SlideShare uma empresa Scribd logo
TEATRO DO 
OPRIMIDO
“Aquele que transforma as palavras em versos transforma-se em poeta; aquele que 
transforma o barro em estátua transforma-se em escultor; ao transformar as relações 
sociais e humanas apresentadas em uma cena de teatro, transforma-se em cidadão”. 
(Augusto Boal)
Forma de teatro interativo que 
te obriga a refletir sobre o tema 
que está a ser apresentado 
pelos atores.
Este tipo de teatro é diferente, 
porque as suas peças não têm 
um fim determinado e 
prescrito.
O ser humano carrega em si o 
ator e o espectador porque age 
e observa, e o também escritor, 
o figurinista e o diretor da 
própria peça, ou seja, da 
própria vida, pois escolhe 
como agir, o que vestir em 
cada ocasião e como se 
comportar.
Teatro Boal no Tibet.
A ideia central é que o 
espectador ensaie a sua própria 
revolução sem delegar papéis 
aos personagens, desta forma 
conscientizando-se da sua 
autonomia diante dos fatos 
cotidianos, indo em direção a 
sua real liberdade de ação, 
sendo todos “espectadores”, ou 
seja, atores e espectadores da 
ação dramática e da própria 
vida.
BIBLIOGRAFIA 
◦ Robson Leite.Dia Mundial do Teatro do Oprimido – 16 de março. Disponível 
em: <http://www.robsonleite.com.br/16-de-marco-dia-mundial-do-teatro-do-oprimido/>. 
Acesso em: 23/03/2014. 
◦ Teatro do Oprimido. Disponível 
em <http://www.arte.seed.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo= 
208>.Acesso em: 23/03/2014. 
◦ Fundação BB. Teatro do Oprimido. Youtube.(3m42). 
◦ Grupo de Teatro do Oprimido (GTO). Disponível em: 
<http://www.unicef.org/mozambique/pt/participa_4693.html>, Acesso em: 
23/03/2014.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Gênero textual: teatro
Gênero textual: teatroGênero textual: teatro
Gênero textual: teatro
Karen Olivan
 
Resumão historia do teatro
Resumão historia do teatroResumão historia do teatro
Resumão historia do teatro
Taís Ferreira
 
Teatro brasileiro
Teatro brasileiroTeatro brasileiro
Teatro brasileiro
VIVIAN TROMBINI
 
22626045 Teatro Epico Bertolt Brecht
22626045  Teatro  Epico  Bertolt  Brecht22626045  Teatro  Epico  Bertolt  Brecht
22626045 Teatro Epico Bertolt Brecht
Ricardo Araujo
 
Teatro brasileiro
Teatro brasileiroTeatro brasileiro
Teatro brasileiro
VIVIAN TROMBINI
 
O teatro épico no Brasil: teatro e política nos anos 1960
O teatro épico no Brasil: teatro e política nos anos 1960O teatro épico no Brasil: teatro e política nos anos 1960
O teatro épico no Brasil: teatro e política nos anos 1960
Mariana Klafke
 
GV - Breve História do Teatro
GV - Breve História do TeatroGV - Breve História do Teatro
GV - Breve História do Teatro
Susana Sobrenome
 
Panorama do teatro brasileiro
Panorama do teatro brasileiroPanorama do teatro brasileiro
Panorama do teatro brasileiro
Maristela Cardoso
 
UM ABRIGO DE UNIVERSOS DAS ARTES
UM ABRIGO DE UNIVERSOS DAS ARTESUM ABRIGO DE UNIVERSOS DAS ARTES
UM ABRIGO DE UNIVERSOS DAS ARTES
curtocircuito08
 
6982397 Origem E Evol Do Teatro
6982397  Origem E  Evol  Do  Teatro6982397  Origem E  Evol  Do  Teatro
6982397 Origem E Evol Do Teatro
Ricardo Araujo
 
Teatro brasileiro
Teatro brasileiroTeatro brasileiro
Teatro brasileiro
Taís Ferreira
 
Teatro e [1]..
Teatro e [1]..Teatro e [1]..
Teatro e [1]..
Romero Almeida
 
História do Teatro
História do TeatroHistória do Teatro
História do Teatro
Experiências Português
 
Teatro
TeatroTeatro
Teatro para iniciantes.
Teatro para iniciantes. Teatro para iniciantes.
Teatro para iniciantes.
Gerald Bourguignon
 

Mais procurados (15)

Gênero textual: teatro
Gênero textual: teatroGênero textual: teatro
Gênero textual: teatro
 
Resumão historia do teatro
Resumão historia do teatroResumão historia do teatro
Resumão historia do teatro
 
Teatro brasileiro
Teatro brasileiroTeatro brasileiro
Teatro brasileiro
 
22626045 Teatro Epico Bertolt Brecht
22626045  Teatro  Epico  Bertolt  Brecht22626045  Teatro  Epico  Bertolt  Brecht
22626045 Teatro Epico Bertolt Brecht
 
Teatro brasileiro
Teatro brasileiroTeatro brasileiro
Teatro brasileiro
 
O teatro épico no Brasil: teatro e política nos anos 1960
O teatro épico no Brasil: teatro e política nos anos 1960O teatro épico no Brasil: teatro e política nos anos 1960
O teatro épico no Brasil: teatro e política nos anos 1960
 
GV - Breve História do Teatro
GV - Breve História do TeatroGV - Breve História do Teatro
GV - Breve História do Teatro
 
Panorama do teatro brasileiro
Panorama do teatro brasileiroPanorama do teatro brasileiro
Panorama do teatro brasileiro
 
UM ABRIGO DE UNIVERSOS DAS ARTES
UM ABRIGO DE UNIVERSOS DAS ARTESUM ABRIGO DE UNIVERSOS DAS ARTES
UM ABRIGO DE UNIVERSOS DAS ARTES
 
6982397 Origem E Evol Do Teatro
6982397  Origem E  Evol  Do  Teatro6982397  Origem E  Evol  Do  Teatro
6982397 Origem E Evol Do Teatro
 
Teatro brasileiro
Teatro brasileiroTeatro brasileiro
Teatro brasileiro
 
Teatro e [1]..
Teatro e [1]..Teatro e [1]..
Teatro e [1]..
 
História do Teatro
História do TeatroHistória do Teatro
História do Teatro
 
Teatro
TeatroTeatro
Teatro
 
Teatro para iniciantes.
Teatro para iniciantes. Teatro para iniciantes.
Teatro para iniciantes.
 

Destaque

Teatro del Oprimido
Teatro del OprimidoTeatro del Oprimido
Teatro del Oprimido
Indumental
 
1 augusto boal - teatro do oprimido
1 augusto boal - teatro do oprimido1 augusto boal - teatro do oprimido
1 augusto boal - teatro do oprimido
Laura Revoredo
 
Augusto Boal
Augusto BoalAugusto Boal
Augusto Boalkellita81
 
O Barroco no Brasil
O Barroco no BrasilO Barroco no Brasil
O Barroco no Brasil
jonatasyuk
 
Dinamicas de-teatro
Dinamicas de-teatroDinamicas de-teatro
Dinamicas de-teatro
Jorge Luciano
 
Barroco Brasileiro
Barroco  BrasileiroBarroco  Brasileiro
Barroco Brasileiro
Thalles Yvson
 
O barroco no brasil
O barroco no brasilO barroco no brasil
O barroco no brasil
CEF16
 
O Barroco No Brasil
O Barroco No BrasilO Barroco No Brasil
O Barroco No Brasil
Alessandra Oliveira
 
O barroco
O barrocoO barroco

Destaque (10)

Teatro del Oprimido
Teatro del OprimidoTeatro del Oprimido
Teatro del Oprimido
 
1 augusto boal - teatro do oprimido
1 augusto boal - teatro do oprimido1 augusto boal - teatro do oprimido
1 augusto boal - teatro do oprimido
 
Teatro do oprimido 218- 224
Teatro do oprimido  218- 224Teatro do oprimido  218- 224
Teatro do oprimido 218- 224
 
Augusto Boal
Augusto BoalAugusto Boal
Augusto Boal
 
O Barroco no Brasil
O Barroco no BrasilO Barroco no Brasil
O Barroco no Brasil
 
Dinamicas de-teatro
Dinamicas de-teatroDinamicas de-teatro
Dinamicas de-teatro
 
Barroco Brasileiro
Barroco  BrasileiroBarroco  Brasileiro
Barroco Brasileiro
 
O barroco no brasil
O barroco no brasilO barroco no brasil
O barroco no brasil
 
O Barroco No Brasil
O Barroco No BrasilO Barroco No Brasil
O Barroco No Brasil
 
O barroco
O barrocoO barroco
O barroco
 

Semelhante a TEATRO DO OPRIMIDO

Aula da disciplina de L.pptx
Aula da disciplina de L.pptxAula da disciplina de L.pptx
Aula da disciplina de L.pptx
Neomare
 
A Carroça dos Sonhos e os Saltimbancos
A Carroça dos Sonhos e os SaltimbancosA Carroça dos Sonhos e os Saltimbancos
A Carroça dos Sonhos e os Saltimbancos
Jeffie Lopes
 
Teatro contemporâneo
Teatro contemporâneoTeatro contemporâneo
Teatro contemporâneo
Daniele Fragoso
 
Estomago
EstomagoEstomago
A linguagem literária (1º ano)
A linguagem literária (1º ano)A linguagem literária (1º ano)
A linguagem literária (1º ano)
Carolina Loçasso Pereira
 
1ano_a-literatura-e-suas-func3a7c3b5es.ppt
1ano_a-literatura-e-suas-func3a7c3b5es.ppt1ano_a-literatura-e-suas-func3a7c3b5es.ppt
1ano_a-literatura-e-suas-func3a7c3b5es.ppt
ALINEMACIEL68
 
1ano_a-literatura-e-suas-func3a7c3b5es.ppt
1ano_a-literatura-e-suas-func3a7c3b5es.ppt1ano_a-literatura-e-suas-func3a7c3b5es.ppt
1ano_a-literatura-e-suas-func3a7c3b5es.ppt
MaiteFerreira4
 
1ano_a-literatura-e-suas-func3a7c3b5es.ppt
1ano_a-literatura-e-suas-func3a7c3b5es.ppt1ano_a-literatura-e-suas-func3a7c3b5es.ppt
1ano_a-literatura-e-suas-func3a7c3b5es.ppt
DECIOMAURINARAMOS
 
O que é Literatura ?
O que é Literatura ?O que é Literatura ?
O que é Literatura ?
Gabriel Andrade
 
artescnicas-210920150554001.pdf
artescnicas-210920150554001.pdfartescnicas-210920150554001.pdf
artescnicas-210920150554001.pdf
hevellin1
 
Artes cênicas: Tempo e espaço
Artes cênicas: Tempo e espaçoArtes cênicas: Tempo e espaço
Artes cênicas: Tempo e espaço
Marcia Cristina Oliveira gomes
 
Brecht Em O Render Dos HeróIs
Brecht Em O Render Dos HeróIsBrecht Em O Render Dos HeróIs
Brecht Em O Render Dos HeróIs
Antónia Mancha
 
Atividades sobre teatro novinho rsr
Atividades sobre teatro novinho rsrAtividades sobre teatro novinho rsr
Atividades sobre teatro novinho rsr
Atividades Diversas Cláudia
 
Artes O Teatro e Atividades
Artes O Teatro e AtividadesArtes O Teatro e Atividades
Artes O Teatro e Atividades
Geo Honório
 
Literatura brasileira no século XXI
Literatura brasileira no século XXILiteratura brasileira no século XXI
Literatura brasileira no século XXI
Jaqueline Salles
 
11_ Aula de Literatura.ppt
11_ Aula de Literatura.ppt11_ Aula de Literatura.ppt
11_ Aula de Literatura.ppt
tatianesouza923757
 
Literatura
LiteraturaLiteratura
Literatura
Ajudar Pessoas
 
O ético e o estético no curta metragem 10 centavos
O ético e o estético no curta metragem 10 centavosO ético e o estético no curta metragem 10 centavos
O ético e o estético no curta metragem 10 centavos
Douradoalcantara
 
14465604 linguagemteatral
14465604 linguagemteatral14465604 linguagemteatral
14465604 linguagemteatral
Enilde Diniz
 
10.cap3 inter acao_graffiti
10.cap3 inter acao_graffiti10.cap3 inter acao_graffiti
10.cap3 inter acao_graffiti
histoartetatiana
 

Semelhante a TEATRO DO OPRIMIDO (20)

Aula da disciplina de L.pptx
Aula da disciplina de L.pptxAula da disciplina de L.pptx
Aula da disciplina de L.pptx
 
A Carroça dos Sonhos e os Saltimbancos
A Carroça dos Sonhos e os SaltimbancosA Carroça dos Sonhos e os Saltimbancos
A Carroça dos Sonhos e os Saltimbancos
 
Teatro contemporâneo
Teatro contemporâneoTeatro contemporâneo
Teatro contemporâneo
 
Estomago
EstomagoEstomago
Estomago
 
A linguagem literária (1º ano)
A linguagem literária (1º ano)A linguagem literária (1º ano)
A linguagem literária (1º ano)
 
1ano_a-literatura-e-suas-func3a7c3b5es.ppt
1ano_a-literatura-e-suas-func3a7c3b5es.ppt1ano_a-literatura-e-suas-func3a7c3b5es.ppt
1ano_a-literatura-e-suas-func3a7c3b5es.ppt
 
1ano_a-literatura-e-suas-func3a7c3b5es.ppt
1ano_a-literatura-e-suas-func3a7c3b5es.ppt1ano_a-literatura-e-suas-func3a7c3b5es.ppt
1ano_a-literatura-e-suas-func3a7c3b5es.ppt
 
1ano_a-literatura-e-suas-func3a7c3b5es.ppt
1ano_a-literatura-e-suas-func3a7c3b5es.ppt1ano_a-literatura-e-suas-func3a7c3b5es.ppt
1ano_a-literatura-e-suas-func3a7c3b5es.ppt
 
O que é Literatura ?
O que é Literatura ?O que é Literatura ?
O que é Literatura ?
 
artescnicas-210920150554001.pdf
artescnicas-210920150554001.pdfartescnicas-210920150554001.pdf
artescnicas-210920150554001.pdf
 
Artes cênicas: Tempo e espaço
Artes cênicas: Tempo e espaçoArtes cênicas: Tempo e espaço
Artes cênicas: Tempo e espaço
 
Brecht Em O Render Dos HeróIs
Brecht Em O Render Dos HeróIsBrecht Em O Render Dos HeróIs
Brecht Em O Render Dos HeróIs
 
Atividades sobre teatro novinho rsr
Atividades sobre teatro novinho rsrAtividades sobre teatro novinho rsr
Atividades sobre teatro novinho rsr
 
Artes O Teatro e Atividades
Artes O Teatro e AtividadesArtes O Teatro e Atividades
Artes O Teatro e Atividades
 
Literatura brasileira no século XXI
Literatura brasileira no século XXILiteratura brasileira no século XXI
Literatura brasileira no século XXI
 
11_ Aula de Literatura.ppt
11_ Aula de Literatura.ppt11_ Aula de Literatura.ppt
11_ Aula de Literatura.ppt
 
Literatura
LiteraturaLiteratura
Literatura
 
O ético e o estético no curta metragem 10 centavos
O ético e o estético no curta metragem 10 centavosO ético e o estético no curta metragem 10 centavos
O ético e o estético no curta metragem 10 centavos
 
14465604 linguagemteatral
14465604 linguagemteatral14465604 linguagemteatral
14465604 linguagemteatral
 
10.cap3 inter acao_graffiti
10.cap3 inter acao_graffiti10.cap3 inter acao_graffiti
10.cap3 inter acao_graffiti
 

Mais de Neena Gomes

Slide koichi
Slide koichiSlide koichi
Slide koichi
Neena Gomes
 
ENFERMIDADES GENÉTICAS
ENFERMIDADES GENÉTICASENFERMIDADES GENÉTICAS
ENFERMIDADES GENÉTICAS
Neena Gomes
 
RÉPTEIS
RÉPTEISRÉPTEIS
RÉPTEIS
Neena Gomes
 
Revolução  industrial
Revolução  industrialRevolução  industrial
Revolução  industrial
Neena Gomes
 
ROMANTISMO EM PORTUGAL
ROMANTISMO EM PORTUGAL ROMANTISMO EM PORTUGAL
ROMANTISMO EM PORTUGAL
Neena Gomes
 
REALISMO
REALISMOREALISMO
REALISMO
Neena Gomes
 
Slide ideologia dos noticiários
Slide ideologia dos noticiáriosSlide ideologia dos noticiários
Slide ideologia dos noticiários
Neena Gomes
 
Idade Média
Idade MédiaIdade Média
Idade Média
Neena Gomes
 
Anabolizantes
Anabolizantes Anabolizantes
Anabolizantes
Neena Gomes
 
Troia
Troia Troia
Troia
Neena Gomes
 
Acidentes químicos
Acidentes químicosAcidentes químicos
Acidentes químicos
Neena Gomes
 
Governo de FHC
Governo de FHCGoverno de FHC
Governo de FHC
Neena Gomes
 
Ernesto geisel
Ernesto geiselErnesto geisel
Ernesto geisel
Neena Gomes
 
O governo de juscelino kubitschek slide
O governo de juscelino kubitschek slideO governo de juscelino kubitschek slide
O governo de juscelino kubitschek slide
Neena Gomes
 
Primeira guerra mundial slide
Primeira guerra mundial slidePrimeira guerra mundial slide
Primeira guerra mundial slide
Neena Gomes
 
Slide japão
Slide japãoSlide japão
Slide japão
Neena Gomes
 
Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra fria
Neena Gomes
 
Oriente médio
Oriente médioOriente médio
Oriente médio
Neena Gomes
 

Mais de Neena Gomes (18)

Slide koichi
Slide koichiSlide koichi
Slide koichi
 
ENFERMIDADES GENÉTICAS
ENFERMIDADES GENÉTICASENFERMIDADES GENÉTICAS
ENFERMIDADES GENÉTICAS
 
RÉPTEIS
RÉPTEISRÉPTEIS
RÉPTEIS
 
Revolução  industrial
Revolução  industrialRevolução  industrial
Revolução  industrial
 
ROMANTISMO EM PORTUGAL
ROMANTISMO EM PORTUGAL ROMANTISMO EM PORTUGAL
ROMANTISMO EM PORTUGAL
 
REALISMO
REALISMOREALISMO
REALISMO
 
Slide ideologia dos noticiários
Slide ideologia dos noticiáriosSlide ideologia dos noticiários
Slide ideologia dos noticiários
 
Idade Média
Idade MédiaIdade Média
Idade Média
 
Anabolizantes
Anabolizantes Anabolizantes
Anabolizantes
 
Troia
Troia Troia
Troia
 
Acidentes químicos
Acidentes químicosAcidentes químicos
Acidentes químicos
 
Governo de FHC
Governo de FHCGoverno de FHC
Governo de FHC
 
Ernesto geisel
Ernesto geiselErnesto geisel
Ernesto geisel
 
O governo de juscelino kubitschek slide
O governo de juscelino kubitschek slideO governo de juscelino kubitschek slide
O governo de juscelino kubitschek slide
 
Primeira guerra mundial slide
Primeira guerra mundial slidePrimeira guerra mundial slide
Primeira guerra mundial slide
 
Slide japão
Slide japãoSlide japão
Slide japão
 
Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra fria
 
Oriente médio
Oriente médioOriente médio
Oriente médio
 

Último

UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
ClaudiaMainoth
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 

Último (20)

UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 

TEATRO DO OPRIMIDO

  • 2. “Aquele que transforma as palavras em versos transforma-se em poeta; aquele que transforma o barro em estátua transforma-se em escultor; ao transformar as relações sociais e humanas apresentadas em uma cena de teatro, transforma-se em cidadão”. (Augusto Boal)
  • 3. Forma de teatro interativo que te obriga a refletir sobre o tema que está a ser apresentado pelos atores.
  • 4. Este tipo de teatro é diferente, porque as suas peças não têm um fim determinado e prescrito.
  • 5. O ser humano carrega em si o ator e o espectador porque age e observa, e o também escritor, o figurinista e o diretor da própria peça, ou seja, da própria vida, pois escolhe como agir, o que vestir em cada ocasião e como se comportar.
  • 6. Teatro Boal no Tibet.
  • 7. A ideia central é que o espectador ensaie a sua própria revolução sem delegar papéis aos personagens, desta forma conscientizando-se da sua autonomia diante dos fatos cotidianos, indo em direção a sua real liberdade de ação, sendo todos “espectadores”, ou seja, atores e espectadores da ação dramática e da própria vida.
  • 8. BIBLIOGRAFIA ◦ Robson Leite.Dia Mundial do Teatro do Oprimido – 16 de março. Disponível em: <http://www.robsonleite.com.br/16-de-marco-dia-mundial-do-teatro-do-oprimido/>. Acesso em: 23/03/2014. ◦ Teatro do Oprimido. Disponível em <http://www.arte.seed.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo= 208>.Acesso em: 23/03/2014. ◦ Fundação BB. Teatro do Oprimido. Youtube.(3m42). ◦ Grupo de Teatro do Oprimido (GTO). Disponível em: <http://www.unicef.org/mozambique/pt/participa_4693.html>, Acesso em: 23/03/2014.