SlideShare uma empresa Scribd logo
ORGANIZAÇÃO E ESTRUTURAÇÃO DA PRÁTICA
Marcos Soares
OBJETIVOS DA AULA
 Elucidar o conceito de prática no campo da
Aprendizagem Motora.
 Demonstrar as diferentes formas de manipulação da
prática dentro das teorias de Aprendizagem Motora.
APRENDIZAGEM MOTORA
Processo que envolve mudanças relativamente permanentes na
capacidade de desempenhar uma habilidade motora envolvendo a prática
e experiência (SCHMIDT & LEE, 2011).
“ A PRÁTICA LEVA A PERFEIÇÃO.”
✓ FENÔMENO.
APRENDIZAGEM MOTORA
✓ CAMPO DE ESTUDO.
Mecanismos e processos subjacentes a aquisição de habilidades motoras
em função da prática e fatores que afetam a aquisição de habilidades
motoras.
✓PRÁTICA.
(SCHMIDT & LEE, 2008)
PRÁTICA
• É a repetição ou execução de movimentos ou ainda, um aspecto que
envolve um esforço consciente de organização, execução, avaliação e
modificação das ações motoras a cada tentativa.
(CORRÊA; TANI, 2005)
• Processo de exploração de diversas possibilidades de solução de um
problema motor.
(WALTER et al, 2008)
PRÁTICA
✓PRÁTICA
✓Testar
Hipóteses
✓Solucionar
Problemas Motores
(UGRINOWITSCH, 1997)
✓Aquisição de
Experiência
✓APRENDIZAEM
MOTORA
ORGANIZAÇÃO E ESTRUTURAÇÃO
DA PRÁTICA
VARIABILIDADE DE PRÁTICA
TEORIA DE ESQUEMA
(SCHMIDT, 1975).
Variação do mesmo padrão de movimento
(TANI et al, 2004;UGRINOWITSCH & BENDA, 2011)
Prática Constante Prática Variada
Arremessos (10m, 20m, 30m)
(10m, 10m, 10m, 10m, 10m) (10m, 30m, 20m, 10m, 30m)
VARIABILIDADE DE PRÁTICA
TEORIA DE ESQUEMA
(SCHMIDT, 1975).
ESQUEMAS são um conjunto de regras abstratas relacionando
os vários resultados das ações de um indivíduo com os
valores de parâmetros que ele escolheu, a fim de produzir
aqueles resultados.
VARIABILIDADE DE PRÁTICA
TEORIA DE ESQUEMA
(SCHMIDT, 1975).
A variação de parâmetros fortalece os esquemas, fazendo com
que o aprendiz tenha mais oportunidades de relacionar as
informações do movimento.
PRÁTICA VARIADA
PROGRAMA MOTOR GENERALIZADO
SCHMIDT (1975)
PROGRAMA MOTOR GENERALIZADO
SCHMIDT (1975)
* Responsável pelo armazenamento de características invariantes de uma
classe de movimentos. Enquanto aspectos que se modificam (parâmetros)
entre as tentativas, são específicados sob medida para determinadas
situações.
Definido como uma representação geral na memória sobre
a ação a ser controlada.
PROGRAMA MOTOR GENERALIZADO
SCHMIDT (1975)
* Responsável pelo controle de uma classe de ações.
* CLASSE DE AÇÕES – conjunto de características comuns chamadas de
“ASPECTOS INVARIANTES”
Características dos movimentos que permanecem constantes.
PROGRAMA MOTOR GENERALIZADO
SCHMIDT (1975)
“ASPECTOS INVARIANTES (PADRÃO)”
Características propostas com maior frequência:
+ timing relativo: análogo ao ritmo de componentes
habilidade;
+ força relativa: necessária para desempenhar uma
habilidade;
+ ordem ou sequência de componentes.
Observação: o que se torna invariável
é a proporção ou porcentagem desses
componentes dentro de uma
habilidade.
PROGRAMA MOTOR GENERALIZADO
Mas…, se existem aspectos invariantes, o que devemos fazer para
atender as demandas ambientais???
Devem ser adicionados parâmetros específicos do movimento.
PROGRAMA MOTOR GENERALIZADO
SCHMIDT (1975)
“PARÂMETROS (ASPECTOS VARIANTES)”
Características que podem ser alteradas:
+ tempo total: magnitude do tempo total gasto para
realizar uma habilidade;
+ força total: necessária para executar uma habilidade;
+ músculos envolvidos.
ASPECTOS INVARIANTES
ASPECTO VARIANTE (PARÂMETRO)
PROGRAMA MOTOR GENERALIZADO
SCHMIDT (1975)
EXEMPLOS DE ASPECTOS VARIANTES E INVARIANTES
+ força total: necessária para executar uma habilidade;
+ músculos envolvidos.
PROGRAMA MOTOR GENERALIZADO
SCHMIDT (1975)
Recuperação do
programa motor
Memória de longo prazo
Aspectos
Invariantes
Adição de parâmetros específicos do
movimento frente as variações
ambientais (Esquema Motor)
Produção do movimento
PROGRAMA MOTOR GENERALIZADO
SCHMIDT (1975)
Esquemas – conjunto de regras abstratas
relacionadas aos resultados da ação com os
valores de parâmetro para produção de resultados.
Integração de 4 informações.
Condições Iniciais.
Específicações da resposta.
Consequências sensoriais.
Resultados.
PROGRAMA MOTOR GENERALIZADO
SCHMIDT (1975)
Esquemas – conjunto de regras abstratas
relacionadas aos resultados da ação com os
valores de parâmetro para produção de resultados.
Integração de 4 informações.
Condições Iniciais.
Específicações da resposta.
Consequências sensoriais.
Resultados.
PROGRAMA MOTOR GENERALIZADO
SCHMIDT (1975)
Responsável pela
produção do movimento
(programação motora)
ESQUEMAS
Esquema de
LEMBRANÇA
Esquema de
RECONHECIMENTO
Responsável pela avaliação do
movimento (direção e quantidade do
erro após o movimento)
VARIABILIDADE DE PRÁTICA
INTERFERÊNCIA CONTEXTUAL (BATTIG, 1979)
O efeito da interferência contextual ocorre quando o aprendiz realiza
práticas de diferentes tarefas ou variações da mesma tarefa em ordem
randomizada.
VARIABILIDADE DE PRÁTICA
INTERFERÊNCIA CONTEXTUAL
(BATTIG, 1979).
ALTA INTERFERÊNCIA CONTEXTUAL BAIXA INTERFERÊNCIA CONTEXTUAL
ALEATÓRIA RANDÔMICA
(A,C, B) (C, A, B) (B, C, A)
BLOCOS
(A, A, A) (B, B, B) (C, C, C)
VARIABILIDADE DE PRÁTICA
1 Programa motor generalizado
(PMG)
(selecionar)
2 Esquema de reconhecimento
(especificar parâmetros da ação)
3 Esquema de lembrança
(comparador após a ação)
INTERFERÊNCIA CONTEXTUAL
(Constructos)
VARIABILIDADE DE PRÁTICA
ALTA INTERFERÊNCIA CONTEXTUAL
ALEATÓRIA RANDÔMICA
(A,C, B) (C, A, B) (B, C, A)
EFEITOS POSITIVOS PARA
APRENDIZAGEM TESTES DE
RETENÇÃO E
TRANSFERÊNCIA.
ALTA INTERFERÊNCIA CONTEXTUAL
POSSÍVEIS EXPLICAÇÕES!!!
HIPÓTESE DA ELABORAÇÃO – prática randômica faz com que os indivíduos
apreciem as distinções entre diferentes tarefas, tornando cada tarefa mais
significativa na memória de longo prazo.
HIPÓTESE DA RECONSTRUÇÃO DO PLANO DE AÇÃO – a mudança entre
tarefas gera esquecimento nos indivíduos praticantes. Assim, no momento
em que uma tarefa já praticada volta a ser realizada, os indivíduos são
obrigados a reconstruir o plano de ação.
EFEITOS DA PRÁTICA NA APRENDIZAGEM
MOTORA
A PRÁTICA É UMA FERRAMENTA DE SUMA IMPORTÂNCIA, PARA O
REFINAMENTO DO PROGRAMA MOTOR, ASSIM COMO PARA
AUTOMATICIDADE. ASPECTOS QUE PODEM SER JUSTIFICADOS POR MEIO DA
DIMINUIÇÃO DE SOBRECARGA EM MECANISMOS ATENCIONAIS,
PROMOVENDO MAIOR CONTROLE E COORDENÇÃO DOS MOVIMENTOS.
REFERÊNCIAS
MAGILL, R. A. Aprendizagem Motora: conceitos e aplicações. 5. ed. São Paulo: Edgard Blücher, 2000.
SCHMIDT, R.A.; LEE, T. D. Motor control and learning: a behavioral emphasis. 5. ed. Champaign: Human Kinetics, 2011.
SCHMIDT, R. A.; WRISBERG, C. A. Aprendizagem e Performance Motora. 4a ed. Porto Alegre 4a Edição: Artmed, 2010.
EDWARDS, W. H. Motor learning and control from theory to practice. California State University, Sacramento:
Wadworth Cengage Learning, 2010.
SCHMIDT, R. A. Aprendizagem e performance motora: dos princípios a prática. São Paulo: Movimento,
1993.
TANI, G. Significado, detecção e correção do erro de performance no processo ensino-aprendizagem de
habilidades motoras. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, v. 3, p. 50–58, 1989.
TEIXEIRA, L. A. Controle motor. 1a ed. São Paulo: Manole, 2006.
CHIVIACOWSKY, S. Frequência de conhecimento de resultados na aprendizagem motora: linhas atuais de
pesquisa e perspectivas. In: Tani G, editor. Comportamento motor: aprendizagem e desenvolvimento. Rio de
Janeiro: Guanabara Koogan; 2005. p.185-207
PÚBLIO, N.S.; TANI, G. Aprendizagem de habilidades motoras seriadas da ginástica olímpica.
Revista Paulista de Educação Física, São Paulo, v.7, p.58-68, 1993.
Lee TD, Schmidt RA. Motor learning and memory. In: Roediger HL, editor. Cognitive Psychology of Memory.
Vol. 2. Learning and Memory: a comprehensive reference. Oxford: Elsevier; 2008. p. 645-62

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Metodologia da musculação teste de força
Metodologia da musculação   teste de forçaMetodologia da musculação   teste de força
Metodologia da musculação teste de força
washington carlos vieira
 
Treinamento desportivo 2004
Treinamento desportivo   2004Treinamento desportivo   2004
Treinamento desportivo 2004
washington carlos vieira
 
Estabelecimento de Metas
Estabelecimento de MetasEstabelecimento de Metas
Estabelecimento de Metas
Cassio Meira Jr.
 
Feedback
FeedbackFeedback
Desenvolvimento motor
Desenvolvimento motorDesenvolvimento motor
Desenvolvimento motor
milton junior
 
Aula 6 Prescricao De Exercicio E Treinamento Fisico
Aula 6   Prescricao De Exercicio E Treinamento FisicoAula 6   Prescricao De Exercicio E Treinamento Fisico
Aula 6 Prescricao De Exercicio E Treinamento Fisico
Felipe P Carpes - Universidade Federal do Pampa
 
Aprendizagem e desenvolvimento motor
Aprendizagem e desenvolvimento motorAprendizagem e desenvolvimento motor
Aprendizagem e desenvolvimento motor
Rafael Hatyla
 
Introduçao à Apredizagem Motora
Introduçao à Apredizagem MotoraIntroduçao à Apredizagem Motora
Introduçao à Apredizagem Motora
Herbert Santana
 
Princípios básicos de fisiologia do exercício
Princípios básicos de fisiologia do exercícioPrincípios básicos de fisiologia do exercício
Princípios básicos de fisiologia do exercício
washington carlos vieira
 
Prescrição em treinamento de força
Prescrição em treinamento de forçaPrescrição em treinamento de força
Prescrição em treinamento de força
Dom Fisiologia
 
Treinamento esportivo i
Treinamento esportivo iTreinamento esportivo i
Treinamento esportivo i
Marcus Prof
 
Coordenação motora 2
Coordenação motora 2Coordenação motora 2
Coordenação motora 2
Gustavo Chagas
 
FISIOLOGIA DO ESFORÇO
FISIOLOGIA DO ESFORÇOFISIOLOGIA DO ESFORÇO
FISIOLOGIA DO ESFORÇO
LUCIANO SOUSA FISIOLOGISTA
 
Aula 1-crescimento-desenvolvimento-e-aprendizagem-motora-contextualizac3a7c3a...
Aula 1-crescimento-desenvolvimento-e-aprendizagem-motora-contextualizac3a7c3a...Aula 1-crescimento-desenvolvimento-e-aprendizagem-motora-contextualizac3a7c3a...
Aula 1-crescimento-desenvolvimento-e-aprendizagem-motora-contextualizac3a7c3a...
AcarahybaLobatomusician Lobato
 
1. conceituações do treinamento desportivo
1. conceituações do treinamento desportivo1. conceituações do treinamento desportivo
1. conceituações do treinamento desportivo
Juliano Magalhães Guedes
 
Distribuição da Prática I - Prática Maciça e Distribuída
Distribuição da Prática I - Prática Maciça e DistribuídaDistribuição da Prática I - Prática Maciça e Distribuída
Distribuição da Prática I - Prática Maciça e Distribuída
Cassio Meira Jr.
 
7 vo2 máx
7   vo2 máx7   vo2 máx
Fisiologia do exercício 03
Fisiologia do exercício 03Fisiologia do exercício 03
Fisiologia do exercício 03
washington carlos vieira
 
Cineantropometria - Perimetria e Avaliação Corporal
Cineantropometria - Perimetria e Avaliação CorporalCineantropometria - Perimetria e Avaliação Corporal
Cineantropometria - Perimetria e Avaliação Corporal
Herbert Santana
 
BIOMECANICA APLICADA AO TREINAMENTO E A ED.FISICA
BIOMECANICA APLICADA AO TREINAMENTO E A ED.FISICABIOMECANICA APLICADA AO TREINAMENTO E A ED.FISICA
BIOMECANICA APLICADA AO TREINAMENTO E A ED.FISICA
Edilson Porfirio
 

Mais procurados (20)

Metodologia da musculação teste de força
Metodologia da musculação   teste de forçaMetodologia da musculação   teste de força
Metodologia da musculação teste de força
 
Treinamento desportivo 2004
Treinamento desportivo   2004Treinamento desportivo   2004
Treinamento desportivo 2004
 
Estabelecimento de Metas
Estabelecimento de MetasEstabelecimento de Metas
Estabelecimento de Metas
 
Feedback
FeedbackFeedback
Feedback
 
Desenvolvimento motor
Desenvolvimento motorDesenvolvimento motor
Desenvolvimento motor
 
Aula 6 Prescricao De Exercicio E Treinamento Fisico
Aula 6   Prescricao De Exercicio E Treinamento FisicoAula 6   Prescricao De Exercicio E Treinamento Fisico
Aula 6 Prescricao De Exercicio E Treinamento Fisico
 
Aprendizagem e desenvolvimento motor
Aprendizagem e desenvolvimento motorAprendizagem e desenvolvimento motor
Aprendizagem e desenvolvimento motor
 
Introduçao à Apredizagem Motora
Introduçao à Apredizagem MotoraIntroduçao à Apredizagem Motora
Introduçao à Apredizagem Motora
 
Princípios básicos de fisiologia do exercício
Princípios básicos de fisiologia do exercícioPrincípios básicos de fisiologia do exercício
Princípios básicos de fisiologia do exercício
 
Prescrição em treinamento de força
Prescrição em treinamento de forçaPrescrição em treinamento de força
Prescrição em treinamento de força
 
Treinamento esportivo i
Treinamento esportivo iTreinamento esportivo i
Treinamento esportivo i
 
Coordenação motora 2
Coordenação motora 2Coordenação motora 2
Coordenação motora 2
 
FISIOLOGIA DO ESFORÇO
FISIOLOGIA DO ESFORÇOFISIOLOGIA DO ESFORÇO
FISIOLOGIA DO ESFORÇO
 
Aula 1-crescimento-desenvolvimento-e-aprendizagem-motora-contextualizac3a7c3a...
Aula 1-crescimento-desenvolvimento-e-aprendizagem-motora-contextualizac3a7c3a...Aula 1-crescimento-desenvolvimento-e-aprendizagem-motora-contextualizac3a7c3a...
Aula 1-crescimento-desenvolvimento-e-aprendizagem-motora-contextualizac3a7c3a...
 
1. conceituações do treinamento desportivo
1. conceituações do treinamento desportivo1. conceituações do treinamento desportivo
1. conceituações do treinamento desportivo
 
Distribuição da Prática I - Prática Maciça e Distribuída
Distribuição da Prática I - Prática Maciça e DistribuídaDistribuição da Prática I - Prática Maciça e Distribuída
Distribuição da Prática I - Prática Maciça e Distribuída
 
7 vo2 máx
7   vo2 máx7   vo2 máx
7 vo2 máx
 
Fisiologia do exercício 03
Fisiologia do exercício 03Fisiologia do exercício 03
Fisiologia do exercício 03
 
Cineantropometria - Perimetria e Avaliação Corporal
Cineantropometria - Perimetria e Avaliação CorporalCineantropometria - Perimetria e Avaliação Corporal
Cineantropometria - Perimetria e Avaliação Corporal
 
BIOMECANICA APLICADA AO TREINAMENTO E A ED.FISICA
BIOMECANICA APLICADA AO TREINAMENTO E A ED.FISICABIOMECANICA APLICADA AO TREINAMENTO E A ED.FISICA
BIOMECANICA APLICADA AO TREINAMENTO E A ED.FISICA
 

Semelhante a Variabilidade e estrutura de prática em Aprendizagem Motora

Modelagem - Aula 1
Modelagem - Aula 1Modelagem - Aula 1
Modelagem - Aula 1
Joabe Amaral
 
Variabilidadedepratica&interferenciacontextual
Variabilidadedepratica&interferenciacontextualVariabilidadedepratica&interferenciacontextual
Variabilidadedepratica&interferenciacontextual
Cassio Meira Jr.
 
J Boss Rules Mgjug V2
J Boss Rules Mgjug V2J Boss Rules Mgjug V2
J Boss Rules Mgjug V2
Breno Barros
 
Pro model
Pro modelPro model
Pro model
Paulo Sideres
 
Os Sete Estágios da Ação, segundo Donald Norman, aplicados ao Sistema de Vent...
Os Sete Estágios da Ação, segundo Donald Norman, aplicados ao Sistema de Vent...Os Sete Estágios da Ação, segundo Donald Norman, aplicados ao Sistema de Vent...
Os Sete Estágios da Ação, segundo Donald Norman, aplicados ao Sistema de Vent...
Silvia Ferreira
 
Umlv4 090813182632-phpapp02
Umlv4 090813182632-phpapp02Umlv4 090813182632-phpapp02
Umlv4 090813182632-phpapp02
Jhonefj
 
Artigo - Robson Eng Qual Turma 8
Artigo - Robson Eng Qual Turma 8Artigo - Robson Eng Qual Turma 8
Artigo - Robson Eng Qual Turma 8
Robson Luis Monteiro da Silva
 
2015 1 eng_controle_automacao_4_mecanica_aplicada
2015 1 eng_controle_automacao_4_mecanica_aplicada2015 1 eng_controle_automacao_4_mecanica_aplicada
2015 1 eng_controle_automacao_4_mecanica_aplicada
Leonardo Vitor Alexandre
 
Defesa_28nov2008
Defesa_28nov2008Defesa_28nov2008
Defesa_28nov2008
Cláudio Crivellaro, Dr.
 
Aula07
Aula07Aula07
Análise de Desempenho de um Sistema Embarcado de Detecção de Fadiga de Condut...
Análise de Desempenho de um Sistema Embarcado de Detecção de Fadiga de Condut...Análise de Desempenho de um Sistema Embarcado de Detecção de Fadiga de Condut...
Análise de Desempenho de um Sistema Embarcado de Detecção de Fadiga de Condut...
Elaine Lopes
 
Aprendizagem por reforço
Aprendizagem por reforçoAprendizagem por reforço
Aprendizagem por reforço
Luís Nunes
 
Webinar-55001-Abrasfe-R02.pptx
Webinar-55001-Abrasfe-R02.pptxWebinar-55001-Abrasfe-R02.pptx
Webinar-55001-Abrasfe-R02.pptx
HEBERTRODRIGUESDEPAU1
 
Mat21042009191128 (1)
Mat21042009191128 (1)Mat21042009191128 (1)
Mat21042009191128 (1)
Bruna Ferreira
 
18.ago topázio 14.30_389_aeselpa
18.ago topázio 14.30_389_aeselpa18.ago topázio 14.30_389_aeselpa
18.ago topázio 14.30_389_aeselpa
itgfiles
 
TDC2016SP - SparkMLlib Machine Learning na Prática
TDC2016SP -  SparkMLlib Machine Learning na PráticaTDC2016SP -  SparkMLlib Machine Learning na Prática
TDC2016SP - SparkMLlib Machine Learning na Prática
tdc-globalcode
 
Modelagem e Simulação de Sistemas Produtivos
Modelagem e Simulação de Sistemas ProdutivosModelagem e Simulação de Sistemas Produtivos
Modelagem e Simulação de Sistemas Produtivos
Adeildo Telles
 
Análise desenvolvimento de sistemas 4periodo
Análise desenvolvimento de sistemas 4periodoAnálise desenvolvimento de sistemas 4periodo
Análise desenvolvimento de sistemas 4periodo
Dheimyson Carlos Sousa Silva
 
Modelagem de sistemas - Pensamento sistêmico
Modelagem de sistemas - Pensamento sistêmicoModelagem de sistemas - Pensamento sistêmico
Modelagem de sistemas - Pensamento sistêmico
Bruno Oliveira
 
RCM- Manutenção Centrada na Confiabilidade
RCM- Manutenção Centrada na ConfiabilidadeRCM- Manutenção Centrada na Confiabilidade

Semelhante a Variabilidade e estrutura de prática em Aprendizagem Motora (20)

Modelagem - Aula 1
Modelagem - Aula 1Modelagem - Aula 1
Modelagem - Aula 1
 
Variabilidadedepratica&interferenciacontextual
Variabilidadedepratica&interferenciacontextualVariabilidadedepratica&interferenciacontextual
Variabilidadedepratica&interferenciacontextual
 
J Boss Rules Mgjug V2
J Boss Rules Mgjug V2J Boss Rules Mgjug V2
J Boss Rules Mgjug V2
 
Pro model
Pro modelPro model
Pro model
 
Os Sete Estágios da Ação, segundo Donald Norman, aplicados ao Sistema de Vent...
Os Sete Estágios da Ação, segundo Donald Norman, aplicados ao Sistema de Vent...Os Sete Estágios da Ação, segundo Donald Norman, aplicados ao Sistema de Vent...
Os Sete Estágios da Ação, segundo Donald Norman, aplicados ao Sistema de Vent...
 
Umlv4 090813182632-phpapp02
Umlv4 090813182632-phpapp02Umlv4 090813182632-phpapp02
Umlv4 090813182632-phpapp02
 
Artigo - Robson Eng Qual Turma 8
Artigo - Robson Eng Qual Turma 8Artigo - Robson Eng Qual Turma 8
Artigo - Robson Eng Qual Turma 8
 
2015 1 eng_controle_automacao_4_mecanica_aplicada
2015 1 eng_controle_automacao_4_mecanica_aplicada2015 1 eng_controle_automacao_4_mecanica_aplicada
2015 1 eng_controle_automacao_4_mecanica_aplicada
 
Defesa_28nov2008
Defesa_28nov2008Defesa_28nov2008
Defesa_28nov2008
 
Aula07
Aula07Aula07
Aula07
 
Análise de Desempenho de um Sistema Embarcado de Detecção de Fadiga de Condut...
Análise de Desempenho de um Sistema Embarcado de Detecção de Fadiga de Condut...Análise de Desempenho de um Sistema Embarcado de Detecção de Fadiga de Condut...
Análise de Desempenho de um Sistema Embarcado de Detecção de Fadiga de Condut...
 
Aprendizagem por reforço
Aprendizagem por reforçoAprendizagem por reforço
Aprendizagem por reforço
 
Webinar-55001-Abrasfe-R02.pptx
Webinar-55001-Abrasfe-R02.pptxWebinar-55001-Abrasfe-R02.pptx
Webinar-55001-Abrasfe-R02.pptx
 
Mat21042009191128 (1)
Mat21042009191128 (1)Mat21042009191128 (1)
Mat21042009191128 (1)
 
18.ago topázio 14.30_389_aeselpa
18.ago topázio 14.30_389_aeselpa18.ago topázio 14.30_389_aeselpa
18.ago topázio 14.30_389_aeselpa
 
TDC2016SP - SparkMLlib Machine Learning na Prática
TDC2016SP -  SparkMLlib Machine Learning na PráticaTDC2016SP -  SparkMLlib Machine Learning na Prática
TDC2016SP - SparkMLlib Machine Learning na Prática
 
Modelagem e Simulação de Sistemas Produtivos
Modelagem e Simulação de Sistemas ProdutivosModelagem e Simulação de Sistemas Produtivos
Modelagem e Simulação de Sistemas Produtivos
 
Análise desenvolvimento de sistemas 4periodo
Análise desenvolvimento de sistemas 4periodoAnálise desenvolvimento de sistemas 4periodo
Análise desenvolvimento de sistemas 4periodo
 
Modelagem de sistemas - Pensamento sistêmico
Modelagem de sistemas - Pensamento sistêmicoModelagem de sistemas - Pensamento sistêmico
Modelagem de sistemas - Pensamento sistêmico
 
RCM- Manutenção Centrada na Confiabilidade
RCM- Manutenção Centrada na ConfiabilidadeRCM- Manutenção Centrada na Confiabilidade
RCM- Manutenção Centrada na Confiabilidade
 

Mais de Cassio Meira Jr.

Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Cassio Meira Jr.
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Cassio Meira Jr.
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Cassio Meira Jr.
 
Metas2022.ppt
Metas2022.pptMetas2022.ppt
Metas2022.ppt
Cassio Meira Jr.
 
Variabilidade&Estrutura2022.ppt
Variabilidade&Estrutura2022.pptVariabilidade&Estrutura2022.ppt
Variabilidade&Estrutura2022.ppt
Cassio Meira Jr.
 
AprMot_Avaliacao2022.ppt
AprMot_Avaliacao2022.pptAprMot_Avaliacao2022.ppt
AprMot_Avaliacao2022.ppt
Cassio Meira Jr.
 
AprMot_Intro2022.ppt
AprMot_Intro2022.pptAprMot_Intro2022.ppt
AprMot_Intro2022.ppt
Cassio Meira Jr.
 
Transferência de aprendizagem_2022.ppt
Transferência de aprendizagem_2022.pptTransferência de aprendizagem_2022.ppt
Transferência de aprendizagem_2022.ppt
Cassio Meira Jr.
 
Fracionamento_2022.ppt
Fracionamento_2022.pptFracionamento_2022.ppt
Fracionamento_2022.ppt
Cassio Meira Jr.
 
DifsInds2022.ppt
DifsInds2022.pptDifsInds2022.ppt
DifsInds2022.ppt
Cassio Meira Jr.
 
Experts_2022.ppt
Experts_2022.pptExperts_2022.ppt
Experts_2022.ppt
Cassio Meira Jr.
 
Ciência Aberta / Desenvolvimento do pesquisador
Ciência Aberta / Desenvolvimento do pesquisadorCiência Aberta / Desenvolvimento do pesquisador
Ciência Aberta / Desenvolvimento do pesquisador
Cassio Meira Jr.
 
Busca em bases e portais de dados
Busca em bases e portais de dadosBusca em bases e portais de dados
Busca em bases e portais de dados
Cassio Meira Jr.
 
Etapas da Pesquisa Científica
Etapas da Pesquisa CientíficaEtapas da Pesquisa Científica
Etapas da Pesquisa Científica
Cassio Meira Jr.
 
Ética na pesquisa científica
Ética na pesquisa científicaÉtica na pesquisa científica
Ética na pesquisa científica
Cassio Meira Jr.
 
Pesquisa Qualitativa
Pesquisa QualitativaPesquisa Qualitativa
Pesquisa Qualitativa
Cassio Meira Jr.
 
Cronograma 2022.ppt
Cronograma 2022.pptCronograma 2022.ppt
Cronograma 2022.ppt
Cassio Meira Jr.
 
Introdução à metodologia da pesquisa científica
Introdução à metodologia da pesquisa científicaIntrodução à metodologia da pesquisa científica
Introdução à metodologia da pesquisa científica
Cassio Meira Jr.
 
Epistemologia
EpistemologiaEpistemologia
Epistemologia
Cassio Meira Jr.
 
Revisão Sistematica
Revisão SistematicaRevisão Sistematica
Revisão Sistematica
Cassio Meira Jr.
 

Mais de Cassio Meira Jr. (20)

Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
Metas2022.ppt
Metas2022.pptMetas2022.ppt
Metas2022.ppt
 
Variabilidade&Estrutura2022.ppt
Variabilidade&Estrutura2022.pptVariabilidade&Estrutura2022.ppt
Variabilidade&Estrutura2022.ppt
 
AprMot_Avaliacao2022.ppt
AprMot_Avaliacao2022.pptAprMot_Avaliacao2022.ppt
AprMot_Avaliacao2022.ppt
 
AprMot_Intro2022.ppt
AprMot_Intro2022.pptAprMot_Intro2022.ppt
AprMot_Intro2022.ppt
 
Transferência de aprendizagem_2022.ppt
Transferência de aprendizagem_2022.pptTransferência de aprendizagem_2022.ppt
Transferência de aprendizagem_2022.ppt
 
Fracionamento_2022.ppt
Fracionamento_2022.pptFracionamento_2022.ppt
Fracionamento_2022.ppt
 
DifsInds2022.ppt
DifsInds2022.pptDifsInds2022.ppt
DifsInds2022.ppt
 
Experts_2022.ppt
Experts_2022.pptExperts_2022.ppt
Experts_2022.ppt
 
Ciência Aberta / Desenvolvimento do pesquisador
Ciência Aberta / Desenvolvimento do pesquisadorCiência Aberta / Desenvolvimento do pesquisador
Ciência Aberta / Desenvolvimento do pesquisador
 
Busca em bases e portais de dados
Busca em bases e portais de dadosBusca em bases e portais de dados
Busca em bases e portais de dados
 
Etapas da Pesquisa Científica
Etapas da Pesquisa CientíficaEtapas da Pesquisa Científica
Etapas da Pesquisa Científica
 
Ética na pesquisa científica
Ética na pesquisa científicaÉtica na pesquisa científica
Ética na pesquisa científica
 
Pesquisa Qualitativa
Pesquisa QualitativaPesquisa Qualitativa
Pesquisa Qualitativa
 
Cronograma 2022.ppt
Cronograma 2022.pptCronograma 2022.ppt
Cronograma 2022.ppt
 
Introdução à metodologia da pesquisa científica
Introdução à metodologia da pesquisa científicaIntrodução à metodologia da pesquisa científica
Introdução à metodologia da pesquisa científica
 
Epistemologia
EpistemologiaEpistemologia
Epistemologia
 
Revisão Sistematica
Revisão SistematicaRevisão Sistematica
Revisão Sistematica
 

Último

O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
jonny615148
 
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdfNorma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Pastor Robson Colaço
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
AlessandraRibas7
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
MARCELARUBIAGAVA
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FredFringeFringeDola
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
JakiraCosta
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
HelenStefany
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Maurício Bratz
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
MarcoAurlioResende
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Centro Jacques Delors
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
geiseortiz1
 

Último (20)

O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
 
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdfNorma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
 

Variabilidade e estrutura de prática em Aprendizagem Motora

  • 1. ORGANIZAÇÃO E ESTRUTURAÇÃO DA PRÁTICA Marcos Soares
  • 2. OBJETIVOS DA AULA  Elucidar o conceito de prática no campo da Aprendizagem Motora.  Demonstrar as diferentes formas de manipulação da prática dentro das teorias de Aprendizagem Motora.
  • 3.
  • 4. APRENDIZAGEM MOTORA Processo que envolve mudanças relativamente permanentes na capacidade de desempenhar uma habilidade motora envolvendo a prática e experiência (SCHMIDT & LEE, 2011). “ A PRÁTICA LEVA A PERFEIÇÃO.” ✓ FENÔMENO.
  • 5. APRENDIZAGEM MOTORA ✓ CAMPO DE ESTUDO. Mecanismos e processos subjacentes a aquisição de habilidades motoras em função da prática e fatores que afetam a aquisição de habilidades motoras. ✓PRÁTICA. (SCHMIDT & LEE, 2008)
  • 6.
  • 7. PRÁTICA • É a repetição ou execução de movimentos ou ainda, um aspecto que envolve um esforço consciente de organização, execução, avaliação e modificação das ações motoras a cada tentativa. (CORRÊA; TANI, 2005) • Processo de exploração de diversas possibilidades de solução de um problema motor. (WALTER et al, 2008)
  • 10. VARIABILIDADE DE PRÁTICA TEORIA DE ESQUEMA (SCHMIDT, 1975). Variação do mesmo padrão de movimento (TANI et al, 2004;UGRINOWITSCH & BENDA, 2011) Prática Constante Prática Variada Arremessos (10m, 20m, 30m) (10m, 10m, 10m, 10m, 10m) (10m, 30m, 20m, 10m, 30m)
  • 11. VARIABILIDADE DE PRÁTICA TEORIA DE ESQUEMA (SCHMIDT, 1975). ESQUEMAS são um conjunto de regras abstratas relacionando os vários resultados das ações de um indivíduo com os valores de parâmetros que ele escolheu, a fim de produzir aqueles resultados.
  • 12. VARIABILIDADE DE PRÁTICA TEORIA DE ESQUEMA (SCHMIDT, 1975). A variação de parâmetros fortalece os esquemas, fazendo com que o aprendiz tenha mais oportunidades de relacionar as informações do movimento. PRÁTICA VARIADA
  • 14. PROGRAMA MOTOR GENERALIZADO SCHMIDT (1975) * Responsável pelo armazenamento de características invariantes de uma classe de movimentos. Enquanto aspectos que se modificam (parâmetros) entre as tentativas, são específicados sob medida para determinadas situações. Definido como uma representação geral na memória sobre a ação a ser controlada.
  • 15. PROGRAMA MOTOR GENERALIZADO SCHMIDT (1975) * Responsável pelo controle de uma classe de ações. * CLASSE DE AÇÕES – conjunto de características comuns chamadas de “ASPECTOS INVARIANTES” Características dos movimentos que permanecem constantes.
  • 16. PROGRAMA MOTOR GENERALIZADO SCHMIDT (1975) “ASPECTOS INVARIANTES (PADRÃO)” Características propostas com maior frequência: + timing relativo: análogo ao ritmo de componentes habilidade; + força relativa: necessária para desempenhar uma habilidade; + ordem ou sequência de componentes. Observação: o que se torna invariável é a proporção ou porcentagem desses componentes dentro de uma habilidade.
  • 17.
  • 18. PROGRAMA MOTOR GENERALIZADO Mas…, se existem aspectos invariantes, o que devemos fazer para atender as demandas ambientais??? Devem ser adicionados parâmetros específicos do movimento.
  • 19. PROGRAMA MOTOR GENERALIZADO SCHMIDT (1975) “PARÂMETROS (ASPECTOS VARIANTES)” Características que podem ser alteradas: + tempo total: magnitude do tempo total gasto para realizar uma habilidade; + força total: necessária para executar uma habilidade; + músculos envolvidos.
  • 22. PROGRAMA MOTOR GENERALIZADO SCHMIDT (1975) EXEMPLOS DE ASPECTOS VARIANTES E INVARIANTES + força total: necessária para executar uma habilidade; + músculos envolvidos.
  • 23.
  • 24. PROGRAMA MOTOR GENERALIZADO SCHMIDT (1975) Recuperação do programa motor Memória de longo prazo Aspectos Invariantes Adição de parâmetros específicos do movimento frente as variações ambientais (Esquema Motor) Produção do movimento
  • 25. PROGRAMA MOTOR GENERALIZADO SCHMIDT (1975) Esquemas – conjunto de regras abstratas relacionadas aos resultados da ação com os valores de parâmetro para produção de resultados. Integração de 4 informações. Condições Iniciais. Específicações da resposta. Consequências sensoriais. Resultados.
  • 26. PROGRAMA MOTOR GENERALIZADO SCHMIDT (1975) Esquemas – conjunto de regras abstratas relacionadas aos resultados da ação com os valores de parâmetro para produção de resultados. Integração de 4 informações. Condições Iniciais. Específicações da resposta. Consequências sensoriais. Resultados.
  • 27. PROGRAMA MOTOR GENERALIZADO SCHMIDT (1975) Responsável pela produção do movimento (programação motora) ESQUEMAS Esquema de LEMBRANÇA Esquema de RECONHECIMENTO Responsável pela avaliação do movimento (direção e quantidade do erro após o movimento)
  • 28. VARIABILIDADE DE PRÁTICA INTERFERÊNCIA CONTEXTUAL (BATTIG, 1979) O efeito da interferência contextual ocorre quando o aprendiz realiza práticas de diferentes tarefas ou variações da mesma tarefa em ordem randomizada.
  • 29. VARIABILIDADE DE PRÁTICA INTERFERÊNCIA CONTEXTUAL (BATTIG, 1979). ALTA INTERFERÊNCIA CONTEXTUAL BAIXA INTERFERÊNCIA CONTEXTUAL ALEATÓRIA RANDÔMICA (A,C, B) (C, A, B) (B, C, A) BLOCOS (A, A, A) (B, B, B) (C, C, C)
  • 30. VARIABILIDADE DE PRÁTICA 1 Programa motor generalizado (PMG) (selecionar) 2 Esquema de reconhecimento (especificar parâmetros da ação) 3 Esquema de lembrança (comparador após a ação) INTERFERÊNCIA CONTEXTUAL (Constructos)
  • 31. VARIABILIDADE DE PRÁTICA ALTA INTERFERÊNCIA CONTEXTUAL ALEATÓRIA RANDÔMICA (A,C, B) (C, A, B) (B, C, A) EFEITOS POSITIVOS PARA APRENDIZAGEM TESTES DE RETENÇÃO E TRANSFERÊNCIA.
  • 32. ALTA INTERFERÊNCIA CONTEXTUAL POSSÍVEIS EXPLICAÇÕES!!! HIPÓTESE DA ELABORAÇÃO – prática randômica faz com que os indivíduos apreciem as distinções entre diferentes tarefas, tornando cada tarefa mais significativa na memória de longo prazo. HIPÓTESE DA RECONSTRUÇÃO DO PLANO DE AÇÃO – a mudança entre tarefas gera esquecimento nos indivíduos praticantes. Assim, no momento em que uma tarefa já praticada volta a ser realizada, os indivíduos são obrigados a reconstruir o plano de ação.
  • 33. EFEITOS DA PRÁTICA NA APRENDIZAGEM MOTORA A PRÁTICA É UMA FERRAMENTA DE SUMA IMPORTÂNCIA, PARA O REFINAMENTO DO PROGRAMA MOTOR, ASSIM COMO PARA AUTOMATICIDADE. ASPECTOS QUE PODEM SER JUSTIFICADOS POR MEIO DA DIMINUIÇÃO DE SOBRECARGA EM MECANISMOS ATENCIONAIS, PROMOVENDO MAIOR CONTROLE E COORDENÇÃO DOS MOVIMENTOS.
  • 34. REFERÊNCIAS MAGILL, R. A. Aprendizagem Motora: conceitos e aplicações. 5. ed. São Paulo: Edgard Blücher, 2000. SCHMIDT, R.A.; LEE, T. D. Motor control and learning: a behavioral emphasis. 5. ed. Champaign: Human Kinetics, 2011. SCHMIDT, R. A.; WRISBERG, C. A. Aprendizagem e Performance Motora. 4a ed. Porto Alegre 4a Edição: Artmed, 2010. EDWARDS, W. H. Motor learning and control from theory to practice. California State University, Sacramento: Wadworth Cengage Learning, 2010. SCHMIDT, R. A. Aprendizagem e performance motora: dos princípios a prática. São Paulo: Movimento, 1993. TANI, G. Significado, detecção e correção do erro de performance no processo ensino-aprendizagem de habilidades motoras. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, v. 3, p. 50–58, 1989. TEIXEIRA, L. A. Controle motor. 1a ed. São Paulo: Manole, 2006. CHIVIACOWSKY, S. Frequência de conhecimento de resultados na aprendizagem motora: linhas atuais de pesquisa e perspectivas. In: Tani G, editor. Comportamento motor: aprendizagem e desenvolvimento. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2005. p.185-207 PÚBLIO, N.S.; TANI, G. Aprendizagem de habilidades motoras seriadas da ginástica olímpica. Revista Paulista de Educação Física, São Paulo, v.7, p.58-68, 1993. Lee TD, Schmidt RA. Motor learning and memory. In: Roediger HL, editor. Cognitive Psychology of Memory. Vol. 2. Learning and Memory: a comprehensive reference. Oxford: Elsevier; 2008. p. 645-62