SlideShare uma empresa Scribd logo
Sistema Endócrino
OO SSiisstteemmaa EEnnddóóccrriinnoo utiliza a corrente sanguínea como 
meio de transporte para substâncias específicas, os 
hhoorrmmôônniiooss; 
OOss hhoorrmmôônniiooss espalham-se por todo o corpo, porém 
desencadeiam reações em células específicas, sensíveis 
a eles; 
AAss ggllâânndduullaass são órgãos especializados em produzir e 
liberar substâncias, que sejam para uso interno do 
corpo, ou para excreção ao meio externo (ex: glândulas 
sudoríparas, produzem o suor).
Sistema Endócrino
AAss GGllâânndduullaass EEnnddóóccrriinnaass:: 
 Não possuem ductos; 
Liberam os hormônios diretamente na corrente 
sanguínea; 
VVaassoo SSaanngguuíínneeoo 
““CCéélluullaa--AAllvvoo”” 
Hormônio 
............. 
CCéélluullaa ddee GGllâânndduullaa EEnnddóóccrriinnaa 
.............
Órgão ÓÓÓrrrgggãããooo ddddoooo SSSSiiiisssstttteeeemmmmaaaa EEEEnnnnddddóóóóccccrrrriiiinnnnoooo 
HHHHoooorrrrmmmmôôôônnnniiiioooo 
pprroodduuzz 
qquuee éé lliibbeerraaddoo nnaa 
CCCCoooorrrrrrrreeeennnntttteeee SSSSaaaannnngggguuuuíííínnnneeeeaaaa 
aattuuaa ssoobbrree 
““““CCCCéééélllluuuullllaaaassss----aaaallllvvvvoooo””””,,,, aaaassss vvvveeeezzzzeeeessss ddddiiiissssttttaaaannnntttteeeessss 
qquuee eexxiibbeemm 
RRRReeeeaaaaççççõõõõeeeessss eeeemmmm rrrreeeessssppppoooossssttttaaaa aaaaoooo hhhhoooorrrrmmmmôôôônnnniiiioooo
HHiippoottáállaammoo:: PPrroodduuzz vváárriiooss 
hhoorrmmôônniiooss qquuee iinnfflluueenncciiaamm aa 
ggllâânndduullaa hhiippóóffiissee.. 
GGllâânndduullaa PPiinneeaall:: PPrroodduuzz oo 
hhoorrmmôônniioo qquuee aaffeettaa oo rreellóóggiioo 
bbiioollóóggiiccoo,, iissttoo éé,, oo cciicclloo nnaattuurraall 
ddoo ccoorrppoo ddee aattiivviiddaaddee ee rreeppoouussoo.. 
GGGGllllâââânnnndddduuuullllaaaa EEEEnnnnddddóóóóccccrrrriiiinnnnaaaa 
PPPPoooossssssssuuuuiiii CCCCéééélllluuuullllaaaassss EEEEnnnnddddóóóóccccrrrriiiinnnnaaaassss
GGllâânndduullaa AAddrreennaaiiss:: SSããoo dduuaass,, pprroodduuzz 
vváárriiooss hhoorrmmôônniiooss,, uumm eexxeemmpplloo éé aa 
aaddrreennaalliinnaa,, qquuee éé lliibbeerraaddoo eemm 
mmoommeennttooss ddee tteennssããoo ee eessttrreessssee.. 
GGGGllllâââânnnndddduuuullllaaaa EEEEnnnnddddóóóóccccrrrriiiinnnnaaaa 
PPâânnccrreeaass:: PPrroodduuzz eennttrree oouuttrrooss,, oo 
gglluuccaaggoonn ee aa iinnssuulliinnaa,, qquuee aattuuaamm nnaa 
mmaannuutteennççããoo ddaa ccoonncceennttrraaççããoo 
nnoorrmmaall ddee gglliiccoossee nnoo ssaanngguuee.. 
PPPPoooossssssssuuuuiiii CCCCéééélllluuuullllaaaassss EEEEnnnnddddóóóóccccrrrriiiinnnnaaaassss
GGllâânndduullaa HHiippóóffiissee:: ÉÉ ccoonnssiiddeerraaddaa 
ggllâânndduullaa mmeessttrraa,, ppooiiss sseeuuss hhoorrmmôônniiooss 
iinnfflluueenncciiaamm ee ccoonnttrroollaamm aa aattiivviiddaaddee 
ddee vvaarriiaass oouuttrraass ggllâânndduullaass.. 
GGGGllllâââânnnndddduuuullllaaaa EEEEnnnnddddóóóóccccrrrriiiinnnnaaaa 
GGllâânndduullaa TTiirreeóóiiddee:: LLiibbeerraa hhoorrmmôônniiooss 
ccoommoo aa ttiirrooxxiinnaa,, qquuee ccoonnttrroollaa aa 
vveelloocciiddaaddee ddoo mmeettaabboolliissmmoo ddaass 
ccéélluullaass,, oo ddeesseennvvoollvviimmeennttoo ee oo 
ffuunncciioonnaammeennttoo ddee vváárriiooss óórrggããooss.. 
GGGGllllâââânnnndddduuuullllaaaa EEEEnnnnddddóóóóccccrrrriiiinnnnaaaa
OOvváárriioo:: Produzem progesterona e um conjunto de hormônios 
chamados de estrógeno, ambos, são hormônios sexuais femininos. 
GGGGllllâââânnnndddduuuullllaaaa EEEEnnnnddddóóóóccccrrrriiiinnnnaaaa 
TTeessttííccuullooss:: Produzem um conjunto de hormônios sexuais 
masculinos, entre eles destaca-se a testosterona. 
GGGGllllâââânnnndddduuuullllaaaa EEEEnnnnddddóóóóccccrrrriiiinnnnaaaa
AAss GGllâânndduullaass EExxóóccrriinnaass:: 
 Possuem ductos; 
 Através dos ductos, é descarregado no exterior do corpo ou 
em cavidades internas, as substancias produzidas pelas 
glândulas exócrinas; 
EExxeemmppllooss:: 
 GGllâânndduullaass SSuuddoorrííppaarraass ;; 
 GGllâânndduullaass SSeebbáácceeaass..
AAAAddddrrrreeeennnnaaaalllliiiinnnnaaaa 
MMoonnttaannhhaa--rruussssaa 
Produzido pelas GGllâânndduullaass AAddrreennaaiiss, a 
Adrenalina acelera os batimentos 
cardíacos, ritmo respiratório, a 
contração muscular e o corpo fica 
menos sensível ao cansaço. 
A liberação da adrenalina é a resposta 
do corpo para momentos de atividades 
intensas, como ao levar um susto, 
preparar para fugir de algo perigoso, 
estar em situações excitantes, entre 
outras.
HHHHoooorrrrmmmmôôôônnnniiiioooo ddddoooo CCCCrrrreeeesssscccciiiimmmmeeeennnnttttoooo 
Produzido pela hipófise, é um 
hormônio que desencadeia 
respostas mais longas e duradouras. 
Este hormônio controla o 
crescimento dos ossos e a produção 
de proteínas, regulando, assim o 
aumento da estatura do indivíduo, 
até atingir o tamanho adulto.
MMMMuuuuddddaaaannnnççççaaaassss nnnnaaaa PPPPuuuubbbbeeeerrrrddddaaaaddddeeee 
A adolescência vai dos 12 aos 20 anos, é a fase marcada por varias mudanças 
corpóreas. A adolescência transforma, gradualmente, crianças em adultos. 
Nessa fase, o hhiippoottáállaammoo estimula a ggllâânndduullaa hhiippóóffiissee e esta, por sua vez, 
libera hormônios que desencadeiam o desenvolvimento e o 
amadurecimentos das gônadas (testículos e ovários). 
Com o amadurecimento das gônadas, começa a produção de testosterona 
(testículos) e progesterona (ovários) e meninos e meninas começam a 
desenvolver as características sexuais secundarias.
Mudanças na Puberdade: Características MMMuuudddaaannnçççaaasss nnnaaa PPPuuubbbeeerrrdddaaadddeee::: CCCaaarrraaacccttteeerrríííssstttiiicccaaasss SSSSeeeexxxxuuuuaaaaiiiissss SSSSeeeeccccuuuunnnnddddáááárrrriiiiaaaassss 
HHHHoooommmmeeeemmmm MMMMuuuullllhhhheeeerrrr 
AAAAlllltttteeeerrrraaaaççççããããoooo nnnnaaaa VVVVoooozzzz 
PPPPeeeelllloooossss 
SSSSiiiisssstttteeeemmmmaaaa ggggeeeennnniiiittttaaaallll mmmmaaaadddduuuurrrroooo 
AAAAuuuummmmeeeennnnttttoooo ddddaaaa mmmmaaaassssssssaaaa mmmmuuuussssccccuuuullllaaaarrrr 
MMMMaaaammmmaaaassss mmmmaaaaiiiissss vvvvoooolllluuuummmmoooossssaaaassss 
PPPPeeeelllloooossss 
SSSSiiiisssstttteeeemmmmaaaa ggggeeeennnniiiittttaaaallll mmmmaaaadddduuuurrrroooo 
QQQQuuuuaaaaddddrrrriiiissss aaaarrrrrrrreeeeddddoooonnnnddddaaaaddddoooossss
HHHHiiiippppoooottttiiiirrrreeeeooooiiiiddddiiiissssmmmmoooo 
Quando a tireóide produz pouca tiroxina, fala-se 
hipotireodismo; 
Com a não produção da tiroxina, ocorre: 
 Lentidão do metabolismo; 
 Grande risco de obesidade; 
 Intolerantes ao frio; 
 Lentidão no raciocínio e nas atividades físicas; 
 Aparecimento do Bócio (crescimento exagerado 
da tireóide). 
Para diminuir a incidência de bócio (figura 01), por 
lei todos os fabricantes de Sal de Cozinha 
devem acrescentar ao produto iodo. 
FFFFiiiigggguuuurrrraaaa 00001111
HHHHiiiippppeeeerrrrttttiiiirrrreeeeooooiiiiddddiiiissssmmmmoooo 
Quando a tireóide produz em excesso a tiroxina, fala-se hipertireodismo; 
Com a produção em excesso da tiroxina, ocorre: 
 Acelera o metabolismo; 
 Grande risco de magreza excessiva; 
 Alta pressão arterial; 
 Aumento da temperatura corpórea; 
 Aparecimento do Bócio (crescimento exagerado da tireóide).
DDDDiiiiaaaabbbbeeeetttteeeessss TTTTiiiippppoooo IIII 
A Diabetes tipo I ocorre quando: 
 Há uma incapacidade do organismo em 
produzir insulina; 
Esse tipo de diabetes manifesta-se geralmente na 
infância. Se não for tratada corretamente, 
pode provocar vários problemas, como por 
exemplo: 
 Problemas circulatórios e visuais; 
 Problemas renais; 
 Pode chegar a provocar o coma e a morte. 
Dieta rígida e injeções regulares de insulina 
ajudam no controle da doença.
DDDDiiiiaaaabbbbeeeetttteeeessss TTTTiiiippppoooo IIIIIIII 
A Diabetes tipo II ocorre quando: 
 Redução da capacidade do organismo em produzir 
insulina; 
 Perda da sensibilidade das células a insulina. 
Esse tipo de diabetes manifesta-se geralmente em 
pessoas acima dos 40 anos, pode ocorrer em 
crianças com obesidade. Se não for tratada 
corretamente, pode provocar vários problemas, 
muitos similares ao tipo 1, como: 
 Problemas circulatórios e visuais; 
 Problemas renais; 
 Sede excessiva; 
 Pode chegar a provocar o coma e a morte. 
Dieta rígida e o uso de medicamentos.
Produzida por algumas células pancreáticas, a insulina é liberada na 
corrente sanguínea, quando o nível de glicose aumenta no sangue. 
Favorecendo: 
 Armazenamento da glicose; 
 A transformação da gglliiccoossee em gglliiccooggêênniioo; 
A Insulina atua também em muitos tipos de célula do organismo, 
particularmente as musculares, estimulando a entrada de glicose 
nelas. 
O efeito da Insulina coloca glicose a disposição da respiração celular, já 
que estimula a sua entrada nas células. 
Com o nível saudável de Insulina o risco de diabetes cai!
Produzida por algumas células pancreáticas, o glucagon também é 
envolvido na regulação de açúcar no sangue. 
Favorece: 
 Armazenamento da glicose; 
 A transformação da gglliiccooggêênniioo em gglliiccoossee; 
O glucagon estimula a conversão de glicogênio em glicose e a 
subsequente liberação dela na corrente sanguínea.
FFiimm

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sistema respiratorio powerpoint
Sistema respiratorio powerpointSistema respiratorio powerpoint
Sistema respiratorio powerpoint
isabelalexandrapinto
 
Sistema urinário
Sistema urinárioSistema urinário
Sistema urinário
César Milani
 
Aula: Sistema Endócrino (Power Point)
Aula: Sistema Endócrino (Power Point)Aula: Sistema Endócrino (Power Point)
Aula: Sistema Endócrino (Power Point)
Bio
 
14 o sistema nervoso
14   o sistema nervoso14   o sistema nervoso
14 o sistema nervoso
Rebeca Vale
 
Sistema digestivo
Sistema digestivoSistema digestivo
Sistema digestivo
Cláudia Moura
 
Sistema circulatorio powerpoint
Sistema circulatorio powerpointSistema circulatorio powerpoint
Sistema circulatorio powerpoint
isabelalexandrapinto
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
Catir
 
Sistema reprodutor (masculino e feminino)
Sistema reprodutor (masculino e feminino)Sistema reprodutor (masculino e feminino)
Sistema reprodutor (masculino e feminino)
Lucas Fontes
 
Sistema Digestivo
Sistema DigestivoSistema Digestivo
Sistema Digestivo
Gabriela Bruno
 
O sistema linfático
O sistema linfáticoO sistema linfático
O sistema linfático
Catir
 
Sistema circulatório
Sistema circulatórioSistema circulatório
Sistema circulatório
Cláudia Moura
 
fecundação, gravidez e início da vida
fecundação, gravidez e início da vida fecundação, gravidez e início da vida
fecundação, gravidez e início da vida
Isabel Lopes
 
Sistema excretor
Sistema excretorSistema excretor
Sistema excretor
emanuel
 
Sistema Muscular
Sistema MuscularSistema Muscular
Sistema Muscular
Fernando Dias
 
Sistema urinário
Sistema urinárioSistema urinário
Sistema urinário
Cláudia Moura
 
Sistema urinário - Anatomia humana
Sistema urinário - Anatomia humanaSistema urinário - Anatomia humana
Sistema urinário - Anatomia humana
Marília Gomes
 
Composição Química do Ser Vivo
Composição Química do Ser VivoComposição Química do Ser Vivo
Composição Química do Ser Vivo
Killer Max
 
Sistema endócrino.pptx
Sistema endócrino.pptxSistema endócrino.pptx
Sistema endócrino.pptx
Natalia Mikaele Vasconcellos
 
Aula 06 sistema nervoso - anatomia e fisiologia
Aula 06   sistema nervoso - anatomia e fisiologiaAula 06   sistema nervoso - anatomia e fisiologia
Aula 06 sistema nervoso - anatomia e fisiologia
Hamilton Nobrega
 
Sistema locomotor slides
Sistema locomotor slidesSistema locomotor slides
Sistema locomotor slides
Gedimar Pereira
 

Mais procurados (20)

Sistema respiratorio powerpoint
Sistema respiratorio powerpointSistema respiratorio powerpoint
Sistema respiratorio powerpoint
 
Sistema urinário
Sistema urinárioSistema urinário
Sistema urinário
 
Aula: Sistema Endócrino (Power Point)
Aula: Sistema Endócrino (Power Point)Aula: Sistema Endócrino (Power Point)
Aula: Sistema Endócrino (Power Point)
 
14 o sistema nervoso
14   o sistema nervoso14   o sistema nervoso
14 o sistema nervoso
 
Sistema digestivo
Sistema digestivoSistema digestivo
Sistema digestivo
 
Sistema circulatorio powerpoint
Sistema circulatorio powerpointSistema circulatorio powerpoint
Sistema circulatorio powerpoint
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 
Sistema reprodutor (masculino e feminino)
Sistema reprodutor (masculino e feminino)Sistema reprodutor (masculino e feminino)
Sistema reprodutor (masculino e feminino)
 
Sistema Digestivo
Sistema DigestivoSistema Digestivo
Sistema Digestivo
 
O sistema linfático
O sistema linfáticoO sistema linfático
O sistema linfático
 
Sistema circulatório
Sistema circulatórioSistema circulatório
Sistema circulatório
 
fecundação, gravidez e início da vida
fecundação, gravidez e início da vida fecundação, gravidez e início da vida
fecundação, gravidez e início da vida
 
Sistema excretor
Sistema excretorSistema excretor
Sistema excretor
 
Sistema Muscular
Sistema MuscularSistema Muscular
Sistema Muscular
 
Sistema urinário
Sistema urinárioSistema urinário
Sistema urinário
 
Sistema urinário - Anatomia humana
Sistema urinário - Anatomia humanaSistema urinário - Anatomia humana
Sistema urinário - Anatomia humana
 
Composição Química do Ser Vivo
Composição Química do Ser VivoComposição Química do Ser Vivo
Composição Química do Ser Vivo
 
Sistema endócrino.pptx
Sistema endócrino.pptxSistema endócrino.pptx
Sistema endócrino.pptx
 
Aula 06 sistema nervoso - anatomia e fisiologia
Aula 06   sistema nervoso - anatomia e fisiologiaAula 06   sistema nervoso - anatomia e fisiologia
Aula 06 sistema nervoso - anatomia e fisiologia
 
Sistema locomotor slides
Sistema locomotor slidesSistema locomotor slides
Sistema locomotor slides
 

Destaque

Defesa de Estágio
Defesa de EstágioDefesa de Estágio
Defesa de Estágio
Killer Max
 
Moscas das-frutas
Moscas das-frutasMoscas das-frutas
Moscas das-frutas
Killer Max
 
Força Eletromagnética
Força EletromagnéticaForça Eletromagnética
Força Eletromagnética
Killer Max
 
Vacinação aftosa e brucelose
Vacinação aftosa e bruceloseVacinação aftosa e brucelose
Vacinação aftosa e brucelose
Killer Max
 
Química Ambiental
Química AmbientalQuímica Ambiental
Química Ambiental
Killer Max
 
A cultura do mamão (carica papaya L.)
A cultura do mamão (carica papaya L.)A cultura do mamão (carica papaya L.)
A cultura do mamão (carica papaya L.)
Killer Max
 
Manejo reprodutivo de bovinos
Manejo reprodutivo de bovinosManejo reprodutivo de bovinos
Manejo reprodutivo de bovinos
Killer Max
 
Manejo reprodutivo de caprinos e ovinos
Manejo reprodutivo de caprinos e ovinosManejo reprodutivo de caprinos e ovinos
Manejo reprodutivo de caprinos e ovinos
Killer Max
 
Manejo sanitário para caprinos e ovinos
Manejo sanitário para caprinos e ovinosManejo sanitário para caprinos e ovinos
Manejo sanitário para caprinos e ovinos
Killer Max
 
Diferenças entre ovinos e caprinos
Diferenças entre ovinos e caprinosDiferenças entre ovinos e caprinos
Diferenças entre ovinos e caprinos
Killer Max
 
Raças de gado de leite
Raças de gado de leiteRaças de gado de leite
Raças de gado de leite
Killer Max
 
Pelagem de Equinos
Pelagem de EquinosPelagem de Equinos
Pelagem de Equinos
Killer Max
 
Sistemas de criação para ovinos e caprinos
Sistemas de criação para ovinos e caprinosSistemas de criação para ovinos e caprinos
Sistemas de criação para ovinos e caprinos
Killer Max
 
Cultura do arroz
Cultura do arrozCultura do arroz
Cultura do arroz
Killer Max
 

Destaque (14)

Defesa de Estágio
Defesa de EstágioDefesa de Estágio
Defesa de Estágio
 
Moscas das-frutas
Moscas das-frutasMoscas das-frutas
Moscas das-frutas
 
Força Eletromagnética
Força EletromagnéticaForça Eletromagnética
Força Eletromagnética
 
Vacinação aftosa e brucelose
Vacinação aftosa e bruceloseVacinação aftosa e brucelose
Vacinação aftosa e brucelose
 
Química Ambiental
Química AmbientalQuímica Ambiental
Química Ambiental
 
A cultura do mamão (carica papaya L.)
A cultura do mamão (carica papaya L.)A cultura do mamão (carica papaya L.)
A cultura do mamão (carica papaya L.)
 
Manejo reprodutivo de bovinos
Manejo reprodutivo de bovinosManejo reprodutivo de bovinos
Manejo reprodutivo de bovinos
 
Manejo reprodutivo de caprinos e ovinos
Manejo reprodutivo de caprinos e ovinosManejo reprodutivo de caprinos e ovinos
Manejo reprodutivo de caprinos e ovinos
 
Manejo sanitário para caprinos e ovinos
Manejo sanitário para caprinos e ovinosManejo sanitário para caprinos e ovinos
Manejo sanitário para caprinos e ovinos
 
Diferenças entre ovinos e caprinos
Diferenças entre ovinos e caprinosDiferenças entre ovinos e caprinos
Diferenças entre ovinos e caprinos
 
Raças de gado de leite
Raças de gado de leiteRaças de gado de leite
Raças de gado de leite
 
Pelagem de Equinos
Pelagem de EquinosPelagem de Equinos
Pelagem de Equinos
 
Sistemas de criação para ovinos e caprinos
Sistemas de criação para ovinos e caprinosSistemas de criação para ovinos e caprinos
Sistemas de criação para ovinos e caprinos
 
Cultura do arroz
Cultura do arrozCultura do arroz
Cultura do arroz
 

Semelhante a Sistema Endócrino

Sistema Endocrino
Sistema EndocrinoSistema Endocrino
Sistema Endocrino
Digux
 
Aula 8º ano - O sistema endócrino
Aula 8º ano - O sistema endócrinoAula 8º ano - O sistema endócrino
Aula 8º ano - O sistema endócrino
Leonardo Kaplan
 
sistema endocrino12345678952364187569.ppt
sistema endocrino12345678952364187569.pptsistema endocrino12345678952364187569.ppt
sistema endocrino12345678952364187569.ppt
AssisTeixeira2
 
Sistema endócrino reprodução
Sistema endócrino   reproduçãoSistema endócrino   reprodução
Sistema endócrino reprodução
vknm12345
 
Apres. hormonios e glandulas resumo
Apres. hormonios e glandulas resumoApres. hormonios e glandulas resumo
Apres. hormonios e glandulas resumo
larissaGuima
 
Sistema Endocrino
Sistema EndocrinoSistema Endocrino
Sistema Endocrino
Luis Guilherme de Moraes
 
Obesidade abdominal
Obesidade abdominal Obesidade abdominal
Obesidade abdominal
Van Der Häägen Brazil
 
Sistema endocrino-primeiro
Sistema endocrino-primeiroSistema endocrino-primeiro
Sistema endocrino-primeiro
Natasha Muzyka
 
Sistema endocrino 8ano
Sistema endocrino 8anoSistema endocrino 8ano
Sistema endocrino 8ano
ANA LUCIA FARIAS
 
Endócrino
EndócrinoEndócrino
Endócrino
Tallys Barbosa
 
Aula 06 fisiologia do sistema endócrino - atualizado
Aula 06   fisiologia do sistema endócrino - atualizadoAula 06   fisiologia do sistema endócrino - atualizado
Aula 06 fisiologia do sistema endócrino - atualizado
Hamilton Nobrega
 
CONTROLE HORMONAL SISTEMA ENDÓCRINO
CONTROLE HORMONAL SISTEMA ENDÓCRINOCONTROLE HORMONAL SISTEMA ENDÓCRINO
CONTROLE HORMONAL SISTEMA ENDÓCRINO
Patrícia Trindade
 
Sistema endócrino
Sistema endócrinoSistema endócrino
Sistema endócrino
Universidade de Brasília
 
Sistema endocrino
Sistema endocrinoSistema endocrino
Sistema endocrino
Bruno Baltazar
 
Sistema EndóCrino
Sistema EndóCrinoSistema EndóCrino
Sistema EndóCrino
guestdb5b7a
 
Hormônios trabalho de biologia
Hormônios   trabalho de biologiaHormônios   trabalho de biologia
Hormônios trabalho de biologia
Ingrid Curcino
 
Sistema Endócrino
Sistema EndócrinoSistema Endócrino
Sistema Endócrino
Pâmela Aguiar
 
Sistema endócrino
Sistema endócrinoSistema endócrino
Sistema endócrino
Marcos Albuquerque
 
Fisiologia_Endócrina_-_Aspectos_Introdutórios.pdf
Fisiologia_Endócrina_-_Aspectos_Introdutórios.pdfFisiologia_Endócrina_-_Aspectos_Introdutórios.pdf
Fisiologia_Endócrina_-_Aspectos_Introdutórios.pdf
KarineOliveira283326
 
Sistema hormonal
Sistema hormonalSistema hormonal
Sistema hormonal
Ingrid Bispo
 

Semelhante a Sistema Endócrino (20)

Sistema Endocrino
Sistema EndocrinoSistema Endocrino
Sistema Endocrino
 
Aula 8º ano - O sistema endócrino
Aula 8º ano - O sistema endócrinoAula 8º ano - O sistema endócrino
Aula 8º ano - O sistema endócrino
 
sistema endocrino12345678952364187569.ppt
sistema endocrino12345678952364187569.pptsistema endocrino12345678952364187569.ppt
sistema endocrino12345678952364187569.ppt
 
Sistema endócrino reprodução
Sistema endócrino   reproduçãoSistema endócrino   reprodução
Sistema endócrino reprodução
 
Apres. hormonios e glandulas resumo
Apres. hormonios e glandulas resumoApres. hormonios e glandulas resumo
Apres. hormonios e glandulas resumo
 
Sistema Endocrino
Sistema EndocrinoSistema Endocrino
Sistema Endocrino
 
Obesidade abdominal
Obesidade abdominal Obesidade abdominal
Obesidade abdominal
 
Sistema endocrino-primeiro
Sistema endocrino-primeiroSistema endocrino-primeiro
Sistema endocrino-primeiro
 
Sistema endocrino 8ano
Sistema endocrino 8anoSistema endocrino 8ano
Sistema endocrino 8ano
 
Endócrino
EndócrinoEndócrino
Endócrino
 
Aula 06 fisiologia do sistema endócrino - atualizado
Aula 06   fisiologia do sistema endócrino - atualizadoAula 06   fisiologia do sistema endócrino - atualizado
Aula 06 fisiologia do sistema endócrino - atualizado
 
CONTROLE HORMONAL SISTEMA ENDÓCRINO
CONTROLE HORMONAL SISTEMA ENDÓCRINOCONTROLE HORMONAL SISTEMA ENDÓCRINO
CONTROLE HORMONAL SISTEMA ENDÓCRINO
 
Sistema endócrino
Sistema endócrinoSistema endócrino
Sistema endócrino
 
Sistema endocrino
Sistema endocrinoSistema endocrino
Sistema endocrino
 
Sistema EndóCrino
Sistema EndóCrinoSistema EndóCrino
Sistema EndóCrino
 
Hormônios trabalho de biologia
Hormônios   trabalho de biologiaHormônios   trabalho de biologia
Hormônios trabalho de biologia
 
Sistema Endócrino
Sistema EndócrinoSistema Endócrino
Sistema Endócrino
 
Sistema endócrino
Sistema endócrinoSistema endócrino
Sistema endócrino
 
Fisiologia_Endócrina_-_Aspectos_Introdutórios.pdf
Fisiologia_Endócrina_-_Aspectos_Introdutórios.pdfFisiologia_Endócrina_-_Aspectos_Introdutórios.pdf
Fisiologia_Endócrina_-_Aspectos_Introdutórios.pdf
 
Sistema hormonal
Sistema hormonalSistema hormonal
Sistema hormonal
 

Mais de Killer Max

Canola, uma cultura promissora
Canola, uma cultura promissoraCanola, uma cultura promissora
Canola, uma cultura promissora
Killer Max
 
Introdução à técnicas experimentais
Introdução à técnicas experimentaisIntrodução à técnicas experimentais
Introdução à técnicas experimentais
Killer Max
 
Irrigação de pastagem: atualidade e recomendações para uso e manejo
Irrigação de pastagem: atualidade e recomendações para uso e manejoIrrigação de pastagem: atualidade e recomendações para uso e manejo
Irrigação de pastagem: atualidade e recomendações para uso e manejo
Killer Max
 
Léxico Comum e Léxico Específico dentro da Olericultura
Léxico Comum e Léxico Específico dentro da OlericulturaLéxico Comum e Léxico Específico dentro da Olericultura
Léxico Comum e Léxico Específico dentro da Olericultura
Killer Max
 
Fruticultura Do Tocantins
Fruticultura Do TocantinsFruticultura Do Tocantins
Fruticultura Do Tocantins
Killer Max
 
Projeto de Irrigação no Tocantins
Projeto de Irrigação no TocantinsProjeto de Irrigação no Tocantins
Projeto de Irrigação no Tocantins
Killer Max
 
Guia de raças de bovinos
Guia de raças de bovinosGuia de raças de bovinos
Guia de raças de bovinos
Killer Max
 
Democracia
DemocraciaDemocracia
Democracia
Killer Max
 
Raças Equinas
Raças EquinasRaças Equinas
Raças Equinas
Killer Max
 
Manejo Reprodutivo de Equinos
Manejo Reprodutivo de EquinosManejo Reprodutivo de Equinos
Manejo Reprodutivo de Equinos
Killer Max
 
Cultura do Amendoim
Cultura do AmendoimCultura do Amendoim
Cultura do Amendoim
Killer Max
 
Genética
GenéticaGenética
Genética
Killer Max
 
Répteis
RépteisRépteis
Répteis
Killer Max
 
Introdução a Equinocultura
Introdução a EquinoculturaIntrodução a Equinocultura
Introdução a Equinocultura
Killer Max
 
Pragas e Doenças do Feijoeiro
Pragas e Doenças do FeijoeiroPragas e Doenças do Feijoeiro
Pragas e Doenças do Feijoeiro
Killer Max
 
Anatomia e Fisiologia dos Artrópodes
Anatomia e Fisiologia dos ArtrópodesAnatomia e Fisiologia dos Artrópodes
Anatomia e Fisiologia dos Artrópodes
Killer Max
 

Mais de Killer Max (16)

Canola, uma cultura promissora
Canola, uma cultura promissoraCanola, uma cultura promissora
Canola, uma cultura promissora
 
Introdução à técnicas experimentais
Introdução à técnicas experimentaisIntrodução à técnicas experimentais
Introdução à técnicas experimentais
 
Irrigação de pastagem: atualidade e recomendações para uso e manejo
Irrigação de pastagem: atualidade e recomendações para uso e manejoIrrigação de pastagem: atualidade e recomendações para uso e manejo
Irrigação de pastagem: atualidade e recomendações para uso e manejo
 
Léxico Comum e Léxico Específico dentro da Olericultura
Léxico Comum e Léxico Específico dentro da OlericulturaLéxico Comum e Léxico Específico dentro da Olericultura
Léxico Comum e Léxico Específico dentro da Olericultura
 
Fruticultura Do Tocantins
Fruticultura Do TocantinsFruticultura Do Tocantins
Fruticultura Do Tocantins
 
Projeto de Irrigação no Tocantins
Projeto de Irrigação no TocantinsProjeto de Irrigação no Tocantins
Projeto de Irrigação no Tocantins
 
Guia de raças de bovinos
Guia de raças de bovinosGuia de raças de bovinos
Guia de raças de bovinos
 
Democracia
DemocraciaDemocracia
Democracia
 
Raças Equinas
Raças EquinasRaças Equinas
Raças Equinas
 
Manejo Reprodutivo de Equinos
Manejo Reprodutivo de EquinosManejo Reprodutivo de Equinos
Manejo Reprodutivo de Equinos
 
Cultura do Amendoim
Cultura do AmendoimCultura do Amendoim
Cultura do Amendoim
 
Genética
GenéticaGenética
Genética
 
Répteis
RépteisRépteis
Répteis
 
Introdução a Equinocultura
Introdução a EquinoculturaIntrodução a Equinocultura
Introdução a Equinocultura
 
Pragas e Doenças do Feijoeiro
Pragas e Doenças do FeijoeiroPragas e Doenças do Feijoeiro
Pragas e Doenças do Feijoeiro
 
Anatomia e Fisiologia dos Artrópodes
Anatomia e Fisiologia dos ArtrópodesAnatomia e Fisiologia dos Artrópodes
Anatomia e Fisiologia dos Artrópodes
 

Último

Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdfLivro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
CarolineSaback2
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
Sandra Pratas
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Miguel Delamontagne
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdfLivro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 

Sistema Endócrino

  • 2. OO SSiisstteemmaa EEnnddóóccrriinnoo utiliza a corrente sanguínea como meio de transporte para substâncias específicas, os hhoorrmmôônniiooss; OOss hhoorrmmôônniiooss espalham-se por todo o corpo, porém desencadeiam reações em células específicas, sensíveis a eles; AAss ggllâânndduullaass são órgãos especializados em produzir e liberar substâncias, que sejam para uso interno do corpo, ou para excreção ao meio externo (ex: glândulas sudoríparas, produzem o suor).
  • 4. AAss GGllâânndduullaass EEnnddóóccrriinnaass::  Não possuem ductos; Liberam os hormônios diretamente na corrente sanguínea; VVaassoo SSaanngguuíínneeoo ““CCéélluullaa--AAllvvoo”” Hormônio ............. CCéélluullaa ddee GGllâânndduullaa EEnnddóóccrriinnaa .............
  • 5. Órgão ÓÓÓrrrgggãããooo ddddoooo SSSSiiiisssstttteeeemmmmaaaa EEEEnnnnddddóóóóccccrrrriiiinnnnoooo HHHHoooorrrrmmmmôôôônnnniiiioooo pprroodduuzz qquuee éé lliibbeerraaddoo nnaa CCCCoooorrrrrrrreeeennnntttteeee SSSSaaaannnngggguuuuíííínnnneeeeaaaa aattuuaa ssoobbrree ““““CCCCéééélllluuuullllaaaassss----aaaallllvvvvoooo””””,,,, aaaassss vvvveeeezzzzeeeessss ddddiiiissssttttaaaannnntttteeeessss qquuee eexxiibbeemm RRRReeeeaaaaççççõõõõeeeessss eeeemmmm rrrreeeessssppppoooossssttttaaaa aaaaoooo hhhhoooorrrrmmmmôôôônnnniiiioooo
  • 6. HHiippoottáállaammoo:: PPrroodduuzz vváárriiooss hhoorrmmôônniiooss qquuee iinnfflluueenncciiaamm aa ggllâânndduullaa hhiippóóffiissee.. GGllâânndduullaa PPiinneeaall:: PPrroodduuzz oo hhoorrmmôônniioo qquuee aaffeettaa oo rreellóóggiioo bbiioollóóggiiccoo,, iissttoo éé,, oo cciicclloo nnaattuurraall ddoo ccoorrppoo ddee aattiivviiddaaddee ee rreeppoouussoo.. GGGGllllâââânnnndddduuuullllaaaa EEEEnnnnddddóóóóccccrrrriiiinnnnaaaa PPPPoooossssssssuuuuiiii CCCCéééélllluuuullllaaaassss EEEEnnnnddddóóóóccccrrrriiiinnnnaaaassss
  • 7. GGllâânndduullaa AAddrreennaaiiss:: SSããoo dduuaass,, pprroodduuzz vváárriiooss hhoorrmmôônniiooss,, uumm eexxeemmpplloo éé aa aaddrreennaalliinnaa,, qquuee éé lliibbeerraaddoo eemm mmoommeennttooss ddee tteennssããoo ee eessttrreessssee.. GGGGllllâââânnnndddduuuullllaaaa EEEEnnnnddddóóóóccccrrrriiiinnnnaaaa PPâânnccrreeaass:: PPrroodduuzz eennttrree oouuttrrooss,, oo gglluuccaaggoonn ee aa iinnssuulliinnaa,, qquuee aattuuaamm nnaa mmaannuutteennççããoo ddaa ccoonncceennttrraaççããoo nnoorrmmaall ddee gglliiccoossee nnoo ssaanngguuee.. PPPPoooossssssssuuuuiiii CCCCéééélllluuuullllaaaassss EEEEnnnnddddóóóóccccrrrriiiinnnnaaaassss
  • 8. GGllâânndduullaa HHiippóóffiissee:: ÉÉ ccoonnssiiddeerraaddaa ggllâânndduullaa mmeessttrraa,, ppooiiss sseeuuss hhoorrmmôônniiooss iinnfflluueenncciiaamm ee ccoonnttrroollaamm aa aattiivviiddaaddee ddee vvaarriiaass oouuttrraass ggllâânndduullaass.. GGGGllllâââânnnndddduuuullllaaaa EEEEnnnnddddóóóóccccrrrriiiinnnnaaaa GGllâânndduullaa TTiirreeóóiiddee:: LLiibbeerraa hhoorrmmôônniiooss ccoommoo aa ttiirrooxxiinnaa,, qquuee ccoonnttrroollaa aa vveelloocciiddaaddee ddoo mmeettaabboolliissmmoo ddaass ccéélluullaass,, oo ddeesseennvvoollvviimmeennttoo ee oo ffuunncciioonnaammeennttoo ddee vváárriiooss óórrggããooss.. GGGGllllâââânnnndddduuuullllaaaa EEEEnnnnddddóóóóccccrrrriiiinnnnaaaa
  • 9. OOvváárriioo:: Produzem progesterona e um conjunto de hormônios chamados de estrógeno, ambos, são hormônios sexuais femininos. GGGGllllâââânnnndddduuuullllaaaa EEEEnnnnddddóóóóccccrrrriiiinnnnaaaa TTeessttííccuullooss:: Produzem um conjunto de hormônios sexuais masculinos, entre eles destaca-se a testosterona. GGGGllllâââânnnndddduuuullllaaaa EEEEnnnnddddóóóóccccrrrriiiinnnnaaaa
  • 10. AAss GGllâânndduullaass EExxóóccrriinnaass::  Possuem ductos;  Através dos ductos, é descarregado no exterior do corpo ou em cavidades internas, as substancias produzidas pelas glândulas exócrinas; EExxeemmppllooss::  GGllâânndduullaass SSuuddoorrííppaarraass ;;  GGllâânndduullaass SSeebbáácceeaass..
  • 11. AAAAddddrrrreeeennnnaaaalllliiiinnnnaaaa MMoonnttaannhhaa--rruussssaa Produzido pelas GGllâânndduullaass AAddrreennaaiiss, a Adrenalina acelera os batimentos cardíacos, ritmo respiratório, a contração muscular e o corpo fica menos sensível ao cansaço. A liberação da adrenalina é a resposta do corpo para momentos de atividades intensas, como ao levar um susto, preparar para fugir de algo perigoso, estar em situações excitantes, entre outras.
  • 12. HHHHoooorrrrmmmmôôôônnnniiiioooo ddddoooo CCCCrrrreeeesssscccciiiimmmmeeeennnnttttoooo Produzido pela hipófise, é um hormônio que desencadeia respostas mais longas e duradouras. Este hormônio controla o crescimento dos ossos e a produção de proteínas, regulando, assim o aumento da estatura do indivíduo, até atingir o tamanho adulto.
  • 13. MMMMuuuuddddaaaannnnççççaaaassss nnnnaaaa PPPPuuuubbbbeeeerrrrddddaaaaddddeeee A adolescência vai dos 12 aos 20 anos, é a fase marcada por varias mudanças corpóreas. A adolescência transforma, gradualmente, crianças em adultos. Nessa fase, o hhiippoottáállaammoo estimula a ggllâânndduullaa hhiippóóffiissee e esta, por sua vez, libera hormônios que desencadeiam o desenvolvimento e o amadurecimentos das gônadas (testículos e ovários). Com o amadurecimento das gônadas, começa a produção de testosterona (testículos) e progesterona (ovários) e meninos e meninas começam a desenvolver as características sexuais secundarias.
  • 14. Mudanças na Puberdade: Características MMMuuudddaaannnçççaaasss nnnaaa PPPuuubbbeeerrrdddaaadddeee::: CCCaaarrraaacccttteeerrríííssstttiiicccaaasss SSSSeeeexxxxuuuuaaaaiiiissss SSSSeeeeccccuuuunnnnddddáááárrrriiiiaaaassss HHHHoooommmmeeeemmmm MMMMuuuullllhhhheeeerrrr AAAAlllltttteeeerrrraaaaççççããããoooo nnnnaaaa VVVVoooozzzz PPPPeeeelllloooossss SSSSiiiisssstttteeeemmmmaaaa ggggeeeennnniiiittttaaaallll mmmmaaaadddduuuurrrroooo AAAAuuuummmmeeeennnnttttoooo ddddaaaa mmmmaaaassssssssaaaa mmmmuuuussssccccuuuullllaaaarrrr MMMMaaaammmmaaaassss mmmmaaaaiiiissss vvvvoooolllluuuummmmoooossssaaaassss PPPPeeeelllloooossss SSSSiiiisssstttteeeemmmmaaaa ggggeeeennnniiiittttaaaallll mmmmaaaadddduuuurrrroooo QQQQuuuuaaaaddddrrrriiiissss aaaarrrrrrrreeeeddddoooonnnnddddaaaaddddoooossss
  • 15. HHHHiiiippppoooottttiiiirrrreeeeooooiiiiddddiiiissssmmmmoooo Quando a tireóide produz pouca tiroxina, fala-se hipotireodismo; Com a não produção da tiroxina, ocorre:  Lentidão do metabolismo;  Grande risco de obesidade;  Intolerantes ao frio;  Lentidão no raciocínio e nas atividades físicas;  Aparecimento do Bócio (crescimento exagerado da tireóide). Para diminuir a incidência de bócio (figura 01), por lei todos os fabricantes de Sal de Cozinha devem acrescentar ao produto iodo. FFFFiiiigggguuuurrrraaaa 00001111
  • 16. HHHHiiiippppeeeerrrrttttiiiirrrreeeeooooiiiiddddiiiissssmmmmoooo Quando a tireóide produz em excesso a tiroxina, fala-se hipertireodismo; Com a produção em excesso da tiroxina, ocorre:  Acelera o metabolismo;  Grande risco de magreza excessiva;  Alta pressão arterial;  Aumento da temperatura corpórea;  Aparecimento do Bócio (crescimento exagerado da tireóide).
  • 17. DDDDiiiiaaaabbbbeeeetttteeeessss TTTTiiiippppoooo IIII A Diabetes tipo I ocorre quando:  Há uma incapacidade do organismo em produzir insulina; Esse tipo de diabetes manifesta-se geralmente na infância. Se não for tratada corretamente, pode provocar vários problemas, como por exemplo:  Problemas circulatórios e visuais;  Problemas renais;  Pode chegar a provocar o coma e a morte. Dieta rígida e injeções regulares de insulina ajudam no controle da doença.
  • 18. DDDDiiiiaaaabbbbeeeetttteeeessss TTTTiiiippppoooo IIIIIIII A Diabetes tipo II ocorre quando:  Redução da capacidade do organismo em produzir insulina;  Perda da sensibilidade das células a insulina. Esse tipo de diabetes manifesta-se geralmente em pessoas acima dos 40 anos, pode ocorrer em crianças com obesidade. Se não for tratada corretamente, pode provocar vários problemas, muitos similares ao tipo 1, como:  Problemas circulatórios e visuais;  Problemas renais;  Sede excessiva;  Pode chegar a provocar o coma e a morte. Dieta rígida e o uso de medicamentos.
  • 19. Produzida por algumas células pancreáticas, a insulina é liberada na corrente sanguínea, quando o nível de glicose aumenta no sangue. Favorecendo:  Armazenamento da glicose;  A transformação da gglliiccoossee em gglliiccooggêênniioo; A Insulina atua também em muitos tipos de célula do organismo, particularmente as musculares, estimulando a entrada de glicose nelas. O efeito da Insulina coloca glicose a disposição da respiração celular, já que estimula a sua entrada nas células. Com o nível saudável de Insulina o risco de diabetes cai!
  • 20. Produzida por algumas células pancreáticas, o glucagon também é envolvido na regulação de açúcar no sangue. Favorece:  Armazenamento da glicose;  A transformação da gglliiccooggêênniioo em gglliiccoossee; O glucagon estimula a conversão de glicogênio em glicose e a subsequente liberação dela na corrente sanguínea.