SlideShare uma empresa Scribd logo
FISIOLOGIA HUMANA
UNIDADE 1
A N N A G A B R I E L L E G O M E S C O U T I N H O
UNIDADE 1 | INTRODUÇÃO
A Fisiologia é a ciência que estuda o
funcionamento do corpo, desde uma
única célula até a integração dos
diferentes sistemas, o que a torna uma
disciplina muito instigante a ser
estudada.
UNIDADE 1 | OBJETIVOS
1. Compreender o que é a Ciência Fisiologia Humana
e quais os seus principais objetivos de estudo.
2. Conhecer a composição das membranas
plasmáticas das células e quais os tipos de
transporte que ocorrem através dela.
3. Entender como as células denominadas excitáveis
comunicam-se através da geração de potenciais de
ação e através das sinapses.
4. Estudar os fenômenos que levam à contração das
células musculares esqueléticas, cardíacas e lisas.
COMPREENDER O QUE É A CIÊNCIA FISIOLOGIA
HUMANA E QUAIS OS SEUS PRINCIPAIS OBJETIVOS
DE ESTUDO
A compreensão dos principais objetivos de
estudo desta disciplina irá facilitar nosso
aprendizado.
INTRODUÇÃO À FISIOLOGIA HUMANA
Uma única célula é uma unidade bastante
complexa e dinâmica.
A HISTÓRIA DA FISIOLOGIA
• As descobertas de William Harvey foram
determinantes para o estudo do sistema
cardiovascular.
• Claude Bernard determinou o lugar de um
fisiologista e propôs a existência do meio
interno.
OS LÍQUIDOS CORPORAIS E O MEIO INTERNO
O LEC é o meio interno e suas
variáveis não podem sofrer
grandes alterações.
A HOMEOSTASIA CORPORAL
Homeostase é a capacidade do organismo em manter a
estabilidade do meio interno.
COMO OCORRE A HOMEOSTASIA?
• Quando ocorre um desequilíbrio, alças de
resposta diminuem ou cessam o estímulo
inicial (feedback negativo).
• O feedback positivo não contribui com a
manutenção do meio interno! O trabalho de
parto é um exemplo.
estímulo
resposta
COMPONENTES DO SISTEMA DE CONTROLE
HOMEOSTÁTICO
A homeostase pode ocorrer pelos reflexos ou por respostas locais. O
sistema termorregulador é um exemplo de reflexo.
CONHECER A COMPOSIÇÃO DAS MEMBRANAS
PLASMÁTICAS DAS CÉLULAS E QUAIS OS TIPOS DE
TRANSPORTE QUE OCORREM ATRAVÉS DELA
A composição da membrana celular e os tipos de transporte através
dela determinam muitas funções celulares.
A MEMBRANA PLASMÁTICA
É composta por lipídios, proteínas e carboidratos. Sua composição
lipídica dificulta a passagem de moléculas hidrossolúveis.
As proteínas canais e carreadoras transportam solutos que não
atravessam livremente a membrana.
O TRANSPORTE ATRAVÉS DAS MEMBRANAS
O transporte pode acontecer sem ou com gasto
energético, ou seja, sem ou com hidrólise do ATP.
O TRANSPORTE PASSIVO
• Pode ocorrer por difusão simples, difusão facilitada ou
osmose. Todos ocorrem a favor de um gradiente de
concentração.
• Na difusão simples as moléculas atravessam a
membrana sem a necessidade de auxílio, apenas por
diferença de concentração.
• A glicose não atravessa livremente a membrana, sendo
sua passagem mediada por proteína carreadora (difusão
facilitada).
• Na osmose ocorre o movimento da água em resposta ao
gradiente de concentração de um soluto. Necessita da
presença de aquaporinas.
O TRANSPORTE ATIVO
A bomba de Na+/K+ é o exemplo
típico de transporte ativo
primário e está presente em
todos os tipos celulares.
Transporte ativo secundário: o
movimento de um íon a favor de
seu gradiente (Na+) está acoplado
ao transporte de outra molécula.
Na+
glicose
Cotransporte Na+/glicose
Na+
K+
PLASMA INTERSTÍCIO
ENDOCITOSE E EXOCITOSE
Transporte que não exige a passagem das
moléculas através da membrana
plasmática.
ENDOCITOSE
EXOCITOSE
ENTENDER COMO AS CÉLULAS DENOMINADAS
EXCITÁVEIS COMUNICAM-SE ATRAVÉS DA GERAÇÃO DE
POTENCIAIS DE AÇÃO E ATRAVÉS DAS SINAPSES
As células excitáveis possuem características que as permitem
transmitir sinais elétricos como ocorre com os neurônios.
A EXCITABILIDADE CELULAR
A existência de moléculas com carga elétrica no LEC e no LIC cria um potencial
elétrico através da membrana, chamado potencial de membrana (Vm).
Na+
Na+ Na+
Na+
Na+ Na+
Na+
Cl- Cl- Cl-
Cl- Cl- Na+ Na+
K+ K+ K+
K+ K+
K+ K+
A EXCITABILIDADE CELULAR
A bicamada lipídica atua como isolante e impede o fluxo efetivo dos íons.
Mas a presença de canais iônicos permite a passagem de corrente elétrica
através da membrana.
OS POTENCIAIS DE AÇÃO
Neurônios são células excitáveis
capazes de alterar seu Vm e
transmitir sinais elétricos pela
geração de potenciais de ação.
O potencial de ação caracteriza-se
pela despolarização da membrana
(abrem canais de Na+) seguida de sua
repolarização (abrem canais de K+).
AS SINAPSES
Através das sinapses os sinais elétricos são
transferidos pelas células nervosas e outras células
excitáveis.
• As sinapses elétricas: Os potenciais de ação
atravessam diretamente as células através das
junções comunicantes. Não há modificação do sinal.
• As sinapses químicas: Existência de fenda sináptica
com cerca de 20 µm e as interações entre as células
ocorrem por meio de neurotransmissores.
Célula 1
Célula 2
ESTUDAR OS FENÔMENOS QUE LEVAM À
CONTRAÇÃO DAS CÉLULAS MUSCULARES
ESQUELÉTICAS, CARDÍACAS E LISAS
Para que uma célula muscular
contraia e consigamos produzir força,
é necessária uma sinalização celular
específica.
A ESTRUTURA DAS FIBRAS MUSCULARES
De acordo com sua organização as fibras
musculares podem ser estriadas
esqueléticas, estriadas cardíacas ou lisas.
AS FIBRAS MUSCULARES ESQUELÉTICAS
As fibras musculares esqueléticas são formadas por
miofibrilas, compostas por miofilamentos de actina
(filamento fino) e miosina (filamento grosso).
MECANISMOS MOLECULARES DA
CONTRAÇÃO DO MÚSCULO ESQUELÉTICO
A placa motora é a região de encontro entre o neurônio motor
e a fibra muscular esquelética. O neurotransmissor é a
acetilcolina.
É necessário a entrada de cálcio no elemento pré-sináptico
para que ocorra a ancoragem da vesícula contendo o
neurotransmissor.
AS FIBRAS MUSCULARES CARDÍACAS
No músculo cardíaco não há formação da placa motora, pois os
potenciais de ação percorrem as fibras cardíacas pelas junções
comunicantes.
Para a contração das fibras cardíacas é necessário a entrada de Ca2+
extracelular, que promove a liberação de mais Ca2+ pelo retículo.
AS FIBRAS MUSCULARES LISAS
As células musculares lisas ou não-estriadas são o principal
componente dos órgãos ocos, como o canal alimentar e os
vasos sanguíneos.
A contração exige a participação da calmodulina. O Ca2+ para
contração provém do intra e do extracelular.
Obrigada!

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Slides da unidade 1 - Fisiologia Humana - slide1.pptx

Aula 02 -Biologia Celular - Células Procariontes e Eucariontes .pdf
Aula 02 -Biologia Celular -  Células Procariontes e  Eucariontes .pdfAula 02 -Biologia Celular -  Células Procariontes e  Eucariontes .pdf
Aula 02 -Biologia Celular - Células Procariontes e Eucariontes .pdf
Giza Carla Nitz
 
O citoplasma
O citoplasmaO citoplasma
O citoplasma
mael007
 
Aulacitologia 091108142823-phpapp02
Aulacitologia 091108142823-phpapp02Aulacitologia 091108142823-phpapp02
Aulacitologia 091108142823-phpapp02
MARISTA , UVA, FIC, FAINTER, GÊNESIS
 
Aulacitologia 091108142823-phpapp02
Aulacitologia 091108142823-phpapp02Aulacitologia 091108142823-phpapp02
Aulacitologia 091108142823-phpapp02
MARISTA , UVA, FIC, FAINTER, GÊNESIS
 
Aulacitologia 091108142823-phpapp02
Aulacitologia 091108142823-phpapp02Aulacitologia 091108142823-phpapp02
Aulacitologia 091108142823-phpapp02
Tatiana Faria
 
Aula citologia 1ºanos erem
Aula citologia 1ºanos eremAula citologia 1ºanos erem
Aula citologia 1ºanos erem
Amelia Tavares
 
Gabarito 3 teste
Gabarito 3 testeGabarito 3 teste
Gabarito 3 teste
jeancfq
 
aula 1 introducao conceitos gerais, estrutura celular.pdf
aula 1 introducao conceitos gerais, estrutura celular.pdfaula 1 introducao conceitos gerais, estrutura celular.pdf
aula 1 introducao conceitos gerais, estrutura celular.pdf
ALBANOJOAQUIM
 
membrana celular e citoesqueleto
 membrana celular e citoesqueleto membrana celular e citoesqueleto
membrana celular e citoesqueleto
maxmiller18
 
Resumo de Introdução a Citologia
Resumo de Introdução a CitologiaResumo de Introdução a Citologia
Resumo de Introdução a Citologia
loirissimavivi
 
Aula Citologia
Aula CitologiaAula Citologia
Aula Citologia
bradok157
 
TECIDO EPITELIAL
TECIDO EPITELIALTECIDO EPITELIAL
TECIDO EPITELIAL
BRENORIBEIRO49
 
TECIDO EPITELIAL - PATOLOGIA ODONTOLOGIA
TECIDO EPITELIAL - PATOLOGIA ODONTOLOGIATECIDO EPITELIAL - PATOLOGIA ODONTOLOGIA
TECIDO EPITELIAL - PATOLOGIA ODONTOLOGIA
iteroscanservice
 
Biblioteca medicina - tratado de fisiologia médica, humana e mecanismos das...
Biblioteca   medicina - tratado de fisiologia médica, humana e mecanismos das...Biblioteca   medicina - tratado de fisiologia médica, humana e mecanismos das...
Biblioteca medicina - tratado de fisiologia médica, humana e mecanismos das...
Carlos Lima
 
Biologia celular
Biologia celularBiologia celular
Biologia celular
naiellyrodrigues
 
Segundo slide de Biologia
Segundo slide de BiologiaSegundo slide de Biologia
Segundo slide de Biologia
Daniel Cavalcanti
 
Transportes e Impulso nervoso.pptx
Transportes e Impulso nervoso.pptxTransportes e Impulso nervoso.pptx
Transportes e Impulso nervoso.pptx
CarinaCardoso25
 
A célula
A célulaA célula
A célula
Regina E Franck
 
Estudo da membrana plasmática
Estudo da membrana plasmáticaEstudo da membrana plasmática
Estudo da membrana plasmática
Mateus Barros
 
Biologi a 2019
Biologi a  2019Biologi a  2019
Biologi a 2019
Tatão Ribeiro
 

Semelhante a Slides da unidade 1 - Fisiologia Humana - slide1.pptx (20)

Aula 02 -Biologia Celular - Células Procariontes e Eucariontes .pdf
Aula 02 -Biologia Celular -  Células Procariontes e  Eucariontes .pdfAula 02 -Biologia Celular -  Células Procariontes e  Eucariontes .pdf
Aula 02 -Biologia Celular - Células Procariontes e Eucariontes .pdf
 
O citoplasma
O citoplasmaO citoplasma
O citoplasma
 
Aulacitologia 091108142823-phpapp02
Aulacitologia 091108142823-phpapp02Aulacitologia 091108142823-phpapp02
Aulacitologia 091108142823-phpapp02
 
Aulacitologia 091108142823-phpapp02
Aulacitologia 091108142823-phpapp02Aulacitologia 091108142823-phpapp02
Aulacitologia 091108142823-phpapp02
 
Aulacitologia 091108142823-phpapp02
Aulacitologia 091108142823-phpapp02Aulacitologia 091108142823-phpapp02
Aulacitologia 091108142823-phpapp02
 
Aula citologia 1ºanos erem
Aula citologia 1ºanos eremAula citologia 1ºanos erem
Aula citologia 1ºanos erem
 
Gabarito 3 teste
Gabarito 3 testeGabarito 3 teste
Gabarito 3 teste
 
aula 1 introducao conceitos gerais, estrutura celular.pdf
aula 1 introducao conceitos gerais, estrutura celular.pdfaula 1 introducao conceitos gerais, estrutura celular.pdf
aula 1 introducao conceitos gerais, estrutura celular.pdf
 
membrana celular e citoesqueleto
 membrana celular e citoesqueleto membrana celular e citoesqueleto
membrana celular e citoesqueleto
 
Resumo de Introdução a Citologia
Resumo de Introdução a CitologiaResumo de Introdução a Citologia
Resumo de Introdução a Citologia
 
Aula Citologia
Aula CitologiaAula Citologia
Aula Citologia
 
TECIDO EPITELIAL
TECIDO EPITELIALTECIDO EPITELIAL
TECIDO EPITELIAL
 
TECIDO EPITELIAL - PATOLOGIA ODONTOLOGIA
TECIDO EPITELIAL - PATOLOGIA ODONTOLOGIATECIDO EPITELIAL - PATOLOGIA ODONTOLOGIA
TECIDO EPITELIAL - PATOLOGIA ODONTOLOGIA
 
Biblioteca medicina - tratado de fisiologia médica, humana e mecanismos das...
Biblioteca   medicina - tratado de fisiologia médica, humana e mecanismos das...Biblioteca   medicina - tratado de fisiologia médica, humana e mecanismos das...
Biblioteca medicina - tratado de fisiologia médica, humana e mecanismos das...
 
Biologia celular
Biologia celularBiologia celular
Biologia celular
 
Segundo slide de Biologia
Segundo slide de BiologiaSegundo slide de Biologia
Segundo slide de Biologia
 
Transportes e Impulso nervoso.pptx
Transportes e Impulso nervoso.pptxTransportes e Impulso nervoso.pptx
Transportes e Impulso nervoso.pptx
 
A célula
A célulaA célula
A célula
 
Estudo da membrana plasmática
Estudo da membrana plasmáticaEstudo da membrana plasmática
Estudo da membrana plasmática
 
Biologi a 2019
Biologi a  2019Biologi a  2019
Biologi a 2019
 

Slides da unidade 1 - Fisiologia Humana - slide1.pptx

  • 1. FISIOLOGIA HUMANA UNIDADE 1 A N N A G A B R I E L L E G O M E S C O U T I N H O
  • 2. UNIDADE 1 | INTRODUÇÃO A Fisiologia é a ciência que estuda o funcionamento do corpo, desde uma única célula até a integração dos diferentes sistemas, o que a torna uma disciplina muito instigante a ser estudada.
  • 3. UNIDADE 1 | OBJETIVOS 1. Compreender o que é a Ciência Fisiologia Humana e quais os seus principais objetivos de estudo. 2. Conhecer a composição das membranas plasmáticas das células e quais os tipos de transporte que ocorrem através dela. 3. Entender como as células denominadas excitáveis comunicam-se através da geração de potenciais de ação e através das sinapses. 4. Estudar os fenômenos que levam à contração das células musculares esqueléticas, cardíacas e lisas.
  • 4. COMPREENDER O QUE É A CIÊNCIA FISIOLOGIA HUMANA E QUAIS OS SEUS PRINCIPAIS OBJETIVOS DE ESTUDO A compreensão dos principais objetivos de estudo desta disciplina irá facilitar nosso aprendizado.
  • 5. INTRODUÇÃO À FISIOLOGIA HUMANA Uma única célula é uma unidade bastante complexa e dinâmica.
  • 6. A HISTÓRIA DA FISIOLOGIA • As descobertas de William Harvey foram determinantes para o estudo do sistema cardiovascular. • Claude Bernard determinou o lugar de um fisiologista e propôs a existência do meio interno.
  • 7. OS LÍQUIDOS CORPORAIS E O MEIO INTERNO O LEC é o meio interno e suas variáveis não podem sofrer grandes alterações.
  • 8. A HOMEOSTASIA CORPORAL Homeostase é a capacidade do organismo em manter a estabilidade do meio interno.
  • 9. COMO OCORRE A HOMEOSTASIA? • Quando ocorre um desequilíbrio, alças de resposta diminuem ou cessam o estímulo inicial (feedback negativo). • O feedback positivo não contribui com a manutenção do meio interno! O trabalho de parto é um exemplo. estímulo resposta
  • 10. COMPONENTES DO SISTEMA DE CONTROLE HOMEOSTÁTICO A homeostase pode ocorrer pelos reflexos ou por respostas locais. O sistema termorregulador é um exemplo de reflexo.
  • 11. CONHECER A COMPOSIÇÃO DAS MEMBRANAS PLASMÁTICAS DAS CÉLULAS E QUAIS OS TIPOS DE TRANSPORTE QUE OCORREM ATRAVÉS DELA A composição da membrana celular e os tipos de transporte através dela determinam muitas funções celulares.
  • 12. A MEMBRANA PLASMÁTICA É composta por lipídios, proteínas e carboidratos. Sua composição lipídica dificulta a passagem de moléculas hidrossolúveis. As proteínas canais e carreadoras transportam solutos que não atravessam livremente a membrana.
  • 13. O TRANSPORTE ATRAVÉS DAS MEMBRANAS O transporte pode acontecer sem ou com gasto energético, ou seja, sem ou com hidrólise do ATP.
  • 14. O TRANSPORTE PASSIVO • Pode ocorrer por difusão simples, difusão facilitada ou osmose. Todos ocorrem a favor de um gradiente de concentração. • Na difusão simples as moléculas atravessam a membrana sem a necessidade de auxílio, apenas por diferença de concentração. • A glicose não atravessa livremente a membrana, sendo sua passagem mediada por proteína carreadora (difusão facilitada). • Na osmose ocorre o movimento da água em resposta ao gradiente de concentração de um soluto. Necessita da presença de aquaporinas.
  • 15. O TRANSPORTE ATIVO A bomba de Na+/K+ é o exemplo típico de transporte ativo primário e está presente em todos os tipos celulares. Transporte ativo secundário: o movimento de um íon a favor de seu gradiente (Na+) está acoplado ao transporte de outra molécula. Na+ glicose Cotransporte Na+/glicose Na+ K+ PLASMA INTERSTÍCIO
  • 16. ENDOCITOSE E EXOCITOSE Transporte que não exige a passagem das moléculas através da membrana plasmática. ENDOCITOSE EXOCITOSE
  • 17. ENTENDER COMO AS CÉLULAS DENOMINADAS EXCITÁVEIS COMUNICAM-SE ATRAVÉS DA GERAÇÃO DE POTENCIAIS DE AÇÃO E ATRAVÉS DAS SINAPSES As células excitáveis possuem características que as permitem transmitir sinais elétricos como ocorre com os neurônios.
  • 18. A EXCITABILIDADE CELULAR A existência de moléculas com carga elétrica no LEC e no LIC cria um potencial elétrico através da membrana, chamado potencial de membrana (Vm). Na+ Na+ Na+ Na+ Na+ Na+ Na+ Cl- Cl- Cl- Cl- Cl- Na+ Na+ K+ K+ K+ K+ K+ K+ K+
  • 19. A EXCITABILIDADE CELULAR A bicamada lipídica atua como isolante e impede o fluxo efetivo dos íons. Mas a presença de canais iônicos permite a passagem de corrente elétrica através da membrana.
  • 20. OS POTENCIAIS DE AÇÃO Neurônios são células excitáveis capazes de alterar seu Vm e transmitir sinais elétricos pela geração de potenciais de ação. O potencial de ação caracteriza-se pela despolarização da membrana (abrem canais de Na+) seguida de sua repolarização (abrem canais de K+).
  • 21. AS SINAPSES Através das sinapses os sinais elétricos são transferidos pelas células nervosas e outras células excitáveis. • As sinapses elétricas: Os potenciais de ação atravessam diretamente as células através das junções comunicantes. Não há modificação do sinal. • As sinapses químicas: Existência de fenda sináptica com cerca de 20 µm e as interações entre as células ocorrem por meio de neurotransmissores. Célula 1 Célula 2
  • 22. ESTUDAR OS FENÔMENOS QUE LEVAM À CONTRAÇÃO DAS CÉLULAS MUSCULARES ESQUELÉTICAS, CARDÍACAS E LISAS Para que uma célula muscular contraia e consigamos produzir força, é necessária uma sinalização celular específica.
  • 23. A ESTRUTURA DAS FIBRAS MUSCULARES De acordo com sua organização as fibras musculares podem ser estriadas esqueléticas, estriadas cardíacas ou lisas.
  • 24. AS FIBRAS MUSCULARES ESQUELÉTICAS As fibras musculares esqueléticas são formadas por miofibrilas, compostas por miofilamentos de actina (filamento fino) e miosina (filamento grosso).
  • 25. MECANISMOS MOLECULARES DA CONTRAÇÃO DO MÚSCULO ESQUELÉTICO A placa motora é a região de encontro entre o neurônio motor e a fibra muscular esquelética. O neurotransmissor é a acetilcolina. É necessário a entrada de cálcio no elemento pré-sináptico para que ocorra a ancoragem da vesícula contendo o neurotransmissor.
  • 26. AS FIBRAS MUSCULARES CARDÍACAS No músculo cardíaco não há formação da placa motora, pois os potenciais de ação percorrem as fibras cardíacas pelas junções comunicantes. Para a contração das fibras cardíacas é necessário a entrada de Ca2+ extracelular, que promove a liberação de mais Ca2+ pelo retículo.
  • 27. AS FIBRAS MUSCULARES LISAS As células musculares lisas ou não-estriadas são o principal componente dos órgãos ocos, como o canal alimentar e os vasos sanguíneos. A contração exige a participação da calmodulina. O Ca2+ para contração provém do intra e do extracelular.