SlideShare uma empresa Scribd logo
O DESPERTAR DE UM NOVO TEMPO

INTRODUÇÃO: Compreendendo as
causas da Revolução Francesa

Revolução burguesa;
marca a transição da Idade Moderna para a Idade
Contemporânea;
destruiu o chamado Antigo Regime;
extinguiu os resquícios feudais;
acabou com um modelo de organização política e
social baseada nos privilégios de nascimento e de
posição social
colocou a burguesia no poder.
DEFINIÇÃO
A França passava crise devastadora. Por que?
 Havia a existência de grupos privilegiados (clero,
nobreza e o próprio rei);
 esses grupos não pagam impostos;
 gastavam recursos públicos demasiadamente.
 Em contrapartida, os grupos sociais geradores de
riqueza (burguesia, trabalhadores urbanos e
camponeses);
 não possuíam privilégios;
 viviam esmagados por impostos e leis.
CONTEXTO HISTÓRICO


A sociedade francesa seguia a seguinte lógica:
 rígida hierarquia social, baseada na divisão de classes
(critério – nascimento);
 Sociedade estamental (sem mobilidade);
 Privilégios para o 1º e 2º Estados;
 Exploração total do 3º Estado que não participava da
política.
 Entenda a pirâmide a seguir:
A ORGANIZAÇÃO SOCIAL

PIRÂMIDE SOCIAL
Objetivo, características e resultados:
Solucionar a crise financeira da França
Formada, em sua maioria, com membros do 2º Estado
(nobreza);
As propostas do rei foram rechaçadas pelos nobres que
o ameaçam;
Como consequência, uma nova assembleia foi
realizada (Assembleia dos Estados Gerais) que
culminou no início da Revolução Francesa e na criação
de uma Assembleia Nacional Constituinte.
Assembleia dos Notáveis
 Reunião entre os três Estados para apontar soluções
acerca da profunda crise econômica.
 Cada Estado = 1 voto
 1º e 2º se aliaram = 2 votos X 3º Estado = 1 voto
 3º Estado responde Queda da Bastilha
Assembleia Nacional
Constituinte
Assembleia dos Estados Gerais

 Símbolo máximo da Revolução  queda do principal símbolo
do Absolutismo monárquico, símbolo da tirania e das
arbitrariedades do rei;
 A primeira vitória revolucionária demonstrou a possibilidade
de êxito contra o Antigo Regime;
Queda da Bastilha
Medidas:
 Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão
Principais pontos:
 liberdade, igualdade, inviolabilidade da propriedade;
 resistência à opressão política;
 direito à propriedade privada;
 o Poder Executivo caberia ao rei e o Poder Legislativo caberia à
Assembleia.
 Confiscou dos bens do clero.
Assembleia Nacional

Consequências da Assembleia:
Luís XVI tenta fugir da França para forma um
exército fora do país e invadir a França, mas
foi preso;
O exército austro-prussiano avançava rumo à
Paris – plano: contrarrevolução conspirada
pelo rei e pela aristocracia.
 No dia 20 de setembro de 1792 a República da França foi
proclamada, sendo governada por uma nova Assembleia
Nacional: a Convenção.
 As forças políticas internas mais importantes desse período
foram:
- Partido Girondino – representavam a alta burguesia.
- Partido Jacobino – representavam a pequena burguesia.
 Em 1793, o rei Luís XVI foi julgado na Convenção e
condenado à morte como traidor. O rei foi executado na
guilhotina em 21 de janeiro de 1793.
A Convenção

O Período do Terror e o Governo Jacobino
 Os jacobinos, liderados por Robespierre, assumem o poder
em 1792;
 Adotam medidas radicais, como:
 a imposição do Edito do Máximo: tabelamento dos preços
máximos.
 taxavam os ricos, obrigando-os a pagar mais impostos.
 implantam o Terror, executando todos os suspeitos de
discordarem de suas práticas.
 Em 1794, Robespierre foi deposto da Convenção.

Reação Termidoriana
 Em 1795, os girondinos assumem o poder, e as medidas
jacobinas são abolidas.
 Robespierre e outros jacobinos foram executados na
guilhotina.
 A Convenção começa a elaborar uma nova Constituição,
enquanto no sul e oeste do país surgia uma contrarrevolução
realista que pretendia tomar o poder em Paris, mas foi
repreendida por Napoleão. Em seguida a Convenção foi
dispensada.
A nova Constituição ficou pronta em 1795. A
Constituição estabelecia a continuidade do regime
republicano que seria controlado pelo Diretório,
formado por 5 membros eleitos pelo Legislativo. E era
duvidosa a possibilidade da consolidação da burguesia
através desse regime.
O Diretório perdurou até o ano de 1799, foi um
período conturbado marcado pelo desemprego e
corrupção e muitas revoltas, tanto das baixas camadas
quanto da aristocracia.
O Diretório

O general francês Napoleão Bonaparte, apoiado pela
burguesia e pelo exército, aplicou o Golpe do 18
Brumário que derrubou o Diretório e o Conselho
Legislativo, consolidando o poder da burguesia.
Napoleão implantou o Consulado marcando o fim
na Revolução Francesa.
O 18 Brumário

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

04 história a_revisões_módulo_4
04 história a_revisões_módulo_404 história a_revisões_módulo_4
04 história a_revisões_módulo_4
Vítor Santos
 
A revolução francesa
A revolução francesaA revolução francesa
A revolução francesa
cattonia
 
O Iluminismo, O Século das Luzes
O Iluminismo, O Século das LuzesO Iluminismo, O Século das Luzes
O Iluminismo, O Século das Luzes
Samara Coimbra
 
Novo ordenamento político e socioeconómico
Novo ordenamento político e socioeconómicoNovo ordenamento político e socioeconómico
Novo ordenamento político e socioeconómico
ricardup
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
edna2
 
Renascimento cultural
Renascimento culturalRenascimento cultural
Renascimento cultural
PROFºWILTONREIS
 
História 11ºano ( matéria do 1º período)
 História 11ºano ( matéria do 1º período) História 11ºano ( matéria do 1º período)
História 11ºano ( matéria do 1º período)
Andreia Pacheco
 
A hegemonia económica britânica
A hegemonia económica  britânicaA hegemonia económica  britânica
A hegemonia económica britânica
13_ines_silva
 
O iluminismo(Resumo)
O iluminismo(Resumo)O iluminismo(Resumo)
O iluminismo(Resumo)
JPedroSR
 
11 ha m5 u4
11 ha m5 u411 ha m5 u4
11 ha m5 u4
Carla Freitas
 
Mercantilismo
MercantilismoMercantilismo
Mercantilismo
cattonia
 
Brasil Período Joanino
Brasil Período JoaninoBrasil Período Joanino
Brasil Período Joanino
dmflores21
 
8. reforma e contra reforma
8. reforma e contra reforma8. reforma e contra reforma
8. reforma e contra reforma
José Augusto Fiorin
 
O despotismo esclarecido
O despotismo esclarecidoO despotismo esclarecido
O despotismo esclarecido
historiando
 
Revolução americana
Revolução americanaRevolução americana
Revolução americana
Susana Simões
 
10 OcupaçãO Holandesa
10 OcupaçãO Holandesa10 OcupaçãO Holandesa
10 OcupaçãO Holandesa
Renato Coutinho
 
Revoluções Burguesas - Inglaterra
Revoluções Burguesas -  InglaterraRevoluções Burguesas -  Inglaterra
Revoluções Burguesas - Inglaterra
Daniel Alves Bronstrup
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
Susana Simões
 
11 ha m4 u3 2
11 ha m4 u3 211 ha m4 u3 2
11 ha m4 u3 2
Carla Freitas
 
4 04 15_16 construção da modernidade europeia
4 04 15_16 construção da modernidade europeia4 04 15_16 construção da modernidade europeia
4 04 15_16 construção da modernidade europeia
Vítor Santos
 

Mais procurados (20)

04 história a_revisões_módulo_4
04 história a_revisões_módulo_404 história a_revisões_módulo_4
04 história a_revisões_módulo_4
 
A revolução francesa
A revolução francesaA revolução francesa
A revolução francesa
 
O Iluminismo, O Século das Luzes
O Iluminismo, O Século das LuzesO Iluminismo, O Século das Luzes
O Iluminismo, O Século das Luzes
 
Novo ordenamento político e socioeconómico
Novo ordenamento político e socioeconómicoNovo ordenamento político e socioeconómico
Novo ordenamento político e socioeconómico
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
 
Renascimento cultural
Renascimento culturalRenascimento cultural
Renascimento cultural
 
História 11ºano ( matéria do 1º período)
 História 11ºano ( matéria do 1º período) História 11ºano ( matéria do 1º período)
História 11ºano ( matéria do 1º período)
 
A hegemonia económica britânica
A hegemonia económica  britânicaA hegemonia económica  britânica
A hegemonia económica britânica
 
O iluminismo(Resumo)
O iluminismo(Resumo)O iluminismo(Resumo)
O iluminismo(Resumo)
 
11 ha m5 u4
11 ha m5 u411 ha m5 u4
11 ha m5 u4
 
Mercantilismo
MercantilismoMercantilismo
Mercantilismo
 
Brasil Período Joanino
Brasil Período JoaninoBrasil Período Joanino
Brasil Período Joanino
 
8. reforma e contra reforma
8. reforma e contra reforma8. reforma e contra reforma
8. reforma e contra reforma
 
O despotismo esclarecido
O despotismo esclarecidoO despotismo esclarecido
O despotismo esclarecido
 
Revolução americana
Revolução americanaRevolução americana
Revolução americana
 
10 OcupaçãO Holandesa
10 OcupaçãO Holandesa10 OcupaçãO Holandesa
10 OcupaçãO Holandesa
 
Revoluções Burguesas - Inglaterra
Revoluções Burguesas -  InglaterraRevoluções Burguesas -  Inglaterra
Revoluções Burguesas - Inglaterra
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
 
11 ha m4 u3 2
11 ha m4 u3 211 ha m4 u3 2
11 ha m4 u3 2
 
4 04 15_16 construção da modernidade europeia
4 04 15_16 construção da modernidade europeia4 04 15_16 construção da modernidade europeia
4 04 15_16 construção da modernidade europeia
 

Destaque

Apresentação A Revolução Francesa 1314
Apresentação A Revolução Francesa 1314Apresentação A Revolução Francesa 1314
Apresentação A Revolução Francesa 1314
Laboratório de História
 
Revolução Americana
Revolução AmericanaRevolução Americana
Revolução Americana
Claudenilson da Silva
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
Naiani Fenalti
 
Revolução Francesa - Do Absolutismo à Queda da Bastilha
Revolução Francesa - Do Absolutismo à Queda da BastilhaRevolução Francesa - Do Absolutismo à Queda da Bastilha
Revolução Francesa - Do Absolutismo à Queda da Bastilha
Luiz Valentim
 
A revolução francesa em imagens
A revolução francesa em imagensA revolução francesa em imagens
A revolução francesa em imagens
Anderson Torres
 
Rev americana 11º d
Rev americana  11º dRev americana  11º d
Rev americana 11º d
Carla Teixeira
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
crie_historia8
 
Revolução Americana
Revolução AmericanaRevolução Americana
Revolução Americana
Maria Costa
 
Revolução americana
Revolução americanaRevolução americana
Revolução americana
diogovalesousa8
 
Revolução Americana
Revolução AmericanaRevolução Americana
Revolução Americana
Joanasoph
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
Lucas Nunes de Souza
 
A Revolução Americana
A Revolução Americana   A Revolução Americana
A Revolução Americana
Susana Simões
 
Slides revolução francesa
Slides revolução francesaSlides revolução francesa
Slides revolução francesa
profalced04
 
Slide revolução francesa
Slide revolução francesaSlide revolução francesa
Slide revolução francesa
Isabel Aguiar
 

Destaque (14)

Apresentação A Revolução Francesa 1314
Apresentação A Revolução Francesa 1314Apresentação A Revolução Francesa 1314
Apresentação A Revolução Francesa 1314
 
Revolução Americana
Revolução AmericanaRevolução Americana
Revolução Americana
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
Revolução Francesa - Do Absolutismo à Queda da Bastilha
Revolução Francesa - Do Absolutismo à Queda da BastilhaRevolução Francesa - Do Absolutismo à Queda da Bastilha
Revolução Francesa - Do Absolutismo à Queda da Bastilha
 
A revolução francesa em imagens
A revolução francesa em imagensA revolução francesa em imagens
A revolução francesa em imagens
 
Rev americana 11º d
Rev americana  11º dRev americana  11º d
Rev americana 11º d
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
Revolução Americana
Revolução AmericanaRevolução Americana
Revolução Americana
 
Revolução americana
Revolução americanaRevolução americana
Revolução americana
 
Revolução Americana
Revolução AmericanaRevolução Americana
Revolução Americana
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
 
A Revolução Americana
A Revolução Americana   A Revolução Americana
A Revolução Americana
 
Slides revolução francesa
Slides revolução francesaSlides revolução francesa
Slides revolução francesa
 
Slide revolução francesa
Slide revolução francesaSlide revolução francesa
Slide revolução francesa
 

Semelhante a Revolução francesa versão atual

Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
Valkuiria Andrade
 
Revolucao francesa-versao-atual
Revolucao francesa-versao-atualRevolucao francesa-versao-atual
Revolucao francesa-versao-atual
Nadja Dócio
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
Débora Rodrigues
 
Revolução Francesa e Era Napoleônica - Revisão.pptx
Revolução Francesa e Era Napoleônica - Revisão.pptxRevolução Francesa e Era Napoleônica - Revisão.pptx
Revolução Francesa e Era Napoleônica - Revisão.pptx
ProfElessandraMara
 
Revolução Francesa
Revolução Francesa  Revolução Francesa
Revolução Francesa
SarahTelesDiogo
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
Janayna Lira
 
Historiando sob divesos olhares
Historiando sob divesos olharesHistoriando sob divesos olhares
Historiando sob divesos olhares
Janayna Lira
 
Revolução Francesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução  Francesa - Prof. Altair AguilarRevolução  Francesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução Francesa - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
alunoitv
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
Leide Soares Matoso
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
Leide Soares Matoso
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
Leide Soares Matoso
 
REVOLUÇÃO FRANCESA
REVOLUÇÃO FRANCESAREVOLUÇÃO FRANCESA
REVOLUÇÃO FRANCESA
FelipeBicudo1
 
Aula Revolução Francesa 2
Aula Revolução Francesa   2Aula Revolução Francesa   2
Aula Revolução Francesa 2
seixasmarianas
 
Revolução francesa (aula)
Revolução francesa  (aula)Revolução francesa  (aula)
Revolução francesa (aula)
OAB (Brazilian Order of Advocates)
 
Roteiro de Aula - Da Revolução Francesa ao Imperialismo do Séc. XIX
Roteiro de Aula - Da Revolução Francesa ao Imperialismo do Séc. XIXRoteiro de Aula - Da Revolução Francesa ao Imperialismo do Séc. XIX
Roteiro de Aula - Da Revolução Francesa ao Imperialismo do Séc. XIX
josafaslima
 
Revol 130802122944-phpapp02 (1)
Revol 130802122944-phpapp02 (1)Revol 130802122944-phpapp02 (1)
Revol 130802122944-phpapp02 (1)
MarlenePrado7
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
Janayna Lira
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
Historia2000
 

Semelhante a Revolução francesa versão atual (20)

Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
Revolucao francesa-versao-atual
Revolucao francesa-versao-atualRevolucao francesa-versao-atual
Revolucao francesa-versao-atual
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
Revolução Francesa e Era Napoleônica - Revisão.pptx
Revolução Francesa e Era Napoleônica - Revisão.pptxRevolução Francesa e Era Napoleônica - Revisão.pptx
Revolução Francesa e Era Napoleônica - Revisão.pptx
 
Revolução Francesa
Revolução Francesa  Revolução Francesa
Revolução Francesa
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
 
Historiando sob divesos olhares
Historiando sob divesos olharesHistoriando sob divesos olhares
Historiando sob divesos olhares
 
Revolução Francesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução  Francesa - Prof. Altair AguilarRevolução  Francesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução Francesa - Prof. Altair Aguilar
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
REVOLUÇÃO FRANCESA
REVOLUÇÃO FRANCESAREVOLUÇÃO FRANCESA
REVOLUÇÃO FRANCESA
 
Aula Revolução Francesa 2
Aula Revolução Francesa   2Aula Revolução Francesa   2
Aula Revolução Francesa 2
 
Revolução francesa (aula)
Revolução francesa  (aula)Revolução francesa  (aula)
Revolução francesa (aula)
 
Roteiro de Aula - Da Revolução Francesa ao Imperialismo do Séc. XIX
Roteiro de Aula - Da Revolução Francesa ao Imperialismo do Séc. XIXRoteiro de Aula - Da Revolução Francesa ao Imperialismo do Séc. XIX
Roteiro de Aula - Da Revolução Francesa ao Imperialismo do Séc. XIX
 
Revol 130802122944-phpapp02 (1)
Revol 130802122944-phpapp02 (1)Revol 130802122944-phpapp02 (1)
Revol 130802122944-phpapp02 (1)
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 

Último

Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
WelberMerlinCardoso
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 

Último (20)

Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 

Revolução francesa versão atual

  • 1. O DESPERTAR DE UM NOVO TEMPO
  • 3.  Revolução burguesa; marca a transição da Idade Moderna para a Idade Contemporânea; destruiu o chamado Antigo Regime; extinguiu os resquícios feudais; acabou com um modelo de organização política e social baseada nos privilégios de nascimento e de posição social colocou a burguesia no poder. DEFINIÇÃO
  • 4. A França passava crise devastadora. Por que?  Havia a existência de grupos privilegiados (clero, nobreza e o próprio rei);  esses grupos não pagam impostos;  gastavam recursos públicos demasiadamente.  Em contrapartida, os grupos sociais geradores de riqueza (burguesia, trabalhadores urbanos e camponeses);  não possuíam privilégios;  viviam esmagados por impostos e leis. CONTEXTO HISTÓRICO
  • 5.
  • 6.  A sociedade francesa seguia a seguinte lógica:  rígida hierarquia social, baseada na divisão de classes (critério – nascimento);  Sociedade estamental (sem mobilidade);  Privilégios para o 1º e 2º Estados;  Exploração total do 3º Estado que não participava da política.  Entenda a pirâmide a seguir: A ORGANIZAÇÃO SOCIAL
  • 8. Objetivo, características e resultados: Solucionar a crise financeira da França Formada, em sua maioria, com membros do 2º Estado (nobreza); As propostas do rei foram rechaçadas pelos nobres que o ameaçam; Como consequência, uma nova assembleia foi realizada (Assembleia dos Estados Gerais) que culminou no início da Revolução Francesa e na criação de uma Assembleia Nacional Constituinte. Assembleia dos Notáveis
  • 9.  Reunião entre os três Estados para apontar soluções acerca da profunda crise econômica.  Cada Estado = 1 voto  1º e 2º se aliaram = 2 votos X 3º Estado = 1 voto  3º Estado responde Queda da Bastilha Assembleia Nacional Constituinte Assembleia dos Estados Gerais
  • 10.   Símbolo máximo da Revolução  queda do principal símbolo do Absolutismo monárquico, símbolo da tirania e das arbitrariedades do rei;  A primeira vitória revolucionária demonstrou a possibilidade de êxito contra o Antigo Regime; Queda da Bastilha
  • 11. Medidas:  Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão Principais pontos:  liberdade, igualdade, inviolabilidade da propriedade;  resistência à opressão política;  direito à propriedade privada;  o Poder Executivo caberia ao rei e o Poder Legislativo caberia à Assembleia.  Confiscou dos bens do clero. Assembleia Nacional
  • 12.  Consequências da Assembleia: Luís XVI tenta fugir da França para forma um exército fora do país e invadir a França, mas foi preso; O exército austro-prussiano avançava rumo à Paris – plano: contrarrevolução conspirada pelo rei e pela aristocracia.
  • 13.  No dia 20 de setembro de 1792 a República da França foi proclamada, sendo governada por uma nova Assembleia Nacional: a Convenção.  As forças políticas internas mais importantes desse período foram: - Partido Girondino – representavam a alta burguesia. - Partido Jacobino – representavam a pequena burguesia.  Em 1793, o rei Luís XVI foi julgado na Convenção e condenado à morte como traidor. O rei foi executado na guilhotina em 21 de janeiro de 1793. A Convenção
  • 14.  O Período do Terror e o Governo Jacobino  Os jacobinos, liderados por Robespierre, assumem o poder em 1792;  Adotam medidas radicais, como:  a imposição do Edito do Máximo: tabelamento dos preços máximos.  taxavam os ricos, obrigando-os a pagar mais impostos.  implantam o Terror, executando todos os suspeitos de discordarem de suas práticas.  Em 1794, Robespierre foi deposto da Convenção.
  • 15.  Reação Termidoriana  Em 1795, os girondinos assumem o poder, e as medidas jacobinas são abolidas.  Robespierre e outros jacobinos foram executados na guilhotina.  A Convenção começa a elaborar uma nova Constituição, enquanto no sul e oeste do país surgia uma contrarrevolução realista que pretendia tomar o poder em Paris, mas foi repreendida por Napoleão. Em seguida a Convenção foi dispensada.
  • 16. A nova Constituição ficou pronta em 1795. A Constituição estabelecia a continuidade do regime republicano que seria controlado pelo Diretório, formado por 5 membros eleitos pelo Legislativo. E era duvidosa a possibilidade da consolidação da burguesia através desse regime. O Diretório perdurou até o ano de 1799, foi um período conturbado marcado pelo desemprego e corrupção e muitas revoltas, tanto das baixas camadas quanto da aristocracia. O Diretório
  • 17.  O general francês Napoleão Bonaparte, apoiado pela burguesia e pelo exército, aplicou o Golpe do 18 Brumário que derrubou o Diretório e o Conselho Legislativo, consolidando o poder da burguesia. Napoleão implantou o Consulado marcando o fim na Revolução Francesa. O 18 Brumário