SlideShare uma empresa Scribd logo
Fatores Bióticos
e Abióticos
Fatores Bióticos
• Os fatores bióticos são o resultado da
interação entre os seres vivos em uma
determinada região, constituindo uma
comunidade biológica ou biota, os seres vivos
são os fatores bióticos.
Fatores Abióticos
• Os fatores abióticos são os elementos não
vivos ( rio, pedra, areia,...) do ambiente que
afetam os organismos vivos da biota. Esses
elementos podem ser físicos ou químicos.
Os fatores físicos
• Constituem o clima do ecossistema, determinado principalmente
pela radiação solar que chega à Terra. As radiações além de
proporcionar a luz, que é fundamental para que ocorra fotossíntese
(produção de alimento pelos organismos autótrofos), também
influenciam na temperatura, que é uma condição ecológica decisiva
para a vida na superfície terrestre. A temperatura influencia outros
fatores climáticos tais como ventos, umidade relativa do ar e
pluviosidade.
• No caso do manguezal, a variação das marés é um fator que afeta
bastante a vida dos organismos que existem ali. Na alta da maré os
terrenos ficam alagados e com a maré mais baixa ficam expostos.
As plantas que vivem aí tem as raízes adaptadas para se fixar bem
ao terreno lamacento, são as raízes escoras que ficam expostas na
maré baixa.
Os fatores químicos
• Alguns elementos químicos, como os sais
minerais são nutrientes importantes e essenciais
para garantir a sobrevivência dos organismos. Os
fosfatos, o magnésio, o nitrogênio, o oxigênio, o
carbono.
• O manguezal é um ecossistema formado em
locais onde há mistura de água doce com água
salgada. A concentração dos sais varia nesses
ambiente e é outro fator abiótico que influencia a
vida da comunidade biótica.
Responda:
Na imagem você pode observar os fatores
abiótico e bióticos.
Agora responda: O que é biótico e abiótico na
imagem?
Cadeia alimentar
• O equilíbrio ecológico depende diretamente
da interação, das trocas e das relações que os
seres vivos estabelecem entre si e com o
ambiente.
• Os seres respiram, vivem sobre o solo ou na
água, obtêm alimento, aquecem-se com o
calor do Sol, abrigam-se, reproduzem-se,
morrem, se decompõem etc. Nesses
processos, o ar, o solo, a água e a luz solar
interagem de forma intensa com as plantas, os
animais e os demais seres vivos.
Obtendo Energia para Viver
• Todos os seres vivos precisam de energia para
produzir as substâncias necessárias à
manutenção da vida e à reprodução. Os seres
vivos obtêm a energia basicamente de duas
maneiras: Os clorofilados, através da energia
do Sol, e os não-clorofilados, a partir da
alimentação dos clorofilados
Produtores
• Como exemplos de produtores temos
as plantas e as algas, seres clorofilados, que
não se alimentam de outro ser vivo obtendo
do Sol a sua energia de que necessita para a
fotossíntese.
consumidores
• Nas cadeias alimentares encontramos animais
que se alimentam de plantas: são chamados
animais herbívoros. Outros animais comem os
animais herbívoros: são os carnívoros. E ainda
há carnívoros que comem outros carnívoros e
animais que comem tanto as plantas quanto
outros animais, sendo chamados de onívoros.
Todos esses organismos que se alimentam de
outros seres são chamados de consumidores.
Para simplificar chamamos o primeiro consumidor da cadeia,
isto é, os animais herbívoros, de consumidores primários ou
consumidores de primeira ordem. Os animais que vêm logo
em seguida são classificados como consumidores
secundários. Os seguintes são consumidores terciários,
quaternários e assim por diante. Podem existir consumidores
de quinta ordem ou mais, mas as cadeias não vão muito além
disso.
A Reciclagem da Natureza: Os
Decompositores
• Papel, latas, garrafas, para fabricar esses e
outros materiais o ser humano consome
diversos produtos da natureza, como metais e
árvores. À medida que a população aumenta,
o consumo de matérias-primas também
cresce, mais árvores são derrubadas, mais
minerais são extraídos do solo, novas usinas
de energia têm de ser construídas.
• Nos ambientes naturais, ocorre um tipo de
reciclagem feito por diversos organismos que se
alimentam de plantas e animais mortos e
também de fezes e urina. Os principais
organismos que realizam esse trabalho são as
bactérias e os fungos (ou cogumelos). São esses
organismos que fazem uma fruta apodrecer, por
exemplo.
• Esses seres da mesma forma que os animais e as
plantas precisam de energia para as suas
atividades. A diferença, porém, é que seu
alimento são "restos" de outros seres vivos.
• A decomposição faz a matéria que é retirada
do solo pelas plantas (e aproveitada em seu
crescimento) voltar ao solo. Dizemos então
que há um ciclo da matéria na natureza: a
matéria passa do solo para os seres vivos e
dos seres vivos para o solo.
O pulmão do mundo?
• Até pouco tempo, acreditava-se que a região
amazônica era a grande responsável pela
manutenção dos níveis de oxigênio da terra,
sendo popularmente chamada de ‘pulmão da
terra’. Porém, recentes pesquisas descobriram a
existência de um novo “pulmão”: as algas
marinhas. Apesar de se apresentar nas cores
verdes, azuis, marrons, amarelas e vermelhas,
todas as algas possuem clorofila e fazem
fotossíntese. Como são muito numerosas, que se
atribui a sua fotossíntese a maior parte de
oxigênio existente no planeta.
Todos os seres vivos respiram
• É pela respiração que a energia do alimento é
usada para as atividades do organismo. Veja um
resumo da respiração:
• glicose + oxigênio ----> gás carbônico + água +
energia
• A energia originada pela respiração será usada
para a realização de todas as atividades dos seres
vivos. Você, por exemplo, precisa de energia para
crescer, andar, correr, falar, pensar e muito mais.
A planta faz fotossíntese e também
respira!
• A respiração não é feita apenas pelos animais.
Todos os seres vivos respiram, inclusive as
plantas. Isso quer dizer que as plantas usam, na
respiração, parte do alimento que fabricam na
fotossíntese. Com isso conseguem energia para o
crescimento da raiz, do caule, das folhas, etc. A
outra parte da energia (da glicose) produzida pela
planta na fotossíntese é armazenada em forma
de amido servindo de reserva para a planta. A
semente, por exemplo, irá crescer inicialmente
com a energia dos açucares que ela armazena.
Relações ecológicas
• Em um ecossistema, os seres vivos
relacionam-se com o ambiente físico e
também entre si, formando o que chamamos
de relações ecológicas.
• São as interações que ocorrem dentro da
mesma espécie (intraespecífica) ou entre
espécies diferentes (interespecífica). Essas
relações podem ser positivas, beneficiando
uma ou ambas as espécies envolvidas
(mutualismo, sociedades, entre outras), ou
negativas, trazendo desvantagens para uma
ou ambas as partes (parasitismo, predação,
etc).
Relações Harmônicas (relações
positivas)
• Intraespecífica (entre indivíduos da mesma
espécie).
Sociedade
• União permanente entre indivíduos em que
há divisão de trabalho. Ex.: insetos sociais
(abelhas, formigas e cupins).
• Portanto, uma sociedade é composta por um
grupo de indivíduos da mesma espécie que
vivem juntos de forma a permanente e
cooperando entre si.
Colônia
• Associação anatômica formando uma unidade
estrutural e funcional. Ex.: coral-cérebro,
caravela.
• Colônia é um grupo de organismos da mesma
espécie que formam uma entidade diferente
dos organismos individuais. Por vezes, alguns
destes indivíduos especializam-se em
determinadas funções necessárias à colônia.
• Interespecífica (entre indivíduos de espécies
diferentes)
Mutualismo
• Associação obrigatória entre indivíduos, em que ambos
se beneficiam. Ex.: líquen, bois e microrganismos do
sistema digestório.
• Abelhas, beija-flores e borboletas são alguns animais
que se alimentam do néctar das flores. O néctar é
produzido na base das pétalas das flores e é um
produto rico em açucares. Quando abelhas, borboletas
e beija-flores colhem o néctar, grãos de pólen se
depositam em seu corpo. O pólen contém células
reprodutoras masculinas da planta. Pousando em outra
flor, esses insetos deixam cair o pólen na parte
feminina da planta.
Comensalismo
• Associação em que um indivíduo aproveita
restos de alimentares do outro, sem prejudicá-
lo. Ex.: Tubarão e Rêmoras, Leão e a Hiena,
Urubu e o Homem.
Protocooperação
• Associação facultativa entre indivíduos, em
que ambos se beneficiam. Ex.: Anêmona do
Mar e paguro, gado e anum (limpeza dos
carrapatos), crocodilo africano e ave palito
(higiene bucal).
Outro exemplo é do boi e do anum. Os bois e vacas são
comumente atacados por parasitas externos
(ectoparasitas), pequenos artrópodes conhecidos
vulgarmente por carrapatos. E o anum tem como
refeição predileta estes pequenos parasitas. A relação
é benéfica para ambos (o boi se livra do parasita e o
anum se alimenta).
Canibalismo
• Relação desarmônica em que um indivíduo
mata outro da mesma espécie para se
alimentar. Ex.: louva-a-Deus, aracnídeos,
filhotes de tubarão no ventre materno.
• Louva-a-deus é um artrópode da classe dos
insetos. Este inseto é verde e recebe este
nome por causa da posição de suas patas
anteriores, juntas com tarsos dobrados, como
se estivesse rezando. Neste grupo de insetos
o canibalismo é muito comum, principalmente
no que tange o processo reprodutivo. É
hábito comum as fêmeas devorarem os
machos numa luta que antecede a cópula.
Amensalismo
• Relação em que indivíduos de uma espécie
produzem toxinas que inibem ou impedem o
desenvolvimento de outras. Ex.: Maré
vermelha, cobra (veneno) e homem,
fungo penicillium (penicilina) e bactérias.
• A Maré vermelha é a proliferação de algumas
espécies de algas tóxicas. Muitas delas de cor
avermelhada, e que geralmente ocorre
ocasionalmente nos mares de todo o planeta.
Encontramos essas plantas apenas no fundo do
mar. Em situações como mudanças de
temperatura, alteração na salinidade e despejo
de esgoto nas águas do mar, elas se multiplicam e
sobem à superfície, onde liberam toxinas que
matam um grande número de peixes, mariscos e
outros seres da fauna marinha.
Sinfilia ou Esclavagismo
• é um tipo de relação ecológica entre seres
vivos onde um ser vivo se aproveita das
atividades, do trabalho ou de produtos
produzidos por outros seres vivos.
• Indivíduos mantém em cativeiro indivíduos de
outra espécie, para obter vantagens. Ex.:
formigas e pulgões.
• Os pulgões são parasitas de certos vegetais, e
se alimentam da seiva elaborada que retiram
dos vasos liberianos das plantas. A seiva
elaborada é rica em açúcares e pobre em
aminoácidos. Por absorverem muito açúcar, os
pulgões eliminam o seu excesso pelo ânus.
Esse açúcar eliminado é aproveitado pelas
formigas, que chegam a acariciar com suas
antenas o abdômen dos pulgões, fazendo-os
eliminar mais açúcar.
Predatismo
• Relação em que um animal captura e mata
indivíduos de outra espécie para se alimentar. Ex.:
cobra e rato, homem e gado.
• O predatismo é uma forma de controle biológico
natural sobre a população da espécie da presa.
Embora o predatismo seja desfavorável à presa
como indivíduo, pode favorecer a sua população,
evitando que ocorra aumento exagerado do
número de indivíduos
Parasitismo
• Indivíduos de uma espécie vivem no corpo de
outro, do qual retiram alimento. Ex.: Gado e
carrapato, lombrigas e vermes parasitas do ser
humano.
Competição Interespecífica
• Disputa por recursos escassos no ambiente
entre indivíduos de espécies diferentes. Ex.:
Peixe Piloto e Rêmora (por restos deixados
pelo tubarão)
Slide sobre fotores abioticos, bioticos e relacoes ecologicas

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ecossistema: Fatores bióticos e abióticos
Ecossistema: Fatores bióticos e abióticosEcossistema: Fatores bióticos e abióticos
Ecossistema: Fatores bióticos e abióticos
Carlos Priante
 
7º ano cap 5 vírus
7º ano cap 5   vírus7º ano cap 5   vírus
7º ano cap 5 vírus
ISJ
 
Ecossistemas 6º ano
Ecossistemas 6º anoEcossistemas 6º ano
Ecossistemas 6º ano
Fernanda Reis Dias
 
Níveis de organização - 2014 - 1º ano
Níveis de organização - 2014 - 1º anoNíveis de organização - 2014 - 1º ano
Níveis de organização - 2014 - 1º ano
Marcia Bantim
 
Ciclos Biogeoquímicos
Ciclos BiogeoquímicosCiclos Biogeoquímicos
Ciclos Biogeoquímicos
profatatiana
 
Tipos de Energia
Tipos de EnergiaTipos de Energia
Tipos de Energia
Pibid Física
 
Níveis de organização dos seres vivos
Níveis de organização dos seres vivosNíveis de organização dos seres vivos
Níveis de organização dos seres vivos
Fatima Comiotto
 
9 ano propriedades da matéria
9 ano propriedades da matéria9 ano propriedades da matéria
9 ano propriedades da matéria
crisbassanimedeiros
 
Aula Biodiversidade
Aula BiodiversidadeAula Biodiversidade
Aula Biodiversidade
Plínio Gonçalves
 
Fluxo de Energia
Fluxo de EnergiaFluxo de Energia
Fluxo de Energia
Turma Olímpica
 
I. 2 Origem da vida
I. 2 Origem da vidaI. 2 Origem da vida
I. 2 Origem da vida
Rebeca Vale
 
Ecologia 3º ano
Ecologia 3º anoEcologia 3º ano
Ecologia 3º ano
Renata Magalhães
 
Aula relações ecológicas
Aula relações ecológicasAula relações ecológicas
Aula relações ecológicas
Gabriela de Lima
 
V. 2 Relações entre seres vivos
V. 2  Relações entre seres vivosV. 2  Relações entre seres vivos
V. 2 Relações entre seres vivos
Rebeca Vale
 
Ecossistemas
EcossistemasEcossistemas
Ecossistemas
Tânia Reis
 
Impactos ambientais intensivo
Impactos ambientais intensivoImpactos ambientais intensivo
Impactos ambientais intensivo
BIOLOGIA Associação Pré-FEDERAL
 
Reprodução Animal
Reprodução AnimalReprodução Animal
Reprodução Animal
César Milani
 
Fluxo de energia no ecossistema
Fluxo de energia no ecossistemaFluxo de energia no ecossistema
Fluxo de energia no ecossistema
Reinan Santos
 
Biologia a ciência da vida
Biologia a ciência da vidaBiologia a ciência da vida
Biologia a ciência da vida
letyap
 
Ecossistemas
EcossistemasEcossistemas
Ecossistemas
Patrícia Silva
 

Mais procurados (20)

Ecossistema: Fatores bióticos e abióticos
Ecossistema: Fatores bióticos e abióticosEcossistema: Fatores bióticos e abióticos
Ecossistema: Fatores bióticos e abióticos
 
7º ano cap 5 vírus
7º ano cap 5   vírus7º ano cap 5   vírus
7º ano cap 5 vírus
 
Ecossistemas 6º ano
Ecossistemas 6º anoEcossistemas 6º ano
Ecossistemas 6º ano
 
Níveis de organização - 2014 - 1º ano
Níveis de organização - 2014 - 1º anoNíveis de organização - 2014 - 1º ano
Níveis de organização - 2014 - 1º ano
 
Ciclos Biogeoquímicos
Ciclos BiogeoquímicosCiclos Biogeoquímicos
Ciclos Biogeoquímicos
 
Tipos de Energia
Tipos de EnergiaTipos de Energia
Tipos de Energia
 
Níveis de organização dos seres vivos
Níveis de organização dos seres vivosNíveis de organização dos seres vivos
Níveis de organização dos seres vivos
 
9 ano propriedades da matéria
9 ano propriedades da matéria9 ano propriedades da matéria
9 ano propriedades da matéria
 
Aula Biodiversidade
Aula BiodiversidadeAula Biodiversidade
Aula Biodiversidade
 
Fluxo de Energia
Fluxo de EnergiaFluxo de Energia
Fluxo de Energia
 
I. 2 Origem da vida
I. 2 Origem da vidaI. 2 Origem da vida
I. 2 Origem da vida
 
Ecologia 3º ano
Ecologia 3º anoEcologia 3º ano
Ecologia 3º ano
 
Aula relações ecológicas
Aula relações ecológicasAula relações ecológicas
Aula relações ecológicas
 
V. 2 Relações entre seres vivos
V. 2  Relações entre seres vivosV. 2  Relações entre seres vivos
V. 2 Relações entre seres vivos
 
Ecossistemas
EcossistemasEcossistemas
Ecossistemas
 
Impactos ambientais intensivo
Impactos ambientais intensivoImpactos ambientais intensivo
Impactos ambientais intensivo
 
Reprodução Animal
Reprodução AnimalReprodução Animal
Reprodução Animal
 
Fluxo de energia no ecossistema
Fluxo de energia no ecossistemaFluxo de energia no ecossistema
Fluxo de energia no ecossistema
 
Biologia a ciência da vida
Biologia a ciência da vidaBiologia a ciência da vida
Biologia a ciência da vida
 
Ecossistemas
EcossistemasEcossistemas
Ecossistemas
 

Destaque

Factores Abióticos
Factores AbióticosFactores Abióticos
Factores Abióticos
Sérgio Luiz
 
Vertebrados Anglo
Vertebrados AngloVertebrados Anglo
Vertebrados Anglo
douglas
 
Interação Ecologica
Interação EcologicaInteração Ecologica
Interação Ecologica
Augusto Del Neri
 
Revisão Seduc Biologia 2015
Revisão Seduc Biologia 2015Revisão Seduc Biologia 2015
Revisão Seduc Biologia 2015
Pré-Enem Seduc
 
Cordados
CordadosCordados
Cordados.anfíbios.répteis
Cordados.anfíbios.répteisCordados.anfíbios.répteis
Cordados.anfíbios.répteis
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Caule e Folha
Caule e FolhaCaule e Folha
Caule e Folha
Chrislaine1999
 
1EM #02 Um pouco de Evolução (2016)
1EM #02 Um pouco de Evolução (2016)1EM #02 Um pouco de Evolução (2016)
1EM #02 Um pouco de Evolução (2016)
Professô Kyoshi
 
Relações ecológicas
Relações ecológicasRelações ecológicas
Relações ecológicas
IARIMA LOPES
 
Evolução - A complexidade conceitual
Evolução - A complexidade conceitualEvolução - A complexidade conceitual
Evolução - A complexidade conceitual
Thiago Ávila Medeiros
 
Evolução biológica.1
Evolução biológica.1Evolução biológica.1
Evolução biológica.1
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Frutos e sementes
Frutos e sementesFrutos e sementes
Frutos e sementes
Vitor Morais
 
Aspectos naturais europa
Aspectos naturais europaAspectos naturais europa
Aspectos naturais europa
Prof.Paulo/geografia
 
Relações ecológicas
Relações ecológicasRelações ecológicas
Relações ecológicas
Magali Feldmann
 
Morfologia vegetal da raiz
Morfologia vegetal da raizMorfologia vegetal da raiz
Morfologia vegetal da raiz
Joseanny Pereira
 
Fatores abioticos teoria
Fatores abioticos teoriaFatores abioticos teoria
Fatores abioticos teoria
João Rodrigues
 
O Caule
O CauleO Caule
Genetica 01- Introdução
Genetica 01- Introdução Genetica 01- Introdução
Genetica 01- Introdução
Joselito Oliveira Neto
 
Dinâmica dos ecossistemas
Dinâmica dos ecossistemasDinâmica dos ecossistemas
Dinâmica dos ecossistemas
Leonardo Alves
 
A europa aspectos naturais
A europa aspectos naturaisA europa aspectos naturais
A europa aspectos naturais
Colégio Nova Geração COC
 

Destaque (20)

Factores Abióticos
Factores AbióticosFactores Abióticos
Factores Abióticos
 
Vertebrados Anglo
Vertebrados AngloVertebrados Anglo
Vertebrados Anglo
 
Interação Ecologica
Interação EcologicaInteração Ecologica
Interação Ecologica
 
Revisão Seduc Biologia 2015
Revisão Seduc Biologia 2015Revisão Seduc Biologia 2015
Revisão Seduc Biologia 2015
 
Cordados
CordadosCordados
Cordados
 
Cordados.anfíbios.répteis
Cordados.anfíbios.répteisCordados.anfíbios.répteis
Cordados.anfíbios.répteis
 
Caule e Folha
Caule e FolhaCaule e Folha
Caule e Folha
 
1EM #02 Um pouco de Evolução (2016)
1EM #02 Um pouco de Evolução (2016)1EM #02 Um pouco de Evolução (2016)
1EM #02 Um pouco de Evolução (2016)
 
Relações ecológicas
Relações ecológicasRelações ecológicas
Relações ecológicas
 
Evolução - A complexidade conceitual
Evolução - A complexidade conceitualEvolução - A complexidade conceitual
Evolução - A complexidade conceitual
 
Evolução biológica.1
Evolução biológica.1Evolução biológica.1
Evolução biológica.1
 
Frutos e sementes
Frutos e sementesFrutos e sementes
Frutos e sementes
 
Aspectos naturais europa
Aspectos naturais europaAspectos naturais europa
Aspectos naturais europa
 
Relações ecológicas
Relações ecológicasRelações ecológicas
Relações ecológicas
 
Morfologia vegetal da raiz
Morfologia vegetal da raizMorfologia vegetal da raiz
Morfologia vegetal da raiz
 
Fatores abioticos teoria
Fatores abioticos teoriaFatores abioticos teoria
Fatores abioticos teoria
 
O Caule
O CauleO Caule
O Caule
 
Genetica 01- Introdução
Genetica 01- Introdução Genetica 01- Introdução
Genetica 01- Introdução
 
Dinâmica dos ecossistemas
Dinâmica dos ecossistemasDinâmica dos ecossistemas
Dinâmica dos ecossistemas
 
A europa aspectos naturais
A europa aspectos naturaisA europa aspectos naturais
A europa aspectos naturais
 

Semelhante a Slide sobre fotores abioticos, bioticos e relacoes ecologicas

Habitat, Nicho Ecológico, Componentes do Ecossistema, Cadeia e Teia Alimentar
Habitat, Nicho Ecológico, Componentes do Ecossistema, Cadeia e Teia Alimentar Habitat, Nicho Ecológico, Componentes do Ecossistema, Cadeia e Teia Alimentar
Habitat, Nicho Ecológico, Componentes do Ecossistema, Cadeia e Teia Alimentar
MenadeJesus
 
Habitat, Nicho ecológico, Componentes do ecossistema, Cadeia e Teia alimentar
Habitat, Nicho ecológico, Componentes do ecossistema, Cadeia e Teia alimentar Habitat, Nicho ecológico, Componentes do ecossistema, Cadeia e Teia alimentar
Habitat, Nicho ecológico, Componentes do ecossistema, Cadeia e Teia alimentar
MenadeJesus
 
Entendendo a Ecologia
Entendendo a EcologiaEntendendo a Ecologia
Entendendo a Ecologia
Carlos Eduardo
 
Introducao a biologia_2
Introducao a biologia_2Introducao a biologia_2
Introducao a biologia_2
Filipe Almeida
 
Capítulo 01 ecologia
Capítulo 01   ecologiaCapítulo 01   ecologia
Capítulo 01 ecologia
Igor Brant
 
Cap 03 a transferência de energia e de matéria num ecossistema.
Cap 03   a transferência de energia e de matéria num ecossistema.Cap 03   a transferência de energia e de matéria num ecossistema.
Cap 03 a transferência de energia e de matéria num ecossistema.
rafaelcef3
 
Dinâmica dos ecossistemas
Dinâmica dos ecossistemasDinâmica dos ecossistemas
Dinâmica dos ecossistemas
inessalgado
 
001706774.pdf
001706774.pdf001706774.pdf
001706774.pdf
rickriordan
 
Resumos 8 ano
Resumos 8 anoResumos 8 ano
Resumos 8 ano
Franc Knap Junior
 
Vida e composição dos seres vivos
Vida e composição dos seres vivosVida e composição dos seres vivos
Vida e composição dos seres vivos
Jolealpp
 
Aula 7º ano revisão do 6º ano-introdução ao 7º ano
Aula 7º ano   revisão do 6º ano-introdução ao 7º anoAula 7º ano   revisão do 6º ano-introdução ao 7º ano
Aula 7º ano revisão do 6º ano-introdução ao 7º ano
Leonardo Kaplan
 
ciencias
cienciasciencias
ciencias
zacplay
 
Resumo ciencias
Resumo cienciasResumo ciencias
Resumo ciencias
zacplay
 
Apostila ecologia-pronta.194.239
Apostila ecologia-pronta.194.239Apostila ecologia-pronta.194.239
Apostila ecologia-pronta.194.239
Rigo Rodrigues
 
Ecologia.pdfEcologiaEcologiaEcologiaEcologia
Ecologia.pdfEcologiaEcologiaEcologiaEcologiaEcologia.pdfEcologiaEcologiaEcologiaEcologia
Ecologia.pdfEcologiaEcologiaEcologiaEcologia
alessandraoliveira324
 
Ecologia - conceitos básicos
Ecologia - conceitos básicosEcologia - conceitos básicos
Ecologia - conceitos básicos
SESI 422 - Americana
 
1-Biosfera -2018.pptx
1-Biosfera -2018.pptx1-Biosfera -2018.pptx
1-Biosfera -2018.pptx
Isaura Mourão
 
Capítulo 3 a diversidade da vida
Capítulo 3 a diversidade da vidaCapítulo 3 a diversidade da vida
Capítulo 3 a diversidade da vida
Sarah Lemes
 
Biosfera power point
Biosfera  power point Biosfera  power point
Biosfera power point
margaridabt
 
Aula 1 ecologia conceitos fundamentaisok
Aula 1 ecologia conceitos fundamentaisokAula 1 ecologia conceitos fundamentaisok
Aula 1 ecologia conceitos fundamentaisok
luanarodriguessh
 

Semelhante a Slide sobre fotores abioticos, bioticos e relacoes ecologicas (20)

Habitat, Nicho Ecológico, Componentes do Ecossistema, Cadeia e Teia Alimentar
Habitat, Nicho Ecológico, Componentes do Ecossistema, Cadeia e Teia Alimentar Habitat, Nicho Ecológico, Componentes do Ecossistema, Cadeia e Teia Alimentar
Habitat, Nicho Ecológico, Componentes do Ecossistema, Cadeia e Teia Alimentar
 
Habitat, Nicho ecológico, Componentes do ecossistema, Cadeia e Teia alimentar
Habitat, Nicho ecológico, Componentes do ecossistema, Cadeia e Teia alimentar Habitat, Nicho ecológico, Componentes do ecossistema, Cadeia e Teia alimentar
Habitat, Nicho ecológico, Componentes do ecossistema, Cadeia e Teia alimentar
 
Entendendo a Ecologia
Entendendo a EcologiaEntendendo a Ecologia
Entendendo a Ecologia
 
Introducao a biologia_2
Introducao a biologia_2Introducao a biologia_2
Introducao a biologia_2
 
Capítulo 01 ecologia
Capítulo 01   ecologiaCapítulo 01   ecologia
Capítulo 01 ecologia
 
Cap 03 a transferência de energia e de matéria num ecossistema.
Cap 03   a transferência de energia e de matéria num ecossistema.Cap 03   a transferência de energia e de matéria num ecossistema.
Cap 03 a transferência de energia e de matéria num ecossistema.
 
Dinâmica dos ecossistemas
Dinâmica dos ecossistemasDinâmica dos ecossistemas
Dinâmica dos ecossistemas
 
001706774.pdf
001706774.pdf001706774.pdf
001706774.pdf
 
Resumos 8 ano
Resumos 8 anoResumos 8 ano
Resumos 8 ano
 
Vida e composição dos seres vivos
Vida e composição dos seres vivosVida e composição dos seres vivos
Vida e composição dos seres vivos
 
Aula 7º ano revisão do 6º ano-introdução ao 7º ano
Aula 7º ano   revisão do 6º ano-introdução ao 7º anoAula 7º ano   revisão do 6º ano-introdução ao 7º ano
Aula 7º ano revisão do 6º ano-introdução ao 7º ano
 
ciencias
cienciasciencias
ciencias
 
Resumo ciencias
Resumo cienciasResumo ciencias
Resumo ciencias
 
Apostila ecologia-pronta.194.239
Apostila ecologia-pronta.194.239Apostila ecologia-pronta.194.239
Apostila ecologia-pronta.194.239
 
Ecologia.pdfEcologiaEcologiaEcologiaEcologia
Ecologia.pdfEcologiaEcologiaEcologiaEcologiaEcologia.pdfEcologiaEcologiaEcologiaEcologia
Ecologia.pdfEcologiaEcologiaEcologiaEcologia
 
Ecologia - conceitos básicos
Ecologia - conceitos básicosEcologia - conceitos básicos
Ecologia - conceitos básicos
 
1-Biosfera -2018.pptx
1-Biosfera -2018.pptx1-Biosfera -2018.pptx
1-Biosfera -2018.pptx
 
Capítulo 3 a diversidade da vida
Capítulo 3 a diversidade da vidaCapítulo 3 a diversidade da vida
Capítulo 3 a diversidade da vida
 
Biosfera power point
Biosfera  power point Biosfera  power point
Biosfera power point
 
Aula 1 ecologia conceitos fundamentaisok
Aula 1 ecologia conceitos fundamentaisokAula 1 ecologia conceitos fundamentaisok
Aula 1 ecologia conceitos fundamentaisok
 

Último

MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptxMÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MnicaPereira739219
 
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
jenneferbarbosa21
 
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
FlorAzaleia1
 
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.pptAula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
cleidianevieira7
 
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
jenneferbarbosa21
 
anatomia e fisiologia de peixes CRMVCP.
anatomia e fisiologia de peixes  CRMVCP.anatomia e fisiologia de peixes  CRMVCP.
anatomia e fisiologia de peixes CRMVCP.
FERNANDACAROLINEPONT
 
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
jenneferbarbosa21
 
Grupo_3-Como_o_conhecimento_cientifico_e_construido_e_divulgado.pptx ________...
Grupo_3-Como_o_conhecimento_cientifico_e_construido_e_divulgado.pptx ________...Grupo_3-Como_o_conhecimento_cientifico_e_construido_e_divulgado.pptx ________...
Grupo_3-Como_o_conhecimento_cientifico_e_construido_e_divulgado.pptx ________...
MelissaSouza39
 

Último (8)

MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptxMÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
 
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
 
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
 
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.pptAula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
 
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
 
anatomia e fisiologia de peixes CRMVCP.
anatomia e fisiologia de peixes  CRMVCP.anatomia e fisiologia de peixes  CRMVCP.
anatomia e fisiologia de peixes CRMVCP.
 
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
 
Grupo_3-Como_o_conhecimento_cientifico_e_construido_e_divulgado.pptx ________...
Grupo_3-Como_o_conhecimento_cientifico_e_construido_e_divulgado.pptx ________...Grupo_3-Como_o_conhecimento_cientifico_e_construido_e_divulgado.pptx ________...
Grupo_3-Como_o_conhecimento_cientifico_e_construido_e_divulgado.pptx ________...
 

Slide sobre fotores abioticos, bioticos e relacoes ecologicas

  • 2. Fatores Bióticos • Os fatores bióticos são o resultado da interação entre os seres vivos em uma determinada região, constituindo uma comunidade biológica ou biota, os seres vivos são os fatores bióticos.
  • 3.
  • 4. Fatores Abióticos • Os fatores abióticos são os elementos não vivos ( rio, pedra, areia,...) do ambiente que afetam os organismos vivos da biota. Esses elementos podem ser físicos ou químicos.
  • 5.
  • 6. Os fatores físicos • Constituem o clima do ecossistema, determinado principalmente pela radiação solar que chega à Terra. As radiações além de proporcionar a luz, que é fundamental para que ocorra fotossíntese (produção de alimento pelos organismos autótrofos), também influenciam na temperatura, que é uma condição ecológica decisiva para a vida na superfície terrestre. A temperatura influencia outros fatores climáticos tais como ventos, umidade relativa do ar e pluviosidade. • No caso do manguezal, a variação das marés é um fator que afeta bastante a vida dos organismos que existem ali. Na alta da maré os terrenos ficam alagados e com a maré mais baixa ficam expostos. As plantas que vivem aí tem as raízes adaptadas para se fixar bem ao terreno lamacento, são as raízes escoras que ficam expostas na maré baixa.
  • 7. Os fatores químicos • Alguns elementos químicos, como os sais minerais são nutrientes importantes e essenciais para garantir a sobrevivência dos organismos. Os fosfatos, o magnésio, o nitrogênio, o oxigênio, o carbono. • O manguezal é um ecossistema formado em locais onde há mistura de água doce com água salgada. A concentração dos sais varia nesses ambiente e é outro fator abiótico que influencia a vida da comunidade biótica.
  • 8.
  • 9. Responda: Na imagem você pode observar os fatores abiótico e bióticos. Agora responda: O que é biótico e abiótico na imagem?
  • 10.
  • 12.
  • 13. • O equilíbrio ecológico depende diretamente da interação, das trocas e das relações que os seres vivos estabelecem entre si e com o ambiente. • Os seres respiram, vivem sobre o solo ou na água, obtêm alimento, aquecem-se com o calor do Sol, abrigam-se, reproduzem-se, morrem, se decompõem etc. Nesses processos, o ar, o solo, a água e a luz solar interagem de forma intensa com as plantas, os animais e os demais seres vivos.
  • 14. Obtendo Energia para Viver • Todos os seres vivos precisam de energia para produzir as substâncias necessárias à manutenção da vida e à reprodução. Os seres vivos obtêm a energia basicamente de duas maneiras: Os clorofilados, através da energia do Sol, e os não-clorofilados, a partir da alimentação dos clorofilados
  • 15. Produtores • Como exemplos de produtores temos as plantas e as algas, seres clorofilados, que não se alimentam de outro ser vivo obtendo do Sol a sua energia de que necessita para a fotossíntese.
  • 16.
  • 17. consumidores • Nas cadeias alimentares encontramos animais que se alimentam de plantas: são chamados animais herbívoros. Outros animais comem os animais herbívoros: são os carnívoros. E ainda há carnívoros que comem outros carnívoros e animais que comem tanto as plantas quanto outros animais, sendo chamados de onívoros. Todos esses organismos que se alimentam de outros seres são chamados de consumidores.
  • 18. Para simplificar chamamos o primeiro consumidor da cadeia, isto é, os animais herbívoros, de consumidores primários ou consumidores de primeira ordem. Os animais que vêm logo em seguida são classificados como consumidores secundários. Os seguintes são consumidores terciários, quaternários e assim por diante. Podem existir consumidores de quinta ordem ou mais, mas as cadeias não vão muito além disso.
  • 19. A Reciclagem da Natureza: Os Decompositores • Papel, latas, garrafas, para fabricar esses e outros materiais o ser humano consome diversos produtos da natureza, como metais e árvores. À medida que a população aumenta, o consumo de matérias-primas também cresce, mais árvores são derrubadas, mais minerais são extraídos do solo, novas usinas de energia têm de ser construídas.
  • 20. • Nos ambientes naturais, ocorre um tipo de reciclagem feito por diversos organismos que se alimentam de plantas e animais mortos e também de fezes e urina. Os principais organismos que realizam esse trabalho são as bactérias e os fungos (ou cogumelos). São esses organismos que fazem uma fruta apodrecer, por exemplo. • Esses seres da mesma forma que os animais e as plantas precisam de energia para as suas atividades. A diferença, porém, é que seu alimento são "restos" de outros seres vivos.
  • 21.
  • 22. • A decomposição faz a matéria que é retirada do solo pelas plantas (e aproveitada em seu crescimento) voltar ao solo. Dizemos então que há um ciclo da matéria na natureza: a matéria passa do solo para os seres vivos e dos seres vivos para o solo.
  • 23. O pulmão do mundo? • Até pouco tempo, acreditava-se que a região amazônica era a grande responsável pela manutenção dos níveis de oxigênio da terra, sendo popularmente chamada de ‘pulmão da terra’. Porém, recentes pesquisas descobriram a existência de um novo “pulmão”: as algas marinhas. Apesar de se apresentar nas cores verdes, azuis, marrons, amarelas e vermelhas, todas as algas possuem clorofila e fazem fotossíntese. Como são muito numerosas, que se atribui a sua fotossíntese a maior parte de oxigênio existente no planeta.
  • 24.
  • 25. Todos os seres vivos respiram • É pela respiração que a energia do alimento é usada para as atividades do organismo. Veja um resumo da respiração: • glicose + oxigênio ----> gás carbônico + água + energia • A energia originada pela respiração será usada para a realização de todas as atividades dos seres vivos. Você, por exemplo, precisa de energia para crescer, andar, correr, falar, pensar e muito mais.
  • 26.
  • 27. A planta faz fotossíntese e também respira! • A respiração não é feita apenas pelos animais. Todos os seres vivos respiram, inclusive as plantas. Isso quer dizer que as plantas usam, na respiração, parte do alimento que fabricam na fotossíntese. Com isso conseguem energia para o crescimento da raiz, do caule, das folhas, etc. A outra parte da energia (da glicose) produzida pela planta na fotossíntese é armazenada em forma de amido servindo de reserva para a planta. A semente, por exemplo, irá crescer inicialmente com a energia dos açucares que ela armazena.
  • 28.
  • 29. Relações ecológicas • Em um ecossistema, os seres vivos relacionam-se com o ambiente físico e também entre si, formando o que chamamos de relações ecológicas.
  • 30.
  • 31. • São as interações que ocorrem dentro da mesma espécie (intraespecífica) ou entre espécies diferentes (interespecífica). Essas relações podem ser positivas, beneficiando uma ou ambas as espécies envolvidas (mutualismo, sociedades, entre outras), ou negativas, trazendo desvantagens para uma ou ambas as partes (parasitismo, predação, etc).
  • 32. Relações Harmônicas (relações positivas) • Intraespecífica (entre indivíduos da mesma espécie).
  • 33. Sociedade • União permanente entre indivíduos em que há divisão de trabalho. Ex.: insetos sociais (abelhas, formigas e cupins). • Portanto, uma sociedade é composta por um grupo de indivíduos da mesma espécie que vivem juntos de forma a permanente e cooperando entre si.
  • 34.
  • 35. Colônia • Associação anatômica formando uma unidade estrutural e funcional. Ex.: coral-cérebro, caravela. • Colônia é um grupo de organismos da mesma espécie que formam uma entidade diferente dos organismos individuais. Por vezes, alguns destes indivíduos especializam-se em determinadas funções necessárias à colônia.
  • 36.
  • 37. • Interespecífica (entre indivíduos de espécies diferentes)
  • 38. Mutualismo • Associação obrigatória entre indivíduos, em que ambos se beneficiam. Ex.: líquen, bois e microrganismos do sistema digestório. • Abelhas, beija-flores e borboletas são alguns animais que se alimentam do néctar das flores. O néctar é produzido na base das pétalas das flores e é um produto rico em açucares. Quando abelhas, borboletas e beija-flores colhem o néctar, grãos de pólen se depositam em seu corpo. O pólen contém células reprodutoras masculinas da planta. Pousando em outra flor, esses insetos deixam cair o pólen na parte feminina da planta.
  • 39.
  • 40. Comensalismo • Associação em que um indivíduo aproveita restos de alimentares do outro, sem prejudicá- lo. Ex.: Tubarão e Rêmoras, Leão e a Hiena, Urubu e o Homem.
  • 41.
  • 42. Protocooperação • Associação facultativa entre indivíduos, em que ambos se beneficiam. Ex.: Anêmona do Mar e paguro, gado e anum (limpeza dos carrapatos), crocodilo africano e ave palito (higiene bucal).
  • 43. Outro exemplo é do boi e do anum. Os bois e vacas são comumente atacados por parasitas externos (ectoparasitas), pequenos artrópodes conhecidos vulgarmente por carrapatos. E o anum tem como refeição predileta estes pequenos parasitas. A relação é benéfica para ambos (o boi se livra do parasita e o anum se alimenta).
  • 44. Canibalismo • Relação desarmônica em que um indivíduo mata outro da mesma espécie para se alimentar. Ex.: louva-a-Deus, aracnídeos, filhotes de tubarão no ventre materno.
  • 45. • Louva-a-deus é um artrópode da classe dos insetos. Este inseto é verde e recebe este nome por causa da posição de suas patas anteriores, juntas com tarsos dobrados, como se estivesse rezando. Neste grupo de insetos o canibalismo é muito comum, principalmente no que tange o processo reprodutivo. É hábito comum as fêmeas devorarem os machos numa luta que antecede a cópula.
  • 46.
  • 47. Amensalismo • Relação em que indivíduos de uma espécie produzem toxinas que inibem ou impedem o desenvolvimento de outras. Ex.: Maré vermelha, cobra (veneno) e homem, fungo penicillium (penicilina) e bactérias.
  • 48. • A Maré vermelha é a proliferação de algumas espécies de algas tóxicas. Muitas delas de cor avermelhada, e que geralmente ocorre ocasionalmente nos mares de todo o planeta. Encontramos essas plantas apenas no fundo do mar. Em situações como mudanças de temperatura, alteração na salinidade e despejo de esgoto nas águas do mar, elas se multiplicam e sobem à superfície, onde liberam toxinas que matam um grande número de peixes, mariscos e outros seres da fauna marinha.
  • 49.
  • 50. Sinfilia ou Esclavagismo • é um tipo de relação ecológica entre seres vivos onde um ser vivo se aproveita das atividades, do trabalho ou de produtos produzidos por outros seres vivos. • Indivíduos mantém em cativeiro indivíduos de outra espécie, para obter vantagens. Ex.: formigas e pulgões.
  • 51. • Os pulgões são parasitas de certos vegetais, e se alimentam da seiva elaborada que retiram dos vasos liberianos das plantas. A seiva elaborada é rica em açúcares e pobre em aminoácidos. Por absorverem muito açúcar, os pulgões eliminam o seu excesso pelo ânus. Esse açúcar eliminado é aproveitado pelas formigas, que chegam a acariciar com suas antenas o abdômen dos pulgões, fazendo-os eliminar mais açúcar.
  • 52.
  • 53. Predatismo • Relação em que um animal captura e mata indivíduos de outra espécie para se alimentar. Ex.: cobra e rato, homem e gado. • O predatismo é uma forma de controle biológico natural sobre a população da espécie da presa. Embora o predatismo seja desfavorável à presa como indivíduo, pode favorecer a sua população, evitando que ocorra aumento exagerado do número de indivíduos
  • 54.
  • 55. Parasitismo • Indivíduos de uma espécie vivem no corpo de outro, do qual retiram alimento. Ex.: Gado e carrapato, lombrigas e vermes parasitas do ser humano.
  • 56.
  • 57. Competição Interespecífica • Disputa por recursos escassos no ambiente entre indivíduos de espécies diferentes. Ex.: Peixe Piloto e Rêmora (por restos deixados pelo tubarão)