SlideShare uma empresa Scribd logo
A Revolução Francesa
(1789 – 1799)
Profª Janayna Lira
Nome dado ao conjunto de acontecimentos
ocorridos entre 1789 e 1799 que
alteraram o quadro político e social da França.
É considerada um dos grandes acontecimentos
que marcaram a superação do Feudalismo pelo
Capitalismo e a ascensão da burguesia no âmbito
político francês.
Foi influenciada pelos ideais do Iluminismo e da
Independência Americana (1776).
Além disso, é o marco divisório entre as Idades
Moderna e Contemporânea.
Aboliu a servidão e os direitos feudais na França e
proclamou os princípios universais de
"Liberdade, Igualdade e Fraternidade”
É considerada uma Revolução
por ter dinamitado as bases
do Antigo Regime na Europa,
servindo de inspiração para outros
países absolutistas iniciarem
processos semelhantes, mas
nenhum teve a magnitude do
movimento francês.
Fases da Revolução
Os Estados Gerais (1789)
A Assembléia (1789 - 1792)
A Convenção (1792 – 1795)
O Diretório (1795 – 1799)
No processo da Revolução, a França passaria por
diversos tipos de governo: monarquia
constitucional, República, ditadura.
A estrutura anterior à Revolução
 Política: Absolutismo monárquico
 Economia: Basicamente agrária
• Maior parte das propriedades eram feudais
• Escassez de alimentos – agravada por intempéries
nas últimas décadas do século XVIII.
• Precária industrialização
 Grande déficit público
• Sustentação de numerosa corte (+ - 400 mil pessoas)
• Guerras no estrangeiro
• Ausência de política produtiva
“Tudo conspira para que o momento atual se torne
crítico na França; a todo momento chegam das
províncias notícias sobre rebeliões, desordens e a
necessidade de recorrer às tropas para manter a
paz (...) No dia do mercado assisti à venda do trigo.
Um grupo de soldados ficara no meio da praça, para
impedir qualquer violência. O povo discutia com os
padeiros, argumentando que o preço que pediam
pelo pão era muito alto em relação ao preço do
trigo; das injúrias passou-se à agressão e, neste
tumulto, alguns levaram pão e trigo sem pagar
nada”.
Relato de A. Young, viajante inglês, às vésperas da Revolução.
 Sociedade
• Caráter estamental (sociedade de ordens)
• Critério: nascimento
Panorâmica do Castelo
SociedadeSociedade dividida em Estadosdividida em Estados
 1º Estado: Clero (cerca de 120 mil, pessoas ou 1% da população)
 Alto Clero – aristocrático
 Baixo Clero – popularizado
excluído da participação política
irá aderir à revolução
 2º Estado: Nobreza (cerca de 350 mil pessoas ou 2% da população)
 Parasitária
 3º Estado: Povo (cerca de 24 milhões de pessoas ou 97% da população)
 97% da população
 Impostos, produção.
 Sem participação política
 Incluía a Burguesia
Sociedade estamental
Primeira Estado:
Clero
Segundo Estado:
Nobreza
Terceiro Estado:
burguesia, sans-
cullotes,
camponeses, etc.
Classes
privilegia
das: não
pagavam
tributos
Os estamentos
97%
2%
1% 1º ESTADO: CLERO
2º ESTADO: NOBREZA
3º ESTADO:
BURGUESIA +
CAMPONESES +
SANS CULOTES:
Os sans-culottes eram artesãos, trabalhadores e até
pequenos proprietários que viviam nos arredores de Paris.
Recebiam esse nome porque não usavam os elegantes
calções que a nobreza vestia, mas uma calça de algodão
grosseira.
Revolução francesa
O Palácio de
Vesalhes
Desde 1774 o país era
governado por Luís XVI.
Distante dos interesses da
população, ele governava o
país no palácio de
Versalhes. Para manter o
luxo do palácio e de seus
membros eram cobrados
vultosos impostos da
população mais pobre.
Considerado um dos
maiores do mundo, o
Palácio possui 2.153
janelas, 67 escadas, 352
chaminés, 700 quartos,
1.250 lareiras e 700
hectares de parque.
Panorâmica do Castelo
As insatisfações e tensões políticas
levam ao início da Revolução
Os Estados Gerais eram uma espécie de Parlamento formado
por representantes dos três estados. No entanto, o critério
de votação estabelecido dava a cada um deles um voto.
Apesar de contar com vários membros, o terceiro estado
era vencido pelos interesses comuns do primeiro e
segundo estados, o que causava insatisfação.
Assim, era interesse do terceiro estado que a forma de
votação fosse mudada, onde a votação seria feita por
cabeça, o que lhe daria chances de conseguir vitória dos
seus anseios.
Diante da crise vivida, a solução seria a cobrança de
impostos dos Primeiro e Segundo Estados, o que não foi
aceito por estes – Assembléia dos Notáveis, 1787.
Os Estados Gerais (1789)
 Luís XVI convoca os Estados Gerais
 Tentativa de promover mudanças tributárias
 Composto por representantes dos três estados.
 Primeiro e Segundo Estados X Terceiro Estado
Os Estados
Gerais
Clero = 291
Nobreza = 327
3º Estado = 578
A Assembléia (1789 – 1791)
 Terceiro Estado se retira em protesto
 Proclama-se Assembléia Nacional Constituinte
 Exército colocado de prontidão
 População apoia a Assembléia.
 Tomada da Bastilha
 Marco da Revolução Francesa
Juramento da Péla
Sessão
inaugural dos
Estados Gerais
A Queda da
Bastilha
14/07/1789
Milhares de pessoas
saíram às ruas de
Paris e invadiram a
Bastilha (símbolo do
poder absoluto do
rei), antiga prisão
política do Antigo
Regime.
O Grande Medo
Onda de
saques e
destruição.
Propriedades
feudais,
castelos e
cartórios
queimados.
Assembléia (cont.)
 Assembléia aprova
 Abolição dos privilégios feudais e fim da servidão
 Confisco das propriedades feudais => promessa de
reforma Agrária
 Aristocracia foge para a Áustria e Prússia.
 Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão
DECLARAÇÃO DOS DIREITOS DO HOMEM E DO
CIDADÃO
Redigida pelos
representantes do
TERCEIRO ESTADO
Os homens nascem e
devem permanecer
livres e iguais perante a
lei
A liberdade individual
e os direitos do homem
devem ser garantidos
Constituição Civil do Clero (1790)
 Igreja afastada do poder
 Religiosos transformados em funcionários
públicos.
 Confisco dos bens da Igreja
 Cisão do clero: o Baixo Clero jura a Constituição e
adere à Revolução. O Alto Clero não aceita a
Constituição e emigra para Áustria e Prússia;
unem-se a outros emigrados e recebem o apoio
dos governos locais e da Inglaterra, articulando a
Contrarrevolução.
Assembléia (cont.)
 Aprovada a Constituição (1791)
 Três Poderes
 Voto censitário
 Confisco de propriedades e tesouros da Igreja
 Instituição de impostos e taxas para a nobreza
 Instituição de uma única lei para todos os cidadãos
franceses.
 Manutenção da monarquia como forma de governo
 Fim do Absolutismo: Monarquia Constitucional
É interessante notar que a situação
do povo não mudou com a
Revolução, quem realmente obteve
mudanças significativas foram os
burgueses, que passaram a
controlar a política nacional.
A reação absolutista
 Áustria e Prússia declaram guerra a França
 Objetivo: Impedir o avanço dos ideais
revolucionários pela Europa (Apoio da Inglaterra)
 Luis XVI tenta fugir para a Áustria
 Capturado e levado preso para Paris
 Mobilização popular
 Vitória Francesa
 Proclamação da República (Convenção)
 Luis XVI guilhotinado (1793)
PRISÃO DA FAMILIA REAL
&
CONTRARREVOLUÇÃO
EXECUÇÃO DE LUÍS XVI
A guilhotina
A guilhotina era um
instrumento utilizado para
decapitar, isto é, cortar a
cabeça dos condenados. Ela
foi aprimorada na época da
Revolução Francesa com o
objetivo de tornar a execução
do condenado mais rápida e
indolor. Além disso, a
decapitação era vista, naquela
época, como uma forma
nobre de morrer. A pena de
morte e o uso da guilhotina
vigoraram na França muitos
anos após a Revolução,
sendo abolidos pelo governo
francês somente em 1981.
A Proclamação da República:
Convenção (1792 – 1795)
A Assembléia Legislativa é substituída pela
Convenção Nacional, eleita por sufrágio universal
(21/09/1792). Composta por 749 deputados.
É o fim da Monarquia Constitucional e
proclamação da republica na França.
Função:
 Organizar a defesa militar da França
 Elaborar uma Constituição republicana
As disputas políticas
Girondinos
Representantes da alta burguesia
Conservadores – condenavam excessos populares
Direita
Jacobinos
Representam a pequena burguesia, camadas
populares e sans-cullotes
Radicais – igualdade social e República
Esquerda
Planície ou pântano
Indefinidos politicamente; oscilavam
Moderados – centro
A Convenção girondina (1792 –
1793)
Fase moderada.
Agitações internas e conflitos externos
Investimento em armamentos e soldados
Crise financeira
Sans-culottes se unem ao jacobinos contra
invasão: ascensão do grupo ao poder.
Danton Robespierre Marat
Ascensão jacobina: governo radical
República vira Ditadura.
Período de crise financeira
Regiões francesas contrárias ao governo
Novo calendário.
Robespierre assume o governo (1793)
Divisão de poderes:
Executivo: comitês de salvação pública
Legislativo: convenção nacional
Judiciário: tribunal revolucionário
Principais medidas
Tabelamento de preços, reforma agrária
Comitê de Salvação Pública
Regime do Terror: a radicalização revolucionária
Comitês revolucionários: uso constante da
guilhotina
Lei do preço máximo: proibia o aumento do preço
do pão
“É preciso punir não apenas os traidores, mas
até os indiferentes; punir quem quer que seja
passivo na República e não faça nada por ela;
pois desde que o povo francês manifestou sua
vontade, tudo que se opõe a ele está fora da
soberania; (...) é seu inimigo (...)
Saint-Just – deputado jacobino
A ascensão jacobina: governo radical
A Constituição republicana (1793)
Ampliação dos direitos sociais
Voto universal masculino(acima de 21 anos)
Escolas primárias gratuitas
Fim da escravidão nas colônias
Pensão anual e assistência médica gratuita aos
velhos, enfermos e viúvas com filhos.
Luís XVI guilhotinado
Divide o país
Indigna outros países.
Luís XVI foi
acusado de
apoiar os
monarcas
absolutistas
contra a
Revolução, sendo
submetido a um
tribunal que o
condenou à morte
pelos crimes de
tirania e de
traição à Nação.
foi executado na
guilhotina em 21
de janeiro de
1793.
A reação termidoriana e o terror
branco
A reação termidoriana ou Golpe do Termidor
Clima de desconfiança enfraquece politicamente os
jacobinos: Robespierre perde apoio da população.
Girondinos retomam o controle da Convenção
O terror branco
Robespierre e outros líderes são presos e
executados na guilhotina (1794)
Participação de monarquistas, simpatizantes da
Igreja e girondinos.
Diretório (1795-1799)
Ascensão dos girondinos
 Burguesia no poder: decisões jacobinas anuladas
 Anulação do voto universal e da lei do preço máximo
 Herdou problemas econômicos e financeiros
Constituição (1795)
 Lema: “liberdade, igualdade e propriedade”
Poder Executivo: Diretório
 Órgão formado por cinco membros eleitos por 5 anos.
As campanhas de conquista
 Luta contra jacobinos, sans-culottes e monarquistas
 Exército vence e sai fortalecido
População quer a Constituição de 1793 e
voto universal.
Nobres refugiados tramam retorno da
monarquia
Napoleão Bonaparte: encarregado de reprimir
Golpe do 18 Brumário (1799)
Apoio da de alguns políticos contrários ao Antigo
Regime e temerosos do retorno do Terror jacobino
Apoio da alta burguesia e do exército
População desejava um governo forte
Diretório se transforma em consulado
“Fim” da Revolução
Napoleão
Bonaparte
O PROCESSO
REVOLUCIONÁRIO FRANCÊS,
ENFIM...
O PROCESSO
REVOLUCIONÁRIO FRANCÊS,
ENFIM...
...provocou mudanças importantes nas estruturas
políticas e sociais do país. Com ele, o Estado
absolutista foi destruído e se inaugurou o Estado do
direito, apoiado na Constituição; eliminou as antigas
relações feudais no campo e pôs fim aos privilégios
sociais baseados nos critérios de nascimento,
sangue e tradição; separou religião e poder político
institucional, inaugurando o chamado Estado laico;
concretizou as idéias liberais de organização política
assegurando a igualdade jurídica dos cidadãos, a
divisão do poder e a liberdade religiosa, intelectual e
política; inaugurou o predomínio política da
burguesia e possibilitou as condições favoráveis à
consolidação do capitalismo.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentação Revolução Russa
Apresentação Revolução RussaApresentação Revolução Russa
Apresentação Revolução Russa
marcosfm32
 
1° ano aula slide - feudalismo
1° ano   aula slide - feudalismo1° ano   aula slide - feudalismo
1° ano aula slide - feudalismo
Daniel Alves Bronstrup
 
Napoleão Bonaparte
Napoleão BonaparteNapoleão Bonaparte
Napoleão Bonaparte
Edenilson Morais
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
Paulo Alexandre
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
Aulas de História
 
Aula revolução industrial
Aula revolução industrialAula revolução industrial
Aula revolução industrial
Marcos Azevedo
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
Maria Gomes
 
Vinda Da Familia Real Para O Brasil
Vinda Da Familia Real Para O BrasilVinda Da Familia Real Para O Brasil
Vinda Da Familia Real Para O Brasil
henrique.jay
 
A revolução inglesa
A revolução inglesaA revolução inglesa
A revolução inglesa
Janayna Lira
 
3º ano - Era Vargas 1930-1945
3º ano  - Era Vargas 1930-19453º ano  - Era Vargas 1930-1945
3º ano - Era Vargas 1930-1945
Daniel Alves Bronstrup
 
A Era das Revoluções
A Era das RevoluçõesA Era das Revoluções
A Era das Revoluções
Paulo Alexandre
 
Revolução Inglesa
Revolução InglesaRevolução Inglesa
Revolução Inglesa
Stefânia Balestero
 
Era Napoleônica
Era NapoleônicaEra Napoleônica
Era Napoleônica
Douglas Barraqui
 
Segunda revolucao industrial
Segunda revolucao industrialSegunda revolucao industrial
Segunda revolucao industrial
monica10
 
Independência dos EUA
Independência dos EUAIndependência dos EUA
Independência dos EUA
Portal do Vestibulando
 
A crise do sistema colonial e a independência
A crise do sistema colonial e a independênciaA crise do sistema colonial e a independência
A crise do sistema colonial e a independência
Andreia Regina Moura Mendes
 
República velha
República velhaRepública velha
República velha
Elaine Bogo Pavani
 
Regimes totalitários
Regimes totalitáriosRegimes totalitários
Regimes totalitários
Isaquel Silva
 
Iluminismo 2ª ano a
Iluminismo 2ª ano a Iluminismo 2ª ano a
Iluminismo 2ª ano a
Valmir Gomes
 
Idade média: Alta Idade Média (séc. v- x)
Idade média:   Alta Idade Média (séc. v- x)Idade média:   Alta Idade Média (séc. v- x)
Idade média: Alta Idade Média (séc. v- x)
Edenilson Morais
 

Mais procurados (20)

Apresentação Revolução Russa
Apresentação Revolução RussaApresentação Revolução Russa
Apresentação Revolução Russa
 
1° ano aula slide - feudalismo
1° ano   aula slide - feudalismo1° ano   aula slide - feudalismo
1° ano aula slide - feudalismo
 
Napoleão Bonaparte
Napoleão BonaparteNapoleão Bonaparte
Napoleão Bonaparte
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
 
Aula revolução industrial
Aula revolução industrialAula revolução industrial
Aula revolução industrial
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
Vinda Da Familia Real Para O Brasil
Vinda Da Familia Real Para O BrasilVinda Da Familia Real Para O Brasil
Vinda Da Familia Real Para O Brasil
 
A revolução inglesa
A revolução inglesaA revolução inglesa
A revolução inglesa
 
3º ano - Era Vargas 1930-1945
3º ano  - Era Vargas 1930-19453º ano  - Era Vargas 1930-1945
3º ano - Era Vargas 1930-1945
 
A Era das Revoluções
A Era das RevoluçõesA Era das Revoluções
A Era das Revoluções
 
Revolução Inglesa
Revolução InglesaRevolução Inglesa
Revolução Inglesa
 
Era Napoleônica
Era NapoleônicaEra Napoleônica
Era Napoleônica
 
Segunda revolucao industrial
Segunda revolucao industrialSegunda revolucao industrial
Segunda revolucao industrial
 
Independência dos EUA
Independência dos EUAIndependência dos EUA
Independência dos EUA
 
A crise do sistema colonial e a independência
A crise do sistema colonial e a independênciaA crise do sistema colonial e a independência
A crise do sistema colonial e a independência
 
República velha
República velhaRepública velha
República velha
 
Regimes totalitários
Regimes totalitáriosRegimes totalitários
Regimes totalitários
 
Iluminismo 2ª ano a
Iluminismo 2ª ano a Iluminismo 2ª ano a
Iluminismo 2ª ano a
 
Idade média: Alta Idade Média (séc. v- x)
Idade média:   Alta Idade Média (séc. v- x)Idade média:   Alta Idade Média (séc. v- x)
Idade média: Alta Idade Média (séc. v- x)
 

Destaque

Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
Janayna Lira
 
Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra fria
profrogerio1
 
A segunda guerra mundial
A segunda guerra mundialA segunda guerra mundial
A segunda guerra mundial
Janayna Lira
 
Historiando sob divesos olhares
Historiando sob divesos olharesHistoriando sob divesos olhares
Historiando sob divesos olhares
Janayna Lira
 
Fenicios
FeniciosFenicios
Fenicios
Janayna Lira
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
Janayna Lira
 
A colonização do rio grande
A colonização do rio grandeA colonização do rio grande
A colonização do rio grande
Janayna Lira
 
Photos III Reich
Photos III Reich Photos III Reich
Photos III Reich
profrogerio1
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
Janayna Lira
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
Janayna Lira
 
Rev industrial
Rev industrialRev industrial
Rev industrial
Janayna Lira
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
Janayna Lira
 
9 Brasil República
9 Brasil República9 Brasil República
9 Brasil República
profrogerio1
 
A primeira guerra mundial
A primeira guerra mundialA primeira guerra mundial
A primeira guerra mundial
profrogerio1
 
Era napolônica
Era napolônicaEra napolônica
Era napolônica
Janayna Lira
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
Janayna Lira
 
Alta Idade Média
Alta Idade Média Alta Idade Média
Alta Idade Média
Janayna Lira
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
Janayna Lira
 
Egito antigo
Egito antigoEgito antigo
Egito antigo
Janayna Lira
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
Janayna Lira
 

Destaque (20)

Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
 
Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra fria
 
A segunda guerra mundial
A segunda guerra mundialA segunda guerra mundial
A segunda guerra mundial
 
Historiando sob divesos olhares
Historiando sob divesos olharesHistoriando sob divesos olhares
Historiando sob divesos olhares
 
Fenicios
FeniciosFenicios
Fenicios
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
 
A colonização do rio grande
A colonização do rio grandeA colonização do rio grande
A colonização do rio grande
 
Photos III Reich
Photos III Reich Photos III Reich
Photos III Reich
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
 
Rev industrial
Rev industrialRev industrial
Rev industrial
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
 
9 Brasil República
9 Brasil República9 Brasil República
9 Brasil República
 
A primeira guerra mundial
A primeira guerra mundialA primeira guerra mundial
A primeira guerra mundial
 
Era napolônica
Era napolônicaEra napolônica
Era napolônica
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Alta Idade Média
Alta Idade Média Alta Idade Média
Alta Idade Média
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
 
Egito antigo
Egito antigoEgito antigo
Egito antigo
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
 

Semelhante a Revolução francesa

Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
Janayna Lira
 
Revolucaofrancesa 1789 1799
Revolucaofrancesa 1789 1799Revolucaofrancesa 1789 1799
Revolucaofrancesa 1789 1799
Rondinelly Silva
 
Revolução francesa alceu
Revolução francesa   alceuRevolução francesa   alceu
Revolução francesa alceu
Íris Ferreira
 
Aula Revolução Francesa 2
Aula Revolução Francesa   2Aula Revolução Francesa   2
Aula Revolução Francesa 2
seixasmarianas
 
Revolução francesa (aula)
Revolução francesa  (aula)Revolução francesa  (aula)
Revolução francesa (aula)
OAB (Brazilian Order of Advocates)
 
Revolucao francesa 2014
Revolucao francesa 2014Revolucao francesa 2014
Revolucao francesa 2014
Priscila Azeredo
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
edna2
 
Revol 130802122944-phpapp02 (1)
Revol 130802122944-phpapp02 (1)Revol 130802122944-phpapp02 (1)
Revol 130802122944-phpapp02 (1)
MarlenePrado7
 
Revolucao francesa
Revolucao francesaRevolucao francesa
Revolucao francesa
mesmoeumesmo
 
Revolucao francesa 2o ano
Revolucao francesa 2o anoRevolucao francesa 2o ano
Revolucao francesa 2o ano
Fernando Sergio Leão Castilho
 
RevoluçãO Francesa
RevoluçãO FrancesaRevoluçãO Francesa
RevoluçãO Francesa
LianaSuzuki
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
Lutero Ramos
 
Revolução
RevoluçãoRevolução
Revolução
rodroigokojiro
 
G2 as revoluções liberais
G2 as revoluções liberaisG2 as revoluções liberais
G2 as revoluções liberais
Vítor Santos
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
Débora Rodrigues
 
Revoluã§ã£o francesa
Revoluã§ã£o francesaRevoluã§ã£o francesa
Revoluã§ã£o francesa
Julia Selistre
 
A grande revolução francesa
A grande revolução francesaA grande revolução francesa
A grande revolução francesa
Fernando Alcoforado
 
REVOLUÇÃO FRANCESA.pptxmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm
REVOLUÇÃO FRANCESA.pptxmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmREVOLUÇÃO FRANCESA.pptxmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm
REVOLUÇÃO FRANCESA.pptxmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm
AdrianiSaleteMokfaPa
 
Revolução francesa - Prof. Elvis John
Revolução francesa - Prof. Elvis JohnRevolução francesa - Prof. Elvis John
Revolução francesa - Prof. Elvis John
ElvisJohnR
 
A GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDO
A GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDOA GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDO
A GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDO
Fernando Alcoforado
 

Semelhante a Revolução francesa (20)

Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
 
Revolucaofrancesa 1789 1799
Revolucaofrancesa 1789 1799Revolucaofrancesa 1789 1799
Revolucaofrancesa 1789 1799
 
Revolução francesa alceu
Revolução francesa   alceuRevolução francesa   alceu
Revolução francesa alceu
 
Aula Revolução Francesa 2
Aula Revolução Francesa   2Aula Revolução Francesa   2
Aula Revolução Francesa 2
 
Revolução francesa (aula)
Revolução francesa  (aula)Revolução francesa  (aula)
Revolução francesa (aula)
 
Revolucao francesa 2014
Revolucao francesa 2014Revolucao francesa 2014
Revolucao francesa 2014
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
 
Revol 130802122944-phpapp02 (1)
Revol 130802122944-phpapp02 (1)Revol 130802122944-phpapp02 (1)
Revol 130802122944-phpapp02 (1)
 
Revolucao francesa
Revolucao francesaRevolucao francesa
Revolucao francesa
 
Revolucao francesa 2o ano
Revolucao francesa 2o anoRevolucao francesa 2o ano
Revolucao francesa 2o ano
 
RevoluçãO Francesa
RevoluçãO FrancesaRevoluçãO Francesa
RevoluçãO Francesa
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
 
Revolução
RevoluçãoRevolução
Revolução
 
G2 as revoluções liberais
G2 as revoluções liberaisG2 as revoluções liberais
G2 as revoluções liberais
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
Revoluã§ã£o francesa
Revoluã§ã£o francesaRevoluã§ã£o francesa
Revoluã§ã£o francesa
 
A grande revolução francesa
A grande revolução francesaA grande revolução francesa
A grande revolução francesa
 
REVOLUÇÃO FRANCESA.pptxmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm
REVOLUÇÃO FRANCESA.pptxmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmREVOLUÇÃO FRANCESA.pptxmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm
REVOLUÇÃO FRANCESA.pptxmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm
 
Revolução francesa - Prof. Elvis John
Revolução francesa - Prof. Elvis JohnRevolução francesa - Prof. Elvis John
Revolução francesa - Prof. Elvis John
 
A GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDO
A GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDOA GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDO
A GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDO
 

Mais de Janayna Lira

Renascimento Cultural
Renascimento CulturalRenascimento Cultural
Renascimento Cultural
Janayna Lira
 
Os Fenicios
Os FeniciosOs Fenicios
Os Fenicios
Janayna Lira
 
Mesopotâmia
MesopotâmiaMesopotâmia
Mesopotâmia
Janayna Lira
 
Absolutismo e Mercantilismo
Absolutismo e MercantilismoAbsolutismo e Mercantilismo
Absolutismo e Mercantilismo
Janayna Lira
 
As grandes navegações
As grandes navegaçõesAs grandes navegações
As grandes navegações
Janayna Lira
 
Socialismo e anarquismo
Socialismo e anarquismoSocialismo e anarquismo
Socialismo e anarquismo
Janayna Lira
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
Janayna Lira
 
A vinda da familia real e a independência do brasil
A vinda da familia real e a independência do brasilA vinda da familia real e a independência do brasil
A vinda da familia real e a independência do brasil
Janayna Lira
 
Independência dos eua (1776)
Independência dos eua (1776)Independência dos eua (1776)
Independência dos eua (1776)
Janayna Lira
 
Os primórdios da humanidade
Os primórdios da humanidadeOs primórdios da humanidade
Os primórdios da humanidade
Janayna Lira
 
O começo de tudo
O começo de tudoO começo de tudo
O começo de tudo
Janayna Lira
 
A origem do homem
A origem do homemA origem do homem
A origem do homem
Janayna Lira
 
O declínio do Imperio Romano
O declínio do Imperio RomanoO declínio do Imperio Romano
O declínio do Imperio Romano
Janayna Lira
 
Os Atos Institucionais e a Ditadura Militar no Brasil
Os Atos Institucionais e a Ditadura Militar no BrasilOs Atos Institucionais e a Ditadura Militar no Brasil
Os Atos Institucionais e a Ditadura Militar no Brasil
Janayna Lira
 
O pós guerra no Brasil
O pós guerra no BrasilO pós guerra no Brasil
O pós guerra no Brasil
Janayna Lira
 
A Guerra fria (ppt)
A Guerra fria (ppt)A Guerra fria (ppt)
A Guerra fria (ppt)
Janayna Lira
 
A Guerra Fria (ppt)
A Guerra Fria (ppt)A Guerra Fria (ppt)
A Guerra Fria (ppt)
Janayna Lira
 
A independência do brasil
A independência do brasilA independência do brasil
A independência do brasil
Janayna Lira
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
Janayna Lira
 

Mais de Janayna Lira (19)

Renascimento Cultural
Renascimento CulturalRenascimento Cultural
Renascimento Cultural
 
Os Fenicios
Os FeniciosOs Fenicios
Os Fenicios
 
Mesopotâmia
MesopotâmiaMesopotâmia
Mesopotâmia
 
Absolutismo e Mercantilismo
Absolutismo e MercantilismoAbsolutismo e Mercantilismo
Absolutismo e Mercantilismo
 
As grandes navegações
As grandes navegaçõesAs grandes navegações
As grandes navegações
 
Socialismo e anarquismo
Socialismo e anarquismoSocialismo e anarquismo
Socialismo e anarquismo
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
A vinda da familia real e a independência do brasil
A vinda da familia real e a independência do brasilA vinda da familia real e a independência do brasil
A vinda da familia real e a independência do brasil
 
Independência dos eua (1776)
Independência dos eua (1776)Independência dos eua (1776)
Independência dos eua (1776)
 
Os primórdios da humanidade
Os primórdios da humanidadeOs primórdios da humanidade
Os primórdios da humanidade
 
O começo de tudo
O começo de tudoO começo de tudo
O começo de tudo
 
A origem do homem
A origem do homemA origem do homem
A origem do homem
 
O declínio do Imperio Romano
O declínio do Imperio RomanoO declínio do Imperio Romano
O declínio do Imperio Romano
 
Os Atos Institucionais e a Ditadura Militar no Brasil
Os Atos Institucionais e a Ditadura Militar no BrasilOs Atos Institucionais e a Ditadura Militar no Brasil
Os Atos Institucionais e a Ditadura Militar no Brasil
 
O pós guerra no Brasil
O pós guerra no BrasilO pós guerra no Brasil
O pós guerra no Brasil
 
A Guerra fria (ppt)
A Guerra fria (ppt)A Guerra fria (ppt)
A Guerra fria (ppt)
 
A Guerra Fria (ppt)
A Guerra Fria (ppt)A Guerra Fria (ppt)
A Guerra Fria (ppt)
 
A independência do brasil
A independência do brasilA independência do brasil
A independência do brasil
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
 

Revolução francesa

  • 1. A Revolução Francesa (1789 – 1799) Profª Janayna Lira
  • 2. Nome dado ao conjunto de acontecimentos ocorridos entre 1789 e 1799 que alteraram o quadro político e social da França. É considerada um dos grandes acontecimentos que marcaram a superação do Feudalismo pelo Capitalismo e a ascensão da burguesia no âmbito político francês. Foi influenciada pelos ideais do Iluminismo e da Independência Americana (1776). Além disso, é o marco divisório entre as Idades Moderna e Contemporânea. Aboliu a servidão e os direitos feudais na França e proclamou os princípios universais de "Liberdade, Igualdade e Fraternidade”
  • 3. É considerada uma Revolução por ter dinamitado as bases do Antigo Regime na Europa, servindo de inspiração para outros países absolutistas iniciarem processos semelhantes, mas nenhum teve a magnitude do movimento francês.
  • 4. Fases da Revolução Os Estados Gerais (1789) A Assembléia (1789 - 1792) A Convenção (1792 – 1795) O Diretório (1795 – 1799) No processo da Revolução, a França passaria por diversos tipos de governo: monarquia constitucional, República, ditadura.
  • 5. A estrutura anterior à Revolução  Política: Absolutismo monárquico
  • 6.  Economia: Basicamente agrária • Maior parte das propriedades eram feudais • Escassez de alimentos – agravada por intempéries nas últimas décadas do século XVIII. • Precária industrialização  Grande déficit público • Sustentação de numerosa corte (+ - 400 mil pessoas) • Guerras no estrangeiro • Ausência de política produtiva
  • 7. “Tudo conspira para que o momento atual se torne crítico na França; a todo momento chegam das províncias notícias sobre rebeliões, desordens e a necessidade de recorrer às tropas para manter a paz (...) No dia do mercado assisti à venda do trigo. Um grupo de soldados ficara no meio da praça, para impedir qualquer violência. O povo discutia com os padeiros, argumentando que o preço que pediam pelo pão era muito alto em relação ao preço do trigo; das injúrias passou-se à agressão e, neste tumulto, alguns levaram pão e trigo sem pagar nada”. Relato de A. Young, viajante inglês, às vésperas da Revolução.
  • 8.  Sociedade • Caráter estamental (sociedade de ordens) • Critério: nascimento
  • 10. SociedadeSociedade dividida em Estadosdividida em Estados  1º Estado: Clero (cerca de 120 mil, pessoas ou 1% da população)  Alto Clero – aristocrático  Baixo Clero – popularizado excluído da participação política irá aderir à revolução  2º Estado: Nobreza (cerca de 350 mil pessoas ou 2% da população)  Parasitária  3º Estado: Povo (cerca de 24 milhões de pessoas ou 97% da população)  97% da população  Impostos, produção.  Sem participação política  Incluía a Burguesia
  • 11. Sociedade estamental Primeira Estado: Clero Segundo Estado: Nobreza Terceiro Estado: burguesia, sans- cullotes, camponeses, etc. Classes privilegia das: não pagavam tributos
  • 12. Os estamentos 97% 2% 1% 1º ESTADO: CLERO 2º ESTADO: NOBREZA 3º ESTADO: BURGUESIA + CAMPONESES + SANS CULOTES: Os sans-culottes eram artesãos, trabalhadores e até pequenos proprietários que viviam nos arredores de Paris. Recebiam esse nome porque não usavam os elegantes calções que a nobreza vestia, mas uma calça de algodão grosseira.
  • 14. O Palácio de Vesalhes Desde 1774 o país era governado por Luís XVI. Distante dos interesses da população, ele governava o país no palácio de Versalhes. Para manter o luxo do palácio e de seus membros eram cobrados vultosos impostos da população mais pobre. Considerado um dos maiores do mundo, o Palácio possui 2.153 janelas, 67 escadas, 352 chaminés, 700 quartos, 1.250 lareiras e 700 hectares de parque.
  • 16. As insatisfações e tensões políticas levam ao início da Revolução Os Estados Gerais eram uma espécie de Parlamento formado por representantes dos três estados. No entanto, o critério de votação estabelecido dava a cada um deles um voto. Apesar de contar com vários membros, o terceiro estado era vencido pelos interesses comuns do primeiro e segundo estados, o que causava insatisfação. Assim, era interesse do terceiro estado que a forma de votação fosse mudada, onde a votação seria feita por cabeça, o que lhe daria chances de conseguir vitória dos seus anseios. Diante da crise vivida, a solução seria a cobrança de impostos dos Primeiro e Segundo Estados, o que não foi aceito por estes – Assembléia dos Notáveis, 1787.
  • 17. Os Estados Gerais (1789)  Luís XVI convoca os Estados Gerais  Tentativa de promover mudanças tributárias  Composto por representantes dos três estados.  Primeiro e Segundo Estados X Terceiro Estado
  • 18. Os Estados Gerais Clero = 291 Nobreza = 327 3º Estado = 578
  • 19. A Assembléia (1789 – 1791)  Terceiro Estado se retira em protesto  Proclama-se Assembléia Nacional Constituinte  Exército colocado de prontidão  População apoia a Assembléia.  Tomada da Bastilha  Marco da Revolução Francesa
  • 21. A Queda da Bastilha 14/07/1789 Milhares de pessoas saíram às ruas de Paris e invadiram a Bastilha (símbolo do poder absoluto do rei), antiga prisão política do Antigo Regime.
  • 22. O Grande Medo Onda de saques e destruição. Propriedades feudais, castelos e cartórios queimados.
  • 23. Assembléia (cont.)  Assembléia aprova  Abolição dos privilégios feudais e fim da servidão  Confisco das propriedades feudais => promessa de reforma Agrária  Aristocracia foge para a Áustria e Prússia.  Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão
  • 24. DECLARAÇÃO DOS DIREITOS DO HOMEM E DO CIDADÃO Redigida pelos representantes do TERCEIRO ESTADO Os homens nascem e devem permanecer livres e iguais perante a lei A liberdade individual e os direitos do homem devem ser garantidos
  • 25. Constituição Civil do Clero (1790)  Igreja afastada do poder  Religiosos transformados em funcionários públicos.  Confisco dos bens da Igreja  Cisão do clero: o Baixo Clero jura a Constituição e adere à Revolução. O Alto Clero não aceita a Constituição e emigra para Áustria e Prússia; unem-se a outros emigrados e recebem o apoio dos governos locais e da Inglaterra, articulando a Contrarrevolução.
  • 26. Assembléia (cont.)  Aprovada a Constituição (1791)  Três Poderes  Voto censitário  Confisco de propriedades e tesouros da Igreja  Instituição de impostos e taxas para a nobreza  Instituição de uma única lei para todos os cidadãos franceses.  Manutenção da monarquia como forma de governo  Fim do Absolutismo: Monarquia Constitucional
  • 27. É interessante notar que a situação do povo não mudou com a Revolução, quem realmente obteve mudanças significativas foram os burgueses, que passaram a controlar a política nacional.
  • 28. A reação absolutista  Áustria e Prússia declaram guerra a França  Objetivo: Impedir o avanço dos ideais revolucionários pela Europa (Apoio da Inglaterra)  Luis XVI tenta fugir para a Áustria  Capturado e levado preso para Paris  Mobilização popular  Vitória Francesa  Proclamação da República (Convenção)  Luis XVI guilhotinado (1793)
  • 29. PRISÃO DA FAMILIA REAL & CONTRARREVOLUÇÃO
  • 31. A guilhotina A guilhotina era um instrumento utilizado para decapitar, isto é, cortar a cabeça dos condenados. Ela foi aprimorada na época da Revolução Francesa com o objetivo de tornar a execução do condenado mais rápida e indolor. Além disso, a decapitação era vista, naquela época, como uma forma nobre de morrer. A pena de morte e o uso da guilhotina vigoraram na França muitos anos após a Revolução, sendo abolidos pelo governo francês somente em 1981.
  • 32. A Proclamação da República: Convenção (1792 – 1795) A Assembléia Legislativa é substituída pela Convenção Nacional, eleita por sufrágio universal (21/09/1792). Composta por 749 deputados. É o fim da Monarquia Constitucional e proclamação da republica na França. Função:  Organizar a defesa militar da França  Elaborar uma Constituição republicana
  • 33. As disputas políticas Girondinos Representantes da alta burguesia Conservadores – condenavam excessos populares Direita Jacobinos Representam a pequena burguesia, camadas populares e sans-cullotes Radicais – igualdade social e República Esquerda Planície ou pântano Indefinidos politicamente; oscilavam Moderados – centro
  • 34. A Convenção girondina (1792 – 1793) Fase moderada. Agitações internas e conflitos externos Investimento em armamentos e soldados Crise financeira Sans-culottes se unem ao jacobinos contra invasão: ascensão do grupo ao poder.
  • 36. Ascensão jacobina: governo radical República vira Ditadura. Período de crise financeira Regiões francesas contrárias ao governo Novo calendário. Robespierre assume o governo (1793) Divisão de poderes: Executivo: comitês de salvação pública Legislativo: convenção nacional Judiciário: tribunal revolucionário
  • 37. Principais medidas Tabelamento de preços, reforma agrária Comitê de Salvação Pública Regime do Terror: a radicalização revolucionária Comitês revolucionários: uso constante da guilhotina Lei do preço máximo: proibia o aumento do preço do pão
  • 38. “É preciso punir não apenas os traidores, mas até os indiferentes; punir quem quer que seja passivo na República e não faça nada por ela; pois desde que o povo francês manifestou sua vontade, tudo que se opõe a ele está fora da soberania; (...) é seu inimigo (...) Saint-Just – deputado jacobino
  • 39. A ascensão jacobina: governo radical A Constituição republicana (1793) Ampliação dos direitos sociais Voto universal masculino(acima de 21 anos) Escolas primárias gratuitas Fim da escravidão nas colônias Pensão anual e assistência médica gratuita aos velhos, enfermos e viúvas com filhos. Luís XVI guilhotinado Divide o país Indigna outros países.
  • 40. Luís XVI foi acusado de apoiar os monarcas absolutistas contra a Revolução, sendo submetido a um tribunal que o condenou à morte pelos crimes de tirania e de traição à Nação. foi executado na guilhotina em 21 de janeiro de 1793.
  • 41. A reação termidoriana e o terror branco A reação termidoriana ou Golpe do Termidor Clima de desconfiança enfraquece politicamente os jacobinos: Robespierre perde apoio da população. Girondinos retomam o controle da Convenção O terror branco Robespierre e outros líderes são presos e executados na guilhotina (1794) Participação de monarquistas, simpatizantes da Igreja e girondinos.
  • 42. Diretório (1795-1799) Ascensão dos girondinos  Burguesia no poder: decisões jacobinas anuladas  Anulação do voto universal e da lei do preço máximo  Herdou problemas econômicos e financeiros Constituição (1795)  Lema: “liberdade, igualdade e propriedade” Poder Executivo: Diretório  Órgão formado por cinco membros eleitos por 5 anos. As campanhas de conquista  Luta contra jacobinos, sans-culottes e monarquistas  Exército vence e sai fortalecido
  • 43. População quer a Constituição de 1793 e voto universal. Nobres refugiados tramam retorno da monarquia Napoleão Bonaparte: encarregado de reprimir Golpe do 18 Brumário (1799) Apoio da de alguns políticos contrários ao Antigo Regime e temerosos do retorno do Terror jacobino Apoio da alta burguesia e do exército População desejava um governo forte Diretório se transforma em consulado “Fim” da Revolução
  • 45. O PROCESSO REVOLUCIONÁRIO FRANCÊS, ENFIM... O PROCESSO REVOLUCIONÁRIO FRANCÊS, ENFIM...
  • 46. ...provocou mudanças importantes nas estruturas políticas e sociais do país. Com ele, o Estado absolutista foi destruído e se inaugurou o Estado do direito, apoiado na Constituição; eliminou as antigas relações feudais no campo e pôs fim aos privilégios sociais baseados nos critérios de nascimento, sangue e tradição; separou religião e poder político institucional, inaugurando o chamado Estado laico; concretizou as idéias liberais de organização política assegurando a igualdade jurídica dos cidadãos, a divisão do poder e a liberdade religiosa, intelectual e política; inaugurou o predomínio política da burguesia e possibilitou as condições favoráveis à consolidação do capitalismo.