SlideShare uma empresa Scribd logo
SIMPÓSIO NACIONAL DE SAÚDE
SAÚDE: DIREITO DE TODOS, DEVER DO ESTADO
FORMAÇÃO E RELAÇÕES DE TRABALHO
Mesa 2
Ministério da Saúde
Brasília, 17 de junho de 2015
O Brasil é o único país com mais de 100 milhões de habitantes que assumiu
o desafio de ter um sistema universal, público e gratuito de Saúde
O Sistema Único de Saúde
Desafios para a Formação no
SUS
Rede de serviços mais complexa
Reduzir desigualdades geográficas
e de grupos sociais
Fortalecer a Atenção Básica e
as redes assistenciais
regionalizadas como estratégia
de garantia do acesso e do
cuidado integral
Reforçar a estruturação das
respostas às urgências em
saúde pública
Aprimorar o pacto interfederativo
para o fortalecimento do SUS
Aumentar a capacidade de produção de
Insumos Estratégicos em Saúde, bem como
a produção de inovações tecnológicas
Aumentar o
financiamento da
saúde e a eficiência
no gasto
Qualificar a formação e
fixação dos
Profissionais de Saúde
no SUS
Desafios para o SUS

Recomendado para você

projeto clinica.ppt
projeto clinica.pptprojeto clinica.ppt
projeto clinica.ppt

O documento propõe a criação de um Centro de Assistência à Saúde no Corpo de Bombeiros Militar da Paraíba para fornecer atendimento médico multiprofissional e com foco na atenção primária à saúde dos bombeiros e suas famílias. O Centro seria estruturado com profissionais de saúde do próprio Corpo de Bombeiros e financiado por parcerias com o SUS e recursos do Fundo de Saúde.

Thais Coutinho - Política Nacional de Atenção Básica/Brasil
Thais Coutinho - Política Nacional de Atenção Básica/BrasilThais Coutinho - Política Nacional de Atenção Básica/Brasil
Thais Coutinho - Política Nacional de Atenção Básica/Brasil

O documento discute a trajetória do provimento de profissionais na Atenção Básica no Brasil de 2011 a 2014, destacando o aumento significativo no financiamento, na expansão da estratégia Saúde da Família e no número de equipes de saúde.

phcsistema de saludsouth america
Uso de tecnologias de informação
Uso de tecnologias de informaçãoUso de tecnologias de informação
Uso de tecnologias de informação

O documento discute o uso de tecnologias de informação e comunicação na área da nutrição. Ele explica como a telemedicina, cursos online e mensagens de texto podem ser usados para melhorar a educação nutricional, programas de tratamento e prevenção de doenças. Ele conclui que as tecnologias melhoram a saúde e qualidade de vida, mas dependem do acesso à tecnologia e habilidades digitais.

saudeeducaçaonutriçao
Gestão da Educação na
Saúde (DEGES)
Gestão e da Regulação do
Trabalho em Saúde
(DEGERTS)
1 - Educação Permanente
2 – Formação Técnica
3 - Telessaúde
4 – Mudança na Graduação
1 – Fomento de Carreiras
2- Qualificação da Gestão e
das Relações de Trabalho
3- Mesa de Negociação
Permanente5
Planejamento e Regulação
da Provisão de
Profissionais da Saúde
(DEPREPS)
1 - Residências em Saúde
2 - Mais Médicos
3 - Cadastro Nacional de
Especialistas
Estrutura da SGTES
Ações estruturantes
- SUS: ordenar a Formação de Recursos
Humanos para a Saúde com a:
 Política de Educação Permanente em Saúde
 Educação Profissional Técnica de Nível
Médio
 Mudança na formação de profissionais de
saúde (parceria junto ao MEC)
 Pós-graduação - Formação de Especialistas
Gestão da Educação em Saúde
 Educação Permanente é a aprendizagem a partir dos desafios
concretos do trabalho buscando a qualificação da ações de saúde,
onde o aprender e o ensinar se incorporam ao cotidiano das
organizações e ao trabalho.
 É um elementos inerente às implantação e qualificação das Redes
de Atenção: não é possível fazer mudanças significativas sem a
mobilização e envolvimento dos trabalhadores de saúde
 Execução regionalizada e descentralizada pelos gestores estaduais
e municipais envolvendo Escolas Técnicas do SUS, Escolas de Saúde
Pública, Instituições de Ensino Superior e Universidade Aberta do
SUS.
Política Nacional de Educação
Permanente em Saúde - PNEPS
Objetiva desenvolver ações de apoio à atenção à saúde e de educação
permanente, visando a educação para o trabalho, na perspectiva da
melhoria da qualidade do atendimento, da ampliação do escopo de
ações ofertadas por essas equipes, da mudança das práticas de
atenção e da organização do processo de trabalho.
Programa Telessaúde Brasil Redes

Recomendado para você

Tecnología y educación o uso de tecnologias de informação e comunicação na ár...
Tecnología y educación o uso de tecnologias de informação e comunicação na ár...Tecnología y educación o uso de tecnologias de informação e comunicação na ár...
Tecnología y educación o uso de tecnologias de informação e comunicação na ár...

O documento discute o uso de tecnologias de informação e comunicação na área da nutrição. Ele explica como a telemedicina, cursos online e mensagens de texto podem ser usados para melhorar a educação nutricional, programas de tratamento e prevenção de doenças. Ele conclui que as tecnologias melhoram a saúde e qualidade de vida, mas dependem do acesso à tecnologia e habilidades digitais.

tecnologiainformaçaonutricao
Tecnología y educación
Tecnología y educaciónTecnología y educación
Tecnología y educación

O documento discute o uso de tecnologias de informação e comunicação na área da nutrição. Ele explica como a telemedicina, cursos online e mensagens de texto podem ser usados para melhorar a educação nutricional, tratamento de doenças e mudança de comportamentos relacionados à alimentação. Ele conclui que as tecnologias melhoram a saúde e qualidade de vida, mas dependem do acesso à tecnologia e habilidades digitais.

nutricaoeducaçaosaude
Homero_Educacao_permanente_saude
Homero_Educacao_permanente_saudeHomero_Educacao_permanente_saude
Homero_Educacao_permanente_saude

O documento discute a educação permanente em saúde no Brasil, definindo-a como uma estratégia de aprendizagem contínua baseada na resolução de problemas reais do trabalho. A educação permanente busca qualificar profissionais por meio da reflexão sobre a prática e está ligada à melhoria dos indicadores de saúde da população. O Plano de Ação Regional de Educação Permanente em Saúde orienta as ações locais de formação, sendo construído coletivamente com apoio dos Núcleos de Apoio à Saúde

AM
PA
AC
MT
RO
MS
PR
RS
SC
SP
MG
PI
BA
MA
TO
GO
DF
RR AP
RN
PB
PE
AL
CE
ES
SE
RJ
Programa Telessaúde Brasil Redes
FONTE: SGTES/SAS/MS - 2015
UF que possuem Núcleos Implantados
UF que possuem Núcleos em Implantação
Total de Núcleos Implantados: 46
Total de Núcleos em Implantação: 11
Oferta de atividades 2008 a 2014
239.993 Teleconsultorias
2.108.080 Telediagnósticos
1.546.797 Participações em Tele-educação
Oferta de teleconsultoria por meio de
Plataformas em 23 estados.
Oferta de teleconsultoria por serviço telefônico
0800 644 6543 para todo o Território Nacional.
Portal Saúde Baseada em Evidências
 Biblioteca eletrônica com conteúdos específicos para
profissionais de saúde.
 Objetivos: Fornecer acesso rápido ao conhecimento científico
por meio de publicações atuais e sistematicamente revisadas,
visando apoiar a prática clínica para a qualificação do cuidado
 Incorporar a Prática Baseada em Evidências no processo de
trabalho dos profissionais, entendendo-a como importante
movimento de mudança nas práticas assistenciais
 Recursos:
 periódicos nacionais e internacionais com textos
completos e resumos;
 ferramentas de referência clínica;
 módulos de aprendizagem;
 calculadoras médicas;
 vídeos de aprendizagem;
 aplicativos móveis
260.000
acessos/ano
80.900
usuários
R$20 milhões
Investimento
2014
2012 – Parceria CAPES/MEC 2015 – Parceria OPAS/OMS periodicos.saude.gov.br
Portal Saúde Baseada em
Evidências
http://bit.ly/saudeevidencias
Mídia social voltada para profissionais de saúde pública
cuja proposta é promover, através da interatividade, a
troca de relatos de experiências e a educação permanente,
mobilizando os atores no território como agentes de
mudança da qualidade de vida da população.
• 60 mil acessos mensais
• 38 mil usuários cadastrados
• 5.000 relatos
• 110 comunidades
• Cursos EAD
Comunidade de Práticas

Recomendado para você

Homero_problematizacao
Homero_problematizacaoHomero_problematizacao
Homero_problematizacao

O documento discute a educação permanente em saúde no Brasil, definindo-a como uma estratégia de aprendizagem contínua baseada na resolução de problemas reais do trabalho. A educação permanente busca qualificar profissionais por meio da reflexão sobre a prática e está ligada à melhoria dos indicadores de saúde da população. O Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF) apoia a implementação de ações de educação permanente nos municípios.

Beltrame evora claunara
Beltrame evora claunaraBeltrame evora claunara
Beltrame evora claunara

1) O documento discute a resolutividade e tecnologias disponíveis nos cuidados básicos de saúde no Brasil. 2) Ele descreve a evolução do Sistema Único de Saúde brasileiro e da Atenção Primária à Saúde, incluindo a criação de equipes de saúde da família e agentes comunitários de saúde. 3) Também discute desafios e estratégias para aumentar a resolutividade da Atenção Primária, como formação de recursos humanos, uso de te

susintegralidade
Cartilha humanizasus
Cartilha humanizasusCartilha humanizasus
Cartilha humanizasus

O documento discute a humanização do Sistema Único de Saúde brasileiro (SUS). Ele descreve a humanização como uma política pública transversal que valoriza os usuários, trabalhadores e gestores na produção de saúde. A humanização também promove a autonomia, o protagonismo coletivo e a corresponsabilização na gestão da saúde. O documento ressalta desafios como qualificar a cogestão e as redes de atenção do SUS.

humanizasus
Educação Profissional Técnica de Nível
Médio para a Saúde
• Profissionais e trabalhadores técnicos de nível médio
representam mais de 60% no setor da saúde, constituindo-se
importante e significativa parcela da ação laboral no interior
dos serviços que compõem a complexa rede assistencial do
SUS.
• Ações:
• Formação profissional
• Qualificação para o trabalho
• Educação permanente em serviço
• Acesso ao ensino regular com vistas ao aumento da
escolaridade
• Ofertar Cursos de Formação/Qualificação na área de saúde prioritariamente para
trabalhadores e profissionais do SUS, oportunizando também vagas a comunidade;
• Induzir a oferta de cursos de educação profissional técnica em saúde tendo por
referência as necessidades derivadas das políticas, planos e programas da gestão em
Saúde, ampliando o acesso e a qualidade do cuidado.
Formação para o SUS e
articulação com o PRONATEC
Rede Federal de Educação
Profissional
Rede de Escolas Técnicas
do SUS
40 Escolas: federal(1), estaduais (33) e
municipais(6).
562 Unidades
 Técnicos em Vigilância em Saúde
 Técnicos em Saúde Bucal
 Técnicos em Radiologia
 Técnicos em Biodiagnóstico
 Técnico em Órtese e Prótese
 Agentes Comunitários de Saúde
 Agente de Combate a Endemias
 Formações Pós Técnico p/ Téc. Enfermagem
Programa de Formação de Profissionais
de Nível Médio para a Saúde – PROFAPS
Cursos prioritários:
(Redes e Programas Prioritários)
(Pós Técnico p/ Radioterapia/Mamografia)
(Análises Clinicas, Citopatologia e Hemoterapia)
Necessidades Sociais em Saúde e desafios para o SUS
• Transição epidemiológica;
• Envelhecimento da população;
• Iniqüidades em saúde: acesso e peso dos determinantes sociais;
• Fragmentação do cuidado;
• Desafios éticos/autonomia;
• Necessidade de garantir qualidade e eficiência
Sistema de Saúde vem em processo de modificação em sua
estrutura e no seu modelo assistencial
Mudanças na Graduação

Recomendado para você

Pnab
PnabPnab
Pnab

Este documento apresenta a nova Política Nacional de Atenção Básica do Ministério da Saúde do Brasil, que estabelece diretrizes para a organização da atenção básica, Estratégia Saúde da Família e Programa de Agentes Comunitários de Saúde. A política busca fortalecer a atenção básica por meio de mais recursos financeiros, melhorias na infraestrutura das unidades básicas de saúde e ampliação do leque de equipes de saúde para diferentes populações.

pnab
Pnab
PnabPnab
Pnab

Este documento apresenta a nova Política Nacional de Atenção Básica do Ministério da Saúde do Brasil, que estabelece diretrizes para a organização da atenção básica, Estratégia Saúde da Família e Programa de Agentes Comunitários de Saúde. A política busca fortalecer a atenção básica por meio de mais recursos financeiros, melhoria da infraestrutura e qualificação das equipes, de modo a garantir o acesso universal à saúde de qualidade para a população brasileira.

Atenção Especializada no Paraná
Atenção Especializada no ParanáAtenção Especializada no Paraná
Atenção Especializada no Paraná

CONASS Debate - Inovação na Atenção Ambulatorial Especializada - Brasília, 6 de agosto de 2015 Apresentação do secretário de Estado da Saúde do Paraná, Michele Caputo Neto, a respeito da Atenção Especializada no estado

conass; sus; saúde; aps; redes de atenção; aten
• Autorização de abertura baseada nas necessidades sociais;
• Funcionamento dos cursos baseados nas novas DCN que
fortalecem a Atenção Básica e médico generalista
• Ampliação da integração ensino-serviço – Rede Saúde-
Escola no SUS e Contratos organizativos;
• Sistema Integrado de Avaliação com Avaliação de Progresso
no 2º, 4º e 6º anos
• Universalização do acesso a residência médica e mudanças
nos itinerários formativos, ampliando a formação na
atenção básica, urgências, saúde mental, atenção domiciliar.
Mudanças na formação médica
• 11,5 mil novas vagas
de graduação até
2017;
• 12,4 mil novas vagas
de residência para
formação de
especialistas;
• Interiorização da
formação.
Brasil sairá de 374 mil
médicos para 600 mil
médicos até 2016
Atingindo média de
médicos por 1000 habitantes
2,7
Formação Médica
Perspectivas
Programa Mais
Médicos
Fonte: MEC – SERES /SESU - IBGE
As vagas foram consideradas existentes a partir do ato autorizativo. Os dados populacionais foram baseados em dados do
IBGE e suas projetções.
*Contempla a previsão de autorização de vagas do primeiro edital.
** Contempla a previsão de vagas no segundo edital de municipios.
Até 1994
1995 a
1998
1999 a
2002
2003 a
2006
2007 a
2010
2011 e
2012
2013 e
2014
2015
Previsão
segundo
edital
CAPITAL 4884 5204 5954 7902 8532 8858 10561 10637 10637
INTERIOR 3878 4522 5454 6855 7875 8612 11563 14522 16409,2
2000
4000
6000
8000
10000
12000
14000
16000
18000
Título
do
Eixo
Evolução das vagas de graduação autorizadas e previsão de
expansão, por tipo de município.
Formação Médica
Evolução das Vagas de Graduação
• Ações em andamento e em importante incremento
para:
• Formação para preceptores de graduação e residência;
• Formação em docência
• Mestrado Profissional para docentes e preceptores
• Mestrado Acadêmico para pesquisa de elementos
relacionados às qualificação da docência e integração
ensino-serviço
Formação de docentes

Recomendado para você

Oficina da CIF em sistemas de informação em Curitiba
Oficina da CIF em sistemas de informação em CuritibaOficina da CIF em sistemas de informação em Curitiba
Oficina da CIF em sistemas de informação em Curitiba

O documento discute a incorporação da Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF) no sistema de informação em saúde brasileiro. Ele propõe estratégias para a implementação da CIF nos eixos de formação e educação, modelo de atenção e cuidado, e desenvolvimento de formulários e sistemas de informação.

cifsistemas de informacaofuncionalidade
1º Apresentação do NUCLEO DE EDUCAÇÃO PERMANENTE do HCCS.pptx
1º Apresentação do NUCLEO DE EDUCAÇÃO PERMANENTE do  HCCS.pptx1º Apresentação do NUCLEO DE EDUCAÇÃO PERMANENTE do  HCCS.pptx
1º Apresentação do NUCLEO DE EDUCAÇÃO PERMANENTE do HCCS.pptx

O documento discute a educação permanente no sistema de saúde brasileiro. A educação permanente é uma estratégia que utiliza a aprendizagem significativa e centrada no profissional para resolver problemas de saúde, diferente da educação continuada que tem foco em grupos e duração definida. O texto também apresenta o plano de ação de educação permanente de um hospital com várias atividades ao longo do ano focadas em temas de saúde.

Alass grado
Alass gradoAlass grado
Alass grado

Este documento discute o modelo de relacionamento entre o sistema público de saúde e universidades na Andaluzia, Espanha. [1] Ele descreve o contexto do sistema de saúde e universitário na região. [2] O documento explica que o modelo visa estabelecer estágios clínicos de qualidade para os estudantes de saúde e promover a pesquisa conjunta entre os sistemas. [3] O modelo inclui tutores clínicos, planos de colaboração e avaliações bidirecionais para integrar ensino e prática

• Grande investimento na Especialização com
aproximadamente 50 mil profissionais formandos com
recursos do Ministério da Saúde
• Formação voltadas para desenvolver competências para
cuidado à saúde da população e necessidades dos
serviços de saúde
• Desenvolvimento de Sistema de Formação e
Reconhecimento de Competências para atuação nos
serviços
• Ampliação do investimento em Residências
Multiprofissionais e Médicas
Especialização e Residência Médica
22
Experiência prévia ou recente de
compartilhamento de tarefas entre profissionais de saúde
Australia New Zealand
Canada Norway
Chile Slovenia
Finland Spain
France Sweden
Denmark Switzerland
Ireland United Kingdom
Netherlands United States
Fonte: OCDE Health System Characteristics Survey (2013)
Desafios de pensar a necessidade de profissionais
para o Sistema de Saúde
O Mundo inovando na formação e atuação
dos profissionais de saúde
Total: 6.575 bolsas
Fonte: SisCNRMS/SESu/MEC - 2014
Residência em Área Profissional da Saúde
(Multiprofissional e UniProfissional) – Bolsas
• Edital conjunto SESu/SGTES
• Prioridade para MGFC*
2010 2011 2012 2013 2014 2015
499 499 834 1789 2875 3461
785 1253 1803
2546
5497
6535
Evolução do Pró-Residência ( bolsas MS)
Area Profissional Médica
PROGRAMA MAIS MÉDICOS RESIDÊNCIA
Edital para bolsas – Lançamento em Julho/15
*Avaliar outras especialidades conforme Mais Especialidades e regiões prioritárias

Recomendado para você

Folder do Programa de Residência em MFC - SMS/RJ
Folder do Programa de Residência em MFC - SMS/RJFolder do Programa de Residência em MFC - SMS/RJ
Folder do Programa de Residência em MFC - SMS/RJ

O documento descreve o Programa de Residência em Medicina de Família e Comunidade da Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro. O programa oferece 150 vagas por ano para residentes que recebem treinamento clínico em Clínicas da Família e Centros Municipais de Saúde estruturados. O programa qualifica médicos para o fortalecimento da Atenção Primária na cidade e a maioria dos residentes permanece na rede municipal após a conclusão.

Paulo Henrique D'Ângelo Seixas
Paulo Henrique D'Ângelo SeixasPaulo Henrique D'Ângelo Seixas
Paulo Henrique D'Ângelo Seixas

O documento discute o papel do gestor estadual no Sistema Único de Saúde de São Paulo. Apresenta as responsabilidades da Secretaria Estadual de Saúde, como planejamento regional, regulação, gestão de hospitais e contratualização de serviços. Também aborda os desafios da gestão de recursos humanos, com mais de 70 mil funcionários, e estratégias para aprimorar a formação, retenção e avaliação de desempenho dos profissionais.

• Qualificação da gestão do trabalho no SUS
• Incentivo à inovação em práticas e projetos
– que combinem investimento no e desenvolvimento do
trabalhador e qualificação do serviços com foco nos usuários
• Programas de desprecarização das relações de
trabalhado
• Democratização das relações de trabalho em saúde
• Incentivo à implantação de carreiras no SUS
• Protocolos da Mesa Nacional de Negociação
• Regulação do trabalho
Gestão do Trabalho
• Qualificação da gestão do trabalho no SUS
– Formação de gestores, equipes e trabalhadores em gestão
do trabalho, negociação coletiva, melhoria das condições de
trabalho e saúde dos trabalhadores
– Protocolos da Mesa Nacional de Negociação
– Gestão de conhecimento de experiências de sucesso
– Sistema de informação para planejamento, monitoramento e
avaliação da força de trabalho no SUS
• Incentivo à inovação em práticas e projetos
– Prêmio INOVASUS
– Laboratório de Inovação
Gestão do Trabalho
• Democratização das relações de trabalho em saúde
– Projetos de fomento à democratização das relações de
trabalho e apoio aos projetos de desprecarização
– Assessoria técnica e financeira com o objetivo de ampliar os
espaços de negociação entre gestores e trabalhadores, com a
instalação de Mesas e implementação de protocolos
– Aprovação da Agenda Nacional do Trabalho Decente do SUS
para a melhoria das condições de trabalho dos trabalhos do
SUS e promoção do diálogo social, igualdade de
oportunidades e combate a todas as formas de
discriminação no local de trabalho
Gestão do Trabalho
• Programas de desprecarização das relações de
trabalhado
– Construção do Programa de Valorização, Formação,
Regularização e Qualificação das Relações de Trabalho dos
Agentes de Saúde
• Incentivo à implantação de carreiras no SUS
– Projetos estabelecidos com estados, municípios e regiões,
com repasse de recursos e apoio técnico, para a implantação
de carreiras públicas
• Protocolos da Mesa Nacional de Negociação
• Regulação do trabalho
Gestão do Trabalho

Recomendado para você

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a SAUDE DIREITO DE TODOS.pdf

PRODUÇÃO TEXTUAL – MINISTÉRIO DA SAÚDE INVESTIRÁ MAIS R$ 233,6 MILHÕES NA AT...
PRODUÇÃO TEXTUAL –  MINISTÉRIO DA SAÚDE INVESTIRÁ MAIS R$ 233,6 MILHÕES NA AT...PRODUÇÃO TEXTUAL –  MINISTÉRIO DA SAÚDE INVESTIRÁ MAIS R$ 233,6 MILHÕES NA AT...
PRODUÇÃO TEXTUAL – MINISTÉRIO DA SAÚDE INVESTIRÁ MAIS R$ 233,6 MILHÕES NA AT...
Acade Consultoria
 
AF_na_gestao_municipal_nivel_medio_vol1.pdf
AF_na_gestao_municipal_nivel_medio_vol1.pdfAF_na_gestao_municipal_nivel_medio_vol1.pdf
AF_na_gestao_municipal_nivel_medio_vol1.pdf
Eliziana83
 
Anvisa
AnvisaAnvisa
projeto clinica.ppt
projeto clinica.pptprojeto clinica.ppt
projeto clinica.ppt
FellipeMedeiros8
 
Thais Coutinho - Política Nacional de Atenção Básica/Brasil
Thais Coutinho - Política Nacional de Atenção Básica/BrasilThais Coutinho - Política Nacional de Atenção Básica/Brasil
Thais Coutinho - Política Nacional de Atenção Básica/Brasil
Isags Unasur
 
Uso de tecnologias de informação
Uso de tecnologias de informaçãoUso de tecnologias de informação
Uso de tecnologias de informação
Rebeca Mairã
 
Tecnología y educación o uso de tecnologias de informação e comunicação na ár...
Tecnología y educación o uso de tecnologias de informação e comunicação na ár...Tecnología y educación o uso de tecnologias de informação e comunicação na ár...
Tecnología y educación o uso de tecnologias de informação e comunicação na ár...
Rebeca Mairã
 
Tecnología y educación
Tecnología y educaciónTecnología y educación
Tecnología y educación
Rebeca Mairã
 
Homero_Educacao_permanente_saude
Homero_Educacao_permanente_saudeHomero_Educacao_permanente_saude
Homero_Educacao_permanente_saude
comunidadedepraticas
 
Homero_problematizacao
Homero_problematizacaoHomero_problematizacao
Homero_problematizacao
comunidadedepraticas
 
Beltrame evora claunara
Beltrame evora claunaraBeltrame evora claunara
Beltrame evora claunara
jorge luiz dos santos de souza
 
Cartilha humanizasus
Cartilha humanizasusCartilha humanizasus
Cartilha humanizasus
Yasmin Mattos
 
Pnab
PnabPnab
Pnab
PnabPnab
Atenção Especializada no Paraná
Atenção Especializada no ParanáAtenção Especializada no Paraná
Atenção Especializada no Paraná
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Oficina da CIF em sistemas de informação em Curitiba
Oficina da CIF em sistemas de informação em CuritibaOficina da CIF em sistemas de informação em Curitiba
Oficina da CIF em sistemas de informação em Curitiba
Eduardo Santana Cordeiro
 
1º Apresentação do NUCLEO DE EDUCAÇÃO PERMANENTE do HCCS.pptx
1º Apresentação do NUCLEO DE EDUCAÇÃO PERMANENTE do  HCCS.pptx1º Apresentação do NUCLEO DE EDUCAÇÃO PERMANENTE do  HCCS.pptx
1º Apresentação do NUCLEO DE EDUCAÇÃO PERMANENTE do HCCS.pptx
Flávia Rodrigos
 
Alass grado
Alass gradoAlass grado
Alass grado
aromrod
 
Folder do Programa de Residência em MFC - SMS/RJ
Folder do Programa de Residência em MFC - SMS/RJFolder do Programa de Residência em MFC - SMS/RJ
Folder do Programa de Residência em MFC - SMS/RJ
Inaiara Bragante
 
Paulo Henrique D'Ângelo Seixas
Paulo Henrique D'Ângelo SeixasPaulo Henrique D'Ângelo Seixas
Paulo Henrique D'Ângelo Seixas
Claudia Carnevalle
 

Semelhante a SAUDE DIREITO DE TODOS.pdf (20)

PRODUÇÃO TEXTUAL – MINISTÉRIO DA SAÚDE INVESTIRÁ MAIS R$ 233,6 MILHÕES NA AT...
PRODUÇÃO TEXTUAL –  MINISTÉRIO DA SAÚDE INVESTIRÁ MAIS R$ 233,6 MILHÕES NA AT...PRODUÇÃO TEXTUAL –  MINISTÉRIO DA SAÚDE INVESTIRÁ MAIS R$ 233,6 MILHÕES NA AT...
PRODUÇÃO TEXTUAL – MINISTÉRIO DA SAÚDE INVESTIRÁ MAIS R$ 233,6 MILHÕES NA AT...
 
AF_na_gestao_municipal_nivel_medio_vol1.pdf
AF_na_gestao_municipal_nivel_medio_vol1.pdfAF_na_gestao_municipal_nivel_medio_vol1.pdf
AF_na_gestao_municipal_nivel_medio_vol1.pdf
 
Anvisa
AnvisaAnvisa
Anvisa
 
projeto clinica.ppt
projeto clinica.pptprojeto clinica.ppt
projeto clinica.ppt
 
Thais Coutinho - Política Nacional de Atenção Básica/Brasil
Thais Coutinho - Política Nacional de Atenção Básica/BrasilThais Coutinho - Política Nacional de Atenção Básica/Brasil
Thais Coutinho - Política Nacional de Atenção Básica/Brasil
 
Uso de tecnologias de informação
Uso de tecnologias de informaçãoUso de tecnologias de informação
Uso de tecnologias de informação
 
Tecnología y educación o uso de tecnologias de informação e comunicação na ár...
Tecnología y educación o uso de tecnologias de informação e comunicação na ár...Tecnología y educación o uso de tecnologias de informação e comunicação na ár...
Tecnología y educación o uso de tecnologias de informação e comunicação na ár...
 
Tecnología y educación
Tecnología y educaciónTecnología y educación
Tecnología y educación
 
Homero_Educacao_permanente_saude
Homero_Educacao_permanente_saudeHomero_Educacao_permanente_saude
Homero_Educacao_permanente_saude
 
Homero_problematizacao
Homero_problematizacaoHomero_problematizacao
Homero_problematizacao
 
Beltrame evora claunara
Beltrame evora claunaraBeltrame evora claunara
Beltrame evora claunara
 
Cartilha humanizasus
Cartilha humanizasusCartilha humanizasus
Cartilha humanizasus
 
Pnab
PnabPnab
Pnab
 
Pnab
PnabPnab
Pnab
 
Atenção Especializada no Paraná
Atenção Especializada no ParanáAtenção Especializada no Paraná
Atenção Especializada no Paraná
 
Oficina da CIF em sistemas de informação em Curitiba
Oficina da CIF em sistemas de informação em CuritibaOficina da CIF em sistemas de informação em Curitiba
Oficina da CIF em sistemas de informação em Curitiba
 
1º Apresentação do NUCLEO DE EDUCAÇÃO PERMANENTE do HCCS.pptx
1º Apresentação do NUCLEO DE EDUCAÇÃO PERMANENTE do  HCCS.pptx1º Apresentação do NUCLEO DE EDUCAÇÃO PERMANENTE do  HCCS.pptx
1º Apresentação do NUCLEO DE EDUCAÇÃO PERMANENTE do HCCS.pptx
 
Alass grado
Alass gradoAlass grado
Alass grado
 
Folder do Programa de Residência em MFC - SMS/RJ
Folder do Programa de Residência em MFC - SMS/RJFolder do Programa de Residência em MFC - SMS/RJ
Folder do Programa de Residência em MFC - SMS/RJ
 
Paulo Henrique D'Ângelo Seixas
Paulo Henrique D'Ângelo SeixasPaulo Henrique D'Ângelo Seixas
Paulo Henrique D'Ângelo Seixas
 

SAUDE DIREITO DE TODOS.pdf

  • 1. SIMPÓSIO NACIONAL DE SAÚDE SAÚDE: DIREITO DE TODOS, DEVER DO ESTADO FORMAÇÃO E RELAÇÕES DE TRABALHO Mesa 2 Ministério da Saúde Brasília, 17 de junho de 2015
  • 2. O Brasil é o único país com mais de 100 milhões de habitantes que assumiu o desafio de ter um sistema universal, público e gratuito de Saúde O Sistema Único de Saúde
  • 3. Desafios para a Formação no SUS Rede de serviços mais complexa
  • 4. Reduzir desigualdades geográficas e de grupos sociais Fortalecer a Atenção Básica e as redes assistenciais regionalizadas como estratégia de garantia do acesso e do cuidado integral Reforçar a estruturação das respostas às urgências em saúde pública Aprimorar o pacto interfederativo para o fortalecimento do SUS Aumentar a capacidade de produção de Insumos Estratégicos em Saúde, bem como a produção de inovações tecnológicas Aumentar o financiamento da saúde e a eficiência no gasto Qualificar a formação e fixação dos Profissionais de Saúde no SUS Desafios para o SUS
  • 5. Gestão da Educação na Saúde (DEGES) Gestão e da Regulação do Trabalho em Saúde (DEGERTS) 1 - Educação Permanente 2 – Formação Técnica 3 - Telessaúde 4 – Mudança na Graduação 1 – Fomento de Carreiras 2- Qualificação da Gestão e das Relações de Trabalho 3- Mesa de Negociação Permanente5 Planejamento e Regulação da Provisão de Profissionais da Saúde (DEPREPS) 1 - Residências em Saúde 2 - Mais Médicos 3 - Cadastro Nacional de Especialistas Estrutura da SGTES
  • 6. Ações estruturantes - SUS: ordenar a Formação de Recursos Humanos para a Saúde com a:  Política de Educação Permanente em Saúde  Educação Profissional Técnica de Nível Médio  Mudança na formação de profissionais de saúde (parceria junto ao MEC)  Pós-graduação - Formação de Especialistas Gestão da Educação em Saúde
  • 7.  Educação Permanente é a aprendizagem a partir dos desafios concretos do trabalho buscando a qualificação da ações de saúde, onde o aprender e o ensinar se incorporam ao cotidiano das organizações e ao trabalho.  É um elementos inerente às implantação e qualificação das Redes de Atenção: não é possível fazer mudanças significativas sem a mobilização e envolvimento dos trabalhadores de saúde  Execução regionalizada e descentralizada pelos gestores estaduais e municipais envolvendo Escolas Técnicas do SUS, Escolas de Saúde Pública, Instituições de Ensino Superior e Universidade Aberta do SUS. Política Nacional de Educação Permanente em Saúde - PNEPS
  • 8. Objetiva desenvolver ações de apoio à atenção à saúde e de educação permanente, visando a educação para o trabalho, na perspectiva da melhoria da qualidade do atendimento, da ampliação do escopo de ações ofertadas por essas equipes, da mudança das práticas de atenção e da organização do processo de trabalho. Programa Telessaúde Brasil Redes
  • 9. AM PA AC MT RO MS PR RS SC SP MG PI BA MA TO GO DF RR AP RN PB PE AL CE ES SE RJ Programa Telessaúde Brasil Redes FONTE: SGTES/SAS/MS - 2015 UF que possuem Núcleos Implantados UF que possuem Núcleos em Implantação Total de Núcleos Implantados: 46 Total de Núcleos em Implantação: 11 Oferta de atividades 2008 a 2014 239.993 Teleconsultorias 2.108.080 Telediagnósticos 1.546.797 Participações em Tele-educação Oferta de teleconsultoria por meio de Plataformas em 23 estados. Oferta de teleconsultoria por serviço telefônico 0800 644 6543 para todo o Território Nacional.
  • 10. Portal Saúde Baseada em Evidências  Biblioteca eletrônica com conteúdos específicos para profissionais de saúde.  Objetivos: Fornecer acesso rápido ao conhecimento científico por meio de publicações atuais e sistematicamente revisadas, visando apoiar a prática clínica para a qualificação do cuidado  Incorporar a Prática Baseada em Evidências no processo de trabalho dos profissionais, entendendo-a como importante movimento de mudança nas práticas assistenciais  Recursos:  periódicos nacionais e internacionais com textos completos e resumos;  ferramentas de referência clínica;  módulos de aprendizagem;  calculadoras médicas;  vídeos de aprendizagem;  aplicativos móveis 260.000 acessos/ano 80.900 usuários R$20 milhões Investimento 2014 2012 – Parceria CAPES/MEC 2015 – Parceria OPAS/OMS periodicos.saude.gov.br
  • 11. Portal Saúde Baseada em Evidências http://bit.ly/saudeevidencias
  • 12. Mídia social voltada para profissionais de saúde pública cuja proposta é promover, através da interatividade, a troca de relatos de experiências e a educação permanente, mobilizando os atores no território como agentes de mudança da qualidade de vida da população. • 60 mil acessos mensais • 38 mil usuários cadastrados • 5.000 relatos • 110 comunidades • Cursos EAD Comunidade de Práticas
  • 13. Educação Profissional Técnica de Nível Médio para a Saúde • Profissionais e trabalhadores técnicos de nível médio representam mais de 60% no setor da saúde, constituindo-se importante e significativa parcela da ação laboral no interior dos serviços que compõem a complexa rede assistencial do SUS. • Ações: • Formação profissional • Qualificação para o trabalho • Educação permanente em serviço • Acesso ao ensino regular com vistas ao aumento da escolaridade
  • 14. • Ofertar Cursos de Formação/Qualificação na área de saúde prioritariamente para trabalhadores e profissionais do SUS, oportunizando também vagas a comunidade; • Induzir a oferta de cursos de educação profissional técnica em saúde tendo por referência as necessidades derivadas das políticas, planos e programas da gestão em Saúde, ampliando o acesso e a qualidade do cuidado. Formação para o SUS e articulação com o PRONATEC Rede Federal de Educação Profissional Rede de Escolas Técnicas do SUS 40 Escolas: federal(1), estaduais (33) e municipais(6). 562 Unidades
  • 15.  Técnicos em Vigilância em Saúde  Técnicos em Saúde Bucal  Técnicos em Radiologia  Técnicos em Biodiagnóstico  Técnico em Órtese e Prótese  Agentes Comunitários de Saúde  Agente de Combate a Endemias  Formações Pós Técnico p/ Téc. Enfermagem Programa de Formação de Profissionais de Nível Médio para a Saúde – PROFAPS Cursos prioritários: (Redes e Programas Prioritários) (Pós Técnico p/ Radioterapia/Mamografia) (Análises Clinicas, Citopatologia e Hemoterapia)
  • 16. Necessidades Sociais em Saúde e desafios para o SUS • Transição epidemiológica; • Envelhecimento da população; • Iniqüidades em saúde: acesso e peso dos determinantes sociais; • Fragmentação do cuidado; • Desafios éticos/autonomia; • Necessidade de garantir qualidade e eficiência Sistema de Saúde vem em processo de modificação em sua estrutura e no seu modelo assistencial Mudanças na Graduação
  • 17. • Autorização de abertura baseada nas necessidades sociais; • Funcionamento dos cursos baseados nas novas DCN que fortalecem a Atenção Básica e médico generalista • Ampliação da integração ensino-serviço – Rede Saúde- Escola no SUS e Contratos organizativos; • Sistema Integrado de Avaliação com Avaliação de Progresso no 2º, 4º e 6º anos • Universalização do acesso a residência médica e mudanças nos itinerários formativos, ampliando a formação na atenção básica, urgências, saúde mental, atenção domiciliar. Mudanças na formação médica
  • 18. • 11,5 mil novas vagas de graduação até 2017; • 12,4 mil novas vagas de residência para formação de especialistas; • Interiorização da formação. Brasil sairá de 374 mil médicos para 600 mil médicos até 2016 Atingindo média de médicos por 1000 habitantes 2,7 Formação Médica Perspectivas
  • 19. Programa Mais Médicos Fonte: MEC – SERES /SESU - IBGE As vagas foram consideradas existentes a partir do ato autorizativo. Os dados populacionais foram baseados em dados do IBGE e suas projetções. *Contempla a previsão de autorização de vagas do primeiro edital. ** Contempla a previsão de vagas no segundo edital de municipios. Até 1994 1995 a 1998 1999 a 2002 2003 a 2006 2007 a 2010 2011 e 2012 2013 e 2014 2015 Previsão segundo edital CAPITAL 4884 5204 5954 7902 8532 8858 10561 10637 10637 INTERIOR 3878 4522 5454 6855 7875 8612 11563 14522 16409,2 2000 4000 6000 8000 10000 12000 14000 16000 18000 Título do Eixo Evolução das vagas de graduação autorizadas e previsão de expansão, por tipo de município. Formação Médica Evolução das Vagas de Graduação
  • 20. • Ações em andamento e em importante incremento para: • Formação para preceptores de graduação e residência; • Formação em docência • Mestrado Profissional para docentes e preceptores • Mestrado Acadêmico para pesquisa de elementos relacionados às qualificação da docência e integração ensino-serviço Formação de docentes
  • 21. • Grande investimento na Especialização com aproximadamente 50 mil profissionais formandos com recursos do Ministério da Saúde • Formação voltadas para desenvolver competências para cuidado à saúde da população e necessidades dos serviços de saúde • Desenvolvimento de Sistema de Formação e Reconhecimento de Competências para atuação nos serviços • Ampliação do investimento em Residências Multiprofissionais e Médicas Especialização e Residência Médica
  • 22. 22 Experiência prévia ou recente de compartilhamento de tarefas entre profissionais de saúde Australia New Zealand Canada Norway Chile Slovenia Finland Spain France Sweden Denmark Switzerland Ireland United Kingdom Netherlands United States Fonte: OCDE Health System Characteristics Survey (2013) Desafios de pensar a necessidade de profissionais para o Sistema de Saúde O Mundo inovando na formação e atuação dos profissionais de saúde
  • 23. Total: 6.575 bolsas Fonte: SisCNRMS/SESu/MEC - 2014 Residência em Área Profissional da Saúde (Multiprofissional e UniProfissional) – Bolsas
  • 24. • Edital conjunto SESu/SGTES • Prioridade para MGFC* 2010 2011 2012 2013 2014 2015 499 499 834 1789 2875 3461 785 1253 1803 2546 5497 6535 Evolução do Pró-Residência ( bolsas MS) Area Profissional Médica PROGRAMA MAIS MÉDICOS RESIDÊNCIA Edital para bolsas – Lançamento em Julho/15 *Avaliar outras especialidades conforme Mais Especialidades e regiões prioritárias
  • 25. • Qualificação da gestão do trabalho no SUS • Incentivo à inovação em práticas e projetos – que combinem investimento no e desenvolvimento do trabalhador e qualificação do serviços com foco nos usuários • Programas de desprecarização das relações de trabalhado • Democratização das relações de trabalho em saúde • Incentivo à implantação de carreiras no SUS • Protocolos da Mesa Nacional de Negociação • Regulação do trabalho Gestão do Trabalho
  • 26. • Qualificação da gestão do trabalho no SUS – Formação de gestores, equipes e trabalhadores em gestão do trabalho, negociação coletiva, melhoria das condições de trabalho e saúde dos trabalhadores – Protocolos da Mesa Nacional de Negociação – Gestão de conhecimento de experiências de sucesso – Sistema de informação para planejamento, monitoramento e avaliação da força de trabalho no SUS • Incentivo à inovação em práticas e projetos – Prêmio INOVASUS – Laboratório de Inovação Gestão do Trabalho
  • 27. • Democratização das relações de trabalho em saúde – Projetos de fomento à democratização das relações de trabalho e apoio aos projetos de desprecarização – Assessoria técnica e financeira com o objetivo de ampliar os espaços de negociação entre gestores e trabalhadores, com a instalação de Mesas e implementação de protocolos – Aprovação da Agenda Nacional do Trabalho Decente do SUS para a melhoria das condições de trabalho dos trabalhos do SUS e promoção do diálogo social, igualdade de oportunidades e combate a todas as formas de discriminação no local de trabalho Gestão do Trabalho
  • 28. • Programas de desprecarização das relações de trabalhado – Construção do Programa de Valorização, Formação, Regularização e Qualificação das Relações de Trabalho dos Agentes de Saúde • Incentivo à implantação de carreiras no SUS – Projetos estabelecidos com estados, municípios e regiões, com repasse de recursos e apoio técnico, para a implantação de carreiras públicas • Protocolos da Mesa Nacional de Negociação • Regulação do trabalho Gestão do Trabalho