SlideShare uma empresa Scribd logo
Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço?
2
Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço?
2
O que é Ser Crente?
3
Jonas M. Olímpio
Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço?
4
O que é Ser Crente?
5
Estudos e mensagens bíblicas para
discipulado e meditação
Produção independente
03/2014-1
Textos, edição e encadernação:
Jonas Martins Olímpio
Contatos:
(11) 2279-9165
(11) 9 5369-8546
jm.olimpio@hotmail.com
www.ebvirtual.blogspot.com.br
Crescendo na Graça e no Conhecimento
Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço?
6
Apresentação
Como todas as descobertas, os primeiros passos de um novo
cristão também despertam muita curiosidade e, consequentemente,
dúvidas. As perguntas mais frequentes de novos convertidos e
adolescentes que estão se preparando ou pensando se devem ou
não se batizar, giram em torno dos temas mais básicos, os quais
qualquer crente um pouco mais instruído tem por obrigação ter
uma pronta resposta. E é aí que entra a figura dos instrutores de
discipulado, os quais tem o desafiador papel de encarar as mais
inesperadas indagações, cujas respostas podem fazer a diferença
entre a formação de um futuro obreiro ou mais um evangélico
desviado.
O objetivo desse trabalho não é estabelecer um padrão doutriná-
rio - pois isso cabe a cada denominação e seus líderes -, e nem ser
um canal absoluto de respostas, mas apenas contribuir com o cres-
cimento, visando proporcionar conhecimento e interesse por de-
senvolvimento espiritual em seus leitores, mostrando-lhes que a
sua principal base de orientação deve ser a infalível e inerrante
Bíblia Sagrada.
Jonas M. Olímpio
O que é Ser Crente?
7
ÍNDICE
Apresentação...................................................................................................06
Índice...............................................................................................................07
1. O que é Ser Crente?............................................................................08
2. Qual é o Significado do Batismo nas Águas?........................................18
3. Como Devemos Orar?.........................................................................26
4. Como Obter Consolo em Momentos de Angústia?..............................32
5. O que é Fazer a Vontade de Deus?......................................................38
6. Por que um Servo de Deus Não pode Viver em Pecado?.....................42
7. O que é Blasfêmia Contra o Espírito Santo?........................................46
8. O que são e Como Obter os Dons Espirituais?.....................................51
9. O que é Consagração e Jejum?............................................................58
10. Por que é Importante Ofertar na Casa do Senhor?..............................64
11. Como o Crente Deve Constituir e se Relacionar com a Sua Família?....70
Notas:
* As palavras destacadas
0
possuem o seu significado descrito nas notas de rodapé.
* Esse trabalho é pessoal e independente de qualquer instituição oficial.
* Todos os textos são de minha autoria e total responsabilidade.
Jonas Martins Olímpio
I
O que é Ser Crente?
Qual seria a mais correta resposta para essa pergunta? Ela pa-
rece ser tão simples, mas muitos, até mesmo entre os mais velhos
e experientes, as vezes têm dificuldade em respondê-la. Então,
busquemos o significado desse termo tão expressivo para nós da
maneira mais confiável e clara possível: através da Bíblia Sagra-
da. Mas, antes de uma profunda análise bíblica sobre o significa-
do da palavra “crente”, vejamos o seu significado na língua por-
tuguesa: segundo os melhores dicionários, crente é aquele que
crê ou a pessoa que tem fé religiosa. Então, como vimos aí, ser
crente é acreditar, ter fé em algo e fazer parte de uma religião1
,
independente de qual seja ela, mesmo que não esteja oficialmen-
te ligado a uma igreja ou a qualquer outro tipo de instituição. Só
que apesar de abranger todos os seguidores religiosos de uma
forma geral, a expressão crente sempre foi mais utilizada para se
referir aos evangélicos2
, os quais são também chamados de pro-
testantes devido ao fato de ao longo da história terem se levanta-
do em protesto contra o domínio católico3
. Porém, biblicamente
1
Religião: Instituição social com crenças e ritos. Serviço ou culto a Deus, ou a uma divindade
qualquer, expresso por meio de ritos, preces e observância do que se considera mandamen-
to divino. Sentimento consciente de dependência ou submissão que liga a criatura humana
ao Criador.
2
Evangélico: Do Evangelho ou relativo a ele. Quem vive conforme os princípios do Evange-
lho. Pertencente ou relativo ao protestantismo.
3
Católico: Universal. Que pertence à religião católica. Que professa o catolicismo. O que
segue a religião católica.
O que é Ser Crente?
9
Desde o princípio, o homem
sempre procurou algo em que
acreditar como, por exemplo:
os elementos da natureza e os
fenômenos climáticos, dos
quais eles faziam imagens e
reverenciavam com canções,
danças e sacrifícios. Mas
nenhuma crença jamais
superou a fé no verdadeiro
Deus, pois somente Ele provou
ser capaz de agir tanto na vida
do ser humano como na
natureza.
falando, ser crente é muito mais do que
simplesmente acreditar na existência e
no poder de Deus, ir a um templo, usar
as roupas recomendadas pelos seus líde-
res, colar adesivos com o nome de Jesus4
em seus veículos e participar regular-
mente das reuniões ou cultos praticados
em sua congregação. Embora a salvação
seja para aquele que crê, há uma diferen-
ça muito grande entre ser crente e ser
salvo. Meditemos nas Sagradas Escritu-
ras para que possamos compreender me-
lhor essa diferença.
Observe bem que em Gálatas 5:22
existe uma verdadeira “receita” de como
devem ser as características de um ver-
dadeiro crente: “22
Mas o fruto do Espíri-
to é: amor, gozo, paz, longanimidade,
benignidade, bondade, fé, mansidão,
4
Jesus: Significa “Javé é Salvador”. É a forma grega de Josué (Mt 1:21). Cristo quer dizer
Ungido; é o mesmo que o termo hebraico Messias (At 17:3). Ele é o Anjo do Senhor que
aparece no Antigo Testamento (Gn 18:1-23). Esvaziou-se da sua glória e se humilhou, to-
mando a forma de ser humano (Fp 2:6-11). O seu ministério terreno durou mais ou menos 3
anos e meio.
Astecas oferecendo sacrifí-
cio humano ao “deus sol”
por volta do ano 1400dC.
Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço?
10
temperança”. Nessa ocasião, o apóstolo Paulo explicava aos
crentes da Igreja5
da Galácia6
a importância de manter-se firme
na presença do Senhor sem cair novamente nas armadilhas do
inimigo e a diferença entre aqueles que são guiados pelo Espírito
Santo e aqueles que não resistem às tentações da cobiça7
da car-
ne contra o Espírito e acabam cedendo aos seus desejos pecami-
nosos. Simbolicamente, a palavra fruto significa resultado ou
consequência, ou seja: é aquilo que acontece de acordo com as
nossas atitudes; então podemos definir que o fruto do Espírito é
o resultado da Obra do Espírito Santo em nossa vida quando da-
mos lugar a Ele. Mas, um detalhe interessante que devemos ob-
servar aí é que a palavra fruto está no singular, o que significa
que, ao contrário do que muitos dizem, não existem nove frutos
do Espírito, e sim um fruto com nove virtudes8
; isso na prática
quer dizer que na vida de um crente verdadeiramente espiritual
deve haver todas essas qualidades ou, caso contrário, ele não está
produzindo o fruto do Espírito, ou seja: não está agindo de acor-
do com a vontade de Deus. Mas como podemos afirmar que o
servo do Senhor precisa ter todas essas qualidades para ser au-
5
Igreja: Do grego ekklesia, significa "Chamados para Fora". Grupo de seguidores de Cristo
que se reúnem em determinado lugar para adorar a Deus, receber ensinamentos, evangeli-
zar e ajudar uns aos outros (Rm 16:16). A totalidade das pessoas salvas em todos os tempos
(Ef 1:22).
6
Galácia: Província romana situada no centro-norte da Ásia Menor, onde hoje está a Turquia.
Foi visitada por Paulo (At 18:23) e ali foram fundadas várias igrejas (1ª Co 16:1).
7
Cobiça: Cobiça: Desejo veemente de conseguir alguma coisa. Ânsia ou ambição de honras
ou riquezas. Avidez. Concupiscência.
8
Virtude: Hábito de praticar o bem, o que é justo; excelência moral; probidade, retidão. Boa
qualidade moral. O conjunto de todas as boas qualidades morais. Austeridade no vi-
ver. Força moral; valor, valentia, coragem.
O que é Ser Crente?
11
têntico? Raciocine bem e nunca se esqueça disso: nenhum fruto
pode estar completo se estiver faltando pelo menos um de seus
gomos! Conhecemos a pessoa pelas suas qualidades, pois como
o próprio Senhor Jesus nos ensinou, é pelo fruto que se conhece
a árvore. Para entendermos isso melhor, analisemos agora cada
uma das virtudes do fruto do Espírito, as quais não podem faltar
na vida de um crente:
Amor9
 O amor tem que
ser verdadeiro (Rm
12:910
);
 Amar ao próximo é
uma condição para ser-
mos servos do Senhor (Jo
13:3511
);
 Quem ama sabe
perdoar (Pr 10:12);
9
Amor: Sentimento de apreciação por alguém ou algo, acompanhado do desejo de fazer o
bem (1º Sm 20:17).
10
Aborrecer: Desprezar (Gn 29:33). Sentir horror; detestar (Lv 19:17), desgostar (Fp 3:1).
11
Discípulo: Pessoa que segue os ensinamentos de um mestre. No Novo Testamento se
refere tanto aos Apóstolos (Mt 10:1) como aos cristãos em geral (At 6:1).
Amor
Ale-
gria
Paz
Paci-
ência
Be-
nigni-
dade
Bon-
dade
Fide-
lida-
de
Man-
sidão
Tem-
pe-
rança
Se faltar um
pedaço,
o fruto já
não está
completo!
Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço?
12
 Sem amor, tudo o que fazemos é em vão (1ª Co 13:1-712
13
).
Gozo14
 Os que obedecem a Palavra de Deus vivem em permanen-
te gozo (Jo 15:10,11);
 A alegria é dada por Deus àqueles que amam e praticam a
justiça (Sl 97:10-12);
 Somente aqueles que têm alegria conseguem adorar, lou-
var e glorificar a Deus espontaneamente (Sl 98:415 16 17
18
);
 A maior alegria do crente está na salvação da sua alma
(Lc 10:20).
Paz19
12
Leviandade: Procedimento irrefletido, precipitado ou sem seriedade; imprudência (Jr
23:32; 2ª Co 1:17).
13
Ensoberbecer: Orgulhar. Agir com vaidade.
14
Gozo: Prazer, júbilo, emoção agradável. Satisfação intelectual, moral ou material. Posse ou
uso de alguma coisa de que traz satisfação ou vantagem. Graça, motivo de alegria.
15
Celebrar: Festejar; comemorar; realizar com solenidade (Sl 98:4; Mt 22:2; 26:18).
16
Júbilo: Grande alegria ou contentamento. Regozijo.
17
Regozijar: Encher de regozijo, de alegria.
18
Louvor: Ato de louvar. Aplauso, elogio, encômio. Glorificação. Expressão usada para se
referir às músicas feitas para adorar a Deus.
19
Paz: Grande quietação e sossego.
O que é Ser Crente?
13
 A paz que nos foi deixada pelo Senhor Jesus Cristo20
tira
toda a nossa perturbação e o medo (Jo 14:2721
).
 Quem não vive na carne, mas sim no Espírito, tem vida e
paz (Rm 8:6).
 Somente quem confia em Deus consegue viver em paz (Sl
4:8);
 Aqueles que clamam ao Senhor alcançam livramento con-
tra os seus perseguidores (Sl 55:16-1822
; Pr 16:7).
Longanimidade23
 Aqueles que esperam com paciência têm as suas orações
ouvidas pelo Senhor (Sl 40:124
);
 Os que fazem a Obra do Senhor devem saber agir com
longanimidade (2ª Tm 4:225 26 27 28
);
20
Cristo: Do grego "khristós", significa "Ungido". Termo que se refere a Jesus. Em hebraico
tem o mesmo significado que Messias (Ungir).
21
Turbar: Transtornar; Causar problemas.
22
Invocar: Chamar. Implorar o auxílio ou a proteção de alguém. Pedir, suplicar: Invocar auxí-
lio, socorro.
23
Longanimidade: Paciência. Qualidade de quem tem grandeza de ânimo. Benigno, compla-
cente, indulgente, corajoso, generoso, paciente, resignado, longânimo.
24
Clamor: Ação de clamar. Súplica proferida em altas vozes; lamentação.
25
Instar: Insistir, pedir, rogar, implorar.
26
Redarguir: Repreender, replicar, responder.
27
Exortar: Animar, incentivar, estimular: exortar os jovens a prosseguir sem desâni-
mo. Induzir, conversar. Advertir, admoestar, aconselhar.
28
Doutrina: Conjunto de princípios em que se baseia um sistema religioso, político ou filosó-
fico.
Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço?
14
 Os crentes que sofrem por amor do Evangelho29
, devem
suportar essas aflições com paciência (2ª Co 1:6).
 Longanimidade é uma das características dos que são dig-
nos da vocação em que foram chamados (Ef 4:1,2).
Benignidade30
 Quem age benignamente sempre tem ajuda por parte de
Deus e dos homens (Pr 3:3,431
);
 A benignidade nos transforma em pessoas desejáveis (Pr
19:2232
);
 A benignidade juntamente com a verdade faz prosperar os
trabalhos de nossas mãos (Pr 20:28);
 Os eleitos de Deus devem estar sempre revestidos de be-
nignidade (Cl 3:12,1333
).
Bondade34
29
Evangelho: A mensagem de salvação anunciada por Jesus Cristo e pelos apóstolos (Rm
1.15). "Evangelho" em grego quer dizer "boa notícia".
30
Benignidade: Bondade, misericórdia. Não é o simples ato da bondade em si, mas a inten-
ção e o prazer de ser bondoso.
31
Atar: Amarrar.
32
Beneficência: Bondade (Gn 47:29). Atos de bondade (Ne 13:14).
33
Revestir: Tornar a vestir; vestir por cima.
34
Bondade: Qualidade de bom. Disposição natural para o bem. Benevolência, brandura,
indulgência. Boa índole. Cortesia, favor, mercê. Justiça.
O que é Ser Crente?
15
 A bondade é uma virtude que procede do coração do ho-
mem (Lc 6:45);
 Ser bondoso é uma das características daqueles que real-
mente se entregaram ao Senhor (Ef 5:9);
 Os que praticam a caridade sempre são abençoados (Pr
22:9);
 Os bondosos acharão vida, justiça e honra (Pr 21:21).
Fé35
 Sem fé é impossível agradar a Deus (Hb 11:636
);
 A fé é essencial para aqueles que buscam cura para as su-
as enfermidades (At 14:8-1037 38 39 40
);
35
Fé: Crença, crédito; convicção da existência de algum fato ou da veracidade de alguma
afirmação. Crença nas doutrinas da religião cristã.
36
Galardoador: Aquele que dá galardão (recompensa).
37
Listra: Cidade da Licaônia, onde Paulo encontrou Timóteo (At 14:6-21; 16:1-2).
38
Leso: Paralítico. Contuso, ferido, ofendido, violado. Apalermado, atoleimado. Tolhido.
39
Coxo: Aquele que tem defeito em uma ou nas duas pernas.
40
Paulo: Significa "Pequeno". Nome romano de Saulo, apóstolo dos gentios, o maior prega-
dor da Igreja primitiva (At 13:9). Israelita da tribo de Benjamim (Fp 3:5) e fariseu (At 23:6),
era cidadão romano por ter nascido em Tarso. Foi educado em Jerusalém aos pés de Gama-
liel (At 22:3; 26:4-5}. De perseguidor dos cristãos (At 8:3), passou a ser pregador do evange-
lho, a partir de sua conversão (At cap. 9). De Damasco foi à Arábia (Gl 1:17). Voltando para
Damasco, teve de fugir (At 9:23-25). Em Jerusalém os cristãos tinham receio dele (At 9:26-
28), mas Barnabé o levou aos apóstolos. Foi enviado a Tarso (At 9:30), e dali Barnabé o levou
a Antioquia da Síria (At 11.19-30). Com vários companheiros Paulo realizou três viagens
missionárias (At caps. 13-20). Em Jerusalém enfrentou a fúria dos opositores, indo parar em
Cesaréia (At 21:17-23:35}, onde compareceu perante Félix, Festo e Herodes Agripa II (At
caps. 24-26). Tendo apelado para o Imperador, viajou para Roma, onde permaneceu preso
Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço?
16
 Quem se dispõe a fazer algo para Deus deve, acima de tu-
do, ser fiel (1ª Co 4:241
);
 A fidelidade é indispensável para aqueles que buscam a
salvação (Lc 18:842
).
Mansidão43
 Sabedoria é uma das virtudes dos mansos (Tg 3:13);
 Quem sabe agir com mansidão não entra em contendas (2ª
Tm 2:23-2644
);
 Não há como evangelizar ou dar bom testemunho perante
os infiéis se não tiver mansidão (1ª Pe 3:1545
).
 Até mesmo quando temos razão para corrigir alguém, te-
mos que saber agir com mansidão (Gl 6:1).
durante 2 anos (At cap. 27-28); v. os mapas das viagens missionárias de Paulo. Ali escreveu
Efésios, Filipenses, Colossenses e Filemon. Além disso escreveu mais nove cartas. Diz a tradi-
ção que foi libertado e realizou trabalhos missionários por mais 3 anos. Foi preso novamente
e executado em Roma, provavelmente em 67 dC., no tempo de Nero.
41
Requerer: Pedir; solicitar. Exigir.
42
Filho do Homem: Título que Jesus usava para si mesmo como o escolhido de Deus para ser
o Salvador (Mc 10:45). Esse título se refere à condição humilde de Jesus (Mc 8:31; Lc 9:58) e
também à sua futura glória (Mt 25:31; Mc 8:38).
43
Mansidão: Modo de agir pacífico e bondoso; delicadeza (Sf 2:3; 1ª Co 4:21).
44
Contenda: Briga. Confusão; desentendimento.
45
Santificar: Ato de separar do mundo e dedicar a Deus (Lv 20:7; 1ª Ts 5:23). Purificar, con-
sagrar.
O que é Ser Crente?
17
Temperança46
 O crente sábio conse-
gue ter controle sobre a
sua língua (Cl 4:5,647
).
 O homem que é capaz
de dominar a si próprio
é superior àquele que
tem grande força física
(Pr 16:32).
 O domínio próprio é
uma das virtudes que
nos ajudam a prosperar
(2ª Pe 1:3-848 49
).
 Aqueles que profetizam
devem ter controle so-
bre o seu próprio espíri-
to (1ª Co 14:31-33,40).
46
Temperança: Capacidade do ser humano de controlar o seu comportamento.
47
Remir: Aproveitar. Libertar mediante o pagamento de um preço.
48
Piedade: Respeito pelas coisas religiosas e espírito de devoção (1ª Tm 4:8). Compaixão (Ez
7:4). Fidelidade a Deus. Religiosidade.
49
Concupiscência: Forte e continuado desejo de fazer ou de ter o que Deus não quer que
façamos ou tenhamos (Rm 7:8).
Para quem produz o fruto do
Espírito, ser crente é...
- Amar mesmo quando não é
amado;
- Manter a alegria mesmo em
momentos de dificuldades;
- Ter paz em qualquer situação;
entender que para tudo na vida
existe um momento certo;
- Desejar o bem de seu próximo,
- Não importa quem ele seja;
- Fazer pelos outros tudo aquilo
que gostaria que fizessem por
você;
- Ter fé para ser fiel até o fim;
- Se conter em momentos de
fúria, mesmo contrariando os
instintos do homem carnal;
- Saber se planejar e calcular as
consequências positivas e nega-
tivas de seus projetos antes de
tomar qualquer decisão.
Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço?
18
Na Bíblia, a palavra “crente” é mencionada cinco vezes:
quando Jesus, depois de crucificado, aparece à Tomé50
(Jo
20:27); numa narração de Lucas51
se referindo à mãe de Timó-
teo52
(At 16:153
); Paulo pregando sobre Abraão54
(Gl 3:9); e, no-
vamente, Paulo a cita por duas vezes ensinando sobre o dever da
igreja de sustentar as viúvas (1ª Tm 5:16). Como vimos aqui,
essa expressão é biblicamente usada para se referir aos fiéis no
Novo Testamento. Porém, para nós o mais importante não é co-
mo nos chamamos ou como somos chamados, e sim se verdadei-
ramente o fruto do Espírito está sendo plantado, regado e produ-
zido em alta escala e em boa qualidade em nossa vida.
50
Tomé: Nome hebraico do apóstolo também conhecido por Dídimo, nome grego que tam-
bém quer dizer "gêmeo". É mencionado em (Mc 3:18; Jo 11:16; 14:5; 20:24-29; 21:2).
51
Lucas: Do grego "Loukas" significa "O que Dá Luz" Médico e companheiro de Paulo (Cl 4:14;
2ª Tm 4:11; Fm 1:24). É o autor do Evangelho de Lucas e de Atos dos Apóstolos.
52
Timóteo: Significa “Honrado por Deus” ou “Honra a Deus”. Companheiro e ajudante de
Paulo (At 16:1-5; 17:10-15; 18:5; 19:21-22; 20:3-5; 2ª Tm 1:6; 4:9,21). Recebeu instrução
religiosa de sua mãe e de sua avó (2ª Tm 1:5; 3:15). Foi pastor da Igreja de Éfeso (1ª Tm 1:3).
53
Derbe: Significa "Curtidor de Couro". Cidade da Licaônia (na parte sul da Galácia), nos
confins de Isáuria (At 14:6,20; 16:1; 20:4).
54
Abraão: Esse nome significa pai, ou líder de muitos. É um personagem bíblico citado
no Livro do Gênesis a partir do qual se desenvolveram três das maiores vertentes religiosas
da humanidade: o judaísmo, o cristianismo e o islamismo. Obedecendo as ordens de Deus,
saiu com Ló de Harã, juntamente com sua esposa e seus bens, indo em direção a Canaã.
Abrão já teria setenta e cinco anos de idade e dá a entender que já tivesse pessoas a seu
serviço, embora nenhum filho. Teria sido pai pela primeira vez aos oitenta e seis anos, quan-
do nasceu Ismael: filho que ele concebeu com sua escrava Hagar, sob consentimento de sua
esposa Sara que era estéril. Sara deu à luz a Isaque com a idade aproximada de 90 anos e
Abraão tinha quase 100. Ele é considerado como o pai da fé e morreu com 175 anos de
idade.
II
Qual é o Significado do Batismo nas Águas?
Várias pessoas servem a Deus durante anos e, muitas vezes, se
embaraçam ao tentar responder a essa simples pergunta: “Qual é
a finalidade do batismo nas águas?” É por isso que o estudo da
Palavra de Deus é essencial para a nossa vida espiritual. Então
vamos procurar entender o batismo buscando primeiro saber o
significado dessa palavra na língua portuguesa: segundo o dicio-
nário Michaelis, o termo “batismo” é definido como um dos sa-
cramentos55
da Igreja, o que lava do pecado original e torna cris-
tão. Na linguagem popular a palavra “batismo” também expressa
claramente a ideia de iniciação, por esse motivo, obviamente, só
pode ser praticado uma vez; portanto, batizar-se é uma forma de
oficializar o início da participação do indivíduo em determinados
segmentos da sociedade. Em nosso caso, como crentes, marca
oficialmente o começo da nossa caminhada como cristãos, em
outras palavras, ele formaliza nossa associação à uma igreja, ou
melhor dizendo: é uma confissão pública de que tomamos a de-
cisão de sermos membros do Corpo de Cristo. Assim então, pas-
samos a entender que o batismo não é somente um ritual de ini-
ciação e sim um ato espiritual de extrema importância que não
55
Sacramento: Consagração. Cada um dos sinais sensíveis produtores da graça instituídos
por Jesus Cristo como auxiliares indispensáveis para a pessoa conseguir a salvação eterna.
Sinal instituído por Deus com o fim de purificar e santificar as almas. Termo mais usado pelos
católicos para se referir aos atos de batismo, eucaristia, penitência, extrema unção, matri-
mônio, etc.
Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço?
20
pode deixar de ser realizado na vida de um verdadeiro crente.
Porém só pode ser praticado com total consciência, pois, além de
ser uma ordenança56
, é um compromisso extremamente sério
diante de Deus!
Observe o que o apóstolo Paulo disse no sexto capítulo da
epístola57
aos Romanos do versículo 4 até ao 9: “4
De sorte que
fomos sepultados com ele pelo batismo na morte; para que, co-
mo Cristo ressuscitou dos mortos pela glória do Pai, assim an-
demos nós também em novidade de vida. 5
Porque, se fomos
plantados juntamente com ele na semelhança da sua morte, tam-
bém o seremos na da sua ressurreição; 6
sabendo isto: que o nos-
so velho homem foi com ele crucificado, para que o corpo do
pecado seja desfeito, a fim de que não sirvamos mais ao pecado.
7
Porque aquele que está morto está justificado do pecado. 8
Ora,
se já morremos com Cristo, cremos que também com ele vivere-
mos; 9
sabendo que, havendo Cristo ressuscitado dos mortos, já
não morre; a morte não mais terá domínio sobre ele”. O que
podemos entender aqui é que o apóstolo estava preocupado em
explicar aos crentes romanos que somente pelo fato de terem se
batizado, eles não deveriam se acomodar pensando que já esta-
56
Ordenança: Ordem, lei, regulamento.
57
Epístola: É um texto escrito em forma de carta, para ser correspondido a uma ou várias
pessoas, mas se distinguindo desta por expressar opiniões, manifestos, e discussões para
além de questões ou interesses meramente pessoais ou utilitários, sem porém deixar o
estilo coloquial, que combina paixões subjetivas e apelos intersubjetivos com o debate de
temas abrangentes e abstratos. As epístolas reunidas de um autor podem vir a ser publica-
das devido a seu interesse histórico, literário, institucional ou documental. Resumindo: é
uma carta pública.
Qual é o Significado do Batismo nas Águas?
21
vam salvos, porque era necessária uma verdadeira mudança de
vida. Para entender melhor esse ponto vamos estudá-lo trazendo-
o para os dias de hoje:
Rm 6:4 - Batismo simboliza sepultamento do pecador e o nas-
cimento de um novo homem (Ef 4:22-2458
);
Rm 6:5 - Se fomos criados a sua imagem e semelhança e anda-
mos como Ele andou, certamente temos direito ás bênçãos que
nos foram prometidas (Jo 15:4-859 60
);
Rm 6:6 - Quando nos batizamos estamos admitindo que aquela
vida de pecados ficou para trás e que a partir daí teremos uma
vida de santificação (Gl 2:20);
Rm 6:7 - Se morremos para o mundo - mundo aqui significa
pecado -, isso quer dizer que não temos mais nenhuma ligação
com ele (Cl 3:1-461
);
Rm 6:8 - Com isso, então, devemos entender que a nossa vida
passa a ser de total dedicação a Cristo (2ª Tm 2:11-13);
58
Despojar: Privar do que adornava ou revestia; despir, desnudar. Privar-se; deixar, largar,
desprender.
59
Vara: Ramo, broto. Galho (Ez 7:10; Jo 15:2). Galho cortado de uma árvore ou arbusto e
usado como símbolo de meio de destruição (Sl 2:9) ou de castigo (Pr 22:15).
60
Videira: (vide+eira) Arbusto sarmentoso, originário do Oriente (Vitis vinifera), que dá uvas
e pertence à família das Vitáceas. Eira é um espaço plano com um chão duro, de dimensões
variáveis, onde os cereais, eram malhados e peneirados, depois de colhidos.
61
Destra: Mão direita (Sl 118:15; Gl 2:9). Lado direito (Hb 10:12); pronuncia-se dêstra.
Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço?
22
Rm 6:9 - Porque quem está liberto do pecado, já não é mais do-
minado pelo inimigo (Rm 6:10-13).
Diante a tudo o que aprendemos aqui em relação ao batismo
nas águas, podemos chegar a seguinte conclusão: quando toma-
mos a decisão de sermos batizados, devemos ter a consciência de
que estamos assumindo, diante de Deus, o compromisso de
abandonar totalmente a vida de pecados; se queremos ter direito
a tudo o que Ele nos tem prometido, principalmente à salvação,
temos também que cumprir as nossas obrigações, e o batismo é
uma ordenança e não uma opção; mas para cumprir as ordens de
Deus é necessário termos a certeza de nossa decisão, pois não
podemos viver um Evangelho de aparência; e para saber se es-
tamos aptos a um compromisso mais sério precisamos nos exa-
minar em todos os momentos de nossa vida na intenção de saber
se estamos fazendo a vontade dEle; e uma das formas de enten-
dermos isso é quando sentimos dentro de nós um desejo cada vez
mais forte de estar na sua presença e fazer a sua Obra; e também
quando percebemos que estamos conseguindo resistir ás tenta-
ções malignas que estão a nossa volta.
Qual é o Significado do Batismo nas Águas?
23
Sendo assim, vemos tam-
bém que não há sentido ne-
nhum em batizar crianças
porque elas não têm pecado
e nem discernimento para
decidir o que querem. Existe
ainda um fator muito impor-
tante que deve ser compre-
endido e que muitos têm
simplesmente ignorado: em-
bora o batismo seja uma or-
denança e não uma opção,
ele não é uma condição obri-
gatória para a salvação, ou
seja: o batismo não salva,
mesmo depois de batizado é
necessário ter uma vida de
total santificação espiritual;
também um outro fator mui-
to importante é: ninguém será condenado pelo simples fato de
não ser batizado, pois se fosse assim, o ladrão que foi crucificado
com Cristo não teria ido para o céu, nesse caso, então, bastou o
arrependimento. Porém, é importante observar que ele não foi
batizado porque não houve tempo pra isso, o que significa que se
tivermos chance não podemos recusar o batismo.
O pedobatismo (batismo infantil) é uma
prática comum no catolicismo e em
algumas poucas ramificações
protestantes. Partindo pelo princípio de
que o batismo é uma confição de fé, esse
ato é inaceitável pelo fato de uma criança
não ter consciência para professar sua
crença; além do mais, ele é praticado por
aspersão em vez de imersão. Seus
praticantes usam a circuncisão do Antigo
Testamento como argumento de defesa,
mas não há nenhuma base bíblica no
Novo Testamento que defenda a
circuncisão e tampouco o batismo, ou
batizado, de inocentes.
Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço?
24
Muitos também evitam se batizar porque sabem da grande
responsabilidade que isso representa e temem por não consegui-
rem libertação de sua vida de pecado, achando que assim o ba-
tismo significará sua condenação; isso é um erro absurdo porque
sendo batizados ou não, o pecado os levará à condenação da
mesma forma. Portanto, se você aceitou realmente a Cristo como
seu Salvador, renunciou, mesmo que ainda com muitas fraque-
zas, ao pecado e deseja mesmo, oficialmente, fazer parte de sua
Igreja tendo o direito de participar por completo de sua liturgia62
como a Santa Ceia63
, exercer cargos, cantar, pregar e outras coi-
sas mais que, na maioria das denominações - não é uma regra
geral - só são permitidos aos crentes batizados, batize-se!
62
Liturgia: Conjunto das cerimônias e preces ordenado pela autoridade espiritual competen-
te.
63
Santa Ceia: Além da comunhão entre os irmãos, ela também é um memorial da morte de
Cristo, um ato sagrado e uma ordenança divina. Comer do pão e tomar do cálice significa
participar do Corpo e do Sangue de Cristo, relembrando seu vicário sacrifício pela humani-
dade. A Santa Ceia é uma celebração sagrada que merece total respeito e reverência, obe-
decendo a vontade do próprio Senhor Jesus que disse que deveríamos fazer isso em memó-
ria dEle (Mt 26:26-28).
Elementos do batismo e seus significados
Elemento Significado
Água Limpeza
Imersão do corpo Sepultamento
Vestes brancas Pureza
Qual é o Significado do Batismo nas Águas?
25
Ainda com relação às diferentes denominações, há ainda um
erro muito comum cometido por algumas delas: considerar invá-
lido o batismo em tanques, argumentando que eles só possam ser
realizados em águas correntes porque Jesus foi batizado num rio.
Não há lógica nessa linha de pensamento, pois na Bíblia não é
mencionada nenhuma regra com relação a isso. O batismo é um
ato simbólico de confissão pública de fé e não uma lavagem lite-
ral de pecados na qual se faça necessário que eles sejam levados
por águas correntes.
Só para concluir, quero responder a uma pergunta que muitos
fazem: “Se Jesus não tinha pecado, então por que Ele foi batiza-
do?”. A resposta é simples: como Ele próprio diz em Mateus
3:15, Ele tinha que cumprir toda a justiça, ou seja: concluir toda
a missão que Deus lhe confiou, a qual consistia em levar a todos
a salvação através da pregação do Evangelho e a instituição da
Graça. Sendo assim, como Ele veio morrer em nome dos pecado-
res, estava confessando o pecado no lugar deles; isso além de
fortalecer a pregação de João Batista e iniciar oficialmente seu
ministério terreno. Por essas razões, Ele deu o exemplo daquilo
que também devemos fazer. Então, não perca tempo! Siga o
exemplo do Mestre! Envergonhe Satanás confessando publica-
mente que você é mais um membro do Reino de Deus!
III
Como Devemos Orar?
Para nós, crentes, a maior maravilha é saber que não somos
apenas servos do Senhor, mas que temos também uma comuni-
cação direta com Ele, o Criador do universo e Salvador da hu-
manidade. Realmente, Deus nos conhece e sabe de todas as coi-
sas, mas a oração64
não é uma mera petição65
aonde listamos to-
das as nossas necessidades e sim uma forma de nós mesmos po-
dermos sentir que Ele está a nossa volta, adorando-o e edificando
a nossa vida espiritual. A oração também é necessária para de-
monstrarmos gratidão ao Pai Celestial, obtermos dons espiritu-
ais, alcançarmos forças para resistir ao pecado, preenchermos o
vazio da alma e, também, é claro, conseguirmos provisão para as
nossas necessidades materiais, físicas e sentimentais. Não impor-
ta quais sejam os teus problemas, a resposta para tudo é sim-
plesmente orar!
64
Oração: Originado do verbo “orar”, que vem do Latim Orare. Inicialmente significa “falar”.
Mas adquiriu particularmente o sentido “falar em público, discursar”. No cristianismo tem
também o significado de “falar à divindade, rogar, pedir, clamar”. Portanto “orar” significa
“falar”. Na língua inglesa o verbo “to pray” é usado tanto com o significado de “orar” quanto
com o significado de “pregar”.
65
Petição: Ato de pedir. Pedido. Requerimento.
Como Devemos Orar?
27
Em Mateus 6:5-13, Jesus nos ensina o seguinte: “5
E, quando
orares, não sejas como os hipócritas66
, pois se comprazem67
em
orar em pé nas sinagogas68
e às esquinas das ruas, para serem
vistos pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o
seu galardão69
. 6
Mas tu,
quando orares, entra no
teu aposento70
e, fechan-
do a tua porta, ora a teu
Pai, que vê o que está
oculto; e teu Pai, que vê
o que está oculto, te re-
compensará. 7
E, orando,
não useis de vãs repeti-
ções, como os gentios71
,
que pensam que, por muito falarem, serão ouvidos. 8
Não vos
assemelheis, pois, a eles, porque vosso Pai sabe o que vos é ne-
66
Hipócrita: Quem pratica a hipocrisia (fingimento, falsidade).
67
Comprazer: Agradar alguém. Fazer a vontade.
68
Sinagoga: Casa de oração dos judeus, que começou a existir provavelmente durante o
cativeiro. As sinagogas se espalharam pelo mundo bíblico. Nelas, adultos e crianças adora-
vam a Deus, oravam e estudavam as Escrituras (Lc 4:16-30). A doutrina cristã se espalhou
entre os judeus por meio das sinagogas (At 13:13-15), cuja organização e forma de culto
foram adotadas pelas igrejas cristãs.
69
Galardão: Recompensa de serviços importantes. Glória, honra, prêmio. Privilégios, ainda
não revelados, que serão dados por Deus aos salvos que trabalharam em sua Obra com mais
dedicação (Mc 9:41; 1ª Co 3:8-14; Ap 22:12).
70
Aposento: Casa de residência, moradia, hospedagem. Compartimento de casa, especial-
mente quarto de dormir.
71
Gentio: Qualquer povo fora de Israel. Quem segue o paganismo. Quem não é civilizado.
Grande quantidade de gente.
O Pai Nosso não é uma reza e sim
um modelo de oração. Quando Jesus
disse “Orareis assim!”, Ele não estava
mandando que repetíssemos suas
palavras, mas sim que nos expressás-
semos da mesma forma que Ele, ou
seja: Ele estava simplesmente nos
ensinando a orar. Portanto, não temos
que repetir essas mesmas palavras
toda vez que oramos.
Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço?
28
cessário antes de vós lho pedirdes. 9
Portanto, vós orareis assim:
Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome.
10
Venha o teu Reino. Seja feita a tua vontade, tanto na terra co-
mo no céu. 11
O pão nosso de cada dia dá-nos hoje. 12
Perdoa-nos
as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos deve-
dores. 13
E não nos induzas72
à tentação73
, mas livra-nos do mal;
porque teu é o Reino, e o poder, e a glória, para sempre.
Amém74
!” Se o próprio Jesus se preocupou em nos ensinar a orar
é porque a oração é realmente algo de extrema importância, e
totalmente indispensável para termos comunhão e mantermos
contato com Jeová75
. Vejamos então, à luz da Bíblia, algumas
“regras” práticas para nossas orações serem ouvidas por Deus:
Mt 6:5 - A oração tem que ser feita com humildade, pois Ele não
recebe oração de hipócritas (Jo 9:31);
72
Induzir: Persuadir à prática de alguma coisa; aconselhar, instigar. Causar, incutir, inspirar.
73
Tentação: Atração para fazer o mal por esperança de obter prazer ou lucro. Pode vir do
tentador (Gn 3:1-5 ) ou de dentro do ser humano (Tg 1.14-15).
74
Amém: Palavra hebraica que quer dizer "é assim" ou "assim seja". Também pode ser tra-
duzida por "certamente", "de fato", "com certeza" (Dt 27.15). É usada como um título para
Cristo, que é a garantia de que Deus cumprirá as promessas que fez ao seu povo (Ap 3.14).
75
Jeová: Significa "Senhor". (Hebr.: YHVH, Javé.) Nome de Deus, cuja tradução mais provável
é "o Eterno" ou "o Deus Eterno". Javé é o Deus que existe por si mesmo, que não tem princí-
pio nem fim (Êx 3:14; 6:3). Seguindo o costume que começou com a Septuaginta, a grande
maioria das traduções modernas usa "Senhor" como equivalente de YHVH (JAVÉ). A RA
(Revista e Atualizada) escreve "SENHOR". A forma JAVÉ é a mais aceita entre os eruditos. A
forma Jeová (Jehovah), que só aparece a partir do ano 1518, não é recomendável por ser
híbrida, isto é, consta da mistura das consoantes de YHVH (o Eterno) com as vogais de Ado-
nai (Senhor).
Como Devemos Orar?
29
Mt 6:6 - É necessário entender que a recompensa vem de Deus e
não dos homens (At 9:40-4376 77 78 79 80 81
);
Mt 6:7 - Ele não se agrada de orações decoradas, é preciso orar
sinceramente com o sentimento que venha realmente do coração
(Tg 4:2,3);
Mt 6:8 - Devemos lembrar que não estamos falando com qual-
quer um, e sim com aquEle que tudo criou e tudo sabe (Lc 11:9-
13);
Mt 6:9 - A melhor forma de começar uma oração é agradecendo
e exaltando o nome de Deus (Sl 22:23-2582 83 84
);
76
Pedro: Significa "Pedra". Apóstolo (Mc 3:13-19), também chamado de Simão e Cefas (Jo
1:42). Era pescador (Mc 1:16). Episódios de sua vida são mencionados em (Mc 1:16-18; Lc
5:1-11; 8:40-56; Mt 8:14-15; 14:28-33; 16:13-23; 17:1-13; 26:36-46,69-75; Lc 24:34; Jo 18:10-
18,25-27; 21:1-23; At 1:13-5:42; 8:14-25; 10:1-11:18; 12:1-19; 15:1-11; 1ª Co 9:5; Gl 1:18;
2:6-14). Segundo a tradição, foi morto entre 64 e 67 dC., no tempo do imperador Nero. Foi
autor de duas epístolas no Novo Testamento.
77
Tabita: Nome de origem aramaica que significa “Gazela”; em grego se diz Dorcas. Morava
na cidade de Jope. Através da oração de Pedro, ela foi ressuscitada (At 9:36-41).
78
Notório: Conhecido de todos. Notável, perceptível.
79
Jope: Antigo porto marítimo cercado de muralhas, localizado 56 km a noroeste de Jerusa-
lém em território filisteu, mas que pertencia à tribo de Dã (Js 19.46). É também o porto
aonde o profeta Jonas embarcou num navio para Társis tentando fugir de Deus.
80
Simão: Significa "Ouvinte". Na Bíblia aparecem nove homens com esse nome: 1) Pedro (Mt
4:18); 2) Iscariotes, pai de Judas (Jo 13:26); 3) O leproso (Mc 14:3); 4) Cirineu (Mt 27:32); 5)
Curtidor (At 10:6); 6) Fariseu (Lc 7:40);7) Mágico (At 8:9-24);8) Zelote ou Cananeu (Mt 10:4);
9) Irmão de Jesus (Mt 13:55).
81
Curtidor: Aquele que trabalha na preparação de couro.
82
Temer a Deus: Respeitar e reverenciar a Deus, reconhecendo a sua grandeza e santidade
(Pr 14:2). "Temor a Deus" não é medo que faz fugir de Deus (1ª Jo 4:18); mas sim respeito
Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço?
30
Mt 6:10 - Por mais que tenhamos necessidades e desejos, o que
deve prevalecer é a vontade de Deus (Mc 14:35,3685 86 87
);
Mt 6:11 - Também não devemos pedir mais do que o necessário,
porque devemos confiar que Ele é quem nos sustenta (Pr 30:7-
988
);
Mt 6:12 - E nunca podemos nos esquecer de lhe pedir perdão
pelos nossos pecados e ainda de perdoar até aqueles que não nos
amam (Mt 6:14,15);
(Hb 12:28), amor (Mt 22:37), obediência (Ec 12:13; At 10:35; 2ª Co 7:1) e adoração a ele (Dt
6:13-15).
83
Jacó: Significa enganador. Filho de Isaque e Rebeca e irmão gêmeo de Esaú (Gn 25:21-26).
A Esaú cabia o direito de Primogenitura por haver nascido primeiro, mas Jacó comprou esse
direito por um guisado (Gn 25:29-34). Jacó enganou Isaque para que este o abençoasse (Gn
27:1-41). Ao fugir de Esaú, Jacó teve a visão da escada que tocava o céu (Gn 27:42-28:22).
Casou-se com Léia e Raquel, as duas filhas de Labão (Gn 29:1-30). Foi pai de 12 filhos e uma
filha. Em Peniel lutou com o anjo do Senhor, tendo recebido nessa ocasião o nome de Israel.
Para fugir da fome, foi morar no Egito, onde morreu. Esse nome também era usado para
identificar o povo de Israel (Nm 24:5). Pai de José, o marido de Maria (Mt 1:15-16).
84
Congregação: Do hebraico "qahal", significa "assembléia", "companhia", "convocação".
Israel considerado como povo ou nação (Êx 12:3). O povo reunido, especialmente para fins
religiosos (1º Rs 8:14; Hb 10:25).
85
Prostrar: Curvar, humilhar, abater.
86
Aba: Palavra que quer dizer "pai" em aramaico (Mc 14:36; Rm 8:15).
87
Cálice: Linguagem figurada que representa uma porção ou experiência de alguém, seja
prazenteira ou adversa. Designações divinas, sejam favoráveis ou desfavoráveis. Comparável
a um cálice que Deus apresenta a alguém para beber: tanto de prosperidade, como de ad-
versidade.
88
Vaidade: Ilusão. Qualidade do que é vão, instável ou de pouca duração. Desejo imoderado
e infundado de merecer a admiração dos outros. Vanglória, ostentação. Presunção malfun-
dada de si, do próprio mérito; fatuidade, ostentação. Coisa vã, fútil, sem sentido. Futilidade.
Jactância, presunção.
Como Devemos Orar?
31
Mt 6:13 - E sempre pedir que ele nos livre do maligno (Jo
17:15).
E ainda devemos não esquecer de algo muito importante: toda
oração que fazemos é dirigida à Deus, pois é Ele quem nos ouve;
não temos que nos preocupar se sabemos usar uma linguagem
perfeita ou não, pois é o Espírito Santo quem intercede89
por nós
porque não sabemos orar como convém; e finalizar cada oração
em nome de Jesus, pois foi através de seu sacrifício90
que tive-
mos acesso direto ao Pai, e Ele é o nosso único Salvador e tam-
bém mediador91
diante Dele. E jamais nos esqueçamos disso: por
mais difícil que seja a nossa vida cotidiana, e mesmo que não
consigamos ver saída para os nossos problemas, “não há nada
impossível para Deus”, e tudo o que lhe pedirmos, em nome de
seu Filho, crendo, receberemos! “Portanto, orai sem cessar!”.
89
Interceder: Pedir algo em favor de alguém.
90
Sacrifício: Oferenda de animal, produto da colheita ou de qualquer coisa de valor, feita a
uma divindade para lhe tributar homenagens, ou para reconhecimento do seu poder, ou
ainda para lhe aplacar a cólera. A pessoa ou coisa sacrificada. Renúncia voluntária a um bem
ou a um direito. Ato de abnegação, inspirado por um veemente sentimento de amizade ou
de amor. Privação, voluntária ou involuntária, de uma coisa digna de apreço e estima. Sofri-
mento.
91
Mediador: Pessoa cuja função é reconciliar partes. Cristo é o mediador da nova Aliança,
através de quem Deus e as pessoas são reconciliados (Is 42:6; 1ª Tm 2:5; Hb 8:6; 9:15).
IV
Como Obter Consolo em Momentos de Angústia?
Vivemos num mundo tão cheio de adversidades que, muitas
vezes, o ser humano se vê à beira do desespero e não consegue
enxergar uma saída para os seus problemas. Muitos se entregam
ao álcool, às drogas e às várias outras armadilhas de Satanás,
procurando assim uma fuga, mas acabam se afundando cada vez
mais no abismo do pecado e, alguns, infelizmente, são tão domi-
nados pela depressão que acabam chegando ao suicídio. Segundo
os dicionários da língua portuguesa, existem dois tipos de de-
pressão: a depressão mental e a depressão nervosa. A depressão
mental é uma perturbação que atinge a mente e é caracterizada
pela ansiedade e pela melancolia92
; e a depressão nervosa é um
estado patológico93
de sofrimento psíquico94
assinalada pelo aba-
timento do sentimento de valor pessoal, por pessimismo e por
uma inapetência95
face à vida. É preciso saber lidar com os pro-
blemas cotidianos e conseguir entender que há coisas que, pela
própria vontade de Deus, não podem ser resolvidas da maneira
que queremos. Mas, então, o que fazer nos momentos de deses-
92
Melancolia: Psicose maníaco-depressiva. Estado de humor caracterizado por uma tristeza
vaga e persistente.
93
Patológico: Relativo à patologia (ciência que estuda a origem, os sintomas e a natureza das
doenças. História particular de cada doença. Define os termos, fixa-lhes as significações,
determina as leis dos fenômenos mórbidos, investiga e classifica as causas, os processos, os
sintomas, etc.).
94
Psíquico: Relativo à psique. Que pertence ou concerne à alma ou às faculdades morais e
intelectuais. Que se refere à mente; mental.
95
Inapetência: Falta de apetite.
Como Obter Consolo em Momentos de Angústia?
33
pero? A resposta é simples:
temos que buscar a conso-
lação unicamente em Deus!
Em 2ª Coríntios 1:3-11
está escrito o seguinte:
“3
Bendito96
seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o
Pai de misericórdias97
e Deus de toda consolação! 4
É ele que
nos conforta em toda a nossa tribulação, para podermos conso-
lar os que estiverem em qualquer angústia, com a consolação
com que nós mesmos somos contemplados por Deus. 5
Porque,
assim como os sofrimentos de Cristo se manifestam em grande
medida a nosso favor, assim também a nossa consolação trans-
borda por meio de Cristo. 6
Mas, se somos atribulados, é para o
vosso conforto e salvação; se somos confortados, é também para
o vosso conforto, o qual se torna eficaz, suportando vós com pa-
ciência os mesmos sofrimentos que nós também padecemos. 7
A
nossa esperança a respeito de vós está firme, sabendo que, como
sois participantes dos sofrimentos, assim o sereis da consolação.
8
Porque não queremos, irmãos, que ignoreis a natureza da tri-
bulação que nos sobreveio na Ásia, porquanto foi acima das
96
Bendito: Abençoado (Gn 12:3; Is 19:25). Feliz (Jz 5:24; Lc 13:35).
97
Misericórdia: Bondade (Js 2:14). Bondade, amor e graça de Deus para com o ser humano,
manifestos no perdão, na proteção, no auxílio, no atendimento a súplicas (Êx 20:6; Nm
14:19; Sl 4:1). Essa disposição de Deus se manifestou desde a criação e acompanhará o seu
povo até o final dos tempos (Sl 136:1-23; Lc 1:50). Virtude pela qual o cristão é bondoso para
com os necessitados (Mt 5:7; Tg 2:13).
Embora a medicina ofereça avan-
çados tratamentos para o controle
da depressão, sua cura definitiva só
pode ser alcançada através da fé e
da obediência a Deus.
Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço?
34
nossas forças, a ponto de desesperarmos até da própria vida.
9
Contudo, já em nós mesmos, tivemos a sentença de morte, para
que não confiemos em nós, e sim no Deus que ressuscita os mor-
tos; 10
o qual nos livrou e livrará de tão grande morte; em quem
temos esperado que ainda continuará a livrar-nos, 11
ajudando-
nos também vós, com as vossas orações a nosso favor, para que,
por muitos, sejam dadas graças98
a nosso respeito, pelo benefí-
cio que nos foi concedido por meio de muitos.” Vemos aqui que
o apóstolo Paulo passava por grandes tribulações simplesmente
por pregar o Evangelho, mas nem por isso ele desistia ou desa-
nimava; ele simplesmente buscava a consolação de Deus em vez
de se entregar à tristeza. Talvez as nossas dificuldades sejam um
pouco diferentes da situação que Paulo enfrentava naquele mo-
mento, mas ela nos serve de exemplo, como lição de vida para os
nossos dias atuais; então façamos uma breve meditação dessa
passagem para entendermos como age a consolação de Deus em
nossa vida:
2ª Co 1:3 - É indispensável estarmos sempre firmes na presença
do Todo-Poderoso porque, sendo tão misericordioso, Ele não
permite que sejamos destruídos pelo inimigo (Lm 3:21-23).
2ª Co 1:4 - Ele quer que estejamos sempre prontos para conso-
larmos uns aos outros (1ª Jo 4:13-15).
98
Graças: Do latim “gratia”, derivado de “gratus” que significa “grato”, “agradecido”. Agra-
decimento. Dar graças é agradecer ou atribuir um feito a alguém.
Como Obter Consolo em Momentos de Angústia?
35
2ª Co 1:5 - Precisamos ter plena consciência de que por mais
problemas que tenhamos, nós vivemos por Cristo e para Cristo, e
o que obtemos é através da fé (2ª Co 4:8-1399 100
).
2ª Co 1:6 - Devemos entender que Deus tem um propósito em
tudo, até no nosso sofrimento (Fp 1:20,21101
).
2ª Co 1:7 - Para tudo há uma recompensa, nada é em vão (Rm
8:36,37102
).
2ª Co 1:8 - Nenhum crente é super-herói, todos estamos sujeitos
às fraquezas espirituais (1ª Co 10:12,13).
2ª Co 1:9 - Deus permite nosso sofrimento para não nos esque-
cermos que dependemos dEle (Gl 2:18-21103
).
2ª Co 1:10 - Quando confiamos nEle, Ele está sempre pronto
para nos socorrer (Sl 16:1-3104
).
99
Perplexo: Admirado; cheio de incerteza.
100
Abatido: Triste, enfraquecido, humilhado.
101
Expectação: Expectativa.
102
Reputado: Considerado; avaliado. Tido por.
103
Graça: Favor imerecido. O vocábulo Graça provém do latim gratia, que deriva de gratus
(grato, agradecido) e que em sua primeira acepção designa a qualidade ou conjunto de
qualidades que fazem agradável a pessoa que as têm. Teologicamente, refere-se ao período
que se iniciou com a morte de Cristo na cruz, o qual pôs fim às rígidas imposições da Lei
mosaica, colocando em vigor o Novo Testamento.
104
Santo: (Latim: sanctu) Separado. Que obteve no Céu a recompensa prometida aos que
observam os ensinamentos evangélicos; bem-aventurado, eleito. Que vive conforme a lei de
Deus; que inspira benevolência e piedade; bondoso; que cumpre com todo o escrúpulo, com
a maior exatidão, os seus deveres religiosos e morais; virtuoso. Com o caráter de santidade;
Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço?
36
2ª Co 1:11 - Um de nossos maiores consolos é o apoio, tanto
espiritual quanto material, de nossos irmãos (2ª Co 7:5-10105 106
107
).
Portanto, podemos concluir o seguinte: somos consolados pela
misericórdia de Deus em nossa vida; sem Ele não haveria con-
forto em nossas dificuldades; se Cristo sofreu por nós, devemos
nos sentir honrados pelo privilégio de podermos sofrer por Ele;
Deus tem um propósito em tudo e conhece os nossos limites; o
que passamos serve para provar a nossa fé e nos ensinar a viver;
o segredo da vitória é confiar no seu poder e na sua misericórdia;
e a maior prova de que somos consolados por Deus é quando
dotado de santidade. Termo usado na Bíblia em referência à Igreja e seus membros (1ª Co
1:2; 6:2;; 2ª Co 1:1; Ef 1:4; Fp 4:21,22). Que se refere à religião ou ao rito sagra-
do. Consagrado ao culto, à divindade; sagrado. Digno de respeito e veneração pelo seu
caráter, talento e virtudes. Que é digno de respeito; quem o desrespeita comete um ato de
profanação. Que não faz mal a ninguém; ingênuo, inocente, simples. Benéfico, profícuo, útil.
105
Macedônia: É uma região do sudeste da Europa, que ocupa a parte central do que agora
se conhece como a Península Balcânica. Foi, em tempos, uma província romana que se es-
tendia desde o Mar Adriático, no Oeste, até o Mar Egeu, no Leste, e ficava ao Norte da Acaia.
Foi a primeira região da Europa a ser visitada pelo apóstolo Paulo na sua segunda viagem
missionária. Enquanto Paulo estava em Trôade, na Ásia Menor, teve uma visão que o man-
dava à Macedônia (At 16:8, 9). Paulo, junto com Lucas, Timóteo e Silas, partiu para a Mace-
dônia. Depois de chegar a Neápolis, o porto de Filipos, Paulo dirigiu-se à cidade de Filipos (At
16:11-40). Lucas permaneceu em Filipos quando Paulo, Silas e Timóteo percorreram as
cidades macedônias de Anfípolis (uns 50 km de Filipos) e Apolônia (uns 50 km de Anfípolis).
A seguir, Paulo visitou respectivamente as cidades macedônias de Tessalônica (uns 60 km de
Apolônia) e Beréia (uns 80 km de Tessalônica). O bom relatório que Timóteo trouxe, ao
retornar, induziu Paulo a escrever a sua primeira carta aos tessalonicenses (1ª Ts 3:6; At
18:5). A sua segunda carta aos tessalonicenses seguiu-se pouco depois.
106
Tito: Cristão grego, companheiro e amigo de Paulo, seu pai na fé. Foi pastor em Creta,
uma ilha do mar Mediterrâneo (Gl 2:1-3; Tt 1:4-5). Seu nome é mencionado várias vezes (2ª
Co 2:13; 7:6-16; 8:6,16,23; 12:18).
107
Contristado: Entristecido.
Como Obter Consolo em Momentos de Angústia?
37
conseguimos também consolar aos nossos irmãos. E devemos
resumir tudo isso da seguinte forma: para alcançarmos a conso-
lação, por piores que sejam as aflições, precisamos orar, conhe-
cer a Palavra e saber amar da mesma maneira que queremos ser
amados!
SE DEUS É TÃO AMOROSO E CHEIO DE MI-
SERICÓRDIA, POR QUE SOFREMOS TANTO?
 Como vivemos no mundo, estamos sujeitos a
tudo (Ec 9:2,3; Jo 17:14,15; 1ª Jo 5:19).
 Apesar que nem todos os problemas são moti-
vados pelo pecado, o pecado traz consequências
negativas (Jo 9:2,3; Rm 6:23).
 Deus nem sempre interfere da forma que espe-
ramos porque Ele tem um propósito diferente
com cada um (Jó 1:7-12).
 Nosso maior livramento é da alma e não do cor-
po (At 20:24; Fp 1:21; 2ª Tm 2:10-12; Mt 10:28).
V
O que é Fazer a Vontade de Deus?
Em nossa vida cotidiana, uma vez ou outra, precisamos procu-
rar um médico para nos examinar e ver se está tudo bem conosco
para que não venhamos a ter problemas de saúde futuramente. E
na nossa vida espiritual devemos agir da mesma forma; porém
esse “check-up108
” tem que ser feito a todo momento, para que
não venhamos a pecar perdendo a comunhão com o Espírito San-
to e, consequentemente, a própria salvação. Você já parou pra
perguntar para Deus se Ele está se agradando de suas atitudes?
Pois o seu Santo Espírito é muito sensível e se entristece gran-
demente quando erramos e não nos arrependemos. Jesus Cristo
fez um grande sacrifício por nós e devemos honrá-lo fazendo a
vontade de seu Pai. Imagine como Ele se sente quando olha para
o homem, por quem Ele foi crucificado, e vê que ele não corres-
ponde com sinceridade ao seu imenso e infinito amor. Certamen-
te você se preocupa se está sendo útil, agradável e se não está
decepcionando às pessoas a quem você ama; mas alguma vez
você se preocupou se está sendo um servo eficiente, irrepreensí-
vel e se não está decepcionando a Deus? Ao invés de pedirmos
que Ele faça a nossa vontade, temos a obrigação de lhe perguntar
se nós estamos fazendo a vontade dEle!
108
Check-up: Palavra inglesa mais usada pelos norte-americanos que pode ser entendida
como “um exame minucioso”.
O que é Fazer a Vontade de Deus?
39
Para termos a certeza de que estamos fazendo a vontade de
Deus, precisamos orar como Davi no Salmo 139:24: “4
E vê se há
em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno.”
Quando disse essas palavras, o rei Davi estava reconhecendo a
onipotência109
e a soberania110
de Deus em sua vida, e demons-
trava grande preocupação em relação à sua vida espiritual, pois
ele não queria pecar, e caso estivesse pecando, queria que Jeová
lhe mostrasse o caminho certo. Para ter a certeza se estamos
agindo corretamente diante de Deus ou não, vamos fazer uma
rápida autoanálise de nossas vidas buscando as respostas dentro
da Bíblia. Segundo as Sagradas Escrituras, fazer a vontade de
Deus é:
 Entregar sua vida a Ele (Jo 3:16111
);
 Procurar conhecer os seus mandamentos (Sl 119:11);
 Ter uma vida de santificação (Rm 6:19);
 Orar constantemente (1ª Ts 5:17);
 Agradecê-lo por tudo (1ª Ts 5:18);
 Oferecer-lhe sacrifícios sinceros (Lc 21:2,3);
 Obedecer aos seus superiores (Rm 13:1,2112
);
109
Onipotência: Atributo pelo qual Deus pode tudo (Jó 42:2; Sl 91:1; Mt 19:26; Lc 1:37).
110
Soberania: Caráter ou qualidade de soberano. Autoridade suprema. Autoridade moral
considerada como suprema; poder supremo, irresistível.
111
Unigênito: Único gerado. Filho único.
112
Alma: A parte não-material e imortal do ser humano (Mt 10:28), sede da consciência
própria, da razão, dos sentimentos e das emoções (Gn 42:21). Os dicotomistas entendem
que o ser humano é corpo e alma, sendo espírito sinônimo de alma. Os tricotomistas acredi-
tam que o ser humano é corpo, alma e espírito. "Alma vivente" quer dizer "ser vivo" (Gn
Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço?
40
 Trabalhar com dedicação na sua Obra (2º Cr 29:11113 114
115
);
 Amar ao próximo como a si mesmo (Mc 12:31);
 Saber controlar suas palavras (Sl 12:3116
);
 Ser humilde (Pr 14:20-22);
 Nunca negar o seu nome (Lc 12:9);
 Ser fiel em qualquer circunstância (2ª Tm 2:11,12);
 Admitir seus erros (Pr 28:13);
 Saber perdoar e pedir perdão (Mt 6:15);
 Não apoiar nenhum tipo de violência (Sl 140:11117
);
 Jamais praticar a vingança (Rm 12:17-21118
);
 Ter a certeza de que realmente o Espírito Santo está fruti-
ficando em sua vida (Gl 5:22);
2:7). Na Bíblia, muitas vezes, a palavra "alma" é empregada em lugar do pronome pessoal
significando "vida". (Sl 22.20), e, outras vezes, quer dizer "pessoa" (Êx 1:5).
113
Negligente: Que tem negligência. Desatento, descuidado, desleixado. Lânguido, preguiço-
so. Irresponsável.
114
Ministro: Servo (Sl 103:21; Jo 18.36). Empregado (Rm 13:4). Conselheiro; auxiliar ( 2º Sm
8:18). Pessoa designada para exercer um ministério (2º Cr 29:11; At 26:16). O servo de Cristo
que, na igreja, prega a palavra e administra o batismo, a ceia, etc. (1º Co 4:1; Ef 6:21; 1º Tm
4:6).
115
Incenso: Resina aromática de certas árvores que, misturada com especiarias (Êx 30:34-
38), era queimada nas cerimônias de adoração a Deus (Lv 16:13), de manhã e à tarde (Êx
30:1-10). O incenso era símbolo das orações que subiam para Deus (Sl 141:2; Ap 8:3-5).
116
Lisonjeiro: Bajulador. Pessoa que agrada outra por interesse.
117
Desterrado: Banido da pátria. Exilado.
118
Ira: A ira de Deus é a sua reação contra o pecado, a qual o leva a castigar o pecador (Ez
7:8-9; Ap 16:19). Porém maior do que a ira de Deus é o seu amor, que perdoa aqueles que se
arrependem e mudam de vida (Is 54:7-8; Rm 9:22-23). "Filhos da ira" quer dizer "sujeitos ao
castigo" de Deus (Ef 2:3).
O que é Fazer a Vontade de Deus?
41
 E, entre várias outras coisas, pregar a Palavra para que ou-
tras pessoas também possam conhecê-lo e servir a Ele (1ª
Tm 2:3,4).
Tudo isso o que vimos aqui foi apenas um breve e simples
resumo do que é realmente agradar a Deus. Para saber se esta-
mos dentro de sua vontade precisamos orar pedindo-lhe orienta-
ção; que o seu Santo Espírito venha a nos incomodar cada vez
que estivermos perto de pecar, e se já tivermos pecado, que Ele
não nos permita ter paz em nosso coração até que nos arrepen-
damos e consertemos os nossos erros. Além da oração, outra for-
forma também indispensável para se obter orientação divina é
buscar o conhecimento da Palavra, pois quem conhece os seus
mandamentos sabe muito bem diferenciar entre o certo e o erra-
do. Portanto, sabemos que por mais que sejamos ameaçados por
esse mundo mal e pecaminoso, Satanás só consegue dominar
sobre a nossa vida se nós abrirmos brechas e deixarmos que ele
entre em nosso coração. A volta do Senhor Jesus Cristo está mui-
to próxima! Vigiemos, pois não sabemos o dia e nem a hora! Por
isso é necessário estarmos sempre preparados!
VI
Por que um Servo de Deus Não pode Viver em Pecado?
Deus criou o homem simplesmente para adorá-lo e também
para usufruir das inúmeras bênçãos que deixou à sua disposição.
Porém, o homem, com o seu natural instinto de rebeldia, se dei-
xando levar pela cobiça, desobedeceu às ordens do Senhor e,
dessa maneira, acabou construindo uma barreira entre ele e
Deus. Isso não significa que Jeová tenha lhe virado as costas,
muito pelo contrário; mas isso refletiu fortemente em seu relaci-
onamento com o Criador, o qual passou a lhe abençoar por me-
dida segundo a sua misericórdia, fazendo-o viver pelo suor do
seu rosto, ou seja: se antes ele recebia seu alimento nas mãos,
depois do pecado ele passou a ter que plantar para se alimentar.
Hoje vivemos as consequências desse ato, entretanto, não pode-
mos nos considerar como vítimas de Adão e Eva, e sim entender
e admitir como a personalidade119
deles se reflete em nosso cará-
ter120
, o qual nos leva à tendência de praticar sempre o que é er-
rado mesmo que queiramos fazer o que é certo; e isso, natural-
mente, atrapalha nossa comunhão com Deus e nos impede de
receber muito mais bênçãos além das que já usufruímos pela sua
infinita misericórdia. Mas conhecemos uma fórmula básica para
119
Personalidade: Caráter essencial e exclusivo de uma pessoa. Aquilo que a distingue de
outra.
120
Caráter: Moral. Índole. Característica.
Por que um Servo de Deus não Pode Viver em Pecado?
43
o remédio contra o pecado121
: arrependimento, oração e renún-
cia, e isso pode ser traduzido simplesmente como santificação!
Em 1ª João 5:5-10 diz o seguinte: “5
E esta é a mensagem que
dele ouvimos e vos anunciamos: que Deus é luz, e não há nele
treva nenhuma. 6
Se dissermos que temos comunhão com ele e
andarmos em trevas, mentimos e não praticamos a verdade.
7
Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão
uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos
purifica de todo pecado. 8
Se dissermos que não temos pecado,
enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós. 9
Se con-
fessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar
os pecados e nos purificar de toda injustiça. 10
Se dissermos que
não pecamos, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em
nós.” Observando a preocupação do apóstolo João122
em tratar
121
Pecado: Falta de conformidade com a lei de Deus, em estado, disposição ou conduta. Para
indicar isso, a Bíblia usa vários termos, tais como pecado (Sl 51:2; Rm 6:2), desobediên-
cia (Hb 2:2), transgressão (Sl 51:1; Hb 2:2), iniquidade (Sl 51:2; Mt 7:23), mal, maldade, ma-
lignidade (Pr 17:11; Rm 1:29), perversidade ( Pr 6:14; At 3:26), rebelião, rebeldia (1º Sm
15:23; Jr 14:7), engano (2ª Ts 2.10), injustiça (Jr 22.13; Rm 1.18), erro, falta (Sl 19.12; Rm
1.27), impiedade (Pr 8.7; Rm 1.18), concupiscência ( Is 57:5; 1ª Jo 2:16), depravidade, depra-
vação ( Ez 16:27,43,58). O pecado atinge toda a raça humana, a partir de Adão e Eva (Rm
5:12). O castigo do pecado é a morte física, espiritual e eterna (Rm 6:23). Da morte espiritual
e eterna escapam aqueles que se chegam a Cristo, o Salvador (Rm 3:21-8:39).
122
João: Filho de Zebedeu e de Salomé. Ele e seu irmão Tiago eram pescadores (Mt 4.21).
João Batista o apresentou a Jesus (Jo 1:35-39), que o chamou para ser apóstolo (Mc 1:19-
20). Era do grupo mais íntimo de Jesus (Mc 5:37; Mt 17:1; 26:37). Ele e Tiago são chamados
de Boanerges (Filhos do Trovão: pessoas de caráter violento). João é provavelmente o discí-
pulo amado (Jo 13:23). Foi ele o único discípulo que permaneceu perto da cruz (Jo 19:26-27)
e o primeiro a crer na ressurreição de Cristo (Jo 20:1-10). Após o Pentecostes, trabalhou
inicialmente com Pedro (At 3:1-4:22; 8:14-17; Gl 2:9). A tradição diz que João viveu em Éfeso
Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço?
44
desse assunto, vemos que a igreja, desde o seu início, já enfren-
tava vários problemas com a influência mundana. Então vamos
meditar em alguns pontos principais de cada versículo para que
possamos entender que, apesar de tudo, ainda é possível haver
uma aproximação entre o homem e o seu Senhor:
1ª Jo 5:5 - Os pecados do homem o impedem de receber muitas
bênçãos de Deus (Is 59:1-3123
);
1ª Jo 5:6 - Para servi-lo é necessário haver absoluta renúncia às
coisas do mundo (Lc 9:23-25124
);
1ª Jo 5:7 - Pois ele está sempre pronto a receber aqueles que o
querem servir verdadeiramente (Sl 145:17-20125
);
1ª Jo 5:8 - Devemos admitir nossas falhas ao invés de tentarmos
justificar nossos erros pensando que somos os donos da razão em
tudo aquilo que fazemos (Rm 3:23-26126 127 128 129
);
até uma idade bem avançada. É considerado o autor do Evangelho de João, das três epísto-
las que levam o seu nome e do Apocalipse.
123
Iniquidade: Falta de eqüidade (retidão). Pecado que consiste em não reconhecer igual-
mente o direito de cada um, em não ser correto, em ser perverso.
124
Granjear: Conquistar algo com trabalho ou esforço.
125
Ímpio: Quem não tem fé; incrédulo, descrente, herege, ateu.
126
Destituído: Afastado; tirado; impedido; privado; separado.
127
Redenção: Libertação.
128
Propiciação: Ato realizado para aplacar a ira de Deus, de modo a ser satisfeita a sua santi-
dade e a sua justiça, tendo como resultado o perdão do pecado e a restauração do pecador à
comunhão com Deus. No Antigo Testamento a propiciação era realizada por meio dos Sacri-
fícios, os quais se tornaram desnecessários com a vinda de Cristo, que se ofereceu como
sacrifício em lugar dos pecadores (Êx 32.30; Rm 3.25; 1ª Jo 2.2).
129
Remissão: Ato ou efeito de remir, livrar. Indulgência, misericórdia. Expiação, perdão.
Por que um Servo de Deus não Pode Viver em Pecado?
45
1ª Jo 5:9 - Não devemos pecar, mas, se pecarmos, devemos sa-
ber que só há um que pode nos perdoar (1ª Jo 2:1-6);
1ª Jo 5:10 - O verdadeiro crente não é aquele que não erra, mas
sim aquele que está procurando diariamente consertar os seus
erros (Rm 7:14-20).
Desse maravilhoso ensinamento bíblico podemos resumir tudo
o que vimos da seguinte maneira: Fomos criados à imagem e
semelhança de Deus, portanto deve se refletir em nós o seu santo
caráter; mas para isso, a primeira coisa que devemos fazer é re-
nunciar às influências mundanas; pois se usarmos o nosso livre
arbítrio para segui-lo de acordo com a sua vontade, Ele está
sempre pronto a nos ajudar; é necessário que reconheçamos nos-
sos erros, admitindo que nem sempre estamos certos em nossas
atitudes, e que precisamos melhorar a cada dia; porque Jesus
Cristo se sacrificou na cruz para nos perdoar pelos nossos peca-
dos; e jamais devemos nos esquecer que seguir perfeitamente os
mandamentos divinos não significa que conseguiremos fazer
sempre apenas o que é certo, mas sim que devemos tentar agir
sempre da maneira correta. De acordo com a Palavra de Deus
podemos definir que apesar de vivermos num mundo quase to-
talmente corrompido pelo pecado, ainda é possível, mesmo com
todas as nossas falhas, termos uma vida separada e de total dedi-
cação a servir e seguir os passos do nosso grandioso Mestre!
VII
O que é Blasfêmia130
Contra o Espírito Santo?
Essa é uma pergunta que intriga, incomoda e chega até mesmo
a preocupar a muitas pessoas, principalmente alguns crentes
meio desconcertados. Pois todos sabem que Deus é tremenda-
mente misericordioso, e isso os leva a pensar no por quê desse
pecado ser tão terrível a ponto dEle não perdoá-lo; há muitos que
questionam a si mesmos tentando entender se já cometeram essa
terrível abominação131
ou não, e outros que têm sérias dúvidas a
respeito de suas atitudes e, mesmo sem entender biblicamente
sobre esse delicado assunto, imaginam que não têm mais direito
à salvação. Mas, afinal, o que é realmente a blasfêmia contra o
Espírito Santo? Como eu posso saber se já cometi esse pecado
ou não? E, principalmente, como devo agir para evitar cometê-
lo? Para essas e outras perguntas, somente as Sagradas Escrituras
têm a resposta! Mas antes de meditarmos nesse tema biblicamen-
te, precisamos entender literalmente o significado da palavra
blasfêmia na língua portuguesa e qual é a sua interpretação teo-
lógica: segundo o dicionário Michaelis, blasfêmia é uma palavra
ofensiva à divindade ou à religião; e também um ultraje dirigido
contra pessoa ou coisa respeitável; e, teologicamente, segundo os
130
Blasfêmia: Palavra ofensiva à divindade ou à religião. Contrassenso, heresia. Praga, maldi-
ção, imprecação.
131
Abominação: Repulsa de qualquer ato ou pensamento contrário à moral ou ao bom sen-
so. Tudo o que é abominável. Falsa religião, idolatria, superstição. Por vezes, signifi-
ca ídolo na Bíblia.
O que é Blasfêmia Contra o Espírito Santo?
47
dicionários bíblicos mais respeitáveis, blasfemar significa dizer
palavras ofensivas, isto é, blasfêmias, contra Deus, Jesus Cristo,
o Espírito Santo, ou contra qualquer coisa sagrada; e também
está blasfemando quem diz ter direitos ou poderes que pertencem
somente a Deus. Porém, como aqui estamos tratando especifica-
mente de blasfêmia contra o Espírito Santo, devemos também
saber quem Ele é: De acordo com a Bíblia, o Espírito Santo de
Deus não é uma mera força ativa - igual a qualquer manifesta-
ção da natureza ou astro do universo - como afirmam algumas
seitas, e sim a pessoa do próprio Deus manifestando o seu poder
entre nós. Para compreender isso é necessário entender a Trinda-
de - o Pai, o Filho e o Espírito Santo - que é a mesma pessoa de
Deus manifestada de três diferentes formas, e não três deuses
atuando juntos como pensam alguns. Assim concluímos que ter o
Espírito Santo em nós é ter o próprio Deus agindo em nossa vi-
da, portanto, devemos agora saber como não blasfemar contra
Ele.
Um dos textos bíblicos mais claros sobre isso está em Mateus
12:30-32: “30
Quem não é comigo é contra mim; e quem comigo
não ajunta espalha. 31
Portanto, eu vos digo: todo pecado e blas-
fêmia se perdoará aos homens, mas a blasfêmia contra o Espíri-
to não será perdoada aos homens. 32
E, se qualquer disser algu-
ma palavra contra o Filho do Homem, ser-lhe-á perdoado, mas,
se alguém falar contra o Espírito Santo, não lhe será perdoado,
nem neste século nem no futuro.” Observe que aqui Jesus não
Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço?
48
estava simplesmente pregando para o povo, Ele estava, nesse
momento, corrigindo duramente aqueles que diziam que Ele es-
tava sendo usado por Satanás para expulsar demônios. E é aí que
começamos a entender o que Ele quer dizer com isso:
Mt 12:30 - Aquele que não aceita a Cristo, automaticamente, o
está rejeitando e, dessa maneira não o está reconhecendo como
Senhor e Salvador da humanidade (2ª Co 6:14-18132 133 134
);
Mt 12:31 - E quem o rejeita, principalmente proferindo palavras
de ofensa, está rejeitando o seu poder que se manifesta através
do seu Espírito Santo (Jo 12:47,48135
);
Mt 12:32 - Entretanto, com sua imensa misericórdia, Ele perdoa
e dá ao homem uma nova oportunidade, porém, o ser humano,
pela dureza de seu coração, muitas vezes acaba escarnecendo do
nome de Deus e sofrendo duramente as consequências de seus
atos (Gl 6:7,8136 137
), pois é aí que ele dá brechas para que os es-
píritos malignos o dominem (Lc 11:24-26138
).
132
Jugo: Peça de madeira que se prende com correias ao pescoço de animais de carga, para
que assim possam puxar uma carroça ou um arado (Nm 19:2; 1º Sm 6:7). Em sentido figura-
do: domínio, opressão (Gn 27:40; Jr 28:2; Gl 5:1); sofrimento (Lm 3:27); obediência (Mt
11:29-30); aliança (2ª Co 6:14); trabalho (Fp 4:3).
133
Belial: Pessoa má, sem valor (Jz 19:22; 1ª Sm 30:22). Diabo ( 2ª Co 6.15).
134
Ídolo: A divindade representada por um objeto, o qual é adorado em lugar da própria
divindade, o que caracteriza a idolatria.
135
Julgar: Decidir como juiz, dando sentença de condenação ou de absolvição (Êx 18:13; Dt
1:16). Supor; imaginar; pensar (Lc 7:43; At 8:20). Castigar (Sl 110:6). Censurar; condenar (Mt
7:1; Jo 12:47; Rm 14:3). Salvar; defender (Sl 35:24).
136
Escarnecer: Zombar.
O que é Blasfêmia Contra o Espírito Santo?
49
Há ainda outros pontos de extrema importância que devemos
considerar a respeito da blasfêmia contra o Espírito Santo, ob-
serve bem:
 É necessário termos um imenso cuidado quando duvida-
mos se alguém está realmente sendo usado por Deus ou
não (Mc 3:23-27139
);
 não devemos crer em tudo (1ª Jo 4:1);
 e a Palavra de Deus nos dá o direito de julgar (1ª Ts
5:21140
),
 mas para isso é necessário discernimento espiritual (At
5:1-3141
)!
Blasfemar contra o Espírito Santo significa virar as costas para
Deus e recusar determinadamente o seu poder e a sua autoridade
137
Ceifar: Colher, cortar.
138
Adornado: Ornado, ornamentado. Ataviado, enfeitado, adereçado.
139
Subsistir: Existir (Fp 2:6). Permanecer (Jo 9:41). Manter-se em pé (Na 1:6; Lc 11:18). Con-
servar em ordem e harmonia (Cl 1:17).
140
Reter: Guardar. Conservar.
141
Ananias e Safira: Os primeiros cristãos não consideravam suas posses como sendo suas,
mas eles tinham tudo em comum para usar o que tinham em benefício daqueles que preci-
savam. Barnabé, um levita de Chipre, vendeu um terreno e doou o lucro para os apóstolos.
Então, Ananias e Safira também venderam suas terras, mas retiveram uma parte das vendas,
tendo decidido que não iriam dar tudo para à congregação. Ananias apresentou a sua doa-
ção para Pedro dizendo que era o valor total. Pedro respondeu: "Por que é que Satanás
encheu seu coração a ponto de você mentir ao Espírito Santo?". Pedro salientou que Ananias
estava no controle do dinheiro e poderia dar ou usá-lo como bem entendesse, mas que ele
tinha retido de Pedro e mentiu sobre isso, e afirmou que Ananias não só mentiu para Pedro,
mas também para Deus. Ananias morreu no mesmo instante, e como resultado, todos os
que ouviram o conto ficaram com medo. Três horas mais tarde, sua esposa disse a mesma
mentira e sofreu o mesmo destino.
Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço?
50
sobre nós, rejeitando a unção142
que Ele tem colocado sobre seus
servos e, muitas vezes debochando e até mesmo atribuindo-a a
demônios. Devemos entender que ao mesmo tempo em que a
blasfêmia contra o Espírito Santo não consiste de simples atos
inconscientes com os quais o inimigo tenta confundir nossa men-
te para que deixemos de servir a Deus pensando que não temos
mais salvação, ela também é um pecado muito fácil de ser come-
tido, bastando para isso um simples descuido de nossa parte.
Chegamos a essa conclusão porque sabemos que o Espírito San-
to de Deus é provido de uma grande sensibilidade e qualquer ato
irreverente de nossa parte pode afastá-lo de nós. Portanto, vigie-
mos e oremos diariamente pedindo-lhe que coloque em nossa
vida mais temor, retidão e amor pelas coisas espirituais, e que
nos faça sentir quando estivermos a ponto de pecar para mudar-
mos as nossas atitudes antes de perdermos a nossas salvação!
142
Unção: Ato de ungir; A unção era feita pelos sacerdotes passando azeite sobre a cabeça
de pessoas separadas para o serviço sagrado ou para um reinado. Também usada no Novo
Testamento, e também nos dias atuais, por obreiros durante a oração por enfermos. Em
nossa linguagem evangélica popular representa a capacidade espiritual de uma pessoa no
uso de seus dons. Dizer que uma pessoa tem unção é o mesmo que dizer que ela é ungida
por Deus, ou seja: que foi especialmente separada e capacitada por Ele para o desempenho
de algo.
VIII
O que são e Como Obter os Dons Espirituais?
Em várias passagens bíblicas podemos ver claramente Deus
nos ordenando a fazer sua Obra; no entanto, para nós, o melhor é
saber que Ele não nos manda desarmados para essa guerra, pois
Ele nos dotou de dons143
espirituais para enfrentarmos o inimigo
e nos deu as ferramentas adequadas para cada função que preci-
samos exercer nos ministérios144
em que fomos chamados.
Quando Ele manda, Ele capacita através do seu Santo Espírito,
possibilitando-nos a fazer qualquer coisa desde que estejamos
dispostos a obedecê-lo. Você quer fazer algo para Deus e se sen-
te incapaz? Certamente Ele já te deu algum talento, então sim-
plesmente ore e peça-lhe que desperte esse dom que há em ti.
Não deixe o Diabo te dominar com o maldito sentimento de infe-
rioridade e inutilidade espiritual!
No capítulo 12 da 1ª epístola de Paulo ao povo de Corinto, nos
7 primeiros versículos, ele nos ensina o seguinte: “1
Acerca dos
dons espirituais, não quero, irmãos, que sejais ignorantes. 2
Vós
bem sabeis que éreis gentios, levados aos ídolos mudos, confor-
143
Dom: Domínio sobre algum tipo de atividade. Dádiva, presente, talento, prenda, aptidão,
capacidade, habilidade especial, Bem espiritual proporcionado por Deus: graça.
144
Ministério: Serviço. Cargo ou ofício de Ministro (Conselheiro; auxiliar; empregado). De-
sempenho de um serviço. Exercício de um serviço religioso especial, como o dos levitas,
sacerdotes, profetas e apóstolos; Vocação, disposição, tendência predominante numa pes-
soa, atitude característica; Dom, capacidade que o Espírito Santo concede aos servos de
Deus para uso em favor dos outros. Uma habilidade especial de fazer algo. Arte de ministrar.
Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço?
52
me éreis guiados. 3
Portanto, vos quero fazer compreender que
ninguém que fala pelo Espírito de Deus diz: Jesus é anátema145
!
E ninguém pode dizer que Jesus é o Senhor, senão pelo Espírito
Santo. 4
Ora, há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo.
5
E há diversidade de ministérios, mas o Senhor é o mesmo. 6
E há
diversidade de operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo
em todos. 7
Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um
para o que for útil.” Se o pastor Paulo se preocupou em tratar
desse assunto foi porque o povo daquela época tinha muitas dú-
vidas de como usar os dons e isso causava desordem nas comu-
nidades cristãs. Meditando nesse texto podemos obter um exato
conhecimento do que é realmente fazer a Obra de Deus. Muitos
têm aplicado seus próprios conceitos sobre o que é, e como é,
cumprir as ordens de Jesus Cristo, tanto formalmente dentro da
igreja quanto pessoalmente no evangelismo. Existe uma hierar-
quia a ser condicionalmente respeitada e várias questões éticas
que nem sempre têm sido observadas. Vejamos, então, alguns
desses pontos baseados no que o apóstolo expôs nessa passagem:
1ª Co 12:1 - Para sabermos usar nossos dons é necessários co-
nhecê-los (1ª Co 2:12-15);
145
Anátema: Maldição, reprovação: lançar o anátema sobre alguém. Pessoa anatematizada,
excomungada.
O que São e Como Obter os Dons Espirituais?
53
1ª Co 12:2 - Devemos sempre nos lembrar de onde saímos e que,
se queremos ser realmente obreiros, nossa vida precisa estar dife-
rente de antes (Tt 1:6-9146 147 148 149 150 151
);
1ª Co 12:3 - É necessário ter um grande cuidado antes de jul-
garmos nossos irmãos para não acabarmos blasfemando contra o
Espírito Santo de Deus (Mc 3:22-30152
);
1ª Co 12:4 - Temos que entender que ninguém deve querer fazer
aquilo para o qual não foi chamado e nem ser cobrado por não
poder fazer algo (Rm 12:3-8);
1ª Co 12:5 - É preciso entender que não importa qual seja a fun-
ção e como ela é realizada, mas que se o obreiro trabalha com
sinceridade ele está sendo usado por Deus através dos dons que
lhe foram concedidos (1ª Co 12:7-10);
146
Dissolução: Ato ou efeito de dissolver. Desfazer um acordo ou um relacionamen-
to. Lascívia (sensualidade, imoralidade sexual).
147
Bispo: Dirigente da igreja cristã. Os bispos se dedicavam ao ensino da doutrina e à prega-
ção do evangelho. Nos tempos apostólicos, o bispo cuidava de uma igreja local e era tam-
bém chamado de presbítero (At 20:17-28; 1ª Tm 3:1-7; Tt 1:5-9); ancião. Só mais tarde os
bispos se tornaram responsáveis por um grupo de igrejas de determinada região.
148
Iracundo: Que se ira com facilidade; irascível. Iroso, colérico.
149
Torpe: Desonesto, impudico. Indecoroso, infame, vergonhoso. Indecente, obsce-
no. Ignóbil, sórdido. Asqueroso, nojento, repugnante. Maculado, manchado, sujo.
150
Hospitalidade: Boa disposição de receber e tratar um hóspede (Rm 12:13).
151
Admoestar: Advertir amigável ou benevolamente; fazer ver. Censurar ou repreender
suavemente, aconselhando a não repetir a falta. Recomendar.
152
Belzebu: Baal-Zebube (Senhor das Moscas). Baal dos filisteus, adorado na cidade de
Ecrom (2º Rs 1:2-16).
Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço?
54
1ª Co 12:6 - Deus é Deus, não importa a forma como Ele se ma-
nifeste (1ª Co 2:14);
1ª Co 12:7 - Antes de fazer algo para Ele, devemos ter a plena
consciência de nossas intenções, pois Ele não nos dá dons para
nos glorificar diante dos homens e sim para edificar sua igreja e
ter seu nome glorificado através de nós (1ª Co 12:11).
Antes de concluirmos esse comentário sobre dons espirituais,
vamos fazer um breve resumo sobre cada um deles:
1. Palavra da sabedoria: Uma sabedoria sobrenatural dada
por Deus que permite resolver questões de difícil solução
(Mt 22:15-22153 154 155 156
).
2. Palavra da ciência: É a capacidade de falar palavras ins-
piradas por Deus, revelando coisas ocultas e trazendo
153
Fariseus: Em hebraico significa “separados”. Judeus devotos ao Pentateuco. Participavam
das reuniões legislativas da sinagoga. Formavam um grupo de fanáticos e hipócritas (o que
não era o caso de todos, pois haviam exceções, como era o caso de Gamaliel que defendeu
os apóstolos que estavam presos por pregarem a Palavra (At 5:34-38)) que se opuseram
duramente contra Jesus Cristo. Segundo a história, nessa época, eles eram aproximadamen-
te 6 mil pessoas.
154
Herodianos: Membros de um partido político que favorecia a família de Herodes e os
romanos (Mt 22.16). Ainda que os fariseus fossem contra os herodianos, eles se uniram para
combater Jesus (Mc 12.13).
155
César: Nome de uma família romana, da qual Caio Júlio César foi o membro mais famoso.
Com o tempo, "César" se tornou o título oficial dos imperadores romanos (Lc 20.25). No
Novo Testamento são mencionados quatro césares: Augusto, Tibério, Cláudio e Nero.
156
Efígie: Figura, representação de uma pessoa; imagem. Retrato em relevo. Busto ou cabe-
ça cunhados em relevo sobre medalhas ou moedas; cara. Representação.
O que São e Como Obter os Dons Espirituais?
55
mensagens pessoais ao íntimo do coração do ouvinte (At
5:1-4,7-10157 158
).
3. Fé: É muito mais do que simplesmente acreditar em algo.
É uma fé sobrenatural que resulta na realização de mila-
gres (At 6:8159 160 161
).
4. Dons de curar: Capacidade de realizar curas de qualquer
tipo de doença não através de meios físicos, naturais e
humanos, mas sim em nome de Jesus (At 3:6,7).
5. Operação de maravilhas: Intervenções divinas sobre as
forças da natureza ou qualquer tipo de coisa existente so-
bre o universo (At 2:43).
6. Profecia: Pronunciar a mensagem de Deus se expressan-
do na primeira ou na terceira pessoa do singular, como
que “repetindo” o que Ele está falando (Ag 1:7).
157
Desígnio: Intenção, plano, propósito.
158
Expirar: Morrer (Jó 34:15; Mc 15:37).
159
Estevão: Foi um dos sete primeiros diáconos da igreja nascente, logo após a morte
e Ressurreição de Jesus, pregando os ensinamentos de Cristo e convertendo tan-
to judeus como gentios. Foi detido pelas autoridades judaicas, levado diante do Sinédrio (a
suprema assembléia de Jerusalém), onde foi condenado por blasfêmia, sendo sentenciado a
ser apedrejado. Entre os presentes na execução, estaria Paulo de Tarso, o futuro apóstolo
Paulo, ainda durante os seus dias de perseguidor de cristãos. Sua história está registrada no
livro de Atos (6:1-6; 7:1-60).
160
Prodígio: Fenômeno extraordinário ou inexplicável que causa admiração. Maravilha;
milagre. Pessoa de extraordinário talento; portento. Qualquer feito ou sucesso extraordiná-
rio.
161
Sinais: Demonstração de milagres e prodígios pelos quais Deus confirma as pessoas envi-
adas por ele, ou pelos quais homens provam que a causa que eles estão pleiteando é de
Deus.
Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço?
56
7. Discernimento de espíritos: Capacidade para julgar se as
manifestações espirituais são mesmo divinas ou não (1ª Jo
4:1).
8. Variedades de línguas: Falar em línguas desconhecidas.
Essas línguas podem ser espirituais ou de um idioma que
aquele que está falando nunca o tenha estudado (At 2:4-
6).
9. Interpretação de línguas: Dom que permite interpretar
as línguas estranhas. É uma forma de confirmar se elas
são divinas, fazendo com que sejam entendidas como pro-
fecias (1ª Co 14:27,28).
Então, concluindo esta breve meditação, aprendemos a seguin-
te lição: nossa primeira preocupação é saber o que Deus quer de
nós, que dons Ele nos deu e como devemos usá-los; constante-
mente, devemos examinar nossa vida para ver se realmente fo-
mos libertos das imundícias do pecado; é necessário termos um
cuidado muito grande para não julgarmos as atitudes de nossos
irmãos injustamente; tendo ainda o cuidado de observar se nós
mesmos estamos agindo corretamente e se não estamos cobrando
de outras pessoas aquilo que Deus não tem lhes cobrado; e ainda
mais, é necessário entendermos que Ele usa cada um da maneira
que Ele quer; pois não temos capacidade de entender a sua forma
de trabalhar; e antes de por a mão no arado162
é preciso termos
162
Arado: Instrumento de lavoura destinado a revolver a terra. O arado era feito de um galho
de árvore em forma de forquilha, preso por um jugo numa extremidade, e, na outra, por
O que São e Como Obter os Dons Espirituais?
57
consciência da razão pela qual queremos fazer a Obra, porque
somente o nosso Senhor é digno de todo o louvor, toda a honra e
toda a glória! Sendo assim só o que nos resta a fazer é dobrar os
nossos joelhos, buscar a presença do nosso Pai celestial e dizer a
Ele com toda sinceridade: “Eis-me aqui Senhor! Usa-me!”
uma relha segura a uma chapa de ferro. Era puxado por uma junta de vacas ou bois ou por
uma parelha de jumentos e guiado pelas mãos do lavrador (Lc 9:62).
CLASSIFICAÇÃO DOS DONS ESPIRITUAIS
Poder
Fé
Curas
Maravilhas
Conhecimento
Sabedoria
Ciência
Discernimento
Revelação
Profecia
Línguas
Interpretação
IX
O que é Consagração e Jejum?
Se consagrar nada mais é do que se separar de uma forma es-
pecial para adorar ou falar com Deus sem se envolver com mais
nada, seja material ou pessoal, durante aquele período; e jejuar é
uma das formas mais comuns para os servos de Deus se consa-
grarem. Embora estejamos no Tempo da Graça, e os sacrifícios
tenham sido abolidos depois do sacrifício de Cristo, sabemos que
Jeová ainda recebe alguns tipos de sacrifícios de seus servos,
desde que eles sejam oferecidos com sinceridade. E um desses
sacrifícios que Ele ainda recebe é o jejum. Mas o que é jejuar? A
palavra jejum significa privar-se de alimentos durante algum
período; portanto, jejuar é o ato de não se alimentar durante al-
gum tempo e, durante esse período, dedicar-se totalmente ao Se-
nhor. O jejum vai além da abstinência163
alimentar, é necessário
desviar-se de tudo aquilo que possa interferir em sua comunhão
com Deus. Só que é de extrema importância nos lembrarmos de
uma coisa: o jejum, assim como tudo o que fazemos, tem que ser
feito com muito cuidado, equilíbrio e apenas dentro de nossas
possibilidades; pois a falta de sabedoria de muitos irmãos tem
causado muitos problemas para eles próprios, principalmente na
área da saúde e também conflitos em família, e trazido até es-
cândalos à igreja. Antes de jejuar é necessário examinarmos nos-
163
Abstinência: Decisão de não fazer uso de certos alimentos ou bebidas ou evitar práticas
sexuais (At 15:20; 1ª Tm 4:3).
O que é Consagração e Jejum?
59
sas condições físicas, psicológicas e espirituais; estabelecermos
um período tendo a consciência de que não devemos interrompê-
lo antes da hora e nem precisamos ir além do que foi estabeleci-
do; e, principalmente, é de grande importância termos um firme
propósito para esse ato, ou seja, um objetivo a ser alcançado com
esse jejum.
Em Isaías 58:3-10 está escrito o seguinte: “3
dizendo: Por que
jejuamos nós, e tu não atentas para isso? Por que afligimos a
nossa alma, e tu o não sabes? Eis que, no dia em que jejuais,
achais o vosso próprio contentamento e requereis todo o vosso
trabalho. 4
Eis que, para contendas e debates, jejuais e para dar-
des punhadas impiamente; não jejueis como hoje, para fazer
ouvir a vossa voz no alto. 5
Seria este o jejum que eu escolheria:
que o homem um dia aflija a sua alma, que incline a cabeça co-
mo o junco164
e estenda debaixo de si pano de saco grosseiro e
cinza? Chamarias tu a isso jejum e dia aprazível ao Senhor?
6
Porventura, não é este o jejum que escolhi: que soltes as liga-
duras da impiedade, que desfaças as ataduras do jugo, e que
deixes livres os quebrantados165
, e que despedaces todo o jugo?
7
Porventura, não é também que repartas o teu pão com o famin-
to e recolhas em casa os pobres desterrados? E, vendo o nu, o
cubras e não te escondas daquele que é da tua carne? 8
Então,
164
Junco: Espécie de planta direita, fina e longa que cresce em lugares úmidos e dentro da
água (Jó 8.11). As suas folhas são usadas para fazer cestos e esteiras.
165
Quebrantado: Que está sem forças, debilitado, extenuado, abatido, alquebrado.
Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço?
60
romperá a tua luz como a alva166
, e a tua cura apressadamente
brotará, e a tua justiça irá adiante da tua face, e a glória do Se-
nhor será a tua retaguarda. 9
Então, clamarás, e o Senhor te res-
ponderá; gritarás, e ele dirá: Eis-me aqui; acontecerá isso se
tirares do meio de ti o jugo, o estender do dedo e o falar vaida-
de; 10
e, se abrires a tua alma ao faminto e fartares a alma aflita,
então, a tua luz nascerá nas trevas, e a tua escuridão será como
o meio-dia.” O povo andava em extrema rebeldia e jejuava pen-
sando que o simples ato do sacrifício seria o suficiente para que
eles fossem perdoados e abençoados. Grandemente indignado
com isso, Deus usou o profeta Isaías para corrigi-los, não com a
intenção de condená-los, mas sim de mostrar-lhes que para agra-
dar a Deus somente o ritual167
não basta, é necessário agir reta-
mente e ter um coração sincero. Vamos então meditar nessa pas-
sagem, e ver quanto ela tem a ver com a nossa situação hoje:
Is 58:3 - Quais são nossas intenções quando oferecemos algo a
Deus (Tg 4:2,3168
)?
Is 58:4 - O jejum tem que ser feito com humildade e não para
nos autogloriarmos diante dos homens (Mt 6:16-18);
Is 58:5 - Muitos se preocupam apenas com as tradições dos ritu-
ais e não com a sinceridade do coração (Lc 18:10-14169
);
166
Alva: A primeira luz alva e clara que aparece no horizonte entre a escuridão da noite e a
aurora; alvor, alvorada.
167
Ritual: Procedimento das cerimônias de uma religião. Cerimonial. Conjunto das regras a
cumprir durante um culto ou uma reunião. Etiqueta, praxe, protocolo.
168
Deleite: Prazer, delícia, gosto, regalo.
O que é Consagração e Jejum?
61
Is 58:6 - Todo sacrifício deve ser perfeito, como está a nossa
vida diante de Deus (Jo 9:31)?
Is 58:7 - Como temos agido diante daqueles que precisam de nós
(At 10:1-4170 171 172
)?
Is 58:8 - Aqueles que praticam a misericórdia também receberão
a misericórdia de Deus (Mt 5:7173
);
Is 58:9 - Deus só ouve o clamor dos que praticam a justiça (Sl
34:6-8);
Is 58:10 - A obediência vale mais do que qualquer sacrifício (1º
Sm 15:22174 175 176
).
169
Publicanos: Cobradores de impostos do governo romano. Termo pejorativo que define
homens que negociam desonestamente.
170
Cesaréia: [Latim: Caesarea Philippi]. Cidade localizada na atual região de Banias. Ali foi
construído no ano 20a.C. pelo rei Herodes, o grande, um templo branco de mármore aos pés
do Monte Hermom em homenagem a César Augusto. Quando Herodes morreu, seu filho
Herodes Filipe a ampliou e a chamou de Cesaréia Filipe.
171
Cornélio: Centurião romano que morava em Cesaréia (At 10:1-48).
172
Hora nona: Três horas da tarde. Os judeus adotaram o sistema de contagem de tempos
romano que considerava como a primeira hora do dia o que para nós é hoje sete horas da
manhã.
173
Bem-aventurado: Feliz. Muito feliz.
174
Holocausto: [Grego: queimado]. Sacrifício em que a vítima era consumida pelo fogo.
175
Gordura: Termo figurado usado no Antigo Testamento para se referir ao sacrifício dos
melhores animais. Representa também o melhor entre os seres humanos e os produtos da
terra.
176
Carneiro: Animal de porte médio que fornece carne e lã. Era morto nos sacrifícios (Êx
29:1). Sua pele era usada como cobertura (Êx 26:14). Sua fêmea é a ovelha.
Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço?
62
Meditando nesse texto podemos concluir que aprendemos a
seguinte lição: O segredo para nossos pedidos serem atendidos é
a sinceridade e não somente a forma como pedimos; Deus se
agrada dos humildes e abate os soberbos; apenas cumprir as re-
gras não é o suficiente se não houver santificação; antes de tocar
nas coisas sagradas o homem tem que examinar a si mesmo; não
podemos dizer que amamos a Deus se não amamos ao próximo;
quando somos benignos, Deus nem espera pelos nossos sacrifí-
cios para nos abençoar; muitas coisas que acontecem em nossa
vida são o resultado daquilo que fazemos; se queremos receber o
bem, também devemos praticar o bem. Portanto, aprendemos
O que é Consagração e Jejum?
63
aqui que o jejum é bom e agradável ao Senhor, desde que seja
feito com humildade, sinceridade e acompanhado de boas atitu-
des e não com meros rituais apenas de aparência. Mais vale uma
“oraçãozinha” de três minutos ou menos feita de coração do que
um jejum de três dias ou mais com segundas intenções. Oremos
para que Deus nos mostre se estamos fazendo realmente a sua
vontade para que não percamos tempo fazendo sacrifícios de
tolo!
X
Por que é Importante Ofertar na Casa do Senhor?
Vivemos num mundo aonde tudo gira em torno do dinheiro, e
não há como fugir dessa realidade. Pela Bíblia vemos que, desde
o princípio, Deus ensinou o seu povo sobre as necessidades de
suprir as bênçãos materiais tanto nos lares quanto na Obra; pode
parecer contraditório que Jeová, sendo o dono do ouro e da prata,
permita que o seu povo tenha que se preocupar com coisas mate-
riais, mas se Ele nos colocou para viver no mundo, estamos su-
jeitos às regras de sobrevivência da sociedade tanto como cida-
dãos quanto como Igreja. Por isso, a Palavra de Deus, do início
ao fim, relata sobre a importância de contribuirmos com a sua
Obra. E por que contribuir? Temos, pelo menos, três motivos
fundamentais para sermos assíduos contribuintes: primeiro, para
agradecer pelas bênçãos que Ele tem nos dado; segundo, porque
a Casa do Senhor na terra precisa de manutenção; e terceiro,
porque é contribuindo que seremos cada vez mais abençoados. E
de que forma contribuir? Nossa forma de contribuir é dando dí-
zimos e ofertas. Dízimo177
significa a décima parte, ou seja, dez
por cento de toda a nossa renda; ele é citado 33 vezes em toda a
Bíblia desde Gênesis, aonde mostra que Abrão deu o dízimo de
tudo aquilo que havia conquistado das mãos de seus inimigos; na
177
Dízimo: A décima parte, tanto das colheitas como dos animais, que os israelitas ofereciam
a Deus (Lv 27:30-32; Hb 7:1-10). O dízimo era usado para o sustento dos Levitas (Nm 18:21-
24), dos estrangeiros, dos órfãos e das viúvas (Dt 14:28,29).
Por que é Importante Ofertar na Casa do Senhor?
65
igreja, ele deve servir para o sustento material da Obra, dos
obreiros e dos necessitados. Já a palavra oferta178
aparece 408
vezes na Bíblia com vários sentidos e significados diferentes;
sendo derivada do verbo oferecer, espiritualmente falando, re-
presenta algo que oferecemos a Deus e não tem um valor especí-
fico, devemos ofertar segundo as nossas possibilidades. Tanto os
dízimos quanto as ofertas devem ser apresentados diante de Deus
voluntariamente e com sinceridade; pois são uma espécie de sa-
crifício, e Ele não recebe sacrifícios forçados ou prestados com
segundas intenções. Quando contribuímos, assim como quando
fazemos qualquer coisa para o Senhor, precisamos ter em mente
uma coisa: tudo o que lhe oferecemos tem que ser com fé, com
amor e com alegria, e jamais por constrangimento, obrigação ou
busca de retribuição. Ultimamente o que está em destaque no
meio evangélico, de um modo geral, é a teologia do evangelho
da prosperidade que passa a impressão que Deus está mais inte-
ressado em nosso dinheiro do que em nossa santificação, o que é
uma tremenda heresia179
! Pois Ele nos abençoa segundo a nossa
fé e a nossa sinceridade, e não de acordo com os valores que “in-
vestimos” como se tivéssemos aberto uma “poupança no céu”.
Há muito mais do que bênçãos materiais esperando por nós; pois
178
Oferta: Ação de oferecer; oferecimento. Oblação, oferenda. Retribuição de certos atos
litúrgicos. Dádiva. Promessa.
179
Heresia: Doutrina que se opõe aos dogmas da Igreja. Absurdo, contrassenso, disparate.
Ato ou palavra ofensiva à religião.
Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço?
66
mais vale a nossa alma salva do que todo o dinheiro desse mun-
do em nossas mãos!
A Bíblia nos mostra a importância da sinceridade quando nos
propomos a contribuir. Um dos maiores exemplos disso está em
Atos 5:3-5: “3
Disse, então, Pedro: Ananias, por que encheu Sa-
tanás o teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo e reti-
vesses parte do preço da herdade? 4
Guardando-a, não ficava
para ti? E, vendida, não estava em teu poder? Por que formaste
este desígnio em teu coração? Não mentiste aos homens, mas a
Deus. 5
E Ananias, ouvindo estas palavras, caiu e expirou. E um
grande temor veio sobre todos os que isto ouviram.” Observe
que havia um acordo entre a comunidade evangélica de dividir
os seus bens, mas ninguém era obrigado a fazer isso; só que, com
certeza, a ambição e o ego de Ananias por querer mostrar à con-
gregação que estava contribuindo, fizeram com que ele mentisse
aos apóstolos. Qual é a lição que podemos tirar desse triste epi-
sódio?
At 5:3 - Quando não agimos com sinceridade estamos dando
brecha para que Satanás roube as nossas bênçãos (Tg 5:1-4);
At 5:4 - Deus não exige sacrifícios financeiros de nossa parte,
mas quando nos propomos a fazê-los temos que honrar nossos
compromissos (Ec 5:4-6180
);
180
Voto: Promessa feita a Deus (Ec 5:4; At 18:18). Pedido a Deus (3ª Jo 1:2).
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Lição 6 – frutos da maturidade cristã
Lição 6 – frutos da maturidade cristãLição 6 – frutos da maturidade cristã
Lição 6 – frutos da maturidade cristã
Joanilson França Garcia
 
A doutrina do pecado
A doutrina do pecadoA doutrina do pecado
A doutrina do pecado
Marcianno Teofilo
 
Lição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Lição 14 - Vivendo com a Mente de CristoLição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Lição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Éder Tomé
 
O batismo nas águas
O  batismo nas águasO  batismo nas águas
O batismo nas águas
Marcelo Santos
 
A igreja de Cristo.
A igreja de Cristo.A igreja de Cristo.
A igreja de Cristo.
Márcio Martins
 
O desafio de ser um cristão contemporâneo,
O desafio de ser um cristão contemporâneo,O desafio de ser um cristão contemporâneo,
O desafio de ser um cristão contemporâneo,
Felicio Araujo
 
Batismo nas águas
Batismo nas águasBatismo nas águas
Batismo nas águas
Icm Bela Vista
 
Slide Lição 03 - A maravilhosa e inefável graça de Deus
Slide Lição 03 - A maravilhosa e inefável graça de DeusSlide Lição 03 - A maravilhosa e inefável graça de Deus
Slide Lição 03 - A maravilhosa e inefável graça de Deus
Éder Tomé
 
Face a face com Deus
Face a face com DeusFace a face com Deus
Face a face com Deus
Edilson Jose Barbosa Barbosa
 
Avivamento
AvivamentoAvivamento
A realidade do inferno.
A realidade do inferno.A realidade do inferno.
A realidade do inferno.
Antonio Filho
 
Os Perigos das Obras da Carne
Os Perigos das Obras da CarneOs Perigos das Obras da Carne
Os Perigos das Obras da Carne
Márcio Martins
 
Lição 1 - A Igreja e o Plano Divino
Lição 1 - A Igreja e o Plano DivinoLição 1 - A Igreja e o Plano Divino
Lição 1 - A Igreja e o Plano Divino
Éder Tomé
 
Princípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de SantidadePrincípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de Santidade
IBMemorialJC
 
Lição 12 a morte de jesus
Lição 12 a morte de jesusLição 12 a morte de jesus
Lição 12 a morte de jesus
José Nilson Virgino
 
Lição 4 - A Degeneração da Liderança Sacerdotal
Lição 4 - A Degeneração da Liderança SacerdotalLição 4 - A Degeneração da Liderança Sacerdotal
Lição 4 - A Degeneração da Liderança Sacerdotal
Éder Tomé
 
Lição 10 o processo da salvação
Lição   10 o processo da salvaçãoLição   10 o processo da salvação
Lição 10 o processo da salvação
Cicero
 
Estudo biblico 23 dons espirituais - part1
Estudo biblico 23  dons espirituais - part1Estudo biblico 23  dons espirituais - part1
Estudo biblico 23 dons espirituais - part1
Edilson Jose Barbosa Barbosa
 
Homiética prática
Homiética práticaHomiética prática
Homiética prática
Prof Edilson Porfírio
 
Panorama do NT - 2Timóteo
Panorama do NT - 2TimóteoPanorama do NT - 2Timóteo
Panorama do NT - 2Timóteo
Respirando Deus
 

Mais procurados (20)

Lição 6 – frutos da maturidade cristã
Lição 6 – frutos da maturidade cristãLição 6 – frutos da maturidade cristã
Lição 6 – frutos da maturidade cristã
 
A doutrina do pecado
A doutrina do pecadoA doutrina do pecado
A doutrina do pecado
 
Lição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Lição 14 - Vivendo com a Mente de CristoLição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Lição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
 
O batismo nas águas
O  batismo nas águasO  batismo nas águas
O batismo nas águas
 
A igreja de Cristo.
A igreja de Cristo.A igreja de Cristo.
A igreja de Cristo.
 
O desafio de ser um cristão contemporâneo,
O desafio de ser um cristão contemporâneo,O desafio de ser um cristão contemporâneo,
O desafio de ser um cristão contemporâneo,
 
Batismo nas águas
Batismo nas águasBatismo nas águas
Batismo nas águas
 
Slide Lição 03 - A maravilhosa e inefável graça de Deus
Slide Lição 03 - A maravilhosa e inefável graça de DeusSlide Lição 03 - A maravilhosa e inefável graça de Deus
Slide Lição 03 - A maravilhosa e inefável graça de Deus
 
Face a face com Deus
Face a face com DeusFace a face com Deus
Face a face com Deus
 
Avivamento
AvivamentoAvivamento
Avivamento
 
A realidade do inferno.
A realidade do inferno.A realidade do inferno.
A realidade do inferno.
 
Os Perigos das Obras da Carne
Os Perigos das Obras da CarneOs Perigos das Obras da Carne
Os Perigos das Obras da Carne
 
Lição 1 - A Igreja e o Plano Divino
Lição 1 - A Igreja e o Plano DivinoLição 1 - A Igreja e o Plano Divino
Lição 1 - A Igreja e o Plano Divino
 
Princípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de SantidadePrincípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de Santidade
 
Lição 12 a morte de jesus
Lição 12 a morte de jesusLição 12 a morte de jesus
Lição 12 a morte de jesus
 
Lição 4 - A Degeneração da Liderança Sacerdotal
Lição 4 - A Degeneração da Liderança SacerdotalLição 4 - A Degeneração da Liderança Sacerdotal
Lição 4 - A Degeneração da Liderança Sacerdotal
 
Lição 10 o processo da salvação
Lição   10 o processo da salvaçãoLição   10 o processo da salvação
Lição 10 o processo da salvação
 
Estudo biblico 23 dons espirituais - part1
Estudo biblico 23  dons espirituais - part1Estudo biblico 23  dons espirituais - part1
Estudo biblico 23 dons espirituais - part1
 
Homiética prática
Homiética práticaHomiética prática
Homiética prática
 
Panorama do NT - 2Timóteo
Panorama do NT - 2TimóteoPanorama do NT - 2Timóteo
Panorama do NT - 2Timóteo
 

Destaque

2 - Por que sou cristão?
2 - Por que sou cristão?2 - Por que sou cristão?
2 - Por que sou cristão?
Pibatef Primeira Igreja Batista
 
Porque Sou Crente
Porque Sou CrentePorque Sou Crente
Porque Sou Crente
pastorismaelsoares
 
Trabajo final proceso
Trabajo final procesoTrabajo final proceso
Trabajo final proceso
veronicasarria
 
Amerikiin emgenelt yavdal 2
Amerikiin emgenelt yavdal 2Amerikiin emgenelt yavdal 2
Amerikiin emgenelt yavdal 2bayarankh
 
Aravindhmc-cv
Aravindhmc-cvAravindhmc-cv
Aravindhmc-cv
MC ARAVINDH
 
quinta - Você nasceu para vencer
quinta - Você nasceu para vencerquinta - Você nasceu para vencer
quinta - Você nasceu para vencer
Pibatef Primeira Igreja Batista
 
Manual comenius
Manual comeniusManual comenius
Manual comenius
Miguel Martin
 
2 donat agosti-1
2 donat agosti-12 donat agosti-1
2 donat agosti-1
agosti
 
4 - por que sou cristão
4 - por que sou cristão4 - por que sou cristão
4 - por que sou cristão
Pibatef Primeira Igreja Batista
 
5 - por que sou cristão
5 - por que sou cristão5 - por que sou cristão
5 - por que sou cristão
Pibatef Primeira Igreja Batista
 
Measuring IPv6 Adoption
Measuring IPv6 AdoptionMeasuring IPv6 Adoption
Measuring IPv6 Adoption
RIPE NCC
 
Virtuelle Techniken in textilen Anwendungen: VDC-Whitepaper
Virtuelle Techniken in textilen Anwendungen: VDC-WhitepaperVirtuelle Techniken in textilen Anwendungen: VDC-Whitepaper
Virtuelle Techniken in textilen Anwendungen: VDC-Whitepaper
Virtual Dimension Center (VDC) Fellbach
 
Das antiquarium, diemer
Das antiquarium, diemerDas antiquarium, diemer
Das antiquarium, diemer3153657
 
Presentacion carrera derecho
Presentacion carrera derechoPresentacion carrera derecho
Presentacion carrera derecho
ortizcarlos99
 
Referencial curricular nacional para ed. infantil vol 1
Referencial curricular nacional para ed. infantil vol 1Referencial curricular nacional para ed. infantil vol 1
Referencial curricular nacional para ed. infantil vol 1
Maria Galdino
 
Aula EBD - Influência do Cristão
Aula EBD - Influência do CristãoAula EBD - Influência do Cristão
Aula EBD - Influência do Cristão
Dilsilei Monteiro
 
ADMINISTRACION DE VENTAS 1
ADMINISTRACION DE VENTAS 1ADMINISTRACION DE VENTAS 1
ADMINISTRACION DE VENTAS 1
Jonathan Barragan
 
A FAMÍLIA E A IGREJA - LIÇÃO 12 – para escola dominical
A FAMÍLIA E A IGREJA - LIÇÃO 12 – para escola dominicalA FAMÍLIA E A IGREJA - LIÇÃO 12 – para escola dominical
A FAMÍLIA E A IGREJA - LIÇÃO 12 – para escola dominical
yosseph2013
 
Bienvenue dans l'ère du vieillissement
Bienvenue dans l'ère du vieillissementBienvenue dans l'ère du vieillissement
Bienvenue dans l'ère du vieillissement
Havas Worldwide Genève
 

Destaque (20)

2 - Por que sou cristão?
2 - Por que sou cristão?2 - Por que sou cristão?
2 - Por que sou cristão?
 
Porque Sou Crente
Porque Sou CrentePorque Sou Crente
Porque Sou Crente
 
CyberquêTe Ii
CyberquêTe IiCyberquêTe Ii
CyberquêTe Ii
 
Trabajo final proceso
Trabajo final procesoTrabajo final proceso
Trabajo final proceso
 
Amerikiin emgenelt yavdal 2
Amerikiin emgenelt yavdal 2Amerikiin emgenelt yavdal 2
Amerikiin emgenelt yavdal 2
 
Aravindhmc-cv
Aravindhmc-cvAravindhmc-cv
Aravindhmc-cv
 
quinta - Você nasceu para vencer
quinta - Você nasceu para vencerquinta - Você nasceu para vencer
quinta - Você nasceu para vencer
 
Manual comenius
Manual comeniusManual comenius
Manual comenius
 
2 donat agosti-1
2 donat agosti-12 donat agosti-1
2 donat agosti-1
 
4 - por que sou cristão
4 - por que sou cristão4 - por que sou cristão
4 - por que sou cristão
 
5 - por que sou cristão
5 - por que sou cristão5 - por que sou cristão
5 - por que sou cristão
 
Measuring IPv6 Adoption
Measuring IPv6 AdoptionMeasuring IPv6 Adoption
Measuring IPv6 Adoption
 
Virtuelle Techniken in textilen Anwendungen: VDC-Whitepaper
Virtuelle Techniken in textilen Anwendungen: VDC-WhitepaperVirtuelle Techniken in textilen Anwendungen: VDC-Whitepaper
Virtuelle Techniken in textilen Anwendungen: VDC-Whitepaper
 
Das antiquarium, diemer
Das antiquarium, diemerDas antiquarium, diemer
Das antiquarium, diemer
 
Presentacion carrera derecho
Presentacion carrera derechoPresentacion carrera derecho
Presentacion carrera derecho
 
Referencial curricular nacional para ed. infantil vol 1
Referencial curricular nacional para ed. infantil vol 1Referencial curricular nacional para ed. infantil vol 1
Referencial curricular nacional para ed. infantil vol 1
 
Aula EBD - Influência do Cristão
Aula EBD - Influência do CristãoAula EBD - Influência do Cristão
Aula EBD - Influência do Cristão
 
ADMINISTRACION DE VENTAS 1
ADMINISTRACION DE VENTAS 1ADMINISTRACION DE VENTAS 1
ADMINISTRACION DE VENTAS 1
 
A FAMÍLIA E A IGREJA - LIÇÃO 12 – para escola dominical
A FAMÍLIA E A IGREJA - LIÇÃO 12 – para escola dominicalA FAMÍLIA E A IGREJA - LIÇÃO 12 – para escola dominical
A FAMÍLIA E A IGREJA - LIÇÃO 12 – para escola dominical
 
Bienvenue dans l'ère du vieillissement
Bienvenue dans l'ère du vieillissementBienvenue dans l'ère du vieillissement
Bienvenue dans l'ère du vieillissement
 

Semelhante a Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?

Aulas 01 04-cristao_frutifero2013
Aulas 01 04-cristao_frutifero2013Aulas 01 04-cristao_frutifero2013
Aulas 01 04-cristao_frutifero2013
Marcos Luiz DA Silva
 
Apostila de dons espirituais
Apostila de dons espirituaisApostila de dons espirituais
Apostila de dons espirituais
Rubens Bastos
 
Os meios da graça
Os meios da graçaOs meios da graça
Os meios da graça
Guilherme Souza Oliveira
 
Lição 7 - O Desafio dos Novas Teologias e Modismos
Lição 7 - O Desafio dos Novas Teologias e ModismosLição 7 - O Desafio dos Novas Teologias e Modismos
Lição 7 - O Desafio dos Novas Teologias e Modismos
Éder Tomé
 
Espiritualidade crista
Espiritualidade cristaEspiritualidade crista
Espiritualidade crista
Paulo Cesar Machado
 
Nova Criatura (M.D.A.)
Nova Criatura (M.D.A.)Nova Criatura (M.D.A.)
Nova Criatura (M.D.A.)
Vladimir Rodrigues
 
Palavras de células Maio
Palavras de células MaioPalavras de células Maio
Palavras de células Maio
israelargatao
 
Aula 01 evangelismo (etcam)
Aula 01 evangelismo (etcam)Aula 01 evangelismo (etcam)
Aula 01 evangelismo (etcam)
guest9c2db2e
 
12 dias de_clamor_no_ano_de_2014
12 dias de_clamor_no_ano_de_201412 dias de_clamor_no_ano_de_2014
12 dias de_clamor_no_ano_de_2014
Ivanildo Amorim
 
Apostila treinamento
Apostila treinamentoApostila treinamento
Apostila treinamento
Joao Rumpel
 
Apostila os Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo
Apostila   os  Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo Apostila   os  Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo
Apostila os Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo
Robson Rocha
 
Apostilha da celulas
Apostilha da celulasApostilha da celulas
Apostilha da celulas
Marcos Marcos Silva
 
Declaração doutrinária da CBB
Declaração doutrinária da CBBDeclaração doutrinária da CBB
Declaração doutrinária da CBB
mdscs81
 
Declaração Doutrinaria da Convenção Batista Brasileira
Declaração Doutrinaria da Convenção Batista BrasileiraDeclaração Doutrinaria da Convenção Batista Brasileira
Declaração Doutrinaria da Convenção Batista Brasileira
Igreja Batista em Camobi
 
Declaração doutrinária da CBB
Declaração doutrinária da CBBDeclaração doutrinária da CBB
Declaração doutrinária da CBB
mdscs81
 
A obra do espírito santo na salvação arthur walkington pink
A obra do espírito santo na salvação   arthur walkington pinkA obra do espírito santo na salvação   arthur walkington pink
A obra do espírito santo na salvação arthur walkington pink
puritanosdf
 
Planejamento Estratégico PIB
Planejamento Estratégico PIBPlanejamento Estratégico PIB
Planejamento Estratégico PIB
Primeira Igreja Batista de Joinville
 
Lição 13 - A perseverança do discípulo de Jesus Cristo
Lição 13 - A perseverança do discípulo de Jesus CristoLição 13 - A perseverança do discípulo de Jesus Cristo
Lição 13 - A perseverança do discípulo de Jesus Cristo
Éder Tomé
 
Declaração doutrinaria da convenção batista brasileira
Declaração doutrinaria da convenção batista brasileiraDeclaração doutrinaria da convenção batista brasileira
Declaração doutrinaria da convenção batista brasileira
pibfsa
 
Billy graham o espírito santo
Billy graham   o espírito santoBilly graham   o espírito santo
Billy graham o espírito santo
jeverlu
 

Semelhante a Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço? (20)

Aulas 01 04-cristao_frutifero2013
Aulas 01 04-cristao_frutifero2013Aulas 01 04-cristao_frutifero2013
Aulas 01 04-cristao_frutifero2013
 
Apostila de dons espirituais
Apostila de dons espirituaisApostila de dons espirituais
Apostila de dons espirituais
 
Os meios da graça
Os meios da graçaOs meios da graça
Os meios da graça
 
Lição 7 - O Desafio dos Novas Teologias e Modismos
Lição 7 - O Desafio dos Novas Teologias e ModismosLição 7 - O Desafio dos Novas Teologias e Modismos
Lição 7 - O Desafio dos Novas Teologias e Modismos
 
Espiritualidade crista
Espiritualidade cristaEspiritualidade crista
Espiritualidade crista
 
Nova Criatura (M.D.A.)
Nova Criatura (M.D.A.)Nova Criatura (M.D.A.)
Nova Criatura (M.D.A.)
 
Palavras de células Maio
Palavras de células MaioPalavras de células Maio
Palavras de células Maio
 
Aula 01 evangelismo (etcam)
Aula 01 evangelismo (etcam)Aula 01 evangelismo (etcam)
Aula 01 evangelismo (etcam)
 
12 dias de_clamor_no_ano_de_2014
12 dias de_clamor_no_ano_de_201412 dias de_clamor_no_ano_de_2014
12 dias de_clamor_no_ano_de_2014
 
Apostila treinamento
Apostila treinamentoApostila treinamento
Apostila treinamento
 
Apostila os Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo
Apostila   os  Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo Apostila   os  Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo
Apostila os Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo
 
Apostilha da celulas
Apostilha da celulasApostilha da celulas
Apostilha da celulas
 
Declaração doutrinária da CBB
Declaração doutrinária da CBBDeclaração doutrinária da CBB
Declaração doutrinária da CBB
 
Declaração Doutrinaria da Convenção Batista Brasileira
Declaração Doutrinaria da Convenção Batista BrasileiraDeclaração Doutrinaria da Convenção Batista Brasileira
Declaração Doutrinaria da Convenção Batista Brasileira
 
Declaração doutrinária da CBB
Declaração doutrinária da CBBDeclaração doutrinária da CBB
Declaração doutrinária da CBB
 
A obra do espírito santo na salvação arthur walkington pink
A obra do espírito santo na salvação   arthur walkington pinkA obra do espírito santo na salvação   arthur walkington pink
A obra do espírito santo na salvação arthur walkington pink
 
Planejamento Estratégico PIB
Planejamento Estratégico PIBPlanejamento Estratégico PIB
Planejamento Estratégico PIB
 
Lição 13 - A perseverança do discípulo de Jesus Cristo
Lição 13 - A perseverança do discípulo de Jesus CristoLição 13 - A perseverança do discípulo de Jesus Cristo
Lição 13 - A perseverança do discípulo de Jesus Cristo
 
Declaração doutrinaria da convenção batista brasileira
Declaração doutrinaria da convenção batista brasileiraDeclaração doutrinaria da convenção batista brasileira
Declaração doutrinaria da convenção batista brasileira
 
Billy graham o espírito santo
Billy graham   o espírito santoBilly graham   o espírito santo
Billy graham o espírito santo
 

Mais de Jonas Martins Olímpio

Apostila - Resumo de Escatologia: Quais são os sinais dos cumprimentos profét...
Apostila - Resumo de Escatologia: Quais são os sinais dos cumprimentos profét...Apostila - Resumo de Escatologia: Quais são os sinais dos cumprimentos profét...
Apostila - Resumo de Escatologia: Quais são os sinais dos cumprimentos profét...
Jonas Martins Olímpio
 
E Por Falar em Namoro... Como Está Seu Relacionamento com Deus?
E Por Falar em Namoro... Como Está Seu Relacionamento com Deus?E Por Falar em Namoro... Como Está Seu Relacionamento com Deus?
E Por Falar em Namoro... Como Está Seu Relacionamento com Deus?
Jonas Martins Olímpio
 
Deus, o Senhor Está me Ouvindo?
Deus, o Senhor Está me Ouvindo?Deus, o Senhor Está me Ouvindo?
Deus, o Senhor Está me Ouvindo?
Jonas Martins Olímpio
 
Biblicamente Falando: Tem Alguma Coisa Errada Aqui
Biblicamente Falando: Tem Alguma Coisa Errada AquiBiblicamente Falando: Tem Alguma Coisa Errada Aqui
Biblicamente Falando: Tem Alguma Coisa Errada Aqui
Jonas Martins Olímpio
 
Senhor, Eu Confio em Ti, Mas... Não Sei o que Fazer
Senhor, Eu Confio em Ti, Mas... Não Sei o que FazerSenhor, Eu Confio em Ti, Mas... Não Sei o que Fazer
Senhor, Eu Confio em Ti, Mas... Não Sei o que Fazer
Jonas Martins Olímpio
 
Deus Escolhe Arão e Seus Filhos Para o Sacerdócio
Deus Escolhe Arão e Seus Filhos Para o SacerdócioDeus Escolhe Arão e Seus Filhos Para o Sacerdócio
Deus Escolhe Arão e Seus Filhos Para o Sacerdócio
Jonas Martins Olímpio
 
As Leis Civis Entregues por Moisés aos Israelitas
As Leis Civis Entregues por Moisés aos IsraelitasAs Leis Civis Entregues por Moisés aos Israelitas
As Leis Civis Entregues por Moisés aos Israelitas
Jonas Martins Olímpio
 
O Tabernáculo (apostila)
O Tabernáculo (apostila)O Tabernáculo (apostila)
O Tabernáculo (apostila)
Jonas Martins Olímpio
 
Paulo e a Igreja em Filipos
Paulo e a Igreja em FiliposPaulo e a Igreja em Filipos
Paulo e a Igreja em Filipos
Jonas Martins Olímpio
 
Jonas - A Misericórdia Divina
Jonas - A Misericórdia DivinaJonas - A Misericórdia Divina
Jonas - A Misericórdia Divina
Jonas Martins Olímpio
 
A Grande Tribulação
A Grande TribulaçãoA Grande Tribulação
A Grande Tribulação
Jonas Martins Olímpio
 
A grande tribulação
A grande tribulaçãoA grande tribulação
A grande tribulação
Jonas Martins Olímpio
 
Gráfico livros bíblicos
Gráfico   livros bíblicosGráfico   livros bíblicos
Gráfico livros bíblicos
Jonas Martins Olímpio
 
Tiatira, a Igreja Tolerante
Tiatira, a Igreja ToleranteTiatira, a Igreja Tolerante
Tiatira, a Igreja Tolerante
Jonas Martins Olímpio
 
Esmirna, a igreja confessante e mártir
Esmirna, a igreja confessante e mártirEsmirna, a igreja confessante e mártir
Esmirna, a igreja confessante e mártir
Jonas Martins Olímpio
 
A visão do Cristo Glorificado
A visão do Cristo GlorificadoA visão do Cristo Glorificado
A visão do Cristo Glorificado
Jonas Martins Olímpio
 

Mais de Jonas Martins Olímpio (16)

Apostila - Resumo de Escatologia: Quais são os sinais dos cumprimentos profét...
Apostila - Resumo de Escatologia: Quais são os sinais dos cumprimentos profét...Apostila - Resumo de Escatologia: Quais são os sinais dos cumprimentos profét...
Apostila - Resumo de Escatologia: Quais são os sinais dos cumprimentos profét...
 
E Por Falar em Namoro... Como Está Seu Relacionamento com Deus?
E Por Falar em Namoro... Como Está Seu Relacionamento com Deus?E Por Falar em Namoro... Como Está Seu Relacionamento com Deus?
E Por Falar em Namoro... Como Está Seu Relacionamento com Deus?
 
Deus, o Senhor Está me Ouvindo?
Deus, o Senhor Está me Ouvindo?Deus, o Senhor Está me Ouvindo?
Deus, o Senhor Está me Ouvindo?
 
Biblicamente Falando: Tem Alguma Coisa Errada Aqui
Biblicamente Falando: Tem Alguma Coisa Errada AquiBiblicamente Falando: Tem Alguma Coisa Errada Aqui
Biblicamente Falando: Tem Alguma Coisa Errada Aqui
 
Senhor, Eu Confio em Ti, Mas... Não Sei o que Fazer
Senhor, Eu Confio em Ti, Mas... Não Sei o que FazerSenhor, Eu Confio em Ti, Mas... Não Sei o que Fazer
Senhor, Eu Confio em Ti, Mas... Não Sei o que Fazer
 
Deus Escolhe Arão e Seus Filhos Para o Sacerdócio
Deus Escolhe Arão e Seus Filhos Para o SacerdócioDeus Escolhe Arão e Seus Filhos Para o Sacerdócio
Deus Escolhe Arão e Seus Filhos Para o Sacerdócio
 
As Leis Civis Entregues por Moisés aos Israelitas
As Leis Civis Entregues por Moisés aos IsraelitasAs Leis Civis Entregues por Moisés aos Israelitas
As Leis Civis Entregues por Moisés aos Israelitas
 
O Tabernáculo (apostila)
O Tabernáculo (apostila)O Tabernáculo (apostila)
O Tabernáculo (apostila)
 
Paulo e a Igreja em Filipos
Paulo e a Igreja em FiliposPaulo e a Igreja em Filipos
Paulo e a Igreja em Filipos
 
Jonas - A Misericórdia Divina
Jonas - A Misericórdia DivinaJonas - A Misericórdia Divina
Jonas - A Misericórdia Divina
 
A Grande Tribulação
A Grande TribulaçãoA Grande Tribulação
A Grande Tribulação
 
A grande tribulação
A grande tribulaçãoA grande tribulação
A grande tribulação
 
Gráfico livros bíblicos
Gráfico   livros bíblicosGráfico   livros bíblicos
Gráfico livros bíblicos
 
Tiatira, a Igreja Tolerante
Tiatira, a Igreja ToleranteTiatira, a Igreja Tolerante
Tiatira, a Igreja Tolerante
 
Esmirna, a igreja confessante e mártir
Esmirna, a igreja confessante e mártirEsmirna, a igreja confessante e mártir
Esmirna, a igreja confessante e mártir
 
A visão do Cristo Glorificado
A visão do Cristo GlorificadoA visão do Cristo Glorificado
A visão do Cristo Glorificado
 

Último

Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
André Ricardo Marcondes
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Celso Napoleon
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
Nelson Pereira
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
AlessandroSanches8
 
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
SrgioLinsPessoa
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
ayronleonardo
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Celso Napoleon
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
ESCRIBA DE CRISTO
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
HerverthRibeiro1
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
ESCRIBA DE CRISTO
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
ESCRIBA DE CRISTO
 

Último (18)

Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
 
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
 
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
 

Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?

  • 1.
  • 2. Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço? 2
  • 3.
  • 4. Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço? 2
  • 5. O que é Ser Crente? 3 Jonas M. Olímpio
  • 6. Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço? 4
  • 7. O que é Ser Crente? 5 Estudos e mensagens bíblicas para discipulado e meditação Produção independente 03/2014-1 Textos, edição e encadernação: Jonas Martins Olímpio Contatos: (11) 2279-9165 (11) 9 5369-8546 jm.olimpio@hotmail.com www.ebvirtual.blogspot.com.br Crescendo na Graça e no Conhecimento
  • 8. Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço? 6 Apresentação Como todas as descobertas, os primeiros passos de um novo cristão também despertam muita curiosidade e, consequentemente, dúvidas. As perguntas mais frequentes de novos convertidos e adolescentes que estão se preparando ou pensando se devem ou não se batizar, giram em torno dos temas mais básicos, os quais qualquer crente um pouco mais instruído tem por obrigação ter uma pronta resposta. E é aí que entra a figura dos instrutores de discipulado, os quais tem o desafiador papel de encarar as mais inesperadas indagações, cujas respostas podem fazer a diferença entre a formação de um futuro obreiro ou mais um evangélico desviado. O objetivo desse trabalho não é estabelecer um padrão doutriná- rio - pois isso cabe a cada denominação e seus líderes -, e nem ser um canal absoluto de respostas, mas apenas contribuir com o cres- cimento, visando proporcionar conhecimento e interesse por de- senvolvimento espiritual em seus leitores, mostrando-lhes que a sua principal base de orientação deve ser a infalível e inerrante Bíblia Sagrada. Jonas M. Olímpio
  • 9. O que é Ser Crente? 7 ÍNDICE Apresentação...................................................................................................06 Índice...............................................................................................................07 1. O que é Ser Crente?............................................................................08 2. Qual é o Significado do Batismo nas Águas?........................................18 3. Como Devemos Orar?.........................................................................26 4. Como Obter Consolo em Momentos de Angústia?..............................32 5. O que é Fazer a Vontade de Deus?......................................................38 6. Por que um Servo de Deus Não pode Viver em Pecado?.....................42 7. O que é Blasfêmia Contra o Espírito Santo?........................................46 8. O que são e Como Obter os Dons Espirituais?.....................................51 9. O que é Consagração e Jejum?............................................................58 10. Por que é Importante Ofertar na Casa do Senhor?..............................64 11. Como o Crente Deve Constituir e se Relacionar com a Sua Família?....70 Notas: * As palavras destacadas 0 possuem o seu significado descrito nas notas de rodapé. * Esse trabalho é pessoal e independente de qualquer instituição oficial. * Todos os textos são de minha autoria e total responsabilidade. Jonas Martins Olímpio
  • 10. I O que é Ser Crente? Qual seria a mais correta resposta para essa pergunta? Ela pa- rece ser tão simples, mas muitos, até mesmo entre os mais velhos e experientes, as vezes têm dificuldade em respondê-la. Então, busquemos o significado desse termo tão expressivo para nós da maneira mais confiável e clara possível: através da Bíblia Sagra- da. Mas, antes de uma profunda análise bíblica sobre o significa- do da palavra “crente”, vejamos o seu significado na língua por- tuguesa: segundo os melhores dicionários, crente é aquele que crê ou a pessoa que tem fé religiosa. Então, como vimos aí, ser crente é acreditar, ter fé em algo e fazer parte de uma religião1 , independente de qual seja ela, mesmo que não esteja oficialmen- te ligado a uma igreja ou a qualquer outro tipo de instituição. Só que apesar de abranger todos os seguidores religiosos de uma forma geral, a expressão crente sempre foi mais utilizada para se referir aos evangélicos2 , os quais são também chamados de pro- testantes devido ao fato de ao longo da história terem se levanta- do em protesto contra o domínio católico3 . Porém, biblicamente 1 Religião: Instituição social com crenças e ritos. Serviço ou culto a Deus, ou a uma divindade qualquer, expresso por meio de ritos, preces e observância do que se considera mandamen- to divino. Sentimento consciente de dependência ou submissão que liga a criatura humana ao Criador. 2 Evangélico: Do Evangelho ou relativo a ele. Quem vive conforme os princípios do Evange- lho. Pertencente ou relativo ao protestantismo. 3 Católico: Universal. Que pertence à religião católica. Que professa o catolicismo. O que segue a religião católica.
  • 11. O que é Ser Crente? 9 Desde o princípio, o homem sempre procurou algo em que acreditar como, por exemplo: os elementos da natureza e os fenômenos climáticos, dos quais eles faziam imagens e reverenciavam com canções, danças e sacrifícios. Mas nenhuma crença jamais superou a fé no verdadeiro Deus, pois somente Ele provou ser capaz de agir tanto na vida do ser humano como na natureza. falando, ser crente é muito mais do que simplesmente acreditar na existência e no poder de Deus, ir a um templo, usar as roupas recomendadas pelos seus líde- res, colar adesivos com o nome de Jesus4 em seus veículos e participar regular- mente das reuniões ou cultos praticados em sua congregação. Embora a salvação seja para aquele que crê, há uma diferen- ça muito grande entre ser crente e ser salvo. Meditemos nas Sagradas Escritu- ras para que possamos compreender me- lhor essa diferença. Observe bem que em Gálatas 5:22 existe uma verdadeira “receita” de como devem ser as características de um ver- dadeiro crente: “22 Mas o fruto do Espíri- to é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, 4 Jesus: Significa “Javé é Salvador”. É a forma grega de Josué (Mt 1:21). Cristo quer dizer Ungido; é o mesmo que o termo hebraico Messias (At 17:3). Ele é o Anjo do Senhor que aparece no Antigo Testamento (Gn 18:1-23). Esvaziou-se da sua glória e se humilhou, to- mando a forma de ser humano (Fp 2:6-11). O seu ministério terreno durou mais ou menos 3 anos e meio. Astecas oferecendo sacrifí- cio humano ao “deus sol” por volta do ano 1400dC.
  • 12. Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço? 10 temperança”. Nessa ocasião, o apóstolo Paulo explicava aos crentes da Igreja5 da Galácia6 a importância de manter-se firme na presença do Senhor sem cair novamente nas armadilhas do inimigo e a diferença entre aqueles que são guiados pelo Espírito Santo e aqueles que não resistem às tentações da cobiça7 da car- ne contra o Espírito e acabam cedendo aos seus desejos pecami- nosos. Simbolicamente, a palavra fruto significa resultado ou consequência, ou seja: é aquilo que acontece de acordo com as nossas atitudes; então podemos definir que o fruto do Espírito é o resultado da Obra do Espírito Santo em nossa vida quando da- mos lugar a Ele. Mas, um detalhe interessante que devemos ob- servar aí é que a palavra fruto está no singular, o que significa que, ao contrário do que muitos dizem, não existem nove frutos do Espírito, e sim um fruto com nove virtudes8 ; isso na prática quer dizer que na vida de um crente verdadeiramente espiritual deve haver todas essas qualidades ou, caso contrário, ele não está produzindo o fruto do Espírito, ou seja: não está agindo de acor- do com a vontade de Deus. Mas como podemos afirmar que o servo do Senhor precisa ter todas essas qualidades para ser au- 5 Igreja: Do grego ekklesia, significa "Chamados para Fora". Grupo de seguidores de Cristo que se reúnem em determinado lugar para adorar a Deus, receber ensinamentos, evangeli- zar e ajudar uns aos outros (Rm 16:16). A totalidade das pessoas salvas em todos os tempos (Ef 1:22). 6 Galácia: Província romana situada no centro-norte da Ásia Menor, onde hoje está a Turquia. Foi visitada por Paulo (At 18:23) e ali foram fundadas várias igrejas (1ª Co 16:1). 7 Cobiça: Cobiça: Desejo veemente de conseguir alguma coisa. Ânsia ou ambição de honras ou riquezas. Avidez. Concupiscência. 8 Virtude: Hábito de praticar o bem, o que é justo; excelência moral; probidade, retidão. Boa qualidade moral. O conjunto de todas as boas qualidades morais. Austeridade no vi- ver. Força moral; valor, valentia, coragem.
  • 13. O que é Ser Crente? 11 têntico? Raciocine bem e nunca se esqueça disso: nenhum fruto pode estar completo se estiver faltando pelo menos um de seus gomos! Conhecemos a pessoa pelas suas qualidades, pois como o próprio Senhor Jesus nos ensinou, é pelo fruto que se conhece a árvore. Para entendermos isso melhor, analisemos agora cada uma das virtudes do fruto do Espírito, as quais não podem faltar na vida de um crente: Amor9  O amor tem que ser verdadeiro (Rm 12:910 );  Amar ao próximo é uma condição para ser- mos servos do Senhor (Jo 13:3511 );  Quem ama sabe perdoar (Pr 10:12); 9 Amor: Sentimento de apreciação por alguém ou algo, acompanhado do desejo de fazer o bem (1º Sm 20:17). 10 Aborrecer: Desprezar (Gn 29:33). Sentir horror; detestar (Lv 19:17), desgostar (Fp 3:1). 11 Discípulo: Pessoa que segue os ensinamentos de um mestre. No Novo Testamento se refere tanto aos Apóstolos (Mt 10:1) como aos cristãos em geral (At 6:1). Amor Ale- gria Paz Paci- ência Be- nigni- dade Bon- dade Fide- lida- de Man- sidão Tem- pe- rança Se faltar um pedaço, o fruto já não está completo!
  • 14. Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço? 12  Sem amor, tudo o que fazemos é em vão (1ª Co 13:1-712 13 ). Gozo14  Os que obedecem a Palavra de Deus vivem em permanen- te gozo (Jo 15:10,11);  A alegria é dada por Deus àqueles que amam e praticam a justiça (Sl 97:10-12);  Somente aqueles que têm alegria conseguem adorar, lou- var e glorificar a Deus espontaneamente (Sl 98:415 16 17 18 );  A maior alegria do crente está na salvação da sua alma (Lc 10:20). Paz19 12 Leviandade: Procedimento irrefletido, precipitado ou sem seriedade; imprudência (Jr 23:32; 2ª Co 1:17). 13 Ensoberbecer: Orgulhar. Agir com vaidade. 14 Gozo: Prazer, júbilo, emoção agradável. Satisfação intelectual, moral ou material. Posse ou uso de alguma coisa de que traz satisfação ou vantagem. Graça, motivo de alegria. 15 Celebrar: Festejar; comemorar; realizar com solenidade (Sl 98:4; Mt 22:2; 26:18). 16 Júbilo: Grande alegria ou contentamento. Regozijo. 17 Regozijar: Encher de regozijo, de alegria. 18 Louvor: Ato de louvar. Aplauso, elogio, encômio. Glorificação. Expressão usada para se referir às músicas feitas para adorar a Deus. 19 Paz: Grande quietação e sossego.
  • 15. O que é Ser Crente? 13  A paz que nos foi deixada pelo Senhor Jesus Cristo20 tira toda a nossa perturbação e o medo (Jo 14:2721 ).  Quem não vive na carne, mas sim no Espírito, tem vida e paz (Rm 8:6).  Somente quem confia em Deus consegue viver em paz (Sl 4:8);  Aqueles que clamam ao Senhor alcançam livramento con- tra os seus perseguidores (Sl 55:16-1822 ; Pr 16:7). Longanimidade23  Aqueles que esperam com paciência têm as suas orações ouvidas pelo Senhor (Sl 40:124 );  Os que fazem a Obra do Senhor devem saber agir com longanimidade (2ª Tm 4:225 26 27 28 ); 20 Cristo: Do grego "khristós", significa "Ungido". Termo que se refere a Jesus. Em hebraico tem o mesmo significado que Messias (Ungir). 21 Turbar: Transtornar; Causar problemas. 22 Invocar: Chamar. Implorar o auxílio ou a proteção de alguém. Pedir, suplicar: Invocar auxí- lio, socorro. 23 Longanimidade: Paciência. Qualidade de quem tem grandeza de ânimo. Benigno, compla- cente, indulgente, corajoso, generoso, paciente, resignado, longânimo. 24 Clamor: Ação de clamar. Súplica proferida em altas vozes; lamentação. 25 Instar: Insistir, pedir, rogar, implorar. 26 Redarguir: Repreender, replicar, responder. 27 Exortar: Animar, incentivar, estimular: exortar os jovens a prosseguir sem desâni- mo. Induzir, conversar. Advertir, admoestar, aconselhar. 28 Doutrina: Conjunto de princípios em que se baseia um sistema religioso, político ou filosó- fico.
  • 16. Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço? 14  Os crentes que sofrem por amor do Evangelho29 , devem suportar essas aflições com paciência (2ª Co 1:6).  Longanimidade é uma das características dos que são dig- nos da vocação em que foram chamados (Ef 4:1,2). Benignidade30  Quem age benignamente sempre tem ajuda por parte de Deus e dos homens (Pr 3:3,431 );  A benignidade nos transforma em pessoas desejáveis (Pr 19:2232 );  A benignidade juntamente com a verdade faz prosperar os trabalhos de nossas mãos (Pr 20:28);  Os eleitos de Deus devem estar sempre revestidos de be- nignidade (Cl 3:12,1333 ). Bondade34 29 Evangelho: A mensagem de salvação anunciada por Jesus Cristo e pelos apóstolos (Rm 1.15). "Evangelho" em grego quer dizer "boa notícia". 30 Benignidade: Bondade, misericórdia. Não é o simples ato da bondade em si, mas a inten- ção e o prazer de ser bondoso. 31 Atar: Amarrar. 32 Beneficência: Bondade (Gn 47:29). Atos de bondade (Ne 13:14). 33 Revestir: Tornar a vestir; vestir por cima. 34 Bondade: Qualidade de bom. Disposição natural para o bem. Benevolência, brandura, indulgência. Boa índole. Cortesia, favor, mercê. Justiça.
  • 17. O que é Ser Crente? 15  A bondade é uma virtude que procede do coração do ho- mem (Lc 6:45);  Ser bondoso é uma das características daqueles que real- mente se entregaram ao Senhor (Ef 5:9);  Os que praticam a caridade sempre são abençoados (Pr 22:9);  Os bondosos acharão vida, justiça e honra (Pr 21:21). Fé35  Sem fé é impossível agradar a Deus (Hb 11:636 );  A fé é essencial para aqueles que buscam cura para as su- as enfermidades (At 14:8-1037 38 39 40 ); 35 Fé: Crença, crédito; convicção da existência de algum fato ou da veracidade de alguma afirmação. Crença nas doutrinas da religião cristã. 36 Galardoador: Aquele que dá galardão (recompensa). 37 Listra: Cidade da Licaônia, onde Paulo encontrou Timóteo (At 14:6-21; 16:1-2). 38 Leso: Paralítico. Contuso, ferido, ofendido, violado. Apalermado, atoleimado. Tolhido. 39 Coxo: Aquele que tem defeito em uma ou nas duas pernas. 40 Paulo: Significa "Pequeno". Nome romano de Saulo, apóstolo dos gentios, o maior prega- dor da Igreja primitiva (At 13:9). Israelita da tribo de Benjamim (Fp 3:5) e fariseu (At 23:6), era cidadão romano por ter nascido em Tarso. Foi educado em Jerusalém aos pés de Gama- liel (At 22:3; 26:4-5}. De perseguidor dos cristãos (At 8:3), passou a ser pregador do evange- lho, a partir de sua conversão (At cap. 9). De Damasco foi à Arábia (Gl 1:17). Voltando para Damasco, teve de fugir (At 9:23-25). Em Jerusalém os cristãos tinham receio dele (At 9:26- 28), mas Barnabé o levou aos apóstolos. Foi enviado a Tarso (At 9:30), e dali Barnabé o levou a Antioquia da Síria (At 11.19-30). Com vários companheiros Paulo realizou três viagens missionárias (At caps. 13-20). Em Jerusalém enfrentou a fúria dos opositores, indo parar em Cesaréia (At 21:17-23:35}, onde compareceu perante Félix, Festo e Herodes Agripa II (At caps. 24-26). Tendo apelado para o Imperador, viajou para Roma, onde permaneceu preso
  • 18. Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço? 16  Quem se dispõe a fazer algo para Deus deve, acima de tu- do, ser fiel (1ª Co 4:241 );  A fidelidade é indispensável para aqueles que buscam a salvação (Lc 18:842 ). Mansidão43  Sabedoria é uma das virtudes dos mansos (Tg 3:13);  Quem sabe agir com mansidão não entra em contendas (2ª Tm 2:23-2644 );  Não há como evangelizar ou dar bom testemunho perante os infiéis se não tiver mansidão (1ª Pe 3:1545 ).  Até mesmo quando temos razão para corrigir alguém, te- mos que saber agir com mansidão (Gl 6:1). durante 2 anos (At cap. 27-28); v. os mapas das viagens missionárias de Paulo. Ali escreveu Efésios, Filipenses, Colossenses e Filemon. Além disso escreveu mais nove cartas. Diz a tradi- ção que foi libertado e realizou trabalhos missionários por mais 3 anos. Foi preso novamente e executado em Roma, provavelmente em 67 dC., no tempo de Nero. 41 Requerer: Pedir; solicitar. Exigir. 42 Filho do Homem: Título que Jesus usava para si mesmo como o escolhido de Deus para ser o Salvador (Mc 10:45). Esse título se refere à condição humilde de Jesus (Mc 8:31; Lc 9:58) e também à sua futura glória (Mt 25:31; Mc 8:38). 43 Mansidão: Modo de agir pacífico e bondoso; delicadeza (Sf 2:3; 1ª Co 4:21). 44 Contenda: Briga. Confusão; desentendimento. 45 Santificar: Ato de separar do mundo e dedicar a Deus (Lv 20:7; 1ª Ts 5:23). Purificar, con- sagrar.
  • 19. O que é Ser Crente? 17 Temperança46  O crente sábio conse- gue ter controle sobre a sua língua (Cl 4:5,647 ).  O homem que é capaz de dominar a si próprio é superior àquele que tem grande força física (Pr 16:32).  O domínio próprio é uma das virtudes que nos ajudam a prosperar (2ª Pe 1:3-848 49 ).  Aqueles que profetizam devem ter controle so- bre o seu próprio espíri- to (1ª Co 14:31-33,40). 46 Temperança: Capacidade do ser humano de controlar o seu comportamento. 47 Remir: Aproveitar. Libertar mediante o pagamento de um preço. 48 Piedade: Respeito pelas coisas religiosas e espírito de devoção (1ª Tm 4:8). Compaixão (Ez 7:4). Fidelidade a Deus. Religiosidade. 49 Concupiscência: Forte e continuado desejo de fazer ou de ter o que Deus não quer que façamos ou tenhamos (Rm 7:8). Para quem produz o fruto do Espírito, ser crente é... - Amar mesmo quando não é amado; - Manter a alegria mesmo em momentos de dificuldades; - Ter paz em qualquer situação; entender que para tudo na vida existe um momento certo; - Desejar o bem de seu próximo, - Não importa quem ele seja; - Fazer pelos outros tudo aquilo que gostaria que fizessem por você; - Ter fé para ser fiel até o fim; - Se conter em momentos de fúria, mesmo contrariando os instintos do homem carnal; - Saber se planejar e calcular as consequências positivas e nega- tivas de seus projetos antes de tomar qualquer decisão.
  • 20. Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço? 18 Na Bíblia, a palavra “crente” é mencionada cinco vezes: quando Jesus, depois de crucificado, aparece à Tomé50 (Jo 20:27); numa narração de Lucas51 se referindo à mãe de Timó- teo52 (At 16:153 ); Paulo pregando sobre Abraão54 (Gl 3:9); e, no- vamente, Paulo a cita por duas vezes ensinando sobre o dever da igreja de sustentar as viúvas (1ª Tm 5:16). Como vimos aqui, essa expressão é biblicamente usada para se referir aos fiéis no Novo Testamento. Porém, para nós o mais importante não é co- mo nos chamamos ou como somos chamados, e sim se verdadei- ramente o fruto do Espírito está sendo plantado, regado e produ- zido em alta escala e em boa qualidade em nossa vida. 50 Tomé: Nome hebraico do apóstolo também conhecido por Dídimo, nome grego que tam- bém quer dizer "gêmeo". É mencionado em (Mc 3:18; Jo 11:16; 14:5; 20:24-29; 21:2). 51 Lucas: Do grego "Loukas" significa "O que Dá Luz" Médico e companheiro de Paulo (Cl 4:14; 2ª Tm 4:11; Fm 1:24). É o autor do Evangelho de Lucas e de Atos dos Apóstolos. 52 Timóteo: Significa “Honrado por Deus” ou “Honra a Deus”. Companheiro e ajudante de Paulo (At 16:1-5; 17:10-15; 18:5; 19:21-22; 20:3-5; 2ª Tm 1:6; 4:9,21). Recebeu instrução religiosa de sua mãe e de sua avó (2ª Tm 1:5; 3:15). Foi pastor da Igreja de Éfeso (1ª Tm 1:3). 53 Derbe: Significa "Curtidor de Couro". Cidade da Licaônia (na parte sul da Galácia), nos confins de Isáuria (At 14:6,20; 16:1; 20:4). 54 Abraão: Esse nome significa pai, ou líder de muitos. É um personagem bíblico citado no Livro do Gênesis a partir do qual se desenvolveram três das maiores vertentes religiosas da humanidade: o judaísmo, o cristianismo e o islamismo. Obedecendo as ordens de Deus, saiu com Ló de Harã, juntamente com sua esposa e seus bens, indo em direção a Canaã. Abrão já teria setenta e cinco anos de idade e dá a entender que já tivesse pessoas a seu serviço, embora nenhum filho. Teria sido pai pela primeira vez aos oitenta e seis anos, quan- do nasceu Ismael: filho que ele concebeu com sua escrava Hagar, sob consentimento de sua esposa Sara que era estéril. Sara deu à luz a Isaque com a idade aproximada de 90 anos e Abraão tinha quase 100. Ele é considerado como o pai da fé e morreu com 175 anos de idade.
  • 21. II Qual é o Significado do Batismo nas Águas? Várias pessoas servem a Deus durante anos e, muitas vezes, se embaraçam ao tentar responder a essa simples pergunta: “Qual é a finalidade do batismo nas águas?” É por isso que o estudo da Palavra de Deus é essencial para a nossa vida espiritual. Então vamos procurar entender o batismo buscando primeiro saber o significado dessa palavra na língua portuguesa: segundo o dicio- nário Michaelis, o termo “batismo” é definido como um dos sa- cramentos55 da Igreja, o que lava do pecado original e torna cris- tão. Na linguagem popular a palavra “batismo” também expressa claramente a ideia de iniciação, por esse motivo, obviamente, só pode ser praticado uma vez; portanto, batizar-se é uma forma de oficializar o início da participação do indivíduo em determinados segmentos da sociedade. Em nosso caso, como crentes, marca oficialmente o começo da nossa caminhada como cristãos, em outras palavras, ele formaliza nossa associação à uma igreja, ou melhor dizendo: é uma confissão pública de que tomamos a de- cisão de sermos membros do Corpo de Cristo. Assim então, pas- samos a entender que o batismo não é somente um ritual de ini- ciação e sim um ato espiritual de extrema importância que não 55 Sacramento: Consagração. Cada um dos sinais sensíveis produtores da graça instituídos por Jesus Cristo como auxiliares indispensáveis para a pessoa conseguir a salvação eterna. Sinal instituído por Deus com o fim de purificar e santificar as almas. Termo mais usado pelos católicos para se referir aos atos de batismo, eucaristia, penitência, extrema unção, matri- mônio, etc.
  • 22. Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço? 20 pode deixar de ser realizado na vida de um verdadeiro crente. Porém só pode ser praticado com total consciência, pois, além de ser uma ordenança56 , é um compromisso extremamente sério diante de Deus! Observe o que o apóstolo Paulo disse no sexto capítulo da epístola57 aos Romanos do versículo 4 até ao 9: “4 De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte; para que, co- mo Cristo ressuscitou dos mortos pela glória do Pai, assim an- demos nós também em novidade de vida. 5 Porque, se fomos plantados juntamente com ele na semelhança da sua morte, tam- bém o seremos na da sua ressurreição; 6 sabendo isto: que o nos- so velho homem foi com ele crucificado, para que o corpo do pecado seja desfeito, a fim de que não sirvamos mais ao pecado. 7 Porque aquele que está morto está justificado do pecado. 8 Ora, se já morremos com Cristo, cremos que também com ele vivere- mos; 9 sabendo que, havendo Cristo ressuscitado dos mortos, já não morre; a morte não mais terá domínio sobre ele”. O que podemos entender aqui é que o apóstolo estava preocupado em explicar aos crentes romanos que somente pelo fato de terem se batizado, eles não deveriam se acomodar pensando que já esta- 56 Ordenança: Ordem, lei, regulamento. 57 Epístola: É um texto escrito em forma de carta, para ser correspondido a uma ou várias pessoas, mas se distinguindo desta por expressar opiniões, manifestos, e discussões para além de questões ou interesses meramente pessoais ou utilitários, sem porém deixar o estilo coloquial, que combina paixões subjetivas e apelos intersubjetivos com o debate de temas abrangentes e abstratos. As epístolas reunidas de um autor podem vir a ser publica- das devido a seu interesse histórico, literário, institucional ou documental. Resumindo: é uma carta pública.
  • 23. Qual é o Significado do Batismo nas Águas? 21 vam salvos, porque era necessária uma verdadeira mudança de vida. Para entender melhor esse ponto vamos estudá-lo trazendo- o para os dias de hoje: Rm 6:4 - Batismo simboliza sepultamento do pecador e o nas- cimento de um novo homem (Ef 4:22-2458 ); Rm 6:5 - Se fomos criados a sua imagem e semelhança e anda- mos como Ele andou, certamente temos direito ás bênçãos que nos foram prometidas (Jo 15:4-859 60 ); Rm 6:6 - Quando nos batizamos estamos admitindo que aquela vida de pecados ficou para trás e que a partir daí teremos uma vida de santificação (Gl 2:20); Rm 6:7 - Se morremos para o mundo - mundo aqui significa pecado -, isso quer dizer que não temos mais nenhuma ligação com ele (Cl 3:1-461 ); Rm 6:8 - Com isso, então, devemos entender que a nossa vida passa a ser de total dedicação a Cristo (2ª Tm 2:11-13); 58 Despojar: Privar do que adornava ou revestia; despir, desnudar. Privar-se; deixar, largar, desprender. 59 Vara: Ramo, broto. Galho (Ez 7:10; Jo 15:2). Galho cortado de uma árvore ou arbusto e usado como símbolo de meio de destruição (Sl 2:9) ou de castigo (Pr 22:15). 60 Videira: (vide+eira) Arbusto sarmentoso, originário do Oriente (Vitis vinifera), que dá uvas e pertence à família das Vitáceas. Eira é um espaço plano com um chão duro, de dimensões variáveis, onde os cereais, eram malhados e peneirados, depois de colhidos. 61 Destra: Mão direita (Sl 118:15; Gl 2:9). Lado direito (Hb 10:12); pronuncia-se dêstra.
  • 24. Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço? 22 Rm 6:9 - Porque quem está liberto do pecado, já não é mais do- minado pelo inimigo (Rm 6:10-13). Diante a tudo o que aprendemos aqui em relação ao batismo nas águas, podemos chegar a seguinte conclusão: quando toma- mos a decisão de sermos batizados, devemos ter a consciência de que estamos assumindo, diante de Deus, o compromisso de abandonar totalmente a vida de pecados; se queremos ter direito a tudo o que Ele nos tem prometido, principalmente à salvação, temos também que cumprir as nossas obrigações, e o batismo é uma ordenança e não uma opção; mas para cumprir as ordens de Deus é necessário termos a certeza de nossa decisão, pois não podemos viver um Evangelho de aparência; e para saber se es- tamos aptos a um compromisso mais sério precisamos nos exa- minar em todos os momentos de nossa vida na intenção de saber se estamos fazendo a vontade dEle; e uma das formas de enten- dermos isso é quando sentimos dentro de nós um desejo cada vez mais forte de estar na sua presença e fazer a sua Obra; e também quando percebemos que estamos conseguindo resistir ás tenta- ções malignas que estão a nossa volta.
  • 25. Qual é o Significado do Batismo nas Águas? 23 Sendo assim, vemos tam- bém que não há sentido ne- nhum em batizar crianças porque elas não têm pecado e nem discernimento para decidir o que querem. Existe ainda um fator muito impor- tante que deve ser compre- endido e que muitos têm simplesmente ignorado: em- bora o batismo seja uma or- denança e não uma opção, ele não é uma condição obri- gatória para a salvação, ou seja: o batismo não salva, mesmo depois de batizado é necessário ter uma vida de total santificação espiritual; também um outro fator mui- to importante é: ninguém será condenado pelo simples fato de não ser batizado, pois se fosse assim, o ladrão que foi crucificado com Cristo não teria ido para o céu, nesse caso, então, bastou o arrependimento. Porém, é importante observar que ele não foi batizado porque não houve tempo pra isso, o que significa que se tivermos chance não podemos recusar o batismo. O pedobatismo (batismo infantil) é uma prática comum no catolicismo e em algumas poucas ramificações protestantes. Partindo pelo princípio de que o batismo é uma confição de fé, esse ato é inaceitável pelo fato de uma criança não ter consciência para professar sua crença; além do mais, ele é praticado por aspersão em vez de imersão. Seus praticantes usam a circuncisão do Antigo Testamento como argumento de defesa, mas não há nenhuma base bíblica no Novo Testamento que defenda a circuncisão e tampouco o batismo, ou batizado, de inocentes.
  • 26. Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço? 24 Muitos também evitam se batizar porque sabem da grande responsabilidade que isso representa e temem por não consegui- rem libertação de sua vida de pecado, achando que assim o ba- tismo significará sua condenação; isso é um erro absurdo porque sendo batizados ou não, o pecado os levará à condenação da mesma forma. Portanto, se você aceitou realmente a Cristo como seu Salvador, renunciou, mesmo que ainda com muitas fraque- zas, ao pecado e deseja mesmo, oficialmente, fazer parte de sua Igreja tendo o direito de participar por completo de sua liturgia62 como a Santa Ceia63 , exercer cargos, cantar, pregar e outras coi- sas mais que, na maioria das denominações - não é uma regra geral - só são permitidos aos crentes batizados, batize-se! 62 Liturgia: Conjunto das cerimônias e preces ordenado pela autoridade espiritual competen- te. 63 Santa Ceia: Além da comunhão entre os irmãos, ela também é um memorial da morte de Cristo, um ato sagrado e uma ordenança divina. Comer do pão e tomar do cálice significa participar do Corpo e do Sangue de Cristo, relembrando seu vicário sacrifício pela humani- dade. A Santa Ceia é uma celebração sagrada que merece total respeito e reverência, obe- decendo a vontade do próprio Senhor Jesus que disse que deveríamos fazer isso em memó- ria dEle (Mt 26:26-28). Elementos do batismo e seus significados Elemento Significado Água Limpeza Imersão do corpo Sepultamento Vestes brancas Pureza
  • 27. Qual é o Significado do Batismo nas Águas? 25 Ainda com relação às diferentes denominações, há ainda um erro muito comum cometido por algumas delas: considerar invá- lido o batismo em tanques, argumentando que eles só possam ser realizados em águas correntes porque Jesus foi batizado num rio. Não há lógica nessa linha de pensamento, pois na Bíblia não é mencionada nenhuma regra com relação a isso. O batismo é um ato simbólico de confissão pública de fé e não uma lavagem lite- ral de pecados na qual se faça necessário que eles sejam levados por águas correntes. Só para concluir, quero responder a uma pergunta que muitos fazem: “Se Jesus não tinha pecado, então por que Ele foi batiza- do?”. A resposta é simples: como Ele próprio diz em Mateus 3:15, Ele tinha que cumprir toda a justiça, ou seja: concluir toda a missão que Deus lhe confiou, a qual consistia em levar a todos a salvação através da pregação do Evangelho e a instituição da Graça. Sendo assim, como Ele veio morrer em nome dos pecado- res, estava confessando o pecado no lugar deles; isso além de fortalecer a pregação de João Batista e iniciar oficialmente seu ministério terreno. Por essas razões, Ele deu o exemplo daquilo que também devemos fazer. Então, não perca tempo! Siga o exemplo do Mestre! Envergonhe Satanás confessando publica- mente que você é mais um membro do Reino de Deus!
  • 28. III Como Devemos Orar? Para nós, crentes, a maior maravilha é saber que não somos apenas servos do Senhor, mas que temos também uma comuni- cação direta com Ele, o Criador do universo e Salvador da hu- manidade. Realmente, Deus nos conhece e sabe de todas as coi- sas, mas a oração64 não é uma mera petição65 aonde listamos to- das as nossas necessidades e sim uma forma de nós mesmos po- dermos sentir que Ele está a nossa volta, adorando-o e edificando a nossa vida espiritual. A oração também é necessária para de- monstrarmos gratidão ao Pai Celestial, obtermos dons espiritu- ais, alcançarmos forças para resistir ao pecado, preenchermos o vazio da alma e, também, é claro, conseguirmos provisão para as nossas necessidades materiais, físicas e sentimentais. Não impor- ta quais sejam os teus problemas, a resposta para tudo é sim- plesmente orar! 64 Oração: Originado do verbo “orar”, que vem do Latim Orare. Inicialmente significa “falar”. Mas adquiriu particularmente o sentido “falar em público, discursar”. No cristianismo tem também o significado de “falar à divindade, rogar, pedir, clamar”. Portanto “orar” significa “falar”. Na língua inglesa o verbo “to pray” é usado tanto com o significado de “orar” quanto com o significado de “pregar”. 65 Petição: Ato de pedir. Pedido. Requerimento.
  • 29. Como Devemos Orar? 27 Em Mateus 6:5-13, Jesus nos ensina o seguinte: “5 E, quando orares, não sejas como os hipócritas66 , pois se comprazem67 em orar em pé nas sinagogas68 e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão69 . 6 Mas tu, quando orares, entra no teu aposento70 e, fechan- do a tua porta, ora a teu Pai, que vê o que está oculto; e teu Pai, que vê o que está oculto, te re- compensará. 7 E, orando, não useis de vãs repeti- ções, como os gentios71 , que pensam que, por muito falarem, serão ouvidos. 8 Não vos assemelheis, pois, a eles, porque vosso Pai sabe o que vos é ne- 66 Hipócrita: Quem pratica a hipocrisia (fingimento, falsidade). 67 Comprazer: Agradar alguém. Fazer a vontade. 68 Sinagoga: Casa de oração dos judeus, que começou a existir provavelmente durante o cativeiro. As sinagogas se espalharam pelo mundo bíblico. Nelas, adultos e crianças adora- vam a Deus, oravam e estudavam as Escrituras (Lc 4:16-30). A doutrina cristã se espalhou entre os judeus por meio das sinagogas (At 13:13-15), cuja organização e forma de culto foram adotadas pelas igrejas cristãs. 69 Galardão: Recompensa de serviços importantes. Glória, honra, prêmio. Privilégios, ainda não revelados, que serão dados por Deus aos salvos que trabalharam em sua Obra com mais dedicação (Mc 9:41; 1ª Co 3:8-14; Ap 22:12). 70 Aposento: Casa de residência, moradia, hospedagem. Compartimento de casa, especial- mente quarto de dormir. 71 Gentio: Qualquer povo fora de Israel. Quem segue o paganismo. Quem não é civilizado. Grande quantidade de gente. O Pai Nosso não é uma reza e sim um modelo de oração. Quando Jesus disse “Orareis assim!”, Ele não estava mandando que repetíssemos suas palavras, mas sim que nos expressás- semos da mesma forma que Ele, ou seja: Ele estava simplesmente nos ensinando a orar. Portanto, não temos que repetir essas mesmas palavras toda vez que oramos.
  • 30. Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço? 28 cessário antes de vós lho pedirdes. 9 Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome. 10 Venha o teu Reino. Seja feita a tua vontade, tanto na terra co- mo no céu. 11 O pão nosso de cada dia dá-nos hoje. 12 Perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos deve- dores. 13 E não nos induzas72 à tentação73 , mas livra-nos do mal; porque teu é o Reino, e o poder, e a glória, para sempre. Amém74 !” Se o próprio Jesus se preocupou em nos ensinar a orar é porque a oração é realmente algo de extrema importância, e totalmente indispensável para termos comunhão e mantermos contato com Jeová75 . Vejamos então, à luz da Bíblia, algumas “regras” práticas para nossas orações serem ouvidas por Deus: Mt 6:5 - A oração tem que ser feita com humildade, pois Ele não recebe oração de hipócritas (Jo 9:31); 72 Induzir: Persuadir à prática de alguma coisa; aconselhar, instigar. Causar, incutir, inspirar. 73 Tentação: Atração para fazer o mal por esperança de obter prazer ou lucro. Pode vir do tentador (Gn 3:1-5 ) ou de dentro do ser humano (Tg 1.14-15). 74 Amém: Palavra hebraica que quer dizer "é assim" ou "assim seja". Também pode ser tra- duzida por "certamente", "de fato", "com certeza" (Dt 27.15). É usada como um título para Cristo, que é a garantia de que Deus cumprirá as promessas que fez ao seu povo (Ap 3.14). 75 Jeová: Significa "Senhor". (Hebr.: YHVH, Javé.) Nome de Deus, cuja tradução mais provável é "o Eterno" ou "o Deus Eterno". Javé é o Deus que existe por si mesmo, que não tem princí- pio nem fim (Êx 3:14; 6:3). Seguindo o costume que começou com a Septuaginta, a grande maioria das traduções modernas usa "Senhor" como equivalente de YHVH (JAVÉ). A RA (Revista e Atualizada) escreve "SENHOR". A forma JAVÉ é a mais aceita entre os eruditos. A forma Jeová (Jehovah), que só aparece a partir do ano 1518, não é recomendável por ser híbrida, isto é, consta da mistura das consoantes de YHVH (o Eterno) com as vogais de Ado- nai (Senhor).
  • 31. Como Devemos Orar? 29 Mt 6:6 - É necessário entender que a recompensa vem de Deus e não dos homens (At 9:40-4376 77 78 79 80 81 ); Mt 6:7 - Ele não se agrada de orações decoradas, é preciso orar sinceramente com o sentimento que venha realmente do coração (Tg 4:2,3); Mt 6:8 - Devemos lembrar que não estamos falando com qual- quer um, e sim com aquEle que tudo criou e tudo sabe (Lc 11:9- 13); Mt 6:9 - A melhor forma de começar uma oração é agradecendo e exaltando o nome de Deus (Sl 22:23-2582 83 84 ); 76 Pedro: Significa "Pedra". Apóstolo (Mc 3:13-19), também chamado de Simão e Cefas (Jo 1:42). Era pescador (Mc 1:16). Episódios de sua vida são mencionados em (Mc 1:16-18; Lc 5:1-11; 8:40-56; Mt 8:14-15; 14:28-33; 16:13-23; 17:1-13; 26:36-46,69-75; Lc 24:34; Jo 18:10- 18,25-27; 21:1-23; At 1:13-5:42; 8:14-25; 10:1-11:18; 12:1-19; 15:1-11; 1ª Co 9:5; Gl 1:18; 2:6-14). Segundo a tradição, foi morto entre 64 e 67 dC., no tempo do imperador Nero. Foi autor de duas epístolas no Novo Testamento. 77 Tabita: Nome de origem aramaica que significa “Gazela”; em grego se diz Dorcas. Morava na cidade de Jope. Através da oração de Pedro, ela foi ressuscitada (At 9:36-41). 78 Notório: Conhecido de todos. Notável, perceptível. 79 Jope: Antigo porto marítimo cercado de muralhas, localizado 56 km a noroeste de Jerusa- lém em território filisteu, mas que pertencia à tribo de Dã (Js 19.46). É também o porto aonde o profeta Jonas embarcou num navio para Társis tentando fugir de Deus. 80 Simão: Significa "Ouvinte". Na Bíblia aparecem nove homens com esse nome: 1) Pedro (Mt 4:18); 2) Iscariotes, pai de Judas (Jo 13:26); 3) O leproso (Mc 14:3); 4) Cirineu (Mt 27:32); 5) Curtidor (At 10:6); 6) Fariseu (Lc 7:40);7) Mágico (At 8:9-24);8) Zelote ou Cananeu (Mt 10:4); 9) Irmão de Jesus (Mt 13:55). 81 Curtidor: Aquele que trabalha na preparação de couro. 82 Temer a Deus: Respeitar e reverenciar a Deus, reconhecendo a sua grandeza e santidade (Pr 14:2). "Temor a Deus" não é medo que faz fugir de Deus (1ª Jo 4:18); mas sim respeito
  • 32. Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço? 30 Mt 6:10 - Por mais que tenhamos necessidades e desejos, o que deve prevalecer é a vontade de Deus (Mc 14:35,3685 86 87 ); Mt 6:11 - Também não devemos pedir mais do que o necessário, porque devemos confiar que Ele é quem nos sustenta (Pr 30:7- 988 ); Mt 6:12 - E nunca podemos nos esquecer de lhe pedir perdão pelos nossos pecados e ainda de perdoar até aqueles que não nos amam (Mt 6:14,15); (Hb 12:28), amor (Mt 22:37), obediência (Ec 12:13; At 10:35; 2ª Co 7:1) e adoração a ele (Dt 6:13-15). 83 Jacó: Significa enganador. Filho de Isaque e Rebeca e irmão gêmeo de Esaú (Gn 25:21-26). A Esaú cabia o direito de Primogenitura por haver nascido primeiro, mas Jacó comprou esse direito por um guisado (Gn 25:29-34). Jacó enganou Isaque para que este o abençoasse (Gn 27:1-41). Ao fugir de Esaú, Jacó teve a visão da escada que tocava o céu (Gn 27:42-28:22). Casou-se com Léia e Raquel, as duas filhas de Labão (Gn 29:1-30). Foi pai de 12 filhos e uma filha. Em Peniel lutou com o anjo do Senhor, tendo recebido nessa ocasião o nome de Israel. Para fugir da fome, foi morar no Egito, onde morreu. Esse nome também era usado para identificar o povo de Israel (Nm 24:5). Pai de José, o marido de Maria (Mt 1:15-16). 84 Congregação: Do hebraico "qahal", significa "assembléia", "companhia", "convocação". Israel considerado como povo ou nação (Êx 12:3). O povo reunido, especialmente para fins religiosos (1º Rs 8:14; Hb 10:25). 85 Prostrar: Curvar, humilhar, abater. 86 Aba: Palavra que quer dizer "pai" em aramaico (Mc 14:36; Rm 8:15). 87 Cálice: Linguagem figurada que representa uma porção ou experiência de alguém, seja prazenteira ou adversa. Designações divinas, sejam favoráveis ou desfavoráveis. Comparável a um cálice que Deus apresenta a alguém para beber: tanto de prosperidade, como de ad- versidade. 88 Vaidade: Ilusão. Qualidade do que é vão, instável ou de pouca duração. Desejo imoderado e infundado de merecer a admiração dos outros. Vanglória, ostentação. Presunção malfun- dada de si, do próprio mérito; fatuidade, ostentação. Coisa vã, fútil, sem sentido. Futilidade. Jactância, presunção.
  • 33. Como Devemos Orar? 31 Mt 6:13 - E sempre pedir que ele nos livre do maligno (Jo 17:15). E ainda devemos não esquecer de algo muito importante: toda oração que fazemos é dirigida à Deus, pois é Ele quem nos ouve; não temos que nos preocupar se sabemos usar uma linguagem perfeita ou não, pois é o Espírito Santo quem intercede89 por nós porque não sabemos orar como convém; e finalizar cada oração em nome de Jesus, pois foi através de seu sacrifício90 que tive- mos acesso direto ao Pai, e Ele é o nosso único Salvador e tam- bém mediador91 diante Dele. E jamais nos esqueçamos disso: por mais difícil que seja a nossa vida cotidiana, e mesmo que não consigamos ver saída para os nossos problemas, “não há nada impossível para Deus”, e tudo o que lhe pedirmos, em nome de seu Filho, crendo, receberemos! “Portanto, orai sem cessar!”. 89 Interceder: Pedir algo em favor de alguém. 90 Sacrifício: Oferenda de animal, produto da colheita ou de qualquer coisa de valor, feita a uma divindade para lhe tributar homenagens, ou para reconhecimento do seu poder, ou ainda para lhe aplacar a cólera. A pessoa ou coisa sacrificada. Renúncia voluntária a um bem ou a um direito. Ato de abnegação, inspirado por um veemente sentimento de amizade ou de amor. Privação, voluntária ou involuntária, de uma coisa digna de apreço e estima. Sofri- mento. 91 Mediador: Pessoa cuja função é reconciliar partes. Cristo é o mediador da nova Aliança, através de quem Deus e as pessoas são reconciliados (Is 42:6; 1ª Tm 2:5; Hb 8:6; 9:15).
  • 34. IV Como Obter Consolo em Momentos de Angústia? Vivemos num mundo tão cheio de adversidades que, muitas vezes, o ser humano se vê à beira do desespero e não consegue enxergar uma saída para os seus problemas. Muitos se entregam ao álcool, às drogas e às várias outras armadilhas de Satanás, procurando assim uma fuga, mas acabam se afundando cada vez mais no abismo do pecado e, alguns, infelizmente, são tão domi- nados pela depressão que acabam chegando ao suicídio. Segundo os dicionários da língua portuguesa, existem dois tipos de de- pressão: a depressão mental e a depressão nervosa. A depressão mental é uma perturbação que atinge a mente e é caracterizada pela ansiedade e pela melancolia92 ; e a depressão nervosa é um estado patológico93 de sofrimento psíquico94 assinalada pelo aba- timento do sentimento de valor pessoal, por pessimismo e por uma inapetência95 face à vida. É preciso saber lidar com os pro- blemas cotidianos e conseguir entender que há coisas que, pela própria vontade de Deus, não podem ser resolvidas da maneira que queremos. Mas, então, o que fazer nos momentos de deses- 92 Melancolia: Psicose maníaco-depressiva. Estado de humor caracterizado por uma tristeza vaga e persistente. 93 Patológico: Relativo à patologia (ciência que estuda a origem, os sintomas e a natureza das doenças. História particular de cada doença. Define os termos, fixa-lhes as significações, determina as leis dos fenômenos mórbidos, investiga e classifica as causas, os processos, os sintomas, etc.). 94 Psíquico: Relativo à psique. Que pertence ou concerne à alma ou às faculdades morais e intelectuais. Que se refere à mente; mental. 95 Inapetência: Falta de apetite.
  • 35. Como Obter Consolo em Momentos de Angústia? 33 pero? A resposta é simples: temos que buscar a conso- lação unicamente em Deus! Em 2ª Coríntios 1:3-11 está escrito o seguinte: “3 Bendito96 seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai de misericórdias97 e Deus de toda consolação! 4 É ele que nos conforta em toda a nossa tribulação, para podermos conso- lar os que estiverem em qualquer angústia, com a consolação com que nós mesmos somos contemplados por Deus. 5 Porque, assim como os sofrimentos de Cristo se manifestam em grande medida a nosso favor, assim também a nossa consolação trans- borda por meio de Cristo. 6 Mas, se somos atribulados, é para o vosso conforto e salvação; se somos confortados, é também para o vosso conforto, o qual se torna eficaz, suportando vós com pa- ciência os mesmos sofrimentos que nós também padecemos. 7 A nossa esperança a respeito de vós está firme, sabendo que, como sois participantes dos sofrimentos, assim o sereis da consolação. 8 Porque não queremos, irmãos, que ignoreis a natureza da tri- bulação que nos sobreveio na Ásia, porquanto foi acima das 96 Bendito: Abençoado (Gn 12:3; Is 19:25). Feliz (Jz 5:24; Lc 13:35). 97 Misericórdia: Bondade (Js 2:14). Bondade, amor e graça de Deus para com o ser humano, manifestos no perdão, na proteção, no auxílio, no atendimento a súplicas (Êx 20:6; Nm 14:19; Sl 4:1). Essa disposição de Deus se manifestou desde a criação e acompanhará o seu povo até o final dos tempos (Sl 136:1-23; Lc 1:50). Virtude pela qual o cristão é bondoso para com os necessitados (Mt 5:7; Tg 2:13). Embora a medicina ofereça avan- çados tratamentos para o controle da depressão, sua cura definitiva só pode ser alcançada através da fé e da obediência a Deus.
  • 36. Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço? 34 nossas forças, a ponto de desesperarmos até da própria vida. 9 Contudo, já em nós mesmos, tivemos a sentença de morte, para que não confiemos em nós, e sim no Deus que ressuscita os mor- tos; 10 o qual nos livrou e livrará de tão grande morte; em quem temos esperado que ainda continuará a livrar-nos, 11 ajudando- nos também vós, com as vossas orações a nosso favor, para que, por muitos, sejam dadas graças98 a nosso respeito, pelo benefí- cio que nos foi concedido por meio de muitos.” Vemos aqui que o apóstolo Paulo passava por grandes tribulações simplesmente por pregar o Evangelho, mas nem por isso ele desistia ou desa- nimava; ele simplesmente buscava a consolação de Deus em vez de se entregar à tristeza. Talvez as nossas dificuldades sejam um pouco diferentes da situação que Paulo enfrentava naquele mo- mento, mas ela nos serve de exemplo, como lição de vida para os nossos dias atuais; então façamos uma breve meditação dessa passagem para entendermos como age a consolação de Deus em nossa vida: 2ª Co 1:3 - É indispensável estarmos sempre firmes na presença do Todo-Poderoso porque, sendo tão misericordioso, Ele não permite que sejamos destruídos pelo inimigo (Lm 3:21-23). 2ª Co 1:4 - Ele quer que estejamos sempre prontos para conso- larmos uns aos outros (1ª Jo 4:13-15). 98 Graças: Do latim “gratia”, derivado de “gratus” que significa “grato”, “agradecido”. Agra- decimento. Dar graças é agradecer ou atribuir um feito a alguém.
  • 37. Como Obter Consolo em Momentos de Angústia? 35 2ª Co 1:5 - Precisamos ter plena consciência de que por mais problemas que tenhamos, nós vivemos por Cristo e para Cristo, e o que obtemos é através da fé (2ª Co 4:8-1399 100 ). 2ª Co 1:6 - Devemos entender que Deus tem um propósito em tudo, até no nosso sofrimento (Fp 1:20,21101 ). 2ª Co 1:7 - Para tudo há uma recompensa, nada é em vão (Rm 8:36,37102 ). 2ª Co 1:8 - Nenhum crente é super-herói, todos estamos sujeitos às fraquezas espirituais (1ª Co 10:12,13). 2ª Co 1:9 - Deus permite nosso sofrimento para não nos esque- cermos que dependemos dEle (Gl 2:18-21103 ). 2ª Co 1:10 - Quando confiamos nEle, Ele está sempre pronto para nos socorrer (Sl 16:1-3104 ). 99 Perplexo: Admirado; cheio de incerteza. 100 Abatido: Triste, enfraquecido, humilhado. 101 Expectação: Expectativa. 102 Reputado: Considerado; avaliado. Tido por. 103 Graça: Favor imerecido. O vocábulo Graça provém do latim gratia, que deriva de gratus (grato, agradecido) e que em sua primeira acepção designa a qualidade ou conjunto de qualidades que fazem agradável a pessoa que as têm. Teologicamente, refere-se ao período que se iniciou com a morte de Cristo na cruz, o qual pôs fim às rígidas imposições da Lei mosaica, colocando em vigor o Novo Testamento. 104 Santo: (Latim: sanctu) Separado. Que obteve no Céu a recompensa prometida aos que observam os ensinamentos evangélicos; bem-aventurado, eleito. Que vive conforme a lei de Deus; que inspira benevolência e piedade; bondoso; que cumpre com todo o escrúpulo, com a maior exatidão, os seus deveres religiosos e morais; virtuoso. Com o caráter de santidade;
  • 38. Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço? 36 2ª Co 1:11 - Um de nossos maiores consolos é o apoio, tanto espiritual quanto material, de nossos irmãos (2ª Co 7:5-10105 106 107 ). Portanto, podemos concluir o seguinte: somos consolados pela misericórdia de Deus em nossa vida; sem Ele não haveria con- forto em nossas dificuldades; se Cristo sofreu por nós, devemos nos sentir honrados pelo privilégio de podermos sofrer por Ele; Deus tem um propósito em tudo e conhece os nossos limites; o que passamos serve para provar a nossa fé e nos ensinar a viver; o segredo da vitória é confiar no seu poder e na sua misericórdia; e a maior prova de que somos consolados por Deus é quando dotado de santidade. Termo usado na Bíblia em referência à Igreja e seus membros (1ª Co 1:2; 6:2;; 2ª Co 1:1; Ef 1:4; Fp 4:21,22). Que se refere à religião ou ao rito sagra- do. Consagrado ao culto, à divindade; sagrado. Digno de respeito e veneração pelo seu caráter, talento e virtudes. Que é digno de respeito; quem o desrespeita comete um ato de profanação. Que não faz mal a ninguém; ingênuo, inocente, simples. Benéfico, profícuo, útil. 105 Macedônia: É uma região do sudeste da Europa, que ocupa a parte central do que agora se conhece como a Península Balcânica. Foi, em tempos, uma província romana que se es- tendia desde o Mar Adriático, no Oeste, até o Mar Egeu, no Leste, e ficava ao Norte da Acaia. Foi a primeira região da Europa a ser visitada pelo apóstolo Paulo na sua segunda viagem missionária. Enquanto Paulo estava em Trôade, na Ásia Menor, teve uma visão que o man- dava à Macedônia (At 16:8, 9). Paulo, junto com Lucas, Timóteo e Silas, partiu para a Mace- dônia. Depois de chegar a Neápolis, o porto de Filipos, Paulo dirigiu-se à cidade de Filipos (At 16:11-40). Lucas permaneceu em Filipos quando Paulo, Silas e Timóteo percorreram as cidades macedônias de Anfípolis (uns 50 km de Filipos) e Apolônia (uns 50 km de Anfípolis). A seguir, Paulo visitou respectivamente as cidades macedônias de Tessalônica (uns 60 km de Apolônia) e Beréia (uns 80 km de Tessalônica). O bom relatório que Timóteo trouxe, ao retornar, induziu Paulo a escrever a sua primeira carta aos tessalonicenses (1ª Ts 3:6; At 18:5). A sua segunda carta aos tessalonicenses seguiu-se pouco depois. 106 Tito: Cristão grego, companheiro e amigo de Paulo, seu pai na fé. Foi pastor em Creta, uma ilha do mar Mediterrâneo (Gl 2:1-3; Tt 1:4-5). Seu nome é mencionado várias vezes (2ª Co 2:13; 7:6-16; 8:6,16,23; 12:18). 107 Contristado: Entristecido.
  • 39. Como Obter Consolo em Momentos de Angústia? 37 conseguimos também consolar aos nossos irmãos. E devemos resumir tudo isso da seguinte forma: para alcançarmos a conso- lação, por piores que sejam as aflições, precisamos orar, conhe- cer a Palavra e saber amar da mesma maneira que queremos ser amados! SE DEUS É TÃO AMOROSO E CHEIO DE MI- SERICÓRDIA, POR QUE SOFREMOS TANTO?  Como vivemos no mundo, estamos sujeitos a tudo (Ec 9:2,3; Jo 17:14,15; 1ª Jo 5:19).  Apesar que nem todos os problemas são moti- vados pelo pecado, o pecado traz consequências negativas (Jo 9:2,3; Rm 6:23).  Deus nem sempre interfere da forma que espe- ramos porque Ele tem um propósito diferente com cada um (Jó 1:7-12).  Nosso maior livramento é da alma e não do cor- po (At 20:24; Fp 1:21; 2ª Tm 2:10-12; Mt 10:28).
  • 40. V O que é Fazer a Vontade de Deus? Em nossa vida cotidiana, uma vez ou outra, precisamos procu- rar um médico para nos examinar e ver se está tudo bem conosco para que não venhamos a ter problemas de saúde futuramente. E na nossa vida espiritual devemos agir da mesma forma; porém esse “check-up108 ” tem que ser feito a todo momento, para que não venhamos a pecar perdendo a comunhão com o Espírito San- to e, consequentemente, a própria salvação. Você já parou pra perguntar para Deus se Ele está se agradando de suas atitudes? Pois o seu Santo Espírito é muito sensível e se entristece gran- demente quando erramos e não nos arrependemos. Jesus Cristo fez um grande sacrifício por nós e devemos honrá-lo fazendo a vontade de seu Pai. Imagine como Ele se sente quando olha para o homem, por quem Ele foi crucificado, e vê que ele não corres- ponde com sinceridade ao seu imenso e infinito amor. Certamen- te você se preocupa se está sendo útil, agradável e se não está decepcionando às pessoas a quem você ama; mas alguma vez você se preocupou se está sendo um servo eficiente, irrepreensí- vel e se não está decepcionando a Deus? Ao invés de pedirmos que Ele faça a nossa vontade, temos a obrigação de lhe perguntar se nós estamos fazendo a vontade dEle! 108 Check-up: Palavra inglesa mais usada pelos norte-americanos que pode ser entendida como “um exame minucioso”.
  • 41. O que é Fazer a Vontade de Deus? 39 Para termos a certeza de que estamos fazendo a vontade de Deus, precisamos orar como Davi no Salmo 139:24: “4 E vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno.” Quando disse essas palavras, o rei Davi estava reconhecendo a onipotência109 e a soberania110 de Deus em sua vida, e demons- trava grande preocupação em relação à sua vida espiritual, pois ele não queria pecar, e caso estivesse pecando, queria que Jeová lhe mostrasse o caminho certo. Para ter a certeza se estamos agindo corretamente diante de Deus ou não, vamos fazer uma rápida autoanálise de nossas vidas buscando as respostas dentro da Bíblia. Segundo as Sagradas Escrituras, fazer a vontade de Deus é:  Entregar sua vida a Ele (Jo 3:16111 );  Procurar conhecer os seus mandamentos (Sl 119:11);  Ter uma vida de santificação (Rm 6:19);  Orar constantemente (1ª Ts 5:17);  Agradecê-lo por tudo (1ª Ts 5:18);  Oferecer-lhe sacrifícios sinceros (Lc 21:2,3);  Obedecer aos seus superiores (Rm 13:1,2112 ); 109 Onipotência: Atributo pelo qual Deus pode tudo (Jó 42:2; Sl 91:1; Mt 19:26; Lc 1:37). 110 Soberania: Caráter ou qualidade de soberano. Autoridade suprema. Autoridade moral considerada como suprema; poder supremo, irresistível. 111 Unigênito: Único gerado. Filho único. 112 Alma: A parte não-material e imortal do ser humano (Mt 10:28), sede da consciência própria, da razão, dos sentimentos e das emoções (Gn 42:21). Os dicotomistas entendem que o ser humano é corpo e alma, sendo espírito sinônimo de alma. Os tricotomistas acredi- tam que o ser humano é corpo, alma e espírito. "Alma vivente" quer dizer "ser vivo" (Gn
  • 42. Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço? 40  Trabalhar com dedicação na sua Obra (2º Cr 29:11113 114 115 );  Amar ao próximo como a si mesmo (Mc 12:31);  Saber controlar suas palavras (Sl 12:3116 );  Ser humilde (Pr 14:20-22);  Nunca negar o seu nome (Lc 12:9);  Ser fiel em qualquer circunstância (2ª Tm 2:11,12);  Admitir seus erros (Pr 28:13);  Saber perdoar e pedir perdão (Mt 6:15);  Não apoiar nenhum tipo de violência (Sl 140:11117 );  Jamais praticar a vingança (Rm 12:17-21118 );  Ter a certeza de que realmente o Espírito Santo está fruti- ficando em sua vida (Gl 5:22); 2:7). Na Bíblia, muitas vezes, a palavra "alma" é empregada em lugar do pronome pessoal significando "vida". (Sl 22.20), e, outras vezes, quer dizer "pessoa" (Êx 1:5). 113 Negligente: Que tem negligência. Desatento, descuidado, desleixado. Lânguido, preguiço- so. Irresponsável. 114 Ministro: Servo (Sl 103:21; Jo 18.36). Empregado (Rm 13:4). Conselheiro; auxiliar ( 2º Sm 8:18). Pessoa designada para exercer um ministério (2º Cr 29:11; At 26:16). O servo de Cristo que, na igreja, prega a palavra e administra o batismo, a ceia, etc. (1º Co 4:1; Ef 6:21; 1º Tm 4:6). 115 Incenso: Resina aromática de certas árvores que, misturada com especiarias (Êx 30:34- 38), era queimada nas cerimônias de adoração a Deus (Lv 16:13), de manhã e à tarde (Êx 30:1-10). O incenso era símbolo das orações que subiam para Deus (Sl 141:2; Ap 8:3-5). 116 Lisonjeiro: Bajulador. Pessoa que agrada outra por interesse. 117 Desterrado: Banido da pátria. Exilado. 118 Ira: A ira de Deus é a sua reação contra o pecado, a qual o leva a castigar o pecador (Ez 7:8-9; Ap 16:19). Porém maior do que a ira de Deus é o seu amor, que perdoa aqueles que se arrependem e mudam de vida (Is 54:7-8; Rm 9:22-23). "Filhos da ira" quer dizer "sujeitos ao castigo" de Deus (Ef 2:3).
  • 43. O que é Fazer a Vontade de Deus? 41  E, entre várias outras coisas, pregar a Palavra para que ou- tras pessoas também possam conhecê-lo e servir a Ele (1ª Tm 2:3,4). Tudo isso o que vimos aqui foi apenas um breve e simples resumo do que é realmente agradar a Deus. Para saber se esta- mos dentro de sua vontade precisamos orar pedindo-lhe orienta- ção; que o seu Santo Espírito venha a nos incomodar cada vez que estivermos perto de pecar, e se já tivermos pecado, que Ele não nos permita ter paz em nosso coração até que nos arrepen- damos e consertemos os nossos erros. Além da oração, outra for- forma também indispensável para se obter orientação divina é buscar o conhecimento da Palavra, pois quem conhece os seus mandamentos sabe muito bem diferenciar entre o certo e o erra- do. Portanto, sabemos que por mais que sejamos ameaçados por esse mundo mal e pecaminoso, Satanás só consegue dominar sobre a nossa vida se nós abrirmos brechas e deixarmos que ele entre em nosso coração. A volta do Senhor Jesus Cristo está mui- to próxima! Vigiemos, pois não sabemos o dia e nem a hora! Por isso é necessário estarmos sempre preparados!
  • 44. VI Por que um Servo de Deus Não pode Viver em Pecado? Deus criou o homem simplesmente para adorá-lo e também para usufruir das inúmeras bênçãos que deixou à sua disposição. Porém, o homem, com o seu natural instinto de rebeldia, se dei- xando levar pela cobiça, desobedeceu às ordens do Senhor e, dessa maneira, acabou construindo uma barreira entre ele e Deus. Isso não significa que Jeová tenha lhe virado as costas, muito pelo contrário; mas isso refletiu fortemente em seu relaci- onamento com o Criador, o qual passou a lhe abençoar por me- dida segundo a sua misericórdia, fazendo-o viver pelo suor do seu rosto, ou seja: se antes ele recebia seu alimento nas mãos, depois do pecado ele passou a ter que plantar para se alimentar. Hoje vivemos as consequências desse ato, entretanto, não pode- mos nos considerar como vítimas de Adão e Eva, e sim entender e admitir como a personalidade119 deles se reflete em nosso cará- ter120 , o qual nos leva à tendência de praticar sempre o que é er- rado mesmo que queiramos fazer o que é certo; e isso, natural- mente, atrapalha nossa comunhão com Deus e nos impede de receber muito mais bênçãos além das que já usufruímos pela sua infinita misericórdia. Mas conhecemos uma fórmula básica para 119 Personalidade: Caráter essencial e exclusivo de uma pessoa. Aquilo que a distingue de outra. 120 Caráter: Moral. Índole. Característica.
  • 45. Por que um Servo de Deus não Pode Viver em Pecado? 43 o remédio contra o pecado121 : arrependimento, oração e renún- cia, e isso pode ser traduzido simplesmente como santificação! Em 1ª João 5:5-10 diz o seguinte: “5 E esta é a mensagem que dele ouvimos e vos anunciamos: que Deus é luz, e não há nele treva nenhuma. 6 Se dissermos que temos comunhão com ele e andarmos em trevas, mentimos e não praticamos a verdade. 7 Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo pecado. 8 Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós. 9 Se con- fessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça. 10 Se dissermos que não pecamos, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós.” Observando a preocupação do apóstolo João122 em tratar 121 Pecado: Falta de conformidade com a lei de Deus, em estado, disposição ou conduta. Para indicar isso, a Bíblia usa vários termos, tais como pecado (Sl 51:2; Rm 6:2), desobediên- cia (Hb 2:2), transgressão (Sl 51:1; Hb 2:2), iniquidade (Sl 51:2; Mt 7:23), mal, maldade, ma- lignidade (Pr 17:11; Rm 1:29), perversidade ( Pr 6:14; At 3:26), rebelião, rebeldia (1º Sm 15:23; Jr 14:7), engano (2ª Ts 2.10), injustiça (Jr 22.13; Rm 1.18), erro, falta (Sl 19.12; Rm 1.27), impiedade (Pr 8.7; Rm 1.18), concupiscência ( Is 57:5; 1ª Jo 2:16), depravidade, depra- vação ( Ez 16:27,43,58). O pecado atinge toda a raça humana, a partir de Adão e Eva (Rm 5:12). O castigo do pecado é a morte física, espiritual e eterna (Rm 6:23). Da morte espiritual e eterna escapam aqueles que se chegam a Cristo, o Salvador (Rm 3:21-8:39). 122 João: Filho de Zebedeu e de Salomé. Ele e seu irmão Tiago eram pescadores (Mt 4.21). João Batista o apresentou a Jesus (Jo 1:35-39), que o chamou para ser apóstolo (Mc 1:19- 20). Era do grupo mais íntimo de Jesus (Mc 5:37; Mt 17:1; 26:37). Ele e Tiago são chamados de Boanerges (Filhos do Trovão: pessoas de caráter violento). João é provavelmente o discí- pulo amado (Jo 13:23). Foi ele o único discípulo que permaneceu perto da cruz (Jo 19:26-27) e o primeiro a crer na ressurreição de Cristo (Jo 20:1-10). Após o Pentecostes, trabalhou inicialmente com Pedro (At 3:1-4:22; 8:14-17; Gl 2:9). A tradição diz que João viveu em Éfeso
  • 46. Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço? 44 desse assunto, vemos que a igreja, desde o seu início, já enfren- tava vários problemas com a influência mundana. Então vamos meditar em alguns pontos principais de cada versículo para que possamos entender que, apesar de tudo, ainda é possível haver uma aproximação entre o homem e o seu Senhor: 1ª Jo 5:5 - Os pecados do homem o impedem de receber muitas bênçãos de Deus (Is 59:1-3123 ); 1ª Jo 5:6 - Para servi-lo é necessário haver absoluta renúncia às coisas do mundo (Lc 9:23-25124 ); 1ª Jo 5:7 - Pois ele está sempre pronto a receber aqueles que o querem servir verdadeiramente (Sl 145:17-20125 ); 1ª Jo 5:8 - Devemos admitir nossas falhas ao invés de tentarmos justificar nossos erros pensando que somos os donos da razão em tudo aquilo que fazemos (Rm 3:23-26126 127 128 129 ); até uma idade bem avançada. É considerado o autor do Evangelho de João, das três epísto- las que levam o seu nome e do Apocalipse. 123 Iniquidade: Falta de eqüidade (retidão). Pecado que consiste em não reconhecer igual- mente o direito de cada um, em não ser correto, em ser perverso. 124 Granjear: Conquistar algo com trabalho ou esforço. 125 Ímpio: Quem não tem fé; incrédulo, descrente, herege, ateu. 126 Destituído: Afastado; tirado; impedido; privado; separado. 127 Redenção: Libertação. 128 Propiciação: Ato realizado para aplacar a ira de Deus, de modo a ser satisfeita a sua santi- dade e a sua justiça, tendo como resultado o perdão do pecado e a restauração do pecador à comunhão com Deus. No Antigo Testamento a propiciação era realizada por meio dos Sacri- fícios, os quais se tornaram desnecessários com a vinda de Cristo, que se ofereceu como sacrifício em lugar dos pecadores (Êx 32.30; Rm 3.25; 1ª Jo 2.2). 129 Remissão: Ato ou efeito de remir, livrar. Indulgência, misericórdia. Expiação, perdão.
  • 47. Por que um Servo de Deus não Pode Viver em Pecado? 45 1ª Jo 5:9 - Não devemos pecar, mas, se pecarmos, devemos sa- ber que só há um que pode nos perdoar (1ª Jo 2:1-6); 1ª Jo 5:10 - O verdadeiro crente não é aquele que não erra, mas sim aquele que está procurando diariamente consertar os seus erros (Rm 7:14-20). Desse maravilhoso ensinamento bíblico podemos resumir tudo o que vimos da seguinte maneira: Fomos criados à imagem e semelhança de Deus, portanto deve se refletir em nós o seu santo caráter; mas para isso, a primeira coisa que devemos fazer é re- nunciar às influências mundanas; pois se usarmos o nosso livre arbítrio para segui-lo de acordo com a sua vontade, Ele está sempre pronto a nos ajudar; é necessário que reconheçamos nos- sos erros, admitindo que nem sempre estamos certos em nossas atitudes, e que precisamos melhorar a cada dia; porque Jesus Cristo se sacrificou na cruz para nos perdoar pelos nossos peca- dos; e jamais devemos nos esquecer que seguir perfeitamente os mandamentos divinos não significa que conseguiremos fazer sempre apenas o que é certo, mas sim que devemos tentar agir sempre da maneira correta. De acordo com a Palavra de Deus podemos definir que apesar de vivermos num mundo quase to- talmente corrompido pelo pecado, ainda é possível, mesmo com todas as nossas falhas, termos uma vida separada e de total dedi- cação a servir e seguir os passos do nosso grandioso Mestre!
  • 48. VII O que é Blasfêmia130 Contra o Espírito Santo? Essa é uma pergunta que intriga, incomoda e chega até mesmo a preocupar a muitas pessoas, principalmente alguns crentes meio desconcertados. Pois todos sabem que Deus é tremenda- mente misericordioso, e isso os leva a pensar no por quê desse pecado ser tão terrível a ponto dEle não perdoá-lo; há muitos que questionam a si mesmos tentando entender se já cometeram essa terrível abominação131 ou não, e outros que têm sérias dúvidas a respeito de suas atitudes e, mesmo sem entender biblicamente sobre esse delicado assunto, imaginam que não têm mais direito à salvação. Mas, afinal, o que é realmente a blasfêmia contra o Espírito Santo? Como eu posso saber se já cometi esse pecado ou não? E, principalmente, como devo agir para evitar cometê- lo? Para essas e outras perguntas, somente as Sagradas Escrituras têm a resposta! Mas antes de meditarmos nesse tema biblicamen- te, precisamos entender literalmente o significado da palavra blasfêmia na língua portuguesa e qual é a sua interpretação teo- lógica: segundo o dicionário Michaelis, blasfêmia é uma palavra ofensiva à divindade ou à religião; e também um ultraje dirigido contra pessoa ou coisa respeitável; e, teologicamente, segundo os 130 Blasfêmia: Palavra ofensiva à divindade ou à religião. Contrassenso, heresia. Praga, maldi- ção, imprecação. 131 Abominação: Repulsa de qualquer ato ou pensamento contrário à moral ou ao bom sen- so. Tudo o que é abominável. Falsa religião, idolatria, superstição. Por vezes, signifi- ca ídolo na Bíblia.
  • 49. O que é Blasfêmia Contra o Espírito Santo? 47 dicionários bíblicos mais respeitáveis, blasfemar significa dizer palavras ofensivas, isto é, blasfêmias, contra Deus, Jesus Cristo, o Espírito Santo, ou contra qualquer coisa sagrada; e também está blasfemando quem diz ter direitos ou poderes que pertencem somente a Deus. Porém, como aqui estamos tratando especifica- mente de blasfêmia contra o Espírito Santo, devemos também saber quem Ele é: De acordo com a Bíblia, o Espírito Santo de Deus não é uma mera força ativa - igual a qualquer manifesta- ção da natureza ou astro do universo - como afirmam algumas seitas, e sim a pessoa do próprio Deus manifestando o seu poder entre nós. Para compreender isso é necessário entender a Trinda- de - o Pai, o Filho e o Espírito Santo - que é a mesma pessoa de Deus manifestada de três diferentes formas, e não três deuses atuando juntos como pensam alguns. Assim concluímos que ter o Espírito Santo em nós é ter o próprio Deus agindo em nossa vi- da, portanto, devemos agora saber como não blasfemar contra Ele. Um dos textos bíblicos mais claros sobre isso está em Mateus 12:30-32: “30 Quem não é comigo é contra mim; e quem comigo não ajunta espalha. 31 Portanto, eu vos digo: todo pecado e blas- fêmia se perdoará aos homens, mas a blasfêmia contra o Espíri- to não será perdoada aos homens. 32 E, se qualquer disser algu- ma palavra contra o Filho do Homem, ser-lhe-á perdoado, mas, se alguém falar contra o Espírito Santo, não lhe será perdoado, nem neste século nem no futuro.” Observe que aqui Jesus não
  • 50. Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço? 48 estava simplesmente pregando para o povo, Ele estava, nesse momento, corrigindo duramente aqueles que diziam que Ele es- tava sendo usado por Satanás para expulsar demônios. E é aí que começamos a entender o que Ele quer dizer com isso: Mt 12:30 - Aquele que não aceita a Cristo, automaticamente, o está rejeitando e, dessa maneira não o está reconhecendo como Senhor e Salvador da humanidade (2ª Co 6:14-18132 133 134 ); Mt 12:31 - E quem o rejeita, principalmente proferindo palavras de ofensa, está rejeitando o seu poder que se manifesta através do seu Espírito Santo (Jo 12:47,48135 ); Mt 12:32 - Entretanto, com sua imensa misericórdia, Ele perdoa e dá ao homem uma nova oportunidade, porém, o ser humano, pela dureza de seu coração, muitas vezes acaba escarnecendo do nome de Deus e sofrendo duramente as consequências de seus atos (Gl 6:7,8136 137 ), pois é aí que ele dá brechas para que os es- píritos malignos o dominem (Lc 11:24-26138 ). 132 Jugo: Peça de madeira que se prende com correias ao pescoço de animais de carga, para que assim possam puxar uma carroça ou um arado (Nm 19:2; 1º Sm 6:7). Em sentido figura- do: domínio, opressão (Gn 27:40; Jr 28:2; Gl 5:1); sofrimento (Lm 3:27); obediência (Mt 11:29-30); aliança (2ª Co 6:14); trabalho (Fp 4:3). 133 Belial: Pessoa má, sem valor (Jz 19:22; 1ª Sm 30:22). Diabo ( 2ª Co 6.15). 134 Ídolo: A divindade representada por um objeto, o qual é adorado em lugar da própria divindade, o que caracteriza a idolatria. 135 Julgar: Decidir como juiz, dando sentença de condenação ou de absolvição (Êx 18:13; Dt 1:16). Supor; imaginar; pensar (Lc 7:43; At 8:20). Castigar (Sl 110:6). Censurar; condenar (Mt 7:1; Jo 12:47; Rm 14:3). Salvar; defender (Sl 35:24). 136 Escarnecer: Zombar.
  • 51. O que é Blasfêmia Contra o Espírito Santo? 49 Há ainda outros pontos de extrema importância que devemos considerar a respeito da blasfêmia contra o Espírito Santo, ob- serve bem:  É necessário termos um imenso cuidado quando duvida- mos se alguém está realmente sendo usado por Deus ou não (Mc 3:23-27139 );  não devemos crer em tudo (1ª Jo 4:1);  e a Palavra de Deus nos dá o direito de julgar (1ª Ts 5:21140 ),  mas para isso é necessário discernimento espiritual (At 5:1-3141 )! Blasfemar contra o Espírito Santo significa virar as costas para Deus e recusar determinadamente o seu poder e a sua autoridade 137 Ceifar: Colher, cortar. 138 Adornado: Ornado, ornamentado. Ataviado, enfeitado, adereçado. 139 Subsistir: Existir (Fp 2:6). Permanecer (Jo 9:41). Manter-se em pé (Na 1:6; Lc 11:18). Con- servar em ordem e harmonia (Cl 1:17). 140 Reter: Guardar. Conservar. 141 Ananias e Safira: Os primeiros cristãos não consideravam suas posses como sendo suas, mas eles tinham tudo em comum para usar o que tinham em benefício daqueles que preci- savam. Barnabé, um levita de Chipre, vendeu um terreno e doou o lucro para os apóstolos. Então, Ananias e Safira também venderam suas terras, mas retiveram uma parte das vendas, tendo decidido que não iriam dar tudo para à congregação. Ananias apresentou a sua doa- ção para Pedro dizendo que era o valor total. Pedro respondeu: "Por que é que Satanás encheu seu coração a ponto de você mentir ao Espírito Santo?". Pedro salientou que Ananias estava no controle do dinheiro e poderia dar ou usá-lo como bem entendesse, mas que ele tinha retido de Pedro e mentiu sobre isso, e afirmou que Ananias não só mentiu para Pedro, mas também para Deus. Ananias morreu no mesmo instante, e como resultado, todos os que ouviram o conto ficaram com medo. Três horas mais tarde, sua esposa disse a mesma mentira e sofreu o mesmo destino.
  • 52. Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço? 50 sobre nós, rejeitando a unção142 que Ele tem colocado sobre seus servos e, muitas vezes debochando e até mesmo atribuindo-a a demônios. Devemos entender que ao mesmo tempo em que a blasfêmia contra o Espírito Santo não consiste de simples atos inconscientes com os quais o inimigo tenta confundir nossa men- te para que deixemos de servir a Deus pensando que não temos mais salvação, ela também é um pecado muito fácil de ser come- tido, bastando para isso um simples descuido de nossa parte. Chegamos a essa conclusão porque sabemos que o Espírito San- to de Deus é provido de uma grande sensibilidade e qualquer ato irreverente de nossa parte pode afastá-lo de nós. Portanto, vigie- mos e oremos diariamente pedindo-lhe que coloque em nossa vida mais temor, retidão e amor pelas coisas espirituais, e que nos faça sentir quando estivermos a ponto de pecar para mudar- mos as nossas atitudes antes de perdermos a nossas salvação! 142 Unção: Ato de ungir; A unção era feita pelos sacerdotes passando azeite sobre a cabeça de pessoas separadas para o serviço sagrado ou para um reinado. Também usada no Novo Testamento, e também nos dias atuais, por obreiros durante a oração por enfermos. Em nossa linguagem evangélica popular representa a capacidade espiritual de uma pessoa no uso de seus dons. Dizer que uma pessoa tem unção é o mesmo que dizer que ela é ungida por Deus, ou seja: que foi especialmente separada e capacitada por Ele para o desempenho de algo.
  • 53. VIII O que são e Como Obter os Dons Espirituais? Em várias passagens bíblicas podemos ver claramente Deus nos ordenando a fazer sua Obra; no entanto, para nós, o melhor é saber que Ele não nos manda desarmados para essa guerra, pois Ele nos dotou de dons143 espirituais para enfrentarmos o inimigo e nos deu as ferramentas adequadas para cada função que preci- samos exercer nos ministérios144 em que fomos chamados. Quando Ele manda, Ele capacita através do seu Santo Espírito, possibilitando-nos a fazer qualquer coisa desde que estejamos dispostos a obedecê-lo. Você quer fazer algo para Deus e se sen- te incapaz? Certamente Ele já te deu algum talento, então sim- plesmente ore e peça-lhe que desperte esse dom que há em ti. Não deixe o Diabo te dominar com o maldito sentimento de infe- rioridade e inutilidade espiritual! No capítulo 12 da 1ª epístola de Paulo ao povo de Corinto, nos 7 primeiros versículos, ele nos ensina o seguinte: “1 Acerca dos dons espirituais, não quero, irmãos, que sejais ignorantes. 2 Vós bem sabeis que éreis gentios, levados aos ídolos mudos, confor- 143 Dom: Domínio sobre algum tipo de atividade. Dádiva, presente, talento, prenda, aptidão, capacidade, habilidade especial, Bem espiritual proporcionado por Deus: graça. 144 Ministério: Serviço. Cargo ou ofício de Ministro (Conselheiro; auxiliar; empregado). De- sempenho de um serviço. Exercício de um serviço religioso especial, como o dos levitas, sacerdotes, profetas e apóstolos; Vocação, disposição, tendência predominante numa pes- soa, atitude característica; Dom, capacidade que o Espírito Santo concede aos servos de Deus para uso em favor dos outros. Uma habilidade especial de fazer algo. Arte de ministrar.
  • 54. Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço? 52 me éreis guiados. 3 Portanto, vos quero fazer compreender que ninguém que fala pelo Espírito de Deus diz: Jesus é anátema145 ! E ninguém pode dizer que Jesus é o Senhor, senão pelo Espírito Santo. 4 Ora, há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo. 5 E há diversidade de ministérios, mas o Senhor é o mesmo. 6 E há diversidade de operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos. 7 Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um para o que for útil.” Se o pastor Paulo se preocupou em tratar desse assunto foi porque o povo daquela época tinha muitas dú- vidas de como usar os dons e isso causava desordem nas comu- nidades cristãs. Meditando nesse texto podemos obter um exato conhecimento do que é realmente fazer a Obra de Deus. Muitos têm aplicado seus próprios conceitos sobre o que é, e como é, cumprir as ordens de Jesus Cristo, tanto formalmente dentro da igreja quanto pessoalmente no evangelismo. Existe uma hierar- quia a ser condicionalmente respeitada e várias questões éticas que nem sempre têm sido observadas. Vejamos, então, alguns desses pontos baseados no que o apóstolo expôs nessa passagem: 1ª Co 12:1 - Para sabermos usar nossos dons é necessários co- nhecê-los (1ª Co 2:12-15); 145 Anátema: Maldição, reprovação: lançar o anátema sobre alguém. Pessoa anatematizada, excomungada.
  • 55. O que São e Como Obter os Dons Espirituais? 53 1ª Co 12:2 - Devemos sempre nos lembrar de onde saímos e que, se queremos ser realmente obreiros, nossa vida precisa estar dife- rente de antes (Tt 1:6-9146 147 148 149 150 151 ); 1ª Co 12:3 - É necessário ter um grande cuidado antes de jul- garmos nossos irmãos para não acabarmos blasfemando contra o Espírito Santo de Deus (Mc 3:22-30152 ); 1ª Co 12:4 - Temos que entender que ninguém deve querer fazer aquilo para o qual não foi chamado e nem ser cobrado por não poder fazer algo (Rm 12:3-8); 1ª Co 12:5 - É preciso entender que não importa qual seja a fun- ção e como ela é realizada, mas que se o obreiro trabalha com sinceridade ele está sendo usado por Deus através dos dons que lhe foram concedidos (1ª Co 12:7-10); 146 Dissolução: Ato ou efeito de dissolver. Desfazer um acordo ou um relacionamen- to. Lascívia (sensualidade, imoralidade sexual). 147 Bispo: Dirigente da igreja cristã. Os bispos se dedicavam ao ensino da doutrina e à prega- ção do evangelho. Nos tempos apostólicos, o bispo cuidava de uma igreja local e era tam- bém chamado de presbítero (At 20:17-28; 1ª Tm 3:1-7; Tt 1:5-9); ancião. Só mais tarde os bispos se tornaram responsáveis por um grupo de igrejas de determinada região. 148 Iracundo: Que se ira com facilidade; irascível. Iroso, colérico. 149 Torpe: Desonesto, impudico. Indecoroso, infame, vergonhoso. Indecente, obsce- no. Ignóbil, sórdido. Asqueroso, nojento, repugnante. Maculado, manchado, sujo. 150 Hospitalidade: Boa disposição de receber e tratar um hóspede (Rm 12:13). 151 Admoestar: Advertir amigável ou benevolamente; fazer ver. Censurar ou repreender suavemente, aconselhando a não repetir a falta. Recomendar. 152 Belzebu: Baal-Zebube (Senhor das Moscas). Baal dos filisteus, adorado na cidade de Ecrom (2º Rs 1:2-16).
  • 56. Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço? 54 1ª Co 12:6 - Deus é Deus, não importa a forma como Ele se ma- nifeste (1ª Co 2:14); 1ª Co 12:7 - Antes de fazer algo para Ele, devemos ter a plena consciência de nossas intenções, pois Ele não nos dá dons para nos glorificar diante dos homens e sim para edificar sua igreja e ter seu nome glorificado através de nós (1ª Co 12:11). Antes de concluirmos esse comentário sobre dons espirituais, vamos fazer um breve resumo sobre cada um deles: 1. Palavra da sabedoria: Uma sabedoria sobrenatural dada por Deus que permite resolver questões de difícil solução (Mt 22:15-22153 154 155 156 ). 2. Palavra da ciência: É a capacidade de falar palavras ins- piradas por Deus, revelando coisas ocultas e trazendo 153 Fariseus: Em hebraico significa “separados”. Judeus devotos ao Pentateuco. Participavam das reuniões legislativas da sinagoga. Formavam um grupo de fanáticos e hipócritas (o que não era o caso de todos, pois haviam exceções, como era o caso de Gamaliel que defendeu os apóstolos que estavam presos por pregarem a Palavra (At 5:34-38)) que se opuseram duramente contra Jesus Cristo. Segundo a história, nessa época, eles eram aproximadamen- te 6 mil pessoas. 154 Herodianos: Membros de um partido político que favorecia a família de Herodes e os romanos (Mt 22.16). Ainda que os fariseus fossem contra os herodianos, eles se uniram para combater Jesus (Mc 12.13). 155 César: Nome de uma família romana, da qual Caio Júlio César foi o membro mais famoso. Com o tempo, "César" se tornou o título oficial dos imperadores romanos (Lc 20.25). No Novo Testamento são mencionados quatro césares: Augusto, Tibério, Cláudio e Nero. 156 Efígie: Figura, representação de uma pessoa; imagem. Retrato em relevo. Busto ou cabe- ça cunhados em relevo sobre medalhas ou moedas; cara. Representação.
  • 57. O que São e Como Obter os Dons Espirituais? 55 mensagens pessoais ao íntimo do coração do ouvinte (At 5:1-4,7-10157 158 ). 3. Fé: É muito mais do que simplesmente acreditar em algo. É uma fé sobrenatural que resulta na realização de mila- gres (At 6:8159 160 161 ). 4. Dons de curar: Capacidade de realizar curas de qualquer tipo de doença não através de meios físicos, naturais e humanos, mas sim em nome de Jesus (At 3:6,7). 5. Operação de maravilhas: Intervenções divinas sobre as forças da natureza ou qualquer tipo de coisa existente so- bre o universo (At 2:43). 6. Profecia: Pronunciar a mensagem de Deus se expressan- do na primeira ou na terceira pessoa do singular, como que “repetindo” o que Ele está falando (Ag 1:7). 157 Desígnio: Intenção, plano, propósito. 158 Expirar: Morrer (Jó 34:15; Mc 15:37). 159 Estevão: Foi um dos sete primeiros diáconos da igreja nascente, logo após a morte e Ressurreição de Jesus, pregando os ensinamentos de Cristo e convertendo tan- to judeus como gentios. Foi detido pelas autoridades judaicas, levado diante do Sinédrio (a suprema assembléia de Jerusalém), onde foi condenado por blasfêmia, sendo sentenciado a ser apedrejado. Entre os presentes na execução, estaria Paulo de Tarso, o futuro apóstolo Paulo, ainda durante os seus dias de perseguidor de cristãos. Sua história está registrada no livro de Atos (6:1-6; 7:1-60). 160 Prodígio: Fenômeno extraordinário ou inexplicável que causa admiração. Maravilha; milagre. Pessoa de extraordinário talento; portento. Qualquer feito ou sucesso extraordiná- rio. 161 Sinais: Demonstração de milagres e prodígios pelos quais Deus confirma as pessoas envi- adas por ele, ou pelos quais homens provam que a causa que eles estão pleiteando é de Deus.
  • 58. Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço? 56 7. Discernimento de espíritos: Capacidade para julgar se as manifestações espirituais são mesmo divinas ou não (1ª Jo 4:1). 8. Variedades de línguas: Falar em línguas desconhecidas. Essas línguas podem ser espirituais ou de um idioma que aquele que está falando nunca o tenha estudado (At 2:4- 6). 9. Interpretação de línguas: Dom que permite interpretar as línguas estranhas. É uma forma de confirmar se elas são divinas, fazendo com que sejam entendidas como pro- fecias (1ª Co 14:27,28). Então, concluindo esta breve meditação, aprendemos a seguin- te lição: nossa primeira preocupação é saber o que Deus quer de nós, que dons Ele nos deu e como devemos usá-los; constante- mente, devemos examinar nossa vida para ver se realmente fo- mos libertos das imundícias do pecado; é necessário termos um cuidado muito grande para não julgarmos as atitudes de nossos irmãos injustamente; tendo ainda o cuidado de observar se nós mesmos estamos agindo corretamente e se não estamos cobrando de outras pessoas aquilo que Deus não tem lhes cobrado; e ainda mais, é necessário entendermos que Ele usa cada um da maneira que Ele quer; pois não temos capacidade de entender a sua forma de trabalhar; e antes de por a mão no arado162 é preciso termos 162 Arado: Instrumento de lavoura destinado a revolver a terra. O arado era feito de um galho de árvore em forma de forquilha, preso por um jugo numa extremidade, e, na outra, por
  • 59. O que São e Como Obter os Dons Espirituais? 57 consciência da razão pela qual queremos fazer a Obra, porque somente o nosso Senhor é digno de todo o louvor, toda a honra e toda a glória! Sendo assim só o que nos resta a fazer é dobrar os nossos joelhos, buscar a presença do nosso Pai celestial e dizer a Ele com toda sinceridade: “Eis-me aqui Senhor! Usa-me!” uma relha segura a uma chapa de ferro. Era puxado por uma junta de vacas ou bois ou por uma parelha de jumentos e guiado pelas mãos do lavrador (Lc 9:62). CLASSIFICAÇÃO DOS DONS ESPIRITUAIS Poder Fé Curas Maravilhas Conhecimento Sabedoria Ciência Discernimento Revelação Profecia Línguas Interpretação
  • 60. IX O que é Consagração e Jejum? Se consagrar nada mais é do que se separar de uma forma es- pecial para adorar ou falar com Deus sem se envolver com mais nada, seja material ou pessoal, durante aquele período; e jejuar é uma das formas mais comuns para os servos de Deus se consa- grarem. Embora estejamos no Tempo da Graça, e os sacrifícios tenham sido abolidos depois do sacrifício de Cristo, sabemos que Jeová ainda recebe alguns tipos de sacrifícios de seus servos, desde que eles sejam oferecidos com sinceridade. E um desses sacrifícios que Ele ainda recebe é o jejum. Mas o que é jejuar? A palavra jejum significa privar-se de alimentos durante algum período; portanto, jejuar é o ato de não se alimentar durante al- gum tempo e, durante esse período, dedicar-se totalmente ao Se- nhor. O jejum vai além da abstinência163 alimentar, é necessário desviar-se de tudo aquilo que possa interferir em sua comunhão com Deus. Só que é de extrema importância nos lembrarmos de uma coisa: o jejum, assim como tudo o que fazemos, tem que ser feito com muito cuidado, equilíbrio e apenas dentro de nossas possibilidades; pois a falta de sabedoria de muitos irmãos tem causado muitos problemas para eles próprios, principalmente na área da saúde e também conflitos em família, e trazido até es- cândalos à igreja. Antes de jejuar é necessário examinarmos nos- 163 Abstinência: Decisão de não fazer uso de certos alimentos ou bebidas ou evitar práticas sexuais (At 15:20; 1ª Tm 4:3).
  • 61. O que é Consagração e Jejum? 59 sas condições físicas, psicológicas e espirituais; estabelecermos um período tendo a consciência de que não devemos interrompê- lo antes da hora e nem precisamos ir além do que foi estabeleci- do; e, principalmente, é de grande importância termos um firme propósito para esse ato, ou seja, um objetivo a ser alcançado com esse jejum. Em Isaías 58:3-10 está escrito o seguinte: “3 dizendo: Por que jejuamos nós, e tu não atentas para isso? Por que afligimos a nossa alma, e tu o não sabes? Eis que, no dia em que jejuais, achais o vosso próprio contentamento e requereis todo o vosso trabalho. 4 Eis que, para contendas e debates, jejuais e para dar- des punhadas impiamente; não jejueis como hoje, para fazer ouvir a vossa voz no alto. 5 Seria este o jejum que eu escolheria: que o homem um dia aflija a sua alma, que incline a cabeça co- mo o junco164 e estenda debaixo de si pano de saco grosseiro e cinza? Chamarias tu a isso jejum e dia aprazível ao Senhor? 6 Porventura, não é este o jejum que escolhi: que soltes as liga- duras da impiedade, que desfaças as ataduras do jugo, e que deixes livres os quebrantados165 , e que despedaces todo o jugo? 7 Porventura, não é também que repartas o teu pão com o famin- to e recolhas em casa os pobres desterrados? E, vendo o nu, o cubras e não te escondas daquele que é da tua carne? 8 Então, 164 Junco: Espécie de planta direita, fina e longa que cresce em lugares úmidos e dentro da água (Jó 8.11). As suas folhas são usadas para fazer cestos e esteiras. 165 Quebrantado: Que está sem forças, debilitado, extenuado, abatido, alquebrado.
  • 62. Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço? 60 romperá a tua luz como a alva166 , e a tua cura apressadamente brotará, e a tua justiça irá adiante da tua face, e a glória do Se- nhor será a tua retaguarda. 9 Então, clamarás, e o Senhor te res- ponderá; gritarás, e ele dirá: Eis-me aqui; acontecerá isso se tirares do meio de ti o jugo, o estender do dedo e o falar vaida- de; 10 e, se abrires a tua alma ao faminto e fartares a alma aflita, então, a tua luz nascerá nas trevas, e a tua escuridão será como o meio-dia.” O povo andava em extrema rebeldia e jejuava pen- sando que o simples ato do sacrifício seria o suficiente para que eles fossem perdoados e abençoados. Grandemente indignado com isso, Deus usou o profeta Isaías para corrigi-los, não com a intenção de condená-los, mas sim de mostrar-lhes que para agra- dar a Deus somente o ritual167 não basta, é necessário agir reta- mente e ter um coração sincero. Vamos então meditar nessa pas- sagem, e ver quanto ela tem a ver com a nossa situação hoje: Is 58:3 - Quais são nossas intenções quando oferecemos algo a Deus (Tg 4:2,3168 )? Is 58:4 - O jejum tem que ser feito com humildade e não para nos autogloriarmos diante dos homens (Mt 6:16-18); Is 58:5 - Muitos se preocupam apenas com as tradições dos ritu- ais e não com a sinceridade do coração (Lc 18:10-14169 ); 166 Alva: A primeira luz alva e clara que aparece no horizonte entre a escuridão da noite e a aurora; alvor, alvorada. 167 Ritual: Procedimento das cerimônias de uma religião. Cerimonial. Conjunto das regras a cumprir durante um culto ou uma reunião. Etiqueta, praxe, protocolo. 168 Deleite: Prazer, delícia, gosto, regalo.
  • 63. O que é Consagração e Jejum? 61 Is 58:6 - Todo sacrifício deve ser perfeito, como está a nossa vida diante de Deus (Jo 9:31)? Is 58:7 - Como temos agido diante daqueles que precisam de nós (At 10:1-4170 171 172 )? Is 58:8 - Aqueles que praticam a misericórdia também receberão a misericórdia de Deus (Mt 5:7173 ); Is 58:9 - Deus só ouve o clamor dos que praticam a justiça (Sl 34:6-8); Is 58:10 - A obediência vale mais do que qualquer sacrifício (1º Sm 15:22174 175 176 ). 169 Publicanos: Cobradores de impostos do governo romano. Termo pejorativo que define homens que negociam desonestamente. 170 Cesaréia: [Latim: Caesarea Philippi]. Cidade localizada na atual região de Banias. Ali foi construído no ano 20a.C. pelo rei Herodes, o grande, um templo branco de mármore aos pés do Monte Hermom em homenagem a César Augusto. Quando Herodes morreu, seu filho Herodes Filipe a ampliou e a chamou de Cesaréia Filipe. 171 Cornélio: Centurião romano que morava em Cesaréia (At 10:1-48). 172 Hora nona: Três horas da tarde. Os judeus adotaram o sistema de contagem de tempos romano que considerava como a primeira hora do dia o que para nós é hoje sete horas da manhã. 173 Bem-aventurado: Feliz. Muito feliz. 174 Holocausto: [Grego: queimado]. Sacrifício em que a vítima era consumida pelo fogo. 175 Gordura: Termo figurado usado no Antigo Testamento para se referir ao sacrifício dos melhores animais. Representa também o melhor entre os seres humanos e os produtos da terra. 176 Carneiro: Animal de porte médio que fornece carne e lã. Era morto nos sacrifícios (Êx 29:1). Sua pele era usada como cobertura (Êx 26:14). Sua fêmea é a ovelha.
  • 64. Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço? 62 Meditando nesse texto podemos concluir que aprendemos a seguinte lição: O segredo para nossos pedidos serem atendidos é a sinceridade e não somente a forma como pedimos; Deus se agrada dos humildes e abate os soberbos; apenas cumprir as re- gras não é o suficiente se não houver santificação; antes de tocar nas coisas sagradas o homem tem que examinar a si mesmo; não podemos dizer que amamos a Deus se não amamos ao próximo; quando somos benignos, Deus nem espera pelos nossos sacrifí- cios para nos abençoar; muitas coisas que acontecem em nossa vida são o resultado daquilo que fazemos; se queremos receber o bem, também devemos praticar o bem. Portanto, aprendemos
  • 65. O que é Consagração e Jejum? 63 aqui que o jejum é bom e agradável ao Senhor, desde que seja feito com humildade, sinceridade e acompanhado de boas atitu- des e não com meros rituais apenas de aparência. Mais vale uma “oraçãozinha” de três minutos ou menos feita de coração do que um jejum de três dias ou mais com segundas intenções. Oremos para que Deus nos mostre se estamos fazendo realmente a sua vontade para que não percamos tempo fazendo sacrifícios de tolo!
  • 66. X Por que é Importante Ofertar na Casa do Senhor? Vivemos num mundo aonde tudo gira em torno do dinheiro, e não há como fugir dessa realidade. Pela Bíblia vemos que, desde o princípio, Deus ensinou o seu povo sobre as necessidades de suprir as bênçãos materiais tanto nos lares quanto na Obra; pode parecer contraditório que Jeová, sendo o dono do ouro e da prata, permita que o seu povo tenha que se preocupar com coisas mate- riais, mas se Ele nos colocou para viver no mundo, estamos su- jeitos às regras de sobrevivência da sociedade tanto como cida- dãos quanto como Igreja. Por isso, a Palavra de Deus, do início ao fim, relata sobre a importância de contribuirmos com a sua Obra. E por que contribuir? Temos, pelo menos, três motivos fundamentais para sermos assíduos contribuintes: primeiro, para agradecer pelas bênçãos que Ele tem nos dado; segundo, porque a Casa do Senhor na terra precisa de manutenção; e terceiro, porque é contribuindo que seremos cada vez mais abençoados. E de que forma contribuir? Nossa forma de contribuir é dando dí- zimos e ofertas. Dízimo177 significa a décima parte, ou seja, dez por cento de toda a nossa renda; ele é citado 33 vezes em toda a Bíblia desde Gênesis, aonde mostra que Abrão deu o dízimo de tudo aquilo que havia conquistado das mãos de seus inimigos; na 177 Dízimo: A décima parte, tanto das colheitas como dos animais, que os israelitas ofereciam a Deus (Lv 27:30-32; Hb 7:1-10). O dízimo era usado para o sustento dos Levitas (Nm 18:21- 24), dos estrangeiros, dos órfãos e das viúvas (Dt 14:28,29).
  • 67. Por que é Importante Ofertar na Casa do Senhor? 65 igreja, ele deve servir para o sustento material da Obra, dos obreiros e dos necessitados. Já a palavra oferta178 aparece 408 vezes na Bíblia com vários sentidos e significados diferentes; sendo derivada do verbo oferecer, espiritualmente falando, re- presenta algo que oferecemos a Deus e não tem um valor especí- fico, devemos ofertar segundo as nossas possibilidades. Tanto os dízimos quanto as ofertas devem ser apresentados diante de Deus voluntariamente e com sinceridade; pois são uma espécie de sa- crifício, e Ele não recebe sacrifícios forçados ou prestados com segundas intenções. Quando contribuímos, assim como quando fazemos qualquer coisa para o Senhor, precisamos ter em mente uma coisa: tudo o que lhe oferecemos tem que ser com fé, com amor e com alegria, e jamais por constrangimento, obrigação ou busca de retribuição. Ultimamente o que está em destaque no meio evangélico, de um modo geral, é a teologia do evangelho da prosperidade que passa a impressão que Deus está mais inte- ressado em nosso dinheiro do que em nossa santificação, o que é uma tremenda heresia179 ! Pois Ele nos abençoa segundo a nossa fé e a nossa sinceridade, e não de acordo com os valores que “in- vestimos” como se tivéssemos aberto uma “poupança no céu”. Há muito mais do que bênçãos materiais esperando por nós; pois 178 Oferta: Ação de oferecer; oferecimento. Oblação, oferenda. Retribuição de certos atos litúrgicos. Dádiva. Promessa. 179 Heresia: Doutrina que se opõe aos dogmas da Igreja. Absurdo, contrassenso, disparate. Ato ou palavra ofensiva à religião.
  • 68. Sou Crente... E Agora, o que Eu Faço? 66 mais vale a nossa alma salva do que todo o dinheiro desse mun- do em nossas mãos! A Bíblia nos mostra a importância da sinceridade quando nos propomos a contribuir. Um dos maiores exemplos disso está em Atos 5:3-5: “3 Disse, então, Pedro: Ananias, por que encheu Sa- tanás o teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo e reti- vesses parte do preço da herdade? 4 Guardando-a, não ficava para ti? E, vendida, não estava em teu poder? Por que formaste este desígnio em teu coração? Não mentiste aos homens, mas a Deus. 5 E Ananias, ouvindo estas palavras, caiu e expirou. E um grande temor veio sobre todos os que isto ouviram.” Observe que havia um acordo entre a comunidade evangélica de dividir os seus bens, mas ninguém era obrigado a fazer isso; só que, com certeza, a ambição e o ego de Ananias por querer mostrar à con- gregação que estava contribuindo, fizeram com que ele mentisse aos apóstolos. Qual é a lição que podemos tirar desse triste epi- sódio? At 5:3 - Quando não agimos com sinceridade estamos dando brecha para que Satanás roube as nossas bênçãos (Tg 5:1-4); At 5:4 - Deus não exige sacrifícios financeiros de nossa parte, mas quando nos propomos a fazê-los temos que honrar nossos compromissos (Ec 5:4-6180 ); 180 Voto: Promessa feita a Deus (Ec 5:4; At 18:18). Pedido a Deus (3ª Jo 1:2).