SlideShare uma empresa Scribd logo
Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais 
Instituto de Ciências Humanas 
Curso de Pedagogia 
Informática aplicada à Educação Infantil 
Bruna Raphaela 
Danielle de Souza 
Iara Quirino 
Luana Leonel 
Nadyr Cristina
A tecnologia não é nada sem um homem a operá-la. 
Não é a tecnologia a vilã. É o meio é a forma 
como ela é empregada, é a ausência de uma 
consciência crítica e ética sobre o seu uso. 
(Ney Mourão)
• As crianças hoje em dia com as novas tecnologias, 
tem outro jeito de brincar, construir, imaginar, sofrer 
com suas realidades infantis . Devido ao 
desenvolvimento, as tecnologias abrem um leque dos 
espaços , temporais onde são criados os mascotes 
virtuais.
Papert (1994) foi um dos 
pensadores, que comentou as 
varias formas pelas quais, a 
tecnologia pode modificar a 
aprendizagem. 
O mesmo, fez uma 
reconstrução teórica partindo do 
pressuposto do construtivismo de 
Piaget que aborda meios onde o 
aprendiz constrói o conhecimento 
por meio do computador. 
Papert, defende o 
aprendizado através do “colocar a 
mão na massa” ou seja é preciso 
utilizar a maquina como 
ferramenta de aprendizagem.
• Foi o criador da linguagem de 
programação LOGO. 
O termo é grego e significa 
pensamento,ciência,raciocínio e 
linguagem. 
 A linguagem LOGO vem da família do LISP 
que é uma Programação criada para 
facilitar o processamento simbólico reunido 
em listas. 
 Sua vantagem é a facilitação da sintaxe e 
possui uma estrutura amigável , além de 
ser considerada uma filosofia de trabalho.
• O termo LOGO significa pensamento, ciência, 
raciocínio, cálculo, ou ainda, razão, linguagem, 
discurso, palavra 
• Essa linguagem propõe: 
 Uma metodologia que facilita a comunicação entre o 
usuário e o computador 
 Proporcionam a criação de modelos como formas 
geométricas e raciocínio lógico. 
 Permite que o aluno seja um ativo construtor de seus 
conhecimentos, sendo mediados pelo professor que 
é um conhecedor de linguagem.
• O ambiente Logo tradicional envolve uma tartaruga gráfica, um robô pronto 
para responder aos comandos do usuário. 
• Uma vez que a linguagem é interpretada e interativa, o resultado é 
mostrado imediatamente após digitar-se o comando incentivando o 
aprendizado. 
• Quando o aluno comete algo não esperado a autora chama de “erro” ele 
mesmo, é levado a refletir sobre as novas resoluções de problemas, ou seja 
busca novos meios para se corrigir através da investigação, estratégias e 
exploração das aprendizagens descobertas.
 O aprendiz usa o computador como ferramenta onde ele manipula 
e adquire o conhecimento. 
 Com essa interação (computador/aluno) o aprendiz é capaz de 
criar uma manipulação e uma programação da maquina. 
 É importante que o papel do professor/educador seja forte nessa 
interação entre o aluno/maquina. 
 É através dessa 
interação com o docente 
que as crianças, 
enriquece o ambiente e 
provoca as situações que 
possam desenvolver 
novas descobertas ao 
invés de somente 
assimilar conhecimentos 
prontos e memorizados.
• O trabalho com o computador engaja ativamente os alunos no 
processo ensino-aprendizagem. 
 Para utilizar as tecnologias da informação e a linguagem digital 
na Educação Infantil, é preciso que haja uma nova leitura dos 
processos de comunicação e educação numa sociedade em 
rede, onde a educação respeite cada etapa de desenvolvimento 
da criança,e tenha consciência dos softwares adotados para as 
propostas de trabalho.
• O computador e as novas tecnologias um desafios para os 
educadores gerenciar o processo de aprendizado com tanta 
informação circulando na sociedade. 
• O educador tem como ponto principal de pensar a criança 
como o individuo como ser ativo, construto de suas próprias 
estruturas intelectuais.
• O educador tem como ponto principal de pensar a criança como 
o individuo como ser ativo, construto de suas próprias estruturas 
intelectuais. 
• Transformação do: 
Pensamento linear----Pensamento Hipertextual 
Permitindo: 
Que a criança domine a maquina e não o inverso
•Nascida no século XXI para elas lidar com o computador é 
uma característica Natural e como uma atividade lúdica, 
sendo que o mesmo está presente nos lares, empregos, 
restaurantes, lojas escolas e outros lugares. 
•Atividades usada na linguagem digital e que pode ser 
explorada e preparada para o educador: 
Gravar sons digitalizados 
Ouvir historias multimídias 
Utilizar imagens/fotos digitalizadas 
Assistir a DVD e outros
• Neste ciclo, percebe-se um aumento das possibilidades de uso 
do computador e outros artefatos tecnológicos pelos aprendizes. 
• A escola deve ter programas adequados a faixa etária e com 
proposta pedagógicas e metodológica e não apenas colocar 
computadores nas escolas. 
• Educadores preparados e que sejam capazes de entender e usar 
a tecnologia a favor do aprendizado. 
• Softwares educativos que passe por uma avaliação a fim de 
certificar se realmente é um programa que promove e amplia o 
aprendizado de acordo com a concepção adotada pela 
instituição.
Os softwares educativos podem ser classificados em 
algumas categorias de acordo com seus objetivos 
pedagógicos: 
Tutoriais: 
Programação: 
Aplicativos: 
Exercícios e praticas: 
Multimídias e internet: 
Simulação e 
modelagem: 
Jogos:
“Adotar um software educativos na escola não 
é simplesmente colocar os alunos na frente 
do computador e deixa-los navegar e 
entreter-se com o que se passa na tela”.
O que é Projeto? 
• Característica do ser humano que distingue dos demais seres 
vivos... 
• Segundo Boutinet: A idéia de projeto é inesperável da visão e do 
sentido da ação; 
• Supõe que ninguém aja sem projeto e ninguém deixe de ter 
projeto;
PROJETO: Construção própria do ser 
humano, se firma através de uma descrição 
inicial de um conjunto de atividades, as quais 
podem resolver ou avançar na compreensão 
de um determinado assunto.
Para que criar um Projeto? 
O ser humano cria um projeto afim de transformar uma 
situação problemática em algo que possa buscar uma possível 
solução. Na realização de ações para alcançar um resultado 
desejado: 
 Pode haver imprevistos; 
 Necessidade de mudanças; 
 Ideais de previsão de futuro; 
 Autonomia na tomada de decisões;
Projeto da Escola: 
• Compreende um conjunto de situações de ensino/aprendizagem 
contextualizados; 
• Envolvimento de alunos e professores; 
• De acordo com Almeida e Junior Fonseca:Deve ter coragem de romper 
com as limitações do cotidiano, muito delas autoimpostas; 
• Para Freire e Prado:É delinear um percurso possível que pode levar a 
outros, não imaginados a priori; 
• Para Gadotti e Romão:Supõe rupturas com o presente e promessas para 
o futuro; 
• Para Santos, Akiko:Método de Projetos: Visão inter/ transdisciplinar para 
quem pretende praticar em sala de aula projetos;
Projetos Interdisciplinares: 
• Segundo o autor Jurjo Torres Santomé, da universidade de La 
Coruña, relata que a interdisciplinaridade dá significado ao 
conteúdo escolar; 
• Paulo Freire, afirma que "tanto educadores quanto educandos 
envoltos numa pesquisa não serão mais os mesmos. Os 
resultados devem implicar mais qualidade de vida, devem ser 
indicativos de mais cidadania, de mais participação nas decisões 
da vida cotidiana e da vida social. Devem, emfim, alimentar o 
sonho possível e a utopia necessária para uma nova lógica de 
vida";
• Para Fazenda, a interdisciplinaridade, refere-se à busca de um 
novo olhar para o velho, realizando mudanças sempre que 
necessárias, para alcançar resultados favoráveis tendo em vista 
um futuro bom, promissor; 
• Projeto é para ser vivenciado e não ensinado; 
• Para uma efetiva interdisciplinaridade, é necessário ações de 
diálogos com as demais disciplinas, cada uma com sua maneira 
de olhar um determinado conhecimento o que fortalece os laços 
com a prática pedagógica: cada uma com sua identidade; 
Compartilhando informações e reflexões face a um Projeto cada 
membro se torna autor e ator do processo.
• A linguagem digital na sociedade atual; 
• História da evolução da linguagem da sociedade e da 
educação; 
• E as tecnologias? O que são? Como surgiram? 
• Em certa turma, responderam: "É tudo que o homem utiliza para 
facilitar sua vida, resolver problemas." 
• "Uso de instrumentos para solucionar problemas." 
• "Uma necessidade, avanço para o conhecimento."
• Muitas discussões aconteceram no Instituto Izabela Hendrix, sobre a capacitação de 
professores para utilizar computadores e as linguagem digital. Houve também 
discussões do porque de não existir computadores e laboratórios em creches e 
UMEI´S; 
• Assim, educadores perceberam que a linguagem digital deve ser trabalhada não 
somente com o uso de computadores; Deve inovar suas aulas sempre que a 
realidade for outra; 
• Para Libâneo (2005): O currículo possui referência de poder, isto é relaciona-se com 
classe, etnia e gênero; Diante às Proposições Curriculares da Prefeitura de Belo 
Horizonte, destaca-se que a inclusão para beneficiar alunos da Educação Infantil à 
linguagem digital vem sendo de fato aplicada possibilitando aos educandos 
autonomia, acesso e interação com esse instrumento para ampliar seus 
conhecimentos.
• Letramento Digital: Mediante a Sociedade do Conhecimento, é 
um recurso para que os educadores façam parte de uma 
condição a qual possam adquirir e se apropriarem da nova 
tecnologia digital e assim, praticar ações práticas de leitura e 
escrita na tela, como afirma Magda Soares; 
• Aprender junto à Tecnologia é preciso = Educar e reeducar; 
• Criação de um blog: Uma vez avançado os módulos e estudos 
sobre a importância das tecnologias digitais, criou-se um blog, 
para expor conhecimentos sobre a tecnologia sempre com 
enfoque de sua importância desde a Educação Infantil;
CONCLUSÃO 
O uso das tecnologias digitais aplicadas à Educação, é pois 
um importante instrumento de inovação. Cabe às escolas e 
profissionais envolvidos, fazerem um bom uso das mesmas para 
assim acrescentar, ampliar o conhecimento de mundo dos 
educandos ainda que muitos já estejam inseridos nesse meio: 
nativos digitais. A formação hoje está interligada à utilização 
dessas tecnologias. Negá-las, pode ser hoje, impedir um novo 
conhecimento. Com a era digital, surgiram novas formas de 
comunicação: linguagem digital. Mas esta, quando bem 
trabalhada, é uma rica ferramenta que auxilia em habilidades 
necessárias para a construção de um projeto, na aquisição de 
novos conhecimentos, etc. As tecnologias digitais são uma aliada 
para o ensino-aprendizado se usada de forma saudável. 
Professores capacitados, ações práticas pedagógicas, 
adequações necessárias da realidade escolar podem garantir 
resultados satisfatórios no âmbito do conhecimento dos 
educandos. Assim, " A verdadeira habilidade competitiva é a 
habilidade de aprender" (PAPERT).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Projeto politico pedagogico
Projeto politico pedagogicoProjeto politico pedagogico
Projeto politico pedagogico
labteotonio
 
Avaliação institucional
Avaliação institucionalAvaliação institucional
Avaliação institucional
Rosemary Batista
 
As novas tecnologias no Contexto da Língua Portuguesa
As novas tecnologias no Contexto da Língua PortuguesaAs novas tecnologias no Contexto da Língua Portuguesa
As novas tecnologias no Contexto da Língua Portuguesa
Universidade de Santiago de Compostela
 
Slide inclusão
Slide inclusãoSlide inclusão
Slide inclusão
geanilha
 
BNCC - LINGUAGENS
BNCC - LINGUAGENSBNCC - LINGUAGENS
BNCC - LINGUAGENS
Sandra Lourenco
 
Palestra: A leitura e suas práticas
Palestra: A leitura e suas práticasPalestra: A leitura e suas práticas
Palestra: A leitura e suas práticas
Luiz Agner
 
Projeto político pedagógico
Projeto político pedagógicoProjeto político pedagógico
Projeto político pedagógico
Fellipe Martins
 
Aula 01 tics - tecnologia da informacao e comunicacao final
Aula 01   tics - tecnologia da informacao e comunicacao finalAula 01   tics - tecnologia da informacao e comunicacao final
Aula 01 tics - tecnologia da informacao e comunicacao final
Gilberto Campos
 
Repertório
RepertórioRepertório
Repertório
Rayane Roale
 
O uso do celular em sala de aula
O uso do celular em sala de aulaO uso do celular em sala de aula
O uso do celular em sala de aula
GuilhermeOliveira740
 
Uso das TICs em sala de aula
Uso das TICs em sala de aulaUso das TICs em sala de aula
Uso das TICs em sala de aula
ericaperoni
 
Educação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultosEducação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultos
Linda-maria12
 
Linguística i saussure
Linguística i  saussureLinguística i  saussure
Linguística i saussure
Guida Gava
 
Linguagem comunicação e interação
Linguagem comunicação e interaçãoLinguagem comunicação e interação
Linguagem comunicação e interação
Margarete Nogueira
 
Processos De Produção Textual
Processos De Produção TextualProcessos De Produção Textual
Processos De Produção Textual
Luciane Oliveira
 
Projeto de Literatura e Redação
Projeto de Literatura e RedaçãoProjeto de Literatura e Redação
Projeto de Literatura e Redação
Maria Inês de Souza Vitorino Justino
 
Organização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógicoOrganização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógico
Renata Peruce
 
Trabalho Colaborativo
Trabalho ColaborativoTrabalho Colaborativo
Trabalho Colaborativo
Márcia Castilho de Sales
 
9.A construção do projeto político pedagógico da escola como prática de gestã...
9.A construção do projeto político pedagógico da escola como prática de gestã...9.A construção do projeto político pedagógico da escola como prática de gestã...
9.A construção do projeto político pedagógico da escola como prática de gestã...
Paulo Lima
 
Metodologias ativas
Metodologias ativas Metodologias ativas

Mais procurados (20)

Projeto politico pedagogico
Projeto politico pedagogicoProjeto politico pedagogico
Projeto politico pedagogico
 
Avaliação institucional
Avaliação institucionalAvaliação institucional
Avaliação institucional
 
As novas tecnologias no Contexto da Língua Portuguesa
As novas tecnologias no Contexto da Língua PortuguesaAs novas tecnologias no Contexto da Língua Portuguesa
As novas tecnologias no Contexto da Língua Portuguesa
 
Slide inclusão
Slide inclusãoSlide inclusão
Slide inclusão
 
BNCC - LINGUAGENS
BNCC - LINGUAGENSBNCC - LINGUAGENS
BNCC - LINGUAGENS
 
Palestra: A leitura e suas práticas
Palestra: A leitura e suas práticasPalestra: A leitura e suas práticas
Palestra: A leitura e suas práticas
 
Projeto político pedagógico
Projeto político pedagógicoProjeto político pedagógico
Projeto político pedagógico
 
Aula 01 tics - tecnologia da informacao e comunicacao final
Aula 01   tics - tecnologia da informacao e comunicacao finalAula 01   tics - tecnologia da informacao e comunicacao final
Aula 01 tics - tecnologia da informacao e comunicacao final
 
Repertório
RepertórioRepertório
Repertório
 
O uso do celular em sala de aula
O uso do celular em sala de aulaO uso do celular em sala de aula
O uso do celular em sala de aula
 
Uso das TICs em sala de aula
Uso das TICs em sala de aulaUso das TICs em sala de aula
Uso das TICs em sala de aula
 
Educação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultosEducação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultos
 
Linguística i saussure
Linguística i  saussureLinguística i  saussure
Linguística i saussure
 
Linguagem comunicação e interação
Linguagem comunicação e interaçãoLinguagem comunicação e interação
Linguagem comunicação e interação
 
Processos De Produção Textual
Processos De Produção TextualProcessos De Produção Textual
Processos De Produção Textual
 
Projeto de Literatura e Redação
Projeto de Literatura e RedaçãoProjeto de Literatura e Redação
Projeto de Literatura e Redação
 
Organização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógicoOrganização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógico
 
Trabalho Colaborativo
Trabalho ColaborativoTrabalho Colaborativo
Trabalho Colaborativo
 
9.A construção do projeto político pedagógico da escola como prática de gestã...
9.A construção do projeto político pedagógico da escola como prática de gestã...9.A construção do projeto político pedagógico da escola como prática de gestã...
9.A construção do projeto político pedagógico da escola como prática de gestã...
 
Metodologias ativas
Metodologias ativas Metodologias ativas
Metodologias ativas
 

Destaque

Linguagem digital
Linguagem digitalLinguagem digital
Linguagem digital
Alessandra Temponi
 
Linguagem Digital
Linguagem DigitalLinguagem Digital
Linguagem Digital
Letícia Cristina
 
Escrita digital - sua constituição e genealogia
Escrita digital - sua constituição e genealogiaEscrita digital - sua constituição e genealogia
Escrita digital - sua constituição e genealogia
Bia Martins
 
Fundamentos da Linguagem Digital - Módulo 01
Fundamentos da Linguagem Digital - Módulo 01Fundamentos da Linguagem Digital - Módulo 01
Fundamentos da Linguagem Digital - Módulo 01
midiasdigitais
 
Linguagem Digital
Linguagem DigitalLinguagem Digital
Linguagem Digital
Luúh Reis
 
Linguagem digital
Linguagem digitalLinguagem digital
Linguagem digital
Elisa Dias Vieira
 
Linguagem Humana E Linguagem Animal
Linguagem Humana E Linguagem AnimalLinguagem Humana E Linguagem Animal
Linguagem Humana E Linguagem Animal
micaze1976
 
Linguagem Digital
Linguagem DigitalLinguagem Digital
Linguagem Digital
tdouglaslaia
 
Linguagens digitais
Linguagens digitaisLinguagens digitais
Linguagens digitais
Gabriel_Pereira
 
Linguagem digital
Linguagem digitalLinguagem digital
Linguagem digital
Gizelia Alves
 
Linguagem e tecnologia
Linguagem e tecnologiaLinguagem e tecnologia
Linguagem e tecnologia
Miquéias Vitorino
 
Linguagem verbal e não verbal, sincrética com imagens e mensagens subliminares
Linguagem verbal e não verbal, sincrética com imagens e mensagens subliminaresLinguagem verbal e não verbal, sincrética com imagens e mensagens subliminares
Linguagem verbal e não verbal, sincrética com imagens e mensagens subliminares
Joyce de Oliveira
 
Linguagem digital e analógica e os aspectos do comportamento humano
Linguagem digital e analógica e os aspectos do comportamento humanoLinguagem digital e analógica e os aspectos do comportamento humano
Linguagem digital e analógica e os aspectos do comportamento humano
Tiago Rebouças
 
Proposições Curriculares da PBH - Linguagem Digital
Proposições Curriculares da PBH - Linguagem DigitalProposições Curriculares da PBH - Linguagem Digital
Proposições Curriculares da PBH - Linguagem Digital
carolrausch
 
Reflexões pnep
Reflexões pnepReflexões pnep
Reflexões pnep
mtpcv030155
 
Fundamentos da Comunicação Digital
Fundamentos da Comunicação DigitalFundamentos da Comunicação Digital
Fundamentos da Comunicação Digital
trasel
 
Historia, Fundamentos E Tendencias Da Comunicacao Digital Professor Flavio ...
Historia, Fundamentos E Tendencias Da Comunicacao Digital   Professor Flavio ...Historia, Fundamentos E Tendencias Da Comunicacao Digital   Professor Flavio ...
Historia, Fundamentos E Tendencias Da Comunicacao Digital Professor Flavio ...
flaviohorta
 
Arte
ArteArte
Fotografia
FotografiaFotografia
Fotografia
ntheeducinfantil
 
Ferramentas Digitais
Ferramentas DigitaisFerramentas Digitais
Ferramentas Digitais
Celso Derisso
 

Destaque (20)

Linguagem digital
Linguagem digitalLinguagem digital
Linguagem digital
 
Linguagem Digital
Linguagem DigitalLinguagem Digital
Linguagem Digital
 
Escrita digital - sua constituição e genealogia
Escrita digital - sua constituição e genealogiaEscrita digital - sua constituição e genealogia
Escrita digital - sua constituição e genealogia
 
Fundamentos da Linguagem Digital - Módulo 01
Fundamentos da Linguagem Digital - Módulo 01Fundamentos da Linguagem Digital - Módulo 01
Fundamentos da Linguagem Digital - Módulo 01
 
Linguagem Digital
Linguagem DigitalLinguagem Digital
Linguagem Digital
 
Linguagem digital
Linguagem digitalLinguagem digital
Linguagem digital
 
Linguagem Humana E Linguagem Animal
Linguagem Humana E Linguagem AnimalLinguagem Humana E Linguagem Animal
Linguagem Humana E Linguagem Animal
 
Linguagem Digital
Linguagem DigitalLinguagem Digital
Linguagem Digital
 
Linguagens digitais
Linguagens digitaisLinguagens digitais
Linguagens digitais
 
Linguagem digital
Linguagem digitalLinguagem digital
Linguagem digital
 
Linguagem e tecnologia
Linguagem e tecnologiaLinguagem e tecnologia
Linguagem e tecnologia
 
Linguagem verbal e não verbal, sincrética com imagens e mensagens subliminares
Linguagem verbal e não verbal, sincrética com imagens e mensagens subliminaresLinguagem verbal e não verbal, sincrética com imagens e mensagens subliminares
Linguagem verbal e não verbal, sincrética com imagens e mensagens subliminares
 
Linguagem digital e analógica e os aspectos do comportamento humano
Linguagem digital e analógica e os aspectos do comportamento humanoLinguagem digital e analógica e os aspectos do comportamento humano
Linguagem digital e analógica e os aspectos do comportamento humano
 
Proposições Curriculares da PBH - Linguagem Digital
Proposições Curriculares da PBH - Linguagem DigitalProposições Curriculares da PBH - Linguagem Digital
Proposições Curriculares da PBH - Linguagem Digital
 
Reflexões pnep
Reflexões pnepReflexões pnep
Reflexões pnep
 
Fundamentos da Comunicação Digital
Fundamentos da Comunicação DigitalFundamentos da Comunicação Digital
Fundamentos da Comunicação Digital
 
Historia, Fundamentos E Tendencias Da Comunicacao Digital Professor Flavio ...
Historia, Fundamentos E Tendencias Da Comunicacao Digital   Professor Flavio ...Historia, Fundamentos E Tendencias Da Comunicacao Digital   Professor Flavio ...
Historia, Fundamentos E Tendencias Da Comunicacao Digital Professor Flavio ...
 
Arte
ArteArte
Arte
 
Fotografia
FotografiaFotografia
Fotografia
 
Ferramentas Digitais
Ferramentas DigitaisFerramentas Digitais
Ferramentas Digitais
 

Semelhante a Linguagem Digital

linguagem digital
linguagem digitallinguagem digital
linguagem digital
menezesiara
 
Linguagem Digital (Ana Flávia Colen Castelo Borges)
Linguagem Digital  (Ana Flávia Colen Castelo Borges)Linguagem Digital  (Ana Flávia Colen Castelo Borges)
Linguagem Digital (Ana Flávia Colen Castelo Borges)
Luúh Reis
 
Proposições educação infantil
Proposições educação infantilProposições educação infantil
Proposições educação infantil
Cintia Resende
 
Trabalhoinformtica 140915075942-phpapp02
Trabalhoinformtica 140915075942-phpapp02Trabalhoinformtica 140915075942-phpapp02
Trabalhoinformtica 140915075942-phpapp02
Samuel Vinícius
 
Informática aplicada à Educação
Informática aplicada à Educação Informática aplicada à Educação
Informática aplicada à Educação
Samuel Vinícius
 
Trabalho informática
Trabalho informáticaTrabalho informática
Trabalho informática
Andrezza Fantauzzi
 
Trabalho informática
 Trabalho informática Trabalho informática
Trabalho informática
dezzaf
 
Restinga Sêca - Naila Cohen Pomnitz
Restinga Sêca - Naila Cohen PomnitzRestinga Sêca - Naila Cohen Pomnitz
Restinga Sêca - Naila Cohen Pomnitz
CursoTICs
 
Atividade3nathanaisabeladesouzafaria
Atividade3nathanaisabeladesouzafariaAtividade3nathanaisabeladesouzafaria
Atividade3nathanaisabeladesouzafaria
nathanarossim
 
Tecnologias trazem o mundo para a escola entrevista-beth almeida
Tecnologias trazem o mundo para a escola entrevista-beth almeidaTecnologias trazem o mundo para a escola entrevista-beth almeida
Tecnologias trazem o mundo para a escola entrevista-beth almeida
Francismar Lopes
 
Tecnologias e Educação Infantil
Tecnologias e Educação InfantilTecnologias e Educação Infantil
Tecnologias e Educação Infantil
Vera Zacharias
 
Mídias sociais e educação PERSPECTIVAS CAPACITAÇÃO E FERRAMENTAS
Mídias sociais e educação PERSPECTIVAS CAPACITAÇÃO E FERRAMENTASMídias sociais e educação PERSPECTIVAS CAPACITAÇÃO E FERRAMENTAS
Mídias sociais e educação PERSPECTIVAS CAPACITAÇÃO E FERRAMENTAS
João de Deus Dias Neto
 
Atividsete[1]
Atividsete[1]Atividsete[1]
Atividsete[1]
K'cio Almeida
 
O poder da comunicação
O poder da comunicaçãoO poder da comunicação
O poder da comunicação
sergiosantos2010
 
Slide projeto
Slide projetoSlide projeto
Slide projeto
sergiosantos2010
 
Seminario
SeminarioSeminario
Seminario
guesta4b8cfb
 
Seminario
SeminarioSeminario
Seminario
guesta4b8cfb
 
Educação e Tecnologia: computadores para educar
Educação e Tecnologia: computadores para educarEducação e Tecnologia: computadores para educar
Educação e Tecnologia: computadores para educar
diasyasmin
 
Educação e tecnologia
Educação e tecnologiaEducação e tecnologia
Educação e tecnologia
2801992
 
Novas Tecnologias
Novas TecnologiasNovas Tecnologias
Novas Tecnologias
guest68fe8c6
 

Semelhante a Linguagem Digital (20)

linguagem digital
linguagem digitallinguagem digital
linguagem digital
 
Linguagem Digital (Ana Flávia Colen Castelo Borges)
Linguagem Digital  (Ana Flávia Colen Castelo Borges)Linguagem Digital  (Ana Flávia Colen Castelo Borges)
Linguagem Digital (Ana Flávia Colen Castelo Borges)
 
Proposições educação infantil
Proposições educação infantilProposições educação infantil
Proposições educação infantil
 
Trabalhoinformtica 140915075942-phpapp02
Trabalhoinformtica 140915075942-phpapp02Trabalhoinformtica 140915075942-phpapp02
Trabalhoinformtica 140915075942-phpapp02
 
Informática aplicada à Educação
Informática aplicada à Educação Informática aplicada à Educação
Informática aplicada à Educação
 
Trabalho informática
Trabalho informáticaTrabalho informática
Trabalho informática
 
Trabalho informática
 Trabalho informática Trabalho informática
Trabalho informática
 
Restinga Sêca - Naila Cohen Pomnitz
Restinga Sêca - Naila Cohen PomnitzRestinga Sêca - Naila Cohen Pomnitz
Restinga Sêca - Naila Cohen Pomnitz
 
Atividade3nathanaisabeladesouzafaria
Atividade3nathanaisabeladesouzafariaAtividade3nathanaisabeladesouzafaria
Atividade3nathanaisabeladesouzafaria
 
Tecnologias trazem o mundo para a escola entrevista-beth almeida
Tecnologias trazem o mundo para a escola entrevista-beth almeidaTecnologias trazem o mundo para a escola entrevista-beth almeida
Tecnologias trazem o mundo para a escola entrevista-beth almeida
 
Tecnologias e Educação Infantil
Tecnologias e Educação InfantilTecnologias e Educação Infantil
Tecnologias e Educação Infantil
 
Mídias sociais e educação PERSPECTIVAS CAPACITAÇÃO E FERRAMENTAS
Mídias sociais e educação PERSPECTIVAS CAPACITAÇÃO E FERRAMENTASMídias sociais e educação PERSPECTIVAS CAPACITAÇÃO E FERRAMENTAS
Mídias sociais e educação PERSPECTIVAS CAPACITAÇÃO E FERRAMENTAS
 
Atividsete[1]
Atividsete[1]Atividsete[1]
Atividsete[1]
 
O poder da comunicação
O poder da comunicaçãoO poder da comunicação
O poder da comunicação
 
Slide projeto
Slide projetoSlide projeto
Slide projeto
 
Seminario
SeminarioSeminario
Seminario
 
Seminario
SeminarioSeminario
Seminario
 
Educação e Tecnologia: computadores para educar
Educação e Tecnologia: computadores para educarEducação e Tecnologia: computadores para educar
Educação e Tecnologia: computadores para educar
 
Educação e tecnologia
Educação e tecnologiaEducação e tecnologia
Educação e tecnologia
 
Novas Tecnologias
Novas TecnologiasNovas Tecnologias
Novas Tecnologias
 

Último

slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Pedro Luis Moraes
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
karinenobre2033
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 

Último (20)

slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 

Linguagem Digital

  • 1. Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais Instituto de Ciências Humanas Curso de Pedagogia Informática aplicada à Educação Infantil Bruna Raphaela Danielle de Souza Iara Quirino Luana Leonel Nadyr Cristina
  • 2. A tecnologia não é nada sem um homem a operá-la. Não é a tecnologia a vilã. É o meio é a forma como ela é empregada, é a ausência de uma consciência crítica e ética sobre o seu uso. (Ney Mourão)
  • 3. • As crianças hoje em dia com as novas tecnologias, tem outro jeito de brincar, construir, imaginar, sofrer com suas realidades infantis . Devido ao desenvolvimento, as tecnologias abrem um leque dos espaços , temporais onde são criados os mascotes virtuais.
  • 4. Papert (1994) foi um dos pensadores, que comentou as varias formas pelas quais, a tecnologia pode modificar a aprendizagem. O mesmo, fez uma reconstrução teórica partindo do pressuposto do construtivismo de Piaget que aborda meios onde o aprendiz constrói o conhecimento por meio do computador. Papert, defende o aprendizado através do “colocar a mão na massa” ou seja é preciso utilizar a maquina como ferramenta de aprendizagem.
  • 5. • Foi o criador da linguagem de programação LOGO. O termo é grego e significa pensamento,ciência,raciocínio e linguagem.  A linguagem LOGO vem da família do LISP que é uma Programação criada para facilitar o processamento simbólico reunido em listas.  Sua vantagem é a facilitação da sintaxe e possui uma estrutura amigável , além de ser considerada uma filosofia de trabalho.
  • 6. • O termo LOGO significa pensamento, ciência, raciocínio, cálculo, ou ainda, razão, linguagem, discurso, palavra • Essa linguagem propõe:  Uma metodologia que facilita a comunicação entre o usuário e o computador  Proporcionam a criação de modelos como formas geométricas e raciocínio lógico.  Permite que o aluno seja um ativo construtor de seus conhecimentos, sendo mediados pelo professor que é um conhecedor de linguagem.
  • 7. • O ambiente Logo tradicional envolve uma tartaruga gráfica, um robô pronto para responder aos comandos do usuário. • Uma vez que a linguagem é interpretada e interativa, o resultado é mostrado imediatamente após digitar-se o comando incentivando o aprendizado. • Quando o aluno comete algo não esperado a autora chama de “erro” ele mesmo, é levado a refletir sobre as novas resoluções de problemas, ou seja busca novos meios para se corrigir através da investigação, estratégias e exploração das aprendizagens descobertas.
  • 8.  O aprendiz usa o computador como ferramenta onde ele manipula e adquire o conhecimento.  Com essa interação (computador/aluno) o aprendiz é capaz de criar uma manipulação e uma programação da maquina.  É importante que o papel do professor/educador seja forte nessa interação entre o aluno/maquina.  É através dessa interação com o docente que as crianças, enriquece o ambiente e provoca as situações que possam desenvolver novas descobertas ao invés de somente assimilar conhecimentos prontos e memorizados.
  • 9. • O trabalho com o computador engaja ativamente os alunos no processo ensino-aprendizagem.  Para utilizar as tecnologias da informação e a linguagem digital na Educação Infantil, é preciso que haja uma nova leitura dos processos de comunicação e educação numa sociedade em rede, onde a educação respeite cada etapa de desenvolvimento da criança,e tenha consciência dos softwares adotados para as propostas de trabalho.
  • 10.
  • 11. • O computador e as novas tecnologias um desafios para os educadores gerenciar o processo de aprendizado com tanta informação circulando na sociedade. • O educador tem como ponto principal de pensar a criança como o individuo como ser ativo, construto de suas próprias estruturas intelectuais.
  • 12. • O educador tem como ponto principal de pensar a criança como o individuo como ser ativo, construto de suas próprias estruturas intelectuais. • Transformação do: Pensamento linear----Pensamento Hipertextual Permitindo: Que a criança domine a maquina e não o inverso
  • 13. •Nascida no século XXI para elas lidar com o computador é uma característica Natural e como uma atividade lúdica, sendo que o mesmo está presente nos lares, empregos, restaurantes, lojas escolas e outros lugares. •Atividades usada na linguagem digital e que pode ser explorada e preparada para o educador: Gravar sons digitalizados Ouvir historias multimídias Utilizar imagens/fotos digitalizadas Assistir a DVD e outros
  • 14. • Neste ciclo, percebe-se um aumento das possibilidades de uso do computador e outros artefatos tecnológicos pelos aprendizes. • A escola deve ter programas adequados a faixa etária e com proposta pedagógicas e metodológica e não apenas colocar computadores nas escolas. • Educadores preparados e que sejam capazes de entender e usar a tecnologia a favor do aprendizado. • Softwares educativos que passe por uma avaliação a fim de certificar se realmente é um programa que promove e amplia o aprendizado de acordo com a concepção adotada pela instituição.
  • 15. Os softwares educativos podem ser classificados em algumas categorias de acordo com seus objetivos pedagógicos: Tutoriais: Programação: Aplicativos: Exercícios e praticas: Multimídias e internet: Simulação e modelagem: Jogos:
  • 16. “Adotar um software educativos na escola não é simplesmente colocar os alunos na frente do computador e deixa-los navegar e entreter-se com o que se passa na tela”.
  • 17.
  • 18. O que é Projeto? • Característica do ser humano que distingue dos demais seres vivos... • Segundo Boutinet: A idéia de projeto é inesperável da visão e do sentido da ação; • Supõe que ninguém aja sem projeto e ninguém deixe de ter projeto;
  • 19. PROJETO: Construção própria do ser humano, se firma através de uma descrição inicial de um conjunto de atividades, as quais podem resolver ou avançar na compreensão de um determinado assunto.
  • 20. Para que criar um Projeto? O ser humano cria um projeto afim de transformar uma situação problemática em algo que possa buscar uma possível solução. Na realização de ações para alcançar um resultado desejado:  Pode haver imprevistos;  Necessidade de mudanças;  Ideais de previsão de futuro;  Autonomia na tomada de decisões;
  • 21. Projeto da Escola: • Compreende um conjunto de situações de ensino/aprendizagem contextualizados; • Envolvimento de alunos e professores; • De acordo com Almeida e Junior Fonseca:Deve ter coragem de romper com as limitações do cotidiano, muito delas autoimpostas; • Para Freire e Prado:É delinear um percurso possível que pode levar a outros, não imaginados a priori; • Para Gadotti e Romão:Supõe rupturas com o presente e promessas para o futuro; • Para Santos, Akiko:Método de Projetos: Visão inter/ transdisciplinar para quem pretende praticar em sala de aula projetos;
  • 22. Projetos Interdisciplinares: • Segundo o autor Jurjo Torres Santomé, da universidade de La Coruña, relata que a interdisciplinaridade dá significado ao conteúdo escolar; • Paulo Freire, afirma que "tanto educadores quanto educandos envoltos numa pesquisa não serão mais os mesmos. Os resultados devem implicar mais qualidade de vida, devem ser indicativos de mais cidadania, de mais participação nas decisões da vida cotidiana e da vida social. Devem, emfim, alimentar o sonho possível e a utopia necessária para uma nova lógica de vida";
  • 23. • Para Fazenda, a interdisciplinaridade, refere-se à busca de um novo olhar para o velho, realizando mudanças sempre que necessárias, para alcançar resultados favoráveis tendo em vista um futuro bom, promissor; • Projeto é para ser vivenciado e não ensinado; • Para uma efetiva interdisciplinaridade, é necessário ações de diálogos com as demais disciplinas, cada uma com sua maneira de olhar um determinado conhecimento o que fortalece os laços com a prática pedagógica: cada uma com sua identidade; Compartilhando informações e reflexões face a um Projeto cada membro se torna autor e ator do processo.
  • 24. • A linguagem digital na sociedade atual; • História da evolução da linguagem da sociedade e da educação; • E as tecnologias? O que são? Como surgiram? • Em certa turma, responderam: "É tudo que o homem utiliza para facilitar sua vida, resolver problemas." • "Uso de instrumentos para solucionar problemas." • "Uma necessidade, avanço para o conhecimento."
  • 25. • Muitas discussões aconteceram no Instituto Izabela Hendrix, sobre a capacitação de professores para utilizar computadores e as linguagem digital. Houve também discussões do porque de não existir computadores e laboratórios em creches e UMEI´S; • Assim, educadores perceberam que a linguagem digital deve ser trabalhada não somente com o uso de computadores; Deve inovar suas aulas sempre que a realidade for outra; • Para Libâneo (2005): O currículo possui referência de poder, isto é relaciona-se com classe, etnia e gênero; Diante às Proposições Curriculares da Prefeitura de Belo Horizonte, destaca-se que a inclusão para beneficiar alunos da Educação Infantil à linguagem digital vem sendo de fato aplicada possibilitando aos educandos autonomia, acesso e interação com esse instrumento para ampliar seus conhecimentos.
  • 26. • Letramento Digital: Mediante a Sociedade do Conhecimento, é um recurso para que os educadores façam parte de uma condição a qual possam adquirir e se apropriarem da nova tecnologia digital e assim, praticar ações práticas de leitura e escrita na tela, como afirma Magda Soares; • Aprender junto à Tecnologia é preciso = Educar e reeducar; • Criação de um blog: Uma vez avançado os módulos e estudos sobre a importância das tecnologias digitais, criou-se um blog, para expor conhecimentos sobre a tecnologia sempre com enfoque de sua importância desde a Educação Infantil;
  • 27.
  • 28. CONCLUSÃO O uso das tecnologias digitais aplicadas à Educação, é pois um importante instrumento de inovação. Cabe às escolas e profissionais envolvidos, fazerem um bom uso das mesmas para assim acrescentar, ampliar o conhecimento de mundo dos educandos ainda que muitos já estejam inseridos nesse meio: nativos digitais. A formação hoje está interligada à utilização dessas tecnologias. Negá-las, pode ser hoje, impedir um novo conhecimento. Com a era digital, surgiram novas formas de comunicação: linguagem digital. Mas esta, quando bem trabalhada, é uma rica ferramenta que auxilia em habilidades necessárias para a construção de um projeto, na aquisição de novos conhecimentos, etc. As tecnologias digitais são uma aliada para o ensino-aprendizado se usada de forma saudável. Professores capacitados, ações práticas pedagógicas, adequações necessárias da realidade escolar podem garantir resultados satisfatórios no âmbito do conhecimento dos educandos. Assim, " A verdadeira habilidade competitiva é a habilidade de aprender" (PAPERT).