SlideShare uma empresa Scribd logo
ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL
DONA CAPITULINA SÁTIRO
7º
ano
Componente curricular:
Professor: Hyago Carlos.
Aula 7 e 8: A formação dos estados modernos.
2
O que vamos estudar?
Cronologia da História.
PRÉ-
HISTÓRIA
HISTÓRIA DAS
CIVILIZAÇÕES
HISTÓRIA
MEDIEVAL
HISTÓRIA
MODERNA
Do surgimento
do homem
à origem das
civilizações.
Das primeiras
civilizações à
queda de
Roma.
Da queda de
Roma à
formação das
monarquias.
Da formação
das monarquias
ao fim do
absolutismo.
XIII – XV
XVI - XVIII
3
Objetivo da aula
Analisar os processos historicos que proporcionaram a passagem do
mundo feudal para a modernidade.
Corte do rei Henrique VIII, na Inglaterra.
4
Questão disparadora
Quais acontecimentos históricos marcaram a passagem da Europa
medieval para a modernidade?
5
A formação dos Estados Modernos Europeus
O Estado Moderno surge a partir da crise no Feudalismo no final do século XIV(14).
Nessa época o feudalismo estava desmoronando em consequência das revoltas sociais
dos camponeses e por causa, principalmente, do desenvolvimento do comércio. E
quem estava por trás disso era a burguesia, classe social, que, aos poucos, tornou-se
rica e poderosa.
Depois da crise feudal e com
a ascensão das transações
comerciais, a burguesia passa
a objetivar o estabelecimento
de meios que assegurem seu
papel de destaque no
desenvolvimento político e
socioeconômico.
Corte do rei Luiz XIV, da França (rei do sol)
6
A formação dos Estados Modernos Europeus
O termo “modernidade” é utilizado na História para conceituar os processos historicos
ligados as transformações politicas, sociais e econômicas, que desconstruíram o sistema
feudal, a partir do século XI (11). O aumento da produção agrícola e a expansão de novas
rotas terrestres e marítimas proporcionaram o aumento do transito de pessoas e
mercadorias. As cidades Italianas de Genova e Veneza se destacaram como grandes
centros comerciais, com entrepostos que proporcionavam as relações comerciais entre o
Ocidente e o Oriente. A Itália, durante o nascimento da modernidade, controlou as rotas
marítimas pelo mar Mediterrâneo.
Pintura de Gaspar van Wittel retratando a vista de
Veneza da ilha de San Giorgio.
7
A formação dos Estados Modernos Europeus
Absolutismo: constituído pela aliança entre Rei + Nobreza + Clero + Burguesia.
I. Interesse dos monarcas
II. Interesses da nobreza
III. Interesses do clero
IV. Interesses burgueses
• Estabelecer autoridade frente a Igreja
Católica e a nobreza (senhores
feudais).
• Obter privilégios como: ser nomeados em
cargos políticos, ter isenção de impostos,
receber pensões e participar da corte.
• Obter privilégios: ter livre influência na expansão
da fé católica, ter isenção de impostos; cobrar o
dízimo; ser nomeados em cargos políticos.
• Fim dos pedágios pagos aos senhores feudais.
• Criação de moedas e de leis nacionais.
• Unificação nos sistema de impostos, pesos e medidas.
• Maior segurança nas rotas comerciais.
8
A formação dos Estados Modernos Europeus
A consolidação do Estado Moderno se desenvolveu no contexto de domínio total da
figura do rei, soberano, caracterizando o Estado como absolutista.
Principais fatores:
• O povo queria ordem, segurança e paz e acreditou que o monarca proporcionaria
isso;
• Os burgueses necessitavam de menos impostos e segurança para seu comércio
(apoio aos reis);
• O rei precisava do dinheiro burguês para a formação de um forte exército;
• A igreja que já havia lutado contra o fortalecimento dos reis, foi enfraquecida pela
Reforma Religiosa e, por isso, obrigada a se aliar aos reis novamente, apoiando-os.
9
A monarquia Inglesa
❖ GUILHERME, O CONQUISTADOR
Duque de Normandia (região do norte da França), conquistou a Inglaterra
e se tornou Rei com o título Guilherme I e para o fortalecimento do seu
reinado, instituiu algumas mudanças:
• Os senhores feudais foram obrigados a jurar fidelidade.
• Dividiu as terras Inglesas em condados e nomeou xerifes para nomear
esses condados.
• Proibiu guerras particulares entre a nobreza.
10
A monarquia Inglesa
❖ GUILHERME, O CONQUISTADOR
A conquista da Inglaterra liberada por ele foi registrada na famosa
Tapeçaria de Bayeux.
1. Normandos desembarcam cavalos necessários.
2. Normandos constroem fortificações para melhor combater os ingleses.
3. Guilherme, o Conquistador, encoraja seus homens na luta pela conquista da Inglaterra.
11
A monarquia Inglesa
❖ HENRIQUE II
Um dos sucessores de Guilherme I,
acelerou o processo de fortalecimento
do poder real exigindo que todas as
questões fossem julgadas por tribunais
reais, e não pelos da nobreza.
❖ RICARDO, O CORAÇÃO DE LEÃO
Filho e sucessor de Henrique II, passou
a maior parte do tempo fora do país
lutando nas Cruzadas.
12
A monarquia Inglesa
❖ JOÃO SEM TERRA
Irmão de Ricardo, envolveu-se em guerras demoradas
e perdeu boa parte das terras que sua família possuía
na França; por isso o rei João ganhou esse apelido.
Para custear gastos militares, João determinou
sucessivos aumentos de impostos, provocando com
isso uma revolta da nobreza, que o obrigou a assinar
a Magna Carta (1215).
13
A monarquia Inglesa
❖ JOÃO SEM TERRA
14
A monarquia Inglesa
❖ HENRIQUE III :desrespeitou a Magna Carta,
impondo a cobrança de novos impostos, o
que provocou outra revolta da nobreza. A
burguesia também participou dessa revolta
e, com isso, ganhou o direito de fazer parte
do Grande Conselho, que, em 1265, passou
a ser chamado de Parlamento.
O Parlamento Inglês foi dividido em duas
câmaras:
- A câmara dos lordes (Clero e alta nobreza);
- A câmara dos comuns (pequena nobreza e
da burguesia);
15
A monarquia Francesa
❖ FELIPE AUGUSTO, Primeiro rei da França a impor sua
autoridade a todos os grupos sociais. Conquistou feudos
casando-se por interesse, comprando terras dos nobres e
usando a força de um exército profissional assalariado
para fortalecer o poder real. Escolheu Paris como capital
do Reino.
❖ LUÍS IX, também contribuiu para a centralização do
poder na França, permitindo que todo aquele que fosse
condenado por um tribunal da nobreza recorresse a um
tribunal do rei e impondo uma moeda única para todo o
reino da França.
O rei Luís IX embarca para as
Cruzadas.
Coroação do rei
Felipe Augusto.
16
Guerras que fortaleceram o rei
Duas importantes guerras também colaboraram para a centralização política
na Europa: a Guerra dos Cem Anos (1337-1453), que enfraqueceu a
nobreza, pois muitos nobres morreram no conflito, e as guerras de religião.
17
O Absolutismo
CONTEXTUALIZANDO
• Absolutismo: - Regime político em que os reis
possuem o poder absoluto sobre suas nações
(concentração de poderes nas mãos dos reis).
• Quando: - aproximadamente entre os séculos XVI e
XIX. (16 e 19)
• Onde: sobretudo na França, Inglaterra, Portugal e
Espanha.
Absolutismo
Europa
Séculos XVI e XIX
Ápice na Idade Moderna
Teoria do poder absoluto
do Rei sobre toda a nação
18
O Absolutismo
Principais características
do absolutismo:
Poder centralizado nas
mãos dos monarcas;
Os monarcas tinham
autonomia para interferir em
assuntos religiosos;
O monarca instituía as
leis e tomava decisões;
O mercantilismo foi o principal
sistema econômico do absolutismo.
Filipe IV “O Belo”, rei da França.
19
Os Estados europeus e o absolutismo monárquico
"O Estado sou eu“ - Rei Luís XIV (1638-1715).
A frase traduz o resumo de um período histórico
onde havia uma centralização total do poder na
figura do Rei.
REI ESTADO
Retrato de Luís XIV: ícone do absolutismo monárquico.
20
Os Estados europeus e o absolutismo monárquico
O reinado de Luís XIV, o Rei-Sol
O Rei-Sol, que reinou de fato por
54 anos. No poder, ele julgava e
punia; dava ordens e fiscalizava
sua execução; decidia
pessoalmente pelo Estado
francês, além de usar o exército
para impor sua autoridade,
21
Palácio de Versalhes, França
22
Os Estados europeus e o absolutismo monárquico
PRÓXIMA AULA, OS TEÓRICOS DO ABSOLUTISMO.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Slide Historia: Estado Moderno e o Absolutismo.pdf

Slide historia-antigo regime frances
Slide historia-antigo regime francesSlide historia-antigo regime frances
Slide historia-antigo regime frances
Celiamariag3
 
Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)
Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)
Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
História 11ºano ( matéria do 1º período)
 História 11ºano ( matéria do 1º período) História 11ºano ( matéria do 1º período)
História 11ºano ( matéria do 1º período)
Andreia Pacheco
 
Monarquias nacionais frança e inglaterra 2021
Monarquias nacionais frança e inglaterra 2021Monarquias nacionais frança e inglaterra 2021
Monarquias nacionais frança e inglaterra 2021
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
Resumo aula 19 Absolutismo.pptx
Resumo aula 19 Absolutismo.pptxResumo aula 19 Absolutismo.pptx
Resumo aula 19 Absolutismo.pptx
Érica Santos
 
Monarquias
MonarquiasMonarquias
Cap10 1º ano 2013 - política e economia na idade moderna
Cap10   1º ano 2013 - política e economia na idade modernaCap10   1º ano 2013 - política e economia na idade moderna
Cap10 1º ano 2013 - política e economia na idade moderna
Gustavo Cuin
 
Da Revolução Francesa a Era de Napoleão Bonaparte
Da Revolução Francesa a Era de Napoleão BonaparteDa Revolução Francesa a Era de Napoleão Bonaparte
Da Revolução Francesa a Era de Napoleão Bonaparte
Darlene Celestina
 
A Formação dos Estados Nacionais Europeus
A Formação dos Estados Nacionais EuropeusA Formação dos Estados Nacionais Europeus
A Formação dos Estados Nacionais Europeus
Acrópole - História & Educação
 
Slides Historia : Os teóricos do absolutismo e Mercantilismo.pdf
Slides Historia : Os teóricos do absolutismo e Mercantilismo.pdfSlides Historia : Os teóricos do absolutismo e Mercantilismo.pdf
Slides Historia : Os teóricos do absolutismo e Mercantilismo.pdf
HyagoCarlos3
 
Apogeu do absolutismo
Apogeu do absolutismoApogeu do absolutismo
Apogeu do absolutismo
Kerol Brombal
 
Filosofia para-o-enem-5ª-seman
Filosofia para-o-enem-5ª-semanFilosofia para-o-enem-5ª-seman
Filosofia para-o-enem-5ª-seman
brunojmrezende
 
Aula 06 absolutismo mercantilismo
Aula 06   absolutismo mercantilismoAula 06   absolutismo mercantilismo
Aula 06 absolutismo mercantilismo
Jonatas Carlos
 
Absolutismo mercantilismo
Absolutismo   mercantilismoAbsolutismo   mercantilismo
Absolutismo mercantilismo
Kelly Delfino
 
Formação das Monarquias Nacionais Europeias (Parte 1)
Formação das Monarquias Nacionais Europeias (Parte 1)Formação das Monarquias Nacionais Europeias (Parte 1)
Formação das Monarquias Nacionais Europeias (Parte 1)
Paulo Roberto
 
HCA- Módulo 6- A Cultura do Palco.pdf
HCA- Módulo 6- A Cultura do Palco.pdfHCA- Módulo 6- A Cultura do Palco.pdf
HCA- Módulo 6- A Cultura do Palco.pdf
sabinachourico
 
O absolutismo
O absolutismoO absolutismo
O absolutismo
Nelia Salles Nantes
 
O absolutismo
O absolutismoO absolutismo
O absolutismo
Nelia Salles Nantes
 
O absolutismo
O absolutismoO absolutismo
O absolutismo
Nelia Salles Nantes
 
Revolucao inglesa
Revolucao inglesaRevolucao inglesa
Revolucao inglesa
MargarethFranklim
 

Semelhante a Slide Historia: Estado Moderno e o Absolutismo.pdf (20)

Slide historia-antigo regime frances
Slide historia-antigo regime francesSlide historia-antigo regime frances
Slide historia-antigo regime frances
 
Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)
Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)
Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)
 
História 11ºano ( matéria do 1º período)
 História 11ºano ( matéria do 1º período) História 11ºano ( matéria do 1º período)
História 11ºano ( matéria do 1º período)
 
Monarquias nacionais frança e inglaterra 2021
Monarquias nacionais frança e inglaterra 2021Monarquias nacionais frança e inglaterra 2021
Monarquias nacionais frança e inglaterra 2021
 
Resumo aula 19 Absolutismo.pptx
Resumo aula 19 Absolutismo.pptxResumo aula 19 Absolutismo.pptx
Resumo aula 19 Absolutismo.pptx
 
Monarquias
MonarquiasMonarquias
Monarquias
 
Cap10 1º ano 2013 - política e economia na idade moderna
Cap10   1º ano 2013 - política e economia na idade modernaCap10   1º ano 2013 - política e economia na idade moderna
Cap10 1º ano 2013 - política e economia na idade moderna
 
Da Revolução Francesa a Era de Napoleão Bonaparte
Da Revolução Francesa a Era de Napoleão BonaparteDa Revolução Francesa a Era de Napoleão Bonaparte
Da Revolução Francesa a Era de Napoleão Bonaparte
 
A Formação dos Estados Nacionais Europeus
A Formação dos Estados Nacionais EuropeusA Formação dos Estados Nacionais Europeus
A Formação dos Estados Nacionais Europeus
 
Slides Historia : Os teóricos do absolutismo e Mercantilismo.pdf
Slides Historia : Os teóricos do absolutismo e Mercantilismo.pdfSlides Historia : Os teóricos do absolutismo e Mercantilismo.pdf
Slides Historia : Os teóricos do absolutismo e Mercantilismo.pdf
 
Apogeu do absolutismo
Apogeu do absolutismoApogeu do absolutismo
Apogeu do absolutismo
 
Filosofia para-o-enem-5ª-seman
Filosofia para-o-enem-5ª-semanFilosofia para-o-enem-5ª-seman
Filosofia para-o-enem-5ª-seman
 
Aula 06 absolutismo mercantilismo
Aula 06   absolutismo mercantilismoAula 06   absolutismo mercantilismo
Aula 06 absolutismo mercantilismo
 
Absolutismo mercantilismo
Absolutismo   mercantilismoAbsolutismo   mercantilismo
Absolutismo mercantilismo
 
Formação das Monarquias Nacionais Europeias (Parte 1)
Formação das Monarquias Nacionais Europeias (Parte 1)Formação das Monarquias Nacionais Europeias (Parte 1)
Formação das Monarquias Nacionais Europeias (Parte 1)
 
HCA- Módulo 6- A Cultura do Palco.pdf
HCA- Módulo 6- A Cultura do Palco.pdfHCA- Módulo 6- A Cultura do Palco.pdf
HCA- Módulo 6- A Cultura do Palco.pdf
 
O absolutismo
O absolutismoO absolutismo
O absolutismo
 
O absolutismo
O absolutismoO absolutismo
O absolutismo
 
O absolutismo
O absolutismoO absolutismo
O absolutismo
 
Revolucao inglesa
Revolucao inglesaRevolucao inglesa
Revolucao inglesa
 

Último

Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 

Último (20)

Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 

Slide Historia: Estado Moderno e o Absolutismo.pdf

  • 1. ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL DONA CAPITULINA SÁTIRO 7º ano Componente curricular: Professor: Hyago Carlos. Aula 7 e 8: A formação dos estados modernos.
  • 2. 2 O que vamos estudar? Cronologia da História. PRÉ- HISTÓRIA HISTÓRIA DAS CIVILIZAÇÕES HISTÓRIA MEDIEVAL HISTÓRIA MODERNA Do surgimento do homem à origem das civilizações. Das primeiras civilizações à queda de Roma. Da queda de Roma à formação das monarquias. Da formação das monarquias ao fim do absolutismo. XIII – XV XVI - XVIII
  • 3. 3 Objetivo da aula Analisar os processos historicos que proporcionaram a passagem do mundo feudal para a modernidade. Corte do rei Henrique VIII, na Inglaterra.
  • 4. 4 Questão disparadora Quais acontecimentos históricos marcaram a passagem da Europa medieval para a modernidade?
  • 5. 5 A formação dos Estados Modernos Europeus O Estado Moderno surge a partir da crise no Feudalismo no final do século XIV(14). Nessa época o feudalismo estava desmoronando em consequência das revoltas sociais dos camponeses e por causa, principalmente, do desenvolvimento do comércio. E quem estava por trás disso era a burguesia, classe social, que, aos poucos, tornou-se rica e poderosa. Depois da crise feudal e com a ascensão das transações comerciais, a burguesia passa a objetivar o estabelecimento de meios que assegurem seu papel de destaque no desenvolvimento político e socioeconômico. Corte do rei Luiz XIV, da França (rei do sol)
  • 6. 6 A formação dos Estados Modernos Europeus O termo “modernidade” é utilizado na História para conceituar os processos historicos ligados as transformações politicas, sociais e econômicas, que desconstruíram o sistema feudal, a partir do século XI (11). O aumento da produção agrícola e a expansão de novas rotas terrestres e marítimas proporcionaram o aumento do transito de pessoas e mercadorias. As cidades Italianas de Genova e Veneza se destacaram como grandes centros comerciais, com entrepostos que proporcionavam as relações comerciais entre o Ocidente e o Oriente. A Itália, durante o nascimento da modernidade, controlou as rotas marítimas pelo mar Mediterrâneo. Pintura de Gaspar van Wittel retratando a vista de Veneza da ilha de San Giorgio.
  • 7. 7 A formação dos Estados Modernos Europeus Absolutismo: constituído pela aliança entre Rei + Nobreza + Clero + Burguesia. I. Interesse dos monarcas II. Interesses da nobreza III. Interesses do clero IV. Interesses burgueses • Estabelecer autoridade frente a Igreja Católica e a nobreza (senhores feudais). • Obter privilégios como: ser nomeados em cargos políticos, ter isenção de impostos, receber pensões e participar da corte. • Obter privilégios: ter livre influência na expansão da fé católica, ter isenção de impostos; cobrar o dízimo; ser nomeados em cargos políticos. • Fim dos pedágios pagos aos senhores feudais. • Criação de moedas e de leis nacionais. • Unificação nos sistema de impostos, pesos e medidas. • Maior segurança nas rotas comerciais.
  • 8. 8 A formação dos Estados Modernos Europeus A consolidação do Estado Moderno se desenvolveu no contexto de domínio total da figura do rei, soberano, caracterizando o Estado como absolutista. Principais fatores: • O povo queria ordem, segurança e paz e acreditou que o monarca proporcionaria isso; • Os burgueses necessitavam de menos impostos e segurança para seu comércio (apoio aos reis); • O rei precisava do dinheiro burguês para a formação de um forte exército; • A igreja que já havia lutado contra o fortalecimento dos reis, foi enfraquecida pela Reforma Religiosa e, por isso, obrigada a se aliar aos reis novamente, apoiando-os.
  • 9. 9 A monarquia Inglesa ❖ GUILHERME, O CONQUISTADOR Duque de Normandia (região do norte da França), conquistou a Inglaterra e se tornou Rei com o título Guilherme I e para o fortalecimento do seu reinado, instituiu algumas mudanças: • Os senhores feudais foram obrigados a jurar fidelidade. • Dividiu as terras Inglesas em condados e nomeou xerifes para nomear esses condados. • Proibiu guerras particulares entre a nobreza.
  • 10. 10 A monarquia Inglesa ❖ GUILHERME, O CONQUISTADOR A conquista da Inglaterra liberada por ele foi registrada na famosa Tapeçaria de Bayeux. 1. Normandos desembarcam cavalos necessários. 2. Normandos constroem fortificações para melhor combater os ingleses. 3. Guilherme, o Conquistador, encoraja seus homens na luta pela conquista da Inglaterra.
  • 11. 11 A monarquia Inglesa ❖ HENRIQUE II Um dos sucessores de Guilherme I, acelerou o processo de fortalecimento do poder real exigindo que todas as questões fossem julgadas por tribunais reais, e não pelos da nobreza. ❖ RICARDO, O CORAÇÃO DE LEÃO Filho e sucessor de Henrique II, passou a maior parte do tempo fora do país lutando nas Cruzadas.
  • 12. 12 A monarquia Inglesa ❖ JOÃO SEM TERRA Irmão de Ricardo, envolveu-se em guerras demoradas e perdeu boa parte das terras que sua família possuía na França; por isso o rei João ganhou esse apelido. Para custear gastos militares, João determinou sucessivos aumentos de impostos, provocando com isso uma revolta da nobreza, que o obrigou a assinar a Magna Carta (1215).
  • 13. 13 A monarquia Inglesa ❖ JOÃO SEM TERRA
  • 14. 14 A monarquia Inglesa ❖ HENRIQUE III :desrespeitou a Magna Carta, impondo a cobrança de novos impostos, o que provocou outra revolta da nobreza. A burguesia também participou dessa revolta e, com isso, ganhou o direito de fazer parte do Grande Conselho, que, em 1265, passou a ser chamado de Parlamento. O Parlamento Inglês foi dividido em duas câmaras: - A câmara dos lordes (Clero e alta nobreza); - A câmara dos comuns (pequena nobreza e da burguesia);
  • 15. 15 A monarquia Francesa ❖ FELIPE AUGUSTO, Primeiro rei da França a impor sua autoridade a todos os grupos sociais. Conquistou feudos casando-se por interesse, comprando terras dos nobres e usando a força de um exército profissional assalariado para fortalecer o poder real. Escolheu Paris como capital do Reino. ❖ LUÍS IX, também contribuiu para a centralização do poder na França, permitindo que todo aquele que fosse condenado por um tribunal da nobreza recorresse a um tribunal do rei e impondo uma moeda única para todo o reino da França. O rei Luís IX embarca para as Cruzadas. Coroação do rei Felipe Augusto.
  • 16. 16 Guerras que fortaleceram o rei Duas importantes guerras também colaboraram para a centralização política na Europa: a Guerra dos Cem Anos (1337-1453), que enfraqueceu a nobreza, pois muitos nobres morreram no conflito, e as guerras de religião.
  • 17. 17 O Absolutismo CONTEXTUALIZANDO • Absolutismo: - Regime político em que os reis possuem o poder absoluto sobre suas nações (concentração de poderes nas mãos dos reis). • Quando: - aproximadamente entre os séculos XVI e XIX. (16 e 19) • Onde: sobretudo na França, Inglaterra, Portugal e Espanha. Absolutismo Europa Séculos XVI e XIX Ápice na Idade Moderna Teoria do poder absoluto do Rei sobre toda a nação
  • 18. 18 O Absolutismo Principais características do absolutismo: Poder centralizado nas mãos dos monarcas; Os monarcas tinham autonomia para interferir em assuntos religiosos; O monarca instituía as leis e tomava decisões; O mercantilismo foi o principal sistema econômico do absolutismo. Filipe IV “O Belo”, rei da França.
  • 19. 19 Os Estados europeus e o absolutismo monárquico "O Estado sou eu“ - Rei Luís XIV (1638-1715). A frase traduz o resumo de um período histórico onde havia uma centralização total do poder na figura do Rei. REI ESTADO Retrato de Luís XIV: ícone do absolutismo monárquico.
  • 20. 20 Os Estados europeus e o absolutismo monárquico O reinado de Luís XIV, o Rei-Sol O Rei-Sol, que reinou de fato por 54 anos. No poder, ele julgava e punia; dava ordens e fiscalizava sua execução; decidia pessoalmente pelo Estado francês, além de usar o exército para impor sua autoridade,
  • 22. 22 Os Estados europeus e o absolutismo monárquico PRÓXIMA AULA, OS TEÓRICOS DO ABSOLUTISMO.