SlideShare uma empresa Scribd logo
Transtornos Neurocutâneos
LUÍS FELIPE RAGAZZI QUIRINO CAVALCANTE
RESIDENTE NEUROLOGIA
FACULDADE DE MEDICINA DE MARÍLIA - FAMEMA
Definição
• Transtornos Neurocutâneos, neuroectodermoses ou facomatoses
• Phakos – origem grega – placa achatada, lentilha, mancha, marca de nascimento
• Principais doenças
• Neurofibromatose
• Síndrome de Sturge Weber Dimitri
• Incontinência pigmentar
• Esclerose tuberosa
• Nevo sebáceo linear
• Embriogênese
• Fecundação – Zigoto – Mórula (32 células) – BLASTULAÇÃO – Blástula (blastocele) –
GASTRULAÇÃO - Gástrula - NEURULAÇÃO
Folhetos Germinativos
• Ectoderma: Pele e anexos, mucosa nasal e oral, cristalino e córnea; Cartilagem facial e
dentina, sistema nervoso periférico e melanócitos; cérebro, retina, medula espinhal e
hipófise.
• Endoderma: Sistema digestivo e respiratório
• Mesoderma: Sistema urinário, músculos lisos e estriados, tecido conjuntivo, ossos,
cartilagem, medula óssea, sistema circulatório, mesotélio (serosa) e baço.
Neurofibromatose tipo 1
• Doença de Von Recklinghausen ou NF periférica
• Doença genética
• Autossômica dominante, penetrância quase de 100%
• Mutações responsáveis por até 50% dos casos
• Afeta os sexos igualitariamente
• Gene localizado cromossomo 17q11.2 = produto genético denominado neurofibromina
• Considerado gene de supressão tumoral
• Neurofibromina expressa em neurônios, porém alguns podem ou não apresentar
transtorno neurológico
Neuropatologia
• Alterações do tecido de sustentação: displasia, neoplasia e/ou hiperplasia
• Envolvem SNC, SNP e SNA.
• Manifestações viscerais decorrem de alterações dos gânglios e nervos viscerais
• Acometimento de pele, ossos, glândulas endócrinas e vasos sanguíneos
• Maior probabilidade de outras neoplasias incluindo neuroblastoma, tumor de Wilms,
leucemia, feocromocitoma e sarcoma
• Neurinomas e neurofibromas
Sinais e Sintomas
• Manifestações clínicas variadas e progressivas
• Frequentemente indistinguíveis funcionalmente de pessoas normais
Sintomas cutâneos
• Mácula café com leite patognomônico (presente em quase todos pacientes)
• Seis ou mais 0,5cm de diâmetro antes puberdade e mais de 1,5 cm pós puberdade são
diagnósticas
• Geralmente presentes no nascimento
• Tronco e membros e tendem a poupar face
• Efélides principalmente em região axilar ou inguinal são comuns
• Sintomas oculares
• Harmatomas pigmentados da íris – Nódulos de Lisch – Patognomônico
• São pequenas elevações transparentes, amareladas ou marrons vistas na lâmpada de fenda
• Aumento de número e tamanho
• Presente em quase todos os pacientes após os 20 anos de idade
• Apenas na NF 1
• Sintomas neurológicos
• Neurofibromas desenvolvem-se entre os 10-15 anos
• Tendem a aumentar de tamanho e quantidade com a idade
• Envolvem sempre a pele, evoluindo para lesões pendiculadas e sésseis
• Nódulos são encontrados em raízes nervosas, nervos profundos ou nervos autonômicos
• Elefantíase neuromatosa: neurofibromas que envolvem a distribuição terminal de nervos
periféricos e formam neurofibromas plexiformes vasculares que acarretam em crescimento
excessivo localizado de tecidos ou hipertrofia segmentar de um membro
• Gliomas óticos, astrocitoma, neuromas acústicos e meningiomas
• Distúrbio específico do aprendizado ou déficit de atenção são os sintomas mais comuns
• Epilepsia secundária ou retardo mental
• Acidente vascular isquêmico é raro
• Sintomas do crânio, coluna e membros
• Defeitos unilaterais na parede póstero-superior da órbita, com exoftalmia pulsátil
• Defeito no lambdoide com desenvolvimento insuficiente do mastoide ipsilateral
• Ectasia dural com dilatação do canal vertebral e partes posteriores dos corpos vertebrais em
forma de concha
• Cifoescoliose
• Pseudartrose, especialmente tíbia e rádio
• Deformidades das costelas em fita retorcida
• Aumento dos ossos longos
• Sintomas diversos
• Feocromocitoma, rara, nunca em crianças
• Tumores malignos
• Sarcoma, leucemia, tumor Wilms (nefroblastoma), ganglioglioma e neuroblastoma
Diagnóstico – Critérios – 2 ou mais
• Seis ou mais máculas café com leite
• Antes da puberdade maior que 5mm de diâmetro
• Depois da puberdade maior que 15mm de diâmetro
• Efélides nas áreas axilares ou inguinais
• 2 ou mais neurofibromas ou 1 neurofibroma plexiforme
• 1 familiar de primeiro grau com NF-1
• 2 ou mais nódulos de Lisch
• Lesão óssea
• Displasia esfenoide
• Afinamento da córtex dos ossos longos com ou sem pseudoartrose
Neurofibromatose tipo 2
• Neurofibromatose central ou Síndrome do neuroma acústico bilateral
• Autossômica dominante
• Gene cromossomo 22q12
• Produto codificado: moezin-ezrin-radixin-similar= Merlin
• Associado a formação de neurinomas e meningiomas
• Neuropatologia semelhante ao NF1
Sinais e Sintomas
• Neurinomas bilaterais por volta dos 20 anos de idade
• Vertigem, zumbidos, perda equilíbrio, cefaleia
• Algumas manchas café com leite
• Alguns neurofibromas
• Tumores SN: meningiomas, neurinomas e gliomas
Diagnóstico - Critérios
• Tumor bilateral do oitavo par (RM, TC ou confirmação histológica)
• Familiar de primeiro grau com NF-2 e um tumor unilateral do oitavo par
• Familiar de primeiro grau com NF-2 e dois quaisquer dos seguintes
• Neurofibroma
• Meningioma
• Schwanoma
• Glioma
• Opacidade subcapsular posterior juvenil do cristalino
• Neurofibromatose segmentar: manchas café com leite e neurofibromas que são
limitados, em geral afetando um segmento corporal superior. As lesões estendem-se
até a linha média e incluem o braço ipsilateral, mas poupam cabeça e tronco.
• Neurofibromatose cutânea: limita-se apenas a lesões café com leite porém sem outras
manifestações.
Tratamento
• Não existe tratamento específico
• Não há cura atualmente
• Tratamento de distúrbios de aprendizagem e alterações do comportamento
• Tratamento de distúrbios de fala
• Anticonvulsivantes
• Cifoescoliose progressiva intervenção cirúrgica pode ser necessária
• Neurofibroma podem ser extirpados quando comprometem a função os são
desfigurantes
• Tratamento de neoplasias associadas
Síndrome de Sturge Weber Dimitri
• Angiomatose encefalotrigemial
• Doença atribuída a persistência parcial de um plexo vascular embrionário primitivo que
se forma em torno da parte cefálica do tubo neural 6 semanas depois da concepção e
sob o ectoderma na região destinada a formar a face
• Normalmente esse plexo regride na 9ª semana
• Existe variabilidade para unilateral ou bilateral, ou síndrome incompleta caracterizada
por angiomatose leptominingea sem envolvimento facial
• Caracterizada por nevo facial, síndrome neurológica de convulsão, hemiplegia, retardo
e glaucoma
Genética e Neuropatologia
• Maioria dos casos é esporádica, porém pode haver herança autossômica recessiva
• RASA1 parece ser o gene envolvido na doença
• Lobo occipital geral é o afetado, porém pode acometer qualquer região
• Atrofia cerebral unilateral e ipsilateral ao nevo
• Angiomatose leptomingea com vênula pequena preenchem o espaço subaracnoideo
• Calcificações em trilhos de bonde ou curvilíneas vistas em radiografias de crânio (córtex
e não vasos sanguíneos)
• Tipo 1: Angiomas tantos faciais como leptomeingeos; pode haver glaucoma (síndrome
de Sturge Weber); Angioma intracraniano deve ser documentado histologicamente ou
por achados radiológicos típicos; Crises epilépticas ou achados no EEG possibilitam o
diagnóstico presuntivo em crianças com o nevo típico
• Tipo 2: Angioma facial porém sem nenhuma evidência de doença intracraniana, pode
haver glaucoma
• Tipo 3: Angioma leptomeningeo porém sem nenhum nevo facial; pode haver glaucoma
Sinais e Sintomas
• Nevo cor de vinho do Porto atinge área de acometimento do nervo trigêmeo. Risco
maior de catarata e sintomas neurológico se atingir ramo oftálmico. Se atingir ramos
maxilar e mandibular dificilmente causam sintomas neurológicos
• Crises epilépticas, inicio no primeiro ano de vida, focais, refratárias a anticonvulsivantes
• Hemiparesia e hemiatrofia contralaterais ao nevo
• Déficit cognitivo é frequente
• Aumento da pressão intra-ocular com glaucoma e buftalmia
• Hemianopsia homônima, por afetar lobo occipital
Achados de Imagem
• Calcificações são clássicas, porém raramente vistas antes dos 2 anos
• Atrofia cerebral
• RM, principalmente FLAIR, pode evidenciar doença da leptomeninge
• EEG ampla área de potenciais baixos nas áreas afetadas
• Silêncio elétrico corresponde a área de calcificação
Diagnóstico
• Nevus flammeus vascular facial cor de vinho do Porto e mais um:
• Convulsões
• Hemiparesia e hemiatrofia contralateral
• Déficit cognitivo
• Achados oculares: glaucoma ou buftalmia
• Achados de imagem reforçam o diagnóstico
• Raramente ocorre a síndrome sem o nevus flammeus
Tratamento
• Nevo facial – correção estética
• Controle das convulsões, frequentemente são difíceis de controlar
• Terapia comportamental
• Fisioterapia
• AAS caso haja AIT recorrentes
• Monitorização anual para glaucoma
Incontinência Pigmentar
• Síndrome de Bloch Sulzberger
• Doença genética que afeta cérebro, olhos pele e anexos
• Dominante ligada ao sexo, letal em indivíduos masculinos
• Doença esporádica, sugerindo translocação de genes
• Achados de neuropatologia: inespecíficos
• Microgiria
• Necrose focal com formação de pequenas cavidades na substância branca central
• Áreas focais de perda neuronal no córtex cerebelar
Sinais e Sintomas
• Lesões vesicobolhosas lineares no nascimento, mas que podem surgir após 2 semanas
• Lesões podem recidivar e mudar para característica lesão expansiva verrucoide
• Algumas crianças podem apresentar lesões pigmentares ao nascimento que não
progridem
• Pigmentação azul acinzentada ou marrom e de distribuem em linhas marmóreas
• Com idade, desvanecem e tornam-se hipocrômicas e pele atrófica
• 20% casos: Desenvolvimento motor lento, disfunção trato piramidal com hemiparesia,
tetraparesia ou diplegia espástica, retardo mental, transtorno convulsivos
• Estrabismo, catarata, perda visual grave
• Alteração vascular da retina
• Anodontia parcial ou total em forma de pregador de roupas
• Alopécia parcial ou difusa com formação de cicatrizes
• Distrofia de unhas
Achados e Tratamento
• Eosinofilia em até 65% dos casos em menores de 1 anos
• Leucocitose
• Não há tratamento específico
• Tratamento da síndrome convulsiva com anticonvulsivantes
• Avaliação oftalmologista coagulação com laser de ectasias da retina
Esclerose Tuberosa
• Lesões semelhantes a batatas no cérebro (tuberes)
• Doença de Pringle: somente achados dermatológicos
• Doença de Bourneville: afeta sistema nervoso central
• Síndrome de West: lesões cutâneas associadas a espasmos neonatais, hipsarritmia e
retardo mental
• Traço autossômico dominante, com elevado número de casos esporádicos. Mais
expressivas quanto mais expressão genética
• Gene alterado localizado cromossomo 9q34 e 16p13.3
• Genes de considerados supressores tumorais
Patologia e Patogênese
• Lesões em SN, pele, ossos, retina, rim, pulmões.
• Múltiplos nódulos que revestem frequentemente os ventrículos
• Nódulos na superfície cortical
• Pode ocorrer paquigiria ou microgiria
• Pele: adenomas sebáceos (nevos faciais) e retalho ou placas de fibrose cutânea
localizados região frontal
• Retina: tumores congênitos, inclusive gliomas do nervo ótico
• Rabdomiomas cardíacos, cistos renais, doenças císticas dos pulmões
Sinais e Sintomas
• Grande variabilidade expressiva
• Principais características: lesões cutâneas, crises convulsivas e retardo mental
• Sintomas cutâneos
• Máculas sem pigmentação que já podem estar presentes ao nascimento
• Adenoma sebáceo facial; nunca presente ao nascimento, desenvolve até os 4 anos de idade.
Distribuição simétrica, em forma de borboleta na face
• Outros: manchas café com leite, pequenos fibromas, fibromas ungueais
• Sintomas oftálmicos
• Harmatomas da retina ou do nervo óptico
• Estrabismo não paralítico, atrofia óptica, defeitos campo visual e catarata
• Sintomas Neurológicos
• Convulsões e retardo mental
• Lactentes: espasmos mioclônicos
• Adolescentes e adultos: crises tônico clônicas
• Importante causa de autismo
• Sintomas viscerais
• Insuficiência cardíaca
• Insuficiência renal
• Doença pulmonar
• Perfuração do esmalte dos dentes de leite
Imagem
• Radiografia de crânio: pequenas calcificações na substância do cérebro
• TC: alguns nódulos são isodensos, mais fáceis de serem vistos na RNM
• RNM: FLAIR: delineamento mais preciso dos tubérculos corticais e subcorticais
• Número de tubérculos correlaciona-se com a gravidade
Diagnóstico
• Neonatal: três ou mais lesões hipocrômicas associadas a espasmos mioclônicos
neonatais
• Crianças maiores e adultos: tríade: adenoma sebáceo facial, epilepsia e retardo mental.
• História familiar e exame de imagem reforçam o diagnóstico
Evolução/Prognóstico/Tratamento
• Somente envolvimento cutâneo doença geralmente estática
• Síndrome franca: progressão com crises convulsivas e demência crescentes
• Não existe tratamento específico
• Lesões cutâneas podem ser tratadas com cirurgia estética
• Epilepsia anticonvulsivantes
• Tratamentos cognitivos
Bibliografia
• Tratado de Neurologia Merrit, 11ª edição, 2007
• Tratado de Neurologia da Academia Brasileira de Neurologia, 1ª edição, 2013
• O exame neurológico, Dejong, 7ª edição, 2014
• Requisitos em Neurorradiologia, 3ª edição, 2011

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Hidrocefalia congênita
Hidrocefalia congênitaHidrocefalia congênita
Hidrocefalia congênita
Marcus César Petindá Fonseca
 
demencia-vascular
demencia-vasculardemencia-vascular
demencia-vascular
v1c7or1n0
 
Icterícias 2016
Icterícias 2016Icterícias 2016
Icterícias 2016
Paulo Alambert
 
Neurofibromatose
NeurofibromatoseNeurofibromatose
Neurofibromatose
GEDRBRASIL_ESTUDANDORARAS
 
Encefalopatia hepática: conceito, causas diagnóstico e tratamento!
Encefalopatia hepática: conceito, causas diagnóstico e tratamento!Encefalopatia hepática: conceito, causas diagnóstico e tratamento!
Encefalopatia hepática: conceito, causas diagnóstico e tratamento!
Kelson Oliveira
 
Mielomas
MielomasMielomas
Lupus Eritematoso Sistêmico
Lupus Eritematoso SistêmicoLupus Eritematoso Sistêmico
Lupus Eritematoso Sistêmico
Paulo Alambert
 
Tumores benignos do fígado
Tumores benignos do fígadoTumores benignos do fígado
Tumores benignos do fígado
gabrielrb87
 
Mieloma Múltiplo
Mieloma MúltiploMieloma Múltiplo
Mieloma Múltiplo
Patrícia Prates
 
Polipos Intestinais
Polipos IntestinaisPolipos Intestinais
Polipos Intestinais
Gastroliga
 
Emergências oncologias
Emergências oncologiasEmergências oncologias
Emergências oncologias
ctisaolucascopacabana
 
Manejo da Meningite Bacteriana na Infância
Manejo da Meningite Bacteriana na InfânciaManejo da Meningite Bacteriana na Infância
Manejo da Meningite Bacteriana na Infância
Professor Robson
 
Esclerodermia
Esclerodermia Esclerodermia
Esclerodermia
pauloalambert
 
Aula 5 - Sinusite / faringite e amigdalite
Aula 5 - Sinusite / faringite e amigdaliteAula 5 - Sinusite / faringite e amigdalite
Aula 5 - Sinusite / faringite e amigdalite
TaianyMelo
 
Neuroblastoma
NeuroblastomaNeuroblastoma
Neuroblastoma
Oncoguia
 
LÚPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO
LÚPUS ERITEMATOSO SISTÊMICOLÚPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO
LÚPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO
pauloalambert
 
Tumores Ovarianos
Tumores OvarianosTumores Ovarianos
Tumores Ovarianos
chirlei ferreira
 
Sindromes nefrotico nefritica 18
Sindromes nefrotico nefritica 18Sindromes nefrotico nefritica 18
Sindromes nefrotico nefritica 18
pauloalambert
 
[Infectologia] cromoblastomicose
[Infectologia] cromoblastomicose[Infectologia] cromoblastomicose
[Infectologia] cromoblastomicose
Emanoel Rodrigues
 
Imunoterapia
ImunoterapiaImunoterapia
Imunoterapia
LABIMUNO UFBA
 

Mais procurados (20)

Hidrocefalia congênita
Hidrocefalia congênitaHidrocefalia congênita
Hidrocefalia congênita
 
demencia-vascular
demencia-vasculardemencia-vascular
demencia-vascular
 
Icterícias 2016
Icterícias 2016Icterícias 2016
Icterícias 2016
 
Neurofibromatose
NeurofibromatoseNeurofibromatose
Neurofibromatose
 
Encefalopatia hepática: conceito, causas diagnóstico e tratamento!
Encefalopatia hepática: conceito, causas diagnóstico e tratamento!Encefalopatia hepática: conceito, causas diagnóstico e tratamento!
Encefalopatia hepática: conceito, causas diagnóstico e tratamento!
 
Mielomas
MielomasMielomas
Mielomas
 
Lupus Eritematoso Sistêmico
Lupus Eritematoso SistêmicoLupus Eritematoso Sistêmico
Lupus Eritematoso Sistêmico
 
Tumores benignos do fígado
Tumores benignos do fígadoTumores benignos do fígado
Tumores benignos do fígado
 
Mieloma Múltiplo
Mieloma MúltiploMieloma Múltiplo
Mieloma Múltiplo
 
Polipos Intestinais
Polipos IntestinaisPolipos Intestinais
Polipos Intestinais
 
Emergências oncologias
Emergências oncologiasEmergências oncologias
Emergências oncologias
 
Manejo da Meningite Bacteriana na Infância
Manejo da Meningite Bacteriana na InfânciaManejo da Meningite Bacteriana na Infância
Manejo da Meningite Bacteriana na Infância
 
Esclerodermia
Esclerodermia Esclerodermia
Esclerodermia
 
Aula 5 - Sinusite / faringite e amigdalite
Aula 5 - Sinusite / faringite e amigdaliteAula 5 - Sinusite / faringite e amigdalite
Aula 5 - Sinusite / faringite e amigdalite
 
Neuroblastoma
NeuroblastomaNeuroblastoma
Neuroblastoma
 
LÚPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO
LÚPUS ERITEMATOSO SISTÊMICOLÚPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO
LÚPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO
 
Tumores Ovarianos
Tumores OvarianosTumores Ovarianos
Tumores Ovarianos
 
Sindromes nefrotico nefritica 18
Sindromes nefrotico nefritica 18Sindromes nefrotico nefritica 18
Sindromes nefrotico nefritica 18
 
[Infectologia] cromoblastomicose
[Infectologia] cromoblastomicose[Infectologia] cromoblastomicose
[Infectologia] cromoblastomicose
 
Imunoterapia
ImunoterapiaImunoterapia
Imunoterapia
 

Destaque

Facomatoses
FacomatosesFacomatoses
Síndromes neurocutâneas pdf 1
Síndromes neurocutâneas pdf 1Síndromes neurocutâneas pdf 1
Síndromes neurocutâneas pdf 1
isadoracordenonsi
 
Neurofibromatose
Neurofibromatose Neurofibromatose
Neurofibromatose
Thaíssa Casagrande
 
Idade ossea
Idade osseaIdade ossea
Idade ossea
endocbh
 
Aula de Revisão MDNM (DP)
Aula de Revisão MDNM (DP)Aula de Revisão MDNM (DP)
Aula de Revisão MDNM (DP)
Marcos Paulo Hutchison
 
Acidente vascular encefálico (ave) .
Acidente vascular encefálico (ave) . Acidente vascular encefálico (ave) .
Acidente vascular encefálico (ave) .
Dani Drp
 
Neuro oncologia
Neuro oncologiaNeuro oncologia
Neuro oncologia
Igor Thé Braga
 
Acidente vascular encefálico parte1
Acidente vascular encefálico parte1Acidente vascular encefálico parte1
Acidente vascular encefálico parte1
Jumooca
 
Alginato Odontológico
Alginato OdontológicoAlginato Odontológico
Alginato Odontológico
Marcos Paulo Hutchison
 
Enfermedad Hemolitica del Recien Nacido
Enfermedad Hemolitica del Recien NacidoEnfermedad Hemolitica del Recien Nacido
Enfermedad Hemolitica del Recien Nacido
Love Margy - Pucallpa
 
Aula manutenção do equipamento odontológico
Aula manutenção do equipamento odontológicoAula manutenção do equipamento odontológico
Aula manutenção do equipamento odontológico
Wálina Alves
 
1 aula - Moldagem, Molde e Modelo
1 aula - Moldagem, Molde e Modelo1 aula - Moldagem, Molde e Modelo
1 aula - Moldagem, Molde e Modelo
Valdemir Junior
 
Isolamento do Campo Operatório
Isolamento do Campo OperatórioIsolamento do Campo Operatório
Isolamento do Campo Operatório
profcelsoklein
 
Apresentaçao sistema Propostas de Negociação
Apresentaçao sistema Propostas de NegociaçãoApresentaçao sistema Propostas de Negociação
Apresentaçao sistema Propostas de Negociação
Diágoras Mendes Alencar
 
Anatomia do periodonto
Anatomia do periodontoAnatomia do periodonto
Anatomia do periodonto
andressaElopes
 
Lesão nervosa periferica
Lesão nervosa perifericaLesão nervosa periferica
Lesão nervosa periferica
japaforozero
 
4 - materiais de moldagem
 4 - materiais de moldagem 4 - materiais de moldagem
4 - materiais de moldagem
Euber E Silmara
 
Periodontia
PeriodontiaPeriodontia
Periodontia
Oyara Mello
 
Anatomia e histofisiologia do periodonto
Anatomia e histofisiologia do periodontoAnatomia e histofisiologia do periodonto
Anatomia e histofisiologia do periodonto
holetzlourenco
 
Equipamentos em odontologia
Equipamentos em odontologiaEquipamentos em odontologia
Equipamentos em odontologia
Rômulo Augusto
 

Destaque (20)

Facomatoses
FacomatosesFacomatoses
Facomatoses
 
Síndromes neurocutâneas pdf 1
Síndromes neurocutâneas pdf 1Síndromes neurocutâneas pdf 1
Síndromes neurocutâneas pdf 1
 
Neurofibromatose
Neurofibromatose Neurofibromatose
Neurofibromatose
 
Idade ossea
Idade osseaIdade ossea
Idade ossea
 
Aula de Revisão MDNM (DP)
Aula de Revisão MDNM (DP)Aula de Revisão MDNM (DP)
Aula de Revisão MDNM (DP)
 
Acidente vascular encefálico (ave) .
Acidente vascular encefálico (ave) . Acidente vascular encefálico (ave) .
Acidente vascular encefálico (ave) .
 
Neuro oncologia
Neuro oncologiaNeuro oncologia
Neuro oncologia
 
Acidente vascular encefálico parte1
Acidente vascular encefálico parte1Acidente vascular encefálico parte1
Acidente vascular encefálico parte1
 
Alginato Odontológico
Alginato OdontológicoAlginato Odontológico
Alginato Odontológico
 
Enfermedad Hemolitica del Recien Nacido
Enfermedad Hemolitica del Recien NacidoEnfermedad Hemolitica del Recien Nacido
Enfermedad Hemolitica del Recien Nacido
 
Aula manutenção do equipamento odontológico
Aula manutenção do equipamento odontológicoAula manutenção do equipamento odontológico
Aula manutenção do equipamento odontológico
 
1 aula - Moldagem, Molde e Modelo
1 aula - Moldagem, Molde e Modelo1 aula - Moldagem, Molde e Modelo
1 aula - Moldagem, Molde e Modelo
 
Isolamento do Campo Operatório
Isolamento do Campo OperatórioIsolamento do Campo Operatório
Isolamento do Campo Operatório
 
Apresentaçao sistema Propostas de Negociação
Apresentaçao sistema Propostas de NegociaçãoApresentaçao sistema Propostas de Negociação
Apresentaçao sistema Propostas de Negociação
 
Anatomia do periodonto
Anatomia do periodontoAnatomia do periodonto
Anatomia do periodonto
 
Lesão nervosa periferica
Lesão nervosa perifericaLesão nervosa periferica
Lesão nervosa periferica
 
4 - materiais de moldagem
 4 - materiais de moldagem 4 - materiais de moldagem
4 - materiais de moldagem
 
Periodontia
PeriodontiaPeriodontia
Periodontia
 
Anatomia e histofisiologia do periodonto
Anatomia e histofisiologia do periodontoAnatomia e histofisiologia do periodonto
Anatomia e histofisiologia do periodonto
 
Equipamentos em odontologia
Equipamentos em odontologiaEquipamentos em odontologia
Equipamentos em odontologia
 

Semelhante a Transtornos neurocutâneos - Facomatoses

Síndromes neurocutâneas fabio
Síndromes neurocutâneas fabioSíndromes neurocutâneas fabio
Síndromes neurocutâneas fabio
Marcus César Petindá Fonseca
 
Glaucoma do Desenvolvimento
Glaucoma do DesenvolvimentoGlaucoma do Desenvolvimento
Glaucoma do Desenvolvimento
Alexis Galeno Matos
 
Síndromes Neurocutâneas : Revisão e Leitura Conceitual
Síndromes Neurocutâneas : Revisão e Leitura ConceitualSíndromes Neurocutâneas : Revisão e Leitura Conceitual
Síndromes Neurocutâneas : Revisão e Leitura Conceitual
blogped1
 
Malformações do desenvolvimento cortical
Malformações do desenvolvimento corticalMalformações do desenvolvimento cortical
Malformações do desenvolvimento cortical
Norberto Werle
 
Epilepsia e Encefalites Autoimunes
Epilepsia e Encefalites AutoimunesEpilepsia e Encefalites Autoimunes
Epilepsia e Encefalites Autoimunes
Brenda Lahlou
 
Síndrome de west
Síndrome de westSíndrome de west
Desenvolvimento anormal do sistema nervoso
Desenvolvimento anormal do sistema nervosoDesenvolvimento anormal do sistema nervoso
Desenvolvimento anormal do sistema nervoso
Marcus César Petindá Fonseca
 
1 desmielinizantes-pdf
1 desmielinizantes-pdf1 desmielinizantes-pdf
1 desmielinizantes-pdf
Alessandra Silvério
 
Malformações supratentoriais
Malformações supratentoriaisMalformações supratentoriais
Malformações supratentoriais
Gustavo Andreis
 
Sle 2013
Sle 2013Sle 2013
Sle 2013
pauloalambert
 
Doencas demielinizantes
Doencas demielinizantesDoencas demielinizantes
Doencas demielinizantes
José Moraes
 
Demências
DemênciasDemências
Demências
flaviovervloet
 
Exame fisico cabeça e pescoço
Exame fisico cabeça e pescoçoExame fisico cabeça e pescoço
Exame fisico cabeça e pescoço
pauloalambert
 
Atryo epilepsia
Atryo epilepsiaAtryo epilepsia
Atryo epilepsia
Carlos Wanderlan
 
Fundoscopia direta
Fundoscopia diretaFundoscopia direta
Fundoscopia direta
Daniela Tartarotti Conte
 
Malformações do desenvolvimento cortical
Malformações do desenvolvimento corticalMalformações do desenvolvimento cortical
Malformações do desenvolvimento cortical
Leonardo Dantas
 
DOENÇAS DO TECIDO CONJUNTIVO.UEM21Final.pdf
DOENÇAS DO TECIDO CONJUNTIVO.UEM21Final.pdfDOENÇAS DO TECIDO CONJUNTIVO.UEM21Final.pdf
DOENÇAS DO TECIDO CONJUNTIVO.UEM21Final.pdf
Alberto205764
 
DOENÇAS DO TECIDO CONJUNTIVO.UEM21Final.pdf
DOENÇAS DO TECIDO CONJUNTIVO.UEM21Final.pdfDOENÇAS DO TECIDO CONJUNTIVO.UEM21Final.pdf
DOENÇAS DO TECIDO CONJUNTIVO.UEM21Final.pdf
Alberto205764
 
DOENÇASDOTECIDO.CONJUNTIVO.UEM21Final.pdf
DOENÇASDOTECIDO.CONJUNTIVO.UEM21Final.pdfDOENÇASDOTECIDO.CONJUNTIVO.UEM21Final.pdf
DOENÇASDOTECIDO.CONJUNTIVO.UEM21Final.pdf
Alberto205764
 
DOENÇAS DO TECIDO CONJUNTIVO.UEM21Final.pdf
DOENÇAS DO TECIDO CONJUNTIVO.UEM21Final.pdfDOENÇAS DO TECIDO CONJUNTIVO.UEM21Final.pdf
DOENÇAS DO TECIDO CONJUNTIVO.UEM21Final.pdf
Alberto205764
 

Semelhante a Transtornos neurocutâneos - Facomatoses (20)

Síndromes neurocutâneas fabio
Síndromes neurocutâneas fabioSíndromes neurocutâneas fabio
Síndromes neurocutâneas fabio
 
Glaucoma do Desenvolvimento
Glaucoma do DesenvolvimentoGlaucoma do Desenvolvimento
Glaucoma do Desenvolvimento
 
Síndromes Neurocutâneas : Revisão e Leitura Conceitual
Síndromes Neurocutâneas : Revisão e Leitura ConceitualSíndromes Neurocutâneas : Revisão e Leitura Conceitual
Síndromes Neurocutâneas : Revisão e Leitura Conceitual
 
Malformações do desenvolvimento cortical
Malformações do desenvolvimento corticalMalformações do desenvolvimento cortical
Malformações do desenvolvimento cortical
 
Epilepsia e Encefalites Autoimunes
Epilepsia e Encefalites AutoimunesEpilepsia e Encefalites Autoimunes
Epilepsia e Encefalites Autoimunes
 
Síndrome de west
Síndrome de westSíndrome de west
Síndrome de west
 
Desenvolvimento anormal do sistema nervoso
Desenvolvimento anormal do sistema nervosoDesenvolvimento anormal do sistema nervoso
Desenvolvimento anormal do sistema nervoso
 
1 desmielinizantes-pdf
1 desmielinizantes-pdf1 desmielinizantes-pdf
1 desmielinizantes-pdf
 
Malformações supratentoriais
Malformações supratentoriaisMalformações supratentoriais
Malformações supratentoriais
 
Sle 2013
Sle 2013Sle 2013
Sle 2013
 
Doencas demielinizantes
Doencas demielinizantesDoencas demielinizantes
Doencas demielinizantes
 
Demências
DemênciasDemências
Demências
 
Exame fisico cabeça e pescoço
Exame fisico cabeça e pescoçoExame fisico cabeça e pescoço
Exame fisico cabeça e pescoço
 
Atryo epilepsia
Atryo epilepsiaAtryo epilepsia
Atryo epilepsia
 
Fundoscopia direta
Fundoscopia diretaFundoscopia direta
Fundoscopia direta
 
Malformações do desenvolvimento cortical
Malformações do desenvolvimento corticalMalformações do desenvolvimento cortical
Malformações do desenvolvimento cortical
 
DOENÇAS DO TECIDO CONJUNTIVO.UEM21Final.pdf
DOENÇAS DO TECIDO CONJUNTIVO.UEM21Final.pdfDOENÇAS DO TECIDO CONJUNTIVO.UEM21Final.pdf
DOENÇAS DO TECIDO CONJUNTIVO.UEM21Final.pdf
 
DOENÇAS DO TECIDO CONJUNTIVO.UEM21Final.pdf
DOENÇAS DO TECIDO CONJUNTIVO.UEM21Final.pdfDOENÇAS DO TECIDO CONJUNTIVO.UEM21Final.pdf
DOENÇAS DO TECIDO CONJUNTIVO.UEM21Final.pdf
 
DOENÇASDOTECIDO.CONJUNTIVO.UEM21Final.pdf
DOENÇASDOTECIDO.CONJUNTIVO.UEM21Final.pdfDOENÇASDOTECIDO.CONJUNTIVO.UEM21Final.pdf
DOENÇASDOTECIDO.CONJUNTIVO.UEM21Final.pdf
 
DOENÇAS DO TECIDO CONJUNTIVO.UEM21Final.pdf
DOENÇAS DO TECIDO CONJUNTIVO.UEM21Final.pdfDOENÇAS DO TECIDO CONJUNTIVO.UEM21Final.pdf
DOENÇAS DO TECIDO CONJUNTIVO.UEM21Final.pdf
 

Transtornos neurocutâneos - Facomatoses

  • 1. Transtornos Neurocutâneos LUÍS FELIPE RAGAZZI QUIRINO CAVALCANTE RESIDENTE NEUROLOGIA FACULDADE DE MEDICINA DE MARÍLIA - FAMEMA
  • 2. Definição • Transtornos Neurocutâneos, neuroectodermoses ou facomatoses • Phakos – origem grega – placa achatada, lentilha, mancha, marca de nascimento • Principais doenças • Neurofibromatose • Síndrome de Sturge Weber Dimitri • Incontinência pigmentar • Esclerose tuberosa • Nevo sebáceo linear
  • 3. • Embriogênese • Fecundação – Zigoto – Mórula (32 células) – BLASTULAÇÃO – Blástula (blastocele) – GASTRULAÇÃO - Gástrula - NEURULAÇÃO
  • 4.
  • 5. Folhetos Germinativos • Ectoderma: Pele e anexos, mucosa nasal e oral, cristalino e córnea; Cartilagem facial e dentina, sistema nervoso periférico e melanócitos; cérebro, retina, medula espinhal e hipófise. • Endoderma: Sistema digestivo e respiratório • Mesoderma: Sistema urinário, músculos lisos e estriados, tecido conjuntivo, ossos, cartilagem, medula óssea, sistema circulatório, mesotélio (serosa) e baço.
  • 6. Neurofibromatose tipo 1 • Doença de Von Recklinghausen ou NF periférica • Doença genética • Autossômica dominante, penetrância quase de 100% • Mutações responsáveis por até 50% dos casos • Afeta os sexos igualitariamente • Gene localizado cromossomo 17q11.2 = produto genético denominado neurofibromina • Considerado gene de supressão tumoral • Neurofibromina expressa em neurônios, porém alguns podem ou não apresentar transtorno neurológico
  • 7. Neuropatologia • Alterações do tecido de sustentação: displasia, neoplasia e/ou hiperplasia • Envolvem SNC, SNP e SNA. • Manifestações viscerais decorrem de alterações dos gânglios e nervos viscerais • Acometimento de pele, ossos, glândulas endócrinas e vasos sanguíneos • Maior probabilidade de outras neoplasias incluindo neuroblastoma, tumor de Wilms, leucemia, feocromocitoma e sarcoma • Neurinomas e neurofibromas
  • 8. Sinais e Sintomas • Manifestações clínicas variadas e progressivas • Frequentemente indistinguíveis funcionalmente de pessoas normais Sintomas cutâneos • Mácula café com leite patognomônico (presente em quase todos pacientes) • Seis ou mais 0,5cm de diâmetro antes puberdade e mais de 1,5 cm pós puberdade são diagnósticas • Geralmente presentes no nascimento • Tronco e membros e tendem a poupar face • Efélides principalmente em região axilar ou inguinal são comuns
  • 9.
  • 10. • Sintomas oculares • Harmatomas pigmentados da íris – Nódulos de Lisch – Patognomônico • São pequenas elevações transparentes, amareladas ou marrons vistas na lâmpada de fenda • Aumento de número e tamanho • Presente em quase todos os pacientes após os 20 anos de idade • Apenas na NF 1
  • 11.
  • 12. • Sintomas neurológicos • Neurofibromas desenvolvem-se entre os 10-15 anos • Tendem a aumentar de tamanho e quantidade com a idade • Envolvem sempre a pele, evoluindo para lesões pendiculadas e sésseis • Nódulos são encontrados em raízes nervosas, nervos profundos ou nervos autonômicos • Elefantíase neuromatosa: neurofibromas que envolvem a distribuição terminal de nervos periféricos e formam neurofibromas plexiformes vasculares que acarretam em crescimento excessivo localizado de tecidos ou hipertrofia segmentar de um membro • Gliomas óticos, astrocitoma, neuromas acústicos e meningiomas • Distúrbio específico do aprendizado ou déficit de atenção são os sintomas mais comuns • Epilepsia secundária ou retardo mental • Acidente vascular isquêmico é raro
  • 13.
  • 14. • Sintomas do crânio, coluna e membros • Defeitos unilaterais na parede póstero-superior da órbita, com exoftalmia pulsátil • Defeito no lambdoide com desenvolvimento insuficiente do mastoide ipsilateral • Ectasia dural com dilatação do canal vertebral e partes posteriores dos corpos vertebrais em forma de concha • Cifoescoliose • Pseudartrose, especialmente tíbia e rádio • Deformidades das costelas em fita retorcida • Aumento dos ossos longos
  • 15. • Sintomas diversos • Feocromocitoma, rara, nunca em crianças • Tumores malignos • Sarcoma, leucemia, tumor Wilms (nefroblastoma), ganglioglioma e neuroblastoma
  • 16. Diagnóstico – Critérios – 2 ou mais • Seis ou mais máculas café com leite • Antes da puberdade maior que 5mm de diâmetro • Depois da puberdade maior que 15mm de diâmetro • Efélides nas áreas axilares ou inguinais • 2 ou mais neurofibromas ou 1 neurofibroma plexiforme • 1 familiar de primeiro grau com NF-1 • 2 ou mais nódulos de Lisch • Lesão óssea • Displasia esfenoide • Afinamento da córtex dos ossos longos com ou sem pseudoartrose
  • 17. Neurofibromatose tipo 2 • Neurofibromatose central ou Síndrome do neuroma acústico bilateral • Autossômica dominante • Gene cromossomo 22q12 • Produto codificado: moezin-ezrin-radixin-similar= Merlin • Associado a formação de neurinomas e meningiomas • Neuropatologia semelhante ao NF1
  • 18. Sinais e Sintomas • Neurinomas bilaterais por volta dos 20 anos de idade • Vertigem, zumbidos, perda equilíbrio, cefaleia • Algumas manchas café com leite • Alguns neurofibromas • Tumores SN: meningiomas, neurinomas e gliomas
  • 19.
  • 20. Diagnóstico - Critérios • Tumor bilateral do oitavo par (RM, TC ou confirmação histológica) • Familiar de primeiro grau com NF-2 e um tumor unilateral do oitavo par • Familiar de primeiro grau com NF-2 e dois quaisquer dos seguintes • Neurofibroma • Meningioma • Schwanoma • Glioma • Opacidade subcapsular posterior juvenil do cristalino
  • 21. • Neurofibromatose segmentar: manchas café com leite e neurofibromas que são limitados, em geral afetando um segmento corporal superior. As lesões estendem-se até a linha média e incluem o braço ipsilateral, mas poupam cabeça e tronco. • Neurofibromatose cutânea: limita-se apenas a lesões café com leite porém sem outras manifestações.
  • 22. Tratamento • Não existe tratamento específico • Não há cura atualmente • Tratamento de distúrbios de aprendizagem e alterações do comportamento • Tratamento de distúrbios de fala • Anticonvulsivantes • Cifoescoliose progressiva intervenção cirúrgica pode ser necessária • Neurofibroma podem ser extirpados quando comprometem a função os são desfigurantes • Tratamento de neoplasias associadas
  • 23. Síndrome de Sturge Weber Dimitri • Angiomatose encefalotrigemial • Doença atribuída a persistência parcial de um plexo vascular embrionário primitivo que se forma em torno da parte cefálica do tubo neural 6 semanas depois da concepção e sob o ectoderma na região destinada a formar a face • Normalmente esse plexo regride na 9ª semana • Existe variabilidade para unilateral ou bilateral, ou síndrome incompleta caracterizada por angiomatose leptominingea sem envolvimento facial • Caracterizada por nevo facial, síndrome neurológica de convulsão, hemiplegia, retardo e glaucoma
  • 24. Genética e Neuropatologia • Maioria dos casos é esporádica, porém pode haver herança autossômica recessiva • RASA1 parece ser o gene envolvido na doença • Lobo occipital geral é o afetado, porém pode acometer qualquer região • Atrofia cerebral unilateral e ipsilateral ao nevo • Angiomatose leptomingea com vênula pequena preenchem o espaço subaracnoideo • Calcificações em trilhos de bonde ou curvilíneas vistas em radiografias de crânio (córtex e não vasos sanguíneos)
  • 25. • Tipo 1: Angiomas tantos faciais como leptomeingeos; pode haver glaucoma (síndrome de Sturge Weber); Angioma intracraniano deve ser documentado histologicamente ou por achados radiológicos típicos; Crises epilépticas ou achados no EEG possibilitam o diagnóstico presuntivo em crianças com o nevo típico • Tipo 2: Angioma facial porém sem nenhuma evidência de doença intracraniana, pode haver glaucoma • Tipo 3: Angioma leptomeningeo porém sem nenhum nevo facial; pode haver glaucoma
  • 26. Sinais e Sintomas • Nevo cor de vinho do Porto atinge área de acometimento do nervo trigêmeo. Risco maior de catarata e sintomas neurológico se atingir ramo oftálmico. Se atingir ramos maxilar e mandibular dificilmente causam sintomas neurológicos • Crises epilépticas, inicio no primeiro ano de vida, focais, refratárias a anticonvulsivantes • Hemiparesia e hemiatrofia contralaterais ao nevo • Déficit cognitivo é frequente • Aumento da pressão intra-ocular com glaucoma e buftalmia • Hemianopsia homônima, por afetar lobo occipital
  • 27.
  • 28. Achados de Imagem • Calcificações são clássicas, porém raramente vistas antes dos 2 anos • Atrofia cerebral • RM, principalmente FLAIR, pode evidenciar doença da leptomeninge • EEG ampla área de potenciais baixos nas áreas afetadas • Silêncio elétrico corresponde a área de calcificação
  • 29.
  • 30. Diagnóstico • Nevus flammeus vascular facial cor de vinho do Porto e mais um: • Convulsões • Hemiparesia e hemiatrofia contralateral • Déficit cognitivo • Achados oculares: glaucoma ou buftalmia • Achados de imagem reforçam o diagnóstico • Raramente ocorre a síndrome sem o nevus flammeus
  • 31. Tratamento • Nevo facial – correção estética • Controle das convulsões, frequentemente são difíceis de controlar • Terapia comportamental • Fisioterapia • AAS caso haja AIT recorrentes • Monitorização anual para glaucoma
  • 32. Incontinência Pigmentar • Síndrome de Bloch Sulzberger • Doença genética que afeta cérebro, olhos pele e anexos • Dominante ligada ao sexo, letal em indivíduos masculinos • Doença esporádica, sugerindo translocação de genes • Achados de neuropatologia: inespecíficos • Microgiria • Necrose focal com formação de pequenas cavidades na substância branca central • Áreas focais de perda neuronal no córtex cerebelar
  • 33. Sinais e Sintomas • Lesões vesicobolhosas lineares no nascimento, mas que podem surgir após 2 semanas • Lesões podem recidivar e mudar para característica lesão expansiva verrucoide • Algumas crianças podem apresentar lesões pigmentares ao nascimento que não progridem • Pigmentação azul acinzentada ou marrom e de distribuem em linhas marmóreas • Com idade, desvanecem e tornam-se hipocrômicas e pele atrófica • 20% casos: Desenvolvimento motor lento, disfunção trato piramidal com hemiparesia, tetraparesia ou diplegia espástica, retardo mental, transtorno convulsivos
  • 34. • Estrabismo, catarata, perda visual grave • Alteração vascular da retina • Anodontia parcial ou total em forma de pregador de roupas • Alopécia parcial ou difusa com formação de cicatrizes • Distrofia de unhas
  • 35.
  • 36. Achados e Tratamento • Eosinofilia em até 65% dos casos em menores de 1 anos • Leucocitose • Não há tratamento específico • Tratamento da síndrome convulsiva com anticonvulsivantes • Avaliação oftalmologista coagulação com laser de ectasias da retina
  • 37. Esclerose Tuberosa • Lesões semelhantes a batatas no cérebro (tuberes) • Doença de Pringle: somente achados dermatológicos • Doença de Bourneville: afeta sistema nervoso central • Síndrome de West: lesões cutâneas associadas a espasmos neonatais, hipsarritmia e retardo mental • Traço autossômico dominante, com elevado número de casos esporádicos. Mais expressivas quanto mais expressão genética • Gene alterado localizado cromossomo 9q34 e 16p13.3 • Genes de considerados supressores tumorais
  • 38. Patologia e Patogênese • Lesões em SN, pele, ossos, retina, rim, pulmões. • Múltiplos nódulos que revestem frequentemente os ventrículos • Nódulos na superfície cortical • Pode ocorrer paquigiria ou microgiria • Pele: adenomas sebáceos (nevos faciais) e retalho ou placas de fibrose cutânea localizados região frontal • Retina: tumores congênitos, inclusive gliomas do nervo ótico • Rabdomiomas cardíacos, cistos renais, doenças císticas dos pulmões
  • 39. Sinais e Sintomas • Grande variabilidade expressiva • Principais características: lesões cutâneas, crises convulsivas e retardo mental • Sintomas cutâneos • Máculas sem pigmentação que já podem estar presentes ao nascimento • Adenoma sebáceo facial; nunca presente ao nascimento, desenvolve até os 4 anos de idade. Distribuição simétrica, em forma de borboleta na face • Outros: manchas café com leite, pequenos fibromas, fibromas ungueais • Sintomas oftálmicos • Harmatomas da retina ou do nervo óptico • Estrabismo não paralítico, atrofia óptica, defeitos campo visual e catarata
  • 40. • Sintomas Neurológicos • Convulsões e retardo mental • Lactentes: espasmos mioclônicos • Adolescentes e adultos: crises tônico clônicas • Importante causa de autismo • Sintomas viscerais • Insuficiência cardíaca • Insuficiência renal • Doença pulmonar • Perfuração do esmalte dos dentes de leite
  • 41.
  • 42. Imagem • Radiografia de crânio: pequenas calcificações na substância do cérebro • TC: alguns nódulos são isodensos, mais fáceis de serem vistos na RNM • RNM: FLAIR: delineamento mais preciso dos tubérculos corticais e subcorticais • Número de tubérculos correlaciona-se com a gravidade
  • 43.
  • 44. Diagnóstico • Neonatal: três ou mais lesões hipocrômicas associadas a espasmos mioclônicos neonatais • Crianças maiores e adultos: tríade: adenoma sebáceo facial, epilepsia e retardo mental. • História familiar e exame de imagem reforçam o diagnóstico
  • 45.
  • 46. Evolução/Prognóstico/Tratamento • Somente envolvimento cutâneo doença geralmente estática • Síndrome franca: progressão com crises convulsivas e demência crescentes • Não existe tratamento específico • Lesões cutâneas podem ser tratadas com cirurgia estética • Epilepsia anticonvulsivantes • Tratamentos cognitivos
  • 47. Bibliografia • Tratado de Neurologia Merrit, 11ª edição, 2007 • Tratado de Neurologia da Academia Brasileira de Neurologia, 1ª edição, 2013 • O exame neurológico, Dejong, 7ª edição, 2014 • Requisitos em Neurorradiologia, 3ª edição, 2011