SlideShare uma empresa Scribd logo
BRASIL: POTENCIALIDADES
DO ESPAÇO NATURAL
Professora
Christie
“Monumento Natural das Falésias ( Morro Branco - Beberibe - Ceará - Brasil .”
Onde está o Brasil?
Dimensões do território brasileiro
O Brasil está inserido na América do Sul
e faz fronteira com todos os países
dessa porção do continente americano,
exceto Equador e Chile.
O Brasil apresenta extensão territorial
de 8.515.692 km². É o quinto maior país
do planeta, só é menor que os
territórios da Rússia, Canadá, China e
Estados Unidos. A abundância
territorial faz com que o Brasil tenha
quatro fusos, uma vez que no sentido
leste-oeste é bastante extenso. Por
esses aspectos é considerado um país
com dimensão continental.
Tema 1
O território brasileiro está
localizado, em sua totalidade, a
oeste do meridiano de
Greenwich, portanto sua área
está situada no hemisfério
ocidental. A linha do Equador
passa no extremo norte do
Brasil, fazendo com que 7% de
seu território pertença ao
hemisfério setentrional (Norte)
e 93% esteja localizado no
hemisfério meridional (Sul).
Cortado ao sul pelo trópico de
Capricórnio, apresenta 92% do
território na zona intertropical
(entre os trópicos de Câncer e
de Capricórnio); os 8%
restantes estão na zona
temperada do sul (entre o
trópico de Capricórnio e o
círculo polar Antártico).
Tema 1
Para evitar dois horários diferentes
dentro dos limites de alguns
estados brasileiros, estabeleceu-se
um desvio dentro dos limites
teóricos dos fusos, conhecido como
limite prático. Observe o mapa ao
lado.
O horário de Brasília, oficial do país,
é regulado de acordo com a GMT
(Greenwich Meridian Time), que
significa Hora do Meridiano de
Greenwich — e apresenta três
horas de atraso em relação ao
horário do Meridiano de
Greenwich.
Fuso horário do Brasil
Tema 1
Relevo e hidrografia
Tema 2
O relevo brasileiro é caracterizado por ser geologicamente antigo, ficando
muito tempo exposto aos efeitos dos agentes exógenos ou externos de
transformação da superfície, apresentando, assim, formas físicas muito
desgastadas. Além disso, o território nacional não se localiza em faixas de
encontro entre placas tectônicas, o que explica as baixas altitudes médias no
país..
Os principais agentes erosivos responsáveis pelo desgaste do relevo são aqueles
ligados principalmente ao clima tropical, como as chuvas abundantes, os
ventos, as altas temperaturas e os rios.
O ponto mais alto do país é o Pico da Neblina (veja imagem abaixo)
Principais Unidades de relevo do Brasil
Com a observação do mapa,
conseguimos ter uma
melhor noção da
distribuição das formas de
relevo pelo território
brasileiro. Ela foi elaborada
por Jurandyr Ross, após a
execução do projeto Radam
Brasil, que consistiu em um
levantamento ocorrido
entre os anos de 1971 e
1986 com o objetivo de
mapear os recursos naturais
do país.
Tema 2
Unidades de Relevo do Brasil
• As Planícies são áreas em que o
processo de deposição de sedimentos
(de origem fluvial, marinha ou
lacustre) é superior ao de erosão.
Caracterizam-se por serem regiões
mais planas e pouco acidentadas. A
principal área de planície no Brasil é a
do Rio Amazonas.
• Os Planaltos são áreas em que o
processo de erosão foi superior ao de
deposição de sedimentos.
Caracterizam-se por serem áreas mais
acidentadas que as planícies e menos
do que as montanhas. Trata-se de uma
forma de relevo em processo de
destruição e desgaste superficial.
• As Depressões são áreas em que as
altitudes são inferiores às paisagens
circundantes. No caso do Brasil, não há
depressões absolutas (abaixo do nível
do mar). Dentre as depressões
brasileiras, podemos destacar a
Sertaneja e a da Amazônia Ocidental.
Tema 2
Os rios brasileiros
O Brasil possui a maior rede fluvial do mundo e milhões de brasileiros dependem
dos rios para sobreviver, utilizando suas águas para:
• irrigação agrícola;
• abastecimento de água;
• pesca;
Navegação e transporte no rio
Tocantins Irrigação do rio São
Francisco
• produção de energia elétrica;
• navegação e transporte.
Usina hidrelétrica de Itaipu no rio
Paraná
Tema 2
Regiões e bacias hidrográficas
Bacia hidrográfica - área que compreende o rio principal e todos os
seus afluentes, riachos e córregos que o alimentam.
Alguns rios com pequena extensão e vazão do litoral brasileiro
foram agrupados em regiões hidrográficas.
O Brasil possui 12 regiões hidrográficas conforme mostra mapa ao
abaixo.
Tema 2
Bacia Amazônica
É maior bacia hidrográfica do Brasil (e do mundo. É
constituída por todos os rios, córregos, ribeirões e
demais cursos de água que deságuam no rio
Amazonas.
A Bacia Amazônica não abrange somente parte das
terras brasileiras, mas também porções dos
territórios do Peru, Colômbia, Equador, Venezuela e
Bolívia, ocupando 7 milhões de quilômetros
quadrados. No Brasil essa envolve sete estados, são
eles: Acre, Amazonas, Roraima, Rondônia, Mato
Grosso, Pará e Amapá.
O rio principal da bacia, o Amazonas, é o maior do
mundo, ele nasce na cordilheira dos Andes (Peru) e
quando entra no Brasil é intitulado de Solimões. A
confluência do Solimões com o rio Negro constitui o
Amazonas.
Tema 2
Bacia Tocantins-Araguaia
É a maior entre aquelas que se encontram totalmente em território brasileiro.
Diversos lugares nos quais os rios Tocantins e Araguaia percorrem possuem um baixo
povoamento, por isso esses rios são de grande relevância para as pessoas, principalmente
para a comunicação, apesar de não serem todos os trechos que oferecem condições viáveis
de navegação.
Os primeiros anos da década de 80, foi concluída e inaugurada a usina hidrelétrica de
Tucuruí (foto ao lado), tendo como recurso hídrico fundamental o rio Tocantins. Para que o
megaprojeto fosse executado, houve grandes impactos ambientais: enormes superfícies
cobertas por florestas foram imersas pelas águas da represa, formando o lago de Tucuruí.
Tema 2
Bacia do Paraná
Formada pelo Rio Paraná e seus afluentes, como os rios Tietê e
Paranapanema (destacados no mapa acima), importantes vias de
navegação nas regiões Centro-Oeste, Sudeste e Sul do país.
A região hidrográfica do Paraná apresenta grande potencial
hidrelétrico, abrigando uma das maiores usinas do mundo, a Usina
Hidrelétrica de Itaipu, que fornece energia para a região Sudeste.
Hidrelétrica de Itaipu
Tema 2
Bacia do Tocantins-Araguaia
É a maior entre aquelas que
se encontram totalmente em
território brasileiro.
Essa bacia abriga a Usina de
Tucuruí, no estado do Pará e
é a terceira bacia com maior
potencial hidrelétrico no país.
Seus rios principais são
utilizados para a navegação, o
turismo e a pesca,
apresentando elevada
biodiversidade.
Tema 2
Essa bacia engloba partes do Mato
Grosso e do Mato Grosso do Sul,
incluindo o Parque Nacional do
Pantanal Mato-Grossense.
Possui grande potencial para a
navegação e enorme
biodiversidade sendo que alguns
deles já integram importantes
polos turísticos.
O rio Paraguai nasce em território
brasileiro e sua região hidrográfica
abrange uma área de 1.095.000
km², sendo 33% no Brasil (363.446
km²) e o restante na Argentina,
Bolívia e Paraguai.
Bacia do Paraguai
Rio Paraguai
Tema 2
Além de fornecer água para o consumo humano,
o rio São Francisco é muito importante para o
desenvolvimento econômico da região, sobretudo
nas áreas de clima semiárido.
Através de sistemas de irrigação, é possível
realizar atividades agropecuárias, com destaque
para a criação de gado e o cultivo de frutas.
Seu potencial hidrelétrico também é aproveitado.
Entre as usinas instaladas nessa bacia hidrográfica
estão a de Sobradinho, Três Marias, Paulo Afonso,
Moxotó, Itapirica, Xingó, etc.
Bacia do Rio São Francisco
Está totalmente dentro do território do Brasil ocupando uma área de 640 mil km²
aproximadamente, o que corresponde a quase 8% do território nacional. O principal
rio da Bacia do São Francisco é o Rio São Francisco.
Este rio nasce na Serra da Canastra (MG) e escoa no sentido Sul-Norte pela Bahia e
Pernambuco, quando altera seu curso para o Sudeste, chegando até sua foz no
Oceano Atlântico na divisa entre Alagoas e Sergipe, abrangendo assim cinco estados
Tema 2
Potencialidade do Rio São Francisco
Parreiras irrigadas com águas do rio São
Francisco – Sucesso na agricultura.
Tema 2
Climas do Brasil
A maior parte do território brasileiro encontra-se em áreas de
baixas latitudes, por essa razão, predominam no Brasil climas
quentes e úmidos.
Os principais tipos de clima do Brasil são: clima equatorial, o clima
tropical e o clima subtropical.
Tema 3
Clima Equatorial
.
Ocorre em regiões próximas à linha do Equador e predomina na Região Norte e em
parte da Região Centro-Oeste.
As principais características das regiões de clima equatorial são a alta temperatura e
umidade durante o ano todo, esta última, resultado dos altos índices de evaporação
provocados pela temperatura que fica em torno de 26°C o ano todo, com muito
pouca variação.
Isso favoreceu a existência de florestas densas e de grande biodiversidade. Porém,
nas regiões desse clima, a agricultura em geral é difícil, restrita a poucos cultivos em
função do grande volume de precipitação que carrega os nutrientes do solo.
Tema 3
Clima Tropical
Predomina na região
Centro-Oeste, Sudeste e
em parte do Nordeste do
Brasil, apresentando
temperaturas médias
anuais superiores a 18 °C.
Os verões deste clima são
quentes e úmidos e os
invernos costumam
registrar temperaturas
menores e queda no
índice de precipitação.
Tema 3
Clima Tropical de altitude
Ocorre em altitudes superiores a 800 m, nas áreas
serranas do Sudeste, sendo a principal delas a Serra
da Mantiqueira.
As temperaturas médias anuais baixas, inferiores a
18 °C, e são bastante utilizadas para a pecuária
familiar e a piscicultura.
Tema 3
Clima tropical litorâneo
Ocorre nas áreas costeiras do Brasil e é caracterizado pelas altas
temperaturas e influência das massas de ar úmidas do Atlântico.
A amplitude térmica é baixa e as regiões onde ocorre são muito
chuvosas em razão das massas de ar oceânicas.
Jangadas em Maceió,
importante atrativo turístico.
Tema 3
Tropical Semiárido
Apresenta períodos
prolongados de seca, e a
falta de água dificulta a
prática da agropecuária.
Entretanto, a prática da
agricultura irrigada
provocou a expansão do
agronegócio alguns polos
agrícolas produz frutas e
hortaliças de alta qualidade,
inclusive para exportação.
Ocorre semiárido nordestino, onde as chuvas são raras e
as temperaturas são altas, com médias diárias em torno
dos 25 °C.
Tema 3
Clima subtropical
Apresenta temperatura média anual inferior a 18 °C e ocorre na Região Sul, em áreas
situadas ao sul do Trópico de Capricórnio.
As estações do ano são bem demarcadas, com verão quente e chuvoso e os invernos
mais rigorosos do país. Há ocorrência de geadas e, em casos raros, neve.
Não há estações secas, pois as chuvas são distribuídas ao longo das quatro estações,
geralmente chove entre 1000mm e 2000mm anualmente.
Em geral apresenta grande potencial agropecuário, apesar de as baixas temperaturas
representarem uma ameaça aos cultivos agrícolas.
Típica vegetação do clima subtropical em estações diferentes.
Tema 3
O Brasil apresentava, originalmente, extensas
formações vegetais com grande diversidade de
espécies animais e vegetais, mas as atividades
humanas modificaram grande parte delas.
Desmatamento na Floresta Amazônica (Foto: Antônio Cruz/ABr)
O Brasil apresenta extensas formações vegetais que abrigam grande diversidade de
espécies.
Tema 4
Existem quatro tipos principais de vegetação no país: as florestas
(Floresta Amazônica, Mata Atlântica e Mata dos Pinhais), o
cerrado, a caatinga e os campos. O Pantanal é um complexo de
formações vegetais que abriga florestas e campos.
Tema 4
Floresta Amazônica
Tema 4
Ocupa grandes áreas da Região Norte
do Brasil e se estende por nove países
da América do Sul.
É chamada de Floresta latifoliada
equatorial.
Apresenta-se em geral densa e com
árvores de grande porte, mas existem
variações, como as florestas fluviais
alagadas, as florestas de terra firme e
as campinas, de solos arenosos, onde
não crescem árvores altas.
Muitas famílias e comunidades
ribeirinhas, grupos indígenas e
quilombolas dependem dos recursos
da floresta para sua sobrevivência. Desmatamento na
Floresta Amazônica
Mata Atlântica
Floresta tropical que, no passado, recobria extensa faixa do litoral brasileiro, estendendo-se
do nordeste ao sul do país e avançando quilômetros em direção ao interior.
Ocorre nas áreas litorâneas, onde concentra aproximadamente 70% da população brasileira.
Por isso a Mata Atlântica foi um dos tipos de vegetação mais desmatados no Brasil e quase
desapareceu, dando lugar à agricultura e à expansão urbana.
Mesmo reduzida e muito fragmentada, estima-se que na Mata Atlântica existam cerca de
20.000 espécies vegetais (cerca de 35% das espécies existentes no Brasil), incluindo diversas
espécies endêmicas e ameaçadas de extinção.
Hoje, restam poucas áreas de mata original, a maioria em zonas de proteção ambiental, onde
o turismo desponta como uma alternativa capaz de conciliar a conservação do ambiente com
o sustento de comunidades locais.
Tema 4
Mata dos Pinhais
ou Mata de Araucárias.
Floresta subtropical localizada nos estados do Rio Grande do Sul e de
Santa Catarina, e em partes de relevo mais elevados e frios de São Paulo e
Minas Gerais.
Foi bastante devastada ao longo do tempo, principalmente em virtude da
exploração de madeira (foto acima), restando apenas cerca de 3% de sua
área original.
Tema 4
Cerrado
Típica de clima tropical é a segunda maior formação vegetal do Brasil. Encontra-se
predominantemente na Região Centro-Oeste.
Apresenta paisagens com predominância de vegetação de pequeno porte e árvores
isoladas, que ficam secas durante cerca de seis meses, quando é comum a ocorrência de
incêndios naturais. Nos meses de chuva, as plantas florescem.
Cerca de 50% de sua área original já foi perdida em função da expansão agropecuária, e
muitas espécies de animais estão extintas ou ameaçadas.
Em geral, os solos são pobres e muito ácidos. Até 1970, o cerrado era descartado quanto ao
seu uso para a agricultura, mas com a modernização do campo, surgiram novas técnicas
que viabilizaram a sua ocupação para essa finalidade.
Tema 4
Campos
Caracterizada pela predominância de gramíneas. No
Brasil, é encontrada principalmente no estado do Rio
Grande do Sul, onde é conhecida como pampa.
Caatinga
Ocorre na zona semiárida mais populosa do planeta (sertão nordestino).
Durante a maior parte do ano esse tipo de vegetação fica seco, com
aspecto esbranquiçado e por esse motivo é conhecida como “floresta
branca”.
As plantas da caatinga são adaptadas à falta de chuvas, como os
cactos, e muitas não apresentam folhas durante longos períodos.
Tema 4
Caprino solto na caatinga
Complexo do Pantanal
Localizado na Região Centro-Oeste do Brasil entre os estados do Mato
Grosso e do Mato Grosso do Sul (estendendo-se também à Bolívia e
ao Paraguai),
Apresenta formações diversas e, por isso, é chamado de complexo de
vegetações.
O pantanal apresenta áreas que permanecem alagadas durante a
época de cheias, quando os rios transbordam, além de áreas de
floresta, cerrado e campos que nunca ficam submersos e servem de
pastos às criações bovinas, principal atividade econômica da região.
Tema 4
Vegetação Litorânea
Os principais tipos são as restingas e os manguezais.
Tanto as restingas quanto os manguezais sofrem com a
ameaça da expansão urbana, a poluição dos rios e do oceano,
e as áreas remanescentes estão sendo degradadas
rapidamente.
Restinga Manguezal
Tema 4

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O relevo sul americano
O relevo sul americanoO relevo sul americano
O relevo sul americano
Fernanda Cardoso
 
Bacia do São Francisco
Bacia do São FranciscoBacia do São Francisco
Bacia do São Francisco
Rogério Bartilotti
 
Geografia Do Brasil
Geografia Do BrasilGeografia Do Brasil
Geografia Do Brasil
aroudus
 
Aspectos Naturais do continente americano
Aspectos Naturais do continente americanoAspectos Naturais do continente americano
Aspectos Naturais do continente americano
Claudio Henrique Ramos Sales
 
GEO PSC1 - Hidrografia da Amazônia
GEO PSC1 - Hidrografia da AmazôniaGEO PSC1 - Hidrografia da Amazônia
GEO PSC1 - Hidrografia da Amazônia
Diego Lopes
 
Aspectos físicos da América
Aspectos físicos da AméricaAspectos físicos da América
Aspectos físicos da América
Patrícia Éderson Dias
 
1º atividade de geografia continente americano
1º atividade de geografia   continente americano1º atividade de geografia   continente americano
1º atividade de geografia continente americano
Roberto Sena
 
O continente americano completo
O continente americano  completoO continente americano  completo
O continente americano completo
Camila Brito
 
GEO PSC1 - Clima na Amazônia
GEO PSC1 - Clima na AmazôniaGEO PSC1 - Clima na Amazônia
GEO PSC1 - Clima na Amazônia
Diego Lopes
 
Aspectos naturais da América
Aspectos naturais da AméricaAspectos naturais da América
Aspectos naturais da América
Bruna Ribeiro Guedes
 
Domínios morfoclimáticos brasileiros
Domínios morfoclimáticos brasileirosDomínios morfoclimáticos brasileiros
Domínios morfoclimáticos brasileiros
karolpoa
 
Continente americano
Continente americanoContinente americano
Continente americano
Gustavo Silva de Souza
 
Trab. de geografia
Trab. de geografiaTrab. de geografia
Trab. de geografia
AnaTajes
 
Bacia do Rio Uruguai
Bacia do Rio UruguaiBacia do Rio Uruguai
Bacia do Rio Uruguai
Naira Delazari
 
Bacias do Brasil Anglo_14
Bacias do Brasil Anglo_14Bacias do Brasil Anglo_14
Bacias do Brasil Anglo_14
Ademir Aquino
 
Geografia do Brasil - Hidrografia - [www.gondim.net]
Geografia do Brasil - Hidrografia - [www.gondim.net]Geografia do Brasil - Hidrografia - [www.gondim.net]
Geografia do Brasil - Hidrografia - [www.gondim.net]
Marco Aurélio Gondim
 
Cap. 6 - As condições naturais da américa
Cap. 6 - As condições naturais da américaCap. 6 - As condições naturais da américa
Cap. 6 - As condições naturais da américa
profacacio
 
America anglo saxonica física final
America anglo saxonica física finalAmerica anglo saxonica física final
America anglo saxonica física final
Fernanda Lopes
 
Região norte.caderno
Região norte.cadernoRegião norte.caderno
Região norte.caderno
Camila Brito
 
IECJ - Cap. 13 - A paisagem e o espaço do Centro-Sul
IECJ - Cap. 13 - A paisagem e o espaço do Centro-SulIECJ - Cap. 13 - A paisagem e o espaço do Centro-Sul
IECJ - Cap. 13 - A paisagem e o espaço do Centro-Sul
profrodrigoribeiro
 

Mais procurados (20)

O relevo sul americano
O relevo sul americanoO relevo sul americano
O relevo sul americano
 
Bacia do São Francisco
Bacia do São FranciscoBacia do São Francisco
Bacia do São Francisco
 
Geografia Do Brasil
Geografia Do BrasilGeografia Do Brasil
Geografia Do Brasil
 
Aspectos Naturais do continente americano
Aspectos Naturais do continente americanoAspectos Naturais do continente americano
Aspectos Naturais do continente americano
 
GEO PSC1 - Hidrografia da Amazônia
GEO PSC1 - Hidrografia da AmazôniaGEO PSC1 - Hidrografia da Amazônia
GEO PSC1 - Hidrografia da Amazônia
 
Aspectos físicos da América
Aspectos físicos da AméricaAspectos físicos da América
Aspectos físicos da América
 
1º atividade de geografia continente americano
1º atividade de geografia   continente americano1º atividade de geografia   continente americano
1º atividade de geografia continente americano
 
O continente americano completo
O continente americano  completoO continente americano  completo
O continente americano completo
 
GEO PSC1 - Clima na Amazônia
GEO PSC1 - Clima na AmazôniaGEO PSC1 - Clima na Amazônia
GEO PSC1 - Clima na Amazônia
 
Aspectos naturais da América
Aspectos naturais da AméricaAspectos naturais da América
Aspectos naturais da América
 
Domínios morfoclimáticos brasileiros
Domínios morfoclimáticos brasileirosDomínios morfoclimáticos brasileiros
Domínios morfoclimáticos brasileiros
 
Continente americano
Continente americanoContinente americano
Continente americano
 
Trab. de geografia
Trab. de geografiaTrab. de geografia
Trab. de geografia
 
Bacia do Rio Uruguai
Bacia do Rio UruguaiBacia do Rio Uruguai
Bacia do Rio Uruguai
 
Bacias do Brasil Anglo_14
Bacias do Brasil Anglo_14Bacias do Brasil Anglo_14
Bacias do Brasil Anglo_14
 
Geografia do Brasil - Hidrografia - [www.gondim.net]
Geografia do Brasil - Hidrografia - [www.gondim.net]Geografia do Brasil - Hidrografia - [www.gondim.net]
Geografia do Brasil - Hidrografia - [www.gondim.net]
 
Cap. 6 - As condições naturais da américa
Cap. 6 - As condições naturais da américaCap. 6 - As condições naturais da américa
Cap. 6 - As condições naturais da américa
 
America anglo saxonica física final
America anglo saxonica física finalAmerica anglo saxonica física final
America anglo saxonica física final
 
Região norte.caderno
Região norte.cadernoRegião norte.caderno
Região norte.caderno
 
IECJ - Cap. 13 - A paisagem e o espaço do Centro-Sul
IECJ - Cap. 13 - A paisagem e o espaço do Centro-SulIECJ - Cap. 13 - A paisagem e o espaço do Centro-Sul
IECJ - Cap. 13 - A paisagem e o espaço do Centro-Sul
 

Destaque

Unidade 1
Unidade 1Unidade 1
Unidade 1
Christie Freitas
 
Unidade 1
Unidade 1Unidade 1
Unidade 1
Christie Freitas
 
Bianca stephanie e julia2
Bianca stephanie e julia2Bianca stephanie e julia2
Bianca stephanie e julia2
Tia Leka
 
Cartografia
CartografiaCartografia
Cartografia
Alexandre Sampaio
 
A cartografia 2013
A cartografia  2013A cartografia  2013
A cartografia 2013
GeografiaVR
 
QuestõEs Comentadas De Geografia De RondôNia 3
QuestõEs Comentadas De Geografia De RondôNia 3QuestõEs Comentadas De Geografia De RondôNia 3
QuestõEs Comentadas De Geografia De RondôNia 3
alcidessf
 
Unidade 1
Unidade 1Unidade 1
Unidade 1
Christie Freitas
 
Cartografia (Localização Cartográfica)
Cartografia (Localização Cartográfica)Cartografia (Localização Cartográfica)
Cartografia (Localização Cartográfica)
Jennifer Helen
 
Unidade 2 7º ano
Unidade 2   7º anoUnidade 2   7º ano
Unidade 2 7º ano
Christie Freitas
 
Unidade 3 parte 1
Unidade 3 parte 1Unidade 3 parte 1
Unidade 3 parte 1
Christie Freitas
 
Natureza e sociedade (1)
Natureza e sociedade (1)Natureza e sociedade (1)
Natureza e sociedade (1)
leticiamfelisberto
 
Cartografia
CartografiaCartografia
Relação sociedade natureza
Relação sociedade naturezaRelação sociedade natureza
Relação sociedade natureza
wilson mousinho
 
As formaçoes vegetais pelo mundo
As formaçoes vegetais pelo mundoAs formaçoes vegetais pelo mundo
As formaçoes vegetais pelo mundo
Professor
 
IECJ - Cap. 06 – A representação do espaço geográfico - 6º Ano
IECJ - Cap. 06 – A representação do espaço geográfico - 6º AnoIECJ - Cap. 06 – A representação do espaço geográfico - 6º Ano
IECJ - Cap. 06 – A representação do espaço geográfico - 6º Ano
profrodrigoribeiro
 
Representações do espaço geográfico
Representações do espaço geográficoRepresentações do espaço geográfico
Representações do espaço geográfico
Marco Santos
 
A representação do espaço geográfico
A representação do espaço geográficoA representação do espaço geográfico
A representação do espaço geográfico
1medioc
 
Orientação e coordenadas geográficas
Orientação e coordenadas geográficasOrientação e coordenadas geográficas
Orientação e coordenadas geográficas
Professor
 
Orientação no espaço geográfico 6º ano
Orientação no espaço geográfico 6º anoOrientação no espaço geográfico 6º ano
Orientação no espaço geográfico 6º ano
Nilberte Correia
 
Cartografia powerpoint
Cartografia powerpointCartografia powerpoint
Cartografia powerpoint
danielcpacheco2
 

Destaque (20)

Unidade 1
Unidade 1Unidade 1
Unidade 1
 
Unidade 1
Unidade 1Unidade 1
Unidade 1
 
Bianca stephanie e julia2
Bianca stephanie e julia2Bianca stephanie e julia2
Bianca stephanie e julia2
 
Cartografia
CartografiaCartografia
Cartografia
 
A cartografia 2013
A cartografia  2013A cartografia  2013
A cartografia 2013
 
QuestõEs Comentadas De Geografia De RondôNia 3
QuestõEs Comentadas De Geografia De RondôNia 3QuestõEs Comentadas De Geografia De RondôNia 3
QuestõEs Comentadas De Geografia De RondôNia 3
 
Unidade 1
Unidade 1Unidade 1
Unidade 1
 
Cartografia (Localização Cartográfica)
Cartografia (Localização Cartográfica)Cartografia (Localização Cartográfica)
Cartografia (Localização Cartográfica)
 
Unidade 2 7º ano
Unidade 2   7º anoUnidade 2   7º ano
Unidade 2 7º ano
 
Unidade 3 parte 1
Unidade 3 parte 1Unidade 3 parte 1
Unidade 3 parte 1
 
Natureza e sociedade (1)
Natureza e sociedade (1)Natureza e sociedade (1)
Natureza e sociedade (1)
 
Cartografia
CartografiaCartografia
Cartografia
 
Relação sociedade natureza
Relação sociedade naturezaRelação sociedade natureza
Relação sociedade natureza
 
As formaçoes vegetais pelo mundo
As formaçoes vegetais pelo mundoAs formaçoes vegetais pelo mundo
As formaçoes vegetais pelo mundo
 
IECJ - Cap. 06 – A representação do espaço geográfico - 6º Ano
IECJ - Cap. 06 – A representação do espaço geográfico - 6º AnoIECJ - Cap. 06 – A representação do espaço geográfico - 6º Ano
IECJ - Cap. 06 – A representação do espaço geográfico - 6º Ano
 
Representações do espaço geográfico
Representações do espaço geográficoRepresentações do espaço geográfico
Representações do espaço geográfico
 
A representação do espaço geográfico
A representação do espaço geográficoA representação do espaço geográfico
A representação do espaço geográfico
 
Orientação e coordenadas geográficas
Orientação e coordenadas geográficasOrientação e coordenadas geográficas
Orientação e coordenadas geográficas
 
Orientação no espaço geográfico 6º ano
Orientação no espaço geográfico 6º anoOrientação no espaço geográfico 6º ano
Orientação no espaço geográfico 6º ano
 
Cartografia powerpoint
Cartografia powerpointCartografia powerpoint
Cartografia powerpoint
 

Semelhante a Unidade 1 7ano

Hidrografia e hidreletricas no brasil
Hidrografia e hidreletricas no brasilHidrografia e hidreletricas no brasil
Hidrografia e hidreletricas no brasil
Salageo Cristina
 
UE5 - EF - 6º série - A Natureza do Território Brasileiro
UE5 - EF - 6º série - A Natureza do Território BrasileiroUE5 - EF - 6º série - A Natureza do Território Brasileiro
UE5 - EF - 6º série - A Natureza do Território Brasileiro
Silvio Araujo de Sousa
 
UE5 - 6S - EF - Biomas Brasilieros
UE5 - 6S - EF - Biomas BrasilierosUE5 - 6S - EF - Biomas Brasilieros
UE5 - 6S - EF - Biomas Brasilieros
Silvio Araujo de Sousa
 
Bacias hidrográficas brasileiras
Bacias hidrográficas brasileirasBacias hidrográficas brasileiras
Bacias hidrográficas brasileiras
Carlão Otavio
 
Regiao Sudeste
Regiao SudesteRegiao Sudeste
Regiao Sudeste
Walquiria Dutra
 
Trabalho de geografia
Trabalho de geografiaTrabalho de geografia
Trabalho de geografia
Brenda Nascimento
 
7º_ano_geografia_27023959.pdf
7º_ano_geografia_27023959.pdf7º_ano_geografia_27023959.pdf
7º_ano_geografia_27023959.pdf
MariaBeatrizdaSilvaL1
 
Relevo -região norte
Relevo  -região norteRelevo  -região norte
Relevo -região norte
Guilherme Sant'Anna
 
As grandes bacias hidrográficas brasileiras
As grandes bacias hidrográficas brasileirasAs grandes bacias hidrográficas brasileiras
As grandes bacias hidrográficas brasileiras
Raquel Avila
 
Hidrografia
HidrografiaHidrografia
Hidrografia
SIMONE SCHADE
 
Modulo 10 - As águas no Brasil
Modulo 10 - As águas no BrasilModulo 10 - As águas no Brasil
Modulo 10 - As águas no Brasil
Claudio Henrique Ramos Sales
 
Aspectos fisicos do brasil
Aspectos fisicos do brasilAspectos fisicos do brasil
Aspectos fisicos do brasil
Maria Cledionora Tavares Tavares
 
Geografia
GeografiaGeografia
Hidrografia do brasil
Hidrografia do brasilHidrografia do brasil
Hidrografia do brasil
Prof.Paulo/geografia
 
As américas
As américas As américas
As américas
aroudus
 
Bacias hidrográficas
Bacias hidrográficasBacias hidrográficas
Bacias hidrográficas
IPA Metodista
 
As fronteiras naturais do Brasil
As fronteiras naturais do BrasilAs fronteiras naturais do Brasil
As fronteiras naturais do Brasil
Murderdoll_Natty
 
6º ano Unidade4
6º ano Unidade46º ano Unidade4
6º ano Unidade4
Christie Freitas
 
3º ano E.M (mod. 24) Brasil: Aspectos naturais
3º ano E.M (mod. 24) Brasil: Aspectos naturais3º ano E.M (mod. 24) Brasil: Aspectos naturais
3º ano E.M (mod. 24) Brasil: Aspectos naturais
Alexandre Alves
 
Dominios morfoclimaticos superhumanas
Dominios morfoclimaticos superhumanasDominios morfoclimaticos superhumanas
Dominios morfoclimaticos superhumanas
Ademir Aquino
 

Semelhante a Unidade 1 7ano (20)

Hidrografia e hidreletricas no brasil
Hidrografia e hidreletricas no brasilHidrografia e hidreletricas no brasil
Hidrografia e hidreletricas no brasil
 
UE5 - EF - 6º série - A Natureza do Território Brasileiro
UE5 - EF - 6º série - A Natureza do Território BrasileiroUE5 - EF - 6º série - A Natureza do Território Brasileiro
UE5 - EF - 6º série - A Natureza do Território Brasileiro
 
UE5 - 6S - EF - Biomas Brasilieros
UE5 - 6S - EF - Biomas BrasilierosUE5 - 6S - EF - Biomas Brasilieros
UE5 - 6S - EF - Biomas Brasilieros
 
Bacias hidrográficas brasileiras
Bacias hidrográficas brasileirasBacias hidrográficas brasileiras
Bacias hidrográficas brasileiras
 
Regiao Sudeste
Regiao SudesteRegiao Sudeste
Regiao Sudeste
 
Trabalho de geografia
Trabalho de geografiaTrabalho de geografia
Trabalho de geografia
 
7º_ano_geografia_27023959.pdf
7º_ano_geografia_27023959.pdf7º_ano_geografia_27023959.pdf
7º_ano_geografia_27023959.pdf
 
Relevo -região norte
Relevo  -região norteRelevo  -região norte
Relevo -região norte
 
As grandes bacias hidrográficas brasileiras
As grandes bacias hidrográficas brasileirasAs grandes bacias hidrográficas brasileiras
As grandes bacias hidrográficas brasileiras
 
Hidrografia
HidrografiaHidrografia
Hidrografia
 
Modulo 10 - As águas no Brasil
Modulo 10 - As águas no BrasilModulo 10 - As águas no Brasil
Modulo 10 - As águas no Brasil
 
Aspectos fisicos do brasil
Aspectos fisicos do brasilAspectos fisicos do brasil
Aspectos fisicos do brasil
 
Geografia
GeografiaGeografia
Geografia
 
Hidrografia do brasil
Hidrografia do brasilHidrografia do brasil
Hidrografia do brasil
 
As américas
As américas As américas
As américas
 
Bacias hidrográficas
Bacias hidrográficasBacias hidrográficas
Bacias hidrográficas
 
As fronteiras naturais do Brasil
As fronteiras naturais do BrasilAs fronteiras naturais do Brasil
As fronteiras naturais do Brasil
 
6º ano Unidade4
6º ano Unidade46º ano Unidade4
6º ano Unidade4
 
3º ano E.M (mod. 24) Brasil: Aspectos naturais
3º ano E.M (mod. 24) Brasil: Aspectos naturais3º ano E.M (mod. 24) Brasil: Aspectos naturais
3º ano E.M (mod. 24) Brasil: Aspectos naturais
 
Dominios morfoclimaticos superhumanas
Dominios morfoclimaticos superhumanasDominios morfoclimaticos superhumanas
Dominios morfoclimaticos superhumanas
 

Mais de Christie Freitas

Unidade 4 cap. 1
Unidade 4 cap. 1Unidade 4 cap. 1
Unidade 4 cap. 1
Christie Freitas
 
Unidade 1 e 2 parcial
Unidade 1 e 2 parcialUnidade 1 e 2 parcial
Unidade 1 e 2 parcial
Christie Freitas
 
Unidade 1
Unidade 1Unidade 1
Unidade 1
Christie Freitas
 
Unidade 2 sextoano
Unidade 2 sextoanoUnidade 2 sextoano
Unidade 2 sextoano
Christie Freitas
 
6ano unidade3
6ano unidade36ano unidade3
6ano unidade3
Christie Freitas
 
Unidade 8 sexto ano
Unidade 8   sexto anoUnidade 8   sexto ano
Unidade 8 sexto ano
Christie Freitas
 
Unidade 7 temas 3 e 4 - sexto ano
Unidade 7  temas 3 e 4 - sexto anoUnidade 7  temas 3 e 4 - sexto ano
Unidade 7 temas 3 e 4 - sexto ano
Christie Freitas
 
Unidade 7 sexto ano_temas 1 e 2
Unidade 7 sexto ano_temas 1 e 2Unidade 7 sexto ano_temas 1 e 2
Unidade 7 sexto ano_temas 1 e 2
Christie Freitas
 
Unidade4
Unidade4Unidade4
Unidade 6 sextoano
Unidade 6 sextoanoUnidade 6 sextoano
Unidade 6 sextoano
Christie Freitas
 
Unidade5 temas2 3_4
Unidade5 temas2 3_4Unidade5 temas2 3_4
Unidade5 temas2 3_4
Christie Freitas
 
Unidade 2 oitavo ano
Unidade 2   oitavo anoUnidade 2   oitavo ano
Unidade 2 oitavo ano
Christie Freitas
 
Unidade 5 6 ano
Unidade 5 6 anoUnidade 5 6 ano
Unidade 5 6 ano
Christie Freitas
 
Unidade 1
Unidade 1Unidade 1
Unidade 1
Christie Freitas
 
Unidade 1 sexto ano
Unidade 1 sexto anoUnidade 1 sexto ano
Unidade 1 sexto ano
Christie Freitas
 
Unidade 8 temas 3 e 4 e unidade 9
Unidade 8 temas 3 e 4  e unidade 9Unidade 8 temas 3 e 4  e unidade 9
Unidade 8 temas 3 e 4 e unidade 9
Christie Freitas
 
Unidade 9 - 6º ano
Unidade 9   - 6º anoUnidade 9   - 6º ano
Unidade 9 - 6º ano
Christie Freitas
 
Unidade 8 temas 3 e 4 sexto ano
Unidade 8   temas 3 e 4 sexto anoUnidade 8   temas 3 e 4 sexto ano
Unidade 8 temas 3 e 4 sexto ano
Christie Freitas
 
Unidade 2 sextoano
Unidade 2 sextoanoUnidade 2 sextoano
Unidade 2 sextoano
Christie Freitas
 
Unidade 8 - África
Unidade 8  - ÁfricaUnidade 8  - África
Unidade 8 - África
Christie Freitas
 

Mais de Christie Freitas (20)

Unidade 4 cap. 1
Unidade 4 cap. 1Unidade 4 cap. 1
Unidade 4 cap. 1
 
Unidade 1 e 2 parcial
Unidade 1 e 2 parcialUnidade 1 e 2 parcial
Unidade 1 e 2 parcial
 
Unidade 1
Unidade 1Unidade 1
Unidade 1
 
Unidade 2 sextoano
Unidade 2 sextoanoUnidade 2 sextoano
Unidade 2 sextoano
 
6ano unidade3
6ano unidade36ano unidade3
6ano unidade3
 
Unidade 8 sexto ano
Unidade 8   sexto anoUnidade 8   sexto ano
Unidade 8 sexto ano
 
Unidade 7 temas 3 e 4 - sexto ano
Unidade 7  temas 3 e 4 - sexto anoUnidade 7  temas 3 e 4 - sexto ano
Unidade 7 temas 3 e 4 - sexto ano
 
Unidade 7 sexto ano_temas 1 e 2
Unidade 7 sexto ano_temas 1 e 2Unidade 7 sexto ano_temas 1 e 2
Unidade 7 sexto ano_temas 1 e 2
 
Unidade4
Unidade4Unidade4
Unidade4
 
Unidade 6 sextoano
Unidade 6 sextoanoUnidade 6 sextoano
Unidade 6 sextoano
 
Unidade5 temas2 3_4
Unidade5 temas2 3_4Unidade5 temas2 3_4
Unidade5 temas2 3_4
 
Unidade 2 oitavo ano
Unidade 2   oitavo anoUnidade 2   oitavo ano
Unidade 2 oitavo ano
 
Unidade 5 6 ano
Unidade 5 6 anoUnidade 5 6 ano
Unidade 5 6 ano
 
Unidade 1
Unidade 1Unidade 1
Unidade 1
 
Unidade 1 sexto ano
Unidade 1 sexto anoUnidade 1 sexto ano
Unidade 1 sexto ano
 
Unidade 8 temas 3 e 4 e unidade 9
Unidade 8 temas 3 e 4  e unidade 9Unidade 8 temas 3 e 4  e unidade 9
Unidade 8 temas 3 e 4 e unidade 9
 
Unidade 9 - 6º ano
Unidade 9   - 6º anoUnidade 9   - 6º ano
Unidade 9 - 6º ano
 
Unidade 8 temas 3 e 4 sexto ano
Unidade 8   temas 3 e 4 sexto anoUnidade 8   temas 3 e 4 sexto ano
Unidade 8 temas 3 e 4 sexto ano
 
Unidade 2 sextoano
Unidade 2 sextoanoUnidade 2 sextoano
Unidade 2 sextoano
 
Unidade 8 - África
Unidade 8  - ÁfricaUnidade 8  - África
Unidade 8 - África
 

Último

escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
Sandra Pratas
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdfAtividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
sesiomzezao
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
EsterGabriiela1
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 

Último (20)

escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdfAtividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 

Unidade 1 7ano

  • 1. BRASIL: POTENCIALIDADES DO ESPAÇO NATURAL Professora Christie “Monumento Natural das Falésias ( Morro Branco - Beberibe - Ceará - Brasil .”
  • 2. Onde está o Brasil? Dimensões do território brasileiro O Brasil está inserido na América do Sul e faz fronteira com todos os países dessa porção do continente americano, exceto Equador e Chile. O Brasil apresenta extensão territorial de 8.515.692 km². É o quinto maior país do planeta, só é menor que os territórios da Rússia, Canadá, China e Estados Unidos. A abundância territorial faz com que o Brasil tenha quatro fusos, uma vez que no sentido leste-oeste é bastante extenso. Por esses aspectos é considerado um país com dimensão continental. Tema 1
  • 3. O território brasileiro está localizado, em sua totalidade, a oeste do meridiano de Greenwich, portanto sua área está situada no hemisfério ocidental. A linha do Equador passa no extremo norte do Brasil, fazendo com que 7% de seu território pertença ao hemisfério setentrional (Norte) e 93% esteja localizado no hemisfério meridional (Sul). Cortado ao sul pelo trópico de Capricórnio, apresenta 92% do território na zona intertropical (entre os trópicos de Câncer e de Capricórnio); os 8% restantes estão na zona temperada do sul (entre o trópico de Capricórnio e o círculo polar Antártico). Tema 1
  • 4. Para evitar dois horários diferentes dentro dos limites de alguns estados brasileiros, estabeleceu-se um desvio dentro dos limites teóricos dos fusos, conhecido como limite prático. Observe o mapa ao lado. O horário de Brasília, oficial do país, é regulado de acordo com a GMT (Greenwich Meridian Time), que significa Hora do Meridiano de Greenwich — e apresenta três horas de atraso em relação ao horário do Meridiano de Greenwich. Fuso horário do Brasil Tema 1
  • 5. Relevo e hidrografia Tema 2 O relevo brasileiro é caracterizado por ser geologicamente antigo, ficando muito tempo exposto aos efeitos dos agentes exógenos ou externos de transformação da superfície, apresentando, assim, formas físicas muito desgastadas. Além disso, o território nacional não se localiza em faixas de encontro entre placas tectônicas, o que explica as baixas altitudes médias no país.. Os principais agentes erosivos responsáveis pelo desgaste do relevo são aqueles ligados principalmente ao clima tropical, como as chuvas abundantes, os ventos, as altas temperaturas e os rios. O ponto mais alto do país é o Pico da Neblina (veja imagem abaixo)
  • 6. Principais Unidades de relevo do Brasil Com a observação do mapa, conseguimos ter uma melhor noção da distribuição das formas de relevo pelo território brasileiro. Ela foi elaborada por Jurandyr Ross, após a execução do projeto Radam Brasil, que consistiu em um levantamento ocorrido entre os anos de 1971 e 1986 com o objetivo de mapear os recursos naturais do país. Tema 2
  • 7. Unidades de Relevo do Brasil • As Planícies são áreas em que o processo de deposição de sedimentos (de origem fluvial, marinha ou lacustre) é superior ao de erosão. Caracterizam-se por serem regiões mais planas e pouco acidentadas. A principal área de planície no Brasil é a do Rio Amazonas. • Os Planaltos são áreas em que o processo de erosão foi superior ao de deposição de sedimentos. Caracterizam-se por serem áreas mais acidentadas que as planícies e menos do que as montanhas. Trata-se de uma forma de relevo em processo de destruição e desgaste superficial. • As Depressões são áreas em que as altitudes são inferiores às paisagens circundantes. No caso do Brasil, não há depressões absolutas (abaixo do nível do mar). Dentre as depressões brasileiras, podemos destacar a Sertaneja e a da Amazônia Ocidental. Tema 2
  • 8. Os rios brasileiros O Brasil possui a maior rede fluvial do mundo e milhões de brasileiros dependem dos rios para sobreviver, utilizando suas águas para: • irrigação agrícola; • abastecimento de água; • pesca; Navegação e transporte no rio Tocantins Irrigação do rio São Francisco • produção de energia elétrica; • navegação e transporte. Usina hidrelétrica de Itaipu no rio Paraná Tema 2
  • 9. Regiões e bacias hidrográficas Bacia hidrográfica - área que compreende o rio principal e todos os seus afluentes, riachos e córregos que o alimentam. Alguns rios com pequena extensão e vazão do litoral brasileiro foram agrupados em regiões hidrográficas. O Brasil possui 12 regiões hidrográficas conforme mostra mapa ao abaixo. Tema 2
  • 10. Bacia Amazônica É maior bacia hidrográfica do Brasil (e do mundo. É constituída por todos os rios, córregos, ribeirões e demais cursos de água que deságuam no rio Amazonas. A Bacia Amazônica não abrange somente parte das terras brasileiras, mas também porções dos territórios do Peru, Colômbia, Equador, Venezuela e Bolívia, ocupando 7 milhões de quilômetros quadrados. No Brasil essa envolve sete estados, são eles: Acre, Amazonas, Roraima, Rondônia, Mato Grosso, Pará e Amapá. O rio principal da bacia, o Amazonas, é o maior do mundo, ele nasce na cordilheira dos Andes (Peru) e quando entra no Brasil é intitulado de Solimões. A confluência do Solimões com o rio Negro constitui o Amazonas. Tema 2
  • 11. Bacia Tocantins-Araguaia É a maior entre aquelas que se encontram totalmente em território brasileiro. Diversos lugares nos quais os rios Tocantins e Araguaia percorrem possuem um baixo povoamento, por isso esses rios são de grande relevância para as pessoas, principalmente para a comunicação, apesar de não serem todos os trechos que oferecem condições viáveis de navegação. Os primeiros anos da década de 80, foi concluída e inaugurada a usina hidrelétrica de Tucuruí (foto ao lado), tendo como recurso hídrico fundamental o rio Tocantins. Para que o megaprojeto fosse executado, houve grandes impactos ambientais: enormes superfícies cobertas por florestas foram imersas pelas águas da represa, formando o lago de Tucuruí. Tema 2
  • 12. Bacia do Paraná Formada pelo Rio Paraná e seus afluentes, como os rios Tietê e Paranapanema (destacados no mapa acima), importantes vias de navegação nas regiões Centro-Oeste, Sudeste e Sul do país. A região hidrográfica do Paraná apresenta grande potencial hidrelétrico, abrigando uma das maiores usinas do mundo, a Usina Hidrelétrica de Itaipu, que fornece energia para a região Sudeste. Hidrelétrica de Itaipu Tema 2
  • 13. Bacia do Tocantins-Araguaia É a maior entre aquelas que se encontram totalmente em território brasileiro. Essa bacia abriga a Usina de Tucuruí, no estado do Pará e é a terceira bacia com maior potencial hidrelétrico no país. Seus rios principais são utilizados para a navegação, o turismo e a pesca, apresentando elevada biodiversidade. Tema 2
  • 14. Essa bacia engloba partes do Mato Grosso e do Mato Grosso do Sul, incluindo o Parque Nacional do Pantanal Mato-Grossense. Possui grande potencial para a navegação e enorme biodiversidade sendo que alguns deles já integram importantes polos turísticos. O rio Paraguai nasce em território brasileiro e sua região hidrográfica abrange uma área de 1.095.000 km², sendo 33% no Brasil (363.446 km²) e o restante na Argentina, Bolívia e Paraguai. Bacia do Paraguai Rio Paraguai Tema 2
  • 15. Além de fornecer água para o consumo humano, o rio São Francisco é muito importante para o desenvolvimento econômico da região, sobretudo nas áreas de clima semiárido. Através de sistemas de irrigação, é possível realizar atividades agropecuárias, com destaque para a criação de gado e o cultivo de frutas. Seu potencial hidrelétrico também é aproveitado. Entre as usinas instaladas nessa bacia hidrográfica estão a de Sobradinho, Três Marias, Paulo Afonso, Moxotó, Itapirica, Xingó, etc. Bacia do Rio São Francisco Está totalmente dentro do território do Brasil ocupando uma área de 640 mil km² aproximadamente, o que corresponde a quase 8% do território nacional. O principal rio da Bacia do São Francisco é o Rio São Francisco. Este rio nasce na Serra da Canastra (MG) e escoa no sentido Sul-Norte pela Bahia e Pernambuco, quando altera seu curso para o Sudeste, chegando até sua foz no Oceano Atlântico na divisa entre Alagoas e Sergipe, abrangendo assim cinco estados Tema 2
  • 16. Potencialidade do Rio São Francisco Parreiras irrigadas com águas do rio São Francisco – Sucesso na agricultura. Tema 2
  • 17. Climas do Brasil A maior parte do território brasileiro encontra-se em áreas de baixas latitudes, por essa razão, predominam no Brasil climas quentes e úmidos. Os principais tipos de clima do Brasil são: clima equatorial, o clima tropical e o clima subtropical. Tema 3
  • 18. Clima Equatorial . Ocorre em regiões próximas à linha do Equador e predomina na Região Norte e em parte da Região Centro-Oeste. As principais características das regiões de clima equatorial são a alta temperatura e umidade durante o ano todo, esta última, resultado dos altos índices de evaporação provocados pela temperatura que fica em torno de 26°C o ano todo, com muito pouca variação. Isso favoreceu a existência de florestas densas e de grande biodiversidade. Porém, nas regiões desse clima, a agricultura em geral é difícil, restrita a poucos cultivos em função do grande volume de precipitação que carrega os nutrientes do solo. Tema 3
  • 19. Clima Tropical Predomina na região Centro-Oeste, Sudeste e em parte do Nordeste do Brasil, apresentando temperaturas médias anuais superiores a 18 °C. Os verões deste clima são quentes e úmidos e os invernos costumam registrar temperaturas menores e queda no índice de precipitação. Tema 3
  • 20. Clima Tropical de altitude Ocorre em altitudes superiores a 800 m, nas áreas serranas do Sudeste, sendo a principal delas a Serra da Mantiqueira. As temperaturas médias anuais baixas, inferiores a 18 °C, e são bastante utilizadas para a pecuária familiar e a piscicultura. Tema 3
  • 21. Clima tropical litorâneo Ocorre nas áreas costeiras do Brasil e é caracterizado pelas altas temperaturas e influência das massas de ar úmidas do Atlântico. A amplitude térmica é baixa e as regiões onde ocorre são muito chuvosas em razão das massas de ar oceânicas. Jangadas em Maceió, importante atrativo turístico. Tema 3
  • 22. Tropical Semiárido Apresenta períodos prolongados de seca, e a falta de água dificulta a prática da agropecuária. Entretanto, a prática da agricultura irrigada provocou a expansão do agronegócio alguns polos agrícolas produz frutas e hortaliças de alta qualidade, inclusive para exportação. Ocorre semiárido nordestino, onde as chuvas são raras e as temperaturas são altas, com médias diárias em torno dos 25 °C. Tema 3
  • 23. Clima subtropical Apresenta temperatura média anual inferior a 18 °C e ocorre na Região Sul, em áreas situadas ao sul do Trópico de Capricórnio. As estações do ano são bem demarcadas, com verão quente e chuvoso e os invernos mais rigorosos do país. Há ocorrência de geadas e, em casos raros, neve. Não há estações secas, pois as chuvas são distribuídas ao longo das quatro estações, geralmente chove entre 1000mm e 2000mm anualmente. Em geral apresenta grande potencial agropecuário, apesar de as baixas temperaturas representarem uma ameaça aos cultivos agrícolas. Típica vegetação do clima subtropical em estações diferentes. Tema 3
  • 24. O Brasil apresentava, originalmente, extensas formações vegetais com grande diversidade de espécies animais e vegetais, mas as atividades humanas modificaram grande parte delas. Desmatamento na Floresta Amazônica (Foto: Antônio Cruz/ABr) O Brasil apresenta extensas formações vegetais que abrigam grande diversidade de espécies. Tema 4
  • 25. Existem quatro tipos principais de vegetação no país: as florestas (Floresta Amazônica, Mata Atlântica e Mata dos Pinhais), o cerrado, a caatinga e os campos. O Pantanal é um complexo de formações vegetais que abriga florestas e campos. Tema 4
  • 26. Floresta Amazônica Tema 4 Ocupa grandes áreas da Região Norte do Brasil e se estende por nove países da América do Sul. É chamada de Floresta latifoliada equatorial. Apresenta-se em geral densa e com árvores de grande porte, mas existem variações, como as florestas fluviais alagadas, as florestas de terra firme e as campinas, de solos arenosos, onde não crescem árvores altas. Muitas famílias e comunidades ribeirinhas, grupos indígenas e quilombolas dependem dos recursos da floresta para sua sobrevivência. Desmatamento na Floresta Amazônica
  • 27. Mata Atlântica Floresta tropical que, no passado, recobria extensa faixa do litoral brasileiro, estendendo-se do nordeste ao sul do país e avançando quilômetros em direção ao interior. Ocorre nas áreas litorâneas, onde concentra aproximadamente 70% da população brasileira. Por isso a Mata Atlântica foi um dos tipos de vegetação mais desmatados no Brasil e quase desapareceu, dando lugar à agricultura e à expansão urbana. Mesmo reduzida e muito fragmentada, estima-se que na Mata Atlântica existam cerca de 20.000 espécies vegetais (cerca de 35% das espécies existentes no Brasil), incluindo diversas espécies endêmicas e ameaçadas de extinção. Hoje, restam poucas áreas de mata original, a maioria em zonas de proteção ambiental, onde o turismo desponta como uma alternativa capaz de conciliar a conservação do ambiente com o sustento de comunidades locais. Tema 4
  • 28. Mata dos Pinhais ou Mata de Araucárias. Floresta subtropical localizada nos estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, e em partes de relevo mais elevados e frios de São Paulo e Minas Gerais. Foi bastante devastada ao longo do tempo, principalmente em virtude da exploração de madeira (foto acima), restando apenas cerca de 3% de sua área original. Tema 4
  • 29. Cerrado Típica de clima tropical é a segunda maior formação vegetal do Brasil. Encontra-se predominantemente na Região Centro-Oeste. Apresenta paisagens com predominância de vegetação de pequeno porte e árvores isoladas, que ficam secas durante cerca de seis meses, quando é comum a ocorrência de incêndios naturais. Nos meses de chuva, as plantas florescem. Cerca de 50% de sua área original já foi perdida em função da expansão agropecuária, e muitas espécies de animais estão extintas ou ameaçadas. Em geral, os solos são pobres e muito ácidos. Até 1970, o cerrado era descartado quanto ao seu uso para a agricultura, mas com a modernização do campo, surgiram novas técnicas que viabilizaram a sua ocupação para essa finalidade. Tema 4
  • 30. Campos Caracterizada pela predominância de gramíneas. No Brasil, é encontrada principalmente no estado do Rio Grande do Sul, onde é conhecida como pampa.
  • 31. Caatinga Ocorre na zona semiárida mais populosa do planeta (sertão nordestino). Durante a maior parte do ano esse tipo de vegetação fica seco, com aspecto esbranquiçado e por esse motivo é conhecida como “floresta branca”. As plantas da caatinga são adaptadas à falta de chuvas, como os cactos, e muitas não apresentam folhas durante longos períodos. Tema 4 Caprino solto na caatinga
  • 32. Complexo do Pantanal Localizado na Região Centro-Oeste do Brasil entre os estados do Mato Grosso e do Mato Grosso do Sul (estendendo-se também à Bolívia e ao Paraguai), Apresenta formações diversas e, por isso, é chamado de complexo de vegetações. O pantanal apresenta áreas que permanecem alagadas durante a época de cheias, quando os rios transbordam, além de áreas de floresta, cerrado e campos que nunca ficam submersos e servem de pastos às criações bovinas, principal atividade econômica da região. Tema 4
  • 33. Vegetação Litorânea Os principais tipos são as restingas e os manguezais. Tanto as restingas quanto os manguezais sofrem com a ameaça da expansão urbana, a poluição dos rios e do oceano, e as áreas remanescentes estão sendo degradadas rapidamente. Restinga Manguezal Tema 4