SlideShare uma empresa Scribd logo
Ocorrência e parâmetros ecológicos de coleópteros degradadores da madeira
em Área de Preservação Permanente (APP) em região de Cerrado, Cristalina,
GO.
Thiago Sampaio de Souza; Vinicius José Fernandes; Acácio Geraldo de Carvalho
Os insetos da Ordem Coleoptera representam o grupo mais bem sucedido de seres vivos
em termos de diversidade, com quase 360.000 espécies descritas, distribuídas pelo
mundo, representando 35% do total de insetos. Essa ordem é considerada a maior
causadora de danos, como pragas agrícolas e florestais e consideradas pragas de difícil
controle. Foram realizadas coletas em Área de Preservação Permanente (APP) na cidade
de Cristalina, GO, situada a S 16°46’08” e W 47°36’50”, com o objetivo de fazer o
levantamento, definir a frequência e a flutuação populacional de insetos da Ordem
Coleoptera. Foram realizadas 15 coletas semanais, entre os dias 26/10/2015 à
01/02/2016. As condições climáticas, temperatura média do ar e precipitação
pluviométrica, durante o período de coletas foi 22,67ºC e 619,2 mm (área monitorada
através de estação meteorológica presente em propriedade particular de produtor rural).
Para a realização das coletas foi utilizada armadilha do modelo Carvalho-47 a qual foi
instalada a uma altura de aproximadamente 1,30m do solo e sustentada por arame de
acordo com o padrão de instalação do modelo da armadilha. Foram coletados 113
espécimes da Ordem Coleoptera distribuídos em oito famílias: Anobiidae, Bostrichidae,
Buprestidae, Curculionidae, Elateridae, Lycitidae, Vesperidae (Cerambycidae) e
Staphylinidae; e três subfamílias: Bruchinae, Scolytinae e Platypodinae. A diversidade
de insetos coletados pode ser explicado pela diversidade florística presente na área,
porém a subfamília Scolytinae foi a mais encontrada entre os coleópteras coletados
durante os três meses. Na 13ª semana foram coletados 14 espécimes representando
63,6% dos insetos coletados. Na 6ª coleta, a subfamília Scolytinae foi a mais frequente
(35,29%), juntamente com a família Bostrichidae (35,29%). Durante todo o período
amostrado observou-se maior frequência dos escolitíneos com 34,95%. Porém, na 3ª e
4ª coleta, quando ocorreu baixa precipitação, ou nem houve (0,4 e 0,0 mm,
respectivamente), e a menor temperatura média registrada da coleta a captura de
espécimes da subfamília Scolytinae foi baixa. A alta frequência de escolitíneos, pode
estar relacionada ao fato destes insetos possuírem maior atividade nesses tipos de matas
e por pertencerem a subfamília que representa o maior número de espécies da ordem.
Porém, observou-se que quando não ocorre precipitação em pelo menos um dia da
semana e as temperaturas são baixas a ocorrência desses broqueadores é reduzida.
Palavras-chave: Besouros, broqueadores, armadilha etanólica.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

PLANTAS ORNAMENTAIS APÍCOLAS NO SUL DO BRASIL
PLANTAS ORNAMENTAIS APÍCOLAS NO SUL DO BRASILPLANTAS ORNAMENTAIS APÍCOLAS NO SUL DO BRASIL
PLANTAS ORNAMENTAIS APÍCOLAS NO SUL DO BRASIL
Label-ha
 
Levantamento Da Apifauna Em Floresta Ombrófila Densa De Terras Baixas...
Levantamento  Da  Apifauna  Em  Floresta  Ombrófila  Densa  De  Terras Baixas...Levantamento  Da  Apifauna  Em  Floresta  Ombrófila  Densa  De  Terras Baixas...
Levantamento Da Apifauna Em Floresta Ombrófila Densa De Terras Baixas...
Label-ha
 
Fauna de abelhas associada a plantas de manguezal na região da Baía da Babito...
Fauna de abelhas associada a plantas de manguezal na região da Baía da Babito...Fauna de abelhas associada a plantas de manguezal na região da Baía da Babito...
Fauna de abelhas associada a plantas de manguezal na região da Baía da Babito...
Label-ha
 
Achatina fulica 2003
Achatina fulica 2003Achatina fulica 2003
Achatina fulica 2003
Juliana Arantes
 
Diversidade de apifauna no entorno da represa hidroelétrica do rio do Bracinh...
Diversidade de apifauna no entorno da represa hidroelétrica do rio do Bracinh...Diversidade de apifauna no entorno da represa hidroelétrica do rio do Bracinh...
Diversidade de apifauna no entorno da represa hidroelétrica do rio do Bracinh...
Label-ha
 
Abelhas nativas (Hymenoptera: Apidae) em Floresta Ombrófila Densa Submontana ...
Abelhas nativas (Hymenoptera: Apidae) em Floresta Ombrófila Densa Submontana ...Abelhas nativas (Hymenoptera: Apidae) em Floresta Ombrófila Densa Submontana ...
Abelhas nativas (Hymenoptera: Apidae) em Floresta Ombrófila Densa Submontana ...
Label-ha
 
Abelhas nativas (Hymenoptera: Apidae) em Floresta Ombrófila Densa Submontana ...
Abelhas nativas (Hymenoptera: Apidae) em Floresta Ombrófila Densa Submontana ...Abelhas nativas (Hymenoptera: Apidae) em Floresta Ombrófila Densa Submontana ...
Abelhas nativas (Hymenoptera: Apidae) em Floresta Ombrófila Densa Submontana ...
Label-ha
 
Apifauna e seus recursos forrageiros ocorrentes em área de barragem hidrelétr...
Apifauna e seus recursos forrageiros ocorrentes em área de barragem hidrelétr...Apifauna e seus recursos forrageiros ocorrentes em área de barragem hidrelétr...
Apifauna e seus recursos forrageiros ocorrentes em área de barragem hidrelétr...
Label-ha
 
Comunidades de abelhas e recursos florais em área de clima temperado no sul d...
Comunidades de abelhas e recursos florais em área de clima temperado no sul d...Comunidades de abelhas e recursos florais em área de clima temperado no sul d...
Comunidades de abelhas e recursos florais em área de clima temperado no sul d...
Label-ha
 
Essências atrativas e novo registro de Euglossini (Hymenoptera, Apidae) em Sa...
Essências atrativas e novo registro de Euglossini (Hymenoptera, Apidae) em Sa...Essências atrativas e novo registro de Euglossini (Hymenoptera, Apidae) em Sa...
Essências atrativas e novo registro de Euglossini (Hymenoptera, Apidae) em Sa...
Label-ha
 
Diversidade de abelhas nativas (Hymenoptera, Apidae) em floresta ombrófila de...
Diversidade de abelhas nativas (Hymenoptera, Apidae) em floresta ombrófila de...Diversidade de abelhas nativas (Hymenoptera, Apidae) em floresta ombrófila de...
Diversidade de abelhas nativas (Hymenoptera, Apidae) em floresta ombrófila de...
Label-ha
 
Essências atrativas e novo registro de Euglossini (Hymenoptera, Apidae) em Sa...
Essências atrativas e novo registro de Euglossini (Hymenoptera, Apidae) em Sa...Essências atrativas e novo registro de Euglossini (Hymenoptera, Apidae) em Sa...
Essências atrativas e novo registro de Euglossini (Hymenoptera, Apidae) em Sa...
Label-ha
 

Mais procurados (12)

PLANTAS ORNAMENTAIS APÍCOLAS NO SUL DO BRASIL
PLANTAS ORNAMENTAIS APÍCOLAS NO SUL DO BRASILPLANTAS ORNAMENTAIS APÍCOLAS NO SUL DO BRASIL
PLANTAS ORNAMENTAIS APÍCOLAS NO SUL DO BRASIL
 
Levantamento Da Apifauna Em Floresta Ombrófila Densa De Terras Baixas...
Levantamento  Da  Apifauna  Em  Floresta  Ombrófila  Densa  De  Terras Baixas...Levantamento  Da  Apifauna  Em  Floresta  Ombrófila  Densa  De  Terras Baixas...
Levantamento Da Apifauna Em Floresta Ombrófila Densa De Terras Baixas...
 
Fauna de abelhas associada a plantas de manguezal na região da Baía da Babito...
Fauna de abelhas associada a plantas de manguezal na região da Baía da Babito...Fauna de abelhas associada a plantas de manguezal na região da Baía da Babito...
Fauna de abelhas associada a plantas de manguezal na região da Baía da Babito...
 
Achatina fulica 2003
Achatina fulica 2003Achatina fulica 2003
Achatina fulica 2003
 
Diversidade de apifauna no entorno da represa hidroelétrica do rio do Bracinh...
Diversidade de apifauna no entorno da represa hidroelétrica do rio do Bracinh...Diversidade de apifauna no entorno da represa hidroelétrica do rio do Bracinh...
Diversidade de apifauna no entorno da represa hidroelétrica do rio do Bracinh...
 
Abelhas nativas (Hymenoptera: Apidae) em Floresta Ombrófila Densa Submontana ...
Abelhas nativas (Hymenoptera: Apidae) em Floresta Ombrófila Densa Submontana ...Abelhas nativas (Hymenoptera: Apidae) em Floresta Ombrófila Densa Submontana ...
Abelhas nativas (Hymenoptera: Apidae) em Floresta Ombrófila Densa Submontana ...
 
Abelhas nativas (Hymenoptera: Apidae) em Floresta Ombrófila Densa Submontana ...
Abelhas nativas (Hymenoptera: Apidae) em Floresta Ombrófila Densa Submontana ...Abelhas nativas (Hymenoptera: Apidae) em Floresta Ombrófila Densa Submontana ...
Abelhas nativas (Hymenoptera: Apidae) em Floresta Ombrófila Densa Submontana ...
 
Apifauna e seus recursos forrageiros ocorrentes em área de barragem hidrelétr...
Apifauna e seus recursos forrageiros ocorrentes em área de barragem hidrelétr...Apifauna e seus recursos forrageiros ocorrentes em área de barragem hidrelétr...
Apifauna e seus recursos forrageiros ocorrentes em área de barragem hidrelétr...
 
Comunidades de abelhas e recursos florais em área de clima temperado no sul d...
Comunidades de abelhas e recursos florais em área de clima temperado no sul d...Comunidades de abelhas e recursos florais em área de clima temperado no sul d...
Comunidades de abelhas e recursos florais em área de clima temperado no sul d...
 
Essências atrativas e novo registro de Euglossini (Hymenoptera, Apidae) em Sa...
Essências atrativas e novo registro de Euglossini (Hymenoptera, Apidae) em Sa...Essências atrativas e novo registro de Euglossini (Hymenoptera, Apidae) em Sa...
Essências atrativas e novo registro de Euglossini (Hymenoptera, Apidae) em Sa...
 
Diversidade de abelhas nativas (Hymenoptera, Apidae) em floresta ombrófila de...
Diversidade de abelhas nativas (Hymenoptera, Apidae) em floresta ombrófila de...Diversidade de abelhas nativas (Hymenoptera, Apidae) em floresta ombrófila de...
Diversidade de abelhas nativas (Hymenoptera, Apidae) em floresta ombrófila de...
 
Essências atrativas e novo registro de Euglossini (Hymenoptera, Apidae) em Sa...
Essências atrativas e novo registro de Euglossini (Hymenoptera, Apidae) em Sa...Essências atrativas e novo registro de Euglossini (Hymenoptera, Apidae) em Sa...
Essências atrativas e novo registro de Euglossini (Hymenoptera, Apidae) em Sa...
 

Semelhante a Resumo ENTOMORIO

Acão degradadores de madeira
Acão  degradadores de madeiraAcão  degradadores de madeira
Acão degradadores de madeira
Carlos Alberto Monteiro
 
PredaçãO De Pequenos MamíFeros Por Suindara (Tyto Alba)
PredaçãO De Pequenos MamíFeros Por Suindara (Tyto Alba)PredaçãO De Pequenos MamíFeros Por Suindara (Tyto Alba)
PredaçãO De Pequenos MamíFeros Por Suindara (Tyto Alba)
guest599576
 
Cigarrinhas campo artigo
Cigarrinhas campo artigoCigarrinhas campo artigo
Cigarrinhas campo artigo
avisaassociacao
 
A malacofauna terrestre do distrito de Vai Volta
A malacofauna terrestre do distrito de Vai VoltaA malacofauna terrestre do distrito de Vai Volta
A malacofauna terrestre do distrito de Vai Volta
Amanda Oliveira
 
303 2299-1-pb
303 2299-1-pb303 2299-1-pb
303 2299-1-pb
Guilherme Fernando
 
Análise das principais espécies de Scolytidae na Amazônia - Eli nunes
Análise das principais espécies de Scolytidae na Amazônia - Eli nunesAnálise das principais espécies de Scolytidae na Amazônia - Eli nunes
Análise das principais espécies de Scolytidae na Amazônia - Eli nunes
Carlos Alberto Monteiro
 
Diversidade de apifauna no entorno da represa hidroelétrica do rio do Bracinh...
Diversidade de apifauna no entorno da represa hidroelétrica do rio do Bracinh...Diversidade de apifauna no entorno da represa hidroelétrica do rio do Bracinh...
Diversidade de apifauna no entorno da represa hidroelétrica do rio do Bracinh...
Label-ha
 
Limiares de movimento externo para Caenohalictus incertus (Apidae, Halictini)...
Limiares de movimento externo para Caenohalictus incertus (Apidae, Halictini)...Limiares de movimento externo para Caenohalictus incertus (Apidae, Halictini)...
Limiares de movimento externo para Caenohalictus incertus (Apidae, Halictini)...
Label-ha
 
Aspectos biogeográficos no Arquipélago de Santa Catarina
Aspectos biogeográficos no Arquipélago de Santa CatarinaAspectos biogeográficos no Arquipélago de Santa Catarina
Aspectos biogeográficos no Arquipélago de Santa Catarina
AvistarBrasil
 
Abelhas nativas (Hymenoptera, Apidae) e plantas associadas ocorrentes no parq...
Abelhas nativas (Hymenoptera, Apidae) e plantas associadas ocorrentes no parq...Abelhas nativas (Hymenoptera, Apidae) e plantas associadas ocorrentes no parq...
Abelhas nativas (Hymenoptera, Apidae) e plantas associadas ocorrentes no parq...
Label-ha
 
Ofídios do Parque Estadual Sumaúma, Manaus - Amazonas.ppt
Ofídios do Parque Estadual Sumaúma, Manaus - Amazonas.pptOfídios do Parque Estadual Sumaúma, Manaus - Amazonas.ppt
Ofídios do Parque Estadual Sumaúma, Manaus - Amazonas.ppt
André Girão
 
REDE DE INTERAÇÃO E RELAÇÕES ABELHA-FLOR: UM ESTUDO DE CASO.
REDE DE INTERAÇÃO E RELAÇÕES ABELHA-FLOR: UM ESTUDO DE CASO.REDE DE INTERAÇÃO E RELAÇÕES ABELHA-FLOR: UM ESTUDO DE CASO.
REDE DE INTERAÇÃO E RELAÇÕES ABELHA-FLOR: UM ESTUDO DE CASO.
Label-ha
 
Coccinellidae
CoccinellidaeCoccinellidae
Press release borboletaazul_biodiversidade_vilareal_final
Press release borboletaazul_biodiversidade_vilareal_finalPress release borboletaazul_biodiversidade_vilareal_final
Press release borboletaazul_biodiversidade_vilareal_final
biodiversidadevilareal
 
Diversidade de abelhas (hymenoptera apidae) em área de mata atlantica em join...
Diversidade de abelhas (hymenoptera apidae) em área de mata atlantica em join...Diversidade de abelhas (hymenoptera apidae) em área de mata atlantica em join...
Diversidade de abelhas (hymenoptera apidae) em área de mata atlantica em join...
Label-ha
 
Diversidade de abelhas (hymenoptera apidae) em área de amta atlantica (piraí)
Diversidade de abelhas (hymenoptera  apidae) em área de amta atlantica (piraí)Diversidade de abelhas (hymenoptera  apidae) em área de amta atlantica (piraí)
Diversidade de abelhas (hymenoptera apidae) em área de amta atlantica (piraí)
Label-ha
 
Estrutura de uma comunidade de abelhas em área de Floresta Ombrófila Densa Mo...
Estrutura de uma comunidade de abelhas em área de Floresta Ombrófila Densa Mo...Estrutura de uma comunidade de abelhas em área de Floresta Ombrófila Densa Mo...
Estrutura de uma comunidade de abelhas em área de Floresta Ombrófila Densa Mo...
Label-ha
 
Apresentação final do Mestrado em Botânica na UnB - Musgos da Serra do Cipó
Apresentação final do Mestrado em Botânica na UnB - Musgos da Serra do CipóApresentação final do Mestrado em Botânica na UnB - Musgos da Serra do Cipó
Apresentação final do Mestrado em Botânica na UnB - Musgos da Serra do Cipó
Ronaldo Viveiros
 
Publicações na Área - Mollusca
Publicações na Área - Mollusca Publicações na Área - Mollusca
Publicações na Área - Mollusca
ConexaoCaramujo
 
6ano atividade 01
6ano atividade 016ano atividade 01
6ano atividade 01
Vivian Harrizvivian
 

Semelhante a Resumo ENTOMORIO (20)

Acão degradadores de madeira
Acão  degradadores de madeiraAcão  degradadores de madeira
Acão degradadores de madeira
 
PredaçãO De Pequenos MamíFeros Por Suindara (Tyto Alba)
PredaçãO De Pequenos MamíFeros Por Suindara (Tyto Alba)PredaçãO De Pequenos MamíFeros Por Suindara (Tyto Alba)
PredaçãO De Pequenos MamíFeros Por Suindara (Tyto Alba)
 
Cigarrinhas campo artigo
Cigarrinhas campo artigoCigarrinhas campo artigo
Cigarrinhas campo artigo
 
A malacofauna terrestre do distrito de Vai Volta
A malacofauna terrestre do distrito de Vai VoltaA malacofauna terrestre do distrito de Vai Volta
A malacofauna terrestre do distrito de Vai Volta
 
303 2299-1-pb
303 2299-1-pb303 2299-1-pb
303 2299-1-pb
 
Análise das principais espécies de Scolytidae na Amazônia - Eli nunes
Análise das principais espécies de Scolytidae na Amazônia - Eli nunesAnálise das principais espécies de Scolytidae na Amazônia - Eli nunes
Análise das principais espécies de Scolytidae na Amazônia - Eli nunes
 
Diversidade de apifauna no entorno da represa hidroelétrica do rio do Bracinh...
Diversidade de apifauna no entorno da represa hidroelétrica do rio do Bracinh...Diversidade de apifauna no entorno da represa hidroelétrica do rio do Bracinh...
Diversidade de apifauna no entorno da represa hidroelétrica do rio do Bracinh...
 
Limiares de movimento externo para Caenohalictus incertus (Apidae, Halictini)...
Limiares de movimento externo para Caenohalictus incertus (Apidae, Halictini)...Limiares de movimento externo para Caenohalictus incertus (Apidae, Halictini)...
Limiares de movimento externo para Caenohalictus incertus (Apidae, Halictini)...
 
Aspectos biogeográficos no Arquipélago de Santa Catarina
Aspectos biogeográficos no Arquipélago de Santa CatarinaAspectos biogeográficos no Arquipélago de Santa Catarina
Aspectos biogeográficos no Arquipélago de Santa Catarina
 
Abelhas nativas (Hymenoptera, Apidae) e plantas associadas ocorrentes no parq...
Abelhas nativas (Hymenoptera, Apidae) e plantas associadas ocorrentes no parq...Abelhas nativas (Hymenoptera, Apidae) e plantas associadas ocorrentes no parq...
Abelhas nativas (Hymenoptera, Apidae) e plantas associadas ocorrentes no parq...
 
Ofídios do Parque Estadual Sumaúma, Manaus - Amazonas.ppt
Ofídios do Parque Estadual Sumaúma, Manaus - Amazonas.pptOfídios do Parque Estadual Sumaúma, Manaus - Amazonas.ppt
Ofídios do Parque Estadual Sumaúma, Manaus - Amazonas.ppt
 
REDE DE INTERAÇÃO E RELAÇÕES ABELHA-FLOR: UM ESTUDO DE CASO.
REDE DE INTERAÇÃO E RELAÇÕES ABELHA-FLOR: UM ESTUDO DE CASO.REDE DE INTERAÇÃO E RELAÇÕES ABELHA-FLOR: UM ESTUDO DE CASO.
REDE DE INTERAÇÃO E RELAÇÕES ABELHA-FLOR: UM ESTUDO DE CASO.
 
Coccinellidae
CoccinellidaeCoccinellidae
Coccinellidae
 
Press release borboletaazul_biodiversidade_vilareal_final
Press release borboletaazul_biodiversidade_vilareal_finalPress release borboletaazul_biodiversidade_vilareal_final
Press release borboletaazul_biodiversidade_vilareal_final
 
Diversidade de abelhas (hymenoptera apidae) em área de mata atlantica em join...
Diversidade de abelhas (hymenoptera apidae) em área de mata atlantica em join...Diversidade de abelhas (hymenoptera apidae) em área de mata atlantica em join...
Diversidade de abelhas (hymenoptera apidae) em área de mata atlantica em join...
 
Diversidade de abelhas (hymenoptera apidae) em área de amta atlantica (piraí)
Diversidade de abelhas (hymenoptera  apidae) em área de amta atlantica (piraí)Diversidade de abelhas (hymenoptera  apidae) em área de amta atlantica (piraí)
Diversidade de abelhas (hymenoptera apidae) em área de amta atlantica (piraí)
 
Estrutura de uma comunidade de abelhas em área de Floresta Ombrófila Densa Mo...
Estrutura de uma comunidade de abelhas em área de Floresta Ombrófila Densa Mo...Estrutura de uma comunidade de abelhas em área de Floresta Ombrófila Densa Mo...
Estrutura de uma comunidade de abelhas em área de Floresta Ombrófila Densa Mo...
 
Apresentação final do Mestrado em Botânica na UnB - Musgos da Serra do Cipó
Apresentação final do Mestrado em Botânica na UnB - Musgos da Serra do CipóApresentação final do Mestrado em Botânica na UnB - Musgos da Serra do Cipó
Apresentação final do Mestrado em Botânica na UnB - Musgos da Serra do Cipó
 
Publicações na Área - Mollusca
Publicações na Área - Mollusca Publicações na Área - Mollusca
Publicações na Área - Mollusca
 
6ano atividade 01
6ano atividade 016ano atividade 01
6ano atividade 01
 

Mais de Carlos Alberto Monteiro da Silva

Diversidade de scolitynae ENTOMORIO
Diversidade de scolitynae   ENTOMORIODiversidade de scolitynae   ENTOMORIO
Diversidade de scolitynae ENTOMORIO
Carlos Alberto Monteiro da Silva
 
Ecologia da paisagem sob o ponto de vista de restauração ambiental
Ecologia da paisagem sob o ponto de vista de restauração ambientalEcologia da paisagem sob o ponto de vista de restauração ambiental
Ecologia da paisagem sob o ponto de vista de restauração ambiental
Carlos Alberto Monteiro da Silva
 
Parametros fitossociológicos
Parametros fitossociológicosParametros fitossociológicos
Parametros fitossociológicos
Carlos Alberto Monteiro da Silva
 
Grandes achados arqueologicos_-_parte_ii
Grandes achados arqueologicos_-_parte_iiGrandes achados arqueologicos_-_parte_ii
Grandes achados arqueologicos_-_parte_ii
Carlos Alberto Monteiro da Silva
 
Grandes achados arqueologicos_-_parte_i
Grandes achados arqueologicos_-_parte_iGrandes achados arqueologicos_-_parte_i
Grandes achados arqueologicos_-_parte_i
Carlos Alberto Monteiro da Silva
 
Caio fábio nephilim
Caio fábio   nephilimCaio fábio   nephilim
Caio fábio nephilim
Carlos Alberto Monteiro da Silva
 
Caio fábio confissões do pastor
Caio fábio   confissões do pastorCaio fábio   confissões do pastor
Caio fábio confissões do pastor
Carlos Alberto Monteiro da Silva
 
Objetivos ciencia
Objetivos cienciaObjetivos ciencia
Teoria e pratica em recuperao de áreas degradadas
Teoria e pratica em recuperao de áreas degradadasTeoria e pratica em recuperao de áreas degradadas
Teoria e pratica em recuperao de áreas degradadas
Carlos Alberto Monteiro da Silva
 
Teologia brasileira
Teologia brasileiraTeologia brasileira
Historia concisa da_filosofia
Historia concisa da_filosofiaHistoria concisa da_filosofia
Historia concisa da_filosofia
Carlos Alberto Monteiro da Silva
 
Louis Berkhof teologia-sistematica
Louis Berkhof teologia-sistematicaLouis Berkhof teologia-sistematica
Louis Berkhof teologia-sistematica
Carlos Alberto Monteiro da Silva
 
Formalismo e interpretacao
Formalismo e interpretacaoFormalismo e interpretacao
Formalismo e interpretacao
Carlos Alberto Monteiro da Silva
 
Ciencia como concepção de mundo
Ciencia como concepção de mundoCiencia como concepção de mundo
Ciencia como concepção de mundo
Carlos Alberto Monteiro da Silva
 
Reflexões filosóficas sobre a neutralidade e imparcialidade no ato de julgar
Reflexões filosóficas sobre a neutralidade e imparcialidade no ato de julgarReflexões filosóficas sobre a neutralidade e imparcialidade no ato de julgar
Reflexões filosóficas sobre a neutralidade e imparcialidade no ato de julgar
Carlos Alberto Monteiro da Silva
 
Atitude critica
Atitude criticaAtitude critica
Imparcialidade e ética
Imparcialidade e éticaImparcialidade e ética
Imparcialidade e ética
Carlos Alberto Monteiro da Silva
 
O que é e o que não é ciência,
O que é e o que não é ciência,O que é e o que não é ciência,
O que é e o que não é ciência,
Carlos Alberto Monteiro da Silva
 
Dilthey Tipos de concepção de mundo
Dilthey Tipos de concepção de mundoDilthey Tipos de concepção de mundo
Dilthey Tipos de concepção de mundo
Carlos Alberto Monteiro da Silva
 
A ideia-de-fenomenologia
A ideia-de-fenomenologiaA ideia-de-fenomenologia
A ideia-de-fenomenologia
Carlos Alberto Monteiro da Silva
 

Mais de Carlos Alberto Monteiro da Silva (20)

Diversidade de scolitynae ENTOMORIO
Diversidade de scolitynae   ENTOMORIODiversidade de scolitynae   ENTOMORIO
Diversidade de scolitynae ENTOMORIO
 
Ecologia da paisagem sob o ponto de vista de restauração ambiental
Ecologia da paisagem sob o ponto de vista de restauração ambientalEcologia da paisagem sob o ponto de vista de restauração ambiental
Ecologia da paisagem sob o ponto de vista de restauração ambiental
 
Parametros fitossociológicos
Parametros fitossociológicosParametros fitossociológicos
Parametros fitossociológicos
 
Grandes achados arqueologicos_-_parte_ii
Grandes achados arqueologicos_-_parte_iiGrandes achados arqueologicos_-_parte_ii
Grandes achados arqueologicos_-_parte_ii
 
Grandes achados arqueologicos_-_parte_i
Grandes achados arqueologicos_-_parte_iGrandes achados arqueologicos_-_parte_i
Grandes achados arqueologicos_-_parte_i
 
Caio fábio nephilim
Caio fábio   nephilimCaio fábio   nephilim
Caio fábio nephilim
 
Caio fábio confissões do pastor
Caio fábio   confissões do pastorCaio fábio   confissões do pastor
Caio fábio confissões do pastor
 
Objetivos ciencia
Objetivos cienciaObjetivos ciencia
Objetivos ciencia
 
Teoria e pratica em recuperao de áreas degradadas
Teoria e pratica em recuperao de áreas degradadasTeoria e pratica em recuperao de áreas degradadas
Teoria e pratica em recuperao de áreas degradadas
 
Teologia brasileira
Teologia brasileiraTeologia brasileira
Teologia brasileira
 
Historia concisa da_filosofia
Historia concisa da_filosofiaHistoria concisa da_filosofia
Historia concisa da_filosofia
 
Louis Berkhof teologia-sistematica
Louis Berkhof teologia-sistematicaLouis Berkhof teologia-sistematica
Louis Berkhof teologia-sistematica
 
Formalismo e interpretacao
Formalismo e interpretacaoFormalismo e interpretacao
Formalismo e interpretacao
 
Ciencia como concepção de mundo
Ciencia como concepção de mundoCiencia como concepção de mundo
Ciencia como concepção de mundo
 
Reflexões filosóficas sobre a neutralidade e imparcialidade no ato de julgar
Reflexões filosóficas sobre a neutralidade e imparcialidade no ato de julgarReflexões filosóficas sobre a neutralidade e imparcialidade no ato de julgar
Reflexões filosóficas sobre a neutralidade e imparcialidade no ato de julgar
 
Atitude critica
Atitude criticaAtitude critica
Atitude critica
 
Imparcialidade e ética
Imparcialidade e éticaImparcialidade e ética
Imparcialidade e ética
 
O que é e o que não é ciência,
O que é e o que não é ciência,O que é e o que não é ciência,
O que é e o que não é ciência,
 
Dilthey Tipos de concepção de mundo
Dilthey Tipos de concepção de mundoDilthey Tipos de concepção de mundo
Dilthey Tipos de concepção de mundo
 
A ideia-de-fenomenologia
A ideia-de-fenomenologiaA ideia-de-fenomenologia
A ideia-de-fenomenologia
 

Último

Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptxApresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Geagra UFG
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 
CAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUS
CAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUSCAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUS
CAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUS
ESCRIBA DE CRISTO
 
representações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdf
representações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdfrepresentações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdf
representações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdf
EVERALDODEOLIVEIRA2
 

Último (9)

Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptxApresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 
CAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUS
CAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUSCAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUS
CAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUS
 
representações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdf
representações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdfrepresentações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdf
representações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdf
 

Resumo ENTOMORIO

  • 1. Ocorrência e parâmetros ecológicos de coleópteros degradadores da madeira em Área de Preservação Permanente (APP) em região de Cerrado, Cristalina, GO. Thiago Sampaio de Souza; Vinicius José Fernandes; Acácio Geraldo de Carvalho Os insetos da Ordem Coleoptera representam o grupo mais bem sucedido de seres vivos em termos de diversidade, com quase 360.000 espécies descritas, distribuídas pelo mundo, representando 35% do total de insetos. Essa ordem é considerada a maior causadora de danos, como pragas agrícolas e florestais e consideradas pragas de difícil controle. Foram realizadas coletas em Área de Preservação Permanente (APP) na cidade de Cristalina, GO, situada a S 16°46’08” e W 47°36’50”, com o objetivo de fazer o levantamento, definir a frequência e a flutuação populacional de insetos da Ordem Coleoptera. Foram realizadas 15 coletas semanais, entre os dias 26/10/2015 à 01/02/2016. As condições climáticas, temperatura média do ar e precipitação pluviométrica, durante o período de coletas foi 22,67ºC e 619,2 mm (área monitorada através de estação meteorológica presente em propriedade particular de produtor rural). Para a realização das coletas foi utilizada armadilha do modelo Carvalho-47 a qual foi instalada a uma altura de aproximadamente 1,30m do solo e sustentada por arame de acordo com o padrão de instalação do modelo da armadilha. Foram coletados 113 espécimes da Ordem Coleoptera distribuídos em oito famílias: Anobiidae, Bostrichidae, Buprestidae, Curculionidae, Elateridae, Lycitidae, Vesperidae (Cerambycidae) e Staphylinidae; e três subfamílias: Bruchinae, Scolytinae e Platypodinae. A diversidade de insetos coletados pode ser explicado pela diversidade florística presente na área, porém a subfamília Scolytinae foi a mais encontrada entre os coleópteras coletados durante os três meses. Na 13ª semana foram coletados 14 espécimes representando 63,6% dos insetos coletados. Na 6ª coleta, a subfamília Scolytinae foi a mais frequente (35,29%), juntamente com a família Bostrichidae (35,29%). Durante todo o período amostrado observou-se maior frequência dos escolitíneos com 34,95%. Porém, na 3ª e 4ª coleta, quando ocorreu baixa precipitação, ou nem houve (0,4 e 0,0 mm, respectivamente), e a menor temperatura média registrada da coleta a captura de espécimes da subfamília Scolytinae foi baixa. A alta frequência de escolitíneos, pode estar relacionada ao fato destes insetos possuírem maior atividade nesses tipos de matas e por pertencerem a subfamília que representa o maior número de espécies da ordem. Porém, observou-se que quando não ocorre precipitação em pelo menos um dia da semana e as temperaturas são baixas a ocorrência desses broqueadores é reduzida. Palavras-chave: Besouros, broqueadores, armadilha etanólica.