SlideShare uma empresa Scribd logo
Capitulo 9
   Por volta de 1830 e 1840, surgiram pensadores ingleses e
    franceses que eram chamados de socialistas. Eles tinham
    ideias bem diferentes uns dos outros.
   Por que então eram todos chamados de socialistas? Por que
    acreditavam que a economia não deveria beneficiar alguns
    poucos indivíduos (os burgueses), mas toda a sociedade.
   Em vez da competição do mercado, propunham a
    cooperação. Estavam convencidos de que era possível
    reorganizar a sociedade.
   As correntes liberais, que desde o século XVII- Durante as
    revoluções burguesas na Inglaterra e depois com a própria
    Revolução Francesa - tinham uma vertente política marcada
    pela proteção dos direitos individuais, liberdade de
    expressão, de opinião e de associação, contra o poder
    absoluto, apresentavam uma vertente econômica que
    ganhou força na era industrial.
   Essa vertente defendia o livre comércio e a proteção da
    propriedade privada, já explicitada no final do século XVIII
    por Adam Smith, tornando-se o pensamento dominante no
    século XIX.
   Os    primeiros      socialistas  contemporâneos   foram
    denominados, de forma pejorativa, como utópicos.
   Os partidários do marxismo consideravam o socialismo
    utópico um movimento idealista, comprometido com a
    ordem burguesa, na medida em que sonhava uma transição
    gradual e pacífica para uma ordem socialista.
   Segundo Friedrich Engels, os socialistas utópicos
    esqueceram a luta de classes e, no fundo, queriam a ajuda
    dos capitalistas para acabar com o capitalismo.
   Robert Owen (1771-1858):

    Tornou-se rico proprietário através do casamento. Tentou
    realizar seus ideais socialistas criando uma comunidade da
    Escócia e em New Harmony, nos Estados Unidos. Nessas
    comunidades, cada um recebia um bônus proporcional às
    horas de trabalho. Também criou creches e ofereceu
    educação aos operários, supondo que, assim, aumentaria a
    produtividade de suas empresas.
   Charles Fourier
    (1772-1837):
    Desenvolveu a ideia de
    comunidades socialistas,
    os falanstérios, dentro dos
    quais não haveria divisão
    de classes e as pessoas se
    dedicariam à industria e à
    agricultura. Ele defendia
    que        a     agricultura
    assegurava a subsistência
    e a felicidade humana.
   Saint Simon (1760-1825):

    Defendia a transformação da sociedade com a revogação da
    propriedade privada e do direito à herança. Defendia que a
    sociedade deveria transforma-se em uma grande indústria,
    regida pela ideia de progresso e contra o parasitismo, pois
    para ele o mundo estava dividido entre os trabalhadores e os
    ociosos. Assim, o poder deveria ficar nas mãos das pessoas
    com conhecimentos técnicos e científicos, e não das elites
    tradicionais.
   O principal teórico foi Karl Marx (1818-1883). auxiliado por
    Friedrich Engels (1820-1895), publicou suas ideias às
    vésperas da revolução de 1848 na França, no Manifesto do
    Partido Comunista , que encerra com um apelo famoso a
    todos operários: "Proletários de todo o mundo, uni-vos!"
   O socialismo científico, ou marxismo, rompeu com o
    socialismo utópico por apresentar uma análise mais crítica
    da realidade política e econômica, da evolução histórica, das
    sociedades e do capitalismo.
   Defendiam uma ação prática e direta contra o sistema liberal
    burguês por meio de uma revolução liderada pela classe
    trabalhadora.
   Principais ideias:
 A história é a história da luta de classes, na qual há a exploração de uma
  classe social por outra. Existência de classes sociais.
 A igualdade somente poderá ser alcançada quando o proletariado
  superar a burguesia, detentora dos meios de produção.
 O Estado proletário se apossaria dos bens de produção (máquinas,
  terras, capital) e proporcionaria os meios para que a sociedade atingisse
  a igualdade e o comunismo, ponto máximo da evolução histórica.
 Para Marx, o conflito entre classes (luta de classes) é a regra entre os
  homens, pois são as condições materiais da existência que o
  determinam. Portanto, no contexto do mundo industrializado, os
  proletários são os sujeitos revolucionários que devem mudar a história.
   Mais valia:

    É a diferença entre o valor
    do que o trabalhador
    produz e o que ele recebe
    como remuneração por
    seu       trabalho.      O
    trabalhador nunca recebe
    o valor real pelo fruto do
    seu trabalho.
   Ditadura do proletariado:

    Segundo Marx, quando tomassem o poder (Revolução do
    Proletariado), os trabalhadores dariam início a um processo
    de transição entre a ordem liberal burguesa e o comunismo
    (Ditadura do Proletariado). Nesse período, os meios de
    produção seriam transferidos para as mãos do Estado. O
    final dessa transição seria o comunismo: uma sociedade sem
    classes, em que os meios de produção seriam de
    propriedade coletiva
Socialismos e anarquismo
   Tais como as socialistas, também propunham uma nova
    maneira de organização social.
   Os teóricos anarquistas rejeitam qualquer autoridade,pois
    vêem nela a fonte dos males humanos. também não
    admitem o Estado e sua organização burocrática, por
    considerá-los responsáveis pela consolidação da ordem
    política, econômica e social burguesa.
   Acreditam que o ser humano deve viver, a partir de uma
    gestão comunitária, ou seja, por meio da cooperação, sem
    que exista propriedade privada. Uma forma de atuação
    importante dos anarquistas era a associação entre a
    mobilização e a organização sindical.
   BRAICK. Patricia. História das Cavernas ao Terceiro Milênio. (8º). São Paulo: Editora Moderna, 2006
   BOULOS. Alfredo. História, Sociedade e Cidadania. (8º). São Paulo: FTD, 2006
   Schmidt. Mario. Nova História Crítica. 8º ano. São Paulo: Ed. Nova Geração, 2006

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ideologias do século xix
Ideologias do século xixIdeologias do século xix
Ideologias do século xix
profmarloncardozo
 
História do Socialismo Utópico e Científico
História do Socialismo Utópico e CientíficoHistória do Socialismo Utópico e Científico
História do Socialismo Utópico e Científico
Marcos Mamute
 
Ideias sociais e políticas do século xix
Ideias sociais e políticas do século xixIdeias sociais e políticas do século xix
Ideias sociais e políticas do século xix
Ana Paula Silva
 
Novas Doutrinas Sociais - século XIX
Novas Doutrinas Sociais - século XIXNovas Doutrinas Sociais - século XIX
Novas Doutrinas Sociais - século XIX
Andre Luiz
 
Movimento Operário e Doutrinas Sociais
Movimento Operário e Doutrinas SociaisMovimento Operário e Doutrinas Sociais
Movimento Operário e Doutrinas Sociais
eiprofessor
 
Doutrinas sociais do séc xix
Doutrinas  sociais do séc xix Doutrinas  sociais do séc xix
Doutrinas sociais do séc xix
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
Aula sobre Socialismo
Aula sobre SocialismoAula sobre Socialismo
Aula sobre Socialismo
clauverlevy
 
As novas doutrinas sociais
As novas doutrinas sociaisAs novas doutrinas sociais
As novas doutrinas sociais
Professor Marcelo
 
Socialismo
SocialismoSocialismo
Socialismo
cleiton denez
 
Anarquismo e Socialismo Utópico
Anarquismo e Socialismo UtópicoAnarquismo e Socialismo Utópico
Anarquismo e Socialismo Utópico
Carla Brígida
 
História
HistóriaHistória
História
dinicmax
 
Anarquismo,comunismo e socialismo
Anarquismo,comunismo e socialismo Anarquismo,comunismo e socialismo
Anarquismo,comunismo e socialismo
Michele Macedo
 
Movimentos do século xix
Movimentos do século xixMovimentos do século xix
Movimentos do século xix
Max22Rodrigues
 
Socialismo caracteristícas e princípios
Socialismo caracteristícas e princípiosSocialismo caracteristícas e princípios
Socialismo caracteristícas e princípios
Eddieuepg
 
O embate entre as correntes liberaias e os socialismos no século xix ppt
O embate entre as correntes liberaias e os socialismos no século xix pptO embate entre as correntes liberaias e os socialismos no século xix ppt
O embate entre as correntes liberaias e os socialismos no século xix ppt
AliceLani
 
Teorias sociais do século xix
Teorias  sociais do século xixTeorias  sociais do século xix
Teorias sociais do século xix
Educador Lamarão
 
Economia e Mercado - Socialismo Científico ou Marxista
Economia e Mercado - Socialismo Científico ou Marxista Economia e Mercado - Socialismo Científico ou Marxista
Economia e Mercado - Socialismo Científico ou Marxista
Bolivar Motta
 
Conceitos liberalismo, anarquismo socialismo
Conceitos liberalismo, anarquismo socialismo Conceitos liberalismo, anarquismo socialismo
Conceitos liberalismo, anarquismo socialismo
Dismael Sagás
 
Ideologias do século XIX e Primavera dos posvos
Ideologias do século XIX e Primavera dos posvosIdeologias do século XIX e Primavera dos posvos
Ideologias do século XIX e Primavera dos posvos
Alessandro Ferreira
 
Ciencias sociais
Ciencias sociaisCiencias sociais
Ciencias sociais
Caio Versiani
 

Mais procurados (20)

Ideologias do século xix
Ideologias do século xixIdeologias do século xix
Ideologias do século xix
 
História do Socialismo Utópico e Científico
História do Socialismo Utópico e CientíficoHistória do Socialismo Utópico e Científico
História do Socialismo Utópico e Científico
 
Ideias sociais e políticas do século xix
Ideias sociais e políticas do século xixIdeias sociais e políticas do século xix
Ideias sociais e políticas do século xix
 
Novas Doutrinas Sociais - século XIX
Novas Doutrinas Sociais - século XIXNovas Doutrinas Sociais - século XIX
Novas Doutrinas Sociais - século XIX
 
Movimento Operário e Doutrinas Sociais
Movimento Operário e Doutrinas SociaisMovimento Operário e Doutrinas Sociais
Movimento Operário e Doutrinas Sociais
 
Doutrinas sociais do séc xix
Doutrinas  sociais do séc xix Doutrinas  sociais do séc xix
Doutrinas sociais do séc xix
 
Aula sobre Socialismo
Aula sobre SocialismoAula sobre Socialismo
Aula sobre Socialismo
 
As novas doutrinas sociais
As novas doutrinas sociaisAs novas doutrinas sociais
As novas doutrinas sociais
 
Socialismo
SocialismoSocialismo
Socialismo
 
Anarquismo e Socialismo Utópico
Anarquismo e Socialismo UtópicoAnarquismo e Socialismo Utópico
Anarquismo e Socialismo Utópico
 
História
HistóriaHistória
História
 
Anarquismo,comunismo e socialismo
Anarquismo,comunismo e socialismo Anarquismo,comunismo e socialismo
Anarquismo,comunismo e socialismo
 
Movimentos do século xix
Movimentos do século xixMovimentos do século xix
Movimentos do século xix
 
Socialismo caracteristícas e princípios
Socialismo caracteristícas e princípiosSocialismo caracteristícas e princípios
Socialismo caracteristícas e princípios
 
O embate entre as correntes liberaias e os socialismos no século xix ppt
O embate entre as correntes liberaias e os socialismos no século xix pptO embate entre as correntes liberaias e os socialismos no século xix ppt
O embate entre as correntes liberaias e os socialismos no século xix ppt
 
Teorias sociais do século xix
Teorias  sociais do século xixTeorias  sociais do século xix
Teorias sociais do século xix
 
Economia e Mercado - Socialismo Científico ou Marxista
Economia e Mercado - Socialismo Científico ou Marxista Economia e Mercado - Socialismo Científico ou Marxista
Economia e Mercado - Socialismo Científico ou Marxista
 
Conceitos liberalismo, anarquismo socialismo
Conceitos liberalismo, anarquismo socialismo Conceitos liberalismo, anarquismo socialismo
Conceitos liberalismo, anarquismo socialismo
 
Ideologias do século XIX e Primavera dos posvos
Ideologias do século XIX e Primavera dos posvosIdeologias do século XIX e Primavera dos posvos
Ideologias do século XIX e Primavera dos posvos
 
Ciencias sociais
Ciencias sociaisCiencias sociais
Ciencias sociais
 

Destaque

Atividade de revisão 9º ano 2ª etapa
Atividade de revisão 9º ano 2ª etapaAtividade de revisão 9º ano 2ª etapa
Atividade de revisão 9º ano 2ª etapa
ProfessoresColeguium
 
Egito antigo
Egito antigoEgito antigo
Egito antigo
ProfessoresColeguium
 
Mesopotâmia
MesopotâmiaMesopotâmia
Mesopotâmia
ProfessoresColeguium
 
A transferência da corte para o brasil 1808
A transferência da corte para o brasil 1808A transferência da corte para o brasil 1808
A transferência da corte para o brasil 1808
ProfessoresColeguium
 
Egito antigo
Egito antigoEgito antigo
Egito antigo
ProfessoresColeguium
 
Revolução russa chinesa e cubana.filé
Revolução russa chinesa e cubana.filéRevolução russa chinesa e cubana.filé
Revolução russa chinesa e cubana.filé
mundica broda
 
Socialismos e anarquismo
Socialismos e anarquismoSocialismos e anarquismo
Socialismos e anarquismo
ProfessoresColeguium
 
O realismo
O realismoO realismo
Atividade de revisão 8º ano 2ª etapa
Atividade de revisão 8º ano 2ª etapaAtividade de revisão 8º ano 2ª etapa
Atividade de revisão 8º ano 2ª etapa
ProfessoresColeguium
 
Oceania
OceaniaOceania
Tomás antonio gonzaga cartas chilenas
Tomás antonio gonzaga   cartas chilenasTomás antonio gonzaga   cartas chilenas
Tomás antonio gonzaga cartas chilenas
ProfessoresColeguium
 
Revolução Russa
Revolução RussaRevolução Russa
Revolução Russa
Alunos Alunos
 
Banquete grego
Banquete gregoBanquete grego
Banquete grego
ProfessoresColeguium
 
O século de péricles e troia
O século de péricles e troiaO século de péricles e troia
O século de péricles e troia
ProfessoresColeguium
 
A revolução russa
A revolução russaA revolução russa
A revolução russa
Rodrigo Salvador
 
Oceania
OceaniaOceania
Guerra dos colossos
Guerra dos colossosGuerra dos colossos
Guerra dos colossos
ProfessoresColeguium
 
A Revolução Russa e a Segunda Guerra Mundial
A Revolução Russa e a Segunda Guerra MundialA Revolução Russa e a Segunda Guerra Mundial
A Revolução Russa e a Segunda Guerra Mundial
Darlene Celestina
 
A REVOLUÇÃO RUSSA EM QUADRINHOS- ANDRÉ DINIZ
A REVOLUÇÃO RUSSA EM QUADRINHOS- ANDRÉ DINIZA REVOLUÇÃO RUSSA EM QUADRINHOS- ANDRÉ DINIZ
A REVOLUÇÃO RUSSA EM QUADRINHOS- ANDRÉ DINIZ
Fernanda Eduardo Mattos
 
Japão
JapãoJapão

Destaque (20)

Atividade de revisão 9º ano 2ª etapa
Atividade de revisão 9º ano 2ª etapaAtividade de revisão 9º ano 2ª etapa
Atividade de revisão 9º ano 2ª etapa
 
Egito antigo
Egito antigoEgito antigo
Egito antigo
 
Mesopotâmia
MesopotâmiaMesopotâmia
Mesopotâmia
 
A transferência da corte para o brasil 1808
A transferência da corte para o brasil 1808A transferência da corte para o brasil 1808
A transferência da corte para o brasil 1808
 
Egito antigo
Egito antigoEgito antigo
Egito antigo
 
Revolução russa chinesa e cubana.filé
Revolução russa chinesa e cubana.filéRevolução russa chinesa e cubana.filé
Revolução russa chinesa e cubana.filé
 
Socialismos e anarquismo
Socialismos e anarquismoSocialismos e anarquismo
Socialismos e anarquismo
 
O realismo
O realismoO realismo
O realismo
 
Atividade de revisão 8º ano 2ª etapa
Atividade de revisão 8º ano 2ª etapaAtividade de revisão 8º ano 2ª etapa
Atividade de revisão 8º ano 2ª etapa
 
Oceania
OceaniaOceania
Oceania
 
Tomás antonio gonzaga cartas chilenas
Tomás antonio gonzaga   cartas chilenasTomás antonio gonzaga   cartas chilenas
Tomás antonio gonzaga cartas chilenas
 
Revolução Russa
Revolução RussaRevolução Russa
Revolução Russa
 
Banquete grego
Banquete gregoBanquete grego
Banquete grego
 
O século de péricles e troia
O século de péricles e troiaO século de péricles e troia
O século de péricles e troia
 
A revolução russa
A revolução russaA revolução russa
A revolução russa
 
Oceania
OceaniaOceania
Oceania
 
Guerra dos colossos
Guerra dos colossosGuerra dos colossos
Guerra dos colossos
 
A Revolução Russa e a Segunda Guerra Mundial
A Revolução Russa e a Segunda Guerra MundialA Revolução Russa e a Segunda Guerra Mundial
A Revolução Russa e a Segunda Guerra Mundial
 
A REVOLUÇÃO RUSSA EM QUADRINHOS- ANDRÉ DINIZ
A REVOLUÇÃO RUSSA EM QUADRINHOS- ANDRÉ DINIZA REVOLUÇÃO RUSSA EM QUADRINHOS- ANDRÉ DINIZ
A REVOLUÇÃO RUSSA EM QUADRINHOS- ANDRÉ DINIZ
 
Japão
JapãoJapão
Japão
 

Semelhante a Socialismos e anarquismo

Filosofia
FilosofiaFilosofia
As teorias socialistas 1
As teorias socialistas 1As teorias socialistas 1
As teorias socialistas 1
Alan
 
Doutrinas sociais do século XIX
Doutrinas sociais do século XIXDoutrinas sociais do século XIX
Doutrinas sociais do século XIX
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
Socialismo Em Angola
Socialismo Em AngolaSocialismo Em Angola
Socialismo Em Angola
Vanda30
 
Ciencias sociais-imperialismo,socialismo e anarquismo
Ciencias sociais-imperialismo,socialismo e anarquismoCiencias sociais-imperialismo,socialismo e anarquismo
Ciencias sociais-imperialismo,socialismo e anarquismo
Caio Versiani
 
As teorias socialistas
As teorias socialistasAs teorias socialistas
As teorias socialistas
Alan
 
Socialismo 9º Ano
Socialismo 9º AnoSocialismo 9º Ano
Socialismo 9º Ano
Lucas Weiby
 
Basicão – 3ºano século xix
Basicão – 3ºano   século xixBasicão – 3ºano   século xix
Basicão – 3ºano século xix
Rafael Noronha
 
AULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe AssunçãoAULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
1. O embate entre as correntes liberais e os socialismos no século xix 3º ano
1. O embate entre as correntes liberais e os socialismos no século xix   3º ano1. O embate entre as correntes liberais e os socialismos no século xix   3º ano
1. O embate entre as correntes liberais e os socialismos no século xix 3º ano
dayvidprofessor
 
A construção de sociedadesAs desigualdades sociais ao longo da história..pptx
A construção de sociedadesAs desigualdades sociais ao longo da história..pptxA construção de sociedadesAs desigualdades sociais ao longo da história..pptx
A construção de sociedadesAs desigualdades sociais ao longo da história..pptx
TomasSousa7
 
Socialismo utopico e cientifico
Socialismo utopico e cientificoSocialismo utopico e cientifico
Socialismo utopico e cientifico
JooBina
 
COMUNISMO.docx
COMUNISMO.docxCOMUNISMO.docx
COMUNISMO.docx
LanaBeatryssa
 
Capitalismo, Comunismo, Socialismo, Marxismo, Anarquismo e Liberismo
Capitalismo, Comunismo, Socialismo, Marxismo, Anarquismo e LiberismoCapitalismo, Comunismo, Socialismo, Marxismo, Anarquismo e Liberismo
Capitalismo, Comunismo, Socialismo, Marxismo, Anarquismo e Liberismo
Inês Oliveira
 
Karl marx
Karl marxKarl marx
Karl marx
Karl marxKarl marx
Movimento operário e as ideias socialistas
Movimento operário e as ideias socialistasMovimento operário e as ideias socialistas
Movimento operário e as ideias socialistas
Edilene Ruth Pereira
 
Segunda Revolução Industrial
Segunda Revolução IndustrialSegunda Revolução Industrial
Segunda Revolução Industrial
Francisco Neto
 
Apresentação_Economia Solidária_Criticas Capitalismo
Apresentação_Economia Solidária_Criticas CapitalismoApresentação_Economia Solidária_Criticas Capitalismo
Apresentação_Economia Solidária_Criticas Capitalismo
Fabricio_brito
 
Resumo - Revolução Industrial.pdf
Resumo - Revolução Industrial.pdfResumo - Revolução Industrial.pdf
Resumo - Revolução Industrial.pdf
RAFAELASCARI1
 

Semelhante a Socialismos e anarquismo (20)

Filosofia
FilosofiaFilosofia
Filosofia
 
As teorias socialistas 1
As teorias socialistas 1As teorias socialistas 1
As teorias socialistas 1
 
Doutrinas sociais do século XIX
Doutrinas sociais do século XIXDoutrinas sociais do século XIX
Doutrinas sociais do século XIX
 
Socialismo Em Angola
Socialismo Em AngolaSocialismo Em Angola
Socialismo Em Angola
 
Ciencias sociais-imperialismo,socialismo e anarquismo
Ciencias sociais-imperialismo,socialismo e anarquismoCiencias sociais-imperialismo,socialismo e anarquismo
Ciencias sociais-imperialismo,socialismo e anarquismo
 
As teorias socialistas
As teorias socialistasAs teorias socialistas
As teorias socialistas
 
Socialismo 9º Ano
Socialismo 9º AnoSocialismo 9º Ano
Socialismo 9º Ano
 
Basicão – 3ºano século xix
Basicão – 3ºano   século xixBasicão – 3ºano   século xix
Basicão – 3ºano século xix
 
AULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe AssunçãoAULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe Assunção
 
1. O embate entre as correntes liberais e os socialismos no século xix 3º ano
1. O embate entre as correntes liberais e os socialismos no século xix   3º ano1. O embate entre as correntes liberais e os socialismos no século xix   3º ano
1. O embate entre as correntes liberais e os socialismos no século xix 3º ano
 
A construção de sociedadesAs desigualdades sociais ao longo da história..pptx
A construção de sociedadesAs desigualdades sociais ao longo da história..pptxA construção de sociedadesAs desigualdades sociais ao longo da história..pptx
A construção de sociedadesAs desigualdades sociais ao longo da história..pptx
 
Socialismo utopico e cientifico
Socialismo utopico e cientificoSocialismo utopico e cientifico
Socialismo utopico e cientifico
 
COMUNISMO.docx
COMUNISMO.docxCOMUNISMO.docx
COMUNISMO.docx
 
Capitalismo, Comunismo, Socialismo, Marxismo, Anarquismo e Liberismo
Capitalismo, Comunismo, Socialismo, Marxismo, Anarquismo e LiberismoCapitalismo, Comunismo, Socialismo, Marxismo, Anarquismo e Liberismo
Capitalismo, Comunismo, Socialismo, Marxismo, Anarquismo e Liberismo
 
Karl marx
Karl marxKarl marx
Karl marx
 
Karl marx
Karl marxKarl marx
Karl marx
 
Movimento operário e as ideias socialistas
Movimento operário e as ideias socialistasMovimento operário e as ideias socialistas
Movimento operário e as ideias socialistas
 
Segunda Revolução Industrial
Segunda Revolução IndustrialSegunda Revolução Industrial
Segunda Revolução Industrial
 
Apresentação_Economia Solidária_Criticas Capitalismo
Apresentação_Economia Solidária_Criticas CapitalismoApresentação_Economia Solidária_Criticas Capitalismo
Apresentação_Economia Solidária_Criticas Capitalismo
 
Resumo - Revolução Industrial.pdf
Resumo - Revolução Industrial.pdfResumo - Revolução Industrial.pdf
Resumo - Revolução Industrial.pdf
 

Mais de ProfessoresColeguium

Apresentação segundo reinado 2012
Apresentação segundo reinado 2012Apresentação segundo reinado 2012
Apresentação segundo reinado 2012
ProfessoresColeguium
 
Eua xix - 2012
Eua   xix -  2012Eua   xix -  2012
Eua xix - 2012
ProfessoresColeguium
 
Banquete grego
Banquete gregoBanquete grego
Banquete grego
ProfessoresColeguium
 
Linha do tempo 8º ano
Linha do tempo   8º anoLinha do tempo   8º ano
Linha do tempo 8º ano
ProfessoresColeguium
 
As revoltas regenciais
As revoltas regenciaisAs revoltas regenciais
As revoltas regenciais
ProfessoresColeguium
 
Projeto x modelo para a pesquisa bibliográfica
Projeto x   modelo para a pesquisa bibliográficaProjeto x   modelo para a pesquisa bibliográfica
Projeto x modelo para a pesquisa bibliográfica
ProfessoresColeguium
 
Gabaritos
GabaritosGabaritos
Gabaritos
GabaritosGabaritos
Roteiro 1ª suplementat 9º ano 2012
Roteiro 1ª suplementat 9º ano 2012Roteiro 1ª suplementat 9º ano 2012
Roteiro 1ª suplementat 9º ano 2012
ProfessoresColeguium
 
Roteiro 1ª suplementar 8º ano 2012
Roteiro 1ª suplementar  8º ano 2012Roteiro 1ª suplementar  8º ano 2012
Roteiro 1ª suplementar 8º ano 2012
ProfessoresColeguium
 
Gabaritos apostila revolução francesa e napoleão
Gabaritos apostila revolução francesa e napoleãoGabaritos apostila revolução francesa e napoleão
Gabaritos apostila revolução francesa e napoleão
ProfessoresColeguium
 
Gabaritos exercícios do livro revolução francesa e napoleão
Gabaritos exercícios do livro revolução francesa e napoleãoGabaritos exercícios do livro revolução francesa e napoleão
Gabaritos exercícios do livro revolução francesa e napoleão
ProfessoresColeguium
 
Esquema a independência das 13 colônias
Esquema   a independência das 13 colôniasEsquema   a independência das 13 colônias
Esquema a independência das 13 colônias
ProfessoresColeguium
 
Revolução francesa no cotidiano
Revolução francesa no cotidianoRevolução francesa no cotidiano
Revolução francesa no cotidiano
ProfessoresColeguium
 
Estados unidos da américa
Estados unidos da américaEstados unidos da américa
Estados unidos da américa
ProfessoresColeguium
 
Gabaritos importantes livro e apostila
Gabaritos importantes livro e apostilaGabaritos importantes livro e apostila
Gabaritos importantes livro e apostila
ProfessoresColeguium
 

Mais de ProfessoresColeguium (16)

Apresentação segundo reinado 2012
Apresentação segundo reinado 2012Apresentação segundo reinado 2012
Apresentação segundo reinado 2012
 
Eua xix - 2012
Eua   xix -  2012Eua   xix -  2012
Eua xix - 2012
 
Banquete grego
Banquete gregoBanquete grego
Banquete grego
 
Linha do tempo 8º ano
Linha do tempo   8º anoLinha do tempo   8º ano
Linha do tempo 8º ano
 
As revoltas regenciais
As revoltas regenciaisAs revoltas regenciais
As revoltas regenciais
 
Projeto x modelo para a pesquisa bibliográfica
Projeto x   modelo para a pesquisa bibliográficaProjeto x   modelo para a pesquisa bibliográfica
Projeto x modelo para a pesquisa bibliográfica
 
Gabaritos
GabaritosGabaritos
Gabaritos
 
Gabaritos
GabaritosGabaritos
Gabaritos
 
Roteiro 1ª suplementat 9º ano 2012
Roteiro 1ª suplementat 9º ano 2012Roteiro 1ª suplementat 9º ano 2012
Roteiro 1ª suplementat 9º ano 2012
 
Roteiro 1ª suplementar 8º ano 2012
Roteiro 1ª suplementar  8º ano 2012Roteiro 1ª suplementar  8º ano 2012
Roteiro 1ª suplementar 8º ano 2012
 
Gabaritos apostila revolução francesa e napoleão
Gabaritos apostila revolução francesa e napoleãoGabaritos apostila revolução francesa e napoleão
Gabaritos apostila revolução francesa e napoleão
 
Gabaritos exercícios do livro revolução francesa e napoleão
Gabaritos exercícios do livro revolução francesa e napoleãoGabaritos exercícios do livro revolução francesa e napoleão
Gabaritos exercícios do livro revolução francesa e napoleão
 
Esquema a independência das 13 colônias
Esquema   a independência das 13 colôniasEsquema   a independência das 13 colônias
Esquema a independência das 13 colônias
 
Revolução francesa no cotidiano
Revolução francesa no cotidianoRevolução francesa no cotidiano
Revolução francesa no cotidiano
 
Estados unidos da américa
Estados unidos da américaEstados unidos da américa
Estados unidos da américa
 
Gabaritos importantes livro e apostila
Gabaritos importantes livro e apostilaGabaritos importantes livro e apostila
Gabaritos importantes livro e apostila
 

Socialismos e anarquismo

  • 2. Por volta de 1830 e 1840, surgiram pensadores ingleses e franceses que eram chamados de socialistas. Eles tinham ideias bem diferentes uns dos outros.  Por que então eram todos chamados de socialistas? Por que acreditavam que a economia não deveria beneficiar alguns poucos indivíduos (os burgueses), mas toda a sociedade.  Em vez da competição do mercado, propunham a cooperação. Estavam convencidos de que era possível reorganizar a sociedade.
  • 3. As correntes liberais, que desde o século XVII- Durante as revoluções burguesas na Inglaterra e depois com a própria Revolução Francesa - tinham uma vertente política marcada pela proteção dos direitos individuais, liberdade de expressão, de opinião e de associação, contra o poder absoluto, apresentavam uma vertente econômica que ganhou força na era industrial.  Essa vertente defendia o livre comércio e a proteção da propriedade privada, já explicitada no final do século XVIII por Adam Smith, tornando-se o pensamento dominante no século XIX.
  • 4. Os primeiros socialistas contemporâneos foram denominados, de forma pejorativa, como utópicos.  Os partidários do marxismo consideravam o socialismo utópico um movimento idealista, comprometido com a ordem burguesa, na medida em que sonhava uma transição gradual e pacífica para uma ordem socialista.  Segundo Friedrich Engels, os socialistas utópicos esqueceram a luta de classes e, no fundo, queriam a ajuda dos capitalistas para acabar com o capitalismo.
  • 5. Robert Owen (1771-1858): Tornou-se rico proprietário através do casamento. Tentou realizar seus ideais socialistas criando uma comunidade da Escócia e em New Harmony, nos Estados Unidos. Nessas comunidades, cada um recebia um bônus proporcional às horas de trabalho. Também criou creches e ofereceu educação aos operários, supondo que, assim, aumentaria a produtividade de suas empresas.
  • 6. Charles Fourier (1772-1837): Desenvolveu a ideia de comunidades socialistas, os falanstérios, dentro dos quais não haveria divisão de classes e as pessoas se dedicariam à industria e à agricultura. Ele defendia que a agricultura assegurava a subsistência e a felicidade humana.
  • 7. Saint Simon (1760-1825): Defendia a transformação da sociedade com a revogação da propriedade privada e do direito à herança. Defendia que a sociedade deveria transforma-se em uma grande indústria, regida pela ideia de progresso e contra o parasitismo, pois para ele o mundo estava dividido entre os trabalhadores e os ociosos. Assim, o poder deveria ficar nas mãos das pessoas com conhecimentos técnicos e científicos, e não das elites tradicionais.
  • 8. O principal teórico foi Karl Marx (1818-1883). auxiliado por Friedrich Engels (1820-1895), publicou suas ideias às vésperas da revolução de 1848 na França, no Manifesto do Partido Comunista , que encerra com um apelo famoso a todos operários: "Proletários de todo o mundo, uni-vos!"  O socialismo científico, ou marxismo, rompeu com o socialismo utópico por apresentar uma análise mais crítica da realidade política e econômica, da evolução histórica, das sociedades e do capitalismo.  Defendiam uma ação prática e direta contra o sistema liberal burguês por meio de uma revolução liderada pela classe trabalhadora.
  • 9. Principais ideias:  A história é a história da luta de classes, na qual há a exploração de uma classe social por outra. Existência de classes sociais.  A igualdade somente poderá ser alcançada quando o proletariado superar a burguesia, detentora dos meios de produção.  O Estado proletário se apossaria dos bens de produção (máquinas, terras, capital) e proporcionaria os meios para que a sociedade atingisse a igualdade e o comunismo, ponto máximo da evolução histórica.  Para Marx, o conflito entre classes (luta de classes) é a regra entre os homens, pois são as condições materiais da existência que o determinam. Portanto, no contexto do mundo industrializado, os proletários são os sujeitos revolucionários que devem mudar a história.
  • 10. Mais valia: É a diferença entre o valor do que o trabalhador produz e o que ele recebe como remuneração por seu trabalho. O trabalhador nunca recebe o valor real pelo fruto do seu trabalho.
  • 11. Ditadura do proletariado: Segundo Marx, quando tomassem o poder (Revolução do Proletariado), os trabalhadores dariam início a um processo de transição entre a ordem liberal burguesa e o comunismo (Ditadura do Proletariado). Nesse período, os meios de produção seriam transferidos para as mãos do Estado. O final dessa transição seria o comunismo: uma sociedade sem classes, em que os meios de produção seriam de propriedade coletiva
  • 13. Tais como as socialistas, também propunham uma nova maneira de organização social.  Os teóricos anarquistas rejeitam qualquer autoridade,pois vêem nela a fonte dos males humanos. também não admitem o Estado e sua organização burocrática, por considerá-los responsáveis pela consolidação da ordem política, econômica e social burguesa.  Acreditam que o ser humano deve viver, a partir de uma gestão comunitária, ou seja, por meio da cooperação, sem que exista propriedade privada. Uma forma de atuação importante dos anarquistas era a associação entre a mobilização e a organização sindical.
  • 14. BRAICK. Patricia. História das Cavernas ao Terceiro Milênio. (8º). São Paulo: Editora Moderna, 2006  BOULOS. Alfredo. História, Sociedade e Cidadania. (8º). São Paulo: FTD, 2006  Schmidt. Mario. Nova História Crítica. 8º ano. São Paulo: Ed. Nova Geração, 2006