SlideShare uma empresa Scribd logo
EMBALAGENS   Imagina um dia sem embalagens:  ias às compras com um jarro para pôr o leite, trazias os ovos com muito cuidado na mão... Imagina o resto, imagina como é que se comprava, por exemplo, champô. Imagina que mudanças a falta de embalagens traria à tua vida.
As embalagens dão mesmo muito jeito As embalagens servem para: Conservar Quando comes atum, por exemplo, ele já pode ter sido pescado há algum tempo, mas conserva-se bem porque está dentro de uma embalagem. Transportar Imagina só transportar batatas fritas sem embalagem, ou um sumo. Era mesmo complicado... só mesmo os astronautas é que conseguem. Informar Olha bem para uma embalagem. Está lá tudo escrito: até quando pode ser consumido o produto que está lá dentro, de que é feito, quem o fez, quanto pesa...
Diversificar e distinguir Já viste o que seria num supermercado teres de escolher, entre todos os chocolates sem embalagem, o teu preferido? Proteger e arrumar As grandes embalagens, por exemplo, permitem às fábricas e aos transportadores arrumar uma grande quantidade de embalagens pequenas. Conter diferentes quantidades Se é para beber na escola levas um pacotinho de leite, se é para o pequeno-almoço da família compra-se  um pacote de um litro. Experimentar mais coisas Se não existissem embalagens, não podíamos ter aqui produtos fabricados no outro lado do mundo.
De que são feitas as embalagens   Existem 5 famílias de materiais dos quais podem ser feitas as embalagens: metal, plástico, papel, vidro e madeira. Claro que estes materiais são feitos a partir de matérias-primas diferentes.   PLÁSTICO A partir de  recursos naturais  como o petróleo, gás natural e o carvão e através de um processo químico são produzidos materiais plásticos, que são moldados por acção do calor. METAL O metal, é produzido a partir de elementos metálicos como o ferro, cobre ou alumínio, que são aquecidos num forno até atingirem o estado líquido. Depois é só dar-lhe a forma da embalagem que se pretende obter.
VIDRO O vidro é produzido a partir da fusão de areias e outros componentes, a temperaturas de cerca de 1.500ºC, seguida de arrefecimento para voltarem a um estado sólido e ficarem com a forma da embalagem que se quer fazer.  PAPEL Já o papel tem uma matéria-prima diferente: a madeira. Esta é moída e misturada com outras substâncias dando origem à pasta de papel e depois ao papel.  Esta diversidade é muito importante para que cada embalagem seja adaptada ao fim a que se destina. Imagina, por exemplo, água num saco de papel... Não podia ser! Mas todos os materiais de que são feitas as embalagens são recicláveis e para que ganhem novas vidas só depende de nós.
Uma embalagem tem muitas vidas   Reciclar é dar oportunidade a uma embalagem de viver de novo, poupando energia e matérias-primas.   Uma embalagem depois de usada pode passar a ser: um caderno; uma garrafa de vidro; uma bicicleta; uma chave... Basta que seja reciclada!
Descobre o que estas embalagens podem vir a ser …          Uma chave Uma revista Um copo   Um vaso de barro Um saco de plástico Um envelope   Uma árvore Um chapéu Um caderno Uma jarra Uma moeda Um pincel
As embalagens seguem diferentes caminhos conforme o material de que são feitas. Por isso, para as reciclar é necessário separá-las em casa e colocá-las no contentor que lhes corresponde no ecoponto.
O contentor amarelo Metal e Plástico  Para aqui vão as embalagens de plástico e metal depois de escorridas e, se possível, espalmadas. Mas é o último momento em que estão juntas; depois do ecoponto, plástico e metal seguem caminhos diferentes, pois não podem ser reciclados em conjunto.
Do ecoponto à reciclagem As embalagens de plástico  são separadas em diferentes categorias (há muitos tipos de plástico diferentes), são-lhe retirados os rótulos e as etiquetas, os resíduos são triturados, transformando-se em matéria granulada que dará origem a novos objectos: caixas, garrafas, copos, canetas e até material para a construção de carros, o que é muito útil porque quando é utilizado o plástico os carros ficam mais leves e gastam menos combustível. Quanto ao metal,  o primeiro processo também é a separação em aço e alumínio - dois tipos diferentes de metal. Depois, cada um dos tipos de metal é prensado e enfardado e vai para um forno dando origem a barras de novo metal de alta qualidade utilizado na fabricação de muitos objectos que usamos todos os dias: latas de sardinhas, latas de bebidas, etc.
Atenção ao que não deves colocar neste contentor: •  Embalagens de plástico que tenham contido gorduras,  como por exemplo, manteiga porque o custo do processo da sua lavagem faz com que não seja compensatória a reciclagem. Embalagens de plástico que tenham contido produtos tóxicos ou perigosos  e  pilhas e baterias  porque podem constituir um perigo para a saúde pública. Outros objectos de metal que não sejam embalagens,  como por exemplo,  tachos e panelas, talheres,   ferramentas e electrodomésticos  porque, para além de não serem embalagens, são constituídos por diferentes materiais e mecanismos eléctricos.
O contentor azul Papel e Cartão  Para este contentor vão, além de revistas, jornais e folhas de papel, embalagens de papel e cartão, incluindo as embalagens de bebidas depois de escorridas e espalmadas.
Do ecoponto à reciclagem A primeira coisa a fazer  nas estações de triagem é separar os diferentes tipos de papel e cartão existentes. O papel é depois transformado  em fardos para serem reciclados pela indústria papeleira, que os junta à matéria-prima virgem para produzir de novo pasta de papel. Esta pasta  vai servir depois para produzir jornais, cadernos, bilhetes de autocarro, embalagens...
Atenção ao que não deves colocar neste contentor: •  Embalagens que tenham contido resíduos orgânicos ou gorduras,  como por exemplo,  papel de cozinha, lenços de papel, fraldas e pacotes de batatas fritas,  porque a degradação dos resíduos orgânicos em contacto com as embalagens pode não permitir a reciclagem. Embalagens que tenham contido resíduos tóxicos e perigosos,  como por exemplo,  sacos de cimento,  porque podem constituir um perigo para a saúde pública. Papéis metalizados e plastificados ou sujeitos a tratamentos especiais,  como por exemplo,  papel de lustro, papel vegetal, papel químico, papel de alumínio e papel autocolante,  porque são constituídos por uma mistura de materiais diversos.
O  contentor verde Vidro  Para aqui vão todas as embalagens de vidro depois de escorridas e já sem tampas nem rolhas. São as garrafas, os frascos, os boiões...
Do ecoponto à reciclagem Quando o vidrão está cheio,  o vidro é recolhido, partido, esmagado e são-lhe retiradas todas as impurezas. Os pequenos pedaços  são então introduzidos em fornos onde são fundidos e depois moldados, dando origem a novas garrafas, frascos, boiões e mesmo outros objectos. O vidro é reciclável sem limite  e sem perda de qualidade.
Atenção ao que não deves colocar neste contentor: Loiças, cerâmicas e vidros especiais,  como por exemplo,  pratos, copos, chávenas, jarras, espelhos, lâmpadas, cristal,  porque têm uma composição diferente das embalagens de vidro normais. Vidro farmacêutico e de hospital  porque existem sítios específicos para a recolha destes resíduos  Tampas e rolhas das embalagens de vidro.
O contentor do ecocentro Madeira  Não encontras este contentor na rua, mas sim nos ecocentros. Para aqui devem ir todas as embalagens de madeira que já não tenham uso, como caixotes, caixas e mesmo tábuas.
Do ecocentro à reciclagem Quando o contentor está cheio,  o material lá depositado vai para o reciclador. No reciclador os resíduos de madeira são separados, comprimidos e triturados,  podendo ser usados no fabrico de aglomerados de madeira. Esses aglomerados são depois utilizados  no fabrico de painéis para a construção, mobiliário e também, naturalmente, novas embalagens. A madeira pode ser reciclada até quase ao infinito.  Sabias que 1 tonelada de resíduos de madeira poupa entre a 35 a 40 árvores que ficam na floresta?  Vale mesmo a pena!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Treinamento Coleta Seletiva
Treinamento Coleta SeletivaTreinamento Coleta Seletiva
Treinamento Coleta Seletiva
Instituto IDEIAS
 
Ambiente reciclagem eb1murca
Ambiente reciclagem eb1murcaAmbiente reciclagem eb1murca
Ambiente reciclagem eb1murca
Lino Barbosa
 
Reciclagem
ReciclagemReciclagem
Reciclagem
paulosergiok5
 
Reciclagem do vidro
Reciclagem do vidroReciclagem do vidro
Reciclagem do vidro
Mirieli Zanetti
 
Separação resíduos e reciclagem
Separação resíduos e reciclagemSeparação resíduos e reciclagem
Separação resíduos e reciclagem
Zb Campanha
 
Classificação do Lixo
Classificação do LixoClassificação do Lixo
Classificação do Lixo
Niise
 
SensibilizaçãO Reciclagem
SensibilizaçãO ReciclagemSensibilizaçãO Reciclagem
SensibilizaçãO Reciclagem
pedro
 
Semana do Meio Ambiente
Semana do Meio AmbienteSemana do Meio Ambiente
Semana do Meio Ambiente
Leonardo Dufloth
 
Apresentação sobre o lixo 4º ano
Apresentação sobre o lixo 4º anoApresentação sobre o lixo 4º ano
Apresentação sobre o lixo 4º ano
Jacqueline Soares
 
O Planeta: Recicle
O Planeta: RecicleO Planeta: Recicle
O Planeta: Recicle
institutoestre
 
Reduzir o uso do plástico
Reduzir o uso do plásticoReduzir o uso do plástico
Reduzir o uso do plástico
Bruno Oliveira
 
A Reciclagem
A ReciclagemA Reciclagem
A Reciclagem
lidia_madalena
 
Saneamento do lixo
Saneamento do lixoSaneamento do lixo
Saneamento do lixo
Rosa Vinteesete
 
A política dos 3 r’s
A política dos 3 r’sA política dos 3 r’s
A política dos 3 r’s
Carol Guedes
 
Política dos 3 R
Política dos 3 RPolítica dos 3 R
Política dos 3 R
Cristiana Gomes
 
Reciclagem
ReciclagemReciclagem
Reciclagem
Altair Hoepers
 
Política 3 rs
Política 3 rsPolítica 3 rs
Política 3 rs
Cristina Vitória
 
Fcopiaareaprojectotrabalhosdo8ano8a8a1pjorgeeguilhaumee a-areciclagem-0905220...
Fcopiaareaprojectotrabalhosdo8ano8a8a1pjorgeeguilhaumee a-areciclagem-0905220...Fcopiaareaprojectotrabalhosdo8ano8a8a1pjorgeeguilhaumee a-areciclagem-0905220...
Fcopiaareaprojectotrabalhosdo8ano8a8a1pjorgeeguilhaumee a-areciclagem-0905220...
Andréa Iria
 
Lixo- Gincana ecológica
Lixo- Gincana ecológicaLixo- Gincana ecológica
Lixo- Gincana ecológica
nielimaia
 
Grp10 ApresentaçãO
Grp10 ApresentaçãOGrp10 ApresentaçãO
Grp10 ApresentaçãO
ap8bgrp10
 

Mais procurados (20)

Treinamento Coleta Seletiva
Treinamento Coleta SeletivaTreinamento Coleta Seletiva
Treinamento Coleta Seletiva
 
Ambiente reciclagem eb1murca
Ambiente reciclagem eb1murcaAmbiente reciclagem eb1murca
Ambiente reciclagem eb1murca
 
Reciclagem
ReciclagemReciclagem
Reciclagem
 
Reciclagem do vidro
Reciclagem do vidroReciclagem do vidro
Reciclagem do vidro
 
Separação resíduos e reciclagem
Separação resíduos e reciclagemSeparação resíduos e reciclagem
Separação resíduos e reciclagem
 
Classificação do Lixo
Classificação do LixoClassificação do Lixo
Classificação do Lixo
 
SensibilizaçãO Reciclagem
SensibilizaçãO ReciclagemSensibilizaçãO Reciclagem
SensibilizaçãO Reciclagem
 
Semana do Meio Ambiente
Semana do Meio AmbienteSemana do Meio Ambiente
Semana do Meio Ambiente
 
Apresentação sobre o lixo 4º ano
Apresentação sobre o lixo 4º anoApresentação sobre o lixo 4º ano
Apresentação sobre o lixo 4º ano
 
O Planeta: Recicle
O Planeta: RecicleO Planeta: Recicle
O Planeta: Recicle
 
Reduzir o uso do plástico
Reduzir o uso do plásticoReduzir o uso do plástico
Reduzir o uso do plástico
 
A Reciclagem
A ReciclagemA Reciclagem
A Reciclagem
 
Saneamento do lixo
Saneamento do lixoSaneamento do lixo
Saneamento do lixo
 
A política dos 3 r’s
A política dos 3 r’sA política dos 3 r’s
A política dos 3 r’s
 
Política dos 3 R
Política dos 3 RPolítica dos 3 R
Política dos 3 R
 
Reciclagem
ReciclagemReciclagem
Reciclagem
 
Política 3 rs
Política 3 rsPolítica 3 rs
Política 3 rs
 
Fcopiaareaprojectotrabalhosdo8ano8a8a1pjorgeeguilhaumee a-areciclagem-0905220...
Fcopiaareaprojectotrabalhosdo8ano8a8a1pjorgeeguilhaumee a-areciclagem-0905220...Fcopiaareaprojectotrabalhosdo8ano8a8a1pjorgeeguilhaumee a-areciclagem-0905220...
Fcopiaareaprojectotrabalhosdo8ano8a8a1pjorgeeguilhaumee a-areciclagem-0905220...
 
Lixo- Gincana ecológica
Lixo- Gincana ecológicaLixo- Gincana ecológica
Lixo- Gincana ecológica
 
Grp10 ApresentaçãO
Grp10 ApresentaçãOGrp10 ApresentaçãO
Grp10 ApresentaçãO
 

Destaque

PRESENTACION EL RECICLAJE- RECURSO EDUCATIVO
PRESENTACION EL RECICLAJE- RECURSO EDUCATIVOPRESENTACION EL RECICLAJE- RECURSO EDUCATIVO
PRESENTACION EL RECICLAJE- RECURSO EDUCATIVO
manuel gamboa
 
Embalagem dos produtos
Embalagem dos produtosEmbalagem dos produtos
Embalagem dos produtos
Edgar Varela Gonçalves
 
Projeto da embalagem
Projeto da embalagemProjeto da embalagem
Projeto da embalagem
Odair Cavichioli
 
Embalagem dos produtos
Embalagem dos produtosEmbalagem dos produtos
Embalagem dos produtos
jorgecs6
 
Embalagem para alimentos
Embalagem para alimentosEmbalagem para alimentos
Embalagem para alimentos
Ernane Nogueira Nunes
 
Embalagem dos produtos
Embalagem dos produtosEmbalagem dos produtos
Embalagem dos produtos
tiaguinho1
 
Embalagens
Embalagens   Embalagens
Embalagens
Ines Soares
 
Embalagens de Alimentos
Embalagens de AlimentosEmbalagens de Alimentos
Embalagens de Alimentos
Milton Marcelo
 
Aula 4 embalagens - papel e papelão
Aula 4   embalagens - papel e papelãoAula 4   embalagens - papel e papelão
Aula 4 embalagens - papel e papelão
andreiafaion
 
Embalagens e alimentos principais funções
Embalagens e alimentos principais funçõesEmbalagens e alimentos principais funções
Embalagens e alimentos principais funções
Ubaldo Costa
 
Aula 01 embalagens para Alimentos
Aula 01 embalagens para AlimentosAula 01 embalagens para Alimentos
Aula 01 embalagens para Alimentos
LORRANE BRANDÃO
 
Embalagem jp
Embalagem   jpEmbalagem   jp
Embalagem jp
Joao Silva
 
Aula embalagens (1)
Aula embalagens (1)Aula embalagens (1)
Aula embalagens (1)
Gisleine Pereira
 
Tipos de Embalagens
Tipos de EmbalagensTipos de Embalagens
Tipos de Embalagens
Willian dos Santos Abreu
 
Apostila de embalagem
Apostila de embalagemApostila de embalagem
Apostila de embalagem
andreiafaion
 

Destaque (15)

PRESENTACION EL RECICLAJE- RECURSO EDUCATIVO
PRESENTACION EL RECICLAJE- RECURSO EDUCATIVOPRESENTACION EL RECICLAJE- RECURSO EDUCATIVO
PRESENTACION EL RECICLAJE- RECURSO EDUCATIVO
 
Embalagem dos produtos
Embalagem dos produtosEmbalagem dos produtos
Embalagem dos produtos
 
Projeto da embalagem
Projeto da embalagemProjeto da embalagem
Projeto da embalagem
 
Embalagem dos produtos
Embalagem dos produtosEmbalagem dos produtos
Embalagem dos produtos
 
Embalagem para alimentos
Embalagem para alimentosEmbalagem para alimentos
Embalagem para alimentos
 
Embalagem dos produtos
Embalagem dos produtosEmbalagem dos produtos
Embalagem dos produtos
 
Embalagens
Embalagens   Embalagens
Embalagens
 
Embalagens de Alimentos
Embalagens de AlimentosEmbalagens de Alimentos
Embalagens de Alimentos
 
Aula 4 embalagens - papel e papelão
Aula 4   embalagens - papel e papelãoAula 4   embalagens - papel e papelão
Aula 4 embalagens - papel e papelão
 
Embalagens e alimentos principais funções
Embalagens e alimentos principais funçõesEmbalagens e alimentos principais funções
Embalagens e alimentos principais funções
 
Aula 01 embalagens para Alimentos
Aula 01 embalagens para AlimentosAula 01 embalagens para Alimentos
Aula 01 embalagens para Alimentos
 
Embalagem jp
Embalagem   jpEmbalagem   jp
Embalagem jp
 
Aula embalagens (1)
Aula embalagens (1)Aula embalagens (1)
Aula embalagens (1)
 
Tipos de Embalagens
Tipos de EmbalagensTipos de Embalagens
Tipos de Embalagens
 
Apostila de embalagem
Apostila de embalagemApostila de embalagem
Apostila de embalagem
 

Semelhante a tec 2

Meio ambiente 1
Meio ambiente 1Meio ambiente 1
Meio ambiente 1
beatrizelizabete
 
Meio ambiente 1
Meio ambiente 1Meio ambiente 1
Meio ambiente 1
beatrizelizabete
 
Meio ambiente 1
Meio ambiente 1Meio ambiente 1
Meio ambiente 1
beatrizelizabete
 
Reciclar é Viver
Reciclar é ViverReciclar é Viver
Reciclar é Viver
Valter Miguel
 
Reciclar é Viver
Reciclar é ViverReciclar é Viver
Reciclar é Viver
babu123
 
Politica dos 4R's
Politica dos 4R'sPolitica dos 4R's
Politica dos 4R's
guestb6e50c
 
E.A. A reciclagem
E.A. A reciclagemE.A. A reciclagem
E.A. A reciclagem
EliteRock's Unforgiven
 
Trabalho pac iv reciclagem
Trabalho pac iv   reciclagemTrabalho pac iv   reciclagem
Trabalho pac iv reciclagem
Lucas Godoy Menochelli
 
Grp8
Grp8Grp8
Grp8
ap8bgrp8
 
Reciclagem artur e vinicius
Reciclagem   artur e viniciusReciclagem   artur e vinicius
Reciclagem artur e vinicius
Sandra Barros
 
Coleta seletiva
Coleta seletivaColeta seletiva
Coleta seletiva
Fabiano Brum
 
LatõEs De Coleta Seletiva 3 B Nathane
LatõEs De Coleta Seletiva 3 B NathaneLatõEs De Coleta Seletiva 3 B Nathane
LatõEs De Coleta Seletiva 3 B Nathane
EE deputado Gregório Bezerra
 
111
111111
A Reciclagem
A ReciclagemA Reciclagem
A Reciclagem
Alexandru Lipca
 
Dia Mundial da Terra
Dia Mundial da  TerraDia Mundial da  Terra
Dia Mundial da Terra
ritaspborges
 
Ciclo de Vida das Embalagens
Ciclo de Vida das EmbalagensCiclo de Vida das Embalagens
Ciclo de Vida das Embalagens
Ma Rina
 
Energias renováveis e reciclagem
Energias renováveis e reciclagemEnergias renováveis e reciclagem
Energias renováveis e reciclagem
aveca
 
Como e porquê separar o lixo
Como e porquê separar o lixoComo e porquê separar o lixo
Como e porquê separar o lixo
Servix Prestadora de Serviços
 
TRABALHO COMPLETO SOBRE O LIXO
TRABALHO COMPLETO SOBRE O LIXO TRABALHO COMPLETO SOBRE O LIXO
TRABALHO COMPLETO SOBRE O LIXO
Ricardo Arend
 
Grp5
Grp5Grp5
Grp5
ap8bgrp5
 

Semelhante a tec 2 (20)

Meio ambiente 1
Meio ambiente 1Meio ambiente 1
Meio ambiente 1
 
Meio ambiente 1
Meio ambiente 1Meio ambiente 1
Meio ambiente 1
 
Meio ambiente 1
Meio ambiente 1Meio ambiente 1
Meio ambiente 1
 
Reciclar é Viver
Reciclar é ViverReciclar é Viver
Reciclar é Viver
 
Reciclar é Viver
Reciclar é ViverReciclar é Viver
Reciclar é Viver
 
Politica dos 4R's
Politica dos 4R'sPolitica dos 4R's
Politica dos 4R's
 
E.A. A reciclagem
E.A. A reciclagemE.A. A reciclagem
E.A. A reciclagem
 
Trabalho pac iv reciclagem
Trabalho pac iv   reciclagemTrabalho pac iv   reciclagem
Trabalho pac iv reciclagem
 
Grp8
Grp8Grp8
Grp8
 
Reciclagem artur e vinicius
Reciclagem   artur e viniciusReciclagem   artur e vinicius
Reciclagem artur e vinicius
 
Coleta seletiva
Coleta seletivaColeta seletiva
Coleta seletiva
 
LatõEs De Coleta Seletiva 3 B Nathane
LatõEs De Coleta Seletiva 3 B NathaneLatõEs De Coleta Seletiva 3 B Nathane
LatõEs De Coleta Seletiva 3 B Nathane
 
111
111111
111
 
A Reciclagem
A ReciclagemA Reciclagem
A Reciclagem
 
Dia Mundial da Terra
Dia Mundial da  TerraDia Mundial da  Terra
Dia Mundial da Terra
 
Ciclo de Vida das Embalagens
Ciclo de Vida das EmbalagensCiclo de Vida das Embalagens
Ciclo de Vida das Embalagens
 
Energias renováveis e reciclagem
Energias renováveis e reciclagemEnergias renováveis e reciclagem
Energias renováveis e reciclagem
 
Como e porquê separar o lixo
Como e porquê separar o lixoComo e porquê separar o lixo
Como e porquê separar o lixo
 
TRABALHO COMPLETO SOBRE O LIXO
TRABALHO COMPLETO SOBRE O LIXO TRABALHO COMPLETO SOBRE O LIXO
TRABALHO COMPLETO SOBRE O LIXO
 
Grp5
Grp5Grp5
Grp5
 

Mais de Eduardo1

Criebalanofinal200708
Criebalanofinal200708Criebalanofinal200708
Criebalanofinal200708
Eduardo1
 
Parasitismo
ParasitismoParasitismo
Parasitismo
Eduardo1
 
Ser Professor
Ser ProfessorSer Professor
Ser Professor
Eduardo1
 
A Geração do Futuro
A Geração do FuturoA Geração do Futuro
A Geração do Futuro
Eduardo1
 
Guimarães Tesouros Artisticos Do Mundo
Guimarães Tesouros Artisticos Do MundoGuimarães Tesouros Artisticos Do Mundo
Guimarães Tesouros Artisticos Do Mundo
Eduardo1
 
Guimarães Passado & Presente
Guimarães Passado & PresenteGuimarães Passado & Presente
Guimarães Passado & Presente
Eduardo1
 
RelatóRio Crie Para Post
RelatóRio Crie Para PostRelatóRio Crie Para Post
RelatóRio Crie Para Post
Eduardo1
 
Poster Challenges2007
Poster Challenges2007Poster Challenges2007
Poster Challenges2007
Eduardo1
 
Fósseis e História da Terra
Fósseis e História da TerraFósseis e História da Terra
Fósseis e História da Terra
Eduardo1
 
Professor Titular
Professor TitularProfessor Titular
Professor Titular
Eduardo1
 
ApresentaçãoII: estatuto
ApresentaçãoII: estatutoApresentaçãoII: estatuto
ApresentaçãoII: estatuto
Eduardo1
 
Apresentação: Estatuto da Carreira Docente
Apresentação: Estatuto da Carreira DocenteApresentação: Estatuto da Carreira Docente
Apresentação: Estatuto da Carreira Docente
Eduardo1
 
eTwinning 13
eTwinning 13eTwinning 13
eTwinning 13
Eduardo1
 
Etwinning 12
Etwinning 12Etwinning 12
Etwinning 12
Eduardo1
 
eTwinning 9
eTwinning 9 eTwinning 9
eTwinning 9
Eduardo1
 
eTwinning 10
eTwinning 10eTwinning 10
eTwinning 10
Eduardo1
 
tec 4
tec 4tec 4
tec 4
Eduardo1
 
eTwinning 7
eTwinning 7eTwinning 7
eTwinning 7
Eduardo1
 
eTwinning 6
eTwinning 6eTwinning 6
eTwinning 6
Eduardo1
 
eTwinning 6
eTwinning 6eTwinning 6
eTwinning 6
Eduardo1
 

Mais de Eduardo1 (20)

Criebalanofinal200708
Criebalanofinal200708Criebalanofinal200708
Criebalanofinal200708
 
Parasitismo
ParasitismoParasitismo
Parasitismo
 
Ser Professor
Ser ProfessorSer Professor
Ser Professor
 
A Geração do Futuro
A Geração do FuturoA Geração do Futuro
A Geração do Futuro
 
Guimarães Tesouros Artisticos Do Mundo
Guimarães Tesouros Artisticos Do MundoGuimarães Tesouros Artisticos Do Mundo
Guimarães Tesouros Artisticos Do Mundo
 
Guimarães Passado & Presente
Guimarães Passado & PresenteGuimarães Passado & Presente
Guimarães Passado & Presente
 
RelatóRio Crie Para Post
RelatóRio Crie Para PostRelatóRio Crie Para Post
RelatóRio Crie Para Post
 
Poster Challenges2007
Poster Challenges2007Poster Challenges2007
Poster Challenges2007
 
Fósseis e História da Terra
Fósseis e História da TerraFósseis e História da Terra
Fósseis e História da Terra
 
Professor Titular
Professor TitularProfessor Titular
Professor Titular
 
ApresentaçãoII: estatuto
ApresentaçãoII: estatutoApresentaçãoII: estatuto
ApresentaçãoII: estatuto
 
Apresentação: Estatuto da Carreira Docente
Apresentação: Estatuto da Carreira DocenteApresentação: Estatuto da Carreira Docente
Apresentação: Estatuto da Carreira Docente
 
eTwinning 13
eTwinning 13eTwinning 13
eTwinning 13
 
Etwinning 12
Etwinning 12Etwinning 12
Etwinning 12
 
eTwinning 9
eTwinning 9 eTwinning 9
eTwinning 9
 
eTwinning 10
eTwinning 10eTwinning 10
eTwinning 10
 
tec 4
tec 4tec 4
tec 4
 
eTwinning 7
eTwinning 7eTwinning 7
eTwinning 7
 
eTwinning 6
eTwinning 6eTwinning 6
eTwinning 6
 
eTwinning 6
eTwinning 6eTwinning 6
eTwinning 6
 

Último

Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCCEstudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Paulo Emerson Pereira
 
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
Paulo Emerson Pereira
 
Informativo Agronômico n11 v1.0 - Seringueira (ppt).pdf
Informativo Agronômico n11 v1.0 - Seringueira (ppt).pdfInformativo Agronômico n11 v1.0 - Seringueira (ppt).pdf
Informativo Agronômico n11 v1.0 - Seringueira (ppt).pdf
edsonfrancojunior99
 
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMETRESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
rihabkorbi24
 
O legado democrático de Portugal no Brasil, enfatizando sua contribuição para...
O legado democrático de Portugal no Brasil, enfatizando sua contribuição para...O legado democrático de Portugal no Brasil, enfatizando sua contribuição para...
O legado democrático de Portugal no Brasil, enfatizando sua contribuição para...
Paulo Dalla Nora Macedo
 
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfilApostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Carlos Eduardo Coan Junior
 

Último (6)

Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCCEstudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
 
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
 
Informativo Agronômico n11 v1.0 - Seringueira (ppt).pdf
Informativo Agronômico n11 v1.0 - Seringueira (ppt).pdfInformativo Agronômico n11 v1.0 - Seringueira (ppt).pdf
Informativo Agronômico n11 v1.0 - Seringueira (ppt).pdf
 
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMETRESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
 
O legado democrático de Portugal no Brasil, enfatizando sua contribuição para...
O legado democrático de Portugal no Brasil, enfatizando sua contribuição para...O legado democrático de Portugal no Brasil, enfatizando sua contribuição para...
O legado democrático de Portugal no Brasil, enfatizando sua contribuição para...
 
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfilApostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
 

tec 2

  • 1. EMBALAGENS Imagina um dia sem embalagens: ias às compras com um jarro para pôr o leite, trazias os ovos com muito cuidado na mão... Imagina o resto, imagina como é que se comprava, por exemplo, champô. Imagina que mudanças a falta de embalagens traria à tua vida.
  • 2. As embalagens dão mesmo muito jeito As embalagens servem para: Conservar Quando comes atum, por exemplo, ele já pode ter sido pescado há algum tempo, mas conserva-se bem porque está dentro de uma embalagem. Transportar Imagina só transportar batatas fritas sem embalagem, ou um sumo. Era mesmo complicado... só mesmo os astronautas é que conseguem. Informar Olha bem para uma embalagem. Está lá tudo escrito: até quando pode ser consumido o produto que está lá dentro, de que é feito, quem o fez, quanto pesa...
  • 3. Diversificar e distinguir Já viste o que seria num supermercado teres de escolher, entre todos os chocolates sem embalagem, o teu preferido? Proteger e arrumar As grandes embalagens, por exemplo, permitem às fábricas e aos transportadores arrumar uma grande quantidade de embalagens pequenas. Conter diferentes quantidades Se é para beber na escola levas um pacotinho de leite, se é para o pequeno-almoço da família compra-se um pacote de um litro. Experimentar mais coisas Se não existissem embalagens, não podíamos ter aqui produtos fabricados no outro lado do mundo.
  • 4. De que são feitas as embalagens Existem 5 famílias de materiais dos quais podem ser feitas as embalagens: metal, plástico, papel, vidro e madeira. Claro que estes materiais são feitos a partir de matérias-primas diferentes. PLÁSTICO A partir de recursos naturais como o petróleo, gás natural e o carvão e através de um processo químico são produzidos materiais plásticos, que são moldados por acção do calor. METAL O metal, é produzido a partir de elementos metálicos como o ferro, cobre ou alumínio, que são aquecidos num forno até atingirem o estado líquido. Depois é só dar-lhe a forma da embalagem que se pretende obter.
  • 5. VIDRO O vidro é produzido a partir da fusão de areias e outros componentes, a temperaturas de cerca de 1.500ºC, seguida de arrefecimento para voltarem a um estado sólido e ficarem com a forma da embalagem que se quer fazer. PAPEL Já o papel tem uma matéria-prima diferente: a madeira. Esta é moída e misturada com outras substâncias dando origem à pasta de papel e depois ao papel. Esta diversidade é muito importante para que cada embalagem seja adaptada ao fim a que se destina. Imagina, por exemplo, água num saco de papel... Não podia ser! Mas todos os materiais de que são feitas as embalagens são recicláveis e para que ganhem novas vidas só depende de nós.
  • 6. Uma embalagem tem muitas vidas Reciclar é dar oportunidade a uma embalagem de viver de novo, poupando energia e matérias-primas. Uma embalagem depois de usada pode passar a ser: um caderno; uma garrafa de vidro; uma bicicleta; uma chave... Basta que seja reciclada!
  • 7. Descobre o que estas embalagens podem vir a ser …          Uma chave Uma revista Um copo Um vaso de barro Um saco de plástico Um envelope Uma árvore Um chapéu Um caderno Uma jarra Uma moeda Um pincel
  • 8. As embalagens seguem diferentes caminhos conforme o material de que são feitas. Por isso, para as reciclar é necessário separá-las em casa e colocá-las no contentor que lhes corresponde no ecoponto.
  • 9. O contentor amarelo Metal e Plástico Para aqui vão as embalagens de plástico e metal depois de escorridas e, se possível, espalmadas. Mas é o último momento em que estão juntas; depois do ecoponto, plástico e metal seguem caminhos diferentes, pois não podem ser reciclados em conjunto.
  • 10. Do ecoponto à reciclagem As embalagens de plástico são separadas em diferentes categorias (há muitos tipos de plástico diferentes), são-lhe retirados os rótulos e as etiquetas, os resíduos são triturados, transformando-se em matéria granulada que dará origem a novos objectos: caixas, garrafas, copos, canetas e até material para a construção de carros, o que é muito útil porque quando é utilizado o plástico os carros ficam mais leves e gastam menos combustível. Quanto ao metal, o primeiro processo também é a separação em aço e alumínio - dois tipos diferentes de metal. Depois, cada um dos tipos de metal é prensado e enfardado e vai para um forno dando origem a barras de novo metal de alta qualidade utilizado na fabricação de muitos objectos que usamos todos os dias: latas de sardinhas, latas de bebidas, etc.
  • 11. Atenção ao que não deves colocar neste contentor: • Embalagens de plástico que tenham contido gorduras, como por exemplo, manteiga porque o custo do processo da sua lavagem faz com que não seja compensatória a reciclagem. Embalagens de plástico que tenham contido produtos tóxicos ou perigosos e pilhas e baterias porque podem constituir um perigo para a saúde pública. Outros objectos de metal que não sejam embalagens, como por exemplo, tachos e panelas, talheres, ferramentas e electrodomésticos porque, para além de não serem embalagens, são constituídos por diferentes materiais e mecanismos eléctricos.
  • 12. O contentor azul Papel e Cartão Para este contentor vão, além de revistas, jornais e folhas de papel, embalagens de papel e cartão, incluindo as embalagens de bebidas depois de escorridas e espalmadas.
  • 13. Do ecoponto à reciclagem A primeira coisa a fazer nas estações de triagem é separar os diferentes tipos de papel e cartão existentes. O papel é depois transformado em fardos para serem reciclados pela indústria papeleira, que os junta à matéria-prima virgem para produzir de novo pasta de papel. Esta pasta vai servir depois para produzir jornais, cadernos, bilhetes de autocarro, embalagens...
  • 14. Atenção ao que não deves colocar neste contentor: • Embalagens que tenham contido resíduos orgânicos ou gorduras, como por exemplo, papel de cozinha, lenços de papel, fraldas e pacotes de batatas fritas, porque a degradação dos resíduos orgânicos em contacto com as embalagens pode não permitir a reciclagem. Embalagens que tenham contido resíduos tóxicos e perigosos, como por exemplo, sacos de cimento, porque podem constituir um perigo para a saúde pública. Papéis metalizados e plastificados ou sujeitos a tratamentos especiais, como por exemplo, papel de lustro, papel vegetal, papel químico, papel de alumínio e papel autocolante, porque são constituídos por uma mistura de materiais diversos.
  • 15. O contentor verde Vidro Para aqui vão todas as embalagens de vidro depois de escorridas e já sem tampas nem rolhas. São as garrafas, os frascos, os boiões...
  • 16. Do ecoponto à reciclagem Quando o vidrão está cheio, o vidro é recolhido, partido, esmagado e são-lhe retiradas todas as impurezas. Os pequenos pedaços são então introduzidos em fornos onde são fundidos e depois moldados, dando origem a novas garrafas, frascos, boiões e mesmo outros objectos. O vidro é reciclável sem limite e sem perda de qualidade.
  • 17. Atenção ao que não deves colocar neste contentor: Loiças, cerâmicas e vidros especiais, como por exemplo, pratos, copos, chávenas, jarras, espelhos, lâmpadas, cristal, porque têm uma composição diferente das embalagens de vidro normais. Vidro farmacêutico e de hospital porque existem sítios específicos para a recolha destes resíduos Tampas e rolhas das embalagens de vidro.
  • 18. O contentor do ecocentro Madeira Não encontras este contentor na rua, mas sim nos ecocentros. Para aqui devem ir todas as embalagens de madeira que já não tenham uso, como caixotes, caixas e mesmo tábuas.
  • 19. Do ecocentro à reciclagem Quando o contentor está cheio, o material lá depositado vai para o reciclador. No reciclador os resíduos de madeira são separados, comprimidos e triturados, podendo ser usados no fabrico de aglomerados de madeira. Esses aglomerados são depois utilizados no fabrico de painéis para a construção, mobiliário e também, naturalmente, novas embalagens. A madeira pode ser reciclada até quase ao infinito. Sabias que 1 tonelada de resíduos de madeira poupa entre a 35 a 40 árvores que ficam na floresta? Vale mesmo a pena!