SlideShare uma empresa Scribd logo
Turismo & Logística portuária 
Conceitos | Convergências | Panorama 
Aristides Faria Lopes dos Santos 
Santos (SP) | 04.11.2014
Compartilhar experiências acadêmicas e propor reflexões e 
práticas interdisciplinares na formação de profissionais do 
turismo e áreas relacionadas em Santos e região. 
OBJETIVO
Roteiro 
• Apresentação pessoal 
– Formação acadêmica 
– Experiência profissional 
• Convergências 
– Extensão universitária 
– Produção científica (Alegra Centro) 
• Marco conceitual 
– Logística 
– Política Nacional de Turismo 
– Segmentação 
– Lei Geral dos Portos 
– PDZ do Porto de Santos 
• Dados e fatos 
– Impactos econômicos 
– Estamos preparados? 
• Considerações finais
Apresentação pessoal 
• Formação acadêmica 
– Bacharel em Turismo (Unisul, 2002) 
– Especialista em Gestão de RH (UFSC, 2003) 
– MBA em Gestão de Projetos (Unisantos, 2013) 
– Mestrado em Hospitalidade (UAM, 2013-2015) 
• Experiência profissional 
– Consultor e Palestrante da [RH em Hospitalidade] 
– Coord. de Turismo & Eventos, SETUR-PG 
– Assessor de Eventos & Novos Negócios, SRC&VB 
Convergências...
Convergências
Convergências
Convergências 
• Vinculação institucional: Programa de Mestrado em 
Hospitalidade da Universidade Anhembi Morumbi 
• Cronograma de pesquisa: 
– Criação do Programa Alegra Centro: 2003 
– Revisão do Programa (início): 2013 
– Pesquisa bibliográfica: 2° semestre de 2013 
– Pesquisa documental: 1° semestre de 2014 
– Elaboração do artigo: 1° semestre de 2014 
• Publicações sobre o tema (2014): 
– V Congresso Latino-americano de Investigação Turística (Argentina) 
– Congresso Internacional de Investigação em Turismo (Colômbia) 
– XI Seminário da Anptur (Brasil)
Marco conceitual
Marco conceitual: Logística 
• O Técnico em Logística executa e colabora na gestão dos processos 
de planejamento, operação e controle de: 
– programação da produção de bens e serviços; 
– programação de manutenção de máquinas e de equipamentos; 
– compras, recebimento, armazenamento, estoque, movimentação, expedição, 
transporte e distribuição de materiais e produtos; 
• Presta atendimento aos clientes; 
• Implementa os procedimentos de controle de custos, qualidade, 
segurança e higiene do trabalho no sistema logístico.
Marco conceitual: Política Nacional de 
Turismo (Lei n° 11.771/2008) 
Artigo 21° 
Consideram-se prestadores de 
serviços turísticos, para os fins desta 
Lei, as sociedades empresárias, 
sociedades simples, os empresários 
individuais e os serviços sociais 
autônomos que prestem serviços 
turísticos remunerados e que exerçam 
as seguintes atividades econômicas 
relacionadas à cadeia produtiva do 
turismo: 
I. meios de hospedagem; 
II. agências de turismo; 
III. transportadoras turísticas; 
IV. organizadoras de eventos; 
V. parques temáticos; e 
VI. acampamentos turístico 
Parágrafo único. Poderão ser 
cadastradas no Ministério do 
Turismo, atendidas as condições 
próprias, as sociedades empresárias 
que prestem os seguintes serviços: 
IV. marinas e empreendimentos de 
apoio ao turismo náutico ou à 
pesca desportiva.
Marco conceitual: Turismo Náutico 
• Turismo Náutico caracteriza-se pela utilização de embarcações náuticas como 
finalidade da movimentação turística (MTur). 
• Área de Navegação: 
– Navegação em águas interiores: realizada em águas consideradas abrigadas, podendo 
ser subdivididas em duas áreas: 
• Área 1: áreas abrigadas, tais como lagos, lagoas, baías, rios e canais, que normalmente não 
apresentam dificuldades ao tráfego das embarcações; 
• Área 2: áreas parcialmente abrigadas, onde eventualmente sejam observadas combinações 
adversas de agentes ambientais tais como vento, correnteza ou maré, que dificultem o tráfego 
das embarcações 
– Navegação em mar aberto: realizada em águas marítimas consideradas desabrigadas 
que podem ser subdividas em: 
• Águas costeiras: área localizada dentro dos limites de visibilidade da costa até a distancia de 
20 milhas 
• Águas oceânicas: área localizada além das 20 milhas da costa.
Marco conceitual: Le Geral dos Portos 
(Lei n° 12.815/2013) 
Artigo 2° 
VII - instalação portuária de turismo: 
instalação portuária explorada 
mediante arrendamento ou 
autorização e utilizada em 
embarque, desembarque e trânsito 
de passageiros, tripulantes e 
bagagens, e de insumos para o 
provimento e abastecimento de 
embarcações de turismo. 
Art. 20° 
Será instituído em cada porto organizado um 
Conselho de Autoridade Portuária (CAP), 
órgão consultivo da administração do porto. 
§ 3o A distribuição das vagas no conselho a 
que alude o caput observará a seguinte 
proporção: 
I. 50%de representantes do poder público; 
II. 25% de representantes da classe 
empresarial; e 
III. 25% de representantes da classe 
trabalhadora.
Plano de Zoneamento do Porto de Santos 
5.10 Desenvolvimento Humano e Qualidade de Vida 
5.10.3 Ecoturismo 
–Elaborar roteiro da região portuária a partir dos pontos e atividades de maior 
interesse ecológico e turístico; 
–Integrar o Porto aos roteiros turísticos municipais; 
–Valorizar o patrimônio histórico e natural da região portuária através do 
ecoturismo; 
–Mesclar atividades turísticas às portuárias; 
–Trabalhar o roteiro turístico como público alvo os passageiros de Cruzeiros 
atracados no Porto.
Plano de Zoneamento do Porto de Santos 
15. Revitalização 
15.1 Conceito de revitalização portuária 
Um projeto de revitalização, deve ter como oportunidades a beleza e o valor histórico do 
local, considerando ainda a recuperação do ambiente, o empreendimento para a região e o 
conhecimento tecnológico, e deve também possibilitar alianças e acordos, que visem: 
–Gerar oportunidade de uso de parte da área do porto para uso misto portuário-urbano 
–Fomentar a recuperação da atividade comercial da região 
–Reconversão de área 
–Fortalecimento da relação porto-cidade 
–Criação de pólo de turismo e de áreas de desenvolvimento social 
–Contribuição para a preservação da memória histórica 
–Reabilitação e valorização econômica 
–Inclusão de Santos em roteiros turísticos nacionais
Santos (SP): dados e fatos
Porto de Santos 
• Histórico 
– 20 de julho de 1888: contrato de concessão para construção do porto 
– 2 de fevereiro de 1892: atracação do navio inglês Nasmith, inaugurando os primeiros 
260 metros de cais 
• Nessa fase foram substituídos os trapiches e pontes que existiam no Valongo 
– 7 de novembro de 1980: a Companhia Docas do Estado de São Paulo assumiu a 
administração do porto 
• Números 
– Cais acostável: 11.042 metros de extensão 
– Armazenagem: 
• 45 armazéns internos, sendo 34 na margem direita e 11 na margem esquerda 
• 39 armazéns externos 
• Área total: 516.761 m² 
• 33 pátios de estocagem (internos e externos), somando 124.049 m² 
• Tancagem (foto) de granéis líquidos: Ilha do Barnabé: 282 tanques
Porto de Santos: Benedito Calixto 
Praia do Consulado, Porto de 
Santos de 1882 
Porto de Santos de 1890
Cruzeiros marítimos: impactos 
• Diferentemente da temporada 2010/2011, constatou-se considerável queda do 
fluxo de cruzeiros marítimos na costa brasileira, com a redução da oferta de leitos 
nos navios e de rotas por parte das armadoras. Na temporada 2013/2014, foram 
contabilizados 596.532 cruzeiristas, que geraram significativos impactos 
econômicos no país. A seguir, alguns entraves para o desenvolvimento do setor: 
• Taxas operacionais 
– As taxas operacionais praticadas pelos portos brasileiros encarecem o preço final do cruzeiro, 
principalmente quando se compara com outros mercados internacionais de cruzeiros, como os 
ofertados no Caribe, onde as taxas e impostos são mais baixos e, portanto, os preços repassados 
aos turistas são inferiores. Exemplos: taxas de pernoite, praticagem, embarque e desembarque. 
• Infraestrutura dos portos brasileiros 
– O sistema portuário necessita de intervenções e investimentos públicos e privados, 
especialmente nos terminais de passageiros, estrutura para atracação e serviços gerais. 
• Agentes envolvidos na operação 
– A existência de diferentes stakeholders na operação, com suas respectivas competências e 
atribuições tornam o processo mais custoso, lento e burocrático.
Turismo e logística portuária (SANTOS, SP)
Agentes envolvidos na operação 
• Ministério do Turismo (MTur): organização das escalas dos transatlânticos, programas de 
qualificação nas regiões portuárias e avaliação das rotas dos cruzeiros 
• Conselho Nacional de Turismo (CNTur): Assessorar o Ministério do Turismo na formulação 
de planos, programas e projetos relacionados a cruzeiros marítimos 
• Ministério do Trabalho e Emprego (MTE): Legislação dos funcionários 
• Polícia Federal: Responsável pela emissão de passaporte e controle dos postos de fronteira 
• Receita Federal: Controle e fiscalização da arrecadação de impostos 
• Conselho Nacional de Imigração: Coordenar e orientar as atividades de imigração 
• Capitania dos Portos: Administração de todas as atividades marítimas e operações portuárias 
da região 
• Guarda Portuária: Atendimento de ocorrências e fiscalização da faixa portuária, verificando 
e caracterizando os fatos que contrariem as normas da Cia. Docas e a legislação penal em 
vigor 
• Secretaria Nacional dos Portos: Apoio ao desenvolvimento da infraestrutura portuária, com 
investimentos orçamentários e do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) 
• ANVISA: Controle sanitário de produção e comercialização dos produtos
Impacto econômico 
• Riqueza gerada a partir do mercado de cruzeiros marítimos (2013/2014): R$ 1,15 bilhão 
• Armadores: aproximadamente R$ 693 milhões (60%) 
– R$ 510 milhões são “impactos diretos”; R$ 183 milhões são “impactos indiretos” 
• Combustíveis: maior gerador de impacto econômico, que totalizou 
aproximadamente R$ 232 milhões de impactos direto e indireto 
• Taxas portuárias mais Impostos: somaram R$ 169 milhões de impacto direto 
• Alimentos & Bebidas: R$ 117 milhões de impactos direto e indireto 
• Comissões: R$ 90 milhões de impacto direto 
• Marketing, excursões e escritório: R$ 68 milhões 
• Água e lixo: R$ 18 milhões de impactos direto e indireto 
• Cruzeiristas e tripulantes: R$ 455 milhões (40%) 
– Alimentação, suvenir, excursão, roupa, transporte, entre outros.
09/04/2002 
17/01/2013
03/08/2014
31/03/2012 
20/07/2008
Referências 
AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS. Porto de Santos. Disponível em < 
http://www.antaq.gov.br/Portal/pdf/Portos/2012/Santos.pdf >. Acesso em 2 de dezembro de 2014. 
BRASIL. Lei Geral dos Portos. Disponível em < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2013/Lei/L12815.htm >. Acesso em 02 
de dezembro de 2014. 
BRASIL. Política Nacional de Turismo. Disponível em < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11771.htm >. Acesso 
em 02 de dezembro de 2014. 
CLIA ABREMAR; FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS. Cruzeiros Marítimos: estudo do perfil e impactos econômicos no Brasil. Disponível 
em < http://www.abremar.com.br/down/fgv2014.pdf >. Acesso em 02 de dezembro de 2014. 
COMPANHIA DOCAS DE SANTOS. Plano de Desenvolvimento e Zoneamento do Porto de Santos: Disponível em < 
http://www.portodesantos.com.br/pdz.php >. Acesso em 02 de dezembro de 2014. 
ENCICLOPÉDIA ITAÚ CULTURAL. Benedito Calixto. Disponível em < http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa8777/benedito-calixto 
>. Acesso em 02 de dezembro de 2014. 
FASSINA. Motorista de carro sobrevive após colidir com trem. Disponível em < 
http://www.fassina.com.br/noticias/noticia.aspx?codnoticia=759 >. Acesso em 2 de dezembro de 2014. 
FOLHA DE SÃO PAULO. PM inaugura "radiopatrulhamento hidroviário" na Baixada Santista. Disponível em < 
http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u49056.shtml >. Acesso em 2 de dezembro de 2014. 
G1. Incêndio atinge armazém de açúcar no Porto de Santos, n litoral de SP. Disponível em < http://g1.globo.com/sp/santos-regiao/ 
noticia/2014/08/incendio-atinge-armazem-de-acucar-em-porto-de-santos-no-litoral-de-sp.html >. Acesso em 2 de dezembro de 2014. 
JORNAL PORTUÁRIO. Homem morre ao ser esmagado por caminhão no Porto de Santos. Disponível em < 
http://www.jornalportuario.com.br/ultima-noticia/homem-morre-ao-ser-esmagado-por-caminhao-no-porto-de-santos#.VIBz19LF_ng >. Acesso 
em 2 de dezembro de 2014. 
UOL Cotidiano. Ações de "piratas" assusta praticantes de pesca esportiva em rios da Baixada Santista. Disponível em < 
http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2013/01/17/acao-de-piratas-assusta-praticantes-de-pesca-esportiva-em-rios-da-baixada-santista. 
htm >. Acesso em 2 de dezembro de 2014.
Muito obrigado!!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Revista APS N.º 62 – Junho 2014
Revista APS N.º 62 – Junho 2014Revista APS N.º 62 – Junho 2014
Apresentação Turismo Náutico IX Congresso da Geografia Portuguesa
Apresentação Turismo Náutico IX Congresso da Geografia PortuguesaApresentação Turismo Náutico IX Congresso da Geografia Portuguesa
Apresentação Turismo Náutico IX Congresso da Geografia Portuguesa
Rui Santos Camelo
 
O Parque das Nações - a Grande Atracção Turística
O Parque das Nações - a Grande Atracção TurísticaO Parque das Nações - a Grande Atracção Turística
O Parque das Nações - a Grande Atracção Turística
Cláudia Samouqueiro e Vasconcellos
 
A cooperação transfronteiriça
A cooperação transfronteiriça A cooperação transfronteiriça
A cooperação transfronteiriça
Bruno Rafael Tavares Sousa
 
Revista APS N.º 73 – Dezembro 2017
Revista APS N.º 73 – Dezembro 2017Revista APS N.º 73 – Dezembro 2017
7 rel tomo_i
7 rel tomo_i7 rel tomo_i
7 rel tomo_i
Luis Claudio Bohm
 
NAVEGAR – Agenda do Porto de Aveiro para 2015
NAVEGAR – Agenda do Porto de Aveiro para 2015NAVEGAR – Agenda do Porto de Aveiro para 2015
NAVEGAR – Agenda do Porto de Aveiro para 2015
portodeaveiro
 

Mais procurados (7)

Revista APS N.º 62 – Junho 2014
Revista APS N.º 62 – Junho 2014Revista APS N.º 62 – Junho 2014
Revista APS N.º 62 – Junho 2014
 
Apresentação Turismo Náutico IX Congresso da Geografia Portuguesa
Apresentação Turismo Náutico IX Congresso da Geografia PortuguesaApresentação Turismo Náutico IX Congresso da Geografia Portuguesa
Apresentação Turismo Náutico IX Congresso da Geografia Portuguesa
 
O Parque das Nações - a Grande Atracção Turística
O Parque das Nações - a Grande Atracção TurísticaO Parque das Nações - a Grande Atracção Turística
O Parque das Nações - a Grande Atracção Turística
 
A cooperação transfronteiriça
A cooperação transfronteiriça A cooperação transfronteiriça
A cooperação transfronteiriça
 
Revista APS N.º 73 – Dezembro 2017
Revista APS N.º 73 – Dezembro 2017Revista APS N.º 73 – Dezembro 2017
Revista APS N.º 73 – Dezembro 2017
 
7 rel tomo_i
7 rel tomo_i7 rel tomo_i
7 rel tomo_i
 
NAVEGAR – Agenda do Porto de Aveiro para 2015
NAVEGAR – Agenda do Porto de Aveiro para 2015NAVEGAR – Agenda do Porto de Aveiro para 2015
NAVEGAR – Agenda do Porto de Aveiro para 2015
 

Semelhante a Turismo e logística portuária (SANTOS, SP)

Planejamento para a Copa de 2014 - Secretaria de Turismo da Bahia
Planejamento para a Copa de 2014 - Secretaria de Turismo da BahiaPlanejamento para a Copa de 2014 - Secretaria de Turismo da Bahia
Planejamento para a Copa de 2014 - Secretaria de Turismo da Bahia
Secretaria de Turismo da Bahia
 
20230720 - Faustino Goncalves - plano estrategico final.pptx
20230720 - Faustino Goncalves - plano estrategico final.pptx20230720 - Faustino Goncalves - plano estrategico final.pptx
20230720 - Faustino Goncalves - plano estrategico final.pptx
FaustinoGonalves
 
Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)
Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)
Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)
Ilda Bicacro
 
Rt&d 13-id10
Rt&d 13-id10Rt&d 13-id10
Portos
PortosPortos
Portos
InformaGroup
 
Portos
PortosPortos
Portos
InformaGroup
 
“INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - A...
“INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - A...“INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - A...
“INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - A...
aplop
 
Organização e Estrutura Portuária.ppt
Organização e Estrutura Portuária.pptOrganização e Estrutura Portuária.ppt
Organização e Estrutura Portuária.ppt
LeonardoAzevedo732389
 
Ponência: Logística e Território no Brasil – os complexos portuários do Norte...
Ponência: Logística e Território no Brasil – os complexos portuários do Norte...Ponência: Logística e Território no Brasil – os complexos portuários do Norte...
Ponência: Logística e Território no Brasil – os complexos portuários do Norte...
Instituto de Aplicação Fernando Rodrigues da Silveira
 
ESTRATÉGIA PARA O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE PORTUÁRIA - Horizonte 2016-2026
ESTRATÉGIA PARA O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE PORTUÁRIA - Horizonte 2016-2026ESTRATÉGIA PARA O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE PORTUÁRIA - Horizonte 2016-2026
ESTRATÉGIA PARA O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE PORTUÁRIA - Horizonte 2016-2026
Portos de Portugal
 
Investimentos portuarios-brasil-bahia
Investimentos portuarios-brasil-bahiaInvestimentos portuarios-brasil-bahia
Investimentos portuarios-brasil-bahia
Portal iBahia
 
Apresentação Setur Agenda Bahia
Apresentação Setur Agenda BahiaApresentação Setur Agenda Bahia
Apresentação Setur Agenda Bahia
Daniel Meira
 
DIREITO ADMINISTRATIVO MODulo 4 logistica
DIREITO ADMINISTRATIVO MODulo 4 logisticaDIREITO ADMINISTRATIVO MODulo 4 logistica
DIREITO ADMINISTRATIVO MODulo 4 logistica
RodrigoCapelaro1
 
Revista APS N.º 74 - Abril 2018
Revista APS N.º 74 - Abril 2018Revista APS N.º 74 - Abril 2018
2º Encontro Nacional de Grupos de Acção Costeira (Aveiro) GAC Região de Aveiro
2º Encontro Nacional de Grupos de Acção Costeira (Aveiro) GAC Região de Aveiro2º Encontro Nacional de Grupos de Acção Costeira (Aveiro) GAC Região de Aveiro
2º Encontro Nacional de Grupos de Acção Costeira (Aveiro) GAC Região de Aveiro
Comunidade Intemunicipal da Região de Aveiro
 
Bndes dimensionamento do potencial de investimento para o setor portuário p
Bndes dimensionamento do potencial de investimento para o setor portuário pBndes dimensionamento do potencial de investimento para o setor portuário p
Bndes dimensionamento do potencial de investimento para o setor portuário p
Isis Perdigão
 
Porto 24 Horas
Porto 24 HorasPorto 24 Horas
N á u t i c a d e r e c r e i o e m p o r t u g a l
N á u t i c a d e  r e c r e i o e m  p o r t u g a l N á u t i c a d e  r e c r e i o e m  p o r t u g a l
N á u t i c a d e r e c r e i o e m p o r t u g a l
Cláudio Carneiro
 
13 alternativas de_financiamento_bndes
13 alternativas de_financiamento_bndes13 alternativas de_financiamento_bndes
13 alternativas de_financiamento_bndes
Filipe Eduardo Martins Guedes
 
Artigo 19 é importante pensar a fileira do turismo - algumas sugestões
Artigo 19   é importante pensar a fileira do turismo - algumas sugestõesArtigo 19   é importante pensar a fileira do turismo - algumas sugestões
Artigo 19 é importante pensar a fileira do turismo - algumas sugestões
Novas da Guiné Bissau
 

Semelhante a Turismo e logística portuária (SANTOS, SP) (20)

Planejamento para a Copa de 2014 - Secretaria de Turismo da Bahia
Planejamento para a Copa de 2014 - Secretaria de Turismo da BahiaPlanejamento para a Copa de 2014 - Secretaria de Turismo da Bahia
Planejamento para a Copa de 2014 - Secretaria de Turismo da Bahia
 
20230720 - Faustino Goncalves - plano estrategico final.pptx
20230720 - Faustino Goncalves - plano estrategico final.pptx20230720 - Faustino Goncalves - plano estrategico final.pptx
20230720 - Faustino Goncalves - plano estrategico final.pptx
 
Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)
Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)
Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)
 
Rt&d 13-id10
Rt&d 13-id10Rt&d 13-id10
Rt&d 13-id10
 
Portos
PortosPortos
Portos
 
Portos
PortosPortos
Portos
 
“INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - A...
“INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - A...“INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - A...
“INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - A...
 
Organização e Estrutura Portuária.ppt
Organização e Estrutura Portuária.pptOrganização e Estrutura Portuária.ppt
Organização e Estrutura Portuária.ppt
 
Ponência: Logística e Território no Brasil – os complexos portuários do Norte...
Ponência: Logística e Território no Brasil – os complexos portuários do Norte...Ponência: Logística e Território no Brasil – os complexos portuários do Norte...
Ponência: Logística e Território no Brasil – os complexos portuários do Norte...
 
ESTRATÉGIA PARA O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE PORTUÁRIA - Horizonte 2016-2026
ESTRATÉGIA PARA O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE PORTUÁRIA - Horizonte 2016-2026ESTRATÉGIA PARA O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE PORTUÁRIA - Horizonte 2016-2026
ESTRATÉGIA PARA O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE PORTUÁRIA - Horizonte 2016-2026
 
Investimentos portuarios-brasil-bahia
Investimentos portuarios-brasil-bahiaInvestimentos portuarios-brasil-bahia
Investimentos portuarios-brasil-bahia
 
Apresentação Setur Agenda Bahia
Apresentação Setur Agenda BahiaApresentação Setur Agenda Bahia
Apresentação Setur Agenda Bahia
 
DIREITO ADMINISTRATIVO MODulo 4 logistica
DIREITO ADMINISTRATIVO MODulo 4 logisticaDIREITO ADMINISTRATIVO MODulo 4 logistica
DIREITO ADMINISTRATIVO MODulo 4 logistica
 
Revista APS N.º 74 - Abril 2018
Revista APS N.º 74 - Abril 2018Revista APS N.º 74 - Abril 2018
Revista APS N.º 74 - Abril 2018
 
2º Encontro Nacional de Grupos de Acção Costeira (Aveiro) GAC Região de Aveiro
2º Encontro Nacional de Grupos de Acção Costeira (Aveiro) GAC Região de Aveiro2º Encontro Nacional de Grupos de Acção Costeira (Aveiro) GAC Região de Aveiro
2º Encontro Nacional de Grupos de Acção Costeira (Aveiro) GAC Região de Aveiro
 
Bndes dimensionamento do potencial de investimento para o setor portuário p
Bndes dimensionamento do potencial de investimento para o setor portuário pBndes dimensionamento do potencial de investimento para o setor portuário p
Bndes dimensionamento do potencial de investimento para o setor portuário p
 
Porto 24 Horas
Porto 24 HorasPorto 24 Horas
Porto 24 Horas
 
N á u t i c a d e r e c r e i o e m p o r t u g a l
N á u t i c a d e  r e c r e i o e m  p o r t u g a l N á u t i c a d e  r e c r e i o e m  p o r t u g a l
N á u t i c a d e r e c r e i o e m p o r t u g a l
 
13 alternativas de_financiamento_bndes
13 alternativas de_financiamento_bndes13 alternativas de_financiamento_bndes
13 alternativas de_financiamento_bndes
 
Artigo 19 é importante pensar a fileira do turismo - algumas sugestões
Artigo 19   é importante pensar a fileira do turismo - algumas sugestõesArtigo 19   é importante pensar a fileira do turismo - algumas sugestões
Artigo 19 é importante pensar a fileira do turismo - algumas sugestões
 

Mais de Aristides Faria

Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. II)
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. II)Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. II)
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. II)
Aristides Faria
 
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. I).pptx
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. I).pptxObservatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. I).pptx
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. I).pptx
Aristides Faria
 
Síntese da Lei n° 10.973, de 2 de dezembro de 2004​
Síntese da Lei n° 10.973, de 2 de dezembro de 2004​Síntese da Lei n° 10.973, de 2 de dezembro de 2004​
Síntese da Lei n° 10.973, de 2 de dezembro de 2004​
Aristides Faria
 
Porto de Santos: desenvolvimento regional do turismo no litoral de Sao Paulo
Porto de Santos: desenvolvimento regional do turismo no litoral de Sao PauloPorto de Santos: desenvolvimento regional do turismo no litoral de Sao Paulo
Porto de Santos: desenvolvimento regional do turismo no litoral de Sao Paulo
Aristides Faria
 
Apresentacao de trabalho no EPTEN 2021
Apresentacao de trabalho no EPTEN 2021Apresentacao de trabalho no EPTEN 2021
Apresentacao de trabalho no EPTEN 2021
Aristides Faria
 
SEMEI IFRR: Oficina Turismo e Inovação
SEMEI IFRR: Oficina Turismo e InovaçãoSEMEI IFRR: Oficina Turismo e Inovação
SEMEI IFRR: Oficina Turismo e Inovação
Aristides Faria
 
Apresentação sobre o projeto SIGESTur na SEMATUR IFSP CBT 2021
Apresentação sobre o projeto SIGESTur na SEMATUR IFSP CBT 2021Apresentação sobre o projeto SIGESTur na SEMATUR IFSP CBT 2021
Apresentação sobre o projeto SIGESTur na SEMATUR IFSP CBT 2021
Aristides Faria
 
WorkIF 2021 - IFMT - SIGESTur - Aristides Faria
WorkIF 2021 - IFMT - SIGESTur - Aristides FariaWorkIF 2021 - IFMT - SIGESTur - Aristides Faria
WorkIF 2021 - IFMT - SIGESTur - Aristides Faria
Aristides Faria
 
IFSP.CBT | Meios de Hospedagem (aula 08.04.2021)
IFSP.CBT | Meios de Hospedagem (aula 08.04.2021)IFSP.CBT | Meios de Hospedagem (aula 08.04.2021)
IFSP.CBT | Meios de Hospedagem (aula 08.04.2021)
Aristides Faria
 
IFSP.CBT | Pesquisa em Turismo (aula 06.04.2021)
IFSP.CBT | Pesquisa em Turismo (aula 06.04.2021)IFSP.CBT | Pesquisa em Turismo (aula 06.04.2021)
IFSP.CBT | Pesquisa em Turismo (aula 06.04.2021)
Aristides Faria
 
Associativismo, cooperacao e hospitalidade
Associativismo, cooperacao e hospitalidadeAssociativismo, cooperacao e hospitalidade
Associativismo, cooperacao e hospitalidade
Aristides Faria
 
Mercado imobiliário: Praia Grande, São Paulo (AirDNA: 02/2019)
Mercado imobiliário: Praia Grande, São Paulo (AirDNA: 02/2019)Mercado imobiliário: Praia Grande, São Paulo (AirDNA: 02/2019)
Mercado imobiliário: Praia Grande, São Paulo (AirDNA: 02/2019)
Aristides Faria
 
Tendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneos
Tendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneosTendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneos
Tendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneos
Aristides Faria
 
Marketing & Turismo: estudo de caso sobre o potencial mercadológico do municí...
Marketing & Turismo: estudo de caso sobre o potencial mercadológico do municí...Marketing & Turismo: estudo de caso sobre o potencial mercadológico do municí...
Marketing & Turismo: estudo de caso sobre o potencial mercadológico do municí...
Aristides Faria
 
Tendências recentes e perspectivas futuras do turismo no Polo Costa dos Coque...
Tendências recentes e perspectivas futuras do turismo no Polo Costa dos Coque...Tendências recentes e perspectivas futuras do turismo no Polo Costa dos Coque...
Tendências recentes e perspectivas futuras do turismo no Polo Costa dos Coque...
Aristides Faria
 
Seminário: Annals of Tourism Research
Seminário: Annals of Tourism ResearchSeminário: Annals of Tourism Research
Seminário: Annals of Tourism Research
Aristides Faria
 
Mobilização, Participação e Controle Social (III CGPOP Unifesp)
Mobilização, Participação e Controle Social (III CGPOP Unifesp)Mobilização, Participação e Controle Social (III CGPOP Unifesp)
Mobilização, Participação e Controle Social (III CGPOP Unifesp)
Aristides Faria
 
Apresentação no V FCGTurH (Univali) 2017
Apresentação no V FCGTurH (Univali) 2017Apresentação no V FCGTurH (Univali) 2017
Apresentação no V FCGTurH (Univali) 2017
Aristides Faria
 
Formação Superior em Turismo & Hospitalidade: um fator de competitividade de ...
Formação Superior em Turismo & Hospitalidade: um fator de competitividade de ...Formação Superior em Turismo & Hospitalidade: um fator de competitividade de ...
Formação Superior em Turismo & Hospitalidade: um fator de competitividade de ...
Aristides Faria
 
Projeto de pesquisa (Doutorado em Hospitalidade)
Projeto de pesquisa (Doutorado em Hospitalidade)Projeto de pesquisa (Doutorado em Hospitalidade)
Projeto de pesquisa (Doutorado em Hospitalidade)
Aristides Faria
 

Mais de Aristides Faria (20)

Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. II)
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. II)Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. II)
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. II)
 
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. I).pptx
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. I).pptxObservatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. I).pptx
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. I).pptx
 
Síntese da Lei n° 10.973, de 2 de dezembro de 2004​
Síntese da Lei n° 10.973, de 2 de dezembro de 2004​Síntese da Lei n° 10.973, de 2 de dezembro de 2004​
Síntese da Lei n° 10.973, de 2 de dezembro de 2004​
 
Porto de Santos: desenvolvimento regional do turismo no litoral de Sao Paulo
Porto de Santos: desenvolvimento regional do turismo no litoral de Sao PauloPorto de Santos: desenvolvimento regional do turismo no litoral de Sao Paulo
Porto de Santos: desenvolvimento regional do turismo no litoral de Sao Paulo
 
Apresentacao de trabalho no EPTEN 2021
Apresentacao de trabalho no EPTEN 2021Apresentacao de trabalho no EPTEN 2021
Apresentacao de trabalho no EPTEN 2021
 
SEMEI IFRR: Oficina Turismo e Inovação
SEMEI IFRR: Oficina Turismo e InovaçãoSEMEI IFRR: Oficina Turismo e Inovação
SEMEI IFRR: Oficina Turismo e Inovação
 
Apresentação sobre o projeto SIGESTur na SEMATUR IFSP CBT 2021
Apresentação sobre o projeto SIGESTur na SEMATUR IFSP CBT 2021Apresentação sobre o projeto SIGESTur na SEMATUR IFSP CBT 2021
Apresentação sobre o projeto SIGESTur na SEMATUR IFSP CBT 2021
 
WorkIF 2021 - IFMT - SIGESTur - Aristides Faria
WorkIF 2021 - IFMT - SIGESTur - Aristides FariaWorkIF 2021 - IFMT - SIGESTur - Aristides Faria
WorkIF 2021 - IFMT - SIGESTur - Aristides Faria
 
IFSP.CBT | Meios de Hospedagem (aula 08.04.2021)
IFSP.CBT | Meios de Hospedagem (aula 08.04.2021)IFSP.CBT | Meios de Hospedagem (aula 08.04.2021)
IFSP.CBT | Meios de Hospedagem (aula 08.04.2021)
 
IFSP.CBT | Pesquisa em Turismo (aula 06.04.2021)
IFSP.CBT | Pesquisa em Turismo (aula 06.04.2021)IFSP.CBT | Pesquisa em Turismo (aula 06.04.2021)
IFSP.CBT | Pesquisa em Turismo (aula 06.04.2021)
 
Associativismo, cooperacao e hospitalidade
Associativismo, cooperacao e hospitalidadeAssociativismo, cooperacao e hospitalidade
Associativismo, cooperacao e hospitalidade
 
Mercado imobiliário: Praia Grande, São Paulo (AirDNA: 02/2019)
Mercado imobiliário: Praia Grande, São Paulo (AirDNA: 02/2019)Mercado imobiliário: Praia Grande, São Paulo (AirDNA: 02/2019)
Mercado imobiliário: Praia Grande, São Paulo (AirDNA: 02/2019)
 
Tendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneos
Tendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneosTendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneos
Tendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneos
 
Marketing & Turismo: estudo de caso sobre o potencial mercadológico do municí...
Marketing & Turismo: estudo de caso sobre o potencial mercadológico do municí...Marketing & Turismo: estudo de caso sobre o potencial mercadológico do municí...
Marketing & Turismo: estudo de caso sobre o potencial mercadológico do municí...
 
Tendências recentes e perspectivas futuras do turismo no Polo Costa dos Coque...
Tendências recentes e perspectivas futuras do turismo no Polo Costa dos Coque...Tendências recentes e perspectivas futuras do turismo no Polo Costa dos Coque...
Tendências recentes e perspectivas futuras do turismo no Polo Costa dos Coque...
 
Seminário: Annals of Tourism Research
Seminário: Annals of Tourism ResearchSeminário: Annals of Tourism Research
Seminário: Annals of Tourism Research
 
Mobilização, Participação e Controle Social (III CGPOP Unifesp)
Mobilização, Participação e Controle Social (III CGPOP Unifesp)Mobilização, Participação e Controle Social (III CGPOP Unifesp)
Mobilização, Participação e Controle Social (III CGPOP Unifesp)
 
Apresentação no V FCGTurH (Univali) 2017
Apresentação no V FCGTurH (Univali) 2017Apresentação no V FCGTurH (Univali) 2017
Apresentação no V FCGTurH (Univali) 2017
 
Formação Superior em Turismo & Hospitalidade: um fator de competitividade de ...
Formação Superior em Turismo & Hospitalidade: um fator de competitividade de ...Formação Superior em Turismo & Hospitalidade: um fator de competitividade de ...
Formação Superior em Turismo & Hospitalidade: um fator de competitividade de ...
 
Projeto de pesquisa (Doutorado em Hospitalidade)
Projeto de pesquisa (Doutorado em Hospitalidade)Projeto de pesquisa (Doutorado em Hospitalidade)
Projeto de pesquisa (Doutorado em Hospitalidade)
 

Último

Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
Manuais Formação
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Luzia Gabriele
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
SheylaAlves6
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Falcão Brasil
 
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdfSistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Falcão Brasil
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 

Último (20)

Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdfSistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 

Turismo e logística portuária (SANTOS, SP)

  • 1. Turismo & Logística portuária Conceitos | Convergências | Panorama Aristides Faria Lopes dos Santos Santos (SP) | 04.11.2014
  • 2. Compartilhar experiências acadêmicas e propor reflexões e práticas interdisciplinares na formação de profissionais do turismo e áreas relacionadas em Santos e região. OBJETIVO
  • 3. Roteiro • Apresentação pessoal – Formação acadêmica – Experiência profissional • Convergências – Extensão universitária – Produção científica (Alegra Centro) • Marco conceitual – Logística – Política Nacional de Turismo – Segmentação – Lei Geral dos Portos – PDZ do Porto de Santos • Dados e fatos – Impactos econômicos – Estamos preparados? • Considerações finais
  • 4. Apresentação pessoal • Formação acadêmica – Bacharel em Turismo (Unisul, 2002) – Especialista em Gestão de RH (UFSC, 2003) – MBA em Gestão de Projetos (Unisantos, 2013) – Mestrado em Hospitalidade (UAM, 2013-2015) • Experiência profissional – Consultor e Palestrante da [RH em Hospitalidade] – Coord. de Turismo & Eventos, SETUR-PG – Assessor de Eventos & Novos Negócios, SRC&VB Convergências...
  • 7. Convergências • Vinculação institucional: Programa de Mestrado em Hospitalidade da Universidade Anhembi Morumbi • Cronograma de pesquisa: – Criação do Programa Alegra Centro: 2003 – Revisão do Programa (início): 2013 – Pesquisa bibliográfica: 2° semestre de 2013 – Pesquisa documental: 1° semestre de 2014 – Elaboração do artigo: 1° semestre de 2014 • Publicações sobre o tema (2014): – V Congresso Latino-americano de Investigação Turística (Argentina) – Congresso Internacional de Investigação em Turismo (Colômbia) – XI Seminário da Anptur (Brasil)
  • 9. Marco conceitual: Logística • O Técnico em Logística executa e colabora na gestão dos processos de planejamento, operação e controle de: – programação da produção de bens e serviços; – programação de manutenção de máquinas e de equipamentos; – compras, recebimento, armazenamento, estoque, movimentação, expedição, transporte e distribuição de materiais e produtos; • Presta atendimento aos clientes; • Implementa os procedimentos de controle de custos, qualidade, segurança e higiene do trabalho no sistema logístico.
  • 10. Marco conceitual: Política Nacional de Turismo (Lei n° 11.771/2008) Artigo 21° Consideram-se prestadores de serviços turísticos, para os fins desta Lei, as sociedades empresárias, sociedades simples, os empresários individuais e os serviços sociais autônomos que prestem serviços turísticos remunerados e que exerçam as seguintes atividades econômicas relacionadas à cadeia produtiva do turismo: I. meios de hospedagem; II. agências de turismo; III. transportadoras turísticas; IV. organizadoras de eventos; V. parques temáticos; e VI. acampamentos turístico Parágrafo único. Poderão ser cadastradas no Ministério do Turismo, atendidas as condições próprias, as sociedades empresárias que prestem os seguintes serviços: IV. marinas e empreendimentos de apoio ao turismo náutico ou à pesca desportiva.
  • 11. Marco conceitual: Turismo Náutico • Turismo Náutico caracteriza-se pela utilização de embarcações náuticas como finalidade da movimentação turística (MTur). • Área de Navegação: – Navegação em águas interiores: realizada em águas consideradas abrigadas, podendo ser subdivididas em duas áreas: • Área 1: áreas abrigadas, tais como lagos, lagoas, baías, rios e canais, que normalmente não apresentam dificuldades ao tráfego das embarcações; • Área 2: áreas parcialmente abrigadas, onde eventualmente sejam observadas combinações adversas de agentes ambientais tais como vento, correnteza ou maré, que dificultem o tráfego das embarcações – Navegação em mar aberto: realizada em águas marítimas consideradas desabrigadas que podem ser subdividas em: • Águas costeiras: área localizada dentro dos limites de visibilidade da costa até a distancia de 20 milhas • Águas oceânicas: área localizada além das 20 milhas da costa.
  • 12. Marco conceitual: Le Geral dos Portos (Lei n° 12.815/2013) Artigo 2° VII - instalação portuária de turismo: instalação portuária explorada mediante arrendamento ou autorização e utilizada em embarque, desembarque e trânsito de passageiros, tripulantes e bagagens, e de insumos para o provimento e abastecimento de embarcações de turismo. Art. 20° Será instituído em cada porto organizado um Conselho de Autoridade Portuária (CAP), órgão consultivo da administração do porto. § 3o A distribuição das vagas no conselho a que alude o caput observará a seguinte proporção: I. 50%de representantes do poder público; II. 25% de representantes da classe empresarial; e III. 25% de representantes da classe trabalhadora.
  • 13. Plano de Zoneamento do Porto de Santos 5.10 Desenvolvimento Humano e Qualidade de Vida 5.10.3 Ecoturismo –Elaborar roteiro da região portuária a partir dos pontos e atividades de maior interesse ecológico e turístico; –Integrar o Porto aos roteiros turísticos municipais; –Valorizar o patrimônio histórico e natural da região portuária através do ecoturismo; –Mesclar atividades turísticas às portuárias; –Trabalhar o roteiro turístico como público alvo os passageiros de Cruzeiros atracados no Porto.
  • 14. Plano de Zoneamento do Porto de Santos 15. Revitalização 15.1 Conceito de revitalização portuária Um projeto de revitalização, deve ter como oportunidades a beleza e o valor histórico do local, considerando ainda a recuperação do ambiente, o empreendimento para a região e o conhecimento tecnológico, e deve também possibilitar alianças e acordos, que visem: –Gerar oportunidade de uso de parte da área do porto para uso misto portuário-urbano –Fomentar a recuperação da atividade comercial da região –Reconversão de área –Fortalecimento da relação porto-cidade –Criação de pólo de turismo e de áreas de desenvolvimento social –Contribuição para a preservação da memória histórica –Reabilitação e valorização econômica –Inclusão de Santos em roteiros turísticos nacionais
  • 16. Porto de Santos • Histórico – 20 de julho de 1888: contrato de concessão para construção do porto – 2 de fevereiro de 1892: atracação do navio inglês Nasmith, inaugurando os primeiros 260 metros de cais • Nessa fase foram substituídos os trapiches e pontes que existiam no Valongo – 7 de novembro de 1980: a Companhia Docas do Estado de São Paulo assumiu a administração do porto • Números – Cais acostável: 11.042 metros de extensão – Armazenagem: • 45 armazéns internos, sendo 34 na margem direita e 11 na margem esquerda • 39 armazéns externos • Área total: 516.761 m² • 33 pátios de estocagem (internos e externos), somando 124.049 m² • Tancagem (foto) de granéis líquidos: Ilha do Barnabé: 282 tanques
  • 17. Porto de Santos: Benedito Calixto Praia do Consulado, Porto de Santos de 1882 Porto de Santos de 1890
  • 18. Cruzeiros marítimos: impactos • Diferentemente da temporada 2010/2011, constatou-se considerável queda do fluxo de cruzeiros marítimos na costa brasileira, com a redução da oferta de leitos nos navios e de rotas por parte das armadoras. Na temporada 2013/2014, foram contabilizados 596.532 cruzeiristas, que geraram significativos impactos econômicos no país. A seguir, alguns entraves para o desenvolvimento do setor: • Taxas operacionais – As taxas operacionais praticadas pelos portos brasileiros encarecem o preço final do cruzeiro, principalmente quando se compara com outros mercados internacionais de cruzeiros, como os ofertados no Caribe, onde as taxas e impostos são mais baixos e, portanto, os preços repassados aos turistas são inferiores. Exemplos: taxas de pernoite, praticagem, embarque e desembarque. • Infraestrutura dos portos brasileiros – O sistema portuário necessita de intervenções e investimentos públicos e privados, especialmente nos terminais de passageiros, estrutura para atracação e serviços gerais. • Agentes envolvidos na operação – A existência de diferentes stakeholders na operação, com suas respectivas competências e atribuições tornam o processo mais custoso, lento e burocrático.
  • 20. Agentes envolvidos na operação • Ministério do Turismo (MTur): organização das escalas dos transatlânticos, programas de qualificação nas regiões portuárias e avaliação das rotas dos cruzeiros • Conselho Nacional de Turismo (CNTur): Assessorar o Ministério do Turismo na formulação de planos, programas e projetos relacionados a cruzeiros marítimos • Ministério do Trabalho e Emprego (MTE): Legislação dos funcionários • Polícia Federal: Responsável pela emissão de passaporte e controle dos postos de fronteira • Receita Federal: Controle e fiscalização da arrecadação de impostos • Conselho Nacional de Imigração: Coordenar e orientar as atividades de imigração • Capitania dos Portos: Administração de todas as atividades marítimas e operações portuárias da região • Guarda Portuária: Atendimento de ocorrências e fiscalização da faixa portuária, verificando e caracterizando os fatos que contrariem as normas da Cia. Docas e a legislação penal em vigor • Secretaria Nacional dos Portos: Apoio ao desenvolvimento da infraestrutura portuária, com investimentos orçamentários e do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) • ANVISA: Controle sanitário de produção e comercialização dos produtos
  • 21. Impacto econômico • Riqueza gerada a partir do mercado de cruzeiros marítimos (2013/2014): R$ 1,15 bilhão • Armadores: aproximadamente R$ 693 milhões (60%) – R$ 510 milhões são “impactos diretos”; R$ 183 milhões são “impactos indiretos” • Combustíveis: maior gerador de impacto econômico, que totalizou aproximadamente R$ 232 milhões de impactos direto e indireto • Taxas portuárias mais Impostos: somaram R$ 169 milhões de impacto direto • Alimentos & Bebidas: R$ 117 milhões de impactos direto e indireto • Comissões: R$ 90 milhões de impacto direto • Marketing, excursões e escritório: R$ 68 milhões • Água e lixo: R$ 18 milhões de impactos direto e indireto • Cruzeiristas e tripulantes: R$ 455 milhões (40%) – Alimentação, suvenir, excursão, roupa, transporte, entre outros.
  • 25. Referências AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS. Porto de Santos. Disponível em < http://www.antaq.gov.br/Portal/pdf/Portos/2012/Santos.pdf >. Acesso em 2 de dezembro de 2014. BRASIL. Lei Geral dos Portos. Disponível em < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2013/Lei/L12815.htm >. Acesso em 02 de dezembro de 2014. BRASIL. Política Nacional de Turismo. Disponível em < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11771.htm >. Acesso em 02 de dezembro de 2014. CLIA ABREMAR; FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS. Cruzeiros Marítimos: estudo do perfil e impactos econômicos no Brasil. Disponível em < http://www.abremar.com.br/down/fgv2014.pdf >. Acesso em 02 de dezembro de 2014. COMPANHIA DOCAS DE SANTOS. Plano de Desenvolvimento e Zoneamento do Porto de Santos: Disponível em < http://www.portodesantos.com.br/pdz.php >. Acesso em 02 de dezembro de 2014. ENCICLOPÉDIA ITAÚ CULTURAL. Benedito Calixto. Disponível em < http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa8777/benedito-calixto >. Acesso em 02 de dezembro de 2014. FASSINA. Motorista de carro sobrevive após colidir com trem. Disponível em < http://www.fassina.com.br/noticias/noticia.aspx?codnoticia=759 >. Acesso em 2 de dezembro de 2014. FOLHA DE SÃO PAULO. PM inaugura "radiopatrulhamento hidroviário" na Baixada Santista. Disponível em < http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u49056.shtml >. Acesso em 2 de dezembro de 2014. G1. Incêndio atinge armazém de açúcar no Porto de Santos, n litoral de SP. Disponível em < http://g1.globo.com/sp/santos-regiao/ noticia/2014/08/incendio-atinge-armazem-de-acucar-em-porto-de-santos-no-litoral-de-sp.html >. Acesso em 2 de dezembro de 2014. JORNAL PORTUÁRIO. Homem morre ao ser esmagado por caminhão no Porto de Santos. Disponível em < http://www.jornalportuario.com.br/ultima-noticia/homem-morre-ao-ser-esmagado-por-caminhao-no-porto-de-santos#.VIBz19LF_ng >. Acesso em 2 de dezembro de 2014. UOL Cotidiano. Ações de "piratas" assusta praticantes de pesca esportiva em rios da Baixada Santista. Disponível em < http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2013/01/17/acao-de-piratas-assusta-praticantes-de-pesca-esportiva-em-rios-da-baixada-santista. htm >. Acesso em 2 de dezembro de 2014.