SlideShare uma empresa Scribd logo
CRUZAMENTOS BÁSICOS
genótipos proporção fenótipos proporção
DOMINÂNCIA
COMPLETA
AA
Aa
aa
1
2
1
pigmentado
albino
3
1
CODOMINÂNCIA
BB
VV
BV
1
2
1
branco
vermelho
róseo
1
2
1
LETALIDADE
AA
Aa
aa
1
2
1
letal (aguti)
aguti
amarelo
2
1
Obs.: no cruzamento teste (test-cross) um indivíduo de fenótipo dominante (A-) e de
genótipo desconhecido é cruzado com outro de genótipo recessivo (aa).
Se entre os descendentes surgirem apenas dominantes(A-) é porque o parental
dominante é homozigoto e se ocorrer algum recessivo é porque o parental é
Heterozigoto.
O que significa penetrância, expressibilidade e atavismo?
LEONEL
LEONEL
HEREDOGRAMA
Gêmeos monozigótico
do sexo feminino
Gêmeos dizigóticos
de sexos diferentes
Gêmeos dizigóticos
do sexo feminino
Gêmeos dizigóticos
do sexo masculino
Gêmeos monozigóticos
do sexo masculino
Cruzamento consang üíneo
Macho normal
Macho portador
de um caráter
Fêmea normal
Fêmea portadora
de um caráter
Indicação de cruzamento
Sexo ignorado
1 2
1 2 3 4 5 6
1 2 3 4 5
1 2 3
Representa ção de uma genealogia (heredograma)
onde aparece uma característicaí autossômica
recessiva.
LEONEL
PROBABILIDADE GENÉTICA
CONCEITO:É a relação entre o número de casos possíveis para uma características e o número total de
Possibilidades.
ú ú
.
Por exemplo: a probabilidade de, num lançamento, a face 3 de um dado permanecer voltada para cima é de 1/6,
visto que, o dado tem 6 faces e apenas umade número 3.
TIPOS DE PROBABILIDADES: acima temos um caso de probabilidade simples. No caso de probabilidades
combinadas podemos ter: probabilidades simultâneas (regra do “e” e probabilidades exclusivas
(regra do “ou”).
PROBABILIDADES SIMULTÂNEAS: ocorrem quando os fatos ocorrem ao mesmo tempo. Por exemplo: ser
de olhos azuis e do sexo feminino.
PROBABILIDADES EXCLUSIVAS: acontece quando a ocorrência de um fato exclui a do outro.
Por exemplo: a probabilidade de em um nascimento a criança ser do sexo masculino é:
OBSERVAÇÃO IMPORTANTE: quando os fatos não ocorreram dentro de uma sequência há necessidade de
cálculos mais complexos.
Por exemplo: qual éa probabilidade de um casal, produzir entre três filhos, 2 meninos e 1 menina ?
(p+q)³= 1p³ + 3p² q¹ + 3p¹ q² + 1q³ Para a representação de 2 meninos (p) e 1 menina (q)
teremos: 3 x½ x 1 x 1/4 = 3/2 x 1/4 = 3/8
LEONEL
A B
I I
i i
ALELOS MÚLTIPOS
CONCEITO: herança em que um locus pode ser ocupado, alternaivamente, por três ou mais genes diferentes.
EXEMPLO: a cor da pelagem de coelhos determinada por um único locus gênico, pode ser ocupado, em indi-
víduos diferentes por formas alternativas desse gene.
´
é
C > c > c > c
4 + 3 + 2 + 1 = 10 (genótipos)
ch h
SISTEMA ABO
Ocorrem proteínas no sangue humano denominadas antígenos e anticorpos. Os anticorpos (aglutininas) do
receptor quando em contato com os antígenos (aglutinógenos) do doador, provocam aglutinação e entopem
os vasos sanguíneos, geralmente, levando o indivíduo à morte.
I
AB
BB
O
O
A
AB
A
doador universal
receptor universal
A relação de dominância é:ç
II
I
I i
A B i
GENÓTIPOS E FENÓTIPOS
IA A
A
>
Grupo A
I I
II
iI
ii
B
B B
Grupo B
Grupo O
Grupo AB
GRUPOS SANGÜÍNEOS
A B
FATOR Rh
GENÓTIPOS FENÓTIPOS
DD ou RR Rh positivo
Dd ou Rr Rh positivo
Dd ou rr Rh negativo
O sangue de algumas pessoas possui uma proteína denominada fator Rh (foi encontrada pela primeira vez
no macaco Rhezus. Quando essa proteína é inoculada em pessoas sem o fator Rh, estas reagem produzindo
anticorpos contra o fator Rh. Na primeira vez não há conseqüências maiores, porém numa segunda vez o or-
ganismo, da pessoa que fora sensibilizado anteriormente, promove a aglutinação das hemácias do doador en-
tupindo os vasos sangülíneos e levando o receptor a óbito.
A relação de dominância é: D > d ou R > r Quando um criança, filha de mãe Rh negativo e pai Rh positivo,
nasce com sangue Rh positivo, suas hemácias jovens penetram
no sangue da mãe e induzem a produção de aglutininas anti-Rh.
Como o fato ocorre quando a gestação já está adiantada não há
perigo para o feto que está em desenvolvimento. Entretanto uma
nova gestação de filho Rh positivo poderá trazer conseqüências
danosas ao bebê, podendo levá-lo à morte.
Obs.: atualmente existe um tratamento de desensibilização da mãe
que deve ser feito logo após o nascimento do primeiro filho
com Rh positivo.
FATOR MN
Esse fator é determinado por dois tipos de antígenos do sangue humano (M e N) que só foram descobertos em
Casos de transfusões em cobaias não humanas. Para o homem não há conseqüências pois não há reação ao
antígeno.
GENÓTIPOS FENÓTIPOS
L L Grupo M
L L Grupo MN
L L Grupo N
MM
M
NN
N
A relação de dominância é:
L = L
M N
LEONEL
LEONEL
1 vv rr
3 vv R-
LEONEL
INTERAÇÃO GÊNICA
São genes situados em pares cromos-
somicos diferentes e que manifestam
uma característica quando estão juntos, e
quando estão separados exercem domi-
nãncia sobre o alelo recessivo do outro
locus.
Crista SIMPLESrr ee
Crista ERVILHArr E-
Crista ROSAR- ee
Crista NOZR- E-
FENÓTIPOSGENÓTIPOS
Ocorre quando um locus gênico impede a manifestação de outro locus.
3Epistasia dominante/recessiva
13
169Genes duplos com efeito cumulativo
79Epistasia duplo-recessiva-
439Epistasia recessiva
115Epistasia duplo-dominante
1312Epistasia dominante
1339Proporção clássica
aa bbaa B-A- bbA- B-
EPISTASIAGENES COMPLEMENTARES
POLIMERIA
Nesse tipo de herança cada gene contribui com um percentual na determinação do fenótipo. Desta forma o fe-
nótipo resultará da somatória dos efeitos de cada gene.
O exemplo clássico é a determinação da cor da pele dos homens, numa variação entre o branco e o negro.ç ç
GENÓTIPOS E FENÓTIPOS
AABB - negro
AABb
AaBB
- mulato escuro
AAbb
aaBB
AaBb
- mulato médio
Aabb
aaBb
- mulato claro
aabb - branco
Para determinar a proporção fenotípica no cruzamento entre heterozigotos,
podemos utilizar o triângulo de Pascal. As linhas pares do triângulo de Pascal
nos fornecem as proporções poliméricas para os pares de genes considerados.
1
1 1
1 2 1
1 3 3 1
1 4 6 4 1
1 5 10 10 5 1
1 6 15 20 15 6 1
Para galinhas das raças Batans e Hamburguesas os genes que determinam a
a massa corpórea são os seguintes:
AA = 60% no aumento da massa
Aa = 38%
BB = 30%
Bb = 25%
CC = 15%
Cc = 10%
aabbccdd= massa base = 715 g
Uma ave AaBbCc terá que massa corpórea?
LINKAGE E PERMUTA
LEONEL
DUPLO CROSSING
2ª LEI DE MENDEL
(SEGREGAÇÃO INDEPENDENTE)
LINKAGE TOTAL
(VINCULAÇÃO GÊNICA)
LINKAGE PARCIAL
(SEM VINCULAÇÃO GÊNICA)
CROSSING OVER
LEONEL
LINKAGE E PERMUTA
MAPA GENÉTICO
LEONEL
HERANÇA LIGADA AO SEXO
CRISS-CROSS
(gene recessivo ligado ao cromossomo Y que é transmitido, na primeira geração, apenas
para os machos)
Herança em que os genes estão ligados ao cromossomo X e são transmitidos pela mãe
aos seus filhos. Como exemplo citamos a hemofilia e o daltonismo.
Fenótipo Homem Mulher
Normal XH Y XH XH
Hemofílico Xh Xh Xh
Fenótipo Homem Mulher
Normal XD Y XD XD
Hemofílico Xd Xd Xd
COR DE OLHOS PARA DROSÓFILA
HERANÇA PARCIALMENTE LIGADA AO SEXO
RENITITE PIGMENTAR: cegueira devido à depósitos de melanina na retina. Essa anomalia
é causadas por um gene dominante parcialmente ligado ao sexo.
XENODERMA PIGMENTOSUM: irritação da pele formando placas pigmentadas que podem
evoluir para tumores malignos. Também causa fotossensibilidade. Essa anormalidade é
provocada por um alelo recessivo, parcialmente ligado ao sexo.
Fenótipo Homem Mulher
Renitite XRYR
XRYr
Xr YR
XRXR
XRXr
Normal Xr Y XrXr
Herança em que os genes se situam na região homóloga dos cromossomos sexuais (X e Y).
Os genes alelos se comportam da mesma forma que na herança autossômica.
Fenótipo Homem Mulher
Normal XPYP
XPYp
XpYP
XPXP
XPXp
Xenoderma XpYp XpXp
GENES HOLÂNDRICOS
É a herança dos genes localizados na parte do cromossomo Y que não tem homologia com o X.
Esses genes são transmitidos pelos pais apenas aos filhos do sexo masculino.
São exemplos de genes holândricos:
ICTIOSE GRAVE: presença de pelos longos e duros como as cerdas dos porcos.
Edward Lambert (inglês) apresentava essa anomalia e foi chamado de “homem porco espinho”.
HIPERTRICOSE AURICULAR: presença de pelos no pavilhão auditivo, comum entre os homens
indianos.
LEONEL
HERANÇA LIMITADA AO SEXO
Tipo de herança que só se manifesta em um dos sexos.
Genótipo Macho Fêmea
HH penas de galinha penas de galinha
Hh penas de galinha penas de galinha
hh penas de galo penas de galinha
Genótipo Fêmea Macho
WW branca amarela
Ww branca amarela
ww amarela amarela
Presença de penas de galo e de galinha Cor das asas de borboleta
HERANÇA INFLUENCIADA PELO SEXO
Genótipo Homem Mulher
BB calvo calva
Bb calvo não calva
bb não calvo não calvoa
Herança que se manifesta conforme o sexo do indivíduo influenciada pela ação hormonal e fisiológica.
Calvície na raça humana
Genótipo Macho Fêmea
CC castanho castanho
Cc castanho vermelho
cc vermelho vermelho
Cor de gado leiteiro
LEONEL
LEONEL
DISTRIBUIÇÃO CROMOSSÔMICA DO SEXO
TIPO DROSÓFILA
(LYGAEUS)
TIPO PROTENOR
2A+ X _
_
TIPO Z0ABRAXAS
2A + ZW
A + W
GENÉTICA DAS POPULAÇÕES
LEONEL
DIMENSÃO DA POPULAÇÃO: população grande para ser representativa.
PANMIXIA: os cruzamento ocorrem ao acaso, todos tem chances de cruzar.
MUTAÇÕES: não podem ocorrer, pois alteram os genes produzindo novas espécies
SELEÇÃO NATURAL: não pode ocorrer, pois pode alterar a proporção entre os
genótipos.
POPULAÇÃO FECHADA: não pode ocorrer imigração nem emigração de indivíduos.
CONDIÇÕES ESTABELECIDAS POR HARDY-WEINBERG
PROPORÇÃO DOS GENES DOMINATES E RECESSIVOS NUMA POPULAÇÃO EM EQUILÍBRIO
p = A (gene dominante)
q = a (gene recessivo)
PROPORÇÃO GENOTÍPICA NUMA POPULAÇAO EM EQUILÍBRIO
p² = AA, 2pq = 2 Aa e q² = aa
LEONEL
GENÉTICA DAS POPULAÇÕES
DEMONSTRAÇÃO DO TEOREMA DE HARDY-WEINBERB
GENÉTICA DAS POPULAÇÕES
LEONEL
ALGUMAS VARIANTES PARA A GENÉTICA DAS POPULAÇÕES
HERANÇA LIGADA AO SEXO
(p + q)² = p² + 2pq + q²Para o sexo feminino:
Para o sexo masculino: (p + q)¹ = p + q
POLIALELISMO
(p+q+r s)² = p²+2pq+2pr+2ps+q²+2qr+2qs+r²+2rs+s²
(para 4 genes)
POLIMERIA (para 4 genes)
(p+q+r s)² = p²+2pq+2pr+2ps+q²+2qr+2qs+r²+2rs+s²
GENE LETAL AUTOSSÓMICO
(p + q)² = p² + 2pq
HERANÇA INFLUENCIADA PELO SEXO
Para o sexo masculino: (p + q)² = p² + 2pq + q²
Para o sexo feminino: (p + q)² = p² + 2pq + q²

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Noções básicas de hereditariedade
Noções básicas de hereditariedadeNoções básicas de hereditariedade
Noções básicas de hereditariedade
Carlos Moutinho
 
Sistema abo e fator rh
Sistema abo e fator rhSistema abo e fator rh
Sistema abo e fator rh
PhoenixSportFitness
 
Genética
GenéticaGenética
Genética
Andreia Maria
 
Sistema Reprodutor Masculino e Feminino
Sistema Reprodutor Masculino e Feminino Sistema Reprodutor Masculino e Feminino
Sistema Reprodutor Masculino e Feminino
Bruno Djvan Ramos Barbosa
 
Alelos Letais
Alelos LetaisAlelos Letais
Alelos Letais
Nuno Correia
 
Grupos sanguineos
Grupos sanguineosGrupos sanguineos
Grupos sanguineos
Andre Luiz Nascimento
 
reprodução das plantas.
reprodução das plantas.reprodução das plantas.
reprodução das plantas.
Alexandre Marques
 
Aulão 2° ano - Ensino Médio
Aulão 2° ano - Ensino MédioAulão 2° ano - Ensino Médio
Aulão 2° ano - Ensino Médio
Clécio Bubela
 
Genética
GenéticaGenética
(5) 2008-2009 - 9º ano - noções básicas de hereditariedade
(5)   2008-2009 - 9º ano - noções básicas de hereditariedade(5)   2008-2009 - 9º ano - noções básicas de hereditariedade
(5) 2008-2009 - 9º ano - noções básicas de hereditariedade
Hugo Martins
 
Mutações
Mutações Mutações
Mutações
Isabel Lopes
 
Aula 1º Ano Ensino Médio: O Núcleo, DNA e RNA (Estrutura, replicação/duplicaç...
Aula 1º Ano Ensino Médio: O Núcleo, DNA e RNA (Estrutura, replicação/duplicaç...Aula 1º Ano Ensino Médio: O Núcleo, DNA e RNA (Estrutura, replicação/duplicaç...
Aula 1º Ano Ensino Médio: O Núcleo, DNA e RNA (Estrutura, replicação/duplicaç...
Ronaldo Santana
 
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Genética
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre GenéticaSlides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Genética
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Genética
Turma Olímpica
 
Sistema Reprodutor
Sistema ReprodutorSistema Reprodutor
Sistema Reprodutor
rukka
 
Aula sistema imunologico
Aula sistema imunologicoAula sistema imunologico
Aula sistema imunologico
Thiago barreiros
 
fecundação, gravidez e início da vida
fecundação, gravidez e início da vida fecundação, gravidez e início da vida
fecundação, gravidez e início da vida
Isabel Lopes
 
Sistema abo e fator rh
Sistema abo e fator rhSistema abo e fator rh
Sistema abo e fator rh
Karolyn Soledad
 
Leis de mendel
Leis de mendelLeis de mendel
Leis de mendel
Marcionedes De Souza
 
Hereditariedade
HereditariedadeHereditariedade
Hereditariedade
Gabriela Bruno
 
Sistema ABO
Sistema ABOSistema ABO
Sistema ABO
Safia Naser
 

Mais procurados (20)

Noções básicas de hereditariedade
Noções básicas de hereditariedadeNoções básicas de hereditariedade
Noções básicas de hereditariedade
 
Sistema abo e fator rh
Sistema abo e fator rhSistema abo e fator rh
Sistema abo e fator rh
 
Genética
GenéticaGenética
Genética
 
Sistema Reprodutor Masculino e Feminino
Sistema Reprodutor Masculino e Feminino Sistema Reprodutor Masculino e Feminino
Sistema Reprodutor Masculino e Feminino
 
Alelos Letais
Alelos LetaisAlelos Letais
Alelos Letais
 
Grupos sanguineos
Grupos sanguineosGrupos sanguineos
Grupos sanguineos
 
reprodução das plantas.
reprodução das plantas.reprodução das plantas.
reprodução das plantas.
 
Aulão 2° ano - Ensino Médio
Aulão 2° ano - Ensino MédioAulão 2° ano - Ensino Médio
Aulão 2° ano - Ensino Médio
 
Genética
GenéticaGenética
Genética
 
(5) 2008-2009 - 9º ano - noções básicas de hereditariedade
(5)   2008-2009 - 9º ano - noções básicas de hereditariedade(5)   2008-2009 - 9º ano - noções básicas de hereditariedade
(5) 2008-2009 - 9º ano - noções básicas de hereditariedade
 
Mutações
Mutações Mutações
Mutações
 
Aula 1º Ano Ensino Médio: O Núcleo, DNA e RNA (Estrutura, replicação/duplicaç...
Aula 1º Ano Ensino Médio: O Núcleo, DNA e RNA (Estrutura, replicação/duplicaç...Aula 1º Ano Ensino Médio: O Núcleo, DNA e RNA (Estrutura, replicação/duplicaç...
Aula 1º Ano Ensino Médio: O Núcleo, DNA e RNA (Estrutura, replicação/duplicaç...
 
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Genética
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre GenéticaSlides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Genética
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Genética
 
Sistema Reprodutor
Sistema ReprodutorSistema Reprodutor
Sistema Reprodutor
 
Aula sistema imunologico
Aula sistema imunologicoAula sistema imunologico
Aula sistema imunologico
 
fecundação, gravidez e início da vida
fecundação, gravidez e início da vida fecundação, gravidez e início da vida
fecundação, gravidez e início da vida
 
Sistema abo e fator rh
Sistema abo e fator rhSistema abo e fator rh
Sistema abo e fator rh
 
Leis de mendel
Leis de mendelLeis de mendel
Leis de mendel
 
Hereditariedade
HereditariedadeHereditariedade
Hereditariedade
 
Sistema ABO
Sistema ABOSistema ABO
Sistema ABO
 

Destaque

Conceitos básicos de genética
Conceitos básicos de genéticaConceitos básicos de genética
Conceitos básicos de genética
Douglas Barreto
 
Herança dos cromossomos sexuais
Herança dos cromossomos sexuaisHerança dos cromossomos sexuais
Herança dos cromossomos sexuais
César Milani
 
Genetica
GeneticaGenetica
Genetica
giovannimusetti
 
Biologia noções de probabilidade aplicadas à genética
Biologia    noções de probabilidade aplicadas à genéticaBiologia    noções de probabilidade aplicadas à genética
Biologia noções de probabilidade aplicadas à genética
Adrianne Mendonça
 
Genética probabilidade slides
Genética probabilidade slidesGenética probabilidade slides
Genética probabilidade slides
Fabiano Reis
 
Genetica
GeneticaGenetica
Genetica
emanuel
 
Genética 2 e-3e
Genética 2 e-3eGenética 2 e-3e
Genética 2 e-3e
César Milani
 
Probabilidade 1a Aula
Probabilidade   1a AulaProbabilidade   1a Aula
Probabilidade 1a Aula
juarezreis
 
Probabilidades
ProbabilidadesProbabilidades
Probabilidades
lidiahenriques3
 
Genética introdução
Genética introduçãoGenética introdução
Genética introdução
Dalu Barreto
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
Nanda Freitas
 
Mitose e Meiose
Mitose e MeioseMitose e Meiose
Mitose e Meiose
Evandro Batista
 
Interação gênica
Interação gênicaInteração gênica
Interação gênica
Andrea Barreto
 
2 genotipo e fenotipo e gémeos
2   genotipo e fenotipo e gémeos2   genotipo e fenotipo e gémeos
2 genotipo e fenotipo e gémeos
Henrique Vieira
 
Aula 2. genética hereditariedade e mendelismo
Aula 2. genética   hereditariedade e mendelismoAula 2. genética   hereditariedade e mendelismo
Aula 2. genética hereditariedade e mendelismo
Evandro Sanguinetto
 
sd-m3
sd-m3sd-m3
Equações Polinomiais
Equações PolinomiaisEquações Polinomiais
Equações Polinomiais
Nanda Freitas
 
Epistasia
EpistasiaEpistasia
Epistasia
Nuno Correia
 
Genética probabilidade slides
Genética probabilidade slidesGenética probabilidade slides
Genética probabilidade slides
Fabiano Reis
 
sd-m1
sd-m1sd-m1

Destaque (20)

Conceitos básicos de genética
Conceitos básicos de genéticaConceitos básicos de genética
Conceitos básicos de genética
 
Herança dos cromossomos sexuais
Herança dos cromossomos sexuaisHerança dos cromossomos sexuais
Herança dos cromossomos sexuais
 
Genetica
GeneticaGenetica
Genetica
 
Biologia noções de probabilidade aplicadas à genética
Biologia    noções de probabilidade aplicadas à genéticaBiologia    noções de probabilidade aplicadas à genética
Biologia noções de probabilidade aplicadas à genética
 
Genética probabilidade slides
Genética probabilidade slidesGenética probabilidade slides
Genética probabilidade slides
 
Genetica
GeneticaGenetica
Genetica
 
Genética 2 e-3e
Genética 2 e-3eGenética 2 e-3e
Genética 2 e-3e
 
Probabilidade 1a Aula
Probabilidade   1a AulaProbabilidade   1a Aula
Probabilidade 1a Aula
 
Probabilidades
ProbabilidadesProbabilidades
Probabilidades
 
Genética introdução
Genética introduçãoGenética introdução
Genética introdução
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
 
Mitose e Meiose
Mitose e MeioseMitose e Meiose
Mitose e Meiose
 
Interação gênica
Interação gênicaInteração gênica
Interação gênica
 
2 genotipo e fenotipo e gémeos
2   genotipo e fenotipo e gémeos2   genotipo e fenotipo e gémeos
2 genotipo e fenotipo e gémeos
 
Aula 2. genética hereditariedade e mendelismo
Aula 2. genética   hereditariedade e mendelismoAula 2. genética   hereditariedade e mendelismo
Aula 2. genética hereditariedade e mendelismo
 
sd-m3
sd-m3sd-m3
sd-m3
 
Equações Polinomiais
Equações PolinomiaisEquações Polinomiais
Equações Polinomiais
 
Epistasia
EpistasiaEpistasia
Epistasia
 
Genética probabilidade slides
Genética probabilidade slidesGenética probabilidade slides
Genética probabilidade slides
 
sd-m1
sd-m1sd-m1
sd-m1
 

Semelhante a Revisão de genética (versão para aula)

Genetica
GeneticaGenetica
Genetica
Mafransinop
 
Genetica
GeneticaGenetica
Genetica
giovannimusetti
 
Biologia - Genetica geral (Kleber Sales)
Biologia - Genetica geral (Kleber Sales)Biologia - Genetica geral (Kleber Sales)
Biologia - Genetica geral (Kleber Sales)
primeiroanocsl
 
2ª Lei de Mendel e heranças ligadas ao sexo.pptx
2ª Lei de Mendel e heranças ligadas ao sexo.pptx2ª Lei de Mendel e heranças ligadas ao sexo.pptx
2ª Lei de Mendel e heranças ligadas ao sexo.pptx
JessicaCarolinadaCos1
 
1 patrimonio-genetico
1 patrimonio-genetico1 patrimonio-genetico
1 patrimonio-genetico
Sabina Tique
 
Aula 13 lei da segregação
Aula 13   lei da segregaçãoAula 13   lei da segregação
Aula 13 lei da segregação
Jonatas Carlos
 
Exercícios genética 6
Exercícios genética 6Exercícios genética 6
Exercícios genética 6
Carla Carrasco
 
2º lei de mendel aprofundamento
2º lei de mendel aprofundamento2º lei de mendel aprofundamento
2º lei de mendel aprofundamento
letyap
 
Polialelia e dominância incompleta.
Polialelia e dominância incompleta.Polialelia e dominância incompleta.
Polialelia e dominância incompleta.
Claudete Carvalho
 
Interações de Genes alelos ensino médio.pptx
Interações de Genes alelos ensino médio.pptxInterações de Genes alelos ensino médio.pptx
Interações de Genes alelos ensino médio.pptx
HilmaBorges
 
Gregor Johann Mendel e sua história e seus conceitos
Gregor Johann Mendel e sua história e seus conceitosGregor Johann Mendel e sua história e seus conceitos
Gregor Johann Mendel e sua história e seus conceitos
eumarcia461
 
Genetica.pptx
Genetica.pptxGenetica.pptx
Genetica.pptx
DanielleSouza304612
 
Aulão genética 3 em
Aulão genética 3 emAulão genética 3 em
Aulão genética 3 em
César Milani
 
Genes letais
Genes letaisGenes letais
Genes letais
URCA
 
2. extensões das leis de mendel enfermagem
2. extensões das leis de mendel enfermagem2. extensões das leis de mendel enfermagem
2. extensões das leis de mendel enfermagem
Ana Paula Ribeiro
 
Pelagem de cobaias
Pelagem de cobaiasPelagem de cobaias
Pelagem de cobaias
hipaciabio
 
Introdução à genética
Introdução à genéticaIntrodução à genética
Introdução à genética
Andrey Moreira
 
Transmissão de características hereditárias
Transmissão de características hereditáriasTransmissão de características hereditárias
Transmissão de características hereditárias
Catir
 
Exercícios genética 7
Exercícios genética 7Exercícios genética 7
Exercícios genética 7
Carla Carrasco
 
3S Lista exercicios genética maio_sem resposta
3S   Lista  exercicios  genética maio_sem resposta3S   Lista  exercicios  genética maio_sem resposta
3S Lista exercicios genética maio_sem resposta
Ionara Urrutia Moura
 

Semelhante a Revisão de genética (versão para aula) (20)

Genetica
GeneticaGenetica
Genetica
 
Genetica
GeneticaGenetica
Genetica
 
Biologia - Genetica geral (Kleber Sales)
Biologia - Genetica geral (Kleber Sales)Biologia - Genetica geral (Kleber Sales)
Biologia - Genetica geral (Kleber Sales)
 
2ª Lei de Mendel e heranças ligadas ao sexo.pptx
2ª Lei de Mendel e heranças ligadas ao sexo.pptx2ª Lei de Mendel e heranças ligadas ao sexo.pptx
2ª Lei de Mendel e heranças ligadas ao sexo.pptx
 
1 patrimonio-genetico
1 patrimonio-genetico1 patrimonio-genetico
1 patrimonio-genetico
 
Aula 13 lei da segregação
Aula 13   lei da segregaçãoAula 13   lei da segregação
Aula 13 lei da segregação
 
Exercícios genética 6
Exercícios genética 6Exercícios genética 6
Exercícios genética 6
 
2º lei de mendel aprofundamento
2º lei de mendel aprofundamento2º lei de mendel aprofundamento
2º lei de mendel aprofundamento
 
Polialelia e dominância incompleta.
Polialelia e dominância incompleta.Polialelia e dominância incompleta.
Polialelia e dominância incompleta.
 
Interações de Genes alelos ensino médio.pptx
Interações de Genes alelos ensino médio.pptxInterações de Genes alelos ensino médio.pptx
Interações de Genes alelos ensino médio.pptx
 
Gregor Johann Mendel e sua história e seus conceitos
Gregor Johann Mendel e sua história e seus conceitosGregor Johann Mendel e sua história e seus conceitos
Gregor Johann Mendel e sua história e seus conceitos
 
Genetica.pptx
Genetica.pptxGenetica.pptx
Genetica.pptx
 
Aulão genética 3 em
Aulão genética 3 emAulão genética 3 em
Aulão genética 3 em
 
Genes letais
Genes letaisGenes letais
Genes letais
 
2. extensões das leis de mendel enfermagem
2. extensões das leis de mendel enfermagem2. extensões das leis de mendel enfermagem
2. extensões das leis de mendel enfermagem
 
Pelagem de cobaias
Pelagem de cobaiasPelagem de cobaias
Pelagem de cobaias
 
Introdução à genética
Introdução à genéticaIntrodução à genética
Introdução à genética
 
Transmissão de características hereditárias
Transmissão de características hereditáriasTransmissão de características hereditárias
Transmissão de características hereditárias
 
Exercícios genética 7
Exercícios genética 7Exercícios genética 7
Exercícios genética 7
 
3S Lista exercicios genética maio_sem resposta
3S   Lista  exercicios  genética maio_sem resposta3S   Lista  exercicios  genética maio_sem resposta
3S Lista exercicios genética maio_sem resposta
 

Mais de Mario Leonel Rodrigues

Fisiologia animal comparada (versão para aula)
Fisiologia animal comparada    (versão para aula)Fisiologia animal comparada    (versão para aula)
Fisiologia animal comparada (versão para aula)
Mario Leonel Rodrigues
 
Citologia (versão para aula)
Citologia (versão para aula)Citologia (versão para aula)
Citologia (versão para aula)
Mario Leonel Rodrigues
 
Animais cordados (versão para aula)
Animais cordados (versão para aula)Animais cordados (versão para aula)
Animais cordados (versão para aula)
Mario Leonel Rodrigues
 
Animais invertebrados (versão para aula)
Animais invertebrados (versão para aula)Animais invertebrados (versão para aula)
Animais invertebrados (versão para aula)
Mario Leonel Rodrigues
 
Taxonomia (versão para aula)
Taxonomia  (versão para aula)Taxonomia  (versão para aula)
Taxonomia (versão para aula)
Mario Leonel Rodrigues
 
Estudo dos protozoários (versão para aula)
Estudo dos protozoários (versão para aula)Estudo dos protozoários (versão para aula)
Estudo dos protozoários (versão para aula)
Mario Leonel Rodrigues
 
Embriologia (versão para aula)
Embriologia (versão para aula)Embriologia (versão para aula)
Embriologia (versão para aula)
Mario Leonel Rodrigues
 
Revisão de genética para o vestibular da ufs
Revisão de genética para o vestibular da ufsRevisão de genética para o vestibular da ufs
Revisão de genética para o vestibular da ufs
Mario Leonel Rodrigues
 

Mais de Mario Leonel Rodrigues (8)

Fisiologia animal comparada (versão para aula)
Fisiologia animal comparada    (versão para aula)Fisiologia animal comparada    (versão para aula)
Fisiologia animal comparada (versão para aula)
 
Citologia (versão para aula)
Citologia (versão para aula)Citologia (versão para aula)
Citologia (versão para aula)
 
Animais cordados (versão para aula)
Animais cordados (versão para aula)Animais cordados (versão para aula)
Animais cordados (versão para aula)
 
Animais invertebrados (versão para aula)
Animais invertebrados (versão para aula)Animais invertebrados (versão para aula)
Animais invertebrados (versão para aula)
 
Taxonomia (versão para aula)
Taxonomia  (versão para aula)Taxonomia  (versão para aula)
Taxonomia (versão para aula)
 
Estudo dos protozoários (versão para aula)
Estudo dos protozoários (versão para aula)Estudo dos protozoários (versão para aula)
Estudo dos protozoários (versão para aula)
 
Embriologia (versão para aula)
Embriologia (versão para aula)Embriologia (versão para aula)
Embriologia (versão para aula)
 
Revisão de genética para o vestibular da ufs
Revisão de genética para o vestibular da ufsRevisão de genética para o vestibular da ufs
Revisão de genética para o vestibular da ufs
 

Revisão de genética (versão para aula)

  • 1. CRUZAMENTOS BÁSICOS genótipos proporção fenótipos proporção DOMINÂNCIA COMPLETA AA Aa aa 1 2 1 pigmentado albino 3 1 CODOMINÂNCIA BB VV BV 1 2 1 branco vermelho róseo 1 2 1 LETALIDADE AA Aa aa 1 2 1 letal (aguti) aguti amarelo 2 1 Obs.: no cruzamento teste (test-cross) um indivíduo de fenótipo dominante (A-) e de genótipo desconhecido é cruzado com outro de genótipo recessivo (aa). Se entre os descendentes surgirem apenas dominantes(A-) é porque o parental dominante é homozigoto e se ocorrer algum recessivo é porque o parental é Heterozigoto. O que significa penetrância, expressibilidade e atavismo? LEONEL
  • 2. LEONEL HEREDOGRAMA Gêmeos monozigótico do sexo feminino Gêmeos dizigóticos de sexos diferentes Gêmeos dizigóticos do sexo feminino Gêmeos dizigóticos do sexo masculino Gêmeos monozigóticos do sexo masculino Cruzamento consang üíneo Macho normal Macho portador de um caráter Fêmea normal Fêmea portadora de um caráter Indicação de cruzamento Sexo ignorado 1 2 1 2 3 4 5 6 1 2 3 4 5 1 2 3 Representa ção de uma genealogia (heredograma) onde aparece uma característicaí autossômica recessiva.
  • 3. LEONEL PROBABILIDADE GENÉTICA CONCEITO:É a relação entre o número de casos possíveis para uma características e o número total de Possibilidades. ú ú . Por exemplo: a probabilidade de, num lançamento, a face 3 de um dado permanecer voltada para cima é de 1/6, visto que, o dado tem 6 faces e apenas umade número 3. TIPOS DE PROBABILIDADES: acima temos um caso de probabilidade simples. No caso de probabilidades combinadas podemos ter: probabilidades simultâneas (regra do “e” e probabilidades exclusivas (regra do “ou”). PROBABILIDADES SIMULTÂNEAS: ocorrem quando os fatos ocorrem ao mesmo tempo. Por exemplo: ser de olhos azuis e do sexo feminino. PROBABILIDADES EXCLUSIVAS: acontece quando a ocorrência de um fato exclui a do outro. Por exemplo: a probabilidade de em um nascimento a criança ser do sexo masculino é: OBSERVAÇÃO IMPORTANTE: quando os fatos não ocorreram dentro de uma sequência há necessidade de cálculos mais complexos. Por exemplo: qual éa probabilidade de um casal, produzir entre três filhos, 2 meninos e 1 menina ? (p+q)³= 1p³ + 3p² q¹ + 3p¹ q² + 1q³ Para a representação de 2 meninos (p) e 1 menina (q) teremos: 3 x½ x 1 x 1/4 = 3/2 x 1/4 = 3/8
  • 4. LEONEL A B I I i i ALELOS MÚLTIPOS CONCEITO: herança em que um locus pode ser ocupado, alternaivamente, por três ou mais genes diferentes. EXEMPLO: a cor da pelagem de coelhos determinada por um único locus gênico, pode ser ocupado, em indi- víduos diferentes por formas alternativas desse gene. ´ é C > c > c > c 4 + 3 + 2 + 1 = 10 (genótipos) ch h SISTEMA ABO Ocorrem proteínas no sangue humano denominadas antígenos e anticorpos. Os anticorpos (aglutininas) do receptor quando em contato com os antígenos (aglutinógenos) do doador, provocam aglutinação e entopem os vasos sanguíneos, geralmente, levando o indivíduo à morte. I AB BB O O A AB A doador universal receptor universal A relação de dominância é:ç II I I i A B i GENÓTIPOS E FENÓTIPOS IA A A > Grupo A I I II iI ii B B B Grupo B Grupo O Grupo AB GRUPOS SANGÜÍNEOS A B
  • 5. FATOR Rh GENÓTIPOS FENÓTIPOS DD ou RR Rh positivo Dd ou Rr Rh positivo Dd ou rr Rh negativo O sangue de algumas pessoas possui uma proteína denominada fator Rh (foi encontrada pela primeira vez no macaco Rhezus. Quando essa proteína é inoculada em pessoas sem o fator Rh, estas reagem produzindo anticorpos contra o fator Rh. Na primeira vez não há conseqüências maiores, porém numa segunda vez o or- ganismo, da pessoa que fora sensibilizado anteriormente, promove a aglutinação das hemácias do doador en- tupindo os vasos sangülíneos e levando o receptor a óbito. A relação de dominância é: D > d ou R > r Quando um criança, filha de mãe Rh negativo e pai Rh positivo, nasce com sangue Rh positivo, suas hemácias jovens penetram no sangue da mãe e induzem a produção de aglutininas anti-Rh. Como o fato ocorre quando a gestação já está adiantada não há perigo para o feto que está em desenvolvimento. Entretanto uma nova gestação de filho Rh positivo poderá trazer conseqüências danosas ao bebê, podendo levá-lo à morte. Obs.: atualmente existe um tratamento de desensibilização da mãe que deve ser feito logo após o nascimento do primeiro filho com Rh positivo. FATOR MN Esse fator é determinado por dois tipos de antígenos do sangue humano (M e N) que só foram descobertos em Casos de transfusões em cobaias não humanas. Para o homem não há conseqüências pois não há reação ao antígeno. GENÓTIPOS FENÓTIPOS L L Grupo M L L Grupo MN L L Grupo N MM M NN N A relação de dominância é: L = L M N LEONEL
  • 7. LEONEL INTERAÇÃO GÊNICA São genes situados em pares cromos- somicos diferentes e que manifestam uma característica quando estão juntos, e quando estão separados exercem domi- nãncia sobre o alelo recessivo do outro locus. Crista SIMPLESrr ee Crista ERVILHArr E- Crista ROSAR- ee Crista NOZR- E- FENÓTIPOSGENÓTIPOS Ocorre quando um locus gênico impede a manifestação de outro locus. 3Epistasia dominante/recessiva 13 169Genes duplos com efeito cumulativo 79Epistasia duplo-recessiva- 439Epistasia recessiva 115Epistasia duplo-dominante 1312Epistasia dominante 1339Proporção clássica aa bbaa B-A- bbA- B- EPISTASIAGENES COMPLEMENTARES
  • 8. POLIMERIA Nesse tipo de herança cada gene contribui com um percentual na determinação do fenótipo. Desta forma o fe- nótipo resultará da somatória dos efeitos de cada gene. O exemplo clássico é a determinação da cor da pele dos homens, numa variação entre o branco e o negro.ç ç GENÓTIPOS E FENÓTIPOS AABB - negro AABb AaBB - mulato escuro AAbb aaBB AaBb - mulato médio Aabb aaBb - mulato claro aabb - branco Para determinar a proporção fenotípica no cruzamento entre heterozigotos, podemos utilizar o triângulo de Pascal. As linhas pares do triângulo de Pascal nos fornecem as proporções poliméricas para os pares de genes considerados. 1 1 1 1 2 1 1 3 3 1 1 4 6 4 1 1 5 10 10 5 1 1 6 15 20 15 6 1 Para galinhas das raças Batans e Hamburguesas os genes que determinam a a massa corpórea são os seguintes: AA = 60% no aumento da massa Aa = 38% BB = 30% Bb = 25% CC = 15% Cc = 10% aabbccdd= massa base = 715 g Uma ave AaBbCc terá que massa corpórea?
  • 9. LINKAGE E PERMUTA LEONEL DUPLO CROSSING 2ª LEI DE MENDEL (SEGREGAÇÃO INDEPENDENTE) LINKAGE TOTAL (VINCULAÇÃO GÊNICA) LINKAGE PARCIAL (SEM VINCULAÇÃO GÊNICA) CROSSING OVER
  • 11. LEONEL HERANÇA LIGADA AO SEXO CRISS-CROSS (gene recessivo ligado ao cromossomo Y que é transmitido, na primeira geração, apenas para os machos) Herança em que os genes estão ligados ao cromossomo X e são transmitidos pela mãe aos seus filhos. Como exemplo citamos a hemofilia e o daltonismo. Fenótipo Homem Mulher Normal XH Y XH XH Hemofílico Xh Xh Xh Fenótipo Homem Mulher Normal XD Y XD XD Hemofílico Xd Xd Xd COR DE OLHOS PARA DROSÓFILA
  • 12. HERANÇA PARCIALMENTE LIGADA AO SEXO RENITITE PIGMENTAR: cegueira devido à depósitos de melanina na retina. Essa anomalia é causadas por um gene dominante parcialmente ligado ao sexo. XENODERMA PIGMENTOSUM: irritação da pele formando placas pigmentadas que podem evoluir para tumores malignos. Também causa fotossensibilidade. Essa anormalidade é provocada por um alelo recessivo, parcialmente ligado ao sexo. Fenótipo Homem Mulher Renitite XRYR XRYr Xr YR XRXR XRXr Normal Xr Y XrXr Herança em que os genes se situam na região homóloga dos cromossomos sexuais (X e Y). Os genes alelos se comportam da mesma forma que na herança autossômica. Fenótipo Homem Mulher Normal XPYP XPYp XpYP XPXP XPXp Xenoderma XpYp XpXp GENES HOLÂNDRICOS É a herança dos genes localizados na parte do cromossomo Y que não tem homologia com o X. Esses genes são transmitidos pelos pais apenas aos filhos do sexo masculino. São exemplos de genes holândricos: ICTIOSE GRAVE: presença de pelos longos e duros como as cerdas dos porcos. Edward Lambert (inglês) apresentava essa anomalia e foi chamado de “homem porco espinho”. HIPERTRICOSE AURICULAR: presença de pelos no pavilhão auditivo, comum entre os homens indianos. LEONEL
  • 13. HERANÇA LIMITADA AO SEXO Tipo de herança que só se manifesta em um dos sexos. Genótipo Macho Fêmea HH penas de galinha penas de galinha Hh penas de galinha penas de galinha hh penas de galo penas de galinha Genótipo Fêmea Macho WW branca amarela Ww branca amarela ww amarela amarela Presença de penas de galo e de galinha Cor das asas de borboleta HERANÇA INFLUENCIADA PELO SEXO Genótipo Homem Mulher BB calvo calva Bb calvo não calva bb não calvo não calvoa Herança que se manifesta conforme o sexo do indivíduo influenciada pela ação hormonal e fisiológica. Calvície na raça humana Genótipo Macho Fêmea CC castanho castanho Cc castanho vermelho cc vermelho vermelho Cor de gado leiteiro LEONEL
  • 14. LEONEL DISTRIBUIÇÃO CROMOSSÔMICA DO SEXO TIPO DROSÓFILA (LYGAEUS) TIPO PROTENOR 2A+ X _ _ TIPO Z0ABRAXAS 2A + ZW A + W
  • 15. GENÉTICA DAS POPULAÇÕES LEONEL DIMENSÃO DA POPULAÇÃO: população grande para ser representativa. PANMIXIA: os cruzamento ocorrem ao acaso, todos tem chances de cruzar. MUTAÇÕES: não podem ocorrer, pois alteram os genes produzindo novas espécies SELEÇÃO NATURAL: não pode ocorrer, pois pode alterar a proporção entre os genótipos. POPULAÇÃO FECHADA: não pode ocorrer imigração nem emigração de indivíduos. CONDIÇÕES ESTABELECIDAS POR HARDY-WEINBERG PROPORÇÃO DOS GENES DOMINATES E RECESSIVOS NUMA POPULAÇÃO EM EQUILÍBRIO p = A (gene dominante) q = a (gene recessivo) PROPORÇÃO GENOTÍPICA NUMA POPULAÇAO EM EQUILÍBRIO p² = AA, 2pq = 2 Aa e q² = aa
  • 16. LEONEL GENÉTICA DAS POPULAÇÕES DEMONSTRAÇÃO DO TEOREMA DE HARDY-WEINBERB
  • 17. GENÉTICA DAS POPULAÇÕES LEONEL ALGUMAS VARIANTES PARA A GENÉTICA DAS POPULAÇÕES HERANÇA LIGADA AO SEXO (p + q)² = p² + 2pq + q²Para o sexo feminino: Para o sexo masculino: (p + q)¹ = p + q POLIALELISMO (p+q+r s)² = p²+2pq+2pr+2ps+q²+2qr+2qs+r²+2rs+s² (para 4 genes) POLIMERIA (para 4 genes) (p+q+r s)² = p²+2pq+2pr+2ps+q²+2qr+2qs+r²+2rs+s² GENE LETAL AUTOSSÓMICO (p + q)² = p² + 2pq HERANÇA INFLUENCIADA PELO SEXO Para o sexo masculino: (p + q)² = p² + 2pq + q² Para o sexo feminino: (p + q)² = p² + 2pq + q²