SlideShare uma empresa Scribd logo
Cotação



Nome : ____________________________________________________ Nr. ____________

Avaliação : ____________________________ Enc. De Ed. ________________________

                                          I
No Verão de 1856, Louis Pasteur foi confrontado por Bigot, pai de um dos seus
alunos, com um problema que afligia muitos industriais da zona de Lille. Bigot
dedicava-se à produção de álcool (etanol) a partir da fermentação dos açúcares da
beterraba. Por vezes, verificava-se que, em algumas cubas, o sumo não se
transformava em etanol e acabava mesmo por azedar, devido à acumulação de
ácido láctico. Na tentativa de resolver esse problema, Pasteur recolheu duas
amostras:
Amostra 1 ‟ líquido recolhido de uma cuba onde se formou etanol.
Amostra 2 ‟ líquido recolhido de uma das cubas cujo conteúdo azedou.
Estas amostras foram observadas ao microscópio. Na amostra 1, Pasteur encontrou
apenas leveduras (fungos unicelulares). Na amostra 2, observou um pequeno número
de leveduras e um grande número de bactérias. Em observações posteriores, Pasteur
confirmou que só se verificava a presença de bactérias nas cubas cujo conteúdo
azedava, e que o número de bactérias era tanto maior quanto mais azedo o
conteúdo da cuba. Quando terminou a investigação, Pasteur concluiu que as
leveduras utilizavam o açúcar da beterraba para produzir etanol e que as bactérias o
utilizavam para produzir ácido láctico.

1.    Pasteur concluiu que a presença de células vivas é fundamental para a ocorrência de
      fermentação. Seleccione a alternativa que completa correctamente a afirmação seguinte.
      Para poder tirar aquela conclusão, seria necessário comparar as observações das
      amostras 1 e 2 com a observação de uma amostra de sumo de beterraba
      (mantido em cuba tapada, a temperaturas favoráveis à ocorrência de fermentação)
      que…
(A)   tivesse sido submetida a filtração, removendo as células vivas.
(B)   fosse retirada de uma cuba onde se tivesse obtido etanol.
(C)   fosse retirada de uma cuba cujo conteúdo tivesse azedado.                                  8
(D)   tivesse tanto leveduras como bactérias.

Resposta : ____________

 2. Seleccione a alternativa que permite preencher os espaços e obter uma afirmação
    correcta. As células de leveduras e de bactérias apresentam _____ e _____.
(A) núcleo […] mitocôndrias
(B) mitocôndrias […] ribossomas
(C) ribossomas […] membrana plasmática
                                                                                                 8
(D) membrana plasmática […] núcleo

Resposta : ____________
3. Em finais do séc. XIX, Eduard Büchner efectuou um conjunto de experiências
   com extracto de levedura, obtido por trituração de leveduras e posterior filtração
   dos resíduos celulares remanescentes. A este extracto adicionou uma solução
   aquosa açucarada. Passado algum tempo, detectou na solução a presença de
   etanol e a libertação de dióxido de carbono.
3.1. Seleccione a alternativa que completa correctamente a afirmação seguinte. Com esta
 experiência, Büchner poderia testar a seguinte hipótese:
(A) a fermentação é um processo que ocorre apenas na ausência de oxigénio.
(B) a temperatura é um dos factores limitantes do processo de fermentação.
(C) a concentração de açúcar influencia o rendimento energético da fermentação.            8
(D) a fermentação pode ocorrer na ausência de leveduras.

Resposta: ________________

3.2 Seleccione a alternativa que completa correctamente a afirmação seguinte. Para que
os resultados da experiência de Büchner possam provar que a ocorrência de
fermentação está, de alguma forma, relacionada com a intervenção de seres vivos
(ou seus derivados), seria necessária a introdução, no procedimento, de um                 8
dispositivo que contivesse…
(A) leveduras numa solução açucarada.
(B) extracto de levedura numa solução açucarada.
(C) unicamente uma solução açucarada.
(D) exclusivamente leveduras.

Resposta: ________________




3.3. Seleccione a única opção que contém os termos que preenchem, sequencialmente, os
espaços seguintes, de modo a obter uma afirmação correcta. A fermentação é um
processo de obtenção de energia que ocorre _______, e em que o receptor final de
electrões é uma molécula _______.
(A) no citoplasma ... inorgânica.
                                                                                           8
(B) na mitocôndria ... inorgânica.
(C) no citoplasma ... orgânica.
(D) na mitocôndria ... orgânica.

Resposta: ________________


                                            II

                          A aranha aquática, Argyroneta aquatica, é a única aranha
                        que vive permanentemente debaixo de água, possuindo
                        adaptações específicas para este modo de vida. Usando
                        pequenos «pêlos» das patas e do abdómen, estas aranhas
                        aprisionam bolhas de ar, que retiram da superfície da água,
                        e constroem com seda uma membrana que permite o
                        armazenamento do ar contido nas bolhas, constituindo um
                        reservatório subaquático denominado sino de ar. A seda é
                        produzida sob a forma de um líquido que contém uma
                        proteína, a fibroína que, em contacto com o ar, solidifica.
                        Estes sinos de ar apresentam múltiplas funções: protecção
                        contra predadores terrestres, local de acasalamento, ninho
seguro para os ovos e para os juvenis e local para devorar as presas. Uma
questão que se colocou aos cientistas era se estes sinos de ar também permitiam
às aranhas respirarem, visto que a membrana sedosa permite a difusão passiva de
gases.
Para responder a esta questão e testar se as aranhas avaliam a qualidade do ar
nos sinos, realizou-se um estudo em que se constituíram três grupos de aranhas,
cujos sinos foram preenchidos por:
„ oxigénio puro;
„ dióxido de carbono puro;
„ ar ambiente (como controlo).
As aranhas submetidas a dióxido de carbono puro reagiram mais intensamente do
que as aranhas submetidas a oxigénio puro e a ar ambiente, emergindo mais
frequentemente e construindo mais sinos de ar até que os níveis de oxigénio
estivessem suficientemente elevados.
      Schutz D., Taborsky M., Drapela T., Air bells of water spiders are an extended phenotype modified
                                          in response to gas composition, J. Exp. Zool, 2007 (adaptado)


1. Seleccione a única opção que permite obter uma afirmação correcta.
Com base nos resultados do estudo efectuado, pode supor-se que as aranhas
aquáticas…
(A) aumentam a frequência das trocas gasosas em ambientes saturados de oxigénio.
(B) detectam variações nos níveis de dióxido de carbono no interior dos sinos de
                                                                                                          8
    ar.
(C) segregam mais fibroína quando submetidas a teores mais elevados de O 2 do
    que de CO2.
(D) apresentam incapacidade de detectar a qualidade do ar no interior dos sinos.

Resposta : ____________

2.  Seleccione a única opção que permite obter uma afirmação correcta. Na aranha que
    tem o sino de ar preenchido por ar ambiente, é de esperar que, enquanto
    estiver imersa,…
(A) decresça o teor de oxigénio no interior do sino de ar, devido ao seu consumo                          8
    na respiração aeróbia.
(B) aumente o teor de dióxido de carbono no interior do sino de ar, permitindo uma
    crescente produção de ATP.
(C) aumente o teor de oxigénio no interior do sino de ar, permitindo uma crescente
    produção de ATP.
(D) decresça o teor de dióxido de carbono no interior do sino de ar, devido ao seu
    consumo na respiração aeróbia.
Resposta : ____________

3. Seleccione a única opção que permite obter uma afirmação correcta. Ao utilizarem
    nutrientes resultantes da digestão das presas, as aranhas aquáticas produzem
    ATP através da…
(A) oxidação de compostos orgânicos por via catabólica.
                                                                                                          8
(B) redução de compostos orgânicos por via catabólica.
(C) oxidação de compostos orgânicos por via anabólica.
(D) redução de compostos orgânicos por via anabólica.

Resposta : ____________
4. Seleccione a única alternativa que contém os termos que preenchem, sequencialmente,
    os espaços seguintes, de modo a obter uma afirmação correcta. Na aranha, as
    mitocôndrias das células musculares, além de serem numerosas, têm uma
    membrana interna com uma grande superfície, o que possibilita uma grande
    actividade da ________, o que acarreta _______________ consumo de oxigénio.          8
(A) cadeia respiratória ... maior
(B) glicólise ... menor
(C) cadeia respiratória ... menor
(D) glicólise ... maior

Resposta : ____________

5.  Seleccione a alternativa que permite preencher os espaços, de modo a obter uma
    afirmação correcta.Em anaerobiose, a via responsável pela transferência de
    energia da molécula de glicose para o ATP é a________, cujo rendimento
    energético é ________ àquele que se obtém em aerobiose.
 (A) respiração aeróbia [...] superior                                                   8
 (B) respiração aeróbia [...] inferior
 (C) fermentação [...] superior
 (D) fermentação [...] inferior

Resposta : ____________
                                         III

Observe a figura seguinte que representa, esquematicamente, um mecanismo explicativo
para a abertura e o fecho dos estomas.




1. Assinale as frases verdadeiras (V) e as falsas (F).
   (A) B controla a abertura de A.
   (B) A abertura de A causa a plasmólise de B.
   (C) O fecho de A provoca a perda de turgidez de B.
                                                                                         9
   (D) Quando B está túrgida, A encontra-se aberto.
   (E) A controla o grau de turgidez de B.
   (F) Quando B perde turgidez, A fecha.
   (G) A abertura de A causa a turgidez de B.
   (H) Quando B está plasmolisada, A encontra-se aberto.

Verdadeiras : _________________________ Falsas _____________________________
2. Qual o papel do ião potássio na abertura e no fecho dos estomas?
    A entrada do ião potássio nas células guarda causa a entrada de H2O por osmose, o
      que provoca um aumento da turgidez das células e, consequentemente o estoma
      abre.                                                                               10
    A saída do ião potássio das células guarda causa uma saída da água das mesmas, o
      que provoca uma diminuição da turgidez das células e, consequentemente, o estoma
      fecha.

3. Nos desertos, encontram-se animais de diferentes taxa, como, por exemplo,
Mamíferos, Aves, Répteis e Insectos. Estes animais têm tendência para perder água
através das superfícies respiratórias e excretoras, apresentando diferentes estruturas
que lhes permitem sobreviver em ambientes hostis.
Nos itens seguintes, seleccione a letra correspondente à opção que contém os termos que
permitem preencher correctamente os espaços.
3.1. A _____ das superfícies respiratórias dos animais considerados possibilita _____.
                                                                                          8
  (A) pequena espessura [...] a economia de água em meio terrestre
  (B) elevada vascularização [...] a eficácia da difusão indirecta
  (C) grande área de contacto com o meio externo [...] a eficácia da difusão
      indirecta
  (D) localização [...] a economia de água em meio terrestre

Resposta : ____________


                                                                                          8
3.2. Nos vertebrados terrestres, as superfícies respiratórias estão permanentemente
húmidas, o que _____ a difusão dos gases respiratórios e _____ a perda de água
durante a expiração.
    (A) possibilita [...] favorece
    (B) dificulta [...] favorece
    (C) possibilita [...] impede
    (D) dificulta [...] impede

Resposta : ____________

 3.3. A existência de uma elevada taxa metabólica em _____ contribui para que, a          8
      uma temperatura atmosférica de 10 ºC, a diferença de temperatura entre o seu
      meio interno e o ambiente seja _____.
    (A) Aves [...] maior do que em Répteis
    (B) Répteis [...] maior do que em Aves
    (C) Aves [...] menor do que em Répteis
    (D) Répteis [...] menor do que em Aves

Resposta : ____________
3.4. Um factor limitante é...
     (A) uma substância que impede a propagação do impulso nervoso.
     (B) uma hormona que limita o ritmo cardíaco.
     (C) qualquer condição do meio que limita, apenas, a reprodução dos seres vivos.      8
     (D) qualquer factor do meio que se aproxime ou exceda os limites de tolerância
         de um ser vivo para esse factor.
     (E) o mesmo que "limite de tolerância".

Resposta : ___________
IV
Os recifes de coral abrigam ¼ de todas as espécies marinhas, sendo o mais
produtivo dos ecossistemas marinhos costeiros, apesar de ocuparem uma área de
0,02% da área global dos oceanos. No entanto, estes ecossistemas são
extremamente sensíveis a pequenas variações da temperatura das águas oceânicas,
constituindo, portanto, excelentes indicadores das mudanças climáticas globais. O
fenómeno conhecido como branqueamento dos corais parece estar condicionado às
variações das condições ambientais, principalmente, aquelas induzidas por mudanças
da temperatura global dos oceanos.

1.1. Indique a causa que é, directamente, responsável pela perda de cor que se tem
     observado nos corais.

Expulsão das algas                                                                          8
1.2. Que alteração ambiental conduz à descoloração dos corais?
O aumento da temperatura da água do mar.

1.3. Quais são as consequências da ruptura de simbiose entre os corais e as algas.
                                                                                            8
Os corais perdem a sua cor e a sua capacidade de crescimento, acabando por morrer.



1.4. Comente a afirmação: "Face a alterações da temperatura ambiente, os animais            8
     poiquilotérmicos, como os corais, vêem rapidamente comprometida a sua ter-
     morregulação".

    Os animais poiquilotérmicos não têm mecanismos internos capazes de manter a
   temperatura corporal constante. Assim, as variações da temperatura ambiente reflectem-
   se, mais facilmente na temperatura corporal e por isso, a sua termorregulação é mais
   rapidamente afectada.
                                                                                            12

                                           V
A simples ideia de tomar um analgésico basta para levar o cérebro a ordenar a
secreção de substâncias que aliviam a dor, indica um estudo hoje publicado na
revista   médica  norte-americana, Journal   of   Neuroscience, citado  pela   LUSA.
Investigadores da Universidade de Michigan, liderados por Jon-Kar Zubieta, dizem ter
provado pela primeira vez que as endorfinas, conhecidas como "os analgésicos do
cérebro", desempenham um papel importante no chamado "efeito de placebo".

O placebo é uma substância inócua que supostamente não devia ter efeitos.
Todavia, descobriu-se que muitas pessoas têm uma reacção fisiológica ao placebo
que consiste, na maioria dos casos, numa redução da dor. Segundo Jon-Kar Zubieta,
professor de Psiquiatria e Radiologia da Faculdade de Medicina da Universidade de
Michigan, este é o primeiro estudo de um mecanismo químico cerebral específico
ligado ao "efeito placebo".

Existem diversas substâncias que são capazes de interferir com o normal
funcionamento do sistema nervoso. Algumas destas drogas são venenos capazes de
causar a morte, enquanto outras, quando correctamente administradas, funcionam
como importantes fármacos, capazes de melhorar a condição de indivíduos doentes.
Atente nos dois exemplos seguintes.
    A cocaína actua nas sinapses, bloqueando a permeabilidade da membrana ao
       Na+.
    As endorfinas são neurotransmissores que actuam no sistema nervoso central
       [SNC], inibindo a transmissão de alguns sinais nervosos. A morfina é uma
       substância cuja molécula é semelhante à das endorfinas.
                         Adaptado de http://www.cienciahoje.pt/index.php?oid=1168&op=all

1.1. A cocaína é, por vezes, utilizada como anestésico local. As suas propriedades
anestésicas resultam do facto de...
    (A) substituir os neurotransmissores que bloqueiam a dor.
    (B) destruir, rapidamente, as sinapses.                                                8
    (C) impedir a propagação do impulso nervoso.
    (D) impedir a divisão dos neurónios.
    (E) estimular o funcionamento da bomba de sódio e potássio.
Resposta : ____________

1.2. Refira-se à importância da morfina ser utilizada como um potente analgésico do
SNC (Sistema Nervoso Central).

As moléculas de morfina, sendo semelhantes às moléculas de endorfinas (que actuam
no SNC, inibindo a transmissão de alguns sinais nervosos), podem ter uma acção
                                                                                           10
semelhante. Admitindo que os sinais nervosos inibidos pelas endorfinas são
responsáveis pela dor e que a morfina pode actuar de forma idêntica às endorfinas,
a administração de morfina bloqueará, também, a dor, sendo, por isso, utilizado
como anestésico.
1.3. A velocidade de propagação do impulso nervoso não é igual em todos os
neurónios, variando de animal para animal, sendo proporcional ao diâmetro do axónio.
Contudo, nos vertebrados, apesar de estes terem neurónios com diâmetros inferiores
aos invertebrados, a velocidade de propagação do impulso é superior. Apresente uma
justificação para tal.

Nos vertebrados parte dos axónios encontram-se revestidos por uma bainha de
mielina, que impede o fluxo de iões ao longo da membrana. No entanto, a
existência de interrupções na bainha de mielina (nódulos de Ranvier) permite que a         15
despolarização “salte” de um nódulo para o nódulo adjacente (devido ao movimento
interno dos iões que causam a abertura de canais sensíveis à voltagem),
aumentando a velocidade da transmissão do impulso.




                                          FIM

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Testes Intermédios 10ºano
Testes Intermédios 10ºanoTestes Intermédios 10ºano
Testes Intermédios 10ºano
sandranascimento
 
Teste1
Teste1Teste1
Teste1
FJDOliveira
 
Teste Biologia e Geologia 11º ano
Teste Biologia e Geologia 11º anoTeste Biologia e Geologia 11º ano
Teste Biologia e Geologia 11º ano
José Luís Alves
 
Experiências de hershey e chase
Experiências de hershey e chaseExperiências de hershey e chase
Experiências de hershey e chase
Cecilferreira
 
ldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_2.docx
ldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_2.docxldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_2.docx
ldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_2.docx
Maria Gois
 
BG11_T1a_2021_CC.pdf
BG11_T1a_2021_CC.pdfBG11_T1a_2021_CC.pdf
BG11_T1a_2021_CC.pdf
José Luís Alves
 
Biogeo10 teste5
Biogeo10 teste5Biogeo10 teste5
Biogeo10 teste5
malhadinhas
 
Bg 11 síntese proteica (exercícios)
Bg 11   síntese proteica (exercícios)Bg 11   síntese proteica (exercícios)
Bg 11 síntese proteica (exercícios)
Nuno Correia
 
1_BG11_T3a_21_CC.pdf
1_BG11_T3a_21_CC.pdf1_BG11_T3a_21_CC.pdf
1_BG11_T3a_21_CC.pdf
José Luís Alves
 
Ficha de trabalho- falácias informais
Ficha de trabalho- falácias informaisFicha de trabalho- falácias informais
Ficha de trabalho- falácias informais
Isabel Moura
 
Quiz descartes
Quiz descartesQuiz descartes
Quiz descartes
Isabel Moura
 
teste frei luis.pdf
teste frei luis.pdfteste frei luis.pdf
teste frei luis.pdf
Telma Casimiro
 
Lírica de Luís de Camões
Lírica de Luís de Camões Lírica de Luís de Camões
Lírica de Luís de Camões
Lurdes Augusto
 
Determinismo Radical
Determinismo RadicalDeterminismo Radical
Determinismo Radical
pauloricardom
 
Teste BG - Síntese Proteica
Teste BG - Síntese ProteicaTeste BG - Síntese Proteica
Teste BG - Síntese Proteica
José Luís Alves
 
ae_bf10_qa_2.docx
ae_bf10_qa_2.docxae_bf10_qa_2.docx
ae_bf10_qa_2.docx
HugoLoureiro17
 
Ficha de Trabalho nr 1 - Experiência de Frederick Griffith (resolução)
Ficha de Trabalho nr 1 - Experiência de Frederick Griffith (resolução)Ficha de Trabalho nr 1 - Experiência de Frederick Griffith (resolução)
Ficha de Trabalho nr 1 - Experiência de Frederick Griffith (resolução)
Isaura Mourão
 
Ficha formativa de orações com correção
Ficha formativa de orações com correçãoFicha formativa de orações com correção
Ficha formativa de orações com correção
Raquel Antunes
 
teste-3-10f-gv-farsa-de-ines-pereira.docx
teste-3-10f-gv-farsa-de-ines-pereira.docxteste-3-10f-gv-farsa-de-ines-pereira.docx
teste-3-10f-gv-farsa-de-ines-pereira.docx
IsabelVieira2093
 
Funções sintáticas exercícios
Funções sintáticas   exercíciosFunções sintáticas   exercícios
Funções sintáticas exercícios
António Fernandes
 

Mais procurados (20)

Testes Intermédios 10ºano
Testes Intermédios 10ºanoTestes Intermédios 10ºano
Testes Intermédios 10ºano
 
Teste1
Teste1Teste1
Teste1
 
Teste Biologia e Geologia 11º ano
Teste Biologia e Geologia 11º anoTeste Biologia e Geologia 11º ano
Teste Biologia e Geologia 11º ano
 
Experiências de hershey e chase
Experiências de hershey e chaseExperiências de hershey e chase
Experiências de hershey e chase
 
ldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_2.docx
ldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_2.docxldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_2.docx
ldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_2.docx
 
BG11_T1a_2021_CC.pdf
BG11_T1a_2021_CC.pdfBG11_T1a_2021_CC.pdf
BG11_T1a_2021_CC.pdf
 
Biogeo10 teste5
Biogeo10 teste5Biogeo10 teste5
Biogeo10 teste5
 
Bg 11 síntese proteica (exercícios)
Bg 11   síntese proteica (exercícios)Bg 11   síntese proteica (exercícios)
Bg 11 síntese proteica (exercícios)
 
1_BG11_T3a_21_CC.pdf
1_BG11_T3a_21_CC.pdf1_BG11_T3a_21_CC.pdf
1_BG11_T3a_21_CC.pdf
 
Ficha de trabalho- falácias informais
Ficha de trabalho- falácias informaisFicha de trabalho- falácias informais
Ficha de trabalho- falácias informais
 
Quiz descartes
Quiz descartesQuiz descartes
Quiz descartes
 
teste frei luis.pdf
teste frei luis.pdfteste frei luis.pdf
teste frei luis.pdf
 
Lírica de Luís de Camões
Lírica de Luís de Camões Lírica de Luís de Camões
Lírica de Luís de Camões
 
Determinismo Radical
Determinismo RadicalDeterminismo Radical
Determinismo Radical
 
Teste BG - Síntese Proteica
Teste BG - Síntese ProteicaTeste BG - Síntese Proteica
Teste BG - Síntese Proteica
 
ae_bf10_qa_2.docx
ae_bf10_qa_2.docxae_bf10_qa_2.docx
ae_bf10_qa_2.docx
 
Ficha de Trabalho nr 1 - Experiência de Frederick Griffith (resolução)
Ficha de Trabalho nr 1 - Experiência de Frederick Griffith (resolução)Ficha de Trabalho nr 1 - Experiência de Frederick Griffith (resolução)
Ficha de Trabalho nr 1 - Experiência de Frederick Griffith (resolução)
 
Ficha formativa de orações com correção
Ficha formativa de orações com correçãoFicha formativa de orações com correção
Ficha formativa de orações com correção
 
teste-3-10f-gv-farsa-de-ines-pereira.docx
teste-3-10f-gv-farsa-de-ines-pereira.docxteste-3-10f-gv-farsa-de-ines-pereira.docx
teste-3-10f-gv-farsa-de-ines-pereira.docx
 
Funções sintáticas exercícios
Funções sintáticas   exercíciosFunções sintáticas   exercícios
Funções sintáticas exercícios
 

Semelhante a Teste de Avaliação nr. 2 (Biologia 10º) Soluções

Fichatrabalho4 bg11
Fichatrabalho4 bg11Fichatrabalho4 bg11
Fichatrabalho4 bg11
Magda Charrua
 
Fichatrabalho7 bg11
Fichatrabalho7 bg11Fichatrabalho7 bg11
Fichatrabalho7 bg11
Magda Charrua
 
Ficha de trabalho 11
Ficha de trabalho 11Ficha de trabalho 11
Ficha de trabalho 11
joseeira
 
Ficha de trabalho apoio 1
Ficha de trabalho apoio 1Ficha de trabalho apoio 1
Ficha de trabalho apoio 1
cancela
 
Ficha de Trabalho 3
Ficha de Trabalho 3Ficha de Trabalho 3
Ficha de Trabalho 3
Isaura Mourão
 
Ficha de trabalho 4
Ficha de trabalho 4Ficha de trabalho 4
Ficha de trabalho 4
joseeira
 
Ficha de Trabalho 3 (Soluções)
Ficha de Trabalho 3 (Soluções)Ficha de Trabalho 3 (Soluções)
Ficha de Trabalho 3 (Soluções)
Isaura Mourão
 
Exercícios rec. (1)
Exercícios rec. (1)Exercícios rec. (1)
Exercícios rec. (1)
Alpha Colégio e Vestibulares
 
BioGeo10_Teste_D4autotroficos_transporte_plantas2019.pdf
BioGeo10_Teste_D4autotroficos_transporte_plantas2019.pdfBioGeo10_Teste_D4autotroficos_transporte_plantas2019.pdf
BioGeo10_Teste_D4autotroficos_transporte_plantas2019.pdf
BrunaMarques844231
 
Revisão 1º eja 2º bimestre
Revisão 1º eja   2º bimestreRevisão 1º eja   2º bimestre
Revisão 1º eja 2º bimestre
Vânia Lima
 
Gabarito 26 50
Gabarito 26   50Gabarito 26   50
Gabarito 26 50
BriefCase
 
Gab
GabGab
2002ed d2 bio
2002ed d2 bio2002ed d2 bio
2002ed d2 bio
Marcio Cicchelli
 
Simulado de ciências da natureza e suas tecnologias
Simulado de ciências da natureza e suas tecnologiasSimulado de ciências da natureza e suas tecnologias
Simulado de ciências da natureza e suas tecnologias
Homero Alves de Lima
 
Química Jefferson
Química   JeffersonQuímica   Jefferson
Química Jefferson
Pré-Enem Seduc
 
Simulado prova-goic3a1s-9c2ba-ano-cic3aancias1
Simulado prova-goic3a1s-9c2ba-ano-cic3aancias1Simulado prova-goic3a1s-9c2ba-ano-cic3aancias1
Simulado prova-goic3a1s-9c2ba-ano-cic3aancias1
Atividades Diversas Cláudia
 
Adr de-ciencias-9-ano
Adr de-ciencias-9-anoAdr de-ciencias-9-ano
Adr de-ciencias-9-ano
Atividades Diversas Cláudia
 
Lista de exercícios 6 COM GABARITO - BIO Frente 1 - 3º bim - Prof James Martins
Lista de exercícios 6 COM GABARITO - BIO Frente 1 - 3º bim - Prof James MartinsLista de exercícios 6 COM GABARITO - BIO Frente 1 - 3º bim - Prof James Martins
Lista de exercícios 6 COM GABARITO - BIO Frente 1 - 3º bim - Prof James Martins
James Martins
 
Lista de exercícios - Biologia frente 1 e 2 - 3º bim - Profo James e Vagner
Lista de exercícios - Biologia frente 1 e 2 - 3º bim - Profo James e VagnerLista de exercícios - Biologia frente 1 e 2 - 3º bim - Profo James e Vagner
Lista de exercícios - Biologia frente 1 e 2 - 3º bim - Profo James e Vagner
James Martins
 
Gabarito comentado cn ch final
Gabarito comentado cn ch finalGabarito comentado cn ch final
Gabarito comentado cn ch final
Colégio Parthenon
 

Semelhante a Teste de Avaliação nr. 2 (Biologia 10º) Soluções (20)

Fichatrabalho4 bg11
Fichatrabalho4 bg11Fichatrabalho4 bg11
Fichatrabalho4 bg11
 
Fichatrabalho7 bg11
Fichatrabalho7 bg11Fichatrabalho7 bg11
Fichatrabalho7 bg11
 
Ficha de trabalho 11
Ficha de trabalho 11Ficha de trabalho 11
Ficha de trabalho 11
 
Ficha de trabalho apoio 1
Ficha de trabalho apoio 1Ficha de trabalho apoio 1
Ficha de trabalho apoio 1
 
Ficha de Trabalho 3
Ficha de Trabalho 3Ficha de Trabalho 3
Ficha de Trabalho 3
 
Ficha de trabalho 4
Ficha de trabalho 4Ficha de trabalho 4
Ficha de trabalho 4
 
Ficha de Trabalho 3 (Soluções)
Ficha de Trabalho 3 (Soluções)Ficha de Trabalho 3 (Soluções)
Ficha de Trabalho 3 (Soluções)
 
Exercícios rec. (1)
Exercícios rec. (1)Exercícios rec. (1)
Exercícios rec. (1)
 
BioGeo10_Teste_D4autotroficos_transporte_plantas2019.pdf
BioGeo10_Teste_D4autotroficos_transporte_plantas2019.pdfBioGeo10_Teste_D4autotroficos_transporte_plantas2019.pdf
BioGeo10_Teste_D4autotroficos_transporte_plantas2019.pdf
 
Revisão 1º eja 2º bimestre
Revisão 1º eja   2º bimestreRevisão 1º eja   2º bimestre
Revisão 1º eja 2º bimestre
 
Gabarito 26 50
Gabarito 26   50Gabarito 26   50
Gabarito 26 50
 
Gab
GabGab
Gab
 
2002ed d2 bio
2002ed d2 bio2002ed d2 bio
2002ed d2 bio
 
Simulado de ciências da natureza e suas tecnologias
Simulado de ciências da natureza e suas tecnologiasSimulado de ciências da natureza e suas tecnologias
Simulado de ciências da natureza e suas tecnologias
 
Química Jefferson
Química   JeffersonQuímica   Jefferson
Química Jefferson
 
Simulado prova-goic3a1s-9c2ba-ano-cic3aancias1
Simulado prova-goic3a1s-9c2ba-ano-cic3aancias1Simulado prova-goic3a1s-9c2ba-ano-cic3aancias1
Simulado prova-goic3a1s-9c2ba-ano-cic3aancias1
 
Adr de-ciencias-9-ano
Adr de-ciencias-9-anoAdr de-ciencias-9-ano
Adr de-ciencias-9-ano
 
Lista de exercícios 6 COM GABARITO - BIO Frente 1 - 3º bim - Prof James Martins
Lista de exercícios 6 COM GABARITO - BIO Frente 1 - 3º bim - Prof James MartinsLista de exercícios 6 COM GABARITO - BIO Frente 1 - 3º bim - Prof James Martins
Lista de exercícios 6 COM GABARITO - BIO Frente 1 - 3º bim - Prof James Martins
 
Lista de exercícios - Biologia frente 1 e 2 - 3º bim - Profo James e Vagner
Lista de exercícios - Biologia frente 1 e 2 - 3º bim - Profo James e VagnerLista de exercícios - Biologia frente 1 e 2 - 3º bim - Profo James e Vagner
Lista de exercícios - Biologia frente 1 e 2 - 3º bim - Profo James e Vagner
 
Gabarito comentado cn ch final
Gabarito comentado cn ch finalGabarito comentado cn ch final
Gabarito comentado cn ch final
 

Mais de Isaura Mourão

UFCD-pele e a sua integridade - ensino profissional.pdf
UFCD-pele e a sua integridade -  ensino profissional.pdfUFCD-pele e a sua integridade -  ensino profissional.pdf
UFCD-pele e a sua integridade - ensino profissional.pdf
Isaura Mourão
 
BiologiaProfissional Planificação completa.pdf
BiologiaProfissional Planificação completa.pdfBiologiaProfissional Planificação completa.pdf
BiologiaProfissional Planificação completa.pdf
Isaura Mourão
 
Powerpoint de Sismologia - Completo.pdf10º ano de escolaridade
Powerpoint de Sismologia - Completo.pdf10º ano de escolaridadePowerpoint de Sismologia - Completo.pdf10º ano de escolaridade
Powerpoint de Sismologia - Completo.pdf10º ano de escolaridade
Isaura Mourão
 
bg10 - outubro com principios e correção.docx
bg10 - outubro com principios e correção.docxbg10 - outubro com principios e correção.docx
bg10 - outubro com principios e correção.docx
Isaura Mourão
 
Tectónica de placas (1).pptx
Tectónica de placas (1).pptxTectónica de placas (1).pptx
Tectónica de placas (1).pptx
Isaura Mourão
 
2 - Biossíntese de proteínas.pptx
2 - Biossíntese de proteínas.pptx2 - Biossíntese de proteínas.pptx
2 - Biossíntese de proteínas.pptx
Isaura Mourão
 
Doencas de Pele (1).ppt
Doencas de Pele (1).pptDoencas de Pele (1).ppt
Doencas de Pele (1).ppt
Isaura Mourão
 
62 Arquivos históricos da Terra.pptx
62 Arquivos históricos da Terra.pptx62 Arquivos históricos da Terra.pptx
62 Arquivos históricos da Terra.pptx
Isaura Mourão
 
odis11_bio_ppt_cap6.pptx
odis11_bio_ppt_cap6.pptxodis11_bio_ppt_cap6.pptx
odis11_bio_ppt_cap6.pptx
Isaura Mourão
 
BIOLOGIA11_Rmag.Aula Nº 1.pptx
BIOLOGIA11_Rmag.Aula Nº 1.pptxBIOLOGIA11_Rmag.Aula Nº 1.pptx
BIOLOGIA11_Rmag.Aula Nº 1.pptx
Isaura Mourão
 
56 Argumentos do evolucionismo.pptx
56 Argumentos do evolucionismo.pptx56 Argumentos do evolucionismo.pptx
56 Argumentos do evolucionismo.pptx
Isaura Mourão
 
63 Rochas magmáticas.pptx
63 Rochas magmáticas.pptx63 Rochas magmáticas.pptx
63 Rochas magmáticas.pptx
Isaura Mourão
 
11º PTAS- RESUMO Sistema urinário.pptx
11º PTAS- RESUMO Sistema urinário.pptx11º PTAS- RESUMO Sistema urinário.pptx
11º PTAS- RESUMO Sistema urinário.pptx
Isaura Mourão
 
50 Ciclo celular (3).pptx
50 Ciclo celular (3).pptx50 Ciclo celular (3).pptx
50 Ciclo celular (3).pptx
Isaura Mourão
 
51 Reprodução assexuada (1).pptx
51 Reprodução assexuada (1).pptx51 Reprodução assexuada (1).pptx
51 Reprodução assexuada (1).pptx
Isaura Mourão
 
1- DNA.pptx
1- DNA.pptx1- DNA.pptx
1- DNA.pptx
Isaura Mourão
 
48 DNA.pptx
48 DNA.pptx48 DNA.pptx
48 DNA.pptx
Isaura Mourão
 
M5-nervoso.pptx
M5-nervoso.pptxM5-nervoso.pptx
M5-nervoso.pptx
Isaura Mourão
 
Trocas gasosas.pptx
Trocas gasosas.pptxTrocas gasosas.pptx
Trocas gasosas.pptx
Isaura Mourão
 
Alcoolismo.ppt
Alcoolismo.pptAlcoolismo.ppt
Alcoolismo.ppt
Isaura Mourão
 

Mais de Isaura Mourão (20)

UFCD-pele e a sua integridade - ensino profissional.pdf
UFCD-pele e a sua integridade -  ensino profissional.pdfUFCD-pele e a sua integridade -  ensino profissional.pdf
UFCD-pele e a sua integridade - ensino profissional.pdf
 
BiologiaProfissional Planificação completa.pdf
BiologiaProfissional Planificação completa.pdfBiologiaProfissional Planificação completa.pdf
BiologiaProfissional Planificação completa.pdf
 
Powerpoint de Sismologia - Completo.pdf10º ano de escolaridade
Powerpoint de Sismologia - Completo.pdf10º ano de escolaridadePowerpoint de Sismologia - Completo.pdf10º ano de escolaridade
Powerpoint de Sismologia - Completo.pdf10º ano de escolaridade
 
bg10 - outubro com principios e correção.docx
bg10 - outubro com principios e correção.docxbg10 - outubro com principios e correção.docx
bg10 - outubro com principios e correção.docx
 
Tectónica de placas (1).pptx
Tectónica de placas (1).pptxTectónica de placas (1).pptx
Tectónica de placas (1).pptx
 
2 - Biossíntese de proteínas.pptx
2 - Biossíntese de proteínas.pptx2 - Biossíntese de proteínas.pptx
2 - Biossíntese de proteínas.pptx
 
Doencas de Pele (1).ppt
Doencas de Pele (1).pptDoencas de Pele (1).ppt
Doencas de Pele (1).ppt
 
62 Arquivos históricos da Terra.pptx
62 Arquivos históricos da Terra.pptx62 Arquivos históricos da Terra.pptx
62 Arquivos históricos da Terra.pptx
 
odis11_bio_ppt_cap6.pptx
odis11_bio_ppt_cap6.pptxodis11_bio_ppt_cap6.pptx
odis11_bio_ppt_cap6.pptx
 
BIOLOGIA11_Rmag.Aula Nº 1.pptx
BIOLOGIA11_Rmag.Aula Nº 1.pptxBIOLOGIA11_Rmag.Aula Nº 1.pptx
BIOLOGIA11_Rmag.Aula Nº 1.pptx
 
56 Argumentos do evolucionismo.pptx
56 Argumentos do evolucionismo.pptx56 Argumentos do evolucionismo.pptx
56 Argumentos do evolucionismo.pptx
 
63 Rochas magmáticas.pptx
63 Rochas magmáticas.pptx63 Rochas magmáticas.pptx
63 Rochas magmáticas.pptx
 
11º PTAS- RESUMO Sistema urinário.pptx
11º PTAS- RESUMO Sistema urinário.pptx11º PTAS- RESUMO Sistema urinário.pptx
11º PTAS- RESUMO Sistema urinário.pptx
 
50 Ciclo celular (3).pptx
50 Ciclo celular (3).pptx50 Ciclo celular (3).pptx
50 Ciclo celular (3).pptx
 
51 Reprodução assexuada (1).pptx
51 Reprodução assexuada (1).pptx51 Reprodução assexuada (1).pptx
51 Reprodução assexuada (1).pptx
 
1- DNA.pptx
1- DNA.pptx1- DNA.pptx
1- DNA.pptx
 
48 DNA.pptx
48 DNA.pptx48 DNA.pptx
48 DNA.pptx
 
M5-nervoso.pptx
M5-nervoso.pptxM5-nervoso.pptx
M5-nervoso.pptx
 
Trocas gasosas.pptx
Trocas gasosas.pptxTrocas gasosas.pptx
Trocas gasosas.pptx
 
Alcoolismo.ppt
Alcoolismo.pptAlcoolismo.ppt
Alcoolismo.ppt
 

Teste de Avaliação nr. 2 (Biologia 10º) Soluções

  • 1. Cotação Nome : ____________________________________________________ Nr. ____________ Avaliação : ____________________________ Enc. De Ed. ________________________ I No Verão de 1856, Louis Pasteur foi confrontado por Bigot, pai de um dos seus alunos, com um problema que afligia muitos industriais da zona de Lille. Bigot dedicava-se à produção de álcool (etanol) a partir da fermentação dos açúcares da beterraba. Por vezes, verificava-se que, em algumas cubas, o sumo não se transformava em etanol e acabava mesmo por azedar, devido à acumulação de ácido láctico. Na tentativa de resolver esse problema, Pasteur recolheu duas amostras: Amostra 1 ‟ líquido recolhido de uma cuba onde se formou etanol. Amostra 2 ‟ líquido recolhido de uma das cubas cujo conteúdo azedou. Estas amostras foram observadas ao microscópio. Na amostra 1, Pasteur encontrou apenas leveduras (fungos unicelulares). Na amostra 2, observou um pequeno número de leveduras e um grande número de bactérias. Em observações posteriores, Pasteur confirmou que só se verificava a presença de bactérias nas cubas cujo conteúdo azedava, e que o número de bactérias era tanto maior quanto mais azedo o conteúdo da cuba. Quando terminou a investigação, Pasteur concluiu que as leveduras utilizavam o açúcar da beterraba para produzir etanol e que as bactérias o utilizavam para produzir ácido láctico. 1. Pasteur concluiu que a presença de células vivas é fundamental para a ocorrência de fermentação. Seleccione a alternativa que completa correctamente a afirmação seguinte. Para poder tirar aquela conclusão, seria necessário comparar as observações das amostras 1 e 2 com a observação de uma amostra de sumo de beterraba (mantido em cuba tapada, a temperaturas favoráveis à ocorrência de fermentação) que… (A) tivesse sido submetida a filtração, removendo as células vivas. (B) fosse retirada de uma cuba onde se tivesse obtido etanol. (C) fosse retirada de uma cuba cujo conteúdo tivesse azedado. 8 (D) tivesse tanto leveduras como bactérias. Resposta : ____________ 2. Seleccione a alternativa que permite preencher os espaços e obter uma afirmação correcta. As células de leveduras e de bactérias apresentam _____ e _____. (A) núcleo […] mitocôndrias (B) mitocôndrias […] ribossomas (C) ribossomas […] membrana plasmática 8 (D) membrana plasmática […] núcleo Resposta : ____________ 3. Em finais do séc. XIX, Eduard Büchner efectuou um conjunto de experiências com extracto de levedura, obtido por trituração de leveduras e posterior filtração dos resíduos celulares remanescentes. A este extracto adicionou uma solução aquosa açucarada. Passado algum tempo, detectou na solução a presença de etanol e a libertação de dióxido de carbono.
  • 2. 3.1. Seleccione a alternativa que completa correctamente a afirmação seguinte. Com esta experiência, Büchner poderia testar a seguinte hipótese: (A) a fermentação é um processo que ocorre apenas na ausência de oxigénio. (B) a temperatura é um dos factores limitantes do processo de fermentação. (C) a concentração de açúcar influencia o rendimento energético da fermentação. 8 (D) a fermentação pode ocorrer na ausência de leveduras. Resposta: ________________ 3.2 Seleccione a alternativa que completa correctamente a afirmação seguinte. Para que os resultados da experiência de Büchner possam provar que a ocorrência de fermentação está, de alguma forma, relacionada com a intervenção de seres vivos (ou seus derivados), seria necessária a introdução, no procedimento, de um 8 dispositivo que contivesse… (A) leveduras numa solução açucarada. (B) extracto de levedura numa solução açucarada. (C) unicamente uma solução açucarada. (D) exclusivamente leveduras. Resposta: ________________ 3.3. Seleccione a única opção que contém os termos que preenchem, sequencialmente, os espaços seguintes, de modo a obter uma afirmação correcta. A fermentação é um processo de obtenção de energia que ocorre _______, e em que o receptor final de electrões é uma molécula _______. (A) no citoplasma ... inorgânica. 8 (B) na mitocôndria ... inorgânica. (C) no citoplasma ... orgânica. (D) na mitocôndria ... orgânica. Resposta: ________________ II A aranha aquática, Argyroneta aquatica, é a única aranha que vive permanentemente debaixo de água, possuindo adaptações específicas para este modo de vida. Usando pequenos «pêlos» das patas e do abdómen, estas aranhas aprisionam bolhas de ar, que retiram da superfície da água, e constroem com seda uma membrana que permite o armazenamento do ar contido nas bolhas, constituindo um reservatório subaquático denominado sino de ar. A seda é produzida sob a forma de um líquido que contém uma proteína, a fibroína que, em contacto com o ar, solidifica. Estes sinos de ar apresentam múltiplas funções: protecção contra predadores terrestres, local de acasalamento, ninho seguro para os ovos e para os juvenis e local para devorar as presas. Uma questão que se colocou aos cientistas era se estes sinos de ar também permitiam às aranhas respirarem, visto que a membrana sedosa permite a difusão passiva de gases. Para responder a esta questão e testar se as aranhas avaliam a qualidade do ar
  • 3. nos sinos, realizou-se um estudo em que se constituíram três grupos de aranhas, cujos sinos foram preenchidos por: „ oxigénio puro; „ dióxido de carbono puro; „ ar ambiente (como controlo). As aranhas submetidas a dióxido de carbono puro reagiram mais intensamente do que as aranhas submetidas a oxigénio puro e a ar ambiente, emergindo mais frequentemente e construindo mais sinos de ar até que os níveis de oxigénio estivessem suficientemente elevados. Schutz D., Taborsky M., Drapela T., Air bells of water spiders are an extended phenotype modified in response to gas composition, J. Exp. Zool, 2007 (adaptado) 1. Seleccione a única opção que permite obter uma afirmação correcta. Com base nos resultados do estudo efectuado, pode supor-se que as aranhas aquáticas… (A) aumentam a frequência das trocas gasosas em ambientes saturados de oxigénio. (B) detectam variações nos níveis de dióxido de carbono no interior dos sinos de 8 ar. (C) segregam mais fibroína quando submetidas a teores mais elevados de O 2 do que de CO2. (D) apresentam incapacidade de detectar a qualidade do ar no interior dos sinos. Resposta : ____________ 2. Seleccione a única opção que permite obter uma afirmação correcta. Na aranha que tem o sino de ar preenchido por ar ambiente, é de esperar que, enquanto estiver imersa,… (A) decresça o teor de oxigénio no interior do sino de ar, devido ao seu consumo 8 na respiração aeróbia. (B) aumente o teor de dióxido de carbono no interior do sino de ar, permitindo uma crescente produção de ATP. (C) aumente o teor de oxigénio no interior do sino de ar, permitindo uma crescente produção de ATP. (D) decresça o teor de dióxido de carbono no interior do sino de ar, devido ao seu consumo na respiração aeróbia. Resposta : ____________ 3. Seleccione a única opção que permite obter uma afirmação correcta. Ao utilizarem nutrientes resultantes da digestão das presas, as aranhas aquáticas produzem ATP através da… (A) oxidação de compostos orgânicos por via catabólica. 8 (B) redução de compostos orgânicos por via catabólica. (C) oxidação de compostos orgânicos por via anabólica. (D) redução de compostos orgânicos por via anabólica. Resposta : ____________
  • 4. 4. Seleccione a única alternativa que contém os termos que preenchem, sequencialmente, os espaços seguintes, de modo a obter uma afirmação correcta. Na aranha, as mitocôndrias das células musculares, além de serem numerosas, têm uma membrana interna com uma grande superfície, o que possibilita uma grande actividade da ________, o que acarreta _______________ consumo de oxigénio. 8 (A) cadeia respiratória ... maior (B) glicólise ... menor (C) cadeia respiratória ... menor (D) glicólise ... maior Resposta : ____________ 5. Seleccione a alternativa que permite preencher os espaços, de modo a obter uma afirmação correcta.Em anaerobiose, a via responsável pela transferência de energia da molécula de glicose para o ATP é a________, cujo rendimento energético é ________ àquele que se obtém em aerobiose. (A) respiração aeróbia [...] superior 8 (B) respiração aeróbia [...] inferior (C) fermentação [...] superior (D) fermentação [...] inferior Resposta : ____________ III Observe a figura seguinte que representa, esquematicamente, um mecanismo explicativo para a abertura e o fecho dos estomas. 1. Assinale as frases verdadeiras (V) e as falsas (F). (A) B controla a abertura de A. (B) A abertura de A causa a plasmólise de B. (C) O fecho de A provoca a perda de turgidez de B. 9 (D) Quando B está túrgida, A encontra-se aberto. (E) A controla o grau de turgidez de B. (F) Quando B perde turgidez, A fecha. (G) A abertura de A causa a turgidez de B. (H) Quando B está plasmolisada, A encontra-se aberto. Verdadeiras : _________________________ Falsas _____________________________
  • 5. 2. Qual o papel do ião potássio na abertura e no fecho dos estomas?  A entrada do ião potássio nas células guarda causa a entrada de H2O por osmose, o que provoca um aumento da turgidez das células e, consequentemente o estoma abre. 10  A saída do ião potássio das células guarda causa uma saída da água das mesmas, o que provoca uma diminuição da turgidez das células e, consequentemente, o estoma fecha. 3. Nos desertos, encontram-se animais de diferentes taxa, como, por exemplo, Mamíferos, Aves, Répteis e Insectos. Estes animais têm tendência para perder água através das superfícies respiratórias e excretoras, apresentando diferentes estruturas que lhes permitem sobreviver em ambientes hostis. Nos itens seguintes, seleccione a letra correspondente à opção que contém os termos que permitem preencher correctamente os espaços. 3.1. A _____ das superfícies respiratórias dos animais considerados possibilita _____. 8 (A) pequena espessura [...] a economia de água em meio terrestre (B) elevada vascularização [...] a eficácia da difusão indirecta (C) grande área de contacto com o meio externo [...] a eficácia da difusão indirecta (D) localização [...] a economia de água em meio terrestre Resposta : ____________ 8 3.2. Nos vertebrados terrestres, as superfícies respiratórias estão permanentemente húmidas, o que _____ a difusão dos gases respiratórios e _____ a perda de água durante a expiração. (A) possibilita [...] favorece (B) dificulta [...] favorece (C) possibilita [...] impede (D) dificulta [...] impede Resposta : ____________ 3.3. A existência de uma elevada taxa metabólica em _____ contribui para que, a 8 uma temperatura atmosférica de 10 ºC, a diferença de temperatura entre o seu meio interno e o ambiente seja _____. (A) Aves [...] maior do que em Répteis (B) Répteis [...] maior do que em Aves (C) Aves [...] menor do que em Répteis (D) Répteis [...] menor do que em Aves Resposta : ____________ 3.4. Um factor limitante é... (A) uma substância que impede a propagação do impulso nervoso. (B) uma hormona que limita o ritmo cardíaco. (C) qualquer condição do meio que limita, apenas, a reprodução dos seres vivos. 8 (D) qualquer factor do meio que se aproxime ou exceda os limites de tolerância de um ser vivo para esse factor. (E) o mesmo que "limite de tolerância". Resposta : ___________
  • 6. IV Os recifes de coral abrigam ¼ de todas as espécies marinhas, sendo o mais produtivo dos ecossistemas marinhos costeiros, apesar de ocuparem uma área de 0,02% da área global dos oceanos. No entanto, estes ecossistemas são extremamente sensíveis a pequenas variações da temperatura das águas oceânicas, constituindo, portanto, excelentes indicadores das mudanças climáticas globais. O fenómeno conhecido como branqueamento dos corais parece estar condicionado às variações das condições ambientais, principalmente, aquelas induzidas por mudanças da temperatura global dos oceanos. 1.1. Indique a causa que é, directamente, responsável pela perda de cor que se tem observado nos corais. Expulsão das algas 8 1.2. Que alteração ambiental conduz à descoloração dos corais? O aumento da temperatura da água do mar. 1.3. Quais são as consequências da ruptura de simbiose entre os corais e as algas. 8 Os corais perdem a sua cor e a sua capacidade de crescimento, acabando por morrer. 1.4. Comente a afirmação: "Face a alterações da temperatura ambiente, os animais 8 poiquilotérmicos, como os corais, vêem rapidamente comprometida a sua ter- morregulação". Os animais poiquilotérmicos não têm mecanismos internos capazes de manter a temperatura corporal constante. Assim, as variações da temperatura ambiente reflectem- se, mais facilmente na temperatura corporal e por isso, a sua termorregulação é mais rapidamente afectada. 12 V A simples ideia de tomar um analgésico basta para levar o cérebro a ordenar a secreção de substâncias que aliviam a dor, indica um estudo hoje publicado na revista médica norte-americana, Journal of Neuroscience, citado pela LUSA. Investigadores da Universidade de Michigan, liderados por Jon-Kar Zubieta, dizem ter provado pela primeira vez que as endorfinas, conhecidas como "os analgésicos do cérebro", desempenham um papel importante no chamado "efeito de placebo". O placebo é uma substância inócua que supostamente não devia ter efeitos. Todavia, descobriu-se que muitas pessoas têm uma reacção fisiológica ao placebo que consiste, na maioria dos casos, numa redução da dor. Segundo Jon-Kar Zubieta, professor de Psiquiatria e Radiologia da Faculdade de Medicina da Universidade de Michigan, este é o primeiro estudo de um mecanismo químico cerebral específico ligado ao "efeito placebo". Existem diversas substâncias que são capazes de interferir com o normal funcionamento do sistema nervoso. Algumas destas drogas são venenos capazes de causar a morte, enquanto outras, quando correctamente administradas, funcionam como importantes fármacos, capazes de melhorar a condição de indivíduos doentes.
  • 7. Atente nos dois exemplos seguintes.  A cocaína actua nas sinapses, bloqueando a permeabilidade da membrana ao Na+.  As endorfinas são neurotransmissores que actuam no sistema nervoso central [SNC], inibindo a transmissão de alguns sinais nervosos. A morfina é uma substância cuja molécula é semelhante à das endorfinas. Adaptado de http://www.cienciahoje.pt/index.php?oid=1168&op=all 1.1. A cocaína é, por vezes, utilizada como anestésico local. As suas propriedades anestésicas resultam do facto de... (A) substituir os neurotransmissores que bloqueiam a dor. (B) destruir, rapidamente, as sinapses. 8 (C) impedir a propagação do impulso nervoso. (D) impedir a divisão dos neurónios. (E) estimular o funcionamento da bomba de sódio e potássio. Resposta : ____________ 1.2. Refira-se à importância da morfina ser utilizada como um potente analgésico do SNC (Sistema Nervoso Central). As moléculas de morfina, sendo semelhantes às moléculas de endorfinas (que actuam no SNC, inibindo a transmissão de alguns sinais nervosos), podem ter uma acção 10 semelhante. Admitindo que os sinais nervosos inibidos pelas endorfinas são responsáveis pela dor e que a morfina pode actuar de forma idêntica às endorfinas, a administração de morfina bloqueará, também, a dor, sendo, por isso, utilizado como anestésico. 1.3. A velocidade de propagação do impulso nervoso não é igual em todos os neurónios, variando de animal para animal, sendo proporcional ao diâmetro do axónio. Contudo, nos vertebrados, apesar de estes terem neurónios com diâmetros inferiores aos invertebrados, a velocidade de propagação do impulso é superior. Apresente uma justificação para tal. Nos vertebrados parte dos axónios encontram-se revestidos por uma bainha de mielina, que impede o fluxo de iões ao longo da membrana. No entanto, a existência de interrupções na bainha de mielina (nódulos de Ranvier) permite que a 15 despolarização “salte” de um nódulo para o nódulo adjacente (devido ao movimento interno dos iões que causam a abertura de canais sensíveis à voltagem), aumentando a velocidade da transmissão do impulso. FIM