SlideShare uma empresa Scribd logo
TEORIA DA APRENDIZAGEM SOCIAL
(SOCIAL COGNITIVA)
Desenvolvimento Humano I
“O aprendizado seria excessivamente trabalhoso, para não
mencionar perigoso, se as pessoas dependessem somente
dos efeitos de suas próprias ações para informá-las sobre o
que fazer. Por sorte, a maior parte do comportamento humano
é aprendido pela observação através da modelagem. Pela
observação dos outros, uma pessoa forma uma ideia de como
novos comportamentos são executados e, em ocasiões
posteriores, esta informação codificada serve como um guia
para a ação.”
(Bandura, 1977, p22)
AUTOR – ALBERT BANDURA
 Canadense
 Escola Behaviorista
 Diferenciou-se pela valorização dos
PROCESSOS COGNITIVOS
 Elaborou a teoria da APRENDIZAGEM
OBSERVACIONAL (ou Aprendizagem
Social)
APRENDIZAGEM OBSERVACIONAL
 Aprendizagem de novas respostas por meio
da observação de outras pessoas.
CONCEITOS ENVOLVIDOS NA TEORIA
 REFORÇO VICARIANTE
 MODELAGEM ou MODELAÇÃO
 PROCESSOS COGNITIVOS
 AUTO REFORÇO
 AUTO EFICÁCIA
APRENDIZAGEM
 DIRETA/ATIVA – aquisições por recompensa
ou castigo, consequências positivas ou
negativas de um ato que o sujeito pratica;
 INDIRETA/ VICARIANTE – observação de
um modelo cujo comportamento foi
reforçado. Imitação do comportamento em
situações posteriores;
REFORÇO VICARIANTE
 Aprendizado ou fortalecimento de uma
RESPOSTA por meio da OBSERVAÇÃO
DAS CONSEQUÊNCIAS de tal
comportamento.
MODELAÇÃO OU MODELAGEM
 Diferente do Behaviorismo, modelagem
significa MODIFICAÇÃO do
comportamento a partir da
OBSERVAÇÃO do comportamento de
outras pessoas.
MODELAÇÃO
MODELAGEM
 Três fatores influenciam no processo de
modelagem:
1. Características dos modelos;
2. Características dos observadores;
3. Consequências associadas aos
comportamentos.
MODELAGEM
 Aspecto:
- Características dos modelos:
1. Semelhança: pessoas semelhantes a
elas mesmas
2. idade e sexo
3. status e prestígio
MODELAGEM
 Aspecto:
- Características dos observadores:
 Auto Estima
 Reforço
MODELAGEM
 Aspecto:
- Consequências associadas aos
comportamentos:
 Reforço Vicário aumenta a
possibilidade de imitar
comportamento;
 Punição diminui
PROCESSOS COGNITIVOS
Atenção;
Retenção;
Produção;
Incentivo e motivação.
ATENÇÃO
Alta Probabilidade
Baixa Probalidade
Atenção
Probabilidade de imitação
RETENÇÃO
OBSERVAR
CODIFICA
R
REPRESENTAR
SIMBOLICAMENTE
VisuaisVerbais
PRODUÇÃO
 PRÁTICA
INCENTIVO E MOTIVAÇÃO
 Para Bandura não há execução de
comportamento sem que haja motivação.
A motivação tem duas fontes principais:
Antecipação das consequências
gratificantes (reforçadoras);
Antecipação do afastamento das
consequências punitivas.
AUTO REFORÇO
 Administração de recompensas ou punições:
 TANGÍVEIS
 INTANGÍVEIS
Recompensa
Punição
Recompensa
Punição
AUTO EFICÁCIA
 Significa o nosso sentimento de adequação,
eficácia e competência para lidarmos com a
vida.
Com baixa auto eficácia Com alta auto eficácia
Sentem-se incapazes de lidar com
os problemas da vida
Sentem que podem lidar com as
situações satisfatoriamente
Não confiam em sua capacidade Confiam em sua capacidade
Desistem rapidamente Perseveram em suas tarefas
Veem dificuldades como ameaças Veem dificuldades como desafios
AUTO EFICÁCIA
 Fontes sobre a auto eficácia:
 Aquisição de desempenho;
 Experiências Vicariantes;
 Persuasão Verbal;
 Estimulação fisiológica e emocional.
AUTO EFICÁCIA
 Aquisição de desempenho
Experiências prévias de sucesso oferecem
indicações sobre o nível de competência.
Realizações Fracassos Prévios
Fortalecem a auto eficácia Diminuem a auto eficácia
AUTO EFICÁCIA
 Experiências Vicariantes
Ver outras pessoas apresentarem um bom
desempenho, fortalecem a auto eficácia,
especialmente se o modelo em questão for
semelhante ao observador.
AUTO EFICÁCIA
 Persuasão Verbal
Lembrar as pessoas que elas possuem
capacidade de alcançar o que querem
aumenta a auto eficácia.
AUTO EFICÁCIA
 Estimulação fisiológica e emocional
Medo, ansiedade e estresse afeta diretamente
a forma do indivíduo avaliar sua capacidade de
administrar a situação da qual ele se encontra,
reduzindo a auto eficácia.
AUTO EFICÁCIA
 Condições que aumentam a auto eficácia:
 Expor as pessoas a experiências bem
sucedidas, estabelecendo objetivos
alcançáveis;
 Expor as pessoas a modelos adequados e
bem sucedidos (Experiências Vicariantes);
 Oferecer persuasão verbal;
 Estimular a fisiologia: prática de exercícios
físicos, dieta apropriada, redução de
estresse.
RESUMINDO
 A teoria da aprendizagem social enfoca o
comportamento manifesto;
 Difere do Behaviorismo radical, principalmente
pela adoção dos processos internos (cognitivos);
 Considera o ser humano determinante de suas
ações e comportamentos;
 Estuda como as pessoas aprendem a partir de
modelos;
 Estuda como as pessoas se comportam frente as
situações, considerando os processos de:
- Auto Reforço
- Auto Eficácia
BIBLIOGRAFIA
 SCHULTZ, Duane P. & SCHULTZ, Sydney Ellen. História da
Psicologia Moderna, 10ª Edição: São Paulo, Cengace Learning,
2014.
 GAZZANIJA, Michael S. Ciência Psicológica: mente, cérebro e
comportamento, Porto Alegre, Artmed, 2005
 BIAGGIO, Ângela M. Brasil. Psicologia do desenvolvimento,
18ª Edição: Petrópolis, Vozes, 2005
 MANFRÉ, Eduardo. Psicologia e teorias psicológicas.
Em:<http://pt.slideshare.net/EduardoManfr/albert-bandura-teoria-
da-aprendizagem-social>. Acesso em 06/10/2015
http://www.portaleducacao.com.br/educacao/artigos/37930/bandu
ra-e-a-aprendizagem-social-psicologia-da-
educacao#ixzz3nrMHegvG
 http://www.efdeportes.com/efd145/teoria-social-cognitiva-de-
albert-bandura.htm
 https://www.youtube.com/watch?v=wsU9gs7r1EM

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Behaviorismo
BehaviorismoBehaviorismo
Behaviorismo
Rafaela Souza Do Vale
 
Origens históricas do behaviorismo
Origens históricas do behaviorismoOrigens históricas do behaviorismo
Origens históricas do behaviorismo
Caio Maximino
 
Behaviorismo
Behaviorismo Behaviorismo
Behaviorismo
Profissão Professor
 
Psicopatologia 1
Psicopatologia 1Psicopatologia 1
Psicopatologia 1
Victor Nóbrega
 
Aprendizagem no Condicionamento Operante
Aprendizagem no Condicionamento OperanteAprendizagem no Condicionamento Operante
Aprendizagem no Condicionamento Operante
CatarinaNeivas
 
Behaviorismo - História Filosofia
Behaviorismo - História FilosofiaBehaviorismo - História Filosofia
Behaviorismo - História Filosofia
Nilson Dias Castelano
 
Regrasx contingências
Regrasx contingênciasRegrasx contingências
Regrasx contingências
Nilson Dias Castelano
 
Factores e processos aprendizagem 1
Factores e processos aprendizagem 1Factores e processos aprendizagem 1
Factores e processos aprendizagem 1
CENORF
 
A motivação
A motivaçãoA motivação
A motivação
psicologiaazambuja
 
Aula de dinâmica de grupos
Aula de dinâmica de gruposAula de dinâmica de grupos
Aula de dinâmica de grupos
Rudolf Rotchild Costa Cavalcante
 
Representações Sociais
Representações SociaisRepresentações Sociais
Representações Sociais
Sara Afonso
 
António Damásio
António Damásio  António Damásio
António Damásio
filosofia-alijo
 
Teoria do apego john bowlby
Teoria do apego    john bowlbyTeoria do apego    john bowlby
Teoria do apego john bowlby
Aclecio Dantas
 
Albert Bandura
Albert BanduraAlbert Bandura
Albert Bandura
guest1c4ced
 
Princípios de análise do comportamento
Princípios de análise do comportamentoPrincípios de análise do comportamento
Princípios de análise do comportamento
carolmorbach
 
Teoria de Albert Bandura
Teoria de Albert BanduraTeoria de Albert Bandura
Teoria de Albert Bandura
Amália Beims
 
O Behaviorismo
O BehaviorismoO Behaviorismo
O Behaviorismo
oseas1234
 
Conceito motivacional e_ciclo_motivacional
Conceito motivacional e_ciclo_motivacionalConceito motivacional e_ciclo_motivacional
Conceito motivacional e_ciclo_motivacional
Lorredana Pereira
 
Atitudes - Psicologia
Atitudes - PsicologiaAtitudes - Psicologia
Atitudes - Psicologia
Sara Afonso
 
O conformismo
O conformismoO conformismo

Mais procurados (20)

Behaviorismo
BehaviorismoBehaviorismo
Behaviorismo
 
Origens históricas do behaviorismo
Origens históricas do behaviorismoOrigens históricas do behaviorismo
Origens históricas do behaviorismo
 
Behaviorismo
Behaviorismo Behaviorismo
Behaviorismo
 
Psicopatologia 1
Psicopatologia 1Psicopatologia 1
Psicopatologia 1
 
Aprendizagem no Condicionamento Operante
Aprendizagem no Condicionamento OperanteAprendizagem no Condicionamento Operante
Aprendizagem no Condicionamento Operante
 
Behaviorismo - História Filosofia
Behaviorismo - História FilosofiaBehaviorismo - História Filosofia
Behaviorismo - História Filosofia
 
Regrasx contingências
Regrasx contingênciasRegrasx contingências
Regrasx contingências
 
Factores e processos aprendizagem 1
Factores e processos aprendizagem 1Factores e processos aprendizagem 1
Factores e processos aprendizagem 1
 
A motivação
A motivaçãoA motivação
A motivação
 
Aula de dinâmica de grupos
Aula de dinâmica de gruposAula de dinâmica de grupos
Aula de dinâmica de grupos
 
Representações Sociais
Representações SociaisRepresentações Sociais
Representações Sociais
 
António Damásio
António Damásio  António Damásio
António Damásio
 
Teoria do apego john bowlby
Teoria do apego    john bowlbyTeoria do apego    john bowlby
Teoria do apego john bowlby
 
Albert Bandura
Albert BanduraAlbert Bandura
Albert Bandura
 
Princípios de análise do comportamento
Princípios de análise do comportamentoPrincípios de análise do comportamento
Princípios de análise do comportamento
 
Teoria de Albert Bandura
Teoria de Albert BanduraTeoria de Albert Bandura
Teoria de Albert Bandura
 
O Behaviorismo
O BehaviorismoO Behaviorismo
O Behaviorismo
 
Conceito motivacional e_ciclo_motivacional
Conceito motivacional e_ciclo_motivacionalConceito motivacional e_ciclo_motivacional
Conceito motivacional e_ciclo_motivacional
 
Atitudes - Psicologia
Atitudes - PsicologiaAtitudes - Psicologia
Atitudes - Psicologia
 
O conformismo
O conformismoO conformismo
O conformismo
 

Destaque

TEORIA DE BANDURA
TEORIA DE BANDURATEORIA DE BANDURA
TEORIA DE BANDURA
Angel Polo
 
Albert Bandura
Albert BanduraAlbert Bandura
Albert Bandura
carolina
 
Modificação do Comportamento - Bandura
Modificação do Comportamento - BanduraModificação do Comportamento - Bandura
Modificação do Comportamento - Bandura
Paula Prata
 
Aprendizaje social de Albert Bandura
Aprendizaje social de Albert BanduraAprendizaje social de Albert Bandura
Aprendizaje social de Albert Bandura
SoniiMuua
 
Aprendizagem
AprendizagemAprendizagem
Aprendizagem
pirolitas
 
Mapa conceitual
Mapa conceitualMapa conceitual
Mapa conceitual
Alba Pasqualina Gravina
 
TEORIA DE DESENVOLVIMENTO MORA
TEORIA DE DESENVOLVIMENTO MORA TEORIA DE DESENVOLVIMENTO MORA
TEORIA DE DESENVOLVIMENTO MORA
Arlindo Nascimento Rocha - "Oficina Acadêmica"
 
aprendizaje-social-de-bandura-ppt
aprendizaje-social-de-bandura-pptaprendizaje-social-de-bandura-ppt
aprendizaje-social-de-bandura-ppt
Carolina Rendón Rojas
 
Teoría Aprendizaje Social
Teoría Aprendizaje SocialTeoría Aprendizaje Social
Teoría Aprendizaje Social
Laura Rodríguez Provenzano
 
Bandura
BanduraBandura
Bandura
guest1d8e602
 
O potencial dos mecanismos de comunicação cromáticos no âmbito das indús...
O potencial dos mecanismos de comunicação cromáticos no âmbito das indús...O potencial dos mecanismos de comunicação cromáticos no âmbito das indús...
O potencial dos mecanismos de comunicação cromáticos no âmbito das indús...
Joana Cerejo
 
Balanço de Fontes e Aplicações de Fundos
Balanço de Fontes e Aplicações de FundosBalanço de Fontes e Aplicações de Fundos
Balanço de Fontes e Aplicações de Fundos
Martinho Doce
 
I encontro pedagógico administrativo 2012
I encontro pedagógico administrativo 2012I encontro pedagógico administrativo 2012
I encontro pedagógico administrativo 2012
Escola Figueiredo Correia
 
aprendizagem ativa
aprendizagem ativaaprendizagem ativa
aprendizagem ativa
joao jose saraiva da fonseca
 
Erik erikson - Desenvolvimento Psicossocial
Erik erikson - Desenvolvimento PsicossocialErik erikson - Desenvolvimento Psicossocial
Erik erikson - Desenvolvimento Psicossocial
marta12l
 
Educação física e motivação
Educação física e motivaçãoEducação física e motivação
Educação física e motivação
Anastácio Martins Nepomuceno Júnior
 
Algumas diferenças perante a educação e a formação
Algumas diferenças perante a educação e a formaçãoAlgumas diferenças perante a educação e a formação
Algumas diferenças perante a educação e a formação
Marta Teixeira
 
TEORIA DA APRENDIZAGEM MULTIMÉDIA E ANÁLISE DO EFEITO DE MODALIDADE
TEORIA DA APRENDIZAGEM MULTIMÉDIA E ANÁLISE DO EFEITO DE MODALIDADETEORIA DA APRENDIZAGEM MULTIMÉDIA E ANÁLISE DO EFEITO DE MODALIDADE
TEORIA DA APRENDIZAGEM MULTIMÉDIA E ANÁLISE DO EFEITO DE MODALIDADE
Sérgio Lagoa
 
Conflitos de valores
Conflitos de valoresConflitos de valores
Conflitos de valores
Universidade Pedagogica
 
Esquema de reforçamento
Esquema de reforçamentoEsquema de reforçamento
Esquema de reforçamento
Tiago Malta
 

Destaque (20)

TEORIA DE BANDURA
TEORIA DE BANDURATEORIA DE BANDURA
TEORIA DE BANDURA
 
Albert Bandura
Albert BanduraAlbert Bandura
Albert Bandura
 
Modificação do Comportamento - Bandura
Modificação do Comportamento - BanduraModificação do Comportamento - Bandura
Modificação do Comportamento - Bandura
 
Aprendizaje social de Albert Bandura
Aprendizaje social de Albert BanduraAprendizaje social de Albert Bandura
Aprendizaje social de Albert Bandura
 
Aprendizagem
AprendizagemAprendizagem
Aprendizagem
 
Mapa conceitual
Mapa conceitualMapa conceitual
Mapa conceitual
 
TEORIA DE DESENVOLVIMENTO MORA
TEORIA DE DESENVOLVIMENTO MORA TEORIA DE DESENVOLVIMENTO MORA
TEORIA DE DESENVOLVIMENTO MORA
 
aprendizaje-social-de-bandura-ppt
aprendizaje-social-de-bandura-pptaprendizaje-social-de-bandura-ppt
aprendizaje-social-de-bandura-ppt
 
Teoría Aprendizaje Social
Teoría Aprendizaje SocialTeoría Aprendizaje Social
Teoría Aprendizaje Social
 
Bandura
BanduraBandura
Bandura
 
O potencial dos mecanismos de comunicação cromáticos no âmbito das indús...
O potencial dos mecanismos de comunicação cromáticos no âmbito das indús...O potencial dos mecanismos de comunicação cromáticos no âmbito das indús...
O potencial dos mecanismos de comunicação cromáticos no âmbito das indús...
 
Balanço de Fontes e Aplicações de Fundos
Balanço de Fontes e Aplicações de FundosBalanço de Fontes e Aplicações de Fundos
Balanço de Fontes e Aplicações de Fundos
 
I encontro pedagógico administrativo 2012
I encontro pedagógico administrativo 2012I encontro pedagógico administrativo 2012
I encontro pedagógico administrativo 2012
 
aprendizagem ativa
aprendizagem ativaaprendizagem ativa
aprendizagem ativa
 
Erik erikson - Desenvolvimento Psicossocial
Erik erikson - Desenvolvimento PsicossocialErik erikson - Desenvolvimento Psicossocial
Erik erikson - Desenvolvimento Psicossocial
 
Educação física e motivação
Educação física e motivaçãoEducação física e motivação
Educação física e motivação
 
Algumas diferenças perante a educação e a formação
Algumas diferenças perante a educação e a formaçãoAlgumas diferenças perante a educação e a formação
Algumas diferenças perante a educação e a formação
 
TEORIA DA APRENDIZAGEM MULTIMÉDIA E ANÁLISE DO EFEITO DE MODALIDADE
TEORIA DA APRENDIZAGEM MULTIMÉDIA E ANÁLISE DO EFEITO DE MODALIDADETEORIA DA APRENDIZAGEM MULTIMÉDIA E ANÁLISE DO EFEITO DE MODALIDADE
TEORIA DA APRENDIZAGEM MULTIMÉDIA E ANÁLISE DO EFEITO DE MODALIDADE
 
Conflitos de valores
Conflitos de valoresConflitos de valores
Conflitos de valores
 
Esquema de reforçamento
Esquema de reforçamentoEsquema de reforçamento
Esquema de reforçamento
 

Semelhante a Teoria da Aprendizagem Socio-Cognitiva

Aula Avaliação de Desempenho 4
Aula Avaliação de Desempenho 4Aula Avaliação de Desempenho 4
Aula Avaliação de Desempenho 4
Juliana Baino
 
Aula 03 (1ºsem) 2013 Comportamento Humano nas Organizações
Aula 03 (1ºsem) 2013   Comportamento Humano nas OrganizaçõesAula 03 (1ºsem) 2013   Comportamento Humano nas Organizações
Aula 03 (1ºsem) 2013 Comportamento Humano nas Organizações
admunip2013
 
TEORIA DA APRENDIZAGEM POR MODELAGEM.docx
TEORIA DA APRENDIZAGEM POR MODELAGEM.docxTEORIA DA APRENDIZAGEM POR MODELAGEM.docx
TEORIA DA APRENDIZAGEM POR MODELAGEM.docx
MrioMabunda1
 
behaviorismo.pptx
behaviorismo.pptxbehaviorismo.pptx
behaviorismo.pptx
LinaKelly3
 
Aula 01 - Skinner condicionamento e aprendizagem.pptx
Aula 01 - Skinner condicionamento e aprendizagem.pptxAula 01 - Skinner condicionamento e aprendizagem.pptx
Aula 01 - Skinner condicionamento e aprendizagem.pptx
CndidaPsi
 
Mente humana 4
Mente humana 4Mente humana 4
Mente humana 4
Jorge Barbosa
 
Motivação
MotivaçãoMotivação
Motivação
Felipe Pouchucq
 
Bandura
BanduraBandura
Bandura
celio correa
 
comunicação e conflitos.ppt,,,,,,,,,,,,,,
comunicação e conflitos.ppt,,,,,,,,,,,,,,comunicação e conflitos.ppt,,,,,,,,,,,,,,
comunicação e conflitos.ppt,,,,,,,,,,,,,,
rybajacinta
 
Aprendizagem 12º3
Aprendizagem 12º3Aprendizagem 12º3
Aprendizagem 12º3
Rolando Almeida
 
Seminário de pisicologia
Seminário de pisicologiaSeminário de pisicologia
Seminário de pisicologia
Diego Mancilla
 
Motivação
MotivaçãoMotivação
Motivação
Lorena Palombini
 
Aula_2_-_Psicologia_Comportamental.pptx.pdf
Aula_2_-_Psicologia_Comportamental.pptx.pdfAula_2_-_Psicologia_Comportamental.pptx.pdf
Aula_2_-_Psicologia_Comportamental.pptx.pdf
eriksilva4587
 
A aprendizagem.pptx
A aprendizagem.pptxA aprendizagem.pptx
A aprendizagem.pptx
JakelineAvelino
 
bandura (2).pptx
bandura (2).pptxbandura (2).pptx
bandura (2).pptx
ssuser85565a
 
Aula12
Aula12Aula12
Aprendizagem e memória
Aprendizagem e memóriaAprendizagem e memória
Aprendizagem e memória
CENSUPEG-PÓS GRADUAÇÃO-JUQUIÁ-SP
 
Teoria do Behaviorismo de Skinner
Teoria do Behaviorismo de SkinnerTeoria do Behaviorismo de Skinner
Teoria do Behaviorismo de Skinner
Eduardo Petrucci
 
ATIVIDADE 2 - PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL - ok.pdf
ATIVIDADE 2 - PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL - ok.pdfATIVIDADE 2 - PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL - ok.pdf
ATIVIDADE 2 - PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL - ok.pdf
Colaborar Educacional
 
ppt-1-avaliac3a7c3a3o-da-aprendizagem.ppt
ppt-1-avaliac3a7c3a3o-da-aprendizagem.pptppt-1-avaliac3a7c3a3o-da-aprendizagem.ppt
ppt-1-avaliac3a7c3a3o-da-aprendizagem.ppt
Luanngelo
 

Semelhante a Teoria da Aprendizagem Socio-Cognitiva (20)

Aula Avaliação de Desempenho 4
Aula Avaliação de Desempenho 4Aula Avaliação de Desempenho 4
Aula Avaliação de Desempenho 4
 
Aula 03 (1ºsem) 2013 Comportamento Humano nas Organizações
Aula 03 (1ºsem) 2013   Comportamento Humano nas OrganizaçõesAula 03 (1ºsem) 2013   Comportamento Humano nas Organizações
Aula 03 (1ºsem) 2013 Comportamento Humano nas Organizações
 
TEORIA DA APRENDIZAGEM POR MODELAGEM.docx
TEORIA DA APRENDIZAGEM POR MODELAGEM.docxTEORIA DA APRENDIZAGEM POR MODELAGEM.docx
TEORIA DA APRENDIZAGEM POR MODELAGEM.docx
 
behaviorismo.pptx
behaviorismo.pptxbehaviorismo.pptx
behaviorismo.pptx
 
Aula 01 - Skinner condicionamento e aprendizagem.pptx
Aula 01 - Skinner condicionamento e aprendizagem.pptxAula 01 - Skinner condicionamento e aprendizagem.pptx
Aula 01 - Skinner condicionamento e aprendizagem.pptx
 
Mente humana 4
Mente humana 4Mente humana 4
Mente humana 4
 
Motivação
MotivaçãoMotivação
Motivação
 
Bandura
BanduraBandura
Bandura
 
comunicação e conflitos.ppt,,,,,,,,,,,,,,
comunicação e conflitos.ppt,,,,,,,,,,,,,,comunicação e conflitos.ppt,,,,,,,,,,,,,,
comunicação e conflitos.ppt,,,,,,,,,,,,,,
 
Aprendizagem 12º3
Aprendizagem 12º3Aprendizagem 12º3
Aprendizagem 12º3
 
Seminário de pisicologia
Seminário de pisicologiaSeminário de pisicologia
Seminário de pisicologia
 
Motivação
MotivaçãoMotivação
Motivação
 
Aula_2_-_Psicologia_Comportamental.pptx.pdf
Aula_2_-_Psicologia_Comportamental.pptx.pdfAula_2_-_Psicologia_Comportamental.pptx.pdf
Aula_2_-_Psicologia_Comportamental.pptx.pdf
 
A aprendizagem.pptx
A aprendizagem.pptxA aprendizagem.pptx
A aprendizagem.pptx
 
bandura (2).pptx
bandura (2).pptxbandura (2).pptx
bandura (2).pptx
 
Aula12
Aula12Aula12
Aula12
 
Aprendizagem e memória
Aprendizagem e memóriaAprendizagem e memória
Aprendizagem e memória
 
Teoria do Behaviorismo de Skinner
Teoria do Behaviorismo de SkinnerTeoria do Behaviorismo de Skinner
Teoria do Behaviorismo de Skinner
 
ATIVIDADE 2 - PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL - ok.pdf
ATIVIDADE 2 - PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL - ok.pdfATIVIDADE 2 - PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL - ok.pdf
ATIVIDADE 2 - PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL - ok.pdf
 
ppt-1-avaliac3a7c3a3o-da-aprendizagem.ppt
ppt-1-avaliac3a7c3a3o-da-aprendizagem.pptppt-1-avaliac3a7c3a3o-da-aprendizagem.ppt
ppt-1-avaliac3a7c3a3o-da-aprendizagem.ppt
 

Último

Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa CivilSeminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
EduardoLealSilva
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
FLAVIOROBERTOGOUVEA
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFVRegistros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Yan Kayk da Cruz Ferreira
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
VictorEmanoel37
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Luzia Gabriele
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 

Último (20)

Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa CivilSeminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFVRegistros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 

Teoria da Aprendizagem Socio-Cognitiva

  • 1. TEORIA DA APRENDIZAGEM SOCIAL (SOCIAL COGNITIVA) Desenvolvimento Humano I
  • 2. “O aprendizado seria excessivamente trabalhoso, para não mencionar perigoso, se as pessoas dependessem somente dos efeitos de suas próprias ações para informá-las sobre o que fazer. Por sorte, a maior parte do comportamento humano é aprendido pela observação através da modelagem. Pela observação dos outros, uma pessoa forma uma ideia de como novos comportamentos são executados e, em ocasiões posteriores, esta informação codificada serve como um guia para a ação.” (Bandura, 1977, p22)
  • 3. AUTOR – ALBERT BANDURA  Canadense  Escola Behaviorista  Diferenciou-se pela valorização dos PROCESSOS COGNITIVOS  Elaborou a teoria da APRENDIZAGEM OBSERVACIONAL (ou Aprendizagem Social)
  • 4. APRENDIZAGEM OBSERVACIONAL  Aprendizagem de novas respostas por meio da observação de outras pessoas.
  • 5. CONCEITOS ENVOLVIDOS NA TEORIA  REFORÇO VICARIANTE  MODELAGEM ou MODELAÇÃO  PROCESSOS COGNITIVOS  AUTO REFORÇO  AUTO EFICÁCIA
  • 6. APRENDIZAGEM  DIRETA/ATIVA – aquisições por recompensa ou castigo, consequências positivas ou negativas de um ato que o sujeito pratica;  INDIRETA/ VICARIANTE – observação de um modelo cujo comportamento foi reforçado. Imitação do comportamento em situações posteriores;
  • 7. REFORÇO VICARIANTE  Aprendizado ou fortalecimento de uma RESPOSTA por meio da OBSERVAÇÃO DAS CONSEQUÊNCIAS de tal comportamento.
  • 8. MODELAÇÃO OU MODELAGEM  Diferente do Behaviorismo, modelagem significa MODIFICAÇÃO do comportamento a partir da OBSERVAÇÃO do comportamento de outras pessoas.
  • 10. MODELAGEM  Três fatores influenciam no processo de modelagem: 1. Características dos modelos; 2. Características dos observadores; 3. Consequências associadas aos comportamentos.
  • 11. MODELAGEM  Aspecto: - Características dos modelos: 1. Semelhança: pessoas semelhantes a elas mesmas 2. idade e sexo 3. status e prestígio
  • 12. MODELAGEM  Aspecto: - Características dos observadores:  Auto Estima  Reforço
  • 13. MODELAGEM  Aspecto: - Consequências associadas aos comportamentos:  Reforço Vicário aumenta a possibilidade de imitar comportamento;  Punição diminui
  • 18. INCENTIVO E MOTIVAÇÃO  Para Bandura não há execução de comportamento sem que haja motivação. A motivação tem duas fontes principais: Antecipação das consequências gratificantes (reforçadoras); Antecipação do afastamento das consequências punitivas.
  • 19. AUTO REFORÇO  Administração de recompensas ou punições:  TANGÍVEIS  INTANGÍVEIS Recompensa Punição Recompensa Punição
  • 20. AUTO EFICÁCIA  Significa o nosso sentimento de adequação, eficácia e competência para lidarmos com a vida. Com baixa auto eficácia Com alta auto eficácia Sentem-se incapazes de lidar com os problemas da vida Sentem que podem lidar com as situações satisfatoriamente Não confiam em sua capacidade Confiam em sua capacidade Desistem rapidamente Perseveram em suas tarefas Veem dificuldades como ameaças Veem dificuldades como desafios
  • 21. AUTO EFICÁCIA  Fontes sobre a auto eficácia:  Aquisição de desempenho;  Experiências Vicariantes;  Persuasão Verbal;  Estimulação fisiológica e emocional.
  • 22. AUTO EFICÁCIA  Aquisição de desempenho Experiências prévias de sucesso oferecem indicações sobre o nível de competência. Realizações Fracassos Prévios Fortalecem a auto eficácia Diminuem a auto eficácia
  • 23. AUTO EFICÁCIA  Experiências Vicariantes Ver outras pessoas apresentarem um bom desempenho, fortalecem a auto eficácia, especialmente se o modelo em questão for semelhante ao observador.
  • 24. AUTO EFICÁCIA  Persuasão Verbal Lembrar as pessoas que elas possuem capacidade de alcançar o que querem aumenta a auto eficácia.
  • 25. AUTO EFICÁCIA  Estimulação fisiológica e emocional Medo, ansiedade e estresse afeta diretamente a forma do indivíduo avaliar sua capacidade de administrar a situação da qual ele se encontra, reduzindo a auto eficácia.
  • 26. AUTO EFICÁCIA  Condições que aumentam a auto eficácia:  Expor as pessoas a experiências bem sucedidas, estabelecendo objetivos alcançáveis;  Expor as pessoas a modelos adequados e bem sucedidos (Experiências Vicariantes);  Oferecer persuasão verbal;  Estimular a fisiologia: prática de exercícios físicos, dieta apropriada, redução de estresse.
  • 27. RESUMINDO  A teoria da aprendizagem social enfoca o comportamento manifesto;  Difere do Behaviorismo radical, principalmente pela adoção dos processos internos (cognitivos);  Considera o ser humano determinante de suas ações e comportamentos;  Estuda como as pessoas aprendem a partir de modelos;  Estuda como as pessoas se comportam frente as situações, considerando os processos de: - Auto Reforço - Auto Eficácia
  • 28. BIBLIOGRAFIA  SCHULTZ, Duane P. & SCHULTZ, Sydney Ellen. História da Psicologia Moderna, 10ª Edição: São Paulo, Cengace Learning, 2014.  GAZZANIJA, Michael S. Ciência Psicológica: mente, cérebro e comportamento, Porto Alegre, Artmed, 2005  BIAGGIO, Ângela M. Brasil. Psicologia do desenvolvimento, 18ª Edição: Petrópolis, Vozes, 2005  MANFRÉ, Eduardo. Psicologia e teorias psicológicas. Em:<http://pt.slideshare.net/EduardoManfr/albert-bandura-teoria- da-aprendizagem-social>. Acesso em 06/10/2015 http://www.portaleducacao.com.br/educacao/artigos/37930/bandu ra-e-a-aprendizagem-social-psicologia-da- educacao#ixzz3nrMHegvG  http://www.efdeportes.com/efd145/teoria-social-cognitiva-de- albert-bandura.htm  https://www.youtube.com/watch?v=wsU9gs7r1EM

Notas do Editor

  1. Neste slide falar das diferenças entre behaviorismo clássico e Bandura. Para este, não é o reforço em si que produz efeito na mudança do comportamento de uma pessoa, mas o que ela pensa desse esquema.
  2. Processos cognitivos são importantes. Há a decisão deliberada e consciente de agir da mesma forma que o modelo.
  3. modelos, OBSERVANDO o comportamento de outras pessoas de mesmo sexo, idade, ou que conseguiram resolver problemas semelhantes
  4. Pessoas com auto confiança e auto estima baixas são propensas a imitar modelos/ pessoas que foram diretamente reforçadas por imitar comportamentos são + facilmente influenciadas por modelos. Ex.: criança premiada por comportar-se com o irmãos mais velho é mais susceptível a influência de modelos.
  5. Não é possível aprendizagem sem que o indivíduo esteja atento ao modelo. As características dos modelos influenciam no grau de atenção que será empregada.
  6. Indivíduos precisam lembrar-se dos aspectos significativos dos comportamentos para poderem imitá-los. /// duas formas de armazenamento são Visuais: imagens e Verbais: instruções sobre o comportamento
  7. Comportamentos mais complexos, ainda que tenha observado, prestado atenção, codificado, representado visualmente e verbalmente, não há garantia de sucesso na primeira tentativa de reprodução. A PRÁTICA calibra e consolida o que foi observado e registrado e o conduz ao desempenho correto do comportamento.
  8. A si mesmo por satisfazer, superar ou frustrar as próprias expectativas ou padrões./// Tangíveis: nota boa na prova – recompensa – ida ao cinema/// nota ruim na prova – punição – não viajar p/ estudar//// intangíveis: bom trabalho – recompensa – satisfação/// mal desempenho – punição – vergonha, culpa, depressão./// Conjunto de padrões internos a partir de modelos como nossos pais e professores./ uma vez que adotamos determinado estilo de comportamento, iniciamos um processo que dura a vida toda de comparar nosso comportamento com o deles.
  9. Conceito central em Bandura, que significa o nosso sentimento de adequação, eficácia e competência para lidarmos com a vida.
  10. Realizações aumentam a capacidade e fortalecem sentimentos de auto eficácia Fracassos prévios, particularmente repetidos na infância, diminuem a auto eficácia
  11. Muito usada por pais, professores, treinadores esportivos./ Levando em conta as tendências do indivíduo e capacidades!
  12. Quanto mais calmo o indivíduo estiver melhor será a administração das situações e desempenho desta melhor, aumentando a auto eficácia.