SlideShare uma empresa Scribd logo
SEMANA 02
2
Sumário
O que são as ferramentas da qualidade?.................................................3
Finalidade das ferramentas da qualidade.................................................3
Os tipos de ferramentas da qualidade - Parte 1........................................4
Brainstorming ...........................................................................................5
3
O que são as ferramentas da qualidade?
As ferramentas da qualidade são um conjunto de técnicas que permitem aos técnicos e gesto-
res verificarem o andamento dos processos e o atingimento dos objetivos e das metas de
uma organização. Uma empresa deve, obrigatoriamente, fixar os seus objetivos e metas.
“Para uma empresa que não sabe aonde quer chegar, qualquer lugar serve!”  Peter Drucker
Temos uma infinidade de exemplos de objetivos e metas empresariais, dependendo do seg-
mento, da cultura empresarial, do tamanho da empresa e do ambiente competitivo em que esta
empresa está inserida. São exemplos de objetivos e metas empresariais:
Processo Objetivo/Meta
RH Absenteísmo
RH/Segurança e medicina do trabalho Taxa de acidentes
Produção Produtividade
Produção Não conformidades
Administrativo Lucratividade
Comercial Satisfação de clientes
Comercial Quantidade de atendimentos
Engenharia Número de projetos entregues no prazo
Da mesma forma, as ferramentas da qualidade podem oferecer a base para a evolução dos pro-
cessos incentivando os integrantes de uma organização a trabalharem em equipe na busca da
solução de problemas e desafios apresentados. As ferramentas visam, também, à organização
lógica de informações e à priorização de fatos, proporcionando o uso racional dos recursos
por parte das organizações.
Finalidade das ferramentas da qualidade
Segundo um dos princípios de Deming, a organização deve melhorar constantemente o sistema
de produção e de prestação de serviços, de modo a melhorar a qualidade e a produtividade e,
consequentemente, reduzir de forma sistemática os custos. Seguindo este princípio, é necessá-
ria uma periódica checagem destes processos.
Esta é uma das principais funções das ferramentas da qualidade.  As ferramentas da qualida-
de têm o objetivo de informar prioridades, propor novas ideias, identificar problemas, entre ou-
tros. Elas fazem isto através de uma organização de dados e informações em gráficos, tabelas
e fluxogramas. Então, a função das ferramentas da qualidade é de agrupar e facilitar a leitura dos
dados e informações que são colhidos diariamente nas organizações.
Estas informações servirão de base para direcionar os rumos da organização, portanto, deve
4
gerar credibilidade sendo que o  resultado negativo deve servir como impulso para a correção,
não devendo ser omitido.
A atitude dos técnicos e gestores tem grande importância para que as ferramentas sejam utili-
zadas em intervalos planejados e sem interrupções, principalmente em organizações em que as
ferramentas estejam em fase de implantação.
Atitudes que devem ser aplicadas:
●● Clareza dos objetivos;
●● Objetividade;
●● Senso de grupo;
●● Busca pelo envolvimento e;
●● Participação de todos e uma atitude positiva frente às dificuldades.
Os tipos de ferramentas da qualidade - Parte 1
 As ferramentas da qualidade podem ser classificadas da seguinte forma:
1) Ferramentas estatísticas
As técnicas estatísticas oferecem com maior probabilidade de acerto quais as tendências de um
processo em atingir ou não um objetivo. Neste tipo de ferramenta, os dados são agrupados e são
demonstrados em forma de gráfico para uma melhor visualização.
São exemplos de algumas ferramentas estatísticas da qualidade:
Os tipos de ferramenta da qualidade - Parte 2
2) Ferramentas de busca, organização de informações e solução de problemas
Estas técnicas visam identificar, determinar e priorizar atividades para que os processos de ges-
tão atinjam seus objetivos. Algumas promovem o livre pensamento coletivo, enquanto outras
determinam o que deve ser feito e fixam o prazo limite para que aconteçam.
5
São exemplos de algumas  ferramentas de busca e organização de informações: 
Brainstorming
Brainstorming é o termo derivado de duas palavras de língua inglesa: “brain” que significa cére-
bro e “storm” que significa tempestade, portanto, brainstorming é o ato de gerar uma tempestade
de ideias no cérebro. Esta técnica para a solução de problemas foi criada por Alex F. Osborn em
1938. Alex era proprietário de uma importante agência de publicidade norte-americana, talvez,
por isso, os publicitários brasileiros foram os primeiros a utilizarem a ferramenta.
A ferramenta é um processo de grupo em que os indivíduos emitem ideias livremente, sem crí-
ticas, em um espaço de tempo pré-determinado. O grupo deve ter no mínimo cinco pessoas
e no máximo doze e recomenda-se que a participação seja voluntária. Deve ser nomeado um
facilitador para que o andamento seja organizado e as regras seguidas.
O objetivo do brainstorming é lançar e detalhar ideias sob um assunto pré-definido em um am-
biente favorável, sem inibições ou preconceitos. Espera-se que os indivíduos do grupo tenham
opiniões diversas, sejam pró-ativos e que contribuam para o desenvolvimento de times de tra-
balho.
Para que o Brainstorming aconteça é necessário que os indivíduos do grupo: 
●● Tenham capacidade de autoexpressão e desinibição;
●● Tenham criatividade e que sejam estimulados para isto;
6
●● Não sofram julgamentos prévios ou censuras;
●● Sejam práticos e diretos;
●● Não tenham diferenças hierárquicas durante o processo.
O papel do facilitador é o de registrar as idéias e apresentar claramente o assunto a ser tratado.
O Brainstorming é dividido em três fases:
Fase 1 - Clareza e objetividade na apresentação do tema, problema ou situação a ser abor-
dado: O líder do time tem essa função e deve buscar o foco central do assunto.
Fase 2 - Geração e registro das ideias: O facilitador do grupo deve ler periodicamente as ideias
que foram apresentadas pelos integrantes da reunião. Para evitar que os integrantes mais fa-
lantes monopolizem a reunião, pode-se adotar o brainstorming estruturado, ou seja, as pessoas
falam as suas ideias apenas quando chega a sua vez.
Fase 3 - Análise e seleção das idéias: A partir do momento que as ideias começam a ficar es-
cassas, o líder propõe o encerramento da reunião e juntamente com a equipe procede a escolha
das melhores ideias, segundo análise de prós e contras.
Existe, ainda, uma variação do brainstorming chamada de brainwriting, conhecido também como
brainstorming fechado. O termo brainwriting é derivado de duas palavras de origem inglesa
“brain” que significa cérebro e “write” que significa escrever. Portanto, brainwriting é o ato de es-
crever as ideias e apresentá-las por escrito, desta forma reduz-se o risco de críticas e inibições
no momento da geração das ideias. As demais fases são semelhantes às do brainstorming.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Gerencia, rotina e motivação
Gerencia, rotina e motivaçãoGerencia, rotina e motivação
Gerencia, rotina e motivação
FABIO FARIAS
 
Agilidade em foco
Agilidade em focoAgilidade em foco
Agilidade em foco
Alessandro Dias, MSc, CSM
 
Webinar - Design Thinking - Solucionando Problemas do RH
Webinar - Design Thinking - Solucionando Problemas do RHWebinar - Design Thinking - Solucionando Problemas do RH
Webinar - Design Thinking - Solucionando Problemas do RH
Thiago Evangelista
 
Análise
Análise Análise
Análise
mardend
 
As 3 fases do design thinking
As 3 fases do design thinkingAs 3 fases do design thinking
As 3 fases do design thinking
MJV Technology & Innovation Brasil
 
TDC2016POA | Trilha Dinamica - Conhecendo e criando novas Retrospectivas
TDC2016POA | Trilha Dinamica - Conhecendo e criando novas RetrospectivasTDC2016POA | Trilha Dinamica - Conhecendo e criando novas Retrospectivas
TDC2016POA | Trilha Dinamica - Conhecendo e criando novas Retrospectivas
tdc-globalcode
 
Gestao reunioes
Gestao reunioesGestao reunioes
Gestao reunioes
cARLOS CAMPOS
 
Gestão de Tempo: como criar uma cadência de entregas eficazes na sua organiza...
Gestão de Tempo: como criar uma cadência de entregas eficazes na sua organiza...Gestão de Tempo: como criar uma cadência de entregas eficazes na sua organiza...
Gestão de Tempo: como criar uma cadência de entregas eficazes na sua organiza...
Marcely Santos
 
Scrum Gathering 2018
Scrum Gathering 2018Scrum Gathering 2018
Scrum Gathering 2018
Marcely Santos
 
Tornando Se Um Lider De Sucesso
Tornando Se Um Lider De SucessoTornando Se Um Lider De Sucesso
Tornando Se Um Lider De Sucesso
Clube de Lideres Online
 
0404 manual
0404 manual0404 manual
Psicologia na contabilidade 13 liderança de reunioes
Psicologia na contabilidade 13   liderança de reunioesPsicologia na contabilidade 13   liderança de reunioes
Psicologia na contabilidade 13 liderança de reunioes
Milton Magnabosco
 
Disciplina de execução
Disciplina de execuçãoDisciplina de execução
Disciplina de execução
Daniel Zanco
 

Mais procurados (13)

Gerencia, rotina e motivação
Gerencia, rotina e motivaçãoGerencia, rotina e motivação
Gerencia, rotina e motivação
 
Agilidade em foco
Agilidade em focoAgilidade em foco
Agilidade em foco
 
Webinar - Design Thinking - Solucionando Problemas do RH
Webinar - Design Thinking - Solucionando Problemas do RHWebinar - Design Thinking - Solucionando Problemas do RH
Webinar - Design Thinking - Solucionando Problemas do RH
 
Análise
Análise Análise
Análise
 
As 3 fases do design thinking
As 3 fases do design thinkingAs 3 fases do design thinking
As 3 fases do design thinking
 
TDC2016POA | Trilha Dinamica - Conhecendo e criando novas Retrospectivas
TDC2016POA | Trilha Dinamica - Conhecendo e criando novas RetrospectivasTDC2016POA | Trilha Dinamica - Conhecendo e criando novas Retrospectivas
TDC2016POA | Trilha Dinamica - Conhecendo e criando novas Retrospectivas
 
Gestao reunioes
Gestao reunioesGestao reunioes
Gestao reunioes
 
Gestão de Tempo: como criar uma cadência de entregas eficazes na sua organiza...
Gestão de Tempo: como criar uma cadência de entregas eficazes na sua organiza...Gestão de Tempo: como criar uma cadência de entregas eficazes na sua organiza...
Gestão de Tempo: como criar uma cadência de entregas eficazes na sua organiza...
 
Scrum Gathering 2018
Scrum Gathering 2018Scrum Gathering 2018
Scrum Gathering 2018
 
Tornando Se Um Lider De Sucesso
Tornando Se Um Lider De SucessoTornando Se Um Lider De Sucesso
Tornando Se Um Lider De Sucesso
 
0404 manual
0404 manual0404 manual
0404 manual
 
Psicologia na contabilidade 13 liderança de reunioes
Psicologia na contabilidade 13   liderança de reunioesPsicologia na contabilidade 13   liderança de reunioes
Psicologia na contabilidade 13 liderança de reunioes
 
Disciplina de execução
Disciplina de execuçãoDisciplina de execução
Disciplina de execução
 

Semelhante a Tq ferramentas da_qualidade_semana2

Ferramentas da qualidade
Ferramentas da qualidadeFerramentas da qualidade
Ferramentas da qualidade
Luiz Claudio Santana
 
Apostila de dinamicas de grupo
Apostila de dinamicas de grupoApostila de dinamicas de grupo
Apostila de dinamicas de grupo
Ana Paula Nogueira
 
Gestão pela qualidade fundamentos básicos
Gestão pela qualidade fundamentos básicosGestão pela qualidade fundamentos básicos
Gestão pela qualidade fundamentos básicos
Elizabeth Esteves
 
Aula n 02 brainstorming
Aula n 02   brainstormingAula n 02   brainstorming
Aula n 02 brainstorming
Willian de Melo
 
Diagrama de ishikawa
Diagrama de ishikawaDiagrama de ishikawa
Diagrama de ishikawa
Tiago Longhi
 
Softdrops - Sprint Retrospective Meeting
Softdrops - Sprint Retrospective MeetingSoftdrops - Sprint Retrospective Meeting
Softdrops - Sprint Retrospective Meeting
Sheila Kimura
 
Gestão da qualidade 2
Gestão da qualidade 2Gestão da qualidade 2
Gestão da qualidade 2
INTEC CURSOS PROFISSIONALIZANTES
 
Ferramentas de gestao
Ferramentas de gestaoFerramentas de gestao
Ferramentas de gestao
Itamar Pereira Rezende
 
Ebook - Manual Prático de Inovação
Ebook - Manual Prático de Inovação Ebook - Manual Prático de Inovação
Ebook - Manual Prático de Inovação
Econsult Consultoria Econômica
 
Técnica de brainstorm
Técnica de brainstormTécnica de brainstorm
Técnica de brainstorm
Mario Sergio Teixeira Marques
 
Brainstorming ferramenta gerencial
Brainstorming ferramenta gerencialBrainstorming ferramenta gerencial
Brainstorming ferramenta gerencial
Elizabeth Mendes de Andrade
 
Trabalho gestao camila
Trabalho gestao camilaTrabalho gestao camila
Trabalho gestao camila
LuceliaRibeiro
 
E- book 6 - Design Thinking em Vendas
E- book 6 - Design Thinking em VendasE- book 6 - Design Thinking em Vendas
E- book 6 - Design Thinking em Vendas
Ernesto Costa Santos
 
Pizzaria ferram1
Pizzaria ferram1Pizzaria ferram1
Pizzaria ferram1
Vilma Santos
 
Pdca
PdcaPdca
Gestão da qualidade na logística
Gestão da qualidade na logísticaGestão da qualidade na logística
Gestão da qualidade na logística
deividp9
 
Como fazer um bom brainstorm.docx
Como fazer um bom brainstorm.docxComo fazer um bom brainstorm.docx
Como fazer um bom brainstorm.docx
RB4 Consulting & Auditing
 
Transformational Design Thinking - Aula 6
Transformational Design Thinking - Aula 6Transformational Design Thinking - Aula 6
Transformational Design Thinking - Aula 6
Lu Terceiro
 
8 Maneiras de melhorar a inteligencia emocional junto a sua equipe
8 Maneiras de melhorar a inteligencia emocional junto a sua equipe8 Maneiras de melhorar a inteligencia emocional junto a sua equipe
8 Maneiras de melhorar a inteligencia emocional junto a sua equipe
Jefferson Affonso - PMP®, ITIL®, MCTS®, MBA
 
Aula nº 1
Aula nº 1Aula nº 1
Aula nº 1
Ana Andrade
 

Semelhante a Tq ferramentas da_qualidade_semana2 (20)

Ferramentas da qualidade
Ferramentas da qualidadeFerramentas da qualidade
Ferramentas da qualidade
 
Apostila de dinamicas de grupo
Apostila de dinamicas de grupoApostila de dinamicas de grupo
Apostila de dinamicas de grupo
 
Gestão pela qualidade fundamentos básicos
Gestão pela qualidade fundamentos básicosGestão pela qualidade fundamentos básicos
Gestão pela qualidade fundamentos básicos
 
Aula n 02 brainstorming
Aula n 02   brainstormingAula n 02   brainstorming
Aula n 02 brainstorming
 
Diagrama de ishikawa
Diagrama de ishikawaDiagrama de ishikawa
Diagrama de ishikawa
 
Softdrops - Sprint Retrospective Meeting
Softdrops - Sprint Retrospective MeetingSoftdrops - Sprint Retrospective Meeting
Softdrops - Sprint Retrospective Meeting
 
Gestão da qualidade 2
Gestão da qualidade 2Gestão da qualidade 2
Gestão da qualidade 2
 
Ferramentas de gestao
Ferramentas de gestaoFerramentas de gestao
Ferramentas de gestao
 
Ebook - Manual Prático de Inovação
Ebook - Manual Prático de Inovação Ebook - Manual Prático de Inovação
Ebook - Manual Prático de Inovação
 
Técnica de brainstorm
Técnica de brainstormTécnica de brainstorm
Técnica de brainstorm
 
Brainstorming ferramenta gerencial
Brainstorming ferramenta gerencialBrainstorming ferramenta gerencial
Brainstorming ferramenta gerencial
 
Trabalho gestao camila
Trabalho gestao camilaTrabalho gestao camila
Trabalho gestao camila
 
E- book 6 - Design Thinking em Vendas
E- book 6 - Design Thinking em VendasE- book 6 - Design Thinking em Vendas
E- book 6 - Design Thinking em Vendas
 
Pizzaria ferram1
Pizzaria ferram1Pizzaria ferram1
Pizzaria ferram1
 
Pdca
PdcaPdca
Pdca
 
Gestão da qualidade na logística
Gestão da qualidade na logísticaGestão da qualidade na logística
Gestão da qualidade na logística
 
Como fazer um bom brainstorm.docx
Como fazer um bom brainstorm.docxComo fazer um bom brainstorm.docx
Como fazer um bom brainstorm.docx
 
Transformational Design Thinking - Aula 6
Transformational Design Thinking - Aula 6Transformational Design Thinking - Aula 6
Transformational Design Thinking - Aula 6
 
8 Maneiras de melhorar a inteligencia emocional junto a sua equipe
8 Maneiras de melhorar a inteligencia emocional junto a sua equipe8 Maneiras de melhorar a inteligencia emocional junto a sua equipe
8 Maneiras de melhorar a inteligencia emocional junto a sua equipe
 
Aula nº 1
Aula nº 1Aula nº 1
Aula nº 1
 

Mais de Daebul University

Tq ferramentas da_qualidade_semana1
Tq ferramentas da_qualidade_semana1Tq ferramentas da_qualidade_semana1
Tq ferramentas da_qualidade_semana1
Daebul University
 
Ferramentas da qualidade_semana10_revisado
Ferramentas da qualidade_semana10_revisadoFerramentas da qualidade_semana10_revisado
Ferramentas da qualidade_semana10_revisado
Daebul University
 
Apostila brigada incendio
Apostila brigada incendioApostila brigada incendio
Apostila brigada incendio
Daebul University
 
Rt cbmrs nr_14_1.extintores_ incendio
Rt cbmrs  nr_14_1.extintores_ incendioRt cbmrs  nr_14_1.extintores_ incendio
Rt cbmrs nr_14_1.extintores_ incendio
Daebul University
 
14.555parte vetada mantida
14.555parte vetada mantida14.555parte vetada mantida
14.555parte vetada mantida
Daebul University
 
La 016
La 016La 016
Termo de interdio_mte_silva
Termo de interdio_mte_silvaTermo de interdio_mte_silva
Termo de interdio_mte_silva
Daebul University
 
Mte
MteMte
Sintese das aulas 1
Sintese das aulas 1Sintese das aulas 1
Sintese das aulas 1
Daebul University
 
Planta baixa sue
Planta baixa suePlanta baixa sue
Planta baixa sue
Daebul University
 
Exercicio freq e_grav1
Exercicio freq e_grav1Exercicio freq e_grav1
Exercicio freq e_grav1
Daebul University
 
Auditor fiscal prova_2
Auditor fiscal prova_2Auditor fiscal prova_2
Auditor fiscal prova_2
Daebul University
 
Auditor fiscal prova_1
Auditor fiscal prova_1Auditor fiscal prova_1
Auditor fiscal prova_1
Daebul University
 
Cd onlinetrabalhovisualizarresumo
Cd onlinetrabalhovisualizarresumoCd onlinetrabalhovisualizarresumo
Cd onlinetrabalhovisualizarresumo
Daebul University
 
Diretrizes seguranca saude_do_trabalho_para_empresas_contratadas
Diretrizes seguranca saude_do_trabalho_para_empresas_contratadasDiretrizes seguranca saude_do_trabalho_para_empresas_contratadas
Diretrizes seguranca saude_do_trabalho_para_empresas_contratadas
Daebul University
 
Avaliação os nove jeitos mais comuns de avaliar os estudantes e os benefíci...
Avaliação   os nove jeitos mais comuns de avaliar os estudantes e os benefíci...Avaliação   os nove jeitos mais comuns de avaliar os estudantes e os benefíci...
Avaliação os nove jeitos mais comuns de avaliar os estudantes e os benefíci...
Daebul University
 
Apt apresentacao-01
Apt apresentacao-01Apt apresentacao-01
Apt apresentacao-01
Daebul University
 
Ohsas18001 mod2
Ohsas18001 mod2Ohsas18001 mod2
Ohsas18001 mod2
Daebul University
 
Ohsas18001 mod1
Ohsas18001 mod1Ohsas18001 mod1
Ohsas18001 mod1
Daebul University
 
Basico sobre sst_para_me_e_epp_serralheria
Basico sobre sst_para_me_e_epp_serralheriaBasico sobre sst_para_me_e_epp_serralheria
Basico sobre sst_para_me_e_epp_serralheria
Daebul University
 

Mais de Daebul University (20)

Tq ferramentas da_qualidade_semana1
Tq ferramentas da_qualidade_semana1Tq ferramentas da_qualidade_semana1
Tq ferramentas da_qualidade_semana1
 
Ferramentas da qualidade_semana10_revisado
Ferramentas da qualidade_semana10_revisadoFerramentas da qualidade_semana10_revisado
Ferramentas da qualidade_semana10_revisado
 
Apostila brigada incendio
Apostila brigada incendioApostila brigada incendio
Apostila brigada incendio
 
Rt cbmrs nr_14_1.extintores_ incendio
Rt cbmrs  nr_14_1.extintores_ incendioRt cbmrs  nr_14_1.extintores_ incendio
Rt cbmrs nr_14_1.extintores_ incendio
 
14.555parte vetada mantida
14.555parte vetada mantida14.555parte vetada mantida
14.555parte vetada mantida
 
La 016
La 016La 016
La 016
 
Termo de interdio_mte_silva
Termo de interdio_mte_silvaTermo de interdio_mte_silva
Termo de interdio_mte_silva
 
Mte
MteMte
Mte
 
Sintese das aulas 1
Sintese das aulas 1Sintese das aulas 1
Sintese das aulas 1
 
Planta baixa sue
Planta baixa suePlanta baixa sue
Planta baixa sue
 
Exercicio freq e_grav1
Exercicio freq e_grav1Exercicio freq e_grav1
Exercicio freq e_grav1
 
Auditor fiscal prova_2
Auditor fiscal prova_2Auditor fiscal prova_2
Auditor fiscal prova_2
 
Auditor fiscal prova_1
Auditor fiscal prova_1Auditor fiscal prova_1
Auditor fiscal prova_1
 
Cd onlinetrabalhovisualizarresumo
Cd onlinetrabalhovisualizarresumoCd onlinetrabalhovisualizarresumo
Cd onlinetrabalhovisualizarresumo
 
Diretrizes seguranca saude_do_trabalho_para_empresas_contratadas
Diretrizes seguranca saude_do_trabalho_para_empresas_contratadasDiretrizes seguranca saude_do_trabalho_para_empresas_contratadas
Diretrizes seguranca saude_do_trabalho_para_empresas_contratadas
 
Avaliação os nove jeitos mais comuns de avaliar os estudantes e os benefíci...
Avaliação   os nove jeitos mais comuns de avaliar os estudantes e os benefíci...Avaliação   os nove jeitos mais comuns de avaliar os estudantes e os benefíci...
Avaliação os nove jeitos mais comuns de avaliar os estudantes e os benefíci...
 
Apt apresentacao-01
Apt apresentacao-01Apt apresentacao-01
Apt apresentacao-01
 
Ohsas18001 mod2
Ohsas18001 mod2Ohsas18001 mod2
Ohsas18001 mod2
 
Ohsas18001 mod1
Ohsas18001 mod1Ohsas18001 mod1
Ohsas18001 mod1
 
Basico sobre sst_para_me_e_epp_serralheria
Basico sobre sst_para_me_e_epp_serralheriaBasico sobre sst_para_me_e_epp_serralheria
Basico sobre sst_para_me_e_epp_serralheria
 

Último

AULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdf
AULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdfAULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdf
AULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdf
MaxwellBentodeOlivei1
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...
Consultoria Acadêmica
 
Elementos de Máquina aplicados na tornearia mecânica.ppt
Elementos de Máquina aplicados na tornearia mecânica.pptElementos de Máquina aplicados na tornearia mecânica.ppt
Elementos de Máquina aplicados na tornearia mecânica.ppt
Wagner Moraes
 
Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...
Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...
Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...
pereiramarcossantos0
 
AE03 - LOGISTICA EMPRESARIAL UNICESUMAR 52/2024
AE03 - LOGISTICA EMPRESARIAL UNICESUMAR 52/2024AE03 - LOGISTICA EMPRESARIAL UNICESUMAR 52/2024
AE03 - LOGISTICA EMPRESARIAL UNICESUMAR 52/2024
Consultoria Acadêmica
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
Consultoria Acadêmica
 
Apresentação concreto autodesempenho 123
Apresentação concreto autodesempenho 123Apresentação concreto autodesempenho 123
Apresentação concreto autodesempenho 123
GabrielGarcia356832
 
Aula Vigor de Sementes - Aula Vigor de Sementes
Aula Vigor de Sementes - Aula Vigor de SementesAula Vigor de Sementes - Aula Vigor de Sementes
Aula Vigor de Sementes - Aula Vigor de Sementes
WeltonAgostinhoDias1
 

Último (8)

AULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdf
AULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdfAULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdf
AULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdf
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...
 
Elementos de Máquina aplicados na tornearia mecânica.ppt
Elementos de Máquina aplicados na tornearia mecânica.pptElementos de Máquina aplicados na tornearia mecânica.ppt
Elementos de Máquina aplicados na tornearia mecânica.ppt
 
Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...
Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...
Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...
 
AE03 - LOGISTICA EMPRESARIAL UNICESUMAR 52/2024
AE03 - LOGISTICA EMPRESARIAL UNICESUMAR 52/2024AE03 - LOGISTICA EMPRESARIAL UNICESUMAR 52/2024
AE03 - LOGISTICA EMPRESARIAL UNICESUMAR 52/2024
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
 
Apresentação concreto autodesempenho 123
Apresentação concreto autodesempenho 123Apresentação concreto autodesempenho 123
Apresentação concreto autodesempenho 123
 
Aula Vigor de Sementes - Aula Vigor de Sementes
Aula Vigor de Sementes - Aula Vigor de SementesAula Vigor de Sementes - Aula Vigor de Sementes
Aula Vigor de Sementes - Aula Vigor de Sementes
 

Tq ferramentas da_qualidade_semana2

  • 2. 2 Sumário O que são as ferramentas da qualidade?.................................................3 Finalidade das ferramentas da qualidade.................................................3 Os tipos de ferramentas da qualidade - Parte 1........................................4 Brainstorming ...........................................................................................5
  • 3. 3 O que são as ferramentas da qualidade? As ferramentas da qualidade são um conjunto de técnicas que permitem aos técnicos e gesto- res verificarem o andamento dos processos e o atingimento dos objetivos e das metas de uma organização. Uma empresa deve, obrigatoriamente, fixar os seus objetivos e metas. “Para uma empresa que não sabe aonde quer chegar, qualquer lugar serve!”  Peter Drucker Temos uma infinidade de exemplos de objetivos e metas empresariais, dependendo do seg- mento, da cultura empresarial, do tamanho da empresa e do ambiente competitivo em que esta empresa está inserida. São exemplos de objetivos e metas empresariais: Processo Objetivo/Meta RH Absenteísmo RH/Segurança e medicina do trabalho Taxa de acidentes Produção Produtividade Produção Não conformidades Administrativo Lucratividade Comercial Satisfação de clientes Comercial Quantidade de atendimentos Engenharia Número de projetos entregues no prazo Da mesma forma, as ferramentas da qualidade podem oferecer a base para a evolução dos pro- cessos incentivando os integrantes de uma organização a trabalharem em equipe na busca da solução de problemas e desafios apresentados. As ferramentas visam, também, à organização lógica de informações e à priorização de fatos, proporcionando o uso racional dos recursos por parte das organizações. Finalidade das ferramentas da qualidade Segundo um dos princípios de Deming, a organização deve melhorar constantemente o sistema de produção e de prestação de serviços, de modo a melhorar a qualidade e a produtividade e, consequentemente, reduzir de forma sistemática os custos. Seguindo este princípio, é necessá- ria uma periódica checagem destes processos. Esta é uma das principais funções das ferramentas da qualidade.  As ferramentas da qualida- de têm o objetivo de informar prioridades, propor novas ideias, identificar problemas, entre ou- tros. Elas fazem isto através de uma organização de dados e informações em gráficos, tabelas e fluxogramas. Então, a função das ferramentas da qualidade é de agrupar e facilitar a leitura dos dados e informações que são colhidos diariamente nas organizações. Estas informações servirão de base para direcionar os rumos da organização, portanto, deve
  • 4. 4 gerar credibilidade sendo que o  resultado negativo deve servir como impulso para a correção, não devendo ser omitido. A atitude dos técnicos e gestores tem grande importância para que as ferramentas sejam utili- zadas em intervalos planejados e sem interrupções, principalmente em organizações em que as ferramentas estejam em fase de implantação. Atitudes que devem ser aplicadas: ●● Clareza dos objetivos; ●● Objetividade; ●● Senso de grupo; ●● Busca pelo envolvimento e; ●● Participação de todos e uma atitude positiva frente às dificuldades. Os tipos de ferramentas da qualidade - Parte 1  As ferramentas da qualidade podem ser classificadas da seguinte forma: 1) Ferramentas estatísticas As técnicas estatísticas oferecem com maior probabilidade de acerto quais as tendências de um processo em atingir ou não um objetivo. Neste tipo de ferramenta, os dados são agrupados e são demonstrados em forma de gráfico para uma melhor visualização. São exemplos de algumas ferramentas estatísticas da qualidade: Os tipos de ferramenta da qualidade - Parte 2 2) Ferramentas de busca, organização de informações e solução de problemas Estas técnicas visam identificar, determinar e priorizar atividades para que os processos de ges- tão atinjam seus objetivos. Algumas promovem o livre pensamento coletivo, enquanto outras determinam o que deve ser feito e fixam o prazo limite para que aconteçam.
  • 5. 5 São exemplos de algumas  ferramentas de busca e organização de informações:  Brainstorming Brainstorming é o termo derivado de duas palavras de língua inglesa: “brain” que significa cére- bro e “storm” que significa tempestade, portanto, brainstorming é o ato de gerar uma tempestade de ideias no cérebro. Esta técnica para a solução de problemas foi criada por Alex F. Osborn em 1938. Alex era proprietário de uma importante agência de publicidade norte-americana, talvez, por isso, os publicitários brasileiros foram os primeiros a utilizarem a ferramenta. A ferramenta é um processo de grupo em que os indivíduos emitem ideias livremente, sem crí- ticas, em um espaço de tempo pré-determinado. O grupo deve ter no mínimo cinco pessoas e no máximo doze e recomenda-se que a participação seja voluntária. Deve ser nomeado um facilitador para que o andamento seja organizado e as regras seguidas. O objetivo do brainstorming é lançar e detalhar ideias sob um assunto pré-definido em um am- biente favorável, sem inibições ou preconceitos. Espera-se que os indivíduos do grupo tenham opiniões diversas, sejam pró-ativos e que contribuam para o desenvolvimento de times de tra- balho. Para que o Brainstorming aconteça é necessário que os indivíduos do grupo:  ●● Tenham capacidade de autoexpressão e desinibição; ●● Tenham criatividade e que sejam estimulados para isto;
  • 6. 6 ●● Não sofram julgamentos prévios ou censuras; ●● Sejam práticos e diretos; ●● Não tenham diferenças hierárquicas durante o processo. O papel do facilitador é o de registrar as idéias e apresentar claramente o assunto a ser tratado. O Brainstorming é dividido em três fases: Fase 1 - Clareza e objetividade na apresentação do tema, problema ou situação a ser abor- dado: O líder do time tem essa função e deve buscar o foco central do assunto. Fase 2 - Geração e registro das ideias: O facilitador do grupo deve ler periodicamente as ideias que foram apresentadas pelos integrantes da reunião. Para evitar que os integrantes mais fa- lantes monopolizem a reunião, pode-se adotar o brainstorming estruturado, ou seja, as pessoas falam as suas ideias apenas quando chega a sua vez. Fase 3 - Análise e seleção das idéias: A partir do momento que as ideias começam a ficar es- cassas, o líder propõe o encerramento da reunião e juntamente com a equipe procede a escolha das melhores ideias, segundo análise de prós e contras. Existe, ainda, uma variação do brainstorming chamada de brainwriting, conhecido também como brainstorming fechado. O termo brainwriting é derivado de duas palavras de origem inglesa “brain” que significa cérebro e “write” que significa escrever. Portanto, brainwriting é o ato de es- crever as ideias e apresentá-las por escrito, desta forma reduz-se o risco de críticas e inibições no momento da geração das ideias. As demais fases são semelhantes às do brainstorming.