SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 8
Sistema Tributário Constitucional
Conceito de tributo
“Tributo é toda prestação pecuniária compulsória, em moeda ou cujo valor nela se possa
exprimir, que não constitua sanção de ato ilícito, instituída em lei e cobrada mediante
atividade administrativa plenamente vinculada.” (CTN, art. 3º)
Traduzindo ...
Trata-se:
• da obrigação de se entregar valor monetário (dinheiro) ao Estado,
• independentemente da minha vontade,
• instituída em Lei
• e cobrada por ato administrativo vinculado (não há discricionariedade do Estado).
Espécies tributárias - Impostos
• Nos termos do art. 16 do CTN, imposto é “o tributo cuja obrigação tem por fato
gerador uma situação independente de qualquer atividade estatal específica, relativa
ao contribuinte”.
Espécies tributárias - Taxas
• Conforme art. 77 do CTN, as taxas “têm como fato gerador o exercício regular do
poder de polícia, ou a utilização, efetiva ou potencial, de serviço público específico e
divisível, prestado ao contribuinte ou posto à sua disposição”.
• São geradas pela prestação de serviços do Poder Público:
o União / Estados / Municípios
• Fixadas em função de serviços específicos divisíveis (forma presumida), que podem ser
prestados para uma parcela específica da população.
o Ex.: taxa do lixo (só para quem arrecada em sua casa)
• Podem ser, ainda, fixadas por conta do poder de polícia (delimitando interesse
individual em prol do coletivo).
o Ex.: taxa para fiscalização sanitária (sujeito à fiscalização)
Espécies tributárias – Contribuição de melhorias
“A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios poderão instituir os seguintes
tributos: (...)
III - contribuição de melhoria, decorrente de obras públicas.” (CF, art. 145, III)
Código Tributário Nacional:
Art. 81.
A contribuição de melhoria cobrada pela União, pelos Estados, pelo Distrito Federal ou
pelos Municípios, no âmbito de suas respectivas atribuições, é instituída para fazer face ao
custo de obras públicas de que decorra valorização imobiliária, tendo como limite total a
despesa realizada e como limite individual o acréscimo de valor que da obra resultar para
cada imóvel beneficiado.
http://resumoseaulas.blogspot.co
m
Fábio Peres da Silva 1
Sistema Tributário Constitucional
CTN, Art. 82:
“A lei relativa à contribuição de melhoria observará os seguintes requisitos mínimos:
I - publicação prévia dos seguintes elementos:
a) memorial descritivo do projeto;
b) orçamento do custo da obra;
c) determinação da parcela do custo da obra a ser financiada pela contribuição;
d) delimitação da zona beneficiada;
e) determinação do fator de absorção do benefício da valorização para toda a zona ou
para cada uma das áreas diferenciadas, nela contidas;
II - fixação de prazo não inferior a 30 (trinta) dias, para impugnação pelos interessados,
de qualquer dos elementos referidos no inciso anterior;
III - regulamentação do processo administrativo de instrução e julgamento da impugnação
a que se refere o inciso anterior, sem prejuízo da sua apreciação judicial.
§ 1º A contribuição relativa a cada imóvel será determinada pelo rateio da parcela do
custo da obra a que se refere a alínea c, do inciso I, pelos imóveis situados na zona
beneficiada em função dos respectivos fatores individuais de valorização.
§ 2º Por ocasião do respectivo lançamento, cada contribuinte deverá ser notificado do
montante da contribuição, da forma e dos prazos de seu pagamento e dos elementos que
integram o respectivo cálculo.”
• Um bom exemplo é o da “taxa” de pavimentação: não se pode dizer que é taxa, mas sim
contribuição de melhoria (já que é obrigação do Estado).
Outras contribuições (Constituição Federal, artigos 149, 149-A, 195):
• Contribuições sociais
• Intervenção no domínio econômico (Cide)
• Categorias profissionais ou econômicas
• Seguridade social
“Compete exclusivamente à União instituir contribuições sociais, de intervenção no
domínio econômico e de interesse das categorias profissionais ou econômicas, como
instrumento de sua atuação nas respectivas áreas, observado o disposto nos arts. 146, III,
e 150, I e III, e sem prejuízo do previsto no art. 195, § 6º, relativamente às contribuições a
que alude o dispositivo”. (CF, art. 149).
“Os Municípios e o Distrito Federal poderão instituir contribuição, na forma das
respectivas leis, para o custeio do serviço de iluminação pública, observado o disposto no
art. 150, I e III”. (CF, art. 149-A).
“A seguridade social será financiada por toda a sociedade, de forma direta e indireta, nos
termos da lei, mediante recursos provenientes dos orçamentos da União, dos Estados, do
Distrito Federal e dos Municípios, e das seguintes contribuições sociais:” (CF, art. 195,
“caput”).
http://resumoseaulas.blogspot.co
m
Fábio Peres da Silva 2
Sistema Tributário Constitucional
Princípios do Sistema Constitucional Tributário:
• Estrita legalidade
• Irretroatividade
• Anterioridade
• Anterioridade nonagesimal
Imunidade tributária: refere-se à vedação constitucional ao poder de tributar.
• Lista das entidades especificadas no CTN, artigo 9º, IV:
o União não cobra dos Estados e DF, nem dos Municípios, e vice-versa;
o Templos de qualquer culto (observação: o que é ligado ao templo);
o Partidos políticos e entidades sindicais.
o Instituições de educação e assistência social sem fins lucrativos.
o Papel para impressão de jornais, revistas (periódicos) e livros.
• Requisitos das entidades sindicais e partidos políticos (CTN, artigo 14):
o Não distribuir do fruto de seus rendimentos;
o Aplicar integralmente no país os seus recursos;
o Manter escrituração formal de receitas e despesas.
“É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios:
(...)
IV - cobrar imposto sobre:
a) o patrimônio, a renda ou os serviços uns dos outros;
b) templos de qualquer culto;
c) o patrimônio, a renda ou serviços dos partidos políticos, inclusive suas fundações, das
entidades sindicais dos trabalhadores, das instituições de educação e de assistência social,
sem fins lucrativos, observados os requisitos fixados na Seção II deste Capítulo;
d) papel destinado exclusivamente à impressão de jornais, periódicos e livros.
§ 1º
O disposto no inciso IV não exclui a atribuição, por lei, às entidades nele referidas, da
condição de responsáveis pelos tributos que lhes caiba reter na fonte, e não as dispensa da
prática de atos, previstos em lei, assecuratórios do cumprimento de obrigações tributárias
por terceiros.
§ 2º
O disposto na alínea a do inciso IV aplica-se, exclusivamente, aos serviços próprios das
pessoas jurídicas de direito público a que se refere este artigo, e inerentes aos seus
objetivos”.
(CTN, artigo 9º, IV e parágrafos)
“O disposto na alínea c do inciso IV do artigo 9º é subordinado à observância dos
seguintes requisitos pelas entidades nele referidas:
I – não distribuírem qualquer parcela de seu patrimônio ou de suas rendas, a qualquer
título;
II - aplicarem integralmente, no País, os seus recursos na manutenção dos seus objetivos
institucionais;
http://resumoseaulas.blogspot.co
m
Fábio Peres da Silva 3
Sistema Tributário Constitucional
III - manterem escrituração de suas receitas e despesas em livros revestidos de
formalidades capazes de assegurar sua exatidão.
§ 1º Na falta de cumprimento do disposto neste artigo, ou no § 1º do artigo 9º, a
autoridade competente pode suspender a aplicação do benefício.
§ 2º Os serviços a que se refere a alínea c do inciso IV do artigo 9º são exclusivamente, os
diretamente relacionados com os objetivos institucionais das entidades de que trata este
artigo, previstos nos respectivos estatutos ou atos constitutivos.”
(CTN, art. 14)
http://resumoseaulas.blogspot.co
m
Fábio Peres da Silva 4
Sistema Tributário Constitucional
Fontes do Direito Tributário:
• Constituição Federal
• Leis complementares
• Leis ordinárias
CTN, artigo 96 (leis, tratados, convenções, decretos e normas complementares)
“A expressão "legislação tributária" compreende as leis, os tratados e as convenções
internacionais, os decretos e as normas complementares que versem, no todo ou em parte,
sobre tributos e relações jurídicas a eles pertinentes.”
CTN, artigo 97 (assuntos que só podem ser regulados por Lei)
“Somente a lei pode estabelecer:
I - a instituição de tributos, ou a sua extinção;
II - a majoração de tributos, ou sua redução, ressalvado o disposto nos artigos 21, 26, 39,
57 e 65;
III - a definição do fato gerador da obrigação tributária principal, ressalvado o disposto
no inciso I do § 3º do artigo 52, e do seu sujeito passivo;
IV - a fixação de alíquota do tributo e da sua base de cálculo, ressalvado o disposto nos
artigos 21, 26, 39, 57 e 65;
V - a cominação de penalidades para as ações ou omissões contrárias a seus dispositivos,
ou para outras infrações nela definidas;
VI - as hipóteses de exclusão, suspensão e extinção de créditos tributários, ou de dispensa
ou redução de penalidades.
§ 1º Equipara-se à majoração do tributo a modificação da sua base de cálculo, que
importe em torná-lo mais oneroso.
§ 2º Não constitui majoração de tributo, para os fins do disposto no inciso II deste artigo,
a atualização do valor monetário da respectiva base de cálculo.”
Dispositivos legais citados no artigo 97 do CTN, do mesmo Código:
• Artigo 21: Imposto sobre a Importação (alíquota e bases);
• Artigo 26: Imposto sobre a Exportação (alíquota e bases);
• Artigo 39: ITBI;
• Artigo 57: revogado;
• Artigo 52, inciso I, § 3º: revogado;
• Artigo 65: IOF.
CTN, artigos 98-100 (tratados e convenções; restrição ao alcance dos decretos)
“Art. 98. Os tratados e as convenções internacionais revogam ou modificam a legislação
tributária interna, e serão observados pela que lhes sobrevenha.
Art. 99. O conteúdo e o alcance dos decretos restringem-se aos das leis em função das
quais sejam expedidos, determinados com observância das regras de interpretação
estabelecidas nesta Lei.
http://resumoseaulas.blogspot.co
m
Fábio Peres da Silva 5
Sistema Tributário Constitucional
Art. 100. São normas complementares das leis, dos tratados e das convenções
internacionais e dos decretos:
I - os atos normativos expedidos pelas autoridades administrativas;
II - as decisões dos órgãos singulares ou coletivos de jurisdição administrativa, a que a lei
atribua eficácia normativa;
III - as práticas reiteradamente observadas pelas autoridades administrativas;
IV - os convênios que entre si celebrem a União, os Estados, o Distrito Federal e os
Municípios.
Parágrafo único.
A observância das normas referidas neste artigo exclui a imposição de penalidades, a
cobrança de juros de mora e a atualização do valor monetário da base de cálculo do
tributo.”
http://resumoseaulas.blogspot.co
m
Fábio Peres da Silva 6
Sistema Tributário Constitucional
Vigência, aplicação e interpretação:
Vigência: no espaço e no tempo seguem as regras da LINDB.
Aplicação: sempre é voltada para o futuro.
• Exceção: CTN, artigo 106.
• No caso do inciso II do artigo 106, observe as restrições:
o Deixar de definir o ato como infração;
o Deixar de exigir obrigação
o Penalidade menos severa (ATENÇÃO: somente para penalidade, não para a
aplicação do tributo)
“A lei aplica-se a ato ou fato pretérito:
I - em qualquer caso, quando seja expressamente interpretativa, excluída a aplicação de
penalidade à infração dos dispositivos interpretados;
II - tratando-se de ato não definitivamente julgado:
a) quando deixe de defini-lo como infração;
b) quando deixe de tratá-lo como contrário a qualquer exigência de ação ou omissão,
desde que não tenha sido fraudulento e não tenha implicado em falta de pagamento de
tributo;
c) quando lhe comine penalidade menos severa que a prevista na lei vigente ao tempo da
sua prática.”(CTN, artigo 106)
Interpretação:
• Base para interpretar a legislação tributária, conforme o artigo 108 do CTN: analogia;
princípios de direito tributário; princípios de direito público; e, finalmente, equidade.
o Restrições da analogia: não pode exigir tributo não previsto em lei.
o Restrições da equidade: não pode dispensar pagamento de tributos.
• CTN, artigo 109: princípios de direito privado não servem para estabelecer
competências tributárias, servem como delimitador geral (conceitos e alcance).
o Um (direito privado) não invade o escopo do outro (direito tributário)
• CTN, artigo 110: especificidade da lei tributária:
o Não altera institutos tributários definidos na CF.
• CTN, artigo 111: hipóteses em que a lei deve ser interpretada literalmente.
o Suspensão ou exclusão de crédito
o Outorga de isenção
o Dispensa do cumprimento de obrigações tributárias
• CTN, artigo 112: “in dubio pro reu” na lei tributária – refere-se à natureza das
penalidades, especificamente quanto ao seguintes fatores:
o Legalidade do fato.
o Natureza do fato, ou de seus efeitos.
o Autoria e imputabilidade (ou punibilidade)
o Penalidade aplicável ao caso.
http://resumoseaulas.blogspot.co
m
Fábio Peres da Silva 7
Sistema Tributário Constitucional
Código Tributário Nacional:
“Art. 108.
Na ausência de disposição expressa, a autoridade competente para aplicar a legislação
tributária utilizará sucessivamente, na ordem indicada:
I - a analogia;
II - os princípios gerais de direito tributário;
III - os princípios gerais de direito público;
IV - a eqüidade.
§ 1º
O emprego da analogia não poderá resultar na exigência de tributo não previsto em lei.
§ 2º
O emprego da eqüidade não poderá resultar na dispensa do pagamento de tributo devido.
Art. 109.
Os princípios gerais de direito privado utilizam-se para pesquisa da definição, do
conteúdo e do alcance de seus institutos, conceitos e formas, mas não para definição dos
respectivos efeitos tributários.
Art. 110.
A lei tributária não pode alterar a definição, o conteúdo e o alcance de institutos,
conceitos e formas de direito privado, utilizados, expressa ou implicitamente, pela
Constituição Federal, pelas Constituições dos Estados, ou pelas Leis Orgânicas do
Distrito Federal ou dos Municípios, para definir ou limitar competências tributárias.
Art. 111.
Interpreta-se literalmente a legislação tributária que disponha sobre:
I - suspensão ou exclusão do crédito tributário;
II - outorga de isenção;
III - dispensa do cumprimento de obrigações tributárias acessórias.
Art. 112. A lei tributária que define infrações, ou lhe comina penalidades, interpreta-se da
maneira mais favorável ao acusado, em caso de dúvida quanto:
I - à capitulação legal do fato;
II - à natureza ou às circunstâncias materiais do fato, ou à natureza ou extensão dos seus
efeitos;
III - à autoria, imputabilidade, ou punibilidade;
IV - à natureza da penalidade aplicável, ou à sua graduação.”
http://resumoseaulas.blogspot.co
m
Fábio Peres da Silva 8

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Desoneração da folha de pagamentos
Desoneração da folha de pagamentos  Desoneração da folha de pagamentos
Desoneração da folha de pagamentos Tacio Lacerda Gama
 
Iv congresso florianópolis direito de crédito de pis e cofins sobre insumos...
Iv congresso florianópolis   direito de crédito de pis e cofins sobre insumos...Iv congresso florianópolis   direito de crédito de pis e cofins sobre insumos...
Iv congresso florianópolis direito de crédito de pis e cofins sobre insumos...Tacio Lacerda Gama
 
40.4 -decreto_n._6.82910__aprova_o_rctm
40.4  -decreto_n._6.82910__aprova_o_rctm40.4  -decreto_n._6.82910__aprova_o_rctm
40.4 -decreto_n._6.82910__aprova_o_rctmjnjtributos
 
Lei 12.810 13, que parcela dívidas previdenciárias e do pasep de estados, mun...
Lei 12.810 13, que parcela dívidas previdenciárias e do pasep de estados, mun...Lei 12.810 13, que parcela dívidas previdenciárias e do pasep de estados, mun...
Lei 12.810 13, que parcela dívidas previdenciárias e do pasep de estados, mun...José Ripardo
 
Subsidios legislativos -_enfrentamento_a_extrema_pobreza
Subsidios legislativos -_enfrentamento_a_extrema_pobrezaSubsidios legislativos -_enfrentamento_a_extrema_pobreza
Subsidios legislativos -_enfrentamento_a_extrema_pobrezaVagner Machado
 
L28 1994 ctm mangaratiba
L28 1994   ctm mangaratibaL28 1994   ctm mangaratiba
L28 1994 ctm mangaratibaBrazore2010
 
Código Tributário Municipal. Juazeiro BA. Sancionado em dezembro de 2009
Código Tributário Municipal. Juazeiro BA. Sancionado em dezembro de 2009Código Tributário Municipal. Juazeiro BA. Sancionado em dezembro de 2009
Código Tributário Municipal. Juazeiro BA. Sancionado em dezembro de 2009chrystianlima
 
Prot. 2786 15 pl 060-2015 - institui o programa de recuperação fiscal de vi...
Prot. 2786 15   pl 060-2015 - institui o programa de recuperação fiscal de vi...Prot. 2786 15   pl 060-2015 - institui o programa de recuperação fiscal de vi...
Prot. 2786 15 pl 060-2015 - institui o programa de recuperação fiscal de vi...Claudio Figueiredo
 
Direito financeiro-receitas-públicas
Direito financeiro-receitas-públicasDireito financeiro-receitas-públicas
Direito financeiro-receitas-públicasportustfs
 
Código tributário municipal rb consolidado 09.2013
Código tributário municipal rb consolidado  09.2013Código tributário municipal rb consolidado  09.2013
Código tributário municipal rb consolidado 09.2013Andrea Alcantara
 
Mp 599 2012, que trata de compensações por conta de possíveis perdas de arrec...
Mp 599 2012, que trata de compensações por conta de possíveis perdas de arrec...Mp 599 2012, que trata de compensações por conta de possíveis perdas de arrec...
Mp 599 2012, que trata de compensações por conta de possíveis perdas de arrec...José Ripardo
 
Codigo_Tributario_Lei_016_2000_Cananeia_SP
Codigo_Tributario_Lei_016_2000_Cananeia_SPCodigo_Tributario_Lei_016_2000_Cananeia_SP
Codigo_Tributario_Lei_016_2000_Cananeia_SPBárbara de Aquino
 
Slides pós direito tributário 2012 - 31 de março
Slides pós direito tributário    2012 - 31 de marçoSlides pós direito tributário    2012 - 31 de março
Slides pós direito tributário 2012 - 31 de marçoMilena Sellmann
 

Mais procurados (20)

Desoneração da folha de pagamentos
Desoneração da folha de pagamentos  Desoneração da folha de pagamentos
Desoneração da folha de pagamentos
 
Iv congresso florianópolis direito de crédito de pis e cofins sobre insumos...
Iv congresso florianópolis   direito de crédito de pis e cofins sobre insumos...Iv congresso florianópolis   direito de crédito de pis e cofins sobre insumos...
Iv congresso florianópolis direito de crédito de pis e cofins sobre insumos...
 
40.4 -decreto_n._6.82910__aprova_o_rctm
40.4  -decreto_n._6.82910__aprova_o_rctm40.4  -decreto_n._6.82910__aprova_o_rctm
40.4 -decreto_n._6.82910__aprova_o_rctm
 
Abradt 2012 2.jpeg
Abradt 2012   2.jpegAbradt 2012   2.jpeg
Abradt 2012 2.jpeg
 
Ple 065.2013
Ple 065.2013Ple 065.2013
Ple 065.2013
 
Governanca publica 1ed
Governanca publica 1edGovernanca publica 1ed
Governanca publica 1ed
 
DireitoTributário – Imunidades e Isenções – 3º setor - Cebas
DireitoTributário – Imunidades e Isenções – 3º setor - CebasDireitoTributário – Imunidades e Isenções – 3º setor - Cebas
DireitoTributário – Imunidades e Isenções – 3º setor - Cebas
 
Trib vc
Trib vcTrib vc
Trib vc
 
Lei 12.810 13, que parcela dívidas previdenciárias e do pasep de estados, mun...
Lei 12.810 13, que parcela dívidas previdenciárias e do pasep de estados, mun...Lei 12.810 13, que parcela dívidas previdenciárias e do pasep de estados, mun...
Lei 12.810 13, que parcela dívidas previdenciárias e do pasep de estados, mun...
 
Subsidios legislativos -_enfrentamento_a_extrema_pobreza
Subsidios legislativos -_enfrentamento_a_extrema_pobrezaSubsidios legislativos -_enfrentamento_a_extrema_pobreza
Subsidios legislativos -_enfrentamento_a_extrema_pobreza
 
L28 1994 ctm mangaratiba
L28 1994   ctm mangaratibaL28 1994   ctm mangaratiba
L28 1994 ctm mangaratiba
 
Código Tributário Municipal. Juazeiro BA. Sancionado em dezembro de 2009
Código Tributário Municipal. Juazeiro BA. Sancionado em dezembro de 2009Código Tributário Municipal. Juazeiro BA. Sancionado em dezembro de 2009
Código Tributário Municipal. Juazeiro BA. Sancionado em dezembro de 2009
 
Prot. 2786 15 pl 060-2015 - institui o programa de recuperação fiscal de vi...
Prot. 2786 15   pl 060-2015 - institui o programa de recuperação fiscal de vi...Prot. 2786 15   pl 060-2015 - institui o programa de recuperação fiscal de vi...
Prot. 2786 15 pl 060-2015 - institui o programa de recuperação fiscal de vi...
 
Direito financeiro-receitas-públicas
Direito financeiro-receitas-públicasDireito financeiro-receitas-públicas
Direito financeiro-receitas-públicas
 
Código tributário municipal rb consolidado 09.2013
Código tributário municipal rb consolidado  09.2013Código tributário municipal rb consolidado  09.2013
Código tributário municipal rb consolidado 09.2013
 
Mp 599 2012, que trata de compensações por conta de possíveis perdas de arrec...
Mp 599 2012, que trata de compensações por conta de possíveis perdas de arrec...Mp 599 2012, que trata de compensações por conta de possíveis perdas de arrec...
Mp 599 2012, que trata de compensações por conta de possíveis perdas de arrec...
 
Codigo_Tributario_Lei_016_2000_Cananeia_SP
Codigo_Tributario_Lei_016_2000_Cananeia_SPCodigo_Tributario_Lei_016_2000_Cananeia_SP
Codigo_Tributario_Lei_016_2000_Cananeia_SP
 
Congresso idtl.2007
Congresso idtl.2007Congresso idtl.2007
Congresso idtl.2007
 
Slides pós direito tributário 2012 - 31 de março
Slides pós direito tributário    2012 - 31 de marçoSlides pós direito tributário    2012 - 31 de março
Slides pós direito tributário 2012 - 31 de março
 
Contribuições especiais
Contribuições especiaisContribuições especiais
Contribuições especiais
 

Destaque

Resumo de matéria do 7º semestre - Guilherme Madeira - Processo Penal (não te...
Resumo de matéria do 7º semestre - Guilherme Madeira - Processo Penal (não te...Resumo de matéria do 7º semestre - Guilherme Madeira - Processo Penal (não te...
Resumo de matéria do 7º semestre - Guilherme Madeira - Processo Penal (não te...Fábio Peres
 
Criminologia e Introdução ao Direito Penal 2º semestre - Mackenzie - Alexis...
Criminologia e Introdução ao Direito Penal   2º semestre - Mackenzie - Alexis...Criminologia e Introdução ao Direito Penal   2º semestre - Mackenzie - Alexis...
Criminologia e Introdução ao Direito Penal 2º semestre - Mackenzie - Alexis...Fábio Peres
 
Direito Eleitoral - 2º semestre - 2015
Direito Eleitoral - 2º semestre - 2015Direito Eleitoral - 2º semestre - 2015
Direito Eleitoral - 2º semestre - 2015Fábio Peres
 
Direito Constitucional II - Controle de constitucionalidade - 4º Semestre - ...
Direito Constitucional II - Controle de constitucionalidade -  4º Semestre - ...Direito Constitucional II - Controle de constitucionalidade -  4º Semestre - ...
Direito Constitucional II - Controle de constitucionalidade - 4º Semestre - ...Fábio Peres
 
Direito de empresa Mackenzie - 1º semestre 2013
Direito de empresa   Mackenzie - 1º semestre 2013Direito de empresa   Mackenzie - 1º semestre 2013
Direito de empresa Mackenzie - 1º semestre 2013Fábio Peres
 
Direito internacional público luis fernando kuyven - 1º semestre 2013
Direito internacional público   luis fernando kuyven - 1º semestre 2013Direito internacional público   luis fernando kuyven - 1º semestre 2013
Direito internacional público luis fernando kuyven - 1º semestre 2013Fábio Peres
 
Direito Internacional Privado - 4º semestre - Ruber Kreile (in memorian)
Direito Internacional Privado  - 4º semestre - Ruber Kreile (in memorian)Direito Internacional Privado  - 4º semestre - Ruber Kreile (in memorian)
Direito Internacional Privado - 4º semestre - Ruber Kreile (in memorian)Fábio Peres
 
“Os direitos sociais como direitos fundamentais contributo para um balanço a...
“Os direitos sociais como direitos fundamentais  contributo para um balanço a...“Os direitos sociais como direitos fundamentais  contributo para um balanço a...
“Os direitos sociais como direitos fundamentais contributo para um balanço a...Fábio Peres
 
Direito Civil IV - Contratos - Mackenzie - 4º Semestre - luis fernando do val...
Direito Civil IV - Contratos - Mackenzie - 4º Semestre - luis fernando do val...Direito Civil IV - Contratos - Mackenzie - 4º Semestre - luis fernando do val...
Direito Civil IV - Contratos - Mackenzie - 4º Semestre - luis fernando do val...Fábio Peres
 
Direito processual penal i 4º semestre - josé reinaldo carneiro
Direito processual penal i   4º semestre - josé reinaldo carneiroDireito processual penal i   4º semestre - josé reinaldo carneiro
Direito processual penal i 4º semestre - josé reinaldo carneiroFábio Peres
 
Direito Constitucional I - Mackenzie - 3º semestre 2013
Direito Constitucional I - Mackenzie - 3º semestre 2013Direito Constitucional I - Mackenzie - 3º semestre 2013
Direito Constitucional I - Mackenzie - 3º semestre 2013Fábio Peres
 
Teoria do estado e da constituição 2º semestre s - mackenzie 2012
Teoria do estado e da constituição   2º semestre s - mackenzie 2012Teoria do estado e da constituição   2º semestre s - mackenzie 2012
Teoria do estado e da constituição 2º semestre s - mackenzie 2012Fábio Peres
 
Introdução ao Direito Processual Civil - 3º semestre - mackenzie 2012
Introdução ao Direito Processual Civil  - 3º semestre - mackenzie 2012Introdução ao Direito Processual Civil  - 3º semestre - mackenzie 2012
Introdução ao Direito Processual Civil - 3º semestre - mackenzie 2012Fábio Peres
 
Direito civil ii 2º semestre s - mackenzie 2012
Direito civil ii   2º semestre s - mackenzie 2012Direito civil ii   2º semestre s - mackenzie 2012
Direito civil ii 2º semestre s - mackenzie 2012Fábio Peres
 
Direito civil iii - 3º semestre 2013 - Mackenzie - Obrigações
Direito civil iii   - 3º semestre 2013 - Mackenzie - ObrigaçõesDireito civil iii   - 3º semestre 2013 - Mackenzie - Obrigações
Direito civil iii - 3º semestre 2013 - Mackenzie - ObrigaçõesFábio Peres
 
Direito processual civil i 4º semestre - maria de fátima maltez
Direito processual civil i   4º semestre - maria de fátima maltezDireito processual civil i   4º semestre - maria de fátima maltez
Direito processual civil i 4º semestre - maria de fátima maltezFábio Peres
 
Ética e Cidadania 2º semestre - mackenzie 2012
Ética e Cidadania   2º semestre - mackenzie 2012Ética e Cidadania   2º semestre - mackenzie 2012
Ética e Cidadania 2º semestre - mackenzie 2012Fábio Peres
 
Direito Penal II - 4º Semestre - Teoria da Pena
Direito Penal II - 4º Semestre - Teoria da PenaDireito Penal II - 4º Semestre - Teoria da Pena
Direito Penal II - 4º Semestre - Teoria da PenaFábio Peres
 
O simples nacional provoca o recolhimento de tributos sobre a renda nas micro...
O simples nacional provoca o recolhimento de tributos sobre a renda nas micro...O simples nacional provoca o recolhimento de tributos sobre a renda nas micro...
O simples nacional provoca o recolhimento de tributos sobre a renda nas micro...berbone
 
Trabalho de conclusão de curso
Trabalho de conclusão de cursoTrabalho de conclusão de curso
Trabalho de conclusão de cursomarcos_redel
 

Destaque (20)

Resumo de matéria do 7º semestre - Guilherme Madeira - Processo Penal (não te...
Resumo de matéria do 7º semestre - Guilherme Madeira - Processo Penal (não te...Resumo de matéria do 7º semestre - Guilherme Madeira - Processo Penal (não te...
Resumo de matéria do 7º semestre - Guilherme Madeira - Processo Penal (não te...
 
Criminologia e Introdução ao Direito Penal 2º semestre - Mackenzie - Alexis...
Criminologia e Introdução ao Direito Penal   2º semestre - Mackenzie - Alexis...Criminologia e Introdução ao Direito Penal   2º semestre - Mackenzie - Alexis...
Criminologia e Introdução ao Direito Penal 2º semestre - Mackenzie - Alexis...
 
Direito Eleitoral - 2º semestre - 2015
Direito Eleitoral - 2º semestre - 2015Direito Eleitoral - 2º semestre - 2015
Direito Eleitoral - 2º semestre - 2015
 
Direito Constitucional II - Controle de constitucionalidade - 4º Semestre - ...
Direito Constitucional II - Controle de constitucionalidade -  4º Semestre - ...Direito Constitucional II - Controle de constitucionalidade -  4º Semestre - ...
Direito Constitucional II - Controle de constitucionalidade - 4º Semestre - ...
 
Direito de empresa Mackenzie - 1º semestre 2013
Direito de empresa   Mackenzie - 1º semestre 2013Direito de empresa   Mackenzie - 1º semestre 2013
Direito de empresa Mackenzie - 1º semestre 2013
 
Direito internacional público luis fernando kuyven - 1º semestre 2013
Direito internacional público   luis fernando kuyven - 1º semestre 2013Direito internacional público   luis fernando kuyven - 1º semestre 2013
Direito internacional público luis fernando kuyven - 1º semestre 2013
 
Direito Internacional Privado - 4º semestre - Ruber Kreile (in memorian)
Direito Internacional Privado  - 4º semestre - Ruber Kreile (in memorian)Direito Internacional Privado  - 4º semestre - Ruber Kreile (in memorian)
Direito Internacional Privado - 4º semestre - Ruber Kreile (in memorian)
 
“Os direitos sociais como direitos fundamentais contributo para um balanço a...
“Os direitos sociais como direitos fundamentais  contributo para um balanço a...“Os direitos sociais como direitos fundamentais  contributo para um balanço a...
“Os direitos sociais como direitos fundamentais contributo para um balanço a...
 
Direito Civil IV - Contratos - Mackenzie - 4º Semestre - luis fernando do val...
Direito Civil IV - Contratos - Mackenzie - 4º Semestre - luis fernando do val...Direito Civil IV - Contratos - Mackenzie - 4º Semestre - luis fernando do val...
Direito Civil IV - Contratos - Mackenzie - 4º Semestre - luis fernando do val...
 
Direito processual penal i 4º semestre - josé reinaldo carneiro
Direito processual penal i   4º semestre - josé reinaldo carneiroDireito processual penal i   4º semestre - josé reinaldo carneiro
Direito processual penal i 4º semestre - josé reinaldo carneiro
 
Direito Constitucional I - Mackenzie - 3º semestre 2013
Direito Constitucional I - Mackenzie - 3º semestre 2013Direito Constitucional I - Mackenzie - 3º semestre 2013
Direito Constitucional I - Mackenzie - 3º semestre 2013
 
Teoria do estado e da constituição 2º semestre s - mackenzie 2012
Teoria do estado e da constituição   2º semestre s - mackenzie 2012Teoria do estado e da constituição   2º semestre s - mackenzie 2012
Teoria do estado e da constituição 2º semestre s - mackenzie 2012
 
Introdução ao Direito Processual Civil - 3º semestre - mackenzie 2012
Introdução ao Direito Processual Civil  - 3º semestre - mackenzie 2012Introdução ao Direito Processual Civil  - 3º semestre - mackenzie 2012
Introdução ao Direito Processual Civil - 3º semestre - mackenzie 2012
 
Direito civil ii 2º semestre s - mackenzie 2012
Direito civil ii   2º semestre s - mackenzie 2012Direito civil ii   2º semestre s - mackenzie 2012
Direito civil ii 2º semestre s - mackenzie 2012
 
Direito civil iii - 3º semestre 2013 - Mackenzie - Obrigações
Direito civil iii   - 3º semestre 2013 - Mackenzie - ObrigaçõesDireito civil iii   - 3º semestre 2013 - Mackenzie - Obrigações
Direito civil iii - 3º semestre 2013 - Mackenzie - Obrigações
 
Direito processual civil i 4º semestre - maria de fátima maltez
Direito processual civil i   4º semestre - maria de fátima maltezDireito processual civil i   4º semestre - maria de fátima maltez
Direito processual civil i 4º semestre - maria de fátima maltez
 
Ética e Cidadania 2º semestre - mackenzie 2012
Ética e Cidadania   2º semestre - mackenzie 2012Ética e Cidadania   2º semestre - mackenzie 2012
Ética e Cidadania 2º semestre - mackenzie 2012
 
Direito Penal II - 4º Semestre - Teoria da Pena
Direito Penal II - 4º Semestre - Teoria da PenaDireito Penal II - 4º Semestre - Teoria da Pena
Direito Penal II - 4º Semestre - Teoria da Pena
 
O simples nacional provoca o recolhimento de tributos sobre a renda nas micro...
O simples nacional provoca o recolhimento de tributos sobre a renda nas micro...O simples nacional provoca o recolhimento de tributos sobre a renda nas micro...
O simples nacional provoca o recolhimento de tributos sobre a renda nas micro...
 
Trabalho de conclusão de curso
Trabalho de conclusão de cursoTrabalho de conclusão de curso
Trabalho de conclusão de curso
 

Semelhante a Sistema Tributário Constitucional - Direito Tributário - Resumo - 7º semestre

LEI COMPLEMENTAR_22_2009_CODIGO TRIBUTARIO.pdf
LEI COMPLEMENTAR_22_2009_CODIGO TRIBUTARIO.pdfLEI COMPLEMENTAR_22_2009_CODIGO TRIBUTARIO.pdf
LEI COMPLEMENTAR_22_2009_CODIGO TRIBUTARIO.pdfLenilda Abreu
 
ISS - Imposto sobre Serviços
ISS - Imposto sobre ServiçosISS - Imposto sobre Serviços
ISS - Imposto sobre ServiçosCláudio Colnago
 
Espécies tributárias -_aula_2_ibet_tsj_10092011_anacarolinacarvalhodias
Espécies tributárias -_aula_2_ibet_tsj_10092011_anacarolinacarvalhodiasEspécies tributárias -_aula_2_ibet_tsj_10092011_anacarolinacarvalhodias
Espécies tributárias -_aula_2_ibet_tsj_10092011_anacarolinacarvalhodiasCarolinaCDias
 
Código Tributário de Bom Jardim MA
Código Tributário de Bom Jardim   MACódigo Tributário de Bom Jardim   MA
Código Tributário de Bom Jardim MAAdilson P Motta Motta
 
Sistema Tributário Nacional
Sistema Tributário NacionalSistema Tributário Nacional
Sistema Tributário NacionalAntonio Pereira
 
Aula ibet espécies tributárias [salvo automaticamente]
Aula ibet   espécies tributárias [salvo automaticamente]Aula ibet   espécies tributárias [salvo automaticamente]
Aula ibet espécies tributárias [salvo automaticamente]Rosangela Garcia
 
Aula ibet espécies tributárias [salvo automaticamente]
Aula ibet   espécies tributárias [salvo automaticamente]Aula ibet   espécies tributárias [salvo automaticamente]
Aula ibet espécies tributárias [salvo automaticamente]Rosangela Garcia
 
Aula ibet espécies tributárias [salvo automaticamente]
Aula ibet   espécies tributárias [salvo automaticamente]Aula ibet   espécies tributárias [salvo automaticamente]
Aula ibet espécies tributárias [salvo automaticamente]Rosangela Garcia
 
Aula ibet espécies tributárias [salvo automaticamente]
Aula ibet   espécies tributárias [salvo automaticamente]Aula ibet   espécies tributárias [salvo automaticamente]
Aula ibet espécies tributárias [salvo automaticamente]Rosangela Garcia
 
Aula ibet espécies tributárias [salvo automaticamente]
Aula ibet   espécies tributárias [salvo automaticamente]Aula ibet   espécies tributárias [salvo automaticamente]
Aula ibet espécies tributárias [salvo automaticamente]Rosangela Garcia
 
Espécies Tributárias
Espécies TributáriasEspécies Tributárias
Espécies TributáriasBetânia Costa
 
Aula ibet espécies tributárias [salvo automaticamente]
Aula ibet   espécies tributárias [salvo automaticamente]Aula ibet   espécies tributárias [salvo automaticamente]
Aula ibet espécies tributárias [salvo automaticamente]Rosangela Garcia
 
Direito Tributario
Direito TributarioDireito Tributario
Direito Tributariootony1ccn1
 
Ebook - Tributação - Entidade sem fin lucrativos.pdf
Ebook - Tributação - Entidade sem fin lucrativos.pdfEbook - Tributação - Entidade sem fin lucrativos.pdf
Ebook - Tributação - Entidade sem fin lucrativos.pdfNelsonSilva433255
 
Congresso ibet 2005 taxas e cides
Congresso ibet 2005 taxas e cidesCongresso ibet 2005 taxas e cides
Congresso ibet 2005 taxas e cidesTacio Lacerda Gama
 

Semelhante a Sistema Tributário Constitucional - Direito Tributário - Resumo - 7º semestre (20)

LEI COMPLEMENTAR_22_2009_CODIGO TRIBUTARIO.pdf
LEI COMPLEMENTAR_22_2009_CODIGO TRIBUTARIO.pdfLEI COMPLEMENTAR_22_2009_CODIGO TRIBUTARIO.pdf
LEI COMPLEMENTAR_22_2009_CODIGO TRIBUTARIO.pdf
 
ISS - Imposto sobre Serviços
ISS - Imposto sobre ServiçosISS - Imposto sobre Serviços
ISS - Imposto sobre Serviços
 
Espécies tributárias -_aula_2_ibet_tsj_10092011_anacarolinacarvalhodias
Espécies tributárias -_aula_2_ibet_tsj_10092011_anacarolinacarvalhodiasEspécies tributárias -_aula_2_ibet_tsj_10092011_anacarolinacarvalhodias
Espécies tributárias -_aula_2_ibet_tsj_10092011_anacarolinacarvalhodias
 
Código Tributário de Bom Jardim MA
Código Tributário de Bom Jardim   MACódigo Tributário de Bom Jardim   MA
Código Tributário de Bom Jardim MA
 
Rev tributário av2 pdf
Rev tributário av2 pdfRev tributário av2 pdf
Rev tributário av2 pdf
 
Sistema tributário Nacional
Sistema tributário NacionalSistema tributário Nacional
Sistema tributário Nacional
 
Sistema Tributário Nacional
Sistema Tributário NacionalSistema Tributário Nacional
Sistema Tributário Nacional
 
Aula ibet espécies tributárias [salvo automaticamente]
Aula ibet   espécies tributárias [salvo automaticamente]Aula ibet   espécies tributárias [salvo automaticamente]
Aula ibet espécies tributárias [salvo automaticamente]
 
Aula ibet espécies tributárias [salvo automaticamente]
Aula ibet   espécies tributárias [salvo automaticamente]Aula ibet   espécies tributárias [salvo automaticamente]
Aula ibet espécies tributárias [salvo automaticamente]
 
Aula ibet espécies tributárias [salvo automaticamente]
Aula ibet   espécies tributárias [salvo automaticamente]Aula ibet   espécies tributárias [salvo automaticamente]
Aula ibet espécies tributárias [salvo automaticamente]
 
Aula ibet espécies tributárias [salvo automaticamente]
Aula ibet   espécies tributárias [salvo automaticamente]Aula ibet   espécies tributárias [salvo automaticamente]
Aula ibet espécies tributárias [salvo automaticamente]
 
Aula ibet espécies tributárias [salvo automaticamente]
Aula ibet   espécies tributárias [salvo automaticamente]Aula ibet   espécies tributárias [salvo automaticamente]
Aula ibet espécies tributárias [salvo automaticamente]
 
Espécies Tributárias
Espécies TributáriasEspécies Tributárias
Espécies Tributárias
 
Aula ibet espécies tributárias [salvo automaticamente]
Aula ibet   espécies tributárias [salvo automaticamente]Aula ibet   espécies tributárias [salvo automaticamente]
Aula ibet espécies tributárias [salvo automaticamente]
 
Direito Tributario
Direito TributarioDireito Tributario
Direito Tributario
 
tributos
tributostributos
tributos
 
Ebook - Tributação - Entidade sem fin lucrativos.pdf
Ebook - Tributação - Entidade sem fin lucrativos.pdfEbook - Tributação - Entidade sem fin lucrativos.pdf
Ebook - Tributação - Entidade sem fin lucrativos.pdf
 
4320
43204320
4320
 
Conceito de tributo, classificação e fontes
Conceito de tributo, classificação e fontesConceito de tributo, classificação e fontes
Conceito de tributo, classificação e fontes
 
Congresso ibet 2005 taxas e cides
Congresso ibet 2005 taxas e cidesCongresso ibet 2005 taxas e cides
Congresso ibet 2005 taxas e cides
 

Mais de Fábio Peres

[Modelo] Igreja Evangélica - Ata de fundação, aprovação de estatuto e eleição...
[Modelo] Igreja Evangélica - Ata de fundação, aprovação de estatuto e eleição...[Modelo] Igreja Evangélica - Ata de fundação, aprovação de estatuto e eleição...
[Modelo] Igreja Evangélica - Ata de fundação, aprovação de estatuto e eleição...Fábio Peres
 
[Modelo] Estatuto de associação - ONG - Fábio Peres da Silva
[Modelo] Estatuto de associação - ONG - Fábio Peres da Silva[Modelo] Estatuto de associação - ONG - Fábio Peres da Silva
[Modelo] Estatuto de associação - ONG - Fábio Peres da SilvaFábio Peres
 
[Modelo] Estatuto de Igreja - Fábio Peres da Silva
[Modelo] Estatuto de Igreja - Fábio Peres da Silva[Modelo] Estatuto de Igreja - Fábio Peres da Silva
[Modelo] Estatuto de Igreja - Fábio Peres da SilvaFábio Peres
 
[Modelo] Regimento Interno de Igreja - Fábio Peres da Silva
[Modelo] Regimento Interno de Igreja - Fábio Peres da Silva[Modelo] Regimento Interno de Igreja - Fábio Peres da Silva
[Modelo] Regimento Interno de Igreja - Fábio Peres da SilvaFábio Peres
 
Estatuto de Igreja - Administração em separado
Estatuto de Igreja - Administração em separadoEstatuto de Igreja - Administração em separado
Estatuto de Igreja - Administração em separadoFábio Peres
 
Concreto e abstrato num beijo de amor
Concreto e abstrato num beijo de amorConcreto e abstrato num beijo de amor
Concreto e abstrato num beijo de amorFábio Peres
 
Os caminhos da vida
Os caminhos da vidaOs caminhos da vida
Os caminhos da vidaFábio Peres
 
[Modelo] Estatuto de Igreja Evangélica - simplificado
[Modelo] Estatuto de Igreja Evangélica - simplificado[Modelo] Estatuto de Igreja Evangélica - simplificado
[Modelo] Estatuto de Igreja Evangélica - simplificadoFábio Peres
 
Os caminhos da vida
Os caminhos da vidaOs caminhos da vida
Os caminhos da vidaFábio Peres
 
[Modelo] Estatuto de Igreja Evangélica
[Modelo] Estatuto de Igreja Evangélica[Modelo] Estatuto de Igreja Evangélica
[Modelo] Estatuto de Igreja EvangélicaFábio Peres
 
História da igreja - IPB e protestantismo no brasil
História da igreja - IPB e protestantismo no brasilHistória da igreja - IPB e protestantismo no brasil
História da igreja - IPB e protestantismo no brasilFábio Peres
 

Mais de Fábio Peres (12)

[Modelo] Igreja Evangélica - Ata de fundação, aprovação de estatuto e eleição...
[Modelo] Igreja Evangélica - Ata de fundação, aprovação de estatuto e eleição...[Modelo] Igreja Evangélica - Ata de fundação, aprovação de estatuto e eleição...
[Modelo] Igreja Evangélica - Ata de fundação, aprovação de estatuto e eleição...
 
[Modelo] Estatuto de associação - ONG - Fábio Peres da Silva
[Modelo] Estatuto de associação - ONG - Fábio Peres da Silva[Modelo] Estatuto de associação - ONG - Fábio Peres da Silva
[Modelo] Estatuto de associação - ONG - Fábio Peres da Silva
 
[Modelo] Estatuto de Igreja - Fábio Peres da Silva
[Modelo] Estatuto de Igreja - Fábio Peres da Silva[Modelo] Estatuto de Igreja - Fábio Peres da Silva
[Modelo] Estatuto de Igreja - Fábio Peres da Silva
 
[Modelo] Regimento Interno de Igreja - Fábio Peres da Silva
[Modelo] Regimento Interno de Igreja - Fábio Peres da Silva[Modelo] Regimento Interno de Igreja - Fábio Peres da Silva
[Modelo] Regimento Interno de Igreja - Fábio Peres da Silva
 
Estatuto de Igreja - Administração em separado
Estatuto de Igreja - Administração em separadoEstatuto de Igreja - Administração em separado
Estatuto de Igreja - Administração em separado
 
Concreto e abstrato num beijo de amor
Concreto e abstrato num beijo de amorConcreto e abstrato num beijo de amor
Concreto e abstrato num beijo de amor
 
Os caminhos da vida
Os caminhos da vidaOs caminhos da vida
Os caminhos da vida
 
[Modelo] Estatuto de Igreja Evangélica - simplificado
[Modelo] Estatuto de Igreja Evangélica - simplificado[Modelo] Estatuto de Igreja Evangélica - simplificado
[Modelo] Estatuto de Igreja Evangélica - simplificado
 
Os caminhos da vida
Os caminhos da vidaOs caminhos da vida
Os caminhos da vida
 
O jogo de xadrez
O jogo de xadrezO jogo de xadrez
O jogo de xadrez
 
[Modelo] Estatuto de Igreja Evangélica
[Modelo] Estatuto de Igreja Evangélica[Modelo] Estatuto de Igreja Evangélica
[Modelo] Estatuto de Igreja Evangélica
 
História da igreja - IPB e protestantismo no brasil
História da igreja - IPB e protestantismo no brasilHistória da igreja - IPB e protestantismo no brasil
História da igreja - IPB e protestantismo no brasil
 

Sistema Tributário Constitucional - Direito Tributário - Resumo - 7º semestre

  • 1. Sistema Tributário Constitucional Conceito de tributo “Tributo é toda prestação pecuniária compulsória, em moeda ou cujo valor nela se possa exprimir, que não constitua sanção de ato ilícito, instituída em lei e cobrada mediante atividade administrativa plenamente vinculada.” (CTN, art. 3º) Traduzindo ... Trata-se: • da obrigação de se entregar valor monetário (dinheiro) ao Estado, • independentemente da minha vontade, • instituída em Lei • e cobrada por ato administrativo vinculado (não há discricionariedade do Estado). Espécies tributárias - Impostos • Nos termos do art. 16 do CTN, imposto é “o tributo cuja obrigação tem por fato gerador uma situação independente de qualquer atividade estatal específica, relativa ao contribuinte”. Espécies tributárias - Taxas • Conforme art. 77 do CTN, as taxas “têm como fato gerador o exercício regular do poder de polícia, ou a utilização, efetiva ou potencial, de serviço público específico e divisível, prestado ao contribuinte ou posto à sua disposição”. • São geradas pela prestação de serviços do Poder Público: o União / Estados / Municípios • Fixadas em função de serviços específicos divisíveis (forma presumida), que podem ser prestados para uma parcela específica da população. o Ex.: taxa do lixo (só para quem arrecada em sua casa) • Podem ser, ainda, fixadas por conta do poder de polícia (delimitando interesse individual em prol do coletivo). o Ex.: taxa para fiscalização sanitária (sujeito à fiscalização) Espécies tributárias – Contribuição de melhorias “A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios poderão instituir os seguintes tributos: (...) III - contribuição de melhoria, decorrente de obras públicas.” (CF, art. 145, III) Código Tributário Nacional: Art. 81. A contribuição de melhoria cobrada pela União, pelos Estados, pelo Distrito Federal ou pelos Municípios, no âmbito de suas respectivas atribuições, é instituída para fazer face ao custo de obras públicas de que decorra valorização imobiliária, tendo como limite total a despesa realizada e como limite individual o acréscimo de valor que da obra resultar para cada imóvel beneficiado. http://resumoseaulas.blogspot.co m Fábio Peres da Silva 1
  • 2. Sistema Tributário Constitucional CTN, Art. 82: “A lei relativa à contribuição de melhoria observará os seguintes requisitos mínimos: I - publicação prévia dos seguintes elementos: a) memorial descritivo do projeto; b) orçamento do custo da obra; c) determinação da parcela do custo da obra a ser financiada pela contribuição; d) delimitação da zona beneficiada; e) determinação do fator de absorção do benefício da valorização para toda a zona ou para cada uma das áreas diferenciadas, nela contidas; II - fixação de prazo não inferior a 30 (trinta) dias, para impugnação pelos interessados, de qualquer dos elementos referidos no inciso anterior; III - regulamentação do processo administrativo de instrução e julgamento da impugnação a que se refere o inciso anterior, sem prejuízo da sua apreciação judicial. § 1º A contribuição relativa a cada imóvel será determinada pelo rateio da parcela do custo da obra a que se refere a alínea c, do inciso I, pelos imóveis situados na zona beneficiada em função dos respectivos fatores individuais de valorização. § 2º Por ocasião do respectivo lançamento, cada contribuinte deverá ser notificado do montante da contribuição, da forma e dos prazos de seu pagamento e dos elementos que integram o respectivo cálculo.” • Um bom exemplo é o da “taxa” de pavimentação: não se pode dizer que é taxa, mas sim contribuição de melhoria (já que é obrigação do Estado). Outras contribuições (Constituição Federal, artigos 149, 149-A, 195): • Contribuições sociais • Intervenção no domínio econômico (Cide) • Categorias profissionais ou econômicas • Seguridade social “Compete exclusivamente à União instituir contribuições sociais, de intervenção no domínio econômico e de interesse das categorias profissionais ou econômicas, como instrumento de sua atuação nas respectivas áreas, observado o disposto nos arts. 146, III, e 150, I e III, e sem prejuízo do previsto no art. 195, § 6º, relativamente às contribuições a que alude o dispositivo”. (CF, art. 149). “Os Municípios e o Distrito Federal poderão instituir contribuição, na forma das respectivas leis, para o custeio do serviço de iluminação pública, observado o disposto no art. 150, I e III”. (CF, art. 149-A). “A seguridade social será financiada por toda a sociedade, de forma direta e indireta, nos termos da lei, mediante recursos provenientes dos orçamentos da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, e das seguintes contribuições sociais:” (CF, art. 195, “caput”). http://resumoseaulas.blogspot.co m Fábio Peres da Silva 2
  • 3. Sistema Tributário Constitucional Princípios do Sistema Constitucional Tributário: • Estrita legalidade • Irretroatividade • Anterioridade • Anterioridade nonagesimal Imunidade tributária: refere-se à vedação constitucional ao poder de tributar. • Lista das entidades especificadas no CTN, artigo 9º, IV: o União não cobra dos Estados e DF, nem dos Municípios, e vice-versa; o Templos de qualquer culto (observação: o que é ligado ao templo); o Partidos políticos e entidades sindicais. o Instituições de educação e assistência social sem fins lucrativos. o Papel para impressão de jornais, revistas (periódicos) e livros. • Requisitos das entidades sindicais e partidos políticos (CTN, artigo 14): o Não distribuir do fruto de seus rendimentos; o Aplicar integralmente no país os seus recursos; o Manter escrituração formal de receitas e despesas. “É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios: (...) IV - cobrar imposto sobre: a) o patrimônio, a renda ou os serviços uns dos outros; b) templos de qualquer culto; c) o patrimônio, a renda ou serviços dos partidos políticos, inclusive suas fundações, das entidades sindicais dos trabalhadores, das instituições de educação e de assistência social, sem fins lucrativos, observados os requisitos fixados na Seção II deste Capítulo; d) papel destinado exclusivamente à impressão de jornais, periódicos e livros. § 1º O disposto no inciso IV não exclui a atribuição, por lei, às entidades nele referidas, da condição de responsáveis pelos tributos que lhes caiba reter na fonte, e não as dispensa da prática de atos, previstos em lei, assecuratórios do cumprimento de obrigações tributárias por terceiros. § 2º O disposto na alínea a do inciso IV aplica-se, exclusivamente, aos serviços próprios das pessoas jurídicas de direito público a que se refere este artigo, e inerentes aos seus objetivos”. (CTN, artigo 9º, IV e parágrafos) “O disposto na alínea c do inciso IV do artigo 9º é subordinado à observância dos seguintes requisitos pelas entidades nele referidas: I – não distribuírem qualquer parcela de seu patrimônio ou de suas rendas, a qualquer título; II - aplicarem integralmente, no País, os seus recursos na manutenção dos seus objetivos institucionais; http://resumoseaulas.blogspot.co m Fábio Peres da Silva 3
  • 4. Sistema Tributário Constitucional III - manterem escrituração de suas receitas e despesas em livros revestidos de formalidades capazes de assegurar sua exatidão. § 1º Na falta de cumprimento do disposto neste artigo, ou no § 1º do artigo 9º, a autoridade competente pode suspender a aplicação do benefício. § 2º Os serviços a que se refere a alínea c do inciso IV do artigo 9º são exclusivamente, os diretamente relacionados com os objetivos institucionais das entidades de que trata este artigo, previstos nos respectivos estatutos ou atos constitutivos.” (CTN, art. 14) http://resumoseaulas.blogspot.co m Fábio Peres da Silva 4
  • 5. Sistema Tributário Constitucional Fontes do Direito Tributário: • Constituição Federal • Leis complementares • Leis ordinárias CTN, artigo 96 (leis, tratados, convenções, decretos e normas complementares) “A expressão "legislação tributária" compreende as leis, os tratados e as convenções internacionais, os decretos e as normas complementares que versem, no todo ou em parte, sobre tributos e relações jurídicas a eles pertinentes.” CTN, artigo 97 (assuntos que só podem ser regulados por Lei) “Somente a lei pode estabelecer: I - a instituição de tributos, ou a sua extinção; II - a majoração de tributos, ou sua redução, ressalvado o disposto nos artigos 21, 26, 39, 57 e 65; III - a definição do fato gerador da obrigação tributária principal, ressalvado o disposto no inciso I do § 3º do artigo 52, e do seu sujeito passivo; IV - a fixação de alíquota do tributo e da sua base de cálculo, ressalvado o disposto nos artigos 21, 26, 39, 57 e 65; V - a cominação de penalidades para as ações ou omissões contrárias a seus dispositivos, ou para outras infrações nela definidas; VI - as hipóteses de exclusão, suspensão e extinção de créditos tributários, ou de dispensa ou redução de penalidades. § 1º Equipara-se à majoração do tributo a modificação da sua base de cálculo, que importe em torná-lo mais oneroso. § 2º Não constitui majoração de tributo, para os fins do disposto no inciso II deste artigo, a atualização do valor monetário da respectiva base de cálculo.” Dispositivos legais citados no artigo 97 do CTN, do mesmo Código: • Artigo 21: Imposto sobre a Importação (alíquota e bases); • Artigo 26: Imposto sobre a Exportação (alíquota e bases); • Artigo 39: ITBI; • Artigo 57: revogado; • Artigo 52, inciso I, § 3º: revogado; • Artigo 65: IOF. CTN, artigos 98-100 (tratados e convenções; restrição ao alcance dos decretos) “Art. 98. Os tratados e as convenções internacionais revogam ou modificam a legislação tributária interna, e serão observados pela que lhes sobrevenha. Art. 99. O conteúdo e o alcance dos decretos restringem-se aos das leis em função das quais sejam expedidos, determinados com observância das regras de interpretação estabelecidas nesta Lei. http://resumoseaulas.blogspot.co m Fábio Peres da Silva 5
  • 6. Sistema Tributário Constitucional Art. 100. São normas complementares das leis, dos tratados e das convenções internacionais e dos decretos: I - os atos normativos expedidos pelas autoridades administrativas; II - as decisões dos órgãos singulares ou coletivos de jurisdição administrativa, a que a lei atribua eficácia normativa; III - as práticas reiteradamente observadas pelas autoridades administrativas; IV - os convênios que entre si celebrem a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios. Parágrafo único. A observância das normas referidas neste artigo exclui a imposição de penalidades, a cobrança de juros de mora e a atualização do valor monetário da base de cálculo do tributo.” http://resumoseaulas.blogspot.co m Fábio Peres da Silva 6
  • 7. Sistema Tributário Constitucional Vigência, aplicação e interpretação: Vigência: no espaço e no tempo seguem as regras da LINDB. Aplicação: sempre é voltada para o futuro. • Exceção: CTN, artigo 106. • No caso do inciso II do artigo 106, observe as restrições: o Deixar de definir o ato como infração; o Deixar de exigir obrigação o Penalidade menos severa (ATENÇÃO: somente para penalidade, não para a aplicação do tributo) “A lei aplica-se a ato ou fato pretérito: I - em qualquer caso, quando seja expressamente interpretativa, excluída a aplicação de penalidade à infração dos dispositivos interpretados; II - tratando-se de ato não definitivamente julgado: a) quando deixe de defini-lo como infração; b) quando deixe de tratá-lo como contrário a qualquer exigência de ação ou omissão, desde que não tenha sido fraudulento e não tenha implicado em falta de pagamento de tributo; c) quando lhe comine penalidade menos severa que a prevista na lei vigente ao tempo da sua prática.”(CTN, artigo 106) Interpretação: • Base para interpretar a legislação tributária, conforme o artigo 108 do CTN: analogia; princípios de direito tributário; princípios de direito público; e, finalmente, equidade. o Restrições da analogia: não pode exigir tributo não previsto em lei. o Restrições da equidade: não pode dispensar pagamento de tributos. • CTN, artigo 109: princípios de direito privado não servem para estabelecer competências tributárias, servem como delimitador geral (conceitos e alcance). o Um (direito privado) não invade o escopo do outro (direito tributário) • CTN, artigo 110: especificidade da lei tributária: o Não altera institutos tributários definidos na CF. • CTN, artigo 111: hipóteses em que a lei deve ser interpretada literalmente. o Suspensão ou exclusão de crédito o Outorga de isenção o Dispensa do cumprimento de obrigações tributárias • CTN, artigo 112: “in dubio pro reu” na lei tributária – refere-se à natureza das penalidades, especificamente quanto ao seguintes fatores: o Legalidade do fato. o Natureza do fato, ou de seus efeitos. o Autoria e imputabilidade (ou punibilidade) o Penalidade aplicável ao caso. http://resumoseaulas.blogspot.co m Fábio Peres da Silva 7
  • 8. Sistema Tributário Constitucional Código Tributário Nacional: “Art. 108. Na ausência de disposição expressa, a autoridade competente para aplicar a legislação tributária utilizará sucessivamente, na ordem indicada: I - a analogia; II - os princípios gerais de direito tributário; III - os princípios gerais de direito público; IV - a eqüidade. § 1º O emprego da analogia não poderá resultar na exigência de tributo não previsto em lei. § 2º O emprego da eqüidade não poderá resultar na dispensa do pagamento de tributo devido. Art. 109. Os princípios gerais de direito privado utilizam-se para pesquisa da definição, do conteúdo e do alcance de seus institutos, conceitos e formas, mas não para definição dos respectivos efeitos tributários. Art. 110. A lei tributária não pode alterar a definição, o conteúdo e o alcance de institutos, conceitos e formas de direito privado, utilizados, expressa ou implicitamente, pela Constituição Federal, pelas Constituições dos Estados, ou pelas Leis Orgânicas do Distrito Federal ou dos Municípios, para definir ou limitar competências tributárias. Art. 111. Interpreta-se literalmente a legislação tributária que disponha sobre: I - suspensão ou exclusão do crédito tributário; II - outorga de isenção; III - dispensa do cumprimento de obrigações tributárias acessórias. Art. 112. A lei tributária que define infrações, ou lhe comina penalidades, interpreta-se da maneira mais favorável ao acusado, em caso de dúvida quanto: I - à capitulação legal do fato; II - à natureza ou às circunstâncias materiais do fato, ou à natureza ou extensão dos seus efeitos; III - à autoria, imputabilidade, ou punibilidade; IV - à natureza da penalidade aplicável, ou à sua graduação.” http://resumoseaulas.blogspot.co m Fábio Peres da Silva 8