SlideShare uma empresa Scribd logo
O mundo inteiro é um palco... William Shakespeare
TRAIN SMART  O Treinamento Inteligente por Rich Allen* * Tradução de Jairo Mancilha – Rio de Janeiro – Editora Qualitymark - 2003
Programa 1 –  O Treinamento Inteligente 2 –  Conceito-chave 17 3 –  Conceito-chave 18 4 –  Conclusão
O Treinamento Inteligente Os 25 Conceitos-Chave
CONCEITO-CHAVE  17 ASSUMIR RESPONSABILIDADES
O que é ? Conceito-chave 17:  Assumir Responsabilidades - É tornar o participante ativo e incluído no processo. - É requisitar e valorizar a opinião do participante. - É criar oportunidades para a colaboração do participante - É permitir-lhes “tomar decisões” que os faça assumir parte da responsabilidade pelo seu próprio rendimento no treinamento.
Por que é importante? Conceito-chave 17:  Assumir Responsabilidades - Porque “assumir responsabilidade” motiva o participante. - Porque o participante sente-se valorizado dentro do grupo. - Porque o envolve e proporciona significado ao seu treinamento - Porque denota confiança do instrutor no participante, ampliando sua auto-estima.
Como incorporar? Conceito-chave 17:  Assumir Responsabilidades - Enfatizar com palavras e/ou ações sobre a importância de cada um. - Deixar claro que você valoriza a participação e contribuição. - Fazer o grupo criar suas próprias “regras” para o treinamento - Trabalhar o conteúdo em grupos separados e reagrupar todos para discussão dos resultados. - Permitir que alterem o layout da sala/móveis como quiserem
Como incorporar?   Continuação Conceito-chave 17:  Assumir Responsabilidades - Convidar facilitadores para auxiliarem em parte do treinamento - Compartilhar o sumário do evento perguntando se tudo está de acordo com o esperado. - Solicitar com frequência o ponto de vista dos participantes. - Próximo ao final, permitir-lhes compartilhar o “feedback”. - Solicitar preencherem formulários de avaliação, pois servem como auto-análise individual.
Quando usar? Conceito-chave 17:  Assumir Responsabilidades ,[object Object],- Durante o treinamento, reforçar a posição de participação de todos, nas “tomadas de decisão”, sempre que possível e, o que for negociável.
Quando  não  usar? Conceito-chave 17:  Assumir Responsabilidades ,[object Object],[object Object],[object Object]
Exemplo de Treinamento ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],O treinador envolveu os participantes no processo em vez de falar sobre si mesmo sem qualquer vínculo com o que realmente os participantes querem talvez saber. Conceito-chave 17:  Assumir Responsabilidades Resultado?
Fim do 1º ato TRAIN SMART
Fim do 1º ato TRAIN SMART
 
 
TRAIN SMART  2º ato – As Pausas
CONCEITO-CHAVE  18 PAUSAS  ENTRE RECURSOS VISUAIS
O que é ? - Recursos visuais são slides multimídias, transparências, uso de  flipcharts , distribuição de  handouts , e outros que servem para dar suporte ao conteúdo a transmitir. - O cérebro precisa de tempo livre (pausas) para organizar os dados visuais recebidos. - Não force os participantes a dividirem atenção entre dois estímulos concorrentes. (ouvir e enxergar ou escrever). Conceito-chave 18:  Pausa entre os Recursos Visuais
Por que é importante? Conceito-chave 18:  Pausa entre os Recursos Visuais - Porque quando estímulos diferentes dividem simultaneamente a atenção dos participantes , ocorre distração, confusão, frustração e estresse.  - Porque a pausa adequada facilita a compreensão e memorização bem como, aumenta o prazer de aprender. - Porque o ser humano “desliga” um, ambos ou todos os estímulos sensoriais, que, ao mesmo tempo, afetam sua mente.
Como incorporar? 1 – Explique antes de apresentar ou entregar o material de  conteúdo. Não fale enquanto apresenta recursos visuais.  2 – Apresente o recurso visual antes e peça que o estudem em  silêncio por uns 2 minutos. 3 – Faça pausa. Pense no M.E.P.E. Mostrar/Esperar/Pedir/Explicar 4 – Agora explique o que apresentou visualmente. Conceito-chave 18:  Pausa entre os Recursos Visuais Roteiro:
5 – Pergunte-lhes se entenderam e se tem alguma dúvida! 6 – Dê um tempo adicional se notar que querem fazer anotações. 7 – Se oferecer “ handouts ”, entregue-os antes da sessão começar. 8 – Pregue as folhas do “ Flipchart”  nas paredes para revisão  durante os intervalos ou entre atividades. Conceito-chave 18:  Pausa entre os Recursos Visuais Como incorporar?  Continuação
Quando usar? ,[object Object],[object Object],[object Object],Conceito-chave 18:  Pausa entre os Recursos Visuais
Quando  não  usar? Conceito-chave 18:  Pausa entre os Recursos Visuais a) Uma  pausa longa  pode causar fadiga, inquietação, ansiedade, além de poder denotar despreparo prévio do treinamento ou insegurança do treinador. b) Revisão de tópico ou apresentação de fotografias:  É necessária somente uma  pequena pausa  para o cérebro reorganizar, reorientar e registrar a imagem. ,[object Object]
Exemplo de Treinamento ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Este treinamento já foi falho. O treinador verificou seu erro e decidiu que no próximo treinamento irá observar o acrônimo  M.E.P.E.  (Mostrar/Esperar/Pedir/Explicar) ,  para lembrá-lo de fazer PAUSAS.  Resultado? Conceito-chave 18:  Pausa entre os Recursos Visuais
Conclusão  Em todos os 25 Conceitos-Chaves do  Train Smart  de Rich Allen, encontramos ferramentas para conduzir um treinamento com enorme possibilidade de resultados eficientes e produtivos. É importante  ressaltar que o aprendizado se faz em “via de mão dupla”, onde, por um lado, o participante ensina e gera experiência ao treinador e por outro, este transmite não só conteúdo mas, principalmente envolvimento e motivação. Abraão Dahis ,   arquiteto, consultor em planejamento e gestão de negócios, trainer e palestrante
Fim TRAIN SMART  “ Treinamento tem que ter vida!” Jairo Mancilha
Escola de Palestrantes

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Train Smart - Treinamento Inteligente

É Hora do Show: Como Elevar os Seus Treinamentos a Outro Patamar
É Hora do Show: Como Elevar os Seus Treinamentos a Outro Patamar É Hora do Show: Como Elevar os Seus Treinamentos a Outro Patamar
É Hora do Show: Como Elevar os Seus Treinamentos a Outro Patamar
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
Sessao_3_Apresentacao_Turma_28.pptx
Sessao_3_Apresentacao_Turma_28.pptxSessao_3_Apresentacao_Turma_28.pptx
Sessao_3_Apresentacao_Turma_28.pptx
Ordem dos Biólogos
 
Pauta formativa e observação sala de aula
Pauta formativa e observação sala de aulaPauta formativa e observação sala de aula
Pauta formativa e observação sala de aula
Gelson Rocha
 
Design thinking - livro 5
Design thinking - livro 5Design thinking - livro 5
Design thinking - livro 5
Letícia Spina Tapia
 
Aval de software educativo
Aval  de software educativoAval  de software educativo
Aval de software educativo
verpaguiar
 
Planejamento, execução e avalição da ação educacional
Planejamento, execução e avalição da ação educacional Planejamento, execução e avalição da ação educacional
Planejamento, execução e avalição da ação educacional
Universidade Corporativa do Transporte
 
Metodologias Ativas - AMPLIFICA
Metodologias Ativas - AMPLIFICAMetodologias Ativas - AMPLIFICA
Metodologias Ativas - AMPLIFICA
Elizabeth Fantauzzi
 
Elaboração de Projetos - Eixo 3
Elaboração de Projetos -  Eixo 3Elaboração de Projetos -  Eixo 3
Elaboração de Projetos - Eixo 3
Diana Pilatti
 
Curso - Elaboração de Projetos
Curso - Elaboração de ProjetosCurso - Elaboração de Projetos
Curso - Elaboração de Projetos
lordlue
 
Relat reflex crítica - acacio duarte - Integração de Ferramentas Digitais no ...
Relat reflex crítica - acacio duarte - Integração de Ferramentas Digitais no ...Relat reflex crítica - acacio duarte - Integração de Ferramentas Digitais no ...
Relat reflex crítica - acacio duarte - Integração de Ferramentas Digitais no ...
Acácio Duarte
 
Aprendizagem baseada em projetos e tecnologias móveis
Aprendizagem baseada em projetos e tecnologias móveisAprendizagem baseada em projetos e tecnologias móveis
Aprendizagem baseada em projetos e tecnologias móveis
GILT (Games, Interaction and Learning Technologies) IS Engenharia do Porto
 
Ppt dra guilhermina
Ppt dra guilherminaPpt dra guilhermina
Ppt dra guilhermina
Guilhermina Miranda
 
Ufjf dia15 acoes
Ufjf dia15 acoesUfjf dia15 acoes
Ufjf dia15 acoes
Elisabeth Dudziak
 
Projetos - eixo 1
Projetos - eixo 1Projetos - eixo 1
Projetos - eixo 1
Daniela F Almenara
 
Relatór reflexcrític.sandramarques
Relatór reflexcrític.sandramarquesRelatór reflexcrític.sandramarques
Relatór reflexcrític.sandramarques
Sandra Marques
 
Tarefa 7 - Roteiro de dinamizacao blogue - dicas.pdf
Tarefa 7 - Roteiro de dinamizacao blogue - dicas.pdfTarefa 7 - Roteiro de dinamizacao blogue - dicas.pdf
Tarefa 7 - Roteiro de dinamizacao blogue - dicas.pdf
José Ferreira
 
10 Dicas para aumentar o engajamento do Aluno
10 Dicas para aumentar o engajamento do Aluno10 Dicas para aumentar o engajamento do Aluno
10 Dicas para aumentar o engajamento do Aluno
Letícia Spina Tapia
 
Taxionomia de blun
Taxionomia de blunTaxionomia de blun
Taxionomia de blun
antonio ALVES
 
Oficina conteudos digitais - nte
Oficina conteudos digitais  - nteOficina conteudos digitais  - nte
Oficina conteudos digitais - nte
loizaroncete
 
Workshop de FacilitAção (Duração 8h)
Workshop de FacilitAção (Duração 8h)Workshop de FacilitAção (Duração 8h)
Workshop de FacilitAção (Duração 8h)
Mayra de Souza
 

Semelhante a Train Smart - Treinamento Inteligente (20)

É Hora do Show: Como Elevar os Seus Treinamentos a Outro Patamar
É Hora do Show: Como Elevar os Seus Treinamentos a Outro Patamar É Hora do Show: Como Elevar os Seus Treinamentos a Outro Patamar
É Hora do Show: Como Elevar os Seus Treinamentos a Outro Patamar
 
Sessao_3_Apresentacao_Turma_28.pptx
Sessao_3_Apresentacao_Turma_28.pptxSessao_3_Apresentacao_Turma_28.pptx
Sessao_3_Apresentacao_Turma_28.pptx
 
Pauta formativa e observação sala de aula
Pauta formativa e observação sala de aulaPauta formativa e observação sala de aula
Pauta formativa e observação sala de aula
 
Design thinking - livro 5
Design thinking - livro 5Design thinking - livro 5
Design thinking - livro 5
 
Aval de software educativo
Aval  de software educativoAval  de software educativo
Aval de software educativo
 
Planejamento, execução e avalição da ação educacional
Planejamento, execução e avalição da ação educacional Planejamento, execução e avalição da ação educacional
Planejamento, execução e avalição da ação educacional
 
Metodologias Ativas - AMPLIFICA
Metodologias Ativas - AMPLIFICAMetodologias Ativas - AMPLIFICA
Metodologias Ativas - AMPLIFICA
 
Elaboração de Projetos - Eixo 3
Elaboração de Projetos -  Eixo 3Elaboração de Projetos -  Eixo 3
Elaboração de Projetos - Eixo 3
 
Curso - Elaboração de Projetos
Curso - Elaboração de ProjetosCurso - Elaboração de Projetos
Curso - Elaboração de Projetos
 
Relat reflex crítica - acacio duarte - Integração de Ferramentas Digitais no ...
Relat reflex crítica - acacio duarte - Integração de Ferramentas Digitais no ...Relat reflex crítica - acacio duarte - Integração de Ferramentas Digitais no ...
Relat reflex crítica - acacio duarte - Integração de Ferramentas Digitais no ...
 
Aprendizagem baseada em projetos e tecnologias móveis
Aprendizagem baseada em projetos e tecnologias móveisAprendizagem baseada em projetos e tecnologias móveis
Aprendizagem baseada em projetos e tecnologias móveis
 
Ppt dra guilhermina
Ppt dra guilherminaPpt dra guilhermina
Ppt dra guilhermina
 
Ufjf dia15 acoes
Ufjf dia15 acoesUfjf dia15 acoes
Ufjf dia15 acoes
 
Projetos - eixo 1
Projetos - eixo 1Projetos - eixo 1
Projetos - eixo 1
 
Relatór reflexcrític.sandramarques
Relatór reflexcrític.sandramarquesRelatór reflexcrític.sandramarques
Relatór reflexcrític.sandramarques
 
Tarefa 7 - Roteiro de dinamizacao blogue - dicas.pdf
Tarefa 7 - Roteiro de dinamizacao blogue - dicas.pdfTarefa 7 - Roteiro de dinamizacao blogue - dicas.pdf
Tarefa 7 - Roteiro de dinamizacao blogue - dicas.pdf
 
10 Dicas para aumentar o engajamento do Aluno
10 Dicas para aumentar o engajamento do Aluno10 Dicas para aumentar o engajamento do Aluno
10 Dicas para aumentar o engajamento do Aluno
 
Taxionomia de blun
Taxionomia de blunTaxionomia de blun
Taxionomia de blun
 
Oficina conteudos digitais - nte
Oficina conteudos digitais  - nteOficina conteudos digitais  - nte
Oficina conteudos digitais - nte
 
Workshop de FacilitAção (Duração 8h)
Workshop de FacilitAção (Duração 8h)Workshop de FacilitAção (Duração 8h)
Workshop de FacilitAção (Duração 8h)
 

Train Smart - Treinamento Inteligente

  • 1. O mundo inteiro é um palco... William Shakespeare
  • 2. TRAIN SMART O Treinamento Inteligente por Rich Allen* * Tradução de Jairo Mancilha – Rio de Janeiro – Editora Qualitymark - 2003
  • 3. Programa 1 – O Treinamento Inteligente 2 – Conceito-chave 17 3 – Conceito-chave 18 4 – Conclusão
  • 4. O Treinamento Inteligente Os 25 Conceitos-Chave
  • 5. CONCEITO-CHAVE 17 ASSUMIR RESPONSABILIDADES
  • 6. O que é ? Conceito-chave 17: Assumir Responsabilidades - É tornar o participante ativo e incluído no processo. - É requisitar e valorizar a opinião do participante. - É criar oportunidades para a colaboração do participante - É permitir-lhes “tomar decisões” que os faça assumir parte da responsabilidade pelo seu próprio rendimento no treinamento.
  • 7. Por que é importante? Conceito-chave 17: Assumir Responsabilidades - Porque “assumir responsabilidade” motiva o participante. - Porque o participante sente-se valorizado dentro do grupo. - Porque o envolve e proporciona significado ao seu treinamento - Porque denota confiança do instrutor no participante, ampliando sua auto-estima.
  • 8. Como incorporar? Conceito-chave 17: Assumir Responsabilidades - Enfatizar com palavras e/ou ações sobre a importância de cada um. - Deixar claro que você valoriza a participação e contribuição. - Fazer o grupo criar suas próprias “regras” para o treinamento - Trabalhar o conteúdo em grupos separados e reagrupar todos para discussão dos resultados. - Permitir que alterem o layout da sala/móveis como quiserem
  • 9. Como incorporar? Continuação Conceito-chave 17: Assumir Responsabilidades - Convidar facilitadores para auxiliarem em parte do treinamento - Compartilhar o sumário do evento perguntando se tudo está de acordo com o esperado. - Solicitar com frequência o ponto de vista dos participantes. - Próximo ao final, permitir-lhes compartilhar o “feedback”. - Solicitar preencherem formulários de avaliação, pois servem como auto-análise individual.
  • 10.
  • 11.
  • 12.
  • 13. Fim do 1º ato TRAIN SMART
  • 14. Fim do 1º ato TRAIN SMART
  • 15.  
  • 16.  
  • 17. TRAIN SMART 2º ato – As Pausas
  • 18. CONCEITO-CHAVE 18 PAUSAS ENTRE RECURSOS VISUAIS
  • 19. O que é ? - Recursos visuais são slides multimídias, transparências, uso de flipcharts , distribuição de handouts , e outros que servem para dar suporte ao conteúdo a transmitir. - O cérebro precisa de tempo livre (pausas) para organizar os dados visuais recebidos. - Não force os participantes a dividirem atenção entre dois estímulos concorrentes. (ouvir e enxergar ou escrever). Conceito-chave 18: Pausa entre os Recursos Visuais
  • 20. Por que é importante? Conceito-chave 18: Pausa entre os Recursos Visuais - Porque quando estímulos diferentes dividem simultaneamente a atenção dos participantes , ocorre distração, confusão, frustração e estresse. - Porque a pausa adequada facilita a compreensão e memorização bem como, aumenta o prazer de aprender. - Porque o ser humano “desliga” um, ambos ou todos os estímulos sensoriais, que, ao mesmo tempo, afetam sua mente.
  • 21. Como incorporar? 1 – Explique antes de apresentar ou entregar o material de conteúdo. Não fale enquanto apresenta recursos visuais. 2 – Apresente o recurso visual antes e peça que o estudem em silêncio por uns 2 minutos. 3 – Faça pausa. Pense no M.E.P.E. Mostrar/Esperar/Pedir/Explicar 4 – Agora explique o que apresentou visualmente. Conceito-chave 18: Pausa entre os Recursos Visuais Roteiro:
  • 22. 5 – Pergunte-lhes se entenderam e se tem alguma dúvida! 6 – Dê um tempo adicional se notar que querem fazer anotações. 7 – Se oferecer “ handouts ”, entregue-os antes da sessão começar. 8 – Pregue as folhas do “ Flipchart” nas paredes para revisão durante os intervalos ou entre atividades. Conceito-chave 18: Pausa entre os Recursos Visuais Como incorporar? Continuação
  • 23.
  • 24.
  • 25.
  • 26. Conclusão Em todos os 25 Conceitos-Chaves do Train Smart de Rich Allen, encontramos ferramentas para conduzir um treinamento com enorme possibilidade de resultados eficientes e produtivos. É importante ressaltar que o aprendizado se faz em “via de mão dupla”, onde, por um lado, o participante ensina e gera experiência ao treinador e por outro, este transmite não só conteúdo mas, principalmente envolvimento e motivação. Abraão Dahis , arquiteto, consultor em planejamento e gestão de negócios, trainer e palestrante
  • 27. Fim TRAIN SMART “ Treinamento tem que ter vida!” Jairo Mancilha

Notas do Editor

  1. Assumir Responsabilidades