SlideShare uma empresa Scribd logo
O Relógio Mecânico Rui Gomes, 7.ºH - Nº 20 Físicao-Química E.B. 2/3 DE  VIALONGA
O que vão descobrir ? Introdução  História Constituição Funcionalidades  Funcionamento Jóias Bibliografia Conclusão
Introdução Eu vou falar sobre uma coisa muito comum no nosso dia-a-dia, o relógio, mais especificamente o Relógio Mecânico. Este acessório está disponível em nossa casa, na rua, nos  comboios,  no pulso…
A História por de trás do Relógio Mecânico Peter Henlein é descrito como o inventor do primeiro relógio de bolso, chamado “ovo de Nuremberga” em 1510. No entanto, esta parece ser uma invenção do século 19, pois não aparece em fontes históricas mais antigas. Os primeiros relógios eram muito imprecisos.   A precisão moderna(variação de segundo num dia) apareceu  em 1760, ano em que John Harrison criou o  cronómetro marino(utilizado para manter o tempo, mas que também mede a longitude).
Waltham WatchCompany,em 1854, alcançou a precisão através da industrialização da produção da parte do movimento. Esta empresa ganhou uma medalha de ouro, em 1876, durante a exposição do Centenário na Filadélfia. Os relógios mecânicos são movidos por uma mola que fornece uma força desigual. Entre os séculos 16 e 19, uma corrente permitiu regular a força distribuída pela mola. No século 19 apareceu o escape de alavanca que ainda hoje é utilizado. Em 1970, com o desenho do relógio industrial apareceram os “relógios de movimento automático”.
Constituição Se desmontarmos um relógio mecânico encontramos:      - uma mola, que fornece a energia;      - uma série de engrenagens, para dar energia ao volante e unidades de tempo;      - umoutro conjunto de engrenagens que permite ao utilizador enrolar  a mola e definir  a hora, os minutos...;     - uma roda de balanço que oscila para a frente e para trás. Cada giro da roda leva exactamente o mesmo tempo;     - um mecanismo de fuga que mantém o volante a vibrar, mas também permite que as engrenagens avancem (periodicamente há uma interrupção nas engrenagens e faz o som”tique taque”);     - a face do relógio,  que indica as horas, os minutos...
Funcionalidades extras Automático - elimina a necessidade de enrola r a mola: Apenas é necessário movimentar o pulso(mecanismo de peso). Calendário – mostra a data, mas é necessário reiniciá-lo 5 vezes por ano. Calendário perpétuo – conta os anos bissextos. Alarme – pode ser configurado para  tocar  a  um determinado momento. Cronómetro – normalmente tem os botões - inicia, pausa e reiniciar. Compreende um mostrador que indica o tempo decorrido.
Hacking– inicialmente encontrado nos relógios militares, o ponteiro dos segundos pára , enquanto é configurada a hora(minutos, segundos, fases da lua, etc....). Disco rotativo -mostra as fases da lua. Indicador de energia de reserva – presente sobretudo nos relógios automáticos. Ele mostra a quantidade de energia disponível. Repetidor– permite carregar num botão e ouvimos as horas. Este era utilizado antes da iluminação artificial (apenas disponível em relógios extremamente caros). Turbilhão– mostra a virtuosidade do relógio.
Funcionamento O funcionamento do Relógio Mecânico assenta nas engrenagens e na mola. As engrenagens estão todas ligadas entre si.  Elas rodam a uma velocidade diferente, permitindo que seja mostrado o minuto, a hora e os extras. A mola dá a energia a todo o relógio, mas para manter a estabilidade do relógio (velocidade) é necessário dar à corda de vez em quando (com o indicador de energia pode ver-se quando é necessário dar à corda).
Jóias As jóias for introduzidas por Nicolas Fatio de Duillier, Pierre e Debaufe Jacob no século 18. Elas foram apenas muito utilizadas em meados do século 19.  Até ao século 20, elas eram apenas pedras naturais que saíam da terra. Os relógios, às vezes, tinham quartzo, safari, rubis ou diamantes. Hoje em dia contêm safira sintética ou rubi. Estas jóias servem dois propósitos: redução da fricção e aumento do tempo de vida.
As jóias são utilizadas nas zonas onde as engrenagens têm mais desgaste. Quantas mais jóias tiver, mais preciso é o relógio pois estas reduzem a fricção (a fricção atrasa o relógio). Em 1960, o uso das jóias acabou, pois estas, em excesso, não traziam nada de bom. Apenas tornavam o relógio menos preciso.  Para acabar com esta moda, em 1974, a International Organization for Standardization com a ajuda daNIHS (Normes de l'Industrie Horlogère Suisse) publicou a norma I.S.O. 1112. Esta norma proibia os fabricantes de dizer o número de jóias nas publicidades. Alguns fabricantes continuaram a aumentar o número das jóias, aproveitando-se de alguns buracos na norma.
Bibliografia Encontrei esta informação Na internet http://en.wikipedia.org/wiki/Mechanical_watch     http://en.wikipedia.org/wiki/Marine_chronometer No tradutor http://translate.google.pt/translate?js=n&prev=_t&hl=pt-PT&ie=UTF-8&layout=2&eotf=1&sl=en&tl=pt&u= http%3A%2F%2Fen.wikipedia.org%2Fwiki%2FMechanical_watch
Questionário Diz dois constituintes do Relógio Mecânico. Indicatrês funcionalidades dos Relógios Mecânicos. Para que serve a mola do relógio?               A – Estender a roupa no estendal               B – Dar energia ao relógio               C – Impedir os choques eléctricos que podem prejudicar o relógio.
Conclusão Após este PowerPoint descobrimos o que é o Relógio Mecânico, como funciona e quais as suas funcionalidades.  Já sei que vocês já aprenderam alguma coisa. Por isso só posso dizer…

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Direitos da mulher
Direitos da mulherDireitos da mulher
Direitos da mulher
bejr
 
Feminismo brasil1
Feminismo brasil1Feminismo brasil1
Feminismo brasil1
Rômulo Fernando
 
Direitos da mulher
Direitos da mulherDireitos da mulher
Direitos da mulher
bejr
 
Desenvolvimento científico e tecnológico
Desenvolvimento científico e tecnológicoDesenvolvimento científico e tecnológico
Desenvolvimento científico e tecnológico
João Martins
 
Estados Totalitários (anti-liberais)
Estados Totalitários (anti-liberais)Estados Totalitários (anti-liberais)
Estados Totalitários (anti-liberais)
Matheus Santos
 
A grande depressão, o fascismo e o nazismo
A grande depressão, o fascismo e o nazismoA grande depressão, o fascismo e o nazismo
A grande depressão, o fascismo e o nazismo
Rodolpho Martins
 
Cultura de massas .
Cultura de massas .Cultura de massas .
Cultura de massas .
TavaresJoana
 
Doenças do Sistema Reprodutor Humano
Doenças do Sistema Reprodutor HumanoDoenças do Sistema Reprodutor Humano
Doenças do Sistema Reprodutor Humano
Paula Cristina
 
Ciclo menstrual
Ciclo menstrualCiclo menstrual
Ciclo menstrual
UNISUL
 
A II Guerra Mundial
A II Guerra MundialA II Guerra Mundial
A II Guerra Mundial
Ana Batista
 
Causas e consequências da revolução americana
Causas e consequências da revolução americanaCausas e consequências da revolução americana
Causas e consequências da revolução americana
Lucilia Fonseca
 
Os movimentos sociais no brasil
Os movimentos sociais no brasilOs movimentos sociais no brasil
Os movimentos sociais no brasil
Shirlayne
 
Direitos da mulher
Direitos da mulherDireitos da mulher
Direitos da mulher
mluisavalente
 
As fases da revolução
As fases da revoluçãoAs fases da revolução
As fases da revolução
Carla Teixeira
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
Kerol Brombal
 
O Teatro Romano
O Teatro RomanoO Teatro Romano
O Teatro Romano
guestab4e5c
 
Rock no brasil dos anos 80 e 90
Rock no brasil dos anos 80 e 90Rock no brasil dos anos 80 e 90
Rock no brasil dos anos 80 e 90
Elô Ribeiro
 
Revolução cubana
Revolução cubanaRevolução cubana
Revolução cubana
anotheruntitled
 
3° ano - Guerra Fria
3° ano - Guerra Fria3° ano - Guerra Fria
3° ano - Guerra Fria
Daniel Alves Bronstrup
 
A Segunda Guerra MUndial
A Segunda Guerra MUndialA Segunda Guerra MUndial
A Segunda Guerra MUndial
Paulo Alexandre
 

Mais procurados (20)

Direitos da mulher
Direitos da mulherDireitos da mulher
Direitos da mulher
 
Feminismo brasil1
Feminismo brasil1Feminismo brasil1
Feminismo brasil1
 
Direitos da mulher
Direitos da mulherDireitos da mulher
Direitos da mulher
 
Desenvolvimento científico e tecnológico
Desenvolvimento científico e tecnológicoDesenvolvimento científico e tecnológico
Desenvolvimento científico e tecnológico
 
Estados Totalitários (anti-liberais)
Estados Totalitários (anti-liberais)Estados Totalitários (anti-liberais)
Estados Totalitários (anti-liberais)
 
A grande depressão, o fascismo e o nazismo
A grande depressão, o fascismo e o nazismoA grande depressão, o fascismo e o nazismo
A grande depressão, o fascismo e o nazismo
 
Cultura de massas .
Cultura de massas .Cultura de massas .
Cultura de massas .
 
Doenças do Sistema Reprodutor Humano
Doenças do Sistema Reprodutor HumanoDoenças do Sistema Reprodutor Humano
Doenças do Sistema Reprodutor Humano
 
Ciclo menstrual
Ciclo menstrualCiclo menstrual
Ciclo menstrual
 
A II Guerra Mundial
A II Guerra MundialA II Guerra Mundial
A II Guerra Mundial
 
Causas e consequências da revolução americana
Causas e consequências da revolução americanaCausas e consequências da revolução americana
Causas e consequências da revolução americana
 
Os movimentos sociais no brasil
Os movimentos sociais no brasilOs movimentos sociais no brasil
Os movimentos sociais no brasil
 
Direitos da mulher
Direitos da mulherDireitos da mulher
Direitos da mulher
 
As fases da revolução
As fases da revoluçãoAs fases da revolução
As fases da revolução
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
O Teatro Romano
O Teatro RomanoO Teatro Romano
O Teatro Romano
 
Rock no brasil dos anos 80 e 90
Rock no brasil dos anos 80 e 90Rock no brasil dos anos 80 e 90
Rock no brasil dos anos 80 e 90
 
Revolução cubana
Revolução cubanaRevolução cubana
Revolução cubana
 
3° ano - Guerra Fria
3° ano - Guerra Fria3° ano - Guerra Fria
3° ano - Guerra Fria
 
A Segunda Guerra MUndial
A Segunda Guerra MUndialA Segunda Guerra MUndial
A Segunda Guerra MUndial
 

Destaque

Tipos de relógios
Tipos de relógiosTipos de relógios
Tipos de relógios
Neuzely Mariola
 
Manual do relojoeiro aprendiz
Manual do relojoeiro aprendizManual do relojoeiro aprendiz
Manual do relojoeiro aprendiz
edson pedroso
 
Relógios
RelógiosRelógios
Trab.9 história do relógio
Trab.9 história do relógioTrab.9 história do relógio
Trab.9 história do relógio
jcarlossoliveira
 
O+relógio..[1](1
O+relógio..[1](1O+relógio..[1](1
O+relógio..[1](1
Maria
 
O TEMPO NA HISTÓRIA - HISTÓRIA TEMPO E ESPAÇO
O TEMPO NA HISTÓRIA - HISTÓRIA TEMPO E ESPAÇOO TEMPO NA HISTÓRIA - HISTÓRIA TEMPO E ESPAÇO
O TEMPO NA HISTÓRIA - HISTÓRIA TEMPO E ESPAÇO
Ana Selma Sena Santos
 
Tipos de relógio
Tipos de relógioTipos de relógio
Tipos de relógio
mvss1102009
 
Como funciona uma Estação Meteorológica?
Como funciona uma Estação Meteorológica?Como funciona uma Estação Meteorológica?
Como funciona uma Estação Meteorológica?
Samantha Martins
 
Por que voam os aviões?
Por que voam os aviões?Por que voam os aviões?
Por que voam os aviões?
Diiannaa
 
Introdução a história
Introdução a históriaIntrodução a história
Introdução a história
jfernandesaquino
 
Oque faz um avião voar
Oque faz um avião voarOque faz um avião voar
Oque faz um avião voar
Cristiane Tavolaro
 
Controle e Prevenção dos Processos de Poluição Ambiental
Controle e Prevenção dos Processos de Poluição AmbientalControle e Prevenção dos Processos de Poluição Ambiental
Controle e Prevenção dos Processos de Poluição Ambiental
UN Joint Office of UNDP, UNFPA and UNICEF (Environment Energy and Disaster Prevention Unit)
 
História da aviação
História da aviaçãoHistória da aviação
História da aviação
aviadores10
 
5 descobertas cientificas que mudaram nossas vidas
5 descobertas cientificas que mudaram nossas vidas5 descobertas cientificas que mudaram nossas vidas
5 descobertas cientificas que mudaram nossas vidas
Canal Fala Química
 
Raio X
Raio XRaio X
Raio X
taynaz
 
Calendarios
CalendariosCalendarios
Calendarios
lauracamara
 
MARKETING PESSOAL
MARKETING PESSOALMARKETING PESSOAL
MARKETING PESSOAL
shakazulu
 
O tempo em historia
O tempo em historiaO tempo em historia
O tempo em historia
Ana Barreiros
 
O Tempo e a História - 6o ano
O Tempo e a História - 6o anoO Tempo e a História - 6o ano
O Tempo e a História - 6o ano
Lucas Degiovani
 
Windows Server 2003
Windows Server 2003Windows Server 2003
Windows Server 2003
Goncalo
 

Destaque (20)

Tipos de relógios
Tipos de relógiosTipos de relógios
Tipos de relógios
 
Manual do relojoeiro aprendiz
Manual do relojoeiro aprendizManual do relojoeiro aprendiz
Manual do relojoeiro aprendiz
 
Relógios
RelógiosRelógios
Relógios
 
Trab.9 história do relógio
Trab.9 história do relógioTrab.9 história do relógio
Trab.9 história do relógio
 
O+relógio..[1](1
O+relógio..[1](1O+relógio..[1](1
O+relógio..[1](1
 
O TEMPO NA HISTÓRIA - HISTÓRIA TEMPO E ESPAÇO
O TEMPO NA HISTÓRIA - HISTÓRIA TEMPO E ESPAÇOO TEMPO NA HISTÓRIA - HISTÓRIA TEMPO E ESPAÇO
O TEMPO NA HISTÓRIA - HISTÓRIA TEMPO E ESPAÇO
 
Tipos de relógio
Tipos de relógioTipos de relógio
Tipos de relógio
 
Como funciona uma Estação Meteorológica?
Como funciona uma Estação Meteorológica?Como funciona uma Estação Meteorológica?
Como funciona uma Estação Meteorológica?
 
Por que voam os aviões?
Por que voam os aviões?Por que voam os aviões?
Por que voam os aviões?
 
Introdução a história
Introdução a históriaIntrodução a história
Introdução a história
 
Oque faz um avião voar
Oque faz um avião voarOque faz um avião voar
Oque faz um avião voar
 
Controle e Prevenção dos Processos de Poluição Ambiental
Controle e Prevenção dos Processos de Poluição AmbientalControle e Prevenção dos Processos de Poluição Ambiental
Controle e Prevenção dos Processos de Poluição Ambiental
 
História da aviação
História da aviaçãoHistória da aviação
História da aviação
 
5 descobertas cientificas que mudaram nossas vidas
5 descobertas cientificas que mudaram nossas vidas5 descobertas cientificas que mudaram nossas vidas
5 descobertas cientificas que mudaram nossas vidas
 
Raio X
Raio XRaio X
Raio X
 
Calendarios
CalendariosCalendarios
Calendarios
 
MARKETING PESSOAL
MARKETING PESSOALMARKETING PESSOAL
MARKETING PESSOAL
 
O tempo em historia
O tempo em historiaO tempo em historia
O tempo em historia
 
O Tempo e a História - 6o ano
O Tempo e a História - 6o anoO Tempo e a História - 6o ano
O Tempo e a História - 6o ano
 
Windows Server 2003
Windows Server 2003Windows Server 2003
Windows Server 2003
 

Mais de scostaalbino

O segredo do rio
O segredo do rioO segredo do rio
O segredo do rio
scostaalbino
 
O segredo do rio
O segredo do rioO segredo do rio
O segredo do rio
scostaalbino
 
Timor-Leste
Timor-LesteTimor-Leste
Timor-Leste
scostaalbino
 
O Sistema Solar
O Sistema SolarO Sistema Solar
O Sistema Solar
scostaalbino
 
O Sistema Solar
O Sistema SolarO Sistema Solar
O Sistema Solar
scostaalbino
 
O Sistema Solar
O Sistema SolarO Sistema Solar
O Sistema Solar
scostaalbino
 
O Universo e o Nosso Sistema Solar
O Universo e o Nosso Sistema SolarO Universo e o Nosso Sistema Solar
O Universo e o Nosso Sistema Solar
scostaalbino
 
Relógio de areia ou ampulheta
Relógio de areia ou ampulhetaRelógio de areia ou ampulheta
Relógio de areia ou ampulheta
scostaalbino
 
Vesúvio mauro e rui
Vesúvio   mauro e ruiVesúvio   mauro e rui
Vesúvio mauro e rui
scostaalbino
 
O Universo
O UniversoO Universo
O Universo
scostaalbino
 
O 1.ºastronauta e os efeitos negativos do espaço
O 1.ºastronauta e os efeitos negativos do espaçoO 1.ºastronauta e os efeitos negativos do espaço
O 1.ºastronauta e os efeitos negativos do espaço
scostaalbino
 
Mongólia
MongóliaMongólia
Mongólia
scostaalbino
 
Rússia
RússiaRússia
Rússia
scostaalbino
 
Feras e herois
Feras e heroisFeras e herois
Feras e herois
scostaalbino
 
Os fósseis
Os  fósseisOs  fósseis
Os fósseis
scostaalbino
 

Mais de scostaalbino (15)

O segredo do rio
O segredo do rioO segredo do rio
O segredo do rio
 
O segredo do rio
O segredo do rioO segredo do rio
O segredo do rio
 
Timor-Leste
Timor-LesteTimor-Leste
Timor-Leste
 
O Sistema Solar
O Sistema SolarO Sistema Solar
O Sistema Solar
 
O Sistema Solar
O Sistema SolarO Sistema Solar
O Sistema Solar
 
O Sistema Solar
O Sistema SolarO Sistema Solar
O Sistema Solar
 
O Universo e o Nosso Sistema Solar
O Universo e o Nosso Sistema SolarO Universo e o Nosso Sistema Solar
O Universo e o Nosso Sistema Solar
 
Relógio de areia ou ampulheta
Relógio de areia ou ampulhetaRelógio de areia ou ampulheta
Relógio de areia ou ampulheta
 
Vesúvio mauro e rui
Vesúvio   mauro e ruiVesúvio   mauro e rui
Vesúvio mauro e rui
 
O Universo
O UniversoO Universo
O Universo
 
O 1.ºastronauta e os efeitos negativos do espaço
O 1.ºastronauta e os efeitos negativos do espaçoO 1.ºastronauta e os efeitos negativos do espaço
O 1.ºastronauta e os efeitos negativos do espaço
 
Mongólia
MongóliaMongólia
Mongólia
 
Rússia
RússiaRússia
Rússia
 
Feras e herois
Feras e heroisFeras e herois
Feras e herois
 
Os fósseis
Os  fósseisOs  fósseis
Os fósseis
 

Relógio Mecânico

  • 1. O Relógio Mecânico Rui Gomes, 7.ºH - Nº 20 Físicao-Química E.B. 2/3 DE VIALONGA
  • 2. O que vão descobrir ? Introdução História Constituição Funcionalidades Funcionamento Jóias Bibliografia Conclusão
  • 3. Introdução Eu vou falar sobre uma coisa muito comum no nosso dia-a-dia, o relógio, mais especificamente o Relógio Mecânico. Este acessório está disponível em nossa casa, na rua, nos comboios, no pulso…
  • 4. A História por de trás do Relógio Mecânico Peter Henlein é descrito como o inventor do primeiro relógio de bolso, chamado “ovo de Nuremberga” em 1510. No entanto, esta parece ser uma invenção do século 19, pois não aparece em fontes históricas mais antigas. Os primeiros relógios eram muito imprecisos. A precisão moderna(variação de segundo num dia) apareceu em 1760, ano em que John Harrison criou o cronómetro marino(utilizado para manter o tempo, mas que também mede a longitude).
  • 5. Waltham WatchCompany,em 1854, alcançou a precisão através da industrialização da produção da parte do movimento. Esta empresa ganhou uma medalha de ouro, em 1876, durante a exposição do Centenário na Filadélfia. Os relógios mecânicos são movidos por uma mola que fornece uma força desigual. Entre os séculos 16 e 19, uma corrente permitiu regular a força distribuída pela mola. No século 19 apareceu o escape de alavanca que ainda hoje é utilizado. Em 1970, com o desenho do relógio industrial apareceram os “relógios de movimento automático”.
  • 6. Constituição Se desmontarmos um relógio mecânico encontramos: - uma mola, que fornece a energia; - uma série de engrenagens, para dar energia ao volante e unidades de tempo; - umoutro conjunto de engrenagens que permite ao utilizador enrolar a mola e definir a hora, os minutos...; - uma roda de balanço que oscila para a frente e para trás. Cada giro da roda leva exactamente o mesmo tempo; - um mecanismo de fuga que mantém o volante a vibrar, mas também permite que as engrenagens avancem (periodicamente há uma interrupção nas engrenagens e faz o som”tique taque”); - a face do relógio, que indica as horas, os minutos...
  • 7. Funcionalidades extras Automático - elimina a necessidade de enrola r a mola: Apenas é necessário movimentar o pulso(mecanismo de peso). Calendário – mostra a data, mas é necessário reiniciá-lo 5 vezes por ano. Calendário perpétuo – conta os anos bissextos. Alarme – pode ser configurado para tocar a um determinado momento. Cronómetro – normalmente tem os botões - inicia, pausa e reiniciar. Compreende um mostrador que indica o tempo decorrido.
  • 8. Hacking– inicialmente encontrado nos relógios militares, o ponteiro dos segundos pára , enquanto é configurada a hora(minutos, segundos, fases da lua, etc....). Disco rotativo -mostra as fases da lua. Indicador de energia de reserva – presente sobretudo nos relógios automáticos. Ele mostra a quantidade de energia disponível. Repetidor– permite carregar num botão e ouvimos as horas. Este era utilizado antes da iluminação artificial (apenas disponível em relógios extremamente caros). Turbilhão– mostra a virtuosidade do relógio.
  • 9. Funcionamento O funcionamento do Relógio Mecânico assenta nas engrenagens e na mola. As engrenagens estão todas ligadas entre si. Elas rodam a uma velocidade diferente, permitindo que seja mostrado o minuto, a hora e os extras. A mola dá a energia a todo o relógio, mas para manter a estabilidade do relógio (velocidade) é necessário dar à corda de vez em quando (com o indicador de energia pode ver-se quando é necessário dar à corda).
  • 10. Jóias As jóias for introduzidas por Nicolas Fatio de Duillier, Pierre e Debaufe Jacob no século 18. Elas foram apenas muito utilizadas em meados do século 19. Até ao século 20, elas eram apenas pedras naturais que saíam da terra. Os relógios, às vezes, tinham quartzo, safari, rubis ou diamantes. Hoje em dia contêm safira sintética ou rubi. Estas jóias servem dois propósitos: redução da fricção e aumento do tempo de vida.
  • 11. As jóias são utilizadas nas zonas onde as engrenagens têm mais desgaste. Quantas mais jóias tiver, mais preciso é o relógio pois estas reduzem a fricção (a fricção atrasa o relógio). Em 1960, o uso das jóias acabou, pois estas, em excesso, não traziam nada de bom. Apenas tornavam o relógio menos preciso. Para acabar com esta moda, em 1974, a International Organization for Standardization com a ajuda daNIHS (Normes de l'Industrie Horlogère Suisse) publicou a norma I.S.O. 1112. Esta norma proibia os fabricantes de dizer o número de jóias nas publicidades. Alguns fabricantes continuaram a aumentar o número das jóias, aproveitando-se de alguns buracos na norma.
  • 12. Bibliografia Encontrei esta informação Na internet http://en.wikipedia.org/wiki/Mechanical_watch http://en.wikipedia.org/wiki/Marine_chronometer No tradutor http://translate.google.pt/translate?js=n&prev=_t&hl=pt-PT&ie=UTF-8&layout=2&eotf=1&sl=en&tl=pt&u= http%3A%2F%2Fen.wikipedia.org%2Fwiki%2FMechanical_watch
  • 13. Questionário Diz dois constituintes do Relógio Mecânico. Indicatrês funcionalidades dos Relógios Mecânicos. Para que serve a mola do relógio? A – Estender a roupa no estendal B – Dar energia ao relógio C – Impedir os choques eléctricos que podem prejudicar o relógio.
  • 14. Conclusão Após este PowerPoint descobrimos o que é o Relógio Mecânico, como funciona e quais as suas funcionalidades. Já sei que vocês já aprenderam alguma coisa. Por isso só posso dizer…