SlideShare uma empresa Scribd logo
REPRODUÇÃO DOS SERES VIVOS
ESCOLA ESTADUAL 19 DE DEZEMBRO
DISCIPLINA: BIOLOGIA
PROFESSOR: RONALDO A. ALVES
QUERÊNCIA – MT
2022
REPRODUÇÃO DOS SERES VIVOS
• A reprodução é uma característica de todos os seres vivos;
REPRODUÇÃO DOS SERES VIVOS
• A reprodução é uma característica de todos os seres vivos;
• Ela é fundamental para a manutenção da espécie;
REPRODUÇÃO DOS SERES VIVOS
• A reprodução é uma característica de todos os seres vivos;
• Ela é fundamental para a manutenção da espécie;
• São vários os tipos de reprodução que os seres vivos
apresentam, mas todos eles podem ser agrupados em
duas grandes categorias: a reprodução assexuada e a
sexuada.
• Processo que ocorre sem a participação de gametas;
REPRODUÇÃO ASSEXUADA
• Processo que ocorre sem a participação de gametas;
• A reprodução assexuada não envolve trocas de gametas
entre os indivíduos e os indivíduos que surgem por ela
são geneticamente idênticos entre si;
REPRODUÇÃO ASSEXUADA
• Processo que ocorre sem a participação de gametas;
• A reprodução assexuada não envolve trocas de gametas
entre os indivíduos e os indivíduos que surgem por ela
são geneticamente idênticos entre si;
• São vários os tipos de reprodução assexuada, como a
bipartição, brotamento, regeneração e esporulação, etc.
REPRODUÇÃO ASSEXUADA
REPRODUÇÃO ASSEXUADA
Vantagens:
• Maior rapidez;
REPRODUÇÃO ASSEXUADA
Vantagens:
• Maior rapidez;
• Requer menos energia e recursos nutricionais;
REPRODUÇÃO ASSEXUADA
Vantagens:
• Maior rapidez;
• Requer menos energia e recursos nutricionais;
• Maior número de descendentes (duplo custo do sexo);
REPRODUÇÃO ASSEXUADA
Vantagens:
• Maior rapidez;
• Requer menos energia e recursos nutricionais;
• Maior número de descendentes (duplo custo do sexo);
• Um só indivíduo pode colonizar habitats de condições
semelhantes, sem a intervenção de um segundo indivíduo;
REPRODUÇÃO ASSEXUADA
Vantagens:
• Maior rapidez;
• Requer menos energia e recursos nutricionais;
• Maior número de descendentes (duplo custo do sexo);
• Um só indivíduo pode colonizar habitats de condições
semelhantes, sem a intervenção de um segundo indivíduo;
• Produz réplicas exatas do progenitor (clones).
REPRODUÇÃO ASSEXUADA
Desvantagens:
 A diversidade dos mesmos é praticamente nula e, assim,
não favorece a evolução das espécies, tendo como uma
difícil adaptação dos novos indivíduos ao meio como
conseqüência.
TIPOS DE REPRODUÇÃO
ASSEXUADA
Cissiparidade, Divisão Binária, Divisão
Simples, Fissão Binária e Bipartição
• O organismo unicelular primeiro duplica
todos os genes e depois se divide, formando
duas células geneticamente idênticas;
TIPOS DE REPRODUÇÃO
ASSEXUADA
Cissiparidade, Divisão Binária, Divisão
Simples, Fissão Binária e Bipartição
• O organismo unicelular primeiro duplica
todos os genes e depois se divide, formando
duas células geneticamente idênticas;
• Encontramos este tipo de reprodução em
bactérias e protozoários.
Cissiparidade, Divisão Binária, Divisão
Simples, Fissão Binária e Bipartição
 Fragmentação e Regeneração - o organismo
fragmenta-se espontaneamente ou por acidente
e cada fragmento desenvolve-se originando um
novo ser vivo. (ex: algas, estrela-do-mar);
TIPOS DE REPRODUÇÃO
ASSEXUADA
 Fragmentação e Regeneração - o organismo
fragmenta-se espontaneamente ou por acidente
e cada fragmento desenvolve-se originando um
novo ser vivo. (ex: algas, estrela-do-mar);
• Alguns organismos possuem uma capacidade de
regeneração muito grande. Quando algum
fragmento é retirado, ao encontrar condições
ideais de sobrevivência, pode se regenerar e
dar origem a um novo indivíduo.
TIPOS DE REPRODUÇÃO
ASSEXUADA
Fragmentação e Regeneração
Brotamento ou Gemiparidade
• Neste tipo de reprodução um broto se
desenvolve no indivíduo e após um tempo se
desprende, passando a ter uma vida
independente;
Brotamento ou Gemiparidade
• Neste tipo de reprodução um broto se
desenvolve no indivíduo e após um tempo se
desprende, passando a ter uma vida
independente;
• Podemos citar como exemplos de organismos
que se reproduzem por brotamento os fungos, as
hidras, as esponjas e até certas plantas.
Brotamento ou Gemiparidade
Esporulação
• É o processo de reprodução onde os
organismos produzem esporos que são
liberados no ambiente e quando encontram
condições favoráveis, germinam;
Esporulação
• É o processo de reprodução onde os
organismos produzem esporos que são
liberados no ambiente e quando encontram
condições favoráveis, germinam;
• Encontramos este tipo de reprodução em
fungos, algas e Plantas
Esporulação
Reprodução vegetativa ou
Propagação Vegetativa
Se dá pela simples cisão de algum órgão
vegetativo e posterior brotamento da parte
seccionada, transformando-se em outro indivíduo.
Também é conhecida como reprodução clonal.
Reprodução vegetativa- mudas ou
estacas
Casos Especiais de
Reprodução
PARTENOGÊNESE
São fêmeas que apresentam a habilidade de
procriar sem que haja um parceiro sexual,
havendo a participação apenas do gameta
feminino.
Ex: abelhas, lagartos e alguns peixes.
Tipos de Partenogênese
Deuterótoca : tipo de partenogênese que origina
machos e fêmeas. Exemplos: pulgões
Tipos de Partenogênese
Deuterótoca : tipo de partenogênese que origina
machos e fêmeas. Exemplos: pulgões
Arrenótoca: tipo de partenogênese que origina
machos
Exemplos: zangões, formigas e abelhas
Tipos de Partenogênese
Deuterótoca : tipo de partenogênese que origina
machos e fêmeas. Exemplos: pulgões
Arrenótoca: tipo de partenogênese que origina
machos
Exemplos: zangões, formigas e abelhas
Telítoca: tipo de partenogênese que origina fêmeas
Exemplos: escorpiões Tytius serrulatus
Forma especial de partenogênese na qual o
indivíduo ainda na fase larval (imaturo)
reproduz e origina outras larvas.
Exemplo: caramujo
PEDOGÊNESE
POLIEMBRIONIA
• A fecundação ocorre em um único óvulo, que se
divide posteriormente, originando dois ou mais
indivíduos;
POLIEMBRIONIA
• A fecundação ocorre em um único óvulo, que se
divide posteriormente, originando dois ou mais
indivíduos;
• Ocorre com o Tatu e muito raramente na
espécie humana; originando os gêmeos
univitelinos ou idênticos. Estes apresentarão
sempre o mesmo sexo e material genético.
• Quando a fêmea libera mais de um óvulo
durante a ovulação, estes sendo fecundados
por espermatozoides distintos;
POLIOVULAÇÃO
• Quando a fêmea libera mais de um óvulo
durante a ovulação, estes sendo fecundados
por espermatozoides distintos;
• Gêmeos bivitelinos são resultantes de
poliovulação;
POLIOVULAÇÃO
• Quando a fêmea libera mais de um óvulo
durante a ovulação, estes sendo fecundados
por espermatozoides distintos;
• Gêmeos bivitelinos são resultantes de
poliovulação;
• Assim, os indivíduos são
geneticamente diferentes.
POLIOVULAÇÃO
POLIEMBRIONIA X POLIOVULAÇÃO
REPRODUÇÃO SEXUADA
REPRODUÇÃO SEXUADA
Processo no qual ocorre troca de material
genético entre os indivíduos e na maioria das
vezes com união de células reprodutoras
denominadas gametas.
Vantagens:
Produção de diversidade genética nos indivíduos (
crossing-over e segregação independente dos
genes).
Desvantagens
• Os indivíduos tem maior gasto energético;
Desvantagens
• Os indivíduos tem maior gasto energético;
• Maior tempo para realizar o processo o que
diminui o tempo para outras atividades;
Desvantagens
• Os indivíduos tem maior gasto energético;
• Maior tempo para realizar o processo o que
diminui o tempo para outras atividades;
• Durante a reprodução os indivíduos ficam
mais expostos a ação de predadores.
Classificação:
• Quanto ao sexo: Monóicos ou dióicos;
Espécies Monóicos
São aquelas que têm as duas gônadas em um
mesmo organismo. Essa propriedade é comum em
muitas espécies de vegetais. Nos animais que
apresentam duas as duas gônadas ao mesmo
tempo (Minhocas).
Espécies Dióicos
São aquelas cujos indivíduos têm somente um
tipo de gônada: ou masculina ou feminina,
portanto apresentam sexo separados, como
ocorre na maioria das espécies de animais.
Monóicos ou Dióicos
Classificação:
• Quanto ao sexo: Monóicos ou dióicos;
• Quanto à fecundação: Interna ou externa;
Fecundação
A fecundação consiste na união dos gametas
masculinos e femininos por meio da fusão de
seus núcleos, promovendo assim a fertilização
do gameta feminino.
Fecundação Externa
• Quando o encontro dos gametas se dá no meio externo,
este tipo de fecundação acontece geralmente em
ambientes aquáticos, sendo comum em anfíbios e peixes
ósseos;
Fecundação Externa
• Quando o encontro dos gametas se dá no meio externo,
este tipo de fecundação acontece geralmente em
ambientes aquáticos, sendo comum em anfíbios e peixes
ósseos;
• Este tipo de fecundação produzem um quantidade de
gametas muito maior que a fecundação interna.
Quando a fecundação dos gametas ocorre
dentro do corpo do animal. Ocorre em aves,
mamíferos, répteis entre outros.
Fecundação Interna
• Autofecundação;
Classificação da Fecundação
Interna
• Autofecundação;
• Fecundação Cruzada.
Classificação da Fecundação
Interna
Forma dos gametas
São classificados de acordo com o tamanho
e com a motilidade:
Forma dos gametas
São classificados de acordo com o tamanho
e com a motilidade:
• Isogametas;
Forma dos gametas
São classificados de acordo com o tamanho
e com a motilidade:
• Isogametas;
• Heterogametas;
Forma dos gametas
São classificados de acordo com o tamanho
e com a motilidade:
• Isogametas;
• Heterogametas;
• Oogametas.
Isogametas
Quando os gametas masculinos e femininos
não apresentam nenhuma diferença, tanto
no tamanho e na forma como na capacidade
de locomoção
Quando os gametas têm formas e tamanhos
diferentes, mas apresentam capacidade de
locomoção semelhante, movimentam-se, ambos,
um à procura do outro.
Heterogametas
Quando os gametas masculinos são menores e
móveis e os femininos são maiores e imóveis. Este
tipo de fecundação ocorre na maioria dos
organismos vegetais e animais.
Oogametas
REPRODUÇÃO SEXUADA
Classificação quanto aos tipos de gametas:

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

8 ano sistema reprodutor masculino e feminino
8 ano sistema reprodutor masculino e feminino8 ano sistema reprodutor masculino e feminino
8 ano sistema reprodutor masculino e feminino
 
Reprodução sexuada
Reprodução sexuadaReprodução sexuada
Reprodução sexuada
 
Ecologia - Introdução
Ecologia - IntroduçãoEcologia - Introdução
Ecologia - Introdução
 
Especiação
EspeciaçãoEspeciação
Especiação
 
8 ano reprodução E sistema reprodutor
8 ano reprodução E  sistema reprodutor8 ano reprodução E  sistema reprodutor
8 ano reprodução E sistema reprodutor
 
Reprodução Animal
Reprodução AnimalReprodução Animal
Reprodução Animal
 
Especiação
EspeciaçãoEspeciação
Especiação
 
Reprodução dos deres vivos
Reprodução dos deres vivosReprodução dos deres vivos
Reprodução dos deres vivos
 
Reprodução humana - 8º ano
Reprodução humana - 8º anoReprodução humana - 8º ano
Reprodução humana - 8º ano
 
Reino plantae
Reino plantaeReino plantae
Reino plantae
 
Ecologia de Populações
Ecologia de PopulaçõesEcologia de Populações
Ecologia de Populações
 
Bactérias 7º Ano
Bactérias 7º Ano Bactérias 7º Ano
Bactérias 7º Ano
 
Sucessão ecológica
Sucessão ecológicaSucessão ecológica
Sucessão ecológica
 
Aula de gametogenese
Aula de gametogeneseAula de gametogenese
Aula de gametogenese
 
Cap 12 evidencias da evolucao
Cap 12 evidencias da evolucaoCap 12 evidencias da evolucao
Cap 12 evidencias da evolucao
 
Genetica hereditariedade
Genetica hereditariedadeGenetica hereditariedade
Genetica hereditariedade
 
Reino animal
Reino animalReino animal
Reino animal
 
Seleção natural e adaptação
Seleção natural e adaptaçãoSeleção natural e adaptação
Seleção natural e adaptação
 
2ª lei de mendel
2ª lei de mendel2ª lei de mendel
2ª lei de mendel
 
Reprodução sexuada e assexuada
Reprodução sexuada e assexuadaReprodução sexuada e assexuada
Reprodução sexuada e assexuada
 

Semelhante a REPRODUÇÃO DOS SERES VIVOS .pptx

Tipos de Reprodução dos Seres Vivos - Biologia
Tipos de Reprodução dos Seres Vivos - BiologiaTipos de Reprodução dos Seres Vivos - Biologia
Tipos de Reprodução dos Seres Vivos - Biologiacleidianevieira7
 
Aula sexo
Aula sexoAula sexo
Aula sexounesp
 
Biologia da reprodução animal
Biologia da reprodução animalBiologia da reprodução animal
Biologia da reprodução animalbioalvarenga
 
@bionicolaj Embrio human 01
@bionicolaj Embrio human 01@bionicolaj Embrio human 01
@bionicolaj Embrio human 01Bionicolaj
 
Reprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º ano
Reprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º anoReprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º ano
Reprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º anoMariaJoão Agualuza
 
Reprodução aula 05 de luzia
Reprodução aula 05 de luziaReprodução aula 05 de luzia
Reprodução aula 05 de luzialuziabiologa2010
 
Tipos de reprodução
Tipos de reproduçãoTipos de reprodução
Tipos de reproduçãoURCA
 
Reprodução Assexuada, eunice lemos campos.
Reprodução Assexuada, eunice lemos campos.Reprodução Assexuada, eunice lemos campos.
Reprodução Assexuada, eunice lemos campos.Henrique Henrique
 
Reprodução Nos Animais
Reprodução Nos AnimaisReprodução Nos Animais
Reprodução Nos Animaisvisiense
 
ciencias_-_8o_ano_aula_6.pdf
ciencias_-_8o_ano_aula_6.pdfciencias_-_8o_ano_aula_6.pdf
ciencias_-_8o_ano_aula_6.pdfAglis Delgado
 
Reprodução e desenvolvimento2
Reprodução e desenvolvimento2Reprodução e desenvolvimento2
Reprodução e desenvolvimento2César Milani
 
Reprodução e desenvolvimento
Reprodução e desenvolvimentoReprodução e desenvolvimento
Reprodução e desenvolvimentoCésar Milani
 
ReproduçãO Nos Animais 5º Ano
ReproduçãO Nos Animais 5º AnoReproduçãO Nos Animais 5º Ano
ReproduçãO Nos Animais 5º AnoMariaJoão Agualuza
 
segundo W Inglesh trablho Sifa.docx
segundo  W Inglesh trablho Sifa.docxsegundo  W Inglesh trablho Sifa.docx
segundo W Inglesh trablho Sifa.docxabondio
 
Sexo
SexoSexo
Sexounesp
 

Semelhante a REPRODUÇÃO DOS SERES VIVOS .pptx (20)

Tipos de Reprodução dos Seres Vivos - Biologia
Tipos de Reprodução dos Seres Vivos - BiologiaTipos de Reprodução dos Seres Vivos - Biologia
Tipos de Reprodução dos Seres Vivos - Biologia
 
Reprodução
ReproduçãoReprodução
Reprodução
 
Reprodução 7º ano
Reprodução 7º anoReprodução 7º ano
Reprodução 7º ano
 
Reprodução dos animais
Reprodução dos animaisReprodução dos animais
Reprodução dos animais
 
Aula sexo
Aula sexoAula sexo
Aula sexo
 
Biologia da reprodução animal
Biologia da reprodução animalBiologia da reprodução animal
Biologia da reprodução animal
 
67347132 sesi-texto-sobre-reproducao
67347132 sesi-texto-sobre-reproducao67347132 sesi-texto-sobre-reproducao
67347132 sesi-texto-sobre-reproducao
 
Animal Reproducao
Animal ReproducaoAnimal Reproducao
Animal Reproducao
 
@bionicolaj Embrio human 01
@bionicolaj Embrio human 01@bionicolaj Embrio human 01
@bionicolaj Embrio human 01
 
Reprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º ano
Reprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º anoReprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º ano
Reprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º ano
 
Reprodução aula 05 de luzia
Reprodução aula 05 de luziaReprodução aula 05 de luzia
Reprodução aula 05 de luzia
 
Tipos de reprodução
Tipos de reproduçãoTipos de reprodução
Tipos de reprodução
 
Reprodução Assexuada, eunice lemos campos.
Reprodução Assexuada, eunice lemos campos.Reprodução Assexuada, eunice lemos campos.
Reprodução Assexuada, eunice lemos campos.
 
Reprodução Nos Animais
Reprodução Nos AnimaisReprodução Nos Animais
Reprodução Nos Animais
 
ciencias_-_8o_ano_aula_6.pdf
ciencias_-_8o_ano_aula_6.pdfciencias_-_8o_ano_aula_6.pdf
ciencias_-_8o_ano_aula_6.pdf
 
Reprodução e desenvolvimento2
Reprodução e desenvolvimento2Reprodução e desenvolvimento2
Reprodução e desenvolvimento2
 
Reprodução e desenvolvimento
Reprodução e desenvolvimentoReprodução e desenvolvimento
Reprodução e desenvolvimento
 
ReproduçãO Nos Animais 5º Ano
ReproduçãO Nos Animais 5º AnoReproduçãO Nos Animais 5º Ano
ReproduçãO Nos Animais 5º Ano
 
segundo W Inglesh trablho Sifa.docx
segundo  W Inglesh trablho Sifa.docxsegundo  W Inglesh trablho Sifa.docx
segundo W Inglesh trablho Sifa.docx
 
Sexo
SexoSexo
Sexo
 

Mais de RonaldoAlves313237

bomshowwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwslides1.pptx
bomshowwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwslides1.pptxbomshowwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwslides1.pptx
bomshowwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwslides1.pptxRonaldoAlves313237
 
showwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwslides1.pptx
showwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwslides1.pptxshowwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwslides1.pptx
showwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwslides1.pptxRonaldoAlves313237
 
dssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss...
dssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss...dssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss...
dssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss...RonaldoAlves313237
 
sssssssssssssafgwgegegdgdddddddddlides12.pptx
sssssssssssssafgwgegegdgdddddddddlides12.pptxsssssssssssssafgwgegegdgdddddddddlides12.pptx
sssssssssssssafgwgegegdgdddddddddlides12.pptxRonaldoAlves313237
 
slaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaide 2.pptx
slaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaide 2.pptxslaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaide 2.pptx
slaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaide 2.pptxRonaldoAlves313237
 
SSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSLIDE 1.pptx
SSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSLIDE 1.pptxSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSLIDE 1.pptx
SSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSLIDE 1.pptxRonaldoAlves313237
 
sfqwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwslide 1.pptx
sfqwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwslide 1.pptxsfqwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwslide 1.pptx
sfqwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwslide 1.pptxRonaldoAlves313237
 
ssssssssssssssssssssssssssssssaula2.pptx
ssssssssssssssssssssssssssssssaula2.pptxssssssssssssssssssssssssssssssaula2.pptx
ssssssssssssssssssssssssssssssaula2.pptxRonaldoAlves313237
 
Slides documentos interessantes e muito bom .pptx
Slides documentos interessantes e muito bom .pptxSlides documentos interessantes e muito bom .pptx
Slides documentos interessantes e muito bom .pptxRonaldoAlves313237
 
FISIOLOGIA E DIGESTÃO HUMANA .pptx
FISIOLOGIA E DIGESTÃO HUMANA .pptxFISIOLOGIA E DIGESTÃO HUMANA .pptx
FISIOLOGIA E DIGESTÃO HUMANA .pptxRonaldoAlves313237
 

Mais de RonaldoAlves313237 (20)

bomshowwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwslides1.pptx
bomshowwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwslides1.pptxbomshowwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwslides1.pptx
bomshowwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwslides1.pptx
 
showwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwslides1.pptx
showwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwslides1.pptxshowwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwslides1.pptx
showwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwslides1.pptx
 
dssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss...
dssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss...dssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss...
dssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss...
 
sssssssssssssafgwgegegdgdddddddddlides12.pptx
sssssssssssssafgwgegegdgdddddddddlides12.pptxsssssssssssssafgwgegegdgdddddddddlides12.pptx
sssssssssssssafgwgegegdgdddddddddlides12.pptx
 
slaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaide 2.pptx
slaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaide 2.pptxslaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaide 2.pptx
slaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaide 2.pptx
 
SSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSLIDE 1.pptx
SSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSLIDE 1.pptxSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSLIDE 1.pptx
SSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSLIDE 1.pptx
 
sfqwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwslide 1.pptx
sfqwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwslide 1.pptxsfqwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwslide 1.pptx
sfqwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwslide 1.pptx
 
ssssssssssssssssssssssssssssssaula2.pptx
ssssssssssssssssssssssssssssssaula2.pptxssssssssssssssssssssssssssssssaula2.pptx
ssssssssssssssssssssssssssssssaula2.pptx
 
Slides documentos interessantes e muito bom .pptx
Slides documentos interessantes e muito bom .pptxSlides documentos interessantes e muito bom .pptx
Slides documentos interessantes e muito bom .pptx
 
Apresentação3.pptx
Apresentação3.pptxApresentação3.pptx
Apresentação3.pptx
 
estado físico.pptx
estado físico.pptxestado físico.pptx
estado físico.pptx
 
Estados físicos.pptx
Estados físicos.pptxEstados físicos.pptx
Estados físicos.pptx
 
Apresentação1.pptx
Apresentação1.pptxApresentação1.pptx
Apresentação1.pptx
 
Apresentação4.pptx
Apresentação4.pptxApresentação4.pptx
Apresentação4.pptx
 
Estados físicos2.pptx
Estados físicos2.pptxEstados físicos2.pptx
Estados físicos2.pptx
 
Estados físicos.pptx
Estados físicos.pptxEstados físicos.pptx
Estados físicos.pptx
 
slide.pptx
slide.pptxslide.pptx
slide.pptx
 
HISTOLOGIA HUMANA.pptx
HISTOLOGIA HUMANA.pptxHISTOLOGIA HUMANA.pptx
HISTOLOGIA HUMANA.pptx
 
FISIOLOGIA E DIGESTÃO HUMANA .pptx
FISIOLOGIA E DIGESTÃO HUMANA .pptxFISIOLOGIA E DIGESTÃO HUMANA .pptx
FISIOLOGIA E DIGESTÃO HUMANA .pptx
 
Poliferos e Cnidários.pptx
Poliferos e Cnidários.pptxPoliferos e Cnidários.pptx
Poliferos e Cnidários.pptx
 

Último

ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfLeandroTelesRocha2
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxRaquelMartins389880
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalcarlaOliveira438
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaLuanaAlves940822
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxMartin M Flynn
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroBrenda Fritz
 
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docxCONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docxEduardaMedeiros18
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assisbrunocali007
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfrarakey779
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfmaria794949
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfRILTONNOGUEIRADOSSAN
 

Último (20)

ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é preciso
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docxCONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 

REPRODUÇÃO DOS SERES VIVOS .pptx

  • 1. REPRODUÇÃO DOS SERES VIVOS ESCOLA ESTADUAL 19 DE DEZEMBRO DISCIPLINA: BIOLOGIA PROFESSOR: RONALDO A. ALVES QUERÊNCIA – MT 2022
  • 2. REPRODUÇÃO DOS SERES VIVOS • A reprodução é uma característica de todos os seres vivos;
  • 3. REPRODUÇÃO DOS SERES VIVOS • A reprodução é uma característica de todos os seres vivos; • Ela é fundamental para a manutenção da espécie;
  • 4. REPRODUÇÃO DOS SERES VIVOS • A reprodução é uma característica de todos os seres vivos; • Ela é fundamental para a manutenção da espécie; • São vários os tipos de reprodução que os seres vivos apresentam, mas todos eles podem ser agrupados em duas grandes categorias: a reprodução assexuada e a sexuada.
  • 5. • Processo que ocorre sem a participação de gametas; REPRODUÇÃO ASSEXUADA
  • 6. • Processo que ocorre sem a participação de gametas; • A reprodução assexuada não envolve trocas de gametas entre os indivíduos e os indivíduos que surgem por ela são geneticamente idênticos entre si; REPRODUÇÃO ASSEXUADA
  • 7. • Processo que ocorre sem a participação de gametas; • A reprodução assexuada não envolve trocas de gametas entre os indivíduos e os indivíduos que surgem por ela são geneticamente idênticos entre si; • São vários os tipos de reprodução assexuada, como a bipartição, brotamento, regeneração e esporulação, etc. REPRODUÇÃO ASSEXUADA
  • 9. REPRODUÇÃO ASSEXUADA Vantagens: • Maior rapidez; • Requer menos energia e recursos nutricionais;
  • 10. REPRODUÇÃO ASSEXUADA Vantagens: • Maior rapidez; • Requer menos energia e recursos nutricionais; • Maior número de descendentes (duplo custo do sexo);
  • 11. REPRODUÇÃO ASSEXUADA Vantagens: • Maior rapidez; • Requer menos energia e recursos nutricionais; • Maior número de descendentes (duplo custo do sexo); • Um só indivíduo pode colonizar habitats de condições semelhantes, sem a intervenção de um segundo indivíduo;
  • 12. REPRODUÇÃO ASSEXUADA Vantagens: • Maior rapidez; • Requer menos energia e recursos nutricionais; • Maior número de descendentes (duplo custo do sexo); • Um só indivíduo pode colonizar habitats de condições semelhantes, sem a intervenção de um segundo indivíduo; • Produz réplicas exatas do progenitor (clones).
  • 13. REPRODUÇÃO ASSEXUADA Desvantagens:  A diversidade dos mesmos é praticamente nula e, assim, não favorece a evolução das espécies, tendo como uma difícil adaptação dos novos indivíduos ao meio como conseqüência.
  • 14. TIPOS DE REPRODUÇÃO ASSEXUADA Cissiparidade, Divisão Binária, Divisão Simples, Fissão Binária e Bipartição • O organismo unicelular primeiro duplica todos os genes e depois se divide, formando duas células geneticamente idênticas;
  • 15. TIPOS DE REPRODUÇÃO ASSEXUADA Cissiparidade, Divisão Binária, Divisão Simples, Fissão Binária e Bipartição • O organismo unicelular primeiro duplica todos os genes e depois se divide, formando duas células geneticamente idênticas; • Encontramos este tipo de reprodução em bactérias e protozoários.
  • 16. Cissiparidade, Divisão Binária, Divisão Simples, Fissão Binária e Bipartição
  • 17.  Fragmentação e Regeneração - o organismo fragmenta-se espontaneamente ou por acidente e cada fragmento desenvolve-se originando um novo ser vivo. (ex: algas, estrela-do-mar); TIPOS DE REPRODUÇÃO ASSEXUADA
  • 18.  Fragmentação e Regeneração - o organismo fragmenta-se espontaneamente ou por acidente e cada fragmento desenvolve-se originando um novo ser vivo. (ex: algas, estrela-do-mar); • Alguns organismos possuem uma capacidade de regeneração muito grande. Quando algum fragmento é retirado, ao encontrar condições ideais de sobrevivência, pode se regenerar e dar origem a um novo indivíduo. TIPOS DE REPRODUÇÃO ASSEXUADA
  • 20. Brotamento ou Gemiparidade • Neste tipo de reprodução um broto se desenvolve no indivíduo e após um tempo se desprende, passando a ter uma vida independente;
  • 21. Brotamento ou Gemiparidade • Neste tipo de reprodução um broto se desenvolve no indivíduo e após um tempo se desprende, passando a ter uma vida independente; • Podemos citar como exemplos de organismos que se reproduzem por brotamento os fungos, as hidras, as esponjas e até certas plantas.
  • 23. Esporulação • É o processo de reprodução onde os organismos produzem esporos que são liberados no ambiente e quando encontram condições favoráveis, germinam;
  • 24. Esporulação • É o processo de reprodução onde os organismos produzem esporos que são liberados no ambiente e quando encontram condições favoráveis, germinam; • Encontramos este tipo de reprodução em fungos, algas e Plantas
  • 26. Reprodução vegetativa ou Propagação Vegetativa Se dá pela simples cisão de algum órgão vegetativo e posterior brotamento da parte seccionada, transformando-se em outro indivíduo. Também é conhecida como reprodução clonal.
  • 29. PARTENOGÊNESE São fêmeas que apresentam a habilidade de procriar sem que haja um parceiro sexual, havendo a participação apenas do gameta feminino. Ex: abelhas, lagartos e alguns peixes.
  • 30. Tipos de Partenogênese Deuterótoca : tipo de partenogênese que origina machos e fêmeas. Exemplos: pulgões
  • 31. Tipos de Partenogênese Deuterótoca : tipo de partenogênese que origina machos e fêmeas. Exemplos: pulgões Arrenótoca: tipo de partenogênese que origina machos Exemplos: zangões, formigas e abelhas
  • 32. Tipos de Partenogênese Deuterótoca : tipo de partenogênese que origina machos e fêmeas. Exemplos: pulgões Arrenótoca: tipo de partenogênese que origina machos Exemplos: zangões, formigas e abelhas Telítoca: tipo de partenogênese que origina fêmeas Exemplos: escorpiões Tytius serrulatus
  • 33. Forma especial de partenogênese na qual o indivíduo ainda na fase larval (imaturo) reproduz e origina outras larvas. Exemplo: caramujo PEDOGÊNESE
  • 34. POLIEMBRIONIA • A fecundação ocorre em um único óvulo, que se divide posteriormente, originando dois ou mais indivíduos;
  • 35. POLIEMBRIONIA • A fecundação ocorre em um único óvulo, que se divide posteriormente, originando dois ou mais indivíduos; • Ocorre com o Tatu e muito raramente na espécie humana; originando os gêmeos univitelinos ou idênticos. Estes apresentarão sempre o mesmo sexo e material genético.
  • 36. • Quando a fêmea libera mais de um óvulo durante a ovulação, estes sendo fecundados por espermatozoides distintos; POLIOVULAÇÃO
  • 37. • Quando a fêmea libera mais de um óvulo durante a ovulação, estes sendo fecundados por espermatozoides distintos; • Gêmeos bivitelinos são resultantes de poliovulação; POLIOVULAÇÃO
  • 38. • Quando a fêmea libera mais de um óvulo durante a ovulação, estes sendo fecundados por espermatozoides distintos; • Gêmeos bivitelinos são resultantes de poliovulação; • Assim, os indivíduos são geneticamente diferentes. POLIOVULAÇÃO
  • 41. REPRODUÇÃO SEXUADA Processo no qual ocorre troca de material genético entre os indivíduos e na maioria das vezes com união de células reprodutoras denominadas gametas.
  • 42. Vantagens: Produção de diversidade genética nos indivíduos ( crossing-over e segregação independente dos genes).
  • 43. Desvantagens • Os indivíduos tem maior gasto energético;
  • 44. Desvantagens • Os indivíduos tem maior gasto energético; • Maior tempo para realizar o processo o que diminui o tempo para outras atividades;
  • 45. Desvantagens • Os indivíduos tem maior gasto energético; • Maior tempo para realizar o processo o que diminui o tempo para outras atividades; • Durante a reprodução os indivíduos ficam mais expostos a ação de predadores.
  • 46. Classificação: • Quanto ao sexo: Monóicos ou dióicos;
  • 47. Espécies Monóicos São aquelas que têm as duas gônadas em um mesmo organismo. Essa propriedade é comum em muitas espécies de vegetais. Nos animais que apresentam duas as duas gônadas ao mesmo tempo (Minhocas).
  • 48. Espécies Dióicos São aquelas cujos indivíduos têm somente um tipo de gônada: ou masculina ou feminina, portanto apresentam sexo separados, como ocorre na maioria das espécies de animais.
  • 50. Classificação: • Quanto ao sexo: Monóicos ou dióicos; • Quanto à fecundação: Interna ou externa;
  • 51. Fecundação A fecundação consiste na união dos gametas masculinos e femininos por meio da fusão de seus núcleos, promovendo assim a fertilização do gameta feminino.
  • 52. Fecundação Externa • Quando o encontro dos gametas se dá no meio externo, este tipo de fecundação acontece geralmente em ambientes aquáticos, sendo comum em anfíbios e peixes ósseos;
  • 53. Fecundação Externa • Quando o encontro dos gametas se dá no meio externo, este tipo de fecundação acontece geralmente em ambientes aquáticos, sendo comum em anfíbios e peixes ósseos; • Este tipo de fecundação produzem um quantidade de gametas muito maior que a fecundação interna.
  • 54.
  • 55. Quando a fecundação dos gametas ocorre dentro do corpo do animal. Ocorre em aves, mamíferos, répteis entre outros. Fecundação Interna
  • 56.
  • 57.
  • 59. • Autofecundação; • Fecundação Cruzada. Classificação da Fecundação Interna
  • 60. Forma dos gametas São classificados de acordo com o tamanho e com a motilidade:
  • 61. Forma dos gametas São classificados de acordo com o tamanho e com a motilidade: • Isogametas;
  • 62. Forma dos gametas São classificados de acordo com o tamanho e com a motilidade: • Isogametas; • Heterogametas;
  • 63. Forma dos gametas São classificados de acordo com o tamanho e com a motilidade: • Isogametas; • Heterogametas; • Oogametas.
  • 64. Isogametas Quando os gametas masculinos e femininos não apresentam nenhuma diferença, tanto no tamanho e na forma como na capacidade de locomoção
  • 65. Quando os gametas têm formas e tamanhos diferentes, mas apresentam capacidade de locomoção semelhante, movimentam-se, ambos, um à procura do outro. Heterogametas
  • 66. Quando os gametas masculinos são menores e móveis e os femininos são maiores e imóveis. Este tipo de fecundação ocorre na maioria dos organismos vegetais e animais. Oogametas