SlideShare uma empresa Scribd logo
IGREJA
EM CÉLULAS
SEJA
BEM
VINDO
Compartilhando a
VISÃO
“Ninguém pode deter um visionário.”
Pastor Lael
Convicções dos Valores na Visão:
amor, relacionamento
1 – Convicção que as células tem
embasamento bíblico;
2 – Oração e amor pelas Almas;
3 – A estratégia não funciona por ser
estratégia, tem que estar apaixonado pela
igreja, pela cidade, por famílias, etc...;
4 – O Pastor deverá ter um período de jejum
oração, para captar a essência de estratégia
5 – Visão é uma fotografia que produz Visão;
6 – É a clara Visão Mental do Ministério;
7 – As pessoas nem sempre vão ver o que o
líder vê;
8 – Visão é observar como se estivesse
usando lupa;
9 – Visão é como a margem de um rio que
dá direção as águas;
10 – A visão vem sempre com uma
carga do Espirito Santo;
- Pregações sobre milagres nas
casas
- Cada célula que abre em Honduras
Eles rodeiam o quarteirão em batalha
expulsando os demônios e tomando
posse do território;
Transição e Implantação de Células nas Igrejas
Honduras – Inicio 1993 com 480 membros (Pastor Mizael);
Cultos sexta e domingo e na segunda-feira trata-se os
departamentos;
Onibus são contratados para trazer as pessoas;
Uma vez ao mês é realizado uma reunião com os líderes
de grupos familiares e seus assistentes;
https://www.youtube.com/watch?v=gx7__lHbG3E
Honduras
Células são feitas aos sábados;
No meio da semana é realizado reuniões para ajustar
o trabalho;
Estrutura física operacional;
Possui faculdade com cursos;
Templo suporta 20.000 pessoas;
4º Comprometimento FINANCEIRO
Jonas 1:3
Jonas pagou para fugir da
presença de Deus
E da responsabilidade para
com o povo de Nínive.
Sua História…
Elim começou como uma igreja local
em maio 1977, com apenas 9 pessoas.
Durante seus primeiros anos,
ela trabalhou como uma igreja tradicional.
Alcançou um crescimento de cerca de
3.000 pessoas durante um período
de nove anos.
Missão Cristã Elim
Seu crescimento
4º Comprometimento FINANCEIRO
Jonas 1:3
Jonas pagou para fugir da
presença de Deus
E da responsabilidade para
com o povo de Nínive.
• A partir do ano 86 Elim iniciou a transição para o
modelo celular.
• Tornando-se uma igreja celular cresceu de 3.000
para 10.000 pessoas em apenas um ano
• Em junho de 2002, a igreja Elim em San Salvador,
atinge seus primeiros 100.000 membros através
das células.
• Seu último culto ao ar livre contou com a presença
de 150.000.
• 75.000 membros e 7.000 Células
Fatores determinantes:
• 1- O homem de Deus.
a-) Uma chamada para executar
projetos de Deus.
b-) Fervor chega a muitos.
CRESCIMENTO
O homem de Deus ....
c) A paixão por falar a Palavra de Deus.
d) Visão para o Crescimento.
e) Unidade do Espírito Santo.
f) Vida de oração.
CRESCIMENTO
Fatores determinantes:
2- O MINISTÉRIO DA IGREJA.
(Todos Os Santos)
Cada crente deve ser um verdadeiro
membro de um corpo (corpo de Cristo)
e não de uma organização (o nome)
Fatores determinantes:
3- maneira de ser Igreja.
Biblicamente, a Igreja tem sido sempre
móvel.
Deus quer que Sua igreja cresça!
Essa é a visão que nós apoiamos
Deus quer fazer em cada localidade.
Assim seja!
CRESCIMENTO
DEUTERONÔMIO 09:18-19
CONTADOR DE ESTRELAS
MUDANÇA DE MENTALIDADE
Objetivos:
Gerar muitos filhos
para Deus ?
Ser conhecido ou
Reconhecido por muitos ?
PORQUE QUERO SER
PAI DE Multidões ?
ESTOU AQUI
01 CÉLULAS50
10050
100 200
200 500
500 1000
02-05
CÉLULAS05-10
CÉLULAS10-20
CÉLULAS20-50
CÉLULAS
QUANDO SE TÊM DE 50 A 100
PESSOAS JÁ EXISTE A NECESSIDADE
DE SE MONTAR UMA EQUIPE
de 1000 Pessoas
PASTORES DE REDES
SUPERVISORES
DISCIPULADORES
LÍDERES
BASE E ESTRUTURAS
Conhecimento sobre Células
Sistema TI
Redes Missionárias Organizadas
Conhecimento em Administração
O QUE PRECISO FAZER PARA
FORMAR MINHA EQUIPE ?
Moisés começou orando 80
dias!
IMPORTANTE
QUEM PODE FAZER PARTE DA EQUIPE?
FAZER O CONVITE A TODA IGREJA
Ver a disponibilidade e interesse das pessoas
Líderes menos prováveis
Crianças, jovens, mulheres,
Homens, etc…
INVESTIMENTO na VIDA
Desses DISCÍPULOS
TEMPO E COMUNHãO
EU FAÇO E VOCÊ OBERSVA
VOCÊ FAZ E EU OBSERVO
NOS FAZEMOS, VEM A MULTIPLICAÇÃO
Unir os membros que tenho,
Colocando nova mentalidade neles.
Material de Apoio:
Pregações em Vídeo: Pastor Aber Huber
Bom Pastor
Purê de Batata
Livros: Pastor Antônio Pinto
E-mail: prantoniojoseto@hotmail.com
(33)3521-9347 / 8862-8217 / 9128-6685
Bem-Vindos a Família (Quem ama ganha,
quem ganha cuida)
Bom Samaritano
http://www.celulas.com.br/
http://www.ieqcelulaspr.com.br/
Diferença de Grupo Familiar e
CÉLULAS
TRÊS FASES DOS GRUPOS FAMILIARES
PRIMEIRA FASE
IGREJA
Grupos
Familiares
Grupos
Familiares
Grupos
Familiares
Grupos
Familiares
Grupos
Familiares
Grupos
Familiares
Grupos
Familiares
PRIMEIRA FASE
Os grupos familiares são realizados
nas casas cedida pelos irmãos e
Funcionam uma vez por semana,
com a duração de o máximo uma hora.
Uma vez por semana todos dos grupos
deverão participar de um culto na Igreja-Mãe,
Em um dia determinado pelo Pastor
SEGUNDA FASE
Deve acontecer com a multiplicação do
grupo. O Pastor aluga um salão ou constrói
uma igreja, agrupa-se um determinado
numero de grupos e inicia-se uma
congregação, que fica filiada a IGREJA-MÃE
dirigindo suas reuniões em dias
determinados pelo pastor titular.
Essa congregação poderá ser transformada
Obra Nova dependendo do planejamento da
Igreja-Mãe
IGREJA-MÃE
IGREJA-FILHA
IGREJA-FILHA
IGREJA-FILHA
IGREJA-FILHA
IGREJA-FILHA
SEGUNDA FASE
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
TERCEIRA FASE
Ela acontece quando a Igreja-Filha
já tem seus departamentos,
Grupos Missionários, bandas,
grupos de louvor e arrecadação
suficiente para que a Igreja
continue crescendo e se
fortalecendo em todas as áreas
conforme o PROJEQ determina.
Acontece a emancipação.
IGREJA-FILHA
IGREJA-FILHA
IGREJA-FILHA
IGREJA-FILHA
IGREJA-FILHA
IGREJA-MÃE
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
TERCEIRA FASE
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Grupo
Familiar
Ensinar o DISCÍPULO:
- HORÁRIO
- CONVERSA
- COMIDA
- RESPEITAR A PRIVACIDADE DA FAMÍLIA
- ENSINAR COMO CONDUZIR A REUNIÃO
- REGULARIZAR SITUACÕES, VÍCIOS, CASAMENTOS
- RELACIONAMENTO FAMILIAR
QUANTO MENOS MEMBROS
TÊM A IGREJA MAIS FÁCIL
PARA FAZER A TRANSIÇÃO.
JA TENHO A LIDERANÇA.
COMO FACO PARA ABRIR AS PORTAS!
Veja algumas estratégias abaixo:
VíDEO – Pastor Danilo
- ALIANÇA DE ORAÇÃO
- LAR DE PAZ
- LAR DE SALVAÇÃO
- CARTAS DE PORTA EM PORTA
https://www.youtube.com/watch?v=X1abmPUhzs4
Como trazer o membro da célula para igreja?
Eventos Pontes
Cultos Temáticos
REDES MISSIONÁRIAS NA SEXTA-FEIRA
Culto dos Adolescentes
Culto dos Jovens
Transição e Implantação de Células nas Igrejas
LIDERANÇA COMPROMETIDA
4 NÍVEIS DE COMPROMENTIMENTO
1° Comprometimento EMOCIONAL
Neemias 2:3 (Ele estava em uma profunda
tristeza, pelo povo. Seu estado emocional
não era fútil.
Mostrando amor e compaixão
pela causa de Deus).
2º Comprometimento ESPIRITUAL
Deuteronômio 9.18 (Orou e jejuou pela causa
do povo).
3º Comprometimento de TEMPO
Efésios 5:15-16
“O tempo é a moeda de Deus para
conquistar o que se quer”
O que você faz com o seu tempo
Determina o que você é!
Uma Conta Rápida
1 Dia = 24 horas
7 Dias = 168 horas
Culto Quarta-Feira = 2 horas/aproximadamente
Culto Domingo = 2 horas/aproximadamente
Por Semana = 4 horas
Resultado
Deus me deu: 168 horas / Semana
Eu dou para Deus: 4 horas / Semana
Me sobram: 164 horas
“Deus, eu não tenho tempo...”
4º Comprometimento FINANCEIRO
Jonas 1:3
Jonas pagou para fugir da
presença de Deus
E da responsabilidade para
com o povo de Nínive.
4º Comprometimento FINANCEIRO
Jonas 1:3
Jonas pagou para fugir da
presença de Deus
E da responsabilidade para
com o povo de Nínive.
TRANSIÇÃO
E
IMPLANTAÇÃO
CÉLULAS
 Compartilhar a visão;
 Pregar e fazer reuniões com pessoas
chaves dentro da igreja.
1 - PASSOS PARA UMA TRANSIÇÃO
SEGURA
(Retiros, almoço, cafés,
vigílias)
 O pastor deverá ter um período de
jejum e oração, para captar a essência da
estratégia.
 Estudar tudo o que puder sobre o
assunto, participar de congressos, etc...
 Buscar um mentor nessa estratégia.
Nunca andar sozinho.
 Visitar igrejas
que estão
andando nessa
estratégia. Ex: Ir a
Belém.
2- IMPLANTAÇÃO
 Escola de líderes
com as pessoas
chaves e
interessadas.
 Usar material
disponível, com
duração de no
mínimo 3 meses e no
máximo 6 meses.
 Uma igreja com 50 membros, o pastor
deverá abrir a primeira célula e treinar os
demais.
2- IMPLANTAÇÃO
 Uma igreja com 100 (cem) membros ou mais,
poderá ser aberta mais de uma célula. Ex.: O
número de alunos na escola de líderes
determina o número de células.
 O pastor deverá
sempre ser o
primeiro a dar
aula na escola
de líderes.
2- IMPLANTAÇÃO
(Formar na sequência uma equipe)
 As mensagens ministrada nas células devem
ser sempre supervisionadas. Ex: Mensagem de
domingo ou mensagem preparada com
antecedência.
 Todas as células deverão prestar relatórios.
Estamos disponibilizando modelos.
2- IMPLANTAÇÃO
 Reunir semanalmente com os líderes de
célula.
2- IMPLANTAÇÃO
 Reunião objetiva com período de oração.
3- MATERIAL RECOMENDADO
O CICLO DA CÉLULA
4 FACES
EVANGELISMO
COMUNHÃO
EDIFICAÇÃO
MULTIPLICAÇÃO
1ª FACE
COMUNHÃO
De 4 a 6 semanas.
Forma-se o núcleo da célula.
Oração por 30 dias.
Tomada de território
Comunhão e Relacionamento
O alvo neste período é produzir
vínculos e relacionamentos de
Comunhão.
Todos devem ter compreendido os
Objetivos da célula,
principalmente a sua
multiplicação.
2ª FACE
EVANGELISMO
De 2 a 3 meses.
Abre-se a célula para convidados.
Desenvolvem-se estratégias de
evangelismo.
Pode-se realizar eventos ponte.
O objetivo é ganhar vidas e levá-las
ao batismo em águas.
3ª FACE
EDIFICAÇÃO
Aproximadamente 3 meses.
Esse é o estágio onde os
relacionamentos passarão do nível
social para o pessoal.
As pessoas serão discipuladas na
célula e na igreja.
Nessa fase, inicia-se a Escola de
Discípulos e realiza-se também o
Encontro com Deus.
MULTIPLICAÇÃO4ª FACE
Consideramos que uma célula se
encerra ao se multiplicar.
Os dois grupos resultantes da
multiplicação são considerados
então, duas novas células.
Deve ser um tempo de Alegria
Espera-se que o líder em
treinamento tenha tido a
oportunidade de realizar
todas as tarefas de um líder
(ao lado do líder da célula).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Treinamento de Líderes de Células e Discipulado Um a Um
Treinamento de Líderes de Células e Discipulado Um a UmTreinamento de Líderes de Células e Discipulado Um a Um
Treinamento de Líderes de Células e Discipulado Um a Um
Christian Lepelletier
 
Princípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de SantidadePrincípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de Santidade
IBMemorialJC
 
A igrea e a disciplina
A igrea e a disciplinaA igrea e a disciplina
A igrea e a disciplina
Paulo Roberto
 
Lição 2 A disciplina na vida do obreiro
Lição 2   A disciplina na vida do obreiroLição 2   A disciplina na vida do obreiro
Lição 2 A disciplina na vida do obreiro
Wander Sousa
 
Célula nota 10
Célula nota 10Célula nota 10
Célula nota 10
Rodrigo Costa
 
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nósLição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Éder Tomé
 
Como Levar sua Igreja para Frente: Revitalização de igreja
Como Levar sua Igreja para Frente: Revitalização de igrejaComo Levar sua Igreja para Frente: Revitalização de igreja
Como Levar sua Igreja para Frente: Revitalização de igreja
Robson Santana
 
Seitas, heresias e falsos ensinos - Introdução
Seitas, heresias e falsos ensinos - IntroduçãoSeitas, heresias e falsos ensinos - Introdução
Seitas, heresias e falsos ensinos - Introdução
Luan Almeida
 
Introdução ao Antigo Testamento
Introdução ao Antigo TestamentoIntrodução ao Antigo Testamento
Introdução ao Antigo Testamento
Viva a Igreja
 
Apostila obreiros
Apostila obreirosApostila obreiros
Apostila obreiros
Mara Rúbia Alfarth
 
Estudo sobre evangelismo
Estudo sobre evangelismoEstudo sobre evangelismo
Estudo sobre evangelismo
rodrigocristao84
 
Lição 12 - A necessidade do batismo com o Espírito Santo.
Lição 12 - A necessidade do batismo com o Espírito Santo.Lição 12 - A necessidade do batismo com o Espírito Santo.
Lição 12 - A necessidade do batismo com o Espírito Santo.
Éder Tomé
 
Eclesiologia
EclesiologiaEclesiologia
Eclesiologia
Romulo Roosemberg
 
Discipulado: uma necessidade urgente!
Discipulado: uma necessidade urgente!Discipulado: uma necessidade urgente!
Discipulado: uma necessidade urgente!
Viva a Igreja
 
6 a missão da igreja
6 a missão da igreja6 a missão da igreja
6 a missão da igreja
faculdadeteologica
 
Lição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser Suestimada
Lição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser SuestimadaLição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser Suestimada
Lição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser Suestimada
Éder Tomé
 
O discipulado na prática
O discipulado na práticaO discipulado na prática
O discipulado na prática
Joary Jossué Carlesso
 
Como preparar uma pregação
Como preparar uma pregaçãoComo preparar uma pregação
Como preparar uma pregação
Alípio Vallim
 
Lição 9 - É preciso buscar Crescimento Espiritual
Lição 9 - É preciso buscar Crescimento EspiritualLição 9 - É preciso buscar Crescimento Espiritual
Lição 9 - É preciso buscar Crescimento Espiritual
Éder Tomé
 
Os 05 Dons Ministeriais
Os 05 Dons MinisteriaisOs 05 Dons Ministeriais
Os 05 Dons Ministeriais
Márcio Pereira
 

Mais procurados (20)

Treinamento de Líderes de Células e Discipulado Um a Um
Treinamento de Líderes de Células e Discipulado Um a UmTreinamento de Líderes de Células e Discipulado Um a Um
Treinamento de Líderes de Células e Discipulado Um a Um
 
Princípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de SantidadePrincípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de Santidade
 
A igrea e a disciplina
A igrea e a disciplinaA igrea e a disciplina
A igrea e a disciplina
 
Lição 2 A disciplina na vida do obreiro
Lição 2   A disciplina na vida do obreiroLição 2   A disciplina na vida do obreiro
Lição 2 A disciplina na vida do obreiro
 
Célula nota 10
Célula nota 10Célula nota 10
Célula nota 10
 
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nósLição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
 
Como Levar sua Igreja para Frente: Revitalização de igreja
Como Levar sua Igreja para Frente: Revitalização de igrejaComo Levar sua Igreja para Frente: Revitalização de igreja
Como Levar sua Igreja para Frente: Revitalização de igreja
 
Seitas, heresias e falsos ensinos - Introdução
Seitas, heresias e falsos ensinos - IntroduçãoSeitas, heresias e falsos ensinos - Introdução
Seitas, heresias e falsos ensinos - Introdução
 
Introdução ao Antigo Testamento
Introdução ao Antigo TestamentoIntrodução ao Antigo Testamento
Introdução ao Antigo Testamento
 
Apostila obreiros
Apostila obreirosApostila obreiros
Apostila obreiros
 
Estudo sobre evangelismo
Estudo sobre evangelismoEstudo sobre evangelismo
Estudo sobre evangelismo
 
Lição 12 - A necessidade do batismo com o Espírito Santo.
Lição 12 - A necessidade do batismo com o Espírito Santo.Lição 12 - A necessidade do batismo com o Espírito Santo.
Lição 12 - A necessidade do batismo com o Espírito Santo.
 
Eclesiologia
EclesiologiaEclesiologia
Eclesiologia
 
Discipulado: uma necessidade urgente!
Discipulado: uma necessidade urgente!Discipulado: uma necessidade urgente!
Discipulado: uma necessidade urgente!
 
6 a missão da igreja
6 a missão da igreja6 a missão da igreja
6 a missão da igreja
 
Lição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser Suestimada
Lição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser SuestimadaLição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser Suestimada
Lição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser Suestimada
 
O discipulado na prática
O discipulado na práticaO discipulado na prática
O discipulado na prática
 
Como preparar uma pregação
Como preparar uma pregaçãoComo preparar uma pregação
Como preparar uma pregação
 
Lição 9 - É preciso buscar Crescimento Espiritual
Lição 9 - É preciso buscar Crescimento EspiritualLição 9 - É preciso buscar Crescimento Espiritual
Lição 9 - É preciso buscar Crescimento Espiritual
 
Os 05 Dons Ministeriais
Os 05 Dons MinisteriaisOs 05 Dons Ministeriais
Os 05 Dons Ministeriais
 

Destaque

Como implantar células pr.george
Como implantar células pr.georgeComo implantar células pr.george
Como implantar células pr.george
IBR (Instituto Bíblico Restauração)
 
1 apresentação de uma igreja em celulas
1 apresentação de uma igreja em celulas1 apresentação de uma igreja em celulas
1 apresentação de uma igreja em celulas
Otoniel Ferreira
 
Visão Celular
Visão CelularVisão Celular
Visão Celular
guest8f0e175c
 
Visão Celular
Visão CelularVisão Celular
Visão Celular
André rug
 
Como atrair novos membros para a célula
Como atrair novos membros para a célulaComo atrair novos membros para a célula
Como atrair novos membros para a célula
Francisco Teófilo da Silva
 
Melhorando as dinâmicas pr george
Melhorando as dinâmicas pr georgeMelhorando as dinâmicas pr george
Melhorando as dinâmicas pr george
IBR (Instituto Bíblico Restauração)
 
Fatores de multiplicação
Fatores de multiplicaçãoFatores de multiplicação
Fatores de multiplicação
Evandro Cruz
 
A reunião de celula
A reunião de celulaA reunião de celula
A reunião de celula
rosanabonne
 
A visao-do-mda
A visao-do-mdaA visao-do-mda
A visao-do-mda
Igreja de Deus
 
Discipulado para Novos Crentes
Discipulado para Novos Crentes  Discipulado para Novos Crentes
Discipulado para Novos Crentes
Eduardo Sales de lima
 
Processo da visão celular m12
Processo da visão celular m12Processo da visão celular m12
Processo da visão celular m12
Marcos Marcos Silva
 
A igreja em casas atos
A igreja em casas   atosA igreja em casas   atos
A igreja em casas atos
mfb_tati
 
Discipulado na Prática
Discipulado na PráticaDiscipulado na Prática
Discipulado na Prática
Narlea Walkyse
 
Carlos carrion
Carlos carrionCarlos carrion
Carlos carrion
Irwing
 
001 um breve histórico dos pequenos grupos
001   um breve histórico dos pequenos grupos001   um breve histórico dos pequenos grupos
001 um breve histórico dos pequenos grupos
Igreja Batista da Vila Ivonete
 
Apostila para discipulado mda
Apostila para discipulado mdaApostila para discipulado mda
Apostila para discipulado mda
Claudia araujo
 
Manual de Discipulador
Manual de DiscipuladorManual de Discipulador
Manual de Discipulador
Christian Lepelletier
 
Porque 12
Porque 12 Porque 12
Restaurando a visao de deus para sua igreja resumo
Restaurando a visao de deus para sua igreja resumoRestaurando a visao de deus para sua igreja resumo
Restaurando a visao de deus para sua igreja resumo
Marcos Luiz DA Silva
 
Céliulas
CéliulasCéliulas
Céliulas
Iago Rodrigues
 

Destaque (20)

Como implantar células pr.george
Como implantar células pr.georgeComo implantar células pr.george
Como implantar células pr.george
 
1 apresentação de uma igreja em celulas
1 apresentação de uma igreja em celulas1 apresentação de uma igreja em celulas
1 apresentação de uma igreja em celulas
 
Visão Celular
Visão CelularVisão Celular
Visão Celular
 
Visão Celular
Visão CelularVisão Celular
Visão Celular
 
Como atrair novos membros para a célula
Como atrair novos membros para a célulaComo atrair novos membros para a célula
Como atrair novos membros para a célula
 
Melhorando as dinâmicas pr george
Melhorando as dinâmicas pr georgeMelhorando as dinâmicas pr george
Melhorando as dinâmicas pr george
 
Fatores de multiplicação
Fatores de multiplicaçãoFatores de multiplicação
Fatores de multiplicação
 
A reunião de celula
A reunião de celulaA reunião de celula
A reunião de celula
 
A visao-do-mda
A visao-do-mdaA visao-do-mda
A visao-do-mda
 
Discipulado para Novos Crentes
Discipulado para Novos Crentes  Discipulado para Novos Crentes
Discipulado para Novos Crentes
 
Processo da visão celular m12
Processo da visão celular m12Processo da visão celular m12
Processo da visão celular m12
 
A igreja em casas atos
A igreja em casas   atosA igreja em casas   atos
A igreja em casas atos
 
Discipulado na Prática
Discipulado na PráticaDiscipulado na Prática
Discipulado na Prática
 
Carlos carrion
Carlos carrionCarlos carrion
Carlos carrion
 
001 um breve histórico dos pequenos grupos
001   um breve histórico dos pequenos grupos001   um breve histórico dos pequenos grupos
001 um breve histórico dos pequenos grupos
 
Apostila para discipulado mda
Apostila para discipulado mdaApostila para discipulado mda
Apostila para discipulado mda
 
Manual de Discipulador
Manual de DiscipuladorManual de Discipulador
Manual de Discipulador
 
Porque 12
Porque 12 Porque 12
Porque 12
 
Restaurando a visao de deus para sua igreja resumo
Restaurando a visao de deus para sua igreja resumoRestaurando a visao de deus para sua igreja resumo
Restaurando a visao de deus para sua igreja resumo
 
Céliulas
CéliulasCéliulas
Céliulas
 

Semelhante a Transição e Implantação de Células nas Igrejas

Treinamento para lideres de célula pr aber huber
Treinamento para lideres de célula   pr aber huberTreinamento para lideres de célula   pr aber huber
Treinamento para lideres de célula pr aber huber
Josimar Santos
 
Apostila treinamentodelderesdeclulas-140126154720-phpapp01
Apostila treinamentodelderesdeclulas-140126154720-phpapp01Apostila treinamentodelderesdeclulas-140126154720-phpapp01
Apostila treinamentodelderesdeclulas-140126154720-phpapp01
Elizabete Pereira Dos Santos
 
Apostila treinamentodelderesdeclulas-140126154720-phpapp01
Apostila treinamentodelderesdeclulas-140126154720-phpapp01Apostila treinamentodelderesdeclulas-140126154720-phpapp01
Apostila treinamentodelderesdeclulas-140126154720-phpapp01
Mariano Silva
 
Visão celular- unificacionista
Visão celular- unificacionistaVisão celular- unificacionista
Visão celular- unificacionista
Christian Lepelletier
 
TLC NIVEL M.D.A
TLC NIVEL M.D.ATLC NIVEL M.D.A
TLC NIVEL M.D.A
KENNEDY771062
 
BEABÁ DAS CÉLULAS
BEABÁ DAS CÉLULAS BEABÁ DAS CÉLULAS
BEABÁ DAS CÉLULAS
Deonice E Orlando Sazonov
 
seminario_melhorando_as_dinamicas.ppt
seminario_melhorando_as_dinamicas.pptseminario_melhorando_as_dinamicas.ppt
seminario_melhorando_as_dinamicas.ppt
Luiz Gomes
 
Visão 2020 para salvar o brasil
Visão 2020 para salvar o brasilVisão 2020 para salvar o brasil
Visão 2020 para salvar o brasil
Christian Lepelletier
 
Igreja do Lar e Movimento das Células
Igreja do Lar e Movimento das CélulasIgreja do Lar e Movimento das Células
Igreja do Lar e Movimento das Células
Christian Lepelletier
 
Ev efetivo 002
Ev efetivo 002Ev efetivo 002
Ev efetivo 002
Vinicio Pacifico
 
Ev efetivo 002
Ev efetivo 002Ev efetivo 002
Ev efetivo 002
Vinicio Pacifico
 
Manual da visão
Manual da visão  Manual da visão
Manual da visão
Carlos Cirleno Neves
 
DISCIPULADO UM A UM.-phpapp02
DISCIPULADO UM A UM.-phpapp02DISCIPULADO UM A UM.-phpapp02
DISCIPULADO UM A UM.-phpapp02
Deonice E Orlando Sazonov
 
Dna a visão da igreja obpc
Dna a visão da igreja obpcDna a visão da igreja obpc
Visao e pratica de celulas
Visao e pratica de celulasVisao e pratica de celulas
Visao e pratica de celulas
Soraya Morais Azevedo
 
APRESENTAÇÃO OFICIAL
APRESENTAÇÃO OFICIALAPRESENTAÇÃO OFICIAL
APRESENTAÇÃO OFICIAL
Markson Cézar
 
Liderando a célula com paixão
Liderando a célula com paixãoLiderando a célula com paixão
Liderando a célula com paixão
Fernando Balthar
 
Questionário de crescimento da célula
Questionário de crescimento da célulaQuestionário de crescimento da célula
Questionário de crescimento da célula
Anderson Menger
 
Aula 6 - A Multiplicação de Líderes.pptx
Aula 6 - A Multiplicação de Líderes.pptxAula 6 - A Multiplicação de Líderes.pptx
Aula 6 - A Multiplicação de Líderes.pptx
IejnCongonhas
 
Núcleo slides para formação em maio de 2013
Núcleo   slides para formação em maio de 2013Núcleo   slides para formação em maio de 2013
Núcleo slides para formação em maio de 2013
Carlos Junior
 

Semelhante a Transição e Implantação de Células nas Igrejas (20)

Treinamento para lideres de célula pr aber huber
Treinamento para lideres de célula   pr aber huberTreinamento para lideres de célula   pr aber huber
Treinamento para lideres de célula pr aber huber
 
Apostila treinamentodelderesdeclulas-140126154720-phpapp01
Apostila treinamentodelderesdeclulas-140126154720-phpapp01Apostila treinamentodelderesdeclulas-140126154720-phpapp01
Apostila treinamentodelderesdeclulas-140126154720-phpapp01
 
Apostila treinamentodelderesdeclulas-140126154720-phpapp01
Apostila treinamentodelderesdeclulas-140126154720-phpapp01Apostila treinamentodelderesdeclulas-140126154720-phpapp01
Apostila treinamentodelderesdeclulas-140126154720-phpapp01
 
Visão celular- unificacionista
Visão celular- unificacionistaVisão celular- unificacionista
Visão celular- unificacionista
 
TLC NIVEL M.D.A
TLC NIVEL M.D.ATLC NIVEL M.D.A
TLC NIVEL M.D.A
 
BEABÁ DAS CÉLULAS
BEABÁ DAS CÉLULAS BEABÁ DAS CÉLULAS
BEABÁ DAS CÉLULAS
 
seminario_melhorando_as_dinamicas.ppt
seminario_melhorando_as_dinamicas.pptseminario_melhorando_as_dinamicas.ppt
seminario_melhorando_as_dinamicas.ppt
 
Visão 2020 para salvar o brasil
Visão 2020 para salvar o brasilVisão 2020 para salvar o brasil
Visão 2020 para salvar o brasil
 
Igreja do Lar e Movimento das Células
Igreja do Lar e Movimento das CélulasIgreja do Lar e Movimento das Células
Igreja do Lar e Movimento das Células
 
Ev efetivo 002
Ev efetivo 002Ev efetivo 002
Ev efetivo 002
 
Ev efetivo 002
Ev efetivo 002Ev efetivo 002
Ev efetivo 002
 
Manual da visão
Manual da visão  Manual da visão
Manual da visão
 
DISCIPULADO UM A UM.-phpapp02
DISCIPULADO UM A UM.-phpapp02DISCIPULADO UM A UM.-phpapp02
DISCIPULADO UM A UM.-phpapp02
 
Dna a visão da igreja obpc
Dna a visão da igreja obpcDna a visão da igreja obpc
Dna a visão da igreja obpc
 
Visao e pratica de celulas
Visao e pratica de celulasVisao e pratica de celulas
Visao e pratica de celulas
 
APRESENTAÇÃO OFICIAL
APRESENTAÇÃO OFICIALAPRESENTAÇÃO OFICIAL
APRESENTAÇÃO OFICIAL
 
Liderando a célula com paixão
Liderando a célula com paixãoLiderando a célula com paixão
Liderando a célula com paixão
 
Questionário de crescimento da célula
Questionário de crescimento da célulaQuestionário de crescimento da célula
Questionário de crescimento da célula
 
Aula 6 - A Multiplicação de Líderes.pptx
Aula 6 - A Multiplicação de Líderes.pptxAula 6 - A Multiplicação de Líderes.pptx
Aula 6 - A Multiplicação de Líderes.pptx
 
Núcleo slides para formação em maio de 2013
Núcleo   slides para formação em maio de 2013Núcleo   slides para formação em maio de 2013
Núcleo slides para formação em maio de 2013
 

Último

9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdfmetafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
GuilhermeCerqueira17
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
NEDIONOSSOMUNDO
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
PIB Penha
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
PIB Penha
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdfDiscipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
LEILANEGOUVEIA1
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
Sammis Reachers
 

Último (14)

9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdfmetafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdfDiscipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
 

Transição e Implantação de Células nas Igrejas

  • 3. “Ninguém pode deter um visionário.” Pastor Lael Convicções dos Valores na Visão: amor, relacionamento 1 – Convicção que as células tem embasamento bíblico; 2 – Oração e amor pelas Almas; 3 – A estratégia não funciona por ser estratégia, tem que estar apaixonado pela igreja, pela cidade, por famílias, etc...;
  • 4. 4 – O Pastor deverá ter um período de jejum oração, para captar a essência de estratégia 5 – Visão é uma fotografia que produz Visão; 6 – É a clara Visão Mental do Ministério; 7 – As pessoas nem sempre vão ver o que o líder vê; 8 – Visão é observar como se estivesse usando lupa; 9 – Visão é como a margem de um rio que dá direção as águas;
  • 5. 10 – A visão vem sempre com uma carga do Espirito Santo; - Pregações sobre milagres nas casas - Cada célula que abre em Honduras Eles rodeiam o quarteirão em batalha expulsando os demônios e tomando posse do território;
  • 7. Honduras – Inicio 1993 com 480 membros (Pastor Mizael); Cultos sexta e domingo e na segunda-feira trata-se os departamentos; Onibus são contratados para trazer as pessoas; Uma vez ao mês é realizado uma reunião com os líderes de grupos familiares e seus assistentes; https://www.youtube.com/watch?v=gx7__lHbG3E Honduras
  • 8. Células são feitas aos sábados; No meio da semana é realizado reuniões para ajustar o trabalho; Estrutura física operacional; Possui faculdade com cursos; Templo suporta 20.000 pessoas;
  • 9. 4º Comprometimento FINANCEIRO Jonas 1:3 Jonas pagou para fugir da presença de Deus E da responsabilidade para com o povo de Nínive. Sua História… Elim começou como uma igreja local em maio 1977, com apenas 9 pessoas. Durante seus primeiros anos, ela trabalhou como uma igreja tradicional. Alcançou um crescimento de cerca de 3.000 pessoas durante um período de nove anos. Missão Cristã Elim Seu crescimento
  • 10. 4º Comprometimento FINANCEIRO Jonas 1:3 Jonas pagou para fugir da presença de Deus E da responsabilidade para com o povo de Nínive. • A partir do ano 86 Elim iniciou a transição para o modelo celular. • Tornando-se uma igreja celular cresceu de 3.000 para 10.000 pessoas em apenas um ano • Em junho de 2002, a igreja Elim em San Salvador, atinge seus primeiros 100.000 membros através das células. • Seu último culto ao ar livre contou com a presença de 150.000. • 75.000 membros e 7.000 Células
  • 11. Fatores determinantes: • 1- O homem de Deus. a-) Uma chamada para executar projetos de Deus. b-) Fervor chega a muitos. CRESCIMENTO
  • 12. O homem de Deus .... c) A paixão por falar a Palavra de Deus. d) Visão para o Crescimento. e) Unidade do Espírito Santo. f) Vida de oração.
  • 13. CRESCIMENTO Fatores determinantes: 2- O MINISTÉRIO DA IGREJA. (Todos Os Santos) Cada crente deve ser um verdadeiro membro de um corpo (corpo de Cristo) e não de uma organização (o nome)
  • 14. Fatores determinantes: 3- maneira de ser Igreja. Biblicamente, a Igreja tem sido sempre móvel. Deus quer que Sua igreja cresça! Essa é a visão que nós apoiamos Deus quer fazer em cada localidade. Assim seja! CRESCIMENTO
  • 16. MUDANÇA DE MENTALIDADE Objetivos: Gerar muitos filhos para Deus ? Ser conhecido ou Reconhecido por muitos ? PORQUE QUERO SER PAI DE Multidões ?
  • 17. ESTOU AQUI 01 CÉLULAS50 10050 100 200 200 500 500 1000 02-05 CÉLULAS05-10 CÉLULAS10-20 CÉLULAS20-50 CÉLULAS QUANDO SE TÊM DE 50 A 100 PESSOAS JÁ EXISTE A NECESSIDADE DE SE MONTAR UMA EQUIPE
  • 18. de 1000 Pessoas PASTORES DE REDES SUPERVISORES DISCIPULADORES LÍDERES BASE E ESTRUTURAS
  • 19. Conhecimento sobre Células Sistema TI Redes Missionárias Organizadas Conhecimento em Administração O QUE PRECISO FAZER PARA FORMAR MINHA EQUIPE ? Moisés começou orando 80 dias!
  • 20. IMPORTANTE QUEM PODE FAZER PARTE DA EQUIPE? FAZER O CONVITE A TODA IGREJA Ver a disponibilidade e interesse das pessoas Líderes menos prováveis Crianças, jovens, mulheres, Homens, etc…
  • 21. INVESTIMENTO na VIDA Desses DISCÍPULOS TEMPO E COMUNHãO EU FAÇO E VOCÊ OBERSVA VOCÊ FAZ E EU OBSERVO NOS FAZEMOS, VEM A MULTIPLICAÇÃO
  • 22. Unir os membros que tenho, Colocando nova mentalidade neles. Material de Apoio: Pregações em Vídeo: Pastor Aber Huber Bom Pastor Purê de Batata Livros: Pastor Antônio Pinto E-mail: prantoniojoseto@hotmail.com (33)3521-9347 / 8862-8217 / 9128-6685 Bem-Vindos a Família (Quem ama ganha, quem ganha cuida) Bom Samaritano http://www.celulas.com.br/ http://www.ieqcelulaspr.com.br/
  • 23. Diferença de Grupo Familiar e CÉLULAS TRÊS FASES DOS GRUPOS FAMILIARES PRIMEIRA FASE IGREJA Grupos Familiares Grupos Familiares Grupos Familiares Grupos Familiares Grupos Familiares Grupos Familiares Grupos Familiares
  • 24. PRIMEIRA FASE Os grupos familiares são realizados nas casas cedida pelos irmãos e Funcionam uma vez por semana, com a duração de o máximo uma hora. Uma vez por semana todos dos grupos deverão participar de um culto na Igreja-Mãe, Em um dia determinado pelo Pastor
  • 25. SEGUNDA FASE Deve acontecer com a multiplicação do grupo. O Pastor aluga um salão ou constrói uma igreja, agrupa-se um determinado numero de grupos e inicia-se uma congregação, que fica filiada a IGREJA-MÃE dirigindo suas reuniões em dias determinados pelo pastor titular. Essa congregação poderá ser transformada Obra Nova dependendo do planejamento da Igreja-Mãe
  • 27. TERCEIRA FASE Ela acontece quando a Igreja-Filha já tem seus departamentos, Grupos Missionários, bandas, grupos de louvor e arrecadação suficiente para que a Igreja continue crescendo e se fortalecendo em todas as áreas conforme o PROJEQ determina. Acontece a emancipação.
  • 29. Ensinar o DISCÍPULO: - HORÁRIO - CONVERSA - COMIDA - RESPEITAR A PRIVACIDADE DA FAMÍLIA - ENSINAR COMO CONDUZIR A REUNIÃO - REGULARIZAR SITUACÕES, VÍCIOS, CASAMENTOS - RELACIONAMENTO FAMILIAR
  • 30. QUANTO MENOS MEMBROS TÊM A IGREJA MAIS FÁCIL PARA FAZER A TRANSIÇÃO. JA TENHO A LIDERANÇA. COMO FACO PARA ABRIR AS PORTAS! Veja algumas estratégias abaixo: VíDEO – Pastor Danilo - ALIANÇA DE ORAÇÃO - LAR DE PAZ - LAR DE SALVAÇÃO - CARTAS DE PORTA EM PORTA https://www.youtube.com/watch?v=X1abmPUhzs4
  • 31. Como trazer o membro da célula para igreja? Eventos Pontes Cultos Temáticos REDES MISSIONÁRIAS NA SEXTA-FEIRA Culto dos Adolescentes Culto dos Jovens
  • 33. LIDERANÇA COMPROMETIDA 4 NÍVEIS DE COMPROMENTIMENTO 1° Comprometimento EMOCIONAL Neemias 2:3 (Ele estava em uma profunda tristeza, pelo povo. Seu estado emocional não era fútil. Mostrando amor e compaixão pela causa de Deus). 2º Comprometimento ESPIRITUAL Deuteronômio 9.18 (Orou e jejuou pela causa do povo).
  • 34. 3º Comprometimento de TEMPO Efésios 5:15-16 “O tempo é a moeda de Deus para conquistar o que se quer” O que você faz com o seu tempo Determina o que você é!
  • 35. Uma Conta Rápida 1 Dia = 24 horas 7 Dias = 168 horas Culto Quarta-Feira = 2 horas/aproximadamente Culto Domingo = 2 horas/aproximadamente Por Semana = 4 horas Resultado Deus me deu: 168 horas / Semana Eu dou para Deus: 4 horas / Semana Me sobram: 164 horas “Deus, eu não tenho tempo...”
  • 36. 4º Comprometimento FINANCEIRO Jonas 1:3 Jonas pagou para fugir da presença de Deus E da responsabilidade para com o povo de Nínive. 4º Comprometimento FINANCEIRO Jonas 1:3 Jonas pagou para fugir da presença de Deus E da responsabilidade para com o povo de Nínive.
  • 38.  Compartilhar a visão;  Pregar e fazer reuniões com pessoas chaves dentro da igreja. 1 - PASSOS PARA UMA TRANSIÇÃO SEGURA (Retiros, almoço, cafés, vigílias)
  • 39.  O pastor deverá ter um período de jejum e oração, para captar a essência da estratégia.  Estudar tudo o que puder sobre o assunto, participar de congressos, etc...
  • 40.  Buscar um mentor nessa estratégia. Nunca andar sozinho.  Visitar igrejas que estão andando nessa estratégia. Ex: Ir a Belém.
  • 41. 2- IMPLANTAÇÃO  Escola de líderes com as pessoas chaves e interessadas.  Usar material disponível, com duração de no mínimo 3 meses e no máximo 6 meses.
  • 42.  Uma igreja com 50 membros, o pastor deverá abrir a primeira célula e treinar os demais. 2- IMPLANTAÇÃO  Uma igreja com 100 (cem) membros ou mais, poderá ser aberta mais de uma célula. Ex.: O número de alunos na escola de líderes determina o número de células.
  • 43.  O pastor deverá sempre ser o primeiro a dar aula na escola de líderes. 2- IMPLANTAÇÃO (Formar na sequência uma equipe)
  • 44.  As mensagens ministrada nas células devem ser sempre supervisionadas. Ex: Mensagem de domingo ou mensagem preparada com antecedência.  Todas as células deverão prestar relatórios. Estamos disponibilizando modelos. 2- IMPLANTAÇÃO
  • 45.  Reunir semanalmente com os líderes de célula. 2- IMPLANTAÇÃO  Reunião objetiva com período de oração.
  • 47. O CICLO DA CÉLULA 4 FACES EVANGELISMO COMUNHÃO EDIFICAÇÃO MULTIPLICAÇÃO
  • 48. 1ª FACE COMUNHÃO De 4 a 6 semanas. Forma-se o núcleo da célula. Oração por 30 dias. Tomada de território Comunhão e Relacionamento
  • 49. O alvo neste período é produzir vínculos e relacionamentos de Comunhão. Todos devem ter compreendido os Objetivos da célula, principalmente a sua multiplicação.
  • 50. 2ª FACE EVANGELISMO De 2 a 3 meses. Abre-se a célula para convidados. Desenvolvem-se estratégias de evangelismo. Pode-se realizar eventos ponte. O objetivo é ganhar vidas e levá-las ao batismo em águas.
  • 51. 3ª FACE EDIFICAÇÃO Aproximadamente 3 meses. Esse é o estágio onde os relacionamentos passarão do nível social para o pessoal. As pessoas serão discipuladas na célula e na igreja. Nessa fase, inicia-se a Escola de Discípulos e realiza-se também o Encontro com Deus.
  • 52. MULTIPLICAÇÃO4ª FACE Consideramos que uma célula se encerra ao se multiplicar. Os dois grupos resultantes da multiplicação são considerados então, duas novas células. Deve ser um tempo de Alegria
  • 53. Espera-se que o líder em treinamento tenha tido a oportunidade de realizar todas as tarefas de um líder (ao lado do líder da célula).