SlideShare uma empresa Scribd logo
Agrupamento de Escolas n.º 1 de Serpa

ESCOLA BÁSICA DE PIAS

PREPARAÇÃO PARA O TESTE INTERMÉDIO:
TEXTO POÉTICO

9.º Ano de Escolaridade

Preparação para o Teste Intermédio

Português
Ano Letivo 2012/2013 | janeiro de 2013
9.º A | 9.º B

TEXTO POÉTICO
No texto poético, um «eu» - o sujeito poético ou o “eu” lírico – revela os seus sentimentos, as suas emoções
e a sua visão do mundo. É, por isso, um texto muito pessoal e subjectivo.
O texto poético é rico em figuras de estilo que, por vezes, dificultam a sua compreensão. O verso é a forma
privilegiada da poesia, mas alguns textos em prosa têm características do texto poético.

NOÇÕES DE VERSIFICAÇÃO (arte ou técnica de fazer versos)
VERSO

ESTROFE

RIMA

MÉTRICA

 Cada linha do poema.
 Pode ou não ter sentido completo.
 Se transcreveres os versos de um poema sem mudar de linha, quando o verso termina, deves
assinalar o seu fim com o sinal /.
 Conjunto de versos separados por um espaço.
 As estrofes têm uma designação diferente em função do número de versos:
 monóstico (um verso);
 sextilha (seis versos);
 dístico ou parelha (dois versos);
 sétima (sete versos);
 terceto (três versos);
 oitava (oito versos);
 quadra (quatro versos);
 nona (nove versos);
 quintilha (cinco versos);
 décima (dez versos).
 Quando o poema é constituído por duas quadras seguidas de dois tercetos, chama-se soneto.
 A rima é a terminação semelhante em cada verso. Em função do esquema de combinações
rimáticas, a rima muda de nome:
 versos soltos ou brancos: versos não rimados;
 rima emparelhada: os versos rimam dois a dois (aabb);
 rima cruzada: os versos rimam alternadamente (abab);
 rima interpolada: os versos rimam separados por dois ou mais versos diferentes (abbcbca).
 Os versos podem ser medidos quanto ao número de sílabas métricas, que não são sempre iguais
às sílabas gramaticais. Quando medes o verso, estás a fazer a sua escansão. Aqui ficam algumas
regras:
 a contagem das sílabas métricas é feita até à última sílaba tónica do verso
Ex.: “E / mes/mo / pá/li/das” (4 sílabas métricas);
 quando uma palavra termina em vogal e a palavra seguinte começa por vogal, faz-se uma
elisão, ou seja, as vogais fundem-se numa única sílaba: “or/va/lho_a/pe/nas”.
 Os versos têm nomes diferentes em função do número de sílabas métricas:
 monossílabo (uma sílaba);
 heptassílabo / redondilha maior (sete sílabas);
 dissílabo (duas sílabas);
 octossílabo (oito sílabas);
 trissílabo (três sílabas);
 eneassílabo (nove sílabas);
 tetrassílabo (quatro sílabas);
 decassílabo (dez sílabas);
 pentassílabo / redondilha menor
 hendecassílabo (onze sílabas);
(cinco sílabas);
 dodecassílabo / verso alexandrino (doze
 hexassílabo (seis sílabas);
sílabas).
1. Classifica as estrofes apresentadas quanto ao número de versos.
1.1. Sei um ninho.
E o ninho tem um ovo.
E o ovo, redondinho,
Tem lá dentro um passarinho
Novo.

1.2. Vida!, ralha também,
ralha, se eu te fizer maldades, mas
de manso,
como se fosse ainda a minha Mãe…

Miguel Torga

Sebastião da Gama

1.3. Todos os pássaros, todos os pássaros
asas abriam, erguiam cantos,
de Amor cantavam.
Sebastião da Gama

1.4. É uma escada em caracol
e que não tem corrimão.
Vai a caminho do Sol
mas nunca passa do chão.
David Mourão Ferreira

1.5. Cidade, rumor e vaivém sem paz das ruas, / Ó vida suja, hostil, inutilmente gasta, / Saber que existe o
mar e as praias nuas, / Montanhas sem nome e planícies mais vastas / Que o mais vasto desejo, / E
eu estou em ti fechada e apenas vejo / Os muros e as paredes, e não vejo / Nem o crescer do mar,
nem o mudar das luas.
Sophia de Mello Breyner

2. Assinala com , na coluna respectiva, as afirmações verdadeiras (V) e as afirmações falsas (F),
corrigindo estas últimas, sem recorreres à forma negativa.
V
F
2.1. Quem diz “eu” num poema é o sujeito poético.
2.2. Um verso tem sempre um sentido completo.
2.3. Um soneto é uma composição poética com duas quadras antecedidas de dois tercetos.
2.4. O verso de Fernando Pessoa “Ó sino da minha aldeia” tem oito sílabas métricas.
2.5. Nos versos «Ruas e ruas dos amantes / Sem um quarto para o amor / Amantes são
sempre extravagantes / E ao frio também faz calor” (Alexandre O’Neill), a rima é cruzada.
2.6. Um verso com sete sílabas métricas também se pode chamar redondilha menor.
2.7. Um verso alexandrino tem onze sílabas métricas.
2.8. Os versos “Redemoinha o vento, / Anda à roda o ar” (Fernando Pessoa) têm,
respectivamente, seis e cinco sílabas métricas.
3. Lê, atentamente, o poema apresentado, cujo autor é Fernando Pessoa, e responde às questões colocadas.
Onda que, enrolada, tornas,
Pequena, ao mar que te trouxe
E ao recuar te transtornas
Como se o mar nada fosse,
Porque é que levas contigo
Só a tua cessação,
E, ao voltar ao mar antigo,
Não levas o meu coração?
Há tanto tempo que o tenho
Que me pesa de o sentir.
Leva-o no som sem tamanho
Com que te oiço a fugir!

No poema, o sujeito poético faz um pedido.
3.1. A quem se dirige?
3.2. Que pedido faz o sujeito poético? Porquê?
3.3. Faz a análise formal do poema, indicando:
3.3.1. o número de estrofes e a sua classificação quanto ao
número de versos;
3.3.2. o número de sílabas métricas por verso;
3.3.3. o esquema rimático e o tipo de rima.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Fernando pessoa ortónimo e heterónimos
Fernando pessoa ortónimo e heterónimos Fernando pessoa ortónimo e heterónimos
Fernando pessoa ortónimo e heterónimos
Ricardo Amaral
 
A poesia palaciana
A poesia palacianaA poesia palaciana
A poesia palaciana
Cainha18
 
Texto poético
Texto poéticoTexto poético
Texto poético
Ana Arminda Moreira
 
Modernismo em portugal e fernando pessoa
Modernismo em portugal e fernando pessoaModernismo em portugal e fernando pessoa
Modernismo em portugal e fernando pessoa
Andréia Peixoto
 
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIASLITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
Amelia Barros
 
Miguel Torga (ExposiçãO Com Poemas Com Estrofes Dos Alunos Do 10 º Ano Em 200...
Miguel Torga (ExposiçãO Com Poemas Com Estrofes Dos Alunos Do 10 º Ano Em 200...Miguel Torga (ExposiçãO Com Poemas Com Estrofes Dos Alunos Do 10 º Ano Em 200...
Miguel Torga (ExposiçãO Com Poemas Com Estrofes Dos Alunos Do 10 º Ano Em 200...
luisprista
 
Ricardo Reis - Análise do poema "Vem sentar-te comigo, Lídia, à beira do rio"...
Ricardo Reis - Análise do poema "Vem sentar-te comigo, Lídia, à beira do rio"...Ricardo Reis - Análise do poema "Vem sentar-te comigo, Lídia, à beira do rio"...
Ricardo Reis - Análise do poema "Vem sentar-te comigo, Lídia, à beira do rio"...
FilipaFonseca
 
Realismo em Portugal
Realismo em PortugalRealismo em Portugal
Realismo em Portugal
Claudia Ribeiro
 
AnáLise Do Texto PoéTico
AnáLise Do Texto PoéTicoAnáLise Do Texto PoéTico
AnáLise Do Texto PoéTico
Sónia Correia Ventura
 
Álvaro de Campos
Álvaro de CamposÁlvaro de Campos
Álvaro de Campos
Ana Isabel
 
Versificação
VersificaçãoVersificação
Versificação
ISJ
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
Cláudia Heloísa
 
Aula 1 quinhentismo
Aula 1  quinhentismoAula 1  quinhentismo
Aula 1 quinhentismo
LIRIANY CORREIA COSTA
 
A fragmentação do eu
A fragmentação do euA fragmentação do eu
A fragmentação do eu
Paulo Portelada
 
Poema olimpiada de língua portuguesa
Poema   olimpiada de língua portuguesaPoema   olimpiada de língua portuguesa
Poema olimpiada de língua portuguesa
marllacristtina
 
Poemas de Alberto Caeiro
Poemas de Alberto CaeiroPoemas de Alberto Caeiro
Poemas de Alberto Caeiro
Leonardo C. Arinelli
 
Versificação
VersificaçãoVersificação
Versificação
Juliana Lannes
 
Memorial do Convento - Cap. III
Memorial do Convento - Cap. IIIMemorial do Convento - Cap. III
Memorial do Convento - Cap. III
12º A Golegã
 
Metrificação e escansão
Metrificação e escansãoMetrificação e escansão
Metrificação e escansão
Flavio Maia Custodio
 
Literaturas Africanas de Língua Portuguesa
Literaturas Africanas de Língua PortuguesaLiteraturas Africanas de Língua Portuguesa
Literaturas Africanas de Língua Portuguesa
Jirede Abisai
 

Mais procurados (20)

Fernando pessoa ortónimo e heterónimos
Fernando pessoa ortónimo e heterónimos Fernando pessoa ortónimo e heterónimos
Fernando pessoa ortónimo e heterónimos
 
A poesia palaciana
A poesia palacianaA poesia palaciana
A poesia palaciana
 
Texto poético
Texto poéticoTexto poético
Texto poético
 
Modernismo em portugal e fernando pessoa
Modernismo em portugal e fernando pessoaModernismo em portugal e fernando pessoa
Modernismo em portugal e fernando pessoa
 
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIASLITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
 
Miguel Torga (ExposiçãO Com Poemas Com Estrofes Dos Alunos Do 10 º Ano Em 200...
Miguel Torga (ExposiçãO Com Poemas Com Estrofes Dos Alunos Do 10 º Ano Em 200...Miguel Torga (ExposiçãO Com Poemas Com Estrofes Dos Alunos Do 10 º Ano Em 200...
Miguel Torga (ExposiçãO Com Poemas Com Estrofes Dos Alunos Do 10 º Ano Em 200...
 
Ricardo Reis - Análise do poema "Vem sentar-te comigo, Lídia, à beira do rio"...
Ricardo Reis - Análise do poema "Vem sentar-te comigo, Lídia, à beira do rio"...Ricardo Reis - Análise do poema "Vem sentar-te comigo, Lídia, à beira do rio"...
Ricardo Reis - Análise do poema "Vem sentar-te comigo, Lídia, à beira do rio"...
 
Realismo em Portugal
Realismo em PortugalRealismo em Portugal
Realismo em Portugal
 
AnáLise Do Texto PoéTico
AnáLise Do Texto PoéTicoAnáLise Do Texto PoéTico
AnáLise Do Texto PoéTico
 
Álvaro de Campos
Álvaro de CamposÁlvaro de Campos
Álvaro de Campos
 
Versificação
VersificaçãoVersificação
Versificação
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
 
Aula 1 quinhentismo
Aula 1  quinhentismoAula 1  quinhentismo
Aula 1 quinhentismo
 
A fragmentação do eu
A fragmentação do euA fragmentação do eu
A fragmentação do eu
 
Poema olimpiada de língua portuguesa
Poema   olimpiada de língua portuguesaPoema   olimpiada de língua portuguesa
Poema olimpiada de língua portuguesa
 
Poemas de Alberto Caeiro
Poemas de Alberto CaeiroPoemas de Alberto Caeiro
Poemas de Alberto Caeiro
 
Versificação
VersificaçãoVersificação
Versificação
 
Memorial do Convento - Cap. III
Memorial do Convento - Cap. IIIMemorial do Convento - Cap. III
Memorial do Convento - Cap. III
 
Metrificação e escansão
Metrificação e escansãoMetrificação e escansão
Metrificação e escansão
 
Literaturas Africanas de Língua Portuguesa
Literaturas Africanas de Língua PortuguesaLiteraturas Africanas de Língua Portuguesa
Literaturas Africanas de Língua Portuguesa
 

Destaque

2009/2010_5ª ficha de avaliação9a
2009/2010_5ª ficha de avaliação9a2009/2010_5ª ficha de avaliação9a
2009/2010_5ª ficha de avaliação9a
Susana Sobrenome
 
"Que" integrante ou relativo?
"Que" integrante ou relativo?"Que" integrante ou relativo?
"Que" integrante ou relativo?
Susana Sobrenome
 
Vamos praticar - HLP - Origem da Língua Portuguesa
Vamos praticar - HLP - Origem da Língua PortuguesaVamos praticar - HLP - Origem da Língua Portuguesa
Vamos praticar - HLP - Origem da Língua Portuguesa
Susana Sobrenome
 
FT_Auto da Barca do Inferno_Cena introdutória
FT_Auto da Barca do Inferno_Cena introdutóriaFT_Auto da Barca do Inferno_Cena introdutória
FT_Auto da Barca do Inferno_Cena introdutória
Susana Sobrenome
 
1ª Ficha Formativa
1ª Ficha Formativa1ª Ficha Formativa
1ª Ficha Formativa
Susana Sobrenome
 
A aia
A aiaA aia
A aia
gracacruz
 
FT - Despedida em Belém - Item de construção
FT - Despedida em Belém - Item de construçãoFT - Despedida em Belém - Item de construção
FT - Despedida em Belém - Item de construção
Susana Sobrenome
 
FT - Despedidas em Belém - adaptação em prosa
FT - Despedidas em Belém - adaptação em prosaFT - Despedidas em Belém - adaptação em prosa
FT - Despedidas em Belém - adaptação em prosa
Susana Sobrenome
 
Questionário "A Aia"
Questionário "A Aia"Questionário "A Aia"
Questionário "A Aia"
filipasantos83
 
2009/2010_5ª ficha de avaliação9a
2009/2010_5ª ficha de avaliação9a2009/2010_5ª ficha de avaliação9a
2009/2010_5ª ficha de avaliação9a
Susana Sobrenome
 
Ficha informativa - Tempestade e chegada à Índia
Ficha informativa - Tempestade e chegada à ÍndiaFicha informativa - Tempestade e chegada à Índia
Ficha informativa - Tempestade e chegada à Índia
Susana Sobrenome
 
9ano_HLP
9ano_HLP9ano_HLP
Auto da barca_do_inferno_O_Sapateiro_ppt
Auto da barca_do_inferno_O_Sapateiro_pptAuto da barca_do_inferno_O_Sapateiro_ppt
Auto da barca_do_inferno_O_Sapateiro_ppt
sin3stesia
 
Autopsicografia e Isto
Autopsicografia e IstoAutopsicografia e Isto
Autopsicografia e Isto
Paula Oliveira Cruz
 
Auto_Barca_Cavaleiros_Os_Quatro_Cavaleiros
Auto_Barca_Cavaleiros_Os_Quatro_CavaleirosAuto_Barca_Cavaleiros_Os_Quatro_Cavaleiros
Auto_Barca_Cavaleiros_Os_Quatro_Cavaleiros
sin3stesia
 
Ficha de Trabalho - Episódio de Inês de Castro - Paráfrase
Ficha de Trabalho - Episódio de Inês de Castro - ParáfraseFicha de Trabalho - Episódio de Inês de Castro - Paráfrase
Ficha de Trabalho - Episódio de Inês de Castro - Paráfrase
Susana Sobrenome
 
2009/2010_4ª ficha de avaliação_9
2009/2010_4ª ficha de avaliação_92009/2010_4ª ficha de avaliação_9
2009/2010_4ª ficha de avaliação_9
Susana Sobrenome
 
Palavras divergentes e convergentes
Palavras divergentes e convergentesPalavras divergentes e convergentes
Palavras divergentes e convergentes
Susana Sobrenome
 
Ficha informativa - Episódio de Inês de Castro
Ficha informativa - Episódio de Inês de CastroFicha informativa - Episódio de Inês de Castro
Ficha informativa - Episódio de Inês de Castro
Susana Sobrenome
 
Texto poético
Texto poéticoTexto poético
Texto poético
marialindacorreia
 

Destaque (20)

2009/2010_5ª ficha de avaliação9a
2009/2010_5ª ficha de avaliação9a2009/2010_5ª ficha de avaliação9a
2009/2010_5ª ficha de avaliação9a
 
"Que" integrante ou relativo?
"Que" integrante ou relativo?"Que" integrante ou relativo?
"Que" integrante ou relativo?
 
Vamos praticar - HLP - Origem da Língua Portuguesa
Vamos praticar - HLP - Origem da Língua PortuguesaVamos praticar - HLP - Origem da Língua Portuguesa
Vamos praticar - HLP - Origem da Língua Portuguesa
 
FT_Auto da Barca do Inferno_Cena introdutória
FT_Auto da Barca do Inferno_Cena introdutóriaFT_Auto da Barca do Inferno_Cena introdutória
FT_Auto da Barca do Inferno_Cena introdutória
 
1ª Ficha Formativa
1ª Ficha Formativa1ª Ficha Formativa
1ª Ficha Formativa
 
A aia
A aiaA aia
A aia
 
FT - Despedida em Belém - Item de construção
FT - Despedida em Belém - Item de construçãoFT - Despedida em Belém - Item de construção
FT - Despedida em Belém - Item de construção
 
FT - Despedidas em Belém - adaptação em prosa
FT - Despedidas em Belém - adaptação em prosaFT - Despedidas em Belém - adaptação em prosa
FT - Despedidas em Belém - adaptação em prosa
 
Questionário "A Aia"
Questionário "A Aia"Questionário "A Aia"
Questionário "A Aia"
 
2009/2010_5ª ficha de avaliação9a
2009/2010_5ª ficha de avaliação9a2009/2010_5ª ficha de avaliação9a
2009/2010_5ª ficha de avaliação9a
 
Ficha informativa - Tempestade e chegada à Índia
Ficha informativa - Tempestade e chegada à ÍndiaFicha informativa - Tempestade e chegada à Índia
Ficha informativa - Tempestade e chegada à Índia
 
9ano_HLP
9ano_HLP9ano_HLP
9ano_HLP
 
Auto da barca_do_inferno_O_Sapateiro_ppt
Auto da barca_do_inferno_O_Sapateiro_pptAuto da barca_do_inferno_O_Sapateiro_ppt
Auto da barca_do_inferno_O_Sapateiro_ppt
 
Autopsicografia e Isto
Autopsicografia e IstoAutopsicografia e Isto
Autopsicografia e Isto
 
Auto_Barca_Cavaleiros_Os_Quatro_Cavaleiros
Auto_Barca_Cavaleiros_Os_Quatro_CavaleirosAuto_Barca_Cavaleiros_Os_Quatro_Cavaleiros
Auto_Barca_Cavaleiros_Os_Quatro_Cavaleiros
 
Ficha de Trabalho - Episódio de Inês de Castro - Paráfrase
Ficha de Trabalho - Episódio de Inês de Castro - ParáfraseFicha de Trabalho - Episódio de Inês de Castro - Paráfrase
Ficha de Trabalho - Episódio de Inês de Castro - Paráfrase
 
2009/2010_4ª ficha de avaliação_9
2009/2010_4ª ficha de avaliação_92009/2010_4ª ficha de avaliação_9
2009/2010_4ª ficha de avaliação_9
 
Palavras divergentes e convergentes
Palavras divergentes e convergentesPalavras divergentes e convergentes
Palavras divergentes e convergentes
 
Ficha informativa - Episódio de Inês de Castro
Ficha informativa - Episódio de Inês de CastroFicha informativa - Episódio de Inês de Castro
Ficha informativa - Episódio de Inês de Castro
 
Texto poético
Texto poéticoTexto poético
Texto poético
 

Semelhante a Texto poético - Noções de versificação

Nota iii escansão poemas
Nota iii escansão poemasNota iii escansão poemas
Nota iii escansão poemas
Péricles Penuel
 
Nota teoria i escansão poemas cecília meire s gaba
Nota  teoria i escansão poemas cecília meire s gabaNota  teoria i escansão poemas cecília meire s gaba
Nota teoria i escansão poemas cecília meire s gaba
Péricles Penuel
 
Nota teoria i escansão poemas cecília meire s gaba
Nota  teoria i escansão poemas cecília meire s gabaNota  teoria i escansão poemas cecília meire s gaba
Nota teoria i escansão poemas cecília meire s gaba
Péricles Penuel
 
Texto Lírico - Nocões de Versificação
Texto Lírico - Nocões de VersificaçãoTexto Lírico - Nocões de Versificação
Texto Lírico - Nocões de Versificação
Cristina Seiça
 
Noesdeversificao2
Noesdeversificao2Noesdeversificao2
Noesdeversificao2
Claudia Lazarini
 
Poesia lírica
Poesia líricaPoesia lírica
Poesia lírica
RuiPelicano
 
Linguagem poética e versificação
Linguagem poética e versificaçãoLinguagem poética e versificação
Linguagem poética e versificação
Roberta Savana
 
A poesia - Definições e Característicass
A poesia - Definições e CaracterísticassA poesia - Definições e Característicass
A poesia - Definições e Característicass
Augusto Costa
 
Prosodia musical exercícios
Prosodia musical exercíciosProsodia musical exercícios
Prosodia musical exercícios
SilvaFagundes Fagundes
 
O texto poetico2 (1)
O texto poetico2 (1)O texto poetico2 (1)
O texto poetico2 (1)
Belmira Baptista
 
Para Estudar Metro Ritmo E Rima
Para Estudar Metro Ritmo E RimaPara Estudar Metro Ritmo E Rima
Para Estudar Metro Ritmo E Rima
Brenda Tacchelli
 
Gênero lírico - Profª Vivian Trombini
Gênero lírico - Profª Vivian TrombiniGênero lírico - Profª Vivian Trombini
Gênero lírico - Profª Vivian Trombini
VIVIAN TROMBINI
 
Redação: Versificação
Redação: VersificaçãoRedação: Versificação
Redação: Versificação
7 de Setembro
 
Explicação sobre texto poético para Fundamental
Explicação sobre texto poético para FundamentalExplicação sobre texto poético para Fundamental
Explicação sobre texto poético para Fundamental
Aline França Russo
 
Normas de versificação
Normas de versificaçãoNormas de versificação
Normas de versificação
Deia1975
 
Gênero Lírico
Gênero LíricoGênero Lírico
Gênero Lírico
Ana Cristina Santos
 
Poesias rima e metrica
Poesias rima e metricaPoesias rima e metrica
Poesias rima e metrica
Eliete Sampaio Farneda
 
Versificação.ppt
Versificação.pptVersificação.ppt
Versificação.ppt
preuniversitarioitab
 
Versificação.pptx
Versificação.pptxVersificação.pptx
Versificação.pptx
preuniversitarioitab
 
Oficina de cordel.pptx
Oficina de cordel.pptxOficina de cordel.pptx
Oficina de cordel.pptx
EdileudaTavares
 

Semelhante a Texto poético - Noções de versificação (20)

Nota iii escansão poemas
Nota iii escansão poemasNota iii escansão poemas
Nota iii escansão poemas
 
Nota teoria i escansão poemas cecília meire s gaba
Nota  teoria i escansão poemas cecília meire s gabaNota  teoria i escansão poemas cecília meire s gaba
Nota teoria i escansão poemas cecília meire s gaba
 
Nota teoria i escansão poemas cecília meire s gaba
Nota  teoria i escansão poemas cecília meire s gabaNota  teoria i escansão poemas cecília meire s gaba
Nota teoria i escansão poemas cecília meire s gaba
 
Texto Lírico - Nocões de Versificação
Texto Lírico - Nocões de VersificaçãoTexto Lírico - Nocões de Versificação
Texto Lírico - Nocões de Versificação
 
Noesdeversificao2
Noesdeversificao2Noesdeversificao2
Noesdeversificao2
 
Poesia lírica
Poesia líricaPoesia lírica
Poesia lírica
 
Linguagem poética e versificação
Linguagem poética e versificaçãoLinguagem poética e versificação
Linguagem poética e versificação
 
A poesia - Definições e Característicass
A poesia - Definições e CaracterísticassA poesia - Definições e Característicass
A poesia - Definições e Característicass
 
Prosodia musical exercícios
Prosodia musical exercíciosProsodia musical exercícios
Prosodia musical exercícios
 
O texto poetico2 (1)
O texto poetico2 (1)O texto poetico2 (1)
O texto poetico2 (1)
 
Para Estudar Metro Ritmo E Rima
Para Estudar Metro Ritmo E RimaPara Estudar Metro Ritmo E Rima
Para Estudar Metro Ritmo E Rima
 
Gênero lírico - Profª Vivian Trombini
Gênero lírico - Profª Vivian TrombiniGênero lírico - Profª Vivian Trombini
Gênero lírico - Profª Vivian Trombini
 
Redação: Versificação
Redação: VersificaçãoRedação: Versificação
Redação: Versificação
 
Explicação sobre texto poético para Fundamental
Explicação sobre texto poético para FundamentalExplicação sobre texto poético para Fundamental
Explicação sobre texto poético para Fundamental
 
Normas de versificação
Normas de versificaçãoNormas de versificação
Normas de versificação
 
Gênero Lírico
Gênero LíricoGênero Lírico
Gênero Lírico
 
Poesias rima e metrica
Poesias rima e metricaPoesias rima e metrica
Poesias rima e metrica
 
Versificação.ppt
Versificação.pptVersificação.ppt
Versificação.ppt
 
Versificação.pptx
Versificação.pptxVersificação.pptx
Versificação.pptx
 
Oficina de cordel.pptx
Oficina de cordel.pptxOficina de cordel.pptx
Oficina de cordel.pptx
 

Mais de Susana Sobrenome

Ilha dos amores
Ilha dos amoresIlha dos amores
Ilha dos amores
Susana Sobrenome
 
Ficha de trabalho - Despedidas em Belém (Paráfrase)
Ficha de trabalho - Despedidas em Belém (Paráfrase)Ficha de trabalho - Despedidas em Belém (Paráfrase)
Ficha de trabalho - Despedidas em Belém (Paráfrase)
Susana Sobrenome
 
Ficha de trabalho - episódio da Tempestade
Ficha de trabalho - episódio da TempestadeFicha de trabalho - episódio da Tempestade
Ficha de trabalho - episódio da Tempestade
Susana Sobrenome
 
Comparação_Adamastor e Mostrengo
Comparação_Adamastor e MostrengoComparação_Adamastor e Mostrengo
Comparação_Adamastor e Mostrengo
Susana Sobrenome
 
A reportagem - estrutura e características
A reportagem - estrutura e característicasA reportagem - estrutura e características
A reportagem - estrutura e características
Susana Sobrenome
 
Texto de opinião
Texto de opiniãoTexto de opinião
Texto de opinião
Susana Sobrenome
 
2009/2010_6ª ficha de avaliação9a
2009/2010_6ª ficha de avaliação9a2009/2010_6ª ficha de avaliação9a
2009/2010_6ª ficha de avaliação9a
Susana Sobrenome
 
2009/2010_3ª ficha de avaliação_9ano
2009/2010_3ª ficha de avaliação_9ano2009/2010_3ª ficha de avaliação_9ano
2009/2010_3ª ficha de avaliação_9ano
Susana Sobrenome
 
7A_7B_Discurso indirecto
7A_7B_Discurso indirecto7A_7B_Discurso indirecto
7A_7B_Discurso indirecto
Susana Sobrenome
 
2009/2010_2ª Ficha de avaliação_9ano
2009/2010_2ª Ficha de avaliação_9ano2009/2010_2ª Ficha de avaliação_9ano
2009/2010_2ª Ficha de avaliação_9ano
Susana Sobrenome
 
1ª Ficha De AvaliaçãO
1ª Ficha De AvaliaçãO1ª Ficha De AvaliaçãO
1ª Ficha De AvaliaçãO
Susana Sobrenome
 
Escrita
EscritaEscrita
CoesãO 1
CoesãO 1CoesãO 1
CoesãO 1
Susana Sobrenome
 
CoesãO
CoesãOCoesãO
Classes
ClassesClasses
Pti3
Pti3Pti3

Mais de Susana Sobrenome (16)

Ilha dos amores
Ilha dos amoresIlha dos amores
Ilha dos amores
 
Ficha de trabalho - Despedidas em Belém (Paráfrase)
Ficha de trabalho - Despedidas em Belém (Paráfrase)Ficha de trabalho - Despedidas em Belém (Paráfrase)
Ficha de trabalho - Despedidas em Belém (Paráfrase)
 
Ficha de trabalho - episódio da Tempestade
Ficha de trabalho - episódio da TempestadeFicha de trabalho - episódio da Tempestade
Ficha de trabalho - episódio da Tempestade
 
Comparação_Adamastor e Mostrengo
Comparação_Adamastor e MostrengoComparação_Adamastor e Mostrengo
Comparação_Adamastor e Mostrengo
 
A reportagem - estrutura e características
A reportagem - estrutura e característicasA reportagem - estrutura e características
A reportagem - estrutura e características
 
Texto de opinião
Texto de opiniãoTexto de opinião
Texto de opinião
 
2009/2010_6ª ficha de avaliação9a
2009/2010_6ª ficha de avaliação9a2009/2010_6ª ficha de avaliação9a
2009/2010_6ª ficha de avaliação9a
 
2009/2010_3ª ficha de avaliação_9ano
2009/2010_3ª ficha de avaliação_9ano2009/2010_3ª ficha de avaliação_9ano
2009/2010_3ª ficha de avaliação_9ano
 
7A_7B_Discurso indirecto
7A_7B_Discurso indirecto7A_7B_Discurso indirecto
7A_7B_Discurso indirecto
 
2009/2010_2ª Ficha de avaliação_9ano
2009/2010_2ª Ficha de avaliação_9ano2009/2010_2ª Ficha de avaliação_9ano
2009/2010_2ª Ficha de avaliação_9ano
 
1ª Ficha De AvaliaçãO
1ª Ficha De AvaliaçãO1ª Ficha De AvaliaçãO
1ª Ficha De AvaliaçãO
 
Escrita
EscritaEscrita
Escrita
 
CoesãO 1
CoesãO 1CoesãO 1
CoesãO 1
 
CoesãO
CoesãOCoesãO
CoesãO
 
Classes
ClassesClasses
Classes
 
Pti3
Pti3Pti3
Pti3
 

Último

Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptxForças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Danielle Fernandes Amaro dos Santos
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
edivirgesribeiro1
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
NatySousa3
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptxForças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 

Texto poético - Noções de versificação

  • 1. Agrupamento de Escolas n.º 1 de Serpa ESCOLA BÁSICA DE PIAS PREPARAÇÃO PARA O TESTE INTERMÉDIO: TEXTO POÉTICO 9.º Ano de Escolaridade Preparação para o Teste Intermédio Português Ano Letivo 2012/2013 | janeiro de 2013 9.º A | 9.º B TEXTO POÉTICO No texto poético, um «eu» - o sujeito poético ou o “eu” lírico – revela os seus sentimentos, as suas emoções e a sua visão do mundo. É, por isso, um texto muito pessoal e subjectivo. O texto poético é rico em figuras de estilo que, por vezes, dificultam a sua compreensão. O verso é a forma privilegiada da poesia, mas alguns textos em prosa têm características do texto poético. NOÇÕES DE VERSIFICAÇÃO (arte ou técnica de fazer versos) VERSO ESTROFE RIMA MÉTRICA  Cada linha do poema.  Pode ou não ter sentido completo.  Se transcreveres os versos de um poema sem mudar de linha, quando o verso termina, deves assinalar o seu fim com o sinal /.  Conjunto de versos separados por um espaço.  As estrofes têm uma designação diferente em função do número de versos:  monóstico (um verso);  sextilha (seis versos);  dístico ou parelha (dois versos);  sétima (sete versos);  terceto (três versos);  oitava (oito versos);  quadra (quatro versos);  nona (nove versos);  quintilha (cinco versos);  décima (dez versos).  Quando o poema é constituído por duas quadras seguidas de dois tercetos, chama-se soneto.  A rima é a terminação semelhante em cada verso. Em função do esquema de combinações rimáticas, a rima muda de nome:  versos soltos ou brancos: versos não rimados;  rima emparelhada: os versos rimam dois a dois (aabb);  rima cruzada: os versos rimam alternadamente (abab);  rima interpolada: os versos rimam separados por dois ou mais versos diferentes (abbcbca).  Os versos podem ser medidos quanto ao número de sílabas métricas, que não são sempre iguais às sílabas gramaticais. Quando medes o verso, estás a fazer a sua escansão. Aqui ficam algumas regras:  a contagem das sílabas métricas é feita até à última sílaba tónica do verso Ex.: “E / mes/mo / pá/li/das” (4 sílabas métricas);  quando uma palavra termina em vogal e a palavra seguinte começa por vogal, faz-se uma elisão, ou seja, as vogais fundem-se numa única sílaba: “or/va/lho_a/pe/nas”.  Os versos têm nomes diferentes em função do número de sílabas métricas:  monossílabo (uma sílaba);  heptassílabo / redondilha maior (sete sílabas);  dissílabo (duas sílabas);  octossílabo (oito sílabas);  trissílabo (três sílabas);  eneassílabo (nove sílabas);  tetrassílabo (quatro sílabas);  decassílabo (dez sílabas);  pentassílabo / redondilha menor  hendecassílabo (onze sílabas); (cinco sílabas);  dodecassílabo / verso alexandrino (doze  hexassílabo (seis sílabas); sílabas).
  • 2. 1. Classifica as estrofes apresentadas quanto ao número de versos. 1.1. Sei um ninho. E o ninho tem um ovo. E o ovo, redondinho, Tem lá dentro um passarinho Novo. 1.2. Vida!, ralha também, ralha, se eu te fizer maldades, mas de manso, como se fosse ainda a minha Mãe… Miguel Torga Sebastião da Gama 1.3. Todos os pássaros, todos os pássaros asas abriam, erguiam cantos, de Amor cantavam. Sebastião da Gama 1.4. É uma escada em caracol e que não tem corrimão. Vai a caminho do Sol mas nunca passa do chão. David Mourão Ferreira 1.5. Cidade, rumor e vaivém sem paz das ruas, / Ó vida suja, hostil, inutilmente gasta, / Saber que existe o mar e as praias nuas, / Montanhas sem nome e planícies mais vastas / Que o mais vasto desejo, / E eu estou em ti fechada e apenas vejo / Os muros e as paredes, e não vejo / Nem o crescer do mar, nem o mudar das luas. Sophia de Mello Breyner 2. Assinala com , na coluna respectiva, as afirmações verdadeiras (V) e as afirmações falsas (F), corrigindo estas últimas, sem recorreres à forma negativa. V F 2.1. Quem diz “eu” num poema é o sujeito poético. 2.2. Um verso tem sempre um sentido completo. 2.3. Um soneto é uma composição poética com duas quadras antecedidas de dois tercetos. 2.4. O verso de Fernando Pessoa “Ó sino da minha aldeia” tem oito sílabas métricas. 2.5. Nos versos «Ruas e ruas dos amantes / Sem um quarto para o amor / Amantes são sempre extravagantes / E ao frio também faz calor” (Alexandre O’Neill), a rima é cruzada. 2.6. Um verso com sete sílabas métricas também se pode chamar redondilha menor. 2.7. Um verso alexandrino tem onze sílabas métricas. 2.8. Os versos “Redemoinha o vento, / Anda à roda o ar” (Fernando Pessoa) têm, respectivamente, seis e cinco sílabas métricas. 3. Lê, atentamente, o poema apresentado, cujo autor é Fernando Pessoa, e responde às questões colocadas. Onda que, enrolada, tornas, Pequena, ao mar que te trouxe E ao recuar te transtornas Como se o mar nada fosse, Porque é que levas contigo Só a tua cessação, E, ao voltar ao mar antigo, Não levas o meu coração? Há tanto tempo que o tenho Que me pesa de o sentir. Leva-o no som sem tamanho Com que te oiço a fugir! No poema, o sujeito poético faz um pedido. 3.1. A quem se dirige? 3.2. Que pedido faz o sujeito poético? Porquê? 3.3. Faz a análise formal do poema, indicando: 3.3.1. o número de estrofes e a sua classificação quanto ao número de versos; 3.3.2. o número de sílabas métricas por verso; 3.3.3. o esquema rimático e o tipo de rima.