cidade suava em busca de sua riqueza diária. O asfalto cozinha o trânsito pesado das avenidas e das marginais. Como combinado com minha mulher eu buscaria meus filhos na escola naquele dia e os levaria para o curso de Inglês. Depois de algum almoço rápido em algum “fast food”. No tráfego intenso e arrastado, o ar condicionado de meu veículo aliviava meu sofrimento de calor num dia de novembro. Porém, a comodidade do ar consumia parte do meu orçamento. Pensando em meu destino e nos meus custos de repente o transitou travou. Por alguns minutos o congestionamento se eternizou. No conforto do ar fresco e das músicas do som importado de meu carro me faziam sonhar com o fim de semana na minha casa da praia. De repente, como se estive num estágio de inconsciência, me vi num contexto de observação dos ambulantes que margeavam a longa avenida tentando honestamente ganhar um pouco de sustento e dignidade para os membros de suas famílias. Famílias separadas da minha num sentido de desigualdade social. Naquele universo de pessoas maltratadas, carentes de sorrisos e deprivadas de sonhos, um garoto me chamou a atenção. Ela tinha aproximadamente uns 10 anos, estava descalço e carregava uma caixa de isopor sobre a cabeça. Parecia pesada pela dificuldade que o garoto tinha em sustentá-la. O garoto caminhava em minha direção. Seu movimento titubeante pulverizou meus sentimentos de custo, de almoço e viagem no final de semana. Eu gostaria de ignorar aquele momento. Não consegui. O menino tinha a mesma idade de meu filho mais velho que estava na escola preocupado com sua tarde de estudos. Além dos jogos on-line, filmes e músicas que preencheriam sua tarde enquanto aquele enfrentava naquele movimento sua infância perdida. O garoto estava vendendo garrafas de água. Abri a janela do carro e comprei quatro unidades. Uma para mim e outras três para quem não projetaria naqueles frascos o luxo que os cercava. O menino, simplesmente, agradeceu e foi embora. Desliguei o rádio, o ar condicionado, deixei a janela aberta e com peso na alma desviei do trânsito pesado no primeiro viaduto e segui meu destino. Um pouco triste, um pouco cansado, muito chateado. Augusto Bortoluci
  • 21. estudo aplicado redação 21 Ou ainda se for pedido a construção de uma crônica em tom de humor siga o padrão de Moacyr Scliar em “cobrança” (o qual o autor tem como tema, assunto e cenário: dívidas e como são cobradas (cidade – casa com janela para a rua). Situação do cotidiano retratado: Um cobrador (o marido) cobra publicamente a devedora (a esposa). Tom do texto e foco narrativo: Humorístico (autor-observador). Se for pedido a construção de uma crônica em tom de ironia siga o padrão de Machado de Assis em “um caso de burro” (o qual o autor tem como tema, assunto e cenário: Reflexões sobre a submissão humana (cidade – rua). Situação do cotidiano retratado: Um burro deitado na calçada, agonizante. Tom do texto e foco narrativo: Irônico (autor- personagem). Para produzir uma crônica siga as orientações abaixo: Lembre-se, os temas geralmente são ligados a questões éticas, de relacionamento humano, de relações entre grupos econômicos, sociais e políticos. Como também o texto é curto que narra episódios corriqueiros e às vezes banais. a) Dentro do propósito da redação identifique a idéia central do enredo que deve ser seguido no contexto da sensibilidade. Isto é, se o enredo deve ter um teor de entusiasmo, horror, desânimo, indignação, felicidade, compaixão, etc. isso pode ajudá-lo a escrever a crônica com maior facilidade buscando corretamente o tom (se não for pedido) da crônica (humorística, irônica, lírica, crítica). b) Formule algumas opiniões sobre o fato no tom da crônica que sera elaborada. c) Use figura de linguagem como recursos para realçar uma idéia como: metáfora, comparação, catacrese, prosopopéia, etc. d) Lembre-se você tem dois instrumentos básicos para elaborar sua crônica: o olhar e a linguagem. Com o olhar você reconhece o acontecimento, isto é, o momento que merece ser preservado e com a linguagem, você retrata a situação, e as figuras de linguagem o ajudam a enfatizar as suas idéias.
  • 22. 22 allencar Rodriguez 6 - ESTUDO DO GÊNERO CARTA CARTA A carta e um dos instrumentos mais úteis em situações diversas. É um dos mais antigos meios de comunicação. As cartas são variadas em suas formas de realização, em seus objetivos, intenções e propósitos. Sua construção segue o padrão abaixo: INTERLOCUÇÃO IMAGENS IMAGENS DE QUEM ESCREVE A CARTA A QUEM SE DESTINA A CARTA (interlocutor) 6.1 – CARTA ARGUMENTATIVA A estrutura de uma carta argumentativa Início: identifica-se o interlocutor. A forma de tratá-lo vai depender do grau de intimidade existente. É necessário mostrar respeito pelo interlocutor. Na falta de um pronome adequado dirigi-se a ele como “senhor” ou “senhora”. Guaratinguetá, 09 de dezembro 1982 Prezado Sr. Ricardo Fontanari Corpo Textual Agradecimentos, Iniciais do Nome
  • 23. estudo aplicado redação 23 A proposta de carta argumentativa pressupõe um interlocutor específico para quem a argumentação deverá estar orientada. A carta argumentativa tem a intenção de persuadir um interlocutor específico (convencê-lo do ponto de vista defendido por quem escreve a carta ou demovê-lo do ponto de vista por ele defendido e que o autor da carta considera equivocado). INTERLOCUÇÃO IMAGENS ARGUMENTAÇÃO (construa seu OPAR a partir do propósito da proposta) IMAGENS DE QUEM ESCREVE A CARTA A QUEM SE DESTINA A CARTA (interlocutor) 6.2 – CARTA PESSOAL É a carta que escrevemos para amigos, parentes, namorado (a). Não obedece um modelo próprio e são escritas de uma maneira simples, não possuem regras e estrutura para serem seguidas. A carta quando muito pequena é considerada bilhete. Algumas de suas características são: o tipo de linguagem acompanha o grau de intimidade entre os interlocutores. Nesse caso é permitido termos coloquiais e gírias. Veja a seqüência de uma carta pessoal: Guaratinguetá, 27 de fevereiro de 1980 Querida Valkiria, ou : (vírgula ou dois-pontos) Corpo textual Beijos, ou Saudades, ou Até breve, etc. Iniciais do Nome (à direita) Atenção: na prova de vestibular use apenas as iniciais do nome.
  • 24. 24 allencar Rodriguez 6.3 – CARTA DO LEITOR As cartas do leitor diferenciam-se um pouco das cartas tradicionais por abordarem diretamente o assunto a ser discutido, por serem curtas e não identificam o interlocutor e nem a relação de despedida. A carta do leitor tem como característica uma forma de tornar pública a opinião do autor da carta. Desta forma, o contexto da carta mostra opiniões, sugestões, argumentos, críticas, questionamentos, reflexões, elogios, indignação entre outros. Esse tipo de texto também não possui regras a serem seguidas na sua construção. Para criar uma boa carta desse gênero siga os seguintes passos: De acordo com o propósito da prova, especifique o assunto com brevidade, explicite sua opinião de forma clara e concisa numa linguagem de norma culta da língua portuguesa. No contexto de suas argumentações verifique se são apropriados ao propósito pedido e fundamente opiniões e argumentações em fatos verossímeis. As cartas dos leitores definem-se como gêneros na medida elas compartilham um determinado propósito comunicativo e estabelecem uma interlocução do leitor com o meio de informação. Título da carta (assunto) Corpo textual P. P. N. Águas de Lindóia/SP Atenção: na prova de vestibular use apenas as iniciais do nome. 6.4 – CARTA DE RECLAMAÇÃO Esse modelo de gênero textual deve respeitar algumas regras como: deve constar a identificação do remetente e do destinatário – deve constar a data e o local do envio da carta – um discurso expressivo da reclamação no contexto da argumentação comprovando que o remetente é quem tem razão, o qual pode ainda, apontar as possíveis soluções para que haja entendimento entre as partes – exposição clara do que pretende e referência a eventuais documentos em anexo e assinatura. Lembre-se de expor claramente os antecedentes, pois neles estão os motivos pelos quais a reclamação está sendo feita.
  • 25. estudo aplicado redação 25 Veja exemplo: Atenção: na prova de vestibular use apenas as iniciais do nome. Amaris Delamares (A.D.) Rua Lamartine Delamare, 22, Centro Guaratinguetá/SP Informática Fui Enganado Ltda. Rua do Equívoco, 7 Assunto: computador portátil avariado Exmo(s). Senhor (es), No último dia 05 de Fevereiro, foi vendido para mim neste estabelecimento, como endereçado, um computador portátil. Após escolher o modelo que me interessou, solicitei que a mercadoria fosse entregue na minha casa. Para tanto, assinei a nota de encomenda e paguei a taxa para que fosse realizado o serviço. No dia 10 do mesmo mês, foi-me entregue o computador encomendado, no entanto, após abrir a embalagem verifique que o aparelho tinha a parte do monitor rachada.Diante deste fato, recusei o computador e solicitei que me fosse enviado outro exemplar em excelente estado, o que faria jus ao valor já pago. Entretanto, até a presente data continuo à espera. O atraso na resolução do problema vem ocasionado vários transtornos ao meu cotidiano. Por este motivo, demando que outro computador de mesma marca e modelo seja entregue, sem falta, dentro de 3 dias úteis. Caso contrário, anularei a compra e exijo o dinheiro do pagamento de volta. Sem mais, A.D. Anexos: fotocópias da nota fiscal de compra e do recibo da taxa de entrega. Atenção: na prova de vestibular use apenas as iniciais do nome.
  • 26. 26 allencar Rodriguez 6.5 – CARTA DE SOLICITAÇÃO A carta de solicitação, entre as modalidades textuais de cunho social, tem uma função cotidiana muito freqüente. Pela carta é possível o indivíduo fazer uma solicitação de emprego, solicitação de documentos, solicitação de reparos, etc. Das mais comuns se encontram as cartas enviadas à prefeitura no âmbito da solicitação de serviços. Nesse contexto é comum cartas de solicitação enviadas às secretarias do meio ambiente para podas de árvores, à secretaria do D.A.E. (departamento de água e esgoto) para solicitação de serviços hidráulicos como problemas na rede de esgoto ou água e cartas à secretaria de obras para serviços de ruas e avenidas como o tapa buracos. Nesse tipo de texto o autor é livre quando ao aspecto tipológico usado que pode ser uma narrativa, uma exposição, um relato ou argumentação ou ainda uma articulação desses aspectos no sentido de adequar a situação comunicacional para cumprir o objetivo da solicitação. Veja exemplo: À Prefeitura Municipal de Guaratinguetá Secretaria do Meio Ambiente Pedregunda Pafúncia - Substitua o nome pelo pronome (eu) ou coloque um nome de acordo com o propósito da redação, casada, do lar, residente e domiciliada à rua da areia, 157 nesta cidade, vem respeitosamente requerer que seja providenciado com urgência, o corte de uma árvore existente defronte o referido imóvel, pois a mesma apresenta problemas, que poderão provocar danos materiais e/ou outros. Sendo só o que se apresenta para o momento, subscrevo-me, Atenciosamente, P.P. Atenção: na prova de vestibular use apenas as iniciais do nome.
  • 27. estudo aplicado redação 27 7 - ESTUDO DO GÊNERO ANÚNCIO PUBLICITÁRIO Esse gênero textual tem a finalidade de atrair um consumidor para um produto, marca ou para uma empresa. Sua linguagem é principalmente a conotativa no sentido de persuadir o leitor a consumir o produto ou aderir a idéia, a imagem do produto. Sua estrutura é simples e fundamenta-se no título, no corpo textual e na conclusão do anúncio. Título ou Introdução: explicita criativamente o assunto ou tema da narrativa do texto. São freqüentes os usos de figuras de linguagem na elaboração do título. Corpo Textual ou Narrativa: Não possui uma estrutura única. Em geral seu contexto é elaborado de acordo com o perfil do interlocutor que é direcionado. O assunto desenvolvido apresentado na introdução é elaborado com frases curtas, claras e objetivas de acordo com as características do produto anunciado com o objetivo de provocar reações emocionais do receptor. Somado a isso, seu contexto deve ser informativo e persuasivo, agora, mais do informar é preciso persuadir, como também, atestar provas que a narrativa apresenta. Conclusão: Induz e motiva o interlocutor a executar à ação e registra a marca do anunciante que pode ser pelo slogan junto à marca anunciada. Veja exemplo: Acabou de nascer e já tem um apetite de gente grande A rede BOM DIA de Jornais nasceu em novembro de 2005. É a caçula do Grupo Traffic, uma empresa séria e experiente, dona da maior agência de marketing esportivo do país, e de cinco emissoras afiliadas à Rede Globo no interior paulista. São cinco jornais diários, em Sorocaba, Jundiaí, São José do Rio Preto e Bauru. Juntas, essas regiões somam mais de 100 cidades pelas quais o BOM DIA circula. A proposta moderna da rede alia um foco estritamente regional a profissionais renomados em grandes veículos. O BOM DIA é o primeiro jornal que conseguiu pensar globalmente e agir localmente. É por isso que quem lê encontra informações do Brasil, do mundo e principalmente de sua cidade. Com tanta vantagem, só podia mesmo ser o veículo de comunicação que mais cresce no interior. Porque é novo, sim. Mas já nasceu cheio de experiência. Desperte a sua verba de mídia para o BOM DIA.