SlideShare uma empresa Scribd logo
O QUE É UMA REVOLUÇÃO ?
É uma mudança rápida e profunda que afeta as estruras de
uma sociedade.
Implica uma aceleração no ritmo das transformações
históricas.
A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
Mudança de uma economia de base agrícola e
artesanal para uma economia de base industrial e
mecanizada.
Conjunto de mudanças tecnológicas com profundo
impacto no processo produtivo em nível econômico,
social e cultural.
1ª FASE
Iniciou-se na Inglaterra;
Século XVIII (aproximadamente 1750);
Antes
Depois
ANTECEDENTES
Revolução Comercial
Burguesia no poder político e econômico
Investimentos em inovações tecnológicas
Acumulação de Capitais
Existência de Matérias-primas
Mão-de-obra Barata
Existência de Mercados Consumidores
Revolução Inglesa, regime liberal no poder, burguesia
Cercamentos = liberaram mão-de-obra e mecanizaram a
agricultura
Mão-de-obra barata abundante
Próspero comércio colonial
Infraestrutura naval e burguesia empreendedora
Ricas jazidas de carvão
Atinge demais países da Europa (França, Alemanha,
Itália, Holanda, Bélgica), Japão, Rússia e EUA;
Expandiu-se ao longo do século XIX (1850 a 1900);
Racionalização do trabalho:
- disciplina de horários (vários turnos);
- manutenção de um ritmo de trabalho;
- divisão do trabalho;
- especialização de tarefas;
Cresce a concorrência;
A indústria de bens de produção se desenvolve;
As ferrovias se expandem;
Surgem novas formas de energia - hidrelétrica e a
derivada do petróleo;
São criados o dínamo, o motor a combustão interna, o
telégrafo e o telefone.
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E NEOCOLONIALISMO
Primeira
Fase
Segunda
Fase
Material
Industrial Básico
FERRO AÇO
Principal Fonte
Energética
VAPOR ELETRICIDADE
PETRÓLEO
Setor
Predominante
TÊXTIL DIVERSIFICAÇÃO
DA PRODUÇÃO
(expansão)
CONSEQUÊNCIAS
Políticas:
Burguesia no poder, aplicação do Liberalismo;
“lassez faire, laissez passer”
(deixai fazer, deixar passar)
“plena igualdade de direito, desigualdade de fato”;
Sociedade baseada no dinheiro e na instrução;
Sociais:
Surgimento de gravíssimas questões sociais;
Jornada de trabalho de 15/16h por dia;
Salários miseráveis;
Péssimas condições de trabalho;
Habitações de péssimas condições;
Exploração do trabalho infantil e feminino;
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E NEOCOLONIALISMO
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E NEOCOLONIALISMO
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E NEOCOLONIALISMO
Econômicas:
“Fim da escravidão”;
Modo de produção capitalista se torna predominante;
IMPERIALISMO = busca de mercados para extrair
matérias-primas e vender manufaturados;
Inglaterra e França = impérios coloniais na Ásia e África
(partilha);
Conflitos (1ª guerra );
IMPERIALISMO E
NEOCOLONIALISMO
O acirramento da concorrência entre as potências
industrializadas;
O protecionismo exacerbado;
A política de expansão territorial e econômica;
Busca nova divisão econômica e política do mundo pelas
potências capitalistas em ascensão;
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E NEOCOLONIALISMO
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E NEOCOLONIALISMO
JUSTIFICATIVAS
As características biológicas da “raça branca” (Darwinismo
Social);
A fé religiosa (Cristianismo);
O desenvolvimento técnico e científico (Revolução
Industrial).
Busca de matéria-prima;
Conquista de mercados-consumidores;
Acomodação de excedentes populacionais
(secundário);
Estruturação de bases estratégicas (neutralizando a
concorrência).
CONSEQUÊNCIAS DO
NEOCOLONIALISMO
Desestruturação de sistemas produtivos locais;
Fome endêmica, miséria crônica;
Submissão econômica das regiões dominadas;
Agravamento de conflitos regionais;
Desenvolvimento de nações industrializadas;
Disputas imperialistas;
I Guerra Mundial.
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E NEOCOLONIALISMO

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Seminário de historia 2ª Revolução industrial
Seminário de historia  2ª Revolução industrial Seminário de historia  2ª Revolução industrial
Seminário de historia 2ª Revolução industrial
Wendell Junior
 
A Revolução Industrial
A Revolução IndustrialA Revolução Industrial
A Revolução Industrial
NBrunoFS
 
2015 revolução industrial
2015  revolução industrial2015  revolução industrial
2015 revolução industrial
MARIANO C7S
 
Revolucao Industrial parte I: Introdução
Revolucao Industrial parte I: Introdução Revolucao Industrial parte I: Introdução
Revolucao Industrial parte I: Introdução
Paulo Roberto
 
A 2ª Revolução Industrial
A 2ª Revolução IndustrialA 2ª Revolução Industrial
A 2ª Revolução Industrial
João Machado
 
Cap. 14 - Segunda Revolução Industrial
Cap. 14 - Segunda Revolução IndustrialCap. 14 - Segunda Revolução Industrial
Cap. 14 - Segunda Revolução Industrial
vbrizante
 
Revolucão Industrial
Revolucão IndustrialRevolucão Industrial
Revolucão Industrial
eiprofessor
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
Murilo Benevides
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Carlos Duarte Castanheira
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Anderson Torres
 
3 revolução industrial
3   revolução industrial3   revolução industrial
3 revolução industrial
Marilia Pimentel
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Acessa Esterina
 
Revolução industrial slide
Revolução industrial slideRevolução industrial slide
Revolução industrial slide
Hary Duarte
 
Aula de história; Introdução a revolução industrial
Aula de história; Introdução a revolução industrialAula de história; Introdução a revolução industrial
Aula de história; Introdução a revolução industrial
oms72
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
eduardodemiranda
 
A revolução industrial
A revolução industrialA revolução industrial
A revolução industrial
Francisco José Almeida Sobral
 
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
REVOLUÇÃO INDUSTRIALREVOLUÇÃO INDUSTRIAL
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
Franciny Wagner da Silva
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
Mariana Carniel
 
A Revolução industrial
A Revolução industrialA Revolução industrial
A Revolução industrial
Carlos Pinheiro
 
Segunda Revolução Industrial
Segunda Revolução IndustrialSegunda Revolução Industrial
Segunda Revolução Industrial
Francisco Neto
 

Mais procurados (20)

Seminário de historia 2ª Revolução industrial
Seminário de historia  2ª Revolução industrial Seminário de historia  2ª Revolução industrial
Seminário de historia 2ª Revolução industrial
 
A Revolução Industrial
A Revolução IndustrialA Revolução Industrial
A Revolução Industrial
 
2015 revolução industrial
2015  revolução industrial2015  revolução industrial
2015 revolução industrial
 
Revolucao Industrial parte I: Introdução
Revolucao Industrial parte I: Introdução Revolucao Industrial parte I: Introdução
Revolucao Industrial parte I: Introdução
 
A 2ª Revolução Industrial
A 2ª Revolução IndustrialA 2ª Revolução Industrial
A 2ª Revolução Industrial
 
Cap. 14 - Segunda Revolução Industrial
Cap. 14 - Segunda Revolução IndustrialCap. 14 - Segunda Revolução Industrial
Cap. 14 - Segunda Revolução Industrial
 
Revolucão Industrial
Revolucão IndustrialRevolucão Industrial
Revolucão Industrial
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
3 revolução industrial
3   revolução industrial3   revolução industrial
3 revolução industrial
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Revolução industrial slide
Revolução industrial slideRevolução industrial slide
Revolução industrial slide
 
Aula de história; Introdução a revolução industrial
Aula de história; Introdução a revolução industrialAula de história; Introdução a revolução industrial
Aula de história; Introdução a revolução industrial
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
A revolução industrial
A revolução industrialA revolução industrial
A revolução industrial
 
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
REVOLUÇÃO INDUSTRIALREVOLUÇÃO INDUSTRIAL
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
A Revolução industrial
A Revolução industrialA Revolução industrial
A Revolução industrial
 
Segunda Revolução Industrial
Segunda Revolução IndustrialSegunda Revolução Industrial
Segunda Revolução Industrial
 

Destaque

2ª GUERRA MUNDIAL
2ª GUERRA MUNDIAL2ª GUERRA MUNDIAL
2ª GUERRA MUNDIAL
Grazi Oliveira
 
Reforma e contra reforma religiosa
Reforma e contra reforma religiosaReforma e contra reforma religiosa
Reforma e contra reforma religiosa
Grazi Oliveira
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
Grazi Oliveira
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
joana71
 
Neocolonialismo afroasiático
Neocolonialismo afroasiáticoNeocolonialismo afroasiático
Neocolonialismo afroasiático
viviancostta
 
Pratica 4 -_sistemas_de_equacoes_lineares
Pratica 4 -_sistemas_de_equacoes_linearesPratica 4 -_sistemas_de_equacoes_lineares
Pratica 4 -_sistemas_de_equacoes_lineares
Marcos Azevedo
 
Segunda guerra mundial
Segunda guerra mundialSegunda guerra mundial
Segunda guerra mundial
paramore146
 
Revoluçao industrial
Revoluçao industrialRevoluçao industrial
Revoluçao industrial
Gean Bonatto
 
As Revoluções Inglesas e a Revolução Industrial
As Revoluções Inglesas e a Revolução Industrial As Revoluções Inglesas e a Revolução Industrial
As Revoluções Inglesas e a Revolução Industrial
Isaquel Silva
 
Aula revolução industrial
Aula revolução industrialAula revolução industrial
Aula revolução industrial
Marcos Azevedo
 
Expansão da revolução industrial
Expansão da revolução industrialExpansão da revolução industrial
Expansão da revolução industrial
maria40
 
história da sociologia
   história da sociologia   história da sociologia
história da sociologia
Colégio Basic e Colégio Imperatrice
 
Revolução industrial 1, 2 e 3
Revolução industrial 1, 2 e 3Revolução industrial 1, 2 e 3
Revolução industrial 1, 2 e 3
NAPNE
 
Revolucao industrial
Revolucao industrialRevolucao industrial
Revolucao industrial
marcusejoao
 
Resumo do livro o que é sociologia
Resumo do livro o que é sociologia  Resumo do livro o que é sociologia
Resumo do livro o que é sociologia
Maira Conde
 
História da sociologia
História da sociologiaHistória da sociologia
História da sociologia
Tiago Lacerda
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Edenilson Morais
 
Slides revolução industrial
Slides revolução industrialSlides revolução industrial
Slides revolução industrial
Maria Inês de Souza Vitorino Justino
 
Slide sociologia 1
Slide sociologia 1Slide sociologia 1
Slide sociologia 1
Over Lane
 

Destaque (19)

2ª GUERRA MUNDIAL
2ª GUERRA MUNDIAL2ª GUERRA MUNDIAL
2ª GUERRA MUNDIAL
 
Reforma e contra reforma religiosa
Reforma e contra reforma religiosaReforma e contra reforma religiosa
Reforma e contra reforma religiosa
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
Neocolonialismo afroasiático
Neocolonialismo afroasiáticoNeocolonialismo afroasiático
Neocolonialismo afroasiático
 
Pratica 4 -_sistemas_de_equacoes_lineares
Pratica 4 -_sistemas_de_equacoes_linearesPratica 4 -_sistemas_de_equacoes_lineares
Pratica 4 -_sistemas_de_equacoes_lineares
 
Segunda guerra mundial
Segunda guerra mundialSegunda guerra mundial
Segunda guerra mundial
 
Revoluçao industrial
Revoluçao industrialRevoluçao industrial
Revoluçao industrial
 
As Revoluções Inglesas e a Revolução Industrial
As Revoluções Inglesas e a Revolução Industrial As Revoluções Inglesas e a Revolução Industrial
As Revoluções Inglesas e a Revolução Industrial
 
Aula revolução industrial
Aula revolução industrialAula revolução industrial
Aula revolução industrial
 
Expansão da revolução industrial
Expansão da revolução industrialExpansão da revolução industrial
Expansão da revolução industrial
 
história da sociologia
   história da sociologia   história da sociologia
história da sociologia
 
Revolução industrial 1, 2 e 3
Revolução industrial 1, 2 e 3Revolução industrial 1, 2 e 3
Revolução industrial 1, 2 e 3
 
Revolucao industrial
Revolucao industrialRevolucao industrial
Revolucao industrial
 
Resumo do livro o que é sociologia
Resumo do livro o que é sociologia  Resumo do livro o que é sociologia
Resumo do livro o que é sociologia
 
História da sociologia
História da sociologiaHistória da sociologia
História da sociologia
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Slides revolução industrial
Slides revolução industrialSlides revolução industrial
Slides revolução industrial
 
Slide sociologia 1
Slide sociologia 1Slide sociologia 1
Slide sociologia 1
 

Semelhante a REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E NEOCOLONIALISMO

Revolução Industrial e o Espaço Geografico
Revolução Industrial e o Espaço GeograficoRevolução Industrial e o Espaço Geografico
Revolução Industrial e o Espaço Geografico
Gabriel Siqueira
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Marco Santos
 
Industrialização - Revoluções.ppt
Industrialização - Revoluções.pptIndustrialização - Revoluções.ppt
Industrialização - Revoluções.ppt
Igor da Silva
 
Slide revoluçao industrial - 1a fase
Slide revoluçao industrial - 1a faseSlide revoluçao industrial - 1a fase
Slide revoluçao industrial - 1a fase
Educador Lamarão
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Professor de História
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
ressurreicaorecreio
 
O Mundo Industrializado no século XIX e o Caso Português
O Mundo Industrializado no século XIX e o Caso PortuguêsO Mundo Industrializado no século XIX e o Caso Português
O Mundo Industrializado no século XIX e o Caso Português
Carlos Vieira
 
Revolução Industrial - www.carloszaranza.com
 Revolução Industrial - www.carloszaranza.com Revolução Industrial - www.carloszaranza.com
Revolução Industrial - www.carloszaranza.com
Carlos Zaranza
 
20061025082704 revolucaoindustrial 1
20061025082704 revolucaoindustrial 120061025082704 revolucaoindustrial 1
20061025082704 revolucaoindustrial 1
Lemos de Castro
 
[c7s]2011 revoluçao industrial
[c7s]2011 revoluçao industrial[c7s]2011 revoluçao industrial
[c7s]2011 revoluçao industrial
7 de Setembro
 
Revolucao Industrial
Revolucao IndustrialRevolucao Industrial
Revolucao Industrial
daniloeduardomiranda
 
Atividade 2 - 9º ano gabaritada
Atividade 2 - 9º ano gabaritadaAtividade 2 - 9º ano gabaritada
Atividade 2 - 9º ano gabaritada
Elisângela Martins Rodrigues
 
Transformações de um mundo industrial – desiguldades,
Transformações de um mundo industrial – desiguldades,Transformações de um mundo industrial – desiguldades,
Transformações de um mundo industrial – desiguldades,
Rodrigo Teixeira
 
1.2.a revolução industrial e o liberalismo econômico
1.2.a revolução industrial e o liberalismo econômico1.2.a revolução industrial e o liberalismo econômico
1.2.a revolução industrial e o liberalismo econômico
valdeck1
 
13
1313
Iluminismo-Revolução Industrial-Revolução Francesa-Napoleao.pptx
Iluminismo-Revolução Industrial-Revolução Francesa-Napoleao.pptxIluminismo-Revolução Industrial-Revolução Francesa-Napoleao.pptx
Iluminismo-Revolução Industrial-Revolução Francesa-Napoleao.pptx
ProfGaby2
 
revolução industrial
revolução industrialrevolução industrial
revolução industrial
Ana Batista
 
Industrialização e Imperialismo
Industrialização e ImperialismoIndustrialização e Imperialismo
Industrialização e Imperialismo
Paulo Alexandre
 
Capitalismo Financeiro
Capitalismo FinanceiroCapitalismo Financeiro
Capitalismo Financeiro
Ivanilson Lima
 
Capitalismo
CapitalismoCapitalismo
Capitalismo
raphaellaizabel
 

Semelhante a REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E NEOCOLONIALISMO (20)

Revolução Industrial e o Espaço Geografico
Revolução Industrial e o Espaço GeograficoRevolução Industrial e o Espaço Geografico
Revolução Industrial e o Espaço Geografico
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Industrialização - Revoluções.ppt
Industrialização - Revoluções.pptIndustrialização - Revoluções.ppt
Industrialização - Revoluções.ppt
 
Slide revoluçao industrial - 1a fase
Slide revoluçao industrial - 1a faseSlide revoluçao industrial - 1a fase
Slide revoluçao industrial - 1a fase
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
O Mundo Industrializado no século XIX e o Caso Português
O Mundo Industrializado no século XIX e o Caso PortuguêsO Mundo Industrializado no século XIX e o Caso Português
O Mundo Industrializado no século XIX e o Caso Português
 
Revolução Industrial - www.carloszaranza.com
 Revolução Industrial - www.carloszaranza.com Revolução Industrial - www.carloszaranza.com
Revolução Industrial - www.carloszaranza.com
 
20061025082704 revolucaoindustrial 1
20061025082704 revolucaoindustrial 120061025082704 revolucaoindustrial 1
20061025082704 revolucaoindustrial 1
 
[c7s]2011 revoluçao industrial
[c7s]2011 revoluçao industrial[c7s]2011 revoluçao industrial
[c7s]2011 revoluçao industrial
 
Revolucao Industrial
Revolucao IndustrialRevolucao Industrial
Revolucao Industrial
 
Atividade 2 - 9º ano gabaritada
Atividade 2 - 9º ano gabaritadaAtividade 2 - 9º ano gabaritada
Atividade 2 - 9º ano gabaritada
 
Transformações de um mundo industrial – desiguldades,
Transformações de um mundo industrial – desiguldades,Transformações de um mundo industrial – desiguldades,
Transformações de um mundo industrial – desiguldades,
 
1.2.a revolução industrial e o liberalismo econômico
1.2.a revolução industrial e o liberalismo econômico1.2.a revolução industrial e o liberalismo econômico
1.2.a revolução industrial e o liberalismo econômico
 
13
1313
13
 
Iluminismo-Revolução Industrial-Revolução Francesa-Napoleao.pptx
Iluminismo-Revolução Industrial-Revolução Francesa-Napoleao.pptxIluminismo-Revolução Industrial-Revolução Francesa-Napoleao.pptx
Iluminismo-Revolução Industrial-Revolução Francesa-Napoleao.pptx
 
revolução industrial
revolução industrialrevolução industrial
revolução industrial
 
Industrialização e Imperialismo
Industrialização e ImperialismoIndustrialização e Imperialismo
Industrialização e Imperialismo
 
Capitalismo Financeiro
Capitalismo FinanceiroCapitalismo Financeiro
Capitalismo Financeiro
 
Capitalismo
CapitalismoCapitalismo
Capitalismo
 

Último

Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
ArapiracaNoticiasFat
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
ProfessoraSilmaraArg
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Luzia Gabriele
 
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
Marcelo Botura
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
Manuais Formação
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 

Último (20)

Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
 
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 

REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E NEOCOLONIALISMO

  • 1. O QUE É UMA REVOLUÇÃO ? É uma mudança rápida e profunda que afeta as estruras de uma sociedade. Implica uma aceleração no ritmo das transformações históricas.
  • 2. A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL Mudança de uma economia de base agrícola e artesanal para uma economia de base industrial e mecanizada. Conjunto de mudanças tecnológicas com profundo impacto no processo produtivo em nível econômico, social e cultural.
  • 3. 1ª FASE Iniciou-se na Inglaterra; Século XVIII (aproximadamente 1750);
  • 6. ANTECEDENTES Revolução Comercial Burguesia no poder político e econômico Investimentos em inovações tecnológicas Acumulação de Capitais Existência de Matérias-primas Mão-de-obra Barata Existência de Mercados Consumidores
  • 7. Revolução Inglesa, regime liberal no poder, burguesia Cercamentos = liberaram mão-de-obra e mecanizaram a agricultura Mão-de-obra barata abundante Próspero comércio colonial Infraestrutura naval e burguesia empreendedora Ricas jazidas de carvão
  • 8. Atinge demais países da Europa (França, Alemanha, Itália, Holanda, Bélgica), Japão, Rússia e EUA; Expandiu-se ao longo do século XIX (1850 a 1900); Racionalização do trabalho: - disciplina de horários (vários turnos); - manutenção de um ritmo de trabalho; - divisão do trabalho; - especialização de tarefas;
  • 9. Cresce a concorrência; A indústria de bens de produção se desenvolve; As ferrovias se expandem; Surgem novas formas de energia - hidrelétrica e a derivada do petróleo; São criados o dínamo, o motor a combustão interna, o telégrafo e o telefone.
  • 11. Primeira Fase Segunda Fase Material Industrial Básico FERRO AÇO Principal Fonte Energética VAPOR ELETRICIDADE PETRÓLEO Setor Predominante TÊXTIL DIVERSIFICAÇÃO DA PRODUÇÃO (expansão)
  • 12. CONSEQUÊNCIAS Políticas: Burguesia no poder, aplicação do Liberalismo; “lassez faire, laissez passer” (deixai fazer, deixar passar) “plena igualdade de direito, desigualdade de fato”; Sociedade baseada no dinheiro e na instrução;
  • 13. Sociais: Surgimento de gravíssimas questões sociais; Jornada de trabalho de 15/16h por dia; Salários miseráveis; Péssimas condições de trabalho; Habitações de péssimas condições; Exploração do trabalho infantil e feminino;
  • 17. Econômicas: “Fim da escravidão”; Modo de produção capitalista se torna predominante; IMPERIALISMO = busca de mercados para extrair matérias-primas e vender manufaturados; Inglaterra e França = impérios coloniais na Ásia e África (partilha); Conflitos (1ª guerra );
  • 18. IMPERIALISMO E NEOCOLONIALISMO O acirramento da concorrência entre as potências industrializadas; O protecionismo exacerbado; A política de expansão territorial e econômica; Busca nova divisão econômica e política do mundo pelas potências capitalistas em ascensão;
  • 21. JUSTIFICATIVAS As características biológicas da “raça branca” (Darwinismo Social); A fé religiosa (Cristianismo); O desenvolvimento técnico e científico (Revolução Industrial).
  • 22. Busca de matéria-prima; Conquista de mercados-consumidores; Acomodação de excedentes populacionais (secundário); Estruturação de bases estratégicas (neutralizando a concorrência).
  • 23. CONSEQUÊNCIAS DO NEOCOLONIALISMO Desestruturação de sistemas produtivos locais; Fome endêmica, miséria crônica; Submissão econômica das regiões dominadas; Agravamento de conflitos regionais; Desenvolvimento de nações industrializadas; Disputas imperialistas; I Guerra Mundial.