SlideShare uma empresa Scribd logo
ESPAÇOS CONFINADOS – LIVRETO DO TRABALHADOR
FUNDACENTRO
              Presidente
             Rosiver Pavan

          Diretor Executivo
        Osvaldo da Silva Bezerra

           Diretor Técnico
     Carlos Sérgio da Silva (interino)

Diretora de Administração e Finanças
         Renata Maria Celeguim
ESPAÇOS CONFINADOS – LIVRETO DO TRABALHADOR




               FUNDACENTRO




            Francisco Kulcsar Neto
               José Possebon
          Norma Conceição do Amaral




                   São Paulo
                     2006
O QUE SÃO ESPAÇOS CONFINADOS?


               SÃO ESPAÇOS QUE POSSUEM
               ABERTURAS DE ENTRADA E SAÍDA
               LIMITADAS;


               NÃO POSSUEM VENTILAÇÃO
               NATURAL;


               PODEM TER POUCO OU NENHUM
               OXIGÊNIO;


               PODEM CONTER PRODUTOS TÓXICOS
               OU INFLAMÁVEIS;


               PODEM CONTER OUTROS RISCOS, E


               NÃO SÃO FEITOS PARA OCUPAÇÃO
               CONTÍNUA POR TRABALHADORES.
                                               01
ONDE É ENCONTRADO O ESPAÇO CONFINADO?



INDÚSTRIA DE PAPEL E CELULOSE.


INDÚSTRIA GRÁFICA.

INDÚSTRIA ALIMENTÍCIA.

INDÚSTRIA DA BORRACHA,
                                           Tanques de armazenamento
DO COURO E TÊXTIL.

INDÚSTRIA NAVAL E

OPERAÇÕES MARÍTIMAS.

INDÚSTRIAS QUÍMICAS E PETROQUÍMICAS.


                                                      Tubulações


               Fonte: Petit & Linn, 1987                              02
ONDE É ENCONTRADO O ESPAÇO CONFINADO?

                                     SERVIÇOS DE GÁS.

                                     SERVIÇOS DE ÁGUAS E ESGOTO.

                                     SERVIÇOS DE ELETRICIDADE.

                                     SERVIÇOS DE TELEFONIA.

                                     CONSTRUÇÃO CIVIL.
             Galerias

                                     BENEFICIAMENTO DE MINÉRIOS.

                                     SIDERÚRGICAS E METALÚRGICAS.




                   AGRICULTURA.
     Silos
                   AGRO-INDÚSTRIA.

                                           Biodigestor


                                                                        03
                                            Fonte: Petit & Linn, 1987
TIPOS DE TRABALHOS EM ESPAÇOS CONFINADOS:


                        OBRAS DA CONSTRUÇÃO CIVIL.




                        OPERAÇÕES DE SALVAMENTO E

                        RESGATE.




                        MANUTENÇÃO, REPAROS, LIMPEZA

                        OU INSPEÇÃO DE EQUIPAMENTOS

                        OU RESERVATÓRIOS.




                                                       04
RISCOS QUANDO SE TRABALHA EM ESPAÇOS CONFINADOS:

FALTA OU EXCESSO DE OXIGÊNIO.

 INCÊNDIO OU EXPLOSÃO, PELA PRESENÇA

 DE VAPORES E GASES INFLAMÁVEIS.

 INTOXICAÇÕES POR SUBSTÂNCIAS QUÍMICAS.

 INFECÇÕES POR AGENTES BIOLÓGICOS.

 AFOGAMENTOS.

 SOTERRAMENTOS.

 QUEDAS.

 CHOQUES ELÉTRICOS.

TODOS ESTES RISCOS PODEM LEVAR A
MORTES OU DOENÇAS.

                                                    05
COMO EVITAR ACIDENTES EM ESPAÇOS CONFINADOS?


                                                  CERTIFICANDO-SE QUE A SUA EMPRESA:


                                                  SEGUE A


                                                  NBR 14.787 – “ESPAÇOS CONFINADOS –

                                                  PREVENÇÃO DE ACIDENTES,

                                                  PROCEDIMENTOS E MEDIDAS DE PROTEÇÃO”.


                                                  E ATENDE A

                                                  NR 18.20 – “LOCAIS CONFINADOS”.



ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS
NBR – NORMA BRASILEIRA
MTE – MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO
NR –   NORMA REGULAMENTADORA
                                                                                       06
QUANDO VOCÊ PODE ENTRAR EM UM ESPAÇO CONFINADO?


SOMENTE QUANDO SUA EMPRESA FORNECER A


 AUTORIZAÇÃO NA FOLHA DE PERMISSÃO DE
              ENTRADA,


ESSA FOLHA DE PERMISSÃO DE ENTRADA É
EXIGIDA POR LEI E É EXECUTADA PELO
SUPERVISOR.




O SERVIÇO A SER EXECUTADO DEVE SEMPRE
SER ACOMPANHADO POR UM VIGIA.




                                                    07
A EMPRESA DEVE PROVIDENCIAR:



TREINAMENTO A TODOS OS TRABALHADORES.   INSPEÇÃO PRÉVIA NO LOCAL.




                                                                    08
A EMPRESA DEVE PROVIDENCIAR:



EXAMES MÉDICOS.                FOLHA DE PERMISSÃO DE ENTRADA.




                                                                09
A EMPRESA DEVE PROVIDENCIAR:

SINALIZAÇÃO E ISOLAMENTO   SUPERVISOR DE ENTRADA E VIGIA.
DA ÁREA.




                                                            10
A EMPRESA DEVE PROVIDENCIAR:

EQUIPAMENTOS MEDIDORES DE OXIGÊNIO,
GASES E VAPORES TÓXICOS E INFLAMÁVEIS.




                                         EQUIPAMENTOS DE VENTILAÇÃO.




                                                                       11
A EMPRESA DEVE PROVIDENCIAR:

EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO
                                   EQUIPAMENTOS DE COMUNICAÇÃO,
INDIVIDUAL.
                                   ILUMINAÇÃO.




                           EQUIPAMENTOS
                           DE RESGATE.




                                                                  12
DIREITOS DO TRABALHADOR – ENTRADA SEGURA



ENTRAR EM ESPAÇO

CONFINADO SOMENTE

APÓS O SUPERVISOR

DE ENTRADA REALIZAR

TODOS OS TESTES E

ADOTAR AS MEDIDAS DE

CONTROLE NECESSÁRIAS.




                                                 13
DIREITOS DO TRABALHADOR – ENTRADA SEGURA




                          NÃO ENTRAR EM ESPAÇO
                          CONFINADO, CASO AS CONDIÇÕES
                          DE TRABALHO NÃO SEJAM SEGURAS.


                          Portaria nº 3214, do Ministério do
                          Trabalho, Norma Regulamentadora
                          nº 9 – item 9.6.3.




                                                               14
DIREITOS DO TRABALHADOR - TREINAMENTO

CONHECER OS RISCOS DO       CONHECER O TRABALHO A SER EXECUTADO.
TRABALHO A SER EXECUTADO.




                                                           CONHECER OS
                                                           PROCEDIMENTOS
                                                           E EQUIPAMENTOS
                                                           DE SEGURANÇA
                                                           PARA EXECUTAR
                                                           O TRABALHO




RECEBER TODOS OS EQUIPAMENTOS               CONHECER OS PROCEDIMENTOS
DE SEGURANÇA NECESSÁRIOS PARA               E EQUIPAMENTOS DE RESGATE
EXECUÇÃO DOS TRABALHOS.                     E PRIMEIROS SOCORROS.
                                                                         15
DEVERES DO TRABALHADOR:

FAZER OS EXAMES MÉDICOS.
                                      COMUNICAR RISCOS.




PARTICIPAR DOS TREINAMENTOS E
SEGUIR AS INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA.




                                                          USAR OS EQUIPAMENTOS
                                                          DE PROTEÇÃO
                                                          FORNECIDOS.

                                                                          16
MEDIDAS DE SEGURANÇA – FOLHA DE PERMISSÃO DE ENTRADA



  A FOLHA DE PERMISSÃO DE ENTRADA.
  CONTÉM PROCEDIMENTOS ESCRITOS
  DE SEGURANÇA E EMERGÊNCIA.


  VERIFICAR SE AS MEDIDAS DE
  SEGURANÇA FORAM IMPLANTADAS
  E SE A FOLHA DE PERMISSÃO
  DE ENTRADA ESTÁ ASSINADA PELO
  SUPERVISOR DE ENTRADA.




  O TRABALHADOR DEVE ENTRAR NO
  ESPAÇO CONFINADO COM UMA CÓPIA
  DA FOLHA DE PERMISSÃO DE ENTRADA.




                                                       17
MEDIDAS DE SEGURANÇA – SINALIZAÇÃO E ISOLAMENTO DA ÁREA




                                A SINALIZAÇÃO É IMPORTANTE PARA

                                INFORMAÇÃO E ALERTA QUANTO AOS

                                RISCOS EM ESPAÇOS CONFINADOS.



                                O ISOLAMENTO É NECESSÁRIO PARA
                                EVITAR QUE PESSOAS NÃO AUTORIZADAS
                                SE APROXIMEM DO ESPAÇO CONFINADO.




                                                                  18
MEDIDAS DE SEGURANÇA – SUPERVISOR DE ENTRADA

O SUPERVISOR DE ENTRADA DEVE:

 VERIFICAR OS RISCOS DE ACIDENTES.


 REALIZAR AS MEDIÇÕES DO NÍVEL DE

 OXIGÊNIO, GASES E VAPORES

 TÓXICOS E INFLAMÁVEIS.


 PROVIDENCIAR E MANTER OS

 EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA E DE

 RESGATE NECESSÁRIOS.


 RESPONSABILIZAR-SE PELAS

 INFORMAÇÕES CONTIDAS NA FOLHA

 DE PERMISSÃO DE ENTRADA.
                                                 19
MEDIDAS DE SEGURANÇA –
DESLIGAMENTO DE ENERGIA, TRANCA E SINALIZAÇÃO

                         O SUPERVISOR DE ENTRADA DEVE:



                        DESLIGAR A ENERGIA ELÉTRICA,

                        TRANCAR COM CHAVE OU CADEADO E

                        SINALIZAR QUADROS ELÉTRICOS PARA

                        EVITAR MOVIMENTAÇÃO ACIDENTAL DE

                        MÁQUINAS OU CHOQUES ELÉTRICOS

                        QUANDO O TRABALHADOR

                        AUTORIZADO ESTIVER NO INTERIOR

                        DO ESPAÇO CONFINADO.

                                                           20
MEDIDAS DE SEGURANÇA – VIGIA




                O VIGIA DEVE:



        FICAR O TEMPO TODO EM

        CONTATO COM A EQUIPE NO

        INTERIOR DO ESPAÇO CONFINADO.




        ACIONAR OS SERVIÇO DE RESGATE

        E PRIMEIROS SOCORROS.




                                        21
MEDIDAS DE SEGURANÇA – TESTES DO AR


OS TESTES DO AR INTERNO SÃO MEDIÇÕES

PARA VERIFICAÇÃO DOS NÍVEIS DE OXIGÊNIO,

GASES E VAPORES TÓXICOS E INFLAMÁVEIS.



ANTES QUE O TRABALHADOR ENTRE EM UM
ESPAÇO CONFINADO, O SUPERVISOR DE
ENTRADA DEVE REALIZAR TESTES INICIAIS DO
AR INTERNO.



DURANTE AS MEDIÇÕES, O SUPERVISOR DE

ENTRADA DEVE ESTAR FORA DO ESPAÇO

CONFINADO.



                                                    22
MEDIDAS DE SEGURANÇA – TESTES DO AR




AS MEDIÇÕES SÃO NECESSÁRIAS PARA QUE NÃO OCORRAM ACIDENTES
POR ASFIXIA, INTOXICAÇÃO, INCÊNDIO OU EXPLOSÃO.
                                                             23
MEDIDAS DE SEGURANÇA – VENTILAÇÃO




                                      NÃO VENTILAR

                             ESPAÇOS CONFINADOS COM

                                           OXIGÊNIO




 O USO DE OXIGÊNIO PARA VENTILAÇÃO DE LOCAL CONFINADO

 AUMENTA O RISCO DE INCÊNDIO E EXPLOSÃO.

                                                        24
MEDIDAS DE SEGURANÇA – VENTILAÇÃO




DURANTE TODO

O TRABALHO NO

ESPAÇO CONFINADO

DEVE SER UTILIZADA

VENTILAÇÃO

ADEQUADA

PARA GARANTIR A

RENOVAÇÃO CONTÍNUA

DO AR.




                                                 25
MEDIDAS DE SEGURANÇA - EPI


OS EQUIPAMENTOS
DE PROTEÇÃO
INDIVIDUAL – EPIs
DEVEM SER
FORNECIDOS                                       O TRABALHADOR
GRATUITAMENTE.                                   DEVE SER
                                                 TREINADO
                                                 QUANTO AO USO
DEVEM SER                                        ADEQUADO DO
UTILIZADOS EPIs                                  EPI.
ADEQUADOS PARA
CADA SITUAÇÃO DE
RISCO EXISTENTE.




                                                               26
MEDIDAS DE SEGURANÇA - OBJETOS PROIBIDOS

                        CIGARROS
                        NUNCA FUME NO ESPAÇO CONFINADO!


                        TELEFONE CELULAR
                        NÃO DEVE SER UTILIZADO COMO
                        APARELHO DE COMUNICAÇÃO EM
                        ESPAÇO CONFINADO.


                        VELAS – FÓSFOROS - ISQUEIROS
                        NÃO DEVEM SER UTILIZADOS.


                        OBJETOS NECESSÁRIOS À
                        EXECUÇÃO DO TRABALHO QUE
                        PRODUZAM CALOR, CHAMAS OU
                        FAÍSCAS, DEVEM SER PREVISTOS NA
                        FOLHA DE PERMISSÃO DE ENTRADA.



                                                          27
MEDIDAS DE SEGURANÇA - EQUIPAMENTOS ESPECIAIS


 DEVEM SER FORNECIDOS EQUIPAMENTOS ESPECIAIS PARA TRABALHOS
 EM ESPAÇOS CONFINADOS COMO:




                                             DETECTORES DE GASES,
  LANTERNAS.
                                             À PROVA DE EXPLOSÃO.




                 RÁDIOS DE COMUNICAÇÃO.

                                                                    28
MEDIDAS DE EMERGÊNCIA E RESGATE


O EMPREGADOR DEVE ELABORAR
E IMPLANTAR PROCEDIMENTOS
DE EMERGÊNCIA E RESGATE
ADEQUADOS AO ESPAÇO
CONFINADO.


O EMPREGADOR DEVE FORNECER
EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS
QUE POSSIBILITEM MEIOS
SEGUROS DE RESGATE.


OS TRABALHADORES DEVEM SER
TREINADOS PARA SITUAÇÕES DE
                              SITUAÇÃO DE TREINAMENTO COM SIMULAÇÃO DE
EMERGÊNCIA E RESGATE.
                              OPERAÇÃO DE SALVAMENTO E RESGATE.


                                                                   29
LEMBRE-SE SEMPRE




             GARANTA SUA VIDA
              E A DE SEUS COMPANHEIROS
              CONHECENDO E EXIGINDO
              TRABALHOS SEGUROS EM
              ESPAÇOS CONFINADOS.


             VOLTAR PARA CASA
              COM SAÚDE
              É UM DIREITO DE TODOS
              OS TRABALHADORES.




                                         30
REFERÊNCIAS
1. ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR nº 14.787 Espaço Confinado – Prevenção de acidentes,
   procedimentos e medidas de proteção. São Paulo: ABNT. 2001.


2. BRASIL. Norma Regulamentadora. NR nº 18.20 – Locais Confinados. In: BRASIL. NR nº 18 – Norma
   Regulamentadora das Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção – Brasília:
   Ministério do Trabalho. 1978.


3. BRASIL. Portaria. Portaria nº 3214 de 08.06.78. Brasília: Ministério do Trabalho. 1978.


4. ILO. International Labour Organization. Encyclopaedia of Occupational Health and Safety. Geneva: ILO. 1971/72.


5. MINISTÉRIO DE TRABAJO Y ASSUNTOS SOCIALES. Trabajos em Espacios Confinados. Madrid: Instituto
  Nacional de Seguridad e Higiene em El Trabajo. 2005.


6. PETIT, T; LINN, H. A Guide to Safety in Confined Spaces. Washington: NIOSH. Government Printing Office. 1987.


7. REKUS, JF. Complete Confined Spaces Handbook. Maryland: CRC/Lewis Publishers. 1984.


8. U.S. Department of Labor Occupational Safety & Health Administration. Confined Spaces. Washington: OSHA.
   2005.


9. U.S. Department of Labor Occupational Safety & Health Administration. Regulations (Standards – 29 CFR) Permit-
      required confined spaces – 1910. 146. Washington: OSHA. 2005.
                                                                                                                    31
Digitação e montagem
Norma C. do Amaral


Adequação didática
Alice Santi
Maria Cristina B. G. C. Carneiro
Maria Inês Franco Motti


Desenhos
Perkins T. Moreira

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentação NR33 ESPAÇO CONFINADO
Apresentação NR33 ESPAÇO CONFINADOApresentação NR33 ESPAÇO CONFINADO
Apresentação NR33 ESPAÇO CONFINADO
Robson Peixoto
 
Check List de Emergência - Botoeiras e Central do Alarme de Incêndio
Check List de Emergência - Botoeiras e Central do Alarme de IncêndioCheck List de Emergência - Botoeiras e Central do Alarme de Incêndio
Check List de Emergência - Botoeiras e Central do Alarme de Incêndio
IZAIAS DE SOUZA AGUIAR
 
Permissao para-trabalho-a-quente
Permissao para-trabalho-a-quentePermissao para-trabalho-a-quente
Permissao para-trabalho-a-quente
Jose Fernandes
 
Curso trabalho em altura nr35
Curso trabalho em altura   nr35Curso trabalho em altura   nr35
Curso trabalho em altura nr35
Sergio Roberto Silva
 
Primeiros socorros e resgate espaço confinado
Primeiros socorros e resgate espaço confinadoPrimeiros socorros e resgate espaço confinado
Primeiros socorros e resgate espaço confinado
Tito Batalha
 
Treinamento de integração nr 1 upload
Treinamento de integração nr 1 uploadTreinamento de integração nr 1 upload
Treinamento de integração nr 1 upload
Vinicius Loiola Beserra
 
Nr.33 Segurança nos Serviços em Espaços confinados/Transparncia
Nr.33 Segurança nos Serviços em Espaços confinados/TransparnciaNr.33 Segurança nos Serviços em Espaços confinados/Transparncia
Nr.33 Segurança nos Serviços em Espaços confinados/Transparncia
Ana Paula Santos de Jesus Souza
 
Espaco confinado- NR33 -guia-trabalhador
Espaco confinado- NR33 -guia-trabalhadorEspaco confinado- NR33 -guia-trabalhador
Espaco confinado- NR33 -guia-trabalhador
Sergio Roberto Silva
 
NR33
NR33NR33
Nr 33 rayane
Nr 33 rayaneNr 33 rayane
Nr 33 rayane
Rayane Patricia
 
NR18
NR18NR18
NR 22
NR 22NR 22
Trabalho em Espaços Confinados Portaria 3.214/78 - NR-33 / NBR 14.787
Trabalho em Espaços Confinados Portaria 3.214/78 - NR-33 / NBR 14.787Trabalho em Espaços Confinados Portaria 3.214/78 - NR-33 / NBR 14.787
Trabalho em Espaços Confinados Portaria 3.214/78 - NR-33 / NBR 14.787
Alfredo Brito
 
Treinamento NR 12
Treinamento NR 12Treinamento NR 12
Treinamento NR 12
Mauro Sergio Vales de Souza
 
Trabalho a quente modulo II
Trabalho a quente   modulo IITrabalho a quente   modulo II
Trabalho a quente modulo II
emanueltstegeon
 
TREINAMENTO NR-33 ESPACO CONFINADO.pptx
TREINAMENTO NR-33 ESPACO CONFINADO.pptxTREINAMENTO NR-33 ESPACO CONFINADO.pptx
TREINAMENTO NR-33 ESPACO CONFINADO.pptx
JoyceMarina2
 
Apostila espaço confinado
Apostila  espaço confinadoApostila  espaço confinado
Apostila espaço confinado
Fernanda Vicentinni
 
Resgate em altura
Resgate em alturaResgate em altura
Resgate em altura
Beatriz Bauer Bauer
 
Treinamento Trabalho em Altura - Atualizado 2023
Treinamento Trabalho em Altura - Atualizado 2023Treinamento Trabalho em Altura - Atualizado 2023
Treinamento Trabalho em Altura - Atualizado 2023
José Valfrido
 
Permissão Para Trabalho em Altura - NR 35
Permissão Para Trabalho em Altura  - NR 35Permissão Para Trabalho em Altura  - NR 35
Permissão Para Trabalho em Altura - NR 35
IZAIAS DE SOUZA AGUIAR
 

Mais procurados (20)

Apresentação NR33 ESPAÇO CONFINADO
Apresentação NR33 ESPAÇO CONFINADOApresentação NR33 ESPAÇO CONFINADO
Apresentação NR33 ESPAÇO CONFINADO
 
Check List de Emergência - Botoeiras e Central do Alarme de Incêndio
Check List de Emergência - Botoeiras e Central do Alarme de IncêndioCheck List de Emergência - Botoeiras e Central do Alarme de Incêndio
Check List de Emergência - Botoeiras e Central do Alarme de Incêndio
 
Permissao para-trabalho-a-quente
Permissao para-trabalho-a-quentePermissao para-trabalho-a-quente
Permissao para-trabalho-a-quente
 
Curso trabalho em altura nr35
Curso trabalho em altura   nr35Curso trabalho em altura   nr35
Curso trabalho em altura nr35
 
Primeiros socorros e resgate espaço confinado
Primeiros socorros e resgate espaço confinadoPrimeiros socorros e resgate espaço confinado
Primeiros socorros e resgate espaço confinado
 
Treinamento de integração nr 1 upload
Treinamento de integração nr 1 uploadTreinamento de integração nr 1 upload
Treinamento de integração nr 1 upload
 
Nr.33 Segurança nos Serviços em Espaços confinados/Transparncia
Nr.33 Segurança nos Serviços em Espaços confinados/TransparnciaNr.33 Segurança nos Serviços em Espaços confinados/Transparncia
Nr.33 Segurança nos Serviços em Espaços confinados/Transparncia
 
Espaco confinado- NR33 -guia-trabalhador
Espaco confinado- NR33 -guia-trabalhadorEspaco confinado- NR33 -guia-trabalhador
Espaco confinado- NR33 -guia-trabalhador
 
NR33
NR33NR33
NR33
 
Nr 33 rayane
Nr 33 rayaneNr 33 rayane
Nr 33 rayane
 
NR18
NR18NR18
NR18
 
NR 22
NR 22NR 22
NR 22
 
Trabalho em Espaços Confinados Portaria 3.214/78 - NR-33 / NBR 14.787
Trabalho em Espaços Confinados Portaria 3.214/78 - NR-33 / NBR 14.787Trabalho em Espaços Confinados Portaria 3.214/78 - NR-33 / NBR 14.787
Trabalho em Espaços Confinados Portaria 3.214/78 - NR-33 / NBR 14.787
 
Treinamento NR 12
Treinamento NR 12Treinamento NR 12
Treinamento NR 12
 
Trabalho a quente modulo II
Trabalho a quente   modulo IITrabalho a quente   modulo II
Trabalho a quente modulo II
 
TREINAMENTO NR-33 ESPACO CONFINADO.pptx
TREINAMENTO NR-33 ESPACO CONFINADO.pptxTREINAMENTO NR-33 ESPACO CONFINADO.pptx
TREINAMENTO NR-33 ESPACO CONFINADO.pptx
 
Apostila espaço confinado
Apostila  espaço confinadoApostila  espaço confinado
Apostila espaço confinado
 
Resgate em altura
Resgate em alturaResgate em altura
Resgate em altura
 
Treinamento Trabalho em Altura - Atualizado 2023
Treinamento Trabalho em Altura - Atualizado 2023Treinamento Trabalho em Altura - Atualizado 2023
Treinamento Trabalho em Altura - Atualizado 2023
 
Permissão Para Trabalho em Altura - NR 35
Permissão Para Trabalho em Altura  - NR 35Permissão Para Trabalho em Altura  - NR 35
Permissão Para Trabalho em Altura - NR 35
 

Destaque

Nbr 14787 espaço confinado, prevencao de acidentes, procedimentos e medidas d...
Nbr 14787 espaço confinado, prevencao de acidentes, procedimentos e medidas d...Nbr 14787 espaço confinado, prevencao de acidentes, procedimentos e medidas d...
Nbr 14787 espaço confinado, prevencao de acidentes, procedimentos e medidas d...
Ane Costa
 
NR - 18 Construção Civil (Oficial)
NR - 18 Construção Civil (Oficial)NR - 18 Construção Civil (Oficial)
NR - 18 Construção Civil (Oficial)
Claudio Cesar Pontes ن
 
Nr 10 e 18 em canteiro de obras
Nr 10 e 18 em canteiro de obrasNr 10 e 18 em canteiro de obras
Nr 10 e 18 em canteiro de obras
Robson Peixoto
 
NR18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção
NR18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da ConstruçãoNR18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção
NR18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção
Larissa Aguiar
 
Nr 18 comentada
Nr 18   comentada Nr 18   comentada
Nr 18 comentada
Leo Monteiro
 
Treinamento Segurança NR-18
Treinamento Segurança NR-18Treinamento Segurança NR-18
Treinamento Segurança NR-18
David Silvestre
 
Nr 18 Segurança na Industria da Construção
Nr 18 Segurança na Industria da Construção Nr 18 Segurança na Industria da Construção
Nr 18 Segurança na Industria da Construção
Ana Paula Santos de Jesus Souza
 
Espacos confinadoslivretotrabalhadornr33
Espacos confinadoslivretotrabalhadornr33Espacos confinadoslivretotrabalhadornr33
Espacos confinadoslivretotrabalhadornr33
Isabel Silveira
 
Espaco confinado-nr33-guia-trabalhador
Espaco confinado-nr33-guia-trabalhadorEspaco confinado-nr33-guia-trabalhador
Espaco confinado-nr33-guia-trabalhador
Renato Cardoso
 
Guia nr 33 mte
Guia nr 33 mteGuia nr 33 mte
Guia nr 33 mte
Universidade Unesa
 
ESPAÇO CONFINADO
ESPAÇO CONFINADOESPAÇO CONFINADO
ESPAÇO CONFINADO
Pedro Domacena
 
NR 18 .21
NR 18 .21NR 18 .21
NR 18 .21
shasha00
 
Apresentação Sesam para Estruturas Flutuantes
Apresentação Sesam para Estruturas FlutuantesApresentação Sesam para Estruturas Flutuantes
Apresentação Sesam para Estruturas Flutuantes
João Henrique Volpini Mattos
 
Dds
DdsDds
Safemov Consulting - 5 Razões para Prevenir Acidentes do Trabalho.
Safemov Consulting - 5 Razões para Prevenir Acidentes do Trabalho.Safemov Consulting - 5 Razões para Prevenir Acidentes do Trabalho.
Safemov Consulting - 5 Razões para Prevenir Acidentes do Trabalho.eugeniorocha
 
GesTec - Gestão em Foco - Parte 2 pdf
GesTec - Gestão em Foco - Parte 2   pdfGesTec - Gestão em Foco - Parte 2   pdf
GesTec - Gestão em Foco - Parte 2 pdf
eugeniorocha
 
GesTec - 4 Diretrizes Básicas para o Sucesso.
GesTec - 4 Diretrizes Básicas para o Sucesso. GesTec - 4 Diretrizes Básicas para o Sucesso.
GesTec - 4 Diretrizes Básicas para o Sucesso.
eugeniorocha
 
Fassilk Brindes - Bonés e Viseiras
Fassilk Brindes - Bonés e ViseirasFassilk Brindes - Bonés e Viseiras
Fassilk Brindes - Bonés e Viseiraseugeniorocha
 
Livro motivacio. pdf
Livro motivacio.   pdfLivro motivacio.   pdf
Livro motivacio. pdf
eugeniorocha
 
Participação de Eugenio Rocha em matéria na Revista Logweb.
Participação de Eugenio Rocha em matéria na Revista Logweb.Participação de Eugenio Rocha em matéria na Revista Logweb.
Participação de Eugenio Rocha em matéria na Revista Logweb.
eugeniorocha
 

Destaque (20)

Nbr 14787 espaço confinado, prevencao de acidentes, procedimentos e medidas d...
Nbr 14787 espaço confinado, prevencao de acidentes, procedimentos e medidas d...Nbr 14787 espaço confinado, prevencao de acidentes, procedimentos e medidas d...
Nbr 14787 espaço confinado, prevencao de acidentes, procedimentos e medidas d...
 
NR - 18 Construção Civil (Oficial)
NR - 18 Construção Civil (Oficial)NR - 18 Construção Civil (Oficial)
NR - 18 Construção Civil (Oficial)
 
Nr 10 e 18 em canteiro de obras
Nr 10 e 18 em canteiro de obrasNr 10 e 18 em canteiro de obras
Nr 10 e 18 em canteiro de obras
 
NR18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção
NR18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da ConstruçãoNR18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção
NR18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção
 
Nr 18 comentada
Nr 18   comentada Nr 18   comentada
Nr 18 comentada
 
Treinamento Segurança NR-18
Treinamento Segurança NR-18Treinamento Segurança NR-18
Treinamento Segurança NR-18
 
Nr 18 Segurança na Industria da Construção
Nr 18 Segurança na Industria da Construção Nr 18 Segurança na Industria da Construção
Nr 18 Segurança na Industria da Construção
 
Espacos confinadoslivretotrabalhadornr33
Espacos confinadoslivretotrabalhadornr33Espacos confinadoslivretotrabalhadornr33
Espacos confinadoslivretotrabalhadornr33
 
Espaco confinado-nr33-guia-trabalhador
Espaco confinado-nr33-guia-trabalhadorEspaco confinado-nr33-guia-trabalhador
Espaco confinado-nr33-guia-trabalhador
 
Guia nr 33 mte
Guia nr 33 mteGuia nr 33 mte
Guia nr 33 mte
 
ESPAÇO CONFINADO
ESPAÇO CONFINADOESPAÇO CONFINADO
ESPAÇO CONFINADO
 
NR 18 .21
NR 18 .21NR 18 .21
NR 18 .21
 
Apresentação Sesam para Estruturas Flutuantes
Apresentação Sesam para Estruturas FlutuantesApresentação Sesam para Estruturas Flutuantes
Apresentação Sesam para Estruturas Flutuantes
 
Dds
DdsDds
Dds
 
Safemov Consulting - 5 Razões para Prevenir Acidentes do Trabalho.
Safemov Consulting - 5 Razões para Prevenir Acidentes do Trabalho.Safemov Consulting - 5 Razões para Prevenir Acidentes do Trabalho.
Safemov Consulting - 5 Razões para Prevenir Acidentes do Trabalho.
 
GesTec - Gestão em Foco - Parte 2 pdf
GesTec - Gestão em Foco - Parte 2   pdfGesTec - Gestão em Foco - Parte 2   pdf
GesTec - Gestão em Foco - Parte 2 pdf
 
GesTec - 4 Diretrizes Básicas para o Sucesso.
GesTec - 4 Diretrizes Básicas para o Sucesso. GesTec - 4 Diretrizes Básicas para o Sucesso.
GesTec - 4 Diretrizes Básicas para o Sucesso.
 
Fassilk Brindes - Bonés e Viseiras
Fassilk Brindes - Bonés e ViseirasFassilk Brindes - Bonés e Viseiras
Fassilk Brindes - Bonés e Viseiras
 
Livro motivacio. pdf
Livro motivacio.   pdfLivro motivacio.   pdf
Livro motivacio. pdf
 
Participação de Eugenio Rocha em matéria na Revista Logweb.
Participação de Eugenio Rocha em matéria na Revista Logweb.Participação de Eugenio Rocha em matéria na Revista Logweb.
Participação de Eugenio Rocha em matéria na Revista Logweb.
 

Semelhante a Segurança nos Trabalhos em Espaços Confinados

Espacos Confinados - Livreto do Trabalhador
Espacos Confinados - Livreto do TrabalhadorEspacos Confinados - Livreto do Trabalhador
Espacos Confinados - Livreto do Trabalhador
EvandroPFonseca
 
7aaa[1][1]. aula de qsms espaço confinado
7aaa[1][1]. aula de qsms   espaço confinado7aaa[1][1]. aula de qsms   espaço confinado
7aaa[1][1]. aula de qsms espaço confinado
geevanny
 
Espaços confinados livreto do trabalhador 28/06/2006
Espaços confinados   livreto do trabalhador 28/06/2006Espaços confinados   livreto do trabalhador 28/06/2006
Espaços confinados livreto do trabalhador 28/06/2006
Saulo Silva
 
Espacos_Confinados_Livreto_do_Trabalhador.pdf
Espacos_Confinados_Livreto_do_Trabalhador.pdfEspacos_Confinados_Livreto_do_Trabalhador.pdf
Espacos_Confinados_Livreto_do_Trabalhador.pdf
ssuser22319e
 
ESPAÇO CONFINADO
ESPAÇO CONFINADOESPAÇO CONFINADO
ESPAÇO CONFINADO
Pedro Domacena
 
Livreto_do_trabalhador.pdf
Livreto_do_trabalhador.pdfLivreto_do_trabalhador.pdf
Livreto_do_trabalhador.pdf
Gustavo Nolla
 
EspacosConfinadosLivretoTrabalhadorNR33[1].ppt
EspacosConfinadosLivretoTrabalhadorNR33[1].pptEspacosConfinadosLivretoTrabalhadorNR33[1].ppt
EspacosConfinadosLivretoTrabalhadorNR33[1].ppt
Gabrielcarvalhodasil
 
Espacos confinadoslivretotrabalhadornr33
Espacos confinadoslivretotrabalhadornr33Espacos confinadoslivretotrabalhadornr33
Espacos confinadoslivretotrabalhadornr33
William Breternitz
 
Espacos confinadoslivretotrabalhadornr33
Espacos confinadoslivretotrabalhadornr33Espacos confinadoslivretotrabalhadornr33
Espacos confinadoslivretotrabalhadornr33
prevencaonline
 
Espacosconfinadoslivretotrabalhador nr33
Espacosconfinadoslivretotrabalhador nr33Espacosconfinadoslivretotrabalhador nr33
Espacosconfinadoslivretotrabalhador nr33
SARAJAQUELINEAIRESCA
 
Livreto fundacentro
Livreto fundacentroLivreto fundacentro
Livreto fundacentro
Adriano Mascarello
 
Apresentação NxGold NR-33 VIGIA e Autorizados (Opção 02).pptx
Apresentação NxGold NR-33 VIGIA e Autorizados (Opção 02).pptxApresentação NxGold NR-33 VIGIA e Autorizados (Opção 02).pptx
Apresentação NxGold NR-33 VIGIA e Autorizados (Opção 02).pptx
danielasouzadegodoib
 
05 aulas espaço confinado
05 aulas espaço confinado05 aulas espaço confinado
05 aulas espaço confinado
Homero Alves de Lima
 
espacosconfinadostrabalhadorvigianr331-131108160648-phpapp02.pdf
espacosconfinadostrabalhadorvigianr331-131108160648-phpapp02.pdfespacosconfinadostrabalhadorvigianr331-131108160648-phpapp02.pdf
espacosconfinadostrabalhadorvigianr331-131108160648-phpapp02.pdf
AndreLavor1
 
APOSTILA NR-33.pdf
APOSTILA NR-33.pdfAPOSTILA NR-33.pdf
APOSTILA NR-33.pdf
ssuser22319e
 
Apresentação do PowerPoint NR 33.pdf
Apresentação do PowerPoint NR 33.pdfApresentação do PowerPoint NR 33.pdf
Apresentação do PowerPoint NR 33.pdf
ELTONARAUJORAMOS2
 
336371 e confinado
336371 e confinado336371 e confinado
336371 e confinado
Ricardo Pires
 
TREINAMENTO INTRODUTÓRIO DE SEGURANÇA DO TRABALHO
TREINAMENTO INTRODUTÓRIO DE SEGURANÇA DO TRABALHOTREINAMENTO INTRODUTÓRIO DE SEGURANÇA DO TRABALHO
TREINAMENTO INTRODUTÓRIO DE SEGURANÇA DO TRABALHO
Rodrigo Camilo Araujo
 
Trab altura
Trab alturaTrab altura
Trab altura
Monica Alves
 
Trabalho em altura
Trabalho em alturaTrabalho em altura
Trabalho em altura
saulomaciel1991
 

Semelhante a Segurança nos Trabalhos em Espaços Confinados (20)

Espacos Confinados - Livreto do Trabalhador
Espacos Confinados - Livreto do TrabalhadorEspacos Confinados - Livreto do Trabalhador
Espacos Confinados - Livreto do Trabalhador
 
7aaa[1][1]. aula de qsms espaço confinado
7aaa[1][1]. aula de qsms   espaço confinado7aaa[1][1]. aula de qsms   espaço confinado
7aaa[1][1]. aula de qsms espaço confinado
 
Espaços confinados livreto do trabalhador 28/06/2006
Espaços confinados   livreto do trabalhador 28/06/2006Espaços confinados   livreto do trabalhador 28/06/2006
Espaços confinados livreto do trabalhador 28/06/2006
 
Espacos_Confinados_Livreto_do_Trabalhador.pdf
Espacos_Confinados_Livreto_do_Trabalhador.pdfEspacos_Confinados_Livreto_do_Trabalhador.pdf
Espacos_Confinados_Livreto_do_Trabalhador.pdf
 
ESPAÇO CONFINADO
ESPAÇO CONFINADOESPAÇO CONFINADO
ESPAÇO CONFINADO
 
Livreto_do_trabalhador.pdf
Livreto_do_trabalhador.pdfLivreto_do_trabalhador.pdf
Livreto_do_trabalhador.pdf
 
EspacosConfinadosLivretoTrabalhadorNR33[1].ppt
EspacosConfinadosLivretoTrabalhadorNR33[1].pptEspacosConfinadosLivretoTrabalhadorNR33[1].ppt
EspacosConfinadosLivretoTrabalhadorNR33[1].ppt
 
Espacos confinadoslivretotrabalhadornr33
Espacos confinadoslivretotrabalhadornr33Espacos confinadoslivretotrabalhadornr33
Espacos confinadoslivretotrabalhadornr33
 
Espacos confinadoslivretotrabalhadornr33
Espacos confinadoslivretotrabalhadornr33Espacos confinadoslivretotrabalhadornr33
Espacos confinadoslivretotrabalhadornr33
 
Espacosconfinadoslivretotrabalhador nr33
Espacosconfinadoslivretotrabalhador nr33Espacosconfinadoslivretotrabalhador nr33
Espacosconfinadoslivretotrabalhador nr33
 
Livreto fundacentro
Livreto fundacentroLivreto fundacentro
Livreto fundacentro
 
Apresentação NxGold NR-33 VIGIA e Autorizados (Opção 02).pptx
Apresentação NxGold NR-33 VIGIA e Autorizados (Opção 02).pptxApresentação NxGold NR-33 VIGIA e Autorizados (Opção 02).pptx
Apresentação NxGold NR-33 VIGIA e Autorizados (Opção 02).pptx
 
05 aulas espaço confinado
05 aulas espaço confinado05 aulas espaço confinado
05 aulas espaço confinado
 
espacosconfinadostrabalhadorvigianr331-131108160648-phpapp02.pdf
espacosconfinadostrabalhadorvigianr331-131108160648-phpapp02.pdfespacosconfinadostrabalhadorvigianr331-131108160648-phpapp02.pdf
espacosconfinadostrabalhadorvigianr331-131108160648-phpapp02.pdf
 
APOSTILA NR-33.pdf
APOSTILA NR-33.pdfAPOSTILA NR-33.pdf
APOSTILA NR-33.pdf
 
Apresentação do PowerPoint NR 33.pdf
Apresentação do PowerPoint NR 33.pdfApresentação do PowerPoint NR 33.pdf
Apresentação do PowerPoint NR 33.pdf
 
336371 e confinado
336371 e confinado336371 e confinado
336371 e confinado
 
TREINAMENTO INTRODUTÓRIO DE SEGURANÇA DO TRABALHO
TREINAMENTO INTRODUTÓRIO DE SEGURANÇA DO TRABALHOTREINAMENTO INTRODUTÓRIO DE SEGURANÇA DO TRABALHO
TREINAMENTO INTRODUTÓRIO DE SEGURANÇA DO TRABALHO
 
Trab altura
Trab alturaTrab altura
Trab altura
 
Trabalho em altura
Trabalho em alturaTrabalho em altura
Trabalho em altura
 

Mais de eugeniorocha

Curso Rigging & Hoist Industrial - Informações
Curso Rigging & Hoist Industrial - Informações Curso Rigging & Hoist Industrial - Informações
Curso Rigging & Hoist Industrial - Informações
eugeniorocha
 
Roteiro para Auditoria Técnica em Içamento de Cargas.
Roteiro para Auditoria Técnica em Içamento de Cargas.Roteiro para Auditoria Técnica em Içamento de Cargas.
Roteiro para Auditoria Técnica em Içamento de Cargas.
eugeniorocha
 
RAC - Cabos de Aço
RAC - Cabos de AçoRAC - Cabos de Aço
RAC - Cabos de Aço
eugeniorocha
 
Faço,mas Não Devo - Parte 1
Faço,mas Não Devo - Parte 1Faço,mas Não Devo - Parte 1
Faço,mas Não Devo - Parte 1
eugeniorocha
 
Carta a Colega de Profissão - pdf
Carta a Colega de Profissão -  pdfCarta a Colega de Profissão -  pdf
Carta a Colega de Profissão - pdf
eugeniorocha
 
RiskPoint - Versão Atualizada.
RiskPoint - Versão Atualizada.RiskPoint - Versão Atualizada.
RiskPoint - Versão Atualizada.
eugeniorocha
 
GesTec - Gestão em Foco - Parte 1 pdf
GesTec - Gestão em Foco - Parte 1   pdfGesTec - Gestão em Foco - Parte 1   pdf
GesTec - Gestão em Foco - Parte 1 pdf
eugeniorocha
 
Segurito 86
Segurito 86Segurito 86
Segurito 86
eugeniorocha
 
Política e Programa de Segurança e Saúde do Trabalho -AULA 2
Política e Programa de Segurança e Saúde do Trabalho -AULA 2 Política e Programa de Segurança e Saúde do Trabalho -AULA 2
Política e Programa de Segurança e Saúde do Trabalho -AULA 2
eugeniorocha
 
Operação de Empilhadeiras - Curso Gratuito - Aula 1
Operação de Empilhadeiras - Curso Gratuito - Aula 1Operação de Empilhadeiras - Curso Gratuito - Aula 1
Operação de Empilhadeiras - Curso Gratuito - Aula 1
eugeniorocha
 
Política e Programa de Segurança e Saúde do Trabalho - Aula 1
Política e Programa de Segurança e Saúde do Trabalho - Aula 1Política e Programa de Segurança e Saúde do Trabalho - Aula 1
Política e Programa de Segurança e Saúde do Trabalho - Aula 1
eugeniorocha
 
Curso On Line - Gestão do Içamento de Cargas
Curso On Line - Gestão do Içamento de CargasCurso On Line - Gestão do Içamento de Cargas
Curso On Line - Gestão do Içamento de Cargas
eugeniorocha
 
MASP - Metodologia para Análise e Solução de Problemas
MASP - Metodologia para Análise e Solução de ProblemasMASP - Metodologia para Análise e Solução de Problemas
MASP - Metodologia para Análise e Solução de Problemas
eugeniorocha
 

Mais de eugeniorocha (13)

Curso Rigging & Hoist Industrial - Informações
Curso Rigging & Hoist Industrial - Informações Curso Rigging & Hoist Industrial - Informações
Curso Rigging & Hoist Industrial - Informações
 
Roteiro para Auditoria Técnica em Içamento de Cargas.
Roteiro para Auditoria Técnica em Içamento de Cargas.Roteiro para Auditoria Técnica em Içamento de Cargas.
Roteiro para Auditoria Técnica em Içamento de Cargas.
 
RAC - Cabos de Aço
RAC - Cabos de AçoRAC - Cabos de Aço
RAC - Cabos de Aço
 
Faço,mas Não Devo - Parte 1
Faço,mas Não Devo - Parte 1Faço,mas Não Devo - Parte 1
Faço,mas Não Devo - Parte 1
 
Carta a Colega de Profissão - pdf
Carta a Colega de Profissão -  pdfCarta a Colega de Profissão -  pdf
Carta a Colega de Profissão - pdf
 
RiskPoint - Versão Atualizada.
RiskPoint - Versão Atualizada.RiskPoint - Versão Atualizada.
RiskPoint - Versão Atualizada.
 
GesTec - Gestão em Foco - Parte 1 pdf
GesTec - Gestão em Foco - Parte 1   pdfGesTec - Gestão em Foco - Parte 1   pdf
GesTec - Gestão em Foco - Parte 1 pdf
 
Segurito 86
Segurito 86Segurito 86
Segurito 86
 
Política e Programa de Segurança e Saúde do Trabalho -AULA 2
Política e Programa de Segurança e Saúde do Trabalho -AULA 2 Política e Programa de Segurança e Saúde do Trabalho -AULA 2
Política e Programa de Segurança e Saúde do Trabalho -AULA 2
 
Operação de Empilhadeiras - Curso Gratuito - Aula 1
Operação de Empilhadeiras - Curso Gratuito - Aula 1Operação de Empilhadeiras - Curso Gratuito - Aula 1
Operação de Empilhadeiras - Curso Gratuito - Aula 1
 
Política e Programa de Segurança e Saúde do Trabalho - Aula 1
Política e Programa de Segurança e Saúde do Trabalho - Aula 1Política e Programa de Segurança e Saúde do Trabalho - Aula 1
Política e Programa de Segurança e Saúde do Trabalho - Aula 1
 
Curso On Line - Gestão do Içamento de Cargas
Curso On Line - Gestão do Içamento de CargasCurso On Line - Gestão do Içamento de Cargas
Curso On Line - Gestão do Içamento de Cargas
 
MASP - Metodologia para Análise e Solução de Problemas
MASP - Metodologia para Análise e Solução de ProblemasMASP - Metodologia para Análise e Solução de Problemas
MASP - Metodologia para Análise e Solução de Problemas
 

Último

As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
WilianeBarbosa2
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
sjcelsorocha
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Pedro Luis Moraes
 

Último (20)

As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
 

Segurança nos Trabalhos em Espaços Confinados

  • 1. ESPAÇOS CONFINADOS – LIVRETO DO TRABALHADOR
  • 2. FUNDACENTRO Presidente Rosiver Pavan Diretor Executivo Osvaldo da Silva Bezerra Diretor Técnico Carlos Sérgio da Silva (interino) Diretora de Administração e Finanças Renata Maria Celeguim
  • 3. ESPAÇOS CONFINADOS – LIVRETO DO TRABALHADOR FUNDACENTRO Francisco Kulcsar Neto José Possebon Norma Conceição do Amaral São Paulo 2006
  • 4. O QUE SÃO ESPAÇOS CONFINADOS? SÃO ESPAÇOS QUE POSSUEM ABERTURAS DE ENTRADA E SAÍDA LIMITADAS; NÃO POSSUEM VENTILAÇÃO NATURAL; PODEM TER POUCO OU NENHUM OXIGÊNIO; PODEM CONTER PRODUTOS TÓXICOS OU INFLAMÁVEIS; PODEM CONTER OUTROS RISCOS, E NÃO SÃO FEITOS PARA OCUPAÇÃO CONTÍNUA POR TRABALHADORES. 01
  • 5. ONDE É ENCONTRADO O ESPAÇO CONFINADO? INDÚSTRIA DE PAPEL E CELULOSE. INDÚSTRIA GRÁFICA. INDÚSTRIA ALIMENTÍCIA. INDÚSTRIA DA BORRACHA, Tanques de armazenamento DO COURO E TÊXTIL. INDÚSTRIA NAVAL E OPERAÇÕES MARÍTIMAS. INDÚSTRIAS QUÍMICAS E PETROQUÍMICAS. Tubulações Fonte: Petit & Linn, 1987 02
  • 6. ONDE É ENCONTRADO O ESPAÇO CONFINADO? SERVIÇOS DE GÁS. SERVIÇOS DE ÁGUAS E ESGOTO. SERVIÇOS DE ELETRICIDADE. SERVIÇOS DE TELEFONIA. CONSTRUÇÃO CIVIL. Galerias BENEFICIAMENTO DE MINÉRIOS. SIDERÚRGICAS E METALÚRGICAS. AGRICULTURA. Silos AGRO-INDÚSTRIA. Biodigestor 03 Fonte: Petit & Linn, 1987
  • 7. TIPOS DE TRABALHOS EM ESPAÇOS CONFINADOS: OBRAS DA CONSTRUÇÃO CIVIL. OPERAÇÕES DE SALVAMENTO E RESGATE. MANUTENÇÃO, REPAROS, LIMPEZA OU INSPEÇÃO DE EQUIPAMENTOS OU RESERVATÓRIOS. 04
  • 8. RISCOS QUANDO SE TRABALHA EM ESPAÇOS CONFINADOS: FALTA OU EXCESSO DE OXIGÊNIO. INCÊNDIO OU EXPLOSÃO, PELA PRESENÇA DE VAPORES E GASES INFLAMÁVEIS. INTOXICAÇÕES POR SUBSTÂNCIAS QUÍMICAS. INFECÇÕES POR AGENTES BIOLÓGICOS. AFOGAMENTOS. SOTERRAMENTOS. QUEDAS. CHOQUES ELÉTRICOS. TODOS ESTES RISCOS PODEM LEVAR A MORTES OU DOENÇAS. 05
  • 9. COMO EVITAR ACIDENTES EM ESPAÇOS CONFINADOS? CERTIFICANDO-SE QUE A SUA EMPRESA: SEGUE A NBR 14.787 – “ESPAÇOS CONFINADOS – PREVENÇÃO DE ACIDENTES, PROCEDIMENTOS E MEDIDAS DE PROTEÇÃO”. E ATENDE A NR 18.20 – “LOCAIS CONFINADOS”. ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS NBR – NORMA BRASILEIRA MTE – MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO NR – NORMA REGULAMENTADORA 06
  • 10. QUANDO VOCÊ PODE ENTRAR EM UM ESPAÇO CONFINADO? SOMENTE QUANDO SUA EMPRESA FORNECER A AUTORIZAÇÃO NA FOLHA DE PERMISSÃO DE ENTRADA, ESSA FOLHA DE PERMISSÃO DE ENTRADA É EXIGIDA POR LEI E É EXECUTADA PELO SUPERVISOR. O SERVIÇO A SER EXECUTADO DEVE SEMPRE SER ACOMPANHADO POR UM VIGIA. 07
  • 11. A EMPRESA DEVE PROVIDENCIAR: TREINAMENTO A TODOS OS TRABALHADORES. INSPEÇÃO PRÉVIA NO LOCAL. 08
  • 12. A EMPRESA DEVE PROVIDENCIAR: EXAMES MÉDICOS. FOLHA DE PERMISSÃO DE ENTRADA. 09
  • 13. A EMPRESA DEVE PROVIDENCIAR: SINALIZAÇÃO E ISOLAMENTO SUPERVISOR DE ENTRADA E VIGIA. DA ÁREA. 10
  • 14. A EMPRESA DEVE PROVIDENCIAR: EQUIPAMENTOS MEDIDORES DE OXIGÊNIO, GASES E VAPORES TÓXICOS E INFLAMÁVEIS. EQUIPAMENTOS DE VENTILAÇÃO. 11
  • 15. A EMPRESA DEVE PROVIDENCIAR: EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO EQUIPAMENTOS DE COMUNICAÇÃO, INDIVIDUAL. ILUMINAÇÃO. EQUIPAMENTOS DE RESGATE. 12
  • 16. DIREITOS DO TRABALHADOR – ENTRADA SEGURA ENTRAR EM ESPAÇO CONFINADO SOMENTE APÓS O SUPERVISOR DE ENTRADA REALIZAR TODOS OS TESTES E ADOTAR AS MEDIDAS DE CONTROLE NECESSÁRIAS. 13
  • 17. DIREITOS DO TRABALHADOR – ENTRADA SEGURA NÃO ENTRAR EM ESPAÇO CONFINADO, CASO AS CONDIÇÕES DE TRABALHO NÃO SEJAM SEGURAS. Portaria nº 3214, do Ministério do Trabalho, Norma Regulamentadora nº 9 – item 9.6.3. 14
  • 18. DIREITOS DO TRABALHADOR - TREINAMENTO CONHECER OS RISCOS DO CONHECER O TRABALHO A SER EXECUTADO. TRABALHO A SER EXECUTADO. CONHECER OS PROCEDIMENTOS E EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA PARA EXECUTAR O TRABALHO RECEBER TODOS OS EQUIPAMENTOS CONHECER OS PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA NECESSÁRIOS PARA E EQUIPAMENTOS DE RESGATE EXECUÇÃO DOS TRABALHOS. E PRIMEIROS SOCORROS. 15
  • 19. DEVERES DO TRABALHADOR: FAZER OS EXAMES MÉDICOS. COMUNICAR RISCOS. PARTICIPAR DOS TREINAMENTOS E SEGUIR AS INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA. USAR OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO FORNECIDOS. 16
  • 20. MEDIDAS DE SEGURANÇA – FOLHA DE PERMISSÃO DE ENTRADA A FOLHA DE PERMISSÃO DE ENTRADA. CONTÉM PROCEDIMENTOS ESCRITOS DE SEGURANÇA E EMERGÊNCIA. VERIFICAR SE AS MEDIDAS DE SEGURANÇA FORAM IMPLANTADAS E SE A FOLHA DE PERMISSÃO DE ENTRADA ESTÁ ASSINADA PELO SUPERVISOR DE ENTRADA. O TRABALHADOR DEVE ENTRAR NO ESPAÇO CONFINADO COM UMA CÓPIA DA FOLHA DE PERMISSÃO DE ENTRADA. 17
  • 21. MEDIDAS DE SEGURANÇA – SINALIZAÇÃO E ISOLAMENTO DA ÁREA A SINALIZAÇÃO É IMPORTANTE PARA INFORMAÇÃO E ALERTA QUANTO AOS RISCOS EM ESPAÇOS CONFINADOS. O ISOLAMENTO É NECESSÁRIO PARA EVITAR QUE PESSOAS NÃO AUTORIZADAS SE APROXIMEM DO ESPAÇO CONFINADO. 18
  • 22. MEDIDAS DE SEGURANÇA – SUPERVISOR DE ENTRADA O SUPERVISOR DE ENTRADA DEVE: VERIFICAR OS RISCOS DE ACIDENTES. REALIZAR AS MEDIÇÕES DO NÍVEL DE OXIGÊNIO, GASES E VAPORES TÓXICOS E INFLAMÁVEIS. PROVIDENCIAR E MANTER OS EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA E DE RESGATE NECESSÁRIOS. RESPONSABILIZAR-SE PELAS INFORMAÇÕES CONTIDAS NA FOLHA DE PERMISSÃO DE ENTRADA. 19
  • 23. MEDIDAS DE SEGURANÇA – DESLIGAMENTO DE ENERGIA, TRANCA E SINALIZAÇÃO O SUPERVISOR DE ENTRADA DEVE: DESLIGAR A ENERGIA ELÉTRICA, TRANCAR COM CHAVE OU CADEADO E SINALIZAR QUADROS ELÉTRICOS PARA EVITAR MOVIMENTAÇÃO ACIDENTAL DE MÁQUINAS OU CHOQUES ELÉTRICOS QUANDO O TRABALHADOR AUTORIZADO ESTIVER NO INTERIOR DO ESPAÇO CONFINADO. 20
  • 24. MEDIDAS DE SEGURANÇA – VIGIA O VIGIA DEVE: FICAR O TEMPO TODO EM CONTATO COM A EQUIPE NO INTERIOR DO ESPAÇO CONFINADO. ACIONAR OS SERVIÇO DE RESGATE E PRIMEIROS SOCORROS. 21
  • 25. MEDIDAS DE SEGURANÇA – TESTES DO AR OS TESTES DO AR INTERNO SÃO MEDIÇÕES PARA VERIFICAÇÃO DOS NÍVEIS DE OXIGÊNIO, GASES E VAPORES TÓXICOS E INFLAMÁVEIS. ANTES QUE O TRABALHADOR ENTRE EM UM ESPAÇO CONFINADO, O SUPERVISOR DE ENTRADA DEVE REALIZAR TESTES INICIAIS DO AR INTERNO. DURANTE AS MEDIÇÕES, O SUPERVISOR DE ENTRADA DEVE ESTAR FORA DO ESPAÇO CONFINADO. 22
  • 26. MEDIDAS DE SEGURANÇA – TESTES DO AR AS MEDIÇÕES SÃO NECESSÁRIAS PARA QUE NÃO OCORRAM ACIDENTES POR ASFIXIA, INTOXICAÇÃO, INCÊNDIO OU EXPLOSÃO. 23
  • 27. MEDIDAS DE SEGURANÇA – VENTILAÇÃO NÃO VENTILAR ESPAÇOS CONFINADOS COM OXIGÊNIO O USO DE OXIGÊNIO PARA VENTILAÇÃO DE LOCAL CONFINADO AUMENTA O RISCO DE INCÊNDIO E EXPLOSÃO. 24
  • 28. MEDIDAS DE SEGURANÇA – VENTILAÇÃO DURANTE TODO O TRABALHO NO ESPAÇO CONFINADO DEVE SER UTILIZADA VENTILAÇÃO ADEQUADA PARA GARANTIR A RENOVAÇÃO CONTÍNUA DO AR. 25
  • 29. MEDIDAS DE SEGURANÇA - EPI OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL – EPIs DEVEM SER FORNECIDOS O TRABALHADOR GRATUITAMENTE. DEVE SER TREINADO QUANTO AO USO DEVEM SER ADEQUADO DO UTILIZADOS EPIs EPI. ADEQUADOS PARA CADA SITUAÇÃO DE RISCO EXISTENTE. 26
  • 30. MEDIDAS DE SEGURANÇA - OBJETOS PROIBIDOS CIGARROS NUNCA FUME NO ESPAÇO CONFINADO! TELEFONE CELULAR NÃO DEVE SER UTILIZADO COMO APARELHO DE COMUNICAÇÃO EM ESPAÇO CONFINADO. VELAS – FÓSFOROS - ISQUEIROS NÃO DEVEM SER UTILIZADOS. OBJETOS NECESSÁRIOS À EXECUÇÃO DO TRABALHO QUE PRODUZAM CALOR, CHAMAS OU FAÍSCAS, DEVEM SER PREVISTOS NA FOLHA DE PERMISSÃO DE ENTRADA. 27
  • 31. MEDIDAS DE SEGURANÇA - EQUIPAMENTOS ESPECIAIS DEVEM SER FORNECIDOS EQUIPAMENTOS ESPECIAIS PARA TRABALHOS EM ESPAÇOS CONFINADOS COMO: DETECTORES DE GASES, LANTERNAS. À PROVA DE EXPLOSÃO. RÁDIOS DE COMUNICAÇÃO. 28
  • 32. MEDIDAS DE EMERGÊNCIA E RESGATE O EMPREGADOR DEVE ELABORAR E IMPLANTAR PROCEDIMENTOS DE EMERGÊNCIA E RESGATE ADEQUADOS AO ESPAÇO CONFINADO. O EMPREGADOR DEVE FORNECER EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS QUE POSSIBILITEM MEIOS SEGUROS DE RESGATE. OS TRABALHADORES DEVEM SER TREINADOS PARA SITUAÇÕES DE SITUAÇÃO DE TREINAMENTO COM SIMULAÇÃO DE EMERGÊNCIA E RESGATE. OPERAÇÃO DE SALVAMENTO E RESGATE. 29
  • 33. LEMBRE-SE SEMPRE GARANTA SUA VIDA E A DE SEUS COMPANHEIROS CONHECENDO E EXIGINDO TRABALHOS SEGUROS EM ESPAÇOS CONFINADOS. VOLTAR PARA CASA COM SAÚDE É UM DIREITO DE TODOS OS TRABALHADORES. 30
  • 34. REFERÊNCIAS 1. ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR nº 14.787 Espaço Confinado – Prevenção de acidentes, procedimentos e medidas de proteção. São Paulo: ABNT. 2001. 2. BRASIL. Norma Regulamentadora. NR nº 18.20 – Locais Confinados. In: BRASIL. NR nº 18 – Norma Regulamentadora das Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção – Brasília: Ministério do Trabalho. 1978. 3. BRASIL. Portaria. Portaria nº 3214 de 08.06.78. Brasília: Ministério do Trabalho. 1978. 4. ILO. International Labour Organization. Encyclopaedia of Occupational Health and Safety. Geneva: ILO. 1971/72. 5. MINISTÉRIO DE TRABAJO Y ASSUNTOS SOCIALES. Trabajos em Espacios Confinados. Madrid: Instituto Nacional de Seguridad e Higiene em El Trabajo. 2005. 6. PETIT, T; LINN, H. A Guide to Safety in Confined Spaces. Washington: NIOSH. Government Printing Office. 1987. 7. REKUS, JF. Complete Confined Spaces Handbook. Maryland: CRC/Lewis Publishers. 1984. 8. U.S. Department of Labor Occupational Safety & Health Administration. Confined Spaces. Washington: OSHA. 2005. 9. U.S. Department of Labor Occupational Safety & Health Administration. Regulations (Standards – 29 CFR) Permit- required confined spaces – 1910. 146. Washington: OSHA. 2005. 31
  • 35. Digitação e montagem Norma C. do Amaral Adequação didática Alice Santi Maria Cristina B. G. C. Carneiro Maria Inês Franco Motti Desenhos Perkins T. Moreira