SlideShare uma empresa Scribd logo
SAGA
Nórdica
Narrativa lendária
RANA
Tupi
À semelhança de
Histórias semelhantes a lendas
• Publicado em 1946;
• Contos modernistas;
• 9 novelas;
• Narrativas em 1ª e 3º
pessoa.
“Lá em cima daquela serra
Passa boi, passa boiada
Passa gente ruim e boa
Passa a minha namorada”
• Minas Gerais, sertão, bois, vaqueiros e ja-
gunços, o bem e o mal, e o amor.
• Minas Gerais, sertão, bois, vaqueiros e ja-
gunços, o bem e o mal, e o amor.
Papel importante
dentro da obra;
Espaço: Fazenda/ Córrego da Fome
• Apresentação do burro;
• Preparação para a vaqueirama;
• Trajetória;
• Chegada na cidade;
• Na volta para a Fazenda;
• Sete-de-Ouros;
• Major Saulo;
• Francolim;
• Badu;
• Etc.
Espaço: Tapera do Arraial
• Apresentação dos personagens;
• A partida de Lalino;
• Na capital;
• De volta à Minas.
• Lalino Salãthiel;
• Maria Rita;
• Major;
• Ramiro;
• Benigno;
Espaço: Vau da Sarapalha
• Abandono do povo/chegada da malária;
• Sobrado de Ribeiro;
• Conversa dos primos
• Reflexão e confissão de Argemiro;
• Expulsão da propriedade;
• Saída/ últimos momentos de ambos;
morte/malária;
Luísa.
• Primo Ribeiro;
• Pr. Argemiro;
• Cão Jiló;
Espaço: Arraial de Vista-Alegre
• Introdução;
• Traição de Cassiano Gomes e D. Silvana;
• Vingança de Turíbio Todo;
• Vinte-e-Um mata Turíbio;
• Turíbio Todo;
• Cassiano Gomes;
• Dona Silivana;
• Levindo;
• Vinte-e-Um;
• Emílio (narrador);
• Maria Irma;
• Ramiro Gouveia;
• Armanda.
Espaço: Calango Frito (centralizado no mato)
• 1ª pessoa;
• Misticismo/temor religioso;
• José x Mangolô;
• José/Izé;
• João Mangolô;
• Aurísio Manquitola;
• Etc.
• Manuel Fulô;
• Feiticeiro Antônico das Pedras-Àgua;
• Targino;
• Etc.
• “Os bichos falam?”;
• Manuel Timborna;
• Tiãozinho/ Agenor/ Bois
• Opressão bois x humanos/ Boi Rodopião;
• Sofrimento de Tiãozinho/bois;
• João Bala e a colina;
• Agenor cai no sono = morte e decapitação;
• Fim do sofrimento de ambos (carro contente).
Buscapé/ Brilhante
Dançador/ Realejo
Canindé/ Namorado
Capitão/ Brabagato
• Tiãozinho;
• Agenor Soronho;
• Pareias de bois;
• Boi Brilhante;
• Etc.
• Conto mais importante (FUVEST, UNICAMP, etc.);
• “Matraga não é nada”;
• Dionóra e Mimita > Ovídio Moura;
• Armação de Matraga;
• Casal de negros;
• Conversa, confissão e conversão;
• Tião de Theresa e Joãozinho Bem-Bem;
• Rala-Coco e ‘Hora e a Vez’.
• Augusto Matraga;
• Dionóra;
• Ovídio Moura;
• Mimita;
• Casal de negros;
• Gangue do Joãozinho Bem-Bem;
• Fim da Segunda Grande Guerra;
• Declaração dos direitos humanos;
• Tensão sobre a ameaça da Guerra Fria.
• Fim do Regime Vargas;
• Período de perseguições políticas/culturais;
• Investimento em industrialização.
• Surge a terceira geração modernista no
Brasil (referida como Geração de 45);
• Oposição aos excessos da Geração de 22;
• Tendências pós-Segunda Guerra;
• Valorização da linguagem;
• Regionalismo universal;
• Influências do Parnasianismo europeu.
• 3ª fase/Pós-Modernismo;
• Geração de 45;
• Texto em forma de prosa;
• Permanência realista do testemunho humano;
• A atração pelo transrreal;
• Redescoberta da linguagem;
• Capacidade criadora;
• Revitalizar recursos da expressão poética;
• Mito poético;
• Caráter regionalista;
• Natureza como agente ativo;
• Dramas humanos (indagações filosóficas);
João Guimarães
Rosa
(1908-1967)
Autor
• Natural de Cordisburgo-MG, 27 de junho de 1908
• Filho de um comerciante do centro-norte de Minas;
• Medicina em Belo Horizonte;
• Contato com o povo e cenário da região;
• Domínio em diversas línguas;
• Diplomata, trabalhando em vários países;
• Reconhecimento literário
• Morte em 1967, vítima de um enfarte.
• Destaque modernista;
• Criação de palavras, transformação/renovação radical da língua;
• Coloquialismo do sertão/palavras praticamente em desuso;
• Uso constante de onomatopéias e aliterações.
• Palavras como "refrio", "retrovão", "levantante", "desfalar", etc.,
ou frase brilhante como: "os passarinhos que bem-me-viam”
• Costumes sertanejos/paisagem enfocados sob todos os seus
aspectos, são mostrados como uma unidade, cheia de mistérios
e revelações em torno da vida;
Romances
Grande Sertão: Veredas (1956)
Contos
Sagarana (1946)
Corpo de Baile (1956)
Primeiras Estórias (1962)
Tutaméia – Terceira Estórias (1967)
• Universo mítico;
• Modernismo brasileiro;
• Linguagem de Guimarães (literat. roseana);
Questões de
Vestibular
a) os animais justiceiros, puxando um carro, fazem uma viagem que começa
com o transporte de uma carga de rapadura e um defunto e termina com
dois.
b) a viagem é tranqüila e nenhum incidente ocorre ao longo da jornada, nem
com os bois nem com os carreiros.
c) os bois conversam entre si e são compreendidos apenas por Tiãozinho,
guia mirim dos animais e que se torna cúmplice do episódio final da
narrativa.
d) a presença do mítico-lendário se dá na figura da irara, “tão séria e moça e
graciosa, que se fosse mulher só se chamaria Risoleta” e que acompanha a
viagem, escondida, até à cidade.
e) a linguagem narrativa é objetiva e direta e, no limite, desprovida de poesia
e de sensações sonoras e coloridas.
O conto Conversa de bois integra a obra Sagarana, de J. G.
Rosa. De seu enredo como um todo, pode afirmar-se que:
a) os animais justiceiros, puxando um carro, fazem uma viagem que começa
com o transporte de uma carga de rapadura e um defunto e termina com
dois.
a) Duelo
b) Corpo Fechado
c) A Volta do Marido Pródigo
d) Conversa de Bois
e) A Hora e Vez de Augusto
Matraga
“ – Estou no quase, mano velho... Morro, mas
morro na faca do homem mais maneiro de
junta e de mais coragem que eu já conheci!...
O conto em questão é:
a) Duelo
b) Corpo Fechado
c) A Volta do Marido Pródigo
d) Conversa de Bois
e) A Hora e Vez de Augusto
Matraga
Eu sempre lhe disse quem era bom mesmo, mano
velho... É só assim que gente como eu tem licença de
morrer... Quero acabar sendo amigo...” Os dois
duelantes revelam uma grandeza humana: a
“homência”, a valentia e, mesmo desafetos, admiram-
se por isso.
A) Procurar adaptar-se o melhor possível às forças adversas, que busca utilizar em benefí-
cio próprio.
B) Firmar um pacto com as potências mágicas que se ocultam atrás das aparências do mun-
do natural.
C) Combater frontalmente e sem concessões as atitudes dos homens, que considera confu-
sas e desarrazoadas.
D) Ignorar os perigos que o mundo apresenta, agindo como se eles não existissem.
E) Escolher a inação e a inércia, confiando inteiramente seu destino às forças do puro acaso
e da sorte.
...vestindo água, só saído o cimo do pescoço, o burrinho tinha de se
enqueixar para o alto, a salvar também de fora o focinho. Uma
peitada. Outro tacar de patas. Chu-áa! Chu-áa... – ruge o rio, como
chuva deitada no chão. Nenhuma pressa! Outra remada, vagarosa.
[...] E ir sem afã, à voga surda, amigo da água, bem com o escuro,
filho do fundo, poupando forças para o fim. Nada mais, nada de
graça; nem um arranco, fora de hora. Assim.
Em trecho anterior do mesmo conto, o narrador chama Sete-de-Ouros de "sábio". No ex-
certo, a "sabedoria" do burrinho consiste, principalmente, em:
A) Procurar adaptar-se o melhor possível às forças adversas, que busca utilizar em benefí-
cio próprio.
2009
Referências
SAGARANA. Editora
Nova Fronteira
[...]

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sagarana - Guimarães Rosa
Sagarana - Guimarães RosaSagarana - Guimarães Rosa
Sagarana - Guimarães Rosa
Daniele dos Santos Souza Onodera
 
Análise dos contos de Sagarana, de João Guimarães Rosa
Análise dos contos de Sagarana, de João Guimarães RosaAnálise dos contos de Sagarana, de João Guimarães Rosa
Análise dos contos de Sagarana, de João Guimarães Rosa
jasonrplima
 
Análise de o burrinho pedrês, de guimarães rosa
Análise de o burrinho pedrês, de guimarães rosaAnálise de o burrinho pedrês, de guimarães rosa
Análise de o burrinho pedrês, de guimarães rosa
ma.no.el.ne.ves
 
A hora e vez de augusto matraga
A hora e vez de augusto matragaA hora e vez de augusto matraga
A hora e vez de augusto matraga
João Antonio
 
Análise de sarapalha, de guimarães rosa
Análise de sarapalha, de guimarães rosaAnálise de sarapalha, de guimarães rosa
Análise de sarapalha, de guimarães rosa
ma.no.el.ne.ves
 
Guimarães rosa
Guimarães rosaGuimarães rosa
Guimarães rosa
Flavio Maia Custodio
 
A narrativa de joão guimarães rosa
A narrativa de joão guimarães rosaA narrativa de joão guimarães rosa
A narrativa de joão guimarães rosa
ma.no.el.ne.ves
 
Questões sobre sagarana
Questões sobre sagaranaQuestões sobre sagarana
Questões sobre sagarana
ma.no.el.ne.ves
 
CONFIRA A ATUALIZAÇÃO DESTA APRESENTAÇÃO EM https://www.slideshare.net/clauhe...
CONFIRA A ATUALIZAÇÃO DESTA APRESENTAÇÃO EM https://www.slideshare.net/clauhe...CONFIRA A ATUALIZAÇÃO DESTA APRESENTAÇÃO EM https://www.slideshare.net/clauhe...
CONFIRA A ATUALIZAÇÃO DESTA APRESENTAÇÃO EM https://www.slideshare.net/clauhe...
Cláudia Heloísa
 
Análise de o homem e sua hora
Análise de o homem e sua horaAnálise de o homem e sua hora
Análise de o homem e sua hora
ma.no.el.ne.ves
 
Til José de Alencar
Til José de AlencarTil José de Alencar
Til José de Alencar
Cláudia Heloísa
 
Iracema
IracemaIracema
Iracema
Joemille Leal
 
Quincas Borba
Quincas BorbaQuincas Borba
Quincas Borba
Cláudia Heloísa
 
Sagarana - material de estudo
Sagarana - material de estudoSagarana - material de estudo
Sagarana - material de estudo
rafabebum
 
Bernardim ribeiro
Bernardim ribeiroBernardim ribeiro
Bernardim ribeiro
Helena Coutinho
 
A poesia de joão cabral de melo neto
A poesia de joão cabral de melo netoA poesia de joão cabral de melo neto
A poesia de joão cabral de melo neto
ma.no.el.ne.ves
 
Contos gauchescos
Contos gauchescosContos gauchescos
Dom Casmurro
Dom CasmurroDom Casmurro
Dom Casmurro
Cláudia Heloísa
 
Iracema
IracemaIracema
Iracema
gueste624265
 
João simões lopes Neto
João simões lopes NetoJoão simões lopes Neto
João simões lopes Neto
Jucelaine Rodrigues
 

Mais procurados (20)

Sagarana - Guimarães Rosa
Sagarana - Guimarães RosaSagarana - Guimarães Rosa
Sagarana - Guimarães Rosa
 
Análise dos contos de Sagarana, de João Guimarães Rosa
Análise dos contos de Sagarana, de João Guimarães RosaAnálise dos contos de Sagarana, de João Guimarães Rosa
Análise dos contos de Sagarana, de João Guimarães Rosa
 
Análise de o burrinho pedrês, de guimarães rosa
Análise de o burrinho pedrês, de guimarães rosaAnálise de o burrinho pedrês, de guimarães rosa
Análise de o burrinho pedrês, de guimarães rosa
 
A hora e vez de augusto matraga
A hora e vez de augusto matragaA hora e vez de augusto matraga
A hora e vez de augusto matraga
 
Análise de sarapalha, de guimarães rosa
Análise de sarapalha, de guimarães rosaAnálise de sarapalha, de guimarães rosa
Análise de sarapalha, de guimarães rosa
 
Guimarães rosa
Guimarães rosaGuimarães rosa
Guimarães rosa
 
A narrativa de joão guimarães rosa
A narrativa de joão guimarães rosaA narrativa de joão guimarães rosa
A narrativa de joão guimarães rosa
 
Questões sobre sagarana
Questões sobre sagaranaQuestões sobre sagarana
Questões sobre sagarana
 
CONFIRA A ATUALIZAÇÃO DESTA APRESENTAÇÃO EM https://www.slideshare.net/clauhe...
CONFIRA A ATUALIZAÇÃO DESTA APRESENTAÇÃO EM https://www.slideshare.net/clauhe...CONFIRA A ATUALIZAÇÃO DESTA APRESENTAÇÃO EM https://www.slideshare.net/clauhe...
CONFIRA A ATUALIZAÇÃO DESTA APRESENTAÇÃO EM https://www.slideshare.net/clauhe...
 
Análise de o homem e sua hora
Análise de o homem e sua horaAnálise de o homem e sua hora
Análise de o homem e sua hora
 
Til José de Alencar
Til José de AlencarTil José de Alencar
Til José de Alencar
 
Iracema
IracemaIracema
Iracema
 
Quincas Borba
Quincas BorbaQuincas Borba
Quincas Borba
 
Sagarana - material de estudo
Sagarana - material de estudoSagarana - material de estudo
Sagarana - material de estudo
 
Bernardim ribeiro
Bernardim ribeiroBernardim ribeiro
Bernardim ribeiro
 
A poesia de joão cabral de melo neto
A poesia de joão cabral de melo netoA poesia de joão cabral de melo neto
A poesia de joão cabral de melo neto
 
Contos gauchescos
Contos gauchescosContos gauchescos
Contos gauchescos
 
Dom Casmurro
Dom CasmurroDom Casmurro
Dom Casmurro
 
Iracema
IracemaIracema
Iracema
 
João simões lopes Neto
João simões lopes NetoJoão simões lopes Neto
João simões lopes Neto
 

Semelhante a Sagarana - leitura obrigatória da FUVEST 2018

04 moderninso - romance d-30 - érico verissimo, guimarães rosa, clarisse li...
04   moderninso - romance d-30 - érico verissimo, guimarães rosa, clarisse li...04   moderninso - romance d-30 - érico verissimo, guimarães rosa, clarisse li...
04 moderninso - romance d-30 - érico verissimo, guimarães rosa, clarisse li...
0009222
 
Resumo do livro Clara dos Anjos, de Lima Barreto
Resumo do livro Clara dos Anjos, de Lima BarretoResumo do livro Clara dos Anjos, de Lima Barreto
Resumo do livro Clara dos Anjos, de Lima Barreto
PabloGabrielKdabra
 
LITERATURA PARA VESTIBULANDOS E CONCURSEIROS(3).pptx
LITERATURA  PARA VESTIBULANDOS E CONCURSEIROS(3).pptxLITERATURA  PARA VESTIBULANDOS E CONCURSEIROS(3).pptx
LITERATURA PARA VESTIBULANDOS E CONCURSEIROS(3).pptx
PabloGabrielKdabra
 
Lima Barreto
Lima BarretoLima Barreto
Lima Barreto
Cláudia Heloísa
 
Segundo momento modernista prosa
Segundo momento modernista  prosaSegundo momento modernista  prosa
Segundo momento modernista prosa
Ana Batista
 
Pre modernismo.lima&euclides
Pre modernismo.lima&euclidesPre modernismo.lima&euclides
Pre modernismo.lima&euclides
sandrahelenalmeida
 
Portugues - PRÉ-MODERNISMO. LICEU CUIABANO 3ºC
Portugues - PRÉ-MODERNISMO. LICEU CUIABANO 3ºCPortugues - PRÉ-MODERNISMO. LICEU CUIABANO 3ºC
Portugues - PRÉ-MODERNISMO. LICEU CUIABANO 3ºC
liceuterceiroc
 
Trabalho
Trabalho Trabalho
Trabalho
lais456
 
Modernismo – 2ª fase – Romance de 30
Modernismo – 2ª fase – Romance de 30Modernismo – 2ª fase – Romance de 30
Modernismo – 2ª fase – Romance de 30
CrisBiagio
 
Viagens na minha terra
Viagens na minha terraViagens na minha terra
Viagens na minha terra
rafabebum
 
Vidassecasdegracilianoramos 121019200211-phpapp02-160603022229
Vidassecasdegracilianoramos 121019200211-phpapp02-160603022229Vidassecasdegracilianoramos 121019200211-phpapp02-160603022229
Vidassecasdegracilianoramos 121019200211-phpapp02-160603022229
Cleyton Barbosa
 
Pré modernismo on line
Pré modernismo on linePré modernismo on line
Pré modernismo on line
andreguerra
 
Trabalho de literatura
Trabalho de literaturaTrabalho de literatura
Trabalho de literatura
Allan Gabriel
 
Trabalho de literatura
Trabalho de literaturaTrabalho de literatura
Trabalho de literatura
Allan Gabriel
 
Arcadismo brasileiro
Arcadismo brasileiroArcadismo brasileiro
Arcadismo brasileiro
Gabriella Lima
 
Vidas secas
Vidas secasVidas secas
Vidas secas
Edenilson Morais
 
Análise Mar Morto.ppt
Análise Mar Morto.pptAnálise Mar Morto.ppt
Análise Mar Morto.ppt
FabrcioFerreira32
 
1º resumo lp
1º resumo lp1º resumo lp
1º resumo lp
Ana Borges
 
Bibliografia Rachel de Queiroz (SLIDE)
Bibliografia Rachel de Queiroz (SLIDE)Bibliografia Rachel de Queiroz (SLIDE)
Bibliografia Rachel de Queiroz (SLIDE)
Universidade Federal de Roraima
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
Josi Motta
 

Semelhante a Sagarana - leitura obrigatória da FUVEST 2018 (20)

04 moderninso - romance d-30 - érico verissimo, guimarães rosa, clarisse li...
04   moderninso - romance d-30 - érico verissimo, guimarães rosa, clarisse li...04   moderninso - romance d-30 - érico verissimo, guimarães rosa, clarisse li...
04 moderninso - romance d-30 - érico verissimo, guimarães rosa, clarisse li...
 
Resumo do livro Clara dos Anjos, de Lima Barreto
Resumo do livro Clara dos Anjos, de Lima BarretoResumo do livro Clara dos Anjos, de Lima Barreto
Resumo do livro Clara dos Anjos, de Lima Barreto
 
LITERATURA PARA VESTIBULANDOS E CONCURSEIROS(3).pptx
LITERATURA  PARA VESTIBULANDOS E CONCURSEIROS(3).pptxLITERATURA  PARA VESTIBULANDOS E CONCURSEIROS(3).pptx
LITERATURA PARA VESTIBULANDOS E CONCURSEIROS(3).pptx
 
Lima Barreto
Lima BarretoLima Barreto
Lima Barreto
 
Segundo momento modernista prosa
Segundo momento modernista  prosaSegundo momento modernista  prosa
Segundo momento modernista prosa
 
Pre modernismo.lima&euclides
Pre modernismo.lima&euclidesPre modernismo.lima&euclides
Pre modernismo.lima&euclides
 
Portugues - PRÉ-MODERNISMO. LICEU CUIABANO 3ºC
Portugues - PRÉ-MODERNISMO. LICEU CUIABANO 3ºCPortugues - PRÉ-MODERNISMO. LICEU CUIABANO 3ºC
Portugues - PRÉ-MODERNISMO. LICEU CUIABANO 3ºC
 
Trabalho
Trabalho Trabalho
Trabalho
 
Modernismo – 2ª fase – Romance de 30
Modernismo – 2ª fase – Romance de 30Modernismo – 2ª fase – Romance de 30
Modernismo – 2ª fase – Romance de 30
 
Viagens na minha terra
Viagens na minha terraViagens na minha terra
Viagens na minha terra
 
Vidassecasdegracilianoramos 121019200211-phpapp02-160603022229
Vidassecasdegracilianoramos 121019200211-phpapp02-160603022229Vidassecasdegracilianoramos 121019200211-phpapp02-160603022229
Vidassecasdegracilianoramos 121019200211-phpapp02-160603022229
 
Pré modernismo on line
Pré modernismo on linePré modernismo on line
Pré modernismo on line
 
Trabalho de literatura
Trabalho de literaturaTrabalho de literatura
Trabalho de literatura
 
Trabalho de literatura
Trabalho de literaturaTrabalho de literatura
Trabalho de literatura
 
Arcadismo brasileiro
Arcadismo brasileiroArcadismo brasileiro
Arcadismo brasileiro
 
Vidas secas
Vidas secasVidas secas
Vidas secas
 
Análise Mar Morto.ppt
Análise Mar Morto.pptAnálise Mar Morto.ppt
Análise Mar Morto.ppt
 
1º resumo lp
1º resumo lp1º resumo lp
1º resumo lp
 
Bibliografia Rachel de Queiroz (SLIDE)
Bibliografia Rachel de Queiroz (SLIDE)Bibliografia Rachel de Queiroz (SLIDE)
Bibliografia Rachel de Queiroz (SLIDE)
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 

Mais de Luiz Felipe

"Chalé dos Geeks": Identidade Visual
"Chalé dos Geeks": Identidade Visual"Chalé dos Geeks": Identidade Visual
"Chalé dos Geeks": Identidade Visual
Luiz Felipe
 
Divisão das plantas: Angiospermas
Divisão das plantas: AngiospermasDivisão das plantas: Angiospermas
Divisão das plantas: Angiospermas
Luiz Felipe
 
O Cortiço - leitura obrigatória da FUVEST 2018
O Cortiço - leitura obrigatória da FUVEST 2018O Cortiço - leitura obrigatória da FUVEST 2018
O Cortiço - leitura obrigatória da FUVEST 2018
Luiz Felipe
 
Modernismo em Portugal - características e revistas Orpheu e Presença
Modernismo em Portugal - características e revistas Orpheu e PresençaModernismo em Portugal - características e revistas Orpheu e Presença
Modernismo em Portugal - características e revistas Orpheu e Presença
Luiz Felipe
 
Como ser um bom Cristão
Como ser um bom CristãoComo ser um bom Cristão
Como ser um bom Cristão
Luiz Felipe
 
Orientação Sexual: estereótipos, preconceito e discriminação
Orientação Sexual: estereótipos, preconceito e discriminaçãoOrientação Sexual: estereótipos, preconceito e discriminação
Orientação Sexual: estereótipos, preconceito e discriminação
Luiz Felipe
 
Nordeste: Geografia Física e Humana
Nordeste: Geografia Física e HumanaNordeste: Geografia Física e Humana
Nordeste: Geografia Física e Humana
Luiz Felipe
 
Cyberfenix: o local da Internet rápida e poderosa
Cyberfenix: o local da Internet rápida e poderosaCyberfenix: o local da Internet rápida e poderosa
Cyberfenix: o local da Internet rápida e poderosa
Luiz Felipe
 
Vanguardas Europeias: Dadaísmo
Vanguardas Europeias: DadaísmoVanguardas Europeias: Dadaísmo
Vanguardas Europeias: Dadaísmo
Luiz Felipe
 
Bluetooth
BluetoothBluetooth
Bluetooth
Luiz Felipe
 
Crimes Virtuais: Falsa Identidade
Crimes Virtuais: Falsa IdentidadeCrimes Virtuais: Falsa Identidade
Crimes Virtuais: Falsa Identidade
Luiz Felipe
 
Erros de Português
Erros de Português Erros de Português
Erros de Português
Luiz Felipe
 
Reutilizar é Criar: alternativas para o uso de pneus
Reutilizar é Criar: alternativas para o uso de pneusReutilizar é Criar: alternativas para o uso de pneus
Reutilizar é Criar: alternativas para o uso de pneus
Luiz Felipe
 
LGBTfobia: definição, casos, luta LGBT e Rio 2016
LGBTfobia: definição, casos, luta LGBT e Rio 2016LGBTfobia: definição, casos, luta LGBT e Rio 2016
LGBTfobia: definição, casos, luta LGBT e Rio 2016
Luiz Felipe
 
Telecine - história, canais, e muito mais!
Telecine - história, canais, e muito mais!Telecine - história, canais, e muito mais!
Telecine - história, canais, e muito mais!
Luiz Felipe
 

Mais de Luiz Felipe (15)

"Chalé dos Geeks": Identidade Visual
"Chalé dos Geeks": Identidade Visual"Chalé dos Geeks": Identidade Visual
"Chalé dos Geeks": Identidade Visual
 
Divisão das plantas: Angiospermas
Divisão das plantas: AngiospermasDivisão das plantas: Angiospermas
Divisão das plantas: Angiospermas
 
O Cortiço - leitura obrigatória da FUVEST 2018
O Cortiço - leitura obrigatória da FUVEST 2018O Cortiço - leitura obrigatória da FUVEST 2018
O Cortiço - leitura obrigatória da FUVEST 2018
 
Modernismo em Portugal - características e revistas Orpheu e Presença
Modernismo em Portugal - características e revistas Orpheu e PresençaModernismo em Portugal - características e revistas Orpheu e Presença
Modernismo em Portugal - características e revistas Orpheu e Presença
 
Como ser um bom Cristão
Como ser um bom CristãoComo ser um bom Cristão
Como ser um bom Cristão
 
Orientação Sexual: estereótipos, preconceito e discriminação
Orientação Sexual: estereótipos, preconceito e discriminaçãoOrientação Sexual: estereótipos, preconceito e discriminação
Orientação Sexual: estereótipos, preconceito e discriminação
 
Nordeste: Geografia Física e Humana
Nordeste: Geografia Física e HumanaNordeste: Geografia Física e Humana
Nordeste: Geografia Física e Humana
 
Cyberfenix: o local da Internet rápida e poderosa
Cyberfenix: o local da Internet rápida e poderosaCyberfenix: o local da Internet rápida e poderosa
Cyberfenix: o local da Internet rápida e poderosa
 
Vanguardas Europeias: Dadaísmo
Vanguardas Europeias: DadaísmoVanguardas Europeias: Dadaísmo
Vanguardas Europeias: Dadaísmo
 
Bluetooth
BluetoothBluetooth
Bluetooth
 
Crimes Virtuais: Falsa Identidade
Crimes Virtuais: Falsa IdentidadeCrimes Virtuais: Falsa Identidade
Crimes Virtuais: Falsa Identidade
 
Erros de Português
Erros de Português Erros de Português
Erros de Português
 
Reutilizar é Criar: alternativas para o uso de pneus
Reutilizar é Criar: alternativas para o uso de pneusReutilizar é Criar: alternativas para o uso de pneus
Reutilizar é Criar: alternativas para o uso de pneus
 
LGBTfobia: definição, casos, luta LGBT e Rio 2016
LGBTfobia: definição, casos, luta LGBT e Rio 2016LGBTfobia: definição, casos, luta LGBT e Rio 2016
LGBTfobia: definição, casos, luta LGBT e Rio 2016
 
Telecine - história, canais, e muito mais!
Telecine - história, canais, e muito mais!Telecine - história, canais, e muito mais!
Telecine - história, canais, e muito mais!
 

Último

Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
geiseortiz1
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
bmgrama
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Nertan Dias
 
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdfConcurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
TathyLopes1
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
GracinhaSantos6
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Demetrio Ccesa Rayme
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdfCopia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
davidreyes364666
 

Último (20)

Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
 
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdfConcurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdfCopia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
 

Sagarana - leitura obrigatória da FUVEST 2018

  • 1.
  • 3. • Publicado em 1946; • Contos modernistas; • 9 novelas; • Narrativas em 1ª e 3º pessoa.
  • 4. “Lá em cima daquela serra Passa boi, passa boiada Passa gente ruim e boa Passa a minha namorada” • Minas Gerais, sertão, bois, vaqueiros e ja- gunços, o bem e o mal, e o amor. • Minas Gerais, sertão, bois, vaqueiros e ja- gunços, o bem e o mal, e o amor. Papel importante dentro da obra;
  • 5.
  • 6. Espaço: Fazenda/ Córrego da Fome • Apresentação do burro; • Preparação para a vaqueirama; • Trajetória; • Chegada na cidade; • Na volta para a Fazenda;
  • 7. • Sete-de-Ouros; • Major Saulo; • Francolim; • Badu; • Etc.
  • 8.
  • 9. Espaço: Tapera do Arraial • Apresentação dos personagens; • A partida de Lalino; • Na capital; • De volta à Minas.
  • 10. • Lalino Salãthiel; • Maria Rita; • Major; • Ramiro; • Benigno;
  • 11.
  • 12. Espaço: Vau da Sarapalha • Abandono do povo/chegada da malária; • Sobrado de Ribeiro; • Conversa dos primos • Reflexão e confissão de Argemiro; • Expulsão da propriedade; • Saída/ últimos momentos de ambos; morte/malária; Luísa.
  • 13. • Primo Ribeiro; • Pr. Argemiro; • Cão Jiló;
  • 14.
  • 15. Espaço: Arraial de Vista-Alegre • Introdução; • Traição de Cassiano Gomes e D. Silvana; • Vingança de Turíbio Todo; • Vinte-e-Um mata Turíbio;
  • 16. • Turíbio Todo; • Cassiano Gomes; • Dona Silivana; • Levindo; • Vinte-e-Um;
  • 17.
  • 18. • Emílio (narrador); • Maria Irma; • Ramiro Gouveia; • Armanda.
  • 19.
  • 20. Espaço: Calango Frito (centralizado no mato) • 1ª pessoa; • Misticismo/temor religioso; • José x Mangolô;
  • 21. • José/Izé; • João Mangolô; • Aurísio Manquitola; • Etc.
  • 22.
  • 23. • Manuel Fulô; • Feiticeiro Antônico das Pedras-Àgua; • Targino; • Etc.
  • 24.
  • 25. • “Os bichos falam?”; • Manuel Timborna; • Tiãozinho/ Agenor/ Bois • Opressão bois x humanos/ Boi Rodopião; • Sofrimento de Tiãozinho/bois; • João Bala e a colina; • Agenor cai no sono = morte e decapitação; • Fim do sofrimento de ambos (carro contente). Buscapé/ Brilhante Dançador/ Realejo Canindé/ Namorado Capitão/ Brabagato
  • 26. • Tiãozinho; • Agenor Soronho; • Pareias de bois; • Boi Brilhante; • Etc.
  • 27.
  • 28. • Conto mais importante (FUVEST, UNICAMP, etc.); • “Matraga não é nada”; • Dionóra e Mimita > Ovídio Moura; • Armação de Matraga; • Casal de negros; • Conversa, confissão e conversão; • Tião de Theresa e Joãozinho Bem-Bem; • Rala-Coco e ‘Hora e a Vez’.
  • 29. • Augusto Matraga; • Dionóra; • Ovídio Moura; • Mimita; • Casal de negros; • Gangue do Joãozinho Bem-Bem;
  • 30.
  • 31. • Fim da Segunda Grande Guerra; • Declaração dos direitos humanos; • Tensão sobre a ameaça da Guerra Fria.
  • 32. • Fim do Regime Vargas; • Período de perseguições políticas/culturais; • Investimento em industrialização.
  • 33. • Surge a terceira geração modernista no Brasil (referida como Geração de 45); • Oposição aos excessos da Geração de 22;
  • 34. • Tendências pós-Segunda Guerra; • Valorização da linguagem; • Regionalismo universal; • Influências do Parnasianismo europeu.
  • 35.
  • 36. • 3ª fase/Pós-Modernismo; • Geração de 45; • Texto em forma de prosa;
  • 37. • Permanência realista do testemunho humano; • A atração pelo transrreal; • Redescoberta da linguagem;
  • 38. • Capacidade criadora; • Revitalizar recursos da expressão poética; • Mito poético;
  • 39. • Caráter regionalista; • Natureza como agente ativo; • Dramas humanos (indagações filosóficas);
  • 41. • Natural de Cordisburgo-MG, 27 de junho de 1908 • Filho de um comerciante do centro-norte de Minas; • Medicina em Belo Horizonte; • Contato com o povo e cenário da região; • Domínio em diversas línguas; • Diplomata, trabalhando em vários países; • Reconhecimento literário • Morte em 1967, vítima de um enfarte.
  • 42. • Destaque modernista; • Criação de palavras, transformação/renovação radical da língua; • Coloquialismo do sertão/palavras praticamente em desuso; • Uso constante de onomatopéias e aliterações. • Palavras como "refrio", "retrovão", "levantante", "desfalar", etc., ou frase brilhante como: "os passarinhos que bem-me-viam” • Costumes sertanejos/paisagem enfocados sob todos os seus aspectos, são mostrados como uma unidade, cheia de mistérios e revelações em torno da vida;
  • 43. Romances Grande Sertão: Veredas (1956) Contos Sagarana (1946) Corpo de Baile (1956) Primeiras Estórias (1962) Tutaméia – Terceira Estórias (1967)
  • 44. • Universo mítico; • Modernismo brasileiro; • Linguagem de Guimarães (literat. roseana);
  • 45.
  • 47. a) os animais justiceiros, puxando um carro, fazem uma viagem que começa com o transporte de uma carga de rapadura e um defunto e termina com dois. b) a viagem é tranqüila e nenhum incidente ocorre ao longo da jornada, nem com os bois nem com os carreiros. c) os bois conversam entre si e são compreendidos apenas por Tiãozinho, guia mirim dos animais e que se torna cúmplice do episódio final da narrativa. d) a presença do mítico-lendário se dá na figura da irara, “tão séria e moça e graciosa, que se fosse mulher só se chamaria Risoleta” e que acompanha a viagem, escondida, até à cidade. e) a linguagem narrativa é objetiva e direta e, no limite, desprovida de poesia e de sensações sonoras e coloridas. O conto Conversa de bois integra a obra Sagarana, de J. G. Rosa. De seu enredo como um todo, pode afirmar-se que: a) os animais justiceiros, puxando um carro, fazem uma viagem que começa com o transporte de uma carga de rapadura e um defunto e termina com dois.
  • 48. a) Duelo b) Corpo Fechado c) A Volta do Marido Pródigo d) Conversa de Bois e) A Hora e Vez de Augusto Matraga “ – Estou no quase, mano velho... Morro, mas morro na faca do homem mais maneiro de junta e de mais coragem que eu já conheci!... O conto em questão é: a) Duelo b) Corpo Fechado c) A Volta do Marido Pródigo d) Conversa de Bois e) A Hora e Vez de Augusto Matraga Eu sempre lhe disse quem era bom mesmo, mano velho... É só assim que gente como eu tem licença de morrer... Quero acabar sendo amigo...” Os dois duelantes revelam uma grandeza humana: a “homência”, a valentia e, mesmo desafetos, admiram- se por isso.
  • 49. A) Procurar adaptar-se o melhor possível às forças adversas, que busca utilizar em benefí- cio próprio. B) Firmar um pacto com as potências mágicas que se ocultam atrás das aparências do mun- do natural. C) Combater frontalmente e sem concessões as atitudes dos homens, que considera confu- sas e desarrazoadas. D) Ignorar os perigos que o mundo apresenta, agindo como se eles não existissem. E) Escolher a inação e a inércia, confiando inteiramente seu destino às forças do puro acaso e da sorte. ...vestindo água, só saído o cimo do pescoço, o burrinho tinha de se enqueixar para o alto, a salvar também de fora o focinho. Uma peitada. Outro tacar de patas. Chu-áa! Chu-áa... – ruge o rio, como chuva deitada no chão. Nenhuma pressa! Outra remada, vagarosa. [...] E ir sem afã, à voga surda, amigo da água, bem com o escuro, filho do fundo, poupando forças para o fim. Nada mais, nada de graça; nem um arranco, fora de hora. Assim. Em trecho anterior do mesmo conto, o narrador chama Sete-de-Ouros de "sábio". No ex- certo, a "sabedoria" do burrinho consiste, principalmente, em: A) Procurar adaptar-se o melhor possível às forças adversas, que busca utilizar em benefí- cio próprio. 2009
  • 50.