SlideShare uma empresa Scribd logo
O sonho de Portugal sempre foi encontrar metais preciosos. A procura foi longa. Durou quase 200 anos.  No final do século XVII, os bandeirantes paulistas encontraram as minas de ouro e, mais tarde, de diamantes.  Começa a exploração do ouro. A economia da mineração.  A descoberta de ouro vai provocar uma profunda mudança na estrutura do Brasil colonial e auxilia Portugal a solucionar alguns de seus problemas financeiros por causa da crise da economia do açúcar. Mineração
As boas novas sobre a descoberta do ouro correram rápido pela colônia. Sem demora, os baianos cruzaram o sertão do rio São Francisco para fazer companhia aos paulistas. Eram tantos que o governador-geral enviou uma carta ao rei de Portugal para evitar o total despovoamento do interior baiano A notícia não surpreendeu o rei: também no reino muitos largavam tudo para correr atrás de fortunas que prometiam ser enormes De todo lado, homens atiravam-se a uma região inteiramente despreparada para recebê-los A tentação do ouro era maior que o medo, os perigos... Mineração
Entre os anos de 1696 e 1700, a fome assolou Minas Gerais;  Alguns anos após a descoberta das jazidas, cerca de 6 mil pessoas tinham chegado à Minas; Na virada do século XVIII, esse número saltou para 30 mil Não havia o que comer: animais ou vegetais já tinham sido consumidos Muitos fugiam para as matas à procura de comida, como raízes e cascas de árvores. Foram devorados sapos, cobras e formigas tostadas eram uma iguaria comparada à melhor manteiga da Europa Os alimentos que chegavam à região das Minas tinham um preço exorbitante. Um boi em Salvador custava 4 mil réis; nas mInas 96 mil reís Uma galinha chegou a custar 14 g de ouro Os escravos chegaram a custar 750  mil réis, enquanto no Nordeste era vendido por 100 mil  Mineração
No início os paulistas levavam vantagens na descoberta de novas minas; Eles conheciam o caminho, estavam acostumados a viver nas matas, a extrair dela sua comida, a fazer alianças com os indígenas – além de serem os responsáveis pela administração local, pois as minas estavam na área da capitania de São Paulo. Toleraram a presença dos baianos, mas se assustaram com a avalanche de portugueses vindos da metrópole. Logo surgiu o primeiro conflito pela posse das descobertas Mineração
Os paulistas, descobridores das minas (consideravam a região sua propriedade) Mineração  Portugueses, baianos e o restante da colônia GUERRA DOS EMBOABAS (1708-1709) Houve uma guerra civil. Os emboabas que possuíam mais recursos expulsaram os paulistas da área. A Coroa portuguesa interveio e ampliou seu controle sobre a região x
Quem poderia explorar as minas? Todo o ouro descoberto deveria ser imediatamente comunicado à autoridade da região. Este comunicaria a Coroa Portuguesa. Eram enviados ao local funcionários reais para estudar o terreno e dividir as minas em datas, que eram extensões de terra auríferas à beira dos rios, ou seja. A única vantagem que o descobrir tinha era, às vezes, escolher qual data iria explorar Uma outra data era escolhida pela Fazenda Real. As restantes iam à leilão entre os interessados. Quem tivesse mais escravos tinha preferência nas escolhas Mineração
A Coroa Portuguesa baixou uma legislação rigorosíssima para regulamentar a exploração e impedir o contrabando.  Para administrar a região mineradora foi criada, em 1702, a Intendência das Minas, diretamente subordinada à Lisboa. Era responsável pela fiscalização e exploração das minas. Realizava a distribuição de datas-lotes a serem explorados, e pela cobrança do  quinto  (20% do ouro encontrado). As Intendências prestavam contas diretamente à Coroa portuguesa, mantendo total independência dos poderes locais Os mineradores deveriam pagar o quinto.  O quinto era a cobrança de 20% de toda a produção de metais preciosos.  Mineração
Diante do contrabando, a Coroa Portuguesa criou as  Casas de Fundição em 1720 . Nas Casas de Fundição, todo o ouro encontrado seria fundido e transformado em barras, marcadas com o selo real.  O mineiro era obrigado a pagar o imposto já nas Casas de Fundição.   Estima-se que 35% do ouro encontrado foi contrabandeado  Mineração
Mineração  O escravo era a mão de obra nas minas de ouro e diamante
Houve protestos dos mineradores contra os impostos Felipe dos Santos  organizou um movimento contra as Casas de Fundição, contra as taxações da Coroa portuguesa.  Era a Revolta de Felipe dos Santos, em Ouro Preto, antiga Vila Rica, em 1720     Felipe dos Santos foi preso, condenado à forca e, depois, seu corpo cortado. Sua cabeça foi exposta em uma praça em Vila Rica e restos de seu corpo presos a um cavalo solta para circular em Vila Rica. Era o exemplo do que poderia acontecer com quem se rebelasse.  Mineração
FORMAS DE EXPLORAÇÃO DAS MINAS.  Havia dois tipos de exploração do ouro: -  as lavras : a grande empresa mineradora, com utilização de trabalho escravo, ferramentas e aparelhos; Havia mais recursos disponíveis -  a faiscação : a pequena empresa, que explorava o trabalho livre ou escravos alforriados; trabalhavam por conta própria, com poucos e precários recursos. Eram os faiscadores ou garimpeiros Mineração
As minas menores, sem muitas perspectivas de produzir grandes quantidades de ouro, e as que eram abandonadas depois de esgotadas suas reservas, eram exploradas por faiscadores, que tinham recursos e instrumentos precários Os faiscadores  ou  garimpeiros  passavam de mina em mina procurando locais onde a ocorrência fosse menor Havia senhores que liberavam seus escravos para procurar ouro. Esses escravos deveriam lhes entregar uma quantia fixa de ouro e ficaria com uma pequena parte. Se fossem grandes achados, poderiam até mesmo comprar sua liberdade Mineração
No Brasil, o ouro encontrava-se depositado na superfície ou em pequenas profundidades:  inicialmente exploravam-se os leitos dos rios, que eram superficiais;  em seguida, os tabuleiros (nas margens), que eram pouco profundos;  e, finalmente, nas encostas, que eram mais profundas. Dizemos, por isso, que predominou  o ouro de aluvião , que era depositado no fundo dos rios e de fácil extração, ao contrário das minas de prata do México e do Peru, que dependiam de profundas escavações.  A extração do ouro de aluvião era, portanto, mais simples, mas de esgotamento mais rápido .  Por essa razão, mesmo na organização das lavras, as empresas eram concebidas de modo a poderem se mobilizar constantemente, conferindo à atividade mineradora um caráter nômade. Mineração
Mineração  3 polos da mineração São João del Rei Região de Vila Rica e Mariana Sabará e Caeté  São regiões interioranas
OS DIAMANTES As primeiras descobertas de diamantes no Brasil ocorreram em 1729, no Arraial do Tijuco, atual Diamantina.  Inicialmente, tentou-se cobrar o quinto sobre a produção de diamantes, o que se tornou impossível diante do tamanho e da variedade das pedras A Metrópole então criou o Distrito Diamantino. Expulsou os mineiros da região e a exploração passou a ser privilégio de algumas pessoas - os contratadores - que pagavam uma quantia fixa para extrair o diamante. Em 1771, o próprio governo português assumiu a exploração do diamante, estabelecendo a real extração. Mineração
Mineração  Não se sabe exatamente a quantidade de metais preciosos extraídos da Colônia por causa do contrabando; mas estima-se no século XVIII 1200 toneladas de ouro e 2 milhões de quilates de diamantes. 70% da produção foi obtida em Minas Gerais Comparação: Serra Pelada (Pará) na década de 1980 produziu 350 toneladas
O ciclo do ouro e do diamante foi responsável por profundas mudanças na vida colonial. Em 100 anos, a população cresceu de 300 mil para, aproximadamente, 3 milhões de pessoas, incluindo aí, um deslocamento de 800 mil portugueses para o Brasil A região das Minas tornou-se um ativo mercado consumidor de gêneros alimentícios, vestuário, ferramentas, mobiliário Havia trabalhos de carpintaria, marcenaria, edificação. Boa parte desses serviços passou a ser oferecida por criadores de gado, fazendeiros, artesãos, comerciantes instalados nas vilas e arraiais da região da mineração Isso estimulou o mercado interno da colônia Mineração
Consequências da mineração  A atividade mineradora no Brasil provocou uma alteração na estrutura colonial, ou seja, provocou mudanças econômicas, sociais, políticas e culturais. As mudanças econômicas: mudou o eixo econômico da vida colonial -do litoral nordestino para a região Centro-Sul; Mudança da capital Salvador para o Rio de Janeiro, em 1763 incentivou a intensificação do comércio interno, uma vez que se fazia necessário o abastecimento da região das minas - aumento da produção de alimentos e da criação de gado;  provocou o surgimento de rotas coloniais garantindo a interligação da região das minas com outras regiões do Brasil.  Mineração
CONSEQUENCIAS DA MINERAÇÃO: Penetração definitiva da colonização em direção ao interior Ultrapassando os limites de Tordesilhas, ampliou o território brasileiro Proporcionou um maior volume de capitais na colônia Ampliação do mercado interno O Brasil colonial
Foram os filhos das elites mineradoras que,ao voltarem da Europa, trouxeram para a colônia os ideais iluministas Foram a base intelectual da colônia As novas elites
Sociedade mineradora Escravos Senhores de  Engenho Trabalhadores Livres Elite Mineradora Classe Média Escravos Sociedade Açucareira  Sociedade Mineradora
Termo impreciso (esta atividade nunca deixou de existir. Ex: Açúcar) Na verdade volta-se a dar a importância principal a esta prática e os investimentos passam a vir em primeira mão. A industrialização na Europa incentiva a agricultura no Brasil Independência do EUA Revolta de escravos nas Antilhas (século XVII). O renascimento agrícola

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Os bandeirantes
Os bandeirantesOs bandeirantes
Os bandeirantes
Cristianerocharibas
 
Ciclo do ouro
Ciclo do ouroCiclo do ouro
Romanização da Península Ibérica
Romanização da Península IbéricaRomanização da Península Ibérica
Romanização da Península Ibérica
Carlos Vieira
 
Capitanias hereditárias
Capitanias hereditáriasCapitanias hereditárias
Capitanias hereditárias
Creusa Lima
 
Capítulo 4 - África Antiga: egito e núbia
Capítulo 4 - África Antiga: egito e núbiaCapítulo 4 - África Antiga: egito e núbia
Capítulo 4 - África Antiga: egito e núbia
Marcos Antonio Grigorio de Figueiredo
 
A exploração do ouro
A exploração do ouroA exploração do ouro
A exploração do ouro
Francisco Ribeiro
 
Brasil Colônia - Séc. XVIII (Ciclo do Ouro)
Brasil Colônia - Séc. XVIII (Ciclo do Ouro)Brasil Colônia - Séc. XVIII (Ciclo do Ouro)
Brasil Colônia - Séc. XVIII (Ciclo do Ouro)
isameucci
 
REVOLTA DE VILA RICA
REVOLTA DE VILA RICAREVOLTA DE VILA RICA
REVOLTA DE VILA RICA
IracemaAparecidaMend
 
8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx
8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx
8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx
Professor de História
 
A sociedade feudal - 7-ano
A sociedade feudal - 7-anoA sociedade feudal - 7-ano
A sociedade feudal - 7-ano
Lucas Degiovani
 
A revolução francesa 2
A revolução francesa 2A revolução francesa 2
A revolução francesa 2
Susana Simões
 
Colonização do Brasil
Colonização do BrasilColonização do Brasil
Colonização do Brasil
Paulo Alexandre
 
Península Ibérica Antes Da Formação de Portugal
Península Ibérica Antes Da Formação de PortugalPenínsula Ibérica Antes Da Formação de Portugal
Península Ibérica Antes Da Formação de Portugal
EBseis
 
Expansão Marítima
Expansão MarítimaExpansão Marítima
Expansão Marítima
Aulas de História
 
Mercantilismo
MercantilismoMercantilismo
Roma Antiga - 6ºAno
Roma Antiga - 6ºAno Roma Antiga - 6ºAno
Roma Antiga - 6ºAno
Sant´Anna International School
 
1º ano - transição da idade média para a idade moderna
1º ano - transição da idade média para a idade moderna1º ano - transição da idade média para a idade moderna
1º ano - transição da idade média para a idade moderna
Daniel Alves Bronstrup
 
A União Ibérica e o Brasil holandês
A União Ibérica e o Brasil holandêsA União Ibérica e o Brasil holandês
A União Ibérica e o Brasil holandês
Ramiro Bicca
 
História da ÁFrica
História da ÁFricaHistória da ÁFrica
História da ÁFrica
Joice Belini
 
Mineração no brasil
Mineração no brasilMineração no brasil
Mineração no brasil
Lúcia Santana
 

Mais procurados (20)

Os bandeirantes
Os bandeirantesOs bandeirantes
Os bandeirantes
 
Ciclo do ouro
Ciclo do ouroCiclo do ouro
Ciclo do ouro
 
Romanização da Península Ibérica
Romanização da Península IbéricaRomanização da Península Ibérica
Romanização da Península Ibérica
 
Capitanias hereditárias
Capitanias hereditáriasCapitanias hereditárias
Capitanias hereditárias
 
Capítulo 4 - África Antiga: egito e núbia
Capítulo 4 - África Antiga: egito e núbiaCapítulo 4 - África Antiga: egito e núbia
Capítulo 4 - África Antiga: egito e núbia
 
A exploração do ouro
A exploração do ouroA exploração do ouro
A exploração do ouro
 
Brasil Colônia - Séc. XVIII (Ciclo do Ouro)
Brasil Colônia - Séc. XVIII (Ciclo do Ouro)Brasil Colônia - Séc. XVIII (Ciclo do Ouro)
Brasil Colônia - Séc. XVIII (Ciclo do Ouro)
 
REVOLTA DE VILA RICA
REVOLTA DE VILA RICAREVOLTA DE VILA RICA
REVOLTA DE VILA RICA
 
8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx
8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx
8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx
 
A sociedade feudal - 7-ano
A sociedade feudal - 7-anoA sociedade feudal - 7-ano
A sociedade feudal - 7-ano
 
A revolução francesa 2
A revolução francesa 2A revolução francesa 2
A revolução francesa 2
 
Colonização do Brasil
Colonização do BrasilColonização do Brasil
Colonização do Brasil
 
Península Ibérica Antes Da Formação de Portugal
Península Ibérica Antes Da Formação de PortugalPenínsula Ibérica Antes Da Formação de Portugal
Península Ibérica Antes Da Formação de Portugal
 
Expansão Marítima
Expansão MarítimaExpansão Marítima
Expansão Marítima
 
Mercantilismo
MercantilismoMercantilismo
Mercantilismo
 
Roma Antiga - 6ºAno
Roma Antiga - 6ºAno Roma Antiga - 6ºAno
Roma Antiga - 6ºAno
 
1º ano - transição da idade média para a idade moderna
1º ano - transição da idade média para a idade moderna1º ano - transição da idade média para a idade moderna
1º ano - transição da idade média para a idade moderna
 
A União Ibérica e o Brasil holandês
A União Ibérica e o Brasil holandêsA União Ibérica e o Brasil holandês
A União Ibérica e o Brasil holandês
 
História da ÁFrica
História da ÁFricaHistória da ÁFrica
História da ÁFrica
 
Mineração no brasil
Mineração no brasilMineração no brasil
Mineração no brasil
 

Destaque

A Mineração no Brasil Colonial - Ensino Fundamental
A Mineração no Brasil Colonial - Ensino FundamentalA Mineração no Brasil Colonial - Ensino Fundamental
A Mineração no Brasil Colonial - Ensino Fundamental
Alinnie Moreira
 
A exploração do ouro no brasil
A exploração do ouro no brasilA exploração do ouro no brasil
A exploração do ouro no brasil
Stephani Coelho
 
Sistema colonial portugues aula 1
Sistema colonial portugues aula 1Sistema colonial portugues aula 1
Sistema colonial portugues aula 1
Marcelo Ferreira Boia
 
Mineração no brasil
Mineração no brasilMineração no brasil
Mineração no brasil
profcacocardozo
 
Mineração e Crise do Sistema Colonial
Mineração e Crise do Sistema ColonialMineração e Crise do Sistema Colonial
Mineração e Crise do Sistema Colonial
João Medeiros
 
02 8º ano história rafael - expansão colonial e mineração 2015
02 8º ano  história   rafael  - expansão colonial e mineração 201502 8º ano  história   rafael  - expansão colonial e mineração 2015
02 8º ano história rafael - expansão colonial e mineração 2015
Rafael Noronha
 
Cromeleque Dos Almendres
Cromeleque Dos AlmendresCromeleque Dos Almendres
Cromeleque Dos Almendres
guest2163fe
 
Minas De Aljustrel
Minas De AljustrelMinas De Aljustrel
Minas De Aljustrel
marecas2.0
 
História do Brasil: Brasil Colônia
História do Brasil: Brasil ColôniaHistória do Brasil: Brasil Colônia
História do Brasil: Brasil Colônia
Marilia Pimentel
 
Revoltas do brasil colonial
Revoltas do brasil colonialRevoltas do brasil colonial
Revoltas do brasil colonial
Rodrigo HistóriaGeografia
 
Património cultural patrimonio industrial português -minas da aljustrel - a...
Património cultural   patrimonio industrial português -minas da aljustrel - a...Património cultural   patrimonio industrial português -minas da aljustrel - a...
Património cultural patrimonio industrial português -minas da aljustrel - a...
Artur Filipe dos Santos
 
Módulo 5 - Mineração e revoltas nativistas
Módulo 5 - Mineração e revoltas nativistasMódulo 5 - Mineração e revoltas nativistas
Módulo 5 - Mineração e revoltas nativistas
Breno Girotto
 
Slide como estuda história
Slide como estuda históriaSlide como estuda história
Slide como estuda história
Professor: Ellington Alexandre
 
A era do ouro
A era do ouroA era do ouro
A era do ouro
NBrunoFS
 
A ModernizaçãO
A ModernizaçãOA ModernizaçãO
A ModernizaçãO
jdlimaaear
 
Sistema colonial português Aula 4 (o nativismo, reações contra a metrópole)
Sistema colonial português Aula 4 (o nativismo, reações contra a metrópole)Sistema colonial português Aula 4 (o nativismo, reações contra a metrópole)
Sistema colonial português Aula 4 (o nativismo, reações contra a metrópole)
Marcelo Ferreira Boia
 
éPoca do ouro
éPoca do ouroéPoca do ouro
éPoca do ouro
Cássio Marcelo
 
A corrida do ouro aula oficial (sistema colonial portugues 2)
A corrida do ouro aula oficial  (sistema  colonial portugues 2)A corrida do ouro aula oficial  (sistema  colonial portugues 2)
A corrida do ouro aula oficial (sistema colonial portugues 2)
Marcelo Ferreira Boia
 
Portugal na 2ª metade do século. XIX
Portugal na 2ª metade do século. XIXPortugal na 2ª metade do século. XIX
Portugal na 2ª metade do século. XIX
Vanda Mata
 
A exploração mineira em portugal no tempo dos Romanos
A exploração mineira em portugal no tempo dos RomanosA exploração mineira em portugal no tempo dos Romanos
A exploração mineira em portugal no tempo dos Romanos
andrealmeidapaiva
 

Destaque (20)

A Mineração no Brasil Colonial - Ensino Fundamental
A Mineração no Brasil Colonial - Ensino FundamentalA Mineração no Brasil Colonial - Ensino Fundamental
A Mineração no Brasil Colonial - Ensino Fundamental
 
A exploração do ouro no brasil
A exploração do ouro no brasilA exploração do ouro no brasil
A exploração do ouro no brasil
 
Sistema colonial portugues aula 1
Sistema colonial portugues aula 1Sistema colonial portugues aula 1
Sistema colonial portugues aula 1
 
Mineração no brasil
Mineração no brasilMineração no brasil
Mineração no brasil
 
Mineração e Crise do Sistema Colonial
Mineração e Crise do Sistema ColonialMineração e Crise do Sistema Colonial
Mineração e Crise do Sistema Colonial
 
02 8º ano história rafael - expansão colonial e mineração 2015
02 8º ano  história   rafael  - expansão colonial e mineração 201502 8º ano  história   rafael  - expansão colonial e mineração 2015
02 8º ano história rafael - expansão colonial e mineração 2015
 
Cromeleque Dos Almendres
Cromeleque Dos AlmendresCromeleque Dos Almendres
Cromeleque Dos Almendres
 
Minas De Aljustrel
Minas De AljustrelMinas De Aljustrel
Minas De Aljustrel
 
História do Brasil: Brasil Colônia
História do Brasil: Brasil ColôniaHistória do Brasil: Brasil Colônia
História do Brasil: Brasil Colônia
 
Revoltas do brasil colonial
Revoltas do brasil colonialRevoltas do brasil colonial
Revoltas do brasil colonial
 
Património cultural patrimonio industrial português -minas da aljustrel - a...
Património cultural   patrimonio industrial português -minas da aljustrel - a...Património cultural   patrimonio industrial português -minas da aljustrel - a...
Património cultural patrimonio industrial português -minas da aljustrel - a...
 
Módulo 5 - Mineração e revoltas nativistas
Módulo 5 - Mineração e revoltas nativistasMódulo 5 - Mineração e revoltas nativistas
Módulo 5 - Mineração e revoltas nativistas
 
Slide como estuda história
Slide como estuda históriaSlide como estuda história
Slide como estuda história
 
A era do ouro
A era do ouroA era do ouro
A era do ouro
 
A ModernizaçãO
A ModernizaçãOA ModernizaçãO
A ModernizaçãO
 
Sistema colonial português Aula 4 (o nativismo, reações contra a metrópole)
Sistema colonial português Aula 4 (o nativismo, reações contra a metrópole)Sistema colonial português Aula 4 (o nativismo, reações contra a metrópole)
Sistema colonial português Aula 4 (o nativismo, reações contra a metrópole)
 
éPoca do ouro
éPoca do ouroéPoca do ouro
éPoca do ouro
 
A corrida do ouro aula oficial (sistema colonial portugues 2)
A corrida do ouro aula oficial  (sistema  colonial portugues 2)A corrida do ouro aula oficial  (sistema  colonial portugues 2)
A corrida do ouro aula oficial (sistema colonial portugues 2)
 
Portugal na 2ª metade do século. XIX
Portugal na 2ª metade do século. XIXPortugal na 2ª metade do século. XIX
Portugal na 2ª metade do século. XIX
 
A exploração mineira em portugal no tempo dos Romanos
A exploração mineira em portugal no tempo dos RomanosA exploração mineira em portugal no tempo dos Romanos
A exploração mineira em portugal no tempo dos Romanos
 

Semelhante a Sistema colonial portugues (mineração)

Ciclo do Ouro - A mineração no Brasil Colonial
Ciclo do Ouro - A mineração no Brasil ColonialCiclo do Ouro - A mineração no Brasil Colonial
Ciclo do Ouro - A mineração no Brasil Colonial
LeandroDiniz36
 
Mineração
MineraçãoMineração
O controle sobre ouro- Sociedade mineradora
O controle sobre ouro- Sociedade mineradoraO controle sobre ouro- Sociedade mineradora
O controle sobre ouro- Sociedade mineradora
jessica Nogueira
 
Mineracao no brasil
Mineracao no brasilMineracao no brasil
Mineracao no brasil
Loredana Ruffo
 
Mineração 8º ano
Mineração 8º anoMineração 8º ano
Mineração 8º ano
Cristine Becker
 
Ciclo do ouro
Ciclo do ouroCiclo do ouro
Ciclo do ouro
Deusirene Aparecida
 
Expansão e ocupação territorial
Expansão e ocupação territorialExpansão e ocupação territorial
Expansão e ocupação territorial
Patrícia Sanches
 
As minas de ouro
As minas de ouroAs minas de ouro
As minas de ouro
Ana Paula Ferreira
 
Goiás para concursos: século XVIII
Goiás para concursos: século XVIIIGoiás para concursos: século XVIII
Goiás para concursos: século XVIII
Gabriel da Silva
 
Ciclo do ouro
Ciclo do ouroCiclo do ouro
Ciclo do ouro
Lucas Reis
 
22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...
22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...
22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...
Franciele Marques
 
Sociedades mineiras
Sociedades mineirasSociedades mineiras
Sociedades mineiras
tyromello
 
Mineração no Brasil Colonial.pptx
Mineração no Brasil Colonial.pptxMineração no Brasil Colonial.pptx
Mineração no Brasil Colonial.pptx
GabrielDominguesRoch
 
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
marlete andrade
 
Apostila. Mineração- Brasil Colônia.
Apostila. Mineração- Brasil Colônia. Apostila. Mineração- Brasil Colônia.
Apostila. Mineração- Brasil Colônia.
Marco Vinícius Moreira Lamarão'
 
A mineraçaõ no Brasil Colônia.
A mineraçaõ no Brasil Colônia. A mineraçaõ no Brasil Colônia.
A mineraçaõ no Brasil Colônia.
Marco Vinícius Moreira Lamarão'
 
ciculo do ouro.pdf
ciculo do ouro.pdfciculo do ouro.pdf
ciculo do ouro.pdf
DenisBrito16
 
A mineração no período colonial e as atividades subsidiárias.
A mineração no período colonial e as atividades subsidiárias.A mineração no período colonial e as atividades subsidiárias.
A mineração no período colonial e as atividades subsidiárias.
Lara Lídia
 
Mineração
MineraçãoMineração
Mineração
Aulas de História
 
Brasil colonial sociedade mineira
Brasil colonial sociedade mineiraBrasil colonial sociedade mineira
Brasil colonial sociedade mineira
Nívia Sales
 

Semelhante a Sistema colonial portugues (mineração) (20)

Ciclo do Ouro - A mineração no Brasil Colonial
Ciclo do Ouro - A mineração no Brasil ColonialCiclo do Ouro - A mineração no Brasil Colonial
Ciclo do Ouro - A mineração no Brasil Colonial
 
Mineração
MineraçãoMineração
Mineração
 
O controle sobre ouro- Sociedade mineradora
O controle sobre ouro- Sociedade mineradoraO controle sobre ouro- Sociedade mineradora
O controle sobre ouro- Sociedade mineradora
 
Mineracao no brasil
Mineracao no brasilMineracao no brasil
Mineracao no brasil
 
Mineração 8º ano
Mineração 8º anoMineração 8º ano
Mineração 8º ano
 
Ciclo do ouro
Ciclo do ouroCiclo do ouro
Ciclo do ouro
 
Expansão e ocupação territorial
Expansão e ocupação territorialExpansão e ocupação territorial
Expansão e ocupação territorial
 
As minas de ouro
As minas de ouroAs minas de ouro
As minas de ouro
 
Goiás para concursos: século XVIII
Goiás para concursos: século XVIIIGoiás para concursos: século XVIII
Goiás para concursos: século XVIII
 
Ciclo do ouro
Ciclo do ouroCiclo do ouro
Ciclo do ouro
 
22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...
22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...
22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...
 
Sociedades mineiras
Sociedades mineirasSociedades mineiras
Sociedades mineiras
 
Mineração no Brasil Colonial.pptx
Mineração no Brasil Colonial.pptxMineração no Brasil Colonial.pptx
Mineração no Brasil Colonial.pptx
 
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
 
Apostila. Mineração- Brasil Colônia.
Apostila. Mineração- Brasil Colônia. Apostila. Mineração- Brasil Colônia.
Apostila. Mineração- Brasil Colônia.
 
A mineraçaõ no Brasil Colônia.
A mineraçaõ no Brasil Colônia. A mineraçaõ no Brasil Colônia.
A mineraçaõ no Brasil Colônia.
 
ciculo do ouro.pdf
ciculo do ouro.pdfciculo do ouro.pdf
ciculo do ouro.pdf
 
A mineração no período colonial e as atividades subsidiárias.
A mineração no período colonial e as atividades subsidiárias.A mineração no período colonial e as atividades subsidiárias.
A mineração no período colonial e as atividades subsidiárias.
 
Mineração
MineraçãoMineração
Mineração
 
Brasil colonial sociedade mineira
Brasil colonial sociedade mineiraBrasil colonial sociedade mineira
Brasil colonial sociedade mineira
 

Mais de Marcelo Ferreira Boia

Hebreus fenicios e persas
Hebreus fenicios e persasHebreus fenicios e persas
Hebreus fenicios e persas
Marcelo Ferreira Boia
 
Africa antes-dos-europeus
Africa antes-dos-europeusAfrica antes-dos-europeus
Africa antes-dos-europeus
Marcelo Ferreira Boia
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Marcelo Ferreira Boia
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
Marcelo Ferreira Boia
 
Era Vargas 1
Era Vargas 1Era Vargas 1
Era Vargas 1
Marcelo Ferreira Boia
 
Era Vargas
Era Vargas Era Vargas
O nazi fascismo
O nazi fascismo O nazi fascismo
O nazi fascismo
Marcelo Ferreira Boia
 
O nazi fascismo
O nazi fascismo O nazi fascismo
O nazi fascismo
Marcelo Ferreira Boia
 
Crise de 1929 oficial
Crise de 1929 oficial Crise de 1929 oficial
Crise de 1929 oficial
Marcelo Ferreira Boia
 
O que é conhecimento
O que é conhecimentoO que é conhecimento
O que é conhecimento
Marcelo Ferreira Boia
 
Brasil colonia 2
Brasil colonia 2 Brasil colonia 2
Brasil colonia 2
Marcelo Ferreira Boia
 
Processo de colonização do brasil
Processo de colonização do brasilProcesso de colonização do brasil
Processo de colonização do brasil
Marcelo Ferreira Boia
 
Brasil colnia 2
Brasil colnia 2 Brasil colnia 2
Brasil colnia 2
Marcelo Ferreira Boia
 
America espanhola
America espanhola America espanhola
America espanhola
Marcelo Ferreira Boia
 
America espanhola (1)
America espanhola (1)America espanhola (1)
America espanhola (1)
Marcelo Ferreira Boia
 
Reformas religiosas
Reformas religiosas Reformas religiosas
Reformas religiosas
Marcelo Ferreira Boia
 
Renascimento cultural
Renascimento culturalRenascimento cultural
Renascimento cultural
Marcelo Ferreira Boia
 
A formacao das monarquias nacionais
A formacao das monarquias nacionais A formacao das monarquias nacionais
A formacao das monarquias nacionais
Marcelo Ferreira Boia
 
Primeira guerra-mundial
Primeira guerra-mundialPrimeira guerra-mundial
Primeira guerra-mundial
Marcelo Ferreira Boia
 
Mesopotamia
MesopotamiaMesopotamia

Mais de Marcelo Ferreira Boia (20)

Hebreus fenicios e persas
Hebreus fenicios e persasHebreus fenicios e persas
Hebreus fenicios e persas
 
Africa antes-dos-europeus
Africa antes-dos-europeusAfrica antes-dos-europeus
Africa antes-dos-europeus
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
Era Vargas 1
Era Vargas 1Era Vargas 1
Era Vargas 1
 
Era Vargas
Era Vargas Era Vargas
Era Vargas
 
O nazi fascismo
O nazi fascismo O nazi fascismo
O nazi fascismo
 
O nazi fascismo
O nazi fascismo O nazi fascismo
O nazi fascismo
 
Crise de 1929 oficial
Crise de 1929 oficial Crise de 1929 oficial
Crise de 1929 oficial
 
O que é conhecimento
O que é conhecimentoO que é conhecimento
O que é conhecimento
 
Brasil colonia 2
Brasil colonia 2 Brasil colonia 2
Brasil colonia 2
 
Processo de colonização do brasil
Processo de colonização do brasilProcesso de colonização do brasil
Processo de colonização do brasil
 
Brasil colnia 2
Brasil colnia 2 Brasil colnia 2
Brasil colnia 2
 
America espanhola
America espanhola America espanhola
America espanhola
 
America espanhola (1)
America espanhola (1)America espanhola (1)
America espanhola (1)
 
Reformas religiosas
Reformas religiosas Reformas religiosas
Reformas religiosas
 
Renascimento cultural
Renascimento culturalRenascimento cultural
Renascimento cultural
 
A formacao das monarquias nacionais
A formacao das monarquias nacionais A formacao das monarquias nacionais
A formacao das monarquias nacionais
 
Primeira guerra-mundial
Primeira guerra-mundialPrimeira guerra-mundial
Primeira guerra-mundial
 
Mesopotamia
MesopotamiaMesopotamia
Mesopotamia
 

Sistema colonial portugues (mineração)

  • 1. O sonho de Portugal sempre foi encontrar metais preciosos. A procura foi longa. Durou quase 200 anos. No final do século XVII, os bandeirantes paulistas encontraram as minas de ouro e, mais tarde, de diamantes. Começa a exploração do ouro. A economia da mineração. A descoberta de ouro vai provocar uma profunda mudança na estrutura do Brasil colonial e auxilia Portugal a solucionar alguns de seus problemas financeiros por causa da crise da economia do açúcar. Mineração
  • 2. As boas novas sobre a descoberta do ouro correram rápido pela colônia. Sem demora, os baianos cruzaram o sertão do rio São Francisco para fazer companhia aos paulistas. Eram tantos que o governador-geral enviou uma carta ao rei de Portugal para evitar o total despovoamento do interior baiano A notícia não surpreendeu o rei: também no reino muitos largavam tudo para correr atrás de fortunas que prometiam ser enormes De todo lado, homens atiravam-se a uma região inteiramente despreparada para recebê-los A tentação do ouro era maior que o medo, os perigos... Mineração
  • 3. Entre os anos de 1696 e 1700, a fome assolou Minas Gerais; Alguns anos após a descoberta das jazidas, cerca de 6 mil pessoas tinham chegado à Minas; Na virada do século XVIII, esse número saltou para 30 mil Não havia o que comer: animais ou vegetais já tinham sido consumidos Muitos fugiam para as matas à procura de comida, como raízes e cascas de árvores. Foram devorados sapos, cobras e formigas tostadas eram uma iguaria comparada à melhor manteiga da Europa Os alimentos que chegavam à região das Minas tinham um preço exorbitante. Um boi em Salvador custava 4 mil réis; nas mInas 96 mil reís Uma galinha chegou a custar 14 g de ouro Os escravos chegaram a custar 750 mil réis, enquanto no Nordeste era vendido por 100 mil Mineração
  • 4. No início os paulistas levavam vantagens na descoberta de novas minas; Eles conheciam o caminho, estavam acostumados a viver nas matas, a extrair dela sua comida, a fazer alianças com os indígenas – além de serem os responsáveis pela administração local, pois as minas estavam na área da capitania de São Paulo. Toleraram a presença dos baianos, mas se assustaram com a avalanche de portugueses vindos da metrópole. Logo surgiu o primeiro conflito pela posse das descobertas Mineração
  • 5. Os paulistas, descobridores das minas (consideravam a região sua propriedade) Mineração Portugueses, baianos e o restante da colônia GUERRA DOS EMBOABAS (1708-1709) Houve uma guerra civil. Os emboabas que possuíam mais recursos expulsaram os paulistas da área. A Coroa portuguesa interveio e ampliou seu controle sobre a região x
  • 6. Quem poderia explorar as minas? Todo o ouro descoberto deveria ser imediatamente comunicado à autoridade da região. Este comunicaria a Coroa Portuguesa. Eram enviados ao local funcionários reais para estudar o terreno e dividir as minas em datas, que eram extensões de terra auríferas à beira dos rios, ou seja. A única vantagem que o descobrir tinha era, às vezes, escolher qual data iria explorar Uma outra data era escolhida pela Fazenda Real. As restantes iam à leilão entre os interessados. Quem tivesse mais escravos tinha preferência nas escolhas Mineração
  • 7. A Coroa Portuguesa baixou uma legislação rigorosíssima para regulamentar a exploração e impedir o contrabando. Para administrar a região mineradora foi criada, em 1702, a Intendência das Minas, diretamente subordinada à Lisboa. Era responsável pela fiscalização e exploração das minas. Realizava a distribuição de datas-lotes a serem explorados, e pela cobrança do quinto (20% do ouro encontrado). As Intendências prestavam contas diretamente à Coroa portuguesa, mantendo total independência dos poderes locais Os mineradores deveriam pagar o quinto. O quinto era a cobrança de 20% de toda a produção de metais preciosos. Mineração
  • 8. Diante do contrabando, a Coroa Portuguesa criou as Casas de Fundição em 1720 . Nas Casas de Fundição, todo o ouro encontrado seria fundido e transformado em barras, marcadas com o selo real. O mineiro era obrigado a pagar o imposto já nas Casas de Fundição. Estima-se que 35% do ouro encontrado foi contrabandeado Mineração
  • 9. Mineração O escravo era a mão de obra nas minas de ouro e diamante
  • 10. Houve protestos dos mineradores contra os impostos Felipe dos Santos organizou um movimento contra as Casas de Fundição, contra as taxações da Coroa portuguesa. Era a Revolta de Felipe dos Santos, em Ouro Preto, antiga Vila Rica, em 1720   Felipe dos Santos foi preso, condenado à forca e, depois, seu corpo cortado. Sua cabeça foi exposta em uma praça em Vila Rica e restos de seu corpo presos a um cavalo solta para circular em Vila Rica. Era o exemplo do que poderia acontecer com quem se rebelasse. Mineração
  • 11. FORMAS DE EXPLORAÇÃO DAS MINAS. Havia dois tipos de exploração do ouro: - as lavras : a grande empresa mineradora, com utilização de trabalho escravo, ferramentas e aparelhos; Havia mais recursos disponíveis - a faiscação : a pequena empresa, que explorava o trabalho livre ou escravos alforriados; trabalhavam por conta própria, com poucos e precários recursos. Eram os faiscadores ou garimpeiros Mineração
  • 12. As minas menores, sem muitas perspectivas de produzir grandes quantidades de ouro, e as que eram abandonadas depois de esgotadas suas reservas, eram exploradas por faiscadores, que tinham recursos e instrumentos precários Os faiscadores ou garimpeiros passavam de mina em mina procurando locais onde a ocorrência fosse menor Havia senhores que liberavam seus escravos para procurar ouro. Esses escravos deveriam lhes entregar uma quantia fixa de ouro e ficaria com uma pequena parte. Se fossem grandes achados, poderiam até mesmo comprar sua liberdade Mineração
  • 13. No Brasil, o ouro encontrava-se depositado na superfície ou em pequenas profundidades: inicialmente exploravam-se os leitos dos rios, que eram superficiais; em seguida, os tabuleiros (nas margens), que eram pouco profundos; e, finalmente, nas encostas, que eram mais profundas. Dizemos, por isso, que predominou o ouro de aluvião , que era depositado no fundo dos rios e de fácil extração, ao contrário das minas de prata do México e do Peru, que dependiam de profundas escavações. A extração do ouro de aluvião era, portanto, mais simples, mas de esgotamento mais rápido . Por essa razão, mesmo na organização das lavras, as empresas eram concebidas de modo a poderem se mobilizar constantemente, conferindo à atividade mineradora um caráter nômade. Mineração
  • 14. Mineração 3 polos da mineração São João del Rei Região de Vila Rica e Mariana Sabará e Caeté São regiões interioranas
  • 15. OS DIAMANTES As primeiras descobertas de diamantes no Brasil ocorreram em 1729, no Arraial do Tijuco, atual Diamantina. Inicialmente, tentou-se cobrar o quinto sobre a produção de diamantes, o que se tornou impossível diante do tamanho e da variedade das pedras A Metrópole então criou o Distrito Diamantino. Expulsou os mineiros da região e a exploração passou a ser privilégio de algumas pessoas - os contratadores - que pagavam uma quantia fixa para extrair o diamante. Em 1771, o próprio governo português assumiu a exploração do diamante, estabelecendo a real extração. Mineração
  • 16. Mineração Não se sabe exatamente a quantidade de metais preciosos extraídos da Colônia por causa do contrabando; mas estima-se no século XVIII 1200 toneladas de ouro e 2 milhões de quilates de diamantes. 70% da produção foi obtida em Minas Gerais Comparação: Serra Pelada (Pará) na década de 1980 produziu 350 toneladas
  • 17. O ciclo do ouro e do diamante foi responsável por profundas mudanças na vida colonial. Em 100 anos, a população cresceu de 300 mil para, aproximadamente, 3 milhões de pessoas, incluindo aí, um deslocamento de 800 mil portugueses para o Brasil A região das Minas tornou-se um ativo mercado consumidor de gêneros alimentícios, vestuário, ferramentas, mobiliário Havia trabalhos de carpintaria, marcenaria, edificação. Boa parte desses serviços passou a ser oferecida por criadores de gado, fazendeiros, artesãos, comerciantes instalados nas vilas e arraiais da região da mineração Isso estimulou o mercado interno da colônia Mineração
  • 18. Consequências da mineração A atividade mineradora no Brasil provocou uma alteração na estrutura colonial, ou seja, provocou mudanças econômicas, sociais, políticas e culturais. As mudanças econômicas: mudou o eixo econômico da vida colonial -do litoral nordestino para a região Centro-Sul; Mudança da capital Salvador para o Rio de Janeiro, em 1763 incentivou a intensificação do comércio interno, uma vez que se fazia necessário o abastecimento da região das minas - aumento da produção de alimentos e da criação de gado; provocou o surgimento de rotas coloniais garantindo a interligação da região das minas com outras regiões do Brasil. Mineração
  • 19. CONSEQUENCIAS DA MINERAÇÃO: Penetração definitiva da colonização em direção ao interior Ultrapassando os limites de Tordesilhas, ampliou o território brasileiro Proporcionou um maior volume de capitais na colônia Ampliação do mercado interno O Brasil colonial
  • 20. Foram os filhos das elites mineradoras que,ao voltarem da Europa, trouxeram para a colônia os ideais iluministas Foram a base intelectual da colônia As novas elites
  • 21. Sociedade mineradora Escravos Senhores de Engenho Trabalhadores Livres Elite Mineradora Classe Média Escravos Sociedade Açucareira Sociedade Mineradora
  • 22. Termo impreciso (esta atividade nunca deixou de existir. Ex: Açúcar) Na verdade volta-se a dar a importância principal a esta prática e os investimentos passam a vir em primeira mão. A industrialização na Europa incentiva a agricultura no Brasil Independência do EUA Revolta de escravos nas Antilhas (século XVII). O renascimento agrícola