SlideShare uma empresa Scribd logo
ETEC GUARACY SILVEIRA




           ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA




NATHALYA KATHERYNE DE L. B. SILVA - Nº24 - 1ºET-Z




                   SÃO PAULO
                      2012
TEORIA CIENTÍFICA

      Chiavenato, Idalberto. Introdução á teoria geral da administração: uma visão
abrangente da moderna administração das organizações/ Idalberto Chiavenato – 7.
Ed. ver. E atual. – Rio de Janeiro: Elsevier, 2003 – 13º Reimpressão

      A administração cientifica dá ênfase basicamente nas tarefas e recebe este
nome graças à tentativa de implantar métodos científicos para resolver problemas
administrativos, por exemplo, produzir uma quantidade de produtos elevados em um
pequeno tempo. O fundador desta teoria foi Frederick Winslow Taylor (1865-1915) a
caracterizou da seguinte forma: “Ciência em lugar de empirismo. Harmonia no lugar
de discórdia. Cooperação e não-individualismo. Rendimento máximo em lugar de
produção reduzida. Desenvolvimento de cada homem a sim de alcançar maior
eficiência e prosperidade”.

      O autor do livro “Introdução á teoria geral da administração” para explicar a
Teoria Científica passa pelo tema da Obra de Taylor - subdividindo em períodos de
estudo -, a Administração como Ciência e fala sobre a Organização Racional do
Trabalho - fazendo subdivisões para a explicação mais exata desta. Passa nesse
capitulo essas informações de forma prática, de maneira que todos possam
entender a Teoria Cientifica.

      A Administração Científica pode ser dividida em dois tempos: O primeiro é a
análise de tarefas de cada operário decompondo seus movimentos e processos,
buscando aperfeiçoá-los e racionalizá-los. A partir das observações notou que se o
funcionário bom ganhar o mesmo valor que o ruim, ele acabará não se esforçando e
produzindo de acordo com sua capacidade. E o segundo este tópico busca explicar
que as indústrias sofriam de três males: O primeiro seria Vadiagem sistemática dos
operários, que fazia com que a produção fosse menor; O segundo o
Desconhecimento, pela gerencia, das rotinas de trabalho e do tempo necessário
para a realização; E o terceiro e último a Falta de uniformidade das técnicas e dos
métodos de trabalho de trabalho.

      Com relação à Administração Científica acreditava que devia ser implantado
aos poucos para não gerar impactos negativos. Ela seria implantada por critérios
como padronização de máquinas e ferramentas, métodos e rotinas para incentivas a
produtividade.

       Os elementos da aplicação da Administração Científica nos padrões de
produção são: padronização de máquinas e ferramentas, métodos e rotinas, para
execução de tarefas para execução de tarefas e prêmios de produção para
incentivar a produtividade.

       Há sempre um método mais rápido, com o instrumento correto para a
realização de uma atividade, quando encontrados podem ser aperfeiçoados por
meio de uma análise científica e o estudo de movimentos e tempos. Essa tentativa
de substituir um método rudimentar em um método científico denominou-se
Organização Racional do Trabalho (ORT)

       A Organização Racional do Trabalho se baseia nos aspectos seguintes:
Análise do trabalho e do estudo dos tempos e movimentos; Estudo de fadiga
humana; Divisão do trabalho e especialização do operário; Desenho de cargos e de
tarefas; Incentivos salariais e prêmios de produção; Conceito de homo economicus –
este   conceito   afirma    que    toda   pessoa    é      concebida   como   influenciada
exclusivamente por recompensas salariais, econômicas e salariais-; Condições
ambientais de trabalho; Padronização de métodos e máquinas; Supervisão funcional
– esta é a existência de diversos supervisores, já que ocorreu a especialização do
operário deve haver a especialização da supervisão.

       A teoria inventada por Taylor gerou um lado positivo e um lado negativo. Foi
implantada na Revolução Industrial e foi capaz de modificar tanto o trabalho quanto
as relações sociais, na época sendo mal vista pela maioria dos pobres e sendo bem
aceitas pelos ricos.

       O lado positivo seria a mudança no momento de produção que facilitou o
trabalho de todos. O produto além de ser produzido em tempo recorde exigia menor
esforço. Sem contar que aumentou de forma considerável o lucro de pessoas que
trabalhavam com produção e fez, também, que alguns produtos ficassem mais
acessíveis, já que com a produção sendo mais fácil e rápida o preço caiu. Em outras
palavras atingir a eficiência e a eficácia é mais fácil.
O lado negativo se dá pelo fato de interferir em relações humanas, as
pessoas     antes   dessa   revolução   trabalhavam   em   manufatura,   convivendo
diariamente. Agora algumas pessoas não sabem se quer o nome de companheiros
de setor, focando simplesmente no trabalho ou não sabem o que é produzido de fato
– o que está além de suas tarefas.

      Após a leitura do texto, podemos dizer que as informações adquiridas através
dele podem ser usadas para pessoas que tem um comércio pequeno – e até
manufaturado- e quer expandi-lo, industrializar, assim aumentando sua produção e
lucro. Para estudantes de administração que pretendem entender a estrutura das
empresas atualmente. Entre outros que vão fazer atividades relacionadas a
empresas.

      Idalberto Chiavenato nascido em 1936 no interior do estado de São Paulo é
autor de mais de 30 publicações na língua portuguesa e de 17 livros em espanhol,
sendo o escritor brasileiro com o maior número de publicações na língua espanhola.
É reconhecido na área de administração de empresas e de recursos humanos
principalmente pela influência na definição e aplicação de modernos e inovadores
conceitos administrativos aplicados às organizações bem-sucedidas, como mérito
recebeu dois títulos Honoris Causa no exterior em contribuição à área de Recursos
Humanos.

      Atualmente, o professor Chiavenato atua como conselheiro no Conselho
Regional de Administração do Estado de São Paulo (CRA-SP) e presidente do
Instituto Chiavenato de Educação. É um dos autores nacionais mais conhecidos e
respeitados na área de Administração de Empresas e Recursos Humanos.

      Nathalya Katheryne de L. B. Silva aluna do curso Técnico de Administração
da ETEC Guaracy Silveira.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Resenha - ADM Científica

Teoria geral da administração
Teoria geral da administraçãoTeoria geral da administração
Teoria geral da administração
Denis Carlos Sodré
 
Aula3
Aula3Aula3
Resenha Taylor
Resenha TaylorResenha Taylor
Resenha Taylor
roneison
 
Aps adm 2013
Aps adm 2013Aps adm 2013
Aps adm 2013
Celeste Lys
 
Adinstração cientifca resumo taylor
Adinstração cientifca resumo taylorAdinstração cientifca resumo taylor
Adinstração cientifca resumo taylor
Leonel Mendes
 
Novas Abordagens na decada de 90 - TQM.pdf
Novas Abordagens na decada de 90 - TQM.pdfNovas Abordagens na decada de 90 - TQM.pdf
Novas Abordagens na decada de 90 - TQM.pdf
PedroLuis216164
 
UNIDADE II -FAA001.ppt
UNIDADE II -FAA001.pptUNIDADE II -FAA001.ppt
UNIDADE II -FAA001.ppt
PauloCesarAraujoNegr
 
Aulas de TGA
Aulas de TGAAulas de TGA
Aulas de TGA
Pedro César
 
Apresentação arlete
Apresentação arleteApresentação arlete
Apresentação arlete
Fernando Antonio
 
Abordagem clássica da administração
Abordagem clássica da administraçãoAbordagem clássica da administração
Abordagem clássica da administração
Marcio Galvao
 
Taylorismo
TaylorismoTaylorismo
Taylorismo
Jose Pedro Silva
 
Adm04 abord clássica e adm científica
Adm04 abord clássica e adm científicaAdm04 abord clássica e adm científica
Adm04 abord clássica e adm científica
Fabi Toniazzo
 
Teoria Adm Cientifica
Teoria Adm CientificaTeoria Adm Cientifica
Teoria Adm Cientifica
UEM
 
Apresentação uezo
Apresentação uezoApresentação uezo
Apresentação uezo
renanrb
 
UNIDADE I -FAA001.ppt
UNIDADE I -FAA001.pptUNIDADE I -FAA001.ppt
UNIDADE I -FAA001.ppt
PauloCesarAraujoNegr
 
Para que servem as teorias administrativas
Para que servem as teorias administrativasPara que servem as teorias administrativas
Para que servem as teorias administrativas
Marta Figueiredo
 
Fundamentos de aministraçao taylor
Fundamentos de aministraçao taylorFundamentos de aministraçao taylor
Fundamentos de aministraçao taylor
Rafael Santos
 
Fundamentos de aministraçao taylor
Fundamentos de aministraçao taylorFundamentos de aministraçao taylor
Fundamentos de aministraçao taylor
Rafael Santos
 
Teoria da Administração
Teoria da AdministraçãoTeoria da Administração
Teoria da Administração
Siebra Neto
 
Teoria da Administração
Teoria da AdministraçãoTeoria da Administração
Teoria da Administração
Siebra Neto
 

Semelhante a Resenha - ADM Científica (20)

Teoria geral da administração
Teoria geral da administraçãoTeoria geral da administração
Teoria geral da administração
 
Aula3
Aula3Aula3
Aula3
 
Resenha Taylor
Resenha TaylorResenha Taylor
Resenha Taylor
 
Aps adm 2013
Aps adm 2013Aps adm 2013
Aps adm 2013
 
Adinstração cientifca resumo taylor
Adinstração cientifca resumo taylorAdinstração cientifca resumo taylor
Adinstração cientifca resumo taylor
 
Novas Abordagens na decada de 90 - TQM.pdf
Novas Abordagens na decada de 90 - TQM.pdfNovas Abordagens na decada de 90 - TQM.pdf
Novas Abordagens na decada de 90 - TQM.pdf
 
UNIDADE II -FAA001.ppt
UNIDADE II -FAA001.pptUNIDADE II -FAA001.ppt
UNIDADE II -FAA001.ppt
 
Aulas de TGA
Aulas de TGAAulas de TGA
Aulas de TGA
 
Apresentação arlete
Apresentação arleteApresentação arlete
Apresentação arlete
 
Abordagem clássica da administração
Abordagem clássica da administraçãoAbordagem clássica da administração
Abordagem clássica da administração
 
Taylorismo
TaylorismoTaylorismo
Taylorismo
 
Adm04 abord clássica e adm científica
Adm04 abord clássica e adm científicaAdm04 abord clássica e adm científica
Adm04 abord clássica e adm científica
 
Teoria Adm Cientifica
Teoria Adm CientificaTeoria Adm Cientifica
Teoria Adm Cientifica
 
Apresentação uezo
Apresentação uezoApresentação uezo
Apresentação uezo
 
UNIDADE I -FAA001.ppt
UNIDADE I -FAA001.pptUNIDADE I -FAA001.ppt
UNIDADE I -FAA001.ppt
 
Para que servem as teorias administrativas
Para que servem as teorias administrativasPara que servem as teorias administrativas
Para que servem as teorias administrativas
 
Fundamentos de aministraçao taylor
Fundamentos de aministraçao taylorFundamentos de aministraçao taylor
Fundamentos de aministraçao taylor
 
Fundamentos de aministraçao taylor
Fundamentos de aministraçao taylorFundamentos de aministraçao taylor
Fundamentos de aministraçao taylor
 
Teoria da Administração
Teoria da AdministraçãoTeoria da Administração
Teoria da Administração
 
Teoria da Administração
Teoria da AdministraçãoTeoria da Administração
Teoria da Administração
 

Mais de admetz01

Resenha - Fordismo/Toyotismo: Princípios da Produção em Massa e Flexível
Resenha - Fordismo/Toyotismo: Princípios da Produção em Massa e FlexívelResenha - Fordismo/Toyotismo: Princípios da Produção em Massa e Flexível
Resenha - Fordismo/Toyotismo: Princípios da Produção em Massa e Flexível
admetz01
 
Resenha - Teoria de Sistemas: Conceitos de Sistemas
Resenha - Teoria de Sistemas: Conceitos de Sistemas Resenha - Teoria de Sistemas: Conceitos de Sistemas
Resenha - Teoria de Sistemas: Conceitos de Sistemas
admetz01
 
Resenha - Teoria Neoclássica: Princípios Básicos da Organização
Resenha - Teoria Neoclássica: Princípios Básicos da OrganizaçãoResenha - Teoria Neoclássica: Princípios Básicos da Organização
Resenha - Teoria Neoclássica: Princípios Básicos da Organização
admetz01
 
Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow [2]
Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow [2]Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow [2]
Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow [2]
admetz01
 
Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow
Resenha: Hierarquização das Necessidades de MaslowResenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow
Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow
admetz01
 
Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow [3]
Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow [3]Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow [3]
Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow [3]
admetz01
 
Resenha - Teoria Estruturalista: Estratégia Organizacional
Resenha - Teoria Estruturalista: Estratégia OrganizacionalResenha - Teoria Estruturalista: Estratégia Organizacional
Resenha - Teoria Estruturalista: Estratégia Organizacional
admetz01
 
Resenha: Teoria Contingencial: Ambiente
Resenha: Teoria Contingencial: AmbienteResenha: Teoria Contingencial: Ambiente
Resenha: Teoria Contingencial: Ambiente
admetz01
 
Resenha - Teoria Comportamental: Teoria dos Dois Fatores
Resenha - Teoria Comportamental: Teoria dos Dois FatoresResenha - Teoria Comportamental: Teoria dos Dois Fatores
Resenha - Teoria Comportamental: Teoria dos Dois Fatores
admetz01
 
Resenha - Teoria Comportamental: Teorias X e Y [2]
Resenha - Teoria Comportamental: Teorias X e Y [2]Resenha - Teoria Comportamental: Teorias X e Y [2]
Resenha - Teoria Comportamental: Teorias X e Y [2]
admetz01
 
Resenha - Teoria Comportamental: Teorias X e Y
Resenha - Teoria Comportamental: Teorias X e YResenha - Teoria Comportamental: Teorias X e Y
Resenha - Teoria Comportamental: Teorias X e Y
admetz01
 
Resenha - Teoria Comportamental: Teoria das Idéias
Resenha - Teoria Comportamental: Teoria das IdéiasResenha - Teoria Comportamental: Teoria das Idéias
Resenha - Teoria Comportamental: Teoria das Idéias
admetz01
 
Resenha - Teoria Clássica: Divisão de Trabalho e Especialização
Resenha - Teoria Clássica: Divisão de Trabalho e EspecializaçãoResenha - Teoria Clássica: Divisão de Trabalho e Especialização
Resenha - Teoria Clássica: Divisão de Trabalho e Especialização
admetz01
 
Resenha - Teoria Clássica: Departamentalização
Resenha - Teoria Clássica: DepartamentalizaçãoResenha - Teoria Clássica: Departamentalização
Resenha - Teoria Clássica: Departamentalização
admetz01
 
Resenha - Teoria Clássica
Resenha - Teoria ClássicaResenha - Teoria Clássica
Resenha - Teoria Clássica
admetz01
 
Resenha - Princípios da ADM Científica [2]
Resenha - Princípios da ADM Científica [2]Resenha - Princípios da ADM Científica [2]
Resenha - Princípios da ADM Científica [2]
admetz01
 
Resenha - Teoria Burocrática: Tipos de Sociedade e Autoridade
Resenha - Teoria Burocrática: Tipos de Sociedade e AutoridadeResenha - Teoria Burocrática: Tipos de Sociedade e Autoridade
Resenha - Teoria Burocrática: Tipos de Sociedade e Autoridade
admetz01
 
Resenha - Teoria Burocrática: Tipos de Sociedade e Autoridade [2]
Resenha - Teoria Burocrática: Tipos de Sociedade e Autoridade [2]Resenha - Teoria Burocrática: Tipos de Sociedade e Autoridade [2]
Resenha - Teoria Burocrática: Tipos de Sociedade e Autoridade [2]
admetz01
 
Teoria Contingencial
Teoria ContingencialTeoria Contingencial
Teoria Contingencial
admetz01
 
Teoria Neoclássica
Teoria NeoclássicaTeoria Neoclássica
Teoria Neoclássica
admetz01
 

Mais de admetz01 (20)

Resenha - Fordismo/Toyotismo: Princípios da Produção em Massa e Flexível
Resenha - Fordismo/Toyotismo: Princípios da Produção em Massa e FlexívelResenha - Fordismo/Toyotismo: Princípios da Produção em Massa e Flexível
Resenha - Fordismo/Toyotismo: Princípios da Produção em Massa e Flexível
 
Resenha - Teoria de Sistemas: Conceitos de Sistemas
Resenha - Teoria de Sistemas: Conceitos de Sistemas Resenha - Teoria de Sistemas: Conceitos de Sistemas
Resenha - Teoria de Sistemas: Conceitos de Sistemas
 
Resenha - Teoria Neoclássica: Princípios Básicos da Organização
Resenha - Teoria Neoclássica: Princípios Básicos da OrganizaçãoResenha - Teoria Neoclássica: Princípios Básicos da Organização
Resenha - Teoria Neoclássica: Princípios Básicos da Organização
 
Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow [2]
Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow [2]Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow [2]
Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow [2]
 
Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow
Resenha: Hierarquização das Necessidades de MaslowResenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow
Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow
 
Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow [3]
Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow [3]Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow [3]
Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow [3]
 
Resenha - Teoria Estruturalista: Estratégia Organizacional
Resenha - Teoria Estruturalista: Estratégia OrganizacionalResenha - Teoria Estruturalista: Estratégia Organizacional
Resenha - Teoria Estruturalista: Estratégia Organizacional
 
Resenha: Teoria Contingencial: Ambiente
Resenha: Teoria Contingencial: AmbienteResenha: Teoria Contingencial: Ambiente
Resenha: Teoria Contingencial: Ambiente
 
Resenha - Teoria Comportamental: Teoria dos Dois Fatores
Resenha - Teoria Comportamental: Teoria dos Dois FatoresResenha - Teoria Comportamental: Teoria dos Dois Fatores
Resenha - Teoria Comportamental: Teoria dos Dois Fatores
 
Resenha - Teoria Comportamental: Teorias X e Y [2]
Resenha - Teoria Comportamental: Teorias X e Y [2]Resenha - Teoria Comportamental: Teorias X e Y [2]
Resenha - Teoria Comportamental: Teorias X e Y [2]
 
Resenha - Teoria Comportamental: Teorias X e Y
Resenha - Teoria Comportamental: Teorias X e YResenha - Teoria Comportamental: Teorias X e Y
Resenha - Teoria Comportamental: Teorias X e Y
 
Resenha - Teoria Comportamental: Teoria das Idéias
Resenha - Teoria Comportamental: Teoria das IdéiasResenha - Teoria Comportamental: Teoria das Idéias
Resenha - Teoria Comportamental: Teoria das Idéias
 
Resenha - Teoria Clássica: Divisão de Trabalho e Especialização
Resenha - Teoria Clássica: Divisão de Trabalho e EspecializaçãoResenha - Teoria Clássica: Divisão de Trabalho e Especialização
Resenha - Teoria Clássica: Divisão de Trabalho e Especialização
 
Resenha - Teoria Clássica: Departamentalização
Resenha - Teoria Clássica: DepartamentalizaçãoResenha - Teoria Clássica: Departamentalização
Resenha - Teoria Clássica: Departamentalização
 
Resenha - Teoria Clássica
Resenha - Teoria ClássicaResenha - Teoria Clássica
Resenha - Teoria Clássica
 
Resenha - Princípios da ADM Científica [2]
Resenha - Princípios da ADM Científica [2]Resenha - Princípios da ADM Científica [2]
Resenha - Princípios da ADM Científica [2]
 
Resenha - Teoria Burocrática: Tipos de Sociedade e Autoridade
Resenha - Teoria Burocrática: Tipos de Sociedade e AutoridadeResenha - Teoria Burocrática: Tipos de Sociedade e Autoridade
Resenha - Teoria Burocrática: Tipos de Sociedade e Autoridade
 
Resenha - Teoria Burocrática: Tipos de Sociedade e Autoridade [2]
Resenha - Teoria Burocrática: Tipos de Sociedade e Autoridade [2]Resenha - Teoria Burocrática: Tipos de Sociedade e Autoridade [2]
Resenha - Teoria Burocrática: Tipos de Sociedade e Autoridade [2]
 
Teoria Contingencial
Teoria ContingencialTeoria Contingencial
Teoria Contingencial
 
Teoria Neoclássica
Teoria NeoclássicaTeoria Neoclássica
Teoria Neoclássica
 

Resenha - ADM Científica

  • 1. ETEC GUARACY SILVEIRA ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA NATHALYA KATHERYNE DE L. B. SILVA - Nº24 - 1ºET-Z SÃO PAULO 2012
  • 2. TEORIA CIENTÍFICA Chiavenato, Idalberto. Introdução á teoria geral da administração: uma visão abrangente da moderna administração das organizações/ Idalberto Chiavenato – 7. Ed. ver. E atual. – Rio de Janeiro: Elsevier, 2003 – 13º Reimpressão A administração cientifica dá ênfase basicamente nas tarefas e recebe este nome graças à tentativa de implantar métodos científicos para resolver problemas administrativos, por exemplo, produzir uma quantidade de produtos elevados em um pequeno tempo. O fundador desta teoria foi Frederick Winslow Taylor (1865-1915) a caracterizou da seguinte forma: “Ciência em lugar de empirismo. Harmonia no lugar de discórdia. Cooperação e não-individualismo. Rendimento máximo em lugar de produção reduzida. Desenvolvimento de cada homem a sim de alcançar maior eficiência e prosperidade”. O autor do livro “Introdução á teoria geral da administração” para explicar a Teoria Científica passa pelo tema da Obra de Taylor - subdividindo em períodos de estudo -, a Administração como Ciência e fala sobre a Organização Racional do Trabalho - fazendo subdivisões para a explicação mais exata desta. Passa nesse capitulo essas informações de forma prática, de maneira que todos possam entender a Teoria Cientifica. A Administração Científica pode ser dividida em dois tempos: O primeiro é a análise de tarefas de cada operário decompondo seus movimentos e processos, buscando aperfeiçoá-los e racionalizá-los. A partir das observações notou que se o funcionário bom ganhar o mesmo valor que o ruim, ele acabará não se esforçando e produzindo de acordo com sua capacidade. E o segundo este tópico busca explicar que as indústrias sofriam de três males: O primeiro seria Vadiagem sistemática dos operários, que fazia com que a produção fosse menor; O segundo o Desconhecimento, pela gerencia, das rotinas de trabalho e do tempo necessário para a realização; E o terceiro e último a Falta de uniformidade das técnicas e dos métodos de trabalho de trabalho. Com relação à Administração Científica acreditava que devia ser implantado aos poucos para não gerar impactos negativos. Ela seria implantada por critérios
  • 3. como padronização de máquinas e ferramentas, métodos e rotinas para incentivas a produtividade. Os elementos da aplicação da Administração Científica nos padrões de produção são: padronização de máquinas e ferramentas, métodos e rotinas, para execução de tarefas para execução de tarefas e prêmios de produção para incentivar a produtividade. Há sempre um método mais rápido, com o instrumento correto para a realização de uma atividade, quando encontrados podem ser aperfeiçoados por meio de uma análise científica e o estudo de movimentos e tempos. Essa tentativa de substituir um método rudimentar em um método científico denominou-se Organização Racional do Trabalho (ORT) A Organização Racional do Trabalho se baseia nos aspectos seguintes: Análise do trabalho e do estudo dos tempos e movimentos; Estudo de fadiga humana; Divisão do trabalho e especialização do operário; Desenho de cargos e de tarefas; Incentivos salariais e prêmios de produção; Conceito de homo economicus – este conceito afirma que toda pessoa é concebida como influenciada exclusivamente por recompensas salariais, econômicas e salariais-; Condições ambientais de trabalho; Padronização de métodos e máquinas; Supervisão funcional – esta é a existência de diversos supervisores, já que ocorreu a especialização do operário deve haver a especialização da supervisão. A teoria inventada por Taylor gerou um lado positivo e um lado negativo. Foi implantada na Revolução Industrial e foi capaz de modificar tanto o trabalho quanto as relações sociais, na época sendo mal vista pela maioria dos pobres e sendo bem aceitas pelos ricos. O lado positivo seria a mudança no momento de produção que facilitou o trabalho de todos. O produto além de ser produzido em tempo recorde exigia menor esforço. Sem contar que aumentou de forma considerável o lucro de pessoas que trabalhavam com produção e fez, também, que alguns produtos ficassem mais acessíveis, já que com a produção sendo mais fácil e rápida o preço caiu. Em outras palavras atingir a eficiência e a eficácia é mais fácil.
  • 4. O lado negativo se dá pelo fato de interferir em relações humanas, as pessoas antes dessa revolução trabalhavam em manufatura, convivendo diariamente. Agora algumas pessoas não sabem se quer o nome de companheiros de setor, focando simplesmente no trabalho ou não sabem o que é produzido de fato – o que está além de suas tarefas. Após a leitura do texto, podemos dizer que as informações adquiridas através dele podem ser usadas para pessoas que tem um comércio pequeno – e até manufaturado- e quer expandi-lo, industrializar, assim aumentando sua produção e lucro. Para estudantes de administração que pretendem entender a estrutura das empresas atualmente. Entre outros que vão fazer atividades relacionadas a empresas. Idalberto Chiavenato nascido em 1936 no interior do estado de São Paulo é autor de mais de 30 publicações na língua portuguesa e de 17 livros em espanhol, sendo o escritor brasileiro com o maior número de publicações na língua espanhola. É reconhecido na área de administração de empresas e de recursos humanos principalmente pela influência na definição e aplicação de modernos e inovadores conceitos administrativos aplicados às organizações bem-sucedidas, como mérito recebeu dois títulos Honoris Causa no exterior em contribuição à área de Recursos Humanos. Atualmente, o professor Chiavenato atua como conselheiro no Conselho Regional de Administração do Estado de São Paulo (CRA-SP) e presidente do Instituto Chiavenato de Educação. É um dos autores nacionais mais conhecidos e respeitados na área de Administração de Empresas e Recursos Humanos. Nathalya Katheryne de L. B. Silva aluna do curso Técnico de Administração da ETEC Guaracy Silveira.