SlideShare uma empresa Scribd logo
R EDES S OCIAIS :                    ALGUNS
 CONCEITOS E TECNOLOGIAS
Proposta de Intervenção em Contexto de Biblioteca
                     Escolar




            Projecto elaborado no âmbito da Acção de Formação
            “Biblioteca Escolar, Literacias e Currículo”, realizada
            no CFAE Marco-Cinfâes




     Hermínia da Conceição Marques dos Santos

              9 de Setembro de 2010
Índice



Objectivos ....................................................................................................................................... 3
Introdução....................................................................................................................................... 4
1. Conceito de rede social ............................................................................................................. 4
2. Ferramentas Sociais da Web 2.0 ............................................................................................. 5
3. Vantagens das redes sociais na biblioteca.............................................................................. 6
Conclusão ........................................................................................................................................ 7
Bibliografia ...................................................................................................................................... 8
Anexo ............................................................................................................................................ 9
REDES SOCIAIS: ALGUNS CONCEITOS E TECNOLOGIAS




OBJECTIVOS




 Com este Projecto de Intervenção em Contexto de Biblioteca Escolar
 pretende-se:


       Distinguir algumas tecnologias sociais;
       Desenvolver competências na área das literacias digitais e da
       informação;
       Proporcionar um guião de utilização de um instrumento de gestão
       dos recursos digitais (Diigo);
       Avaliar algumas das potencialidades associadas à utilização das
       redes sociais virtuais, no âmbito da biblioteca escolar.




                Hermínia da Conceição Marques dos Santos                 3
REDES SOCIAIS: ALGUNS CONCEITOS E TECNOLOGIAS




INTRODUÇÃO

A era da informação e comunicação em que vivemos tem vindo a acarretar
grandes mudanças culturais, sociais e tecnológicas. Mas não só. Ela também traz
novas competências e formas de ensinar e aprender. Pensemos no aparecimento
da World Wide Web, assente na ideia de partilha e de fácil acesso ao
conhecimento e à comunicação. São novos desafios que surgem e a biblioteca
escolar deve estar preparada para enfrentá-los e, sempre que necessário,
modificar as suas práticas, adaptando-se ao mundo informacional do século XXI.




1. CONCEITO DE REDE SOCIAL


Nascidos no século passado, fomos formados na fragmentação de saber. Em
contrapartida, no século XXI, vivemos problemas e crises mundiais que implicam a
procura de soluções globalizantes e a criação de equipas multidisciplinares,
capazes de pensar, criticar, criar e agir face à imprevisibilidade. O século XXI é,
sobretudo, um tempo de mudanças e novos desafios.

É neste contexto tecnológico, comunicacional e de saberes que devemos
compreender a importância acrescida que as redes têm vindo a tomar. Redes
sociais existem desde tempos remotos. A novidade está no suporte em que
assentam, estabelecendo-se não em espaços físicos, mas sim em meios virtuais.

Características como a persistência (a informação online não pode ser eliminada),
pesquisabilidade (a informação pode ser acedida por qualquer pessoa, em
qualquer tempo ou espaço), replicabilidade (o controle da propriedade intelectual
passa a ser difícil, pois pode ser utilizado para fins distintos dos originais) e



                Hermínia da Conceição Marques dos Santos                       4
REDES SOCIAIS: ALGUNS CONCEITOS E TECNOLOGIAS


invisibilidade (desconhecemos os indivíduos que partilham a informação)
permitem diferenciar as redes sociais virtuais das reais.

Contrariamente a uma rede de pesca ou a uma teia de aranha, as redes biológicas
não são materiais, mas sim funcionais, autogenerativas1 e de relacionamento. Tal
como as redes biológicas, as redes sociais estabelecem trocas, embora de
conteúdo distinto: matéria para as primeiras; informação e ideias para as redes
sociais. Assim, podemos definir rede social como o conjunto de pessoas, grupos,
organizações ou formações sociais (como os países) que estão interligadas por
grupos de relacionamentos.

Note-se que a grande rede de comunicação global é, sem dúvida, a Internet. Cada
vez é mais fácil estabelecer conexões entre pessoas, independentemente do
espaço onde se encontrem, através de meios electrónicos e digitais.




2. FERRAMENTAS SOCIAIS DA WEB 2.0


Falar de redes sociais significa ainda abordar a noção de Web 2.0. Assente no
espírito de livre acesso (open source), colaboração e partilha, implica a alteração
do modelos de ensino, dando ênfase aos métodos activos de aprendizagem,
centrados no aprendente. Factores como idade, tempo e espaço deixam de ser
relevantes para quem aprende.

São diversas as tecnologias que a Web coloca ao dispor do utilizador. Muitas vezes
associa-se investimento em tecnologias a um aumento de custos. Trata-se de uma
ideia errónea, pois existe uma grande oferta de software livre, geralmente gratuito
e que a biblioteca não deve desperdiçar para o seu trabalho, pois permite criar
soluções personalizadas, promover o trabalho em colaboração, partilhar
experiências e conhecimentos, rentabilizando recursos financeiros.



1
 Capra (2008) considera que as redes vivas “criam-se e recriam-se continuamente, transformando-se ou
substituindo os seus componentes” (p. 20).


                    Hermínia da Conceição Marques dos Santos                                   5
REDES SOCIAIS: ALGUNS CONCEITOS E TECNOLOGIAS


Desde os serviços de comunicação síncrona (como o Messenger, o Skype ou o
Dimdim), até aos mapas mentais (destacando-se o Mindomo e o Mindmap) que
permitem representar o conhecimento, a Web 2.0 oferece uma panóplia de
aplicações.

Assim, se a biblioteca escolar pretender divulgar uma actividade, serviço ou mera
informação, porque não fazê-lo através de um blogue (http://biblioteca-
baiao.blogs.sapo.pt) ou do Facebook (http://www.facebook.com – pesquisar pelo
correio electrónico biblioteca.ebsbaiao@sapo.pt ou por “Biblioteca Escola Baião)?
A construção de um repositório de recursos digitais não deverá também estar nas
preocupações                   da                 biblioteca                 escolar
(http://bibliotecaebsbaiao.webnode.com/saber)? O Youtube não poderá ser
utilizado     como    meio     de    divulgação       de    trabalhos   de   alunos
(http://www.youtube.com/watch?v=4e5Z1nU9I4s&feature=related)?            E   porque
não criar um espaço on-line onde se faça a gestão de sites e organizem, indexem e
partilhem esses favoritos (http://www.diigo.com/user/bibliotecabaiao)?

As potencialidades da Web 2.0 são imensas. Depende apenas da criatividade e
interesse da Equipa da Biblioteca a sua utilização.




3. VANTAGENS DAS REDES SOCIAIS NA BIBLIOTECA


Como acabamos de ver, as redes sociais têm uma aplicabilidade diversificada no
trabalho da biblioteca e no ensino em geral. Elas facilitam e democratizam o
acesso à informação e conhecimento. Enquanto canais de comunicação, permitem
a difusão rápida de experiências e trabalhos entre os professores bibliotecários.

Ao abrirem o espaço cultural, as redes sociais possibilitam as interacções entre
indivíduos de contextos geográfico-espaciais diferentes, sem se prenderem com




                 Hermínia da Conceição Marques dos Santos                       6
REDES SOCIAIS: ALGUNS CONCEITOS E TECNOLOGIAS


limitações de horários ou espaços físicos, flexibilizando e complementando
práticas.

Entre outros contributos, sucintamente, podemos destacar as seguintes vantagens
nas redes sociais:

    Rapidez e facilidade no acesso à informação;

    Possibilidade de relacionar-se com pessoas com interesses comuns
     (profissionais, académicos, pessoais);

    Criação de novas formas de aprendizagem (construção activa e
     colaborativa do conhecimento);

    Abertura do espaço cultural;

    Criação de novos espaços e tempos de formação, leitura e escrita.



Tal como atravessarmos uma rua ou qualquer outra actividade do dia-a-dia, estas
novas formas de comunicar e de se relacionar trazem consigo novos problemas e
questões. Basta pensarmos nos riscos associados ao copyright ou desrespeito pela
propriedade individual, com a violação de direitos de autor, resultantes da
pirataria. O que fazer? Bom senso, espírito crítico, (in)formação, avaliação da
informação, são atitudes que ajudam na prevenção.




CONCLUSÃO


As ferramentas sociais e colaborativas da Web, como o social bookmarking,
partilha de vídeos on-line, weblogs, espaços de conversação em linha, fóruns, são
alguns dos recursos que o professor poderá e deverá utilizar e ensinar a usar. Nas
bibliotecas, a Equipa responsável pela dinamização deste espaço, não pode perder
as potencialidades do dinamismo interactivo da Web 2.0. Há riscos e perigos que
importa conhecer, sem nunca perder de vista os benefícios que se pode colher.
Está na hora de experimentar.



                 Hermínia da Conceição Marques dos Santos                     7
REDES SOCIAIS: ALGUNS CONCEITOS E TECNOLOGIAS



BIBLIOGRAFIA


CAPRA, Fritjof – Vivendo Redes. In DUARTE, Fábio; QUANDT, Carlos; SOUZA, Queila
– O tempo das redes. São Paulo: Perspectiva, 2008, p. 17-29.

CASTELLS, Manuel – A Galáxia Internet. Reflexões sobre Internet, Negócios e
Sociedade. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2007.

COELHO, José Dias, coord. - Sociedade da Informação - O percurso português.
Lisboa: Edições Sílabo, 2007.

DUARTE, Fábio; QUANDT, Carlos; SOUZA, Queila – O tempo das redes. São Paulo:
Perspectiva, 2008.

FUMERO, Antonio; ROCA, Genís – Web 2.0. [s.l.]: Fundación Orange, 2007.

LAGARTO, José – Educar na Era das Novas Tecnologias. In CAMPOS, Luísa;
VERÍSSIMO, Lurdes, org. – Aprender a Educar. Guia para Pais e Educadores. Gaia:
Fundação Manuel Leão, 2010, p. 133-151.

SILVA, Manuela; FILIPE, Maria João - O papel da Biblioteca Escolar e do professor-
bibliotecário no ensino-aprendizagem. Apresentação realizada na acção de
formação com o mesmo nome. Porto: Rede de Bibliotecas Escolares, 2008.

ZURITA SÁNCHEZ, J. M. - Software livre: una alternative para la gestión de recursos
de información en bibliotecas. México: Instituto de Investigaciones Antropológicas,
[s.d.], Disponível em
http://eprints.rclis.org/13770/1/software_libre_alternativa.pdf [acedido em 23-
05-2010].




                Hermínia da Conceição Marques dos Santos                       8
REDES SOCIAIS: ALGUNS CONCEITOS E TECNOLOGIAS



ANEXO




     DIIGO, UM
  MARCADOR SOCIAL




        Hermínia da Conceição Marques dos Santos        9
Diigo, um marcador social
Os social bookmarking ou favoritos sociais são espaços na Internet que nos permitem alojar
os nossos sites favoritos e partilhá-los com os amigos, colegas ou alunos. Assim, quando
temos um endereço electrónico e pretendemos guardá-lo para uma consulta posterior,
podemos fazê-lo utilizando um marcador social como o Delicious ou o Diigo. Vejamos como
funciona este último, o Diigo. Depois de acedermos ao site (http://www.diigo.com),
seleccionamos Get Start Now.




No ecrã seguinte, preencha os dados que lhe são pedidos: Choose a username (escolha um
nome de utilizador. Não utilize espaços entre os caracteres. Este nome aparecerá na barra
de endereços), First name (nome/pseudónimo) e Last name (apelido/pseudónimo), Email,
Choose a Password (escolher uma Palavra-Chave), Retype Password (Reescrever a Palavra-
Chave). Para concluir coopie as letras que lhe aparecem no ecrã e faça Continue.
Surge-lhe um ecrã semelhante ao que abaixo se mostra lembrando-lhe que deverá activar
esta conta através do seu correio electrónico. Aí, na mensagem do Diigo, carregue no link
que lhe aparece ou faça uma cópia desse link para a barra de endereços da Internet.




No final da activação está pronto a adicionar Favoritos (Bookmarks).




                       Hermínia da Conceição Marques dos Santos
A adição de um Favorito é simples. Só é necessário preencher os campos que lhe são
pedidos: o link (URL) que quer adicionar, o Título (Title) da página, as Tags ou etiquetas que
vão indexar o seu site. Note que pode escrever mais do que uma etiqueta. Para isso, basta
separar as palavras por espaços e, no caso, de querer utilizar uma expressão deve ser
introduzida entre aspas (ver exemplo apresentado “educação para a saúde”). Carregando
em more options será aberta uma caixa onde pode escrever uma pequena descrição ou
resumo sobre o site escolhido. Se não pretender que os outros vejam o seu site, seleccione,
em cima, Private. No caso de, posteriormente, pretender ver melhor este site, escolha Read
Later. No final faça Add New Bookmark.




Para adicionar mais Favoritos poderá fazê-lo entrando nesta aplicação (em Sign in) e
digitando o endereço de correio electrónico e a palavra-chave.




                       Hermínia da Conceição Marques dos Santos
Depois é só escolher Add / New Bookmark.




Se instalar o Diigo na barra de ferramentas do seu computador, a adição de Favoritos é
muito mais rápida. Para isso, carregue em Tools e depois em Get it in…




                      Hermínia da Conceição Marques dos Santos
Faça instalar e confirme essa instalação (neste caso, está a ser usado Google Chrome, mas
com o Firefox e o Internet Explorer os procedimentos são idênticos).




Com esta operação, o Diigo passou a estar instalado na barra de ferramentas do seu
computador.




                      Hermínia da Conceição Marques dos Santos
Que vantagem lhe traz esta instalação? Quando estiver num site e lhe interessar adicioná-lo
aos seus Favoritos, só tem que carregar no ícone correspondente ao Diigo, que se encontra
na barra de ferramentas e gravar (save). Não se esqueça de acrescentar as etiquetas (tags) e
outras informações que lhe interesse.




Por defeito, os Favoritos são mostrados por ordem cronológica, aparecendo 20 por página.
Poderá alterar o número de links visíveis (para 50 ou 100) no fim da página. Carregando em
Next terá acesso às páginas seguintes.




Para além de adicionar os seus Favoritos, o Diigo tem outras potencialidades. Permite-lhe
criar grupos ou adicionar-se a outros já existentes, partilhando os seus Favoritos. Para isso,
deve ir a My Groups. Aí, pode optar por Criar um Grupo (Create a group) ou juntar-se a
grupos já existentes (Browse other popular groups e depois pesquisar os grupos através do
Search ou das categorias que aí são apresentadas.




                       Hermínia da Conceição Marques dos Santos
Mas outras coisas podem ser feitas com este marcador social, como a possibilidade de criar
uma lista onde se agrupem diversos Favoritos.




Nada como experimentar o trabalho com esta ferramenta da Web 2.0. Nós já o fizemos.
Basta consultar http://www.diigo.com/user/bibliotecabaiao. Boas navegações!




                      Hermínia da Conceição Marques dos Santos

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ensinar e-aprender-no-mundo-digital-fasciculo-1-fundamentos-para-a-pratica-pe...
Ensinar e-aprender-no-mundo-digital-fasciculo-1-fundamentos-para-a-pratica-pe...Ensinar e-aprender-no-mundo-digital-fasciculo-1-fundamentos-para-a-pratica-pe...
Ensinar e-aprender-no-mundo-digital-fasciculo-1-fundamentos-para-a-pratica-pe...
clsilvaaaa
 
PrêMio Instituto Vivo Toda CriançA Em Rede
PrêMio Instituto Vivo Toda CriançA Em RedePrêMio Instituto Vivo Toda CriançA Em Rede
PrêMio Instituto Vivo Toda CriançA Em Rede
Projeto Criança em Rede
 
Artigo blog ufsm
Artigo blog ufsmArtigo blog ufsm
Artigo blog ufsm
Daniela Menezes
 
Cibercultura e Educação - Desafios
Cibercultura e Educação - DesafiosCibercultura e Educação - Desafios
Cibercultura e Educação - Desafios
MAURILIO LUIELE
 
Oficina senid - 2013 - redes sociais na educação - vfinal
Oficina   senid - 2013 - redes sociais na educação - vfinalOficina   senid - 2013 - redes sociais na educação - vfinal
Oficina senid - 2013 - redes sociais na educação - vfinal
Educação Online e em Rede
 
CULTURA DIGITAL DEFINIÇÃO E DIMENSÕES CONSTITUTIVAS: uma proposta para mapear...
CULTURA DIGITAL DEFINIÇÃO E DIMENSÕES CONSTITUTIVAS: uma proposta para mapear...CULTURA DIGITAL DEFINIÇÃO E DIMENSÕES CONSTITUTIVAS: uma proposta para mapear...
CULTURA DIGITAL DEFINIÇÃO E DIMENSÕES CONSTITUTIVAS: uma proposta para mapear...
Luis Borges Gouveia
 
Of formação_be_web20_mod2_intro
Of formação_be_web20_mod2_introOf formação_be_web20_mod2_intro
Of formação_be_web20_mod2_intro
Teresa Pombo
 
Educação e ciberspaço
Educação e ciberspaçoEducação e ciberspaço
Educação e ciberspaço
Marcelo Henderson Salles
 
As Tecnologias de Informação e Comunicação no Contexto Educacional
As Tecnologias de Informação e Comunicação no Contexto EducacionalAs Tecnologias de Informação e Comunicação no Contexto Educacional
As Tecnologias de Informação e Comunicação no Contexto Educacional
PROFIGESTÃO - Profissionais em Gestão de Empresas e Pessoas
 
Redes Sociais Virtuais e AVA - Apresentação
Redes Sociais Virtuais e AVA - ApresentaçãoRedes Sociais Virtuais e AVA - Apresentação
Redes Sociais Virtuais e AVA - Apresentação
luizaselis
 
Cibercultura e Educação
Cibercultura e EducaçãoCibercultura e Educação
Cibercultura e Educação
Fernandes Rocha Junior
 
Criminalidade invisível: os riscos das redes sociais
Criminalidade invisível: os riscos das redes sociaisCriminalidade invisível: os riscos das redes sociais
Criminalidade invisível: os riscos das redes sociais
Sónia Cruz
 
Educação e cibercultura
Educação e ciberculturaEducação e cibercultura
Educação e cibercultura
nicepeda
 
Leitura internacional da América Latina no Brasil 2019
Leitura internacional da América Latina no Brasil 2019Leitura internacional da América Latina no Brasil 2019
Leitura internacional da América Latina no Brasil 2019
fabiolamore
 
A oportunidade de um novo normal no ensino superior
A oportunidade de um novo normal no ensino superiorA oportunidade de um novo normal no ensino superior
A oportunidade de um novo normal no ensino superior
Luis Borges Gouveia
 
Artigo filosofia andrea_caramaschi
Artigo  filosofia andrea_caramaschiArtigo  filosofia andrea_caramaschi
Artigo filosofia andrea_caramaschi
Andrea Caramaschi
 
Os professores e o desafio comunicacional da cibercultura
Os professores e o desafio comunicacional da ciberculturaOs professores e o desafio comunicacional da cibercultura
Os professores e o desafio comunicacional da cibercultura
isaberlandi
 
Mapa Conceitual
Mapa ConceitualMapa Conceitual
Mapa Conceitual
maglomaria
 
Redes Sociais ou Sociedades em Rede
Redes Sociais ou Sociedades em RedeRedes Sociais ou Sociedades em Rede
Redes Sociais ou Sociedades em Rede
Henrique Santos
 
Que Educação "Tecnológica"?
Que Educação "Tecnológica"?Que Educação "Tecnológica"?
Que Educação "Tecnológica"?
Henrique Santos
 

Mais procurados (20)

Ensinar e-aprender-no-mundo-digital-fasciculo-1-fundamentos-para-a-pratica-pe...
Ensinar e-aprender-no-mundo-digital-fasciculo-1-fundamentos-para-a-pratica-pe...Ensinar e-aprender-no-mundo-digital-fasciculo-1-fundamentos-para-a-pratica-pe...
Ensinar e-aprender-no-mundo-digital-fasciculo-1-fundamentos-para-a-pratica-pe...
 
PrêMio Instituto Vivo Toda CriançA Em Rede
PrêMio Instituto Vivo Toda CriançA Em RedePrêMio Instituto Vivo Toda CriançA Em Rede
PrêMio Instituto Vivo Toda CriançA Em Rede
 
Artigo blog ufsm
Artigo blog ufsmArtigo blog ufsm
Artigo blog ufsm
 
Cibercultura e Educação - Desafios
Cibercultura e Educação - DesafiosCibercultura e Educação - Desafios
Cibercultura e Educação - Desafios
 
Oficina senid - 2013 - redes sociais na educação - vfinal
Oficina   senid - 2013 - redes sociais na educação - vfinalOficina   senid - 2013 - redes sociais na educação - vfinal
Oficina senid - 2013 - redes sociais na educação - vfinal
 
CULTURA DIGITAL DEFINIÇÃO E DIMENSÕES CONSTITUTIVAS: uma proposta para mapear...
CULTURA DIGITAL DEFINIÇÃO E DIMENSÕES CONSTITUTIVAS: uma proposta para mapear...CULTURA DIGITAL DEFINIÇÃO E DIMENSÕES CONSTITUTIVAS: uma proposta para mapear...
CULTURA DIGITAL DEFINIÇÃO E DIMENSÕES CONSTITUTIVAS: uma proposta para mapear...
 
Of formação_be_web20_mod2_intro
Of formação_be_web20_mod2_introOf formação_be_web20_mod2_intro
Of formação_be_web20_mod2_intro
 
Educação e ciberspaço
Educação e ciberspaçoEducação e ciberspaço
Educação e ciberspaço
 
As Tecnologias de Informação e Comunicação no Contexto Educacional
As Tecnologias de Informação e Comunicação no Contexto EducacionalAs Tecnologias de Informação e Comunicação no Contexto Educacional
As Tecnologias de Informação e Comunicação no Contexto Educacional
 
Redes Sociais Virtuais e AVA - Apresentação
Redes Sociais Virtuais e AVA - ApresentaçãoRedes Sociais Virtuais e AVA - Apresentação
Redes Sociais Virtuais e AVA - Apresentação
 
Cibercultura e Educação
Cibercultura e EducaçãoCibercultura e Educação
Cibercultura e Educação
 
Criminalidade invisível: os riscos das redes sociais
Criminalidade invisível: os riscos das redes sociaisCriminalidade invisível: os riscos das redes sociais
Criminalidade invisível: os riscos das redes sociais
 
Educação e cibercultura
Educação e ciberculturaEducação e cibercultura
Educação e cibercultura
 
Leitura internacional da América Latina no Brasil 2019
Leitura internacional da América Latina no Brasil 2019Leitura internacional da América Latina no Brasil 2019
Leitura internacional da América Latina no Brasil 2019
 
A oportunidade de um novo normal no ensino superior
A oportunidade de um novo normal no ensino superiorA oportunidade de um novo normal no ensino superior
A oportunidade de um novo normal no ensino superior
 
Artigo filosofia andrea_caramaschi
Artigo  filosofia andrea_caramaschiArtigo  filosofia andrea_caramaschi
Artigo filosofia andrea_caramaschi
 
Os professores e o desafio comunicacional da cibercultura
Os professores e o desafio comunicacional da ciberculturaOs professores e o desafio comunicacional da cibercultura
Os professores e o desafio comunicacional da cibercultura
 
Mapa Conceitual
Mapa ConceitualMapa Conceitual
Mapa Conceitual
 
Redes Sociais ou Sociedades em Rede
Redes Sociais ou Sociedades em RedeRedes Sociais ou Sociedades em Rede
Redes Sociais ou Sociedades em Rede
 
Que Educação "Tecnológica"?
Que Educação "Tecnológica"?Que Educação "Tecnológica"?
Que Educação "Tecnológica"?
 

Destaque

Aplicaciones Nucleares OIEA
Aplicaciones Nucleares OIEAAplicaciones Nucleares OIEA
Aplicaciones Nucleares OIEA
Zuniga Agustin
 
Midias sociais - como as empresas estão se adaptando
Midias sociais - como as empresas estão se adaptandoMidias sociais - como as empresas estão se adaptando
Midias sociais - como as empresas estão se adaptando
Caio Mattos
 
CVenglish new1
CVenglish new1CVenglish new1
CVenglish new1
Regina Papp
 
CEMB vibration division 2016
CEMB vibration division 2016CEMB vibration division 2016
CEMB vibration division 2016
Luigi Ravasio
 
Protea Hotel Wanderers Fact Sheet
Protea Hotel Wanderers Fact SheetProtea Hotel Wanderers Fact Sheet
Protea Hotel Wanderers Fact Sheet
Protea Hotels by Marriott ®
 
Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita - Programa Fundamental - Tomo I
Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita - Programa Fundamental - Tomo IEstudo Sistematizado da Doutrina Espírita - Programa Fundamental - Tomo I
Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita - Programa Fundamental - Tomo I
. Sobrenome
 
Nutrición para Rumiantes en Pastoreo
Nutrición para Rumiantes en PastoreoNutrición para Rumiantes en Pastoreo
Nutrición para Rumiantes en Pastoreo
Gardening
 
Cad(2)
 Cad(2) Cad(2)
Cad(2)
Rildo Borges
 
Culinária maranhense
Culinária maranhense Culinária maranhense
Culinária maranhense
Iolete de Fátima Oliveira Martins
 
Guía Jaha 2016
Guía Jaha 2016Guía Jaha 2016
Guía Jaha 2016
Luis Noguera
 
Vestibuloplastia por epitelización secundaria Técnica de Clark
Vestibuloplastia por epitelización secundaria Técnica de ClarkVestibuloplastia por epitelización secundaria Técnica de Clark
Vestibuloplastia por epitelización secundaria Técnica de Clark
OmarxJer
 
Comunidades virtuales y redes sociales
Comunidades virtuales y redes socialesComunidades virtuales y redes sociales
Comunidades virtuales y redes sociales
Javier Vargas
 
Clorhexidina
ClorhexidinaClorhexidina
Clorhexidina
Milton Lazo Yzaga
 
Principle of motion economy presented at BSTQM
Principle of motion economy presented at BSTQMPrinciple of motion economy presented at BSTQM
Principle of motion economy presented at BSTQM
Engr. Abdun Noor
 
O Discipulado Cristão na Carta aos Filipenses
O Discipulado Cristão na Carta aos FilipensesO Discipulado Cristão na Carta aos Filipenses
O Discipulado Cristão na Carta aos Filipenses
JUERP
 
Beltronic Consultancy profile
Beltronic Consultancy profileBeltronic Consultancy profile
Beltronic Consultancy profile
Amar Shah
 
Ejercicio 1 diagrama de flujo
Ejercicio 1 diagrama de flujoEjercicio 1 diagrama de flujo
Ejercicio 1 diagrama de flujo
lisvancelis
 
Power Plant Chemistry FEED WATER TREATMENT
Power Plant Chemistry FEED WATER TREATMENTPower Plant Chemistry FEED WATER TREATMENT
Power Plant Chemistry FEED WATER TREATMENT
Dilip Kumar
 
(NEU) Beacon Global - Fisk Alloy
(NEU) Beacon Global - Fisk Alloy(NEU) Beacon Global - Fisk Alloy
(NEU) Beacon Global - Fisk Alloy
AlexisCuny2010
 

Destaque (19)

Aplicaciones Nucleares OIEA
Aplicaciones Nucleares OIEAAplicaciones Nucleares OIEA
Aplicaciones Nucleares OIEA
 
Midias sociais - como as empresas estão se adaptando
Midias sociais - como as empresas estão se adaptandoMidias sociais - como as empresas estão se adaptando
Midias sociais - como as empresas estão se adaptando
 
CVenglish new1
CVenglish new1CVenglish new1
CVenglish new1
 
CEMB vibration division 2016
CEMB vibration division 2016CEMB vibration division 2016
CEMB vibration division 2016
 
Protea Hotel Wanderers Fact Sheet
Protea Hotel Wanderers Fact SheetProtea Hotel Wanderers Fact Sheet
Protea Hotel Wanderers Fact Sheet
 
Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita - Programa Fundamental - Tomo I
Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita - Programa Fundamental - Tomo IEstudo Sistematizado da Doutrina Espírita - Programa Fundamental - Tomo I
Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita - Programa Fundamental - Tomo I
 
Nutrición para Rumiantes en Pastoreo
Nutrición para Rumiantes en PastoreoNutrición para Rumiantes en Pastoreo
Nutrición para Rumiantes en Pastoreo
 
Cad(2)
 Cad(2) Cad(2)
Cad(2)
 
Culinária maranhense
Culinária maranhense Culinária maranhense
Culinária maranhense
 
Guía Jaha 2016
Guía Jaha 2016Guía Jaha 2016
Guía Jaha 2016
 
Vestibuloplastia por epitelización secundaria Técnica de Clark
Vestibuloplastia por epitelización secundaria Técnica de ClarkVestibuloplastia por epitelización secundaria Técnica de Clark
Vestibuloplastia por epitelización secundaria Técnica de Clark
 
Comunidades virtuales y redes sociales
Comunidades virtuales y redes socialesComunidades virtuales y redes sociales
Comunidades virtuales y redes sociales
 
Clorhexidina
ClorhexidinaClorhexidina
Clorhexidina
 
Principle of motion economy presented at BSTQM
Principle of motion economy presented at BSTQMPrinciple of motion economy presented at BSTQM
Principle of motion economy presented at BSTQM
 
O Discipulado Cristão na Carta aos Filipenses
O Discipulado Cristão na Carta aos FilipensesO Discipulado Cristão na Carta aos Filipenses
O Discipulado Cristão na Carta aos Filipenses
 
Beltronic Consultancy profile
Beltronic Consultancy profileBeltronic Consultancy profile
Beltronic Consultancy profile
 
Ejercicio 1 diagrama de flujo
Ejercicio 1 diagrama de flujoEjercicio 1 diagrama de flujo
Ejercicio 1 diagrama de flujo
 
Power Plant Chemistry FEED WATER TREATMENT
Power Plant Chemistry FEED WATER TREATMENTPower Plant Chemistry FEED WATER TREATMENT
Power Plant Chemistry FEED WATER TREATMENT
 
(NEU) Beacon Global - Fisk Alloy
(NEU) Beacon Global - Fisk Alloy(NEU) Beacon Global - Fisk Alloy
(NEU) Beacon Global - Fisk Alloy
 

Semelhante a Redes Sociais: alguns conceitos e tecnologias

Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas: oportunid...
Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas: oportunid...Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas: oportunid...
Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas: oportunid...
Pedro Príncipe
 
Texto apoio 2 educação sociedade informação
Texto apoio 2 educação sociedade informaçãoTexto apoio 2 educação sociedade informação
Texto apoio 2 educação sociedade informação
ricaselmavera
 
Informática Educativa Dois
Informática Educativa DoisInformática Educativa Dois
Informática Educativa Dois
Talitha21
 
Sessão 8 -Tarefa 2
Sessão 8 -Tarefa 2Sessão 8 -Tarefa 2
Sessão 8 -Tarefa 2
martamedeiros
 
A Escola na Era do PetaByte
A Escola na Era do PetaByteA Escola na Era do PetaByte
A Escola na Era do PetaByte
camposmf
 
Apresent_enc_bibliotecas sem fronteiras
Apresent_enc_bibliotecas sem fronteirasApresent_enc_bibliotecas sem fronteiras
Apresent_enc_bibliotecas sem fronteiras
Teresa Pombo
 
Web Social e os novos ambientes de comunicação, informação e aprendizagem [b...
Web Social e os novos ambientes de comunicação, informação e aprendizagem  [b...Web Social e os novos ambientes de comunicação, informação e aprendizagem  [b...
Web Social e os novos ambientes de comunicação, informação e aprendizagem [b...
Pedro Príncipe
 
Palestra Inclusao Digital[1]
 Palestra   Inclusao Digital[1] Palestra   Inclusao Digital[1]
Palestra Inclusao Digital[1]
jamillerodrigues
 
Abordagem a plataformas, ferramentas e ambientes digitais
Abordagem a plataformas, ferramentas e ambientes digitaisAbordagem a plataformas, ferramentas e ambientes digitais
Abordagem a plataformas, ferramentas e ambientes digitais
mariafilomenalr
 
Web 2.0 e Aprendizagem Colaborativa
Web 2.0 e Aprendizagem ColaborativaWeb 2.0 e Aprendizagem Colaborativa
Web 2.0 e Aprendizagem Colaborativa
MP Cidadania
 
Trabalho sessão 1 blogue e be
Trabalho sessão 1 blogue e beTrabalho sessão 1 blogue e be
Trabalho sessão 1 blogue e be
rbarrosebsis
 
Unidade 2 navegação, pesquisa na internet e segurança na rede.
Unidade 2  navegação, pesquisa na internet e segurança na rede.Unidade 2  navegação, pesquisa na internet e segurança na rede.
Unidade 2 navegação, pesquisa na internet e segurança na rede.
betzandonadi
 
MOODLE REFLEXÃO CRITICA:SUA UTILIZAÇÃO, O QUE PODERIA TER.
MOODLE REFLEXÃO CRITICA:SUA UTILIZAÇÃO, O QUE PODERIA TER.MOODLE REFLEXÃO CRITICA:SUA UTILIZAÇÃO, O QUE PODERIA TER.
MOODLE REFLEXÃO CRITICA:SUA UTILIZAÇÃO, O QUE PODERIA TER.
Jesse Miguel Doces
 
Relatório - Tema 2
Relatório - Tema 2Relatório - Tema 2
Relatório - Tema 2
JABatista
 
Web2.0 aplicações 1
Web2.0   aplicações 1Web2.0   aplicações 1
Web2.0 aplicações 1
Marcelo Henderson Salles
 
# Ambientes para educação a distância baseados na Web: Onde estão as pessoas?
# Ambientes para educação a distância baseados na Web: Onde estão as pessoas?# Ambientes para educação a distância baseados na Web: Onde estão as pessoas?
# Ambientes para educação a distância baseados na Web: Onde estão as pessoas?
TelEduc
 
Biblioteca 2.0
Biblioteca 2.0Biblioteca 2.0
Biblioteca 2.0
zyzypires
 
Texto 09
Texto 09Texto 09
Inclusao
InclusaoInclusao
Inclusao
InclusaoInclusao

Semelhante a Redes Sociais: alguns conceitos e tecnologias (20)

Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas: oportunid...
Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas: oportunid...Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas: oportunid...
Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas: oportunid...
 
Texto apoio 2 educação sociedade informação
Texto apoio 2 educação sociedade informaçãoTexto apoio 2 educação sociedade informação
Texto apoio 2 educação sociedade informação
 
Informática Educativa Dois
Informática Educativa DoisInformática Educativa Dois
Informática Educativa Dois
 
Sessão 8 -Tarefa 2
Sessão 8 -Tarefa 2Sessão 8 -Tarefa 2
Sessão 8 -Tarefa 2
 
A Escola na Era do PetaByte
A Escola na Era do PetaByteA Escola na Era do PetaByte
A Escola na Era do PetaByte
 
Apresent_enc_bibliotecas sem fronteiras
Apresent_enc_bibliotecas sem fronteirasApresent_enc_bibliotecas sem fronteiras
Apresent_enc_bibliotecas sem fronteiras
 
Web Social e os novos ambientes de comunicação, informação e aprendizagem [b...
Web Social e os novos ambientes de comunicação, informação e aprendizagem  [b...Web Social e os novos ambientes de comunicação, informação e aprendizagem  [b...
Web Social e os novos ambientes de comunicação, informação e aprendizagem [b...
 
Palestra Inclusao Digital[1]
 Palestra   Inclusao Digital[1] Palestra   Inclusao Digital[1]
Palestra Inclusao Digital[1]
 
Abordagem a plataformas, ferramentas e ambientes digitais
Abordagem a plataformas, ferramentas e ambientes digitaisAbordagem a plataformas, ferramentas e ambientes digitais
Abordagem a plataformas, ferramentas e ambientes digitais
 
Web 2.0 e Aprendizagem Colaborativa
Web 2.0 e Aprendizagem ColaborativaWeb 2.0 e Aprendizagem Colaborativa
Web 2.0 e Aprendizagem Colaborativa
 
Trabalho sessão 1 blogue e be
Trabalho sessão 1 blogue e beTrabalho sessão 1 blogue e be
Trabalho sessão 1 blogue e be
 
Unidade 2 navegação, pesquisa na internet e segurança na rede.
Unidade 2  navegação, pesquisa na internet e segurança na rede.Unidade 2  navegação, pesquisa na internet e segurança na rede.
Unidade 2 navegação, pesquisa na internet e segurança na rede.
 
MOODLE REFLEXÃO CRITICA:SUA UTILIZAÇÃO, O QUE PODERIA TER.
MOODLE REFLEXÃO CRITICA:SUA UTILIZAÇÃO, O QUE PODERIA TER.MOODLE REFLEXÃO CRITICA:SUA UTILIZAÇÃO, O QUE PODERIA TER.
MOODLE REFLEXÃO CRITICA:SUA UTILIZAÇÃO, O QUE PODERIA TER.
 
Relatório - Tema 2
Relatório - Tema 2Relatório - Tema 2
Relatório - Tema 2
 
Web2.0 aplicações 1
Web2.0   aplicações 1Web2.0   aplicações 1
Web2.0 aplicações 1
 
# Ambientes para educação a distância baseados na Web: Onde estão as pessoas?
# Ambientes para educação a distância baseados na Web: Onde estão as pessoas?# Ambientes para educação a distância baseados na Web: Onde estão as pessoas?
# Ambientes para educação a distância baseados na Web: Onde estão as pessoas?
 
Biblioteca 2.0
Biblioteca 2.0Biblioteca 2.0
Biblioteca 2.0
 
Texto 09
Texto 09Texto 09
Texto 09
 
Inclusao
InclusaoInclusao
Inclusao
 
Inclusao
InclusaoInclusao
Inclusao
 

Mais de Biblioteca da Escola E.B. 2,3/Secundária de Baião - Agrupamento de Escolas do Vale de Ovil

Calendário escolar : Aulas previstas para 2019/2020
Calendário escolar : Aulas previstas para 2019/2020Calendário escolar : Aulas previstas para 2019/2020
Calendário escolar 2019/2020
Calendário escolar 2019/2020Calendário escolar 2019/2020
Ficha de exploração de um livro de banda desenhada
Ficha de exploração de um livro de banda desenhadaFicha de exploração de um livro de banda desenhada
Calendário escolar 2018/2019
Calendário escolar 2018/2019Calendário escolar 2018/2019
Resultados do 1º teste de qualificação no Campeonato de Língua Portuguesa
 Resultados do 1º teste de qualificação no Campeonato de Língua Portuguesa  Resultados do 1º teste de qualificação no Campeonato de Língua Portuguesa
Resultados do 1º teste de qualificação no Campeonato de Língua Portuguesa
Biblioteca da Escola E.B. 2,3/Secundária de Baião - Agrupamento de Escolas do Vale de Ovil
 
Metas 11 ano
Metas 11 anoMetas 11 ano
Metas 10 ano
Metas 10 anoMetas 10 ano
Aulas previstas para o ano letivo 2017/2018
Aulas previstas para o ano letivo 2017/2018Aulas previstas para o ano letivo 2017/2018
Calendário escolar 2017/2018
Calendário escolar 2017/2018Calendário escolar 2017/2018
Programa da Semana da Leitura 2017
Programa da Semana da Leitura 2017Programa da Semana da Leitura 2017
Clube do Espaço e do Tempo
Clube do Espaço e do TempoClube do Espaço e do Tempo
Plano Anual de Atividades do Agrupamento
Plano Anual de Atividades do AgrupamentoPlano Anual de Atividades do Agrupamento
Plano Anual de Atividades da Biblioteca Escolar
Plano Anual de Atividades da Biblioteca Escolar Plano Anual de Atividades da Biblioteca Escolar
Plano Anual de Atividades da Biblioteca Escolar
Plano Anual de Atividades da Biblioteca EscolarPlano Anual de Atividades da Biblioteca Escolar
Resultados do 2º desafio do Clube do Espaço e do Tempo
Resultados do 2º desafio do Clube do Espaço e do TempoResultados do 2º desafio do Clube do Espaço e do Tempo
Resultados do 1º desafio do Clube do Espaço e do Tempo
Resultados do 1º desafio do Clube do Espaço e do TempoResultados do 1º desafio do Clube do Espaço e do Tempo
Programa Jornadas Europeias do Patrimonio Cultural
Programa Jornadas Europeias do Patrimonio CulturalPrograma Jornadas Europeias do Patrimonio Cultural
Calendário escolar 2016/2017
Calendário escolar 2016/2017Calendário escolar 2016/2017
Resumo do projeto GAME - Gerar Aprendizagem, Motivação e Empenho
Resumo do projeto GAME - Gerar Aprendizagem, Motivação e EmpenhoResumo do projeto GAME - Gerar Aprendizagem, Motivação e Empenho
Resumo do projeto GAME - Gerar Aprendizagem, Motivação e Empenho
Biblioteca da Escola E.B. 2,3/Secundária de Baião - Agrupamento de Escolas do Vale de Ovil
 
Voki - tutorial
Voki - tutorialVoki - tutorial

Mais de Biblioteca da Escola E.B. 2,3/Secundária de Baião - Agrupamento de Escolas do Vale de Ovil (20)

Calendário escolar : Aulas previstas para 2019/2020
Calendário escolar : Aulas previstas para 2019/2020Calendário escolar : Aulas previstas para 2019/2020
Calendário escolar : Aulas previstas para 2019/2020
 
Calendário escolar 2019/2020
Calendário escolar 2019/2020Calendário escolar 2019/2020
Calendário escolar 2019/2020
 
Ficha de exploração de um livro de banda desenhada
Ficha de exploração de um livro de banda desenhadaFicha de exploração de um livro de banda desenhada
Ficha de exploração de um livro de banda desenhada
 
Calendário escolar 2018/2019
Calendário escolar 2018/2019Calendário escolar 2018/2019
Calendário escolar 2018/2019
 
Resultados do 1º teste de qualificação no Campeonato de Língua Portuguesa
 Resultados do 1º teste de qualificação no Campeonato de Língua Portuguesa  Resultados do 1º teste de qualificação no Campeonato de Língua Portuguesa
Resultados do 1º teste de qualificação no Campeonato de Língua Portuguesa
 
Metas 11 ano
Metas 11 anoMetas 11 ano
Metas 11 ano
 
Metas 10 ano
Metas 10 anoMetas 10 ano
Metas 10 ano
 
Aulas previstas para o ano letivo 2017/2018
Aulas previstas para o ano letivo 2017/2018Aulas previstas para o ano letivo 2017/2018
Aulas previstas para o ano letivo 2017/2018
 
Calendário escolar 2017/2018
Calendário escolar 2017/2018Calendário escolar 2017/2018
Calendário escolar 2017/2018
 
Programa da Semana da Leitura 2017
Programa da Semana da Leitura 2017Programa da Semana da Leitura 2017
Programa da Semana da Leitura 2017
 
Clube do Espaço e do Tempo
Clube do Espaço e do TempoClube do Espaço e do Tempo
Clube do Espaço e do Tempo
 
Plano Anual de Atividades do Agrupamento
Plano Anual de Atividades do AgrupamentoPlano Anual de Atividades do Agrupamento
Plano Anual de Atividades do Agrupamento
 
Plano Anual de Atividades da Biblioteca Escolar
Plano Anual de Atividades da Biblioteca Escolar Plano Anual de Atividades da Biblioteca Escolar
Plano Anual de Atividades da Biblioteca Escolar
 
Plano Anual de Atividades da Biblioteca Escolar
Plano Anual de Atividades da Biblioteca EscolarPlano Anual de Atividades da Biblioteca Escolar
Plano Anual de Atividades da Biblioteca Escolar
 
Resultados do 2º desafio do Clube do Espaço e do Tempo
Resultados do 2º desafio do Clube do Espaço e do TempoResultados do 2º desafio do Clube do Espaço e do Tempo
Resultados do 2º desafio do Clube do Espaço e do Tempo
 
Resultados do 1º desafio do Clube do Espaço e do Tempo
Resultados do 1º desafio do Clube do Espaço e do TempoResultados do 1º desafio do Clube do Espaço e do Tempo
Resultados do 1º desafio do Clube do Espaço e do Tempo
 
Programa Jornadas Europeias do Patrimonio Cultural
Programa Jornadas Europeias do Patrimonio CulturalPrograma Jornadas Europeias do Patrimonio Cultural
Programa Jornadas Europeias do Patrimonio Cultural
 
Calendário escolar 2016/2017
Calendário escolar 2016/2017Calendário escolar 2016/2017
Calendário escolar 2016/2017
 
Resumo do projeto GAME - Gerar Aprendizagem, Motivação e Empenho
Resumo do projeto GAME - Gerar Aprendizagem, Motivação e EmpenhoResumo do projeto GAME - Gerar Aprendizagem, Motivação e Empenho
Resumo do projeto GAME - Gerar Aprendizagem, Motivação e Empenho
 
Voki - tutorial
Voki - tutorialVoki - tutorial
Voki - tutorial
 

Último

karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
karinenobre2033
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
ClaudiaMainoth
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Pedro Luis Moraes
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 

Último (20)

karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 

Redes Sociais: alguns conceitos e tecnologias

  • 1. R EDES S OCIAIS : ALGUNS CONCEITOS E TECNOLOGIAS Proposta de Intervenção em Contexto de Biblioteca Escolar Projecto elaborado no âmbito da Acção de Formação “Biblioteca Escolar, Literacias e Currículo”, realizada no CFAE Marco-Cinfâes Hermínia da Conceição Marques dos Santos 9 de Setembro de 2010
  • 2. Índice Objectivos ....................................................................................................................................... 3 Introdução....................................................................................................................................... 4 1. Conceito de rede social ............................................................................................................. 4 2. Ferramentas Sociais da Web 2.0 ............................................................................................. 5 3. Vantagens das redes sociais na biblioteca.............................................................................. 6 Conclusão ........................................................................................................................................ 7 Bibliografia ...................................................................................................................................... 8 Anexo ............................................................................................................................................ 9
  • 3. REDES SOCIAIS: ALGUNS CONCEITOS E TECNOLOGIAS OBJECTIVOS Com este Projecto de Intervenção em Contexto de Biblioteca Escolar pretende-se: Distinguir algumas tecnologias sociais; Desenvolver competências na área das literacias digitais e da informação; Proporcionar um guião de utilização de um instrumento de gestão dos recursos digitais (Diigo); Avaliar algumas das potencialidades associadas à utilização das redes sociais virtuais, no âmbito da biblioteca escolar. Hermínia da Conceição Marques dos Santos 3
  • 4. REDES SOCIAIS: ALGUNS CONCEITOS E TECNOLOGIAS INTRODUÇÃO A era da informação e comunicação em que vivemos tem vindo a acarretar grandes mudanças culturais, sociais e tecnológicas. Mas não só. Ela também traz novas competências e formas de ensinar e aprender. Pensemos no aparecimento da World Wide Web, assente na ideia de partilha e de fácil acesso ao conhecimento e à comunicação. São novos desafios que surgem e a biblioteca escolar deve estar preparada para enfrentá-los e, sempre que necessário, modificar as suas práticas, adaptando-se ao mundo informacional do século XXI. 1. CONCEITO DE REDE SOCIAL Nascidos no século passado, fomos formados na fragmentação de saber. Em contrapartida, no século XXI, vivemos problemas e crises mundiais que implicam a procura de soluções globalizantes e a criação de equipas multidisciplinares, capazes de pensar, criticar, criar e agir face à imprevisibilidade. O século XXI é, sobretudo, um tempo de mudanças e novos desafios. É neste contexto tecnológico, comunicacional e de saberes que devemos compreender a importância acrescida que as redes têm vindo a tomar. Redes sociais existem desde tempos remotos. A novidade está no suporte em que assentam, estabelecendo-se não em espaços físicos, mas sim em meios virtuais. Características como a persistência (a informação online não pode ser eliminada), pesquisabilidade (a informação pode ser acedida por qualquer pessoa, em qualquer tempo ou espaço), replicabilidade (o controle da propriedade intelectual passa a ser difícil, pois pode ser utilizado para fins distintos dos originais) e Hermínia da Conceição Marques dos Santos 4
  • 5. REDES SOCIAIS: ALGUNS CONCEITOS E TECNOLOGIAS invisibilidade (desconhecemos os indivíduos que partilham a informação) permitem diferenciar as redes sociais virtuais das reais. Contrariamente a uma rede de pesca ou a uma teia de aranha, as redes biológicas não são materiais, mas sim funcionais, autogenerativas1 e de relacionamento. Tal como as redes biológicas, as redes sociais estabelecem trocas, embora de conteúdo distinto: matéria para as primeiras; informação e ideias para as redes sociais. Assim, podemos definir rede social como o conjunto de pessoas, grupos, organizações ou formações sociais (como os países) que estão interligadas por grupos de relacionamentos. Note-se que a grande rede de comunicação global é, sem dúvida, a Internet. Cada vez é mais fácil estabelecer conexões entre pessoas, independentemente do espaço onde se encontrem, através de meios electrónicos e digitais. 2. FERRAMENTAS SOCIAIS DA WEB 2.0 Falar de redes sociais significa ainda abordar a noção de Web 2.0. Assente no espírito de livre acesso (open source), colaboração e partilha, implica a alteração do modelos de ensino, dando ênfase aos métodos activos de aprendizagem, centrados no aprendente. Factores como idade, tempo e espaço deixam de ser relevantes para quem aprende. São diversas as tecnologias que a Web coloca ao dispor do utilizador. Muitas vezes associa-se investimento em tecnologias a um aumento de custos. Trata-se de uma ideia errónea, pois existe uma grande oferta de software livre, geralmente gratuito e que a biblioteca não deve desperdiçar para o seu trabalho, pois permite criar soluções personalizadas, promover o trabalho em colaboração, partilhar experiências e conhecimentos, rentabilizando recursos financeiros. 1 Capra (2008) considera que as redes vivas “criam-se e recriam-se continuamente, transformando-se ou substituindo os seus componentes” (p. 20). Hermínia da Conceição Marques dos Santos 5
  • 6. REDES SOCIAIS: ALGUNS CONCEITOS E TECNOLOGIAS Desde os serviços de comunicação síncrona (como o Messenger, o Skype ou o Dimdim), até aos mapas mentais (destacando-se o Mindomo e o Mindmap) que permitem representar o conhecimento, a Web 2.0 oferece uma panóplia de aplicações. Assim, se a biblioteca escolar pretender divulgar uma actividade, serviço ou mera informação, porque não fazê-lo através de um blogue (http://biblioteca- baiao.blogs.sapo.pt) ou do Facebook (http://www.facebook.com – pesquisar pelo correio electrónico biblioteca.ebsbaiao@sapo.pt ou por “Biblioteca Escola Baião)? A construção de um repositório de recursos digitais não deverá também estar nas preocupações da biblioteca escolar (http://bibliotecaebsbaiao.webnode.com/saber)? O Youtube não poderá ser utilizado como meio de divulgação de trabalhos de alunos (http://www.youtube.com/watch?v=4e5Z1nU9I4s&feature=related)? E porque não criar um espaço on-line onde se faça a gestão de sites e organizem, indexem e partilhem esses favoritos (http://www.diigo.com/user/bibliotecabaiao)? As potencialidades da Web 2.0 são imensas. Depende apenas da criatividade e interesse da Equipa da Biblioteca a sua utilização. 3. VANTAGENS DAS REDES SOCIAIS NA BIBLIOTECA Como acabamos de ver, as redes sociais têm uma aplicabilidade diversificada no trabalho da biblioteca e no ensino em geral. Elas facilitam e democratizam o acesso à informação e conhecimento. Enquanto canais de comunicação, permitem a difusão rápida de experiências e trabalhos entre os professores bibliotecários. Ao abrirem o espaço cultural, as redes sociais possibilitam as interacções entre indivíduos de contextos geográfico-espaciais diferentes, sem se prenderem com Hermínia da Conceição Marques dos Santos 6
  • 7. REDES SOCIAIS: ALGUNS CONCEITOS E TECNOLOGIAS limitações de horários ou espaços físicos, flexibilizando e complementando práticas. Entre outros contributos, sucintamente, podemos destacar as seguintes vantagens nas redes sociais:  Rapidez e facilidade no acesso à informação;  Possibilidade de relacionar-se com pessoas com interesses comuns (profissionais, académicos, pessoais);  Criação de novas formas de aprendizagem (construção activa e colaborativa do conhecimento);  Abertura do espaço cultural;  Criação de novos espaços e tempos de formação, leitura e escrita. Tal como atravessarmos uma rua ou qualquer outra actividade do dia-a-dia, estas novas formas de comunicar e de se relacionar trazem consigo novos problemas e questões. Basta pensarmos nos riscos associados ao copyright ou desrespeito pela propriedade individual, com a violação de direitos de autor, resultantes da pirataria. O que fazer? Bom senso, espírito crítico, (in)formação, avaliação da informação, são atitudes que ajudam na prevenção. CONCLUSÃO As ferramentas sociais e colaborativas da Web, como o social bookmarking, partilha de vídeos on-line, weblogs, espaços de conversação em linha, fóruns, são alguns dos recursos que o professor poderá e deverá utilizar e ensinar a usar. Nas bibliotecas, a Equipa responsável pela dinamização deste espaço, não pode perder as potencialidades do dinamismo interactivo da Web 2.0. Há riscos e perigos que importa conhecer, sem nunca perder de vista os benefícios que se pode colher. Está na hora de experimentar. Hermínia da Conceição Marques dos Santos 7
  • 8. REDES SOCIAIS: ALGUNS CONCEITOS E TECNOLOGIAS BIBLIOGRAFIA CAPRA, Fritjof – Vivendo Redes. In DUARTE, Fábio; QUANDT, Carlos; SOUZA, Queila – O tempo das redes. São Paulo: Perspectiva, 2008, p. 17-29. CASTELLS, Manuel – A Galáxia Internet. Reflexões sobre Internet, Negócios e Sociedade. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2007. COELHO, José Dias, coord. - Sociedade da Informação - O percurso português. Lisboa: Edições Sílabo, 2007. DUARTE, Fábio; QUANDT, Carlos; SOUZA, Queila – O tempo das redes. São Paulo: Perspectiva, 2008. FUMERO, Antonio; ROCA, Genís – Web 2.0. [s.l.]: Fundación Orange, 2007. LAGARTO, José – Educar na Era das Novas Tecnologias. In CAMPOS, Luísa; VERÍSSIMO, Lurdes, org. – Aprender a Educar. Guia para Pais e Educadores. Gaia: Fundação Manuel Leão, 2010, p. 133-151. SILVA, Manuela; FILIPE, Maria João - O papel da Biblioteca Escolar e do professor- bibliotecário no ensino-aprendizagem. Apresentação realizada na acção de formação com o mesmo nome. Porto: Rede de Bibliotecas Escolares, 2008. ZURITA SÁNCHEZ, J. M. - Software livre: una alternative para la gestión de recursos de información en bibliotecas. México: Instituto de Investigaciones Antropológicas, [s.d.], Disponível em http://eprints.rclis.org/13770/1/software_libre_alternativa.pdf [acedido em 23- 05-2010]. Hermínia da Conceição Marques dos Santos 8
  • 9. REDES SOCIAIS: ALGUNS CONCEITOS E TECNOLOGIAS ANEXO DIIGO, UM MARCADOR SOCIAL Hermínia da Conceição Marques dos Santos 9
  • 10. Diigo, um marcador social Os social bookmarking ou favoritos sociais são espaços na Internet que nos permitem alojar os nossos sites favoritos e partilhá-los com os amigos, colegas ou alunos. Assim, quando temos um endereço electrónico e pretendemos guardá-lo para uma consulta posterior, podemos fazê-lo utilizando um marcador social como o Delicious ou o Diigo. Vejamos como funciona este último, o Diigo. Depois de acedermos ao site (http://www.diigo.com), seleccionamos Get Start Now. No ecrã seguinte, preencha os dados que lhe são pedidos: Choose a username (escolha um nome de utilizador. Não utilize espaços entre os caracteres. Este nome aparecerá na barra de endereços), First name (nome/pseudónimo) e Last name (apelido/pseudónimo), Email, Choose a Password (escolher uma Palavra-Chave), Retype Password (Reescrever a Palavra- Chave). Para concluir coopie as letras que lhe aparecem no ecrã e faça Continue.
  • 11. Surge-lhe um ecrã semelhante ao que abaixo se mostra lembrando-lhe que deverá activar esta conta através do seu correio electrónico. Aí, na mensagem do Diigo, carregue no link que lhe aparece ou faça uma cópia desse link para a barra de endereços da Internet. No final da activação está pronto a adicionar Favoritos (Bookmarks). Hermínia da Conceição Marques dos Santos
  • 12. A adição de um Favorito é simples. Só é necessário preencher os campos que lhe são pedidos: o link (URL) que quer adicionar, o Título (Title) da página, as Tags ou etiquetas que vão indexar o seu site. Note que pode escrever mais do que uma etiqueta. Para isso, basta separar as palavras por espaços e, no caso, de querer utilizar uma expressão deve ser introduzida entre aspas (ver exemplo apresentado “educação para a saúde”). Carregando em more options será aberta uma caixa onde pode escrever uma pequena descrição ou resumo sobre o site escolhido. Se não pretender que os outros vejam o seu site, seleccione, em cima, Private. No caso de, posteriormente, pretender ver melhor este site, escolha Read Later. No final faça Add New Bookmark. Para adicionar mais Favoritos poderá fazê-lo entrando nesta aplicação (em Sign in) e digitando o endereço de correio electrónico e a palavra-chave. Hermínia da Conceição Marques dos Santos
  • 13. Depois é só escolher Add / New Bookmark. Se instalar o Diigo na barra de ferramentas do seu computador, a adição de Favoritos é muito mais rápida. Para isso, carregue em Tools e depois em Get it in… Hermínia da Conceição Marques dos Santos
  • 14. Faça instalar e confirme essa instalação (neste caso, está a ser usado Google Chrome, mas com o Firefox e o Internet Explorer os procedimentos são idênticos). Com esta operação, o Diigo passou a estar instalado na barra de ferramentas do seu computador. Hermínia da Conceição Marques dos Santos
  • 15. Que vantagem lhe traz esta instalação? Quando estiver num site e lhe interessar adicioná-lo aos seus Favoritos, só tem que carregar no ícone correspondente ao Diigo, que se encontra na barra de ferramentas e gravar (save). Não se esqueça de acrescentar as etiquetas (tags) e outras informações que lhe interesse. Por defeito, os Favoritos são mostrados por ordem cronológica, aparecendo 20 por página. Poderá alterar o número de links visíveis (para 50 ou 100) no fim da página. Carregando em Next terá acesso às páginas seguintes. Para além de adicionar os seus Favoritos, o Diigo tem outras potencialidades. Permite-lhe criar grupos ou adicionar-se a outros já existentes, partilhando os seus Favoritos. Para isso, deve ir a My Groups. Aí, pode optar por Criar um Grupo (Create a group) ou juntar-se a grupos já existentes (Browse other popular groups e depois pesquisar os grupos através do Search ou das categorias que aí são apresentadas. Hermínia da Conceição Marques dos Santos
  • 16. Mas outras coisas podem ser feitas com este marcador social, como a possibilidade de criar uma lista onde se agrupem diversos Favoritos. Nada como experimentar o trabalho com esta ferramenta da Web 2.0. Nós já o fizemos. Basta consultar http://www.diigo.com/user/bibliotecabaiao. Boas navegações! Hermínia da Conceição Marques dos Santos