SlideShare uma empresa Scribd logo
O treinamento do
              goleiro de futebol base

                                                                                      Autor: Roberto Valeiro
                                                                                        Fotos: Shutterstock




                                      JUSTIFICAÇÃO DO
                                     NOSSO MODELO DE
108
                                       TREINAMENTO.                                                      109
      JULHO      Goleiro   © Artigo publicado em   www.futbol-tactico.com   Goleiro              JULHO
Até não faz muito tempo o treinamento do goleiro se reduzia a intermináveis rondas de disparos desde o
borde da área e centros desde os laterais. Tarefas com reduzida ou nula transferência ao jogo real.


No artigo que desenvolveremos a continuação tentaremos expor o porquê da estrutura do processo
de treinamento que proporemos para os goleiros de categorias inferiores.


Para poder levar a cabo a organização de dito processo, em primeiro lugar devemos
conhecer quais são as exigências as que a competição somete a nossos pupilos.
Para isso seguiremos o seguinte esquema (Sambade, J. 2006)


1. De elevada incerteza informacional.
Em competição, as decisões que toma o goleiro
estão condicionadas por muitos aspectos
(bola, companheiros, adversários, goleiro,
terreno de jogo...)


2. De caráter aberto e situacional.
A situação de jogo é cambiante e
se modifica a grande velocidade. A
decisão correta no segundo 1, pode não
sê-lo 2 segundos mais tarde.


3. De uma reduzida frequência de
participação.
Geralmente existe um período longo de pausa
entre intervenções. Segundo Vales e Sambade (2001), a
duração media dos esforços é de 0’5’’-1’’ e a racional pausa/
esforço é de 88’/2’.


4. Com elevada complexidade técnico coordenativa.
A grande maioria das ações do goleiro tem uma grande exigência a
nível coordenativo, incrementada pela velocidade a que geralmente
se realizam.


5. De importante transcendência no resultado.
Todos somos conscientes de que um erro do goleiro implica, na
maioria das ocasiões, o encaixar um gol. É o posto especifico que
mais carga de responsabilidade leva associada a cada uma de suas
ações.




110                                                                                                                                                 111
      JULHO                            Goleiro                                  © Artigo publicado em    www.futbol-tactico.com   Goleiro   JULHO
Do exposto até o momento podemos sacar as seguintes conclusões:


A. Se a duração media dos esforços é de 1’’ com um grande tempo de pausa até a seguinte intervenção,
como norma geral planejaremos tarefas de duração reduzida e com amplos períodos de recuperação.


B. Os exercícios de tipo analítico têm grande relevância para a aprendizagem e mecanização dos elementos
técnicos. A partir de ai, deverão plantear-se tarefas mistas ou globais com uma grande exigência a nível
técnico-coordenativo e perceptivo-decisório, que facilitarão a aplicação destes elementos técnicos ao
jogo real. Tentaremos que nossos pupilos entendam o jogo. Deste modo poderão antecipar respostas e
suas decisões serão mais rápidas e acordes a situação de jogo a solucionar.

C. As tarefas propostas deverão estar adaptadas ao nível e estado evolutivo dos executantes. Não por
levar a cabo uma tarefa mais complicada vou a ter um melhor e mais rápido resultado.


                          ESTIMULO + MADURAÇÃO = APRENDIZAGEM


D. O goleiro deve saber conviver com a pressão e a responsabilidade que seu posto implica. Pouco a
pouco devemos fazer conscientes a nossos jovens goleiros da grande relevância de cara ao resultado
que têm suas ações e decisões. Estas não deverão estar mediatizadas pelo medo a falhar, mas sim pela
responsabilidade. Conforme nossos pupilos vão recorrendo etapas evolutivas, deveremos incrementar a
exigência neste ponto.


112                                                                                                                                                113
      JULHO                            Goleiro                                   © Artigo publicdado em www.futbol-tactico.com   Goleiro   JULHO

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Meios de ensino treino do jogo de futebol
Meios de ensino treino do jogo de futebolMeios de ensino treino do jogo de futebol
Meios de ensino treino do jogo de futebol
moko25
 
TREINAMENTO EM CAMPO REDUZIDO PODE COMPROMETER O DESEMPENHO? ENTENDA ESTE PON...
TREINAMENTO EM CAMPO REDUZIDO PODE COMPROMETER O DESEMPENHO? ENTENDA ESTE PON...TREINAMENTO EM CAMPO REDUZIDO PODE COMPROMETER O DESEMPENHO? ENTENDA ESTE PON...
TREINAMENTO EM CAMPO REDUZIDO PODE COMPROMETER O DESEMPENHO? ENTENDA ESTE PON...
Fernando Farias
 
Modelo de Jogo
Modelo de Jogo  Modelo de Jogo
Modelo de Jogo
Claudio Roberto
 
Práticas de jogo de prioridade tática defensiva II. Tática defensiva grupal 3.
Práticas de jogo de prioridade tática defensiva II. Tática defensiva grupal 3. Práticas de jogo de prioridade tática defensiva II. Tática defensiva grupal 3.
Práticas de jogo de prioridade tática defensiva II. Tática defensiva grupal 3.
Futbol Tactico Brasil
 
“A congruência entre a filosofia, o treino e a realidade no Jogo de Futebol” ...
“A congruência entre a filosofia, o treino e a realidade no Jogo de Futebol” ...“A congruência entre a filosofia, o treino e a realidade no Jogo de Futebol” ...
“A congruência entre a filosofia, o treino e a realidade no Jogo de Futebol” ...
António Martins Silva
 
Alfabetização Tática do jovem futebolista
Alfabetização Tática do jovem futebolistaAlfabetização Tática do jovem futebolista
Alfabetização Tática do jovem futebolista
Paulo Sousa
 
Velocidade Coletiva no Futebol
Velocidade Coletiva no FutebolVelocidade Coletiva no Futebol
Velocidade Coletiva no Futebol
Fundação Real Madrid
 
Métodos de Treino
Métodos de TreinoMétodos de Treino
Métodos de Treino
Fundação Real Madrid
 
Reunião de Preparação para o Jogo
Reunião de Preparação para o JogoReunião de Preparação para o Jogo
Reunião de Preparação para o Jogo
Fundação Real Madrid
 
A Organização Dinâmica do Jogo de Futebol
A Organização Dinâmica do Jogo de FutebolA Organização Dinâmica do Jogo de Futebol
A Organização Dinâmica do Jogo de Futebol
Fundação Real Madrid
 
Treino de jovens
Treino de jovensTreino de jovens
Treino de jovens
Rita Moreira
 
Programação, Periodização e Planificação do Treino de Futebol
Programação, Periodização e Planificação do Treino de FutebolProgramação, Periodização e Planificação do Treino de Futebol
Programação, Periodização e Planificação do Treino de Futebol
Fundação Real Madrid
 
Programação, Periodização e Planificação do Treino de Futebol
Programação, Periodização e Planificação do Treino de FutebolProgramação, Periodização e Planificação do Treino de Futebol
Programação, Periodização e Planificação do Treino de Futebol
Fundação Real Madrid
 
Modelo de Jogo
Modelo de JogoModelo de Jogo
Modelo de Jogo
Leandro Zago
 
CAMPO REDUZIDO NO FUTEBOL
CAMPO REDUZIDO NO FUTEBOLCAMPO REDUZIDO NO FUTEBOL
CAMPO REDUZIDO NO FUTEBOL
LUCIANO SOUSA FISIOLOGISTA
 
Trabalho de Treino das Capacidades Motora e Técnico Tácticas - Passe na manut...
Trabalho de Treino das Capacidades Motora e Técnico Tácticas - Passe na manut...Trabalho de Treino das Capacidades Motora e Técnico Tácticas - Passe na manut...
Trabalho de Treino das Capacidades Motora e Técnico Tácticas - Passe na manut...
Rui Horta
 
Metodologia de Trabalho - José Mourinho
Metodologia de Trabalho - José MourinhoMetodologia de Trabalho - José Mourinho
Metodologia de Trabalho - José Mourinho
Leandro Zago
 
Programação e Periodização do Treino em Futebol
Programação e Periodização do Treino em FutebolProgramação e Periodização do Treino em Futebol
Programação e Periodização do Treino em Futebol
Fundação Real Madrid
 
Colocação de função táctica do guarda-redes (defesa do espaço)
Colocação de função táctica do guarda-redes (defesa do espaço)Colocação de função táctica do guarda-redes (defesa do espaço)
Colocação de função táctica do guarda-redes (defesa do espaço)
Pedro Ferrer
 
Periodização - Prolongamento do estado de forma
Periodização - Prolongamento do estado de formaPeriodização - Prolongamento do estado de forma
Periodização - Prolongamento do estado de forma
Fundação Real Madrid
 

Mais procurados (20)

Meios de ensino treino do jogo de futebol
Meios de ensino treino do jogo de futebolMeios de ensino treino do jogo de futebol
Meios de ensino treino do jogo de futebol
 
TREINAMENTO EM CAMPO REDUZIDO PODE COMPROMETER O DESEMPENHO? ENTENDA ESTE PON...
TREINAMENTO EM CAMPO REDUZIDO PODE COMPROMETER O DESEMPENHO? ENTENDA ESTE PON...TREINAMENTO EM CAMPO REDUZIDO PODE COMPROMETER O DESEMPENHO? ENTENDA ESTE PON...
TREINAMENTO EM CAMPO REDUZIDO PODE COMPROMETER O DESEMPENHO? ENTENDA ESTE PON...
 
Modelo de Jogo
Modelo de Jogo  Modelo de Jogo
Modelo de Jogo
 
Práticas de jogo de prioridade tática defensiva II. Tática defensiva grupal 3.
Práticas de jogo de prioridade tática defensiva II. Tática defensiva grupal 3. Práticas de jogo de prioridade tática defensiva II. Tática defensiva grupal 3.
Práticas de jogo de prioridade tática defensiva II. Tática defensiva grupal 3.
 
“A congruência entre a filosofia, o treino e a realidade no Jogo de Futebol” ...
“A congruência entre a filosofia, o treino e a realidade no Jogo de Futebol” ...“A congruência entre a filosofia, o treino e a realidade no Jogo de Futebol” ...
“A congruência entre a filosofia, o treino e a realidade no Jogo de Futebol” ...
 
Alfabetização Tática do jovem futebolista
Alfabetização Tática do jovem futebolistaAlfabetização Tática do jovem futebolista
Alfabetização Tática do jovem futebolista
 
Velocidade Coletiva no Futebol
Velocidade Coletiva no FutebolVelocidade Coletiva no Futebol
Velocidade Coletiva no Futebol
 
Métodos de Treino
Métodos de TreinoMétodos de Treino
Métodos de Treino
 
Reunião de Preparação para o Jogo
Reunião de Preparação para o JogoReunião de Preparação para o Jogo
Reunião de Preparação para o Jogo
 
A Organização Dinâmica do Jogo de Futebol
A Organização Dinâmica do Jogo de FutebolA Organização Dinâmica do Jogo de Futebol
A Organização Dinâmica do Jogo de Futebol
 
Treino de jovens
Treino de jovensTreino de jovens
Treino de jovens
 
Programação, Periodização e Planificação do Treino de Futebol
Programação, Periodização e Planificação do Treino de FutebolProgramação, Periodização e Planificação do Treino de Futebol
Programação, Periodização e Planificação do Treino de Futebol
 
Programação, Periodização e Planificação do Treino de Futebol
Programação, Periodização e Planificação do Treino de FutebolProgramação, Periodização e Planificação do Treino de Futebol
Programação, Periodização e Planificação do Treino de Futebol
 
Modelo de Jogo
Modelo de JogoModelo de Jogo
Modelo de Jogo
 
CAMPO REDUZIDO NO FUTEBOL
CAMPO REDUZIDO NO FUTEBOLCAMPO REDUZIDO NO FUTEBOL
CAMPO REDUZIDO NO FUTEBOL
 
Trabalho de Treino das Capacidades Motora e Técnico Tácticas - Passe na manut...
Trabalho de Treino das Capacidades Motora e Técnico Tácticas - Passe na manut...Trabalho de Treino das Capacidades Motora e Técnico Tácticas - Passe na manut...
Trabalho de Treino das Capacidades Motora e Técnico Tácticas - Passe na manut...
 
Metodologia de Trabalho - José Mourinho
Metodologia de Trabalho - José MourinhoMetodologia de Trabalho - José Mourinho
Metodologia de Trabalho - José Mourinho
 
Programação e Periodização do Treino em Futebol
Programação e Periodização do Treino em FutebolProgramação e Periodização do Treino em Futebol
Programação e Periodização do Treino em Futebol
 
Colocação de função táctica do guarda-redes (defesa do espaço)
Colocação de função táctica do guarda-redes (defesa do espaço)Colocação de função táctica do guarda-redes (defesa do espaço)
Colocação de função táctica do guarda-redes (defesa do espaço)
 
Periodização - Prolongamento do estado de forma
Periodização - Prolongamento do estado de formaPeriodização - Prolongamento do estado de forma
Periodização - Prolongamento do estado de forma
 

Destaque

Influência do nível competitivo e da posição tática sobre parâmetros de desem...
Influência do nível competitivo e da posição tática sobre parâmetros de desem...Influência do nível competitivo e da posição tática sobre parâmetros de desem...
Influência do nível competitivo e da posição tática sobre parâmetros de desem...
Fernando Farias
 
Aquecimento-Formação
Aquecimento-FormaçãoAquecimento-Formação
Aquecimento-Formação
Valter Nascimento
 
Treinamento especifico de goleiros seleção libya
Treinamento especifico de goleiros   seleção libyaTreinamento especifico de goleiros   seleção libya
Treinamento especifico de goleiros seleção libya
Jose Augusto Leal
 
Manual pdv 2011 ok
Manual pdv 2011 okManual pdv 2011 ok
Manual pdv 2011 ok
ednapoker
 
Treinos EspecíFicosprofessor Jober1
Treinos EspecíFicosprofessor Jober1Treinos EspecíFicosprofessor Jober1
Treinos EspecíFicosprofessor Jober1
guest099195c
 
Treinamento de Força
Treinamento de ForçaTreinamento de Força
Treinamento de Força
Fernando Farias
 
Adaptações musculares esqueléticas ao treinamento de força
Adaptações musculares esqueléticas ao treinamento de forçaAdaptações musculares esqueléticas ao treinamento de força
Adaptações musculares esqueléticas ao treinamento de força
Aline Villa Nova Bacurau
 
Conceitos básicos de treinamento
Conceitos básicos de treinamentoConceitos básicos de treinamento
Conceitos básicos de treinamento
washington carlos vieira
 
Prescrição em treinamento de força
Prescrição em treinamento de forçaPrescrição em treinamento de força
Prescrição em treinamento de força
Dom Fisiologia
 
Nutrição esportiva
Nutrição esportivaNutrição esportiva
Nutrição esportiva
washington carlos vieira
 
Treinamento de força
Treinamento de força Treinamento de força
Treinamento de força
Lucio Flavio Personal
 
O Guarda-Redes no Futebol - Sérgio Ferreira
O Guarda-Redes no Futebol - Sérgio FerreiraO Guarda-Redes no Futebol - Sérgio Ferreira
O Guarda-Redes no Futebol - Sérgio Ferreira
Fundação Real Madrid
 

Destaque (12)

Influência do nível competitivo e da posição tática sobre parâmetros de desem...
Influência do nível competitivo e da posição tática sobre parâmetros de desem...Influência do nível competitivo e da posição tática sobre parâmetros de desem...
Influência do nível competitivo e da posição tática sobre parâmetros de desem...
 
Aquecimento-Formação
Aquecimento-FormaçãoAquecimento-Formação
Aquecimento-Formação
 
Treinamento especifico de goleiros seleção libya
Treinamento especifico de goleiros   seleção libyaTreinamento especifico de goleiros   seleção libya
Treinamento especifico de goleiros seleção libya
 
Manual pdv 2011 ok
Manual pdv 2011 okManual pdv 2011 ok
Manual pdv 2011 ok
 
Treinos EspecíFicosprofessor Jober1
Treinos EspecíFicosprofessor Jober1Treinos EspecíFicosprofessor Jober1
Treinos EspecíFicosprofessor Jober1
 
Treinamento de Força
Treinamento de ForçaTreinamento de Força
Treinamento de Força
 
Adaptações musculares esqueléticas ao treinamento de força
Adaptações musculares esqueléticas ao treinamento de forçaAdaptações musculares esqueléticas ao treinamento de força
Adaptações musculares esqueléticas ao treinamento de força
 
Conceitos básicos de treinamento
Conceitos básicos de treinamentoConceitos básicos de treinamento
Conceitos básicos de treinamento
 
Prescrição em treinamento de força
Prescrição em treinamento de forçaPrescrição em treinamento de força
Prescrição em treinamento de força
 
Nutrição esportiva
Nutrição esportivaNutrição esportiva
Nutrição esportiva
 
Treinamento de força
Treinamento de força Treinamento de força
Treinamento de força
 
O Guarda-Redes no Futebol - Sérgio Ferreira
O Guarda-Redes no Futebol - Sérgio FerreiraO Guarda-Redes no Futebol - Sérgio Ferreira
O Guarda-Redes no Futebol - Sérgio Ferreira
 

Mais de Futbol Tactico Brasil

Tatica individual ofensiva 2
Tatica individual ofensiva 2Tatica individual ofensiva 2
Tatica individual ofensiva 2
Futbol Tactico Brasil
 
Praticas de jogo para a melhora da força de luta
Praticas de jogo para a melhora da força de lutaPraticas de jogo para a melhora da força de luta
Praticas de jogo para a melhora da força de luta
Futbol Tactico Brasil
 
Tarefas de treinamento_de_futsal_5_parte
Tarefas de treinamento_de_futsal_5_parteTarefas de treinamento_de_futsal_5_parte
Tarefas de treinamento_de_futsal_5_parte
Futbol Tactico Brasil
 
Treinamento da força explosiva e lateralidade do goleiro.
Treinamento da força explosiva e lateralidade do goleiro.Treinamento da força explosiva e lateralidade do goleiro.
Treinamento da força explosiva e lateralidade do goleiro.
Futbol Tactico Brasil
 
Iniciação ao sistema de jogo 2-2 no futsal
Iniciação ao sistema de jogo 2-2 no futsalIniciação ao sistema de jogo 2-2 no futsal
Iniciação ao sistema de jogo 2-2 no futsal
Futbol Tactico Brasil
 
Iniciação aos espaços livres no Futsal
Iniciação aos espaços livres no FutsalIniciação aos espaços livres no Futsal
Iniciação aos espaços livres no Futsal
Futbol Tactico Brasil
 
Tarefas para o trabalho de finalizações sobre ataque previsto.
Tarefas para o trabalho de finalizações sobre ataque previsto.Tarefas para o trabalho de finalizações sobre ataque previsto.
Tarefas para o trabalho de finalizações sobre ataque previsto.
Futbol Tactico Brasil
 
Microciclo Tático ofensivo.
Microciclo Tático ofensivo.Microciclo Tático ofensivo.
Microciclo Tático ofensivo.
Futbol Tactico Brasil
 
Práticas de jogo de prioridade tática defensiva III. Tática defensiva coletiv...
Práticas de jogo de prioridade tática defensiva III. Tática defensiva coletiv...Práticas de jogo de prioridade tática defensiva III. Tática defensiva coletiv...
Práticas de jogo de prioridade tática defensiva III. Tática defensiva coletiv...
Futbol Tactico Brasil
 
Iniciação ao pressing no futsal.
Iniciação ao pressing no futsal.Iniciação ao pressing no futsal.
Iniciação ao pressing no futsal.
Futbol Tactico Brasil
 
Tarefas jogadas para a melhora da finalização e sua defesa (2ª Parte)
Tarefas jogadas para a melhora da finalização e sua defesa (2ª Parte)Tarefas jogadas para a melhora da finalização e sua defesa (2ª Parte)
Tarefas jogadas para a melhora da finalização e sua defesa (2ª Parte)
Futbol Tactico Brasil
 
O sistema de jogo 1_4_2_2_2
O sistema de jogo 1_4_2_2_2O sistema de jogo 1_4_2_2_2
O sistema de jogo 1_4_2_2_2
Futbol Tactico Brasil
 
Iniciação ao sistema de jogo 2-2 no futsal
Iniciação ao sistema de jogo 2-2 no futsalIniciação ao sistema de jogo 2-2 no futsal
Iniciação ao sistema de jogo 2-2 no futsal
Futbol Tactico Brasil
 
Tarefas de treinamento de Futsal
Tarefas de treinamento de FutsalTarefas de treinamento de Futsal
Tarefas de treinamento de Futsal
Futbol Tactico Brasil
 
Reportagem: Copa Libertadores 2012: Corinthians, um campeão imbatível.
Reportagem: Copa Libertadores 2012: Corinthians, um campeão imbatível.Reportagem: Copa Libertadores 2012: Corinthians, um campeão imbatível.
Reportagem: Copa Libertadores 2012: Corinthians, um campeão imbatível.
Futbol Tactico Brasil
 
Como ganhar e conseguir o que te propões (2ª parte)
Como ganhar e conseguir o que te propões (2ª parte)Como ganhar e conseguir o que te propões (2ª parte)
Como ganhar e conseguir o que te propões (2ª parte)
Futbol Tactico Brasil
 
Exercício de igualdade e superioridade em Futsal
Exercício de igualdade e superioridade em FutsalExercício de igualdade e superioridade em Futsal
Exercício de igualdade e superioridade em Futsal
Futbol Tactico Brasil
 
64 tarefas para o trabalho da mobilidade em futsal
64 tarefas para o trabalho da mobilidade em futsal64 tarefas para o trabalho da mobilidade em futsal
64 tarefas para o trabalho da mobilidade em futsal
Futbol Tactico Brasil
 
Protocolo de recuperação da osteopatia dinâmica do púbis.
Protocolo de recuperação da osteopatia dinâmica do púbis.Protocolo de recuperação da osteopatia dinâmica do púbis.
Protocolo de recuperação da osteopatia dinâmica do púbis.
Futbol Tactico Brasil
 
Corinthians e Boca Juniors
Corinthians e Boca JuniorsCorinthians e Boca Juniors
Corinthians e Boca Juniors
Futbol Tactico Brasil
 

Mais de Futbol Tactico Brasil (20)

Tatica individual ofensiva 2
Tatica individual ofensiva 2Tatica individual ofensiva 2
Tatica individual ofensiva 2
 
Praticas de jogo para a melhora da força de luta
Praticas de jogo para a melhora da força de lutaPraticas de jogo para a melhora da força de luta
Praticas de jogo para a melhora da força de luta
 
Tarefas de treinamento_de_futsal_5_parte
Tarefas de treinamento_de_futsal_5_parteTarefas de treinamento_de_futsal_5_parte
Tarefas de treinamento_de_futsal_5_parte
 
Treinamento da força explosiva e lateralidade do goleiro.
Treinamento da força explosiva e lateralidade do goleiro.Treinamento da força explosiva e lateralidade do goleiro.
Treinamento da força explosiva e lateralidade do goleiro.
 
Iniciação ao sistema de jogo 2-2 no futsal
Iniciação ao sistema de jogo 2-2 no futsalIniciação ao sistema de jogo 2-2 no futsal
Iniciação ao sistema de jogo 2-2 no futsal
 
Iniciação aos espaços livres no Futsal
Iniciação aos espaços livres no FutsalIniciação aos espaços livres no Futsal
Iniciação aos espaços livres no Futsal
 
Tarefas para o trabalho de finalizações sobre ataque previsto.
Tarefas para o trabalho de finalizações sobre ataque previsto.Tarefas para o trabalho de finalizações sobre ataque previsto.
Tarefas para o trabalho de finalizações sobre ataque previsto.
 
Microciclo Tático ofensivo.
Microciclo Tático ofensivo.Microciclo Tático ofensivo.
Microciclo Tático ofensivo.
 
Práticas de jogo de prioridade tática defensiva III. Tática defensiva coletiv...
Práticas de jogo de prioridade tática defensiva III. Tática defensiva coletiv...Práticas de jogo de prioridade tática defensiva III. Tática defensiva coletiv...
Práticas de jogo de prioridade tática defensiva III. Tática defensiva coletiv...
 
Iniciação ao pressing no futsal.
Iniciação ao pressing no futsal.Iniciação ao pressing no futsal.
Iniciação ao pressing no futsal.
 
Tarefas jogadas para a melhora da finalização e sua defesa (2ª Parte)
Tarefas jogadas para a melhora da finalização e sua defesa (2ª Parte)Tarefas jogadas para a melhora da finalização e sua defesa (2ª Parte)
Tarefas jogadas para a melhora da finalização e sua defesa (2ª Parte)
 
O sistema de jogo 1_4_2_2_2
O sistema de jogo 1_4_2_2_2O sistema de jogo 1_4_2_2_2
O sistema de jogo 1_4_2_2_2
 
Iniciação ao sistema de jogo 2-2 no futsal
Iniciação ao sistema de jogo 2-2 no futsalIniciação ao sistema de jogo 2-2 no futsal
Iniciação ao sistema de jogo 2-2 no futsal
 
Tarefas de treinamento de Futsal
Tarefas de treinamento de FutsalTarefas de treinamento de Futsal
Tarefas de treinamento de Futsal
 
Reportagem: Copa Libertadores 2012: Corinthians, um campeão imbatível.
Reportagem: Copa Libertadores 2012: Corinthians, um campeão imbatível.Reportagem: Copa Libertadores 2012: Corinthians, um campeão imbatível.
Reportagem: Copa Libertadores 2012: Corinthians, um campeão imbatível.
 
Como ganhar e conseguir o que te propões (2ª parte)
Como ganhar e conseguir o que te propões (2ª parte)Como ganhar e conseguir o que te propões (2ª parte)
Como ganhar e conseguir o que te propões (2ª parte)
 
Exercício de igualdade e superioridade em Futsal
Exercício de igualdade e superioridade em FutsalExercício de igualdade e superioridade em Futsal
Exercício de igualdade e superioridade em Futsal
 
64 tarefas para o trabalho da mobilidade em futsal
64 tarefas para o trabalho da mobilidade em futsal64 tarefas para o trabalho da mobilidade em futsal
64 tarefas para o trabalho da mobilidade em futsal
 
Protocolo de recuperação da osteopatia dinâmica do púbis.
Protocolo de recuperação da osteopatia dinâmica do púbis.Protocolo de recuperação da osteopatia dinâmica do púbis.
Protocolo de recuperação da osteopatia dinâmica do púbis.
 
Corinthians e Boca Juniors
Corinthians e Boca JuniorsCorinthians e Boca Juniors
Corinthians e Boca Juniors
 

Treinamento do goleiro de futebol base: Justificação de nosso modelo de treinamento

  • 1. O treinamento do goleiro de futebol base Autor: Roberto Valeiro Fotos: Shutterstock JUSTIFICAÇÃO DO NOSSO MODELO DE 108 TREINAMENTO. 109 JULHO Goleiro © Artigo publicado em www.futbol-tactico.com Goleiro JULHO
  • 2. Até não faz muito tempo o treinamento do goleiro se reduzia a intermináveis rondas de disparos desde o borde da área e centros desde os laterais. Tarefas com reduzida ou nula transferência ao jogo real. No artigo que desenvolveremos a continuação tentaremos expor o porquê da estrutura do processo de treinamento que proporemos para os goleiros de categorias inferiores. Para poder levar a cabo a organização de dito processo, em primeiro lugar devemos conhecer quais são as exigências as que a competição somete a nossos pupilos. Para isso seguiremos o seguinte esquema (Sambade, J. 2006) 1. De elevada incerteza informacional. Em competição, as decisões que toma o goleiro estão condicionadas por muitos aspectos (bola, companheiros, adversários, goleiro, terreno de jogo...) 2. De caráter aberto e situacional. A situação de jogo é cambiante e se modifica a grande velocidade. A decisão correta no segundo 1, pode não sê-lo 2 segundos mais tarde. 3. De uma reduzida frequência de participação. Geralmente existe um período longo de pausa entre intervenções. Segundo Vales e Sambade (2001), a duração media dos esforços é de 0’5’’-1’’ e a racional pausa/ esforço é de 88’/2’. 4. Com elevada complexidade técnico coordenativa. A grande maioria das ações do goleiro tem uma grande exigência a nível coordenativo, incrementada pela velocidade a que geralmente se realizam. 5. De importante transcendência no resultado. Todos somos conscientes de que um erro do goleiro implica, na maioria das ocasiões, o encaixar um gol. É o posto especifico que mais carga de responsabilidade leva associada a cada uma de suas ações. 110 111 JULHO Goleiro © Artigo publicado em www.futbol-tactico.com Goleiro JULHO
  • 3. Do exposto até o momento podemos sacar as seguintes conclusões: A. Se a duração media dos esforços é de 1’’ com um grande tempo de pausa até a seguinte intervenção, como norma geral planejaremos tarefas de duração reduzida e com amplos períodos de recuperação. B. Os exercícios de tipo analítico têm grande relevância para a aprendizagem e mecanização dos elementos técnicos. A partir de ai, deverão plantear-se tarefas mistas ou globais com uma grande exigência a nível técnico-coordenativo e perceptivo-decisório, que facilitarão a aplicação destes elementos técnicos ao jogo real. Tentaremos que nossos pupilos entendam o jogo. Deste modo poderão antecipar respostas e suas decisões serão mais rápidas e acordes a situação de jogo a solucionar. C. As tarefas propostas deverão estar adaptadas ao nível e estado evolutivo dos executantes. Não por levar a cabo uma tarefa mais complicada vou a ter um melhor e mais rápido resultado. ESTIMULO + MADURAÇÃO = APRENDIZAGEM D. O goleiro deve saber conviver com a pressão e a responsabilidade que seu posto implica. Pouco a pouco devemos fazer conscientes a nossos jovens goleiros da grande relevância de cara ao resultado que têm suas ações e decisões. Estas não deverão estar mediatizadas pelo medo a falhar, mas sim pela responsabilidade. Conforme nossos pupilos vão recorrendo etapas evolutivas, deveremos incrementar a exigência neste ponto. 112 113 JULHO Goleiro © Artigo publicdado em www.futbol-tactico.com Goleiro JULHO