SlideShare uma empresa Scribd logo
TERMINOLOGIA
SOBRE
DEFICIÊNCIA
NA
ERA DA INCLUSÃO
Usar ou não usar termos técnicos corretamente não é uma mera questão semântica ou
sem importância, se desejamos falar ou escrever construtivamente, numa perspectiva
inclusiva, sobre qualquer assunto de cunho humano. E a terminologia correta é
especialmente importante quando abordamos assuntos tradicionalmente eivados de
preconceitos, estigmas e estereótipos, como é o caso das deficiências que
aproximadamente 14,5% da população brasileira possuem.

Os termos são considerados corretos em função de certos valores e conceitos vigentes em
cada sociedade e em cada época. Assim, eles passam a ser incorretos quando esses
valores e conceitos vão sendo substituídos por outros, o que exige o uso de outras
palavras.
O maior problema decorrente do uso de termos incorretos reside no fato de os conceitos
obsoletos, as idéias equivocadas e as informações inexatas serem inadvertidamente
reforçados e perpetuados.
Veja algumas expressões
incorretas seguidas de
comentários e dos
equivalentes termos
corretos, frases corretas e
grafias corretas.
1.

adolescente normal

Desejando referir-se a um adolescente (uma criança ou um adulto) que
não possua uma deficiência, muitas pessoas usam as expressões
adolescente normal, criança normal e adulto normal. Isto acontecia
muito no passado, quando a desinformação e o preconceito a respeito de
pessoas com deficiência eram de tamanha magnitude que a sociedade
acreditava na normalidade das pessoas sem deficiência. Esta crença
fundamentava-se na idéia de que era anormal a pessoa que tivesse uma
deficiência. A normalidade, em relação a pessoas, é um conceito
questionável e ultrapassado.

TERMOS CORRETOS: adolescente
(criança, adulto) sem deficiência ou, ainda, adolescente (criança, adulto)
não-deficiente.
2. aleijado; defeituoso; incapacitado; inválido
Estes termos eram utilizados com freqüência até a década de 80. A partir
de 1981, por influência do Ano Internacional das Pessoas Deficientes,
começa-se a escrever e falar pela primeira vez a expressão pessoa
deficiente. O acréscimo da palavra pessoa, passando o vocábulo
deficiente para a função de adjetivo, foi uma grande novidade na época.
No início, houve reações de surpresa e espanto diante da palavra pessoa:
“Puxa, os deficientes são pessoas!?” Aos poucos, entrou em uso a
expressão pessoa portadora de deficiência, freqüentemente reduzida
para portadores de deficiência. Por volta da metade da década de 90,
entrou em uso a expressão pessoas com deficiência, que permanece até
os dias de hoje.

3. “apesar de deficiente, ele é um ótimo aluno”
Na frase acima há um preconceito embutido: ‘A pessoa com deficiência
não pode ser um ótimo aluno’. FRASE CORRETA: “ele tem deficiência e é
um ótimo aluno”.
4. “aquela criança não é inteligente”
Todas as pessoas são inteligentes, segundo a Teoria das Inteligências Múltiplas.
Até o presente, foi comprovada a existência de nove tipos de inteligência: lógicomatemática,
verballingüística, interpessoal, intrapessoal, musical, naturalista, corporal-cinestésica e
visual-espacial (GARDNER, 2000). Consultar ANTUNES (1998, 1999).
FRASE CORRETA:
“aquela criança é menos desenvolvida na inteligência [por ex.] lógicomatemática”.
5. cadeira de rodas elétrica

Trata-se de uma cadeira de rodas equipada com um motor.
TERMO CORRETO: cadeira de rodas motorizada.
6. Ceguinho
O diminutivo ceguinho denota que o cego não é tido como uma pessoa
completa.
TERMOS CORRETOS: cego; pessoa cega; pessoa com deficiência visual.
7. classe normal
TERMOS CORRETOS: classe comum; classe regular. No futuro, quando todas as escolas
se tornarem inclusivas, bastará o uso da palavra classe sem adjetivá-la.
8. criança excepcional
TERMOS CORRETOS: criança com deficiência intelectual
9. defeituoso físico
Defeituoso, aleijado e inválido são palavras muito antigas e eram utilizadas com freqüência
até o final da década de 70. O termo deficiente, quando usado como substantivo (por ex., o
deficiente físico), está caindo em desuso.
TERMO CORRETO: pessoa com deficiência física.
10. deficientes físicos (quando se referir a pessoas com qualquer tipo de
deficiência).
TERMO CORRETO: pessoas com deficiência (sem especificar o tipo de
deficiência).
11. deficiência mental leve, moderada, severa, profunda
TERMO CORRETO: deficiência intelectual
(sem especificar nível de comprometimento).
12. deficiente mental (quando se referir a uma pessoa com transtorno
mental)

TERMOS CORRETOS: pessoa com transtorno mental, paciente psiquiátrico.
Consultar BRASIL (2001), “lei sobre os direitos das pessoas com transtorno
mental.
13. doente mental (quando se referir a uma pessoa com deficiência
intelectual) TERMO CORRETO: pessoa com deficiência intelectual
14. “ela é cega mas mora sozinha”
Na frase acima há um preconceito embutido: ‘Todo cego não é capaz de morar
sozinho’. FRASE CORRETA: “ela é cega e mora sozinha”

15. “ela é retardada mental mas é uma atleta excepcional”
Na frase acima há um preconceito embutido: ‘Toda pessoa com deficiência
mental não tem capacidade para ser atleta’.
FRASE CORRETA: “ela tem deficiência mental [intelectual] e se destaca como
atleta”
16. “ela foi vítima de paralisia infantil”
A poliomielite já ocorreu nesta pessoa (por ex., ‘ela teve pólio’). Enquanto a pessoa
estiver viva, ela tem seqüela de poliomielite. A palavra vítima provoca sentimento
de piedade.
FRASES CORRETAS: “ela teve [flexão no passado] paralisia infantil” e/ou “ela tem
[flexão no presente] seqüela de paralisia infantil”.
17. “ela teve paralisia cerebral” (quando se referir a uma pessoa viva no
presente)
A paralisa cerebral permanece com a pessoa por toda a vida.
FRASE CORRETA: “ela tem paralisia cerebral”.
18. escola normal
No futuro, quando todas as escolas se tornarem inclusivas, bastará o uso
da palavra escola sem adjetivá-la.

TERMOS CORRETOS: escola comum; escola regular.
19. “infelizmente, meu primeiro filho é deficiente; mas o segundo é normal”
A normalidade, em relação a pessoas, é um conceito
questionável, ultrapassado. E a palavra infelizmente reflete o que a mãe
pensa da deficiência do primeiro filho: ‘uma coisa ruim’.
FRASE CORRETA: “tenho dois filhos: o primeiro tem deficiência e o segundo
não tem”.

20. inválido (quando se referir a uma pessoa que tenha uma deficiência)
A palavra inválido significa sem valor. Assim eram consideradas as pessoas com
deficiência desde a Antiguidade até o final da Segunda Guerra Mundial.
TERMO CORRETO:
pessoa com deficiência.
21-mudinho
Quando se refere ao surdo, a palavra mudo não corresponde à realidade dessa
pessoa. O diminutivo mudinho denota que o surdo não é tido como uma pessoa
completa.
TERMOS CORRETOS: surdo; pessoa surda; pessoa com deficiência auditiva. Há
casos de pessoas que ouvem (portanto, não são mudas) mas têm um distúrbio da
fala (ou deficiência da fala) e, em decorrência disso, não falam.
22. necessidades educativas especiais
TERMO CORRETO: necessidades educacionais especiais. “A palavra educativo
significa algo que educa. Ora, necessidades não educam; elas são educacionais,
ou seja, concernentes à educação” (SASSAKI, 1999).
23. pessoa surda-muda
GRAFIAS CORRETAS: pessoa surda ou, dependendo do caso, pessoa com
deficiência auditiva. Quando se refere ao surdo, a palavra mudo não corresponde
à realidade dessa pessoa.
24. surdinho
TERMOS CORRETOS: surdo; pessoa surda; pessoa com deficiência auditiva. O
diminutivo surdinho denota que o surdo não é tido como uma pessoa completa.
Os próprios cegos gostam de ser chamados cegos e os surdos de surdos, embora
eles não descartem os termos pessoas cegas e pessoas surdas
“A importância de levar ao público a terminologia correta para uso na
abordagem de assuntos de deficiência é desencorajar práticas discriminatórias
é construir uma verdadeira sociedade inclusiva”.
Romeu Kazumi Sassaki

Obrigada a todos!!!!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula de Ensino Religioso - Resgatando Valores
Aula de Ensino Religioso - Resgatando ValoresAula de Ensino Religioso - Resgatando Valores
Aula de Ensino Religioso - Resgatando Valores
hartmanneli
 
Pei, exemplo dislexia
Pei, exemplo dislexiaPei, exemplo dislexia
Pei, exemplo dislexia
Leo Silva
 
Estrategias pedagogicas com deficiente intelectual
Estrategias pedagogicas com deficiente intelectualEstrategias pedagogicas com deficiente intelectual
Estrategias pedagogicas com deficiente intelectual
Paula Aparecida Alve Alves
 
INTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANO
INTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANOINTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANO
INTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANO
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
Roteiro para Projeto de Vida
Roteiro para Projeto de VidaRoteiro para Projeto de Vida
Roteiro para Projeto de Vida
Ivanilson Lima
 
Elabore seu projeto de vida
Elabore seu projeto de vidaElabore seu projeto de vida
Elabore seu projeto de vida
Greisomar
 
AULA ATIVIDADES LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS
AULA ATIVIDADES LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS AULA ATIVIDADES LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS
AULA ATIVIDADES LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS
Joziane Pimentel
 
1° atividade sílabas eja 3° fase
1° atividade   sílabas eja 3° fase1° atividade   sílabas eja 3° fase
1° atividade sílabas eja 3° fase
VirgniaPaula
 
Projeto de vida
Projeto de vidaProjeto de vida
Projeto de vida
tacianarangel
 
Projeto Páscoa da Amizade.
Projeto Páscoa da Amizade.Projeto Páscoa da Amizade.
Projeto Páscoa da Amizade.
Elizangela Santos
 
Plano de aula 6ª série 7º ano -ensino fundamental 1ª semana de março
Plano de aula 6ª série   7º ano -ensino fundamental 1ª semana de marçoPlano de aula 6ª série   7º ano -ensino fundamental 1ª semana de março
Plano de aula 6ª série 7º ano -ensino fundamental 1ª semana de março
SHEILA MONTEIRO
 
Avaliação de ciências biomas 1
Avaliação de ciências biomas 1Avaliação de ciências biomas 1
Avaliação de ciências biomas 1
Amanda Vaz
 
Caca palavras valores 2019
Caca palavras valores 2019Caca palavras valores 2019
Caca palavras valores 2019
julliana brito
 
7º ano vi5 gabarito
7º ano   vi5 gabarito7º ano   vi5 gabarito
7º ano vi5 gabarito
Karla Costa
 
Deficiência Intelectual
Deficiência IntelectualDeficiência Intelectual
Deficiência Intelectual
Edilene Sampaio
 
Relatório sindrome de down
Relatório sindrome de down Relatório sindrome de down
Relatório sindrome de down
Victor Said
 
Artes 2º ano
Artes 2º anoArtes 2º ano
Artes 2º ano
GERALDOGOMESDEBARROS
 
Projeto Cidadania e Valores
Projeto Cidadania e ValoresProjeto Cidadania e Valores
Projeto Cidadania e Valores
Jhonatan Stürmer
 
Plano de ensino bimestral modelo
Plano de ensino bimestral modeloPlano de ensino bimestral modelo
Plano de ensino bimestral modelo
Francisco de Sousa
 
Texto regras de convivência de todos os alunos 4º ano a
Texto regras de convivência de todos os alunos 4º ano aTexto regras de convivência de todos os alunos 4º ano a
Texto regras de convivência de todos os alunos 4º ano a
davinagasparini
 

Mais procurados (20)

Aula de Ensino Religioso - Resgatando Valores
Aula de Ensino Religioso - Resgatando ValoresAula de Ensino Religioso - Resgatando Valores
Aula de Ensino Religioso - Resgatando Valores
 
Pei, exemplo dislexia
Pei, exemplo dislexiaPei, exemplo dislexia
Pei, exemplo dislexia
 
Estrategias pedagogicas com deficiente intelectual
Estrategias pedagogicas com deficiente intelectualEstrategias pedagogicas com deficiente intelectual
Estrategias pedagogicas com deficiente intelectual
 
INTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANO
INTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANOINTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANO
INTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANO
 
Roteiro para Projeto de Vida
Roteiro para Projeto de VidaRoteiro para Projeto de Vida
Roteiro para Projeto de Vida
 
Elabore seu projeto de vida
Elabore seu projeto de vidaElabore seu projeto de vida
Elabore seu projeto de vida
 
AULA ATIVIDADES LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS
AULA ATIVIDADES LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS AULA ATIVIDADES LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS
AULA ATIVIDADES LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS
 
1° atividade sílabas eja 3° fase
1° atividade   sílabas eja 3° fase1° atividade   sílabas eja 3° fase
1° atividade sílabas eja 3° fase
 
Projeto de vida
Projeto de vidaProjeto de vida
Projeto de vida
 
Projeto Páscoa da Amizade.
Projeto Páscoa da Amizade.Projeto Páscoa da Amizade.
Projeto Páscoa da Amizade.
 
Plano de aula 6ª série 7º ano -ensino fundamental 1ª semana de março
Plano de aula 6ª série   7º ano -ensino fundamental 1ª semana de marçoPlano de aula 6ª série   7º ano -ensino fundamental 1ª semana de março
Plano de aula 6ª série 7º ano -ensino fundamental 1ª semana de março
 
Avaliação de ciências biomas 1
Avaliação de ciências biomas 1Avaliação de ciências biomas 1
Avaliação de ciências biomas 1
 
Caca palavras valores 2019
Caca palavras valores 2019Caca palavras valores 2019
Caca palavras valores 2019
 
7º ano vi5 gabarito
7º ano   vi5 gabarito7º ano   vi5 gabarito
7º ano vi5 gabarito
 
Deficiência Intelectual
Deficiência IntelectualDeficiência Intelectual
Deficiência Intelectual
 
Relatório sindrome de down
Relatório sindrome de down Relatório sindrome de down
Relatório sindrome de down
 
Artes 2º ano
Artes 2º anoArtes 2º ano
Artes 2º ano
 
Projeto Cidadania e Valores
Projeto Cidadania e ValoresProjeto Cidadania e Valores
Projeto Cidadania e Valores
 
Plano de ensino bimestral modelo
Plano de ensino bimestral modeloPlano de ensino bimestral modelo
Plano de ensino bimestral modelo
 
Texto regras de convivência de todos os alunos 4º ano a
Texto regras de convivência de todos os alunos 4º ano aTexto regras de convivência de todos os alunos 4º ano a
Texto regras de convivência de todos os alunos 4º ano a
 

Destaque

Apresentaçao inclusao
Apresentaçao inclusaoApresentaçao inclusao
Apresentaçao inclusao
Rosy Sandra
 
Práticas no processo de ensino aprendizagem da criança com deficiência
Práticas no processo de ensino aprendizagem da criança com deficiênciaPráticas no processo de ensino aprendizagem da criança com deficiência
Práticas no processo de ensino aprendizagem da criança com deficiência
unidadebetinho
 
Hesi aps (1)
Hesi   aps (1)Hesi   aps (1)
Hesi aps (1)
Isabel Morais
 
Deficiência mental
Deficiência mentalDeficiência mental
Deficiência mental
Margarete Macedo
 
Função motora e qualidade de vida de indivíduos com paralisia cerebral
Função motora e qualidade de vida de indivíduos com paralisia cerebralFunção motora e qualidade de vida de indivíduos com paralisia cerebral
Função motora e qualidade de vida de indivíduos com paralisia cerebral
Fisioterapeuta
 
Tirocinio docente Pós graduaçãoem METODOLOGIA EM EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE
Tirocinio docente Pós graduaçãoem METODOLOGIA EM EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTETirocinio docente Pós graduaçãoem METODOLOGIA EM EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE
Tirocinio docente Pós graduaçãoem METODOLOGIA EM EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE
Juliana Silva
 
A linha do tempo aula 01
A linha do tempo aula 01A linha do tempo aula 01
A linha do tempo aula 01
Andréa Carla Lima Coelho
 
Deficiência Mental e Intelectual
Deficiência Mental e Intelectual Deficiência Mental e Intelectual
Deficiência Mental e Intelectual
Jose Luiz França
 
Paralisia cerebral
Paralisia cerebralParalisia cerebral
Paralisia cerebral
100ideias
 
o aluno com deficiência física e a escola
o aluno com deficiência física e a escolao aluno com deficiência física e a escola
o aluno com deficiência física e a escola
professorasdaoficina
 
Projeto Minha Cidade
Projeto Minha CidadeProjeto Minha Cidade
Projeto Minha Cidade
Paula Pereira
 
Paralisia cerebral
Paralisia cerebralParalisia cerebral
Paralisia cerebral
Nay Ribeiro
 
Paralisia cerebral
Paralisia cerebralParalisia cerebral
Paralisia cerebral
Tathiane Cuesta
 
Paralisia cerebral
Paralisia cerebralParalisia cerebral
Paralisia cerebral
tevl
 
Deficiência Intelectual/Mental
Deficiência Intelectual/MentalDeficiência Intelectual/Mental
Deficiência Intelectual/Mental
Cassia Dias
 
Aula educação inclusiva na psicopedagogia
Aula educação inclusiva na psicopedagogiaAula educação inclusiva na psicopedagogia
Aula educação inclusiva na psicopedagogia
therezasophia
 
Cognição
CogniçãoCognição
Cognição
Rafael Savi
 
PSICOPATOLOGIA II: Aula 01 (introdução à CID-10)
PSICOPATOLOGIA II: Aula 01 (introdução à CID-10)PSICOPATOLOGIA II: Aula 01 (introdução à CID-10)
PSICOPATOLOGIA II: Aula 01 (introdução à CID-10)
Alexandre Simoes
 
Educacao Inclusiva e Tecnologias Assistivas
Educacao Inclusiva e Tecnologias AssistivasEducacao Inclusiva e Tecnologias Assistivas
Educacao Inclusiva e Tecnologias Assistivas
silvanatsal
 
Educação física pessoas com deficiência
Educação física pessoas com deficiênciaEducação física pessoas com deficiência
Educação física pessoas com deficiência
neilsonrocha
 

Destaque (20)

Apresentaçao inclusao
Apresentaçao inclusaoApresentaçao inclusao
Apresentaçao inclusao
 
Práticas no processo de ensino aprendizagem da criança com deficiência
Práticas no processo de ensino aprendizagem da criança com deficiênciaPráticas no processo de ensino aprendizagem da criança com deficiência
Práticas no processo de ensino aprendizagem da criança com deficiência
 
Hesi aps (1)
Hesi   aps (1)Hesi   aps (1)
Hesi aps (1)
 
Deficiência mental
Deficiência mentalDeficiência mental
Deficiência mental
 
Função motora e qualidade de vida de indivíduos com paralisia cerebral
Função motora e qualidade de vida de indivíduos com paralisia cerebralFunção motora e qualidade de vida de indivíduos com paralisia cerebral
Função motora e qualidade de vida de indivíduos com paralisia cerebral
 
Tirocinio docente Pós graduaçãoem METODOLOGIA EM EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE
Tirocinio docente Pós graduaçãoem METODOLOGIA EM EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTETirocinio docente Pós graduaçãoem METODOLOGIA EM EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE
Tirocinio docente Pós graduaçãoem METODOLOGIA EM EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE
 
A linha do tempo aula 01
A linha do tempo aula 01A linha do tempo aula 01
A linha do tempo aula 01
 
Deficiência Mental e Intelectual
Deficiência Mental e Intelectual Deficiência Mental e Intelectual
Deficiência Mental e Intelectual
 
Paralisia cerebral
Paralisia cerebralParalisia cerebral
Paralisia cerebral
 
o aluno com deficiência física e a escola
o aluno com deficiência física e a escolao aluno com deficiência física e a escola
o aluno com deficiência física e a escola
 
Projeto Minha Cidade
Projeto Minha CidadeProjeto Minha Cidade
Projeto Minha Cidade
 
Paralisia cerebral
Paralisia cerebralParalisia cerebral
Paralisia cerebral
 
Paralisia cerebral
Paralisia cerebralParalisia cerebral
Paralisia cerebral
 
Paralisia cerebral
Paralisia cerebralParalisia cerebral
Paralisia cerebral
 
Deficiência Intelectual/Mental
Deficiência Intelectual/MentalDeficiência Intelectual/Mental
Deficiência Intelectual/Mental
 
Aula educação inclusiva na psicopedagogia
Aula educação inclusiva na psicopedagogiaAula educação inclusiva na psicopedagogia
Aula educação inclusiva na psicopedagogia
 
Cognição
CogniçãoCognição
Cognição
 
PSICOPATOLOGIA II: Aula 01 (introdução à CID-10)
PSICOPATOLOGIA II: Aula 01 (introdução à CID-10)PSICOPATOLOGIA II: Aula 01 (introdução à CID-10)
PSICOPATOLOGIA II: Aula 01 (introdução à CID-10)
 
Educacao Inclusiva e Tecnologias Assistivas
Educacao Inclusiva e Tecnologias AssistivasEducacao Inclusiva e Tecnologias Assistivas
Educacao Inclusiva e Tecnologias Assistivas
 
Educação física pessoas com deficiência
Educação física pessoas com deficiênciaEducação física pessoas com deficiência
Educação física pessoas com deficiência
 

Semelhante a Terminologia

3 TERMINOLOGIA SOBRE DEFICIÊNCIA.pptx
3 TERMINOLOGIA SOBRE DEFICIÊNCIA.pptx3 TERMINOLOGIA SOBRE DEFICIÊNCIA.pptx
3 TERMINOLOGIA SOBRE DEFICIÊNCIA.pptx
LucieneViana6
 
sodapdf-converted.docx
sodapdf-converted.docxsodapdf-converted.docx
sodapdf-converted.docx
milenasandrapereiraf1
 
Terminologia sobre deficiencia na era da inclusao
Terminologia sobre deficiencia na era da inclusaoTerminologia sobre deficiencia na era da inclusao
Terminologia sobre deficiencia na era da inclusao
Liana Plentz
 
Apresentação do professor - MEF.ppt
Apresentação do professor - MEF.pptApresentação do professor - MEF.ppt
Apresentação do professor - MEF.ppt
Jefferson967969
 
Síndrome de DOWN - guia de orientação e comunicação
Síndrome de DOWN - guia de orientação e comunicaçãoSíndrome de DOWN - guia de orientação e comunicação
Síndrome de DOWN - guia de orientação e comunicação
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Educação Inclusiva
Educação InclusivaEducação Inclusiva
Educação Inclusiva
Liberty Ensino
 
Dicas de relacionamento com as pessoas com deficiencia
Dicas de relacionamento com as pessoas com deficienciaDicas de relacionamento com as pessoas com deficiencia
Dicas de relacionamento com as pessoas com deficiencia
Willian De Sá
 
Unidade 5 -_deficiencia_auditiva atividade 7
Unidade 5 -_deficiencia_auditiva atividade 7Unidade 5 -_deficiencia_auditiva atividade 7
Unidade 5 -_deficiencia_auditiva atividade 7
eurenicedosreis
 
O lúdico na alfabetização dos disléxícos - Mônica De Souza OLIVEIRA
O lúdico na alfabetização dos disléxícos - Mônica De Souza OLIVEIRAO lúdico na alfabetização dos disléxícos - Mônica De Souza OLIVEIRA
O lúdico na alfabetização dos disléxícos - Mônica De Souza OLIVEIRA
Monica Oliveira
 
O talento além das diferenças
O talento além das diferençasO talento além das diferenças
O talento além das diferenças
Larissa Mendes
 
Curso de libras_-_graciele
Curso de libras_-_gracieleCurso de libras_-_graciele
Curso de libras_-_graciele
Daniele Silva
 
Dislexia um estranho no outro lado do papel
Dislexia   um estranho no outro lado do papelDislexia   um estranho no outro lado do papel
Dislexia um estranho no outro lado do papel
Maria Masarela Passos
 
Dislexia um estranho no outro lado do papel
Dislexia   um estranho no outro lado do papelDislexia   um estranho no outro lado do papel
Dislexia um estranho no outro lado do papel
Maria Masarela Passos
 
Dislexia um estranho no outro lado do papel
Dislexia   um estranho no outro lado do papelDislexia   um estranho no outro lado do papel
Dislexia um estranho no outro lado do papel
Maria Masarela Passos
 
10 coisas que todo mundo deve saber sobre síndrome de down
10 coisas que todo mundo deve saber sobre síndrome de down10 coisas que todo mundo deve saber sobre síndrome de down
10 coisas que todo mundo deve saber sobre síndrome de down
Maria Eudes Melo
 
Manual Novos Rumos
Manual Novos RumosManual Novos Rumos
Manual Novos Rumos
Larissa Mendes
 
Cartilha como lidar com as deficiencias
Cartilha como lidar com as deficienciasCartilha como lidar com as deficiencias
Cartilha como lidar com as deficiencias
Cosmo Palasio
 
Curso de libras_-_graciele
Curso de libras_-_gracieleCurso de libras_-_graciele
Curso de libras_-_graciele
claudio valiatti passabon
 
14 afirmações sobre a síndrome de down
14 afirmações sobre a síndrome de down14 afirmações sobre a síndrome de down
14 afirmações sobre a síndrome de down
Raquel Freitas
 
Portadores de necessidades especiais ( pne’s)
Portadores de necessidades especiais ( pne’s)Portadores de necessidades especiais ( pne’s)
Portadores de necessidades especiais ( pne’s)
keven_
 

Semelhante a Terminologia (20)

3 TERMINOLOGIA SOBRE DEFICIÊNCIA.pptx
3 TERMINOLOGIA SOBRE DEFICIÊNCIA.pptx3 TERMINOLOGIA SOBRE DEFICIÊNCIA.pptx
3 TERMINOLOGIA SOBRE DEFICIÊNCIA.pptx
 
sodapdf-converted.docx
sodapdf-converted.docxsodapdf-converted.docx
sodapdf-converted.docx
 
Terminologia sobre deficiencia na era da inclusao
Terminologia sobre deficiencia na era da inclusaoTerminologia sobre deficiencia na era da inclusao
Terminologia sobre deficiencia na era da inclusao
 
Apresentação do professor - MEF.ppt
Apresentação do professor - MEF.pptApresentação do professor - MEF.ppt
Apresentação do professor - MEF.ppt
 
Síndrome de DOWN - guia de orientação e comunicação
Síndrome de DOWN - guia de orientação e comunicaçãoSíndrome de DOWN - guia de orientação e comunicação
Síndrome de DOWN - guia de orientação e comunicação
 
Educação Inclusiva
Educação InclusivaEducação Inclusiva
Educação Inclusiva
 
Dicas de relacionamento com as pessoas com deficiencia
Dicas de relacionamento com as pessoas com deficienciaDicas de relacionamento com as pessoas com deficiencia
Dicas de relacionamento com as pessoas com deficiencia
 
Unidade 5 -_deficiencia_auditiva atividade 7
Unidade 5 -_deficiencia_auditiva atividade 7Unidade 5 -_deficiencia_auditiva atividade 7
Unidade 5 -_deficiencia_auditiva atividade 7
 
O lúdico na alfabetização dos disléxícos - Mônica De Souza OLIVEIRA
O lúdico na alfabetização dos disléxícos - Mônica De Souza OLIVEIRAO lúdico na alfabetização dos disléxícos - Mônica De Souza OLIVEIRA
O lúdico na alfabetização dos disléxícos - Mônica De Souza OLIVEIRA
 
O talento além das diferenças
O talento além das diferençasO talento além das diferenças
O talento além das diferenças
 
Curso de libras_-_graciele
Curso de libras_-_gracieleCurso de libras_-_graciele
Curso de libras_-_graciele
 
Dislexia um estranho no outro lado do papel
Dislexia   um estranho no outro lado do papelDislexia   um estranho no outro lado do papel
Dislexia um estranho no outro lado do papel
 
Dislexia um estranho no outro lado do papel
Dislexia   um estranho no outro lado do papelDislexia   um estranho no outro lado do papel
Dislexia um estranho no outro lado do papel
 
Dislexia um estranho no outro lado do papel
Dislexia   um estranho no outro lado do papelDislexia   um estranho no outro lado do papel
Dislexia um estranho no outro lado do papel
 
10 coisas que todo mundo deve saber sobre síndrome de down
10 coisas que todo mundo deve saber sobre síndrome de down10 coisas que todo mundo deve saber sobre síndrome de down
10 coisas que todo mundo deve saber sobre síndrome de down
 
Manual Novos Rumos
Manual Novos RumosManual Novos Rumos
Manual Novos Rumos
 
Cartilha como lidar com as deficiencias
Cartilha como lidar com as deficienciasCartilha como lidar com as deficiencias
Cartilha como lidar com as deficiencias
 
Curso de libras_-_graciele
Curso de libras_-_gracieleCurso de libras_-_graciele
Curso de libras_-_graciele
 
14 afirmações sobre a síndrome de down
14 afirmações sobre a síndrome de down14 afirmações sobre a síndrome de down
14 afirmações sobre a síndrome de down
 
Portadores de necessidades especiais ( pne’s)
Portadores de necessidades especiais ( pne’s)Portadores de necessidades especiais ( pne’s)
Portadores de necessidades especiais ( pne’s)
 

Mais de Paula Pereira

Livrodosdesejos
LivrodosdesejosLivrodosdesejos
Livrodosdesejos
Paula Pereira
 
Testelivro
TestelivroTestelivro
Testelivro
Paula Pereira
 
Mensagem+1+dia++ +2+aluno+problema
Mensagem+1+dia++ +2+aluno+problemaMensagem+1+dia++ +2+aluno+problema
Mensagem+1+dia++ +2+aluno+problema
Paula Pereira
 
PREMIO NACIONAL DE REFERENCIA EM GESTÃO 2014
PREMIO NACIONAL DE REFERENCIA EM GESTÃO 2014PREMIO NACIONAL DE REFERENCIA EM GESTÃO 2014
PREMIO NACIONAL DE REFERENCIA EM GESTÃO 2014
Paula Pereira
 
Roma 090507125559-phpapp01
Roma 090507125559-phpapp01Roma 090507125559-phpapp01
Roma 090507125559-phpapp01
Paula Pereira
 
Nte
NteNte
Tecnologia Assistiva
Tecnologia AssistivaTecnologia Assistiva
Tecnologia Assistiva
Paula Pereira
 
Tempo Integral
Tempo IntegralTempo Integral
Tempo Integral
Paula Pereira
 
Sb ensino medio para blog
Sb   ensino medio  para blogSb   ensino medio  para blog
Sb ensino medio para blog
Paula Pereira
 
Caderno de boas práticas tempo integral
Caderno de boas práticas tempo integralCaderno de boas práticas tempo integral
Caderno de boas práticas tempo integral
Paula Pereira
 
Curso de Manutenção Preventiva
Curso de Manutenção PreventivaCurso de Manutenção Preventiva
Curso de Manutenção Preventiva
Paula Pereira
 

Mais de Paula Pereira (11)

Livrodosdesejos
LivrodosdesejosLivrodosdesejos
Livrodosdesejos
 
Testelivro
TestelivroTestelivro
Testelivro
 
Mensagem+1+dia++ +2+aluno+problema
Mensagem+1+dia++ +2+aluno+problemaMensagem+1+dia++ +2+aluno+problema
Mensagem+1+dia++ +2+aluno+problema
 
PREMIO NACIONAL DE REFERENCIA EM GESTÃO 2014
PREMIO NACIONAL DE REFERENCIA EM GESTÃO 2014PREMIO NACIONAL DE REFERENCIA EM GESTÃO 2014
PREMIO NACIONAL DE REFERENCIA EM GESTÃO 2014
 
Roma 090507125559-phpapp01
Roma 090507125559-phpapp01Roma 090507125559-phpapp01
Roma 090507125559-phpapp01
 
Nte
NteNte
Nte
 
Tecnologia Assistiva
Tecnologia AssistivaTecnologia Assistiva
Tecnologia Assistiva
 
Tempo Integral
Tempo IntegralTempo Integral
Tempo Integral
 
Sb ensino medio para blog
Sb   ensino medio  para blogSb   ensino medio  para blog
Sb ensino medio para blog
 
Caderno de boas práticas tempo integral
Caderno de boas práticas tempo integralCaderno de boas práticas tempo integral
Caderno de boas práticas tempo integral
 
Curso de Manutenção Preventiva
Curso de Manutenção PreventivaCurso de Manutenção Preventiva
Curso de Manutenção Preventiva
 

Último

347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
DanielCastro80471
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
NatySousa3
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
AdrianoMontagna1
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Centro Jacques Delors
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
carlaslr1
 
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
IslanderAndrade
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
jbellas2
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Mary Alvarenga
 

Último (20)

347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
 
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
 

Terminologia

  • 1.
  • 3. Usar ou não usar termos técnicos corretamente não é uma mera questão semântica ou sem importância, se desejamos falar ou escrever construtivamente, numa perspectiva inclusiva, sobre qualquer assunto de cunho humano. E a terminologia correta é especialmente importante quando abordamos assuntos tradicionalmente eivados de preconceitos, estigmas e estereótipos, como é o caso das deficiências que aproximadamente 14,5% da população brasileira possuem. Os termos são considerados corretos em função de certos valores e conceitos vigentes em cada sociedade e em cada época. Assim, eles passam a ser incorretos quando esses valores e conceitos vão sendo substituídos por outros, o que exige o uso de outras palavras. O maior problema decorrente do uso de termos incorretos reside no fato de os conceitos obsoletos, as idéias equivocadas e as informações inexatas serem inadvertidamente reforçados e perpetuados.
  • 4. Veja algumas expressões incorretas seguidas de comentários e dos equivalentes termos corretos, frases corretas e grafias corretas.
  • 5. 1. adolescente normal Desejando referir-se a um adolescente (uma criança ou um adulto) que não possua uma deficiência, muitas pessoas usam as expressões adolescente normal, criança normal e adulto normal. Isto acontecia muito no passado, quando a desinformação e o preconceito a respeito de pessoas com deficiência eram de tamanha magnitude que a sociedade acreditava na normalidade das pessoas sem deficiência. Esta crença fundamentava-se na idéia de que era anormal a pessoa que tivesse uma deficiência. A normalidade, em relação a pessoas, é um conceito questionável e ultrapassado. TERMOS CORRETOS: adolescente (criança, adulto) sem deficiência ou, ainda, adolescente (criança, adulto) não-deficiente.
  • 6. 2. aleijado; defeituoso; incapacitado; inválido Estes termos eram utilizados com freqüência até a década de 80. A partir de 1981, por influência do Ano Internacional das Pessoas Deficientes, começa-se a escrever e falar pela primeira vez a expressão pessoa deficiente. O acréscimo da palavra pessoa, passando o vocábulo deficiente para a função de adjetivo, foi uma grande novidade na época. No início, houve reações de surpresa e espanto diante da palavra pessoa: “Puxa, os deficientes são pessoas!?” Aos poucos, entrou em uso a expressão pessoa portadora de deficiência, freqüentemente reduzida para portadores de deficiência. Por volta da metade da década de 90, entrou em uso a expressão pessoas com deficiência, que permanece até os dias de hoje. 3. “apesar de deficiente, ele é um ótimo aluno” Na frase acima há um preconceito embutido: ‘A pessoa com deficiência não pode ser um ótimo aluno’. FRASE CORRETA: “ele tem deficiência e é um ótimo aluno”.
  • 7. 4. “aquela criança não é inteligente” Todas as pessoas são inteligentes, segundo a Teoria das Inteligências Múltiplas. Até o presente, foi comprovada a existência de nove tipos de inteligência: lógicomatemática, verballingüística, interpessoal, intrapessoal, musical, naturalista, corporal-cinestésica e visual-espacial (GARDNER, 2000). Consultar ANTUNES (1998, 1999). FRASE CORRETA: “aquela criança é menos desenvolvida na inteligência [por ex.] lógicomatemática”. 5. cadeira de rodas elétrica Trata-se de uma cadeira de rodas equipada com um motor. TERMO CORRETO: cadeira de rodas motorizada. 6. Ceguinho O diminutivo ceguinho denota que o cego não é tido como uma pessoa completa. TERMOS CORRETOS: cego; pessoa cega; pessoa com deficiência visual.
  • 8. 7. classe normal TERMOS CORRETOS: classe comum; classe regular. No futuro, quando todas as escolas se tornarem inclusivas, bastará o uso da palavra classe sem adjetivá-la. 8. criança excepcional TERMOS CORRETOS: criança com deficiência intelectual 9. defeituoso físico Defeituoso, aleijado e inválido são palavras muito antigas e eram utilizadas com freqüência até o final da década de 70. O termo deficiente, quando usado como substantivo (por ex., o deficiente físico), está caindo em desuso. TERMO CORRETO: pessoa com deficiência física.
  • 9. 10. deficientes físicos (quando se referir a pessoas com qualquer tipo de deficiência). TERMO CORRETO: pessoas com deficiência (sem especificar o tipo de deficiência). 11. deficiência mental leve, moderada, severa, profunda TERMO CORRETO: deficiência intelectual (sem especificar nível de comprometimento). 12. deficiente mental (quando se referir a uma pessoa com transtorno mental) TERMOS CORRETOS: pessoa com transtorno mental, paciente psiquiátrico. Consultar BRASIL (2001), “lei sobre os direitos das pessoas com transtorno mental. 13. doente mental (quando se referir a uma pessoa com deficiência intelectual) TERMO CORRETO: pessoa com deficiência intelectual
  • 10. 14. “ela é cega mas mora sozinha” Na frase acima há um preconceito embutido: ‘Todo cego não é capaz de morar sozinho’. FRASE CORRETA: “ela é cega e mora sozinha” 15. “ela é retardada mental mas é uma atleta excepcional” Na frase acima há um preconceito embutido: ‘Toda pessoa com deficiência mental não tem capacidade para ser atleta’. FRASE CORRETA: “ela tem deficiência mental [intelectual] e se destaca como atleta” 16. “ela foi vítima de paralisia infantil” A poliomielite já ocorreu nesta pessoa (por ex., ‘ela teve pólio’). Enquanto a pessoa estiver viva, ela tem seqüela de poliomielite. A palavra vítima provoca sentimento de piedade. FRASES CORRETAS: “ela teve [flexão no passado] paralisia infantil” e/ou “ela tem [flexão no presente] seqüela de paralisia infantil”. 17. “ela teve paralisia cerebral” (quando se referir a uma pessoa viva no presente) A paralisa cerebral permanece com a pessoa por toda a vida. FRASE CORRETA: “ela tem paralisia cerebral”.
  • 11. 18. escola normal No futuro, quando todas as escolas se tornarem inclusivas, bastará o uso da palavra escola sem adjetivá-la. TERMOS CORRETOS: escola comum; escola regular. 19. “infelizmente, meu primeiro filho é deficiente; mas o segundo é normal” A normalidade, em relação a pessoas, é um conceito questionável, ultrapassado. E a palavra infelizmente reflete o que a mãe pensa da deficiência do primeiro filho: ‘uma coisa ruim’. FRASE CORRETA: “tenho dois filhos: o primeiro tem deficiência e o segundo não tem”. 20. inválido (quando se referir a uma pessoa que tenha uma deficiência) A palavra inválido significa sem valor. Assim eram consideradas as pessoas com deficiência desde a Antiguidade até o final da Segunda Guerra Mundial. TERMO CORRETO: pessoa com deficiência.
  • 12. 21-mudinho Quando se refere ao surdo, a palavra mudo não corresponde à realidade dessa pessoa. O diminutivo mudinho denota que o surdo não é tido como uma pessoa completa. TERMOS CORRETOS: surdo; pessoa surda; pessoa com deficiência auditiva. Há casos de pessoas que ouvem (portanto, não são mudas) mas têm um distúrbio da fala (ou deficiência da fala) e, em decorrência disso, não falam. 22. necessidades educativas especiais TERMO CORRETO: necessidades educacionais especiais. “A palavra educativo significa algo que educa. Ora, necessidades não educam; elas são educacionais, ou seja, concernentes à educação” (SASSAKI, 1999). 23. pessoa surda-muda GRAFIAS CORRETAS: pessoa surda ou, dependendo do caso, pessoa com deficiência auditiva. Quando se refere ao surdo, a palavra mudo não corresponde à realidade dessa pessoa. 24. surdinho TERMOS CORRETOS: surdo; pessoa surda; pessoa com deficiência auditiva. O diminutivo surdinho denota que o surdo não é tido como uma pessoa completa. Os próprios cegos gostam de ser chamados cegos e os surdos de surdos, embora eles não descartem os termos pessoas cegas e pessoas surdas
  • 13. “A importância de levar ao público a terminologia correta para uso na abordagem de assuntos de deficiência é desencorajar práticas discriminatórias é construir uma verdadeira sociedade inclusiva”. Romeu Kazumi Sassaki Obrigada a todos!!!!