SlideShare uma empresa Scribd logo
ÉTICA E BIOÉTICA
Professor Cleanto Santos Vieira
Aula 8 Capítulo 5:
Ética nas pesquisas em seres humanos e animais
ÉTICA E BIOÉTICA
• No Brasil, os aspectos éticos envolvidos em
pesquisas com seres humanos estão
regulamentados pelas diretrizes da Resolução
196/96 do Conselho Nacional de Saúde (CNS),
estabelecida em 10 de outubro de 1996.
• O CNS tem por objetivo, além de evitar abusos
e proteger os sujeitos das pesquisas, contribuir
para o desenvolvimento seguro de
investigações que possam realmente beneficiar
a sociedade brasileira.
• A partir da Resolução 196/96, toda pesquisa em
andamento no país e que envolve seres
humanos deve necessariamente ser submetida
à apreciação de Comitês de Ética em pesquisa
(CEPs), especialmente credenciados, sob a
coordenação superior da Comissão Nacional de
Ética em Pesquisa (CONEP).
Aula 8 Capítulo 5: Ética nas pesquisas
em seres humanos e animais
ÉTICA E BIOÉTICA
• A Resolução 196/96 incorpora, sob a
ótica individual e coletiva, os quatro
referenciais básicos da bioética:
• 1º autonomia;
• 2º não maleficência;
• 3º beneficência;
• 4º justiça.
• Visa assegurar os direitos e deveres
que dizem respeito à comunidade
científica, aos sujeitos de pesquisa e
ao Estado.
Aula 8 Capítulo 5: Ética nas pesquisas
em seres humanos e animais
ÉTICA E BIOÉTICA
• 1º A autonomia inclui o respeito pela
pessoa, à sua vontade, aos seus valores
morais e crenças ou, ainda, a de seu
representante legal.
• Significa que a pessoa deve ser considerada
como um ser capaz de deliberar e tomar as
próprias decisões no que se refere aos
cuidados de saúde.
• No entanto, aponta que é necessário
proteger as pessoas com autonomia
diminuída, incluindo-se aqui as crianças com
ou sem patologias.
Aula 8 Capítulo 5: Ética nas pesquisas
em seres humanos e animais
No BGI Shenzhen (centro de pesquisas em genética), os
cientistas coletaram amostras de DNA das 2.000 pessoas mais
inteligentes do mundo e estão sequenciando seus genomas
inteiros, na tentativa de identificar os alelos que determinam a
inteligência humana. Aparentemente eles não estão longe de
encontra-los, e quando conseguirem, a triagem de embriões
permitirá aos pais escolher o seu zigoto mais brilhante e
potencialmente bater a inteligência de cada geração em 5 a 15
pontos de QI. -
ÉTICA E BIOÉTICA
• 2º A beneficência diz respeito à
obrigação ética de maximizar os
benefícios e minimizar os prejuízos
ao indivíduo.
Aula 8 Capítulo 5: Ética nas pesquisas
em seres humanos e animais
ÉTICA E BIOÉTICA
• 3º O princípio da não maleficência implica no dever
moral de não ocasionar danos ou malefícios às pessoas
e impedir que elas sejam colocadas sob riscos
adicionais, seja no cuidado em saúde, seja na pesquisa
biomédica e comportamental.
Aula 8 Capítulo 5: Ética nas pesquisas
em seres humanos e animais
Na antiguidade, muitos experimentos foram feitos para evitar a varíola, cujas
epidemias dizimavam as populações. Os chineses costumavam colocar crostas
de pústulas no nariz de pessoas sãs.
No início do século dezessete é que Edward Jenner, um médico inglês,
conseguiu imunizar um menino inoculando-o, em maio de 1796, com líquido da
varíola de gado. Em julho do mesmo ano quando inoculou o menino com varíola
humana, ele não desenvolveu a doença. De posse destes dados Jenner
publicou seu trabalho em 1798.
ÉTICA E BIOÉTICA
• 4º O quarto princípio, a justiça, se
refere à obrigação ética de tratar
cada pessoa de acordo com o que
se considera moralmente legal,
correto e apropriado.
Aula 8 Capítulo 5: Ética nas pesquisas
em seres humanos e animais
ÉTICA E BIOÉTICA
• Outro ponto importante na elaboração de
projetos de pesquisa considerando estes
aspectos éticos diz respeito à elaboração do
Termo de Consentimento de Livre e Esclarecido
(TCLE).
• O TCLE é o documento legal em que há a
descrição de todo o procedimento de pesquisa
para a leitura, apreciação e assinatura do sujeito
da pesquisa.
Aula 8 Capítulo 5: Ética nas pesquisas
em seres humanos e animais
ÉTICA E BIOÉTICA
• A obtenção de consentimento informado
de todos os indivíduos pesquisados é um
dever moral do pesquisador.
• O TCLE é um meio de garantir a
voluntariedade dos participantes, buscando
preservar a autonomia de todos os sujeitos.
• O texto deve fornecer informações
completas, incluindo os riscos e
desconfortos, os benefícios e os
procedimentos que serão executados.
• A sua redação deve ser adequada ao nível
de compreensão dos indivíduos e deve ser
aprovada pelo Comitê de Ética em
Pesquisa (CEP), juntamente com todo o
projeto de pesquisa.
Aula 8 Capítulo 5: Ética nas pesquisas
em seres humanos e animais
ÉTICA E BIOÉTICA
• O uso de animais em pesquisas
científicas está regulamentado na Lei Nº
11.794, de 8 de outubro de 2008.
• Esta lei estabelece todos os critérios
para utilização de animais em atividades
de ensino e pesquisa científica em todo
o território nacional brasileiro.
• O órgão responsável pelo
credenciamento das Comissões de Ética
no Uso de Animais (CEUAs) é o
Conselho Nacional de Controle e
Experimentação Animal (CONCEA),
ligado ao Ministério de Ciência e
Tecnologia.
Aula 8 Capítulo 5: Ética nas pesquisas
em seres humanos e animais
ÉTICA E BIOÉTICA
• Todo o projeto de pesquisa ou plano de ensino
envolvendo a utilização de animais deverá ser
submetido à apreciação de uma CEUA ligada a uma
instituição de ensino e/ou pesquisa.
Aula 8 Capítulo 5: Ética nas pesquisas
em seres humanos e animais
Biotério Universidade Federal de
Uberlândia da Linhagem Wistar
ÉTICA E BIOÉTICA
• Os procedimentos envolvendo
animais devem obedecer dois
pontos básicos:
• 1º assegurar o bem estar animal na
experimentação e ensino;
• 2º apresentar o protocolo detalhado
o uso de animais de acordo com os
critérios mínimos conforme a
Resolução 879 de 15 de fevereiro de
2008 do Conselho Federal de
Medicina Veterinária (CFMV).
Aula 8 Capítulo 5: Ética nas pesquisas
em seres humanos e animais
ÉTICA E BIOÉTICA
• A FAFICH ainda não possui seu CEP
(comitê de ética e pesquisa) e
também não possui registro no CONEP
(Conselho Nacional de Ética em
Pesquisa).
• As pesquisas de campo em seres
humanos e animais ficam assim
prejudicadas, pois sem a chancela do
Comitê de Ética e do Conselho
Nacional de Ética em Pesquisa, elas
não podem ser publicadas perdendo
sua validade.
Aula 8 Capítulo 5: Ética nas pesquisas
em seres humanos e animais
• REFERÊNCIAS:
• Brasil. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde, Comitê Nacional de Ética em pesquisa.
Manual Operacional para Comitês de Ética em Pesquisa, 4ª edição, Brasília: Ministério da Saúde;
2007.
• 2. Brasil. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 196, de 10 de Outubro de
1996. Brasília: Ministério da Saúde, 1996.
• 3. Diniz D, Guilhem D. O que é bioética. São Paulo: Brasiliense, 2002.
• 4. Cortina A, Martinez E. Ética. São Paulo: Loyola, 2005.
• 5. Brasil. Ministério da Ciência e Teconologia. Lei nº 11.794, de 8 de Outubro de 2008. Brasília:
Ministério da Ciência e Tecnologia, 2008.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 2 saúde e doença
Aula 2   saúde e doençaAula 2   saúde e doença
Aula 2 saúde e doença
Jesiele Spindler
 
Bioética e pesquisa em seres humanos - Luiz Antonio Bento
Bioética e pesquisa em seres humanos - Luiz Antonio BentoBioética e pesquisa em seres humanos - Luiz Antonio Bento
Bioética e pesquisa em seres humanos - Luiz Antonio Bento
Família Cristã
 
A ética no uso de animais em pesquisas
A ética no uso de animais em pesquisas A ética no uso de animais em pesquisas
A ética no uso de animais em pesquisas
MariaManzoki
 
Aula esterilizacao
Aula esterilizacaoAula esterilizacao
Aula esterilizacao
Mario Santos Aguiar
 
Principios da bioetica
Principios da bioeticaPrincipios da bioetica
Principios da bioetica
Nilson Dias Castelano
 
Introdução à Metodologia
Introdução à MetodologiaIntrodução à Metodologia
Introdução à Metodologia
Universidade Federal do Oeste Pará
 
Historia Da Enfermagem
Historia Da EnfermagemHistoria Da Enfermagem
Historia Da Enfermagem
Fernando Dias
 
Aula 01 - O Processo Saúde e Doença
Aula 01 - O Processo Saúde e DoençaAula 01 - O Processo Saúde e Doença
Aula 01 - O Processo Saúde e Doença
Ghiordanno Bruno
 
Biossegurança
BiossegurançaBiossegurança
Biossegurança
Sheilla Sandes
 
Planejamento dos cuidados de enfermagem
Planejamento dos cuidados de enfermagemPlanejamento dos cuidados de enfermagem
Planejamento dos cuidados de enfermagem
Daniel Félix dos Santos
 
Educação e saúde
Educação e saúde Educação e saúde
Educação e saúde
Leonardo Savassi
 
Bioética
BioéticaBioética
Bioética
Carol Alves
 
Aula Introdutória de Saúde Coletiva
Aula Introdutória de Saúde ColetivaAula Introdutória de Saúde Coletiva
Aula Introdutória de Saúde Coletiva
Karynne Alves do Nascimento
 
Urgência e emergência
Urgência e emergênciaUrgência e emergência
Urgência e emergência
Alexandre Donha
 
ORGANIZAÇÃO HOSPITALAR
ORGANIZAÇÃO HOSPITALARORGANIZAÇÃO HOSPITALAR
ORGANIZAÇÃO HOSPITALAR
Centro Universitário Ages
 
Paciente em fase terminal
Paciente em fase terminalPaciente em fase terminal
Paciente em fase terminal
Rodrigo Abreu
 
Pesquisa com seres humanos
Pesquisa com seres humanosPesquisa com seres humanos
Pesquisa com seres humanos
Nilson Dias Castelano
 
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Amanda Moura
 
Processo de esterilização
Processo de esterilizaçãoProcesso de esterilização
Processo de esterilização
Amanda Amate
 
05. niveis de biosseguranca
05. niveis de biosseguranca05. niveis de biosseguranca
05. niveis de biosseguranca
Luiz Gonçalves Mendes Jr
 

Mais procurados (20)

Aula 2 saúde e doença
Aula 2   saúde e doençaAula 2   saúde e doença
Aula 2 saúde e doença
 
Bioética e pesquisa em seres humanos - Luiz Antonio Bento
Bioética e pesquisa em seres humanos - Luiz Antonio BentoBioética e pesquisa em seres humanos - Luiz Antonio Bento
Bioética e pesquisa em seres humanos - Luiz Antonio Bento
 
A ética no uso de animais em pesquisas
A ética no uso de animais em pesquisas A ética no uso de animais em pesquisas
A ética no uso de animais em pesquisas
 
Aula esterilizacao
Aula esterilizacaoAula esterilizacao
Aula esterilizacao
 
Principios da bioetica
Principios da bioeticaPrincipios da bioetica
Principios da bioetica
 
Introdução à Metodologia
Introdução à MetodologiaIntrodução à Metodologia
Introdução à Metodologia
 
Historia Da Enfermagem
Historia Da EnfermagemHistoria Da Enfermagem
Historia Da Enfermagem
 
Aula 01 - O Processo Saúde e Doença
Aula 01 - O Processo Saúde e DoençaAula 01 - O Processo Saúde e Doença
Aula 01 - O Processo Saúde e Doença
 
Biossegurança
BiossegurançaBiossegurança
Biossegurança
 
Planejamento dos cuidados de enfermagem
Planejamento dos cuidados de enfermagemPlanejamento dos cuidados de enfermagem
Planejamento dos cuidados de enfermagem
 
Educação e saúde
Educação e saúde Educação e saúde
Educação e saúde
 
Bioética
BioéticaBioética
Bioética
 
Aula Introdutória de Saúde Coletiva
Aula Introdutória de Saúde ColetivaAula Introdutória de Saúde Coletiva
Aula Introdutória de Saúde Coletiva
 
Urgência e emergência
Urgência e emergênciaUrgência e emergência
Urgência e emergência
 
ORGANIZAÇÃO HOSPITALAR
ORGANIZAÇÃO HOSPITALARORGANIZAÇÃO HOSPITALAR
ORGANIZAÇÃO HOSPITALAR
 
Paciente em fase terminal
Paciente em fase terminalPaciente em fase terminal
Paciente em fase terminal
 
Pesquisa com seres humanos
Pesquisa com seres humanosPesquisa com seres humanos
Pesquisa com seres humanos
 
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
 
Processo de esterilização
Processo de esterilizaçãoProcesso de esterilização
Processo de esterilização
 
05. niveis de biosseguranca
05. niveis de biosseguranca05. niveis de biosseguranca
05. niveis de biosseguranca
 

Semelhante a Ética e bioética - ética em pesquisa com seres humanos e animais - cap 5 aula 8

Ética em Pesquisa com Seres Humanos.ppt
Ética em Pesquisa com Seres Humanos.pptÉtica em Pesquisa com Seres Humanos.ppt
Ética em Pesquisa com Seres Humanos.ppt
JamilleMarques6
 
Aula_Método__ÉticaPesquisa_SeresHumanos_Abril2018.ppt
Aula_Método__ÉticaPesquisa_SeresHumanos_Abril2018.pptAula_Método__ÉticaPesquisa_SeresHumanos_Abril2018.ppt
Aula_Método__ÉticaPesquisa_SeresHumanos_Abril2018.ppt
MayaraPereira87
 
AULA metodologia.ppt
AULA metodologia.pptAULA metodologia.ppt
AULA metodologia.ppt
FabianoMalafaia
 
Introdução a investigação e produção científica na área da saúde
Introdução a investigação e produção científica na área da saúdeIntrodução a investigação e produção científica na área da saúde
Introdução a investigação e produção científica na área da saúde
Aliny Lima
 
Mic SLides.pptx
Mic SLides.pptxMic SLides.pptx
Mic SLides.pptx
MuseiwaLopes
 
Manual de treinamento em manipulacao animal ufpr (1)
Manual de treinamento em manipulacao animal ufpr (1)Manual de treinamento em manipulacao animal ufpr (1)
Manual de treinamento em manipulacao animal ufpr (1)
Ana Isabel Nascimento
 
Bioética pesquisa em animais
Bioética  pesquisa em animaisBioética  pesquisa em animais
Bioética pesquisa em animais
João Antônio Granzotti
 
principios.ppt
principios.pptprincipios.ppt
principios.ppt
DheniseMikaelly
 
principios.ppt
principios.pptprincipios.ppt
principios.ppt
DheniseMikaelly
 
Seminário filosofia _20230907_182423_0000.pdf
Seminário filosofia _20230907_182423_0000.pdfSeminário filosofia _20230907_182423_0000.pdf
Seminário filosofia _20230907_182423_0000.pdf
ls1740975
 
Seminário filosofia _20230925_130858_0000.pdf
Seminário filosofia _20230925_130858_0000.pdfSeminário filosofia _20230925_130858_0000.pdf
Seminário filosofia _20230925_130858_0000.pdf
ClaraluaSilva
 
Resolução 196/96
Resolução 196/96Resolução 196/96
Resolução 196/96
profguilhermeterra
 
aula sobre COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA.pdf
aula sobre COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA.pdfaula sobre COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA.pdf
aula sobre COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA.pdf
ThaisFernandaTortore
 
Declaration of helsinki (portuguese)
Declaration of helsinki (portuguese)Declaration of helsinki (portuguese)
Declaration of helsinki (portuguese)
Elen Verissimo
 
Cópia de TUTORIAL plataforma brasil.pptx
Cópia de TUTORIAL plataforma brasil.pptxCópia de TUTORIAL plataforma brasil.pptx
Cópia de TUTORIAL plataforma brasil.pptx
DirceGrein
 
Jefferson- Bioética e Biodireito.pptx
Jefferson- Bioética e Biodireito.pptxJefferson- Bioética e Biodireito.pptx
Jefferson- Bioética e Biodireito.pptx
AlineNabonoDuboviski1
 
Diretrizes éticas internacionais.1
Diretrizes éticas internacionais.1Diretrizes éticas internacionais.1
Diretrizes éticas internacionais.1
danilo oliveira
 
Ética em Pesquisa em psicologia, 10 aula
Ética em Pesquisa em psicologia, 10 aulaÉtica em Pesquisa em psicologia, 10 aula
Ética em Pesquisa em psicologia, 10 aula
ValmirDornVasconcelo1
 
ICSC48 - Aspectos éticos na experimentação animal
ICSC48 - Aspectos éticos na experimentação animalICSC48 - Aspectos éticos na experimentação animal
ICSC48 - Aspectos éticos na experimentação animal
Ricardo Portela
 
BIOSSEGURANÇA TEC TRABALHO.pdf
BIOSSEGURANÇA TEC TRABALHO.pdfBIOSSEGURANÇA TEC TRABALHO.pdf
BIOSSEGURANÇA TEC TRABALHO.pdf
MANOELMESSIASSANTOSS1
 

Semelhante a Ética e bioética - ética em pesquisa com seres humanos e animais - cap 5 aula 8 (20)

Ética em Pesquisa com Seres Humanos.ppt
Ética em Pesquisa com Seres Humanos.pptÉtica em Pesquisa com Seres Humanos.ppt
Ética em Pesquisa com Seres Humanos.ppt
 
Aula_Método__ÉticaPesquisa_SeresHumanos_Abril2018.ppt
Aula_Método__ÉticaPesquisa_SeresHumanos_Abril2018.pptAula_Método__ÉticaPesquisa_SeresHumanos_Abril2018.ppt
Aula_Método__ÉticaPesquisa_SeresHumanos_Abril2018.ppt
 
AULA metodologia.ppt
AULA metodologia.pptAULA metodologia.ppt
AULA metodologia.ppt
 
Introdução a investigação e produção científica na área da saúde
Introdução a investigação e produção científica na área da saúdeIntrodução a investigação e produção científica na área da saúde
Introdução a investigação e produção científica na área da saúde
 
Mic SLides.pptx
Mic SLides.pptxMic SLides.pptx
Mic SLides.pptx
 
Manual de treinamento em manipulacao animal ufpr (1)
Manual de treinamento em manipulacao animal ufpr (1)Manual de treinamento em manipulacao animal ufpr (1)
Manual de treinamento em manipulacao animal ufpr (1)
 
Bioética pesquisa em animais
Bioética  pesquisa em animaisBioética  pesquisa em animais
Bioética pesquisa em animais
 
principios.ppt
principios.pptprincipios.ppt
principios.ppt
 
principios.ppt
principios.pptprincipios.ppt
principios.ppt
 
Seminário filosofia _20230907_182423_0000.pdf
Seminário filosofia _20230907_182423_0000.pdfSeminário filosofia _20230907_182423_0000.pdf
Seminário filosofia _20230907_182423_0000.pdf
 
Seminário filosofia _20230925_130858_0000.pdf
Seminário filosofia _20230925_130858_0000.pdfSeminário filosofia _20230925_130858_0000.pdf
Seminário filosofia _20230925_130858_0000.pdf
 
Resolução 196/96
Resolução 196/96Resolução 196/96
Resolução 196/96
 
aula sobre COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA.pdf
aula sobre COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA.pdfaula sobre COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA.pdf
aula sobre COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA.pdf
 
Declaration of helsinki (portuguese)
Declaration of helsinki (portuguese)Declaration of helsinki (portuguese)
Declaration of helsinki (portuguese)
 
Cópia de TUTORIAL plataforma brasil.pptx
Cópia de TUTORIAL plataforma brasil.pptxCópia de TUTORIAL plataforma brasil.pptx
Cópia de TUTORIAL plataforma brasil.pptx
 
Jefferson- Bioética e Biodireito.pptx
Jefferson- Bioética e Biodireito.pptxJefferson- Bioética e Biodireito.pptx
Jefferson- Bioética e Biodireito.pptx
 
Diretrizes éticas internacionais.1
Diretrizes éticas internacionais.1Diretrizes éticas internacionais.1
Diretrizes éticas internacionais.1
 
Ética em Pesquisa em psicologia, 10 aula
Ética em Pesquisa em psicologia, 10 aulaÉtica em Pesquisa em psicologia, 10 aula
Ética em Pesquisa em psicologia, 10 aula
 
ICSC48 - Aspectos éticos na experimentação animal
ICSC48 - Aspectos éticos na experimentação animalICSC48 - Aspectos éticos na experimentação animal
ICSC48 - Aspectos éticos na experimentação animal
 
BIOSSEGURANÇA TEC TRABALHO.pdf
BIOSSEGURANÇA TEC TRABALHO.pdfBIOSSEGURANÇA TEC TRABALHO.pdf
BIOSSEGURANÇA TEC TRABALHO.pdf
 

Mais de Cleanto Santos Vieira

Hidroterapia - crio tapping - Aula 8
Hidroterapia - crio tapping - Aula 8Hidroterapia - crio tapping - Aula 8
Hidroterapia - crio tapping - Aula 8
Cleanto Santos Vieira
 
Termoterapia ondas curtas e microondas - cap 7
Termoterapia   ondas curtas e microondas - cap 7Termoterapia   ondas curtas e microondas - cap 7
Termoterapia ondas curtas e microondas - cap 7
Cleanto Santos Vieira
 
Termoterapia ultra-som - capítulo 14
Termoterapia   ultra-som - capítulo 14Termoterapia   ultra-som - capítulo 14
Termoterapia ultra-som - capítulo 14
Cleanto Santos Vieira
 
Fototerapia - ultra violeta - capitulo 16
Fototerapia - ultra violeta - capitulo 16Fototerapia - ultra violeta - capitulo 16
Fototerapia - ultra violeta - capitulo 16
Cleanto Santos Vieira
 
Fototerapia - infravermelho - cap 13
 Fototerapia - infravermelho - cap 13 Fototerapia - infravermelho - cap 13
Fototerapia - infravermelho - cap 13
Cleanto Santos Vieira
 
Fototerapia - laser - capítulo 15
 Fototerapia - laser - capítulo 15 Fototerapia - laser - capítulo 15
Fototerapia - laser - capítulo 15
Cleanto Santos Vieira
 
Hidroterapia - banhos de contraste - Aula 12
Hidroterapia - banhos de contraste - Aula 12 Hidroterapia - banhos de contraste - Aula 12
Hidroterapia - banhos de contraste - Aula 12
Cleanto Santos Vieira
 
Hidroterapia - turbilhões - Aula 11
Hidroterapia - turbilhões - Aula 11Hidroterapia - turbilhões - Aula 11
Hidroterapia - turbilhões - Aula 11
Cleanto Santos Vieira
 
Hidroterapia - crioalongamento - Aula 10
Hidroterapia - crioalongamento - Aula 10Hidroterapia - crioalongamento - Aula 10
Hidroterapia - crioalongamento - Aula 10
Cleanto Santos Vieira
 
Hidroterapia - imersão no gelo - Aula 9
Hidroterapia - imersão no gelo - Aula 9Hidroterapia - imersão no gelo - Aula 9
Hidroterapia - imersão no gelo - Aula 9
Cleanto Santos Vieira
 
Hidroterapia introdução - aula 1
Hidroterapia   introdução - aula 1Hidroterapia   introdução - aula 1
Hidroterapia introdução - aula 1
Cleanto Santos Vieira
 
Eletroterapia - corrente aussie - capitulo 8 aula 18
Eletroterapia - corrente aussie - capitulo 8 aula 18Eletroterapia - corrente aussie - capitulo 8 aula 18
Eletroterapia - corrente aussie - capitulo 8 aula 18
Cleanto Santos Vieira
 
Eletroterapia - corrente russa - capitulo 7 aula 17
Eletroterapia - corrente russa - capitulo 7 aula 17Eletroterapia - corrente russa - capitulo 7 aula 17
Eletroterapia - corrente russa - capitulo 7 aula 17
Cleanto Santos Vieira
 
Neurofisiologia - sinapses - aula 3 capitulo 2
Neurofisiologia - sinapses - aula 3 capitulo 2 Neurofisiologia - sinapses - aula 3 capitulo 2
Neurofisiologia - sinapses - aula 3 capitulo 2
Cleanto Santos Vieira
 
Sistema Nervoso - fisiopatologia do neurônio motor superior e periférico - A...
Sistema Nervoso -  fisiopatologia do neurônio motor superior e periférico - A...Sistema Nervoso -  fisiopatologia do neurônio motor superior e periférico - A...
Sistema Nervoso - fisiopatologia do neurônio motor superior e periférico - A...
Cleanto Santos Vieira
 
Primeiros Socorros - Atendimento de emergência a politraumatizados
Primeiros Socorros - Atendimento de emergência a politraumatizadosPrimeiros Socorros - Atendimento de emergência a politraumatizados
Primeiros Socorros - Atendimento de emergência a politraumatizados
Cleanto Santos Vieira
 
Primeiros Socorros - posição restrição e movimentação no leito
Primeiros Socorros - posição restrição e movimentação no leitoPrimeiros Socorros - posição restrição e movimentação no leito
Primeiros Socorros - posição restrição e movimentação no leito
Cleanto Santos Vieira
 
Primeiros Socorros - Desmaios noções de cuidados e socorros de urgência
Primeiros Socorros - Desmaios noções de cuidados e socorros de urgênciaPrimeiros Socorros - Desmaios noções de cuidados e socorros de urgência
Primeiros Socorros - Desmaios noções de cuidados e socorros de urgência
Cleanto Santos Vieira
 
Primeiros Socorros - Respiração noções de primeiros socorros e cuidados de em...
Primeiros Socorros - Respiração noções de primeiros socorros e cuidados de em...Primeiros Socorros - Respiração noções de primeiros socorros e cuidados de em...
Primeiros Socorros - Respiração noções de primeiros socorros e cuidados de em...
Cleanto Santos Vieira
 
Primeiros Socorros - Acidentes com animais peçonhentos ofidismo
Primeiros Socorros - Acidentes com animais peçonhentos ofidismoPrimeiros Socorros - Acidentes com animais peçonhentos ofidismo
Primeiros Socorros - Acidentes com animais peçonhentos ofidismo
Cleanto Santos Vieira
 

Mais de Cleanto Santos Vieira (20)

Hidroterapia - crio tapping - Aula 8
Hidroterapia - crio tapping - Aula 8Hidroterapia - crio tapping - Aula 8
Hidroterapia - crio tapping - Aula 8
 
Termoterapia ondas curtas e microondas - cap 7
Termoterapia   ondas curtas e microondas - cap 7Termoterapia   ondas curtas e microondas - cap 7
Termoterapia ondas curtas e microondas - cap 7
 
Termoterapia ultra-som - capítulo 14
Termoterapia   ultra-som - capítulo 14Termoterapia   ultra-som - capítulo 14
Termoterapia ultra-som - capítulo 14
 
Fototerapia - ultra violeta - capitulo 16
Fototerapia - ultra violeta - capitulo 16Fototerapia - ultra violeta - capitulo 16
Fototerapia - ultra violeta - capitulo 16
 
Fototerapia - infravermelho - cap 13
 Fototerapia - infravermelho - cap 13 Fototerapia - infravermelho - cap 13
Fototerapia - infravermelho - cap 13
 
Fototerapia - laser - capítulo 15
 Fototerapia - laser - capítulo 15 Fototerapia - laser - capítulo 15
Fototerapia - laser - capítulo 15
 
Hidroterapia - banhos de contraste - Aula 12
Hidroterapia - banhos de contraste - Aula 12 Hidroterapia - banhos de contraste - Aula 12
Hidroterapia - banhos de contraste - Aula 12
 
Hidroterapia - turbilhões - Aula 11
Hidroterapia - turbilhões - Aula 11Hidroterapia - turbilhões - Aula 11
Hidroterapia - turbilhões - Aula 11
 
Hidroterapia - crioalongamento - Aula 10
Hidroterapia - crioalongamento - Aula 10Hidroterapia - crioalongamento - Aula 10
Hidroterapia - crioalongamento - Aula 10
 
Hidroterapia - imersão no gelo - Aula 9
Hidroterapia - imersão no gelo - Aula 9Hidroterapia - imersão no gelo - Aula 9
Hidroterapia - imersão no gelo - Aula 9
 
Hidroterapia introdução - aula 1
Hidroterapia   introdução - aula 1Hidroterapia   introdução - aula 1
Hidroterapia introdução - aula 1
 
Eletroterapia - corrente aussie - capitulo 8 aula 18
Eletroterapia - corrente aussie - capitulo 8 aula 18Eletroterapia - corrente aussie - capitulo 8 aula 18
Eletroterapia - corrente aussie - capitulo 8 aula 18
 
Eletroterapia - corrente russa - capitulo 7 aula 17
Eletroterapia - corrente russa - capitulo 7 aula 17Eletroterapia - corrente russa - capitulo 7 aula 17
Eletroterapia - corrente russa - capitulo 7 aula 17
 
Neurofisiologia - sinapses - aula 3 capitulo 2
Neurofisiologia - sinapses - aula 3 capitulo 2 Neurofisiologia - sinapses - aula 3 capitulo 2
Neurofisiologia - sinapses - aula 3 capitulo 2
 
Sistema Nervoso - fisiopatologia do neurônio motor superior e periférico - A...
Sistema Nervoso -  fisiopatologia do neurônio motor superior e periférico - A...Sistema Nervoso -  fisiopatologia do neurônio motor superior e periférico - A...
Sistema Nervoso - fisiopatologia do neurônio motor superior e periférico - A...
 
Primeiros Socorros - Atendimento de emergência a politraumatizados
Primeiros Socorros - Atendimento de emergência a politraumatizadosPrimeiros Socorros - Atendimento de emergência a politraumatizados
Primeiros Socorros - Atendimento de emergência a politraumatizados
 
Primeiros Socorros - posição restrição e movimentação no leito
Primeiros Socorros - posição restrição e movimentação no leitoPrimeiros Socorros - posição restrição e movimentação no leito
Primeiros Socorros - posição restrição e movimentação no leito
 
Primeiros Socorros - Desmaios noções de cuidados e socorros de urgência
Primeiros Socorros - Desmaios noções de cuidados e socorros de urgênciaPrimeiros Socorros - Desmaios noções de cuidados e socorros de urgência
Primeiros Socorros - Desmaios noções de cuidados e socorros de urgência
 
Primeiros Socorros - Respiração noções de primeiros socorros e cuidados de em...
Primeiros Socorros - Respiração noções de primeiros socorros e cuidados de em...Primeiros Socorros - Respiração noções de primeiros socorros e cuidados de em...
Primeiros Socorros - Respiração noções de primeiros socorros e cuidados de em...
 
Primeiros Socorros - Acidentes com animais peçonhentos ofidismo
Primeiros Socorros - Acidentes com animais peçonhentos ofidismoPrimeiros Socorros - Acidentes com animais peçonhentos ofidismo
Primeiros Socorros - Acidentes com animais peçonhentos ofidismo
 

Ética e bioética - ética em pesquisa com seres humanos e animais - cap 5 aula 8

  • 1. ÉTICA E BIOÉTICA Professor Cleanto Santos Vieira Aula 8 Capítulo 5: Ética nas pesquisas em seres humanos e animais
  • 2. ÉTICA E BIOÉTICA • No Brasil, os aspectos éticos envolvidos em pesquisas com seres humanos estão regulamentados pelas diretrizes da Resolução 196/96 do Conselho Nacional de Saúde (CNS), estabelecida em 10 de outubro de 1996. • O CNS tem por objetivo, além de evitar abusos e proteger os sujeitos das pesquisas, contribuir para o desenvolvimento seguro de investigações que possam realmente beneficiar a sociedade brasileira. • A partir da Resolução 196/96, toda pesquisa em andamento no país e que envolve seres humanos deve necessariamente ser submetida à apreciação de Comitês de Ética em pesquisa (CEPs), especialmente credenciados, sob a coordenação superior da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP). Aula 8 Capítulo 5: Ética nas pesquisas em seres humanos e animais
  • 3. ÉTICA E BIOÉTICA • A Resolução 196/96 incorpora, sob a ótica individual e coletiva, os quatro referenciais básicos da bioética: • 1º autonomia; • 2º não maleficência; • 3º beneficência; • 4º justiça. • Visa assegurar os direitos e deveres que dizem respeito à comunidade científica, aos sujeitos de pesquisa e ao Estado. Aula 8 Capítulo 5: Ética nas pesquisas em seres humanos e animais
  • 4. ÉTICA E BIOÉTICA • 1º A autonomia inclui o respeito pela pessoa, à sua vontade, aos seus valores morais e crenças ou, ainda, a de seu representante legal. • Significa que a pessoa deve ser considerada como um ser capaz de deliberar e tomar as próprias decisões no que se refere aos cuidados de saúde. • No entanto, aponta que é necessário proteger as pessoas com autonomia diminuída, incluindo-se aqui as crianças com ou sem patologias. Aula 8 Capítulo 5: Ética nas pesquisas em seres humanos e animais No BGI Shenzhen (centro de pesquisas em genética), os cientistas coletaram amostras de DNA das 2.000 pessoas mais inteligentes do mundo e estão sequenciando seus genomas inteiros, na tentativa de identificar os alelos que determinam a inteligência humana. Aparentemente eles não estão longe de encontra-los, e quando conseguirem, a triagem de embriões permitirá aos pais escolher o seu zigoto mais brilhante e potencialmente bater a inteligência de cada geração em 5 a 15 pontos de QI. -
  • 5. ÉTICA E BIOÉTICA • 2º A beneficência diz respeito à obrigação ética de maximizar os benefícios e minimizar os prejuízos ao indivíduo. Aula 8 Capítulo 5: Ética nas pesquisas em seres humanos e animais
  • 6. ÉTICA E BIOÉTICA • 3º O princípio da não maleficência implica no dever moral de não ocasionar danos ou malefícios às pessoas e impedir que elas sejam colocadas sob riscos adicionais, seja no cuidado em saúde, seja na pesquisa biomédica e comportamental. Aula 8 Capítulo 5: Ética nas pesquisas em seres humanos e animais Na antiguidade, muitos experimentos foram feitos para evitar a varíola, cujas epidemias dizimavam as populações. Os chineses costumavam colocar crostas de pústulas no nariz de pessoas sãs. No início do século dezessete é que Edward Jenner, um médico inglês, conseguiu imunizar um menino inoculando-o, em maio de 1796, com líquido da varíola de gado. Em julho do mesmo ano quando inoculou o menino com varíola humana, ele não desenvolveu a doença. De posse destes dados Jenner publicou seu trabalho em 1798.
  • 7. ÉTICA E BIOÉTICA • 4º O quarto princípio, a justiça, se refere à obrigação ética de tratar cada pessoa de acordo com o que se considera moralmente legal, correto e apropriado. Aula 8 Capítulo 5: Ética nas pesquisas em seres humanos e animais
  • 8. ÉTICA E BIOÉTICA • Outro ponto importante na elaboração de projetos de pesquisa considerando estes aspectos éticos diz respeito à elaboração do Termo de Consentimento de Livre e Esclarecido (TCLE). • O TCLE é o documento legal em que há a descrição de todo o procedimento de pesquisa para a leitura, apreciação e assinatura do sujeito da pesquisa. Aula 8 Capítulo 5: Ética nas pesquisas em seres humanos e animais
  • 9. ÉTICA E BIOÉTICA • A obtenção de consentimento informado de todos os indivíduos pesquisados é um dever moral do pesquisador. • O TCLE é um meio de garantir a voluntariedade dos participantes, buscando preservar a autonomia de todos os sujeitos. • O texto deve fornecer informações completas, incluindo os riscos e desconfortos, os benefícios e os procedimentos que serão executados. • A sua redação deve ser adequada ao nível de compreensão dos indivíduos e deve ser aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa (CEP), juntamente com todo o projeto de pesquisa. Aula 8 Capítulo 5: Ética nas pesquisas em seres humanos e animais
  • 10. ÉTICA E BIOÉTICA • O uso de animais em pesquisas científicas está regulamentado na Lei Nº 11.794, de 8 de outubro de 2008. • Esta lei estabelece todos os critérios para utilização de animais em atividades de ensino e pesquisa científica em todo o território nacional brasileiro. • O órgão responsável pelo credenciamento das Comissões de Ética no Uso de Animais (CEUAs) é o Conselho Nacional de Controle e Experimentação Animal (CONCEA), ligado ao Ministério de Ciência e Tecnologia. Aula 8 Capítulo 5: Ética nas pesquisas em seres humanos e animais
  • 11. ÉTICA E BIOÉTICA • Todo o projeto de pesquisa ou plano de ensino envolvendo a utilização de animais deverá ser submetido à apreciação de uma CEUA ligada a uma instituição de ensino e/ou pesquisa. Aula 8 Capítulo 5: Ética nas pesquisas em seres humanos e animais Biotério Universidade Federal de Uberlândia da Linhagem Wistar
  • 12. ÉTICA E BIOÉTICA • Os procedimentos envolvendo animais devem obedecer dois pontos básicos: • 1º assegurar o bem estar animal na experimentação e ensino; • 2º apresentar o protocolo detalhado o uso de animais de acordo com os critérios mínimos conforme a Resolução 879 de 15 de fevereiro de 2008 do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV). Aula 8 Capítulo 5: Ética nas pesquisas em seres humanos e animais
  • 13. ÉTICA E BIOÉTICA • A FAFICH ainda não possui seu CEP (comitê de ética e pesquisa) e também não possui registro no CONEP (Conselho Nacional de Ética em Pesquisa). • As pesquisas de campo em seres humanos e animais ficam assim prejudicadas, pois sem a chancela do Comitê de Ética e do Conselho Nacional de Ética em Pesquisa, elas não podem ser publicadas perdendo sua validade. Aula 8 Capítulo 5: Ética nas pesquisas em seres humanos e animais
  • 14. • REFERÊNCIAS: • Brasil. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde, Comitê Nacional de Ética em pesquisa. Manual Operacional para Comitês de Ética em Pesquisa, 4ª edição, Brasília: Ministério da Saúde; 2007. • 2. Brasil. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 196, de 10 de Outubro de 1996. Brasília: Ministério da Saúde, 1996. • 3. Diniz D, Guilhem D. O que é bioética. São Paulo: Brasiliense, 2002. • 4. Cortina A, Martinez E. Ética. São Paulo: Loyola, 2005. • 5. Brasil. Ministério da Ciência e Teconologia. Lei nº 11.794, de 8 de Outubro de 2008. Brasília: Ministério da Ciência e Tecnologia, 2008.