SlideShare uma empresa Scribd logo
América do Sul
Unidade 7
8º ano
Professora Christie
Divisão territorial da
América do Sul
Com uma extensão de cerca de 17,8
milhões de km², a América do Sul
comporta 6% da população mundial
dividida em 12 países e 1 departamento
francês ultramarino, a Guiana Francesa.
São eles a Argentina, Bolívia, Brasil, Chile,
Colômbia, Equador, Guiana, Paraguai,
Peru, Suriname, Uruguai e Venezuela.
Limita-se ao norte com a América Central,
à leste com o oceano atlântico e à oeste
com o oceano pacífico.
Tema 1
Ocupação do território
A principal característica da
população sul-americana é o grande
desequilíbrio na distribuição
geográfica. Enquanto a ampla
maioria se concentra nas áreas
litorâneas, regiões enormes no seu
interior permanecem praticamente
desabitadas como o caso da
Patagônia, na Argentina; da região
Amazônica, no norte da América do
Sul e das áreas desérticas do Chile
Tema 1
Urbanização
A história da América Latina é a história
dos contrastes e semelhanças, das
convergências e divergências. A geografia
do continente também é assim e pode-se
destacar que em boa parte os países
latino-americanos se assemelham quanto
à urbanização que se caracterizou como
um processo rápido e desordenado, em
geral, relacionado à transferência da
população do campo para as cidades.
A maior parte dos países é bastante
urbanizada, apresentando taxas de
urbanização superiores a 60%, com
exceção do Paraguai e da Guiana
Tema 1
Crescimento urbano
A urbanização na América Latina foi excludente, ou seja,
uma grande parte da população não teve acesso à
moradia adequada e nem aos serviços urbanos mais
essenciais, como saneamento básico, segurança e coleta
de lixo, formou-se uma nítida desigualdade social no meio
urbano.
O resultado disso foi o crescimento das periferias, a
favelização, a falta de empregos e a precariedade das
condições de vida para grande parte dos habitantes dos
grandes centros urbanos.
Desse modo, apresentam-se, de um lado, as áreas
dotadas de ampla infraestrutura e melhores serviços e os
bairros mais carentes. Os exemplos que podemos citar
são os barracos de favela, no Haiti e os camelôs
vendendo objetos usados, em Santiago, no Chile.
Apesar disso, vem ocorrendo a redução da pobreza nas
cidades.
Tema 1
Desenvolvimento socioeconômico
Em relação ao IDH de 2012, os países
se encontram em três níveis: muito
elevado (Argentina e Chile), elevado
(Brasil, Colômbia, Equador, Peru,
Uruguai e Venezuela) e médio
(Bolívia, Guiana, Paraguai, Suriname).
Chile e Argentina têm o maior IDH da
região. Guiana, Paraguai e Bolívia
apresentam os menores índices.
Tema 1
Pobreza
Alguns países da América do Sul, como Bolívia e
Equador, apresentam altas taxas de pessoas vivendo
com menos de 2 dólares por dia.
Chile e Uruguai apresentam índices de pobreza muito
baixos.
A situação socioeconômica na América do Sul teve dois
momentos marcantes nas últimas décadas:
• Nos anos 1990, muitos países adotaram medidas
políticas neoliberais, incentivadas pelo Fundo
Monetário Internacional (FMI) e pelo Banco Mundial.
Muitas nações foram forçadas a tomar medidas para
estabilizar a economia, como corte nos gastos sociais,
congelamento dos salários e abertura da economia
para a entrada das transnacionais, resultando no
aumento da pobreza e do desemprego.
• Nos anos 2000, algumas políticas públicas de inclusão
social conseguiram diminuir a pobreza em vários
países da região.
O Neoliberalismo é uma doutrina socioeconômica
que retoma os antigos ideais do liberalismo clássico
ao preconizar a mínima intervenção do Estado na
economia, através de sua retirada do mercado, que,
em tese, autorregular-se-ia e regularia também a
ordem econômica.
Tema 1
Resquícios coloniais
A colonização europeia ocorrida nos países sul-
americanos caracterizou-se pela intensa exploração das
colônias, extraindo grande parte das riquezas e utilizando
o território para produções em larga escala, baseadas na
monocultura e trabalho escravo. Ainda hoje, grande
parte dos países sul-americanos continua como
exportador de produtos primários.
Além disso, desde o período colonial, vastas áreas da
América do Sul foram transformadas em plantation:
grandes propriedades monocultoras, voltadas para a
produção de gêneros tropicais destinados ao mercado
externo e com a utilização da escravidão negra. Essas
particularidades do processo colonial determinaram os
traços principais dos problemas fundiários desta parte do
continente: a formação de grandes latifúndios ao lado de
grande contingente de trabalhadores rurais que não tem
acesso à terra.
Tema 1
Plantation
Economia
Os países da América do Sul têm suas principais
atividades produtoras voltadas para o setor
primário, que corresponde à produção de produtos
agropecuários, extração vegetal, animal e mineral.
Ela está centrada na exportação de commodities
Os países mais industrializados da América do Sul
são Brasil, Argentina, Chile, Colômbia, Venezuela e
Uruguai.
A pesca é um importante setor econômico para
Peru e Chile, favorecida pela corrente de Humboldt,
que carrega planctons e atrai peixes para a costa
desses países.
A América do Sul tem grande diversidade de
recursos minerais. Assim, atividades industriais
ligadas a esse ramo são extremamente importantes
para Venezuela, Bolívia, Colômbia e Peru (petróleo,
gás natural e pedras e metais preciosos); Chile,
Brasil e Argentina (cobre, bauxita, minério de ferro,
entre outros).
Tema 1
As commodities – ou commodity, no
singular – é uma expressão do inglês
que se difundiu no linguajar econômico
para fazer referência a um determinado
bem ou produto de origem primária
que possui um grande valor comercial e
estratégico. Geralmente, trata-se de
recursos minerais, vegetais ou agrícolas,
tais como o petróleo, o carvão mineral,
a soja, a cana-de-açúcar e outros.
Crescimento econômico
Os países sul-americanos têm
crescido de forma acelerada nos
últimos anos, aproveitando os altos
preços de commodities no mercado
internacional. Os países que têm
apresentado melhores desempenhos
são Peru, Equador, Chile e Colômbia,
favorecidos por acordos comerciais,
especialmente com a Ásia.
Tema 1
Fonte: http://exame.abril.com.br/economia/7-paises-da-america-latina-que-
crescem-o-dobro-do-brasil/
São Paulo - O FMI projeta que a América Latina vai
crescer só 2,5% este ano, mas a média esconde
diferenças importantes. Países como Colômbia e Bolívia
tem tido crescimento acelerado enquanto Venezuela e
Argentina enfrentam crises e as duas maiores
economias do bloco - México e Brasil - avançam com
lentidão. Depois de um PIB de 7,5% em 2010 (a maior
taxa desde a ditadura), a economia brasileira passou a
crescer numa média de 2% anuais, bem abaixo de
muitos dos vizinhos.
Recursos minerais e
energéticos
América do Sul é rica em recursos naturais e
grande produtora de petróleo e de gás
natural. Além disso, o território sul-
americano conta com importantes reservas
minerais — destacando-se:
- cobre, no Chile (maior produtor mundial);
- a prata e o estanho, no Peru;
- a bauxita e o minério de ferro, no Brasil.
Além disso faz intenso uso das águas,
principalmente na atividade pesqueira e no
aproveitamento dos rios para a geração de
energia.
Tema 2
Petróleo e gás
Foram descobertas recentemente reservas petróleo na América do Sul, sendo 80% delas
encontradas no pré-sal brasileiro.
A Venezuela é o 11o país no ranking global de produtores de petróleo. Este país juntamente
com o Equador faz parte da OPEP.
Além do petróleo, cresce a importância do gás natural principalmente para uso industrial. Os
principais produtores regionais são Venezuela, Bolívia e Argentina.
O Brasil depende a importação do gás boliviano, mas isso deve mudar nos próximos anos,
quando for iniciada a extração do gás existente na camada do pré-sal, que resultará na
ampliação da capacidade nacional de produção desse recurso.
Tema 2
Gasoduto Bolívia-Brasil
A partir da década de 1970 aumentou o consumo energético na América do Sul, levando muitos países a ampliar sua
produção interna de petróleo e de gás natural, principalmente Brasil e Argentina, os países mais industrializados desta região.
Argentina, Venezuela e Bolívia são os maiores produtores de gás natural da região, enquanto Argentina, Venezuela e Brasil
são os maiores consumidores.
Devido à distância geográfica da Venezuela em relação ao Brasil e à Argentina, o maior fornecedor para estes dois últimos é a
Bolívia.
Brasil e Bolívia negociavam desde a década de 1930 a comercialização de petróleo e de gás natural. O acordo foi fechado
apenas em 1997, com a implantação do gasoduto Bolívia-Brasil que possui 3.150 km em todo seu percurso, sendo 557 km
dentro da Bolívia e 2.593 km em solo brasileiro.
Tema 2
Com a descoberta do pré-sal, o Brasil fica
menos dependente do gás natural da
Bolívia
Energia hidrelétrica
A abundância de recursos hídricos na América do Sul
favoreceu a construção de grandes hidrelétricas a partir
da década de 1970.
Os países que mais construíram hidrelétricas foram
Brasil e Argentina, que também são os maiores
consumidores de energia elétrica da região.
A construção de hidrelétricas ocasiona alguns impactos
ambientais e sociais:
• alteração dos cursos dos rios;
• o alagamento de ambientes naturais e de áreas
construídas;
• perda de biodiversidade e a remoção de cidades
inteiras;
Apesar destes impactos, a energia produzida é
considerada renovável e limpa, por não lançar
poluentes ao meio ambiente.
Tema 2
Usina Binacional de Itaipu
A usina hidrelétrica Itaipu Binacional está localizada no
Rio Paraná, no trecho de fronteira entre o Brasil e o
Paraguai, 14 km ao Norte da Ponte da Amizade, nos
municípios de Foz do Iguaçu, no Brasil, e Ciudad del Este,
no Paraguai.
O acordo estabelecido entre o Paraguai e o Brasil
estabeleceu que toda energia gerada deveria ser dividida
em partes iguais e, caso um deles não utilizasse por
completo, deveria dar preferência ao sócio na venda,
realizando-a a preço reduzido.
Dos 50% que cabem a cada país, o Paraguai utiliza apenas
5%, sendo o restante vendido ao Brasil a preço de custo.
Esse fato gerou muitas discussões sobre o valor pago pelo
Brasil pela energia excedente do Paraguai.
Tema 2
http://www12.senado.leg.br/noticias/materias
/2011/05/11/senado-aprova-aumento-da-
tarifa-paga-pelo-brasil-ao-paraguai-por-
energia-da-usina-itaipu-binacional
Energias renováveis
Muitos países têm buscado fontes de energias renováveis, como solar, eólica (vento),
biomassa (matéria orgânica), geotérmica (calor do interior da Terra) e hidrelétrica
(água). Estas fontes geram menores impactos ambientais.
O Brasil é o segundo maior produtor mundial de energia utilizando biomassa (atrás
somente dos Estados Unidos) devido a investimentos nos setores de biodiesel e
etanol.
​O Peru tem importantes fontes de recursos hídricos e geotermais que permitem
exploração futura.
Tema 2
Acordos de integração
Desde a década de 1960, foram feitos acordos de
integração na América Latina, merecendo destaque:
• Mercado Comum Centro-Americano, de 1960
(Costa Rica, Guatemala, Honduras, Nicarágua e El
Salvador);
• Pacto Andino, de 1969 (Bolívia, Colômbia, Equador
e Peru
• Comunidade do Caribe, de 1973 (países do Caribe)
Tema 3
No entanto, nos anos 1990, com o fim do mundo bipolar, criou-se o principal
bloco em atuação na região, o Mercosul.
Integração da América
Latina: um sonho possível?
Muitos defenderam uma política de cooperação e
solidariedade entre as nações latino-americanas,
na tentativa de impedir o avanço e a dominação
das potências imperialistas. Um de seus
principais defensores foi SIMON BOLÍVAR.
Bolívar tinha intuito de tornar a América Latina
um bloco único e fortalecido, com políticas
comuns aos diversos países.
Nunca se conseguiu estabelecer uma política de
integração completa entre os países latino-
americanos, mas diversas medidas foram
tomadas com o objetivo de realizar algumas
ações conjuntas, normalmente de caráter
econômico, político ou cultural.
Tema 3
A expressão bolivarianismo designa a doutrina
política, de origem latino-americana, calcada
nas convicções integracionistas, socializantes e
de não-dominação, erigidas pelo general
venezuelano Simón Bolívar, quando das lutas
por ele travadas, no século XIX, em prol da
independência de alguns países sul-americanos
(que até então eram colônias espanholas – daí
a utilização, em história, do termo “América
Espanhola”).
Chama-se atualmente de bolivarianistas os
governos que questionam o neoliberalismo e o
Consenso de Washington.
O Mercosul
O Mercosul – Mercado Comum do Sul – é um bloco econômico
criado pelo Tratado de Assunção, em 1991, e conta atualmente
com Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai e, mais recentemente,
com a Venezuela como países-membros. Este país foi excluído do
bloco neste ano de 2017.
Equador, Chile, Colômbia, Peru, Bolívia participam como membros
associados, ou seja, participam das reuniões, mas não possuem
poder de voto.
O Mercosul tornou-se, a partir de 1º de janeiro de 1995, o melhor
exemplo de uma UA latino-americana. A União Aduaneira (UA)
corresponde a uma etapa ou modelo de integração econômica no
qual os países membros de uma Zona de Livre Comércio adotam
uma mesma tarifa às importações provenientes de mercados
externos. À essa tarifa dá-se o nome de Tarifa Externa Comum
(TEC).
Os países mais importantes do bloco são Brasil e Argentina.
Tema 3
Lei a notícia da época que o Paraguai foi suspenso do Mercosul.
A decisão da suspensão do Mercosul ocorreu porque os integrantes do mercado
comum sul-americano consideraram a destituição de Fernando Lugo na última
semana uma ruptura da ordem democrática. Além disso, com o Paraguai
suspenso, a Venezuela foi incorporada como membro pleno do bloco.
Tema 3
O Brasil e o Mercosul
A economia brasileira representa cerca de 70% do total do bloco.
As trocas comerciais entre os membros dos Mercosul são intensas e representam
valores consideráveis quanto às importações e exportações dos países-membros.
No entanto, o Mercosul já desempenhou papel de maior destaque no comércio
internacional brasileiro, chegando a representar 16% das trocas do país em 1998.
Tema 3
Impasses e desafios na construção do Mercosul
Para defender seus
interesses econômicos
muitos países membros do
Mercosul adotam medidas
protecionistas, como a
cobrança de impostos sobre
produtos importados dos
demais países do próprio
bloco econômico.
A integração entre os
membros é desejada, mas
nenhum país do bloco quer
correr o risco de sofrer uma
crise econômica.
Tema 3
Aliança do Pacífico
Aliança do Pacífico é um bloco econômico nos moldes do
Mercosul formado por México, Colômbia, Peru e Chile. O
objetivo da Aliança do Pacífico é “aprofundar a integração
entre as respetivas economias e definir ações conjuntas
para a vinculação comercial com a Ásia-Pacífico”.
A principal intenção do acordo então, é o
estabelecimento de relações mais diretas com áreas
estratégicas do comércio internacional, principalmente
com a Ásia.
O acordo possui finalidade de diversificar os parceiros
comerciais dos Estados fundadores, buscando reduzir a
dependência econômica dos Estados Unidos e países
desenvolvidos da Europa.
Aliança do Pacífico possui estratégia direcionada para o
comércio internacional, não restrita ao fortalecimento
dos mercados por negociações dentro do próprio bloco
como o Mercosul, que possui um caráter protecionista.
Tema 3
União de Nações Sul-Americanas (Unasul)
A União de Nações Sul-
Americanas (Unasul), criada
em 2008, é formada pelos
doze países da América do Sul
e tem como objetivo construir
um espaço de integração
cultural, social, político e
econômico entre os povos dos
países participantes.
Em 2008, a Unasul mediou
uma crise separatista ocorrida
na Bolívia. Veja notícia ao
lado.
Tema 3
Fonte: http://www.bbc.com/portuguese/reporterbbc/story/2008/09/080913_unsaul_reuniao_pu.shtml
Iniciativa para a Integração da
Infraestrutura Regional Sul-
Americana (Iirsa)
Em 2000, todos os países sul-americanos
começaram a fazer parte de um programa
de integração física por meio da
construção de infraestrutura de
transporte, energia e telecomunicações,
a Iniciativa para a Integração da
Infraestrutura Regional Sul-
Americana (Iirsa).
A Estrada do Pacífico, também conhecida
como Rodovia Interoceânica, faz parte de
um dos eixos que visa integrar fisicamente
os países sul-americanos.
Tema 3
Integração cultural na América do Sul
No âmbito do Mercosul, podemos citar dois grandes
projetos de integração cultural: o SIM Mercosul e a
Rede Mercosul de Pesquisa.
O Sistema Integrado de Mobilidade no Mercosul (SIM
Mercosul) concede bolsas remuneradas para
estudantes e docentes no Mercosul.
Em 2010, foi criada a Universidade Federal da
Integração Latino-Americana (Unila). Trata-se de uma
instituição pública brasileira com sede em Foz do
Iguaçu, no Paraná, cujo objetivo é a integração de
professores e alunos por meio do intercâmbio cultural,
científico e educacional na América Latina,
especialmente na região do Mercosul.
Tema 3
Brasil entre os líderes
mundiais
- país mais extenso, mais populoso e
com a maior economia da América do
Sul;
- potência regional em termos
econômicos e políticos, embora
esteja marcado por grandes
desigualdades socioeconômicas;
- participação no cenário econômico
mundial e na OMC;
- envolvimento na busca de soluções
pacíficas para conflitos internacionais
em parceria com a ONU
Tema 4
Protagonismo e relações
econômicas
Brasil
• sétima maior economia do mundo em termos econômicos.
• é grande exportador de produtos agrícolas e também se destaca na produção industrial e
energética.
• ampliou suas relações econômicas neste século, aumentando as trocas com países
asiáticos e africanos, além do comércio intrarregional no Mercosul.
• vem crescendo o comércio do país com a África;
• o comércio estabelecido com a Europa e com os Estados Unidos apresentou estagnação
Tema 4
Brasil e a ONU
O Brasil é membro da ONU desde 1945 (a ONU possui hoje 193 países-
membros.) e participa de conferências que abordam problemas globais e
propõem soluções.
Tema 4
Em 1992, no Rio de Janeiro, aconteceu a Conferência das Nações Unidas para o Meio
Ambiente e Desenvolvimento (ECO-92 ou Rio-92) - Essa foi considerada a primeira
conferência mundial sobre o meio ambiente.
Teve um caráter especial em razão da presença maciça de inúmeros chefes de Estado,
demonstrando assim a importância da questão ambiental no início dos anos 90. Foram
assinados tratados internacionais com o intuito de minimizar os efeitos da ação humana
na natureza.
Foi elaborada a Agenda 21, um conjunto de ações visando ao uso racional dos recursos
naturais e ao desenvolvimento sustentável, considerando as necessidades das futuras
gerações. Muito pouco foi feito em relação aos objetivos propostos.
Tema 4
Em 2012, aconteceu no Rio de Janeiro a Conferência das Nações Unidas
sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20) Esse encontro teve como
objetivo traçar a agenda do desenvolvimento sustentável das próximas
décadas. O documento "O futuro que queremos" lista intenções para que
se alcance no futuro uma "economia verde". Ele aponta como as
principais ameaças ao planeta a desertificação, o esgotamento dos
recursos pesqueiros, a contaminação, o desmatamento, a extinção de
espécies e o aquecimento global.
Permaneceram como desafios do século XXI a erradicação da pobreza, a
construção de sociedades socialmente justas e inclusivas e a proteção dos
ecossistemas do planeta.
A grande crítica que se faz ao documento é que ele não traz proposições
concretas para combater as ameaças ambientais que o mundo enfrenta.
Tema 4
O Brasil e as missões de paz
Com a intenção de manter a paz entre as nações, a ONU envia tropas e missões a locais de conflitos. Nos
últimos anos, o exército do Brasil tem participado dessas ações.
Atualmente, o Brasil tem distribuído pelo mundo mais de 1,7 mil militares. Esse contingente brasileiro
atua em missões sob a liderança da ONU. O quantitativo é composto por militares das três Forças
Armadas, além de policiais e bombeiros, e contribui para estabelecer a presença e estreitar o apoio do
Brasil a nove nações: Chipre, Costa do Marfim, Guiné-Bissau, Haiti, Líbano, Libéria, Saara Ocidental,
Sudão e Sudão do Sul.
Tema 4
O Brasil sempre reivindicou um assento permanente no Conselho de Segurança.
Para reforçar sua reivindicação, o Exército Brasileiro integra as forças
internacionais para missões de paz da ONU desde a década de 1960. A
participação em missões desse tipo confere prestígio à política externa do país.
Para conquistar um assento permanente no Conselho de Segurança da ONU o
Brasil busca apoio político de países pobres e mantém estreitas relações
diplomáticas com potências emergentes, como a Índia e a África do Sul, que
também buscam vagas permanentes no Conselho de Segurança.
Tema 4
O Brasil na OMC
• Brasil - liderança consolidada na América
do Sul
• busca ampliar a importância do país no
cenário mundial e para isso aproxima-se
dos países em desenvolvimento.
Em setembro de 2003, durante a reunião da
OMC em Cancún, o Brasil liderou um grupo de
países que pressionou as nações ricas para
impedi-las de impor às mais pobres seus
interesses comerciais nas negociações
agrícolas.
Em sua atuação na OMC, o Brasil tem exigido
maior abertura do mercado agrícola de países
como Estados Unidos e também da União
Europeia. No entanto, tem sido acusado de
manter o fechamento de seus próprios
mercados, em contradição com seus pedidos
de fim de barreiras alfandegárias aos produtos
agrícolas estadunidenses e europeus.
Segundo a OMC, o Brasil foi o país que adotou
o maior número de medidas contra produtos
importados no mundo em 2013.
Tema 4
Tema 4
Participação no Brics
O BRICS é um agrupamento econômico atualmente
composto por cinco países: Brasil, Rússia, Índia,
China e África do Sul. Não se trata de um bloco
econômico ou uma instituição internacional, mas de
um mecanismo internacional na forma de um
agrupamento informal, ou seja, não registrado
burocraticamente com estatuto e carta de princípios.
Atualmente, os BRICS são detentores de mais de
14% do PIB mundial, formando o grupo de países
que mais crescem no planeta. Além disso,
representam 42% da população mundial, 45% da
força de trabalho e o maior poder de consumo do
mundo. Destacam-se também pela abundância de
suas riquezas nacionais e as condições favoráveis
que atualmente apresentam para explorá-las.
Tema 4
Os interesses brasileiros e o G-3
O Fórum de Diálogo Índia-Brasil-África do Sul, comumente
abreviado para IBAS, também chamado de G3, é um acordo
feito em 2003 entre Índia, Brasil e África do Sul de caráter
político, estratégico e econômico. Os três países desse grupo
possuem muitos interesses em comum. Entre eles, como
mencionado, está o de ocupar vagas permanentes do
Conselho de Segurança da ONU.
Estes três países representam as maiores democracias em
cada continente (ou subcontinente) e que juntos representam
uma população de 1,25 bilhão de pessoas.
O Brasil vem realizando parcerias com a Índia nas áreas
aeroespacial e nuclear, por meio de programas de cooperação
científica e tecnológica que resultam em intercâmbio de
pesquisadores e técnicos entre esses países.
Tema 4
O Brasil e os países vizinhos
Há décadas o Brasil desenvolve
políticas para se firmar como
potência regional na América
do Sul. Ao mesmo tempo que
trava uma relação por vezes
tensa com a Argentina, amplia
as parcerias com os países
vizinhos.
Tema 4
Projetos de integração viária
Em parceria com a Bolívia, foi
elaborado um projeto para a
implantação da Ferrovia Brasil-
Bolívia, conectando o país andino
ao Porto de Santos, no estado de
São Paulo, o mais importante
porto do Brasil.
Tema 4
Corredor Bioceânico e outros projetos de integração
O Corredor Bioceânico é um projeto da Iirsa (Iniciativa para a Integração da Infraestrutura Regional Sul-
Americana) que conta com cerca de 4 mil quilômetros de rodovias que cortam a América do Sul no
sentido leste-oeste. Esse complexo rodoviário interliga a cidade portuária de Santos aos portos de Arica e
Iquique, no Chile.
A Bolívia ganha com esse projeto pois terá maior facilidade de transporte e acesso para o mar. Além
disso, as produções brasileiras, principalmente de soja, realizadas no Centro-Oeste, têm acesso
facilitado ao Oceano Pacífico, favorecendo as exportações para os países asiáticos.
O corredor foi inaugurado, não oficialmente, no final de 2013, mas precisa de ajustes para ser
economicamente viável, como a revisão dos preços de frete e que sejam estabelecidas regras de trânsito,
essenciais na preservação dessa rota.
Tema 4
Com o Paraguai, o governo brasileiro
promoveu a construção da rodovia BR-277. O
objetivo era ligar o eixo econômico paraguaio
localizado entre Assunção e Ciudad Del Este ao
Porto de Paranaguá, no litoral do estado do
Paraná, e favorecer as exportações paraguaias.
Para intensificar as relações com o Uruguai,
houve uma integração viária, por meio da
construção de ferrovias, hidrovias e rodovias
que ligam esse país às cidades do sul do Brasil.
Tema 4
Relações com a Argentina
A elaboração de projetos e obras de
infraestrutura em parceria com a Bolívia, o
Paraguai e o Uruguai fez surgir atritos com a
Argentina, sua principal rival na América do
Sul.
Bolívia e Paraguai, países sem saída para o
mar, eram muito dependentes da Argentina
para escoar seus produtos, fazendo uso da
Bacia Platina e do Porto de Buenos Aires.
Visando atrair esses países para sua órbita
de influência, o Brasil implantou um
conjunto de estratégias.
Tema 4
Antigas rivalidades – Brasil e Argentina
A relação entre Brasil e Argentina sempre foi
complicada.
O primeiro conflito ocorreu durante os processos de
independência desses países, quando, com suas
fronteiras ainda incertas, travaram disputas na Guerra
da Cisplatina.
Na década de 1970 a Argentina sentiu-se prejudicada
com a construção da Usina de Itaipu.
Nos anos de 1980, no conflito da Argentina com o
Reino Unido pela posse das Ilhas Malvinas, o Brasil
manteve apoio diplomático à Argentina, diminuindo as
desconfianças entre os países vizinhos e promovendo
uma aproximação e abrindo caminhos para a criação
do Mercosul, bloco que na prática amenizou as
divergências econômicas entre ambos os países.
Tema 4
Laços econômicos
A partir dos anos 2000, as relações entre Brasil e Argentina têm sido mais amigáveis.
Os investimentos de empresas brasileiras na economia argentina aumentaram nos últimos anos, com
destaque para setores como petróleo e gás, construção civil, minérios e indústria automobilística. As
empreiteiras brasileiras vêm ampliando participação em obras de infraestrutura na Argentina e o turismo é
uma importante fonte de receita para ambos os países.
Embora cerca de 80% do volume das trocas comerciais seja de manufaturados, a parte brasileira desse tipo de
produto exportado para a Argentina tem diminuído
Tema 4
Professora Christie – Geografia
Dúvidas?
Questionem em sala ou no blog www.christiegeo.blogspot.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

7º ano unidade 5 - Região Norte
7º ano   unidade 5 - Região Norte7º ano   unidade 5 - Região Norte
7º ano unidade 5 - Região Norte
Christie Freitas
 
Unidade 7 7º ano
Unidade 7 7º anoUnidade 7 7º ano
Unidade 7 7º ano
Christie Freitas
 
Região centro oeste
Região centro oesteRegião centro oeste
Região centro oeste
Prof. Francesco Torres
 
América anglo saxônica
América anglo saxônicaAmérica anglo saxônica
América anglo saxônica
Professor
 
O continente americano completo
O continente americano  completoO continente americano  completo
O continente americano completo
Camila Brito
 
8º Ano - Módulo 04 - Continente Americano
8º Ano - Módulo 04 - Continente Americano8º Ano - Módulo 04 - Continente Americano
8º Ano - Módulo 04 - Continente Americano
Cléber Figueiredo Beda de Ávila
 
América do norte 8º ano
América do norte 8º anoAmérica do norte 8º ano
América do norte 8º ano
Débora Sales
 
Modulo 12 - América Latina - a produção econômica
Modulo 12 - América Latina - a produção econômicaModulo 12 - América Latina - a produção econômica
Modulo 12 - América Latina - a produção econômica
Claudio Henrique Ramos Sales
 
Regionalização da américa
Regionalização da américaRegionalização da américa
Regionalização da américa
Gustavo Silva de Souza
 
Continente asiático
Continente asiáticoContinente asiático
Continente asiático
André Luiz Marques
 
A formação do território brasileiro - 7º ano
A formação do território brasileiro - 7º anoA formação do território brasileiro - 7º ano
A formação do território brasileiro - 7º ano
Josi Zanette do Canto
 
Europa – aspectos naturais
Europa – aspectos naturaisEuropa – aspectos naturais
Europa – aspectos naturais
Professor
 
Localização, demografia e regionalização da Ásia
Localização, demografia e regionalização da ÁsiaLocalização, demografia e regionalização da Ásia
Localização, demografia e regionalização da Ásia
Rodrigo Andrade
 
Hidrografia do brasil
Hidrografia do brasilHidrografia do brasil
Hidrografia do brasil
Prof.Paulo/geografia
 
Região norte
Região norteRegião norte
Região norte
Prof. Francesco Torres
 
áSia Quadro Economico E Humano Aula
áSia   Quadro Economico E Humano   AulaáSia   Quadro Economico E Humano   Aula
áSia Quadro Economico E Humano Aula
Luciano Pessanha
 
População e economia da américa
População e economia da américaPopulação e economia da américa
População e economia da américa
Íris Ferreira
 
América central
América  centralAmérica  central
América central
Agla Santos
 
7º ano unidade 6 - Nordeste do Brasil
7º ano   unidade 6 - Nordeste do Brasil7º ano   unidade 6 - Nordeste do Brasil
7º ano unidade 6 - Nordeste do Brasil
Christie Freitas
 
Geografia do Brasil - Região Nordeste
Geografia do Brasil - Região Nordeste Geografia do Brasil - Região Nordeste
Geografia do Brasil - Região Nordeste
Vania Leão
 

Mais procurados (20)

7º ano unidade 5 - Região Norte
7º ano   unidade 5 - Região Norte7º ano   unidade 5 - Região Norte
7º ano unidade 5 - Região Norte
 
Unidade 7 7º ano
Unidade 7 7º anoUnidade 7 7º ano
Unidade 7 7º ano
 
Região centro oeste
Região centro oesteRegião centro oeste
Região centro oeste
 
América anglo saxônica
América anglo saxônicaAmérica anglo saxônica
América anglo saxônica
 
O continente americano completo
O continente americano  completoO continente americano  completo
O continente americano completo
 
8º Ano - Módulo 04 - Continente Americano
8º Ano - Módulo 04 - Continente Americano8º Ano - Módulo 04 - Continente Americano
8º Ano - Módulo 04 - Continente Americano
 
América do norte 8º ano
América do norte 8º anoAmérica do norte 8º ano
América do norte 8º ano
 
Modulo 12 - América Latina - a produção econômica
Modulo 12 - América Latina - a produção econômicaModulo 12 - América Latina - a produção econômica
Modulo 12 - América Latina - a produção econômica
 
Regionalização da américa
Regionalização da américaRegionalização da américa
Regionalização da américa
 
Continente asiático
Continente asiáticoContinente asiático
Continente asiático
 
A formação do território brasileiro - 7º ano
A formação do território brasileiro - 7º anoA formação do território brasileiro - 7º ano
A formação do território brasileiro - 7º ano
 
Europa – aspectos naturais
Europa – aspectos naturaisEuropa – aspectos naturais
Europa – aspectos naturais
 
Localização, demografia e regionalização da Ásia
Localização, demografia e regionalização da ÁsiaLocalização, demografia e regionalização da Ásia
Localização, demografia e regionalização da Ásia
 
Hidrografia do brasil
Hidrografia do brasilHidrografia do brasil
Hidrografia do brasil
 
Região norte
Região norteRegião norte
Região norte
 
áSia Quadro Economico E Humano Aula
áSia   Quadro Economico E Humano   AulaáSia   Quadro Economico E Humano   Aula
áSia Quadro Economico E Humano Aula
 
População e economia da américa
População e economia da américaPopulação e economia da américa
População e economia da américa
 
América central
América  centralAmérica  central
América central
 
7º ano unidade 6 - Nordeste do Brasil
7º ano   unidade 6 - Nordeste do Brasil7º ano   unidade 6 - Nordeste do Brasil
7º ano unidade 6 - Nordeste do Brasil
 
Geografia do Brasil - Região Nordeste
Geografia do Brasil - Região Nordeste Geografia do Brasil - Região Nordeste
Geografia do Brasil - Região Nordeste
 

Semelhante a Unidade 7 8º ano- América do Sul

Unidade 7 temas 1 e 2
Unidade 7 temas 1 e 2Unidade 7 temas 1 e 2
Unidade 7 temas 1 e 2
Christie Freitas
 
America do-sul-1
America do-sul-1America do-sul-1
America do-sul-1
Alexandre Quadrado
 
America latina
America latina America latina
America latina
Christie Freitas
 
americalatina-160516184120.pptx
americalatina-160516184120.pptxamericalatina-160516184120.pptx
americalatina-160516184120.pptx
ClaudislaneLima
 
wepik-desbravando-os-desafios-da-agropecuaria-uma-jornada-criativa-pela-quest...
wepik-desbravando-os-desafios-da-agropecuaria-uma-jornada-criativa-pela-quest...wepik-desbravando-os-desafios-da-agropecuaria-uma-jornada-criativa-pela-quest...
wepik-desbravando-os-desafios-da-agropecuaria-uma-jornada-criativa-pela-quest...
TeachersZeroOne
 
Estados unidos sociedade e economia
Estados unidos   sociedade e economiaEstados unidos   sociedade e economia
Estados unidos sociedade e economia
Professor
 
Sub regiões-américa latina
Sub regiões-américa latinaSub regiões-américa latina
Sub regiões-américa latina
RoAlmeidd
 
10 diversidade regional-e_os_problemas_economicos_da_america_latina
10 diversidade regional-e_os_problemas_economicos_da_america_latina10 diversidade regional-e_os_problemas_economicos_da_america_latina
10 diversidade regional-e_os_problemas_economicos_da_america_latina
Lucas Cechinel
 
AMÉRICA LATINA
AMÉRICA LATINAAMÉRICA LATINA
AMÉRICA LATINA
Conceição Fontolan
 
Cap.7EstadosUnidos_A_potenciaImpera.pptx
Cap.7EstadosUnidos_A_potenciaImpera.pptxCap.7EstadosUnidos_A_potenciaImpera.pptx
Cap.7EstadosUnidos_A_potenciaImpera.pptx
IGAInstituto
 
Estados Unidos
Estados Unidos Estados Unidos
Estados Unidos
Vania Leão
 
grupo 10
grupo 10grupo 10
grupo 10
Joao Paulo
 
Unidade 5 - EUA e Canadá
Unidade 5 - EUA e CanadáUnidade 5 - EUA e Canadá
Unidade 5 - EUA e Canadá
Christie Freitas
 
Aula de Geografia sobre EUA, Austrália e Canadá do 2 ano do Ensino Médio
Aula de Geografia sobre EUA,  Austrália e Canadá do 2 ano do Ensino MédioAula de Geografia sobre EUA,  Austrália e Canadá do 2 ano do Ensino Médio
Aula de Geografia sobre EUA, Austrália e Canadá do 2 ano do Ensino Médio
Rachel Facundo
 
prova geografia
prova geografiaprova geografia
prova geografia
Gustavo Silva
 
Cap. 14 - América latina
Cap. 14 - América latinaCap. 14 - América latina
Cap. 14 - América latina
Acácio Netto
 
Ara geo 8_uni_6_resp_diag
Ara geo 8_uni_6_resp_diagAra geo 8_uni_6_resp_diag
Ara geo 8_uni_6_resp_diag
julio2012souto
 
PRIVEST - CAP. 02 - Regionalização - América - 9° EFII
PRIVEST - CAP.  02 - Regionalização - América - 9° EFIIPRIVEST - CAP.  02 - Regionalização - América - 9° EFII
PRIVEST - CAP. 02 - Regionalização - América - 9° EFII
profrodrigoribeiro
 
Unidade 2 7º ano
Unidade 2   7º anoUnidade 2   7º ano
Unidade 2 7º ano
Christie Freitas
 
Cap. 9 - O nordeste
Cap. 9 - O nordesteCap. 9 - O nordeste
Cap. 9 - O nordeste
Acácio Netto
 

Semelhante a Unidade 7 8º ano- América do Sul (20)

Unidade 7 temas 1 e 2
Unidade 7 temas 1 e 2Unidade 7 temas 1 e 2
Unidade 7 temas 1 e 2
 
America do-sul-1
America do-sul-1America do-sul-1
America do-sul-1
 
America latina
America latina America latina
America latina
 
americalatina-160516184120.pptx
americalatina-160516184120.pptxamericalatina-160516184120.pptx
americalatina-160516184120.pptx
 
wepik-desbravando-os-desafios-da-agropecuaria-uma-jornada-criativa-pela-quest...
wepik-desbravando-os-desafios-da-agropecuaria-uma-jornada-criativa-pela-quest...wepik-desbravando-os-desafios-da-agropecuaria-uma-jornada-criativa-pela-quest...
wepik-desbravando-os-desafios-da-agropecuaria-uma-jornada-criativa-pela-quest...
 
Estados unidos sociedade e economia
Estados unidos   sociedade e economiaEstados unidos   sociedade e economia
Estados unidos sociedade e economia
 
Sub regiões-américa latina
Sub regiões-américa latinaSub regiões-américa latina
Sub regiões-américa latina
 
10 diversidade regional-e_os_problemas_economicos_da_america_latina
10 diversidade regional-e_os_problemas_economicos_da_america_latina10 diversidade regional-e_os_problemas_economicos_da_america_latina
10 diversidade regional-e_os_problemas_economicos_da_america_latina
 
AMÉRICA LATINA
AMÉRICA LATINAAMÉRICA LATINA
AMÉRICA LATINA
 
Cap.7EstadosUnidos_A_potenciaImpera.pptx
Cap.7EstadosUnidos_A_potenciaImpera.pptxCap.7EstadosUnidos_A_potenciaImpera.pptx
Cap.7EstadosUnidos_A_potenciaImpera.pptx
 
Estados Unidos
Estados Unidos Estados Unidos
Estados Unidos
 
grupo 10
grupo 10grupo 10
grupo 10
 
Unidade 5 - EUA e Canadá
Unidade 5 - EUA e CanadáUnidade 5 - EUA e Canadá
Unidade 5 - EUA e Canadá
 
Aula de Geografia sobre EUA, Austrália e Canadá do 2 ano do Ensino Médio
Aula de Geografia sobre EUA,  Austrália e Canadá do 2 ano do Ensino MédioAula de Geografia sobre EUA,  Austrália e Canadá do 2 ano do Ensino Médio
Aula de Geografia sobre EUA, Austrália e Canadá do 2 ano do Ensino Médio
 
prova geografia
prova geografiaprova geografia
prova geografia
 
Cap. 14 - América latina
Cap. 14 - América latinaCap. 14 - América latina
Cap. 14 - América latina
 
Ara geo 8_uni_6_resp_diag
Ara geo 8_uni_6_resp_diagAra geo 8_uni_6_resp_diag
Ara geo 8_uni_6_resp_diag
 
PRIVEST - CAP. 02 - Regionalização - América - 9° EFII
PRIVEST - CAP.  02 - Regionalização - América - 9° EFIIPRIVEST - CAP.  02 - Regionalização - América - 9° EFII
PRIVEST - CAP. 02 - Regionalização - América - 9° EFII
 
Unidade 2 7º ano
Unidade 2   7º anoUnidade 2   7º ano
Unidade 2 7º ano
 
Cap. 9 - O nordeste
Cap. 9 - O nordesteCap. 9 - O nordeste
Cap. 9 - O nordeste
 

Mais de Christie Freitas

Unidade 4 cap. 1
Unidade 4 cap. 1Unidade 4 cap. 1
Unidade 4 cap. 1
Christie Freitas
 
Unidade 1 e 2 parcial
Unidade 1 e 2 parcialUnidade 1 e 2 parcial
Unidade 1 e 2 parcial
Christie Freitas
 
Unidade 1
Unidade 1Unidade 1
Unidade 1
Christie Freitas
 
Unidade 2 sextoano
Unidade 2 sextoanoUnidade 2 sextoano
Unidade 2 sextoano
Christie Freitas
 
6ano unidade3
6ano unidade36ano unidade3
6ano unidade3
Christie Freitas
 
Unidade 8 sexto ano
Unidade 8   sexto anoUnidade 8   sexto ano
Unidade 8 sexto ano
Christie Freitas
 
Unidade 7 temas 3 e 4 - sexto ano
Unidade 7  temas 3 e 4 - sexto anoUnidade 7  temas 3 e 4 - sexto ano
Unidade 7 temas 3 e 4 - sexto ano
Christie Freitas
 
Unidade 7 sexto ano_temas 1 e 2
Unidade 7 sexto ano_temas 1 e 2Unidade 7 sexto ano_temas 1 e 2
Unidade 7 sexto ano_temas 1 e 2
Christie Freitas
 
Unidade4
Unidade4Unidade4
Unidade 6 sextoano
Unidade 6 sextoanoUnidade 6 sextoano
Unidade 6 sextoano
Christie Freitas
 
Unidade5 temas2 3_4
Unidade5 temas2 3_4Unidade5 temas2 3_4
Unidade5 temas2 3_4
Christie Freitas
 
Unidade 2 oitavo ano
Unidade 2   oitavo anoUnidade 2   oitavo ano
Unidade 2 oitavo ano
Christie Freitas
 
Unidade 5 6 ano
Unidade 5 6 anoUnidade 5 6 ano
Unidade 5 6 ano
Christie Freitas
 
Unidade 1
Unidade 1Unidade 1
Unidade 1
Christie Freitas
 
Unidade 1 sexto ano
Unidade 1 sexto anoUnidade 1 sexto ano
Unidade 1 sexto ano
Christie Freitas
 
Unidade 8 temas 3 e 4 e unidade 9
Unidade 8 temas 3 e 4  e unidade 9Unidade 8 temas 3 e 4  e unidade 9
Unidade 8 temas 3 e 4 e unidade 9
Christie Freitas
 
Unidade 9 - 6º ano
Unidade 9   - 6º anoUnidade 9   - 6º ano
Unidade 9 - 6º ano
Christie Freitas
 
Unidade 8 temas 3 e 4 sexto ano
Unidade 8   temas 3 e 4 sexto anoUnidade 8   temas 3 e 4 sexto ano
Unidade 8 temas 3 e 4 sexto ano
Christie Freitas
 
Unidade 2 sextoano
Unidade 2 sextoanoUnidade 2 sextoano
Unidade 2 sextoano
Christie Freitas
 
Unidade 8 - África
Unidade 8  - ÁfricaUnidade 8  - África
Unidade 8 - África
Christie Freitas
 

Mais de Christie Freitas (20)

Unidade 4 cap. 1
Unidade 4 cap. 1Unidade 4 cap. 1
Unidade 4 cap. 1
 
Unidade 1 e 2 parcial
Unidade 1 e 2 parcialUnidade 1 e 2 parcial
Unidade 1 e 2 parcial
 
Unidade 1
Unidade 1Unidade 1
Unidade 1
 
Unidade 2 sextoano
Unidade 2 sextoanoUnidade 2 sextoano
Unidade 2 sextoano
 
6ano unidade3
6ano unidade36ano unidade3
6ano unidade3
 
Unidade 8 sexto ano
Unidade 8   sexto anoUnidade 8   sexto ano
Unidade 8 sexto ano
 
Unidade 7 temas 3 e 4 - sexto ano
Unidade 7  temas 3 e 4 - sexto anoUnidade 7  temas 3 e 4 - sexto ano
Unidade 7 temas 3 e 4 - sexto ano
 
Unidade 7 sexto ano_temas 1 e 2
Unidade 7 sexto ano_temas 1 e 2Unidade 7 sexto ano_temas 1 e 2
Unidade 7 sexto ano_temas 1 e 2
 
Unidade4
Unidade4Unidade4
Unidade4
 
Unidade 6 sextoano
Unidade 6 sextoanoUnidade 6 sextoano
Unidade 6 sextoano
 
Unidade5 temas2 3_4
Unidade5 temas2 3_4Unidade5 temas2 3_4
Unidade5 temas2 3_4
 
Unidade 2 oitavo ano
Unidade 2   oitavo anoUnidade 2   oitavo ano
Unidade 2 oitavo ano
 
Unidade 5 6 ano
Unidade 5 6 anoUnidade 5 6 ano
Unidade 5 6 ano
 
Unidade 1
Unidade 1Unidade 1
Unidade 1
 
Unidade 1 sexto ano
Unidade 1 sexto anoUnidade 1 sexto ano
Unidade 1 sexto ano
 
Unidade 8 temas 3 e 4 e unidade 9
Unidade 8 temas 3 e 4  e unidade 9Unidade 8 temas 3 e 4  e unidade 9
Unidade 8 temas 3 e 4 e unidade 9
 
Unidade 9 - 6º ano
Unidade 9   - 6º anoUnidade 9   - 6º ano
Unidade 9 - 6º ano
 
Unidade 8 temas 3 e 4 sexto ano
Unidade 8   temas 3 e 4 sexto anoUnidade 8   temas 3 e 4 sexto ano
Unidade 8 temas 3 e 4 sexto ano
 
Unidade 2 sextoano
Unidade 2 sextoanoUnidade 2 sextoano
Unidade 2 sextoano
 
Unidade 8 - África
Unidade 8  - ÁfricaUnidade 8  - África
Unidade 8 - África
 

Último

Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p..._jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
marcos oliveira
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 

Último (20)

Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p..._jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 

Unidade 7 8º ano- América do Sul

  • 1. América do Sul Unidade 7 8º ano Professora Christie
  • 2. Divisão territorial da América do Sul Com uma extensão de cerca de 17,8 milhões de km², a América do Sul comporta 6% da população mundial dividida em 12 países e 1 departamento francês ultramarino, a Guiana Francesa. São eles a Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Guiana, Paraguai, Peru, Suriname, Uruguai e Venezuela. Limita-se ao norte com a América Central, à leste com o oceano atlântico e à oeste com o oceano pacífico. Tema 1
  • 3. Ocupação do território A principal característica da população sul-americana é o grande desequilíbrio na distribuição geográfica. Enquanto a ampla maioria se concentra nas áreas litorâneas, regiões enormes no seu interior permanecem praticamente desabitadas como o caso da Patagônia, na Argentina; da região Amazônica, no norte da América do Sul e das áreas desérticas do Chile Tema 1
  • 4. Urbanização A história da América Latina é a história dos contrastes e semelhanças, das convergências e divergências. A geografia do continente também é assim e pode-se destacar que em boa parte os países latino-americanos se assemelham quanto à urbanização que se caracterizou como um processo rápido e desordenado, em geral, relacionado à transferência da população do campo para as cidades. A maior parte dos países é bastante urbanizada, apresentando taxas de urbanização superiores a 60%, com exceção do Paraguai e da Guiana Tema 1
  • 5. Crescimento urbano A urbanização na América Latina foi excludente, ou seja, uma grande parte da população não teve acesso à moradia adequada e nem aos serviços urbanos mais essenciais, como saneamento básico, segurança e coleta de lixo, formou-se uma nítida desigualdade social no meio urbano. O resultado disso foi o crescimento das periferias, a favelização, a falta de empregos e a precariedade das condições de vida para grande parte dos habitantes dos grandes centros urbanos. Desse modo, apresentam-se, de um lado, as áreas dotadas de ampla infraestrutura e melhores serviços e os bairros mais carentes. Os exemplos que podemos citar são os barracos de favela, no Haiti e os camelôs vendendo objetos usados, em Santiago, no Chile. Apesar disso, vem ocorrendo a redução da pobreza nas cidades. Tema 1
  • 6. Desenvolvimento socioeconômico Em relação ao IDH de 2012, os países se encontram em três níveis: muito elevado (Argentina e Chile), elevado (Brasil, Colômbia, Equador, Peru, Uruguai e Venezuela) e médio (Bolívia, Guiana, Paraguai, Suriname). Chile e Argentina têm o maior IDH da região. Guiana, Paraguai e Bolívia apresentam os menores índices. Tema 1
  • 7. Pobreza Alguns países da América do Sul, como Bolívia e Equador, apresentam altas taxas de pessoas vivendo com menos de 2 dólares por dia. Chile e Uruguai apresentam índices de pobreza muito baixos. A situação socioeconômica na América do Sul teve dois momentos marcantes nas últimas décadas: • Nos anos 1990, muitos países adotaram medidas políticas neoliberais, incentivadas pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) e pelo Banco Mundial. Muitas nações foram forçadas a tomar medidas para estabilizar a economia, como corte nos gastos sociais, congelamento dos salários e abertura da economia para a entrada das transnacionais, resultando no aumento da pobreza e do desemprego. • Nos anos 2000, algumas políticas públicas de inclusão social conseguiram diminuir a pobreza em vários países da região. O Neoliberalismo é uma doutrina socioeconômica que retoma os antigos ideais do liberalismo clássico ao preconizar a mínima intervenção do Estado na economia, através de sua retirada do mercado, que, em tese, autorregular-se-ia e regularia também a ordem econômica. Tema 1
  • 8. Resquícios coloniais A colonização europeia ocorrida nos países sul- americanos caracterizou-se pela intensa exploração das colônias, extraindo grande parte das riquezas e utilizando o território para produções em larga escala, baseadas na monocultura e trabalho escravo. Ainda hoje, grande parte dos países sul-americanos continua como exportador de produtos primários. Além disso, desde o período colonial, vastas áreas da América do Sul foram transformadas em plantation: grandes propriedades monocultoras, voltadas para a produção de gêneros tropicais destinados ao mercado externo e com a utilização da escravidão negra. Essas particularidades do processo colonial determinaram os traços principais dos problemas fundiários desta parte do continente: a formação de grandes latifúndios ao lado de grande contingente de trabalhadores rurais que não tem acesso à terra. Tema 1 Plantation
  • 9. Economia Os países da América do Sul têm suas principais atividades produtoras voltadas para o setor primário, que corresponde à produção de produtos agropecuários, extração vegetal, animal e mineral. Ela está centrada na exportação de commodities Os países mais industrializados da América do Sul são Brasil, Argentina, Chile, Colômbia, Venezuela e Uruguai. A pesca é um importante setor econômico para Peru e Chile, favorecida pela corrente de Humboldt, que carrega planctons e atrai peixes para a costa desses países. A América do Sul tem grande diversidade de recursos minerais. Assim, atividades industriais ligadas a esse ramo são extremamente importantes para Venezuela, Bolívia, Colômbia e Peru (petróleo, gás natural e pedras e metais preciosos); Chile, Brasil e Argentina (cobre, bauxita, minério de ferro, entre outros). Tema 1 As commodities – ou commodity, no singular – é uma expressão do inglês que se difundiu no linguajar econômico para fazer referência a um determinado bem ou produto de origem primária que possui um grande valor comercial e estratégico. Geralmente, trata-se de recursos minerais, vegetais ou agrícolas, tais como o petróleo, o carvão mineral, a soja, a cana-de-açúcar e outros.
  • 10. Crescimento econômico Os países sul-americanos têm crescido de forma acelerada nos últimos anos, aproveitando os altos preços de commodities no mercado internacional. Os países que têm apresentado melhores desempenhos são Peru, Equador, Chile e Colômbia, favorecidos por acordos comerciais, especialmente com a Ásia. Tema 1 Fonte: http://exame.abril.com.br/economia/7-paises-da-america-latina-que- crescem-o-dobro-do-brasil/ São Paulo - O FMI projeta que a América Latina vai crescer só 2,5% este ano, mas a média esconde diferenças importantes. Países como Colômbia e Bolívia tem tido crescimento acelerado enquanto Venezuela e Argentina enfrentam crises e as duas maiores economias do bloco - México e Brasil - avançam com lentidão. Depois de um PIB de 7,5% em 2010 (a maior taxa desde a ditadura), a economia brasileira passou a crescer numa média de 2% anuais, bem abaixo de muitos dos vizinhos.
  • 11. Recursos minerais e energéticos América do Sul é rica em recursos naturais e grande produtora de petróleo e de gás natural. Além disso, o território sul- americano conta com importantes reservas minerais — destacando-se: - cobre, no Chile (maior produtor mundial); - a prata e o estanho, no Peru; - a bauxita e o minério de ferro, no Brasil. Além disso faz intenso uso das águas, principalmente na atividade pesqueira e no aproveitamento dos rios para a geração de energia. Tema 2
  • 12. Petróleo e gás Foram descobertas recentemente reservas petróleo na América do Sul, sendo 80% delas encontradas no pré-sal brasileiro. A Venezuela é o 11o país no ranking global de produtores de petróleo. Este país juntamente com o Equador faz parte da OPEP. Além do petróleo, cresce a importância do gás natural principalmente para uso industrial. Os principais produtores regionais são Venezuela, Bolívia e Argentina. O Brasil depende a importação do gás boliviano, mas isso deve mudar nos próximos anos, quando for iniciada a extração do gás existente na camada do pré-sal, que resultará na ampliação da capacidade nacional de produção desse recurso. Tema 2
  • 13. Gasoduto Bolívia-Brasil A partir da década de 1970 aumentou o consumo energético na América do Sul, levando muitos países a ampliar sua produção interna de petróleo e de gás natural, principalmente Brasil e Argentina, os países mais industrializados desta região. Argentina, Venezuela e Bolívia são os maiores produtores de gás natural da região, enquanto Argentina, Venezuela e Brasil são os maiores consumidores. Devido à distância geográfica da Venezuela em relação ao Brasil e à Argentina, o maior fornecedor para estes dois últimos é a Bolívia. Brasil e Bolívia negociavam desde a década de 1930 a comercialização de petróleo e de gás natural. O acordo foi fechado apenas em 1997, com a implantação do gasoduto Bolívia-Brasil que possui 3.150 km em todo seu percurso, sendo 557 km dentro da Bolívia e 2.593 km em solo brasileiro. Tema 2 Com a descoberta do pré-sal, o Brasil fica menos dependente do gás natural da Bolívia
  • 14. Energia hidrelétrica A abundância de recursos hídricos na América do Sul favoreceu a construção de grandes hidrelétricas a partir da década de 1970. Os países que mais construíram hidrelétricas foram Brasil e Argentina, que também são os maiores consumidores de energia elétrica da região. A construção de hidrelétricas ocasiona alguns impactos ambientais e sociais: • alteração dos cursos dos rios; • o alagamento de ambientes naturais e de áreas construídas; • perda de biodiversidade e a remoção de cidades inteiras; Apesar destes impactos, a energia produzida é considerada renovável e limpa, por não lançar poluentes ao meio ambiente. Tema 2
  • 15. Usina Binacional de Itaipu A usina hidrelétrica Itaipu Binacional está localizada no Rio Paraná, no trecho de fronteira entre o Brasil e o Paraguai, 14 km ao Norte da Ponte da Amizade, nos municípios de Foz do Iguaçu, no Brasil, e Ciudad del Este, no Paraguai. O acordo estabelecido entre o Paraguai e o Brasil estabeleceu que toda energia gerada deveria ser dividida em partes iguais e, caso um deles não utilizasse por completo, deveria dar preferência ao sócio na venda, realizando-a a preço reduzido. Dos 50% que cabem a cada país, o Paraguai utiliza apenas 5%, sendo o restante vendido ao Brasil a preço de custo. Esse fato gerou muitas discussões sobre o valor pago pelo Brasil pela energia excedente do Paraguai. Tema 2 http://www12.senado.leg.br/noticias/materias /2011/05/11/senado-aprova-aumento-da- tarifa-paga-pelo-brasil-ao-paraguai-por- energia-da-usina-itaipu-binacional
  • 16. Energias renováveis Muitos países têm buscado fontes de energias renováveis, como solar, eólica (vento), biomassa (matéria orgânica), geotérmica (calor do interior da Terra) e hidrelétrica (água). Estas fontes geram menores impactos ambientais. O Brasil é o segundo maior produtor mundial de energia utilizando biomassa (atrás somente dos Estados Unidos) devido a investimentos nos setores de biodiesel e etanol. ​O Peru tem importantes fontes de recursos hídricos e geotermais que permitem exploração futura. Tema 2
  • 17. Acordos de integração Desde a década de 1960, foram feitos acordos de integração na América Latina, merecendo destaque: • Mercado Comum Centro-Americano, de 1960 (Costa Rica, Guatemala, Honduras, Nicarágua e El Salvador); • Pacto Andino, de 1969 (Bolívia, Colômbia, Equador e Peru • Comunidade do Caribe, de 1973 (países do Caribe) Tema 3 No entanto, nos anos 1990, com o fim do mundo bipolar, criou-se o principal bloco em atuação na região, o Mercosul.
  • 18. Integração da América Latina: um sonho possível? Muitos defenderam uma política de cooperação e solidariedade entre as nações latino-americanas, na tentativa de impedir o avanço e a dominação das potências imperialistas. Um de seus principais defensores foi SIMON BOLÍVAR. Bolívar tinha intuito de tornar a América Latina um bloco único e fortalecido, com políticas comuns aos diversos países. Nunca se conseguiu estabelecer uma política de integração completa entre os países latino- americanos, mas diversas medidas foram tomadas com o objetivo de realizar algumas ações conjuntas, normalmente de caráter econômico, político ou cultural. Tema 3 A expressão bolivarianismo designa a doutrina política, de origem latino-americana, calcada nas convicções integracionistas, socializantes e de não-dominação, erigidas pelo general venezuelano Simón Bolívar, quando das lutas por ele travadas, no século XIX, em prol da independência de alguns países sul-americanos (que até então eram colônias espanholas – daí a utilização, em história, do termo “América Espanhola”). Chama-se atualmente de bolivarianistas os governos que questionam o neoliberalismo e o Consenso de Washington.
  • 19. O Mercosul O Mercosul – Mercado Comum do Sul – é um bloco econômico criado pelo Tratado de Assunção, em 1991, e conta atualmente com Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai e, mais recentemente, com a Venezuela como países-membros. Este país foi excluído do bloco neste ano de 2017. Equador, Chile, Colômbia, Peru, Bolívia participam como membros associados, ou seja, participam das reuniões, mas não possuem poder de voto. O Mercosul tornou-se, a partir de 1º de janeiro de 1995, o melhor exemplo de uma UA latino-americana. A União Aduaneira (UA) corresponde a uma etapa ou modelo de integração econômica no qual os países membros de uma Zona de Livre Comércio adotam uma mesma tarifa às importações provenientes de mercados externos. À essa tarifa dá-se o nome de Tarifa Externa Comum (TEC). Os países mais importantes do bloco são Brasil e Argentina. Tema 3
  • 20. Lei a notícia da época que o Paraguai foi suspenso do Mercosul. A decisão da suspensão do Mercosul ocorreu porque os integrantes do mercado comum sul-americano consideraram a destituição de Fernando Lugo na última semana uma ruptura da ordem democrática. Além disso, com o Paraguai suspenso, a Venezuela foi incorporada como membro pleno do bloco. Tema 3
  • 21. O Brasil e o Mercosul A economia brasileira representa cerca de 70% do total do bloco. As trocas comerciais entre os membros dos Mercosul são intensas e representam valores consideráveis quanto às importações e exportações dos países-membros. No entanto, o Mercosul já desempenhou papel de maior destaque no comércio internacional brasileiro, chegando a representar 16% das trocas do país em 1998. Tema 3
  • 22. Impasses e desafios na construção do Mercosul Para defender seus interesses econômicos muitos países membros do Mercosul adotam medidas protecionistas, como a cobrança de impostos sobre produtos importados dos demais países do próprio bloco econômico. A integração entre os membros é desejada, mas nenhum país do bloco quer correr o risco de sofrer uma crise econômica. Tema 3
  • 23. Aliança do Pacífico Aliança do Pacífico é um bloco econômico nos moldes do Mercosul formado por México, Colômbia, Peru e Chile. O objetivo da Aliança do Pacífico é “aprofundar a integração entre as respetivas economias e definir ações conjuntas para a vinculação comercial com a Ásia-Pacífico”. A principal intenção do acordo então, é o estabelecimento de relações mais diretas com áreas estratégicas do comércio internacional, principalmente com a Ásia. O acordo possui finalidade de diversificar os parceiros comerciais dos Estados fundadores, buscando reduzir a dependência econômica dos Estados Unidos e países desenvolvidos da Europa. Aliança do Pacífico possui estratégia direcionada para o comércio internacional, não restrita ao fortalecimento dos mercados por negociações dentro do próprio bloco como o Mercosul, que possui um caráter protecionista. Tema 3
  • 24. União de Nações Sul-Americanas (Unasul) A União de Nações Sul- Americanas (Unasul), criada em 2008, é formada pelos doze países da América do Sul e tem como objetivo construir um espaço de integração cultural, social, político e econômico entre os povos dos países participantes. Em 2008, a Unasul mediou uma crise separatista ocorrida na Bolívia. Veja notícia ao lado. Tema 3 Fonte: http://www.bbc.com/portuguese/reporterbbc/story/2008/09/080913_unsaul_reuniao_pu.shtml
  • 25. Iniciativa para a Integração da Infraestrutura Regional Sul- Americana (Iirsa) Em 2000, todos os países sul-americanos começaram a fazer parte de um programa de integração física por meio da construção de infraestrutura de transporte, energia e telecomunicações, a Iniciativa para a Integração da Infraestrutura Regional Sul- Americana (Iirsa). A Estrada do Pacífico, também conhecida como Rodovia Interoceânica, faz parte de um dos eixos que visa integrar fisicamente os países sul-americanos. Tema 3
  • 26. Integração cultural na América do Sul No âmbito do Mercosul, podemos citar dois grandes projetos de integração cultural: o SIM Mercosul e a Rede Mercosul de Pesquisa. O Sistema Integrado de Mobilidade no Mercosul (SIM Mercosul) concede bolsas remuneradas para estudantes e docentes no Mercosul. Em 2010, foi criada a Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila). Trata-se de uma instituição pública brasileira com sede em Foz do Iguaçu, no Paraná, cujo objetivo é a integração de professores e alunos por meio do intercâmbio cultural, científico e educacional na América Latina, especialmente na região do Mercosul. Tema 3
  • 27. Brasil entre os líderes mundiais - país mais extenso, mais populoso e com a maior economia da América do Sul; - potência regional em termos econômicos e políticos, embora esteja marcado por grandes desigualdades socioeconômicas; - participação no cenário econômico mundial e na OMC; - envolvimento na busca de soluções pacíficas para conflitos internacionais em parceria com a ONU Tema 4
  • 28. Protagonismo e relações econômicas Brasil • sétima maior economia do mundo em termos econômicos. • é grande exportador de produtos agrícolas e também se destaca na produção industrial e energética. • ampliou suas relações econômicas neste século, aumentando as trocas com países asiáticos e africanos, além do comércio intrarregional no Mercosul. • vem crescendo o comércio do país com a África; • o comércio estabelecido com a Europa e com os Estados Unidos apresentou estagnação Tema 4
  • 29. Brasil e a ONU O Brasil é membro da ONU desde 1945 (a ONU possui hoje 193 países- membros.) e participa de conferências que abordam problemas globais e propõem soluções. Tema 4
  • 30. Em 1992, no Rio de Janeiro, aconteceu a Conferência das Nações Unidas para o Meio Ambiente e Desenvolvimento (ECO-92 ou Rio-92) - Essa foi considerada a primeira conferência mundial sobre o meio ambiente. Teve um caráter especial em razão da presença maciça de inúmeros chefes de Estado, demonstrando assim a importância da questão ambiental no início dos anos 90. Foram assinados tratados internacionais com o intuito de minimizar os efeitos da ação humana na natureza. Foi elaborada a Agenda 21, um conjunto de ações visando ao uso racional dos recursos naturais e ao desenvolvimento sustentável, considerando as necessidades das futuras gerações. Muito pouco foi feito em relação aos objetivos propostos. Tema 4
  • 31. Em 2012, aconteceu no Rio de Janeiro a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20) Esse encontro teve como objetivo traçar a agenda do desenvolvimento sustentável das próximas décadas. O documento "O futuro que queremos" lista intenções para que se alcance no futuro uma "economia verde". Ele aponta como as principais ameaças ao planeta a desertificação, o esgotamento dos recursos pesqueiros, a contaminação, o desmatamento, a extinção de espécies e o aquecimento global. Permaneceram como desafios do século XXI a erradicação da pobreza, a construção de sociedades socialmente justas e inclusivas e a proteção dos ecossistemas do planeta. A grande crítica que se faz ao documento é que ele não traz proposições concretas para combater as ameaças ambientais que o mundo enfrenta. Tema 4
  • 32. O Brasil e as missões de paz Com a intenção de manter a paz entre as nações, a ONU envia tropas e missões a locais de conflitos. Nos últimos anos, o exército do Brasil tem participado dessas ações. Atualmente, o Brasil tem distribuído pelo mundo mais de 1,7 mil militares. Esse contingente brasileiro atua em missões sob a liderança da ONU. O quantitativo é composto por militares das três Forças Armadas, além de policiais e bombeiros, e contribui para estabelecer a presença e estreitar o apoio do Brasil a nove nações: Chipre, Costa do Marfim, Guiné-Bissau, Haiti, Líbano, Libéria, Saara Ocidental, Sudão e Sudão do Sul. Tema 4
  • 33. O Brasil sempre reivindicou um assento permanente no Conselho de Segurança. Para reforçar sua reivindicação, o Exército Brasileiro integra as forças internacionais para missões de paz da ONU desde a década de 1960. A participação em missões desse tipo confere prestígio à política externa do país. Para conquistar um assento permanente no Conselho de Segurança da ONU o Brasil busca apoio político de países pobres e mantém estreitas relações diplomáticas com potências emergentes, como a Índia e a África do Sul, que também buscam vagas permanentes no Conselho de Segurança. Tema 4
  • 34. O Brasil na OMC • Brasil - liderança consolidada na América do Sul • busca ampliar a importância do país no cenário mundial e para isso aproxima-se dos países em desenvolvimento. Em setembro de 2003, durante a reunião da OMC em Cancún, o Brasil liderou um grupo de países que pressionou as nações ricas para impedi-las de impor às mais pobres seus interesses comerciais nas negociações agrícolas. Em sua atuação na OMC, o Brasil tem exigido maior abertura do mercado agrícola de países como Estados Unidos e também da União Europeia. No entanto, tem sido acusado de manter o fechamento de seus próprios mercados, em contradição com seus pedidos de fim de barreiras alfandegárias aos produtos agrícolas estadunidenses e europeus. Segundo a OMC, o Brasil foi o país que adotou o maior número de medidas contra produtos importados no mundo em 2013. Tema 4
  • 36. Participação no Brics O BRICS é um agrupamento econômico atualmente composto por cinco países: Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. Não se trata de um bloco econômico ou uma instituição internacional, mas de um mecanismo internacional na forma de um agrupamento informal, ou seja, não registrado burocraticamente com estatuto e carta de princípios. Atualmente, os BRICS são detentores de mais de 14% do PIB mundial, formando o grupo de países que mais crescem no planeta. Além disso, representam 42% da população mundial, 45% da força de trabalho e o maior poder de consumo do mundo. Destacam-se também pela abundância de suas riquezas nacionais e as condições favoráveis que atualmente apresentam para explorá-las. Tema 4
  • 37. Os interesses brasileiros e o G-3 O Fórum de Diálogo Índia-Brasil-África do Sul, comumente abreviado para IBAS, também chamado de G3, é um acordo feito em 2003 entre Índia, Brasil e África do Sul de caráter político, estratégico e econômico. Os três países desse grupo possuem muitos interesses em comum. Entre eles, como mencionado, está o de ocupar vagas permanentes do Conselho de Segurança da ONU. Estes três países representam as maiores democracias em cada continente (ou subcontinente) e que juntos representam uma população de 1,25 bilhão de pessoas. O Brasil vem realizando parcerias com a Índia nas áreas aeroespacial e nuclear, por meio de programas de cooperação científica e tecnológica que resultam em intercâmbio de pesquisadores e técnicos entre esses países. Tema 4
  • 38. O Brasil e os países vizinhos Há décadas o Brasil desenvolve políticas para se firmar como potência regional na América do Sul. Ao mesmo tempo que trava uma relação por vezes tensa com a Argentina, amplia as parcerias com os países vizinhos. Tema 4
  • 39. Projetos de integração viária Em parceria com a Bolívia, foi elaborado um projeto para a implantação da Ferrovia Brasil- Bolívia, conectando o país andino ao Porto de Santos, no estado de São Paulo, o mais importante porto do Brasil. Tema 4
  • 40. Corredor Bioceânico e outros projetos de integração O Corredor Bioceânico é um projeto da Iirsa (Iniciativa para a Integração da Infraestrutura Regional Sul- Americana) que conta com cerca de 4 mil quilômetros de rodovias que cortam a América do Sul no sentido leste-oeste. Esse complexo rodoviário interliga a cidade portuária de Santos aos portos de Arica e Iquique, no Chile. A Bolívia ganha com esse projeto pois terá maior facilidade de transporte e acesso para o mar. Além disso, as produções brasileiras, principalmente de soja, realizadas no Centro-Oeste, têm acesso facilitado ao Oceano Pacífico, favorecendo as exportações para os países asiáticos. O corredor foi inaugurado, não oficialmente, no final de 2013, mas precisa de ajustes para ser economicamente viável, como a revisão dos preços de frete e que sejam estabelecidas regras de trânsito, essenciais na preservação dessa rota. Tema 4
  • 41. Com o Paraguai, o governo brasileiro promoveu a construção da rodovia BR-277. O objetivo era ligar o eixo econômico paraguaio localizado entre Assunção e Ciudad Del Este ao Porto de Paranaguá, no litoral do estado do Paraná, e favorecer as exportações paraguaias. Para intensificar as relações com o Uruguai, houve uma integração viária, por meio da construção de ferrovias, hidrovias e rodovias que ligam esse país às cidades do sul do Brasil. Tema 4
  • 42. Relações com a Argentina A elaboração de projetos e obras de infraestrutura em parceria com a Bolívia, o Paraguai e o Uruguai fez surgir atritos com a Argentina, sua principal rival na América do Sul. Bolívia e Paraguai, países sem saída para o mar, eram muito dependentes da Argentina para escoar seus produtos, fazendo uso da Bacia Platina e do Porto de Buenos Aires. Visando atrair esses países para sua órbita de influência, o Brasil implantou um conjunto de estratégias. Tema 4
  • 43. Antigas rivalidades – Brasil e Argentina A relação entre Brasil e Argentina sempre foi complicada. O primeiro conflito ocorreu durante os processos de independência desses países, quando, com suas fronteiras ainda incertas, travaram disputas na Guerra da Cisplatina. Na década de 1970 a Argentina sentiu-se prejudicada com a construção da Usina de Itaipu. Nos anos de 1980, no conflito da Argentina com o Reino Unido pela posse das Ilhas Malvinas, o Brasil manteve apoio diplomático à Argentina, diminuindo as desconfianças entre os países vizinhos e promovendo uma aproximação e abrindo caminhos para a criação do Mercosul, bloco que na prática amenizou as divergências econômicas entre ambos os países. Tema 4
  • 44. Laços econômicos A partir dos anos 2000, as relações entre Brasil e Argentina têm sido mais amigáveis. Os investimentos de empresas brasileiras na economia argentina aumentaram nos últimos anos, com destaque para setores como petróleo e gás, construção civil, minérios e indústria automobilística. As empreiteiras brasileiras vêm ampliando participação em obras de infraestrutura na Argentina e o turismo é uma importante fonte de receita para ambos os países. Embora cerca de 80% do volume das trocas comerciais seja de manufaturados, a parte brasileira desse tipo de produto exportado para a Argentina tem diminuído Tema 4
  • 45. Professora Christie – Geografia Dúvidas? Questionem em sala ou no blog www.christiegeo.blogspot.com.br