SlideShare uma empresa Scribd logo
Resumo de História – 1º Trimestre  REVOLUÇÃO INDUSTRIAL:     A Revolução Industrial, além de favorecer a criação de Indústrias e várias máquinas, formou um processo de transformações nas relações de traba – lho, nas técnicas de produção, nos meios de transporte, na propriedade das terras e na atividade comercial. Origem do capitalismo inglês:    Capital é todo dinheiro investido, que pode gerar lucro. As principais formas de gerar capital pelos ingleses era: ,[object Object]
Produtos estrangeiros estavam proibidos de ser transportados para os portos ingleses.
Monopólio (governo, ou pessoa que é o único a ter controle sobre algo) do transporte de mercadorias vindas das colônias.
Tratado de Methuen ( Panos e Vinhos ) que consistia em: Portugal era obrigado a comprar tecidos da Inglaterra, que era obrigada á comprar vinhos de Portugal. Como os tecidos estavam “mais envolvidos” no cotidiano, a Inglaterra acabava lucrando mais.     A  burguesia inglesa conquistou o poder político, o que lhe garantiu participação no Parlamento. Para atingir suas metas, os burgueses defendiam o liberalismo econômico: Um conjunto de práticas que estimu -
lavam a livre concorrência, o livre – cambismo (ausência de impostos sobre os produtos importados) e a não interferência do Estado na economia.   Surgimento do Proletariado:   Por meio de uma série de decisões do Parlamento, os campos ingleses passaram por um processo de cercamentos, ou seja, a apropriação das terras do Estado (antigas terras comunais, sem dono), até então cultivadas coletivamente por camponeses e pequenos proprietários, por membros da nobreza e da burguesia. Para lucrar mais, os novos donos da terra investiram na criação de ovelhas, pois ela exigia menos mão de obra. Foi assim que os cercamentos provocaram o êxodo rural. O povo agrícola era  expropriado da terra á força, expulso das suas casas, lançado para a vagabundagem, e depois chicoteado, marcado com ferros, torturados por leis terríveis, até estarem disciplinados para o sistema do trabalho assalariado. Esses trabalhadores formaram uma nova camada social a o proletariado, que era explorado pela burguesia. A indústria e as novas tecnologias:   Com o tempo, a burguesia começou a valorizar mais a capacidade criadora e transformadora do ser humano. Os novos estudos contribuíram para o desenvolvimento de inovações tecnológicas, aplicadas na fundição de metais, na geração de energia, no tingimento de lã e algodão, na fabricação de cerâmica e na mecanização do trabalho. A burguesia queria também seus lucros e suas atividades produtivas, e tentava usar a ciência a
favor de seus interesses. Cabia ao capitalista o dever de proporcionar aparelhagem científica e produtos novos a serem utilizados pelo cientistas. Seus objetivos eram obter o domínio máximo sobre o meio natural, a fim de explorar – lhe em proveito dos lucros de mercado. Os inventos mais significativos na época foram: a máquina de fiar e a máquina á vapor (vapor da água e do carvão) e as de bombas de sucção na minas (aperfeiçoamento da máquina a vapor). As máquinas á vapor também foram importantes na metalurgia, e no transporte. Até a revolução industrial o sistema produtivo era baseado no artesanato doméstico e na manufatura. Nas atividades artesanais, o próprio dono das matérias primas e das ferramentas de trabalho realizava todas as etapas da produção. Artesanato       >              Manufatura              >               Indústria ( trab. individual )     (trabalho coletivo com(Manufatura + máquinas)  patrão e divisão de trabalho)       No artesanato era o “fabricante” que determinava por ele a partir de sua habilidade no ofício. Como o objetivo de baratear e aumentar a produção, alguns burgueses investiram seu capital em uma outra maneira de produção: a manufatura, que tinha uma patrão capitalista, que ficava com a maior parte dos lucros. Nas manufaturas, existia divisão de trabalho. Com a revolução industrial, firmou-se o trabalho assalariado. Ao proletariado restava vender sua força de trabalho para a burguesia, dona das indústrias. Com a abundâncias de proletariados procurando trabalho, os burgueses co -

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A revoluo-agrcola-e-o-arranque-da-revoluo-industrial
A revoluo-agrcola-e-o-arranque-da-revoluo-industrialA revoluo-agrcola-e-o-arranque-da-revoluo-industrial
A revoluo-agrcola-e-o-arranque-da-revoluo-industrial
Anabela Sousa Pinho
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Viegas Fernandes da Costa
 
Cartismo
CartismoCartismo
Atividade 2 - 9º ano gabaritada
Atividade 2 - 9º ano gabaritadaAtividade 2 - 9º ano gabaritada
Atividade 2 - 9º ano gabaritada
Elisângela Martins Rodrigues
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Debora Barros
 
Slides revolução industrial
Slides revolução industrialSlides revolução industrial
Slides revolução industrial
Julia Selistre
 
A civilização industrial no século XIX
A civilização industrial no século XIXA civilização industrial no século XIX
A civilização industrial no século XIX
BeatrizMarques25
 
Prof gislaine capitalismo e socialismo
Prof gislaine capitalismo e socialismoProf gislaine capitalismo e socialismo
Prof gislaine capitalismo e socialismo
gislainegeografiahumanas
 
A Era do Imperialismo
A Era do ImperialismoA Era do Imperialismo
A Era do Imperialismo
Aulas de História
 
O mundo industrializado do séc. xix
O mundo industrializado do séc. xixO mundo industrializado do séc. xix
O mundo industrializado do séc. xix
Elisabete Pinto
 
Expansão Industrial
Expansão IndustrialExpansão Industrial
Expansão Industrial
makuta94
 
RevoluçãO Industrial
RevoluçãO IndustrialRevoluçãO Industrial
RevoluçãO Industrial
Sílvia Mendonça
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Charlies Ponciano
 
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E NEOCOLONIALISMO
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E NEOCOLONIALISMOREVOLUÇÃO INDUSTRIAL E NEOCOLONIALISMO
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E NEOCOLONIALISMO
Grazi Oliveira
 
Revolucao industrial editado 2
Revolucao industrial editado 2Revolucao industrial editado 2
Revolucao industrial editado 2
Carla Prestes
 
revolução industrial
revolução industrialrevolução industrial
revolução industrial
Ana Batista
 
3º ano cap 1 industrialização e imperialismo
3º ano  cap 1 industrialização e imperialismo3º ano  cap 1 industrialização e imperialismo
3º ano cap 1 industrialização e imperialismo
José Carlos
 
A civilização Industrial do Século XIX
A civilização Industrial do Século XIXA civilização Industrial do Século XIX
A civilização Industrial do Século XIX
Death212
 
Segunda revolução industrial e imperialismo
Segunda revolução industrial e imperialismoSegunda revolução industrial e imperialismo
Segunda revolução industrial e imperialismo
Daniel Correia
 
O Brasil na Era do Capitalismo Industrial
O Brasil na Era do Capitalismo IndustrialO Brasil na Era do Capitalismo Industrial
O Brasil na Era do Capitalismo Industrial
eduardodemiranda
 

Mais procurados (20)

A revoluo-agrcola-e-o-arranque-da-revoluo-industrial
A revoluo-agrcola-e-o-arranque-da-revoluo-industrialA revoluo-agrcola-e-o-arranque-da-revoluo-industrial
A revoluo-agrcola-e-o-arranque-da-revoluo-industrial
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Cartismo
CartismoCartismo
Cartismo
 
Atividade 2 - 9º ano gabaritada
Atividade 2 - 9º ano gabaritadaAtividade 2 - 9º ano gabaritada
Atividade 2 - 9º ano gabaritada
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Slides revolução industrial
Slides revolução industrialSlides revolução industrial
Slides revolução industrial
 
A civilização industrial no século XIX
A civilização industrial no século XIXA civilização industrial no século XIX
A civilização industrial no século XIX
 
Prof gislaine capitalismo e socialismo
Prof gislaine capitalismo e socialismoProf gislaine capitalismo e socialismo
Prof gislaine capitalismo e socialismo
 
A Era do Imperialismo
A Era do ImperialismoA Era do Imperialismo
A Era do Imperialismo
 
O mundo industrializado do séc. xix
O mundo industrializado do séc. xixO mundo industrializado do séc. xix
O mundo industrializado do séc. xix
 
Expansão Industrial
Expansão IndustrialExpansão Industrial
Expansão Industrial
 
RevoluçãO Industrial
RevoluçãO IndustrialRevoluçãO Industrial
RevoluçãO Industrial
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E NEOCOLONIALISMO
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E NEOCOLONIALISMOREVOLUÇÃO INDUSTRIAL E NEOCOLONIALISMO
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E NEOCOLONIALISMO
 
Revolucao industrial editado 2
Revolucao industrial editado 2Revolucao industrial editado 2
Revolucao industrial editado 2
 
revolução industrial
revolução industrialrevolução industrial
revolução industrial
 
3º ano cap 1 industrialização e imperialismo
3º ano  cap 1 industrialização e imperialismo3º ano  cap 1 industrialização e imperialismo
3º ano cap 1 industrialização e imperialismo
 
A civilização Industrial do Século XIX
A civilização Industrial do Século XIXA civilização Industrial do Século XIX
A civilização Industrial do Século XIX
 
Segunda revolução industrial e imperialismo
Segunda revolução industrial e imperialismoSegunda revolução industrial e imperialismo
Segunda revolução industrial e imperialismo
 
O Brasil na Era do Capitalismo Industrial
O Brasil na Era do Capitalismo IndustrialO Brasil na Era do Capitalismo Industrial
O Brasil na Era do Capitalismo Industrial
 

Semelhante a Resumo de história

Iluminismo-Revolução Industrial-Revolução Francesa-Napoleao.pptx
Iluminismo-Revolução Industrial-Revolução Francesa-Napoleao.pptxIluminismo-Revolução Industrial-Revolução Francesa-Napoleao.pptx
Iluminismo-Revolução Industrial-Revolução Francesa-Napoleao.pptx
ProfGaby2
 
Classes sociais 14t 01111
Classes sociais 14t 01111Classes sociais 14t 01111
Classes sociais 14t 01111
Alexandre Misturini
 
Ilumijsdifixicvhuxchvucx
IlumijsdifixicvhuxchvucxIlumijsdifixicvhuxchvucx
Ilumijsdifixicvhuxchvucx
joaotavares
 
Iluminismo, Revolução Industrial e Revolução Francesa
Iluminismo, Revolução Industrial e Revolução FrancesaIluminismo, Revolução Industrial e Revolução Francesa
Iluminismo, Revolução Industrial e Revolução Francesa
Carlos Glufke
 
Historia vol3
Historia vol3Historia vol3
Historia vol3
Blaunier Matheus
 
Revolução Industrial (Inglaterra, século XVIII).ppt
Revolução Industrial (Inglaterra, século XVIII).pptRevolução Industrial (Inglaterra, século XVIII).ppt
Revolução Industrial (Inglaterra, século XVIII).ppt
EvertonDemetrio
 
HSC-ILUMINISMO-REVOLUCOES-INDUST-E-BURGUESAS.pptx
HSC-ILUMINISMO-REVOLUCOES-INDUST-E-BURGUESAS.pptxHSC-ILUMINISMO-REVOLUCOES-INDUST-E-BURGUESAS.pptx
HSC-ILUMINISMO-REVOLUCOES-INDUST-E-BURGUESAS.pptx
BENILDEDENAZARELAMEI
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Janaina Flavia Santos Azevedo
 
1ª Revolução Industrial
1ª Revolução Industrial1ª Revolução Industrial
1ª Revolução Industrial
Laerciolns12
 
A revolução industrial
A revolução industrialA revolução industrial
A revolução industrial
fernandacarolinestang
 
Aula 11 rev. industrial e socialismo
Aula 11   rev. industrial e socialismoAula 11   rev. industrial e socialismo
Aula 11 rev. industrial e socialismo
Jonatas Carlos
 
História linha de produção 2º médio
História linha de produção 2º médioHistória linha de produção 2º médio
História linha de produção 2º médio
Gilberto Pires
 
A Revolução Industrial
A Revolução IndustrialA Revolução Industrial
A Revolução Industrial
Patrícia Costa Grigório
 
Movimentos operários
Movimentos operáriosMovimentos operários
Movimentos operários
Jornal Ovale
 
Capitalismo: fases e teorias políticas 2014
Capitalismo: fases e teorias políticas 2014Capitalismo: fases e teorias políticas 2014
Capitalismo: fases e teorias políticas 2014
Ademir Aquino
 
Terra-História-Enem-Neo
Terra-História-Enem-NeoTerra-História-Enem-Neo
Terra-História-Enem-Neo
neocontextual
 
Aula-12-As-revolucoes-da-modernidade.pptx
Aula-12-As-revolucoes-da-modernidade.pptxAula-12-As-revolucoes-da-modernidade.pptx
Aula-12-As-revolucoes-da-modernidade.pptx
ANA CLÁUDIA OLIVEIRA
 
7880listadeexercícios3°anojaneiro2018postadoem05.fev.pdf
7880listadeexercícios3°anojaneiro2018postadoem05.fev.pdf7880listadeexercícios3°anojaneiro2018postadoem05.fev.pdf
7880listadeexercícios3°anojaneiro2018postadoem05.fev.pdf
Anderson Torres Pereira
 
Seminário de historia 2ª Revolução industrial
Seminário de historia  2ª Revolução industrial Seminário de historia  2ª Revolução industrial
Seminário de historia 2ª Revolução industrial
Wendell Junior
 
Revoluções: Agrícola, Industrial e Liberais
Revoluções: Agrícola, Industrial e LiberaisRevoluções: Agrícola, Industrial e Liberais
Revoluções: Agrícola, Industrial e Liberais
inessalgado
 

Semelhante a Resumo de história (20)

Iluminismo-Revolução Industrial-Revolução Francesa-Napoleao.pptx
Iluminismo-Revolução Industrial-Revolução Francesa-Napoleao.pptxIluminismo-Revolução Industrial-Revolução Francesa-Napoleao.pptx
Iluminismo-Revolução Industrial-Revolução Francesa-Napoleao.pptx
 
Classes sociais 14t 01111
Classes sociais 14t 01111Classes sociais 14t 01111
Classes sociais 14t 01111
 
Ilumijsdifixicvhuxchvucx
IlumijsdifixicvhuxchvucxIlumijsdifixicvhuxchvucx
Ilumijsdifixicvhuxchvucx
 
Iluminismo, Revolução Industrial e Revolução Francesa
Iluminismo, Revolução Industrial e Revolução FrancesaIluminismo, Revolução Industrial e Revolução Francesa
Iluminismo, Revolução Industrial e Revolução Francesa
 
Historia vol3
Historia vol3Historia vol3
Historia vol3
 
Revolução Industrial (Inglaterra, século XVIII).ppt
Revolução Industrial (Inglaterra, século XVIII).pptRevolução Industrial (Inglaterra, século XVIII).ppt
Revolução Industrial (Inglaterra, século XVIII).ppt
 
HSC-ILUMINISMO-REVOLUCOES-INDUST-E-BURGUESAS.pptx
HSC-ILUMINISMO-REVOLUCOES-INDUST-E-BURGUESAS.pptxHSC-ILUMINISMO-REVOLUCOES-INDUST-E-BURGUESAS.pptx
HSC-ILUMINISMO-REVOLUCOES-INDUST-E-BURGUESAS.pptx
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
1ª Revolução Industrial
1ª Revolução Industrial1ª Revolução Industrial
1ª Revolução Industrial
 
A revolução industrial
A revolução industrialA revolução industrial
A revolução industrial
 
Aula 11 rev. industrial e socialismo
Aula 11   rev. industrial e socialismoAula 11   rev. industrial e socialismo
Aula 11 rev. industrial e socialismo
 
História linha de produção 2º médio
História linha de produção 2º médioHistória linha de produção 2º médio
História linha de produção 2º médio
 
A Revolução Industrial
A Revolução IndustrialA Revolução Industrial
A Revolução Industrial
 
Movimentos operários
Movimentos operáriosMovimentos operários
Movimentos operários
 
Capitalismo: fases e teorias políticas 2014
Capitalismo: fases e teorias políticas 2014Capitalismo: fases e teorias políticas 2014
Capitalismo: fases e teorias políticas 2014
 
Terra-História-Enem-Neo
Terra-História-Enem-NeoTerra-História-Enem-Neo
Terra-História-Enem-Neo
 
Aula-12-As-revolucoes-da-modernidade.pptx
Aula-12-As-revolucoes-da-modernidade.pptxAula-12-As-revolucoes-da-modernidade.pptx
Aula-12-As-revolucoes-da-modernidade.pptx
 
7880listadeexercícios3°anojaneiro2018postadoem05.fev.pdf
7880listadeexercícios3°anojaneiro2018postadoem05.fev.pdf7880listadeexercícios3°anojaneiro2018postadoem05.fev.pdf
7880listadeexercícios3°anojaneiro2018postadoem05.fev.pdf
 
Seminário de historia 2ª Revolução industrial
Seminário de historia  2ª Revolução industrial Seminário de historia  2ª Revolução industrial
Seminário de historia 2ª Revolução industrial
 
Revoluções: Agrícola, Industrial e Liberais
Revoluções: Agrícola, Industrial e LiberaisRevoluções: Agrícola, Industrial e Liberais
Revoluções: Agrícola, Industrial e Liberais
 

Mais de Marcos Schwartz

Resumo pra p.u de geog terceiro trimestre
Resumo pra p.u de geog  terceiro trimestreResumo pra p.u de geog  terceiro trimestre
Resumo pra p.u de geog terceiro trimestre
Marcos Schwartz
 
Resumo pra p.u de geog terceiro trimestre
Resumo pra p.u de geog  terceiro trimestreResumo pra p.u de geog  terceiro trimestre
Resumo pra p.u de geog terceiro trimestre
Marcos Schwartz
 
Resumo pra p.u de l.p terceiro trimestre
Resumo pra p.u de l.p terceiro trimestreResumo pra p.u de l.p terceiro trimestre
Resumo pra p.u de l.p terceiro trimestre
Marcos Schwartz
 
Resumo pra p.u de l.p terceiro trimestre
Resumo pra p.u de l.p terceiro trimestreResumo pra p.u de l.p terceiro trimestre
Resumo pra p.u de l.p terceiro trimestre
Marcos Schwartz
 
Resumo pra p.m de história 3º trimestre
Resumo pra p.m de história 3º trimestreResumo pra p.m de história 3º trimestre
Resumo pra p.m de história 3º trimestre
Marcos Schwartz
 
Resumo pra p.m de ciências 3º trimestre.
Resumo pra p.m de ciências 3º trimestre.Resumo pra p.m de ciências 3º trimestre.
Resumo pra p.m de ciências 3º trimestre.
Marcos Schwartz
 
Resumo pra p.m de l.p 3º tri
Resumo pra p.m de  l.p 3º triResumo pra p.m de  l.p 3º tri
Resumo pra p.m de l.p 3º tri
Marcos Schwartz
 
Resumo para p.m de geografia 1º trimestre
Resumo para p.m de geografia 1º trimestreResumo para p.m de geografia 1º trimestre
Resumo para p.m de geografia 1º trimestre
Marcos Schwartz
 
Resumo áfrica
Resumo áfricaResumo áfrica
Resumo áfrica
Marcos Schwartz
 
Resumo de ciências
Resumo de ciênciasResumo de ciências
Resumo de ciências
Marcos Schwartz
 
Resumo espanhol - 2º trimestre
Resumo espanhol - 2º trimestreResumo espanhol - 2º trimestre
Resumo espanhol - 2º trimestre
Marcos Schwartz
 
Resumo lema
Resumo lemaResumo lema
Resumo lema
Marcos Schwartz
 
Resumo de l.p 2º tri
Resumo de l.p   2º triResumo de l.p   2º tri
Resumo de l.p 2º tri
Marcos Schwartz
 
Resumo espanhol
Resumo espanholResumo espanhol
Resumo espanhol
Marcos Schwartz
 
Resumo de ciências
Resumo de ciênciasResumo de ciências
Resumo de ciências
Marcos Schwartz
 
Resumo espanhol
Resumo espanholResumo espanhol
Resumo espanhol
Marcos Schwartz
 
Resumo espanhol
Resumo espanholResumo espanhol
Resumo espanhol
Marcos Schwartz
 
Resumo Geog
Resumo GeogResumo Geog
Resumo Geog
Marcos Schwartz
 
Resumo De CiêNcias
Resumo De CiêNciasResumo De CiêNcias
Resumo De CiêNcias
Marcos Schwartz
 
Resumo MatemáTica
Resumo MatemáTicaResumo MatemáTica
Resumo MatemáTica
Marcos Schwartz
 

Mais de Marcos Schwartz (20)

Resumo pra p.u de geog terceiro trimestre
Resumo pra p.u de geog  terceiro trimestreResumo pra p.u de geog  terceiro trimestre
Resumo pra p.u de geog terceiro trimestre
 
Resumo pra p.u de geog terceiro trimestre
Resumo pra p.u de geog  terceiro trimestreResumo pra p.u de geog  terceiro trimestre
Resumo pra p.u de geog terceiro trimestre
 
Resumo pra p.u de l.p terceiro trimestre
Resumo pra p.u de l.p terceiro trimestreResumo pra p.u de l.p terceiro trimestre
Resumo pra p.u de l.p terceiro trimestre
 
Resumo pra p.u de l.p terceiro trimestre
Resumo pra p.u de l.p terceiro trimestreResumo pra p.u de l.p terceiro trimestre
Resumo pra p.u de l.p terceiro trimestre
 
Resumo pra p.m de história 3º trimestre
Resumo pra p.m de história 3º trimestreResumo pra p.m de história 3º trimestre
Resumo pra p.m de história 3º trimestre
 
Resumo pra p.m de ciências 3º trimestre.
Resumo pra p.m de ciências 3º trimestre.Resumo pra p.m de ciências 3º trimestre.
Resumo pra p.m de ciências 3º trimestre.
 
Resumo pra p.m de l.p 3º tri
Resumo pra p.m de  l.p 3º triResumo pra p.m de  l.p 3º tri
Resumo pra p.m de l.p 3º tri
 
Resumo para p.m de geografia 1º trimestre
Resumo para p.m de geografia 1º trimestreResumo para p.m de geografia 1º trimestre
Resumo para p.m de geografia 1º trimestre
 
Resumo áfrica
Resumo áfricaResumo áfrica
Resumo áfrica
 
Resumo de ciências
Resumo de ciênciasResumo de ciências
Resumo de ciências
 
Resumo espanhol - 2º trimestre
Resumo espanhol - 2º trimestreResumo espanhol - 2º trimestre
Resumo espanhol - 2º trimestre
 
Resumo lema
Resumo lemaResumo lema
Resumo lema
 
Resumo de l.p 2º tri
Resumo de l.p   2º triResumo de l.p   2º tri
Resumo de l.p 2º tri
 
Resumo espanhol
Resumo espanholResumo espanhol
Resumo espanhol
 
Resumo de ciências
Resumo de ciênciasResumo de ciências
Resumo de ciências
 
Resumo espanhol
Resumo espanholResumo espanhol
Resumo espanhol
 
Resumo espanhol
Resumo espanholResumo espanhol
Resumo espanhol
 
Resumo Geog
Resumo GeogResumo Geog
Resumo Geog
 
Resumo De CiêNcias
Resumo De CiêNciasResumo De CiêNcias
Resumo De CiêNcias
 
Resumo MatemáTica
Resumo MatemáTicaResumo MatemáTica
Resumo MatemáTica
 

Último

Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
PatriciaZanoli
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 

Último (20)

Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 

Resumo de história

  • 1.
  • 2. Produtos estrangeiros estavam proibidos de ser transportados para os portos ingleses.
  • 3. Monopólio (governo, ou pessoa que é o único a ter controle sobre algo) do transporte de mercadorias vindas das colônias.
  • 4. Tratado de Methuen ( Panos e Vinhos ) que consistia em: Portugal era obrigado a comprar tecidos da Inglaterra, que era obrigada á comprar vinhos de Portugal. Como os tecidos estavam “mais envolvidos” no cotidiano, a Inglaterra acabava lucrando mais. A burguesia inglesa conquistou o poder político, o que lhe garantiu participação no Parlamento. Para atingir suas metas, os burgueses defendiam o liberalismo econômico: Um conjunto de práticas que estimu -
  • 5. lavam a livre concorrência, o livre – cambismo (ausência de impostos sobre os produtos importados) e a não interferência do Estado na economia. Surgimento do Proletariado: Por meio de uma série de decisões do Parlamento, os campos ingleses passaram por um processo de cercamentos, ou seja, a apropriação das terras do Estado (antigas terras comunais, sem dono), até então cultivadas coletivamente por camponeses e pequenos proprietários, por membros da nobreza e da burguesia. Para lucrar mais, os novos donos da terra investiram na criação de ovelhas, pois ela exigia menos mão de obra. Foi assim que os cercamentos provocaram o êxodo rural. O povo agrícola era expropriado da terra á força, expulso das suas casas, lançado para a vagabundagem, e depois chicoteado, marcado com ferros, torturados por leis terríveis, até estarem disciplinados para o sistema do trabalho assalariado. Esses trabalhadores formaram uma nova camada social a o proletariado, que era explorado pela burguesia. A indústria e as novas tecnologias: Com o tempo, a burguesia começou a valorizar mais a capacidade criadora e transformadora do ser humano. Os novos estudos contribuíram para o desenvolvimento de inovações tecnológicas, aplicadas na fundição de metais, na geração de energia, no tingimento de lã e algodão, na fabricação de cerâmica e na mecanização do trabalho. A burguesia queria também seus lucros e suas atividades produtivas, e tentava usar a ciência a
  • 6. favor de seus interesses. Cabia ao capitalista o dever de proporcionar aparelhagem científica e produtos novos a serem utilizados pelo cientistas. Seus objetivos eram obter o domínio máximo sobre o meio natural, a fim de explorar – lhe em proveito dos lucros de mercado. Os inventos mais significativos na época foram: a máquina de fiar e a máquina á vapor (vapor da água e do carvão) e as de bombas de sucção na minas (aperfeiçoamento da máquina a vapor). As máquinas á vapor também foram importantes na metalurgia, e no transporte. Até a revolução industrial o sistema produtivo era baseado no artesanato doméstico e na manufatura. Nas atividades artesanais, o próprio dono das matérias primas e das ferramentas de trabalho realizava todas as etapas da produção. Artesanato > Manufatura > Indústria ( trab. individual ) (trabalho coletivo com(Manufatura + máquinas) patrão e divisão de trabalho) No artesanato era o “fabricante” que determinava por ele a partir de sua habilidade no ofício. Como o objetivo de baratear e aumentar a produção, alguns burgueses investiram seu capital em uma outra maneira de produção: a manufatura, que tinha uma patrão capitalista, que ficava com a maior parte dos lucros. Nas manufaturas, existia divisão de trabalho. Com a revolução industrial, firmou-se o trabalho assalariado. Ao proletariado restava vender sua força de trabalho para a burguesia, dona das indústrias. Com a abundâncias de proletariados procurando trabalho, os burgueses co -
  • 7. meçaram a impor condições de trabalho desumanas, como grandes jornadas de trabalho, salário muito baixo, com pouca higiene, expostos ás doenças o tempo inteiro e manuseio de máquinas perigosas. Os patrões preferiam empregar mulheres e crianças pois a mão de obra era mais barata, e eles tinham mais facilidade de se locomover em um ambiente como aquele. Também tinham mais facilidade para manusear as máquinas. As precárias condições de trabalho do proletariado os motivaram a organizar revoltas. As revoltas passaram a apresentar características de movimentos organizados: previamente combinados, em vários lugares ao mesmo tempo e durante a noite. Esses movimentos eram conhecidos como luditas, pois afirmavam ser liderados pelo general Ludd. Eles obedeciam ás suas ordens como se ele fosse um monarca. O movimento ludita por um lado levou alguns patrões a pagarem salários mais altos, mas por outro, motivou a criação de leis que ameaçavam os proletariados com penas de morte (apenas os que colocassem em risco o patrimônio do capitalistas). Outras formas de revoltas, foram as greves e os piquetes, que foram reprimidas pelo governo e pelos capitalistas. Iluminismo: A Europa passou por significativas mudanças políticas e econômicas, levando a burguesia a afirmar-se como camada social dominante. Com isso, também ocorria o desenvolvimento de novas idéias. No iluminismo, os burgueses começaram a valorizar mais a idéias e pensamentos das pessoas.
  • 8. Tinham também idéias e teorias que criticavam o absolutismo monárquico e o mercantilismo e propunham outras formas de governo e de organização econômica, expressando interesses da burguesia. As teorias políticas e econômicas ganharam força na Europa, e constituíram um movimento cultural chamado iluminismo, que resgatava os ideais e os valores burgueses do renascimento. Porém na época, ainda existia uma aliança entre rei e burguesia. A nobreza feudal estava enfraquecida e o poder político era centralizado juntamente com o absolutismo, e com o mercantilismo. Os interesses da burguesia renascentista eram diferentes dos da burguesia iluminista, que reivindicava maior participação política, liberdade religiosa e econômica e igualdade social, chocando-se com o poder absoluto dos monarcas e com os privilégios da nobreza e do clero. De maneira geral, eles afirmavam que todos os humanos tem o direito á vida, liberdade, e á propriedade privada. Esses direitos são chamados de direitos naturais, cabendo ao governo mantê-los para garantir a felicidade do povo. Os burgueses pretendiam garantir a liberdade de religião, econômica, de expressão. E acabar com os privilégios do clero e da nobreza. Também dei- xavam claro que não abririam mão das riquezas acumuladas em troca de ampla igualdade social que beneficiasse também as camadas mais humildes da população.
  • 9.
  • 11. Judiciário – aplica as leisRousseau- Criticava a propriedade privada como origem de todas as desigualdades sociais (diferentemente dos outros iluministas).